Um fórum de RPG online no formato de PBF (Play by Forum).


Capítulo 4 - Viagem para Nihil

Compartilhe
Gakky
Mestre Jedi
avatar
Mestre Jedi

Mensagens : 1261
Data de inscrição : 08/07/2015

Capítulo 4 - Viagem para Nihil

Mensagem por Gakky em Seg Mar 13, 2017 8:18 pm

Capítulo 4 - Viagem a Nihil

Todos estavam na cabine de comando quando Seleucia parte de Duos. Apesar do espaço ser escuro, o relógio marcava sete horas e meia da noite. Rosso deixa o piloto no automático e os libera dos cintos das poltronas, em seguida os chama:

- Todos para o Hangar, agora!

Chui, Marin e Ray se levantam e já sentem que chegou a hora do sermão, mas logo percebem que o príncipe estava adormecido na poltrona. Não demorou muito para o comandante gritar no ouvido dele e acordá-lo no susto. Mesmo desanimados, todos descem até o Hangar. Rosso os faz ficar em fileira todos de frente para ele, quando enfim começa o sermão:

- Estou decepcionado com vocês! Eu dei uma ordem e confiei que iriam cumpri-la, mas o que fizeram? Escolheram jogá-la no lixo! Será que preciso repetir? Vocês são uma equipe, devem ficar sempre juntos! Ou será que querem morrer? Separação significa morte!! Estão me ouvindo?!

Depois de berrar um pouco, ele continua agora mais calmo e andando de um lado para o outro:

- Quando um membro da equipe erra, todos erram também. Vocês devem agir como apenas uma pessoa. Se algo der errado é culpa da equipe toda, estão entendendo? Não quero saber quem foi o mais culpado, quem descumpriu minhas ordens... O fato é que todos pagarão pelo erro, pois é um erro de todos.  O mais incrível foi ver que todos vocês nem ligaram para a separação de Marin, mesmo sabendo do ocorrido na noite anterior! Ele poderia ter morrido, ter sido sequestrado, seu gudam poderia ter sido usado para fins terríveis! Até você Gail, precisa estar atento, isso aqui não é um passeio! Toda ordem que eu der, mesmo que seja apenas para um, deve ser monitorada por todos, entenderam? Agora vamos a penitência...

O comandante pega uma caixa cheia de poeira e arrasta para perto de uma cadeira. Depois volta a sua posição e explica:

- Rhaenee, como você está levemente incapacitada, sua penitência será lavar essas lanternas empoeiras que encontrei aqui em Seleucia. Elas podem ser muito uteis, mas estão infestadas de larvas espaciais, que as usaram como ninho. Aqui no hangar, sabe que tem material de limpeza, seja criativa e use algo para esmagar as larvas. Não vai querer elas fugindo pela nave, certo? Agora os rapazes... - Ele se vira para os três e continua  - Vocês vão fazer cinquenta flexões para aprenderem a respeitar seu superior. Podem começar agora!

Porém o príncipe não estava satisfeito com as penitências e reclama, deixando os amigos apreensivos:

- Isso não é justo! Estou morrendo de sono, lutamos contra um monstro gigante e salvamos um hospital! Deveríamos descansar, o senhor mesmo disse que temos que cuidar do nosso corpo.

O comandante Rosso fuzilou Gail com o olhar e logo respondeu, dessa vez com a voz mais ríspida:

- Mais vinte flexões para Gail por causa desse desacato!

- Que? Mas.... - Reclamou novamente o príncipe.

- 30 flexões! - Berrou o comandante - Vai querer mais flexões Gail? Podemos ficar aqui a noite toda. Ou se preferir ligamos para sua irmã dizendo que foi suspenso da missão. Isso vale para todos os outros! Alguém está querendo mais penitências?

Gail lançou um olhar para Rhaenee, em seu semblante era visível que estava muito irritado, mas por sorte, preferiu não falar mais nada. Rosso espera que comecem a cumprir a penitência e os fica vigiando.




OFF: Obrigada por jogarem até aqui, vamos que vamos! Espero que gostem do que estou preparando para vocês.

Penitência dos garotos:
Todos rolem três dados 10, o primeiro dado é CD3, o segundo e o terceiro CD5, bônus de força. Cada dado significa que conseguiram fazer 15 flexões, porém o CD vai aumentando por estarem cansados.
Luxi
Moderador
avatar
Moderador

Mensagens : 964
Data de inscrição : 02/03/2016

Re: Capítulo 4 - Viagem para Nihil

Mensagem por Luxi em Ter Mar 14, 2017 9:31 am

Enquanto pilotava, Ray tinha conseguido se distrair um pouco, concentrada com sua obrigação principal, mas ainda não estava no melhor humor para levar uma bronca. seguiu o grupo mecanicamente e ve que Gail dormia. Poderia tê-lo acordado de forma menos agressiva do que a do comandante, mas não sentia vontade. Ainda estava digerindo a situação. Ali ficava bem claro que ele não era um soldado como os outros três (incluindo ela). Ele também estava se enganando.

Enfim, estava aguardando a bronca em postura ereta, tentando inspirar nos outros um pouco de estrutura para receber as críticas.

- Sim, senhor - respondeu firme.
Aquele erro realmente tinha custado um braço saudável para ela. Tudo foi movido por impulso. Não culpava ninguém, além de reconhecer a própria culpa, mas agora que todos estavam bem, não se sentia mal por desobedecer a ordem. Só pensava em melhorar da próxima, como tinham conseguido fazer durante a luta.

- Desculpa... - murmurou para Marin, reconhecendo que devia ter ido atrás dele, até por ser a responsável pela coleira dele.

- O quê!? Larvas espaciais? - ela fez uma careta. Parecia muito pior do que fazer flexões. Ela choramingou baixo e Gail começou a reclamar. Isso poderia fazer com que todos pagassem mais penitências. Ele tinha um pouco de razão, mas sabia que não adiantaria nada. Ray se encolheu um pouco. O comandante sabia ser assustador.

- Não, senhor... - respondeu, desanimada, como resposta ao olhar de Gail também.

Ela foi atrás de um balde, luvas, espanador, pano e uma vassoura e colocou perto da caixa, respirou bem fundo e abriu a caixa. Ela pegou uma a uma com a luva e tentou abrir as lanternas e "bater as larvas" para dentro do balde, para não escaparem, e esmagá-las com a vassoura depois. Era bem chato fazer isso com uma das mãos imobilizadas e estava morrendo de nojo, mas era o jeito.
Pallando
Troubleshooter
avatar
Troubleshooter

Mensagens : 795
Data de inscrição : 05/01/2015

Re: Capítulo 4 - Viagem para Nihil

Mensagem por Pallando em Ter Mar 14, 2017 5:23 pm

Marin foi surpreendido pela ordem do comandante assim que liberado do cinto na poltrona. Estivera desatento desde que partiram de Duos com a Seleucia, mesmo que sempre mantendo a mesma expressão aparentemente calma. Ouviu o comando para que fossem até o Hangar e seguiu para lá sem problemas, não importando-se muito com o que viria a acontecer. Já sabia que muito provavelmente ouviriam o sermão agora e talvez até fossem punidos, mas não conseguia enxergar isso como um problema.

Assim que chegaram ao Hangar, tomaram seus lugares na fileira de frente para o comandante e então o sermão teve inicio. A primeira parte, que foi dita aos berros em alguns poucos momentos, certamente era entendida por Marin como sendo sua culpa. Não havia muito como dizer diferente disso, uma vez que fora o evo aquele a se separar do grupo. Sentiu-se culpado e desejou que aquilo não tivesse acontecido, mas não tinha ânimo nem para se lamentar. Depois de se acalmar e começar a andar para os lados, Rosso continuou o sermão destacando alguns acontecimentos como erros do grupo. Marin discordava, mas entendia qual era a "filosofia de equipe" que o comandante tentava construir com isso.

Ouviu Ray desculpar-se, mas estava tão devagar que vacilou em responder antes que o comandante continuasse o discurso. Sentiu-se mal por vê-la se culpar mais uma vez, imaginando que poderia ter evitado tudo aquilo apenas seguindo as ordens de Rosso.

