Um fórum de RPG online no formato de PBF (Play by Forum).


    #Capítulo 01 - Trevas

    Compartilhe
    Darkwes
    Mestre Jedi
    avatar
    Mestre Jedi

    Mensagens : 1390
    Reputação : 0

    Re: #Capítulo 01 - Trevas

    Mensagem por Darkwes em Seg Set 07, 2015 6:34 pm






    A garota se curva se desculpando pelo momento embaraçoso, recolhendo o vasilhame enquanto Lanthys nota que continua com todos os seus pertences, assim como Selene. Os dois jovens imediatamente passam a questionar a pequena que os observa com um certo ar de curiosidade, todavia, quando a mesma estava para iniciar a dizer algo, é interrompida por uma voz que se propaga pelo corredor.

    - Não tens nada a explicar aos nossos convidados Penemue. Já que estes despertaram, tragam-nos até mim, sua 'matriarca' também está os aguardando.

    A voz que ecoava no ambiente era certamente feminina, tinha um timbre forte e, de certo modo, ríspido, apesar de não chegar a ser agressiva, soando como alguém mais velho ou experiente. Assim que o pronunciamento termina, a pequena que se encontrava diante de Lanthys e Selene se curva novamente, em seguida passando a caminhar em direção à abertura localizada no lado oposto do corredor, parando em frente a mesma por um instante, observando se os dois jovens a seguiam.

    Saindo do corredor, havia uma área aberta como um pequeno jardim, no entanto, curiosamente os jovens não conseguiam ver nada além da construção de paredes negras e trabalhadas, com diversas formas misteriosas esculpidas em pedra. Olhando para o horizonte, este se encontrava intensamente iluminado de forma sobrenatural, impossibilitando que se visualize onde estão, ou o que havia nos arredores. Logo adiante havia uma nova abertura, por onde a garota adentra. Seguindo por esta, havia um novo corredor estreito, onde a pequena adentra em uma abertura à esquerda, subindo uma grande escadaria circular que após diversas voltas termina em uma porta de metal. A garota de cabelos brancos abre a porta adentrando no novo ambiente e se posiciona na lateral da abertura, em seguida estendendo sua mão direita em direção ao que se parecia com um altar.


    Imagem:



    Os jovens haviam adentrado lateralmente em um grande salão negro, iluminado por estranhas esferas flutuantes posicionadas nas várias pilastras que envolviam o salão. Olhando na direção em que a pequena havia apontado, os jovens observam uma espécie de altar, recoberto por um tecido fino de cor violeta com diversas almofadas brancas, onde havia uma mulher também de cabelos e roupas brancas repousando. Seus trajes, no entanto, eram diferentes de quaisquer outros que Lanthys e Selene já haviam visto, sendo extremamente justos e com diversos detalhes que formavam símbolos indecifráveis, uma pequena capa e algumas fitas esvoaçantes complementavam suas vestimentas. A mulher possui pele clara e levemente rosada, seus traços faciais e físicos são perfeitos e simétricos, como se sua aparência tivesse sido caprichosamente concebida por um grande escultor. A misteriosa mulher os observava com um pequeno sorriso em seu rosto e seu olhar tinha um certo ar de superioridade, transbordando sabedoria. No topo da construção, devido a abertura que ali existia, uma estranha luminosidade adentrava deixando a figura ainda mais impressionante.

    Imagem:


    Próxima ao altar, se encontrava Lilith, que se curva brevemente em direção à Lanthys e Selene quando estes se aproximam. A matriarca tinha uma expressão que demonstrava certo abatimento emocional, algo parecia a incomodar profundamente, tendo certamente relação com os fatos ocorridos e também vivenciados pelo jovem cavaleiro e a sacerdotisa que ali se encontravam.




    *Off: ...


    Yuji Kiba
    Cavaleiro Jedi
    avatar
    Cavaleiro Jedi

    Mensagens : 230
    Reputação : 0

    Re: #Capítulo 01 - Trevas

    Mensagem por Yuji Kiba em Seg Set 07, 2015 8:51 pm

    Selene que estava abaixada ajudando a jovem de cabelos brancos limpar o que havia caído, se levanta ao ouvir outra voz falando com Penemue. Selene sorri enquanto se levanta e começa a seguir a menina. Durante o caminho olha para os lados tentando reconhecer o lugar e também procurando se avistava algo suspeito. Embora tudo parecesse certo, Selene ainda estava um tanto desconfiada. Ao ficar de frente com Lilith a sacerdotisa corre até ela e coloca a mão em seu ombro em seguida perguntando eurofica.

    -Você esta bem?

    Selene nota que Lilith parecia triste e começa a presumir o pior, que talvez apenas ela, Lanthys e a matriarca tivessem saído vivos da batalha. A sacerdotisa então se vira para o altar e percebe a mulher de cabelos brancos, nunca havia ouvido falar sobre ela, mas algo parecia familiar, e pela posição que estava, a sacerdotisa presumiu que devia ser alguém de muita importância. Selene se afasta um pouco e cumprimenta a mulher de cabelos brancos se curvando a ela rapidamente, em seguida começa a falar.

    -O que esta havendo aqui? Somos os únicos sobreviventes da ilha?

    A sacerdotisa fica em frente ao altar enquanto faz as perguntas.

    -O que aconteceu até agora enquanto estivemos desacordados?

    Selene parecia ansiosa em suas perguntas, estava preocupada com seus companheiros da CABAL e isso a deixava nervosa.
    Lanthys
    Cavaleiro Jedi
    avatar
    Cavaleiro Jedi

    Mensagens : 241
    Reputação : 0

    Re: #Capítulo 01 - Trevas

    Mensagem por Lanthys em Ter Set 08, 2015 3:54 pm

    Lanthys estava confiante de que saberia noticias de Naberius e os demais, mas então outra voz interrompe quando ele estava prestes a ouvir algo e mais uma vez ele precisava aguardar... A tensão estava terminando com ele e o tipo de interrupção feita, não parecia de alguém com humildade em alta... Se era alguém em quem pudesse confiar, alguém de alto posto, parecia considerar aquele alto posto mais que o resto e isso não o agradava... Lanthys segue Selene e a pequena e sua expressão era séria... Ele caminhava atrás das duas e os locais por onde passavam não pareciam ser qualquer lugar por onde já andou... Ele balança a cabeça e começa a crer que estão mortos e deixaram todos a esperar por suas atitudes...

    Ele nada fala durante o trajeto, prefere deixar a diplomacia para Selene, estava preocupado com seu mestre e as demais pessoas, bem como com a matriarca e pelo menos uma de suas respostas vem em alguns passos, pois ele avista Lilith ao lado de uma outra mulher... Ele olha para a pessoa sentada no trono e faz uma comparação breve, ou seja, se os vigias tinham muito mais anos do que aparentavam e tinha a aparência de crianças, que idade deveria ter alguém com aparência de mulher em idade adulta? Lanthys observa Lilith, depois a mulher, estava um tanto irritado com a falta de informações de Naberius então faz uma reverência bem curta e comenta de braços cruzados...

    Lanthys: " - Senhoras, parecem estar a salvo, mas e os que ficaram em combate? Quanto tempo se passou? Os vigias, Naberius, Leviathan e os demais... Por gentileza nos esclareçam o que houve e se podemos voltar para ajudar e proteger os demais, uma vez que a matriarca está a salvo..."

