Um fórum de RPG online no formato de PBF (Play by Forum).


  • Responder ao tópico

[Livro II] Terra

Compartilhe
Luxi
Moderador
avatar
Moderador

Mensagens : 956
Data de inscrição : 02/03/2016

Re: [Livro II] Terra

Mensagem por Luxi em Qui Set 15, 2016 8:11 pm

Hiruko agradeceu formalmente a Suwo por acompanhá-los até ali, mas foi breve, já que Sogetsu tinha feito as honras antes.  Em seguida, desejou um retorno com segurança plena a ele e seguiu os demais.

Ficou um tanto feliz de ver aquele local com cavalos. Sentia falta de cavalgar sem motivo, apenas por hobby ou mesmo para treino, mas agora proibia-se de pensar a fundo em trivialidades.

Ao entrarem no local, posicionou em uma almofada ao lado do outro samurai.

- Eu me chamo Shiba Hiruko. Sinto pelas circunstâncias de nosso encontro, Toda Yuma-san - complementou assim que Sogestsu mencionou seu clã. De fato, não gostava muito de conversar "em serviço". Era calma o suficiente para não achar que estavam perdendo tempo e sabia da importância das formalidades, mas mesmo assim o sumiço da jovem tinha se tornado quase uma missão pessoal, principalmente depois de serem atacados por aquelas criaturas.
shamps
Mestre Jedi
avatar
Mestre Jedi

Mensagens : 1037
Data de inscrição : 04/04/2016

Re: [Livro II] Terra

Mensagem por shamps em Sab Set 17, 2016 2:49 pm

Chegando à casa dos Toda, a samurai Mei agradeceu a ajuda de Suwo e entrou na residencia. Não se espantou com o excesso de segurança, pois era bem plausível nas atuais circunstancias. A casa era magnífica também.

O jovem Sogetsu já fazia as honras e Mei apenas as seguiu.

- O prazer é todo meu, senhora - curvou-se - espero honrar seus préstimos trazendo seus entes queridos de volta.

Ela olha para Sogetsu para que ele comece com as perguntas, ele parecia gostar bastante de se comunicar.
fred~
Samurai Urbano
avatar
Samurai Urbano

Mensagens : 127
Data de inscrição : 24/10/2015

Re: [Livro II] Terra

Mensagem por fred~ em Qua Set 21, 2016 3:55 pm

A senhora dá prosseguimento, parecendo abalada:

- Atacados? Oh, por todos os kamis me contem o que aconteceu.

Os detalhes, assim como a conversa com Suwo, foram contados por Doji Mei, que fora incumbida de liderar aquele grupo. Todos samurais estavam acostumados a reportar acontecimentos importantes como aquele e era o esperado a se fazer.

- Fico aliviada que nada pior aconteceu, mas também muito preocupada com essas criaturas. Que as Fortunas tragam o responsável por isso... Bom, sintam-se livres para permanecer aqui o tempo que precisarem caso a investigação necessite. Quartos poderão ser arranjados e suas coisas trazidas do castelo. Penso na segurança dado esse ataque...

Ela bebe um pouco de chá que foi trazido e servido a todos por uma criada.

- Mas, bem, minha sobrinha, Minako-chan, desapareceu a seis dias, como sabem... Após o banho noturno e ir para o seu quarto, o momento exato não souberam precisar. Ela era uma garota muito reservada, mas também muito alegre. Gostava de andar a cavalo e de praticar pintura. Estava muito animada com o festival...  Mantivemos as coisas exatamente como estavam no dia do desaparecimento como foi recomentado por magistrados que estiveram aqui. Vocês podem ir em qualquer lugar da casa e se precisarem de algo falem com um dos guardas ou criados. Me encontro também disponível para ajudá-los, já não sei mais o que fazer.
shamps
Mestre Jedi
avatar
Mestre Jedi

Mensagens : 1037
Data de inscrição : 04/04/2016

Re: [Livro II] Terra

Mensagem por shamps em Qui Set 22, 2016 12:07 am

Como de costume, Mei repassou tudo com detalhes para a senhora da casa e gentilmente pediu para ver a casa.

- Se nos permite, senhora, gostaríamos de dar uma olhada no quarto da jovem.


