Um fórum de RPG online no formato de PBF (Play by Forum).


Fichas dos Pj - Os Heróis das Estrelas

Compartilhe
Gakky
Mestre Jedi
avatar
Mestre Jedi

Mensagens : 1247
Data de inscrição : 08/07/2015

Fichas dos Pj - Os Heróis das Estrelas

Mensagem por Gakky em Seg Out 24, 2016 1:14 pm


Fichas dos Heróis

"A forma correta de vida do ser humano, é deixar se levar pelas emoções." (Mobile Suit Gundam Wing)


Última edição por Gakky em Sex Dez 16, 2016 11:48 am, editado 2 vez(es)
Gakky
Mestre Jedi
avatar
Mestre Jedi

Mensagens : 1247
Data de inscrição : 08/07/2015

Ficha Chui

Mensagem por Gakky em Qua Out 26, 2016 10:01 pm


Chui

Idade: 14
Altura: 1,68 m
Peso: 56 kg  
Raça: Humano
Planeta natal: Locus

 Atributos:

Força: 1
Agilidade: 4
Inteligência: 3
Vigor: 3
Vontade: 2

PV: 15/15

Ataque: 1d10 +7/1d4
Defesa: 10
Iniciativa: 4

 Classe - Caçador

Sobrevivência +2;
- Busca e Apreensão: +1 bônus ao lutar contra seu objetivo de capturar a presa viva. (Pode ser usado com gudam)
Detectar Armadilhas +2;
- Olho clínico: Gasta gastar um turno para analisar um oponente que consiga ver e descobrir algumas de suas características, vantagens e desvantagens. Funciona com qualquer criatura e robô. (Pode ser usado com gudam)

 Vantagens e Desvantagens:

Aliada (Ashanti) (1 ponto);

 Perícias:

Perícia Percepção.

 Características Pessoais

Um garoto geralmente extrovertido e otimista, que busca sempre ver o lado bom das coisas. Dificilmente se sente abalado por alguma dificuldade, pois as encare como trampolim para conquistar seus objetivos. Costuma andar com um sorriso no rosto e alguns biscoitos no bolso. Gosta de ajudar quem precisa.

- Objetivo:
Pretende conseguir algum tesouro e/ou dinheiro suficiente para ajudar sua irmã e construir uma casa/orfanato para crianças carentes do planeta onde mora. Chui e sua irmã são órfãos e, apesar de não ficar triste com isso e nem culpar seus pais, ele não gosta da ideia de ver outras crianças passando pela mesma dificuldade. Então, quando puder viver bem com relativo conforto, vai abandonar as vida como caçador, a menos que alguém necessitado apareça.

- Medos:
Chui tem medo principalmente de água. Ele não sabe nadar, e desde a única vez em que tentou aprender e quase se afogou, desistiu de tentar. Afirma que “existe tecnologia suficiente para não precisar aprender”.

- Preferências:
Ao contrário da maioria das pessoas, Chui adora – adora mesmo – comidas exóticas. Lagartos refogados, casca de Porco das Montanhas, ensopado de olho de peixes... ele gosta de tudo isso, o que causa nojo em sua irmã. Ele tem um apetite voraz e gosta de experimentar coisas novas, e gosta de comê-las mesmo que não a aprecie em um primeiro momento. Geralmente se ganha a amizade dele pela barriga! Chui também gosta de uma boa conversa e uma boa música, pois costuma viajar bastante sozinho por esta galáxia, então toda companhia é bem vinda! E a música sempre o ajuda a afastar a solidão das viagens e a saudade da irmã.

- Personalidade:
Um rapaz carismático e bondoso. Está sempre sorrindo e encara tudo com bons olhares. Dificilmente procura uma briga e tenta sempre amenizar as coisas. É leal aos amigos e daria a vida por eles e principalmente à sua irmã, a quem ama como sendo sua única família (o que de fato é). Quando enfrenta dilemas e dúvidas, ou nos raros momentos em que deixa a tristeza prevalecer, Chui fica calado, causando estranhamento a quem o conhece. Não se irrita ou desconta a raiva nos outros, a menos que causem problemas às pessoas importantes a ele.

 Equipamento:
- Rifle de Assalto plasmático modelo X67-S com lanterna acoplada;
- Binóculo com visão noturna;
- Biscoitos (muitos);
- Colar com pingente de foto holográfica de Ashanti.