    Lanthys mantinha-se de braços cruzados, não se considerava entre inimigos, mas aos seus olhos, pelo menos até então, parecia que estavam dando pouca importância aos que garantiram tempo precioso para que a matriarca fosse salva, e isso o incomodava profundamente...
    Darkwes
    Mestre Jedi
    avatar
    Mestre Jedi

    Mensagens : 1390
    Reputação : 0

    Re: #Capítulo 01 - Trevas

    Mensagem por Darkwes em Ter Set 08, 2015 5:37 pm






    No caminho até encontrar-se com Lilith, Selene não consegue reconhecer o lugar onde estava, as características arquitetônicas do local eram muito divergentes das comumente encontradas em Amon-Rahab, a sede do CABAL, o que levava a jovem a acreditar se encontrar em outra região. Ao cumprimentar a matriarca, esta responde apenas com um leve sorriso, demonstrando que fisicamente estava bem.

    A mulher de cabelo branco mantém o olhar sagaz em direção à sacerdotisa enquanto esta a questionava, desenhando um sorriso em seus lábios, reação que parecia se manifestar devido a falta de formalidade de Selene.

    - Não me lembro de ter ouvido teu nome criança. Não sei que tipo de ensinamentos recebera das sacerdotisas do CABAL, mas ouça meu conselho, bons modos certamente lhe farão algum bem fora das fronteiras de Amon-Rahab!

    A mulher manteve o sorriso, apesar do comentário ríspido, a anfitriã parecia estar apenas zombando do comportamento informal de Selene. Lanthys também se pronuncia, mas antes de responder a qualquer questionamento, a figura diante dos jovens levou uma das mãos a um cacho de uvas vermelhas ou frutos semelhantes que se encontravam ao seu lado, removendo uma delas e levando à boca. Após ingerir o fruto, a mulher se pôs a falar novamente.

    - Vocês podem me chamar de Samyaza. Como podem estar imaginando, sou a líder dos vigias. Vocês aqui se encontram pois o jovem Yeqon os teleportou até aqui, sem meu consentimento... não que esteja incomodada com suas presenças. É apenas incomum receber visitas em nossas instalações... principalmente sem minha autorização... mas isso não importa, não é mesmo?

    Samyaza voltou sua atenção à Lilith, mantendo seu olhar fixo na matriarca por alguns instantes, tornando a falar em seguida, agora num tom mais sério.

    - Se Yeqon não tivesse tomado sua decisão rapidamente, Lilith e vocês dois poderiam estar mortos agora... ou talvez não, quem sabe... Yeqon era um bom vigia e tomou a única decisão que podia ter tomado diante das circunstâncias. E agora ele está morto, assim como Kasdaye e muitos outros... a batalha que presenciaram já terminou e não há nada mais que possam fazer neste momento, então não há motivo para se exaltarem... sentem-se, pois há muito para conversarmos.

    Apesar do convite, não haviam assentos ou bancos no ambiente, o único local em que os presentes podiam sentar-se era piso, que ao menos encontrava-se limpo, sem nenhum vestígio de poeira. Sem fazer nenhuma objeção, a matriarca dobrou os joelhos, sentando-se silenciosamente diante da mulher, que parecia aguardar que os demais fizessem o mesmo.




    *Off: ...


    Lanthys
    Cavaleiro Jedi
    avatar
    Cavaleiro Jedi

    Mensagens : 241
    Reputação : 0

    Re: #Capítulo 01 - Trevas

    Mensagem por Lanthys em Ter Set 08, 2015 5:56 pm

    Lanthys com as duas mãos arremete sua capa para trás e encosta o joelho esquerdo ao chão como fez em sua formatura e corrige sua postura, pois havia recebido a resposta que queria... Ele se tranquilizou um pouco, ainda precisava de mais informações mas já tinha sido rude o suficiente por hoje... Aliás, ele nem sabia em que dia estavam, se no mesmo ou uma semana depois e também não iria perguntar... A batalha havia terminado, mortos e vivos já estavam em situação definida, nada mais havia que ele e sua espada pudessem fazer segundo Samyaza... Ajoelhado, olhando para a mulher com quem conversavam, Lanthys fala mais calmamente...

    Lanthys: " - Peço que perdoe nossos modos... Em nossas mentes acabamos de ver uma criatura destruir nosso lar por anos e quase perdemos a matriarca... Nossos amigos podem estar mortos e estamos aqui longe deles, então... Isso mexe com nossas emoções por isso peço que reconsidere sua avaliação sobre nossas condutas de educação..."

    Lanthys então baixa sua cabeça, olhando para o chão e fechando seus olhos pronuncia...

    Lanthys: " - Que Yeqon e Kasdaye possam me perdoar por ter sido lento para proteger suas vidas... E que todos que pereceram nesse investida vil destes demônios possam ter um descanso merecido e justo..."

    Lanthys então olha para Samyaza e com um único movimento, em um salto curto, recolhe as duas pernas e arremete sua capa para trás, sentando-se ao chão com as pernas cruzadas e sua espada por sobre elas, olhando então para a mulher que os recepciona e completa...

    Lanthys: " - Eu me chamo Lanthys LionHeart, sou discípulo de Leviathan e Naberius e herdei a armadura do cavaleiro lendário... Creio que a senhora saiba de tudo isso, mas a etiqueta passada a mim por meus mestres me diz que diante de aliados esse é o correto. E muito obrigado por ter recebido a nós em seus domínios, principalmente, dado abrigo a matriarca que tentamos defender com nossas vidas, mas quem realmente os fez, foram Yeqon e Kasdaye!"

    Lanthys então ficou sério observando a mulher a sua frente aguardando pelas informações e respostas que ele acreditaria, viriam em abundância agora...
    Yuji Kiba
    Cavaleiro Jedi
    avatar
    Cavaleiro Jedi

    Mensagens : 230
    Reputação : 0

    Re: #Capítulo 01 - Trevas

    Mensagem por Yuji Kiba em Ter Set 08, 2015 10:05 pm

    Selene se sente um pouco irritada com a reação de Samyaza, sentia que a mulher estava brincando com ela numa hora tão delicada, entretanto, a sacerdotisa mantém a calma. Respira fundo por um momento, coloca as mãos na cintura e de pé responde a mulher, curta e rapidamente.

    -Ok, meu nome é Selene, recém formada na CABAL. Filha de Andromalius. Aluna de Astaroth e Mephisto, sacerdotisa!

    A jovem cruza os braços parecendo ainda impaciente, começa a bater os pés no chão como se quisesse ir a algum lugar. Nesse momento admirava a calma de Lanthys, nunca conseguiria se manter aparentemente tranquilo numa situação como aquela. Selene senta rapidamente no chão sem se importar se estava limpo ou sujo, o que ela queria no momento era as respostas para suas perguntas.

    -Agora que já passamos pelas tão importantes apresentações...

    Falou em tom áspero.

    -Queria saber o que houve com meus colegas que ficaram na ilha?

    Selene falava rápido e de forma impaciente, ainda de braços cruzados e mexendo um pouco as pernas mesmo sentada. Aparentemente para ela era mais fácil se manter calma dentro do campo de batalha onde sabia o que acontecia, do que fora onde so restava preocupação pelos colegas que estavam talvez ainda em luta.

    -Se essa é uma outra dimensão ou outro plano, tem como olharmos o que esta acontecendo La ou voltarmos para La?

    A sacerdotisa parecia uma metralhadora de perguntas, perguntando rápido e sem tomar fôlego pra falar.

