Um fórum de RPG online no formato de PBF (Play by Forum).


Capítulo 1 - 7 Dias no Mar

Compartilhe
spectro
Garou de Posto Cinco
avatar
Garou de Posto Cinco

Mensagens : 2194
Data de inscrição : 13/05/2014

Re: Capítulo 1 - 7 Dias no Mar

Mensagem por spectro em Ter Maio 02, 2017 11:23 am

Gil Valentine



Gil apostou alto esperando a Dama da sorte lhe dar um beijo de bom dia ou boa noite, mas o que viu no final foi uma surpresa, o jogo virou e assim sua dama não apareceu, era o fim do jogo para ele, foi uma aposta fazer o que, os jogos tinha dessas, no final o beijo de boa noite se tornou um beijo de até logo...

Bull Dog riu alto, e se vangloriou, o velho também mostrou um sorriso, mas este era banguela.

Não havia escolha, o tempo estava passando e então Valentine percebeu que já deveria ir, logo o Estrela Polar iria se despedir de Solde, e ele não ia querer ficar para trás de seu grande objetivo.

Levantou-se da mesa triste por não poder acompanhar o desfecho do jogo, colocou sua mochila nas costas e se preparou para seguir adiante, ao pagar sua bebida sentiu um apertão no braço. Era o homem que contava histórias sobre o mar.

- Acho que lhe devo um agradecimento, tome pode ficar com isso, acho que será de maior valia para você do que pra mim, acho que não vou conseguir vender mesmo.

Lhe entregou a pedra mágica.

Pedra da água:

- Você pode usá-la da seguinte maneira, corte-a com uma arma, de preferência as pequenas, mas nada impede que seja com uma espada, ao corta-la ela impregnará na lâmina de sua arma e assim vai adquirir propriedades mágicas, vai durar tempo suficiente para espantar monstros do mar.

Não havia mais tempo, Gil teria de partir, já lá fora correndo em meio as docas viu o grande navio que iria embarcar, e uma moça na rampa de entrada, depois de alguns procedimentos burocráticos entrou no barco e notou os viajantes se apresentando, haviam pelo menos uns 14 deles.


Estrela Polar



O ser com aparência demoníaca estava sentado em seu baú, uma bagagem bem grande, levantou-se e se aproximou de Harlock, disse então em voz alta, uma voz rouca e atemorizante:

- Eu sou Gama o Shaman, eu tenho poderes mediúnicos, e gosto muito de realizar experimentos e feitiços, quando vencer o desafio, vou pedir certas imunidades ao Rei, para que possa conduzir meus feitiços e experimentos como disse, também vou ter acesso livre a biblioteca do reino, o que abrirá meus horizontes. Descobrir curas para as mais diversas doenças será emocionante.

Gama - O Shaman:

O cara enorme com as amarras nas mãos foi o próximo:

- Eu sou Burashi, não tive muita escolha, me capturaram e me colocaram aqui, se eu ganhar me prometeram liberdade, pra falar a verdade, não sei se vou conseguir vencer com estas mãos amarradas.

Burashi - O prisioneiro:

Os dois com peles mais escuras decidiram se manifestar também, porém só um deles falou:

- Eu Sou Somah!!! E este é meu fiel mordomo Agni!!! Eu sou um príncipe de uma terra distante, porém perdi muito dinheiro e meu Reino se encontra em colapso, desejo ajuda do Rei de Calla para que possa restabelecer meu trono, Agni lutará ao meu lado se possível para cumprirmos nossa tarefa...

Somah e Agni:
Somah - O principe Errante.


Agni seu Fiel seguidor




A garota de cabelos ruivos foi logo em seguida, ajeitou sua capa de cor púrpura que balançava ao vento.

Sou Sheila, beijinho a todos meus amores... Eu gosto muito de tesouros, sabe joias e tudo mais acho que elas me atraem. – Olhou para Keldar e deu uma piscadinha.  – Por isso estou aqui, naquele labirinto existem tesouros raros, por que mais alguém viria aqui se não por isso...

Sheila - A Ladra:
Dwight Memphis
Samurai Urbano
avatar
Samurai Urbano

Mensagens : 140
Data de inscrição : 15/09/2016

Re: Capítulo 1 - 7 Dias no Mar

Mensagem por Dwight Memphis em Ter Maio 02, 2017 3:24 pm

Olho em volta torcendo para encontrar mais algum elfo, estava com certa saudade de minha antiga vida, nunca fui muito acostumado a ficar rodeado de outras raças, mas muito menos de não ver outros de minha própria.

Quando noto uma pausa entre uma apresentação e outra eu ergo minha voz para que o capitão pudesse ouvir:

Meu nome é Lucan, vou vencer para poder retornar ao meu reino.

Feito o que me pediram eu começo a olhar em volta, precisava fazer aliança com alguém e já tenho algumas ideias de quem seria, pelo menos pra começo.

Em quanto os outros continuam falando eu me esgueiro para o perto de Burashi, como ele precisava de uma ajuda mais imediata, ele estaria mais propenso a colaborar, provavelmente meus próximos alvos seriam um cara que andava por ai com duas espadas e ainda não tinha se apresentado e o príncipe, tudo ainda poderia mudar, mas eu sempre precisava de um plano.

Burashi certo? - falo me aproximando do prisioneiro - Que tal se eu te ajudar com suas mãos e você me ajuda no labirinto, dessa forma poderemos os dois ganhar, o que acha?

Enquanto falo vou ouvindo as apresentações dos outros, queria saber quem mais eu gostaria de fazer uma aliança por enquanto.
Exalted
Cavaleiro Jedi
avatar
Cavaleiro Jedi

Mensagens : 265
Data de inscrição : 24/02/2017

Re: Capítulo 1 - 7 Dias no Mar

Mensagem por Exalted em Ter Maio 02, 2017 3:25 pm

KELDAR






Keldar estava muito empolgado com a situação toda, estar naquele navio já anunciava o que estava por vir, e ele não era o único, o invocador resondeu com o mesmo ânimo, apesar de logo depois parecer passar mal. Keldar também cumprimenta a recém chegada, e os demais que já estavam no navio.
Tetsuo se aproxima e também questiona sobre o desafio.

- Sim vou participar também, espero que não demoremos a chegar. Aliás, sou Keldar.

Conforme os demais participantes vão chegando Keldar sente mais e mais a adrenalina - com certeza estou rodeado de pessoas muito fortes, finalmente terei um desafio! - Ele olha para todos os que entram no navio, cumprimentando-os apenas com um aceno de cabeça.

A ruiva chama imediatamente a atenção - é a mesma que encontrei no cais, eu sabia que ela era mais do que aparentava. - Ele apenas faz um gesto com a mão quando a vê passar.

