Um fórum de RPG online no formato de PBF (Play by Forum).


    Prologue: The Pirate's Obsession

    Compartilhe
    Elminster Aumar
    Administrador
    avatar
    Administrador

    Mensagens : 7887
    Reputação : 37
    Conquistas :
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/211.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1311.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1012.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/811.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1212.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1711.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1413.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/410.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1511.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/512.png

    Re: Prologue: The Pirate's Obsession

    Mensagem por Elminster Aumar em Seg Maio 22, 2017 9:57 pm

    As horas que Lyo havia escolhido para aguardar pacientemente a noite chegar tinham sido quebradas pela chegada de uma carroça. O castelhano tentou se apressar para voltar ao topo da árvore e poder enxergar melhor que figura vinha se aproximando. Os homens da vinícola também tinham parado os seus afazeres para observar a carroça, e Lyo fez aquela anotação mental e guardou para si. Seja lá quem fosse, ele não era uma visita esperada pelos homens do campo, embora tivesse sido - em seguida - bem recebido pelos cuidadores do casarão. Lyo estranhou a presença do arcabuz com o homem, que de todas as perspectivas parecia conduzir uma carroça mercantil comum. Seria a arma apenas para se proteger na estrada? De qualquer maneira não havia mais nada a fazer, pois o homem tinha entrado na casa e ainda restavam algumas tediosas horas até que a escuridão da noite caísse por aqueles campos.

    Para passar o tempo, Lyo pegou sua faca e começou a fazer traços no casco da árvore. Ele tentava desenhar um rosto feminino, à imagem de que tinha de sua irmã. Só então ele percebeu fazia tempo que não a via e como ela deveria estar mudada hoje em dia. Ela era uma adolescente quando foi raptada e Lyo se perguntou se a reconheceria se a visse. Ele ficou com essa dúvida até que finalmente chegar a hora de sair de sua incômoda posição no galho da árvore e buscar por informações mais concretas.

    A tosse não o surpreendeu, mas ele teve que atrasar os seus movimentos até que aquele ataque passasse. Tentou abafar o som com as mãos, mas temia que alguém pudesse ter ouvido. Quão ridículo seria eu ser apanhado porque tossi, pensou. Em seguida, ele começou a se mover de rancho em rancho. Por sorte, o lugar todo estava bem mais vazio e a torre de observação não aparentava riscos, mas mesmo assim ele se movia sempre lançando olhares em direção a ela para ver se captava alguém que não tinha visto ainda. Os ranchos não continham nada que valesse a pena perder muito tempo, e por isso o castelhano não perdeu muito tempo nos três ranchos que explorara. Agora que estava próximo da mansão, ele aproveitava os altos arbustos para se manter escondido e se aproximar cada vez.

    Observou e entreouviu partes da conversa de dois homens na varanda. Aguardou até que eles se retirassem e ocupou os seus lugares. Pela janela viu que a cozinha e sala de jantar estavam ocupadas por pessoas. Ele não reconhecia nenhuma delas, embora tenha tentado, por mais de uma vez, identificar que tipos de tatuagens o homem que viera na carroça tinha consigo mesmo. As tatuagens podiam dizer muito sobre uma pessoa. Em determinado momento, ele ficou com receio de ser descoberto ali fora, exposto como tava. Não adiantava invadir o lugar cheio como estava. Ficou mais dois minutos tentando ouvir alguma conversa mais reveladora além do nome do Dr. Landa. Depois tentou se aproximar da carroça mercantil, estacionada do lado de fora. Ele queria dar uma rápida explorada em seu interior, e aproveitaria para pegar o arcabuz que o homem deixara ali e tirar toda a sua munição e guardar para si, mas colocaria a arma de volta exatamente no lugar em que estava. Ele ainda olhou para o segundo andar da casa, tentando ver se havia movimento ou luzes acesas. Se tivesse tudo escuro, ele poderia tentar escalar e entrar por uma das janelas, para investigar um dos cômodos do local, de preferência os aposentos pessoais do dono da propriedade. Contudo se houvesse qualquer suspeita de movimento, ele retrocederia.
    Shady Dope
    Cavaleiro Jedi
    avatar
    Cavaleiro Jedi

    Mensagens : 219
    Reputação : 0

    Re: Prologue: The Pirate's Obsession

    Mensagem por Shady Dope em Qua Maio 31, 2017 8:37 pm

    Lyonel sabia que não estava no melhor local para ficar por tanto tempo espiando e tentando escutar alguma coisa a mais. Mas se arriscou por mais algum tempo. A conversa decorria sem o castelhano entender nada, o dono da propriedade gesticulava com as mãos, e apesar de tentar insistentemente, estava longe demais para observar detalhes daquelas tatuagens que via no corpo do homem, além disso, o tempo havia desbotado a tinta dificultando ainda mais aquela simples tarefa.