História:


Chui nasceu e cresceu no planeta Lócus, sempre em contato com a natureza, junto de sua irmã, Ashanti. Ambos são gêmeos, mas nunca conheceram seus pais, mas descobriram que foram “abandonados” por eles quando ainda bebês na porta de um orfanato, pois eles não tinham como cuidá-los. Outra versão da mesma história dizia que eles foram vendidos como escravos e resgatados pelo orfanato num trabalho que sempre fazem, para salvar crianças da escravidão. Chui sempre preferiu acreditar na primeira versão, afinal, ele sempre olha a vida pelo lado bom. Ashanti fica em dúvida de qual acreditar, mas, ambos sabem, que fosse qual fosse, não havia ressentimento da parte deles: passado é passado, e viva-se o presente. Os gêmeos cresceram e fugiram do orfanato quando ainda crianças. Chui nunca gostou da ideia de ficar preso em um lugar, e mesmo aos 7 anos de idade já demonstrava ser o espírito livre que é hoje. O garoto conseguiu arrastar Ashanti com eles, mesmo ela sendo mais resistente à mudanças e a quebrar regras.

Os dois cresceram em meio à natureza e junto de outras famílias no ambiente mais selvagem, em vilas afastadas da grande civilização, e foi lá que receberam esses nomes pelos quais são conhecidos hoje. Sempre se mostraram prestativos, em esferas diferentes: enquanto Chui fazia o papel de explorador, movido por sua curiosidade e vontade de ver o mundo, trazendo frutas e aprendendo a s virar sozinho, Ashanti foi ensinada na arte do curandeirismo, que diferenciava-se bastante da medicina moderna, por apenas usar ervas e frutos que o mundo oferecia. Assim foi a infância deles e assim eles se tornaram adolescentes. Com a idade, foram tomando papéis mais importantes dentro das vilas que viviam, mas apenas Ashanti continua morando e ajudando o povo da vila. Ela se tornou a principal curandeira/medica do local, enquanto Chui ganhou o mundo. O menino, movido novamente pela sua inquietação, e abusando do conhecimento que ganhara com os caçadores e forasteiros que sempre apareciam na região, se tornou ele próprio um caçador. Mas a motivação inicial foi e sempre será ajudar sua irmã, que agora fazia o mesmo trabalho de salvar as crianças da escravidão que sempre ouviram falar, mas desta vez feito através das vilas, já que o orfanato havia fechado. Chui queria conseguir dinheiro e recursos suficiente para dar um pouco de conforto à sua irmã, e pode ajuda-la a fazer seu trabalho nobre. Assim, ele se tornou o caçador que é hoje, adquirindo experiência com as viagens, problemas e inimigos que encontra pelo caminho.

Ashanti:


Ficha do Gudam:

Spoiler:

Kakuri

Atributos: For 2/Agi 3/Armadura 3/PV 160
Armadura: 8 = 40

Habilidades:
- Pistola laser – dano de 1d8+ agilidade
- Tiro Múltiplo- Com o Rifle Laser, pode atirar em dois oponentes ao mesmo tempo, porém leva um turno para carregar essa arma.
- Escudo Extra - +2 de armadura por dano contusão e explosão ao lutar na defensiva. Perde -1 no ataque.

Desvantagens:
- Ponto Fraco – Se descobrirem você tem -1 de penalidade em defesa. Kakuri tem ponto mais frágil nas costas.


Última edição por Gakky em Qui Mar 02, 2017 9:52 pm, editado 13 vez(es)
Gakky
Mestre Jedi
avatar
Mestre Jedi

Mensagens : 1247
Data de inscrição : 08/07/2015

Ficha Marin

Mensagem por Gakky em Qua Out 26, 2016 10:19 pm


Marin

Idade: Desconhecida
Altura: 1,78
Peso: 76
Raça: Humano Evo
Planeta natal: Desconhecido

Atributos

Força: 3
Agilidade: 2
Inteligência: 2
Vigor: 4
Vontade: 2

PV: 22/22 (18+4 Vigor)

Ataque: Corpo a corpo- 1d10+5 (3 Força+2 Trab.Evo)   /   Distância: 1d10+4 (2 Agilidade+2 Trab.Evo)
Defesa: 10 (5+2 Bônus Agilidade+3 Trab.Evo)
Iniciativa: 2
Dano: 1d8

Classe - Trabalhador Evo

- Armadura Extra:(Dano: Queimadura) Evos são naturalmente resistentes a um único tipo de dano, com +2 e sua defesa contra esse dano.
- Recuperação Espantosa: Evos se recuperam muito mais rápido. O tempo de recuperação de PVs é reduzido a metade.
- Superioridade Física: São robustos e resistentes. Recebe +2 bônus em testes de resistência que envolvam vigor. Mas não afeta cálculo de PV.
- Bônus Raça: +1 Força, +1 Agilidade (já inclusos nos atributos)
- Imunidade a Venenos: Nem é preciso testes.
- Má Fama: Evos são tratados como uma minoria indesejável, mesmo nas cidades que ajudaram a construir. Porém, podem recomprar esta desvantagem por 1 ponto.