Com a solicitação do capitão, e após algumas apresentações, Keldar percebe um silêncio e decide dar um passo a frente e se apresentar:

- Sou Keldar, do reino de Numória, estou aqui em busca de um desafio de verdade, há tempos não encontro nenhum que valha a pena. Como prêmio, bem, serei declarado o maior de todos os guerreiros.
spectro
Garou de Posto Cinco
avatar
Garou de Posto Cinco

Mensagens : 2194
Data de inscrição : 13/05/2014

Re: Capítulo 1 - 7 Dias no Mar

Mensagem por spectro em Qua Maio 03, 2017 11:27 pm

Estrela Polar


O Homem com cicatriz e armadura pesada foi o próximo:

- Meu nome é Cross Dragoon, eu pertenço a uma família destacada e nobre, sou membro dos antigos templários, nós perdemos território e muito de nossos tesouros, fomos caçados por assassinos, fomos perseguidos por clérigos do mal.

Falava num tom firme e sério, mostrando um certo ressentimento na voz:

- Agora eu terei de fazer o que for preciso para restabelecer a ordem e a honra dos Templários aceitando este desafio e vencendo, e digo a todos aqui, aquele que atravessar meu caminho vai pagar caro, meu objetivo é uma devoção.

Cross:

A mulher de cabelos dourados andou até o meio do navio para que todos pudessem apreciá-la, com andar sexy e sorriso malicioso disse:

- Eu sou Charllotte!!! Faço serviços de “Acompanhante” sé é que vocês me entendem, se alguém aqui quiser meus serviços, aproveitem porque vai ser a última chance, Capitão esta a fim?


Harlock ficou vermelho e perdeu a compostura, mas logo pigarreando e desviando o olhar se recompôs.

Charllotte:


- Ah qualé gente!!! Ninguém quer os lábios de uma doce mulher, uma companhia nesta viajem longa, acho que vocês são bastante tímidos hein... Hah!!!

Um homem a empurrou, era o samurai com aspecto sombrio.

Jinei Kurogasa:

- Não estamos aqui para brincar meretriz, eu sou um assassino profissional, eu sou Jinei Kurogasa, gosto de sentir a lâmina perfurar carne, a carne de inimigos, já fui mercenário, e aceitei muitos serviços de assassinato, se eu vencer o desafio, quero algumas imunidades de crimes que eu cometi.

Charllotte resmungou:

- Ah que cara chatinho!!! Sua mamãe não te ensinou nada não!!!??

Kurogasa lhe deu um olhar firme, parecia matá-la apenas com o olhar e voltou para o canto do Navio onde não tinha ninguém perto para incomodá-lo.

Depois foi a vez da mulher com armadura:

- Eu sou Jeannie Sinclair!!! Uma clériga da ordem de Saint Joan, sou devota da Santa Guerreira da qual tenho muito orgulho, por favor não a desonrem com seus falatórios vãos, odiamos os pecados da luxúria e assassinato, corrupção e desonra, a vitória neste desafio vai trazer a caridade pois vou doar o dinheiro para a Igreja de Saint Joan que está desamparada e suas crianças que sofrem e passam fome.

Embora não seja amante da ira desenfreada, eu farei o possível para derrotar e derrubar as “muralhas” em meu caminho, assim como fez no passado a Santa Guerreira.

Jaennie Sinclair:

Depois de todos se apresentarem a garota que estava com a prancheta apareceu:

- Meu nome é Annie Crawford, aqui no Estrela Polar sou chamada de Eagle Eye, eu cuido do mastro do navio e das ferramentas e armas que temos do lado de fora, venham até mim pois eu lhes darei as chaves do quarto de vocês.

Annie pegou um molho de chaves na sua cintura e começou a distribuir para quem chegasse perto, ainda não saíram do convés, ela daria as chaves de cada um visto que seriam quartos individuais.

Neste meio período Lucan já tentava formar alianças e falara com o mais provável aliado visto que precisava de ajuda.
Gama o Shaman ao ver os dois conversando se intrometeu:

- Não sei porque perde seu tempo fazendo alianças jovem, no final todos teremos de nos matar...

Gama virou as costas e foi pegar suas chaves. Burashi então se pronunciou falando baixo, apenas para Lucan:

- Ele está enganado, já existiram 2 edições dos jogos do Labirinto, uma delas a primeira não houve vencedor, a segunda houve, esta é a terceira e vou te falar, agora será com times, provavelmente formaremos um grupo. Aceito sua aliança, vou lhe dizer, estas amarras são especiais, não vai conseguir se livrar delas tão fácil.

Vendo que Sheila iria até Keldar, Charllote se adiantou, foi mais rápida e chegou primeiro:

- E então jovem? Gostaria de meus serviços? Não vai lhe custar muito, apareça no meu quarto, ele é o 107, não vai se arrepender, venha esta noite, tá bom?!!! Não seja tímido...

Keldar não conseguiu se mexer, algo no corpo dele não correspondia as suas vontades, se sentiu fascinado, por aquela mulher, por algum motivo ela chamou sua atenção. Vendo sua expressão encantada, Charllotte falou agora sussurrando:

- Eu não vou contar para ninguém... – Deu uma piscada sexy e mandou um beijo para ele.

Sheila se aproximou e Keldar meio que despertou do transe com o empurrão de ombros que ela deu nele.

- Já fez um amante senhor arqueiro?... Parece que atrai as mulheres, será seu rostinho lindo? Ainda bem que não aceitou minha carta, não sabia que iria encontrá-lo aqui.

Falou Isto fazendo um coraçãozinho com as mãos unidas.  I love you

- Provavelmente vai ser uma viagem beeem longa!!!

Falou isso apontando o nariz para a loira tarada.


Off Game::
Neste período que será curto vocês podem interagir... Quem ainda não se apresentou pode fazê-lo se quiser ou mencionar que o fez...
shamps
Mestre Jedi
avatar
Mestre Jedi

Mensagens : 1047
Data de inscrição : 04/04/2016

Re: Capítulo 1 - 7 Dias no Mar

Mensagem por shamps em Qui Maio 04, 2017 2:05 am

Se sentindo desconfortável, a jovem Anemona se encolhia cada vez mais a cada revelação daquele grupo. Muitos eram assustadores.

"Poucos tem desejos nobres."

