Um fórum de RPG online no formato de PBF (Play by Forum).


  • Responder ao tópico

Santa Mônica

Compartilhe
Brujah Girl
Mutante
avatar
Mutante

Mensagens : 571
Reputação : 16

Diana - Narração

Mensagem por Brujah Girl em Sab Set 03, 2016 1:46 pm

As palavras do anjo-infernal que falavam sobre um massacre e se referia a um nome que Diana não se recordava, mas que certamente faziam parte de seu passado, talvez tenham sido o primeiro golpe recebido daquele que nutria verdadeiro ódio por ela.

“Eu fui responsável por isso?”

Mas não havia muito tempo para pensar e obviamente aquela figura não era de diálogos. Por mais que Diana quisesse evitar um confronto, era claro como o dia que acabara de nascer, que poderia ser destruída sem qualquer tipo de misericórdia ou maiores explicações. Teria que erguer sua espada para se defender!

Sem pensar em mais nada, sente suas asas surgindo, enquanto invocava sua armadura e espada divina através da própria vontade. Não via propósito naquela batalha, mas se tivesse que encontrar seu fim naquela manhã, não seria sem luta. Sua primeira ação seria alçar vôo para os céus como um raio, pois antes de qualquer coisa, queria se certificar que aquela luta aconteceria em um local onde inocentes não corressem risco. Ao contrário do anjo-vingativo, Diana se importava com as pessoas e não aceitaria que vítimas fossem feitas por causa da fúria do seu “inimigo”. Que Deus lhe perdoasse, mas aquela batalha aconteceria nos céus.

Convidado
Convidado


Re: Santa Mônica

Mensagem por Convidado em Seg Set 05, 2016 12:01 am

[center]Diana Winters[/center


Não havia alternativa, Diana quis evitar um confronto mas aquilo parecia ser inegociável com aquele "Anjo" parecendo estar fora de si, em um frenesi de raiva.

De forma imediata, Diana previa a ação do seu atacante, uma bola de energia que dispararia bem à sua frente, ela terminava de se formar em coisa de um segundo, o mesmo segundo que Diana precisou para que um fecho de luz cobrisse imediatamente seu corpo e tomasse forma em uma de suas mãos dando lugar a uma armadura e espada divina e tão logo ela já invocasse suas asas o mais rápido que podia partiria para os céus a fim de esquivar daquela bola de energia e levar aquela luta para outro lugar... Mas não... A energia já se formara e já era emitida em uma explosão da mão de seu atacante, as asas já se formaram mas Diana não iria conseguir se mexer a tempo, a Anjo já arregalava os olhos pois iria tomar um golpe certeiro bem de frente, seus olhos já tomaram o reflexo vermelho da energia se aproximando e em um segundo o impacto seria inevitável...

Mas tudo acontece muito rápido... Algo extremamente grande cobriu todo o céu de Diana, em um segundo tudo ficara absolutamente escuro e em seguida um som de um impacto e o vento sendo cortado... No segundo seguinte tudo voltara a ficar claro e a primeira coisa que Diana vira fora a figura majestosa de algo que não era simplesmente belo... Era a criatura mais divina que seus olhos puderam imaginar um dia enxergar. Possuía cabelos que pareciam ser feitos de luz pura, uma pele tão imaculada que parecia ter a delicadeza e o brilho de um cristal, a textura de um veludo fino e uma altura digna de um guardião temido.

Diana estava envolta e protegida por oito asas quatro delas tinham o dobro do tamanho das asas da anjo e as outras quatro eram do tamanho padrão. Da mesma forma como o anjo que a atacara não dava para definir se Castiel era como um homem ou uma mulher, mas nenhuma beleza vista por Diana poderia um dia se comparar com a de seu mais fiel amigo. Sim... Diana se lembrava, sentia em seu íntimo, não tinha como esquecer aquele rosto se o visse novamente nem mesmo com a magia mais poderosa aplicada sobre ela para esquecer suas memórias, Diana se lembrava de Castiel e embora não recordasse exatamente o que passaram ela sabia que haviam passado por coisas.

A voz conhecida e luminar de Castiel preenchera o ambiente como ondas poderosas e hipnotizantes

- Kairel, já chega!

Então, Kairel era o nome daquele anjo tão invocado em raiva, que mudava completamente sua expressão para a de um temor, mas não um temor focado no medo e sim o de um respeito, e mesmo assim ele indagava.

- Mas... Castiel, ela-

Castiel logo cortou com uma voz serena e autoritária e parecia evocar uma onda pelo ambiente:

- Eu disse: Já chega, Kairel! Aridiel está falando a verdade, ela não possui mais a memória daqueles tempos, dou-lhe minha palavra, ela não está a blasfemar nem a debochar de nós!

