Um fórum de RPG online no formato de PBF (Play by Forum).


    Ilyana, A Profetisa - Gaijin386

    Compartilhe
    Pallando
    Troubleshooter
    avatar
    Troubleshooter

    Mensagens : 895
    Reputação : 21

    Re: Ilyana, A Profetisa - Gaijin386

    Mensagem por Pallando em Dom Out 16, 2016 4:57 pm

    Sem Robin e com pensamentos sobre sua visão rondando-lhe a mente, Ilyana continuou o caminho até o barco de transporte acompanhada de Viserys, o homem que com certeza tinha um papel importante dentro dessa visão. Seja lá o que seu Deus lhe reservava, parecia não estar mais longe de acontecer, pois uma vez que conseguissem deixar a ilha, era questão de pouco tempo até chegarem ao lar dos Greyjoy.

    Era difícil definir se seria Robin a correr mais perigo sozinho ou se seria a dupla por não tê-lo por perto. Não que Robin fosse um guerreiro, mas era um "bárbaro" no sentido físico da palavra e com certeza estava mais habituado a lidar com confrontos físicos, enquanto Ilyana e Viserys não chegavam nem perto da classificação "combatente".

    De qualquer maneira, estavam mais familiarizados com o perigo, o risco de morte, do que eram tempos atrás, e até mesmo o Rei de Nada não deixava mais transparecer o medo que com certeza sentia. Estava centrado, desesperado para sentir-se longe de seus perseguidores mais uma vez.

    Algum tempo depois de divisão do grupo, Ilyana e Viserys chegaram ao barco esgueirando-se por caixotes e barris próximos à tábuas e cordas, com a sacerdotisa sempre à frente para guiar o caminho. Ambos pararam agachados à pelo menos seis metros de onde o indesejável primeiro obstaculo os aguardava, no sentido literal. O soldado pomposo estava posicionado a frente da "rampa" de subida para o barco, com os braços cruzados e olhos cerrados no horizonte. Não percebera os dois ainda, mas de onde estava seria impossível chegar até ele sem serem notados.

    O perigo tornava-se maior ainda quando pensavam na possibilidade de o soldado não estar sozinho, pois outro poderia já estar dentro do barco à procura dos inimigos. Ilyana, considerando o número de soldados na ilha e a divisão necessária para que cobrissem todo o território na busca, deduzia que não poderia haver mais do que dois ali e ao menos isso lhe servia de alivio. Mas agora precisavam encontrar uma maneira de se livrarem do soldado e de preferência sem fazer muito barulho, do contrário poderiam ter de enfrentar o inimigo em um combate físico.
    gaijin386
    Adepto da Virtualidade
    avatar
    Adepto da Virtualidade

    Mensagens : 1733
    Reputação : 0

    Re: Ilyana, A Profetisa - Gaijin386

    Mensagem por gaijin386 em Dom Out 16, 2016 5:31 pm

    Ilyanna analisou a situação de um ponto de vista racional afinal de contas ainda era um, mas o barulho podia atrair muitos e tendo em vista que sabia como lutar, mas não era sua principal função e Vyseris não parecia ser também um grande guerreiro teria que usar um truques ou dissimulações.

    - É um truque velho, mas pode funcionar. Ainda mais com com um guarda sozinho. Quando ele sair para investigar nós aproveitamos a deixa. -


    Ilyanna pega uma pedra do local e planeja joga-la em uma direção que tire o guarda do caminho, pois ao ouvir o ruído o mesmo teria inclinação a investigar a causa e assim sendo teríamos um breve momento para passar por ele enquanto ele investiga.

    Pallando
    Troubleshooter
    avatar
    Troubleshooter

    Mensagens : 895
    Reputação : 21

    Re: Ilyana, A Profetisa - Gaijin386

    Mensagem por Pallando em Seg Out 17, 2016 1:57 pm

    A pedra voou na direção de um barril deitado, quebrado na lateral e possivelmente vazio, mas próximo da beirada do piso de madeira, quase caindo sobre duas velhas canoas de pesca. O som do pequeno objeto atirado chocando-se contra o barril talvez não fosse o suficiente, mas o barulho feito quando este rolou mais um pouco e caiu sobre uma das canoas com certeza foi.

    O soldado de imediato assustou-se, levando a mão à espada e olhando atento na direção de onde o barulho viera. Analisou um pouco à distância, fazendo a sacerdotisa ter dúvidas se ele iria verificar ou não, mas felizmente decidiu por aproximar-se quando percebeu que haviam as canoas ali. Talvez tivesse medo que alguém se escondesse na água ou estivesse escondido de alguma forma por ali, de qualquer maneira o caminho estava livre para uma passagem rápida.