Depois veio o anúncio das punições. Gail revoltou-se e inutilmente tentou retrucar, sendo punido com mais flexões por isso. Marin por outro lado, apenas aceitou e imediatamente pôs-se a fazer as flexões.
Tsumai
Cavaleiro Jedi
avatar
Cavaleiro Jedi

Mensagens : 280
Data de inscrição : 28/10/2015

Re: Capítulo 4 - Viagem para Nihil

Mensagem por Tsumai em Ter Mar 14, 2017 10:47 pm

Chui não se permitiu ficar confortável em seu assento, como fazia Gail, pois sabia que em algum momento Rosso os chamaria para dar o sermão tão aguardado pelo comandante e tão temido pela equipe. E não deu outra: pouco tempo após saírem da atmosfera de Duos, ele os chamou para o Hangar, onde se prostraram em fila e o mais ereto possível, embora apenas Ray realmente tenha conseguido. Gail se assustara, pois havia cochilado em seu lugar.

Rosso começa a despejar sua fúria sobre o grupo, e mesmo que tenha se acalmado depois, era perceptível o desprezo militar que emanava com suas palavras. Chui sabia que grande parte da culpa de separar o grupo fora dele, mas seu gênio rebelde confrontava esses pensamentos sabendo que fizera a coisa certa em seu interior, e faria de novo se a situação se repetisse - porém avisaria Ray e Gail primeiro. Chui também entendia o intuito de "um por todos e todos por um" que o comandante passava e até concordava com esse fato, pois manteria o time unido e menos propenso a atitudes isolada, como havia acontecido. E funcionaria com eles, pois tinham se tornado a amigos e queriam evitar qualquer transtorno para com os outros pelos quais aprenderam a se importar. Por esse motivo, ou talvez por estar se acostumando ao ambiente militar, o caçador aceitou de bom grado a punição, domando-se para não contrariar Rosso (até porque o desobedecera vezes demais nas últimas horas para achar que tinha algum direito de reclamar). Gail, por outro lado, não se contentou e resolveu discordar do comandante. Um terrível erro. O pouco que conhecia sobre o exército o fazia entender que eram duros com aqueles que desacatavam os superiores.

Chui ficou com pena de Gail e também de Ray, apesar de preferir mexer com as larvas espaciais do que fazer as flexões. Nunca foi bom em usar os braços para esforço, franzino como era.

- E lá vamos nós... - murmurou, criando coragem.

Chui já começou mal. Apoiara sem jeito as mãos no piso da nave e não conseguiu força suficiente para se erguer corretamente. Quando pensou que estava pegando o jeito, seus braços começaram a tremer, a força sumiu deles e seu corpo não erguia o tanto que deveria. Depois de muito esforço o garoto desabou no chão, suado e quase sem conseguir sequer se levantar dali.

"Pronto, estou ferrado. Rosso vai me esfolar vivo..."
Gakky
Mestre Jedi
avatar
Mestre Jedi

Mensagens : 1261
Data de inscrição : 08/07/2015

Re: Capítulo 4 - Viagem para Nihil

Mensagem por Gakky em Qua Mar 15, 2017 1:20 pm

Rhaenee já começava o seu trabalho árduo, pegou o material de limpeza e se sentou de frente para os rapazes. Enquanto ele faziam flexões, ela usava estratégias para limpar as lanternas. Logo no primeiro item teve um pouco de dificuldade, pois a larva que estava dentro era bastante gorda e azul, não queria sair de jeito nenhum. Mas por sorte depois de batidas insistentes ela se soltou e caiu no balde como o esperado, deixando um pouco de muco na lanterna. A guarda-costas então vai passando para os próximos objetos, era difícil fazer tudo com apenas um braço.

Os rapazes começam a fazer suas flexões, porém não estava sendo fácil para alguns. Chui não estava habituado a exercícios de força, era mais ágil do forte. O caçador até tenta, mas nem tinha jeito para fazer o exercício, suas primeiras tentativas foram um fracasso, caiu no chão sem conseguir se levantar. Marin também começou sem jeito, não se lembrava se já havia feito algo do tipo, ele estava ao lado de Chui. Mas o resultado foi dois enrolados. Apesar de forte, o evo não sabia a posição das flexões e nem como fazê-las, por isso nos primeiros minutos, apenas se enrolou.

- Estão parecendo mais as larvas espaciais do que soldados! Força! Eu não vou ensinar como se faz, mas sugiro que olhem quem está fazendo certo e copiem.

Enquanto os outros se enrolavam o príncipe estava se saindo muito bem. Ele fez as flexões de maneira correta sem parar, era a primeira vez que tinha ido bem em alguma atividade desde que chegou a nave. Rhaenee nota a habilidade de Gail, que mesmo cansado, fazia cada flexão corretamente e sem cair. As aulas de esgrima haviam sido realmente boas para o príncipe.

Marin e Chui notam que o príncipe estava indo bem e fizeram a sugestão do comandante, puderam ver como ele fazia e imitaram. Dessa forma o caçador conseguiu fazer 15 flexões, mas logo cansou e despencou no chão. Marin aprendeu como se fazia o exercício, sem dificuldade, completa 30 flexões sem cair, faltavam agora apenas 20. Gail conseguiu fazer nesse tempo 50 flexões, mas como tinha desacatado as ordens de Rosso, iria precisar fazer mais que isso. Será que o cansaço o faria cair? Havia sido um dia difícil para todos. O comandante aproveita para falar, enquanto vocês pagam o castigo:

- Quem terminar, deve vir até aqui e repetir o motivo de estarem pagando a penitência, após isso, estará liberado para o banho. Depois esperem no lounge para o jantar.

Apesar do trabalho nojento com as larvas, não faltava muito para Rhaenee terminar a limpeza, só faltava mais três e logo poderia tomar seu banho e relaxar no sofá do lounge. Mas estava distraída olhando seu protegido executar bem as flexões, nota que era até fofo o modo como seus cabelos claros balançavam com o movimento de subida e descida, e em como os braços estavam muito bem posicionados, provavelmente ele tinha aprendido isso nas aulas de esgrima. Em sua distração uma larva acabou escapando da lanterna que segurava e caiu em sua perna! (cada larva tem em média 6 cm de comprimento)




OFF: Garotos, dessa vez vocês tem direito a rolar mais três dados 10, + bônus de força, CD6 por causa do cansaço. Se Marin passar em um, já termina o exercício. (basta passar em três dados que considero completado as 50 flexões). Chui porém, precisa passar em dois testes para terminar, pois errou dois no post passado. Marin errou na primeira vez porque tirou 1, que é falha automática.

Se Rhaenee quiser, já pode considerar que terminou de limpar e ir para o banho.
Os garotos que passarem nos testes que faltam, também podem finalizar a penitência e irem tomar banho ou esperar pela guarda-costas terminar.
Pallando
Troubleshooter
avatar
Troubleshooter

Mensagens : 795
Data de inscrição : 05/01/2015

Re: Capítulo 4 - Viagem para Nihil

Mensagem por Pallando em Qua Mar 15, 2017 4:40 pm

- Certo.- Respondeu ainda em atividade. Então observou brevemente o príncipe e tentou copia-lo.

Surpreendeu-se um pouco por ter se enrolado no começo depois de ver como era simples, uma sequência básica de movimentos, mas ao fim apenas constatou que precisava descansar. Assim que terminou, levantou-se e caminhou até o comandante como fora instruído a fazer.

- Desobedeci as ordens e me afastei do grupo.- Não tinha problemas em admitir o que era óbvio, mas ainda assim foi "bom" dizer em voz alta qual fora seu erro.

Logo depois se retirou para banho, e em seguida o jantar no lounge.
Tsumai
Cavaleiro Jedi
avatar
Cavaleiro Jedi

Mensagens : 280
Data de inscrição : 28/10/2015

Re: Capítulo 4 - Viagem para Nihil

Mensagem por Tsumai em Qui Mar 16, 2017 4:05 am

Chui volta a esforçar para cumprir a penitência, vendo que os outros pareciam mais eficazes que ele. Ergue novamente o corpo sobre os braços trêmulos e fechou os olhos, contando até cinquenta. Com muito custo, suor e esforço, o garoto terminou a última flexão, mas se demorou alguns segundos no chão antes de se levantar completamente e ir na direção de Rosso. O comandante os esperava com a comum expressão fechada que sempre usava quando estava irritado. Chui se aproximou, ofegante, e disse:

- Fui punido por desobedecer ordens superiores e me separar do grupo sem autorização.

