Um fórum de RPG online no formato de PBF (Play by Forum).


Season 1 - What defines...

Compartilhe
Balth
Investigador
avatar
Investigador

Mensagens : 53
Data de inscrição : 17/10/2016

Re: Season 1 - What defines...

Mensagem por Balth em Seg Jun 12, 2017 3:20 pm

Gods escreveu:"Defender explode pela janela do prédio prestes ao fogo tomar conta do andar abaixo e explodir com o restante dos gases presos. Sem ele, a família teria engolido pelas chamas. A armadura teve um pouco de peso: uso do nitrogênio chegou puxar um pouco do que o hardware era capaz, deixando-o meio cambaleando. Mas teve a força para descer com a banheira e a família, recebido com aplausos.
- Dá um pulo aqui Tommas. - Howard chamou pelo rádio embutido.
Retornando escondido na festa, com o pessoal todo praticamente evacuado, Howard está sentado numa cadeira, tirando água do sapato - Você vai me pagar um terno novo."

*faço a armadura voltar para o relógio*...*dou um breve sorriso*-É só agua..podia ser pior..podia ser vinho ou acido. Na verdade..acho que a culpa é do prédio que não tem um sistema de segurança muito bom..então eu acho que são eles que tem que pagar o seu terno.

Gods escreveu:"- Ouvi dos meus rapazes que outros dois princípios de explosões eram para terem ocorridos pela cidade, mas eles conseguiram interceptar os terroristas antes que conseguissem apagar as provas. Ultimatum está na cidade."

*fazia uma cara de curioso a respeito do nome*...*penso: isso parece nome de banda de metal*--Oque diabos é Ultimatun?

Gods escreveu:"Ele puxa um cigarro, acende e continuava:

Ultimatum era uma organização terrorista com a missão de eliminar a divisão das nações para uma só: uma sobre seu controle. Seu alvo favorito é os Estados Unidos e, até pouco tempo, simpatizantes foram sucedidos o suficiente para matar o marido e filho da Lady Paragon, fazendo a coitada entrar em depressão. Havia rumores que uma célula real estava em atuação, e só agora tenho confirmação.

Soltou a fumaça.

- E por que estou contando isso amigo? Cui. Dado. - ele cutuca o peito de Tommas - Você é o alvo favorito deles: magnata, tecnólogo, público... capitalista."

*respiro fundo*-Bem..pelo menos consegui evitar que algumas pessoas se machucassem. Mas afinal..quem é o li?

Gods escreveu:O telefone de Tommas começa a tocar - Teresa Erickson:

*Atendo*--Mãe?Olá! Você...

Gods escreveu:- Filho? Filho! Por favor, venha para casa agora.

--Oque?Mas e a sua conferencia no Japão?!

Gods escreveu:- Seu pai disse isso? Ah meu filho... Por favor, venha rápido. Eu... Eu não consigo te explicar aqui.

- Tommas, eu ouvi. Consigo um transporte que chegamos em menos de meia-hora.

- Muito obrigado cara. Não sei como te agradecer!

*Howard diz com uma cara séria*

- Pague o meu terno

Gods escreveu:"Independente como for - Residência Erickson

Tommas chega na Mansão Ravencroft e encontra a mãe na frente, junto com uma ambulância e um carro da policial. Dava para ver que sua mão estava machucada. Ela corre e abraça o filho.

- Meu querido! Seu pai... Seu pai está mal.

Tommas e Teresa adentram a casa para encontrar Adam segurando uma cadeira como escudo diante de dois policiais e um enfermeiro.

- Senhor! Por favor, estamos aqui para lhe ajudar!

- Saiam da minha casa! Cadê meu garoto!? Eu quero falar com minha esposa! Liguem para ela no Japão agora! - Adam olha para Teresa e Tommas, mas não parece reconhecê-los - Quem são esses dois?! Socorro! Polícia!!"

*Olhava aquela situação absurda e sinceramente não entendia*...*coçava a cabeça*...*respirava fundo*...*olhava para mãe e falava baixo para ela*-Eu tenho um plano. Mas você precisa sair daqui

--Senhores..eu sou o "Vizinho" do senhor Adam. Por favor. Me deixem falar a sós com ele ok?*esperava que os policiais e o enfermeiro entendessem aquela fala*

*enquanto Adam ficava em uma posição defensiva eu sento no chão*--Então..o senhor é Adam Ravencroft? Eu sou seu novo vizinho Kristopher Marshall. Eu encontrei com o seu filho de manhã. Pegamos o mesmo Air Uber. Ouvi falar muito bem do senhor. Mas. Pode me dizer oque aconteceu exatamente? Eu vi toda essa balburdia e gostaria de tentar ajuda-lo*dava um sorriso que tentava acalmar aquele homem*--Mas..primeiro..porque não esfriamos os ânimos e abaixamos a cadeira?

*Olhava para o pai tentando perceber algum detalhe estranho nele*

(Tenho que rolar algum teste de pericia aqui?)
isaac-sky
Tecnocrata
avatar
Tecnocrata

Mensagens : 348
Data de inscrição : 02/03/2014

Re: Season 1 - What defines...

Mensagem por isaac-sky em Seg Jun 12, 2017 11:17 pm

"Isso...não faz o menor sentido" Apollo encarou o corpo em cinzas do policial que atingiu.
Sabia que não teria sido sua rajada de luz capaz de mata-lo, mas talvez a luz...aquilo era um filme de terror se tornando realidade.

E nem mesmo Apollo podia impedir as trevas daqueles infectados.

-Whiney, por favor, pare - disse sem impostar a voz como Apollo, soando um pouco mais como o Brendan que Whiney conhecia. Apollo sentia o coração apertar em ver o amigo naquela situação.

Whiney avançava, usando uma mesa para bloquear sua luz constante.

Strenght 8
isaac-sky efetuou 1 lançamento(s) de dados (d20.) :
14

Era como uma locomotiva partindo pra cima dele e dessa vez não havia espaço para voar e desviar.