    Ilyana e Viserys seguiram agachados como uma dupla de ladrões e lançaram os dados da sorte, tentando atravessar aquele curto espaço até a rampa do barco sem que o assustado soldado os nota-se. O coração de ambos parecia poder saltar pela boca, principalmente quando já estavam de costas para o soldado e de frente para a rampa, temendo que a qualquer momento a voz do soldado os chamasse e decretasse que o confronto seria inevitável.

    Foram alguns consideráveis segundos para que estivessem à bordo, segundos longos como dias para os dois, enquanto o soldado permaneceu por pelo menos um minuto encarando as canoas e a água em busca de seja lá o que tivesse feito o maldito barril cair. Logo presumiria que fora o vento e voltaria ao seu posto, mas quando isso acontecesse a dupla já teria adentrado o convés.

    E assim seguiram para lá, o convés do barco onde Teryn deveria estar à espera deles. Ilyana continuava a frente e Viserys vinha logo atrás com os olhos focados em descobrir se alguém os vigiava pelas costas, atento e sensível a qualquer som minimamente suspeito. Os dois desceram pelas escadas e mais uma vez a sacerdotisa se via naquele lugar à procura de Teryn.

    Foram cuidadosos, embora realmente houvessem relaxado ao deixar o "soldado da rampa" para trás, e seus pés tocaram o chão do convés com ambos em relativa segurança. Já não estavam mais nas escadas. E foi então que algo deu errado.

    -Soldado Lannister-
    Pallando efetuou 2 lançamento(s) de dados (d6.) :
    2 , 2

    A fio da lâmina refletindo a pouca luz noturna do lugar veio das sombras, rápida e acompanhada por um grito de guerra abafado, realizados por um soldado de dentes cerrados e olhos sedentos por uma vitória rápida. Foi como se o "manto de invisibilidade" da dupla desaparecesse, tirando-os de maneira abrupta a leve sensação de segurança que sentiram por alguns instantes, e agora a situação era outra. Talvez se lamentassem, mesmo sabendo que não havia como adentrar o convés sem que o inimigo, que provavelmente estava muito perto da escada no momento, não os notasse, e precisavam imediatamente reagir contra o soldado surgido das sombras ao lado da escada.

    Ele mirou Viserys, pois este vinha atrás e, fraco ou não, era o homem e não trajava vestes de sacerdote, sendo então obviamente aquele que aparentemente representava mais perigo. De qualquer maneira, por sorte ou reflexo, a tentativa de Viserys foi o suficiente para livrar-lhe de receber o golpe por completo.

    Viserys ainda estava de pé, escorado na parede com a mão direita sobre o recente corte no tórax, com a roupa ligeiramente manchada de sangue, enquanto o soldado ainda erguia a espada na altura da cintura mais uma vez, prestes a entrar em posição de combate. Ilyana estava bem ao seu lado, mas por alguma razão o soldado parecia ignora-la, como se não a considera-se nenhum pouco preocupante devido ao fato de ser uma sacerdotisa, alguém que normalmente não reagiria em tal situação.
    Pallando
    Troubleshooter
    avatar
    Troubleshooter

    Mensagens : 895
    Reputação : 21

    Re: Ilyana, A Profetisa - Gaijin386

    Mensagem por Pallando em Seg Out 17, 2016 2:32 pm

    OFF:
    Viserys agora:


    o Rei de Nada finalmente honrou as calças que veste. kkk

    Fiz uma imensa cagada na hora que postei, pq pretendia editar e não lembrava que os números dos dados tirados são alterados sempre que se clica "enviar" até mesmo na edição do post. O soldado Lannister tirou 5 no primeiro lançamento e com isso Viserys também se safaria(grau de sucesso do ataque do soldado seria o mesmo), mas quase mato o menino quando editei o post(como sempre faço na revisão, corrigindo alguns errinhos) e o número total dos dados mudou pra 9 kkk

    Enfim, editei e editei novamente até conseguir um valor próximo ao que foi tirado no primeiro lançamento...não seria justo deixar dados alterados por uma cagada minha e.e

    Soldado consegue 6 no ataque(4 nos Dados e 2 na Arma), superando a Defesa em combate de Viserys(5). 6-5=1. O dano recebido é determinado por [Atletismo]x graus de sucesso(é uma "classificação" da diferença obtida no Ataque x defesa em combate). Sinceramente não sei nem se 1 de diferença pode ser levado em conta, mas optei por considerar sim.
    Atletismo(Soldado) é 2. Vezes um(grau de sucesso), temos -2 PVs(pontos de vida) para o Viserys.