A samurai da Garça consegue compreender a dor da mulher, mas mantém-se firme para realizar o seu trabalho.
Educadamente ela recusa o chá e olha para seus companheiros:

- Há algum outro lugar que queiram verificar, senhores?
spectro
Garou de Posto Cinco
avatar
Garou de Posto Cinco

Mensagens : 2188
Data de inscrição : 13/05/2014

Re: [Livro II] Terra

Mensagem por spectro em Sex Set 23, 2016 2:20 pm

Sogetsu pensou... Passeio a cavalo, hum... Ele então respondeu:

- Estamos no caminho certo aqui, vamos olhar o quarto da menina pois acredito que ali deve haver alguma pista mais importante, talvez depois ou então logo explorar a casa com a permissão de nossa anfitriã, vamos refazer os passos da Lady desaparecida, como ir ao local de banho e ver o estábulos de seu cavalo, talvez até mesmo suas pinturas, e os locais onde mais ela gostava de frequentar...

Levantou-se para poderem começar as investigações:

- Com sua Licença Senhora! Poderemos se quiserem nos separarmos, se quiserem, mas acho que refazer os passos da jovem seria um bom plano, vamos visitar o que for possível dentro e fora de sua residência, mostre-me por favor suas pinturas e o local onde ela gostava de pintar...

Esperou as meninas se manifestarem, e também a anfitriã para ver se ela esquecera de alguma coisa, Sogetsu viu que teria que usar muito de suas faculdades perceptivas para desvendar este caso grotesco, era realmente um mistério, será que a garota ainda estava no casarão, parecia improvável isso, eles não haviam recebido pedido de resgate, pelo menos não se sabia disso, um caso no meio do festival, seria um caso difícil de resolver, entender a mente criminosa era complicado.
fred~
Samurai Urbano
avatar
Samurai Urbano

Mensagens : 127
Data de inscrição : 24/10/2015

Re: [Livro II] Terra

Mensagem por fred~ em Seg Set 26, 2016 4:09 pm

Enquanto conversavam e decidiam os detalhes dos rumos da investigação, de uma porta shoji aberta que dava para os jardins era possível ver uma figura surgir entre umas árvores, e seguir lentamente até quase entrar no cômodo.


- Yukio, fora! Não há comida aqui agora.. xô!

O imenso tigre olhou um pouco para os visitantes e para a sua dona com aqueles olhos amarelos misteriosos, então recuou no mesmo andar elegante e lento para onde veio.

- Oh, gomennasai neh? Ikue irá levá-los, prontamente.

De uma outra porta surge uma criada que desce a cabeça até o chão para cumprimentar os visitantes e então se ergue de volta para guiá-los. A senhora Yuma seguiria logo em seguida os acompanhando, afinal era natural que ela quisesse saber tudo que acontecesse na sua casa.

O Tigre sem dúvida tinha sido uma visão impressionante. Todos sabiam que alguns Matsu criavam esses animais assim como leões e os chamavam gatos de guerra. Eram conhecidos como Matsus Mestres das Feras e com certeza eram um importante trunfo no exército do Leão. O que mais assustava era como aqueles animais, que de outra forma comeriam vivos viajantes incautos, se comportavam muito bem e eram grandes companheiros da família.
shamps
Mestre Jedi
avatar
Mestre Jedi

Mensagens : 1037
Data de inscrição : 04/04/2016

Re: [Livro II] Terra

Mensagem por shamps em Seg Set 26, 2016 8:57 pm

Enquanto seguiam pelo jardim, Mei manteve sua fleuma quando o gigante animal passou por eles. Realmente a fama dos Matsu procedia.

- Não vejo problema em nos separarmos, mas é mesmo necessário, Sogetsu?
spectro
Garou de Posto Cinco
avatar
Garou de Posto Cinco

Mensagens : 2188
Data de inscrição : 13/05/2014

Re: [Livro II] Terra

Mensagem por spectro em Ter Set 27, 2016 3:07 pm

Ao ver o animal, Sogetsu se assusta e quase saca sua arma, sua mão direita chegou a tentar pegar sua espada em vão, pois a mesma já havia sido recolhida em outro cômodo, a visão do animal fez com que ele tivesse uma lembrança:

"Estava frio, Sogetsu estava andando numa aresta de montanha estreita, eu vinha de um lado e o tigre de outro, nós vínhamos um ao encontro do outro mas sem percebermos e então no cume da montanha nos encontramos, uns 30 passos separavam nossas cabeças.
Mas em vez de encarar o tigre, eu engoli em seco e afastei meu olhar, para que o animal não encarasse como um desafio, o animal não fez menção de atacar, então me afastei lentamente, e virei de costas, aqueles minutos pareciam horas, e então fui embora, achei mesmo que o animal não seria traiçoeiro de me atacar pelas costas, afinal confiou no animal, se fosse um humano inimigo não daria tanto crédito assim a ele."


De qualquer forma Sogetsu achava os animais bonitos e via que era uma pena eles serem usados para a guerra, caso necessário, mas se fossem bem tratados...