Apollo encosta as palmas das mãos na mesa, pressionando contra o brutamontes. Brendan respira fundo e libera um forte jato de vapor na mesa.

Calor Solar
isaac-sky efetuou 1 lançamento(s) de dados (d20.) :
3

Ele mantém sua luz, agora muito mais próximo de Whiney. Sem a mesa Whiney não teria como se esconder.

Era o momento de terminar com aquilo de uma vez.
Jim Jones
Samurai Urbano
avatar
Samurai Urbano

Mensagens : 138
Data de inscrição : 01/10/2016

Re: Season 1 - What defines...

Mensagem por Jim Jones em Qui Jun 15, 2017 6:39 pm

What Defines... Law.

Regras. São o que nos define como seres civilizados, o que nos diferencia dos animais. Regas, as que estipulamos e as que nos são estipuladas, moldam nosso ser, elas definem quem nós somos. para mim a Velha Lei serve como patamar definidor, assim para com outros como eu, meus irmãos e irmãs, a muito esquecidos pelos homens. Kriff também vivia por regras, o conjunto de normas da NYPD, as regras nos fazem mais fortes. A uma máxima na magia que quanto mais complexa, regrada e limitada a magia, mais poder bruto ela continha. No velho mundo, antes da pólvora surgir coisas como promessas e juramentos, mesmo entoados por simples mortais carregavam um peso em suas palavras, os preparavam para o que estava por vir. Hoje em dia são palavras ao vento, que tem falta de significado e poder. Apesar de tudo Kriff acreditava nessas palavras, em seu código de conduta. No fundo eu respeitava o sujeito.

Uma pena que aqui, no "Novo Mundo", essas coisas tenho perdido tanto de sua força. As próprias regras que regiam os homens não mais pareciam afeta-los, dando origem a esses mutantes. Kriff descobriu que as palavras são fracas do pior jeito. Em seus momento finais eu olho em seus olhos e vejo seu desespero. Será que estaria pensando em suas escolhas, ou será que teria realizado que eu não era quem eu dizia ser? Seus pensamentos foram para o tumulo de qualquer forma.

Hart não suportou a morte do garoto. Humanos. Sempre emocionais. Mesmo com seus ciclos de vida tão pequenos. Talvez por isso. Talvez vejam seu futuro no fim de outros.

- Recomponha-se Hart! Temos outra chamada. Lee, qual é  o caso dessa vez?- eu falava sério, sem ser desrespeitoso com a situação. Tudo o que eu menos quero é mais confusão.

Eu assumo o assento do motorista. Ligo o carro e as sirenes.
GodsCorpse
Cavaleiro Jedi
avatar
Cavaleiro Jedi

Mensagens : 299
Data de inscrição : 17/10/2016

Re: Season 1 - What defines...

Mensagem por GodsCorpse em Sab Jun 17, 2017 5:49 pm

@Balth:



Tommas escreveu:- Eu tenho um plano. Mas você precisa sair daqui. Senhores.. eu sou o "Vizinho" do senhor Adam. Por favor. Me deixem falar a sós com ele ok?

Sem entender, ela se afasta. O grupo parece ter uma ideia melhor, então segue.

Tommas escreveu:- Então..o senhor é Adam Ravencroft? Eu sou seu novo vizinho Kristopher Marshall. Eu encontrei com o seu filho de manhã. Pegamos o mesmo Air Uber. Ouvi falar muito bem do senhor. Mas... Pode me dizer o que aconteceu exatamente? Eu vi toda essa balburdia e gostaria de tentar ajuda-lo. Mas... primeiro... por que não esfriamos os ânimos e abaixamos a cadeira?


- É... é mesmo? - ele abaixa a cadeira e senta nela - Eu não sei... Está muito confuso. Eu não reconheço esse lugar... Meu filho é só um menino, muito novo... O que é um Air Uber? Onde ele está?

Seus olhos se arregalam e depois começam a descansar, como se retomasse consciência - Tommas? Tommas meu garoto.

Adam vai até o filho e o abraça, Teresa volta para a sala e os olhos do pai de Tommas enchem de lágrimas - Desculpa... Desculpa meu amor.

Com lágrimas escorrendos, os dois se abraçam.




- Você sabe o que isso parece, não é? - Howard está ao lado de Tommas, enquanto os paramédicos cuidam de Adam e de sua esposa - Perda de memória, confusão, dificuldade em reconhecer familiares e amigos.

Seu tom era calmo e falava pausadamente.

- Vai ser difícil de agora em diante.

Um dos paramédicos vem até a dupla - Eu recomendo ele passar uma noite no hospital. O susto dele foi bem grande e ele pode acabar passando mal. Mas claro, isso fica por você e por sua mãe, que já concordou. Se quiser acompanha-lo...







@Balth

Mecânica


  • Condições: Nenhuma;
  • Pontuação e Nível de Poder: 124 - 8.
  • Victory Points : 3.



Cena


  • Localidade: Nova Iorque - Residência Ravencroft - Noite.


@isaac-sky:



Apollo era forte, mas Whiney era um titânico de verdade. Como havia visto antes, transformar um carro em sucata em questão de segundos.

A imagem de sua cabeça sendo esmagada como um melão nas mãos de Whiney passou por um momento na mente de Apollo por um momento quando o ruivo pressionou-o contra o chão com a mesa. Ele apresentava as presas, pronto para dar o bote quando a mesa que o defendia é desintegrada pelo jato de vapor que libera. A madeira queima e assim que a luz entra em contato com a pele de Whiney, ele também começa a arder, transformando sua pele em chamas ardentes. Ainda com força nos músculos, ele pega Apollo com uma mão e arremessa pelo chão, fazendo-o rolar em direção à rua.

- Eu falei parado, suas vadias! - dois disparos cortam o ar ao lado do herói enquanto Whiney urra entre as chamas que consumiam seu corpo.

Através do fogo, Apollo conseguia ainda ver o rosto de Whiney o encarando. Se não fosse o calor, parecia estar chorando - Não... deixe que ele mate... nós...