Vantagens e Desvantagens

Vantagens: Aparência inofensiva(Free), Armadura Extra(1), Ataque múltiplo(2).
Desvantagens: Deslocado(-1), Implantes visíveis(-1), Inimigo (-2)

Perícias
Sobrevivência e Furtividade(usado 1 "ponto de desvantagem" para adquirir segunda perícia).

Características Pessoais

Objetivo:
Listados por prioridade, seus objetivos são: descobrir para que propósito foi criado e de quais pessoas veio a iniciativa, entender o porquê do ataque sofrido pelas instalações espaciais que o mantinham, reencontrar a jovem e o velho homem que tanto esforçaram-se para salva-lo e então, caso possível, vingar-se do individuo que decepou seu antebraço.

Medos:
Como aprendeu em seu primeiro dia de existência, é afetado por pequenas falhas "mecânicas" quando encontra-se em estado físico muito debilitado, como perda de memória aleatória e falha incomum nos sentidos. Sem saber muito sobre si mesmo e ciente do quão vulnerável se torna nesse estado, seu maior medo é que tais falhas tornem-se frequentes, como em uma máquina que enferruja ou um produto com prazo de validade.
Embora não ouse refletir a respeito, também teme jamais encontrar as respostas que procura.

Preferências:
-Para seu eterno desgosto e azar, Marin não gosta de máquinas. Sente agonia ao ver engrenagens, pedaços de metal em movimento organizado e incomoda-lhe até o som feito por mecanismos do tipo, principalmente os mais antigos em mal funcionamento. Suas próteses não são exceção. Prefere evitar o contato com quaisquer coisas semelhantes.
- Está sempre inclinado à ajudar pessoas em risco. Não por que é nobre, pois não se importa tanto se pessoas vivem ou morrem, mas sim pelo chamado, o prazer que sente ao mostrar-se útil e fazer alguma diferença para alguém. Há também uma busca ingênua por algum tipo de redenção, uma segunda chance de obter sucesso onde no passado fracassou com a jovem de cabelos castanhos.
- Adora canções de melodia suave, principalmente as com longos períodos de puro som instrumental.
- Não possui preferências culinárias.
- Como encontra-se em constante estado de aprendizagem, visto que ao menos acordado viveu muito pouco tempo, tem fascínio por cada nova descoberta feita e cada novo conhecimento adquirido, podendo ser até um pouco obsessivo por aprendizado se o tópico for de seu interesse.

Personalidade:
Reservado. É aparentemente controlado e usualmente calmo, de poucas palavras e olhar ingênuo e analítico. Tem tendência a ser o que muitos chamariam de "estranho" ou "sem noção" devido à inexperiência com convívio social, sendo bem comum causar irritação nas pessoas por não respeitar "limites de proximidade" ou por simplesmente encara-las por longos períodos, sem piscar ou alterar a expressão. Porém, além do que apontam as primeiras aparências, Marin possuí um temperamento que no geral poderia ser descrito como infantil: egoísta, teimoso, por vezes mal educado e quase sempre impulsivo.
Possuí uma vocação natural para defender outros indivíduos, mesmo que não por importar-se com eles, e com certeza é destemido. Seu descaso para com o próprio futuro e sua impulsividade tratam de torna-lo uma pessoa de poucos medos, talvez até inconsequente, como um automóvel sem freios em rota de autodestruição.
Apesar de seus vários defeitos de personalidade, é notável sua determinação em não ferir quem não o feriu, não atacar sem que antes haja provocação. É extremamente leal e apega-se fácil às pessoas; basta não muito mais do que um sorriso amigo para que simpatize com a pessoa, principalmente se esta for de personalidade pacifica. Muito disso deve-se ao sentimento de solidão e certo vazio existencial, talvez na esperança de que essas outras pessoas lhe ajudem a se conhecer melhor, "montar" sua identidade.
Sem dúvidas, estranhamente a pessoa que mais lhe importa é a garota de cabelos castanhos que conhecera em seu primeiro dia acordado. Não sabe seu nome, não conhece sua personalidade ou qual a ligação entre os dois, mas lembra-se de seu rosto e do som de sua voz.