Kairel alternava sua visão entre Diana e Castiel, parecia estar confuso, ele tentava encontrar palavras e logo iria as expelir mas Castiel se adiantara e dizia:

- Volte pra casa, Kairel e aguarde-me. Desobedecestes uma ordem e trataremos disso devidamente, mas também darei o alívio que precisas para a tua mente, darei-lhe respostas.

Kairel não parecia ver opções, tanto que de forma imediata ele simplesmente meneia a cabeça mostrando total subserviência, sua armadura e sua arma se desfazem em luz e imediatamente Kairel virava-se sem dizer nada a Diana ou dirigir-lhe um olhar a mesma e suas asas batem erguendo seu corpo fazendo-o desaparecer logo em seguida como um fantasma.

Tudo parecia extremamente bem agora que Castiel dera a graça de sua presença, só ela trazia um jubilo imprescindível, ele por fim olhava para Diana, a mesma precisaria erguer sua cabeça para fitar seu rosto divino, as enormes asas se recolhiam em suas costas e a voz de Castiel emanava pela audição de Diana junto a uma leve e nobre reverência:

- Diana... Peço perdão em nome de Kairel e de nossa graça por ter lhe tratado com tanta hostilidade. Sua mente esteve confusa com muitos assuntos, não é de seu feitio se comportar dessa maneira, sei que ele se arrependerá honestamente do que iniciou hoje. Por favor... Poderia perdoá-lo?

Aquele era um pedido que Diana não sentia vontade de negar, um pedido cortês, humilde, nobre e gentil vinda de uma criatura claramente superior em vários aspectos, mas por mais que não sentisse vontade alguma de negar ainda era capaz de fazê-lo.

Rolagem:


Como a ação de Diana envolveu a abertura das asas primeiro pra poder se esquivar no céu foi considerado ação multipla, a ação da invocação de arma e armadura foi considerado ação reflexo por ser algo que simplesmente surge.

2016-09-04 19:33:18 Anjo rolls * dice to Energy Ball (used willpower) [4 successes]

2016-09-04 19:54:03 Diana Winters rolls * dice to Esquiva [3 successes]

Castiel - Aparência 8:
Brujah Girl
Mutante
avatar
Mutante

Mensagens : 571
Reputação : 16

Diana - Narração

Mensagem por Brujah Girl em Qua Set 07, 2016 10:28 am

Não teria tempo de alçar vôo antes de ser atingida pelo projétil de energia que o anjo vingativo lançava contra si, mas certamente sua armadura poderia aparar parte do impacto, e consequentemente, aliviar um pouco do estrago que aquilo causaria-lhe. Ato reflexo, fecha os olhos por um instante, quando a vermelhidão estava apenas a alguns centímetros de si, preparando-se para o pior... mas então... O pior não acontece.

Os olhos que se reabrem notam a escuridão que se formara acima de si, o som de um impacto e subitamente, a claridade se refaz e os olhos incrédulos de Diana encontram... seria Deus? Indescritível criatura, de uma beleza e majestade jamais sonhada surgia para proteger-lhe com suas inúmeras asas que formaram um escudo, uma barreira protetora, salvando-a do impiedoso ataque, então, tal qual barragem de um rio que se rompe, as lembranças invadem sua mente, e Diana se recorda de Castiel... Sabia quem era, um grande amigo, um irmão... Não se recordava de outras coisas, mas aquele certeza tinha o peso da mais sólida das rochas. Não era Deus, mas alguém em quem confiava, alguém que era-lhe muito caro ao coração.

Um suspiro de alívio escapa-lhe do peito, e ela então assiste ao desenrolar daquela cena. Kairel era o nome do anjo repleto de ódio, e este respeitava Castiel, e por isso, após ouvir as ordens de Castiel, Kairel desaparece, deixando ela e Castiel sozinhos.

A anjo instintivamente faz a espada desaparecer de suas mãos, mas mantém-se em sua forma celestial. Não sabia se aquele louco poderia voltar do nada para atacar-lhe, mas a sensação de estar junto de Castiel era praticamente um bálsamo, e após ouvir as palavras que ele dirigia-lhe, Diana retorna a sua forma “humana”.

– Castiel... eu... eu não me recordo dos momentos que passamos juntos, mas sinto dentro de mim, o elo verdadeiro que existe entre nós, meu irmão. Agradeço-te por ter vindo em meu auxílio e por permitir-me sentir essa indescrítivel alegria de estar ao seu lado... Tu não deves desculpar-te pelas ações de outros, eu não sei quem é Kairel, não sei dos motivos que o levaram a isto, mas senti o profundo ódio que ele nutre por mim e sei que se não fosse por ti, ele provavelmente teria me destruído... Desculpe-me, mas não posso perdoá-lo agora, sem saber as raízes desta profunda animosidade, capaz até de expor a vida de pessoas inocentes! O perdão é algo que deve nascer no coração de forma espontânea, do contrário é apenas uma farsa... Sei que devo ter falhado, sei que devo ser merecedora deste ódio, mas entenda, estou tentando fazer as coisas certas... mesmo perdida no meio disso tudo, meu irmão.