    Números usados:
    Viserys - Defesa em combate: 5
    Soldado - Atletismo: 2
    Soldado - Espada longa: 2
    Soldado - Arma: 2

    Viserys - PVs: 7-2(dano recebido)= 5.
    gaijin386
    Adepto da Virtualidade
    avatar
    Adepto da Virtualidade

    Mensagens : 1733
    Reputação : 0

    Re: Ilyana, A Profetisa - Gaijin386

    Mensagem por gaijin386 em Seg Out 17, 2016 10:50 pm

    Ilyanna vislumbra o fim de boa sorte e mentalmente lamenta, mas não havia tempo para isso agora é necessário agir e logo.

    A sacerdotisa aproveita a distração e tenta dar uma cajadada entre as pernas do soldado para que o mesmo caia.
    Pallando
    Troubleshooter
    avatar
    Troubleshooter

    Mensagens : 895
    Reputação : 21

    Re: Ilyana, A Profetisa - Gaijin386

    Mensagem por Pallando em Ter Out 18, 2016 8:49 am

    OFF:
    Lance 2 d6.
    gaijin386
    Adepto da Virtualidade
    avatar
    Adepto da Virtualidade

    Mensagens : 1733
    Reputação : 0

    Re: Ilyana, A Profetisa - Gaijin386

    Mensagem por gaijin386 em Ter Out 18, 2016 11:19 am

    Segura o cajado com as duas mãos e em nome do Deus Afogado, Senhor sob as ondas ela bate...
    Spoiler:
    gaijin386 efetuou 2 lançamento(s) de dados (d6.) :
    6 , 2
    Pallando
    Troubleshooter
    avatar
    Troubleshooter

    Mensagens : 895
    Reputação : 21

    Re: Ilyana, A Profetisa - Gaijin386

    Mensagem por Pallando em Qua Out 19, 2016 12:46 pm

    O contra-ataque de Ilyana foi preciso em atingir o inimigo por entre as pernas, onde não havia proteção, e sem dúvidas fez-se sentir no soldado que, a principio parecia disposto a ignorar, mas logo cambaleou dois passos para a direita em busca de apoio. A sacerdotisa havia conseguido evitar um segundo ataque sobre Viserys e ainda dado tempo para que agissem sem imediata afobação.

    Viserys ainda demorou alguns segundos para digerir a informação e entender a urgência com que precisava agir agora. Olhou para os lados desesperado, em busca de qualquer coisa que pudesse usar para defender-se e desejando profundamente que uma espada surgisse do nada em cima de uma das caixas atrás da sacerdotisa, mas nada encontrou. Então, sem melhores e menos arriscadas opções para considerar, tomou aquela que lhe parecia dar mais chances de sobrevivência.

    - Corra, sacerdotisa!! Corra!- Gritou chamando-a, pondo-se para correr também, seguindo pelo caminho que, como Ilyana bem sabia, daria no local onde Teryn se escondia.- Não perca tempo!

    Se havia alguma arma realmente letal que pudesse usar contra seu novo inimigo, ela com certeza estaria com Teryn. Por outro lado, poderia não ser uma boa ideia envolver o já debilitado aliado naquilo, mesmo sabendo que talvez Teryn com uma espada, mesmo ferido, tivesse maiores chances de derrotar o soldado adversário.

    Assim que se recuperasse, o soldado com certeza correria atrás dos dois, caso não seguissem separados, ou atacaria aquele que tivesse ousado ficar. A única certeza quando a isso era de que ele não perderia tempo chamando o reforço do outro soldado fora do barco se precisasse perseguir os dois pelo convés.

    OFF:
    Mantive a Defesa em combate do soldado em 8. Você obteve 8 nos dados e tem o número da "arma" para acrescentar, que também deixarei em 2, visto que 1 não existe(pelo menos jamais vi).

    Atingiu entre as pernas, onde,no caso do nosso amigo, não há armadura para diminuir(ou anular, como seria o caso aqui) o dano recebido.

    10-8=2. Um grau de sucesso vezes 2(Atletismo Ilyana). -2 PVs para o Soldado.

    Soldado - PVs: 8-2= 6
    Viserys - PVs: 5

    PS: Se discordar de algum número estipulado para Ilyana, muito provavelmente por que já o tenhamos usado diferente antes e talvez eu não lembre, é só dar um toque man. Wink Te mandei uma MP há mais ou menos 1 ou 2 meses com uma pergunta sobre a ficha(que nem lembro qual era agora), mas até onde sei não obtive resposta =/
    gaijin386
    Adepto da Virtualidade
    avatar
    Adepto da Virtualidade

    Mensagens : 1733
    Reputação : 0

    Re: Ilyana, A Profetisa - Gaijin386

    Mensagem por gaijin386 em Qua Out 19, 2016 12:54 pm

    - Vamos. Ele desequilibrou-se - Pensa Ilyanna que é melhor ter três contra um é melhor que dois, apesar de dois não serem muito bons em combate.

