Um fórum de RPG online no formato de PBF (Play by Forum).


    Capítulo 3 - Abastecimento em Duos

    Compartilhe
    Tsumai
    Tecnocrata
    avatar
    Tecnocrata

    Mensagens : 305
    Reputação : 9
    Conquistas :
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/411.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1811.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1413.png

    Re: Capítulo 3 - Abastecimento em Duos

    Mensagem por Tsumai em Ter Fev 14, 2017 11:38 pm

    Chui continuava a manter seu auto controle em evitar dar risadas, e pelo visto estava conseguindo, o que era um alívio. Chegou a ouvir o sussurro de Ray em sua curiosidade para saber o que houve com os garotos, mas ficou contente de Gail se prontificar em explicar tudo para ela, e o motivo disso apareceu logo em seguida: numa tentativa de permitir que Chui e Marin pudessem sair do hospital - no intuito óbvio de comprar o presente de Ray - o príncipe soltou um pequeno discurso sobre não impedir ambos de gastar o dinheiro recebido. Chui já estava esperando uma negativa veemente de Rosso, mas surpreendentemente este permitiu, embora colocasse suas limitações, como Falconeri em seus calcanhares; não era o ideal, mas era suportável. Pelo menos Chui poderia comprar alguns aperitivos que gostaria de comer.

    Para reforçar a ideia de Gail, o caçador tentou exibir um sorriso inocente, mas não tinha muito confiança nisso, uma vez que Rosso era um cara observador. Por fim, não precisou muito, e o príncipe ainda reforçou sobre sua "missão". Chui mentalizou a Torta de Maçã e esperava que encontrasse - talvez até comprasse duas, pois sentiu vontade de provar da iguaria.

    - Deixa comigo! - sussurrou Chui em resposta ao príncipe.

    Em seguida, ele e Marin saíram do quarto de Ray e o assunto se tornou sério de novo. Rosso e Falconeri comentavam sobre a investigação, e concluíram que era quase certo que o tal vulto no telhado e atirador que acertou Rhaenee também estava envolvido com os evos. Não era surpresa os mesmo terem aceitado a "ajuda" de um estranho, já que poderia imaginar o quão ruim era a coleira: vira Marin com ela e sua expressão não era animadora. Pelo menos o assunto mudara, e o comandante falou sobre a saída dos dois. Falcneri deixou Chui contente ao ter o intuito de presentear Lana, e isso deu ideias para também presentar a garota, afinal ela havia salvo Ray, sua amiga. Sem entender bem o porquê ele corou, e acabou desistindo da ideia imediatamente.

    - Bom, vamos então? - disse Chui, sem notar que poderia ter soado um tanto ativo demais. Depois, se virou para Marin, e respondeu: - É uma torta de maçã... de onde você tirou um polvo?

    E seguiu andando, imaginando que tinha muito a conversar com Marin.
    Gakky
    Mestre Jedi
    avatar
    Mestre Jedi

    Mensagens : 1332
    Reputação : 63
    Conquistas :
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/311.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1112.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1011.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1811.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1413.png

    Re: Capítulo 3 - Abastecimento em Duos

    Mensagem por Gakky em Qua Fev 15, 2017 3:26 pm

    ---> Cena quarto hospitalar(Ray).

    Pela janela do quarto é possível ver que começava a chover suavemente. Lana sorri ao ouvir as palavras de Rhaenee, sobre primeiros socorros, ela responde:

    - Se pudêssemos ficar mais tempo juntas, eu te ensinaria primeiros socorros. Não é tão difícil. Quando se tem um ferimento com sangramento grave, é preciso por algo para parar o sangue. Se não der para amarrar é melhor pressionar. Mesmo você dizendo que não, ainda te acho incrível! Não são muitos que estão dispostos a arriscar a vida por seus protegidos.

    Ray sorri e em voz baixa começa a falar do príncipe, depois provoca ele mostrando a língua. Gail retribui franzindo as sobrancelhas.

    - Ual, vocês estudavam juntos! - Exclama Lana em voz baixa perto de Rhaenee - Mas tem razão quanto serem esnobes...

    Lana para de falar ao notar que o príncipe se aproximava. Gail chega perto delas e bagunça os cabelos de Ray com a mão, depois a provoca rindo:

    - Esse pijama faz você parecer que está usando a roupa da sua avó.
    Quando comentam sobre as fotos de Rosso, Lana fica confusa e não entende sobre que falavam, mas não pergunta para não parecer indelicada. Mas Gail pega o datapad e responde depois de olhar ao redor:

    - Não tenho ideia de onde guardar...  Talvez no armário, mas é melhor lembrar de pegar antes de irmos embora.

    - Fotos do Rosso? - Questiona Lana, ela não ousa olhar para o príncipe, mas comenta com Ray - Vamos me conte mais sobre sua vida! Vocês podem pilotar um gudam? E difícil? E algumas pessoas me disseram que... que... - continua, mas dessa vez sussurrando bem baixo para Ray e perto de seu ouvido, o rosto dela estava mais vermelho do que tudo - " Que soldados tomam banham juntos... Como você é mulher... É verdade que tem que ser junto com eles?"

    O príncipe guarda o objeto no armário do próprio quarto hospitalar. Depois deixou as garotas conversarem, se sentou no sofá ao lado da janela e ficou observando a janela. Não parecia prestar atenção no que falavam. Só depois delas terminarem e de Rhaenee fazer perguntas, ele começa a explicar tudo sobre o que aconteceu com Marin, vez ou outra olhando pela janela:

    - Tudo aconteceu porque Marin se distanciou quando uma evo, a tal Nina, o chamou escondido de uma loja em construção. Ela fingiu ser amiga dele, e quando ele estava saindo para se encontrar com Chui, um pedaço do teto caiu em cima dela. Mas quem fez isso foi o seu irmão, também um evo chamado Dax. Ele atacou Marin quando ele estava distraído ajudando a Nina, queriam roubar o gudam dele. Mas Chui chegou e o ajudou. Tudo aconteceu quando você levou o tiro. Depois eles acabaram matando o Dax, porque ele queria fugir com o relógio e estava tentando atacar eles, mas a Nina sobreviveu, mesmo depois de ter o quadril perfurado por um ferro...


    Gail esperava que Ray entendesse tudo, mesmo tendo falado rápido. Ele não sabia ainda o que pensar de Marin, mas tentaria ser amigável por causa da Ray. O príncipe boceja, senta na poltrona e deita a cabeça na beirada da cama de Rhaenee. Lana aproveita para ainda trocar alguns assuntos com Ray, mas em voz baixa para as paredes não ouvirem:

    - Os homens daqui achariam um absurdo você ser guarda-costas dele, pois se sentiriam inferiores de serem protegidos por uma mulher. Primus parece ser um lugar bem diferente mesmo. Tem algo que gostaria ainda de perguntar a você... O que te faz ter tanta coragem?

    Depois de ser respondida, Lana vai sorrir e fazer uma reverência leve, em seguida se despede:

    - Preciso ir, tenho trabalho para fazer. Eu gostaria muito de ficar, mas não posso. Nos vemos quando forem partir.

    A garota deixa o quarto e assim que a porta é batida, Gail que está ainda sentado na poltrona com a cabeça afundada entre os braços e apoiada a beirada da cama, comenta com a voz abafada:

    - Essa não... Não esperava que ficaríamos a sós tão cedo...

    ---> Cena dos corredores ( Marin e Chui).

    Marin e Chui se despedem do comandante Rosso e acompanham o tenente para fora do hospital, durante o caminho eles sussurram sobre qual seria o tipo de presente que o príncipe gostaria que comprassem. O evo não parecia lembrar muito bem do que era, mas por sorte o caçador havia memorizado. Vocês seguem atrás de Falconi e quando saem pela entrada percebem que chovia serenamente. Vocês correm apressados até uma loja em frente ao hospital. Suas roupas ficam um pouco úmidas por terem pegado algumas gotas de chuva. O estabelecimento consiste em um cômodo amplo e redondo, em suas paredes se localizavam várias prateleiras, cheias de presentes de todo tipo e organizada por seções, era bem organizada e enfeitada com corações por toda parte. Enquanto o tenente se secava da chuva dando batidas em seu uniforme, ele comenta:

    - Aqui em Duos, temos o costume de presentear os amigos que ficam hospitalizados, principalmente as mulheres. Mulheres merecem toda atenção e cuidado. Elas são frágeis como uma rosa, mas possuem uma paixão e força de vontade incrível. Se sacrificam pelo que amam e acreditam. Por isso protegemos elas aqui em Duos, acreditamos que não foram feitas para ganhar cicatrizes, mas para serem amadas. É uma parte de nossa cultura.


    Os três caminham juntos pela loja. Marin e Chui percebem que na loja havia várias outras pessoas comprando, elas se afastam de vocês, mas parecem tranquilas com a presença do tenente. Marin caminha pelas prateleiras e algo lhe chama atenção. Ele vê uma criança pegar um objeto peculiar em forma de ovo, dourado e todo enfeitado. Ela abre o objeto e um holograma pequeno aparece de dentro do ovo, era um casal dançando um tipo de valsa. Porém o que mais chamava atenção de Marin é a música que tocava quando foi aberto, era uma melodia muito familiar, ele já havia escutado isso antes, mas não sabia de onde. De repente sentiu o coração apertar e uma nostalgia sem explicação.  

    Música da caixa de música:


    O tenente pega um colar simples de uma das estantes e já vai se encaminhando para o caixa com seu cartão, porém no caminho passar por Marin e Chui e comenta:

    -Esse será para Lana. E vocês o que vão levar? Hoje é dia dos namorados, não tem ninguém que queiram presentear? Já estão na idade de ter uma namorada!

    Chui logo olha para todo lado a procura do presente de Gail e não encontra. Ele percebe que não vendia tortas nessa loja, mas dá para ver pela entrada que a loja vizinha vendia todo tipo de doces e tortas. Porém como fazer para ir até lá? Ele precisava pensar em algum jeito de cumprir o combinado com Gail. De repente um garotinho pequeno esbarra em Chui, ele sorri para o caçador, mas antes que falasse algo é puxado pelo pulso por sua mãe que dizia baixo para ele:

    - Cuidado! Ele é de Locus!