Diana então faz uma humilde reverência a divina criatura que tinha diante de si, mas não iria mentir para o anjo. Não podia simplesmente perdoar da boca pra fora, estava confusa, e honestamente, um pouco de respostas também seriam úteis, se ela fosse digna disto.

Após o gesto, faz a pergunta:

– Castiel, um pouco de respostas também aliviariam a minha mente, mas compreendo que se o esquecimento foi-me imposto por vontade de Deus, não devo ir contra Suas Vontades, por isso peço apenas que me oriente: a ordem de me afastar do caso do demônio que possui o jovem Kevin, é fundamentada? É o que desejas que eu faça?

Convidado
Convidado


Re: Santa Mônica

Mensagem por Convidado em Dom Set 11, 2016 9:13 am

Jade Starling


Quarta Feira - 29 de Agosto de 2015 - 10:17


Eles haviam chegado no Heaven and Hell, a boate onde residia a Diva. A boate era grande próxima ao ponto nobre da praia, apenas figurões de alto nível e cidadãos de classe média que saíam quase zerados frequentavam aquele lugar. O caminho fora um pouco longo mas não o suficiente para ser um tormento, embora ter que negociar uma figura representativa da Mafia em L.A já ajudava a tornar aquilo um pouco de tormento. Felizmente Jade nunca precisou ter contato nenhum com a Diva, mas certamente sabia que seus superiores o tiveram, assim como o capitão antes dela... A policia em L.A era corrupta, e como alguém relativamente novo no cargo de superior não era como se ainda tivesse necessitado passar pela parte mais difícil do trabalho, se opor aos corruptos ou se unir a eles, mais cedo ou mais tarde Jade teria de tomar essa decisão e parecia que aquele momento estava cada vez mais perto...

Como estava de dia o local estava vazio, o sol começara a ficar quente e o ar úmido da praia ajudava a esquentar um pouco mais o clima. Ray parava no estacionamento da boate. Ray saía do carro e olhava para Jade de relance, e é aí que antes de entrarem, Ray fala a Jade:

- Jade, você não precisa fazer isso se não quiser, você ainda não teve contato com a Diva e ainda não precisa ter. Eu posso dar um jeito lá dentro e conseguir as informações, você tem um cargo fácil de comprometer.

Ray dizia com tom de preocupação na voz, ele apoiava um dos seus braços no teto do carro.
Convidado
Convidado


Re: Santa Mônica

Mensagem por Convidado em Dom Set 11, 2016 10:14 am

Diana Winters


A graça divina de Castiel era a nível cósmico, era impossível não se encantar e sentir júbilo só de estar na presença daquele ser magnânimo. Castiel fechava seus olhos profundos e brilhosos com um pesar após ouvir as palavras de Diana de que não poderia perdoar Kairel, e ele responde com uma voz digna das mitológicas sirenes:

- Compreendo, Diana... O perdão deve vir de bom grado, se teu coração ainda não é capaz de alcançar o perdão de Kairel, só posso ansiar que um dia o seja...


Ele reabre aqueles olhos divinos, põe suas duas mãos para traz tal como um sábio pondera e sem virar de costas para Diana ele fita o horizonte fresco do mar. Não havia vento, não havia movimentação da natureza, o ambiente ainda estava congelado para que o sobrenatural pudesse interagir sem afetar o equilibrio das coisas. Castiel dizia com um novo pesar:

- Diana... Sinto muitíssimo, não posso lhe muitas explicações, em parte eu não as tenho e em outra parte para respeitar a vontade de teu novo Senhor, mas o farei na medida que puder.

Ele da uma pausa e continua:

- Não fora o Criador que retirara suas memórias e nem é ele quem lhe agracia com seus poderes, isto é obra de outra pessoa, mas posso assegurar-lhe que encontra-se em boas mãos, mãos que a ampararam quando ninguém mais o fez, ou teve permissão de fazê-lo.

Dizia ao final com um lamento em sua voz e continua.

- Sobre o rapaz... Sim, há um fundamento do porque o demônio deva agir no mundo desperto, até mesmo os demônios tem sua função no universo, mesmo que eles o neguem. Não aflija seu coração com este assunto, nem mesmo com os humanos a quem o demônio se deparar pois por mais que a carne deles seja prejudicada a alma ainda tomará o rumo justo e isto é o mais importante.

