Um fórum de RPG online no formato de PBF (Play by Forum).


    #Capítulo 01 - Trevas

    Compartilhe
    Darkwes
    Mestre Jedi
    avatar
    Mestre Jedi

    Mensagens : 1390
    Reputação : 0

    #Capítulo 01 - Trevas

    Mensagem por Darkwes em Sex Ago 28, 2015 3:56 pm







    Amon-Rahab. Ilha Valac-Bune. Sexta Era, ano 1.062.

    Era noite de festa no CABAL, instrutores comemoravam a formatura de seus discípulos que estavam aptos a carregarem seu legado, Lilith havia os abençoado com sua pureza, além de permitir-lhes vislumbrar uma das criaturas mais magníficas já imaginada. Os caminhos promissores dos novos integrantes da ordem pareciam estar tão iluminados quanto a imensa esfera prateada que contrastava com o céu noturno. Todavia, uma nuvem negra parecia desafiar a beleza da noite, buscando encobrir a luz que enchia de esperança o coração dos jovens...

    Após horas de música e muita conversa, as festividades pareciam estar chegando ao fim. A maioria dos presentes já demonstrava sinais de cansaço e alguns até mesmo já se retiravam, a comida estava saborosa e a bebida aquecia os ânimos na noite fria. Todavia, uma rajada forte de vento fez os galhos das árvores se agitarem como se houvessem se assustado com algo horripilante, mas não havia nada a temer, ainda.

    Do alto de uma das árvores saltou um homem encapuzado de vestes negras em couro e trazendo um arco longo em suas costas, um rastreador. De imediato, o 'intruso' se aproximou dos convidados, parecia ofegante, olhou em volta até avistar Naberius e Leviathan, os dois cavaleiros de maior renome na ordem, rumando em direção à eles com passos largos, se pondo a falar antes mesmo de os alcançar.

    - Senhor Leviathan! Naberius! É uma emergência! - disse ele abaixando o capuz.

    Os dois cavaleiros que já o observavam desde sua chegada, dão alguns passos em direção ao rastreador, logo sendo acompanhados por Astaroth e Kimaris, que também notam se tratar de algo a se preocupar.

    - Diga o motivo de todo este alarde meu caro!

    - Observamos uma atividade suspeita ao redor da ilha... três embarcações de porte médio foram avistadas se aproximando da costa ao sul, ao norte e a leste! - disse o homem ainda respirando com dificuldade devido a agitação.

    Leviathan tinha uma séria expressão em seu rosto, o cavaleiro olhou nos olhos do rastreador também o questionando a respeito do aviso inesperado.

    - Embarcações tu disseste? Que tipo de embarcações são estas e porque acreditas se tratarem de algo a nos preocupar? Creio que deves ter observado-as por bastante tempo até que se aproximassem tanto,  correto? Então por que só agora tens convicção de que representam alguma ameaça?

    - Perdão senhor, mas haviam apenas pessoas comuns em cada uma delas, não avistamos armas ou nenhuma hostilidade, pelo modo que estavam vestidos, tratavam-se apenas de camponeses. - respondeu o rastreador baixando o rosto se desculpando.

    Astaroth que se mantinha em silêncio também deu um passo à frente questionando o homem a respeito do que acabara de dizer. A sacerdotisa parecia não compreender o motivo do alarme.

    - Camponeses? Seriam refugiados buscando abrigo na ilha? Não temos acomodação para muitas pessoas... mas podemos encontrar alguma solução...

    - Temo que não seja este o problema senhora Astaroth. - disse o rastreador movimentando a cabeça em modo negativo, logo erguendo o rosto novamente, porém antes que pudesse prosseguir, Kimaris o questionou, num tom de voz tão frio quanto seu olhar inexpressivo.

    - Diga o que tem de dizer de uma vez e pare de nos fazer perder tempo!

    - S-sim senhora! - respondeu o homem intimidado pelo olhar da instrutora - A pouco observamos que seus ocupantes mudaram suas vestimentas para robes negros, colocando também capuzes rubros e em seguida... em seguida estes incendiaram suas próprias embarcações... não sabemos o motivo, mas...

    A última informação repassada pelo rastreador parece despertar um certo temor entre os instrutores. Até mesmo Leviathan que geralmente era visto sempre muito calmo se exaltou indo em direção ao homem, agarrando-o pela gola do corselete que o mesmo trajava.

    - O que tu acabas de dizer homem? Tens certeza disso? Estas pessoas que observastes ainda estavam dentro das embarcações quando as chamas se espalharam ou as deixaram antes de fazê-lo?

    - S-sim meu senhor, absoluta! E-eles não deixaram as embarcações antes ou após atearem as chamas... confirmei com os demais rastreadores que observaram cada uma das embarcações e acreditamos que tenha sido algum tipo de suicídio coletivo...

    O homem estava visivelmente nervoso, seu rosto estava molhado de suor e seus membros chegavam a estremecer ao ser questionado pela fera ancestral. Astaroth levou uma das mãos à boca, parecendo chocada com a notícia.

    - Pela matriarca... por que fariam uma coisa dessas?...

    Leviathan soltou o rastreador, mas mantinha a mesma seriedade, voltando a questioná-lo, buscando esclarecer os fatos.

    - Isto é... diga-me... pudestes estimar quantas pessoas haviam em cada embarcação?

    - Acredito que em torno de duzentas pessoas senhor... em cada uma delas, ao todo algo em torno de seiscentas a setecentas pessoas... - respondeu o homem buscando se realinhar.

    Após a última informação, os instrutores permaneceram em silêncio por algum tempo se entreolhando, apesar de não dizerem, algo mais parecia perturbá-los em relação a tudo o que havia sido dito pelo rastreador e ouvido por boa parte dos que ali se encontravam. Dois relâmpagos então rasgaram os céus e ecoaram como trombetas amaldiçoadas parecendo anunciar que a noite podia se tornar ainda mais negra...




    *Off: ...


    Lanthys
    Cavaleiro Jedi
    avatar
    Cavaleiro Jedi

    Mensagens : 241
    Reputação : 0

    Re: #Capítulo 01 - Trevas

    Mensagem por Lanthys em Sex Ago 28, 2015 4:28 pm

    Lanthys dá um passo a frente, estava próximo de todos eles, ouviu o que todos falaram, notou a expressão preocupado em cada um dos presentes, mas mesmo assim ele deu um passo a frente parando perto de Naberius e Leviathan dizendo, não somente aos dois, mas a todos os mestres presentes:

    Lanthys: " - Mestres... O que significa tudo isso, pessoas trocando vestimentas e se incendiando por vontade própria em uma mortandade coletiva... Porque a expressão que vejo em seus rostos... Acreditam ser essas pessoas suicidas, portadores de almas das trevas que ao atearem fogo em suas "cascas" se libertam de suas prisões impostas e estão a nossos portões buscando invadir este santuário?"

    Lanthys fica a observar todos eles, pronto para reagir se fosse necessário, afinal, os ventos e os relâmpagos pareciam rufos de tambores de guerra a porta de um castelo a ser tomado... Porém, o cenário atual era bem mais macabro que o imaginado pelo guerreiro...
    Yuji Kiba
    Cavaleiro Jedi
    avatar
    Cavaleiro Jedi

    Mensagens : 230
    Reputação : 0

    Re: #Capítulo 01 - Trevas

    Mensagem por Yuji Kiba em Sex Ago 28, 2015 9:04 pm

    Selene passava pelo local quando nota algumas pessoas conversando, se aproxima um pouco escutando do que estavam falando. Cruza os braços prestando atenção. Acha um pouco curioso a forma como os instrutores se olhavam, mas vê que um dos cavaleiros que estava na cerimônia a pouco se aproxima e faz uma pergunta. Encorajada pela atitude do colega, a sacerdotisa também da um passo a frente.