    Loja de presentes: (lista de preços e itens que podem comprar)

    Itens da loja:


    Itens diversos:

    - Caneca em forma de coração - 20 zíons
    - Colar duplo dia dos namorados (coração e uma chave) - 20 zíons
    - Bichinhos de pelúcia variados- 30 zíons
    - Luminárias em formato de coração - 10 zíons
    - Almofada massageadora para pescoço- 30 zíons
    - Bolsa - 20 zíons
    - Porta retrato holográfico - 20 zíons
    - Produtos de beleza - 20 zíons cada
    - Broches, brincos, colares - 20 zíons cada
    - Boneca 30 zíons
    - Chaveiro - 10 zíons
    - Cartão holográfico de data comemorativa- 10 zíons
    - Kit maquiagem instantânea - 40 zíons
    - Perfume imita aromas 30 zíons
    - Anel do humor (muda de cor de acordo com sem humor) - 5 zíons
    - Flores 20 zíons buquê
    - Toalha 10 zíons
    - Qualquer tipo de enfeite de mesa 10 zíons


    Acessórios de roupa:

    - Chapéu com flor(estilo três mosqueteiros) - 25 zíons
    - Gravata - 10 zíons
    - Leque- 20 zíons
    - Óculos estilosos, principalmente em formato coração - 20 zíons
    - Emote casaco ( casaco que muda de cor de acordo com suas emoções) - 35 zíons
    - Luvas - 20 zíons
    - Máscara facial (todos os tipos, bem elegantes para cobrir defeitos faciais) 20 zíons
    - Fita de cabelo que muda de cor - 10 zíons
    - Gargantilha que avisa sua temperatura corporal - 10 zíons
    - Arco orelhas de raposa robótica - 20 zíons
    - Casaco médico (indica temperatura corporal, pressão cardíaca, nível de glicose) - 40 zíons

    Itens uteis para dia dos namorados:

    - Massageador facial anti-rugas - 25 zíons
    - Colo amigo (almofada em forma de colo para solteiros) - 25 zíons
    - Perfume do amor (atrai seu amor verdadeiro) - 15 zíons
    - Creme facial (deixa seu rosto brilhante e atraente) - 17 zíons
    - Adesivos tira barriga - 28 zíons


    Eletrônicos pessoais:

    - TV de bolso - 50 zíons
    - Gravador digital- 15 zíons
    - Gerador de Holografia - 35 zíons
    - Cama inflável - 60 zíons
    - Data pad simples- 28 zíons
    - Vaporizador de aroma artificial de flores -  20 zíons
    - Despertador - 20 zíons
    - Luminária holográfica do espaço sideral - 36 zíons
    - Lanterna embutida em pulseira- b]10 zíons[/b]
    - Caneta 3d 15 zíons
    - Oni-tool (pulseira dicionário) 30 zíons
    - Sensor de alimentos (verifica se o alimento é próprio para o consumo)  10 zíons

    Especial:

    - Caixa de música - 20 zíons (melodia familiar para Marin)

    * Se a criatividade permitir, podem procurar um presente diferente da lista.




    OFF: Marin e Chui podem dizer o que vão comprar, se quiserem. Não acho que fui muito criativa na loja, mas... Podem inventar algum objeto se quiserem, fiz a lista só para dar ideias.
    Luxi
    Moderador
    avatar
    Moderador

    Mensagens : 1060
    Reputação : 67
    Conquistas :
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/311.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1112.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/912.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/212.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1811.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1413.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/410.png

    Re: Capítulo 3 - Abastecimento em Duos

    Mensagem por Luxi em Qua Fev 15, 2017 9:16 pm

    A garota ouviu atentamente a explicação de Lana. Parecia bem básico, mas o medo de fazer besteira com alguém ferido e comprometer mais ainda era grande. Ao final, ela  sorriu sem jeito, coçando o rosto com a mão boa.

    - Vou tentar lembrar disso. Obrigada! Quando nos encontrarmos de novo, quero te ensinar o que você quiser sobre combate!

    Quando Gail encostou em seus cabelos ela corou, travando naquela posição, com olhos arregalados, mas ele brincou sobre suas roupas, fazendo-a ficar muito envergonhada, pois até então não estava se importando muito de estar daquele jeito na frente dos outros, mas se ele tinha reparado então deveria estar horrorosa! A reação foi bem rápida:

    - QUÊ!? - explodiu, com o rosto vermelho, tentando atacá-lo com o braço bom e a tala. - Não se tira sarro de uma pessoa doente, seu horroroso!

    Em seguida desviou o olhar, muito embaraçada, cobrindo-se com o lençol até a altura do pescoço e fechando a cara. Não queria estar feia. Não era algo que se importava sempre, mas simplesmente não podia ignorar isso vindo do príncipe. Ela ignorou os comentários sobre as fotos, pois estava presa na própria preocupação.

    Ela voltou a ficar de bom humor, disposta a responder Lana, mas então...

    - HÃ!?

    Balbuciou, muito vermelha mais uma vez.  

    - NÃO! NÃO! DE JEITO NENHUM! Nossa, nunca!


    Espiou Gail enquanto ele confortavelmente sentava no sofá e então balançou a cabeça.

     - Separado. Sempre. Q-quer dizer. A gente. Caham... E já fizemos simulações com os gudans, é bem divertido, mas pode dar um pouco de enjoo. Você acostuma. Que tipo de coisas ensinam para as mulheres daqui? - não era uma crítica, mas ela ficava incomodada sobre como a menina tinha conhecimento limitado, embora tivesse muito potencial. - Você... nunca pensou em se mudar para Primus? - perguntou depois que ela respondeu.

    Assim, Gail explicou sobre a história de Marin e ela ficou muito surpresa e com uma dose de remorso. Definitivamente nunca deveriam se separar! Tinha sido muito pior do que imaginava. Não era só ela que corria riscos.

    - Parece.. muito doloroso. -ela fez uma careta. - Marin deve ter ficado abalado... era alguém como ele afinal... - comentou um pouco triste. Era muita informação em uma história só, mas tinha entendido por cima.

    Marin era bem forte. Ele já tinha passado por várias coisas, mas continuava firme e com aquele tom de voz casual. Tinha muito a aprender com ele.  

    - Bem, mesmo em Primus, nem todo mundo acha isso uma boa ideia... - falou um tanto chateada. A verdade era que Lana era uma das primeiras pessoas externas a achar que ela valia de algo como guarda-costas. Então veio a outra pergunta.

    Ela olhou bem nos olhos de Lana e sentiu o coração bater mais forte.  Espiou o príncipe perto de sua cama e depois voltou a olhá-la. Um pequeno filme passava em sua cabeça.  Não fazia mesmo muito sentido ter desistido da Academia para ser guarda-costas, quando não sabia coisas tão básicas. Sorriu e olhou para baixo, constatando o óbvio e segurou o lençol.

    - Bem... isso é...

    Podia responder qualquer coisa, mas a garota a sua frente precisava de uma resposta honesta para poder aplicar aquilo a sua vida também. Aquilo que a motivava, que a fazia ser capaz de se jogar na frente de alguém sem pensar duas vezes... Hesitou mais de uma vez para falar, com o rosto ruborizado. Ela fez um sinal para que a outra se aproximasse e então chegou perto de seu ouvido, cobrindo com a mão. No começo, Lana só ouviu a respiração de Ray e uma engasgada, mas logo em seguida ela sussurrou só uma palavra.

    - Amor...

    Ela se afastou rapidamente e começou a tossir alto, disfarçando qualquer tipo de som que tivesse escapado. Em seguida ela sorriu desajeitada para ela e nem conseguiu mais dizer nada,  apenas repetindo a mesura da menina como podia.

    - A-até depois.

    Quando a garota saiu, Rhaenee precisava se recompor. Ficou olhando  o polvo de Falconeri até ele falar a frase mágica de "ficar a sós". Ainda estava com vergonha do que tinha dito para a menina e aquilo girava em sua cabeça loucamente. Precisava parar com isso logo. A conversa que tivera com o comandante era uma prova bem clara que aquilo era bem ridículo.
     - QUÊ!? Não estamos a sós... tem.. tem o polvo. Ele vê tudo. E ninguém vai demorar. Vai? Claro que não. E...e eu estou... com sono. É. sono.

    Ray afundou na cama do hospital, cobrindo-se. Estava morrendo de vergonha. Por que tinha falado aquilo? Nem era verdade. Ah, que coisa horrorosa, se ela comentasse, mesmo de brincadeira a alguém, poderia gerar um escândalo.

    - Então você pode... ir fazer as suas coisas de príncipe.  [/color]
    Tsumai
    Tecnocrata
    avatar
    Tecnocrata

    Mensagens : 305
    Reputação : 9
    Conquistas :
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/411.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1811.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1413.png

    Re: Capítulo 3 - Abastecimento em Duos

    Mensagem por Tsumai em Qui Fev 16, 2017 11:35 pm

    Chui estava contente de sair do hospital, pois lá o clima nunca era muito agradável. E com Ray a salvo, Gail e Marin se dando bem, o evo sem a coleira e tudo mais, ele não tinha mais motivos para se manter abatido, mesmo que o tal assassino ainda não tivesse sido descoberto. Focou-se na torta de maçã e seguiu seu objetivo.

    - Desculpa, mas não é um costume muito legal. - respondeu Chui, cruzando os braços atrás da cabeça enquanto caminhava e conversava com Falconeri. - Ray se mostrou muito eficiente e melhor que muita gente, e está na cara que estava mais do que disposta a isso. Lana me pareceu também, então talvez o senhor esteja perdendo boas agentes assim...

    Chui resolveu não falar mais, para não passar uma impressão errada. Quando chegaram à loja, não deixou de se sentir desanimado. Esses presentes luminosos, falantes e holográficos nunca lhe chamaram muito a atenção, e como tinha desistido de presentear Lana, não tinha muito o que fazer ali, além de ver as mães arrastarem seus filhos para longe. Foi então que reparou em Marin parado observando uma caixinha de música. Chui trocou olhares entre o evo e o objeto, esperando uma reação, então perguntou:

    - Gostou da caixinha? Pretende dar para alguém? Ray? Lana?