 

- Filho da puta... - a policial grita - Você está preso, lamparina! - com a arma apontada para Apollo.







@isaac-sky

Mecânica

+1 PH.


  • Condições: Nenhuma;
  • Pontuação e Nível de Poder: 128 - 8.
  • Victory Points : 2.



Cena


  • Localidade: Nova Iorque - Streets - Madrugada.


@Jim Jones:



Hart apenas se levantou e sentou no banco de trás do carro, sem falar nada. Lee olha para Johnson com uma cara de pena e também se mantém em silêncio.

- Aqui... Esse endereço. Os vizinhos disseram que está tendo uma briga de metahumanos acontecendo. E que viram um na TV...? Ugh, só que falta.

Johnson acelera pelas ruas. Ainda que madrugada, as ruas de Nova Iorque nunca estavam silenciosas. O detetive ficou em silêncio por boa parte do caminho, então..

- Ele era só um garoto. Só uns anos amais que meu mais velho...

- Hart.. Me des-

Hart continua, cortando Lee -Tudo ok e, então, num momento é desfeito. Isso não é natural. Para o carro Johnson, eu vou descer.

- Hart, você...

- Chega Lee. Somos formigas no mundo de gigantes. Eu vou embora.

No momento que Johnson para, seja eno destino ou seja no momento que seu colega pediu, Hart abandona os dois. Johnson tinha o pressentimento que nunca mais veria ele igual novamente.




O carro chega em uma rua entre prédios, com condomínios nas esquinas e prédios comerciais servindo de espaços entre eles. O buraco na parede de um prédio que servira de salão de festas dava dica de onde fora os combatentes.

- Esquece Hart. Dois oficiais já entraram. - ela aponta para a viatura estacionada na rua. Johnson olhava ao redor e via destroços de um carro, espalhados pelo concreto inteiro.

- Parados suas putas! - Lee sacou a arma em direção a uma luz que emitia do interior. Das silhuetas, parecia que um homem maior imobilizava o metahumano brilhante ao chão.

- Eu falei parado, suas vadias! - ela deu dois disparos de aviso, tentando amendontrar os metahumanos, mas a resposta foi outra.  

O homem de cima explodiu em chamas após entrar em contato com a luz que o rapaz emitia, tornando seu corpo uma bola de fogo flamejante. Gritando de dor, ele joga a fonte de luz em direção dos policiais e cai de joelhos.

Não... deixe que ele mate... nós... - ele geme através do fogo que desintegrava seu corpo.


- Filho da puta... - ela cobre o rosto com o outro braço - Você está preso, lamparina!







@Jim Jones

Mecânica

+1 PH.


  • Condições: Nenhuma;
  • Pontuação e Nível de Poder: 128 - 8.
  • Victory Points : 4.



Cena


  • Localidade: Nova Iorque - Ruas.


@Lannister:




A vocalista largou seu café e tomou a frente da janela, deixando a luz tomar conta de sua pele. Junto com suas palavras duras, em uma voz deliciosa, a luz faz da "Orácula" um "Anjo" diante dos seus colegas de banda. A visão chega fazerem seu coração palpitar - especialmente de Adam -, ainda mais com todo discurso criptografado das visões não-tão criptografadas que Anastasia tem.

- Suas palavras dão um calafrio fodido, mulher. - Robert responde com uma cara de "notbad.jpg", escondendo o fato que estava bem assustado com a chance de... bem... Morrer.

Era difícil de negar que o que falava mais intimidou-os do que os inspirou. Ainda mais, saber que não iriam ganhar... A icógnita inspirava esperança. A certeza matava ela.

- Ih... Bob sóbrio é ainda mais perigoso que um Bob-Bêbado. - brincou Mathew dando um tapinha nas costas do colega.

Esta borboleta não deveria atrapalhar na noite. Mas era apenas uma.

Sem o confronto... Viveria Robert?
Salvar uma vida seria o custo de outra?

"O bater de asas de uma simples borboleta pode provocar um tufão do outro lado do mundo."




Em algum momento passado...

- O que você acha?

Nastya era parecido com Anastasia de algumas maneiras: também havia saído de casa, qual vivia com a avó, vivia com amigos, tinha seu espírito livre. Mas, uma para outra, elas se mantinham ancoradas na realidade, uma realidade mais suportável uma com a outra.    

Nastya saltou em cima do colchão qual a dupla havia dormido a noite anterior e põs o colar nas mãos da namorada. O objeto tinha o formato de um crucifixo, mas havia uma jóia roxa no seu centro.
Ela esperou a resposta e complementou:

- É seu. - abriu mais o sorriso - Este aqui vai te proteger. Minha vó costumava fazer um monte desses para minha mãe e para minhas tias, então ela me repassou.

Ela abaixa um pouco a cabeça e se ri.

- Esse eu ia fazer para minha mãe... Mas né... Quem é vivo que precisa de proteção. Como minha "bardeineirinha".  - ela se abraça em Anastasia e toca no objeto - Vou estar com você, mesmo longe.  

Ela enrola o abraço num beijo. E um beijo em outro abraço.






Afastado de seus colegas, Anastasia procurou pelo jovem que tocaria ali. Hector, Hector Belvedere. Uma página de cantor, mas nenhum perfil de usuário. Uns seis meses no ar, vários vídeos tocando com violão ou harpa. E um talento realmente invejável: sua voz não parecia ter limites.
Bem bonito também.  

Anastasia escreveu:- Nos conhecemos? Seu rosto é muito familiar.

- Ainda não. Mas bem que poderíamos com... - ele se virou e pegou duas garrafas de cerveja que estavam servidas em uma mesa ao lado dele. A bebida não era dele - .. O que quer que seja isto.

Ele tomou o gole da bebida e entregou a outra para a garota.

- Espero que não soe creepy demais, mas andei te pesquisando. Eu vim para cá para ver se você era a coisa real mesmo.

"Música?"

- Seus "poderes". Pior que nem organizei nada do meu repertório, quer me dar uma ajuda a escolher as músicas? O que vou tocar hoje a noite?