Dito isto, o caçador seguiu caminho até o chuveiro, lançando um olhar para Ray e suas larvas nojentas antes de voltar a caminhar. Estava pensando seriamente em tomar banho sentado para economizar esforço, mas pensou que seria idiotice demais até para ele. Depois do banho, seguiria para o jantar, faminto.
Luxi
Moderador
avatar
Moderador

Mensagens : 964
Data de inscrição : 02/03/2016

Re: Capítulo 4 - Viagem para Nihil

Mensagem por Luxi em Qui Mar 16, 2017 9:38 am

Rhaenee soltou um grito, se atrapalhando com a tala, a lanterna e o balde, chutando o ar várias vezes para a coisa nojenta sair dela, acabou por derrubar a lanterna e espantá-la com uma vassoura, esmagando o bicho como uma ogra violenta e o rosto vermelho. Ao final, ela sentou no chão, vermelha e com o rosto enojado.

Observar os meninos terminando a flexão foi sua distração para tirar a imagem nojenta. Ela podia ir embora, mas preferiu ficar ali mais um pouco, seguindo o tal do trabalho em equipe. Acabou distraída olhando o príncipe, mas quando percebeu o que estava fazendo - e que estava corando no processo - ela sacudiu a cabeça e espiou Rosso, para ver se ele tinha visto sua falta de compostura. Ela guardou as coisas e só então foi até o comandante.

- Estou aqui porque não tive espírito de equipe! Então vou esperar todo mundo terminar, senhor! - declarou e ficou ali pacientemente esperando que os meninos terminassem. Eles eram um time bem atípico. Quem visse Chui fazendo flexões nem imaginaria o quanto ele era habilidoso com tiros. O príncipe também se esforçava bastante.... mas ela não podia ficar olhando demais. E Marin... bem. Ela devia desculpas a ele.

- Vocês estão suados e nojentos, podem tomar banho primeiro... Eu vou demorar - ela comentou com Chui e depois apontou o próprio braço.
Gakky
Mestre Jedi
avatar
Mestre Jedi

Mensagens : 1261
Data de inscrição : 08/07/2015

Re: Capítulo 4 - Viagem para Nihil

Mensagem por Gakky em Qui Mar 16, 2017 7:09 pm

Rhaenee se assusta e dá um grito por causa da larva em sua perna e se debateu para se livrar do bicho. No mesmo instante Gail olha para ver o que era e se desconcentra de suas flexões, caindo com a barriga no chão. O comandante apenas lança um olhar repreensivo para a guarda-costas e nem vai ajudá-la. Ray pelo menos consegue matar o bicho e apesar de enojada, continua o trabalho. Ela é a primeira a terminar a penitência, ela repete o seu erro ao comandante, mas decide ficar e esperar os outros.

Chui tinha começado mal, mas agora pegou o jeito e mesmo com esforço e suando, ele consegue terminar as cinquenta flexões. Marin também termina sem problemas. Os dois vão até Rosso e falam seus erros, depois seguem para banho já que Ray os deixa ir na frente. Porém o príncipe ainda precisava terminar as suas, estava começando a ter dificuldades, pois o corpo já estava cansado, só conseguiu fazer mais quinze com dificuldade e suando. Ainda precisava fazer mais 15 para terminar por causa do desacato. Vendo que demoraria mais um pouco, o comandante se aproximou de Rhaenee e deu mais uma ordem a ela:

- Vá tomar banho, quero ficar com sozinho com Gail, tem algo que preciso dizer a ele e não quero interrupções. Então vá pegue suas roupas e espere em seu quarto Chui e Marin terminar. Tente não carregar toda a culpa da próxima vez, o erro foi de todos.


Gail ouve as palavras do comandante com Ray enquanto está se endireitando para fazer mais 15 flexões. Rhaenee não tem outra saída a não ser obedecer as ordens, já sabia que acontecia quando não faziam isso. Quando ela vai embora, o príncipe lança um olhar para ela com o semblante desanimado.

Chui e Marin tomam banho no mesmo banheiro já que havia três chuveiros. Era bom estar limpo depois de passarem por tantas confusões, batalhas e flexões. Depois que saem, vão até o quarto de Ray e batem em sua porta para avisar que já tinham terminado. Rhaenee entra para tomar banho já com suas roupas em uma mão, sabia que teria dificuldades, era uma pena que não havia nenhuma mulher na nave para ajudá-lá nem para esfregar os cabelos.

O lounge estava como sempre esteve, as grandes janelas abertas mostravam a bela paisagem no espaço. Marin e Chui sentam no sofá e esperam pelos outros, era até confortável, mas seus braços estavam doloridos. (Podem conversar entre si nesse momento ou fazer alguma coisa).

Após uns vinte minutos, Rhaenee chega ao lounge, também estava aliviada por estar limpa, embora sentisse o cansaço no corpo. Havia sido um dia longo demais para todos. Rosso chega poucos minutos depois da guarda-costas e explica que o príncipe havia ido tomar banho, depois pede que o ajudem a por o jantar na mesa dessa vez. Ordenou que Marin pegasse e preparasse o suco, que Chui colocasse os pacotes refeição no aparelho tipo um microondas e Rhaenee levou os copos. Vocês quatro sentam-se a mesa, apenas um lugar estava vazio, o do príncipe, mas sua refeição já estava em frente a sua cadeira. O jantar era simples e um pouco desanimador, mas como estava com fome, valia tudo. Pudim de peixe para variar... Espuma de beterraba, o tofu esferificado de sempre, mas de sobremesa pelo menos teriam frutas em cubo.

O comandante começou a jantar sem cerimônias, seu semblante estava calmo, com um aceno da cabeça permitiu que todos começassem a comer. Depois de mastigar, comentou algumas coisas:

- Em apenas dois dias chegaremos no destino de nossa missão. Nihil é um planeta perigoso e selvagem, não quero que me desobedeçam quando chegarmos. Lembrem-se, quero voltar com todos vivos. Quase não consegui por causa do que fizeram. Mas espero que tenham aprendido como é importante seguir as ordens, principalmente a de ficarem todos juntos. Agora eu gostaria de saber, o que vocês acharam da visita em Duos?





OFF: Só para avisar podem aproveitar os intervalos para interagir com os outros, como no banho, ou no lounge esperando pelos outros, ou fazer algo que seus personagens queiram nesse tempo e que seja possível.
Luxi
Moderador
avatar
Moderador

Mensagens : 964
Data de inscrição : 02/03/2016

Re: Capítulo 4 - Viagem para Nihil

Mensagem por Luxi em Qui Mar 16, 2017 7:58 pm

Ray ficou com pena de Gail quando o espiou uma última vez fazendo as flexões. Ainda que ela entendesse a punição, queria que ele aprendesse logo e não mais desacatasse o comandante, para não ser mais punido assim. Ela assentiu e deixou o local. 

No quarto, depois de separa as roupas, ela ficou olhando para o polvo de pelúcia, que agora fazia parte da decoração da cama, pensando na grande aventura que tiveram e aproveitou para tomar o remédio. Não via a hora de poder utilizar o outro braço novamente.

Cumprimentou os garotos ao sair do quarto e iniciou sua "saga" para tomar banho sozinha com um braço só, ensacando o braço feridos para não ter problemas com curativos molhados. Ainda assim, era muito bom poder ter um momento relaxante com água quente. Ela secou os cabelos após o banho e foi até o lounge.

Ela obedeceu e a todo momento pensava que deveria conversar com Marin. Nessa mesma ocasião de refeição, o incidente entre eles tinha acontecido... 

Foi até Marin para servir o suco de todos e acabou comentando, mas tento falar baixo, para que os outros não ouvissem em detalhes:

Ahn... Marin. Eu não sei bem como dizer isso... como eu posso dizer? Hm. Não sei quem você foi antes de perder sua memória... e acho que pode ter reagido daquele jeito por causa de alguma coisa ruim de antes. Seja como for, eu quero ser amiga do Marin de agora. 

Deixou o copo na mesa e estendeu o braço bom para ele. 

Resolvido esse assunto, foi sentar. 
Comer sem o príncipe era estranho e ela ficou preocupada que a comida esfriasse. Sabia que estava mimando o garoto demais, então não disse nada, mas demorou para começar a comer e mesmo quando o fez, foi a garfadas pequenas. 