    Mas antes de ouvir a resposta, o caçador se virou para Falconeri, lembrando-se da torta de maçã e de ter reparado em uma loja de guloseimas do lado. Não podia deixar isso escapar, então tentou desconversar a pergunta maldosa do militar e disse:

    - Tenente, eu que eu queria na verdade era comprar algumas coisas, mas na loja de comida aqui do lado. O cheiro ta me matando, e a comida do hospital é sem gosto, e você sabe disso. Então... podemos ir lá? Vai, nem vai demorar.

    Chui fica aguardando a resposta de Falconeri e de Marin.
    Pallando
    Troubleshooter
    avatar
    Troubleshooter

    Mensagens : 831
    Reputação : 11

    Re: Capítulo 3 - Abastecimento em Duos

    Mensagem por Pallando em Sab Fev 18, 2017 12:31 am

    - Como aquele que a Ray ganhou...- Tentou se justificar um pouco hesitante, certo de que havia dito algo com pouco sentido. Seguiu conversando com o caçador pelo resto do caminho, até começar a chover e o trio ser obrigado a se apressar em direção à loja. O evo não se preocupou com as poucas gotas de chuva que o atingiram e também não fez questão de se secar.

    Ouviu o tenente Falconeri e Chui conversarem brevemente a respeito do costume em Duos. Marin gostava de observar as diferenças peculiares entre o pouco que vira de Primus e Duos, e achou interessante ouvir a opinião de cada um. Era um aprendizado prazeroso ver algo novo e ouvir dois pontos de vista a respeito disso, mas na verdade o evo pouco se importava com o assunto em si. Seu foco rapidamente mudou para os itens da loja e as pessoas que vagavam por lá. Já sentia-se adaptado à postura desagradável do povo que se afastava, como se fosse uma reação natural ao previsível comportamento daquelas pessoas.

    Seu olhar vasculhava por cada canto da loja em busca de coisas interessantes, literalmente qualquer coisa que chamasse sua atenção e tinha o intuito de apenas distrair-se enquanto Chui cumpria o favor ao príncipe. O evo apenas tomaria a iniciativa de comprar um presente se julgasse necessário ou encontrasse algo realmente ideal, embora se sentisse animado com a ideia de cumprir e fazer parte da tal "norma social dos presentes". Ainda pensava que "presente" era apenas outro nome dado para um prêmio, afinal presentear apenas por presentear não parecia fazer sentido. Então, enquanto olhava e analisava curiosamente o cenário e os itens, atentou-se para uma criança em especial com um chamativo objeto dourado em suas mãos, mas o que prende sua atenção é o som emitido pelo objeto. Assim que o ouviu, o evo parou e travou os olhos no dourado do item, apenas ouvindo ao agradável som e sentindo o coração apertar ao mesmo passo. Por alguns instantes, ficou verdadeiramente irritado por não se lembrar de onde conhecia aquele som.

    A pergunta de Chui o pegou de surpresa, mas Marin não demorou para responder.- Eu conheço aquela música.... quero aquela coisa.- Já estava realmente decidido a comprar o item, mas não tinha intenção alguma de dá-lo para alguém.- Acho que vou procurar outra coisa para dar de presente para elas...- Esquivou-se um pouco da pergunta, tentando não parecer possessivo com a caixa, e também lembrou-se de Nina. Seria ela merecedora de algum presente? O que havia feito além de atrair um estranho para uma armadilha? Ainda assim, sentia-se extremamente motivado pela ideia de que um presente poderia animar a garota evo.

    Marin compraria a caixa de música para si mesmo e este era o único item que considerava indispensável. Lembrou-se das luvas que Gail havia sugerido que comprasse e realmente foi atrás delas pois a prótese também o incomodava. Considerou a Luminária holográfica do espaço sideral como um presente ideal para Nina, pois era algo que também havia gostado... e por que não tinha noção do que mais poderia dar de presente. Pensou em comprar presentes para Chui, Ray ou Rosso também, mas imaginou que estes se sentiriam obrigados a retribuir o presente, então Marin optou por não faze-lo.

    - É válido usar um presente para se desculpar?- Perguntou para Chui em algum momento. Sentia-se livre para fazer perguntas "bobas" para o caçador, perguntas que não faria para qualquer pessoa por não confiar nas respostas.

    Seguiria com Chui e Falconeri para onde quer que fossem.
    Tsumai
    Tecnocrata
    avatar
    Tecnocrata

    Mensagens : 305
    Reputação : 9
    Conquistas :
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/411.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1811.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1413.png

    Re: Capítulo 3 - Abastecimento em Duos

    Mensagem por Tsumai em Sab Fev 18, 2017 9:17 pm

    Chui se vira para Marin para respondê-lo.

    - Sim, é claro! Geralmente um bom presente ajuda no pedido de desculpas.

    Chui ficou se perguntando a quem ele iria pedir desculpas...
    Gakky
    Mestre Jedi
    avatar
    Mestre Jedi

    Mensagens : 1332
    Reputação : 63
    Conquistas :
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/311.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1112.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1011.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1811.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1413.png

    Re: Capítulo 3 - Abastecimento em Duos

    Mensagem por Gakky em Sab Fev 18, 2017 9:24 pm

    Gail apenas ri quando viu que sua guarda-costas caiu em sua provocação, para ele era algo cotidiano. Lana no entanto, estava gostando de conversar com Rhaenee, mas quando toca no assunto do banho e vê Ray ficar tão vermelha quanto ela, também fica nervosa. Porém pelo menos havia tirado suas dúvidas, já que o povo de Duos adorava fazer fofoca e falar mal da moral dos soldados femininos de Primus. Rhaenee pergunta algumas coisas para a garota, inclusive se ela teria o desejo de se mudar para Primus. Lana logo responde:

    - Aqui nós ensinam administração e primeiros socorros. Os homens gostam de saber que suas colegas podem salvá-los depois de combaterem. Mas confesso que admiro muito essa vida de combatente, de lutas e gudans! Eu tenho vontade de visitar todos os planetas. Porém não teria coragem para ser um soldado... Veja só, tremo só de falar com estranhos...

    Então antes de se retirar, Lana faz uma última pergunta e quando ouve a resposta fica corada e acaba lançando um olhar para o príncipe. Antes de se despedir, agradece pela sinceridade e sai deixando o príncipe e a guarda-costas a sós. Depois do comentário abafado de Gail, Rhaenee se atrapalha e fala algumas palavras sem sentido sobre a capacidade do polvo ver tudo. O príncipe levanta a cabeça espantado e começa a rir sem parar.

    - Isso era para ser alguma piada? Acho que erraram na dose dos seus analgésicos...  - Comenta ainda rindo - Ray, sempre me fazendo rir...

    Depois ele respira fundo e se levanta com um sorriso sereno. Olhou para paisagem na janela e começou a falar com a voz séria:

    - Não sei o que entendeu, mas eu quis dizer que é a primeira vez que ficamos a sós depois do que aconteceu... Estava esperando esse momento, mas não tão cedo... Ray, achei que te perderia para sempre...Eu não me perdoaria se tivesse acontecido...

    O príncipe se vira para Rhaenee e continua muito sério:

    - Não é só porque é minha guarda-costas que tem que fazer tudo sozinha. Mesmo que fosse para fazer sozinha, podia ter contado comigo, me avisado do vulto e que estava desconfiada. Você é minha melhor amiga, eu teria ficado mais atento e tomado cuidado. Por favor, não faça como os outros... Não me torne inútil, conte comigo para te ajudar... É a amiga mais sincera que tenho, por favor, não tente ser uma serva... Entendeu? Não esconda nunca mais essa coisas de mim.

    Apesar do cansaço visível em seu rosto, o príncipe não conseguia deixar de ser belo, o reflexo que entrava pela janela ressaltava seus olhos azuis e a pele lisa e perfeita. Não era exagero quando elogiavam a beleza da família Arkadia. Ainda de pé, Gail a olha nos olhos, sua expressão séria muda para um sorriso sereno e orgulhoso quando continua a falar:

    - Mas isso não muda o fato de que foi por seu esforço que estou a salvo. Desta vez, você foi mesmo minha salvadora. Já é a segunda vez que me salva da morte. Fico feliz que esteja aqui lutando por Primus e por mim. Agora farei as "coisas de príncipe"... Falta eu te agradecer devidamente. Farei isso como o príncipe que sou.

    O príncipe sorriu mais uma vez e fez uma mesura elegante, depois sentou-se ao lado dela, pegou sua mão delicadamente e a beijou no dorso. Sem soltar a mão de Rhaenee, Gail a olhou nos olhos, estava corado e com semblante orgulhoso. Com a voz quase como um sussurro, ele disse:

    - Obrigado Ray... Diga alguma coisa...

    ---> Cena Lojas ( Marin e Chui).

    Os três andavam pela loja tranquilos, quando Chui rebate o comentário do tenente Falconeri, ele ri amigável e responde com um sorriso:

    - Cada lugar define suas próprias prioridades. É um garoto perspicaz... Chui não é? Vejo que não está acostumado a ser um militar.

    Chui e Marin conversam sobre a caixa de música, enquanto Falconeri termina de pagar o colar. Marin faz uma pergunta ao caçador, que o incentiva a comprar o presente como uma mensagem de desculpas. Depois o tenente vai até vocês e os acompanha no caixa quando o evo paga os itens que escolheu comprar. Marin pega seu cartão e é orientado a passar em uma máquina, bastava isso para pagar todos itens, não havia senha nem nada do tipo. Um funcionário pergunta se vão querer embrulhar para presente. Se quiserem, ele vai enfiar o objeto em uma máquina, que o embrulhará automaticamente. Depois o funcionário colocou os itens dentro de sacolas elegantes, que eram de cor rosa com estampas de corações por causa do dia dos namorados. Marin enfim está com a caixa de música dentro de uma das sacolas e sente satisfeito com isso, os outros itens que comprou também estão dentro. Chui então faz uma proposta ao tenente, que logo responde pensativo:

    - Eu não sei... Deixe-me ver as horas - Falconeri olha para o seu relógio e sorri - Se formos rápido, acredito que dê sim. Vamos logo então, mas escolham rápido!

    Os três saem na loja guiados pelo tenente, também correm apressados para a loja de doces logo em frente, pois ainda chovia. As pessoas na rua começavam a usar guarda-chuvas, alguns eram bem elegantes com lacinhos e babados, outros eram apenas transparentes, havia ainda alguns que usavam uma capa parecida com um sobretudo.