    -Desculpa interromper, mas não pude deixar de ouvir que fomos invadidos.

    Selene continua falando de braços cruzados, pensava em sua cabeça sobre as opções.

    -Se for um ataque não deveríamos alertar a todos, recolher os mais jovens e nos preparar para uma possível batalha? Ou pelo menos tentar deter o avanço deles de alguma forma.

    Como era de sua natureza, Selene já pensava na possibilidade de uma batalha, mesmo sem saber o que aquelas pessoas encapuzadas queriam, imaginava que se fizeram uma manobra como aquela pra entrar na ilha, boa coisa não seria.

    -Seja qual for o caso, penso que é melhor agir o quanto antes.
    Darkwes
    Mestre Jedi
    avatar
    Mestre Jedi

    Mensagens : 1390
    Reputação : 0

    Re: #Capítulo 01 - Trevas

    Mensagem por Darkwes em Sex Ago 28, 2015 11:54 pm






    Ouvindo o dialogo que se desenrolava entre o mensageiro e os instrutores, Lanthys e Selene se aproximam fazendo suas colocações e questionamentos. Amandine e Christoffer também estavam próximos e ouviam toda a conversa, a jovem estava visivelmente impressionada com tudo que havia sido dito até então, o rapaz, ao contrário mantinha-se calmo e não esboça qualquer preocupação. Naberius olha em direção à Lanthys, mas antes de buscar respondê-lo, faz uma nova indagação ao rastreador que estava ali os informando de todo o ocorrido.

    - Meu caro, sabe nos dizer se agentes foram designados para inspecionar mais de perto as embarcações? Averiguar a condição dos tripulantes após o 'incêndio'?

    - Sim senhor, mas não sei lhe informar o que foi averiguado, pois vim aqui informá-los ao mesmo tempo em que os grupos foram designados para os locais. - disse o homem agora mais calmo enquanto olhava diretamente para o lobo branco.

    Leviathan que parecia pensativo dá alguns passos sem direção, ficando de costas para os demais, mas os presentes puderam escutar a voz do instrutor alguns instantes depois, de início a fera ancestral falava num tom brando, aumentando o seu tom de voz aos poucos.

    - Isto não foi uma tentativa de ataque direto... estas pessoas não poderiam ter cruzado a barreira que circunda a ilha sem ter nos alertado se suas intenções eram más desde o início... certamente tratavam-se de camponeses como aparentavam ser, tendo sido induzidos a aproximarem-se da ilha e iniciarem...

    O cavaleiro se virou e olhou em direção dos demais instrutores, sua fisionomia demonstrava que algo muito grave poderia estar se passando e Leviathan certamente já tinha a noção exata do que se tratava. Astaroth ainda demonstrava não ter aceitado a realidade, dando um passo a frente, olhando em direção a fera ancestral enquanto juntava as duas mãos como em uma prece.

    - Você quer dizer que... todas estas pessoas podem ter... sido usadas como um sacrifício?... Isso é... cruel demais...

    Leviathan confirmou as suspeitas da sacerdotisa apenas movimentando a cabeça, logo de imediato a instrutora dos rastreadores fez uma nova colocação, mantendo o mesmo tom frio e direto de antes.

    - Três barcos posicionados em três pontos distintos ao redor da ilha, formando um triângulo. Cada um com mais de duzentos sacrifícios... não sou a 'maga' aqui, mas é bem óbvio que isso é um ritual de invocação... dos grandes. Não temos t...

    A instrutora pareceu querer dizer "não temos tempo", estava certa. Antes que completasse a frase, todos os presentes observaram um risco luminoso de coloração avermelhada se manifestar ao sul em sentido vertical, se projetando do solo até ser engolido pelas nuvens negras no céu. O fenômeno fora acompanhado de um ruído ensurdecedor que faz os mais fracos irem de encontro ao chão, logo em seguida, uma seta luminosa semelhante se manifesta ao norte e outra à leste, os ruídos provocados por estas últimas nem podem ser ouvidos claramente, pois os presentes ainda tinham seus tímpanos atordoados pelo primeiro.

    As três setas luminosas permanecem iluminando a noite de rubro, não demonstrando nenhum sinal de enfraquecimento e muitos dos que ali se encontravam começam a se mover em pânico, outros pareciam anestesiados, não acreditando no fenômeno, ou não processando o que poderia vir em seguida. Leviathan tomou a iniciativa, o cavaleiro olhou em direção ao discípulo, mas suas palavras eram direcionadas à todos que estavam no local.

    - Estas pessoas não buscavam tornarem-se criaturas, estou certo de que foram usadas por algum ser vil como um rebanho a ser sacrificado... além disso, foram usados para adentrar em nossa fortaleza e trazer algo pior. Este triângulo que fora desenhado ao redor da ilha é um imenso portal, por onde criaturas hostis deverão cruzá-lo a qualquer momento... e devido às suas dimensões, algo muito maior do que podemos lidar pode se manifestar!

    O cavaleiro olhou em volta para todos que ali se encontravam, estes mantinham-se atentos as palavras de Leviathan, se alguém soubesse como agir numa situação dessas provavelmente seria o cavaleiro de maior prestígio na ordem.

    - Estamos em alerta vermelho, todos os soldados devem se posicionar! Cavaleiros, sacerdotes e rastreadores, agrupem-se e se movam para os alojamentos o mais rápido possível. Tragam os mais pequenos para o templo carmesim, caso não consigam chegar até aqui, refugiem-se nas construções principais de cada complexo! Astaroth, volte para o complexo das sacerdotisas, caso não consigam chegar até aqui elas precisarão de você, formem uma barreira e permaneçam lá até que possam vir até aqui. Kimaris, procure Forneus, o ancião pode se defender bem, mas ele pode precisar de ajuda pra chegar até aqui. Naberius, fique aqui com Lanthys e juntos impeçam que qualquer coisa tente adentrar no templo!

    Os presentes começaram a se organizar após as palavras de Leviathan, buscando se dividir em grupos, Kimaris se apressou e partiu em direção ao complexo dos rastreadores acompanhada de seu discípulo. Astaroth ainda parecia abalada, mas buscava forças para seguir em direção ao complexo das sacerdotisas. Naberius olhou em direção à Lanthys com uma séria expressão em seu rosto, tocando o cabo de sua espada que repousava na lateral de tronco, o instrutor parecia buscar palavras, mas estas não vieram. Selene podia observar que Amandine não havia esboçado reação até o momento, visivelmente atordoada com o bombardeio de informações que se seguiu. Em contrapartida, Mesphito parecia despertar de seu sono, olhando para os demais sem compreender o que se passava ainda recostado à parede do templo... o caos havia se iniciado.




    *Off: ...