    -E mais uma coisa, tu sabe quem estava por trás da vadia que abriu o portal, Samy?

    Darkwes
    Mestre Jedi
    avatar
    Mestre Jedi

    Mensagens : 1390
    Reputação : 0

    Re: #Capítulo 01 - Trevas

    Mensagem por Darkwes em Qua Set 09, 2015 3:09 pm






    Enquanto Lanthys e Selene se colocavam, a vigia diante dos jovens aproveitava para deliciar-se com mais alguns frutos, sempre destacando um por vez e os ingerindo lentamente. Inicialmente a mulher direciona seu olhar para o cavaleiro, falando com o mesmo sem alterar seu tom de voz.

    - Lanthys, né?... Sabe, em primeiro lugar, tenho de lhe dizer que é melhor parar de se culpar por qualquer morte que tenha ocorrido agora mesmo. Se não o fizer, não sei se conseguirá ouvir o que tenho a dizer. E se não conseguir lidar com isso, talvez seja melhor deixar aqui tua espada e desistir do caminho que acreditou estar preparado. Uma vez que você se torne um investigador do CABAL, tem de entender que dar sua vida por sua causa é algo que qualquer outro em sua posição faria. Não que tenhas de se jogar no primeiro abismo que aparecer em sua frente...

    Samyaza desenha novamente um sorriso em seus lábios, apesar de não alterar seu olhar, em seguida a mulher se volta para Selene deixando escapar uma pequena gargalhada.

    - Filha de Andromalius é? Haha... desculpe, mas é difícil imaginar aquele homem cuidando de uma filha... Selene, certo? Vou lhes contar o que aconteceu na ilha, mas antes... suas mentes devem ainda estar um tanto confusas devido aos efeitos colaterais do teleporte, o que é natural. Vocês foram transportados por uma distância muito grande e, muitas vezes, corpo e mente não viajam juntos, principalmente por aqueles que ainda não tiveram este tipo de experiência... mas passaram-se apenas doze horas desde que aqui chegaram...

    A mulher então fitou Lilith por alguns instantes, a matriarca permanecia apenas em silêncio e olhando para baixo, parecendo distante.

    - Vamos prosseguir... na noite de ontem, a ilha de Valac-Bune fora alvo de um ritual de invocação em larga escala. Um ataque sem precedentes à sede do CABAL, a ordem a qual fazem parte e que nas últimas décadas vinha conquistando diversas vitórias e freando as ações das entidades malignas que espreitam o mundo dos homens. Mas estes decidiram dar um basta em tudo isso... a entidade que comandava o ataque, "o caos rastejante" se trata de algo muito mais poderoso do que devem imaginar. Nós o classificamos como um 'deus exterior', um ser que não pode ser destruído em definitivo, apenas banido temporariamente...

    Samyaza passou os dedos da mão direita entre as mechas de seus cabelos brancos, recostando nas almofadas que a rodeavam antes de prosseguir.

    - O objetivo principal desta entidade era tirar a vida de Lilith. Ela desejava usar a matriarca do CABAL como um exemplo, causando terror nos membros da ordem. O caos rastejante não é uma entidade que usualmente destrói a tudo e a todos que encontra... preferindo enfraquecer e enlouquecer suas vítimas, fazendo com que estas mesmas se condenem. Se tratando, portanto, de uma entidade que sente prazer em gerar o caos. Ela não pôde alcançar seu objetivo inicial, Lilith está viva, todavia, o caos causado pela mesma talvez tenha sido até mesmo maior do que o inicialmente almejado...

    A líder dos vigias se manteve em silêncio por alguns segundos, observando as reações dos que ali se encontravam.A mulher aguardou até que todos pudessem ponderar sobre o que havia sido dito até o momento, para que pudesse acompanhar as afirmações que se seguiriam.

    - Amon-Rahab estava bem protegida. Haviam diversos soldados, cavaleiros, sacerdotes e sacerdotisas, rastreadores ou o que quer os chamem... as criaturas negras que surgiram através do portal eram muitas, mas vocês podiam se defender. Nightgaunts são apenas aberrações inferiores e a batalha teria terminado sem muitas casualidades se os únicos oponentes fossem estes. Todavia, os horrores caçadores invocados pelo caos rastejante tratavam-se de criaturas muito mais perigosas. Apenas os mais fortes membros do CABAL poderiam confrontar as grandes serpentes aladas e muitas vidas seriam perdidas se a batalha terminasse após seu ataque. Todavia...

    Antes de prosseguir a mulher removeu um novo fruto rubro do cacho que se encontrava sobre uma bandeja prateada próxima à ela. Samyaza manteve o fruto entre o dedo polegar e indicador de sua mão direita por algum tempo, olhando em direção ao mesmo.

    - Aquela entidade se irritou com impossibilidade de alcançar o que almejava e decidiu obliterar tudo em seu caminho.

    A líder dos vigias colocou o fruto semelhante a uma uva na palma de sua mão, fechando-a e esmagando o fruto de coloração avermelhada, em seguida, a mulher a abriu novamente. Sua mão estava manchada com líquido rubro que escorria entre seus dedos, o qual Samyaza passou a lamber antes que respingasse em suas almofadas. De onde se encontravam os jovens puderam notar que do rosto da matriarca, lágrimas escorriam, indo de encontro ao piso. A mulher de aparência jovial mantinha os dois punhos fechados junto ao corpo e continuava a olhar para baixo, sua voz estava trêmula, era quase inaudível quando começara a falar.

    - É tudo minha culpa... poderia ter me sacrificado para que todos estivessem vivos... como posso continuar sendo a matriarca de uma ordem destruída? O CABAL poderia continuar sem mim... mas o que sou sem o CABAL?... é tudo minha culpa... Yeqon, Kasdaye, Forneus, Kimaris, Astaroth, Mesphito, Naberius, Leviathan... é tudo culpa minha... tudo culpa minha... tudo culpa minha...




    *Off: ...


    Lanthys
    Cavaleiro Jedi
    avatar
    Cavaleiro Jedi

    Mensagens : 241
    Reputação : 0

    Re: #Capítulo 01 - Trevas

    Mensagem por Lanthys em Qua Set 09, 2015 3:58 pm

    Lanthys com um movimento rápido e certeiro, inicialmente com suas pernas, arremessando sua espada poucos centímetros acima das mesmas onde ela repousava, seguido de um reerguer perfeito, apanhando a espada antes que começasse a descer novamente, caminha lentamente até Lilith guardando a lâmina em sua capa, demonstrando um olhar sereno e mais conformado, se ajoelhando ao seu lado e segurando sua mão esquerda com firmeza...

    Lanthys: " - Matriarca... Ouviu as palavras de Samyaza... Todos nós do CABAL, assim como você, morreriamos felizes em dar a vida pela nossa causa e por sua vida... Não deve se culpar por isso... Meu coração arde em tristeza com tais mortes, mas... Pensando nas palavras aqui proferidas... Seria como negar a eles que fizessem aquilo pelo que se esforçaram anos a fio para conseguir..."

    Lanthys solta a mão da matriarca, se levanta e caminha para o lado oposto, ficando de costas aos presentes, baixando sua cabeça por alguns segundos, erguendo a mesma novamente e se virando a matriarca, Selene e Samyaza novamente...

    Lanthys: " - Leviathan me disse, proteja Lilith, se ela morrer, é o fim do CABAL, e se Leviathan falou isso, é porque é a verdade... Com sua presença, o CABAL resistirá e voltará a lutar, no momento, se todos estão mortos realmente, nós somos o CABAL e vamos recomeçar tudo outra vez..."