    A loja de doces também era muito bonita, as paredes e a decoração eram todas em tons pasteis. Havia laços e bordados para todo lado, além dos enfeites de coração por causa do dia dos namorados. Era comum ver um casal ou outro andando pela loja de mãos dadas e com as maças do rosto coradas. O aroma realmente estava delicioso, parecia o cheiro de bolo recém tirado do forno. Havia uma vitrine incrível com várias tortas e bolos perfeitamente decorados, cada mais bonito que outro. Do outro lado uma estante enorme com variados tipos de doces, biscoitos confeitados, bolinhos, chocolates, tudo muito delicado e de aparência apetitosa.

    - Eu já comprei um bolo aqui uma vez, são ótimos - Comentou Falconeri enquanto escolhia algo também - A massa é suave e os recheios são delicados.

    Chui olha ao redor e seu estômago ronca, para ele era como estar no lugar certo, era um mundo de maravilhas a serem experimentadas. Logo na vitrine ele vê a bendita torta de maçã! Porém só restava uma! Para o evo também havia muitas novidades e sabores a serem explorados, certamente deviam ser tão deliciosos quanto aparentavam ser. O tenente Falconeri se aproxima de Marin e faz alguns comentários:

    - Vi que comprou uns três itens na outra loja, diferente do seu amigo - O tenente para pensativo um tempo e depois continua - Sei que aqui é bem diferente de Primus. Nós temos alguns problemas com evos, eles geralmente se excluem e evitam os humanos por causa do forte preconceito. Por isso algumas vezes temos casos parecidos com o da Nina, e quando acontece, mais difícil fica convencer as pessoas que evos podem ser gentis... Infelizmente é um problema que precisa ser resolvido, mas não é fácil mudar a mentalidade das pessoas. Seja paciente com a Nina, os evos daqui estão sempre na defensiva. Por isso que é ilegal a produção de Evos, já faz 50 anos que a lei foi criada. Evos só podem nascer de outros evos a partir da lei, é claro que sempre temos alguns casos ilegais... Você está bem? Desculpe, eu nunca falei tanto com um evo antes. - Ele termina de falar com um sorriso simpático.

    Itens da loja de doces:

    Menu loja de doces:


    - Wagashi (feito de feijão azuki, mochi e frutas) - 5 Zíons (porção de 5)
    - Marzipã (feita de pasta de amêndoas, açúcar e clara de ovos) - 10 Zíons
    - Macarons - 15 Zíons (porção de 5)
    - Bolo decorado - 30 Zíons
    - Chocolates decorados de todos os sabores (inclusve de chá, wasabi, sakura) - 20 Zíons
    - Caixa de bombons em forma de coração - 15 zíons
    - Suspiro - 5 zíons
    - Bolo de morango com chantily - 20 zíons
    - Halva - 20 zíons
    - Pão de ló - 15 Zíons
    - Pão Taiyaki em foram de peixe e outras formas também - 10 zíons
    - Dangos - 10 zíons
    - Peti Gatou - 16 zíons
    - Espuma de beterraba - 10 zíons
    - Mousse com espuma de sakura - 25 zíons
    - Biscoito decorado - 10 Zíons
    - Sonho de sakura - 30 zíons
    - Ninho de frutas cristalizadas - 10 zíons
    - Manjar lokum -35 zíons
    - Aquarines - 12 Zíons (Porção com 5)
    - Sakura Mochi - 25 zíons
    - Garden Cake - 10 zíons (Porção com 5)


    Especial:

    - Torta de Maçã - 20 zíons

    Embrulhos especial:

    - Mensagem falada embutida - 10 zíons
    - Mensagem holográfica embutida - 15 zíons
    - Caixa especial para presente - 5 zíons
    - Melodia no embrulho - 15 zíons

    Imagem dos doces:


    *Para ajudar na visualização, alguns doces menos conhecidos: (manja turco é o mesmo que manjar lokum, só mudei porque não tem turcos em starques)





    Saldo de vocês:

    Saldo de Zíons:


    Chui: (não gastou nada ainda)

    -50 zíons próprios
    - 50 zíons do príncipe

    Marin:

    Comprou:

    - Caixa de música 20 zíons
    - Luvas - 20 zíons
    - Luminária Holográfica do espaço 36 zíons

    Tinha 100 zíons, agora resta no seu cartão = 24 zíons





    OFF: Alguns itens da loja de doces eu inventei... Não ficou tão futurista, mas acho que pelo menos parecem gostosos. O que forem comprar, digam no próximo post. Se eu coloquei algo errado na lista de compras do Marin, só avisar!
    Pallando
    Troubleshooter
    avatar
    Troubleshooter

    Mensagens : 831
    Reputação : 11

    Re: Capítulo 3 - Abastecimento em Duos

    Mensagem por Pallando em Dom Fev 19, 2017 12:00 am

    Ouviu a resposta de Chui como palavras que lhe davam mais certeza do que queria fazer. Orientado a todo momento, afinal era a primeira vez que fazia compras, o evo levou a luminária junto dos outros itens e concordou em embrulha-la para presente. Quase fez questão de embrulhar sozinho, pois não queria esperar enquanto uma máquina fazia o trabalho, mas não seria indelicado a ponto de atrasar Chui e o tenente por causa de uma besteira daquelas. No geral, estava completamente desconfortável com a situação, sem saber se "matar" o irmão de alguém era algo passível de desculpas. Se Nina visse as coisas dessa maneira e tivesse um pouco mais de noção do Marin, ela poderia entender um pedido de desculpas até mesmo como uma ofensa ou depreciação da morte de Dax.

    Depois que os itens foram comprados e o tenente foi convencido, os três seguiram para a loja de doces logo em frente. Mais uma vez, Marin apenas se apressou pois os outros o fizeram, visto que não se importava com a chuva molhando sua roupa. Tratou de colocar as luvas já no caminho para a loja, sentindo também certo alivio por ter coberto a prótese e poupado-se da visão dos mecanismos nela. Observou analiticamente a loja assim que entraram, como fazia em praticamente todo lugar que visitava, e o que viu o agradou. Era um ambiente agradável como um todo, mas a única intenção de Marin era observar. Não pretendia comprar doces, afinal não estava com fome.

    Logo o tenente Falconeri aproximou-se e dirigiu a palavra ao evo, que o ouviu com curiosidade. Aquilo ajudou-o a compreender um pouco melhor a postura de Nina perante os humanos nas ruas, embora já tivesse noção do que realmente acontecia entre humanos e evos em Duos, mas lhe foi especialmente interessante saber sobre a ilegalidade da produção de evos.- Estou bem.- Marin também assentiu em resposta.
    Tsumai
    Tecnocrata
    avatar
    Tecnocrata

    Mensagens : 305
    Reputação : 9
    Conquistas :
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/411.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1811.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1413.png

    Re: Capítulo 3 - Abastecimento em Duos

    Mensagem por Tsumai em Dom Fev 19, 2017 10:50 pm

    Chui entrou na loja como se entrasse no paraíso. Seus olhos brilharam e um sorriso largo se formou em sua boca, enquanto observava cada doce, guloseima, comida e o que fosse que estivesse na estante. Obviamente não teria dinheiro para tudo, mas tratou de escolher bem o que queria, sem se esquecer da torta de maçã (já que era uma comida, dificilmente ele a tiraria da memória. Compraria logo duas para poder comer também...). Enquanto estava naquele ambiente sagrado, Chui não prestou a mínima atenção em qualquer frase ou fala dita por Falconeri ou Marin, a menos que eles se esforçassem para isso.

    O caçador olhava as vitrines e freezers e balcões com um olhar quase infantil. Nossa! Era muita coisa boa para experimentar, então tratou de escolher:

    - Wagashi;
    - Marzipã;
    - Torta de Maçã (comprou uma só porque só tinha uma);
    - Halva;
    - Pão Tayaki (em forma de coelho);
    - Dangos;
    - Aquarines;
    - Garden Gakes.

    Pelos cálculos de Chui, tudo custaria a ele 97 zions. Acabou gastando o dinheiro que sobraria também do príncipe, mas como ele disse que não tinha problema, não se importou muito. Ficou triste por não poder comprar mais coisas, mas ao menos iria conseguir provar muitas comidas novas, e não via a hora disso e poder tirar o gosto (ou a falta dele) de comida de hospital da boca. O caçador chegou até o balcão carregando tudo nos braços e tirou o cartão feliz da vida. O dia parecia ter mudado completamente.

    "Não vejo a hora de poder comer. bounce bounce bounce"
    Luxi
    Moderador
    avatar
    Moderador

    Mensagens : 1060
    Reputação : 67
    Conquistas :
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/311.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1112.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/912.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/212.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1811.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1413.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/410.png

    Re: Capítulo 3 - Abastecimento em Duos

    Mensagem por Luxi em Seg Fev 20, 2017 12:25 am

    Passado o surto inicial, quando ela ainda não acreditava no que tinha conseguido dizer a Lana, a vergonha foi diminuindo e ela conseguiu ouvi-lo melhor e acompanhá-lo na calma e seriedade.

    Olhava curiosa e suas bochechas voltaram a queimar quando disse que temia perdê-la. Naqueles breves instantes, ela chegava a achar que ele sentia a mesma coisa que ela, mas sempre as frases seguintes a faziam cair na realidade e duvidar daquilo. De fato, era a melhor amiga dele e tinha agido da mesma maneira que os outros faziam ao tentar protegê-lo da realidade, isso também tinha sido errado. Mesmo assim, não podia prometer que não faria isso de novo. Não conseguia simplesmente preocupá-lo, nem vê-lo como alguém que podia se virar sozinho... ela tinha embarcado naquela viagem por causa dele, não por Primus. Se fosse somente pela população, ela teria ficado no próprio planeta, perto da mãe, ajudando a defendê-lo sob ordens da princesa.

    Ao mesmo tempo, preenchia seu coração de felicidade que ele reconhecesse seu esforço, fazendo com que se sentisse útil.

    Olhou para ele enquanto preparava as palavras certas, mas não estava preparada para que ele pegasse sua mão e fizesse seu coração acelerar muito. Foi muito bom que a chamasse pelo nome para dizer alguma coisa, porque tudo o que tinha pensado tinha desaparecido até que ele a trouxesse para a realidade.