- Odiei as pessoas de lá. - respondeu de forma direta - ... Lana e o tenente são boas pessoas, ainda que o tenente tenha um pensamento meio antigo que eu não concordo.  Mas no resto... argh. Os nobres desse lugar são asquerosos e eles são a maioria!  Eu não sei qual é o problema dessas pessoas, mas eu acho que Nihil será um planeta mais tranquilo comparado com aquele gente!  - estava falando de todas as pessoas que falaram mal deles, incluindo o homem da loja e, principalmente, a loirinha linda. - ODEIO esses riquinhos

Ela fez uma careta bem interpretada, lembrando do rosto da menina.
Tsumai
Cavaleiro Jedi
avatar
Cavaleiro Jedi

Mensagens : 280
Data de inscrição : 28/10/2015

Re: Capítulo 4 - Viagem para Nihil

Mensagem por Tsumai em Sex Mar 17, 2017 2:40 am

A água morna do chuveiro parecia revigorante. Chui sentiu os músculos relaxarem no vapor quente e estava aliviado por isso. Talvez sentisse dores mais tarde, pela falta de exercício tão árduo, mas uma boa noite de sono resolveria o problema. O caçador olhou para a divisória entre os chuveiros, querendo perguntar a Marin sobre o médico, mas achou melhor não fazê-lo nesse momento, parecia esquisito. Então, quando os dois saíram vestidos do banheiro, a caminho do lounge, resolveu arriscar.

- E aí, Marin, como foi com o médico? Boas notícias? - Chui tentou parecer mais cordial do que curioso, embora havia uma nesga de preocupação em sua fala. Queria que o problema do evo fosse resolvido, e não era por temer um ataque, e sim porque sabia que Marin se culpava bastante pelo ocorrido.

Enquanto Marin o responde, Chui se senta no sofá com o evo enquanto aguardava a chegada de Ray, que se demorou obviamente por causa do braço. Assim que a garota apareceu, Rosso ordenou que preparassem o jantar, e todos se dividiram nas tarefas, sendo Chui responsável por preparar a comida no microondas especial. Enquanto o alimento tomava forma lá dentro, reparou que Ray conversava com Marin, mas não conseguiu escutar bem o que era, e também notou que Gail ainda não chegara. Será que estava tudo bem? Largando isso de lado, Chui pegou tudo que colocara no microondas e serviu à mesa, onde todos já tinham feito a sua parte. Assim, sentados, Rosso perguntou o que acharam de Duos. Depois de Rhaenee responder, foi a vez de Chui:

- Ah, gente mal educada e um tanto racista... mas dá para se lidar. Talvez os riquinhos sejam mesmo o problema, como disse a Ray...

Chui olha para a porta a procura de Gail. Também estava faminto e ansioso por sua cama quentinha. Algo lhe dizia que Rosso os acordaria cedo na manhã seguinte.
Pallando
Troubleshooter
avatar
Troubleshooter

Mensagens : 795
Data de inscrição : 05/01/2015

Re: Capítulo 4 - Viagem para Nihil

Mensagem por Pallando em Sex Mar 17, 2017 12:52 pm

Marin terminou o banho sem muita demora. Não que não gostasse de se banhar, mas no momento tinha mais vontade de acabar logo com aquele dia e dormir, além de que sempre acabava se distraindo com o som da água caindo sobre a prótese e perdia muito tempo nessa calmaria. Então, depois de se vestir, seguiu com Chui até o quarto de Ray, para avisar a ela que já haviam terminado e em seguida foram para o lounge.

No caminho até o local de jantar, Marin pareceu ser pego surpreso com a pergunta do caçador. Não estava animado para falar sobre sua visita ao médico, mas não havia razão para esconder suas descobertas de Chui, então respondeu.- Ele acha que posso ter sido criado há poucos dias atrás.- Marin ainda observou a reação de Chui à sua resposta, um pouco curioso para ver como outra pessoa encararia a informação.

Ambos sentaram-se no sofá do lounge e aguardaram os outros. Em vinte minutos Ray juntou-se a eles e Rosso veio um pouco depois disso, enquanto Gail havia ido tomar banho. O comandante chegou distribuindo ordens para que tudo fosse preparado, e para Marin foi reservada a tarefa de pegar e preparar o suco. O evo obedeceu e tentou cumprir a simples ordem da melhor maneira possível, quase que "agindo no automático".

Só voltou a prestar atenção no que acontecia ao redor quando ouviu Ray falando baixo. Não a estava entendo bem no inicio, o que apenas o deixou mais interessado em ouvir o que ela tinha a dizer, mas logo começou a entende-la. Ainda lembrava-se perfeitamente da noite em que a havia atacado, acontecimento este que justificaria a guarda-costas nunca mais querer conversar com o evo, mas não foi o que ela fez. Ray parecia já tê-lo perdoado, isso se em algum momento já o havia culpado.

Marin ficou feliz em ouvi-la.

- Eu agradeço.- Respondeu um pouco baixo, assim como ela falava. Naquele momento pensou que realmente tinha sorte por ter conhecido a guarda-costas, Rosso e Chui logo depois de despertar no palácio de Primus.- Me desculpe pelo ataque...- Completou com um fraco pedido de desculpas, mas era sincero. Queria dizer mais alguma coisa para não parecer estar se desculpando de maneira esfarrapada, mas naquele caso não havia muito a acrescentar. E enfim cumprimentou Ray, que lhe estendia o braço bom.

Depois, a respeito da pergunta do comandante, Marin a ouviu e esperou para ouvir os outros antes. Pensando bem na resposta, o evo concluiu que não havia gostado do planeta por uma série de razões.

- Não gostei do planeta.- E os motivos eram basicamente os mesmos citados por Ray e Chui.





Gakky
Mestre Jedi
avatar
Mestre Jedi

Mensagens : 1261
Data de inscrição : 08/07/2015

Re: Capítulo 4 - Viagem para Nihil

Mensagem por Gakky em Sex Mar 17, 2017 8:19 pm

Finalmente tudo estava em paz no jantar no lounge. A bela paisagem do espaço mostrava um cometa passando ao longe, o comandante Rosso mastigava seu jantar enquanto ouvia as respostas de seus soldados. Ele bebe um pouco do suco e sorri discretamente.

- Duos é um planeta que vive de aparências, são conhecidos por suas cidades românticas e poesias de amor. Mas a verdade é que isso tudo é apenas uma máscara. Vocês me fazem lembrar da época que pisei em Duos pela primeira vez, eu deveria ter a mesma opinião. Quando conheci Falconeri, achei que ele mais um nobre arrogante. Mas é verdade que a maioria são racistas e machistas. Mas estou curioso, Marin e Chui, conseguiram comprar algo que os agradasse?

Depois de ouvir as respostas, o comandante olha para Rhaenee, depois volta-se novamente a concentrar em seu prato, mas antes de continuar a comer faz um questionamento:

- Vocês disseram que o problema são os "riquinhos", interessante. Mas não se esqueçam que tem um "riquinho" na equipe. Achei que Rhaenee por estar trabalhando para um nobre, estaria mais acostumada com pessoas desse status. O que estão achando de ter Gail na equipe?


Rosso sempre fazia questão de enfatizar o nome do príncipe e nunca o chamava por seu título. Depois de esperar pelas respostas de vocês, o comandante termina de jantar e vai até a televisão flutuante, liga no canal de notícias de Duos. Na tela é possível ver imagens da batalha que tiveram em Duos. A manchete era: "Soldados de Primus salvam hospital". Logo aparece na gravação o Oberon acertando a cabeça do monstro e matando-o. A voz da jornalista era ouvida enquanto mais cenas da destruição apareciam na tela:

- Comerciantes reclamam e querem indenização pelos estragos causados em suas lojas. Mas os pacientes do hospital estão felizes por estarem a salvo e agradecem aos misteriosos heróis de Primus. Nossas fontes indicam que 4 soldados enfrentaram o grande réptil, também foi confirmada a presença do Archangel da família Arkadia! Dizem ter sido pilotado pelo próprio príncipe. Porém nem todos estão contentes com isso e acusam esses soldados de terem atraído a invasão para Duos. Agora teremos o testemunho de um dos funcionários de Termas Quentes, o senhor Rajdare.