Ele sorri. Seu sorriso faz Anastasia pular para outra visão.

Ela vê sua mãe sorrindo. Há muitos policiais.

- Eu cansei de deixar você tentar me humilhar garota.

- Alias, vou te contrar um segredo... temos um herói aqui... Enchantress...

Hector puxa Anastasia para perto e aponta para o meio da platéia. Lá está. Ela não vestia suas roupas heróicas, e como nunca fez questão de sua identidade, era fácil dizer quem era.  

- Mas ninguém nota se eu não apontar. Acho que é uma magia. O que você acha de apresentarmos ela?






@LANNISTER
Mecânica

+1 PH.


  • Condições: Nenhuma;
  • Pontuação e Nível de Poder: 126 - 8.
  • Victory Points : 2.



Cena


  • Localidade: Nova Iorque - Blackout Bar - Noite;


@Lyvio:



Hela escreveu:- Esse tipo de coisa não se fala garoto... Tenho pena das garotas que você flerta... Deve sair cada coisa de sua boca...

- Ah é... "mals"... Escapou... As garotas gostam mais do que faço com a boca. - ele sorri para si.

Hela escreveu:- Você dirige bem não é? Detesto quem dirige mal e as vezes transformo-os em sapos, você gosta de sapos?
-Vamos!
- Dizia ela indo a frente.

- Erm... Eu dirigo bem.. Nada de sapos. Não vai por um sapo no meu carro né? Ei!




Hela escreveu:-Paramore...essa banda tem influências da Jimmy Eat World, Chicago, Sunny Day Real Estate, Death Cab for Cutie e Failuremeus, dentre outras coisas.
Meus alunos gostavam bastante dessa banda e você até que canta relativamente bem.


Novamente, ele resmunga algo sem olhar para Hela.

Hela escreveu:- Metal Gear Solid... uma franquia muito rentável. Sem dúvidas uma das franquias que marcarão a história dos games.
Não se impressione garoto, eu costumo ler sobre tudo que você imaginar..

- Isso é um jogo? Uuugh... Não não, não brinco com essas tosquisses alienadas virtuais ai. Sou mais vintage, gosto de experimentar a vida como ela é. Olha que mal uso celular ainda. É exclusivo para as moças. - Hela pode vê-lo sorrir no retrovisor.





Hela escreveu:- -Você estuda nessa escola? Quem sabe eu não posso ser sua professora de história? Diga-me, você gosta de história? Ou só entende de música? Independente da resposta gostando ou não eu não facilito para ninguém...vá logo se preparando. Eu era conhecida como "A destruidora de sonhos", talvez por reprovar muuuuuuita gente...

- Nah, sou mais de música mesmo. Quanto a história... vê uma, vê todas. - ele perde um pouco o tom jovial - História é sobre pessoas tentando quebrar regras para ganhar poder e trazendo caos. Se todos ficassem trabalhando direitinho por onde foram ensinados... Todos estariam felizes.    

Ele suspira e seu rosto volta a ser alegre.

- Né?




Hela escreveu:- Que foi isso garoto!? Não me faça querer lhe transformar em sapo...

- Isso é a chegada... E também quebrando barreiras dimensionais. Blablabla... - sua voz sumia a medida que o lugar escurecia.





Hela escreveu:- Prazer senhor Basileus....seu irmão seria o senhor Comstock não é?
Isso aqui é Fantástico!

Basileus sorri.

- Eu sei. A casa reflete seus donos e esta casa agora também é sua, senhora Hela... Se assim preferir que lhe chame. Todos que vieram para cá, escolheram um novo nome para si, assim como eu. - pausa - Acredito que tenha algumas perguntas, mas começaremos com nossa introdução.

Estendeu a mão para a professora e, assim que a tocou, os dois somem em um brilho luminoso.


- Bem vinda a Haven. Está é a vista de fora.

O lugar não parecia uma escola, parecia uma cidade. Como Basileus explicava, também era. A muitos anos, eles abandonaram a Terra com o advento dos super-heróis.

- Influência é dissipada com fama e credibilidade. Nós, por muito tempo, somos seres que funcionavam como mitos, aqueles que viviam nas sombras e buscavam dentes, ou se transformavam perante o luar. Raças, criaturas e heróis, somos todos cultura. E, com a globalização, enfraquecemos. Com os heróis famosos, desaparecemos.

Em uma tentativa de resgatar tudo que sobrará, aqueles que não desapareceram, fugiram e encontraram um lar aqui. Como o nome diz, Haven é um lugar seguro para o mito e a magia, para o sobrenatural e o esquecido. O homem explica que magia ainda existe e é forte no mundo, mas quanto mais sabem, e com mais heróis tomando ela para si, se torna menos uma energia, um modo de ser, e se torna apenas uma ferramenta nas mãos de tais "charlatões", como ele diz.

- Entendo que faz parte de um grupo. Conheci alguns colegas seus e os respeito. Se possível, convidarei todos a se juntar a nós.

Annet podia sentir na pele o lugar: era tudo síncrono. Magia estava no ar, no chão, nas pessoas. Basileus a tomou pela mão e surgiu no meio da cidade.


Havia todo tipo de seres: atlantes, licantropos, globinóides (roubando em favor do esteriótipo), fae...

- Há outras dimensões para eles, mas muitos preferem estar aqui. É seguro. E serve para preservar nosso legado. Alguma pergunta antes de continuar?







@Lyvio

Mecânica


  • Condições: Nenhuma;
  • Pontuação e Nível de Poder: 128 - 8.
  • Victory Points : 2.



Cena


  • Localidade: Haven - Manhã.


@Nimaru Souske:



No que dividia o espaço com Adamastor, o velho gemia algumas palavras criptas, qual sua mente conseguia expor apenas graças a ausência daquilo que o impedia: sanidade.

- Os pais vão pisar em todos nós se for para parar seus filhos de tomarem seu mundo.

Ele riu. E ele chorou.




Pale Shadow tomou a forma do maior super-herói do mundo, conhecido por sua força e resiliência. Pale não tinha muito de ambos, se fosse comparar com o herói. Que ainda há de conhecer.