Sentiu-se mal, pois era apenas uma dançarina circense, não poderia julgar ninguém. Apenas foi até Eye pegar sua chave, evitando olhares e passando longe de todos ali.
Ruma rapidamente para seu quarto.
Exalted
Cavaleiro Jedi
avatar
Cavaleiro Jedi

Mensagens : 265
Data de inscrição : 24/02/2017

Re: Capítulo 1 - 7 Dias no Mar

Mensagem por Exalted em Qui Maio 04, 2017 8:47 am

KELDAR





Após o fim das apresentações Keldar pegou suas chaves, e agradeceu Annie, que lhe explicou como chegar até o quarto, ao se virar de volta ele viu duas mulheres que não tiravam os olhos dele, e pareciam não gostar uma da outra, isso o deixou desconfortável, então apenas seguiu seu caminho em direção à proa do navio, mas foi interrompido por Charllote, que falava num tom de voz tão suave e se movimentava tão graciosamente que ele sequer conseguiu continuar andando, ficou estático enquanto a mulher lhe fazia um convite, aos seus olhos, tão inusitado que ele sequer sabia como responder, só ficou parado como uma estátua, enquanto ela saiu andando com um sorriso, satisfeita.

Ele voltou a si quando Sheila casualmente se aproximou, lhe dando um encontrão, ela fazia uma careta, incomodada com o que acabou de ver.



- Nã-não, de maneira nenhuma, eu nem a conheço. E não pude aceitar sua carta pelo mesmo motivo, não sei as intenções das pessoas aqui, onde eu vivo consigo saber sempre a verdadeira intenção de alguém, mas aqui tudo é diferente...

Keldar era um exímio arqueiro, e muito bem treinado para o combate, mas era completamente inexperiente quando o assunto eram as mulheres, e toda a atenção que estava recebendo nessas últimas horas e a maneira como elas se comportavam perto dele não melhorava nem um pouco a situação, com a despedida de Sheila ele ficou vermelho e só conseguiu responder – E-er, vai.... um-uma viagem muito longa.... – fazendo uma expressão que misturava cansaço e vergonha ao mesmo tempo.

Depois disso ele seguiu até a proa do navio, e por lá ficou, sentado, tomando um pouco de ar enquanto se recompunha.
Nimaru Souske
Mutante
avatar
Mutante

Mensagens : 555
Data de inscrição : 03/10/2016

Re: Capítulo 1 - 7 Dias no Mar

Mensagem por Nimaru Souske em Qui Maio 04, 2017 5:23 pm

Após sua apresentação, Nathu observou os que se pronunciaram logo após. Não tinha o objetivo de ir atrás de um grupo para se encaixar, tinha que estar preparado para ser capaz de superar todo o desafio que viria mesmo que sozinho. Continuava no canto do cômodo enquanto os outros falam. Viu que muitos ali estavam para benefício próprio, como o shamam "demônio", outros pareciam não seguir o caminho muito heroico. Seus olhos foram de cima à baixo naquele que parecia o que mais tinha mistérios ao seu redor: o homem com as mãos amarradas. Sabia que aquilo não era um sinal bom e que seria melhor manter distância. Conheceu a história daqueles nobres que tentavam estabilizar seu reino... se identificara com eles.

" Talvez possa ajuda-los caso precisem... sei como é doloroso ver seu povo sofrer."

Viu que a próxima a se apresentar seria a mulher de roxo, então se aproximou vagarosamente da dupla de pele mais escura e falou, tímido.

- Espero que consigam retornar a paz de seu reino. Talvez a recompensa desse desafio não seja apenas para uma pessoa.

Falou rápido, não queria ser inconveniente. Fora também um modo de não prestar atenção nas falas e curvas da mulher que logo terminara sua apresentação. Logo um elfo se apresentava diante de todos, para logo após seguir em direção ao prisioneiro... parecia que já iam começar as promessas de aliança por todo barco. Depois veio aquele garoto que viera com seu arco e flecha. Parecia um valoroso guerreiro que manejava seu instrumento de batalha com maestria... ao menos era o que se dava a entender por seu discurso. Isso atiçara a curiosidade do invocador, pois queria ver as habilidades de batalha daquele que almejava ser o maior de todos os guerreiros.

Talvez esses pensamentos até tenham lhe afastado de sua tristeza.


Já se passava algum tempo em que os motivos daqueles presentes eram entoados. O paladino buscando honra e uma meretriz buscando... Parece que Nathu teria que estancar o sangramento em seu nariz mais uma vez. Escuta sobre a história do samurai assassino enquanto retira os algodões, que tirou de algum lugar desconhecido, ensanguentados. Uma linda clériga que empunhava sua arma com firmeza e buscava ajudar em donações para a igreja qual era devota. Eram realmente histórias das mais diversas que poderiam se encontrar ali e Nathu guardara bem cada uma delas. Iam ser úteis no futuro.

A garota que o recepcionara na entrada no barco entra no local carregando chaves que ela  diz ser de quartos individuais para cada um ali. Pegou a que se referia a seus aposentos e, após responder a qualquer interação caso alguma ocorra, vai para lá e descansa.
Dwight Memphis
Samurai Urbano
avatar
Samurai Urbano

Mensagens : 140
Data de inscrição : 15/09/2016

Re: Capítulo 1 - 7 Dias no Mar

Mensagem por Dwight Memphis em Qui Maio 04, 2017 5:53 pm

Paro e penso um pouco sobre o prisioneiro fala, aparentemente ele conhecia mais do que eu sobre o desafio. Lógico que tinha levado em conta a possibilidade de ele estar me enganando e que queira me matar assim que se soltar, mas as chances de que eu, um bibliotecário vença esse labirinto sozinho é praticamente nula, eu prefiro arriscar em uma aliança, tudo acaba em morte mesmo.

Analiso um pouco as amarras pra ver se imagino alguma forma de me livrar dela, olho em volta a procura de alguém que pudesse ajudar, Sheila era a que mais tinha cara de poder ajudar, provavelmente em suas buscas por tesouros tenha se deparado com as mais diferentes formas de fechaduras, mas algo me dizia que a ajuda dela não sairia barata.

Daremos um jeito - digo para Burashi - mais tarde irei ao seu quarto e vejo o que consigo fazer com isso.

Após terminar de falar vou até a Annie, pego a chave de meu quarto, pergunto para o prisioneiro o numero de seu quarto e sigo para os meus aposentos, dou uma olhada nele, me deito um pouco para descansar um pouco, leio alguns capítulos de minha ficção e me praparo pra sair arrumando minhas alianças.


Spoiler:
Acabei considerando que as amarras são de madeira com uma fechadura, porque foi o que imaginei pela imagem, mas caso eu esteja errado só falar que eu mudo no próximo post.
Kif
Investigador
avatar
Investigador

Mensagens : 59
Data de inscrição : 27/04/2017

Re: Capítulo 1 - 7 Dias no Mar

Mensagem por Kif em Sex Maio 05, 2017 2:40 pm

Tetsuo, após o término das apresentações e depois de pegar a chave de seu quarto, o rapaz repassou as apresentações em sua mente, cada um dos competidores tinha um objetivo único, alguns tinham desejos parecidos, mas as semelhanças acabavam ali. Ele deveria formar um plano de ação.
"Eu tenho que formar alianças, mesmo que isso venha a me trazer mais problemas depois é melhor isso do que não conseguir chegar no final."
Pensou nas opções que tinha, se formasse a aliança errada isso só atrapalharia os dois envolvidos. tendo definido isso aproximou-se de Keldar na proa, se o arqueiro fosse bom como dizia, então seria um ótimo aliado.