Equipamentos:
-Rara prótese do antebraço direito(razões na História do personagem).
-Espada Ida(como a espada africana).

História:

Entre momentos de consciência e apagões, com a dor em um membro que já não estava mais lá e a constante sensação de estar perdendo sangue, o rapaz era carregado pelo velho homem que de algum modo conhecia. "Aguente firme, estamos quase lá" ele dizia entre pausas, demonstrando certa dificuldade para respirar pois com certeza estava ferido. Em meio à toda aquela confusão não poderia ser diferente e ,apesar de conhecer o velho, o rapaz não sentia nada ao vê-lo assim, usando suas últimas forças para salva-lo...ou ao menos o que restara para salvar.

Despertou assustado após mais um apagão, sentindo uma pontada forte no membro decepado. Sua visão embaçada mirou os rostos daqueles que implantavam o material frio e metálico em seu corpo, para depois vasculhar a sala com os olhos em busca do velho que o trouxera até ali, mas não o encontrou. Notou que estava dentro de uma capsula desativada, mas também que muitos outros indivíduos esforçavam-se para deixa-la pronta para uso imediato.

Sentiu raiva, irritação por não saber o que estava havendo ou quem eram aquelas pessoas. Seu corpo estava fraco pela quantidade de sangue que perdera, porém, de um jeito ou de outro, tinha fé de que ainda era capaz de agarrar um deles pelo pescoço e obriga-lo a contar tudo aquilo que precisava saber. Foi quando voltou a ouvir uma voz familiar, que mesmo fraca como estava lhe chamava mais a atenção do que qualquer outra coisa ali, e ela era clara em sua instrução: "Fique calmo. Tudo já vai acabar".

A jovem estava ao lado do velho homem que o carregara antes e ambos aproximaram-se do rapaz com pressa. Também não a conhecia, não pelo nome, mas assim como com o velho sua presença lhe trazia paz. O rapaz sentiu-se como uma criança perdida que, após o desespero inicial, finalmente encontra o alivio ao perceber que não estava mais sozinho. E ele os analisou como se fosse a última vez que os veria, mesmo que não soubesse que poderia ter razão para isso.

Respiração alterada, lábios secos, cansaço físico, palpitações e agitação. Ambos estavam ansiosos no sentido mais literal possível da palavra, aquele estado biológico que antecede a vinda do perigo real. O rapaz permitiu-se partilhar daquele sentimento, muito por conta da confusão emocional que já se instalara nele, e sentiu um forte impulso desesperado que tentava levanta-lo daquela capsula, mas não conseguiu. Olhou para o outro lado e viu a peça metálica movendo-se no lugar de seu antebraço, enquanto pouco a pouco algo que lhe haviam injetado fazia efeito.

Estava adormecendo e não poderia fazer nada a respeito. Observou enquanto o velho retirava-se desesperado e a jovem de cabelos castanhos colocava algo junto dele na capsula; uma espada. Não qualquer espada e também não especial pela forma "incomum" que tinha sua lâmina, mas sim uma arma que lhe ativava aquela que talvez fosse a única lembrança que possuía...e ela era clara em sua memória.

Lembrava-se muito bem de como, somente algumas horas atrás, havia deixado pela primeira vez o ambiente em que fora criado. Estavam sob poderoso ataque inimigo, pessoas corriam de um lado para o outro pelos corredores da nave. Barulhos de explosões, gritos e a irritante instabilidade do objeto voador que os abrigava, um cenário de guerra ou, melhor ainda, de massacre, pois um dos lados não esperava pelo confronto. Independente disso, o rapaz havia optado por seguir o som da voz, a voz da jovem, que pedia por socorro em algum lugar seguindo pelo corredor à esquerda de onde estava.

Nada, absolutamente nada correu bem a partir do momento que pusera os pés no local onde ela se encontrava em apuros. Havia um homem, pele e rosto quase que completamente cobertos por vestes e acessórios de metal, e ele implacavelmente tratava de abrir caminho até a jovem matando qualquer um que entrasse no caminho. Quando o "homem de metal" notou o rapaz ali, seu sorriso debochante e o sacar de uma estranha espada marcaram o inicio de um duelo unilateral, com breves momentos de reação efetiva do rapaz, mas um massacre no geral.