Voltou ao mundo real com a pergunta de Mei...

- Não de forma nenhuma, não acho necessário a menos que deseje...
Luxi
Moderador
avatar
Moderador

Mensagens : 956
Data de inscrição : 02/03/2016

Re: [Livro II] Terra

Mensagem por Luxi em Ter Set 27, 2016 6:51 pm

Hiruko também queria investigar o quarto da garota. Parecia o lugar mais óbvio onde poderiam encontrar pistas. Talvez algo em seu banho também pudesse ter deixado algum rastro, mas no momento o quarto era o principal.

De repente, surgiu um tigre entre eles. Até mesmo ela arregalou os olhos por um momento. Sentiu-se muito intimidada, pois estava desarmada conforme o protocolo. Naqueles momentos que ficava sme sua naginata, sentia-se um tanto indefesa, embora ainda soubesse técnicas para se proteger.

Era um misto de espanto e admiração pela imponência do bichano. Irônico saber que mesmo com a presença imponente de um animal como aquele, uma tragédia como o desaparecimento da jovem Minako tinha acontecido ali.

- Vamos juntos. Se nos separarmos, podemos até fazer o serviço mais rapidamente, mas três olhares atentos podem captar detalhes diferentes da mesma cena. - completou categórica.

fred~
Samurai Urbano
avatar
Samurai Urbano

Mensagens : 127
Data de inscrição : 24/10/2015

Re: [Livro II] Terra

Mensagem por fred~ em Ter Out 04, 2016 4:17 pm

O olhar do tigre de fato tinha se demorado uns instantes a mais em Sogetsu, não fora nada intimidador, é claro, e o samurai pareceu entender que aquele animal reconhecia o seu respeito pelos da sua raça.

- Oh, não precisam se preocupar com o Yukio, é só ficarem perto de alguém da casa...

Doji Mei (que era mais versada no comportamento da corte) notou que Matsu Yuma falava constantemente olhando e se dirigindo a Hiruko, quase ignorando os outros. O que fez ela achar que, como a Garça e o Leão eram conhecidos como rivais históricos e a Fênix participava muito pouco de guerras, fosse só uma antipatia até que esperada... Porém não teve muito tempo para pensar nisso, já estavam no quarto da jovem.

Era um quarto clássico com três acessos: a porta principal pela qual entraram, uma porta que dava para o pátio e uma pequena porta para o cômodo de Ikue. O mobiliário é despojado, como de costume em uma casa tradicional do Clã Leão, mas feito de materiais nobres e preciosos: mogno para os móveis no fundo da sala e piso feito com madeira feita de cerejeira. Um gabinete ocupa a maior parte da parede direita do quarto com papéis e pincéis, já na parte direita alguns armários, enquanto no centro havia uma lareira...

off: escolham um local que vão vasculhar especificamente, alternativamente vcs também podem escolher fazer perguntas aos npcs (sejam criativos ^^). Independente da escolha, façam um teste de Investigação.
Luxi
Moderador
avatar
Moderador

Mensagens : 956
Data de inscrição : 02/03/2016

Re: [Livro II] Terra

Mensagem por Luxi em Qui Out 06, 2016 9:21 pm

Talvez houvesse alguma pista que havia sido ignorada pelos demais? Sem conversar com os outros, ela caminhou pelo quarto, olhando por aqueles belos móveis. Era uma família ideal para pedir um resgate e ainda assim isso não havia acontecido.

Em seguida, Hiruko abriu a porta de acesso ao pátio. Poderia ter sido uma das rotas de fuga? Abaixou-se e olhou o chão, em busca de qualquer coisa anormal. Olhou as paredes e o teto. Depois o telhado, lembrando-se daquelas coisas que os atacaram.

Fora esse acesso, havia a entrada principal e o cômodo de Ikue.. Será que por acaso teria algo a ver com isso? Era um tanto improvável, pensou ao olhar para trás.

Os dois mais falantes certamente fariam perguntas interessantes. Preferia observar antes e perguntar depois.

fred~
Samurai Urbano
avatar
Samurai Urbano

Mensagens : 127
Data de inscrição : 24/10/2015

Re: [Livro II] Terra

Mensagem por fred~ em Seg Out 17, 2016 4:22 pm

Sogetsu inspecionava as pinturas, mas parecia não haver nada demais: a paisagem montanhosa da região, campos de arroz, a cidade de Kenson Gakka, nobres (possivelmente seus parentes) em salões da casa, Yukio... Achou até que ela tinha a habilidade para estudar em uma das escolas de artistas da Garça, mas provavelmente teria um tutor bardo do Leão.