A vaga transformação se transformou num murmúrio, depois em vozes altas e gritos de alegria.

- Ultraman! Ultraman!! - como um furacão, pessoas brotaram de todos os lados, querendo tirar foto com Pale, trazendo-lhe objetos.

Ele não entendia bem a palavra "trending", mas alguém disse que ele estava. Flashes e mais flashes e, depois, começou a gritarem assustados. O abismo olhou para Shadow, e ele piscou de volta, mandando beijinho. Os pombos entraram em surto total, e não eram poucos para aquele local da cidade. Um redemoinho das criaturas aladas davam rasantes nas pessoas, arrancando a comida das mãos delas, biscando seus rostos, e trazendo de volta as oferendas para "Ultraman".

- Os pássaros enlouqueceram! Hitchcock estava certo!! - uma gritou.

Agora Pale tinha comida. E atenção.

- Quem é você? Você não é Ultraman.

Dos céus, desceu uma mulher com uma tiara dourada na cabeça e uma armadura colante no corpo feita com placas brancas. Decote em formato de V, de bordas douradas. Trajava uma calça e jaqueta jeans, enquanto as botas eram da mesma aparência da placa metálica que tinha no tórax, chegando subir até o joelho. As vozes das pessoas clamavam por "Superwoman".

- Responda logo antes que faça-lhe responder à força.






@Nimaru Souske
Mecânica


  • Condições: Nenhuma;
  • Pontuação e Nível de Poder: 128 - 8.
  • Pontos "Heroicos": 5.



Cena


  • Localidade: Central Park - Manhã.

Nimaru Souske
Mutante
avatar
Mutante

Mensagens : 527
Data de inscrição : 03/10/2016

Re: Season 1 - What defines...

Mensagem por Nimaru Souske em Sab Jun 17, 2017 10:36 pm

Shadow escutou aquilo calado. Aquele velho tinha certa razão e o esquelético homem sabia disso deste que decidiu começar sua cruzada.

Com sua transformação, não sabia que atrairia tanta atenção. Mas havia de aproveitar-se daquilo. Não era comum para si se ver rodeado de pessoas sem vê-las correndo por conta de sua aparência, pois essa foi sua experiência nas poucas vezes que teve que interagir com outros. Sentia-se nervoso ao mesmo tempo que um pouco de orgulho por receber tanto carinho... mesmo que não fosse ele o merecedor. Após escutar os gritos de clamor, logo vieram aqueles que transmitiam horror. Aqueles pombos não pareciam normais, o que fez shadow afasta-los com seus poderes de ... Ultramam? Não se sabia bem se aquele poder seria a "presença do herói" que o maior herói de todos usara para afastar aquelas pragas, mas havia funcionado. Agora tinha comida. Então comeu incessantemente o alimento sem ao menos notar a divina criatura que descia dos ares.

Seria coincidência aquilo? ou apenas um modo do mestre ligar ainda mais os personagens da mesa de RPG? Pale não sabia ao certo.

" Voto na segunda opção. Me parece mais divertido" Pensou enquanto terminava seu lanche.

Logo escutou a pergunta da mulher que pairava a sua frente. Só faltavam alguns pedaços da comida em suas mãos, então levantou o dedo indicador de sua mão direita como se pedisse apenas mais um minuto. Mais uma vez a mulher, que parecia se chamar Superwoman, intimou-o, o que fez ele engolir as pressas e quase se engasgar.

- Argh!!.. COF COF... KOF KOF... Calma Mulher, não quis ser mal educado com você e lhe responder de boca cheia. Ele solta um sorriso como se tenta-se imitar a foto que copiara do "Ultramam". Mas aquele sorriso amarelo e ainda com restos de comida não passava a mesma confiança que o original.

- Bem, Sua resposta é bem simples. Sou apenas um fã que resolveu homenagear este grande herói e sair de casa vestido como ele. Mas ai esse grupo de pessoas desesperadas vieram me cercando e depois esses pombos atacaram e ai você desceu dos céus... Doidera né ?

Ele olha com uma expressão que apenas um ícone poderia expressar todo sua significação:


¯ \ _ (ツ) _ / ¯
GodsCorpse
Cavaleiro Jedi
avatar
Cavaleiro Jedi

Mensagens : 299
Data de inscrição : 17/10/2016

Re: Season 1 - What defines...

Mensagem por GodsCorpse em Dom Jun 18, 2017 3:03 am



Perante a reação de dolppelganger de Ultraman, Superwoman se sente ultrajada. Era visível a irritação dela só de ser mandada "esperar" com um gesto e o...

- Como ousa expor esse sorriso nojento?! Você acha que é uma piada?!

A guerreira parte para cima do doppelganger, agarrando-o pela gola do "traje" e o levantando do chão sem esforço algum - Agora você vai me dar uma resposta que eu queira ouvir ou vou-

- Superwoman!

Sobre o ombro da guerreira, Pale vê a chegada da imagem "cópia", Ultraman, trajado como na imagem que Pale copiou.

Referência Visual:

- Isso é o suficiente Superwoman. Não há necessidade de esmagar um fã, não é mesmo, senhor..?

Sem sutileza alguma, a guerreira solta Pale no chão e bufa. Durante todo o momento, os pombos continuavam a circular o parque, em formações incoerentes, se batendo no ar uns contra os outros. Caótico. Maluco.

- Chega disto.

E, batendo seu escudo contra sua espada, explode uma onda sonora que ecooa por todo o parque. Até mesmo Ultraman é forçado por as mãos em seus ouvidos para evitar a força total da energia e suficiente para pôr Pale de joelhos. Podia sentir o Padre e a Besta gritando dentro dele, ardendo com a mesma dor.  

O que segue depois é a chuva de pássaros dos céus e pessoas desmaiando. O local ficou silencioso por um momento, até começar choro das crianças que ali passavam. Superwoman sorri satisfeita. Ultraman encara a colega com reprovação.