Um rapaz bonito de cabelos lilás aparece na tela da televisão, ele era exótico, mas atraente, possuíam brincos de argola e começou a falar do que tinha visto:

- Eu estava indo visitar meu irmão no hospital quando de repente tudo começou a tremer! O elevador ficou cheio e confuso, guardas não queriam deixar ninguém passar por causa do príncipe. Mas depois que eles entraram no elevador, um garoto escurinho começou a berrar e isso fez os guardas se organizarem. Eu também vi pela janela toda a batalha! Só quero agradecer a esses misteriosos soldados de Primus pela ajuda, seria impossível tirar alguns pacientes do hospital, como o meu irmão que estava dependendo de aparelhos para sobreviver. Agora ele está bem e já terminou o tratamento. Eu queria aproveitar também e dizer que... Estamos fazendo ótimas ofertas nas termas quentes!


Logo o noticiário corta o testemunho do rapaz e muda para um quadro de fofocas sobre a família real. Era incrível como nem tinham mencionado que havia uma mulher e um evo entre os soldados. Enquanto as notícias corriam, Rosso pega os relógios de vocês e os leva até uma máquina que estava dentro de um dos armários do lounge. A máquina possuía compartimentos, onde o comandante encaixava os gudans.

- Isso vai recuperar os estragos dos gudans - Explica o comandante, depois olha para porta e fala - Tenho algumas informações importantes para falar com o grupo, mas Gail ainda não voltou. Isso é estranho... Ele está demorando muito, Rhaenee é normal que Gail demore assim? Pelo menos não foi assim da outra vez... Mas já que é a guarda-costas, vá ver porque ele está demorando e peça que se apresse.


Luxi
Moderador
avatar
Moderador

Mensagens : 964
Data de inscrição : 02/03/2016

Re: Capítulo 4 - Viagem para Nihil

Mensagem por Luxi em Sab Mar 18, 2017 10:39 am


Ray balançou a cabeça negativamente quando Marin pediu desculpas.
- Está tudo bem. Isso nem aconteceu. Eu só lembro que a gente arrasou na simulação dos gudans. - ela sorriu empolgada e tornou a fazer as tarefas para poderem comer. Ficou bem feliz pela reconciliação. Tanto, que saiu um tanto saltitante.

Já conversando sobre as impressões, concordou com a cabeça conforme os meninos foram falando, mas percebeu que tinha sido um pouco ríspida e resolveu contornar um pouco:

- Bem, Duos não é completamente horrível. Eles têm uma torta de maçã deliciosa.

Foi lembrada então que Gail era um daqueles "riquinhos". Ela corou de leve e olhou para o lado, disfarçando. Era verdade que tinha batido nele por causa disso, mas agora nem o considerava mais assim... exceto quando estava rodeado por outros nobres. Por isso também odiasse tanto gente assim.

- Os nobres de Primus não tão horríveis quanto os de Duos... bem, alguns são sim. A princesa é uma exceção, por exemplo. Mas Gail não é um "riquinho" aqui, ele é um soldado... - tentou justificar, mas algumas atitudes dele ainda eram iguais as de um nobre, como seu preconceito com Marin ou sua forma mimada de lidar com ordens. Mesmo assim ela o aceitava, sabia que estava aprendendo e se esforçando. -Quanto a isso, acho que ele está se esforçando. Eu pensava que ele não aguentaria um dia sequer

Ela parou um pouco para assistir à TV e soltou um grito indignada, batendo na mesa com o braço machucado, resmungando depois.

- O QUÊ? Salvamos as roupinhas perfumadas dos senhores e eles estão reclamando!! E falando mal da gente? AH EU QUERO VOLTAR LÁ - rosnou, bebendo suco para se acalmar.

O príncipe estava mesmo demorando muito e ela acabou se erguendo e afastando a cadeira rapidamente quando o comandante comentou sobre isso.

- Não foi você que pediu que ele fizesse alguma coisa depois? Achei que... a demora também era alguma punição. - seu olhar já estava desmontado de preocupação.
- Sim, vou olhar o que houve! Com licença

---

Ela saiu rapidamente da área e foi para a área dos banheiros da nave, esperando ouvir o barulho de água ou então procuraria no quarto.

- Gail!? - chamou.
Tsumai
Cavaleiro Jedi
avatar
Cavaleiro Jedi

Mensagens : 280
Data de inscrição : 28/10/2015

Re: Capítulo 4 - Viagem para Nihil

Mensagem por Tsumai em Sab Mar 18, 2017 6:49 pm

Chui estava segurando a fome como podia. Ficou espantado com a resposta de Marin, chegando a arregalar os olhos momentaneamente. Criado a poucos dias? Isso era possível? De qualquer forma, torcia para que o tratamento que tivesse recebido fosse efetivo e os sintomas e amnésias desaparecessem completamente.

- Espero que fique tudo bem. - comentou Chui com um sorriso.

Depois, Rosso comentou sobre Duos. Era bem verdade que tinha lugares maravilhosos mas as pessoas do lugar, em sua maioria, não eram agradáveis como a vista.

- Bom, comprei bastante comida, que por sinal era deliciosa, mas... acabei deixando tudo no hospital com a confusão. E concordo com Ray, Gail é diferente. Não é um riquinho como eles, aqui ele é um soldado e um amigo.

Lançou um olhar a Marin, tentando ver a reação do evo diante das palavras sobre o príncipe. Mas foi distraído com a reportagem na televisão. Chui não conseguiu evitar ficar surpreso por terem lembrado de seu ato no hospital, e isso o deixava contente, mesmo que muitas pessoas ainda reclamassem da destruição causada pelo combate. Será que eles não entendem o que iria acontecer se eles não tivessem enfrentado a besta? Povo mal agradecido...

- Sério que eles estão reclamando? Tudo ia ser destruído se não tivéssemos feito anda, ia acabar dando no mesmo!

Mas ao menos tudo terminou bem. Agora restava apenas a viagem a Nihil, que esperava ser mais tranquila que em Duos, apesar das chances serem ainda menores. Quando Ray saiu para procurar Gail a pedido de Rosso, Chui se virou para Marin.

- E então, se sente melhor? Vai entrar em contato com Nina? Acho que ela gostaria de falar com você. Ela parecia bem feliz por você tê-la ajudado. Falando nisso... - Chui se virou agora para o comandante. - Senhor, posso ligar para minha irmã?
Pallando
Troubleshooter
avatar
Troubleshooter

Mensagens : 795
Data de inscrição : 05/01/2015

Re: Capítulo 4 - Viagem para Nihil

Mensagem por Pallando em Sab Mar 18, 2017 11:38 pm

Com a nova pergunta do comandante, Marin lembrou-se rapidamente da caixinha de música que adquirira em Duos. Não que a houvesse esquecido, apenas já não sabia mais se ela tinha algum valor ou se apenas havia imaginado conhecer o som emitido por ela. Pensou no que sentiu na loja quando ouviu a música e algo nela o atraiu de maneira instantânea, mas agora, depois de ouvir Aldagis, sentia-se menos motivado a buscar alguma informação sobre seu possivelmente inexistente passado.

- Comprei uma caixinha de música.- Comentou apenas para não deixar a pergunta passar em branco, mas não fez questão de se justificar em detalhes.- Achei que conhecia a música de algum lugar...

O evo seguia comendo sem pressa, quase que com má vontade, mesmo que já não estivesse desanimado como estava algum tempo atrás. Conversar com os outros lhe fizera bem de uma maneira que nem mesmo ele poderia imaginar. Não deu muita atenção à pergunta seguinte de Rosso, talvez não como deveria, mas tinha uma resposta pronta na ponta da língua.

- Ele ajudou no combate contra o monstro.- Ainda assim, era inegável que o príncipe havia atraído o ataque do atirador em Duos, o que causou pânico e poderia ter resultado na morte de Ray, além de que o atentado talvez estivesse ligado ao incidente com Dax e Nina, então a resposta mais lógica para a pergunta de Rosso seria: "A presença dele traz riscos demais ao grupo e diminui as chances de sucesso na missão". Porém, Marin de alguma forma respeitava o desejo de liberdade do príncipe, então optou por não dizer o que realmente pensava. Talvez fosse melhor apenas lidar com as adversidades que viriam por haver um príncipe entre eles.

Depois, sobre a notícia na televisão flutuante, Marin não se importou muito com as reclamações das pessoas que estavam na região do confronto contra o monstro gigante, embora ainda tenha estranhado bastante a reação delas. Ao que parece elas preferiam ter morrido nos escombros do hospital que o monstro certamente teria destruído se não fosse a intervenção dos gudans. Marin apenas continuou sua refeição e observou a reação dos outros, até que Ray se retirou para procurar Gail e Chui lhe fez uma pergunta.