    Yuji Kiba
    Cavaleiro Jedi
    avatar
    Cavaleiro Jedi

    Mensagens : 230
    Reputação : 0

    Re: #Capítulo 01 - Trevas

    Mensagem por Yuji Kiba em Sab Ago 29, 2015 12:16 am

    Selene se sentia meio inquieta, a noticia de um possível ataque era algo para que não estava preparada, mas como sempre, estava disposta a dar o melhor de si. A conversa entre os instrutores prossegue e a jovem fica ainda mais inquieta, quando esta perto de interromper para sugerir que entrassem logo em ação, observa um risco no céu. O som forte faz a sacerdotisa quase ir ao chão, mas ela fecha a mandíbula, se firma nas pernas com os joelhos flexionados e se mantém de pé, tampa os ouvidos com os dedos e tenta se concentrar.
    Quando tudo acaba pode finalmente ouvir de novo, escutando as palavras de Leviathan.

    -Estão trazendo seres de outro mundo para cá? Claramente isso foi muito bem planejado, precisaria ser alguém que conhece nossas fraquezas.

    Selene continua a seguir as ordens de Leviathan, mas nota que Astaroth estava um pouco abalada, a jovem tira alguns segundos e se aproxima da instrutora colocando a mão em seu ombro e depois se dirigindo a ela com ternura,

    -Não se preocupe mestra, vai dar tudo certo. Vá rápido para o complexo das sacerdotisa, não podemos deixar nossas irmãs desamparadas. Confio em você e elas também!

    Ao observar que Amandine também estava paralisada pelo que acabou de ocorrer, Selene a agarra pelos ombros fala com a amiga com calma a olhando nos olhos.

    -Dine, fique calma, tenha confiança em nós. Vá com Astaroth, você é boa com rituais, ela pode precisar da sua ajuda, eu vou ficar aqui.

    Selene da um sorriso

    -Não se preocupe, como diz meu pai “Vaso ruim não quebra” e eu sou um dos piores. Ajude nossa mestra e nossas irmãs!!

    A sacerdotisa se aproxima dos cavaleiros, Lanthys e Naberius.

    -Meu primeiro instinto era procurar os pequenos e ajudar eles antes que algo realmente ruim aconteça, mas acho que vocês vão precisar de toda ajuda que tiver.

    A jovem bate com força o punho esquerdo na palma da mão direita.

    -E eu vou dar tudo de mim para ajudar vocês!

    Disse Selene com um olhar decidido.
    Lanthys
    Cavaleiro Jedi
    avatar
    Cavaleiro Jedi

    Mensagens : 241
    Reputação : 0

    Re: #Capítulo 01 - Trevas

    Mensagem por Lanthys em Sab Ago 29, 2015 10:00 am

    Lanthys havia deixado naquele momento a expressão de questionamento e tranquilidade de lado, estava se tornando uma característica marcante sua, como duas personalidades distintas dentro da mesma pessoa... Lanthys franzia o cenho, sua costumeira descontração parecia esvair-se e em seu lugar uma expressão séria, atenta, determinada e até feroz de certa forma surgia... Em sua mente ele lembra de Moomba o protegendo na noite fatídica, ele lembra de seu pai o chamando de coração de leão, ele lembra da adrenalina do perigo e de quanto ele agora, precisa de tudo isso para ser o que todos creem que ele é... Um cavaleiro guardião, um cavaleiro Garou!

    Lanthys então retira sua espada de dentro de sua capa, ele a segura firme na mão esquerda e posiciona-se ao lado de seu mestre Naberius... Olhando para as linhas rubras no céu, para a escadaria e estando ambos em posição que os permita barrar a entrada de qualquer um no templo, Lanthys comenta...

    Lanthys: " - Sei que não sou digno de combater em uma batalha real ao lado de alguém como você mestre, mas... Sei também, que será uma das maiores honras que já tive... Tenha certeza, há um cavaleiro Garou ao seu lado agora e ele não abandonará seu papel por nada neste mundo!"

    Lanthys então fica atento a tudo e percebe a chegada de uma das formandas, era Selene das sacerdotisas, ao invés de ir ao templo ela parecia querer se unir a eles no combate... Lanthys pensa um pouco e cogita que ela deveria seguir seu grupo, era o mais correto a ser feito pelas normas e regras, mas... Qual guerreiro verdadeiramente determinado em proteger algo não gostaria de ficar na frente de combate e derrotar as criaturas das trevas? É para isso que eles treinaram e embora seu rosto não demonstre, seu coração sorri por ter mais alguém a proteger o templo Carmesin, junto a ele e Naberius como Leviathan ordenou... Lanthys sem desviar sua atenção dos portais ou das entradas possíveis ao templo, responde para a recém chegada...

    Lanthys: " - Seja bem vinda irmã de arma... Hoje provaremos que somos merecedores de nossos medalhões e da benção de nossa matriarca..."

    Em pensamento Lanthys completa: " - Que eu seja merecedor de tua confiança Valefor... PELA VIDA!!"

    Lanthys está a postos, observando tudo a sua volta e pronto para reagir, nada passaria por ele se ele pudesse impedir, era o momento de colocar a prova tudo que fez e viveu até hoje, era o momento de provar a si mesmo que ele merecia o título que detinha, era o momento de provar que ele era merecedor de Valefor!
    Darkwes
    Mestre Jedi
    avatar
    Mestre Jedi

    Mensagens : 1390
    Reputação : 0

    Re: #Capítulo 01 - Trevas

    Mensagem por Darkwes em Sab Ago 29, 2015 8:44 pm






    Astaroth é surpreendida por Selene que se aproxima demonstrando maturidade no momento em que outros se desesperavam. A instrutora toca a mão da jovem sacerdotisa e sorri para a garota, em seguida movendo sua cabeça em sentido afirmativo, demonstrando que compreende o que tem que fazer. Amandine também escuta as palavras da colega e, apesar de demonstrar hesitação por alguns instantes, é confortada também por Astaroth que se aproxima e sorri para a jovem.

    - Mas... você não deve ficar aqui Selene... é melhor que estejamos todas no mesmo local se acontecer algo...

    A garota parecia preocupada com a colega, mas a instrutora demonstrou concordar com a decisão de Selene se interpondo para convencê-la de que a decisão tomada pela jovem estava correta.

    - Selene vai ficar bem Amandine e ela está certa, vou precisar de você comigo para proteger as mais jovens, além disso, os que aqui ficarem podem necessitar do suporte de uma sacerdotisa.

    A jovem olhou para a instrutora e posteriormente para a colega, apesar de ainda haver hesitação em seu olhar ela demonstrava ter sido convencida do que tinha de fazer, aproximando-se de Selene e dando-lhe um breve abraço. Logo em seguida, Amandine e Astaroth se apressaram rumando em direção ao complexo das sacerdotisas, pois sabiam que o tempo estava contra todos ali.

    Naberius então ouve as palavras de Selene e de Lanthys enquanto mantinha uma séria expressão em seu rosto. o Cavaleiro se vira para o rapaz e apoia a mão direita em seu ombro, falando com o mesmo e, em seguida, com a sacerdotisa que se prontificava em ajudá-los.

    - A honra de lutar ao teu lado em sua primeira batalha de verdade será minha meu caro! Agradeço também sua disposição jovem sacerdotisa, tenho certeza de que juntos nos tornaremos uma fortaleza e nada ameaçará Lilith!