- Nos encontramos no prédio de Harman. Saia daqui. - Superwoman o desafiou, mas obedeceu quando repetiu - Agora!

Ultraman ajudou seu sósia a se recuperar - Desculpe pelo ocorrido, mas coisas assim que acontecem quando estou por perto, então é melhor não usar minha imagem em vão. Mesmo.

Da maneira que ele acentuou a última palavra, a mensagem não era uma dica, era um aviso.

- Agora, mude de forma e me diga quem é você.  





@Nimaru Souske
Mecânica


  • Condições: Nenhuma;
  • Pontuação e Nível de Poder: 128 - 8.
  • Pontos "Heroicos": 5.



Cena


  • Localidade: Central Park - Manhã.

Lyvio
Semi-Deus
avatar
Semi-Deus

Mensagens : 6518
Data de inscrição : 28/01/2012

Re: Season 1 - What defines...

Mensagem por Lyvio em Dom Jun 18, 2017 7:57 pm

Hela ouve as respostas do garoto sem muita surpresa, mesmo quando ele falava que as garotas preferem o que ele faz com boca. Se ele olhasse para o retrovisor poderia ver as sobrancelhas caídas da bruxa levantadas com certa surpresa, não pelas palavras em sí, mas por ele falar dessa forma diante de uma idosa como ela. Então após ouvir tudo que ele respondia e suas reações ela cerra os olhos e o indaga:

-Você é muito mais velho do que aparenta ser não é?

A necromante percebeu isso em pouco tempo de conversa que teve com ele, não falou muito durante toda a viagem.

Então finalmente chega e encontra Basileus, responsável por Haven. Ele faz uma viagem com ela apresentando a cidade e tudo parecia perfeito, certinho de mais. Isso não a agradava nem um pouco, ainda mais quando ele disse que ali seria o novo lar dela.

O ponto curioso ficou pelo fato das criaturas e seres da fantasia estavam lá, realmente existiam, mas foram sendo esquecidos devido o advindo dos heróis.

-Nunca imaginei que veria com meus olhos essas criaturas da literatura fantástica...Haven é realmente impressionante Basileus, mas não tenho interesse em morar aqui, me desculpe.

Eu poderia, de alguma forma vir aqui para dar minhas aulas e dormir um ou outro dia para conhecer bem esse mundo, mas meu local é na Terra. Estive pensando em voltar a ativa com muito mais intensidade como heroína, ou seja, tirar algumas horas do dia para caçar aqueles que ameaçam o equilíbrio das coisas.


Hela para um pouco observando Basileus, desde o senhor Comstock tudo parecia estranho e misterioso e faz suas indagações:

-Tudo que se faz aqui não parece apenas fazer por fazer. Qual sua intenção em recrutar heróis que você julga pertencer aos mitos da terra para cá?

Hela estava achando tudo muito suspeito desde Comstock, aquilo estava a incomodando muito e ela não conseguia disfarçar a curiosidade.



_____________________________
Darksol, O Kobold Bruxo; Nível 7: "Darksol vai ajudar os anões, sim, sim, vai sim! Darksol deve aos anões sim, deve sim e mata Orcs e Drows feios!>>> "Menzoberranzan, a Cidade dos Drows"

Ennibel, A Rainha das Sombras:" Duas vidas me tiraram, mas eu retornei movida pelo ódio. Exterminarei TODO o exército de Abigail e o farei ter a morte mais dolorida que alguém pode ter. No fim, ele se tornará uma mera serva sob minhas vontades!">>>"Apócrifos de João: Novo Testamento - I Pergaminho"

Gregory Macdolls; Nível 2 :Porque temer os pokemons fantasmas? Eles são um pouco maldosos de fato, mas são os melhores pokemons que alguém pode ter. Vivo cercado deles e quero capturar todos! ">>> "Pokemon! Temos que pega"
Nimaru Souske
Mutante
avatar
Mutante

Mensagens : 527
Data de inscrição : 03/10/2016

Re: Season 1 - What defines...

Mensagem por Nimaru Souske em Dom Jun 18, 2017 8:26 pm

O falso ultramam é erguido do chão pela mulher e não demonstra nenhum medo, não era como se ele não se sentisse ameaçado, mas porque ela ainda não entendia o quanto aquela figura que ele se tornou causara tanto furdúncio. Mas logo em sua visão parecia que aquele cartaz tinha tornado-se vivo, pois sua imagem semelhança estava ali, pedindo para que superwomam parasse com o que estava fazendo. Pale olhava fixo para o homem voador, quase ignorando completamente aquela que ainda o segurava. Foi indagado e logo recobrou a consciência pra responder:

- Mas é claro que não, senhor ^^ Sorri mais uma vez.

Logo é solto sem nem ao menos esperar, caindo de bunda no chão e emitindo um som alto de osso estalando. Parecia ter doído.

- Obrigado pela gentileza, Menina.

Após isso veio todo aquele golpe estrondoso que fez com que os pombos se afastassem de vez, assim como todo resto das pessoas. Shadow dava socos contra o chão, parecia estar com a cabeça prestes  a explodir com toda aquela confusão. Pessoas desmaiando, ratos voando, crianças chorando e dois seres dentro de si gritando como loucos... mas eram loucos. Quando parecia estar melhorando a situação, olhou para a discussão entre aqueles super seres e viu que havia um atrito. Levantou-se ao mesmo momento que superwomam saiu de cena, ainda limpando suas "roupas". Logo, respondeu ao super herói.

- Vejo que sua colega não tem bons modos como você, deve ser duro lidar com loucas assim. (sorria) E agora acho que sou eu que devo desculpas, pensei que poderia ter o que comer se me parecesse com alguém famoso... sabe, não é muito fácil se alimentar quando você tem que comer por três...

Diante do pedido de Ultramam, Pale Shadow sentiu uma confiança que não se recordava ter sentido por outrem. Assentiu com a cabeça, mas advertiu.

- Acho melhor irmos para algum local mais escondido... minha verdadeira forma não é agradável para os comuns... mas acho que lhe devo isso como modo de demonstrar meu arrependimento.