    - Eu...

    Ela torceu muito para que algum milagre acontecesse e todos voltassem naquele instante, mas nem sabia onde estavam.

    - Gail...

    Não lembrava mesmo o que tinha para dizer, com o rosto fervendo. Parou de olhá-lo diretamente, direcionando para o lençol.

    - Eu fiz isso porque...

    O que estava tentando dizer? Por que estava fazendo isso? Lembrou-se rapidamente da conversa com o comandante e por que nunca poderia dar a entender nada diferente. Era um suicídio social de repente querer dizer mais do que podia. Tinha ficado desse jeito porque achou que morreria, mas agora que estava muito bem viva, era desnecessário, guardaria aquilo para sempre. De repente seu semblante ficou mais rabugento, como sempre e ela teve coragem de falar normalmente:

    - Idiota. Não precisa ficar todo emocional e começar a me agradecer. Na verdade, eu fiquei muito feliz de te ajudar. Sei que você faria o mesmo por mim, você se esforçou muito para me ajudar também. Eu vi. E é o meu trabalho não é? Vou pedir um aumento - ela puxou a mão que ele segurava e fez um "v" com os dedos, rindo em seguida. - Pode ir se precisar, eu acho que daqui a pouco algum enfermeiro vai me dar alta. Eu sinceramente não aguento mais ficar aqui. Quero pelo menos andar um pouco
    Gakky
    Mestre Jedi
    avatar
    Mestre Jedi

    Mensagens : 1332
    Reputação : 63
    Conquistas :
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/311.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1112.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1011.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1811.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1413.png

    Re: Capítulo 3 - Abastecimento em Duos

    Mensagem por Gakky em Seg Fev 20, 2017 6:24 pm

    ---> Cena quarto (Ray)

    Enquanto Rhaenee tentava pronunciar algumas palavras, Gail ficou atento e esperando ansioso o que viria de sua guarda-costas. Seu semblante estava sério e curioso. Quando pensou que ela diria algo importante, a garota quebrou clima emotivo do momento. O príncipe sorriu descontraído depois de ouvi-la o chamando de idiota, era comum que conversassem dessa forma tão informal. Ele ficou com o semblante mais relaxado e bocejou alongando os braços para cima. Depois praticamente se deixou cair no sofá, colocou os braços atrás do pescoço para recostar no estofado e respondeu com um sorriso implicante:

    - Idiota. Qualquer outra garota ficaria emocionada de receber os agradecimentos do príncipe. Não tenho nada para fazer, vou ficar aqui até voltarmos para Seleucia. Eu até estou sendo legal de ficar, já que por ser minha guarda-costas, você deveria estar sempre me seguindo. Ficando aqui te livro do trabalho de ter que me seguir, nem precisa de um aumento tendo que proteger alguém tão legal como eu. Pode me agradecer depois.

    Gail boceja mais uma vez e se deita no sofá apoiando os pés no braço do estofado:

    - Você mal descansou e já quer alta? Não é você que vive dizendo que tenho me cuidar? Agora é sua vez de ficar quieta. Se fizer muito esforço não vai ficar boa tão cedo. Por causa do comandante, vai dar sorte de receber alta de noite. Se não fosse a missão, te faria ficar a semana inteira para ter certeza que estaria saudável. - O príncipe boceja mais uma vez e diz - Se eles demorarem a voltar, eu vou acabar dormindo...  Ray, você não sente falta de quando ficávamos no telhado comendo torta de maçã?

    Conforme Ray responde a pergunta, o príncipe começa a cochilar. A chuva lá fora estava apertando, de repente um raio corta o céu fazendo um barulho muito alto assustando Rhaenee e Gail, que acorda espantado. Ele se senta e após ver que não era nada, faz uma observação pensativo:

    - Ray, falando seriamente agora... Não acha estranho tentarem me matar? Você sabe, essas coisas nunca aconteceram antes. Eu já tenho 16 anos e só nesses últimos dias que ocorreram duas tentativas de assassinato... A única que vez que me atacaram antes foi para me sequestrarem quando era ainda criança, mas foi para chantagear meus pais, não era algo pessoal contra mim... Mas o que ganhariam agora tentando me matar? Se ainda fosse outro sequestro eu entenderia... O que você acha Ray? Será que foi por causa de algo que eu fiz?

    ---> Cena Loja (Marin e Chui)

    O evo decide não comprar nada na loja de doces, pois simplesmente estava sem fome. Já Chui se empolga e capricha nas compras, sem esquecer da torta de maça, pedida pelo príncipe. Por sorte chegou antes da última ser vendida. O caçador vai até o caixa e paga os itens, que foram embrulhados delicadamente em papel rendado e colocados em sacolas com desenhos de corações. Falconeri os apressa e os três voltam para o hospital.

    Marin se lembra que precisava visitar Nina, então vai direto para a sala dela como tinha combinado antes com Rosso. Ele usa o elevador, que era todo de vidro, para subir até o nível 2, chega nos corredores e caminha até chegar em frente a porta com o número 223. (Ver cena sala 223).

    O caçador no entanto, vai a procura do comandante, não queria desobedecer e levar um sermão maior. Quando o encontra, os dois sentam em um banco no saguão do hospital, no mesmo nível onde estava o quarto da Ray.(ver cena saguão).

    ---> Cena Saguão (Chui)

    O saguão era um cômodo retangular, amplo e branco, possuía sofás, bancos e grandes janelas nas paredes. Havia também televisões flutuantes que mostravam um programa de fofocas sobre famílias nobres, neste momento era uma notícia da filha de uma família nobre, os Montalban. Ela acaba de se casar em uma festa luxuosa onde usou dez vestidos de casamento, um mais extravagante que o outro. Alguns pacientes e visitantes percorriam o local. No saguão havia os corredores para os quartos e o elevador de vidro para os outros andares. Chui se senta ao lado do comandante, que observa a quantidade de sacolas que ele trazia e comenta:

    - Parece que gostou de fazer compras... Você sabe se Marin aproveitou a experiência?

    Depois de um tempo, era possível ver pela janela que a chuva tinha apertado, Chui percebe que deu sorte de voltar antes dessa tempestade. Um raio corta o céu e faz um som alto, pegando de surpresa o caçador e o assustando. Porém Rosso nem se mexe, mas fala:

    - Ele deve ter ido ver a Nina. Chui, você sabe que Rhaenee está nesse andar, se quiser pode vê-los, Gail ainda está com ela. Mas você não deve sair desse nível, ou fica aqui comigo ou com eles. Entendeu?

    Independente do que Chui decidir, Rosso fará uma pergunta estranha ao garoto:

    - Não acha que tem um peso grande demais? - Vendo que Chui não havia entendido, ele completa - - Pelo pouco que te conheço, você se tornou um caçador para ajudar sua irmã e os outros da vila... Pelo que vi muitos dependem de você, é um grande peso que carrega nas costas. Ser caçador não é uma profissão segura, nunca pensou em procurar algo mais fixo?

    ---> Sala 223 (Marin)

    Marin pode decidir se vai bater na porta antes de entrar, ou se vai entrar sem avisar. Mas quando entrar, verá um quarto hospitalar mais simples, diferente do que Ray estava. Era um cômodo branco com uma cama mais simples. Também havia uma janela, onde mostrava o tempo nublado lá fora. Alguns aparelhos indicavam o estado da paciente. Nina estava deitada sobre a cama e coberta por um lençol branco, usava um pijama parecido com a da guarda-costas. A evo ainda usava sua coleira. Quando Nina o vê, fica surpresa e fala receosa:

    - Marin...

    Depois a garota se encolhe em baixo do lençol e olha para o outro lado constrangida. Pela janela era possível ver que a chuva piorava, se tivessem ido na loja neste momento, voltariam encharcados. De repente um raio corta o céu nublado, o som assusta a garota que se encolhe ainda mais. Com a voz visivelmente preocupada, ela sussurra sem se virar:

    - Veio... Me machucar?
    Luxi
    Moderador
    avatar
    Moderador

    Mensagens : 1060
    Reputação : 67
    Conquistas :
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/311.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1112.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/912.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/212.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1811.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1413.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/410.png

    Re: Capítulo 3 - Abastecimento em Duos

    Mensagem por Luxi em Ter Fev 21, 2017 9:57 pm

    - Qualquer outra dessas suas fãs são retardadas. Elas não entendem que você é só um menino chato. Se elas tivessem que te aguentar, nunca mais sonhariam em se tornar princesas! - Ray gargalhou, bem mais tranquila agora por retomarem o clima descontraído. Sentia um grande alívio no peito agora.

    - Está bem... Eu talvez precise repousar mesmo mais um pouco. Só talvez. Hm? Torta de maçã!   - ela inspirou e fechou os olhos. - Depois de comer tanto pudim de peixe e comida de soldado eu já estou morrendo de saudade... eu posso até lembrar do cheiro. As trancinhas de massa em cima... Hmm! A gente era meio bobo. Achava que a vida inteira seria daquele jeito...

    Ela nota o príncipe dormindo e então decide não falar mais nada, apenas sorriu de leve, mas durou pouco. Arregalou os olhos com o trovão e acompanhou a expressão séria de Gail.

    - Não, de jeito nenhum. O que você teria feito?  Sabe, fico me perguntando se alguém nos seguiu de Primus até aqui só para tentar te matar. Seria uma loucura, eu sei, mas desde o incidente com a fruta envenenada, eu pensei em algumas possibilidades. Se você fosse atingido aqui, poderia causar um problema diplomático para a princesa resolver... É o grande problema de você ser príncipe. É o que você representa que importa. Atingir você seria o mesmo que atingir Primus...

    Mais uma vez a questão levantada pelo comandante mais cedo pairou em sua cabeça. E se Gail não fosse um príncipe? Não estaria enfrentando nenhum problema relacionado, não é mesmo?