-Keldar... voce esta bem?

Depois de conseguir a atenção dele, o espadachim propõe uma aliança. O primeiro passo do desafio estava então.
Exalted
Cavaleiro Jedi
avatar
Cavaleiro Jedi

Mensagens : 265
Data de inscrição : 24/02/2017

Re: Capítulo 1 - 7 Dias no Mar

Mensagem por Exalted em Sex Maio 05, 2017 5:01 pm

KELDAR






- Oh, olá, estou sim, só não me acostumei a este lugar, as pessoas aqui são diferentes de onde vivo, muitos parecem estar escondendo alguma coisa. - Keldar olha em volta casualmente enquanto fala, vendo os variados participantes andando pelo navio.

- Aliança? Confesso que não pensei sobre isso, mas se os outros já estão considerando, lutar sozinho seria injusto, assim, eu aceito sua proposta Sr. Tetsuo, vamos provar nosso valor no campo de batalha.

- Aliás, acho que não ouvi sua apresentação, por qual motivo está participando do desafio?
spectro
Garou de Posto Cinco
avatar
Garou de Posto Cinco

Mensagens : 2194
Data de inscrição : 13/05/2014

Re: Capítulo 1 - 7 Dias no Mar

Mensagem por spectro em Seg Maio 08, 2017 12:31 pm

Estrela Polar



Somah o Príncipe acenou com a cabeça para Nathu que dizia palavras de alto estima para ele, Agni olhou para seu Príncipe sem entender muito, em sua mente só acharia hostilidade entre as pessoas do barco.

Eles receberam suas chaves, Somah disse ao Capitão que Agni era seu fiel seguidor e não iriam dormir em quartos separados, Agni sempre o protegeu estando de seu lado. Harlock não se importou.

Ao irem para seus quartos, Nathu e Anêmona notaram depois de uma porta de madeira um enorme tapete vermelho no chão, era um corredor extenso, bem no final deste corredor era possível ver um local que se parecia com um bar, um balcão muito bonito estava disposto em uma sala no final do corredor.

O quarto de Nathu ficava a direita do extenso corredor, as numerações começavam pelo 101, quarto este que ficava a frente do seu.
Anêmona teve de andar um pouco mais, e seu quarto também ficava disposto a direita, ao estalar da maçaneta e ao ranger da porta ela entrou.

Os quartos não eram de luxo, mas eram espaçosos e confortáveis, com uma cama de solteiro um criado mudo, uma mesa, cadeiras apenas duas, e havia um relógio de parede em cada quarto.

Também havia um pequeno e discreto banheiro, e acima da cama uma janela grande, ela dava direto para o mar, ou seja, o casco do navio, se alguém pulasse ali, cairia na água.

O barco levantou sua âncora, começava a partir depois que as correntes terminaram de ranger, provavelmente tarefa de Annie “Eagle Eye”.

Logo atrás destes dois vieram outros para adentrarem em seus respectivos aposentos, Lucan foi até o seu, entrou e começou a ler seu livro perdido em um novo mundo.

Tiveram assim tempo de arrumarem seus pertences dentro do quarto.

Lucan o mago então se levantara para realizar alguns afazeres, iria tentar formar mais alianças, e é claro estava com o número do quarto de Burashi em mente, mas sem querer ele esbarrou em seu livro de ficção e notou que ele caiu no chão aberto, ao pegá-lo viu uma página solta.

A página era de uma coloração mais turva do que as outras páginas.

O Wizard também, sentiu uma alteração no ciclo de mana, isto significava que magia poderia estar sendo usada, era algo estranho, aquilo parecia uma fragrância magnética que chamou a atenção de seus sentidos mágicos.

Era possível seguir o fluxo de mana, se ele se esforçar-se conseguiria.

Nathu estava deitado em sua cama, sentindo o barco balançar, de lá de fora apenas o barulho do mar tranquilo e das aves, isto o fez cochilar por alguns minutos, ele então em seu sono viu uma baleia, estava no mar, ecoando um canto pelas águas. A Baleia era algo fantástico, coisa que nunca havia visto antes. Um monstro marinho sem igual, porém era dócil e passou perto do rapaz. Sentiu o toque de sua mão na pele da criatura.

Baleia - Bismarck:

Nathu viu um cardume de peixes coloridos atravessar pelas águas, ele estava submerso balançando os braços, respirava de baixo dágua, a canção da baleia ficava mais forte,e uma sombra tenebrosa vinha do fundo do mar, vinha rápido como uma tempestade que pegava uma dona de casa de surpresa e molhava todas suas roupas do varal.

Quando as sombras se aproximaram, Nathu viu que era uma grande serpente, mas ele sabia o que era, entre as lendas e os Summoner ela era conhecida como Grande Leviatã, Uma invocação que somente poderosos grandes mestres poderiam dominar.

Certa vez ouviu falar do grande rei dos mares Daedalus, eraum Leviatão cuja a face ninguém vira, diziam que se ela atacava navios, o destino era sempre a morte, havia relatos de que frotas desapareciam, e era atribuídas a Daedalus sua destruição.

Leviatã:

O Leviatã se aproximava, Nathu nunca os haviam visto,mas ele sabia, era o Leviatã, era o Daedalus, sua certeza era absoluta, concreta e palpável, não sabia explicar, mas era assim.

Ela, a grande serpente marinha, abriu sua grade boca, dentes de tamanho de barcos, nada sobreviveria aquilo, isto Nathu sentiu, e sem mesmo notar quem estava na frente engoliu o jovem, havia batidas de dentro do enorme monstro, o corpo de Nathu era empurrado como se estivesse em um redemoinho, ele escutava uma batida que parecia ser do coração, não, não era, parecia na porta, na porta????

Nathu despertou com batidas na porta de seu quarto.

Em seu quarto Anêmona estava em um canto qualquer quando ouviu um barulho, no começo não conseguiu identificar, mas depois percebeu que vinha de sua mochila, então ela lembrou do objeto em seus pertences.