Então a loucura se revela ali, ainda com seu sobretudo negro e lenço no pescoço. Não eram detalhes que o homem a sua frente devia estar focando, diante de uma caveira com marcas estranhas no rosto que parecia rir mesmo que não estivesse se esforçando para isso.

- Isso sou eu...Não tenho um nome em específico, ao menos não lembro-me de ter... eles me chamam de Pale Shadow, foi o que eu escutei pelos locais que deixei que me vissem antes que caíssem em desespero... espero que entenda porque tive que fazer o que fiz...

Suas falas, desde que começou a falar sobre si, eram entrecortadas com pausas excessivas. Talvez pensasse no que a Besta achava de se revelar assim para um herói, talvez ponderasse sobre o padre estar mais saudável do que antes, quando sentia fome, talvez se lembrasse de Adamastor, perguntando-se se ele estaria bem após o golpe daquela mulher.

Nada poderia ser confirmado vindo daquela mente.

Poder:
The Beast ( 20 + 1 pps)
EFFECT: Morph/ TYPE: general/ DESCRIPTORS: Mystic, madness
*ACTION: free/ RANGE: personal / DURATION: sustained
Rank  4
Extra: Metamorph
DESCRIPTION:  A irracionalidade toma forma e consciencia e toma conta de seu hospedeiro, aderindo a forma primordial de toda razão: a selvageria. Seu subconsciente também lhe garante o poder de tomar qualquer forma que desejar.
isaac-sky
Tecnocrata
avatar
Tecnocrata

Mensagens : 348
Data de inscrição : 02/03/2014

What defines...redemption

Mensagem por isaac-sky em Ter Jun 20, 2017 11:05 pm




Brendan tinha 9 anos quando viu Whiney pela primeira vez.

[Whiney]:Meu Deus! É o Brendan. Ele já cresceu isso tudo? - o titânico era ainda maior quando Brendan era criança. Whiney o ergueu no ar como se pesasse nada.

Mas ao invés de medo o pequeno Lumey se divertida. Nunca tinha ido tão alto.

Brendan viu Tio Whiney entrar na lanchonete de várias maneiras diferentes:
Cheio de hematomas de uma briga de bar com alguém do tamanho dele, comemorando o título de seu time de futebol americano ou até mesmo algumas vezes engravatado e emburrado quando voltava de uma entrevista de emprego sem sucesso.

Whiney nunca foi uma figura modelo, um exemplo a ser seguido. Mas era ele quem ensinara a Brendan um pouco de como o mundo é duro mesmo que você seja extraordinário.
As oportunidades passavam até mesmo para quem podia ter o mundo nas mãos.

Apollo acreditava que Whiney tinha o potencial para ser muito mais do que só um ex-assaltante de banco. Chegou a considerar criar uma agência de heróis com pessoas como Whiney: gente que precisava de uma oportunidade para virar a página de ações ruins.

Mas agora era tarde demais. Whiney queimava diante de Apollo. O herói solar apenas se ajoelhou no chão quando viu o amigo em chamas.

Sua luz matara o que sobrava do Tio Whiney. Aos poucos a luz solar se desfaz.

"Não...por favor Deus, que seja um pesadelo...por favor me deixa acordar agora..."

A realidade era clara. E o que tinha pegado Whiney estava a solta, ele tentara enviar a mensagem ao Lumey.
Apollo soca o chão, rachando o asfalto.

Se levanta, ouvindo o policial e sua ordem de prisão.

-Senhor, há uma nova ameaça em Nova York. Preciso avisar outros heróis, a coisa que me atacou e atacou aqueles oficiais ainda está por aí

Apollo não resiste, apenas olha firme para o policial.

-Por favor precisamos evitar outras mortes

Persuação
isaac-sky efetuou 1 lançamento(s) de dados (d20.) :
4

Assim que possível Apollo tentará entrar em contato celular com dois heróis que conhece:

Spoiler:


Combate:

Pulse:

Jim Jones
Samurai Urbano
avatar
Samurai Urbano

Mensagens : 138
Data de inscrição : 01/10/2016

Re: Season 1 - What defines...

Mensagem por Jim Jones em Qua Jun 21, 2017 12:20 am

Tinha dado para o velho, ele não aguentava mais, ele estava preso ao passado, a uma era onde os heróis eram mais puros. Onde os inimigos eram mais "humanos". Ele não aguentava esse novo mundo. Esse é o destino dos homens esquecidos no passado, se perder no presente, sem fé no futuro. Eu insisto para ele esperar no carro e conversar com o pessoal da central, mas não teto muito. Paro o carro e deixo ele sair próximo a um ponto de taxi. Do jeito que ele tá é assim que vai me dar menos problema.

É uma cena daquelas na rua. Um carro revirado, alguns buracos, é um furo na parede nos levando direto ao pote de ouro. Lee já estava se empondo, ela perdia um pouco da linha quando se tratavam de metas, nunca perguntei porque.

Flagrante, quando nós pegamos um filho da mãe infringido a lei bem nos nossos olhos, como quando um maldito freak queima alguém com as própria mãos ou sei lá como. Eu reconheço o "herói", Apoullie se não me engano, que nome de merda pra um herói. Apoullie.

- Um passo e você leva um balaço na cabeça. Mãos na cabeça, com muita calma. - Minha arma está com a cabeça dele na mira. Eu não sei se o puto tem só a mão de fogo ali ou se faz mais alguma coisa, era melhor tomar muito cuidado com tipos como esse. Mas ele se dizia um herói, então era provável que não resista a prisão.

- Apoullie, certo? Sua carreira de "herói" está em jogo. Não faça nada errado muleque. Lee, me dá cobertura. E você, sem nenhum movimento. - vou até o meliante, algemo-o e tranco ele na viatura.

