Um fórum de RPG online no formato de PBF (Play by Forum).


    Prólogo: Hildur

    Compartilhe
    Rodrigo Naga
    Cavaleiro Jedi
    avatar
    Cavaleiro Jedi

    Mensagens : 189
    Reputação : 0

    Prólogo: Hildur

    Mensagem por Rodrigo Naga em Sex Abr 22, 2016 9:55 am

    O vento frio sempre foi uma constante para os Scandza, a tribo firmava sua comunidade aos pés da Cabeça Prateada. Elas são povoadas por trolls ferozes, pequenas fortificações orcs e poderosos gigantes. Algumas remotas minas anãs ficam escondidas porém apenas os fortes sobrevivem nesta região. Laminas e instintos afiados eram como os povos daquela parte do mundo tinham que viver. Hildur começava a ver a cordilheira quase ao fundo depois do inicio de sua jornada. A passagem de tempo poderia ser confusa para quem não fosse da região, visto que o Sol quase nunca se mostrava e a noite sempre parecia uma constante.

    O frio cortaria a pele de quase qualquer homem, porém, Hildur não era qualquer homem. Ele continuava seu caminho para o sul porém, mesmo ele precisaria descansar. Encontrava uma caverna no meio de algumas formações rochosas, um lugar que seria aprazível passar alguns instantes para descansar, contudo sabia que cavernas assim poderiam trazer também outras criaturas. O jovem Bárbaro tinha algumas opções naquele momento, descansar um pouco o seguir viagem, sabendo dos perigos que ali poderia enfrentar...
    TheDuck
    Mutante
    avatar
    Mutante

    Mensagens : 673
    Reputação : 10

    Re: Prólogo: Hildur

    Mensagem por TheDuck em Sex Abr 22, 2016 7:48 pm

    Hildur caminhava pela tundra de maneira vagarosa, era sabido que a resistência ao vento era inútil, quanto maia força mais cortante se tornava. Hildur usava os pedaços de couro de urso para se cobrir, o frio já era seu grande conhecido, algo que não iria afeta-lo.

    As montanhas de gelo o permafrost eram sua companhia, no vazio branco naquele deserto de neve, Hildur se recordava de sua missão, vinha cantando um la canção em sua língua nativa, um cantico de gratidão e respeito a mãe natureza.

    Hildur começou a tremular, aquela era a hora que normalmente ele pararia para descansar. Mas o pensamento de enfrentar mais de 5m de neve fofa o desconfortou, a mente de Hildur estava pensante, pesando os prós e os contras de cada opção que ele tinha.

    Parar agora ou seguir o caminho?

    Dentre as opções Hildur percebe que o cume da montanha havia sumido de vista, isso era um sinal. Seu "norte" apagado, era hora de esperar. Hildur entao procurou uma caverna, mesmo sabendo dos perigos era sua maior chance de sobrevivência, encontrou uma rochosa, com a entrada semi aberta devido a uma parede de neve fofa. Hildur entao forçou sua passagem adenttando ao interior seco de rocha.

      Data/hora atual: Ter Dez 12, 2017 9:41 pm