    - Gail, você já imaginou como seria se você não tivesse sangue real?  Bem, eu sei que já, mas o que você pensa sobre isso agora? Er... não estou querendo dizer nada com isso. É só que... deve ser uma grande pressão o tempo todo e está sempre correndo perigo...
    Tsumai
    Tecnocrata
    avatar
    Tecnocrata

    Mensagens : 305
    Reputação : 9
    Conquistas :
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/411.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1811.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1413.png

    Re: Capítulo 3 - Abastecimento em Duos

    Mensagem por Tsumai em Qua Fev 22, 2017 4:56 am

    Chui chegou e logo ele e Marin se separaram, pois o evo ia finalmente voltar a se encontrar com Nina. O caçador só não estava mais curioso a respeito da conversa que os dois teriam pois estava faminto. Então, foi se encontrar com Rosso em uma sala onde poderia aproveitar alguma superfície para conseguir se alimentar tranquilamente. Assim, se sentou ao lado do comandante, enquanto pousava suas compras do lado oposto.

    - Comprei o máximo que consegui. - respondeu Chui enquanto desembrulhava alguns papeis para escolher o que comer primeiro. - Marin comprou algumas coisas... gostou particularmente de uma caixinha de música. Não entendi muito bem, mas enfim. Ele comprou um presente para Nina também.

    Quando escolheu o marzipã para comer, um raio iluminou o lugar e sobressaltou Chui, que estava tão distraído que nem havia reparado na tempestade que já caía.

    - Eu vou ficar aqui mesmo. - comentou o caçador. - Só preciso que Gail venha buscar essa torta... era esse o plano dele, queria que a gente saísse pra comprar esse presente para ele dar para Ray.

    Chui voltou a a remexer as sacolas, mas parou novamente quando Rosso disse aquelas palavras. O garoto ficou parado um tempo até resolver olhar para o comandante, um pouco mais sério. Pensou um pouco no assunto, coisa que raramente fazia; não era adepto de ficar com determinado assunto na cabeça, se imaginando como iria encará-lo - simplesmente ia e resolvia.

    - Sabe, comandante, eu não penso muito nisso. É algo que eu gosto de fazer, por mais que seja perigoso... não sou do tipo que fica parado em um lugar só, e se isso que eu faço é o suficiente para ajudar quem eu quero ajudar, então eu prossigo, até o dia que eu não conseguir. O mesmo vale para o senhor, comandante: militar é uma profissão difícil e perigosa, ainda mais nesses tempos. Mas imagino que o senhor gosta, não é? O mesmo vale para a Ray. Olha o que aconteceu com ela, mas ela ficou orgulhosa disso e não lamentou por ter que trabalhar com situações perigosas. Eu não vejo o senhor ou ela largando a vida de militar por um trabalho administrativo, por exemplo... e Ray é tão nova quanto eu. Talvez se eu escolhesse outra profissão eu não teria tanto empenho.

    Chui sorri. Fez questão de manter um tom de voz calmo, para não transparecer a Rosso que poderia estar retrucando a pergunta. Apenas usou os exemplos para demonstrar como se sentia com a vida que tinha, e que não a largaria "apenas" por ser perigosa e correr muitos riscos. Sempre tinha seus lados bons: conhecer culturas novas, experimentar comidas exóticas, viajar para lugares bonitos, se encontrar com pessoas interessantes e fazer novos amigos. Além do mais, era a vocação de Chui, ntão estava unindo o útil ao agradável.

    - Bom, só vou entregar a torta ao Gail e volto, não pretendo atrapalhar os pombinhos lá na sala...

    Chui pega a torta com cuidado e dá algumas batidas na porta do quarto de Rhaenee. Se ninguém atender, ele vai botar apenas a cabeça no interior do aposento e chamar por Gail. Se Gail atender ele vai entregar a torta a ele. Depois, vai voltar e se sentar ao lado de Rosso, e começar a comer seu marzipã.
    Luxi
    Moderador
    avatar
    Moderador

    Mensagens : 1060
    Reputação : 67
    Conquistas :
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/311.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1112.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/912.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/212.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1811.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1413.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/410.png

    Re: Capítulo 3 - Abastecimento em Duos

    Mensagem por Luxi em Qua Fev 22, 2017 9:08 am

    off: complementando com bobeira:

    on:
    Quando Chui bateu na porta, Rhaenee já comemorou:
    - Olha, minha alta chegou! Vai conversar com o médico, Gail - riu sozinha, esperando que alguém de branco aparecesse.
    Pallando
    Troubleshooter
    avatar
    Troubleshooter

    Mensagens : 831
    Reputação : 11

    Re: Capítulo 3 - Abastecimento em Duos

    Mensagem por Pallando em Qua Fev 22, 2017 9:46 pm

    Ainda na loja de doces, Chui comprou o que fora pedido por Gail entre vários outros doces e o trio deixou o recinto logo em seguida. Marin carregava os itens que havia comprado e seguia distraído pelas ruas, inevitavelmente relembrando os desastres de mais cedo e pensando neles com calma. Não voltaria atrás em sua ideia de visitar Nina, pois já até havia comprado uma luminária para a ocasião, mas não lhe agradava pensar nas possíveis reações da garota evo. Talvez nem a conhecesse realmente. Talvez apenas tivesse conversado com uma personagem criada para atrai-lo ao inimigo. Na verdade não sabia nada sobre ela.

    Quando chegaram ao hospital, Marin separou-se dos dois e seguiu sozinho para o elevador. Subiu até o nível 2 e caminhou pelos corredores até encontrar a porta com o número 223. No geral, fora bem fácil para o evo encontrar o quarto, mas por alguns poucos instantes hesitou em entrar. Assim que decidiu-se novamente, Marin entrou empurrando a porta e não se preocupou em fecha-la depois. Indelicado como era, sequer se lembrou de que poderia ter batido na porta antes de entrar.

    Imediatamente analisou o quarto e a simplicidade deste o agradou. Reparou nos aparelhos por um breve momento e olhou pela janela pouco antes de voltar sua atenção para Nina. A garota evo pareceu surpresa ao vê-lo, acuada de certa forma. Ainda usava a maldita coleira e se encolhia cada vez mais de baixo do lençol branco, também evitando o contato visual com o visitante. Até então nada diferente da garota ingênua que Marin conhecera na loja em construção, e isso deixou o evo aliviado.

    Marin sentiu-se grato por ter sido ela a começar a conversa, pois sabia que talvez tivesse tido dificuldade em começar ele mesmo. Não sabia muito bem como conversar com pessoas que o haviam atraído para uma armadilha. Quando ouviu a pergunta da garota, Marin não sabia se deveria acalma-la rapidamente ou deixa-la sentir medo por mais algum tempo, afinal ainda não sabia o que pensar dela. De qualquer maneira, Marin estava feliz por ela não o culpar pela morte do irmão.

    - Não.- Respondeu com simplicidade, como se fosse alguma coisa qualquer. Virou-se e finalmente fechou a porta que havia deixado aberta, para depois aproximar-se mais um pouco de onde ela estava e continuar a falar.- Apenas resolvi visita-la. Sei que tem medo dos humanos daqui, mas seu plano falhou e seu irmão morreu... então pensei que gostaria de conversar com alguém. Acho que eu conversaria se fosse você.- Não era difícil deduzir que Nina quisesse conversar ou apenas ouvir alguém depois de tudo aquilo. Marin não tinha experiência alguma com situações de luto ou coisas do tipo, mas ainda era impulsionado pelo desejo de ajudar a garota evo de alguma forma. Apenas sabia que não queria deixa-la naquela situação.
    Gakky
    Mestre Jedi
    avatar
    Mestre Jedi

    Mensagens : 1332
    Reputação : 63
    Conquistas :
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/311.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1112.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1011.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1811.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1413.png

    Re: Capítulo 3 - Abastecimento em Duos

    Mensagem por Gakky em Qua Fev 22, 2017 10:40 pm

    -----> Cena Quarto Hospitalar(Ray)

    Gail estava relaxado com a conversa e as implicâncias de Ray. Dormia no sofá quando ela começou e recordar dos bons tempos. Mas logo ouviu o som do raio e acordou com algumas indagações sobre as tentativas de assassinato. Ele ouve os comentários de sua amiga e concorda, pois acha que faziam sentido. Porém a última pergunta de Rhaenee o pega de surpresa e o deixa corado. Porém a medida que a garota explica o motivo de ter perguntando, ele suspira cabisbaixo e responde com um sorriso desanimado:

    - Na verdade eu penso nisso o tempo todo... A vida de um príncipe é muito restritiva... Quando me falavam dos riscos, eu não queria acreditar... Mas a realidade me provou que eu estava errado... Todos esperam que eu siga as exigências e conveniências sem questionar. Mas é tão sufocante não poder escolher meu próprio futuro... Ás vezes parece até difícil respirar quando tenho em mente que qualquer atitude minha pode gerar graves consequências... Minha irmã faz parecer tão natural, não sei se conseguirei ser tão bom quanto ela... Tenho certeza que os meus pais tem medo disso...- Ele suspira e continua distraído- Eu queria ter o direito de escolher pelo menos uma parte do meu futuro... Ray.... Você já pensou como seria se fosse uma princesa?

    O príncipe fica constrangido ao notar o que tinha falado. Sem jeito ele desvia o olhar para a janela e ri sem graça:

    - É... Só estou invertendo a pergunta que me fez... É que você já me falou dos problemas financeiros... Mas do jeito que é, duvido que sonharia em ser uma princesa! - Para disfarçar ainda mais sua pergunta, ele a provoca sem pensar - Seria engraçado só de imaginar você fazendo a primeira aula de valsa, o professor fugiria de você depois de ter os pés pisados por causa da sua falta de coordenação.

    Gail ri da própria piada e se sente aliviado por escapar do constrangimento. De repente batidas na porta interrompem os dois. Rhaenee logo fica animada achando que era o médico. O príncipe sorri com a animação de sua amiga e se levanta para abrir a porta:

    - Será mesmo? Eu não contaria com isso... - Implicou antes de ver quem era.

    Quando abre a porta fica surpreso ao ver Chui. Ele pega a embalagem das mãos do caçador e sussurra algo para ele que Ray não conseguiu ouvir. O caçador vai embora, o príncipe fecha e porta e volta segurando o embrulho que Chui entregou. Ele se aproxima de Ray, entrega o embrulho para a garota o colocando no colo dela, em cima do lençol. Depois explica com um sorriso:

    - Ray, isso é um presente para você por ter sido sincera e uma boa amiga, mesmo eu te fazendo passar por péssimas situações. Não fique metida com o que vou dizer, mas esses momentos com você são os mais divertidos e relaxantes, neles eu me sinto mais humano... Acho que por isso que não enlouqueci com tanta pressão... Você faz eu me sentir importante, não por ser um príncipe, mas por ser seu amigo.