Enquanto isso Hiruko checava as portas, coisa que o outro já tinha feito mas ela sempre fora muito minuciosa. Não havia nenhum sinal de arrombamento, luta ou marcas que chamassem a atenção. Quando estava para entrar no quarto de Ikue, a criada se adiantou quase tropeçando, mas não era para impedi-la ou algo do tipo.

- Sam--samurai-sama, esta humilde serva não pode deixar de informar o que também foi dito aos outros que aqui já investigaram: infelizmente não ouvi ou escutei nada, nem notei algo de anormal... A não ser pela manhã: a falta de quatro yukatas (peças de roupa), três kimonos, uma bolsa onde ela guardava alguns kokus, dois broches, um pente de marfim e alguns óleos aromáticos. Se desejar, posso mostrar onde essas coisas ficavam nos armários...

Os samurais podiam ver como Ikue estava mesmo perturbada com tudo. Por tudo que havia sido descrito, Minako parecia uma boa pessoa e como tinha provavelmente a mesma idade da criada, era de se supor que fossem bem amigas.

Enquanto isso, Doji Mei fitava o local da lareira no meio do quarto onde só havia cinzas. Isso a lembrava de como o seu marido sentia frio na doença, a ponto de ser removido para um quarto como aquele, mesmo sendo menor... Ele dizia que nunca sentira algo assim nem quando viajara para as terras montanhosas do Clã Dragão. Seu pequeno filho provavelmente teria sofrido bem mais no frágil corpo... Teve vontade de sair do quarto, mas não pensou em nenhuma desculpa e estava ali para cumprir um dever, afinal de contas.

- Há uma coisa que lembrei agora, Sogetsu-san - Toda Yuma se aproximou do samurai vendo as pinturas, exatamente na hora que averiguava uma última bastante pertubadora: ainda estava inacabada, mas podia-se ver uma espécie de aranha imensa de sombras, com uma cabeça humana mas com longos cabelos compridos cobrindo o rosto, descendo a parede de um quarto como aquele e indo em direção a uma menina dormindo - Oh, era exatamente sobre isso que iria falar. A pequena Minako vinha se queixando de pesadelos e pintou essa gravura para ilustrá-los. Ultimamente ela parecia um pouco perturbada e desatenta, por isso aconselhei que descansasse e focasse nos estudos que iria se esquecer disso...

Quem parecia viver um pesadelo acordado ali e bastante real era Hiruko. Quando ela olhou para Doji Mei e fixou os olhos na fogueira apagada, vozes cortantes irromperam na sua cabeça. Velhas conhecidas do seu tempo na Muralha.

- Vê? Hiruko-chan... Eles já estão contra você, como todos os outros... Notou como ela trata o outro passarinho? Mostre que não é tola e resolva esse caso sozinha... Eles só querem passar a perna em você, se acham melhores nos seus salões e tomando chá, enquanto você é deixada para trás... Eles irão colocar tudo a perder e só você pode resolver esse caso, você sabe disso...

off: Luxi pode escolher ganhar uma desvantagem Maldição agora (Vozes das Terras das sombras), mas em troca ganharia uma graduação na perícia meditação o/ A desvantagem perturbaria quando eu achasse legal muhauhasu mas só causa -1k1 em um teste por dia se desobedecer a voz.
Luxi
Moderador
avatar
Moderador

Mensagens : 956
Data de inscrição : 02/03/2016

Re: [Livro II] Terra

Mensagem por Luxi em Ter Out 18, 2016 9:26 pm

OFF: =D adoro maldição. Gostei.

ON:

Hiruko realmente preferia checar todo ambiente já investigado, pois embora não desconfiassse dos demais, confiava era mais em si mesma. A informação de que faltavam roupas e uma pequena quantidade em dinheiro a faziam questionar se a menina poderia ter fugido por si mesma. Isso explicaria por que não havia sinais de batalha.

- Por favor, mostre-me onde estavam esses itens - pediu a criada. Essa pista indicava que houve uma preocupação com itens de beleza, o que garantiria uma semana de roupas limpas, por exemplo.

Em seguida, houve a informação de que a desaparecida andava tendo pensamentos estranhos, um comportamento esquisito explícito em pinturas, o que muito claramente poderia indicar uma fuga voluntária ou... suavemente induzida!?

Será que os demais tinham pensado na mesma coisa? Olhou na direção da menina da Garça, para descobrir o que ela estava investigando, mas quando o fez, o corpo sofreu uma horrível sensação conhecida. Ficou imóvel olhando fixamente para onde deveriam haver chamas.