    gaijin386
    Adepto da Virtualidade
    avatar
    Adepto da Virtualidade

    Mensagens : 1733
    Reputação : 0

    Re: Ilyana, A Profetisa - Gaijin386

    Mensagem por gaijin386 em Qua Out 19, 2016 1:00 pm

    Off:
    Ih nem esquentemos com as regras e rolamentos, porque neste sistema sou um zero a esquerda e tudo que fizemos até agora para mim está muito bom.
    Pallando
    Troubleshooter
    avatar
    Troubleshooter

    Mensagens : 895
    Reputação : 21

    Re: Ilyana, A Profetisa - Gaijin386

    Mensagem por Pallando em Dom Out 23, 2016 5:52 pm

    A dupla correu pelo convés ao encontro do quarto onde Teryn deveria estar, e o soldado, furioso com o fracasso de seu ataque surpresa e a resposta dos dois à sua falha, correu no rasto deles com a espada em mãos. No total, a esquiva de Viserys e o ataque de Ilyana na virilidade do inimigo o haviam atrasado por aproximadamente dez segundos, tempo suficiente para que a vantagem os dois fosse grande na corrida.

    Viserys foi o primeiro a chegar na porta, pois também havia sido o primeiro a começar a correr, e não demorou para abrir a porta em desespero e correr para dentro. Ilyana passou pela porta aberta instantes depois, mas não teria tempo de fechar a porta.

    Lá dentro, Teryn levantava-se com dificuldades, apoiando-se na parede e mantendo o olhar confuso focado na sacerdotisa. Viserys assustou-se ao rever o Capitão do navio que o aprisionara, mas não perdeu tempo encarando-o e tratou de pegar um pequeno caixote de madeira que havia por lá e preparar-se para arremessa-lo no inimigo.

    O soldado entrou como um raio pela porta e sua espada tinha destino certo na sacerdotisa, mas o caixote arremessado por Viserys atingiu-lhe em cheio assim que pôs os dois pés no local. O objeto de madeira quebrou-se no soldado e o fez recuar devido ao impacto e principalmente ao susto, mas não o feriu.

    - Maldito!!- Berrou Viserys, avançando contra o soldado e agarrando-lhe o pulso com as duas mãos, tentando força-lo a soltar a espada. Com quase toda certeza o Rei de Nada não conseguiria tomar a arma, mas mais uma vez ganhava algum tempo, pois o soldado ainda tinha pedaços do caixote sobre o elmo e os ombros e demoraria para livrar-se do rapaz que agarrava seu braço.

    Teryn levou a mão direita até sua calça e tirou uma adaga, cuja lâmina era quase tão grande quanto a de uma pequena espada, e juntou forças para atacar o soldado e ignorar a dor das feridas.

    Pallando efetuou 3 lançamento(s) de dados (d6.) :
    1 , 3 , 6
    Pallando
    Troubleshooter
    avatar
    Troubleshooter

    Mensagens : 895
    Reputação : 21

    Re: Ilyana, A Profetisa - Gaijin386

    Mensagem por Pallando em Dom Out 23, 2016 6:05 pm

    OFF:
    Dados(10) + Arma(2) - Status negativo/Ferido(2) = 10

    Supera a Defesa em combate do soldado em 2.
    1 grau de sucesso x Atletismo de Teryn(4), dano 4.
    Soldado foi atingido onde possui armadura(de valor 1), logo recebe 4-1 de dano.

    Soldado - PVs: 6-3= 3
    Viserys - PVs: 5

    Teryn avança com ferocidade e quatro segundos e três largos e desesperados passos depois, chega ao inimigo e ataca-lhe com a adaga, furando-lhe na costela. O soldado berrou de dor e instantaneamente perdeu boa parte de suas forças nos membros, dando a brecha perfeita para que Viserys conseguisse tomar-lhe a espada.

    O soldado socou o rosto de Teryn, que parecia já estar sentindo as dores de seus ferimentos antigos e com isso caiu no chão, depois arrancou a adaga de sua costela com dificuldade e recuou três passos devido a dor.

    Viserys agora empunhava a espada do soldado e o soldado empunhava a adaga de Teryn, mas estava gravemente ferido. O outro soldado, o da rampa, poderia ter ouvido o berro e isso apressava Ilyana e Viserys a acabar logo com o inimigo a frente.

    Ilyana novamente tinha tempo para atacar livremente, quando o soldado recuou os três passos, ou poderia usar tal vantagem para arrastar Teryn dali e garantir sua segurança por mais algum tempo. Talvez Viserys lhe entregasse a espada caso pedisse, embora não fosse fazer muito diferença com qual dos dois ela estaria.
    gaijin386
    Adepto da Virtualidade
    avatar
    Adepto da Virtualidade

    Mensagens : 1733
    Reputação : 0

    Re: Ilyana, A Profetisa - Gaijin386

    Mensagem por gaijin386 em Dom Out 23, 2016 10:05 pm

    Ilyanna vai ousar para garantir que Vyseris deixasse a espada com Teryn e usa sua ação livre para dar uma cajada no soldado tenta acertar entre as pernas (golpe baixo).