Diana sentia tranquilidade nas palavras de Castiel, sentia um peso retirado de seus ombros em ouvir e lembrar que a morte dos humanos não era o pior, a vida humana era apenas uma fase de suas existências que se seguiria, provavelmente, por incontáveis eras, talvez até o fim dos tempos e que elas estavam sendo amparadas de acordo com a ordem das coisas, mas ainda tinha duas coisas... Sean ainda estava atrás daquele demônio e ver estranhos terem suas vidas humanas limitadas mesmo que para seguir um novo rumo, era diferente de ver alguém importante para si tomar o mesmo destino, e por ultimo e não menos importante, a revelação de que Deus de fato não estava mais ao seu lado, que Diana havia sido definitivamente afastada após ter feito as coisas que fez, era agora outra pessoa que supria sua existência, outra pessoa que dava poder, era a outra pessoa a quem havia orado por todo esse tempo e era a outra pessoa quem talvez poderia dar todas as respostas que Diana buscava sobre seu passado.
Luxi
Moderador
avatar
Moderador

Mensagens : 1143
Reputação : 131
Conquistas :
  • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/311.png
  • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1112.png
  • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/912.png
  • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/212.png
  • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1811.png
  • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1413.png
  • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/410.png

Re: Santa Mônica

Mensagem por Luxi em Seg Set 12, 2016 12:25 pm

Jade sabia reconhecer onde não tinha muita liberdade de ação e aquela boate era esse tipo de lugar. Talvez também por isso, ela estava um tanto tranquila, pois já imaginava que poucos seriam os frutos daquele lugar. Mesmo assim, tinha um otimismo atípico em relação a investigações, pois acreditava que qualquer pista já era melhor do que nada e poderiam ser combinadas todas no final.
No entanto, mais do que uma pista, Diva era como uma tentação para o mundo podre dela. A capitã sabia que um dia teria que ter contato, já que todos os outros tiveram, mas não se sentia ansiosa. Sua convicção era tão firme, pelo menos no instante em que pisara ali, que se achava inabalável, até Ray falar.
A policial o observou atentamente. Talvez fosse pior do que ela estava preparada, mas não entendia por que ele tinha oferecido até conseguir as informações sozinhos. Um sorriso um pouco debochado surgiu em seu rosto.

- Isso é preocupação de pai, oficial Starling? Ainda não vejo por que isso seria um grande problema, mas se for se sentir melhor, eu deixo me aconselhar e também iniciar o assunto. Só não posso prometer ficar em silêncio. Não se preocupe, o meu objetivo aqui é só matar a possibilidade.

Era uma criatura intrépida. Quando colocava um objetivo simples em mente para resolver um problema, no caso, os mutantes, as variáveis em volta pareciam simplificar.
Brujah Girl
Mutante
avatar
Mutante

Mensagens : 571
Reputação : 16

Diana - Castiel

Mensagem por Brujah Girl em Seg Set 12, 2016 1:07 pm

As palavras de Castiel não trazem explicações para Diana, pelo contrário, só fazem aumentar suas dúvidas.

“Novo senhor? Como assim novo senhor?! Deus não é um só? Então Deus virou-me as costas e um outro Ser Divino tomou-me sob sua tutela?”

As perguntas eram inúmeras e fervilhavam em sua mente, começaria a perguntar, mas então Castiel fala sobre os demônios agindo livremente e aniquilando pessoas fazia parte de sua “função” no universo. Sinceramente não conseguia compreender aquilo, mas tinha noção de que o que aprendera em sua “vida celestial” havia sido “apagado”. De certa forma sentia-se aliviada por aquilo, de alguma forma que ela desconhecia, ter a sua razão de ser, e faria o que Castiel dizia, mas havia um problema na questão: Sean. Não poderia ficar de braços cruzados sabendo que seu amado estava empenhado em encontrar o demônio assassino, ao que responde:

– Eu não sabia, ou lembrava, que existiam “outros deuses”. Lamento saber que a gravidade dos meus atos fora tamanha que até mesmo o Deus que me criou, não pode me perdoar.

Aquilo de certa forma, magoava-a. Seu crime devia ter sido mais do que gravíssimo. Faz uma brevíssima pausa e prossegue:

– Mas estou feliz por alguém ter me amparado. Espero um dia poder agradecer pessoalmente ao responsável por isso. Tu deves imaginar que agora as minhas dúvidas aumentaram ainda mais, não?

Dá um sorriso algo triste. O que ela era? Não era mais um anjo? Era tudo muito, muito confuso, mas pelo que Castiel dissera, ele não tinha permissão de dizer muito mais coisas, de forma que não valia a pena insistir nas questões. Era mais importante tratar de Sean:

– Posso fazer o que pedes até certo ponto. Deves saber que o Sean, a quem amo, está envolvido nesta investigação, e não posso deixá-lo desprotegido diante de algo que ele não tem como se defender. Não posso cruzar os braços e deixar que um demônio coloque a vida dele em risco. Se isto acontecer, lutarei para defendê-lo... a não ser que você me garanta que nada de mal acontecerá com ele e que ele não vai encontrar este demônio.