- Acho que estou melhor, mas não pensei em ligar para ela.- Também sabia que se ligasse, não saberia como manter uma conversa à distância. Talvez volta-se a vê-la algum dia, mas por hora não tinha intenção de manter contato.
Gakky
Mestre Jedi
avatar
Mestre Jedi

Mensagens : 1261
Data de inscrição : 08/07/2015

Re: Capítulo 4 - Viagem para Nihil

Mensagem por Gakky em Dom Mar 19, 2017 3:15 pm

Rosso ouve os comentários de vocês e sorri discretamente, parecia estar de bom humor apesar de tudo, ou será que sempre se sentia assim depois de punir seus soldados? Para terminar o assunto sobre Duos, ele apenas comenta:

- É verdade, Duos tem a melhor culinária da galáxia do sabre - Se virou para Marin e indagou - Conhecia a música da caixinha? Bom, podia trazer para nós ouvirmos, quem sabe alguém conhece a música.

Depois o jantar segue enquanto ouvem o noticiário, uma pena que começou a falar da família real e ficar chato. Comentava também sobre o príncipe de Duos que estava querendo recompensar os heróis de Primus por terem salvado o hospital. O comandante que já tinha terminado de jantar, senta-se no sofá e comenta:

- Essas pessoas são sempre assim, há os que reclamam, mas também há os que agradecem. Eu queria ouvir essa história desse garoto que berrou no hospital... Será que pode me contar depois Chui?

Porém quando o comandante nota a demora do príncipe, pede que Rhaenee vá verificar e nega com um sinal da cabeça para a pergunta dela sobre ter mandando Gail fazer alguma coisa. A guarda-costas sai, deixando apenas Marin, Chui e Rosso no lounge. (Rhaenee vá para a cena de baixo)

- Cada um vai jogar o seu prato na trituradora, não deixem para mim arrumar - Avisou o comandante - Como Gail se atrasou, ele que vai limpar a mesa depois. Só espero que ele não tenham aprontado nada dessa vez. Se não queria jantar, devia ter avisado.

O comandante do sofá ouve a pegunta de Chui e responde pensativo:

- Eu não sei... Quero falar algumas informações importante para todos vocês... Mas se for rápido, pode, o noticiário está chato mesmo, espero que Gail e Rhaenee não demorem, senão terei que mandar vocês irem atrás deles.

Rosso vê que Marin havia terminado o jantar e pergunta do sofá onde está sentado, sem tentar falar baixo ou guarda segredo:

- Marin, eu vou precisar contar para o grupo sobre o remédio que está tomando, eles precisam se sentir seguros agora que não vou mais vigiá-lo. Mas quanto ao que o médico descobriu, deixarei que você escolha se quer contar ou não para eles. O que decide?  

---> Cena corredores (Ray)


Rhaenee percebe que Gail não estava demorando por causa de uma ordem do comandante, então começa a ficar preocupada. Ela sai do lounge e percorre os corredores, estavam desertos e silenciosos. Era comum já que não havia ninguém ali, porém agora parecia tudo mais vazio, talvez fosse sua preocupação. A guarda-costas passa pelo corredor onde ficavam os armário e as travas de ar, sinistramente uma das luzes estava piscando e quase querendo se apagar. Teriam que trocá-la mais tarde, mas era notável o quanto o local ficava assustador desse jeito.

A garota continua andando receosa e abre a porta para o corredor onde ficava o banheiro e os quartos. Do seu lado esquerdo estava a porta para a sala médica e do lado direito a área do banheiro e das escadas para o Deck superior e inferior. Os canos da nave, que ficavam acima do teto, estavam começando a fazer um barulho alto, isso acontecia de vez em quando quando o gerador de energia era religado. Rhaenee vai para a direita, onde ficava um pequeno pátio que dava para os banheiros, ainda sentia-se preocupada, não havia nenhum som de chuveiro, ela chama por Gail, mas ninguém responde. De repente a porta do compartimento de banho se abre, um pouco de vapor escapa e ela fica surpresa ao ver o príncipe sair pela porta. Ele estava espantado por ver Ray, pois estava usando apenas uma toalha branca para cobrir o quadril, os cabelos ainda estavam molhados e pingando, o corpo levemente úmido. Gail tinha um corpo comum para sua idade, de adolescente, era magro, apesar de ter o abdômen razoavelmente definido por causa das aulas de esgrima. Seu rosto estava corado e assustado por estar tão descomposto ao vê-la:

- R-Ray?! - Exclamou Gail atônito.  
Luxi
Moderador
avatar
Moderador

Mensagens : 964
Data de inscrição : 02/03/2016

Re: Capítulo 4 - Viagem para Nihil

Mensagem por Luxi em Seg Mar 20, 2017 7:34 pm

Rhaenee estava tensa pela falta de informação. Depois dos últimos descuidos que quase custaram a vida do príncipe, só conseguia pensar que ele tinha desmaiado ou estava deprimido em um canto. Ela também não queria invadir a privacidade dele e por isso não pensava em entrar sozinha no banheiro masculino, é claro. Mas nem precisou. A mente tinha viajado tanto que quando viu o garoto seminu , ela soltou um berro escandaloso e arregalou os olhos, sentindo o coração ir para a boca. O rosto corou completamente e ela só imaginou estar preocupando toda a nave, que poderia aparecer ali e aumentar ainda mais a vergonha.

Ela cobriu o rosto como pôde, virando o corpo toda atrapalhada e quase caindo no corredor. Não sabia o que fazer, só queria sumir ali por alguma magia. Até tentou falar alguma coisa, mas era um conjunto de sílabas gaguejadas misturadas com qualquer outra coisa e ela acabou berrando um:

- DESCULPA!

estava de costas, e saiu correndo toda atrapalhada sem saber para onde ir e acabou decidindo correr para o quarto, onde bateu a porta e ficou olhando para a própria cama morrendo de vergonha.

- Aaah... minha nossa... E agora o que eu faço?
Tsumai
Cavaleiro Jedi
avatar
Cavaleiro Jedi

Mensagens : 280
Data de inscrição : 28/10/2015

Re: Capítulo 4 - Viagem para Nihil

Mensagem por Tsumai em Seg Mar 20, 2017 9:42 pm

Chui entendeu o recado de Marin e não voltou a tocar no assunto. Sua intenção nunca fora forçar o evo a se relacionar com sua congênere; quando ele estivesse pronto, ele mesmo o faria. Virou-se para o comandante que perguntava sobre a história do "garoto que berrou", e respondeu, esquivo:

- Ah sim, conto outra hora...

Chui resolveu comer para se distrair e quando acabou, Rosso já tinha enviado Ray em busca do príncipe. Esperava que estivesse tudo bem com Gail, que fosse apenas para relaxar. Então, seguindo as ordens do comandante, o caçador levou seu prato até a trituradora, deixando o resto da mesa para que Gail limpasse, afinal, eram as ordens de Rosso. Aliás, Rosso parecia permitir que Chui ligasse para sua irmã, mas resolveu que fosse rápido, então o garoto ficou receoso que demorasse e resolveu recusar.

- Bom, minha irmã gosta de detalhes dos meus dias, por isso acho melhor deixar pra uma outra hora... posso demorar demais.

Rosso volta a comentar sobre Marin e seus remédios, e avisa que precisa contar para o grupo. Chui sente a curiosidade ir ao limite, mas se mantém calmo e não deixa transparecer; apenas torcia para que Marin concordasse em dizer. Será que havia novos riscos de ataques? Ou eram remédios com muitos efeitos colaterais? Melhor aguardar pelas explicações.
Pallando
Troubleshooter
avatar
Troubleshooter

Mensagens : 795
Data de inscrição : 05/01/2015

Re: Capítulo 4 - Viagem para Nihil

Mensagem por Pallando em Ter Mar 21, 2017 12:15 pm

Assim que termina a refeição, Marin obedece e se dirigia para a trituradora. Até então Ray e Gail não haviam retornado e Chui ainda negociava a ligação para sua irmã, o que era ótimo, pois ela poderia estar preocupada se soubesse que seu irmão estava em Duos no momento do ataque. O evo também ficou curioso com as informações importantes que o comandante alegou precisar entregar ao grupo.

Ainda livrava-se do prato quando ouviu Rosso do sofá. Marin não via problema em contar aos outros, principalmente se isso fosse faze-los sentirem-se mais seguros, e além disso já havia contado para Chui sobre a possibilidade de ter sido criado há poucos dias.