    - Que o Deus Afogado guie minha mão!

    Off:
    gaijin386 efetuou 2 lançamento(s) de dados (d6.) :
    3 , 1
    Pallando
    Troubleshooter
    avatar
    Troubleshooter

    Mensagens : 895
    Reputação : 21

    Re: Ilyana, A Profetisa - Gaijin386

    Mensagem por Pallando em Qui Out 27, 2016 8:33 pm

    O ataque de Ilyana tinha o mesmo destino daquele que atingira certeiramente o soldado, mas desta vez não obteve sucesso. O Soldado recuou, criando distância suficiente para que o golpe de Ilyana sequer lhe encostasse, e depois encarou-a irado, completamente tomado pelo calor da batalha criado pela esperança de vitória e o medo da morte.

    Outro ali que não perdeu tempo com hesitação fora Viserys, que ao notar o recuo do soldado inimigo e seu claro estado já debilitado, avançou com ferocidade para cima deste. Apontou a espada para frente e investiu com a ponta mirando a barriga do inimigo, quase que correndo para ganhar impulso e força no ataque.

    Apesar de não ser o esperado pela sacerdotisa, que realmente queria que Viserys entregasse a espada para Teryn, ela pôde sentir-se aliviada pelo Rei de Nada não ter perdido tempo e atacado, pois o golpe foi certeiro.

    O Soldado, ferido e com os reflexos musculares lentos devido à sequência de ataques dos quais tentava se esquivar ininterruptamente, não foi veloz e nem forte o suficiente para parar o golpe de qualquer maneira. A lâmina da espada que segundos atrás fora sua agora perfurava-lhe o estômago e rasgava-lhe as estranhas, mandando-o ao encontro de seus Deuses quase que instantaneamente.

    Ao fim, Viserys estava sentado sobre o corpo do soldado caído, ainda apoiando-se na espada enfiada na barriga do morto enquanto tentava recuperar sua respiração normal. Teryn levantava-se com algum esforço, surpreso com tudo e parecendo mais vivo do que antes.

    - Ilyana, você o encontrou...- Disse quase sussurrando, sendo interrompido por uma tosse acompanhada por gotas de sangue.- Agora podemos partir. Não devemos perder tempo.

    - Quieto maldito, sinta-se grato por eu não o enviar de mãos dadas com esse desgraçado para os braços da morte.- Ameaçou-lhe Viserys sem encara-lo. Com certeza não se esqueceria tão facilmente que Teryn já o mantivera prisioneiro em um navio que naufragou.

    A partir daquele momento, não passou-se sequer um minuto até que outra pessoa aparecesse perto da porta; Robin. Um claro sinal de que o confronto com o soldado Lannister fora mais longo do que Ilyana julgara enquanto participava deste, e mais uma vez sentiu enorme alivio não só por ver Robin retornar, mas também pelos homens que o acompanhavam.

    Agora poderiam partir.

    - Estão todos bem?- Perguntou Robin, surpreso com o corpo do soldado no chão.
    gaijin386
    Adepto da Virtualidade
    avatar
    Adepto da Virtualidade

    Mensagens : 1733
    Reputação : 0

    Re: Ilyana, A Profetisa - Gaijin386

    Mensagem por gaijin386 em Qui Out 27, 2016 10:18 pm

    A sacerdotisa olha Vyseris e contemporiza a situação - Ora, vamos estamos do mesmo lado agora. Não há tempo para esse tipo de discussão. Temos que sair daqui e o valor de cada um aqui é de devida importância.

    Em resposta ao questionamento de Robin - Analisando o cenário possível e o que poderia resultar estamos bem. Agora sem tempo a perder vamos deixar esta ilha. - E olha para Vyseris - Livre-se do corpo não é necessário aqui. -

    Ela se apoia em seu cajado como costumeiramente faz e olha o mar fazendo a prece de agradecimento ao Deus Afogado.

    Meu senhor...
    Onde sou fraca, ele me mostra a força.
    Quando sou forte, ele me mostra a fraqueza.
    Onde sou tola, ele me mostra sabedoria.
    Quando nada vejo, ele demonstra onisciência.



    Pallando
    Troubleshooter
    avatar
    Troubleshooter

    Mensagens : 895
    Reputação : 21

    Re: Ilyana, A Profetisa - Gaijin386

    Mensagem por Pallando em Qui Nov 03, 2016 9:08 pm

    Com a ira de Viserys momentaneamente aplacada e os aliados necessários reunidos, nada mais impedia o grupo de seguir de volta para o lar dos Greyjoy deixando a aquela ilha e alguns corpos de soldados Lannister para trás. O bardo de transporte foi aprontado às pressas e de maneira sorrateira para que nenhuma alma viva no porto desconfiasse.