Convidado
Convidado


Re: Santa Mônica

Mensagem por Convidado em Seg Set 12, 2016 1:35 pm

Diana Winters


Castiel meneava a cabeça leve e negativamente. Ele continuava a fitar o horizonte e vez ou outra fitava Diana:

- Você não deve interferir, Diana... Para seu próprio bem, o nosso, o deles e de quem mais se envolver nestes assuntos, mas o que pode fazer é tirar o filho de Adão do caminho. Você ainda tem o poder para induzir os filhos de Adão e as filhas de Eva, deste modo vai poupar seu amado e o demônio continuará seu propósito até que a hora certa chegue.

Aquilo ao menos é o que podia acalmar um pouco o coração de Diana, se não podia interferir podia impedir que os seus entes queridos se envolvessem. Então antes que Diana respondesse, as enormes oito asas de Castiel se abriam e ele subia levemente no ar, finalizando:

- Agora devo retornar... Sei que possui mais perguntas, mas não cabe a mim respondê-las no momento, mas saiba Diana, não está sozinha, nunca esteve. Você ainda possui amigos e eles estão cuidando de você o tempo todo...

Era de se esperar que agora Castiel partiria e estava a se despedir de Diana, com suas asas grandiosas ao ar ele apenas acenava para a anjo, próximo de subir aos céus novamente.
Brujah Girl
Mutante
avatar
Mutante

Mensagens : 571
Reputação : 16

Diana - Castiel

Mensagem por Brujah Girl em Seg Set 12, 2016 2:19 pm

A anjo, ou fosse lá o que ela fosse agora, ouvia a resposta de Castiel, e embora preferisse evitar usar seus poderes para impor sua vontade sobre a de alguém, compreende que deveria fazê-lo para evitar que o pior acontecesse. Teria que se resignar com isso.

Impressionada com a beleza das asas de Castiel que se abriam para que ele se erguesse do solo, sem poder negar a beleza daquela visão, ela ouve as palavras finais de seu amigo que se despedia. Ao menos, aquelas palavras acalentavam seu coração, e assim sorri de forma sincera, ao se despedir do irmão:

– Isso é um alento para o meu coração. Obrigado por este encontro. Espero que possamos nos rever em breve, e mande saudações aos que olham por mim. Gratidão Castiel, até um dia, meu eterno irmão!

Diana leva a mão espalmada ao coração, fazendo uma vênia de despedida ao anjo. Apesar das circunstâncias desagradáveis que levaram aquele “reencontro”, estava feliz por ter recordado uma pequena e importante parte de seu passado.




Convidado
Convidado


Re: Santa Mônica

Mensagem por Convidado em Seg Set 12, 2016 2:31 pm

Jade Starling


Após a resposta de Jade, Ray balançava a cabeça pra um lado e pro outro desviando o olhar como se dissesse "mais ou menos... mais ou menos...". E por fim diz:

- Talvez seja melhor você ser você mesma, afinal é pra isso que eu te trouxe... Não que falar com a Diva fosse parte do plano mas... Você entendeu, vamos lá!

E assim a dupla de policiais seguia para dentro da boate. A entrada era um grande portão totalmente bloqueado e a unica comunicação que havia era um interfone ao lado de uma porta bem decorada com uma cobertura elegante acima e lampada de neon que não estava ligada.

Ray apertava o interfone e logo a pequena portinhola abria relevando apenas o olhar de uma pessoa, um homem negro e ele dizia com uma voz grave:

- Ray?

Ray dizia, alegre:

- E aí max! Como tá a vida?? A gente veio falar com a Diva, essa é a minha filha e a nova capitã, nós viemos falar com a Diva!

Max não mudava sua expressão, ele apenas dizia "Esperem um minuto" e então fechava a portinhola. Ray olhava para Jade e erguia as duas sobrancelhas e logo depois Max reabria a portinhola e dizia que podiam entrar.

A porta era aberta por Max, um negro de quase dois metros de altura, vestia terno e gravata, era um segurança do estilo Leão de Chácara, muito forte e amedrontador. Ao entrar Jade via que o local era como um condomínio de boates a céu aberto, não havia apenas uma boate e sim várias que estavam a céu aberto, era como um campus universitário e cada prédio deveria rolar uma putaria diferente, o local era elegante, provavelmente a noite devia ser cheia de luzes que remetiam ao glamour tornando aquilo um reino de Dionísio, mas no momento estava tudo apagado para os negócios começarem ao cair do sol.

Eles eram conduzidos pelo campos e dentro de uns cinco minutos eles chegavam em uma boate elegante porém pequena. Ao entrarem podiam ver que a luz de fora iluminava quase todo o ambiente escuro por um curto período de tempo pois Max já entrava e fechava a porta tão logo os dois eram apressados a entrar rápido.