    Em dado momento, o visitante arrasta sua cadeira para trás da mesa e em seguida se levanta, ele vira seu corpo na direção da cozinha e o olhar do homem por alguns milésimos de segundo pareceu se cruzar com o olhar de Lyonel. O castelhano se abaixa rapidamente, sentindo o sangue ferver em suas artérias. A dúvida sobre se tinha sido visto pelo visitante perturba o castelhano que rapidamente sai de trás do peitoril da janela, esgueirando-se novamente entre as paredes externas do casarão.

    Lyonel se afastou daquela varanda com pressa, partindo até a esquina da parede e cruzando a varanda da frente em direção a carroça do próprio visitante. Não havia ninguém em seu caminho, parecia que todos estavam entretidos demais para preocupar-se com qualquer coisa além do jantar e da recepção àquele homem. Rapidamente Lyonel se põe atrás da carroça do homem. Havia uma porta que parecia a de um armário, e sem dificuldades o castelhano conseguiu abri-la para ver o quê havia ali dentro. Havia dezenas, talvez centenas de frascos e garrafas com diversos tipos de conteúdos líquidos dentro, o visitante em questão deveria ser algum tipo de boticário, alguém que vendia remédios, perfumes e poções milagrosas, uma profissão incomum mas que começava a surgir com frequência no leste e sul do continente. Lyonel passou a mão sobre alguns produtos, vasculhando a carroceria da carroça com mais afinco, até que encontrou alguns invólucros guardando uma série de documentos.

    O castelhano tem sua atenção quebrada pela presença de alguém. Lyonel ouvia passos estalando a madeira do piso da varanda. Por algum momento os passos cessam, até que o som volta com mais firmeza, descendo as escadas da varanda. Alguém estava se aproximando por um dos flancos da carroça que Lyonel vasculhava.
    Elminster Aumar
    Administrador
    avatar
    Administrador

    Mensagens : 7887
    Reputação : 37
    Conquistas :
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/211.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1311.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1012.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/811.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1212.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1711.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1413.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/410.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1511.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/512.png

    Re: Prologue: The Pirate's Obsession

    Mensagem por Elminster Aumar em Ter Jun 06, 2017 8:14 pm

    O coração de Lyo acelerou-se quando viu o seu olhar cruzar com o do visitante. Ele estava ciente de que se abaixara rapidamente, mas ao mesmo tempo, aqueles milésimos de segundos pareceram horas. Era como se o tempo tivesse parado naquele breve instante. A dúvida martelava a cabeça do corsário. Com sorte ele viu apenas um vulto pela janela e vai pensar que é um animal qualquer, pensou, tentando parecer otimista para si mesmo. Ele ainda tinha trabalho a fazer e não podia arredar pé dali sem descobrir por mais pistas.

    Esgueirando-se sempre pelas paredes da mansão a fim de usá-las como coberturas, o castelhano alcança a carroça do visitante e inicia o seu trabalho de investigação. Abrindo uma porta na traseira da carruagem, revelou-se vários frascos com conteúdos de cores diversas, e Lyo não resistiu a tentação de pegar alguns desses frascos e colocar em sua mochila. Ele já estava com a lama nos joelhos, afundar um pouquinho mais não faria tanta diferença. Mas algo o interessou mais do que os frascos: os invólucros contendo documentos. Ele chegou a abrir um desses envelopes e começava a olhar documento por documento quando percebe a presença de mais alguém. A pessoa estava na varanda, e Lyo prende a respiração para poder escutar melhor o que acontecia. Instintivamente a sua mão foi para o coldre de sua arma. Os passos agora indicavam que a pessoa tinha descido as escadas da varanda e se aproximava de um dos flancos da carruagem.

    Lyo aguardou. Se desse para se manter escondido ali, ali ele ficaria. Atento e com a mão a postos para puxar a arma, Lyo procurava algum ângulo de visão para poder ver quem se aproximava. Seus pensamentos não paravam de atormentá-lo, dizendo o quão burro ele fora de ir até lá sozinho. Lyo nunca fora um ladrão ou um espião. Ele era um homem de armas, um homem respeitável e digno; se ver naquela situação era ultrajante para ele.
    Conteúdo patrocinado


    Re: Prologue: The Pirate's Obsession

    Mensagem por Conteúdo patrocinado


      Data/hora atual: Dom Dez 17, 2017 7:40 pm