    Em seguida, o lobo branco virou-se para Leviathan que removia sua espada da bainha, o cavaleiro ergueu a arma com a ponta voltada para o céu, olhando em direção a lâmina da mesma por alguns segundos, como se dialogasse silenciosamente com sua companheira de batalha. Naberius se aproximou mantendo o olhar firme, questionando o colega a respeito de suas intenções.

    - Leviathan... você direcionou a todos com decisões rápidas e conscientes, mas ainda não mencionou algo. Então me diga, o que pretende fazer diante de tudo isto... não tente carregar mais responsabilidades do que pode suportar.

    Leviathan retribuiu o olhar em direção ao colega instrutor, o vento balançava sua capa graciosamente, em contraste com a expressão do cavaleiro que mantinha-se concentrado e certo do que devia ser feito, respondendo sem hesitações.

    - Farei o que deve ser feito e que apenas eu posso fazer neste momento Naberius. Não temos como estimar por quanto tempo o portal se sustentará, sendo assim, se apenas combatermos em solo aquilo que cruzá-lo adentrando em nossa realidade, podemos acabar em grande desvantagem numérica, até que não consigamos mais combatê-los.

    Naberius demonstrou compreender as palavras da fera ancestral, baixando a cabeça por alguns segundos, o lobo branco parecia irritado. No entanto, sua irritação não era com as palavras de Leviathan, mas sim consigo mesmo, pois sabia que não podia auxiliar o colega no que este se propunha a fazer. Leviathan caminhou na direção de seu discípulo, olhando diretamente nos olhos do rapaz, mantendo a séria expressão que demonstrava desde que tudo se iniciou.

    - Lanthys, quero que mantenhas toda tua atenção nestas palavras: Não permitas que nada venha a ferir Lilith! Esta será tua prioridade, se algo acontecer à matriarca este será o fim do CABAL, compreendes? O que estou lhe dizendo é que não deves te precipitar e perder tua vida se não tiveres a certeza de que Lilith estará a salvo! Valorize a tua vida, pois se não estiveres de pé, outros também poderão cair. A função de um cavaleiro é proteger, mas só poderás fazê-lo, se continuares lutando!

    O cavaleiro levou a mão direita ao ombro do rapaz como já o fizera por diversas ocasiões, por um instante, a expressão no rosto de Leviathan se alterou, o instrutor sorriu para o discípulo, demonstrava que confiava no rapaz e que tudo ficaria bem. No entanto, segundos após o instrutor se aproximar, Lanthys e Selene podem notar algo de estranho no céu, a região acima da ilha se distorce por alguns instantes como num espelho d'água em que se atira uma pedra, formando ondulações que vão se dissolvendo aos poucos. Leviathan e Naberius também notam o fenômeno olhando para o alto e, de onde se encontravam, podem ver pequenos pontos negros surgindo. Devido a distância, não era possível se determinar com clareza do que se tratavam, mas os presentes notam que estes pequenos pontos começam a descer em direção ao solo, como um enxame de abelhas enlouquecidas.

    - Não há mais tempo a perder. Depositarei minhas esperanças em vocês para que resistam até que o portal seja fechado por minhas mãos!

    O cavaleiro apontou sua espada para o céu, movendo-a em sentido circular, desenhando um grande círculo luminoso por sobre sua própria cabeça. Em seguida, a fera ancestral baixou a espada, olhando em direção à Lanthys, movendo a cabeça em sentido afirmativo. Numa fração de segundos, feixes luminosos se propagam de dentro do círculo desenhado por Leviathan, o encobrindo e revelando em seguida uma imponente armadura dourada com detalhes em prata. A espada carregada pelo cavaleiro também havia se alterado, ganhando diversos detalhes dourados por todo o cabo e lâmina, além de duplicar sua largura. A capa negra nas costas do cavaleiro completava sua figura imponente, a da fera ancestral.


    Imagem:



    Logo em seguida, o cavaleiro saltou de onde estava, se projetando até o alto do arco que formava os portões de entrada do templo. A grande lua posicionada às costas do cavaleiro parecia tornar sua figura ainda mais impressionante. Leviathan ergueu novamente sua lâmina para o alto e, com sua voz num timbre metálico e ressonante, despediu-se dos presentes.

    - Tenho fé de que todos vocês sobreviverão, pois confio plenamente em tuas habilidades! Lanthys tu ainda tem um grande caminho adiante e não o perdoarei se te permitires cair aqui hoje! Naberius, não te preocupes comigo, nos veremos novamente, nesta ou na próxima vida!...
    Venha, MIKHAIL!!

    A última palavra proferida pelo cavaleiro não se tratava de uma despedida, mas sim do nome da criatura que surgiu logo em seguida. Ao mesmo tempo em que um relinchar metálico e estridente se propaga, projetava-se de trás do grande arco onde Leviathan se encontrava um animal de corpo reluzente. Tratava-se de um ser parecido com um grande cavalo de metal, seu corpo era dourado e diversos detalhes em prata o adornavam, o animal tinha também um par de asas metálicas, que faziam-no se impulsionar para o alto. Leviathan então saltou de onde estava, sentando-se por sobre o animal, deixando que este o guiasse para o topo das nuvens, onde se encontrava o imenso portal. Enquanto se movia, ficando cada vez menor na perspectiva daqueles que permanecem no solo, o cavaleiro vai de encontro com diversos pontos negros, fazendo-os em pedaços, até desaparecer em meio ao céu negro, adentrando naqueles que poderiam ser referidos como os portões infernais...




    *Off: ...


    Yuji Kiba
    Cavaleiro Jedi
    avatar
    Cavaleiro Jedi

    Mensagens : 230
    Reputação : 0

    Re: #Capítulo 01 - Trevas

    Mensagem por Yuji Kiba em Dom Ago 30, 2015 12:14 am

    Selene não tem tempo de cumprimentar os outros de maneira formal, mas já conhecia os instrutores de fama e vista, entretanto o cavaleiro recém formado era alguém com quem não tinha familiaridade. Seu jeito polido e humilde era diferente da maioria das pessoas com quem Selene costumava a conviver. Ao ser bem vinda pelo colega, deu seu costumeiro tapa nas costas do cavaleiro.

    -Tou aqui para o que der e vier.

    A jovem sacerdotisa logo vira a atenção a Leviathan, as palavras do instrutor tocam fundo o coração de Selene que agora reforça sua decisão de ficar ali e defender aquele lugar com seus companheiros. Logo percebe alguns vultos negros caindo do portal, Selene pega pincel se preparando para a luta.

    -Eles estarão aqui logo!

    A ansiedade de Selene é cortada pelo movimento de Leviathan, que diante dela veste sua armadura dourada. Selene já havia ouvido historias sobre isso, mas sempre achou que fossem exageros, ver com os próprios olhos era bem diferente. A sacerdotisa silenciosamente deseja sorte ao cavaleiro dourado enquanto ele parte em direção ao portal. Se lamentava por não ter poder para fazer o mesmo. Apertando firme o pincel em sua mão, Selene deixa de lado esse pensamento e se fixa no que era importante, combater os invasores.
    A sacerdotisa estava ao lado de Lanthys se posiciona de forma a ficar de frente a espada de Lanthys.

    -Da licença rapidinho o da cicatriz!

    A sacerdotisa podia ver seu próprio reflexo na arma, com a mão direita leva o pincel a lamina e faz um rápido movimento como se escrevesse algo na arma de Lanthys.

    -Kaaaah!