Max por fim caminhava dentro da boate que parecia estar aberta pois haviam lindas garotas nuas dançando no palco e nos canos para a plateia de apenas uma pessoa... Era ela... Sentada de costas para a entrada em uma grande poltrona que mais parecia um trono com uma taça de alguma bebida que não dava-se para ver a coloração por conta do ambiente arroxeado em meio à fumaça de gelo seco e um ar de fatalidade e elegância, estava ela... Diva... Ela era uma mulher linda, seu sex appeal e seu balançar sedutor apenas ao descruzar as pernas, olhar para os convidados e levantar-se com um enorme sorriso de júbilo nos lábios era o suficiente para tirar qualquer homem do seu fôlego e Jade podia reparar isso em Ray que logo fora cumprimentá-la com dois beijinhos como se fossem velhos amigos.

- Ray!!! Meu querido... A quanto tempo você não vem me ver!

Ray logo respondia com um grande sorriso no rosto, nem parecia que a poucos instantes atrás estava nem querendo por os pés naquele lugar, parecia que estava justamento no lugar que queria estar, mas Jade sabia dizer que Ray estava fingindo, afinal não retribuir a gentileza de alguém poderoso era algo muito imprudente.

- Ah, Diva, meu amor, é a vida de aposentado... Quase não tenho mais ânimo nem pra acompanhar essas belas doçuras que estão se apresentando!

Diva soltava uma risada quente e graciosa, com dentes perfeitos e um brilho nos olhos que era tão notável que mesmo no local escuro, arroxeado e com fumaça de gelo seco não dava para se ofuscar.

- Meu querido, que coisa para se dizer a uma dama... Ah que mentira, a quem estamos enganando não é??

E Ray soltava outra risada e diz:

- Diva, meu amor, esta é a minha filha Jade! Ela é famosa, viu ela nos noticiarios ontem né?

Diva então olhava para Jade com um leve sorriso e um olhar tão profundamente analítico que a capitã imaginou que aquela mulher talvez quisesse enxergar sua alma, mas isso tivera a duração de um segundo, pois Diva logo se aproximava e beijava Jade no rosto duas vezes como fizera com Ray:

- Oh sim, como não podia notar? Está vendo Ray? Eu disse que se você se empenhasse chegaria a capitão, mas você não me deu ouvidos, está aqui sua filha para provar que eu estava certa! É um prazer, minha querida, estava ansiosa para conhecê-la um dia!

E aguardava a resposta de Jade, assim como Ray e a capitã notava que Max ainda estava lá, de guarda como um armário e as meninas continuavam dançando sem se interromper com as visitas.

rolagem:
2016-09-12 11:13:08 Jade rolls * dice to Raciocinio + Empatia (Diff 8) [1 success]

Diva - Aparência 5:
Convidado
Convidado


Re: Santa Mônica

Mensagem por Convidado em Seg Set 12, 2016 3:04 pm

Diana Winters


Castiel assentia com um leve sorriso e logo dava as costas elevando seu magnifico corpo cheio de beleza e graça, assim como um fantasma, rapidamente a forma de Castiel se apagava sem deixar rastros nos céus e em seguida a voz do Anjo que lhe era tão querido e bondoso veio em sua mente como um eco que cruzava dimensões e a impressão que dava, era que o seria dito era um segredo:

"- Procure conforto em seus sonhos..."


E após isso, Diana percebia e ouvia o mar aos poucos se mexendo, o vento aos poucos cortando seus cabelos e as gaivotas aos poucos tomando seus movimentos, o tempo estava voltando a correr normalmente, e Diana, assim que voltasse a sua forma totalmente humana, desconjurando sua armadura de luz, estaria novamente entre os humanos como uma humana a fim de seguir seu caminho dali.
Brujah Girl
Mutante
avatar
Mutante

Mensagens : 571
Reputação : 16

Diana - Narração

Mensagem por Brujah Girl em Seg Set 12, 2016 8:29 pm

Após Castiel desaparecer nos céus, Diana ouve, com surpresa, a mensagem que ele envia à sua mente. Um conselho era o que recebia. Talvez um segredo que Castiel compartilhava com ela... uma forma de encontrar respostas para suas questões? Sim, talvez... Procuraria prestar mais atenções aos seus sonhos. Trariam eles o conforto que Castiel sugeria? Só o tempo diria.

O tempo começava a voltar ao normal e ato reflexo, a anjo reassume sua forma humana, fazendo com que sua armadura desaparecesse ao simples desejar. Ela inspira fundo, sentindo a brisa marítima e vendo “a vida retomar seu curso” ao seu redor. Olha para o céu por mais uma vez e fechando os olhos, eleva o pensamento ao misterioso ser que agora zelava por ela:

“Seja lá quem for e onde estiver, agradeço por ter me amparado. Quando achar que é o momento de maior compreensão, estarei aqui, pronta por respostas.”