A velha voz da tentação...

Aquela que a fez buscar os caminhos da paz interior.

Abaixou o rosto, virando o corpo de costas para os demais e envolvendo-se com o próprio quimono. Respirou fundo, tentando aplicar a mais básica das técnicas de meditação, mas aquela sensação a deixava muito inquieta, era tão difícil ouvir a própria cabeça.

- O armário. Eu quero ver - disse, menos gentil do que anteriormente, seguindo a criada.
spectro
Garou de Posto Cinco
avatar
Garou de Posto Cinco

Mensagens : 2188
Data de inscrição : 13/05/2014

Re: [Livro II] Terra

Mensagem por spectro em Sex Out 21, 2016 9:14 am

Aranhas era caçadoras natas, uma espécie muito diversificada e sombria, algumas no entanto dóceis, mas Sogetsu duvidou que a da pintura fosse assim, o fato de ela ter uma cabeça humana foi interpretado pelo jovem que era um monstro tremendamente perigoso, o ser humano possuía artimanhas, assassínios, ponderações malignas, e isso o perturbou, na verdade colocar uma cabeça pensante maligna em um corpo com a voracidade de uma aranha era uma terrível visão que assombrou o membro dos Kazama.

Interpretar um sonho era algo difícil, ele não sabia se acreditava nessas coisas, porém uma coisa era certa um ser das sombras daquela magnitude poderia ser um sinal.

- Depois disso ela citou mais algo a respeito do aracnídeo sombrio ? - Perguntou, ao fazer a pergunta olhou para as paredes e o teto, depois pensou na pintura, quis agora olhar o leito da menina, a aranha descia pelo sonho, o leito era onde os sonhos ocorriam.

- Toda Yuma-san! Ela tinha pesadelos diferentes ou apenas com este Youkai? É supersticiosa? Esta pintura tem alguma relação com alguma lenda local? Sabe-se que fantasmas podem adquirir formas bastante exóticas, eu me lembro de uma história que os membros de minha família contavam, era sobre um Youkai chamado de Mahoraga, o povo Mahoraga eram Youkais serpente que possuíam uma longa cauda no lugar de suas pernas, eles tinham cabelos de serpente e uma aparência mortal, quem se aproximasse deles teriam pesadelos com serpentes por muitos dias, segundo se contava, um dos meus parentes foi picado por uma serpente, ele disse que não se lembrava de nada depois de ser curado mas...

Sonhou constantemente com serpentes enquanto delirava com o veneno do animal, alguns de meu Clã disseram que ele fora picado não por uma serpente, mas sim olhou para um Mahoraga!!! Os múltiplos braços do Youkai teriam capturado sua vítima e assim infectado o pobre homem com seu veneno letal, por fim o felizardo venceu a morte driblando-a...


A feição de Sogetsu estava séria, mas não era um conto para que a sua companhia se assustasse, era apenas uma história para que ela pudesse se lembrar de algo, uma troca de culturas.

Depois que Toda Yuma respondesse suas questões faria uma reverência e iria para o quarto e examinaria o leito da moça.

shamps
Mestre Jedi
avatar
Mestre Jedi

Mensagens : 1037
Data de inscrição : 04/04/2016

Re: [Livro II] Terra

Mensagem por shamps em Seg Out 24, 2016 1:11 am

A investigação, para os padrões de Mei, não estava sendo produtiva e para ela isso era inadmissível. Seguiu para a lareira e revirou as cinzas ao mesmo tempo em que tentava afastar as más lembranças da enfermidade que afligia seu marido e qua levara seu filho. Suspirou e por fim levantou, ouvindo as colocações dos outros dois e somando ao que a criada dizia.

- É possível que essa criatura aranha tenha seduzido a moça. Youkais são capazes disso, mas o fato intrigante é o porque de fazer isso. Ela teve contato com pessoas estranhas?
fred~
Samurai Urbano
avatar
Samurai Urbano

Mensagens : 127
Data de inscrição : 24/10/2015

Re: [Livro II] Terra

Mensagem por fred~ em Seg Out 31, 2016 11:27 am

- H-hai, Fênix-sama!!

Ikue mostra onde ficavam os itens, futons e outros pertences pessoais. Haviam também alguns pergaminhos (cartas) em uma caixa. Hikuro, mesmo em sua paciência, pôde notar como tudo estava bem arrumado e limpo, mas ela só conseguia mesmo se sentir aliviada porque aparentemente sua técnica havia funcionado, afastando as vozes.

Sogetsu não conhecia aquela criatura das sombras, mas definitivamente tudo parecia obra para um yokai (e o que para ele não parecia?).