    A espada parecia agora um pouco diferente. A sacerdotisa se levanta e pega a adaga que guardava em sua cintura, fazendo com ela o mesmo processo que acabara de fazer com a espada do colega. Guarda o pincel em sua roupa e então olha para direção onde provavelmente viriam os seres de outra dimensão.

    -Encantei sua espada e minha adaga, elas vão ficar um pouco mais fortes agora.

    Selene se mantinha atenta aos arredores.

    ____________________________________________________________________________________
    Nota: Uso de feitiços
    Aumento de Dano na espada de Lanthys (5 pts)
    Aumento de dano na adaga de Selene (3 pts)
    Lanthys
    Cavaleiro Jedi
    avatar
    Cavaleiro Jedi

    Mensagens : 241
    Reputação : 0

    Re: #Capítulo 01 - Trevas

    Mensagem por Lanthys em Dom Ago 30, 2015 1:40 pm

    Lanthys percebe a movimentação de Selene e apenas com os olhos a responde, agradecendo seu apoio num momento de provação... Ele acabara de se formar, sua provação verdadeira seria agora, ao seu lado o lobo branco Naberius e Selene, a sacerdotisa mais decidida que Lanthys já havia tido notícias e acima deles... A fera ancestral, o cavaleiro Garou mais poderoso da atualidade, indo em direção a um fosso infernal que se abria sobre a ilha... Os olhos de Lanthys lacrimejam com a cena e as palavras, a despedida parecia ser de alguém indo para a morte, e de certa forma ainda era, pois as criaturas que ali se encontravam não tinham ideia do terror que enfrentariam nas mão de Leviathan, ele tinha certeza disso!

    Lanthys sente sua espada reforçada, Lanthys sente a tristeza de Naberius e ao mesmo tempo sua determinação sem igual... Lanthys percebe a vontade de Selene em fazer tudo que pudesse... E Lanthys sente o clamor de Leviathan a confiar em suas capacidades... Ele não iria chorar pela partida, ele iria fazer omesmo que Leviathan, iria confiar em seu mestre e em sua decisão e iria fazer o que lhe fora confiado... Lilith dependia deles agora... O povo da ilha dependia deles agora... Eles eram a muralha ante a matriarca e os demônios, e ele tinha plena certeza de que a muralha não cederia, pois Leviathan confiava neles...

    Lanthys bradando: " - Você confiou em nós Leviathan... Eu confiarei em você. Desembainhando sua espada e colocando o pé direito um pouco para trás, dando uma base de apoio melhor, guardava sua bainha na capa e se preparava para o combate...

    Lanthys: " - Naberius... Se algo passar por nós, irei atrás de proteger Lilith e deixarei aqui a seu encargo... Selene, dê apoio a quem de nós estiver em pior situação, mas proteger Lilith é a maior das prioridades, lembre-se das palavras de Leviathan. Fiquemos atentos ao templo Carmesin, caso algo se direcione pra lá sem ser por esta via que estamos a proteger, manteremos Lilith a salvo custe o que custar... Recuemos até a porta principal do templo para que nada por sobre nós caindo direto na entrada para o santuário de Lilith!"

    Lanthys vai passo a passo, recuando, de olho na fenda, de olho aos arredores, de olho aos céus e de olho em seus companheiros de forma a captar o menor sinal de intrusão ao templo da matriarca... Sua espada em punho, pretendia enfrentar os inimigos sem invocar a sagrada armadura Garou, mas caso precisasse, estaria pronto a isso...

    Lanthys tenta sincronizar seus pensamentos com Valefor e pensa: " - Provarei ser digno Valefor... Lilith não será atingida!"
    Darkwes
    Mestre Jedi
    avatar
    Mestre Jedi

    Mensagens : 1390
    Reputação : 0

    Re: #Capítulo 01 - Trevas

    Mensagem por Darkwes em Dom Ago 30, 2015 6:10 pm






    Após Leviathan desaparecer adentrando o portal que se manifestava acima da ilha Valac-Bune, Naberius fica inerte olhando para o alto por alguns instantes, depositando suas esperanças na fera ancestral. Selene logo toma a iniciativa, realizando um feitiço que encanta sua adaga e a espada de Lanthys, deixando-as com runas mágicas que ampliavam suas capacidades combativas. O lobo branco então remove sua espada da bainha, erguendo-a à sua frente em sentido horizontal, encostando a palma da mão esquerda aberta na lateral da lâmina da espada. O cavaleiro fecha os olhos por um instante, respondendo às palavras da fera ancestral, mesmo que esta já não pudesse escutá-lo.

    - Leviathan, meu amigo e mestre, não se preocupe, pois cuidaremos de tudo aqui até que retorne!... Lanthys, Selene, lutaremos juntos e protegeremos Lilith custe o que custar!

    Naberius acena positivamente para Lanthys concordando com o que o jovem dizia a respeito de seguir para o interior do templo se fosse necessário, além dos três que se posicionavam em frente ao templo, haviam alguns soldados do lado externo dos portões servindo como reforço. Mas não foram estes que chamaram a atenção dos presentes, mas sim um homem que havia ficado ali esquecido devido suas condições atuais.

    - E-ei, o que tá pegando aqui que tão com toda essa tensão? *hic* Pensei que a festa já tinha terminado!!... Oh!! Parece que tá chovendo... mas tem algo de estranho nessa chuva *hic* isso é... hmm, Nightgaunts?? Mas que diabos, quem convidou esses manés?!

    O alquimista que estava se apoiando com uma das mãos nas paredes do templo caminhou em direção à região frontal do mesmo, onde se encontravam Naberius e os dois jovens, olhando para o alto. Apesar de ainda estarem um pouco distantes, os presentes já podiam observar parcialmente as criaturas que desciam em direção ao solo. As mesmas possuíam corpos negros que se misturavam com o céu noturno e um par de grandes asas de morcego, dava pra notar também que tinham uma cauda fina e dois chifres encurvados na cabeça. Conforme se aproximam do solo, estes vão se espalhando, seguindo para diferentes regiões da ilha. Não dava pra calcular quantos eram, mais deviam totalizar algumas centenas.

    Algo em torno de uma dúzia das criaturas se direciona para o templo, descendo em grande velocidade, no entanto, antes de tocarem o solo, se colidem com o que aparenta se tratar de uma barreira mágica ao redor de todo o templo carmesim, tornando-a visível por alguns instantes. O movimento das criaturas faz com que Mesphito caia no chão erguendo os dois braços em frente o rosto, só depois notando que as mesmas haviam sido repelidas pela barreira. Uma delas, no entanto, desce em direção aos soldados que se encontravam do lado externo, agarrando-o repentinamente e levantando voo, sem dar chance de ser atingida pelos demais que entram em pânico.

    Naberius faz menção de ir até o lado externo do templo ajudar os soldados, mas antes que pudesse se mover, nota que o restante das criaturas se aglomerava num único ponto da barreira, ainda no alto, onde começam a golpear a mesma de forma contínua. Observando o que ocorria, Mesphito remove uma pequena garrafa metálica do interior de suas vestes, removendo a tampa da mesma, levando a mesma até os lábios. No entanto, o instrutor cospe o líquido logo em seguida e arremessa a garrafa para longe irritado.