    Lanthys caminha até o lado de Lilith outra vez então se agachando e colocando a mão em seu ombro de forma amistosa, completa sorrindo...

    Lanthys: " - Por isso matriarca, se recomponha, pare de lamentar pelos que se foram e se foque nos que ainda poderemos salvar e no muito que temos por fazer!"

    Lanthys se ergue e se aproxima de Samyaza... Olha para a mesma lambendo o líquido vermelho por entre os dedos e a observa por alguns segundos... Ele então foca seu rosto e comenta, virando de costas logo em seguida, caminhando pelo local de forma tranquila a permitir que divague...

    Lanthys: " - Senhora Samyaza... Tem certeza de que tudo foi destruído? Veja, Naberius estava em combate de forma perfeita, ele daria conta daquela serpente bizarra e de muitos dos demais ali presentes... Mestre Leviathan foi ao portal, nem estava na ilha, duvido que não tenha retornado ainda pra destruir o que restou... E a própria mulher ensanguentada... Ela teve sua cabeça decepada e parou por instantes... Vi ela crescendo e se tornando uma gigantesca aberração, mas daí a obliterar tudo por completo... Há tantos anos o CABAL existe e nunca algo deste nível foi possível, porque agora seria? Mesphito morto por uma explosão? Um mestre experiente como ele morto em algo que ele fez com bebida fermentada e folhas verdes? E a criatura que protegia a matriarca, onde está?"

    Lanthys segue caminhando lentamente, sua mente repensa em diversas possibilidades e maquina diversas opções para o que está sendo dito não ter acontecido e continua...

    Lanthys: " - Haviam muitos cidadãos comuns na ilha eu sei, mas, grande parte eram mestres consagrados e de muitas batalhas e experiência... Não seriam derrotados desta forma, suas forças conjuntas não seriam destruídas assim... Esse deus do exterior, se o conheciam, sabiam como expulsá-lo, como enviá-lo de volta, não estariam despreparados para nada..."

    Lanthys se vira bruscamente para Samyaza novamente e olhando para a mesma franze o cenho como se duvidasse...

    Lanthys: " - Se podiam abrir um portal pra cá e colocar Lilith em segurança, porque não o fizeram antes de Yeqon e Kasdaye serem mortos? Se tem tantos lugares aqui como vimos pelas portas do corredor, porque não trazer tantos quanto possíveis pra cá assim que a criatura chegou e salvar a todos? Se os vigias tem este poder, porque deixar um trabalho de tantas eras ser destruído desta forma para salvar apenas 3 de nós? Me desculpe senhora Samyaza mas isso está parecendo mais um teste final de nossas atitudes diante de algo grave do que a realidade do CABAL que eu conheci durante tantos anos..."

    Lanthys fica olhando fixamente para a mulher evitando olhar para seus movimentos comendo as frutas, aquilo parecia lhe distrair e parecia que ela queria mesmo distrair aos dois, Selene e ele, falando sobre coisas que os incomodavam ou fazendo gestos que poderiam perturbar ou desconcentrar qualquer um deles...
    Yuji Kiba
    Cavaleiro Jedi
    avatar
    Cavaleiro Jedi

    Mensagens : 230
    Reputação : 0

    Re: #Capítulo 01 - Trevas

    Mensagem por Yuji Kiba em Qua Set 09, 2015 7:56 pm

    Selene se irrita um pouco com insistência de Samyaza de comer frutas em quanto falava de algo tão importante como se fosse algo trivial, mas controlava sua raiva cruzando os braços com força e batendo o pé no chão. O fato da mulher de cabelos brancos conhecer Andromalius despertou o interesse de Selene que respondeu a ela rapidamente.

    -Não a culpo, meu pai é meio esquisitão mas é gente boa. Como ele mesmo diz: “é nos fracos mais estranhos que tem os melhores perfumes.”

    Disse dando um sorriso de leve, devia ser a primeira vez que dava um sorriso nas ultimas horas. Mesmo assim lagrimas começaram a rolar quando pensou no tempo que havia passado e na possibilidade dos companheiros mortos, seus instrutores, sua primeira e única amiga... Por mais que tentasse segurar era inútil, olhos cheios de lagrimas que cairam assim como o suco das frutas que Samyaza apertara.

    -Droga! 12 horas!!

    A sacerdotisa não se contem mais, socando a parede com força enquanto gritava. Não se importava na frente de quem estava, sua frustração e tristeza pela perda de tanta gente importante era insuportável.

    -DROGAAAAAA!!!!

    Ao ver a matriarca também chorando e ouvir as palavras de Lanthys, Selene respira fundo e seca os olhos rapidamente com a manga de sua roupa, não tinha tanta esperança quanto Lanthys, mas percebeu que tinha outras coisas em jogo.

    Pensando: -Se o peso e a tristeza que eu carrego já são assim, não imagino o peso que Lilith deve sentir...

    Pensava enquanto olhava para matriarca. Rapidamente se levanta e abraça Lilith em seguida se ajoelhando aos pés da mesma.

    -Desculpe não ter tido força suficiente para proteger a todos, mas minha lealdade e minha vontade ainda são suas, vou te apoiar matriarca!

    Selene se levanta e coloca a mão no ombro de Lilith abaixando a mascara para mostrar um sorriso mesmo com os olhos ainda marejados de lagrimas.

    -Enquanto você estiver viva, temos esperança. Todos que deram a vida por você confiam em ti, assim como eu e o Lan, tenha confiança em si mesma e não se culpe, juntos vamos dar um jeito nisso...

    Selene levanta a mascara em seguida retornando a sentar no chão onde estava, agora encostada na parede. Parecia mais calma que antes embora ainda tivesse tristeza em seu olhar.

    -Então Samy, qual próximo passo devemos tomar? Deixar Lilith aqui contigo parece seguro enquanto eu e o Lan vamos dar um jeito nesse tal culto!

    Falou enquanto batia o punho da mão direita na palma da mão esquerda.

    -Ou então voltar e procurar sobreviventes! Talvez o Lan esteja certo...
    Darkwes
    Mestre Jedi
    avatar
    Mestre Jedi

    Mensagens : 1390
    Reputação : 0

    Re: #Capítulo 01 - Trevas

    Mensagem por Darkwes em Qua Set 09, 2015 10:16 pm






    Lilith escutas as palavras de Lanthys e Selene, enxugando as lágrimas com as mangas de seu robe. Ao chegarem tão perto da matriarca, inclusive tocando-a, os jovens podem afirmar que Lilith era muito semelhante a qualquer outra garota humana que aparentasse a mesma idade, tendo inclusive o mesmo calor e fragilidade, suas mãos são suaves e a pele macia, seus cabelos negros tinham o perfume de rosas e sua respiração era interrompida por soluços semelhantes aos de uma criança assustada. A aparência frágil da garota diante deles podia enganá-los, mas esta não aparentava ser a matriarca de que tanto ouviram falar antes de se formarem, que estaria à frente do CABAL por décadas e talvez até séculos.

    - Eu... agradeço suas palavras e juramentos, mas... não posso simplesmente me erguer e ignorar tudo isto... ignorar que tudo que aconteceu foi por minha causa, que tantas pessoas morreram no meu lugar... eu não sei nem se ainda sou Lilith... acredito que nem deveria ser, ou nunca fui... talvez apenas me ceguei acreditando no que me disseram.