    Era óbvio que não tardaria para que os perseguidores descobrissem as mortes dos soldados daquela área e deduzissem que o "objetivo" havia escapado deles mais uma vez. Talvez houvesse a possibilidade de desistência e retorno aos seus senhores, pois lhes havia sido dado muito tempo para capturar Viserys e até agora somente colecionavam fracassos. De qualquer maneira, era muito difícil imaginar que desistiriam de capturar ou eliminar o Rei de Nada.

    Com os preparativos feitos e as várias dúvidas incomodando os mais espertos como uma coceira atrás da orelha, o grupo "liderado" pela sacerdotisa e seu já aliado de confiança Teryn zarpou ainda antes que o sol nascesse. Uma curiosidade em especial incomodava bastante Ilyana: por que mesmo após tanto tempo desaparecidos, Lorde Greyjoy não enviara ninguém atrás dela, Teryn e o precioso navio que agora jazia no fundo do mar?

    Após tanto tempo, Ilyana finalmente retornaria.



    - Parte III
    "O que está morto não pode morrer, mas volta a erguer-se, mais duro e mais forte."
    "O que está morto não pode morrer, mas volta a erguer-se, mais duro e mais forte."
    "Uma, duas vezes."

    Conhecido nas ilhas mais próximas ao seu porto pela confiabilidade de seu capitão, o barco transportador de carga de porte médio cumpria com os requisitos necessários para um bom barco de transporte e comércio, sendo rápido em abrir caminho pelas águas até seu destino e, apesar de aparentemente já danificado em pontos específicos do casco próximo à proa, provou-se bem resistente à "turbulências" e outros obstáculos. Era conhecido pelo nome de "Rei Robin", isso de acordo com o que seu capitão, Robin, havia contado à Ilyana em uma conversa qualquer. Mas, ainda de acordo com o capitão, aquele barco de transporte jamais o havia deixado na mão, o que estranhamente parecia dar enorme confiança aos tripulantes trabalhadores.

    Com poucas pessoas e nenhuma carga a bordo, o Rei Robin havia demorado apenas alguns dias para fazer crescer a confiança de que chegariam sem problemas ao Lorde Greyhoy, tamanha era a proximidade que já se encontravam de Pyke. Lá a promessa da sacerdotisa finalmente se concretizaria e sua missão para com Viserys estaria completa, e isso deixava até mesmo ela ansiosa para finalmente experimentar a sensação de conclusão que tal "sucesso" traria. Sendo assim para Ilyana, obviamente outros, como Viserys e Teryn, se encontravam em estados muito mais nervosos, quase desesperados para encerrar aquela longa jornada no mar.

    Ambos, Viserys e Teryn, não haviam se comunicado durante todo aquele tempo, cada um com suas mágoas e razões para sentir raiva. Tendo isso claro, aceitar que Viserys recusava-se a cooperar com qualquer um no barco que não fosse Ilyana era inevitável. Por algumas vezes até com Ilyana, que já conhecia a mais tempo, era hesitante na colaboração e insistia em se distanciar cada vez mais dos outros indivíduos no barco. Talvez começasse a pesar a dúvida e o medo de que a sacerdotisa ou o senhor dela não cumprisse com a promessa, ninguém saberia ao certo.

    Naquele dia, muitas noites de viagem distantes da ilha que deixaram, o céu claro era completamente coberto pelas nuvens carregadas e uma mistura de cinza azulado e branco se formava acima do Rei Robin. Havia névoa, pouca de fato, mas ainda assim capaz de dificultar demais a visualização de qualquer coisa muito distante. Chuvisco caía gelado, sentidas como agulhas quando faziam contato com a pele, e o vento soprava forte vindo do norte, fazendo até os mais resistentes e habituados a isso precisarem massagear de vez em quando.
    Alguns homens, dois dos quatro trabalhadores e Viserys, ainda dormiam no convés, justamente onde eram acostumados a guardar as cargas e materiais para comércio. Não tinha um cheiro bom lá em baixo, mas o tempo e o balançar do barco deixava alguns mais preguiçosos pela manhã. No topo, Robin encontrava-se sonolento ao leme e Teryn próximo à vela, sentado em uma cadeira com uma caneca de bebida forte em mãos, enquanto na proa a sacerdotisa observava as ondas inquietas com sua serenidade.