O resto fora confuso, imagens picotadas de um acontecimento que deveria ser abandonado no esquecimento. Informação inconscientemente reprimida. Os breves apagões enquanto era carregado pelo velho formavam a lembrança seguinte e levavam até o momento em que a jovem colocou a espada, a mesma arma que fora responsável por mutilar-lhe o antebraço, ao lado do rapaz na capsula de criogenia.

Naqueles últimos momentos, o som parou. O vidro às costas da jovem começou a rachar, os tremores de explosões faziam-se sentir pela proximidade e a jovem olhou para o lado assustada. Finalmente a ansiedade antes observada agora evoluía para o medo. Ela voltou-se para o rapaz uma última vez, encarando-o com tristeza nos olhos e afastou-se enquanto a capsula era ativada.


"Se você a possuir, ele certamente irá busca-la...e quando ele o encontrar, faça com que seus medos se tornem realidade."

"Guarde-a, Marin..."

Ficha do Gudam:

-
Spoiler:
Oberon

Atributos: For 3/Agi 1/Armadura 4/PV 160
Defesa:  9 = 45

Habilidades:
- Pistola laser – dano de 1d8+ agilidade
- Martelo esmagador- Possui um martelo embutido capaz de esmagar os inimigos. Dano 1d12+força
- Sentidos especiais – Infravisão
- Golpe Esmagador – Uma vez por luta, bate seu martelo no chão atingido inimigos próximos em um raio de alcance curto.

Desvantagens:
-Bateria – Só funciona por 12 horas, depois disso é preciso recarregar por uma hora.


Última edição por Gakky em Ter Jan 17, 2017 6:06 pm, editado 2 vez(es)
Gakky
Mestre Jedi
avatar
Mestre Jedi

Mensagens : 1247
Data de inscrição : 08/07/2015

Re: Fichas dos Pj - Os Heróis das Estrelas

Mensagem por Gakky em Qui Out 27, 2016 10:00 pm


Rhaenee "Ray" Zahrde

Idade: 15
Altura: 158 cm
Peso: 52 kg
Raça: Humano
Planeta natal: Primus

 Atributos:

Força: 2
Agilidade: 4
Inteligência: 3
Vigor: 2
Vontade: 2

PV: 18/18

Ataque: (Corpo a corpo) 4 = 2 + 2  / Distância: 4
Defesa: 11
Iniciativa: 4

 Classe - Guarda-costas da Nobreza

Bônus de Ataque: +2 (Corpo a corpo) / Bônus de Defesa: +2
Dano: 1d6
Vantagem: Patrono
Habilidades:
-Inabalável: Quando está perto de seu empregador, você se torna imune a qualquer tipo de medo. Exceto de fobia de desvantagem.  (Pode ser usado com gudam)
-Inimigo Oportuno: Recebe vantagem em ataque contra inimigo que se coloca entre você e seu protegido. +2 Em ataque. (Pode ser usado com gudam)
-Por Cima do meu Cadáver: Sempre que seu protegido for atacado, você pode escolher sofrer o dano em seu lugar, se ele estiver em sua linha de visão. E recebe +2 para revidar o golpe. (Pode ser usado com gudam - precisa avisar quando for usar antes do protegido ser atingido)

PV: 16 + Vigor

 Vantagens e Desvantagens:

Patrono (+1)
Aliado (+1)
Protegido Indefeso (-1)

 Perícias:

Percepção.

 Características Pessoais

- Objetivo:
Proteger Gail , o príncipe (que tem incríveis olhos azuis e cabelos prateados repicados) caçula de Primus.
Além de ser sua função, Ray ama de verdade seu protegido, embora não admita isso publicamente. Dar sua vida a ele não seria um grande sacrifício.

- Medos:
Tem medo de acabar sozinha no mundo e perder aqueles que ama. A solidão é uma provação cruel para ela. Tem medo de falhar, causando-lhe muita frustração de ansiedade.

- Preferências:
Gosta de praticar esportes ágeis (como andar de skate voador). Seu passatempo favorito é sentar-se no café do alto de um famoso prédio comercial da cidade para conversar bobeiras com Gail enquanto come torta de maçã e escuta a televisão ao fundo.

- Personalidade:
É um ser invisível para a maior parte do meio em que convive, isso quando não estudam substitui-la por alguém mais experiente ou duvidam de sua capacidade, e ela aceita isso de bom grado, como um cão de guarda, ainda que por dentro isso a machuque. A única pessoa em serviço que a trata de forma mais humana e gentil é seu próprio protegido, que ri e a trata como amiga, já que ela é uma das poucas conexões do mundo real que ele possui.