    Lilith continuou cabisbaixa e, apesar das lágrimas terem cessado, sua tristeza persistia. Samyaza então se pôs a falar novamente, agora enxugando a mão direita em uma pequena toalha branca enquanto olhava em direção à Lilith. O tom da mulher se tornara ainda mais ríspido do que o habitual, contrastando com as tentativas de Lanthys e Selene em confortar a matriarca.

    - Talvez você esteja certa, mas não cabe a mim julgá-la. A única coisa que posso afirmar é a de que muitas pessoas morreram acreditando em você garota. Se quer fugir de suas responsabilidades negando isso, que o faça e viva o resto de seus dias carregando esse fardo. A Lilith que conheci não se parecia em nada contigo e terá de vivenciar ainda muita coisa para que entenda o que esperam de você... ou talvez nunca entenda.

    A mulher manteve um olhar frio em direção à matriarca que moveu a cabeça erguendo o rosto em direção a vigia diante dela. Após um longo silêncio, Samyaza voltou a esboçar um leve sorriso, tornando a falar num tom menos agressivo.

    - Desculpe, não quis ofendê-la, mas você sabe que não lhe devo nenhuma obediência, ao contrário de seus 'investigadores', somos apenas 'aliadas'. Sua inexperiência não é culpa sua, mas sim do próprio CABAL. Representar Lilith não significa ser criada em um castelo como uma princesa... sua 'ordem' estava errada e talvez essa seja uma boa oportunidade para que entenda a si mesma...

    Logo após suas palavras, Semyaza voltou sua atenção ao jovem cavaleiro, atirando a pequena toalha sobre os frutos e se ajeitando entre as almofadas antes de falar com o rapaz.

    - Você ainda não entendeu. Vocês cavaleiros são treinados para combaterem criaturas das trevas que adentram o mundo dos homens, mas não seres tão poderosos quanto um deus exterior. O poder de um ser destes é infinitamente superior e num piscar de olhos apenas uma de suas manifestações poderia dizimar nações inteiras... pra sua sorte, a maioria dessas criaturas é imbecil demais para se importar em fazer isso. O caos rastejante, entretanto, é uma exceção. Esta entidade por vezes se manifesta em sua realidade, manipulando-a segundo seus desejos doentios. Você fala em expulsá-lo como se isso fosse algo simples... bom, é simples. É necessário apenas que se destrua seu avatar... uma criatura tão grande quanto as mais altas montanhas... quantos cavaleiros você acredita terem poder suficiente para fazer isto? Você fala de Leviathan... Ele talvez fosse o único capaz de sobreviver a um único golpe daquela criatura, se houvesse um exército de cavaleiros tão fortes quanto ele, talvez sua fortaleza ainda estaria de pé...

    A mulher ergueu o corpo, sentando-se e colocando uma almofada entre as pernas, cruzando-as em seguida, mantendo seu olhar em direção à Lanthys.

    - Acredite quando digo que vocês estavam condenados desde o momento em que o caos rastejante se manifestou na ilha. A única forma de impedir toda a destruição que se seguiu era não permitir que o ritual de invocação fosse concluído, mas quando perceberam o que acontecia, era tarde demais... a respeito de salvarem os habitantes os teleportando para fora... bom, vocês tinham apenas dois seres com este tipo de habilidade. Pelos relatos que recebi, desde o início da invasão até vocês serem mandados para cá não se passaram mais de dez minutos, então como acreditava que pudessem transportar tantas pessoas espalhadas por toda uma ilha? Além disso, esta é uma habilidade que consome uma quantidade de energia proporcional à distância em que se busca alcançar, sendo necessárias quantidades absurdas de energia para que fossem salvos todos na ilha... e não se engane, Yeqon apenas tentou salvar a matriarca. Vocês aqui estão pelo simples fato de que se encontravam no mesmo local em que o círculo de teleporte fora lançado, tendo sido tragados pelo mesmo. Não quero ferir seus sentimentos, mas esta é a verdade. Vocês podem entender como uma armação do destino se quiserem...

    Samyaza estendeu os dois braços para trás, apoiando as duas mãos sobre as almofadas e distribuindo o peso de seu tronco sobre os mesmos, voltando então sua atenção para Selene antes de continuar a falar.

    - Mas não se preocupem... se isto aliviar suas mentes, algumas pessoas escaparam da ilha pelo mar... seis horas atrás fora mobilizada uma equipe até o local que confirmou o fato de que alguns habitantes 'comuns' de Amon-Rahab conseguiram escapar enquanto os demais combatiam. Todavia, suas lembranças foram apagadas, para que pudessem reiniciar suas vidas fora da ilha... além disso, nem todos os membros do CABAL se encontram mortos. Quase uma centena de investigadores se encontrava fora da ilha no momento do ataque, espalhados por todo o continente. E com certeza vão continuar suas atividades, mesmo sabendo que Amon-Rahab está em ruínas...




    *Off: ...


    Lanthys
    Cavaleiro Jedi
    avatar
    Cavaleiro Jedi

    Mensagens : 241
    Reputação : 0

    Re: #Capítulo 01 - Trevas

    Mensagem por Lanthys em Qui Set 10, 2015 4:43 pm

    O cavaleiro Lanthys baixa a cabeça... Parece que realmente não há truques nem mentiras... Parece que a ilha que lhe serviu de lar quando tudo mais que ele conhecia havia sumido, agora sumira também... Ele vira o rosto para o lado, seus olhos quase lacrimejam, não tanto de tristeza e mais de raiva por serem tão impotentes contra essas criaturas como agora havia sido descrito por Samyaza... O jovem começa a então fechar seus olhos, se concentra e se acalma, ficar nervoso ou chorar pelo que já aconteceu não resolveria nada, se o CABAL estava em frangalhos, era ainda mais motivo para que se mantivesse focado para poder começar sua jornada com suas intenções bem definidas... Ele olha para a mulher sobre as almofadas, a observa por alguns segundos e pergunta...

    Lanthys: " - Eu não consigo entender como funcionam as "alianças" que vivemos... Veja, Yeqon e Kasdaye parecem crianças, mas até onde soube podem ter centenas de anos... Você não aparenta 30 anos, mas sabe-se lá que experiência de vida possui... E a matriarca, acreditei ser até mesmo intangível e vivendo a milhares de anos, mas a pessoa a minha frente não me deixa crer nisso... Também existe o Dragão Grou, a criatura mística ao redor da matriarca em minha formatura... E sua resposta a matriarca é como se ela fosse uma atriz encenando um papel e não aquela que supostamente conduz os cavaleiros e todo o CABAL através das trevas por milhares de anos... Se a ilha está sob ruínas e vamos recomeçar do zero, agora que meus mestres podem não estar mais entre nós, preciso entender de forma clara..."

    Lanthys então descruza os braços e faz um reverência curta em sinal de respeito e tentando com isso facilitar a concessão das respostas que precisa, que desejaria entender...

    Lanthys: " - Por gentileza Samyaza... Me explique quem são os vigias, quem é você, quem é Lilith e como funciona de verdade o CABAL... São todos criaturas dos mesmos planos inferiores ajudando a humanidade a se manter viva enquanto outra parte tenta devorá-la ou vocês são seres de outro local ainda desconhecido para nós e nos auxiliam apenas por vontade... Onde está a troca que não consigo perceber entre seres como vocês e nós simples humanos aptos a combater pelo menos as crias inferiores das trevas? Onde está o elo de ligação entre alguém como eu e seres místicos como vocês?"