    - Mas que droga, pensei que fosse minha poção de invisibilidade!!! Devo ter despejado a fórmula e preenchido a garrafa com vinho mais cedo... *hic*

    Enquanto o alquimista resmungava os demais notam que as criaturas do lado externo pareciam trabalhar em conjunto, várias delas usam suas garras para distorcer a barreira, criando uma pequena abertura. Com muito esforço os seres de corpo enegrecido fazem com que a abertura vá se ampliando, até que uma delas adentra, indo de encontro ao solo, logo à frente dos presentes. A criatura se ergue em seguida batendo suas asas, sua forma era a de uma coisa negra chocante e grotesca, com superfície lisa e oleosa tal qual as baleias, chifres desagradáveis que se curvam em direção um ao outro, asas de morcego cujo bater não produzia sons, patas preênseis e caudas espinhosas que chicoteavam inquietantemente, porém o mais perturbador era o fato de que nenhuma delas possuía olhos, boca ou nariz, mas só um vazio onde um rosto deveria existir.

    Imagem:


    Apesar da visão aterradora, os jovens sentem que algo os protegia diante das criaturas, tratando-se possivelmente de seus medalhões. Logo após a primeira, outras sete adentraram, passando a rodear os quatro que ali se encontravam, Naberius firmou-se com seus pés bem afastados, mantendo sua espada à sua frente, enrijecendo todos os músculos de seu corpo, preparando-se para se projetar em direção às que sobrevoavam próximas à ele, porém antes de fazê-lo, bradou para que os demais não se intimidassem com os oponentes, demonstrando sua determinação.

    - Esta não é hora de perder tempo! Mesphito! Lanthys! Selene! É hora de mostrarem seu valor! Estas criaturas são fracas, mas não as subestimem! Prestem atenção principalmente aos movimentos de suas caudas!




    *Off: Devido a proteção dos medalhões a visualização destas criaturas não provoca perda de sanidade mesmo se houvesse falha no teste, então não precisam realizá-lo.


    Lanthys
    Cavaleiro Jedi
    avatar
    Cavaleiro Jedi

    Mensagens : 241
    Reputação : 0

    Re: #Capítulo 01 - Trevas

    Mensagem por Lanthys em Dom Ago 30, 2015 8:48 pm

    Lanthys baixa a cabeça e parece quase rugir com a expressão que faz e sem perder mais tempo, se lança contra o oponente bem a sua frente, isso iria chamar a atenção da criatura com certeza e daria oportunidade dos demais agirem! Com passos certeiros e rápidos Lanthys corre, sua capa fica esvoaçante e seu corpo se prepara para a ação! Centímetros antes do alcance da criatura, Lanthys usando o pé direito como apoio se lança aos céus, sua espada à mão direita, ele encolhe o corpo ficando como uma esfera e gira por cima da criatura, e ao passar por sobre sua cabeça, pousa com os dois pés em meio asas, exatamente ao meio de suas costas, tentando causar impacto para causar dor e com sorte algum ferimento, mas o intuito principal era usar como apoio, para girar uma vez mais, e desferindo um golpe circular em sentido horário com sua espada, decepar a mesma antes que pudesse causar estragos.

    Lanthys: " - HORYAAAAAAAAAAAAA!!!"

    Ao pousar ao chão após o segundo giro, a espada de Lanthys vai a frente em direção a face da criatura mais próxima criando uma distância entre eles para evitar ser atacado de surpresa! A seriedade havia tomado completo controle sobre Lanthys e ele sentia Valefor, os demais presentes e Leviathan a lhe dar forças e coragem. Tentando passar aos demais o que estava a pensar, ele grita:

    Lanthys: " - Mesphito! Selene! Conseguem reforçar a barreira para mais nada entrar?
    Yuji Kiba
    Cavaleiro Jedi
    avatar
    Cavaleiro Jedi

    Mensagens : 230
    Reputação : 0

    Re: #Capítulo 01 - Trevas

    Mensagem por Yuji Kiba em Dom Ago 30, 2015 10:37 pm

    Selene responde a Naberius apenas com um aceno de cabeça, estava muito concentrada para notar o que fazia Mephisto, pensava em como iria agir naquele momento. Ao ver os seres demoníacos sem rosto, os olhos da sacerdotisa se enchem de fogo e determinação.
    As criaturas se juntam para quebrar a barreira e como resultado algumas delas começam a passar rodeando o grupo. No meio da luta Lanthys faz uma pergunta a sacerdotisa que responde rapidamente.

    -Se eu pudesse já tinha feito, cicatriz!

    A jovem tira de sua roupa o pincel e movimenta ele rapidamente, este começa a exibir um brilho intenso de um tom vermelho amarelado como fogo, a sacerdotisa então parece escrever algo no ar com o pincel o que faz com que vários pontos flamejantes surgissem a sua frente, em seguida voando violentamente em direção ao corpo do inimigo mais próximo. Durante o ataque, Selene fala uma palavra.

    -Ohn Ornah!

    A sacerdotisa parecia calma, porém atenta. Embora tudo parecesse estar piorando no momento, se concentrara na dificuldade diante de si, derrubar pelo menos aqueles invasores.

    -Temos que mantê-los longe por tempo suficiente, nenhum deve passar! Força todos, nós vamos conseguir!!

    Selene tentava manter acesso o espirito dos colegas, e incentiva-los ao maximo.
    Darkwes
    Mestre Jedi
    avatar
    Mestre Jedi

    Mensagens : 1390
    Reputação : 0

    Re: #Capítulo 01 - Trevas

    Mensagem por Darkwes em Dom Ago 30, 2015 11:46 pm






    Após escutar as palavras de Naberius, Lanthys parte em direção a uma das criaturas negras, saltando por sobre esta. O guerreiro busca atingir o alvo com um chute ainda no ar, mas o movimento não conecta e o cavaleiro tem de girar antes de cair para buscar atingir um golpe com sua espada garou. Lanthys visa atingir a cauda da criatura, mas sua investida é mais efetiva do que ele esperava, cortando não só a cauda, mas também atravessando o corpo negro que vai de encontro ao solo, se desintegrando lentamente em uma espessa fumaça negra que deixa um odor pútrido no ambiente por alguns instantes.

    Selene busca realizar um encantamento ousado, invocando uma esfera flamejante com seu pincel mágico e seis outras cópias. No entanto, a jovem sacerdotisa não consegue canalizar suas energias espirituais corretamente, gerando apenas uma bola de fogo que é arremessada em direção a uma das criaturas, porém o ataque mágico não a atinge, pois esta se movia rapidamente. Era a primeira vez da sacerdotisa utilizando seu pincel recém-recebido e, talvez por este motivo, a jovem ainda não sabia usá-lo corretamente, tendo de improvisar em meio ao combate.

    Ao mesmo tempo em que os dois jovens lutavam, Naberius salta, impulsionando-se em direção a uma das criaturas, atravessando-a com sua lâmina. Antes da criatura cair o instrutor ainda a utiliza como apoio para saltar novamente em direção a outro alvo, girando no ar e desferindo um chute contra este, desequilibrando o ser negro. Enquanto o lobo branco caiu em direção ao solo, ainda buscou atingir outro nightgaunt com sua espada, no entanto, o alvo se moveu antes de ser atingido. Após tocar o solo, Naberius ainda olhou rapidamente de lado, observando que Lanthys também havia destruído uma das criaturas assim como ele.

    - Bom trabalho, mas não percam o foco meus caros!