- Não, nada mais, Kazama-san... Se bem que, esses pesadelos pareciam recorrentes. Malditas aranhas! Será que isso é obra do clã das Terras das Sombras?

Ela se referia ao Clã da Aranha, samurais corrompidos pela Mácula que viviam nas terras além da Muralha. Recentemente, porém, por ter defendido o Império de uma outra grande ameaça eles ganharam status de Clã Maior, contrariando todos os demais.

- Pensando mais sobre isso... O avô dela, meu tio, Toda Nichiren, contava história de aranhas e pesadelos. Mas ninguém as levava a sério. Superstições, como o senhor mesmo disse, neh? De todo, os shugenja Kitsu sempre nos protegeram de ameaças espirituais. Oh! Que não seja algo tão terrível!..

Mei revirava as cinzas enquanto procurava esquecer ou ao menos afastar um pouco os seus traumas. Encontrou pequenos pedaços rasgados de seda, já queimados (teste de Investigação para notar algo específico ou dar mais atenção).

- Não, Doji-san, não que eu tenha notícia. - Ela olha para Ikue, que confirma com um gesto.

Talvez fosse a hora de juntarem o que tinham descoberto e deliberarem sobre... Mas a casa era grande e havia mais a explorar.



off- gostei da história do Mahoraga, mas em Rokugan o povo serpente são os Naga mesmo. Talvez esse seja o nome de uma tribo deles Smile
spectro
Garou de Posto Cinco
avatar
Garou de Posto Cinco

Mensagens : 2188
Data de inscrição : 13/05/2014

Re: [Livro II] Terra

Mensagem por spectro em Seg Out 31, 2016 12:35 pm

O Kazama, olhou pela janela ponderando sobre os assuntos mencionados...

- O Povo aranha! Cada vez mais que o tempo passa tenho mais certeza de que foram os povos das sombras, um dos inimigos que nos atacaram ficou pregado na parede como um inseto, não notei nada que poderia ligá-los aos aranhas a não ser por este fato, hum, é mesmo imperativo que investiguemos mais, a garota tinha alguma espécie de diário? Algo que pode nos revelar alguma coisa?

Saiu da janela olhando em volta, aquelas cinzas remexidas pela sua anfitriã revelou algo, mas na hora Sogetsu não pensou em nada, ele foi até o quarto da menina e olhou um espelho na penteadeira da moça, a cada passo que as suas companheiras davam siavam uma trombeta em seus ouvidos, Sogetsu sentia que a cada soar da "trombeta" algo perigoso poderia acontecer, o engraçado era que mesmo com animais felinos de grande porte no local a garota fora levada, estava um pouco convicto que talvez a menina poderia ter sido hipnotizada de alguma forma ou enganada para deixar o local por si só.

Pegou um espelho de mão e se olhou, olhou seus próprios olhos, que refletiam a coloração dos olhos de sua mãe, novamente visualizou sua família, ele refletia sua mãe enquanto Kazuki refletia mais o pai.

Deixou o objeto no local para investigar mais, se tivesse de procurar o povo-aranha haveria de fazê-lo por aí...

-_--_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_---_-_-_-_-_-_-----_--_

Off Game: Vou rolar os testes mais tarde para não gerar o Flood...
Luxi
Moderador
avatar
Moderador

Mensagens : 956
Data de inscrição : 02/03/2016

Re: [Livro II] Terra

Mensagem por Luxi em Seg Out 31, 2016 6:48 pm

Hiruko agradecia internamente por ter encontrado equilíbrio. Uma vez tinha cedido à ganância e à voz de seu próprio egoismo e os resultados a envergonhavam até hoje. Não diria nada aos companheiros, mas sabia que esta não seria a última vez.

Os futons deviam ter sido trocados logo, o que era um pequeno erro, mas se a menina tinha saído por conta própria (ainda que atraída) então nada haveria em suas roupas de cama. Será que ela teria entrado em contato com alguém sobre sonhos recorrentes? Ou talvez recebesse ameaças codificadas? Ela aproximou-se da caixa e, com um pequeno olhar pedindo licença, passou a remexer os pergaminhos, passando os olhos em seu conteúdo antes de decidir partir para outro cômodo.

shamps
Mestre Jedi
avatar
Mestre Jedi

Mensagens : 1037
Data de inscrição : 04/04/2016

Re: [Livro II] Terra

Mensagem por shamps em Sab Nov 05, 2016 5:19 pm

- Aranhas sombrias não é um bom sinal.