- Não tem problema... eles podem saber.
Gakky
Mestre Jedi
avatar
Mestre Jedi

Mensagens : 1261
Data de inscrição : 08/07/2015

Re: Capítulo 4 - Viagem para Nihil

Mensagem por Gakky em Ter Mar 21, 2017 6:51 pm

---> Cena Lounge (Marin, Chui)

Marin termina de livrar-se do seu prato e Chui também. Apenas a refeição do príncipe e o seu suco ficou sobre a mesa, intocável. Rosso recostava no sofá em frente a televisão flutuante, ele ouve seus dois soldados com um olhar paciente. Os canos que passavam pelo teto da nave começaram a fazer barulho, indicavam que o gerador de energia estava trabalhando, isso era bem comum, porém atrapalhava para ouvir outros sons.

- Ok Marin - Responde o comandante ao evo - Quando chegarem contarei tudo a eles, somos todos um grupo e fico satisfeito com sua decisão. Devemos agir sempre como um só e não escondendo segredos. E eu ainda acho que deveria trazer sua caixa de música para escutarmos.

Depois ele olha para o caçador e comenta:

- Tudo bem, se quiser pode ligar para ela antes de dormir, mas pode acabar perdendo algumas horas de sono. Acredito que todos querem descansar. Marin, não esqueça seu remédio antes de dormir. Podem se sentar aqui no sofá, não fiquem ai de pé gastando energia atoa.

A televisão continuava ligada, dessa vez passando a situação de Primus. Vocês veem imagens de destruição, diferentes monstros gigantes atacando a cidade, alguns maiores, outros menores. Porém o comandante parece ter ouvido algo estranho. (Rolem teste de percepção, CD7, bônus inteligência para ouvir algo parecido com um grito baixo, mas o som dos canos atrapalham).

- Vocês ouviram isso? Foi um grito... Será que foi da notícia?  

O comandante desliga a televisão e fica em silêncio para ver se ouvia mais alguma coisa, porém nada escuta. De qualquer forma, ele se levanta preocupado e chama Chui e Marin:

- Melhor verificarmos. Não acho que seja da notícia...

Os que seguirem com Rosso, vão percorrer os corredores, quando passam pelo compartimento da trava de ar, percebem que uma das lâmpadas estava piscando e com defeito. O comandante observa o local e comenta:

-Parece que teremos que trocar essa lâmpada depois...

Depois de atravessarem o compartimento de trava de ar, chegam ao corredor onde ficava a sala média e o banheiro. Seguindo o corredor havia uma porta que dava para os quartos, estava fechada. Não havia nenhum som de chuveiro vindo do banheiro. O comandante desembainha sua espada e pede que vocês verifiquem os banheiros e a sala médica. Depois de constatarem que não havia ninguém lá, os três seguem para o corredor dos quartos e assim que abrem a porta veem de longe Gail na frente da porta do quarto de Rhaenee, ele estava vestindo roupas amarrotadas e muito simples, uma camisa colocada ao avesso e uma calça vestida de uma forma meio torta, os cabelos estavam molhados e bagunçados, também não usava nenhum calçado ou meia dos pés.  

---> Cena Corredores (Ray)

Rhaenee estava assustada e com o coração parecendo explodir, seu rosto queimava de vergonha quando saiu correndo e se trancou em seu quarto. Estava confusa e não sabia o que faria depois do que viu. Mas não demorou muito para ouvir batidas na porta e a voz preocupada de Gail:

- Ray? - Ele para de falar um instante, depois volta a falar nervoso e gaguejando ainda atrás da porta dela - Ray, Já estou vestido... Me desculpe... Por favor... Eu acabei dormindo no hangar, acordei e corri para tomar banho... Esqueci de pegar minhas roupas... Então eu... Eu tive que sair sem... Er... Daquele jeito... Não sabia que você ia aparecer...  M-mas você me conhece... Sempre te respeitei... E foi... Eu sou um idiota... Devia ter lembrado das roupas... Por favor, me perdoe... Eu... 

O príncipe não completa a última frase, mas era possível ouvir sua respiração ofegante, talvez tivesse corrido também. Rhaenee percebe que era muito raro ele se chamar de idiota assim e ainda pedir desculpas.
Tsumai
Cavaleiro Jedi
avatar
Cavaleiro Jedi

Mensagens : 280
Data de inscrição : 28/10/2015

Re: Capítulo 4 - Viagem para Nihil

Mensagem por Tsumai em Ter Mar 21, 2017 10:10 pm

Chui ficou feliz por Marin ter decidido que o grupo poderia saber sobre seus problemas e seus remédios. Talvez isso pudesse ajudar o próprio evo e o grupo, até mesmo Gail, a se entenderem melhor e a esquecer o episódio violento que ocorrera há alguns dias. Então, Rosso se virou para Chui e comentou sobre sua irmã, ao que o caçador respondeu:

- É, melhor eu ligar pra ela antes de dormir. Vai ser mais fácil parar a conversa quando ela ver que eu preciso descansar...

Chui continuou assistindo à televisão, vendo a situação de Primus, que parecia péssima. Sabia que sua irmã poderia estar preocupada, se lembrasse que eles passariam por Duos, mas não queria uma longa conversa agora, até mesmo para não abusar da boa vontade de Rosso. Só esperava não receber uma bronca no final da noite ao não ligar para Ashanti.

Foi quando o caçador sentiu ter ouvido um grito. Rosso pareceu ouvi-lo também. O garoto sabia que não era da televisão, e nem mesmo o barulho do gerador atrapalhou sua percepção do evento, já que seus ouvidos eram muito bem treinados. Ao comando de Rosso, Chui se levantou com Marin e todos foram averiguar o que se tratava. Pegou sua arma e logo pensou em Gail e Ray, e sua preocupação aumentou bastante. Será que tinha alguma criatura na nave? Um alien que entrou escondido? Só esperava que fosse preocupação exagerada e que os dois estivessem bem.

Caminharam cautelosamente pelo corredor, passando por uma luz vacilante, que piscava com defeito. A lâmpada falha parecia emanar uma aura de suspense esquisita. Rosso pediu que vasculhassem os banheiros e depois os quartos, e assim fizeram. Nos banheiros não havia nenhum som e ninguém lá, então seguiram para os quartos. Todos se encontraram e viram Gail do aldo de fora do quarto de Ray, batendo à porta veemente. Chui logo correu na direção dele, exasperado.

- Tá tudo bem? Ray se machucou? Ouvimos um grito, o que aconteceu? Hein?

Chui falou meio rápido, mal dando tempo para o príncipe responder.
Luxi
Moderador
avatar
Moderador

Mensagens : 964
Data de inscrição : 02/03/2016

Re: Capítulo 4 - Viagem para Nihil

Mensagem por Luxi em Ter Mar 21, 2017 10:31 pm

off: to rindo mto. pqp HAHAHAHH
AI GENTE. que dó.

on:

Ray estava morrendo de vergonha do show que tinha protagonizado. Já imaginava os colegas correndo pela nave alarmados pelo ataque brutal de um monstro do espaço, mas na verdade...

Em Duos isso nunca aconteceria, porque, para começar, ela não seria um soldado.

Ela ouviu as desculpas do príncipe e foi se sentindo melhor, embora o rosto queimasse mais. A crise insana de vergonha começava a passar um pouco, agora que conseguia dividir a culpa com ele. Ao mesmo tempo, sentia-se meio que lisonjeada por cada palavra. Ele realmente estava tão envergonhado com ela. Tanto que ela achava isso até bonitinho.

Quando ele hesitou em completar a última frase, ela abriu a porta do quarto, mas ver todo o grupo ali a fez ficar com vergonha. De repente ela pensou rápido e botou um sorrisão falso no rosto e falou com a voz mais fina.