    Mesphito ouve as palavras de Lanthys e observa o buraco gerado na barreira, o alquimista se ergue e checa seus pertences, em seguida passando a mão na cabeça enquanto um dos seres alados começa a planar em direção à ele.

    - É... tá meio difícil fazer algo, meu equipamento ficou no laboratório!! Mas nada temam! Me deem um minuto que vou improvisar alguma coisa!!... *hic*

    O instrutor saltou em direção ao solo repentinamente, desviando-se da trajetória da criatura que vinha em sua direção, em seguida executando um rolamento, erguendo-se ainda um tanto cambaleante. Mesphito passou a correr em direção ao local onde se encontravam os galões de bebidas apanhando algumas garrafas, se pondo a observar os rótulos das mesmas e cheirando as que não estavam rotuladas... O alquimista ainda fez sinal de positivo para os demais, mas era difícil saber o que o mesmo planejava.

    As criaturas aladas que ainda estavam de pé parecem formar duplas, avançando em direção aos três que as combatiam. Duas delas tentam agarrar Lanthys com suas garras negras, mas apenas uma alcança o jovem cavaleiro, restringindo seus movimentos. Selene não tem a mesma sorte e é imobilizada por duas criaturas que seguram seus membros e alçam voo. Da mesma maneira, as duas restantes avançam em direção à Naberius, mas só uma delas consegue segurar um dos braços do lobo branco... o toque das criaturas era frio e repugnante.

    Os presentes ainda observam mais seres negros semelhantes aos primeiros se aproximando do templo... não havia tempo a perder.




    *Off: Dois Nightgaunts mortos. Todos deverão fazer testes resistidos de Força ou Destreza para se libertarem antes de poderem realizar outras ações. Selene terá de fazer um teste mais difícil.
    Porcentagem para Lanthys se soltar 95% (Força), Selene 25% (Destreza).



    Lanthys
    Cavaleiro Jedi
    avatar
    Cavaleiro Jedi

    Mensagens : 241
    Reputação : 0

    Re: #Capítulo 01 - Trevas

    Mensagem por Lanthys em Seg Ago 31, 2015 9:53 am

    Lanthys sente a criatura tentando restringir suas ações, ele não aceitaria isso, era revoltante aquele momento, o toque da criatura trazia o gosto de bílis à sua boca de tanta repugnância que causava sua proximidade. Lanthys se irrita com a presença das trevas vivas... Com um movimento vigoroso, Lanthys puxa sua perna para trás e com seu joelho direito atinge o centro do monstro, tentando com isso se soltar e criar um mínimo de espaço entre ambos, engrenando na sequência com um golpe certeiro de espada, de baixo para cima, com intenções de abrir a criatura ao meio com um movimento vertical debaixo até o topo da cabeça da criatura, literalmente visando partí-la em dois, tamanha sua repulsa.

    Lanthys: " - Seleneeeee!!"

    O guerreiro observa a sacerdotisa e logo em seguida olha para Naberius por frações de segundo analisando se conseguiriam se soltar para então decidir sua próxima ação... Sua visão busca por Mesphito também, tentando sincronizar com tudo que estava ocorrendo, proteger seus aliados, manter a segurança de Lilith e ainda destruir todos os invasores...
    Yuji Kiba
    Cavaleiro Jedi
    avatar
    Cavaleiro Jedi

    Mensagens : 230
    Reputação : 0

    Re: #Capítulo 01 - Trevas

    Mensagem por Yuji Kiba em Seg Ago 31, 2015 9:04 pm

    A sacerdotisa percebe que errou o ataque e fica nervosa, guardando o pincel novamente em sua roupa, entretanto, no momento em que faz isso, duas criaturas a agarram e começam a levantar voo. Selene conseguia sentir o frio das garras em seus braços mesmo com a armadura. Não era uma sensação agradável, a lembrava do frio da noite em que sua família foi morta, embora não pudesse lembrar com a mente, seu corpo se recordava e isso a enchia de medo e ódio. Porém, agora não deixaria essas emoções tomarem conta, se concentra no presente e com um rápido movimento, consegue se libertar.

    -Eu não sou o tipo de vocês, me larguem antes que eu fique realmente brava!!

    Movimentando se corpo no ar a sacerdotisa se solta, momentos antes ouvira por Lanrhys a chamando e quando chega ao chão, com as pernas dobradas para diminuir o impacto, tem a certeza de responder o colega com seu costumeiro jeito discontraido.

    -Sinto muito cicatriz, mas você também não é o meu tipo!

    Falou rapidamente enquanto partia para cima do monstro que segurava Niberius. Movimentava-se rapidamente, corre e salta para cima do monstro atacando o pescoço do inimigo que segurava o instrutor.

    -Cansei de ser boazinha, agora é na faca com vocês!
    Darkwes
    Mestre Jedi
    avatar
    Mestre Jedi

    Mensagens : 1390
    Reputação : 0

    Re: #Capítulo 01 - Trevas

    Mensagem por Darkwes em Seg Ago 31, 2015 9:47 pm






    Ao ser agarrado por uma das criaturas, Lanthys reage rapidamente fazendo-a se afastar, completando o movimento cortando-a ao meio com sua lâmina. Antes de tocarem o solo, as duas secções do corpo negro da criatura liberam um líquido viscoso e negro, tingindo o solo abaixo desta de negro, porém assim como a criatura, o líquido começa a se desfazer aos poucos, liberando o mesmo odor sentido anteriormente.

    Apesar de enfrentar uma oposição mais dura ao ser imobilizada por duas criaturas, Selene consegue se libertar das garras negras estando a apenas alguns metros do chão, aterrissando sem dificuldade. A jovem ainda corre em direção ao nightgaunt que segurava o braço direito de Naberius, golpeando-o com sua adaga. A corte provocado por Selene abre um rasgo no pescoço do alvo, fazendo-o cair imediatamente enquanto começa a se desfazer, liberando um odor desagradável. Livre de qualquer impedimento, o lobo branco desfere um chute contra a outra cria das trevas que se encontrava próxima à ele, arremessando-a contra as paredes do templo. Ao se colidir, a criatura se desfaz com o forte impacto.

    Após o movimento, Naberius olha em direção a Selene e faz menção de agradecê-la, no entanto, o lobo branco nota a aproximação de uma das criaturas que buscava atingir as costas da jovem sacerdotisa. O instrutor puxa Selene para perto de si com seu braço esquerdo, ao mesmo tempo em que golpeia a criatura impulsionando o braço direito que segurava sua lâmina do cabal para frente em grande velocidade, cravando a ponta de sua espada exatamente no centro da face vazia do nightgaunt, fazendo-o também se desfazer em uma espessa e pútrida fumaça negra.

    Abraçado à Selene após o movimento brusco, Naberius se desculpa, em seguida afastando-se alguns centímetros da jovem, alertando-a também para seu momento de desatenção.

    - Perdão, agi por reflexo! Você está bem minha cara?... Agradeço ter vindo me ajudar, mas tenha cuidado, você se esqueceu completamente das criaturas que estavam atrás de você!

    Os dois seres negros que restavam coordenam suas ações novamente, movendo-se em círculos ao redor de Lanthys, buscando confundi-lo para o imobilizar novamente. Uma dentre estas consegue se aproximar o bastante para imobilizar o jovem cavaleiro, aplicando-lhe uma espécie de gravata pelas costas.