Ela analisou os restos de seda e tentava associar aquilos às aranhas, mas não via conexão, mas talvez o clã da Aranha estivesse envolvido no caso.

- Não acharia estranho uma visita ao Clã da Aranha - olhou para seus companheiros - o que me dizem? Eles não deixariam pistas tão obvias, mas... - parou.
fred~
Samurai Urbano
avatar
Samurai Urbano

Mensagens : 127
Data de inscrição : 24/10/2015

Re: [Livro II] Terra

Mensagem por fred~ em Seg Nov 21, 2016 1:11 pm

Hiruko analisava os pergaminhos. Eram mais alguns pensamentos e desenho inocentes, treinamento de caligrafia e principalmente correspondência para amigas, parentes e uma pessoa com quem ela parecia falar muito: Akodo Shinji. Esse nome não era estranho...

A samurai da fênix não estava acostumada com o chamado Jogo das Cartas, comum nas cortes e demasiado complexo. No entanto, aquela escrita não estava codificada como seria comum e tudo parecia inocente como a amizade de dois jovens, ou talvez algo mais. Numa das cartas, o Akodo falava sobre como Minako ficara bela no kimono verde e branco que usara no gempukku... Hiruko não conseguiu achar esse kimono em lugar algum.

- Não, não me lembro de ter Aranhas aqui, mesmo com o festival, se bem que eles costumam viver como insetos que são nas sombras não é? Talvez nas terras ao sul... E ela não tinha um diário, apenas essas cartas...

Ela falava do clã da Aranha indicava os pergaminhos que Hiruko lia, pareciam consternadas pela intimidade da moça ser revelada assim, mas uma investigação era uma investigação.

Indo então para outro cômodo, Sogetsu deu de cara com Yukio. Mais uma vez se encararam por um breve momento amistosamente e o tigre voltou a sair da casa, provavelmente antes que levasse um esporro. O samurai ficou observando um pouco encantado com o bichano, um pouco com a cabeça nas nuvens, foi então que se lembrou... Aquela aranha, tinha que ser um Kumo! Criaturas das terras das sombras que se alimentava da alma das pessoas antes de matá-las. No entanto, não se lembrava da capacidade dessa criatura invadir/mexer com os sonhos, o que talvez indicasse que essa fosse diferente. Youkais costumam de fato terem as mais diferentes habilidades. Eram seres inteligentes e isso indicava que um plano podia estar por trás de tudo, o ataque daquelas sombras possivelmente confirmava isso.

Mei iria conversar mais sobre o Clã das Aranhas com Sogetsu quando se deteu... sangue. Era sangue naqueles pedaços de pano. Uma roupa íntima? De toda forma, era impuro para um samurai tocar em outro corpo e em sangue, a menos que fosse absolutamente necessário, por isso tomou cuidado para que os outros não soubessem, ainda. Ela começou a pensar o que fazer com essa nova informação: não havia porque queimar aquelas roupas se isso fosse algo normal.
Luxi
Moderador
avatar
Moderador

Mensagens : 956
Data de inscrição : 02/03/2016

Re: [Livro II] Terra

Mensagem por Luxi em Ter Nov 22, 2016 8:52 am

A samurai ficava satisfeita em ser meticulosa a ponto de olhar até mesmo peças que antes pareceriam pouco relevantes como cartas de uma "criança", mas afinal, talvez aquilo tivesse chegado a uma pista bem mais importante do que imaginava.

- Com licença, por acaso um dos quimonos que desapareceu era verde e branco?

A pergunta foi feita quase em cima da colega samurai, no momento exato de sua conclusão. Sogetsu tinha deixado o local para investigar em outro cômodo, quando ela resolveu perguntar a garota da Garça:

- Akodo Shinji, esse nome lhe diz algo também?

E se aquele nome fosse associado às Aranhas? Então tinham algo bem interessante em mãos.
spectro
Garou de Posto Cinco
avatar
Garou de Posto Cinco

Mensagens : 2188
Data de inscrição : 13/05/2014

Re: [Livro II] Terra

Mensagem por spectro em Qua Nov 23, 2016 9:42 am

Sogetsu foi até uma das janelas do casarão, colocou uma das mãos no queixo e o outro braço abaixo na altura do abdômen, ponderou então acerca dos Kumo!!! Era mal sinal, aranhas eram caçadoras por natureza, o Clã Youkai com certeza era tão voraz quanto o inseto, ficou bastante preocupado com isto, se Kumo estivesse envolvido seria possível que a garota já estivesse morta.