- Meu braço! Esbarrei. Na... porta. E doeu. Foi... foi porque ele sem querer bateu a porta no meu braço. Agora está tudo bem. Não foi? Não foi? - ela olhou o comandante rapidamente, morrendo de medo de ser desmascarada, mas era uma péssima mentirosa. - Caham... agora... Gail já está pronto para jantar. Não é? Eu....eu vou pegar meu remédio para tomar! Hahah. Desculpem! hahaha que besteira!!
Pallando
Troubleshooter
avatar
Troubleshooter

Mensagens : 795
Data de inscrição : 05/01/2015

Re: Capítulo 4 - Viagem para Nihil

Mensagem por Pallando em Qua Mar 22, 2017 5:30 pm

A decisão do evo parecia ter sido aprovada pelo comandante e o caçador. Marin pensava o mesmo que Rosso, sendo contrário a esconder detalhes relevantes dos companheiros, afinal também os considerava seus únicos amigos. Já a respeito da caixinha, o evo sentia-se desmotivado a lidar com ela novamente, pois imaginava que apenas se decepcionaria, mas decidiu levar a sugestão do comandante a sério e mostrar a música aos outros depois. No final das contas, não tinha nada a perder compartilhando o som da caixinha e ver se conseguia algo com isso.

Enfim Chui conseguiu permissão para ligar para sua irmã, e o evo ficou feliz por ele, enquanto na televisão as imagens de destruição continuavam a passar uma após a outra. Marin estava em pé ao lado do triturador olhando pela janela com um olhar distante, mas assim como Rosso também ouviu o estranho som. Parecia ser um grito.

Marin ficou em alerta quando ele e Chui foram chamados pelo comandante para verificar o que acontecera. Algo poderia ter acontecido à Ray ou Gail, o que já era motivo suficiente para que houvesse preocupação, então o evo seguiu com os dois até o corredor da sala médica e o banheiro. O chuveiro não estava ligado, o que indicava que Gail não estava mais por lá, e algumas lâmpadas no caminho pareciam ter defeito, mas felizmente não havia nenhum sinal de conflito.

Como ordenado, verificaram a sala médica e o banheiro para encontrarem apenas locais vazios. O trio então seguiu pelo corredor dos quartos, onde depois de uma porta puderam enxergar Gail em frente o quarto de Ray. Chui correu a frente e fez perguntas ao príncipe, enquanto Marin acompanhou-o com o passo mais lento e também ficou no aguardo de respostas. E então Ray abriu a porta do quarto, sorrindo de maneira incomum e com sua fala deu uma explicação ao grito que fora ouvido.

Marin ficou aliviado por saber que tudo estava bem, afinal poderia ser desastroso se houvessem inimigos de qualquer espécie dentro da Seleucia. Depois de constatar o que havia acontecido, o evo aproveitou que estava por ali e dirigiu-se até seu quarto para pegar a caixinha de música. Pretendia seguir o conselho de Rosso e deixa-los ouvirem-na.
Gakky
Mestre Jedi
avatar
Mestre Jedi

Mensagens : 1261
Data de inscrição : 08/07/2015

Re: Capítulo 4 - Viagem para Nihil

Mensagem por Gakky em Qua Mar 22, 2017 6:46 pm

Quando Rhaenee abre a porta do seu quarto, ela vê o príncipe com os cabelos bagunçados e úmidos, ele estava usando uma camisa simples ao avesso, uma calça que estava colocada de forma meio torta e estava descalço. Também vê Chui fazendo perguntas e o comandante chegando com a espada na mão, seguido por Marin. Assim que Chui chega com as perguntas, Gail logo fica com o rosto todo vermelho e antes que respondesse é interrompido por Ray. Ao vê-la sair do quarto também parece ficar nervoso e desvia o olhar da garota. Embora estivesse atrapalhada, Ray tenta explicar o motivo de ter gritado. Gail balança a cabeça concordando:

- É... Foi isso... - Diz o príncipe enrolado - Desculpe, só trago problemas para Ray... Acabei machucando ela... Melhor eu ir jantar, é...

Gail tenta rir para amenizar a situação embaraçosa, mas não se saiu tão bem dessa vez. Ele já ia caminhando pelo corredor em direção ao lounge, quando Rosso o interrompeu. O comandante guardou a espada na bainha e com a voz séria disse:

- Estão me escondendo algo. Não acha que está se esquecendo de algo Gail? Tem certeza que vestiu essa camisa da forma certa? Não sente falta de nada nos pés? O que aconteceu, estava com pressa ou desaprendeu de repente como se vestir adequadamente?
O príncipe olhou preocupado para si mesmo, depois olhou ao redor, viu um Chui confuso e preocupado e não ousou olhar para Ray. O evo aproveitou para ir até o seu quarto para pegar a caixinha de música, já que todos estavam bem. Enquanto isso Gail suspirou desanimado e resolveu confessar algo:

- Tem razão... Devo assumir a responsabilidade pelos meus erros. Vesti a roupa errado porque... Porque estava com pressa, é foi isso... Eu acabei dormindo no hangar, não queria levar outra penitência, então tomei banho e me vesti correndo... Acabei na pressa me assustando e batendo a porta na Ray. Ela me ajuda tanto e eu fiz isso com ela... - Gail lança finalmente um olhar para a guarda-costas, embora estivesse com o rosto corado, depois continuou de frente para o comandante e com a voz séria- Vou aceitar sem reclamar o castigo por este erro.

Rhaenee sente que as palavras de Gail pareciam sinceras e davam a impressão de continuar o que ele falava antes na frente da sua porta. Marin voltava do seu quarto com uma caixinha de música em mãos e escutou parte da conversa. O comandante parece estar sem nenhuma expressão. Não era normal ver Gail admitir tão rápido os seus erros e ainda mais aceitar tão bem e com resignação uma próxima penitência. Rosso não demorou e respondeu:

- Eu avisei, se não cuidar do corpo vai ter muitos problemas. Que sirva para todos, uma noite sem dormir está custando caro ao Gail, é como uma bola de neve. Está cometendo um erro após o outro e ainda machucou Rhaenee. Mas não te darei penitência por isso. Pegue algum sapato para não ficar resfriado com esses pés no chão, se com sono já causa tantos problemas... Não quero imaginar se ficar doente... - Rosso se vira para Rhaenee e acrescenta - E você seja menos escandalosa da próxima vez que se machucar, se tivéssemos em terreno inimigo, seríamos detectados rapidamente.

Gail calça rápido suas botas e volta ao corredor, não fez questão de vestir roupas melhores, estava cansado e preocupado demais para isso. O comandante os acompanha de volta para o lounge e senta no sofá, vocês podem escolher onde vão sentar, mas há lugares para todos no sofá. O príncipe se ocupa com seu jantar, senta a mesa e faz uma careta ao ver a comida e ao notar que já estava fria, porém não reclama e começa a comer desanimado, empurrando com o suco. Com todos presentes, o comandante aproveita para falar:

- Finalmente estamos reunidos, tenho algumas informações para dar a todos. Primeiro sobre Marin - Ele lança um olhar ao evo e continua - Levei Marin ao médico e fizeram alguns exames. O doutor descobriu que é a exaustão que faz Marin ter perda de memória, então passou dois remédios a ele para evitar esses surtos. Quero que se sintam seguros com ele na equipe, com os remédios, podemos confiar e não precisarei mais vigiá-lo ou colocar aquela coleira. O médico também acha que Marin foi criado a poucos dias, pois grande parte do cérebro dele não possuí memórias, é como se seus neurônios fossem novos. Mas é claro, é uma teoria, ele estará pesquisando mais sobre isso. Também quero dizer que o próprio Marin permitiu que eu passasse essa informação pessoal a vocês, pois confia na equipe, espero que todos pensem como ele. Alguém tem algo a dizer sobre tudo que falei ou para Marin? Alguma dúvida? - Rosso olha para Marin e também pergunta - Quer falar algo para eles?

Marin sente sua mente ficar um pouco estranha, era como se estivesse com uma nuvem no cérebro, meio anestesiado, seu coração também parecia bater devagar, talvez fosse efeito do remédio, estava com a mente calma e leve. Todos sentem o corpo dolorido e cansado. Gail fica surpreso com a revelação sobre Marin e da mesa onde está jantando, comenta:

- Mas já faz anos que é proibido a criação de evos...

Rosso olha para todos esperando as reações que teriam e apenas assente ao comentário do príncipe, que volta a comer.




OFF: Espero que estejam gostando! E não quero que se sintam limitados para agirem, sintam-se livres para interromper qualquer npc, fazer perguntas, puxar assunto e tal, até se pendurar no teto, usar televisão, bom acho que entenderam, só para avisar, porque às vezes eu adianto demais as coisas.
Conteúdo patrocinado


Re: Capítulo 4 - Viagem para Nihil

Mensagem por Conteúdo patrocinado


    Data/hora atual: Qua Jun 28, 2017 11:11 pm