    *Off: Quatro Nightgaunts mortos.
    Porcentagem para Lanthys se soltar 95% (Força).



    Yuji Kiba
    Cavaleiro Jedi
    avatar
    Cavaleiro Jedi

    Mensagens : 230
    Reputação : 0

    Re: #Capítulo 01 - Trevas

    Mensagem por Yuji Kiba em Seg Ago 31, 2015 10:07 pm

    Um dos seres ataca a sacerdotisa pelas costas, antes que pudesse se virar ou reagir, Niberius a protege, puxando-a. Selene sente algo diferente ao ser puxada por Niberius, algo que não havia sentido antes. Era diferente de ser abraçada por seu pai ou pelas suas colegas sacerdotisas. Por um milésimo os olhos da jovem se encontram com os do cavaleiro enquanto este enfia a espada no demônio em seguida se desculpando com a sacerdotisa. Por causa da mascara não e possível ver a leve vermelhidão no rosto de Selene, porém, logo a jovem se recupera e se põe de pé respondendo o instrutor.

    -Estamos quites então!

    A investigadora se vira para Lanthys e percebe que o companheiro estava cercado, sem demora, mantinha os olhos fixos no alvo, nightgaunt que tentava cercar Lanthys. Selene fala rapidamente enquanto avança.

    -Vamos mestre, cicatriz precisa da nossa ajuda!

    A investigadora salta para cima do bicho tentando enfiar sua adaga na cabeça do animal.

    -Eu ataco a cabeça, tente arrancar a calda!

    Dizia a Niberius enquanto terminava seu ataque.
    Lanthys
    Cavaleiro Jedi
    avatar
    Cavaleiro Jedi

    Mensagens : 241
    Reputação : 0

    Re: #Capítulo 01 - Trevas

    Mensagem por Lanthys em Seg Ago 31, 2015 10:13 pm

    Lanthys sente a pressão em sua garganta, mas aquilo apenas lhe incentivava mais a revidar, ele sabia que tinha mais um inimigo ao alcance de seus ataques e isso o deixava profundamente feliz... Um leve sorriso correu pelo canto de sua boca e ele abre os braços com vigor, tentando se libertar por completo, girando então com calma e precisão sua espada para trás buscando enterrá-la na criatura a destruindo por completo! Lanthys então desliza a perna direita para trás levemente após se libertar e, girando sua perna esquerda em sentido horário, busca atingir a cria das trevas com o golpe, visando assim arremessar a criatura a sua frente com força total contra a muralha com o impacto do chute e quem sabe, colocá-la fora de combate também! Enquanto faz isso, Lanthys aproveita para responder à Selene, pois não havia entendido seu comentário..

    Lanthys: " - Seu tipo? Do que está falando sacerdotisa?"
    Darkwes
    Mestre Jedi
    avatar
    Mestre Jedi

    Mensagens : 1390
    Reputação : 0

    Re: #Capítulo 01 - Trevas

    Mensagem por Darkwes em Seg Ago 31, 2015 10:53 pm






    Apesar de ser surpreendido pela investida da cria das trevas, Lanthys consegue se desvencilhar sem grandes dificuldades, empalando seu alvo com sua lâmina. O nightgaunt chega a gemer por alguns instantes antes de se desfazer, restando apenas a espessa fumaça negra que vai se dispersando no ambiente. O cavaleiro ainda gira o corpo e desfere um chute contra a segunda criatura que se encontrava próxima à ele, a arremessando para trás. No entanto, talvez pelo fato desta se encontrar suspensa no ar, o golpe não tem toda a eficácia esperada e a criatura continua a mover suas asas negras. Porém, quase em simultâneo, Selene segue em direção à criatura, golpeando-a com sua adaga que se finca em meio aos dois chifres retorcidos da mesma, fazendo com que um líquido negro e espesso jorre do ponto atingido, até que a criatura começa a se desfazer, não havendo necessidade de Naberius intervir.

    As oito criaturas que haviam adentrado na barreira haviam sido derrotadas sem grandes dificuldades pelos três combatentes, todavia, antes que pudessem comemorar o feito, estes observam que se aglomeravam ao redor da barreira uma grande quantidade de nightgaunts que buscavam abrir novas fendas na mesma, para que pudessem se infiltrar no templo carmesim. Apesar de inicialmente aparentarem se tratar de seres movidos apenas por instintos macabros, estas criaturas pareciam notar que ali havia algo de importante, ou talvez estivessem sendo guiadas por outro ser, mais poderoso...

    Naberius olhava para o alto,  firmando sua espada à sua frente, mantendo a seriedade. Apesar da vitória momentânea, o lobo branco sabia que ainda teriam muito o que fazer.

    - Bom trabalho meus caros! Mas ainda não podemos relaxar, pelo visto teremos muito trabalho pela frente... vamos ter esperança de que Leviathan está sendo tão bem sucedido quanto nós três e tudo acabe o quanto antes, mas até lá, lutaremos!

    Enquanto isso, Mesphito continuava a vasculhar as garrafas que estavam jogadas nos arredores, despejando algumas delas no interior de um grande galão de vinho. O alquimista ainda se vira em direção aos outros três, os questionando brevemente enquanto mergulha o dedo indicador direito no galão, em seguida levando-o à boca, provando a mistura.

    - Nenhum de vocês por acaso tem aí sobrando umas glândulas venenosas de aranhas, cobras ou qualquer outro animal peçonhento não? *hic*... hmm, deixa pra lá! Podem deixar que me ocorreu outra ideia!! Só mais um minuto!!

    O alquimista então se pôs a mover-se rapidamente em direção à algumas plantas que se encontravam decorando os arredores do templo, arrancando algumas folhas levando-as à boca e as mordendo, uma a uma...




    *Off: Todos os Nightgaunts foram derrotados. Pequena pausa no combate...


    Lanthys
    Cavaleiro Jedi
    avatar
    Cavaleiro Jedi

    Mensagens : 241
    Reputação : 0

    Re: #Capítulo 01 - Trevas

    Mensagem por Lanthys em Seg Ago 31, 2015 11:18 pm

    Lanthys gira sua espada na mão e a coloca dentro da bainha que ele puxara de sua capa, a mantendo fechada novamente, não sem antes limpar o sangue da mesma com o giro em alta rotação precedendo o "fechar" da lâmina em seu repouso. Ele olha para Naberius, ouve suas palavras e observa para a barreira sendo golpeada de forma intensa, se prepara para puxar sua espada novamente assim que for necessário...

    Lanthys: " - Seja o que for que Leviathan desejou fazer, ele o fará mestre Naberius, acreditemos na fera que acredita em nós! Quanto a Lilith... Acha que ela está segura? Não é necessário adentrar o templo e observar lá dentro senhor Naberius?"

    Lanthys então finalmente pára para observar Mesphito e não compreende o que ele pode estar fazendo, mas ainda assim, como é de sua natureza, ele lhe oferece ajuda, pois se Lanthys poderia ser útil, ele tentaria ser!

    Lanthys: " - Posso ajudar de alguma forma senhor Mesphito?

    Lanthys mantém os olhos na barreira e nas respostas de Mesphito e Naberius...
    Conteúdo patrocinado


    Re: #Capítulo 01 - Trevas

    Mensagem por Conteúdo patrocinado


      Data/hora atual: Dom Nov 19, 2017 4:59 am