    As palavras do príncipe fazem Rhanee se lembrar da época em que haviam se conhecido, tudo começou por um soco. Quando Ray abrir o embrulho vai ver que era uma lindae cheirosa torta de maça. Gail aproveita para explicar:

    - Eu teria comprado antes, mas com o atentado... Eu não podia sair, então combinei com o Chui de comprar para mim. Por isso tentei convencer o comandante naquela hora e ele suspeitou... Depois da missão e de salvarmos Primus, vou gostar de voltar ao nosso cotidiano normal.

    -----> Cena Saguão (Chui)

    O Comandante ouve atento cada palavra de Chui, mais do que o garoto imaginava. Quando ele fala da torta pedida por Gail, seus olhos arregalam surpresos e depois de fecham com uma expressão de "eu sabia".

    - Então foi por isso que ele fingiu estar preocupado com Marin... - Disse Rosso juntando as pistas - Gail disse o porquê de querer comprar um presente para Rhaenee?

    Depois do caçador responder, ele faz a outra pergunta e ouve a grande explicação do garoto sem fazer qualquer interrupção. Chui sai do saguão e vai até a porta do quarto de Ray. Logo depois que ele bate, o príncipe abre a porta e o encontra. O caçador entrega o embrulho e escuta as palavras sussurradas de Gail:

    - Você conseguiu! Obrigado, te devo uma! Bate aqui!

    O príncipe faz um soco com uma das mãos e espera que Chui retribua o gesto. Depois o caçador volta a sentar ao lado de Rosso e aproveita para comer seu marzipã. Os doces realmente eram deliciosos. Rosso aproveita para fazer mais alguns comentários:

    - Não acha que está ingerindo glicose demais? Isso pode afetar o seu desempenho - Ele suspira e muda o assunto - Sim, ser militar é uma profissão perigosa. Mas se acontecer algo com a Rhaenee, a família dela receberá uma indenização e até uma pensão. Ela e sua família também possuem direito a tratamento médico gratuito e o salário não muda, sempre estará lá no fim do mês. Imagino que o salário de um caçador esteja sempre mudando de acordo com as condições. Chui, sua atitude é louvável, você carrega um grande peso. Imagino como deve ter sido difícil para vocês viverem sem uma família... Mas nunca pensou em ser um militar? Teria muitas vantagens.

    -----> Cena Quarto de Nina (Marin)

    Quando Marin responde um simples não, Nina lança um olhar receoso para o evo, mas ao vê-lo se aproximando, volta a se encolher, dessa vez cobrindo a cabeça com o lençol. Ela escuta aqueles palavras e acha esquisito, por um breve momento fica apenas em silêncio. Os dois ouvem apenas a chuva caindo lá fora, as gotas escorriam pela janela e o clima estava fresco. De repente Marin ouve o choramingar abafado de Nina debaixo do lençol. Com a voz embargada, a menina tira o lençol do rosto e tem coragem de perguntar enquanto chora ao mesmo tempo:

    - Não está zangado por...Por eu ter te enganado? Por que me salvaram se... Se... Fui eu que te enganei...?

    Ela volta a se cobrir, pela superfície do lençol é possível ver as costas de Nina arqueando por causa dos soluços. Ela ainda solta um último comentário:

    - Seria melhor ter morrido...
    Luxi
    Moderador
    avatar
    Moderador

    Mensagens : 1060
    Reputação : 67
    Conquistas :
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/311.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1112.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/912.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/212.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1811.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1413.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/410.png

    Re: Capítulo 3 - Abastecimento em Duos

    Mensagem por Luxi em Qui Fev 23, 2017 8:06 pm

    Rhaenee sentia um pouco de pena de Gail. Era um sistema cruel colocar nas mãos de uma pessoa só todo o peso de um planeta. Por isso admirava tanto sua irmã, a princesa. Eles tinham que ser muito fortes, fosse física ou mentalmente. Ela estava ouvindo tudo de uma forma calma, até que ele a pegou desprevinida com aquela pergunta.

    - Quê!?

    Abriu e fechou a boca pra falar alguma coisa, mas sua cara provavelmente estava constrangida, franzida e corada demais para ser ignorada, tanto é que o príncipe logo se corrigiu e emendou a explicação, fazendo com que ela tossisse e desviasse o olhar.


    - Ah, lógico. É. isso. Ah. E-eu não ia querer mesmo.. HÃ? Como assim pisar no pé? Você está é muito enganado. E-.. Eu não ia querer passar por uma coisa idiota dessas, nem ficar cercada de um monte de falso baba-ovo!!!  

    Tentou cruzar os braços atrapalhada, mas como um deles estava imobilizado, acabou por ficar contente de agarrar o polvo de pelúcia e jogar na cabeça dele.


    Na verdade, estava com vergonha de pensar que provavelmente era isso que aconteceria. Não era muito graciosa nos movimentos, embora fosse ágil. Fechou a cara e mostrou a língua para ele. Então houve a batida na porta

    (...)


    - Hm? O que é isso?

    Pelo cheiro, ela sabia que era comida. Ele colocou o embrulho em seu colo e ouviu o discurso com as bochechas um pouco rosadas e os olhos curiosos. Não entendia por que ele estava falando isso, mas isso a fez sorrir. Ela era muito atrevida de agir assim com um príncipe e era por isso que tinham ficado próximos. Nem ela se dava conta às vezes da falta de respeito que tratava ele... ou melhor dizendo, tratava como um igual, como um amigo. Sorri sinceramente enquanto abria o embrulho, quando soltou um berro:


    - AAAAAAA MAÇÃ!!! MAÇÃ!!! Eu amo torta de maçã!!

    Ela respirou fundo para sentir o cheirinho da torta e pegou o talher de plástico para comer.

    - Aa~~~ Maçã. Você me fez falar da torta mais cedo porque já tinha planejado isso!! Hahah~~  obrigada... Nossa, ela parece tão boa. Posso comer já, né? - mal perguntou isso e ja tinha colocado um pedaço na boca.
    - A~~  até que não foi tão ruim assim ter passado por isso. Você está me mimando. Haha~ Obrigada! Nossa! Como Duos faz comida gostosa

    Ela ficou rapidamente de excelente humor, saboreando a torta a cada mordida, como se estivesse em um mundo particular.[/color][/color]
    Tsumai
    Tecnocrata
    avatar
    Tecnocrata

    Mensagens : 305
    Reputação : 9
    Conquistas :
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/411.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1811.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1413.png

    Re: Capítulo 3 - Abastecimento em Duos

    Mensagem por Tsumai em Qui Fev 23, 2017 10:19 pm

    Chui pisca o olho para Gail e dá um sorriso para ele, um tanto encorajador. Depois, fecha a porta e volta para o lado do comandante Rosso, onde poderia comer seus doces sossegado, tendo a companhia de Rosso, que até era uma presença agradável.

    - Só sei que Gail pediu pra comprar presente falando que ela agiu bem, e que são amigos, ou algo assim, não prestei muita atenção. Mas pra mim tem muito mais nesse gesto...

    Chui continua a comer seu marzipã enquanto houve a longa fala do comandante. Ficou em silêncio até o momento em que terminou de comer, que foi quando olhou para Rosso e comentou:

    - Eu não sei se sou a pessoa certa para isso. Não sou muito bom em seguir regras, como o senhor deve saber, e muito menos os protocolos e tudo mais. Ser um militar me restringiria, pois seria uma tarefa fixa, e eu não poderia aproveitar as belezas da galáxia e nem visitar minha irmã quando eu bem entendesse... eu não tenho a disciplina da Ray, nem a etiqueta de Gail e muito menos sua rigidez. Além do mais, eu convidei Marin para seguir comigo em minhas viagens, e nunca é bom quebrar uma promessa.

    Chui dá um sorriso, mas tinha certeza que Rosso saberia que não era muito bem um sorriso alegre. O caçador não se via fazendo outra coisa, se não caminhar pelos mundos e sentir-se livre. E mesmo que tivesse a chance de ingressar no serviço militar, Chui não sabia se tinha competência para servir, e muito menos paciência para isso, pois tinha medo de se sentir preso ou parecer fraco aos olhos dos outros. Tinha um pequeno medo também por parte do preconceito, muito mais por ser de onde é e não pela cor de sua pele, pois não se lembrava de passar por isso em Primus (até porque não ficou muito tempo lá).

    Chui escolhe o primeiro doce que sua mão tocar e começa a comer, para se ocupar com algo enquanto espera a próxima fala de Rosso.
    Pallando
    Troubleshooter
    avatar
    Troubleshooter

    Mensagens : 831
    Reputação : 11

    Re: Capítulo 3 - Abastecimento em Duos

    Mensagem por Pallando em Sex Fev 24, 2017 1:04 am

    Marin não conseguia evitar de sentir certa irritação para com a postura da garota evo, que parecia ainda ter medo dele ao se encolher mais uma vez de baixo do lençol. Dessa vez ela havia coberto a cabeça e se manteve em silêncio, um silêncio estranho que Marin não sabia se interpretava como um talvez ou uma completa recusa à sua oferta de conversar. Não tinha a mínima ideia do que a garota faria a seguir. Porém, quando ouviu-a começar a choramingar, sentiu que havia dito algo errado ou feito uma má leitura da situação.

    Quando a evo descobriu o rosto e revelou as lágrimas, Marin ficou mal por ela e a confusão que sentia desapareceu. Estava claro que havia acertado ao supor que ela gostaria de conversar com alguém depois de toda a desgraça sofrida. Nina estava perdida e provavelmente mais solitária do nunca, mas uma parte de Marin ainda estava feliz por ver que Nina não era apenas uma personagem que fora interpretada para engana-lo. Suas perguntas vinham pausadas pelo choro e Marin intuitivamente sabia que ela precisava de apoio, algo para acalma-a ou conforta-la... mas infelizmente não sabia como fazer isso.

    Não respondeu de imediato. Apenas deixou as perguntas no ar e observou enquanto Nina voltava para baixo do lençol e continuava a chorar. Sentiu a tristeza vindo para lhe apressar a tomar uma atitude, se aproximar e dizer algo adequado, ao mesmo tempo que ficava cada vez mais impaciente por não saber o que fazer. Deveria negar tudo o que ela dizia? Força-la a sair de baixo do lençol? Abraça-la? Não tinha a mínima ideia de como agir naquela situação, e mesmo que soubesse, talvez não tivesse o tato, a sensibilidade, para fazer da maneira correta.