Depois de um tempo ela escutou batidas em sua porta.
shamps
Mestre Jedi
avatar
Mestre Jedi

Mensagens : 1047
Data de inscrição : 04/04/2016

Re: Capítulo 1 - 7 Dias no Mar

Mensagem por shamps em Seg Maio 08, 2017 9:48 pm

Mais que depressa Anemona rumou para seu quarto, querendo um pouco de sossego do dia agitado, que ainda só estava começando. Com sua chave seguiu pelo corredor buscando seu quarto, lá deitou-se por um tempo antes de ouvir uma música invadir o ambiente. Lembrou-se da caixinha e foi até lá para contemplar o objeto e canção. O tempo pareceu parar, sorriu com a canção, depois se lembrou de seus pais e da saudade que sentia. Queria encontra-los logo.
Tempo depois foram batidas que ouviu à sua porta, guardou a caixa e perguntou.

- Quem é?
Nimaru Souske
Mutante
avatar
Mutante

Mensagens : 555
Data de inscrição : 03/10/2016

Re: Capítulo 1 - 7 Dias no Mar

Mensagem por Nimaru Souske em Seg Maio 08, 2017 10:43 pm

Nathu rumou até seu quarto, acompanhado até um certo ponto daquela garota qual cumprimentara e soubera seu nome: Anêmona. Viram um balcão ao final de um corredor, qual o jovem percorreu até seu quarto, sem dar nenhuma palavra com quaisquer outros que ali estivessem. Tinha que recuperar um pouco da sua glicose. Entrou em seu aposento, colocando logo seu cajado sobre a mesa e indo em direção ao banheiro para finalmente poder usufruir de um certo conforto à atender suas necessidades fisiológicas... teve uma certa dificuldade, mas nada que lhe atrapalhasse enquanto se acalmava. Após tomar seu banho, fora direto para cama. Precisava dormir. Antes de aproveitar toda maciez que uma cama poderia ofertar, ficou encarando o mar e toda sua beleza da janela que se encontrava a cima de onde deitava. O balançar acompanhava o ritmo de suas pálpebras que fechavam cada vez mais enquanto encarava a imensidão azul. Calma, confortante e acalentadora. Caio no sono, enquanto escutava ao fundo à ancora ser levantada.

Seu sonho era vívido e alegre. Acompanhava tal baleia com animo e energia, enquanto sorria como uma criança ao ver tal imponente, e ao mesmo tempo bela, criatura. Não sabia bem o que era sonho e o que era realidade, já que o azul do horizonte real se misturara ao azul onírico de seus devaneios. A água agora lhe recobria todo corpo, com uma incrível sensação de poder respirar debaixo d'água enquanto mais animais fantásticos lhe apareciam para agracia-lo com a vista: um cardume colorido. Escutava o som da baleia e a procurava incessantemente enquanto nadava pelas águas infindas e profundas, de onde veio uma rápida sombra que lhe tirara um suspiro. Como se suspira estando submerso ?

Não importava, pois agora seus olhos se encontravam com os da grande fera mitológica. O leviatã. Conhecia aquele ser, não teria como não. Passou anos estudando os conhecimentos antigos de seu povo, passados de geração em geração por meio de livros e contos e aquele era uma força que só os mais fortes poderiam domar e usa-la para seus desejos. Só então Nathu sentira a possibilidade de que aquilo não fosse real, mas abandonando a hipótese logo que seu interesse por entender o que ocorria de ante dos seus olhos lhe acometeu mais bruscamente. Daedalus era seu nome e sua lenda envolvia morte e destruição, nada muito convidativo.

À medida da aproximação da besta, o garoto não sabia se sentia medo ou ânsia de toca-lo, entende-lo, compreende-lo. Sua musculatura o impulsionava para frente sem ao menos notar. O encontro entre os dois parecia eminente. A boca fora aberta e o Summoner mudara sua tragetória para fugir daquilo, mas já era tarde de mais, pois tudo que restara foi o negro do interior de Daedalus. Se debatia para tentar se livrar de algo que nem ao menos via. Se debateu ao som das batidas que não entendia até que em um certo ponto elas ficaram secas como som de madeira e uma falta de ar vinha em seu corpo. Tudo se fez luz repentinamente e Nathu se encontrava de olhos arregalados enquanto um rio de baba escorria em seu rosto, enquanto uma outra porção encontrava-se melando a cama e suas roupas.

- Como um monstro colossal como aquele iria obedecer alguém que se engasga com a própria saliva ? Se questionou enquanto limpava o fluído. Um pouco abatido.


Levantou-se ainda esfregando os olhos, pegou seu fiel cajado qual quase nunca se separava e abriu a porta. Seu cabelo era convidativo ao convite de uma escova.

- Pois não ?
Dwight Memphis
Samurai Urbano
avatar
Samurai Urbano

Mensagens : 140
Data de inscrição : 15/09/2016

Re: Capítulo 1 - 7 Dias no Mar

Mensagem por Dwight Memphis em Seg Maio 08, 2017 11:43 pm

Quando estou para sair do quarto meu livro cai, pego ele e vejo uma página solta caída no chão:

Ah não, droga - praguejo, ele era tão novinho, tinha até cheirinho de novo.

Pego a página observando com cuidado, vai que eu lia justo um spoiler, mas vejo que a cor dela é diferente das demais, uma sensação estranha também me aflinge, uma variação no campo mágico, algo errado não está certo. Com a folha em mãos eu sigo o fluxo de magia para seja lá onde for.
spectro
Garou de Posto Cinco
avatar
Garou de Posto Cinco

Mensagens : 2194
Data de inscrição : 13/05/2014

Re: Capítulo 1 - 7 Dias no Mar

Mensagem por spectro em Ter Maio 09, 2017 3:56 pm

Estrela Polar




A caixinha de música tocou sozinha, e abriu sozinha, Anêmona apenas a guardou depois que ouviu as batidas na porta, decidiu primeiro perguntar quem a estava visitando...

Lucan olhou a folha de papel distinta, parecia uma partitura musical, mas numa língua desconhecida e estranha.