O fato de este Clã ter invadido a residência e aparecido nos sonhos da jovem era inusitado, o caso tomava caminhos longínquos o que dificultava, o samurai continuava a olhar para fora, através da janela, não sabia mais o que pensar, duas pessoas desaparecidas e um suposto Clã Youkai envolvido, o Clã Kumo.

O jovem Samurai ouviu os murmúrios das suas companheiras, estavam conversando algo, mas ele permaneceu ali parado, armando estratégias na mente, tentando colocar os pensamentos em organizada sintonia, estava diante de um problema que não conseguia resolver, era como se fosse um cego diante de inúmeros buracos na via pública, Sogetsu se sentiu inútil, ficou com muita raiva, mas se tivesse que procurar o Clã do mal pelas terras sombrias o faria, e acabaria de vez com aquilo, então falou baixinho:

- Kumo!!! Se tiver de ir as terras sombrias atrás de vocês, irão se arrepender de terem raptado a jovem, minha lâmina será o sol que iluminará o caminho, meus passos serão a bússola que indicara a sina, minha boca será a morte que beberá seu sangue e meus olhos a justiça que o mundo verá.

retirou seus braços da posição que se encontrava e lentamente abaixou-os, cerrou os punhos, ainda diante da janela, e naquela hora parecia não haver escolhas, teria de ir até as sombras...
shamps
Mestre Jedi
avatar
Mestre Jedi

Mensagens : 1037
Data de inscrição : 04/04/2016

Re: [Livro II] Terra

Mensagem por shamps em Dom Dez 04, 2016 9:57 pm

Concentrada nas cinzas, Mei quase toca nos pedaços de seda queimados, estavam sujos de sangue e não seria apropriado a samurai tocar em algo tão impuro. Ela pega um atiçador para trazer os pedaços para mais perto e chama pela criada:

- Ikue, aproxime-se por favor. Isso me parece roupas intimas - e estende os pedaços para ela - e estão sujas com sangue. Por que ela queimaria suas roupas? - fala se afastando da lareira.

Hiruko pergunta sobre um nome e Mei pensa por um tempo.

- Akodo Shinji?
fred~
Samurai Urbano
avatar
Samurai Urbano

Mensagens : 127
Data de inscrição : 24/10/2015

Re: [Livro II] Terra

Mensagem por fred~ em Seg Dez 12, 2016 5:05 pm

- Sim, Fênix-san, na verdade foi o que Akodo Shinji-san notou logo quando veio aqui investigar. Vocês o conheceram no castelo, presumo? O garoto realmente está muito preocupado... - Ela para e observa o que Mei estava fazendo, ficando surpresa assim que ela faz a pergunta para Ikue.

- Não- Não sei senhora Garça-sama.

A garota parecia realmente assustada

- Por todas as Fortunas! Minha pequena está ferida?!

Lá fora, Sogetsu se surpreende mais uma vez com Yukio, pulando em sua frente surgindo do nada. Mas o mais impressionante mesmo foi quando o tigre abriu a boca para falar:

- Sim, um belo discurso realmente, amigo Garça-san. Espero que você seja capaz de fazer jus a ele... Não se assuste, não sou Yukio, sou apenas um espírito da terra possuindo esse corpo com a permissão do mesmo. Sou um kami que protege essa família há anos e mesmo assim os Shugenja que aqui estiveram pela garota não me ouviram como deveriam, se perdem em suspeitas tolas... A resposta é uma só e é o caminho que você está seguindo, apesar de ter muito mais por trás disso tudo. Não posso ficar aqui por muito mais tempo... O velho pode dar melhores explicações. Que as Fortunas te guiem!...

Como se não tivesse havido coisas estranhas suficientes por hoje, Sogetsu ainda tinha que assimilar todas essas novas informações.
Luxi
Moderador
avatar
Moderador

Mensagens : 956
Data de inscrição : 02/03/2016

Re: [Livro II] Terra

Mensagem por Luxi em Seg Dez 12, 2016 7:55 pm

off: nossa eu esqueço as coisas ((:
on:

Hiruko concordou com a cabeça, massageando a testa. Realmente. Não faria o menor sentido então que o mistéro estivesse relacionado a ele então, não é !?
Antes que concluísse qualquer coisa a mais, também ficou alarmada pelo aviso da menina da garça. Ela aproximou-se do local que a outra investigava.

- Minha nossa, isso realmente...

A samurai não podia tocar no sangue, mas podia olhar vestígios. Apenas roupas íntimas ou estariam ali vestígios de um possível quimono verde e branco?
Conteúdo patrocinado


Re: [Livro II] Terra

Mensagem por Conteúdo patrocinado

  • Responder ao tópico

Data/hora atual: Seg Jun 26, 2017 2:08 pm