¬Era diferente, até um pouco estranho, imaginar que havia mais do que um Deus. Mas também não era de todo ruim. A versão judaico-cristã de Deus nunca fora algo que a convencera. Sinceramente havia sangue, preconceitos, ódios e injustiças demais naquele livro que muitos consideram sagrado. Para Diana aquilo nunca tinha batido em seu coração, pois para ela Deus estava muito acima de coisas tão mesquinhas e humanas quanto aquelas... Teria ela razão? Bem, não sabia.

“Eu já não sei de nada e... apesar das minhas orações, ou melhor, dos papos que tivemos ao longo dos anos, não serem dirigidos ao teu nome, acredito que a intenção não tenha se perdido, pois Tu me alimentastes com a chama da vida, fortalecendo-me nos momentos em que mais precisei. Dê-me forças para seguir e encontrar o meu propósito.”

Diana então silencia a mente e reabre os olhos.

Começaria a caminhar rumo ao calçadão, e depois seguiria para o apartamento. Era hora de informar para Akasha que a “missão” estava cancelada. Deveria cumprir com o que fora dito para Castiel.

Convidado
Convidado


Re: Santa Mônica

Mensagem por Convidado em Ter Set 13, 2016 11:28 am

Diana Winters


Depois do capítulo que com certeza marcara fervorosamente sua vida na Terra, Diana retornava a sua casa e não demorara muito para tal. As ruas estavam calmas mas logo iriam se lotar de carros, pessoas que começariam suas rotinas, os pombos estavam despertos, a cidade já acordada e tomando seu café da manhã.

A anjo chegava no bar, o mesmo obviamente estava fechado mas havia uma porta separada para acesso à casa, e assim ela segue para o segundo andar onde entrava em casa sentindo a calma. Ela via na mesa um post it amarelo com caneta vermelha:

"Saí pra pegar os materiais do ritual, mesmo que decida não fazer ainda é bom ter algum em estoque. Tem café quente na garrafa térmica se quiser. Beijinhos - Akasha."

Ao que parecia Diana chegara um pouco tarde para avisar à Bruxa que a missão estava cancelada, mas como ela mesma dissera no bilhete, ainda não seria uma viagem desperdiçada.
Brujah Girl
Mutante
avatar
Mutante

Mensagens : 571
Reputação : 16

Diana - Narração

Mensagem por Brujah Girl em Ter Set 13, 2016 4:19 pm


A caminhada até seu “segundo lar” é feita tranquilamente, enquanto seguia cantarolando as músicas que ouvia no seu smartphone com fones de ouvido. Embora para qualquer um que a visse, Diana não passasse de uma jovem que retornava de sua atividade física matinal, a mente da anjo ainda estava agitada com a experiência que vivera.

Ao chegar no ap descobre que Akasha já tinha saído ao ler seu bilhete:

“Nossa... a bruxa caiu da cama...”

Manda então uma sms para a amiga:

“Acordou cedo, hein? Acabei de chegar pra falar contigo, não vai ser mais preciso. Aconteceu algo. Falamos depois. Vou ver o que aqueles caras querem. Bjks.”

Segue até o quarto, onde toma um banho rápido e troca de roupa, adotando um visual mais clássico. Em seguida pegaria sua bolsa com seus objetos pessoais e deixaria o apartamento.

Sua intenção era pegar um ônibus qualquer, afastando-se algumas quadras do Hurricane. Ela então desceria do ônibus em um ponto aleatório e iria até um telefone público. Pretendia fazer uma ligação para a tal Gabriella Valkyrie para tentar descobrir quem eram estes e o que queriam com ela.


OFF::

OFF: Não sei se podia fazer essas ações todas, se não podia, desconsidere, please. Foi só pra dinamizar caso a cena estivesse livre.
Convidado
Convidado


Re: Santa Mônica

Mensagem por Convidado em Ter Set 13, 2016 10:17 pm

Diana Winters


Logo após Diana ter saído de seu banho e estar ainda de toalha ela vira no celular que havia recebido uma mensagem, era Akasha que dizia:

"Mesmo? Tá bem, qualquer coisa me liga, vou querer saber o que houve pra ter mudado de ideia e me contar qual é a da agente. Beijinhos"

Logo após ler a mensagem ela começava a se arrumar, via que ainda era cedo no relógio, certamente não teria necessidade de pressa alguma de modo que se arrumava bem como queria e tranquilamente, só não estava mais tranquila pois algo estranho, pouco esclarecedor e ainda mais misterioso tinha acontecido, mas era algo que felizmente ainda podia esperar, não havia tanta pressa.

Ela terminara de se arrumar, descera e trancara todo o apartamento, o sol já tinha se mostrado e o clima ainda não era quente mas Diana podia sentir que a temperatura já subira. Cerca de uns dois minutos Diana encontrava o ponto de ônibus, o mesmo já estava cheio com vários tipos de pessoas a caminho de suas rotinas, durante o trajeto pegou trânsito mas não era como se fosse para muito longe e perder tanto tempo. Dentro o ônibus estava cheio e para passar precisara se espremer entre as pessoas, algo muito desconfortável e não lhe admiraria que em algum momento um safado teria gostado de ter a perna da linda loira roçando na sua, mas não era como se Diana tivesse percebido alguém com essas intenções por mais que loira fosse linda não parecia que ao se espremer entre homens alguém tenha se aproveitado.