A princesa de Primus também é muito amável com ela, como uma prima distante, mas ela tem vergonha de ter muita intimidade com a regente, então só admira de longe e respeita muito. Em serviço, é séria, leal e tão justa que é capaz de ser um tanto ingênua. Seu desejo por ajudar os outros é um defeito que pode torná-la cega e manipulável. É irritadiça e não suporta injustiças, chegando a discutir feio com as pessoas pelo que acredita. É muito transparente, então mesmo que tente fingir ser profissional, seus olhos e expressões entregam seus pensamentos para alguém mais atento. Por trás dessa seriedade, é uma garota de 16 anos, brincalhona, divertida, bem humorada, um tanto tímida e até insegura, não enxergando a si mesma de acordo com suas habilidades. Ela é apaixonada por seu protegido, por ele ser um dos poucos que passou a tratá-la bem e, como benefício, acabou sendo nomeada.


 Equipamento:

Gudam Duelista:
Spoiler:

Atributos:
     For 2/Agi 3/Armadura 3/PV 150
     Defesa: 8 = 40

- Pistola laser – dano de 1d8+ agilidade
- Preciso- Impõe uma penalidade de -10 a defesa do inimigo que escolher durante a batalha.
- Sentidos especiais – Visão telescopia e microscopia.
- Espada Embutida – Dano 1d10+força
- Voo rápido – Quando estiver voando sua iniciativa é de +4

Desvantagens:
-Bateria – Só funciona por 12 horas, depois disso é preciso
recarregar por uma hora.
-Uma pistola blaster, cromada em azul
- Skate voador

História:


Rhaenee nasceu em uma família humilde, sem grandes perspectivas de vida. Morava em uma região menos favorecida do planeta e nunca imaginou que um dia estaria diante da realeza.  Uma tragédia durante a construção de um projeto faraônico da realeza fez com que várias pessoas daquela região morressem e perdessem suas casas após uma explosão, com efeitos de radioatividade e desabamento de terra. O acontecimento ganhou grande repercussão na mídia, gerando protestos e revoltas populares.

Para compensar, a princesa da Aliança anunciou um projeto para financiar estudos e a recuperação dos jovens sobreviventes, além de realocar aquelas pessoas em lares temporários em grandes centros.  Nem todos ficaram completamente contentes, pois os centros onde as pessoas foram realocadas era cercado por um bairro bom e elas passaram a sofrer preconceitos e, incapazes de reconstruir completamente a vida, algumas começaram a roubar e tumultuar os ricos da região.

O pai de Rhae foi um dos que trabalhava na construção da obra e acabou morrendo. Já a mãe acabou muito doente e Rhae tinha que tentar ajudá-la, conciliando os estudos com trabalhos temporários e vários deles sem registro. Mesmo assim, estudava em uma pomposa escola de ricos e políticos. Era óbvio que era uma criatura fora de lugar, mas não demorou para colocar os valentões para respeitá-la.

Na escola, houve uma briga irritante entre um nobre e uma funcionária da cantina. Com sua mania de se intrometer onde não foi chamada, Ray intercedeu sem um pingo de covardia e acabou chamando a atenção do jovem Gail, que fazia parte do grupo de amigos do outro garoto. A relação dos dois, antes de ser de melhores amigos, não era exatamente muito boa. Uma vez, quando ouviu um comentário genérico sobre "essas pessoas que moram na favela que minha irmã criou", Gail levou um murro na cara, algo que nunca tinha acontecido antes. É claro que a menina ficou prestes a ser expulsa, mas Gail não a delatou, pelo contrário, disse que era um mal entendido.

Episódios como esse eram praticamente normais, já que ela vivia se irritando quando ele falava algo contra as minorias ou algo que lhe lembrasse da vida sofrida de seus pais. Assim, foram se aproximando, embora o príncipe caçula tivesse algumas ideias de mundo completamente distorcidas, de vez em quando propositalmente querendo discordar de sua irmã, simplesmente por rebeldia, para "ser diferente" e porque se enciumava da atenção que ela recebia.