    - Eu mentiria para me livrar da coleira...- Foi a melhor maneira que encontrou de dizer que não estava nervoso por ter sido enganado(mesmo que na verdade estivesse), ao menos sem precisar responder diretamente à pergunta. Com o tempo começava a perceber que às vezes sentia-se mais confortável esquivando-se de certas perguntas, mas outras exigiam maior sinceridade.- Não quero que você morra.- Simples assim.

    Pouco a pouco voltando à calma habitual, Marin intuitivamente viu naquele momento uma boa oportunidade para tentar animar a garota ou ao menos distrai-la, faze-la esquecer a dor por alguns minutos. O evo aproximou-se da cama e cuidadosamente colocou a luminária sobre ela, sem encostar em Nina. Afastou-se e tentou fechar um pouco a cortina da janela(se houver uma) para deixar o ambiente mais adequado para o uso do presente. Enfim, parou onde estava e continuou ouvindo a chuva e choro, aguardando até que a própria Nina ligasse a luminária(ou não).

    - Se você precisar, eu vou te ajudar. Não quero uma lembrança ruim sobre isso... já tenho muito poucas lembranças para isso.
    Gakky
    Mestre Jedi
    avatar
    Mestre Jedi

    Mensagens : 1332
    Reputação : 63
    Conquistas :
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/311.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1112.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1011.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1811.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1413.png

    Re: Capítulo 3 - Abastecimento em Duos

    Mensagem por Gakky em Sex Fev 24, 2017 7:31 pm

    -----> Cena Quarto Hospitalar(Ray)

    - Eiii... - Reclamou Gail ao ser acertado na cabeça pelo polvo de pelúcia, depois esfregou a área da cabeça onde foi atingido e a provocou - Você gostou mesmo desse polvo... Olhando bem até que ele se parece com você.

    Depois que Chui chega e o príncipe entrega o presente para amiga, ele sorri ao ver a reação dela e a fica observando distraído.

    - Claro que pode... Comer... - Respondeu Gail notando ela começou a comer antes dele dizer que podia.

    A torta realmente estava deliciosa, os chefs de Duos sabiam fazer doces suaves e maravilhosos, sabiam a medida certa, sem tornar as coisas doces demais ou sem sabor. O príncipe se aproximou e enquanto a observava falou:

    - Eu estava te devendo algo por ter me ajudado com a minha irmã, lembra? É por isso... Mas não vai me dar um pedaço?

    A guarda-costas estava quase acabando com a torta toda, quando ela levava mais um pedaço de torta a boca, Gail a pega de surpresa e a impede segurando seu pulso e guiando o garfo dela para sua boca. Abocanhou o pedaço inteiro que estava no talher deixando Rhaenee com o coração acelerado por causa da proximidade. Ele era diferente quando não estava em público, gostava de quebrar propositalmente várias regras de etiqueta perto de Ray.

    - Hummm... Bom... - Disse de boca cheia, engoliu o pedaço e disse brincando - Quase fico sem... Mas está certa, coma bastante para engordar e ficar boa logo.

    Os dois se divertem achando graça um do outro. Rhaenee não demorou para terminar com toda a torta. Tudo parecia calmo e tranquilo, o príncipe já comentava do cochilo que faria antes que voltassem para nave, quando um clarão surgiu no céu de Duos. Os dois veem o que acontece pela janela, era como se um corpo celeste tivesse caído no planeta. De repente sentem um tremor e ouvem o rugido assustador já familiar para a guarda-costas, era uma das criaturas gigantes. O monstro era tão grande que era possível vê-la na janela, surgiu entre os prédios, logo depois do clarão. Ele é azulado, possuí braços e pernas enormes e uma longa cauda. A criatura parecia estar vindo na direção do hospital.

    Gail logo se desespera, seus olhos arregalam-se assombrados, nunca tinha visto uma criatura tão grande e tão de perto. Instintivamente ele se aproxima da guarda-costas para carregá-la nos braços e fugir sabe-se lá para onde:

    - Segure forte em mim Ray! Vamos... Vamos sair daqui!

    Ray ao vê-lo se aproximar logo lembra da dor que sentiu quando foi carregada. Ela já podia andar, não precisava ser assim, embora não estivesse em suas melhores condições. O relógio de Gail toca, era a voz de Rosso dando uma ordem urgente:

    - Gail! Atenção! Todos vão tentar fugir descendo, a entrada ficará obstruída! Então vocês dois peguem o elevador e subam para o terraço!! De lá usem o Gudam para voar e escaparem. Mandarei Chui e Marin também! Estou confiando inteiramente em vocês, não me desapontem!

    -----> Cena Saguão (Chui)

    O Comandante ouve a resposta de Chui sobre Gail e diz pensativo, levando a mão ao queixo:

    - É gentil da parte dele gratificá-la... Mas por que acha que tem algo a mais nesse gesto, Chui?

    Quando Chui responde sobre o que acha de ser um militar, o comandante suspira e fala:

    - Visitar a sua irmã é algo que não pode escolher também... Já ouvi ela reclamando que vocês quase não se veem. Militares possuem folga. Não precisa de tanta etiqueta quanto Gail... Só disciplina, mas isso se aprende. Quando eu comecei, não era o tipo de vida que havia escolhido para mim, mas com o tempo acabei realmente gostando. Nós temos alguns pontos em comum, a diferença é que não tenho ninguém para quem deixar minha indenização. Chui, você têm habilidades incríveis. Mas fico orgulhoso ao ver que procura manter a promessa que fez a Marin. Vamos combinar então de deixar o fim dessa conversa para depois da missão, ok?

    O caçador come boa parte dos seus doces tranquilo. Porém um clarão surge na janela e um tremor é sentido por todo hospital. Quando o clarão se apaga, vocês ouvem o rugido de uma criatura, era um som familiar. Os dois correm até a janela para ver o que estava acontecendo e veem um enorme e gigante monstro se levantando entre os prédios e caminhando na direção de vocês, o hospital. O monstro é azulado, possui longos braços e pernas e uma cauda que começa a destruir tudo pelo caminho. O comandante envia imediatamente uma mensagem pelo relógio para Gail:

    - Gail! Atenção! Todos vão tentar fugir descendo, a entrada ficará obstruída! Então vocês dois peguem o elevador e subam para o terraço!! De lá usem o Gudam para voar e escaparem. Mandarei Chui e Marin também! Estou confiando inteiramente em vocês, não me desapontem!

    Depois se vira para Chui e ordena apressado:

    - Chui, vou subir e distrair aquela coisa! Corra para perto de Ray e Gail e os ajude a alcançar o terraço, depois fuja voando com eles para a estação onde está Seleucia. Mandarei Marin para segui-los. Faça valer suas habilidades caçador, conto com você!

    Rosso entra no elevador e Chui pode vê-lo usando seu comunicador para falar com Marin. As pessoas no saguão começam a olhar pela janela assustados e depois correm desesperados para escapar.

    -----> Cena Quarto de Nina (Marin)

    Nina chorava inconsolável, mas fica confusa ao ouvir o primeiro comentário de Marin. É possível ouvi-la fungar e a sua respiração ofegante. Ela continua em silêncio também quando escuta do evo que não queria que ela morresse. Quando Marin coloca o objeto em cima da cama, a garota se assusta um pouco e retira o lençol da cabeça. Ela olha um tempo para a luminária, enquanto o outro vai até as janelas e fecha a cortina, em seguida fala mais algumas palavras a jovem.

    A garota se aproxima do objeto curiosa e o liga. Quando isso acontece, a luminária projeta várias luzes em forma de planetas e estrelas por todas as paredes do quarto. Nina fica surpresa e para de chorar, enxuga as lágrimas e fica olhando boquiaberta e quase hipnotizada para o objeto. Depois fala com a voz triste, mas não chorando:

    - É lindo... Você disse me ajudar? Mas eu te enganei... Juro que não ia te machucar, só queria o relógio... Sei que não devia, mas o Dax falou que compraria nossa liberdade. Eu conhecia os defeitos dele, é certo que sou culpada, mas era meu irmão... Minha única família... Temos que defender primeiro que amamos, não é? Ele não foi sempre violento assim... Ficou depois do experimentos que passou. Tentamos denunciar nosso tutor, mas ninguém acredita em evos com coleira... Talvez estejam certos... O que fiz não deveria ter perdão... Você tem direito de não gostar de mim...  

    Depois olha para Marin, abaixa a cabeça a diz:

    - Você tem sorte... Acho... Aquele humano parecia te defender... Mas porque te colocaram uma coleira... - Nina já ia perguntar quando nota que Marin não estava mais com a coleira, fica surpresa e questiona - Como se livrou da sua coleira?!

    Após o evo responder, a garota volta a olhar para a luminária e pergunta:

    - É tão bonito... É seu?

    A conversa havia se tranquilizado. Os dois permanecem assim por pouco tempo. Um clarão vindo da janela ilumina o quarto e um tremor como um terremoto é sentido por todo hospital. Logo Marin ouve um rugido familiar, era uma criatura gigante. Ele abre as cortinas rapidamente e vê pela janela uma enorme criatura surgindo entre os prédios. O monstro era mais alto do que todos os edifícios e caminhava em direção ao hospital onde estavam. Sua pele azulada lembrava de um grande réptil, possuía braços, pernas e uma cauda que destruía tudo no caminho. Logo Marin recebe um comunicado pelo relógio com a voz de Rosso:

    - Marin! Vá para o terraço, mandei Gail, Ray e Chui para lá. As pessoas tentarão escapar descendo, ficará impossível passar por eles. O melhor caminho é o terraço! De lá peguem o gudam e voem para Seleucia, tentarei atrasar a criatura enquanto o exército não chega! Rápido! Vamos Marin, confio em você!

    Nina observava assustada.




    Foto da criatura gigante:

    Spoiler:


    Conteúdo patrocinado


    Re: Capítulo 3 - Abastecimento em Duos

    Mensagem por Conteúdo patrocinado


      Data/hora atual: Seg Jul 24, 2017 7:52 am