ξ Σ   Ћ ώ µ §   Џ µ Г ώ   ξ   Ћ д Щ Г ή Σ ξ   Њ ξ   φ ώ Г
ψ µ ώ   § ώ Л д Щ   д §   ώ § ¶ φ ώ Љ д §   § µ д §   ώ µ   § ώ Г
§ ώ µ   Ћ д Щ Г ή Σ д φ   Њ ώ   д φ Ћ ξ   Г φ Г §   ώ ή Ж Г Щ  
§ ώ µ §   ξ Љ Σ ξ §   Φ φ Г Љ Σ д Щ   ψ µ д Љ   Ж Љ ξ φ   Њ ώ   Л д § Щ Г Щ
¥ Г ¥ д   ή ξ    Ћ ώ µ    ξ µ    ή ξ   Щ д φ   ¥ Г ¥ д   ή д §   ή µ ¥ ώ ή §   § ώ Щ   Ξ д φ
¥ Г ¥ д   ή ξ   д φ   ¥ Г ¥ д   ή д §   Щ д¶ д §   § ώ Щ   Ж Г Щ   ώ   Φ φ Г Љ ώ   Г ή ¶ ώ ή § ξ   Ξ φ д   Щ Г Щ
φ ώ Г   § д Љ ¥ ώ   д §   Ћ φ Г д ή Ћ Г ή Σ д φ   Њ ξ   Ж Г Щ   ώ   д § § Г Щ   ώ   д   Φ д φ φ ώ Г φ д   ψ µ ώ   Ж ξ φ Л д φ   § ώ φ д   § ώ д   Ξ φ ξ ¶ ώ Ћ д ξ  


Antes de tentar examinar a folha com mais precisão foi até onde o fluxo energético o levou, então abriu a porta de seu quarto e andou no tapete vermelho diante do corredor de portas intermináveis, bem ao fundo do corredor havia um salão, um bar.

Os sentidos de Lucan o levou até uma das portas de madeira, era um quarto, mas quem será que estaria ali...?

Bateu na porta, e uma voz feminina o recebeu – Quem é?

Nathu abriu a porta de seu quarto e vislumbrou a garota a sua frente, era Eagle Eye, com a adaga agora fora de sua cintura, o objeto era bastante bonito e brilhante, ela o girava com maestria em uma das mãos.

Adaga:

- Olá, seu nome é Nathu não é mesmo???... Bem estou aqui para lhe dizer que as 12 horas em ponto haverá um almoço geral onde o Capitão lhes falará acerca das regras do jogo, não se atrase... No final do corredor, antes do bar estará uma porta a direita onde fica a cozinha, lá será servido o almoço por ter bastante espaço para todos.

Ela então colocou a adaga de volta na cintura e saiu, mas antes que Nathu fechasse a porta uma outra visita inesperada o deu o bote...

???:

- Ola amorzinho!!! Você parece bem jovem, acho que eu deveria te ensinar algumas coisas não? Que tal nós dois ficarmos bem juntinhos hein...
Ela chegou muito perto dele, deu para sentir seu hálito, com um saboroso cheiro de frutas vermelhas.

- Por que não vamos lá no final do corredor naquele bar, tomar alguma coisa, eu estou vestida como uma pirata vê? Se for bonzinho eu posso deixar você mais tarde navegar em minhas curvas...

Fez isso com um movimento sensual, passando a mão em sua cintura e quadril e se agachando um pouco. Carllotte estava disposta a levar o jovem até o bar para tomarem algo.

Off Game:
Shamps e Memphis seus personagens agora se interagem o quarto que Lucan bateu é o de Anêmona, nada viram acerca da cena de Nathu que ocorreu bem depois...
Dwight Memphis
Samurai Urbano
avatar
Samurai Urbano

Mensagens : 140
Data de inscrição : 15/09/2016

Re: Capítulo 1 - 7 Dias no Mar

Mensagem por Dwight Memphis em Ter Maio 09, 2017 4:42 pm

O fluxo de energia me levou em direção à uma porta, hesito um pouco, mas no final acabo batendo na porta, já pensando como eu entraria se ninguém respondesse, mas antes de terminar os meus planos eu ouço uma voz feminina em uma pergunta.

Meu nome é Lucan - respondo, eu pretendia falar algo mais, mas não sei o que, não tenho a mínima ideia de quem era e não queria pessoalmente parecer um lunático seguindo coisas que muitos mortais, principalmente humanos, não entenderiam.
shamps
Mestre Jedi
avatar
Mestre Jedi

Mensagens : 1047
Data de inscrição : 04/04/2016

Re: Capítulo 1 - 7 Dias no Mar

Mensagem por shamps em Ter Maio 09, 2017 10:35 pm

A música era muito bela e tocava o coração da moça, mas ela teve que interromper a canção para atender a porta.
Sua pergunta foi prontamente respondida: Lucan... lembrou-se dele, alguma coisa a ver com reino. Mas o que ele iria querer com uma simples garota de circo?

Abriu a porta, só suficiente para deixar seu rosto à mostra, e ficou surpresa com o que viu: os olhos liláses do elfo. Em toda sua vida nunca tinha visto ninguém com olhos como os dela; nem seus pais viram; nem os mais vividos do circo; já tinha viajado por vários países e nunca tinha vistos olhos daquela cor. Nem em nobres tinha encontrado aquele padrão.
Mesmo assustada, apenas disse:

- Em que posso ajuda-lo? - disse sem tirar os olhos dos dele.
Nimaru Souske
Mutante
avatar
Mutante

Mensagens : 555
Data de inscrição : 03/10/2016

Re: Capítulo 1 - 7 Dias no Mar

Mensagem por Nimaru Souske em Ter Maio 09, 2017 11:52 pm

A garota da prancheta estava em sua porta e lhe trazia informações sobre o horário do almoço que reuniria todas as pessoas do barco e aconteceria no bar visto anteriormente além da bela imagem de sua adaga que logo escorreu de volta à guarda.

- É sim, senhora. Sorria meio sem graça enquanto ainda limpava um pouco da baba liberada durante o sono. Muito obrigado pela informação, Podexá comigo que estarei lá no horário estipulado. Levanta sua mão com o polegar erguido em sinal de confirmação.

Puxou a porta para fecha-la enquanto já se virava para voltar a sua cama, quando sentiu que algo lhe travava o movimento. Olhou de volta e percebeu uma figura que já lhe era familiar até mesmo pelo cheiro. Antes de qualquer contato visual, como um pistoleiro em plena condição física em filmes de faroeste, Nathu puxa dois rolinhos de algodão que separara em seu bolso achados no criado mudo e insere um em cada narina, com apenas uma das mãos. Com a outra, puxa um óculos escuro que parecia ter se materializado vindo de algum lugar que nem mesmo ele sabia. Manteve seus olhos fechados enquanto inclinava o rosto em direção à voz feminina. Parecia que ele já estava aprendendo a lidar com seus sentimentos.

- O-opa... Seria um prazer aprender algumas... Engoliu a seco enquanto tremia um pouco a voz. técnicas. Pretende encarar o labirinto em grupo ? Pois um treinamento em conjunto seria úti...

A aproximação repentina foi sentida por conta do cheiro que agora ficara mais forte e até mesmo os seus pelos faciais se arrepiaram ao senti-lo. Puxou a respiração como se tentasse se acalmar, fazendo os tubos de algodão entraram de uma só vez em seu nariz. As palavras saiam muito perto de seu ouvido, enquanto gaguejava para responder.

- Ma-mas é cla-claro que podemos ir. Ficaria Hon-honrado de acompanha-la.