    Lanthys observa a mulher diretamente nos olhos evitando olhar para qualquer outra parte de seu corpo, parecia que se não olhasse diretamente em sua face, seus sentidos começavam a se distorcer, ele não conseguia compreender o que aquilo seria, mas, não parecia ser maligno, era tudo que ele conseguia compreender...
    Yuji Kiba
    Cavaleiro Jedi
    avatar
    Cavaleiro Jedi

    Mensagens : 230
    Reputação : 0

    Re: #Capítulo 01 - Trevas

    Mensagem por Yuji Kiba em Qui Set 10, 2015 5:49 pm

    Selene respira fundo enquanto a conversa prossegue, sentia uma ponta de esperança em saber que talvez alguns de seus companheiros possam ter escapado. Mas a tristeza de Lilith a desapontava e desanimava um pouco. Ainda permanecia sentada com os braços cruzados, mas agora não batia mais os pés, parecia calma e pensativa enquanto todos falavam.

    -Se foi destino estarmos aqui talvez tenha algo que possamos fazer... tem alguma forma de evitarmos que esse culto traga outros deuses exteriores para cá?

    Selene falva olhando na direção de Samyaza, ainda reencostada na parede, não demonstrava o animo de sempre.

    -Se pudermos evitar que mais dessas criaturas venham, com o tempo e a ajuda da Lilith talvez possamos reunir e reconstruir a CABAL. Mas a situação com esses ‘deuses’ deve ser resolvida antes...

    Olhando para Lanthys por um momento enquanto ele faz algumas perguntas, a sacerdotisa aproveita para falar algumas ideias.

    -Não sei se apenas eu e o Lan temos força para combater esse grupo antes que tragam mais destruição, mas, talvez com a ajuda dos membros restantes possamos planejar um contra ataque.

    A voz de Selene parecia um pouco mais animada, enquanto ela olhava pra os outros ali buscando perceber o que achavam de sua ideia. Então continua falando diretamente com Lilith.

    -Claro, mesmo se você quiser deixar de ser a nossa matriarca e viver uma vida comum, eu vou entender... Mas não vou deixar que essas pessoas tragam o lixo de outra dimensão para nosso mundo.

    Embora as palavras fossem duras, a voz da jovem era calma e tinha uma tranquilidade assustadora, seus olhos tinham agora um novo brilho.
    Darkwes
    Mestre Jedi
    avatar
    Mestre Jedi

    Mensagens : 1390
    Reputação : 0

    Re: #Capítulo 01 - Trevas

    Mensagem por Darkwes em Sex Set 11, 2015 11:52 am






    Samyaza mantém seu olhar fixo no jovem cavaleiro quando este expõe suas dúvidas a respeito da hierarquia do CABAL e suas relações com seus diversos aliados, porém antes que a mulher possa respondê-lo, Selene faz diversas considerações levando em conta tudo que fora presenciado, o que faz com que a líder dos vigias a fique observando por alguns segundos em silêncio, só passando a falar após algum tempo.

    - Vocês deviam deixar de pensar demais e encontrar explicações em tudo, pois muitas dessas explicações não existem ou são incompreensíveis para vocês. Já você, Selene, faz planos sem nem saber com o que está lidando criança... não sei como chegou a tantas conclusões errôneas, mas vou ajudá-la...

    A mulher retira a almofada que estava entre suas pernas, jogando-a de lado, em seguida posicionando-se para frente, mantendo-se sentada com os pés para fora do altar. Antes de prosseguir Samyaza ajeita seu penteado com as mãos, continuando a olhar em direção à sacerdotisa.

    - Não há nenhuma evidência de que algum culto tenha sido responsável pela invocação do caos rastejante na ilha Valac-Bune, tão pouco acreditamos que existe algum plano de se invocar qualquer outro destes 'deuses exteriores'. Veja bem, vou repetir de forma mais clara o que falei anteriormente, a entidade conhecida como caos rastejante se manifesta em sua realidade, manipulando-a segundo seus desejos doentios por conta própria. Ele apenas manipulou pessoas comuns para que servissem de sacrifício, dessa maneira, pôde se manifestar dentro da barreira que circundava a fortaleza do CABAL, pois não podia adentrar livremente. Ele pode ser banido de sua realidade, mas apenas temporariamente se destruindo seu avatar e não temos como saber quando ou onde ele pode decidir se manifestar. Dessa forma, sua ideia em se perseguir qualquer "culto" que busque invocá-lo não tem fundamento algum, pois este se manifesta por sua própria vontade. Também disse que, em condições normais, o caos rastejante não busca destruir tudo em seu caminho... ele abriu uma exceção em relação ao CABAL devido sua ordem atrapalhar seus planos ao longo das décadas, buscando medidas mais drásticas.

    Samyaza manteve-se observando a reação de Selene em silêncio, se certificando de que a sacerdotisa teria conseguido compreender suas palavras. Em seguida, a mulher de cabelos brancos voltou sua atenção novamente à Lanthys, suspirando antes de começar a falar novamente.

    - Geralmente informações são mantidas em segredo de crianças recém-formadas como vocês devido a diversos fatores. Um dentre estes é o fato de que vocês ainda não estão preparados para compreender muitas destas coisas. Todavia, acredito que em uma noite vocês tiveram uma boa dose de experiência e talvez já estejam preparados para receberem uma parcela do conhecimento que não lhes é revelado de início... além disso, gostaria de fazer uma proposição e, para que a cumpram de forma satisfatória, estas informações lhes podem ser úteis...

    Samyaza observou os dois jovens diante dela, em seguida olhando em direção à Lilith, a líder dos vigias certamente possuía muita coisa a dizer, mas queria certificar-se de que todos estavam atentos às suas palavras.




    *Off: ...


    Lanthys
    Cavaleiro Jedi
    avatar
    Cavaleiro Jedi

    Mensagens : 241
    Reputação : 0

    Re: #Capítulo 01 - Trevas

    Mensagem por Lanthys em Sex Set 11, 2015 4:38 pm

    Lanthys então uma vez mais senta-se ao chão, pernas cruzadas e braços cruzados, olhares atentos a Samyaza e pensando em tudo que ela havia lhe falado... Leviathan igualmente havia lhe dito que algumas coisas eram incompreensíveis e outras não deveriam ser reveladas... Era difícil para o jovem conseguir encontrar uma razão em meio ao turbilhão com tantas explicações sem necessidade ou não merecedoras. Ele coloca todos aqueles pensamentos de lado percebendo que Samyaza deseja atenção extrema e olhando firmemente para ela, completa...

    Lanthys: " - Pois bem senhora... Sou um cavaleiro apesar de todo o ocorrido e pretendo ser isso o tempo de vida que tiver... Me dê as explicações que acha adequado e me faça sua proposta, sou completamente ouvidos e atenção neste momento!"

    Lanthys está completamente concentrado ao que vai ser dito e se dispõe a aceitar o que a mulher considerar cabível de ser dito... O que importa para ele agora é seguir em frente e viver a vida que ele escolheu, o caminho de um cavaleiro garou, seja seguindo o CABAL ou seja por conta própria até que sua vida termine!
    Yuji Kiba
    Cavaleiro Jedi
    avatar
    Cavaleiro Jedi

    Mensagens : 230
    Reputação : 0

    Re: #Capítulo 01 - Trevas

    Mensagem por Yuji Kiba em Sex Set 11, 2015 8:33 pm

    Selene apoia o queixo com a mão esquerda enquanto ouve atentamente as palavras de Samyaza, balança a cabeça algumas vezes e depois que a mulher termina a explicação Selene continua.