Aos 14, houve a oportunidade aos estudantes de unir-se aos militares e ela partiu para treinamento, motivada a utilizar o convênio médico privilegiado e, de forma secundária, tornar-se Oficial e defender os planetas.  No entanto, enquanto estudava, não era a aluna mais brilhante e também via dificuldade em todas as regras militares, faltando-lhe disciplina em sua personalidade, além de dedicação completa por causa da tentativa de conciliar estudos e trabalho. Estava fadada a ser uma oficial medíocre, é o que ela achava e ouvia de vez em quando. Enquanto isso, a família de Gail enfrentava dificuldades em encontrar um guarda-costas para o jovem, que simplesmente detestava todas as propostas de ser seguido o tempo todo por um estranho, além de começar a se tornar mais rebelde e desinteressado do que o esperado. Queria se desvencilhar da imagem da irmã, andando por aí sozinho e querendo explorar gostos mais urbanos.

Em uma dessas ocasiões, por acaso foi Ray quem ajudou um segurança a encontrá-lo. Nessa oportunidade, os dois acabaram conversando e o príncipe descobriu sobre a mãe doente de Ray e seus objetivos. Dessa maneira, ele a convidou para ser sua guarda-costas e a mãe passou a ter direito ao atendimento prioritário. Obviamente a família foi contra e achou aquilo um absurdo, mas Gail insistiu que só aceitaria se fosse Ray sua guarda-costas. A menina fez um teste para pilotar o gundam da família e surpreendentemente foi bem. Era confiável, sem histórico negativo e, mais importante, sem conexões reais com militares ou organizações que poderiam tramar derrubá-los, além de achá-la, apesar de tudo, pura de coração. A princesa foi uma das que apoiou essa decisão, pois secretamente achava que Ray poderia acordar o lado doce do irmão e dar mais humanidade para ele, pois sabia que muito do que tentava dizer ao irmão ele propositalmente ignorava. Assim, manteriam seus seguranças comuns, para a casa e família num geral, mas ela seria a guarda-costas oficial de Gail. Essa proposta agradou mais a família.

Durante o tempo de serviço, Rhae não teve muito com o que se preocupar. Bastou ter olhos e ouvidos abertos, mas ninguém atentou contra o jovem. Enquanto isso, ela continuava recebendo treinamento, o que acabou a qualificando para o serviço ao longo dos meses.

O período em que passaram juntos, porém, foi o suficiente para desenvolver uma paixão por ele, embora ela não tenha reconhecido isso ainda. Ela acha que é gratidão ou uma amizade profunda. Gail nunca disse se sentia o mesmo, mas a trata como melhor amiga e bastante intimidade com suas emoções. Ele se preocupa de verdade com ela, e, internamente, sente ciúme, embora nunca tenha tido uma oportunidade para demonstrar isso.

O problema é que a realeza possui muitas alianças, o que automaticamente fez com que Amilie, a caçula da família Kavanagh, fosse um nome considerado ideal para um casamento com o caçula da realeza, marcado para quando ele completar a "maioridade formal".

Amilie tem uma aparência invejável, cabelos vermelhos cacheados e vivos, além de uma educação de primeira. Ela acha Gail muito atraente e adorável. A garota voltou de um intercâmbio em Duos, já que deseja como carreira as relações internacionais e políticas. É a senhorita perfeição, doce e angelical, além de ser muito amiga da princesa.

Gail não sabe direito o que essa menina quer, ele a acha bonita e sabe de seu dever de casar com ela, mas por algum motivo, agora ele não quer mais que isso aconteça...


Amilie:



Última edição por Gakky em Qui Mar 02, 2017 9:53 pm, editado 10 vez(es)
Gakky
Mestre Jedi
avatar
Mestre Jedi

Mensagens : 1247
Data de inscrição : 08/07/2015

Re: Fichas dos Pj - Os Heróis das Estrelas

Mensagem por Gakky em Sex Nov 25, 2016 1:49 pm


Gail (NPC)

Idade: 16
Altura: 1,74 m
Peso: 65 kg  
Raça: Humano
Planeta natal: Primos

 Atributos:

Força: 2
Agilidade: 2
Inteligência: 3
Vigor: 3
Vontade: 3

PV: 15/15

Ataque: 1d10 +4 (Força + Bônus)/1d6
Defesa: 9 (+2 defesa)
Iniciativa: 2

 Classe - Nobre Espadachim

Bônus de Ataque: +2(Corpo a corpo) / Bônus de Defesa: +2
Dano: 1d6
Vantagem: Aliado Gigante, Nobreza, +1 em Esportes
-Empáfia - Aprendeu desde cedo a ser orgulhoso. Imune a tentativas de intimidação e recebe bônus de +1 para tentar intimidar até o final do combate.
-Pontos heroicos extras - Você tem inclinação para grandes feitos, uma vez por dia pode escolher ampliar um de seus atributos por +3 durante uma batalha.