A doce voz termina em sua indecente proposta, fazendo com que os olhos do jovem sumonner abrissem de uma só vez em seu auge de timidez. Seus olhos entraram em contato com algo que certamente parecia bem redondo e macio, ocupando todo seu campo de visão. No exato momento, duas balas vermelhas, constituídas de algodão, foram ejetadas de dentro de suas narinas, seguidas de um jato rubro que parecia não ter fim. Cravaram no teto como se possuíssem o fio de uma adaga da mais alta qualidade, enquanto o corpo do jovem caía ao chão em um lapso de desmaio, quebrando os óculos. Logo seus olhos voltaram a possuir íris ao invés de somente um globo branco, focando novamente na garota que esperava a porta. Levantou-se rapidamente, organizando o que podia e cobrindo seu rosto com o lanço que trazia ao pescoço. Rumou até o bar, junto ao seu... cajado... e a "pirata" .
Dwight Memphis
Samurai Urbano
avatar
Samurai Urbano

Mensagens : 140
Data de inscrição : 15/09/2016

Re: Capítulo 1 - 7 Dias no Mar

Mensagem por Dwight Memphis em Qua Maio 10, 2017 12:43 am

Uma menina abre a porta e mostra seu rosto, toda a sua beleza passa despercebida por mim quando noto seus olhos, eram violetas como os meus, temo por um momento que ela seja uma elfa da família real e que essa era uma armadilha para me pegar, mas seu rosto é humano, seria uma filha bastarda dos elfos? Inclino um pouco o corpo na esperança de vislumbrar suas orelhas, já havia ouvido falar sobre os meio elfos, mas não tinha visto nenhum pessoalmente pra saber como eram.

- Desculpe - eu falo em resposta ao que ela me fala - estava seguindo um fluxo de energia e acabei sendo guiado ao seu quarto - faço uma pausa e volto à minha linha de pensamento - imaginei que se viesse de um lugar vazio seria estranho, mas já que você está ai, deve estar apenas treinando suas magias, perdão o incômodo.

Sorrio para ela.
shamps
Mestre Jedi
avatar
Mestre Jedi

Mensagens : 1047
Data de inscrição : 04/04/2016

Re: Capítulo 1 - 7 Dias no Mar

Mensagem por shamps em Qua Maio 10, 2017 2:13 am

O estranho elfo parecia ainda mais estranho agora após falar com ela.

- Fl... fluxo de energia? - piscou várias vezes sem entender ao que ele se referia - magia? Eu... não faço magia... - não sabia bem o que responder, foi uma colocação bem estranha para alguém que só estava ouvindo música - só estava ouvindo música - ela fica um pouco sem jeito - perdão se causei algum incômodo... vou parar...
spectro
Garou de Posto Cinco
avatar
Garou de Posto Cinco

Mensagens : 2194
Data de inscrição : 13/05/2014

Re: Capítulo 1 - 7 Dias no Mar

Mensagem por spectro em Qua Maio 10, 2017 10:49 am

Estrela Polar




- Calma docinho eu te conduzo, não vai acontecer nada de ruim, na verdade só coisa boa...

Um olhar malicioso tomou conta da garota que colocou as mãos em seus cabelos, Nathu meio desconcertado foi puxado pelo braço por Charllotte que o levou até o final do corredor.

Como o quarto dele era o 102, percorreram um distância que pareceu uma eternidade, vendo os outros quartos que se dispunham pela esquerda e direita, ao final perto do bar há direita estava a porta que levava a cozinha, esta porta possuía um letreiro indicando a mesma.

Charlotte com sua “Presa” foi indo devagar, e como ia a frente do jovem ia rebolando mostrando seu enorme traseiro quase nu, quando chegaram ao bar ela finalmente soltou a mão de Nathu.

Foram então recebidos pelo barman:

Bar:

- Bemvindos ao Bar!!! Eu sou Decim!!! (Pronúncia: Dekim) Prazer em conhecê-los, sentem-se e sintam-se a vontade, se quiserem eu vou preparar uma bebida para ambos...

Decim - Bartender:


- Sim eu quero!!

Charllotte avançou primeiro e andou até um dos banquinhos do balcão, depois olhou para trás onde Nathu estava parado e bateu no assento do banco ao seu lado com uma das mãos.

- Vem cá garotão!!! Vem docinho!!! – Agora se virou para o Barman - Oi Decim eu sou Charllotte, quero uma bebida especial pro meu docinho aqui também...

- Vou fazer um coquetel de frutas, mas não se enganem achando que será uma bebida qualquer, as frutas vem de uma região bastante remota, vocês verão que nunca provaram algo assim.

Em uma das paredes do Bar existia um grande quadro com a imagem de Decim, Charllotte o contemplou maravilhada, parecia obra de um grande talento.

Quadro:

As mãos do Barman se sacudiam com grande perícia, pareciam mágicas suas mãos, a garota ao lado de Nathu lambia os beiços e olhava o garoto com grande satisfação e um sorriso no rosto.

Depois de um tempo a bebida foi posta na bancada, em taças cintilantes, o líquido tinha uma cor azulada. Ao levá-lo a boca Charllotte sentiu uma satisfação, e lembranças atiçaram sua mente. Ela gostou da bebida, gostou muito até, recompensou Decim com um caloroso beijo, mas no rosto.

Depois de alguns drinks, começou a ficar mais séria...

- Sabe Docinho!!! Eu quero o prêmio para sair desta vida, cansei de ser este tipo de pessoa, me sinto vazia, vazia como esta taça de bebida, queria ser uma pessoa diferente.

O olhar de Charllotte estava agora brilhando, molhado como as águas do oceano, o balançar do navio fazia um movimento de ninar. Decim estava enxugando a louça e sorriu, a bebida tinha este efeito, trazia lembranças antigas na mente, as vezes não eram boas.

O cheiro da comida na cozinha que ficava ali perto anunciava que estava próximo a hora do almoço, mas ainda havia tempo para ficarem ali, desfrutando mais um pouco do bar.

Nos Corredores Burashi saiu de seu quarto, e viu Lucan a frente da porta alheia, ele estava no quarto 105, Lucan a porta do 108, ao ver o aliado ele decidiu chegar perto...

O quarto de Lucan era o 103, Burashi se aproximou e disse:

- Ei!!! Você por acaso errou de quarto, o meu era o... – Parou de falar ao ver a jovem Anêmona na porta entreaberta.

O barulho das correntes de Burashi faziam seu rangido comum, o barco balançava um pouco estavam apenas começando aquela longa viagem.