    -Ah sim, achei que quem os havia ajudado tinha feito de livre vontade, por isso acreditava que existia algum tipo de grupo de adoração a esses deuses e que tinham como objetivo trazê-los para ca!

    A sacerdotisa sorri um pouco da própria confusão e de como tinha apressado suas conclusões, então voltando a pensar agora com a informação que tinha sido passado, volta a cruzar os braços em seguida continuando a perguntar a Samyaza.

    -Se tem poderes suficientes para influenciar tanta gente e ainda trazer tantos de seus pra cá, alem de não poder ser mortos... Tem que haver um jeito de cortar ou pelo menos, influenciar o poder de influencia deles em nosso mundo.

    Selene continua olhando para todos presentes enquanto falava.

    -Agora, temos só eu e o cavaleiro, se esses seres são tão fortes, vai ser complicado darmos conta sozinhos...


    Darkwes
    Mestre Jedi
    avatar
    Mestre Jedi

    Mensagens : 1390
    Reputação : 0

    Re: #Capítulo 01 - Trevas

    Mensagem por Darkwes em Sex Set 11, 2015 11:11 pm






    Samyaza fecha seus olhos por alguns instantes e cruza as pernas, mantendo seu torso ereto enquanto respira fundo, parecendo se concentrar. Quando a mulher abre novamente suas pálpebras, a luminosidade ambiente diminui subitamente, como se uma nuvem estivesse bloqueando os raios luminosos que se projetavam do topo. Sua voz passa a se propagar pelo local de forma pontuada, em um tom serene conforme seus lábios se moviam, dando sentido a vários mistérios que envolviam não apenas o CABAL, mas toda a realidade que conheciam...



    Mesmo muito antes do CABAL existir, o mundo de Solas já era ameaçado por entidades malignas dos mais diversos tipos. Algumas destas entidades, se encontram adormecidas no mundo dos homens, outras foram banidas para planos inferiores, onde se proliferam e buscam maneiras de reentrar a realidade que conhecem e, além destas, existem seres que estão em constante movimento, seja cruzando diferentes realidades ou até mesmo vindo de estrelas distantes, sendo atraídas pela chama da humanidade. Independente da origem, estes horrores ameaçam a vida na terra e o equilíbrio existente entre todos os planos de existência. Nem todos dentre estes seres podem ser classificados como inteligentes, alguns são apenas bestas irracionais que apenas buscam devorar mortais, enquanto outros tenderão a manipulá-los para as mais diversas finalidades. Dessa maneira, cada entidade maligna que se manifesta em sua realidade tem de ser tratada de forma singular...

    Mortais não possuem a capacidade de localizar e discernir estes seres e são uma presa fácil, todavia, nós os vigias, podemos sentir estas presenças em determinados momentos, pois temos um tipo de ligação especial com os diferentes planos. Você poderia nos classificar como seres imortais, pois nossas vidas não se encerram por meios naturais, no entanto, mesmo que tenhamos dons especiais, podemos ser destruídos como fora observado durante o ataque ao CABAL. Pode lhes parecer que tenhamos alguma ligação direta com as mesmas criaturas que considera suas inimigas, mas isso não é verdade e, em realidade, o que cogitam é uma grande ofensa para nós. No passado, todos os vigias já foram seres humanos, apenas transcendemos este estágio de existência, nos tornando superiores em alguns aspectos.

    Entretanto, mesmo com nossas habilidades, não podemos controlar ou confrontar os horrores que espreitam o mundo dos homens, de fato nem temos esta obrigação. Nossos números são muito pequenos como podem imaginar, ao todo, não somos mais do que algumas dezenas e observamos diversos mundos além do que conhecem. Sendo assim, poderíamos até mesmo ignorar a situação de Solas, pois esta não nos afetaria diretamente, todavia, podemos observar outros efeitos colaterais que estes entes malignos vem causando na balança do tempo e espaço... algo que vocês não poderiam compreender mesmo que tentasse lhes explicar. Mas o que quero dizer é que estamos buscando retomar e garantir que o equilíbrio seja mantido, nos aliando aos humanos, em troca de lhes oferecer a chance de se libertarem, de resistirem para que não sejam completamente dizimados, da mesma maneira que muitas outras espécies já foram em outros mundos.

    Todavia, Solas nunca foi uma terra de heróis, a humanidade aqui é estúpida e fraca... a única forma de lhes oferecer alguma esperança foi trazendo para seu mundo os membros originais que fundaram o CABAL, no intuito de que estes pudessem treinar e combater as criaturas que os espreitam, a partir de nossa supervisão e aconselhamento. Dentre os membros originais do CABAL, uma era especial, se tratando de uma mulher de coração e alma puros, capazes de purificar e romper a mais densa escuridão, esta era Lilith, a primeira matriarca do CABAL. Sua ordem prosperou rapidamente sob nossos conselhos e a liderança de Lilith, mas após setenta anos, a matriarca faleceu, pois mesmo com todos seus dons, esta era apenas uma humana.

    Quando a matriarca original se foi, fora profetizado que seu espírito renasceria novamente na forma de uma criança... após sete anos de sua morte, uma recém nascida cega fora encontrada com uma coroa de sete flores, sete dias após seu parto, quando sua mãe fora morta por um ente maligno. O bebê ainda estava ligado ao corpo da mãe pelo cordão umbilical, o que causou sua deficiência visual devido ao contato mantido com o corpo putrefato de sua genitora... Esta criança seria a reencarnação da matriarca do CABAL, Lilith. Esta é a garota diante de vocês, que assumira o posto de sua antecessora...





    *Off: ...


    Yuji Kiba
    Cavaleiro Jedi
    avatar
    Cavaleiro Jedi

    Mensagens : 230
    Reputação : 0

    Re: #Capítulo 01 - Trevas

    Mensagem por Yuji Kiba em Sab Set 12, 2015 4:43 pm

    A sacerdotisa ouve a historia meio incrédula, não da guardiã, mas que aquilo que parecia ainda mais estranho que as historias que Andromalius lhe contava, podia ser verdade. Enquanto ouvia olhava para Samyaza pensativa.

    Pensando: -“Nunca mais duvido das historias do meu pai”

    A medida que a explicação procede Selene fica um pouco confusa e tenta fazer algumas perguntas para a guardiã ainda sentada apenas olhando para a mulher de cabelos brancos.

    -Então vocês vieram de outro mundo ou so tem ligação com outros mundos?

    Ainda no mesmo lugar Selene continua.

    -Lilith ainda não tomou posse totalmente do legado de sua vida passada?
    Lanthys
    Cavaleiro Jedi
    avatar
    Cavaleiro Jedi

    Mensagens : 241
    Reputação : 0

    Re: #Capítulo 01 - Trevas

    Mensagem por Lanthys em Dom Set 13, 2015 9:39 am

    Lanthys mantém seu olhar em Samyaza e acena positivamente a cabeça como se concordasse, pois enquanto a mulher falava, as palavras de Leviathan vinham a sua mente e elas agora tinham ainda mais sentido que antes...