    Um dia, muito tempo atrás, ela encontrava-se a proa de um temido navio que rumava para a ilha de Volmark. Naquela época ainda lutava para encontrar um sentido em suas visões, ainda ignorante a respeito do que o destino realmente lhe reservava, e ao seu lado estava Teryn também, como um capitão imponente e não como um doente ferido, mas estava lá. E após seu longo período perdida nas dificuldades e companhias muitas vezes nada confiáveis, sua confiança no Deus Afogado, seu real senhor, só se fortalecera.

    Não havia temor em seus olhos, nem o natural desespero enfrentado por aqueles que temem mais quando estão tão próximos daquilo que por tanto tempo perseguiram. Seu olhar, apesar de mais forte e experiente, era o mesmo que tinha no dia em que partira com o Fúria do Sol. Com aqueles olhos avistou o sinal de más águas vindo a caminho.

    Um navio, consideravelmente maior do que o Rei Robin, encontrava-se flutuando não muito longe de onde estavam. A névoa o havia escondido até então e tanto Robin quanto Teryn sequer o haviam notado ainda, mas Ilyana conseguia enxerga-lo da proa com clareza o suficiente para saber que não se tratava de uma fantasia delirante. O primeiro reflexo da sacerdotisa, naturalmente, foi um leve susto por deduzir inicialmente que deveriam ser inimigos, mas foi mais rápida ainda em relaxar quando notou o estado triste do navio: estava praticamente em pedaços, útil somente para navegar sem rumo.

    A bandeira da lula gigante ainda podia ser avistada pendurada na mureta da proa.
    gaijin386
    Adepto da Virtualidade
    avatar
    Adepto da Virtualidade

    Mensagens : 1733
    Reputação : 0

    Re: Ilyana, A Profetisa - Gaijin386

    Mensagem por gaijin386 em Qui Nov 03, 2016 11:45 pm

    O decorrer dos acontecimentos ainda fluiam como uma torrente de ondas na mente em efervescência da sacerdotisa do Deus Afogado e os fatos desde o inicio da missão dada nos salões dos Greyjoy até a chegada a Volmark onde encontrara o homem das visões que havia tido e no mais após tantas peripécias e percalços ininterruptos ela pode descansar a cabeça para descansar, mas algo estava errado ela não teve nenhum augúrio durante esse período ... nada ... era como se uma constante voz que a acompanhava durante anos de repente calasse e a sensação era estranha.

    Ela decidiu então ir para onde era o seu lugar de contemplação, a proa, onde podia ver o mar e receber a inspiração para fazer o que devia ser feito estava a refletir sob certas coisas... Como o porque de apesar de tanto tempo não haviam sido mandados reforços a sua procura desde naufrágio do grande barco que os levava anteriormente e além do mais ainda precisava mostrar o quão útil Vyseris poderia ser para uma campanha para Westeros. O que diria ao Lorde? Ela tinha uma questão de utilidade simples e prática "fantoche" deixe que Vyseris seja apoiado como o verdadeiro herdeiro de sua herança Targaryen em vez dos usurpadores e de como seria fácil manipula-lo em seu ego.

    E manipulando o ego do "rei de nada" garantiria no inicio o fim do que era um calcanhar de Aquiles para as Ilhas de Ferro: Portos seguros se fossem garantidos pelo apoio a campanha do "verdadeiro rei" ao trono certos pontos estratégicos no mapa e neles fossem feitos cidades fortificadas portuárias teriam pontos de suprimentos para um inicio de campanha para a grande tomada... E nisso ela se interrompeu vendo o grande barco a frente...

    Meu senhor ... Ela balbucia vendo o grande barco e a flamula que tremulava...

    Ativamente ela vai mais para a ponta para ver melhor o barco e depois vai até o capitão Robin e diz - Poderíamos aborda-lo? O que se passou ali? e se Teryn estivesse junto - Você reconhece esse barco?
    Pallando
    Troubleshooter
    avatar
    Troubleshooter

    Mensagens : 895
    Reputação : 21

    Re: Ilyana, A Profetisa - Gaijin386

    Mensagem por Pallando em Seg Nov 07, 2016 6:52 pm

    Ao ver o movimento da sacerdotisa na proa, aparentemente tentando melhorar a visualização de algo no mar, Teryn virou a caneca goela abaixo, derramando bebida pelo queixo e a barba e tossindo ao fim, para que pudesse levantar-se desajeitadamente e andar devagar até ela. Sua condição física já havia melhorado muito em comparação com dias atrás, quando viera a febre e uma possível nova infecção de seus ferimentos, obstáculo superado por noites em agonia e bebidas curandeiras improvisadas com especiarias que restavam pelo barco. Agora ainda soava pelo esforço físico feito, mas dava claros indícios de melhora.

    Teryn ficou tão espantado quanto Ilyana ao avistar o navio em meio a névoa, que agora já não mais o ocultada tanto. Robin, do leme de onde estava, sussurrou palavrões com a surpresa e demorou para perceber que a Profetista falava com ele.