O gigante ficou calado olhando os dois...
Exalted
Cavaleiro Jedi
avatar
Cavaleiro Jedi

Mensagens : 265
Data de inscrição : 24/02/2017

Re: Capítulo 1 - 7 Dias no Mar

Mensagem por Exalted em Qua Maio 10, 2017 11:14 am

KELDAR




Após a breve conversa com o possível novo aliado, Keldar vai até seu quarto, precisava conhecer melhor o lugar onde passaria os próximos dias, e também guardar suas coisas, não havia motivo pra andar de um lado para outro carregando armas, não dentro do navio.
OFF:
Como o Kif sumiu, vou seguir adiante.
Não sei exatamente quanto tempo fiquei parado lá, então é só um post curto pra seguir com a história do Keldar.
Nimaru Souske
Mutante
avatar
Mutante

Mensagens : 555
Data de inscrição : 03/10/2016

Re: Capítulo 1 - 7 Dias no Mar

Mensagem por Nimaru Souske em Qua Maio 10, 2017 9:03 pm

Fora puxado pelos braços enquanto ainda recuperava os sentidos. O toque era macio.

Em uma parte fora deixado para andar com suas próprias pernas, enquanto a mulher seguia em sua frente. A visão era algo inconcebível para Nathu, que olhava como se fosse tudo que existia no corredor. Bateu algumas incontáveis vezes com o rosto na parede e nas portas dos quartos que possivelmente estariam os outros que esperavam para chegar até a ilha. Voltou a consciência e esfregou os olhos. Parecia envergonhado por se comportar como um adolescente o tempo todo. Decidira agir como homem.

Segurou firme seu cajado como forma de expressar sua determinação de tomar uma atitude, causando até dor pela força que aplicara. Soltara-o logo ao notar que sua arma era o que se encontrava em suas costas e não o que estava suas mãos. Ficou rubro mas logo posicionara estrategicamente sua bolsa a frente de seu corpo e tomara velocidade para andar ao lado da garota. Tinha que conseguir dessa vez.

Olhou-a se aproximar do balcão enquanto analisava o barmam. Escutou suas palavras e viu seu gesto. Decidiu acatar.

- Olá, Decim. Me chamo Nathu. Aceito a bebida, mas prefiro algo sem álcool. É uma tradição familiar não consumirmos substancias assim. ^^ Transparecia seu rosto mais amigável. Mas se esta falando de frutas, eu beberei com muito agrado. Sou um grande fã de tudo derivado da natureza.

Já se acomodava ao banco, quando notara o quadro. Não comentara nada, pois guardara suas indagações para si. Pensava que talvez o barmam possuíssem uma grande auto-estima, ou que possuísse um(a) grande admirador(a)... mas sem duvidas nenhuma o autor tinha talento. Focara sua visão naquelas mãos ágeis que manuseavam a bebida, enquanto tentava analisar os ingredientes que usava. Sabia que a mulher estaria tentando provoca-lo, mas não se ofendia com isso - apesar de não saber bem o motivo, mas não queria parecer rude- apenas permanecia com sua visão à frente. Nathu pegou a taça e ofereceu um brinde aos dois ali, além dele, mesmo que o homem que preparara o líquido não aceitasse beber em trabalho. Era algo simbólico.

- Um brinde a nossos sucessos.

Bebera mais algumas vezes, quando viu que o assunto se tornava mais sério. Sentiu algo estranho no peito. Estava surpreso com aquelas palavras.

- É um pensamento muito digno, minha cara. Fico até honrado de ouvir uma decisão tão linda vinda de uma pessoa ainda mais linda. Ficou um tempo olhando a garota, tinha um brilho no olhar. Mas vou usar até o mesmo exemplo que você usou. Veja esta taça vazia que segura... fez com a mão para que erguesse-a para mais perto de sua própria taça. Acredito que ela, sozinha, não possa se preencher de coisas boas à medida que tenha sido esvaziada por tantas bocas que já beberam de seu conteúdo. Mas as vezes precisamos de alguém... Aproxima sua própria taça e despeja um pouco do líquido na que a garota segurava.... para nos ajudar a nos sentirmos completos. Cheios de algo compartilhado pelos dois. Em sua face, Nathu, carregava a inocência que sempre tinha em si e falava com carinho e cuidado, como se estivesse diante de uma filha. Não tinha segundas intenções. (Rio sem graça) perdoe-me se parece que estou com flertes baratos, mas não foi bem isso que quis passar. Só quis falar o que acho de sua atitude. Quis oferecer minha ajuda.

Seus olhos encontraram-se, marejados. Não notava mais o homem que o serviu. Sorria de canto de boca.
Dwight Memphis
Samurai Urbano
avatar
Samurai Urbano

Mensagens : 140
Data de inscrição : 15/09/2016

Re: Capítulo 1 - 7 Dias no Mar

Mensagem por Dwight Memphis em Qua Maio 10, 2017 11:32 pm

Então ela não estava fazendo de propósito, isso fazia a coisa ser ainda mais estranha.

Espera, você não é usuária de magia? - começo a pensar nas possibilidades do que poderia estar acontecendo aqui.

Pra falar a verdade eu estou com vergonha de continuar aqui, se não fosse por esse fluxo estranho de magia e os olhos da garota eu já teria saído daqui a muito tempo, mas a minha curiosidade estava tendo uma das suas raras vitorias perante o meu senso de preservação.

Pode parecer estranho - eu falo depois de uma pausa - mas poderia me falar como você está ouvindo a sua música?

A folha que estava em minha mão tinha algo semelhante a uma partitura, talvez tivesse algum tipo de ligação. Ainda tinha a possibilidade de eu ver as orelhas dela de relance, o que me concederia a resposta se ela é ou não uma meio-elfa.
shamps
Mestre Jedi
avatar
Mestre Jedi

Mensagens : 1047
Data de inscrição : 04/04/2016

Re: Capítulo 1 - 7 Dias no Mar

Mensagem por shamps em Qui Maio 11, 2017 2:19 am

Era o elfo mais esquisito que Anemona já tinha visto, aquele Lucan. De todas as coisas estranhas que aconteceram naquele dia, aquela tinha sido a pior.

- Não, não sou - respondeu a indagação do moço - sou uma artista circense.

Aquela situação estava deixando a moça um pouco nervosa, mas ele faz mais uma pergunta.

- A música? - suspirou - é... uma caixinha de música... ganhei no templo, de uma sacerdotisa... - não achava certo falar mais sobre seu presente.

Burashi aparece e fica observando os dois, o que a deixa mais nervosa. Estariam tramando algo?

- Por que estão aqui? O que vocês querem? - os dedos da mão que segurava a porta faziam muita força, deixando a delicada mãozinha com os nós esbranquiçados.
Conteúdo patrocinado


Re: Capítulo 1 - 7 Dias no Mar

Mensagem por Conteúdo patrocinado


    Data/hora atual: Qua Jun 28, 2017 10:55 pm