    Lanthys: " - Por isso ele disse protejam a matriarca ou o CABAL estará perdido, ela é nossa ligação com os vigias, estamos aqui por acaso, a única que se comunica com os vigias e pode nos dar acesso as capacidades e direcionamentos para vencer estas aberrações, é nosso matriarca, Lilith... Ela está de certa forma como você e eu Selene, iniciando sua jornada... Agora muita coisa faz sentido e as palavras de Leviathan se mostram uma vez mais, sábias e certeiras como sempre, se perdermos Lilith, não haverá mais comunicação com os vigias e por conseqüência, não haverá CABAL ou forma de resistirmos a esses horrores!"

    Lanthys continua sentando, com seus braços cruzados, pensativo em tudo que foi dito, ele consegue avistar muito além do que avistava há alguns segundos atrás, então, isso lhe dava muito mais capacidade de decidir suas ações, tudo se tornava mais compreensível agora e lhe permitia analisar de forma bem mais ampla...

    Lanthys: ” – Ao nossos olhos mortais, qualquer coisa inumana ou superior a nós, nos parecem ser o mesmo, mas após suas explanações, reconheço a diferença abissal que existe entre vocês... Reconheço na verdade que existe inclusive, uma gama de sacrifício e boa vontade enorme da parte de vocês pois sendo apenas algumas dezenas, morrer em prol de proteger Lilith e por conseqüência nosso mundo, nos dando uma nova chance, é algo digno dos maiores dos heróis... Apesar de considerar que não é sua obrigação, ainda assim o fizeram, eu reconheço sua entrega e esforço mesmo não sendo sua obrigação... Receba meus agradecimentos por terem tido essa iniciativa e atitude senhora Samyaza...”

    Lanthys então se atém novamente a ouvir o que Samyaza continuaria a explicar...
    Darkwes
    Mestre Jedi
    avatar
    Mestre Jedi

    Mensagens : 1390
    Reputação : 0

    Re: #Capítulo 01 - Trevas

    Mensagem por Darkwes em Dom Set 13, 2015 4:50 pm






    Samyaza ouve os agradecimentos de Lanthys e apenas inclina levemente sua cabeça, demonstrando reconhecer a compreensão do cavaleiro. Selene aproveita a oportunidade questionando a vigia em busca de mais esclarecimentos, fazendo com que a mulher se pronuncie novamente.

    - Os vigias podem se originar em qualquer mundo, sacerdotisa. Alguns de nós podemos inclusive ter nascido em Solas antes de nos tornarmos o que somos hoje, mas isso não importa, nossa visão não se limita a apenas uma realidade ou plano de existência. Quanto à Lilith...

    Samyava torna a observar a matriarca do CABAL, que parecia mais calma. Ainda sentada de joelhos ao piso, a jovem move sua face fitando a líder dos vigias como se pudesse vê-la mesmo não possuindo o sentido da visão, aguardando as palavras que seriam ditas a seguir.

    - Sua matriarca necessita despertar todo o seu potencial, mas só poderá fazê-lo adquirindo um maior entendimento de si mesma e do mundo o qual está destina a proteger. Para tanto, Lilith deve vagar pelo continente de Solas, observando de perto a humanidade, suas qualidades e defeitos, para que também possa decidir por conta própria se vale a pena ou não continuar no caminho de sua predecessora. Esta Lilith diante de vocês pode ter o mesmo espírito da anterior, mas isso não quer dizer que sejam a mesma pessoa. Suas experiências de vida não são as mesmas, tão pouco suas determinações, sendo assim, não se deve esperar que ambas ajam da mesma maneira, que possuam a mesma personalidade, ou mesmo que tenham desenvolvido os mesmos dons... todo seu potencial só será alcançado após ter sido corretamente lapidado.

    Samyaza manteve seu olhar em direção à matriarca por algum tempo, a jovem, em contrapartida baixou o rosto, em seguida se pronunciando.

    - Vagar pelo continente de Solas?... No CABAL fui educada desde pequena para me tornar Lilith, mas ainda assim, você me diz que não tenho o que é necessário. Como pode ter certeza de que isso realmente trará algum resultado? E como espera que eu possa fazer isso...

    Lilith ergueu o rosto novamente sem concluir o que dizia, Samyaza por sua vez, desenhou um novo sorriso em seus lábios. Antes de se explicar, a mulher ainda lançou seu olhar em direção à Lanthys e Selene, demonstrando que ambos poderiam ter alguma participação em seus planos.

    - Talvez não tenha sido realmente o acaso que os tenha trazido até aqui... o destino às vezes traça linhas indecifráveis para que a história seja escrita. Dessa maneira, sugiro que vocês dois acompanhem Lilith em sua nova caminhada, cruzando Solas enquanto enfrentam os desafios que surgirão diante de vocês, deparando-se com toda a escuridão que ameaça este mundo. Se concordarem, terão total apoio dos Vigias, recebendo não só informação, mas também todos os recursos que julguemos ser úteis para que prossigam nessa importante missão.

    Samyaza descruzou as pernas e lentamente desceu do altar, caminhando em direção à Lilith. Ao se aproximar, a líder dos vigias se abaixou e encostou sua mão direita no queixo da jovem matriarca, fazendo-a erguer seu rosto, mantendo então seu olhar fixo nos olhos de Lilith.

    - Vocês devem imaginar que isto é muito perigoso, com razão... sua matriarca fora alvo de uma tentativa de assassinato e talvez o caos rastejante continue a perseguir. Mas posso lhe oferecer alguma proteção, ofuscando sua presença para que não possa ser detectada enquanto prossegue em sua jornada ao redor de Solas... com o auxilio e proteção de seus investigadores, acredito que poderá encontrar suas respostas... o que me dizem?




    *Off: ...


    Lanthys
    Cavaleiro Jedi
    avatar
    Cavaleiro Jedi

    Mensagens : 241
    Reputação : 0

    Re: #Capítulo 01 - Trevas

    Mensagem por Lanthys em Dom Set 13, 2015 10:17 pm

    Lanthys ouve tudo atentamente... Ele então descruza os braços e bate com a mão esquerda de punho fechado ao chão sorrindo e levanta-se rapidamente... Já de pé, ele cruza os braços novamente estando com a cabeça baixa, olhando para o chão... Ele então ergue seus olhos, olha para Lilith, olha para Selene e então para Samyaza...

    Lanthys: " - Fomos treinados para lutar contra essas criaturas, nossa vida durante uma década pelo menos foi preparada para isso... Lutamos até aqui, seja em nosso treinamento ou nesse fatídico ataque, com esse pensamento...Teríamos dado nossa vida para proteger Lilith e ainda somos capazes disso... Depois de tudo que foi explicado e exposto aqui, se torna evidente que Lilith é a grande chave para que nós, o povo de Solas, ainda possa continuar tendo alguma chance de evitar ser totalmente devastado pelas trevas e uma vez mais as palavras de meu mestre se mostram certeiras..."

    Lanthys então descruza os braços e de frente a matriarca e a vigia, ele faz uma leve reverência e cruzando os braços novamente, com expressão determinada diz com total convicção:

    Lanthys: " - Minha vida e minha espada estão a tua disposição nobre matriarca, até o fim de meus dias... Seja pelo pedido de meu mestre, seja pelo que foi exposto agora ou pela nova chance que teremos de tentar defender este mundo... Sim, eu aceito tua proposta Samyaza e dedicarei meus dias a permitir que Lilith possa completar sua jornada e se tornar aquilo que nosso mundo precisa pra continuar resistindo e existindo!"
    Conteúdo patrocinado


    Re: #Capítulo 01 - Trevas

    Mensagem por Conteúdo patrocinado


      Data/hora atual: Sab Nov 18, 2017 11:09 pm