Ao descer do ônibus, o que não demorou muito, logo encontrou um telefone público perto de um petshop, o petshop estava aberto e Diana via os filhotes de cães, gatos, gaiolas de pássaros e até mesmo um coelho nas vitrines, todos os bichos estavam dormindo e havia duas meninas na vitrine comentando o quanto os bichinhos eram fofos.

Diana então começava a fazer a ligação e descobrir quem era a pessoa que a procurara e o porque a procurara, e é então que após alguns toques, uma voz feminina, já conhecida, embora não pessoalmente atendia:

- Valkyrie.


Pronto... A ligação havia sido atendida, era hora de descobrir o que aquelas pessoas queriam.
Brujah Girl
Mutante
avatar
Mutante

Mensagens : 571
Reputação : 16

Diana - Narração

Mensagem por Brujah Girl em Qua Set 14, 2016 10:59 am

O trajeto até o telefone público fora sem percalços. Apesar do transporte público estar cheio, não foi nada que lhe incomodasse, mas é claro que preferia ter feito o trajeto em cima de sua moto, mas não tivera tempo de buscar a mesma na noite passada e agora estava “a pé”. Talvez pedisse uma carona para Sean depois, dependeria apenas do que conversaria com a agente.

Enquanto aguardava a ligação ser atendida, olhava rapidamente os animais “enjaulados” como se fossem objetos, a espera de uma família, na esperança de que recebessem algum amor. Não achava aquele tipo de comércio correto, mas não pode evitar um sorriso ao ver as meninas olhando com carinho para os animais adormecidos. É então que ouve a voz de Gabriella que atendia ao telefone. Mentalmente já tinha ouvido aquela voz, mas agora falaria com sua interlocutora:

– Bom dia. É Diana Winters quem fala, recebi seu recado, agente Valkyrie.

E aguardava a parte interessada naquela conversa se manifestar.
Convidado
Convidado


Re: Santa Mônica

Mensagem por Convidado em Qua Set 14, 2016 11:11 am

Diana Winters


A agente imediatamente responde com uma voz amigável, ainda que séria:

- Bom dia. Srta Winters. Obrigada por entrar em contato. Poderíamos conversar pessoalmente, ainda não tive oportunidade de tomar meu café da manhã, gostaria de me acompanhar?

A agente era direta e de fato Diana não tomara ainda o café da manhã que na verdade não precisava, mas era uma oportunidade de unir o útil ao agradável.
Brujah Girl
Mutante
avatar
Mutante

Mensagens : 571
Reputação : 16

Diana - Valkyrie

Mensagem por Brujah Girl em Qua Set 14, 2016 1:54 pm

Diana ainda não estava muito certo sobre aquilo, mas não era como se tivesse muitas alternativas se o governo estivesse atrás dela. Se ela não devia nada, não tinha nada a temer, certo?

– Poderia me adiantar o assunto e se vai levar muito tempo, agente Valkyrie? É que, como deve saber, sou consultora do departamento de polícia e no momento estou participando de uma investigação, por isso devo dar alguma satisfação aos meus superiores pelo meu atraso nesta manhã...

Sua voz soava belíssima como sempre, e de forma carismática tentava obter algumas informações antes de seguir para o possível encontro.
Convidado
Convidado


Re: Santa Mônica

Mensagem por Convidado em Qua Set 14, 2016 4:30 pm

Diana Winters


Gentilmente, a agente do governo respondia:

- Temo não poder adiantar o assunto, é algo delicado, deve ser tratado pessoalmente e provavelmente levaremos tempo. Quanto a seu trabalho não se preocupe, srta. Winters, farei uma ligação e sua ausência será bem justificada à capitã Starling.
Brujah Girl
Mutante
avatar
Mutante

Mensagens : 571
Reputação : 16

Diana - Valkyrie

Mensagem por Brujah Girl em Qua Set 14, 2016 6:53 pm


Bem, parecia que a agente tinha feito a lição de casa. Sem alternativas, Diana responde:

– Sendo assim, muito bem. Onde podemos nos encontrar?

Não podia negar que estava bastante curiosa sobre todo aquele mistério, só esperava que esse “assunto delicado” não fossem novos problemas. Já tinha coisas demais por descobrir, não precisava de mais uma coisa para ter com que se preocupar.

Conteúdo patrocinado


Re: Santa Mônica

Mensagem por Conteúdo patrocinado

  • Responder ao tópico

Data/hora atual: Seg Ago 21, 2017 10:37 pm