    - Sim...claro..- Disse sem tirar os olhos do navio que flutuava não muito distante. Logo em seguida bravejou ordens para que pudessem aproximar-se vagarosamente do navio e aborda-lo.

    Ilyana, curiosa a respeito de que navio seria aquele, perguntou a Teryn, que respondeu-a com a dúvida em seu olhar e hesitação em falar. Como já sabiam, se tratava de um navio pertencente à Casa Greyjoy e por sua localização atual não era difícil deduzir que viera de Pyke.

    - Sinto muito, não o conheço.- Disse movendo-se com certa pressa pelo barco Rei Robin. Provavelmente estava decidido a acompanhar Ilyana a bordo, mesmo que talvez não fosse uma boa ideia devido a seu estado atual.

    Não demorou para que a velocidade do Rei Robin se fizesse sentir diminuindo conforme aproximavam-se do navio desconhecido. A atenção de Ilyana àquela altura havia sido chamada pela presença de um individuo caído sobre o leme, aparentemente desacordado.

    Foi então que os homens que até então dormiam no convés subiram, com Viserys incluso entre eles, e rapidamente se direcionaram à mureta do barco para observar o navio ao lado. A surpresa, a confusão e o medo eram claros no rosto do Rei de Nada.

    - Sacerdotisa...- Chamou-a um dos tripulantes trabalhadores, homem de confiança de Robin que era chamado pelo apelido Siri. Era baixo e magricela, careca e com um dente canino de ouro na boca, além de ter a pele branca repletas de bolhas de queimadura. Um homem feio, ignorante, porém gentil e esforçado.- Quantos irão acompanha-la?...Digo, pode ser perigoso..
    gaijin386
    Adepto da Virtualidade
    avatar
    Adepto da Virtualidade

    Mensagens : 1733
    Reputação : 0

    Re: Ilyana, A Profetisa - Gaijin386

    Mensagem por gaijin386 em Ter Nov 08, 2016 12:10 am

    Isso é muito estranho parece abandonado será que todos pularam ao mar? ou abandonaram o barco em botes? ela mais se questionava em voz alta do que questionando a alguns dos presentes.

    Mas enfim não creio que mais quatro pessoas além de mim sejam suficientes para dar uma olhada para ver se alguém ainda está a bordo e precisando de ajuda. Que as bênçãos do Deus Afogado estejam sobre nós e nos permitam triunfar.
    Pallando
    Troubleshooter
    avatar
    Troubleshooter

    Mensagens : 895
    Reputação : 21

    Re: Ilyana, A Profetisa - Gaijin386

    Mensagem por Pallando em Qua Nov 09, 2016 9:04 pm

    Acompanhada de quatro homens, sendo estes Teryn, Siri e outros dois tripulantes de aspecto selvagem, Ilyana foi levada a bote até o navio flutuante. Os outros encontravam-se observando na mureta do Rei Robin, inclusive Viserys e Robin, todos nervosos com o achado.

    A sacerdotisa apoiou-se na frágil escada de cordas, desgastada e difícil de segurar com firmeza, e com a constante impressão de que aquela corda iria ceder Ilyana subiu à bordo. Os três vinham logo atrás. Lá ainda havia resíduo da névoa para dificultar a completa visualização do cenário, mas foi fácil notar a presença de pelo menos dois corpos no chão de madeira. Algumas partes do navio, como o mastro, tinham marcas de lâminas e havia água por ali, indicando que o navio fora realmente atacado com força total.

    Sem perder tempo, Ilyana foi até o leme onde havia visto o corpo de um homem escorado. Subiu os quatro degraus que separavam a área do leme do capitão do piso do mastro e caminhou até o corpo apoiado. Ao seu lado estava um dos tripulantes de Robin, um homem fedido e de poucas palavras.

    Os passos da sacerdotisa foram interrompidos quando a cabeça do corpo no leme se mexeu, reagindo ao barulho feito pelos pés de Ilyana e o tripulante andando sobre a madeira velha. Somente olhando de perto foi possível notar que se tratava de um jovem de não mais que dezesseis anos, porém forte devido ao trabalho no mar.

    Ele ainda estava vivo, e olhou com visivel cansaço na direção dos dois que se aproximavam. Seu corpo se remexeu no leme, tentando ficar de pé sem o apoio, mas falhou e desistiu daquilo. Passou a língua nos lábios secos, aparentando não ver água há um bom tempo, e respirou fundo com dificuldade antes de conseguir falar.

    - Vocês servem a quem?- Perguntou com a voz irritada e fraca. Estava receoso.
    Conteúdo patrocinado


    Re: Ilyana, A Profetisa - Gaijin386

    Mensagem por Conteúdo patrocinado


      Data/hora atual: Ter Dez 12, 2017 9:22 pm