Pego o rádio e ligo pra central.
- Aqui é Jonhson, relatando código 32. Prepara uma cela a prova de fogo pro esquentadinho aqui. E manda um time da perícia pra cá. Tá uma bagunça. Pelo menos duas mortes.- Espero a resposta da central e sigo pra lá. - Lee pega o extintor de incêndio. Se o garotão tentar qualquer coisa aí.
isaac-sky
Tecnocrata
avatar
Tecnocrata

Mensagens : 348
Data de inscrição : 02/03/2014

Re: Season 1 - What defines...

Mensagem por isaac-sky em Qua Jun 21, 2017 12:42 am

"Apoullie? Esse cara é o que, francês?" Brendan pensa ao ver o policial.

Pelo visto não havia o convencido. Talvez em momento melhor ele teria se saído bem.

-Eu não vou resistir oficial, mas me prender só vai nos fazer perder tempo. Eu conhecia o cara que...que morreu ali. Era um ex-vilão, parecia infectado com algo, sua combustão foi...foi acidental

"A minha mãe vai me matar. Eu saio pra procurar o amigo da família e ele não só morre como eu estou sem dar notícia a madrugada toda"

-Eu tenho o direito de manter minha identidade secreta, como herói registrado. Me deixe com a minha máscara e eu respondo tudo o que quiser na delegacia - Apollo ergue os braços, permitindo ser algemado.

"Humpf, o cara acha que eu tenho poder de fogo ou algo do tipo. Melhor deixar assim"

Jim Jones
Samurai Urbano
avatar
Samurai Urbano

Mensagens : 138
Data de inscrição : 01/10/2016

Re: Season 1 - What defines...

Mensagem por Jim Jones em Qua Jun 21, 2017 1:02 am

Eu olho para o garoto a minha frete, ainda era um muleque e se dizia herói. Não foi o primeiro e não vai ser o último, desde a antiguidade eu me deparo com esses tipos.

- Tá bom moleque, acidente. Vários desses tem acontecido ultimamente. Você vai explicar tudinho na delegacia. Sempre que vocês vem com essas desculpinhas de "É pra salvar o mundo.", "Vocês estão perdendo tempo.", " Eu estava fazendo meu dever." vocês parecem umas criancinhas pegas no flagra. Guarda essa ladainha pro juiz. Tem pelo menos dois enterros na sua conta, é um deles estava cumprindo de fato seu dever. Vai precisar de todo o papinho furado que tu tiver pra se sair dessa. Essa história pode custar mais que sua indentidadezinha moleque.

Continuo com a prisão e passo o rádio pra central.
Lannister
Investigador
avatar
Investigador

Mensagens : 95
Data de inscrição : 13/03/2014

Re: Season 1 - What defines...

Mensagem por Lannister em Qua Jun 21, 2017 8:17 pm

ANASTASIA USA PRECOGNIÇÃO+18 CD 28

Lannister efetuou 1 lançamento(s) de dados (d20.) :
10
Balth
Investigador
avatar
Investigador

Mensagens : 53
Data de inscrição : 17/10/2016

Re: Season 1 - What defines...

Mensagem por Balth Ontem à(s) 1:48 pm

"- É... é mesmo? - ele abaixa a cadeira e senta nela - Eu não sei... Está muito confuso. Eu não reconheço esse lugar... Meu filho é só um menino, muito novo... O que é um Air Uber? Onde ele está?

Seus olhos se arregalam e depois começam a descansar, como se retomasse consciência - Tommas? Tommas meu garoto.

Adam vai até o filho e o abraça, Teresa volta para a sala e os olhos do pai de Tommas enchem de lágrimas - Desculpa... Desculpa meu amor.

Com lágrimas escorrendos, os dois se abraçam."

*respirava fundo vendo que toda aquela loucura acabou da melhor forma possivel mas a unica coisa que passava pela cabeça era: "Oque foi que acabou de acontecer?!"*

*abraçava ambos emocionados*
-Pelo visto a Luta foi cancelada né?*falava meio rindo meio chorando para o pai*

"- Você sabe o que isso parece, não é? - Howard está ao lado de Tommas, enquanto os paramédicos cuidam de Adam e de sua esposa - Perda de memória, confusão, dificuldade em reconhecer familiares e amigos.
Seu tom era calmo e falava pausadamente.
- Vai ser difícil de agora em diante."

--Então..esse é o problema *coço a barba*..ele sempre foi um senhor tão saudavel. Fazia palavras cruzadas toda manhã e foi diretor do Departamento de Matemática em Columbia..nunca me pareceu que sofreria desse tipo de coisa. Ele nunca demonstrou nenhum sinal de alerta. Tem algum caroço nesse angu.

"Um dos paramédicos vem até a dupla - Eu recomendo ele passar uma noite no hospital. O susto dele foi bem grande e ele pode acabar passando mal. Mas claro, isso fica por você e por sua mãe, que já concordou. Se quiser acompanha-lo"

--Sim sim leve-o para o NYU Langone Medical Center. Vou acompanha-lo.

*me viro para Howard*--Cara..desculpe abusar da sua paciência..mas pode dar uma olhada no sistema de segurança e video da casa? Quero ver oque aconteceu durante o dia até agora. Alguma coisa não está me cheirando bem. Me ligue se achou alguma coisa irregular!

*acompanhava os pais até o hospital*...*ligava para a minha secretaria Marie Rose*
--Marie por favor cancele todos os meus compromissos de amanhã!

*Marie*--Tudo bem sr Tommas mas e a sua reunião com o Senador Jack Bob Hope?

--Ah merda..eu esqueci completamente. Olha..surgiu um imprevisto. Coisa de familia. Peça desculpas ao senador..mande para ele uma caixa com aqueles cubanos que eu sei que ele gosta ok?

*Marie*--Tudo bem senhor. Estimo melhoras. Mas acho que não será necessário cancelar. Posso avisar a senhorita Angela e pedir para ela encontrar com o Senador.

--Isso boa ideia. Mande a pauta da reunião para ela se inteirar. E diga que eu peço desculpas por botar nessa enrascada..eu sei que ela odeia o senador.
Conteúdo patrocinado


Re: Season 1 - What defines...

Mensagem por Conteúdo patrocinado


    Data/hora atual: Sex Jun 23, 2017 5:41 pm