PV: 12 + Vigor

 Vantagens e Desvantagens:

Boa Fama - (Gratuito) Por ser da realeza é respeitado. Pode trazer vantagens ou desvantagens. É mais difícil passar despercebido. Pode ser odiado por alguns grupos.
Técnica de Luta- (1) -  Você teve treinamento em esgrima. Ganha uma manobra especial. (Você pode fazer uma sequência de ações que culminam em um ataque como pendurar-se em candelabros, saltar de janelas, deslizar no corrimão... Você pode se mover duas vezes durante a rodada e atacar. Seu oponente sofre uma penalidade de –1 em Defesa por uma rodada. Pode ser usado uma vez por batalha)
Nobreza (Classe)
Aliado Gigante (Classe)

Desvantagem:

Prometido (-1)
Inimigo (-1)

 Perícias:

Conhecimento(int) – (Político)
Sociabilidade (Vont) (1 ponto)
+1 Esportes

 Características Pessoais

    Gail é príncipe caçula de Primos. Sua irmã é a princesa-regente, que será rainha de Primos futuramente, hoje ela que comanda a Aliança Estelar. Apesar de jovem, a princesa é muito sábia.

- Para descobrir mais características dos NPCs é preciso interagir com eles -

 Equipamento:
- Espada com selo real

Ficha do Gudam:
Spoiler:

Archangel - Herança da família real, não é um gudam comum, por fora é todo dourado. É passado de geração em geração, como a princesa Adelaine não gostava de pilotar, acabou passando para o seu irmão caçula.

Atributos: For 3/Agi 2/Armadura 4/PV 150
Defesa: 5 + Armadura = 9 x 5 = 45
Habilidades:
- Pistola laser – dano de 1d8 + agilidade
- Escudo- Confere proteção de +2 a você e a todos que estiverem atrás.  Duração de um turno.
- Sentidos especiais – Visão raio X
- Espada Embutida – Dano 1d10+força

Desvantagens:
-Bateria – Só funciona por 12 horas, depois disso é preciso recarregar por uma hora.


Última edição por Gakky em Dom Jan 01, 2017 9:44 pm, editado 7 vez(es)
Gakky
Mestre Jedi
avatar
Mestre Jedi

Mensagens : 1247
Data de inscrição : 08/07/2015

Re: Fichas dos Pj - Os Heróis das Estrelas

Mensagem por Gakky em Sex Nov 25, 2016 2:14 pm


Comandante Rosso( NPC)

Idade: 21
Altura: 1,85 m
Peso: 79 kg  
Raça: Humano
Planeta natal: Primos

 Atributos:

Força: 3
Agilidade: 2
Inteligência: 2
Vigor: 2
Vontade: 4

PV: 15/15

Ataque: 1d10 +5 (2Força + Bônus)/1d6
Defesa: 9 (+2 defesa)
Iniciativa: 2

 Classe - Comandante

Bônus de Ataque: +2/ Bônus de Defesa: +2
Dano: 1d6
Vantagem: Aliando Gigante e Capitania
Desvantagem: Código Estelar
-- Habilidades:
-Aura de Retidão: Sua postura inspira respeito de seus homens e você sabe que não pode fraquejar.  +2 para seus aliados e você em testes que envolvam vontade.
-Manda quem pode: Você pode usar qualquer poder da classe de qualquer um de seus comandados como se o tivesse, mas é preciso enxergar o dono original do poder. Só funciona uma vez por batalha e só depois de conhecer o seu comandado.
-Ordens de combate: Gastar uma ação de movimento para dar ordem a todos os aliados, eles recebem bônus de +1 em ataque e defesa, dura rodadas igual seu atributo de vontade.


PV: 12 + Vigor

 Vantagens e Desvantagens:

Genialidade (1) -Você é um gênio, recebe bônus de +2 ao utilizar qualquer perícia.
Capitania (classe)
Aliando Gigante (classe)

Código Estelar(Classe)

 Perícias:

Medicina (int) – Curar alguém através de ataduras ou ervas / Primeiros Socorros

 Características Pessoais

    Comandante Rosso, é um sério e jovem comandante.

- Para descobrir mais características dos NPCs é preciso interagir com eles -

 Equipamento:
- Duas espadas militares.


Robô: Gladiator
Conteúdo patrocinado


Re: Fichas dos Pj - Os Heróis das Estrelas

Mensagem por Conteúdo patrocinado


    Data/hora atual: Sex Jun 23, 2017 2:21 pm