Um fórum de RPG online no formato de PBF (Play by Forum).


    Kassya Aleksandra Yakovich - Assamita - Camarilla

    Compartilhe
    Convidado
    Convidado


    Kassya Aleksandra Yakovich - Assamita - Camarilla

    Mensagem por Convidado em Dom Maio 14, 2017 12:42 pm

    1. Dados

    Nome: Crios
    Personagem: Кася александра Якович (Kassya Aleksandra Yakovich)
    Clã: Assamita (feitiçeira)
    Natureza: Diretor
    Comportamento: sobrevivente
    Geração: 9
    Refúgio:
    Conceito: Rasputin (monge/feitiçeiro de corte) & Assassina Russa
    saldo de XP: 0/0

    “não, eu não estou te ameaçando. Eu estou sendo uma pessoa legal e permitindo que você converse comigo em vez da minha arma”


    Fotos de Кася александра :


    Avatar: Lindsay Ellingson

    Uma breve palavra sobre Rasputin:
    ________________________________________

    2. атрибуты (Atributos)

    Físicos 5
    - Força: 1+ 1
    - Destreza: 1+ 3 (reflexos rápidos)
    - Vigor: 1+ 1

    Sociais 7
    - Carisma: 1+ 2
    - Manipulação: 1+ 2
    - Aparência: 1+ 3 (angelical)

    Mentais 3
    - Percepção: 1+ 1
    - Inteligência: 1+ 1
    - Raciocínio: 1+ 1

    ________________________________________

    3. навыки (Habilidades)

    Talentos 9
    - Prontidão: 1
    - Esportes: 1
    - Briga: 1
    - Esquiva:
    - Empatia: 2
    - Expressão:
    - Intimidação: 1
    - Liderança:
    - Manha: 1
    - Lábia: 2

    Perícias 13
    - Empatia c/ Animais:
    - Ofícios:
    - Condução: 1
    - Etiqueta: 3
    - Armas de Fogo: 2
    - Armas Brancas: 2
    - Performance:
    - Segurança: 1
    - Furtividade: 2
    - Sobrevivência: 2

    Conhecimentos 5
    - Acadêmicos:
    - Computador:
    - Finanças:
    - Investigação: 2
    - Direito:
    - Linguística: 1 (Lingua natural: Russo - adicional, ingles)
    - Medicina:
    - Ocultismo: 2
    - Política:
    - Ciências:

    ________________________________________

    4. льготы (Vantagens)

    фон (Antecedentes) (+9pt bonus)

    -Geração 5
    -Recursos 4
    -mentor 3
    -Lacaios 2


    Carniçais:






    Nota sobre as carniçais e sua vida no geral:

    Tanto Camille quanto Jeniffer convivem com Kassia. A dominadora escolheu ambas por ver o valor da vida que estavam prestes a desperdiçar. Sua obediência é somada com respeito. As duas carniçais se consideram irmãs, sendo Kassia a “mãe” delas. Isso é incentivado por Kassia. É como uma família, só que mais depravada, pevertida e sexualizada. Irmãs e uma mãe. Porém, por serem prostitutas, e ainda mais, carniçais, criaram uma dependência maior por sexo. E ocasionalmente se relacionam com Kassia que as usa para seus desejos quando a ocasião surge, ou como forma de recompensa por um trabalho bem feito, ou meramente por capricho. Elas pedem frequentemente isso para Kassia, e normalmente fazem entre si por mera diversão.

    Ambas as duas carniçais treinam, para um dia virarem assassinas, e aprender sobre espionagem. Por isso, tem um nível básico em técnicas de combate, e armas de fogo. Elas treinam juntas, quando não estão em atividades relacionadas ao vampirismo. Fizeram suas rotinas baseadas na sua nova vida vampírica. Se dão muito bem uma com a outra, e fazem valer a pena. Mesmo estando viciadas no sangue de Kassia, são muito bem tratadas. Diferente de outros carniçais. Note que Kassia gosta da "manutenção" de suas filhas. E aproximadamente a cada 10 ou 14 dias, da sangue a elas. porem pode demorar um pouco mais E não mensalmente como a maioria dos carniçais. Motivo? elas merecem. Outra coisa importante é a empatia que ajuda as unir. Kassia sabe melhor do que ninguém o que significa querer perder a vida, e voltou dos mortos com uma "vida" nova. Suas carniçais não morreram, mas Kassia se sensibilizou com suas historias, e elas igualmente. Ou seja, todas se entendem. Por isso, mesmo sem o vicio de sangue, as carniçais adotaram essa, como sendo sua nova familia e estilo de vida. Dificilmente irão deixar isso de lado afinal, elas são o único refugio que tem da vida la fora. Elas encontram forças uma nas outras.

    Camille Connor


    Nome: Camille Connor
    Avatar: Camille Rowe
    Natureza: Filantropo
    Comportamento: Mártir
    Conceito: Sucubbus/ocultista

    “eu sinto o fluido magico em minhas veias. E isso me excita”

    Kassia encontrou Camille pouco antes de cometer suicídio. A garota era estudante de cinema, e tal qual sua mestra, estava no piloto automático sem saber o que era viver. É uma menina com grande potencial criativo e sabe falar frances. Ela saiu no final do curso de publicidade, e foi para o cinema quando teve sua primeira crise de identidade. Porem sua vida pessoal começou a piorar depois que ficou desempregada, a mãe que tanto amava ficou viciada no crack, e a família se separou. Com poucos amigos, sem familia, e sem rumo Camille, recebeu uma vida nova. E agora encontrou um novo proposito para sua vida.

    É uma menina doce e agradável, porem, muito fechada em seu exterior. Pode até parecer ser meio grossa para os desconhecidos, ou quando esta estressada. Mas no geral, se solta quando sente segurança na pessoa. É inteligente, esforçada e dedicada. Gosta de Flexibilidade na vida e a feitiçaria pode lhe proporcionar isso. Tem muitas ideias, e sempre tenta se flexibilizar, adaptar, e atualizar. Por isso não é surpresa que goste tanto de temas intelectuais. É Muito focada, e centrada em seu objetivos tanto quanto

    Porém, mais internamente, é uma garota fofa e meiga. Gosta de carinho, afeto, e demonstra muito. Tem um lado muito sentimental visível para pessoas mais intimas. Para pessoas de “fora”, ela acaba sendo mais fria. É muito cuidadosa e afetuosa com os seus íntimos. Se você demonstra confiança e valor nela, ela sentira-se feliz. Pode se sentir mal, se sentir que “vacilou” e alguém se decepcionar com ela. O que mais queria era um lar, e agora que tem uma família, não quer mais perder.
    **Camille é o braço direito de Kassia no quesito "administração". Pouco tempo após sua tranformação, Kassia a colocou em um curso de administração e marketing. Isso foi vital para a fundação do Vermillion. Para os desconhecidos, Camillie a primeira vista parece ser a verdadeira dona do Bordel. Mas, agora, o vermillion, conta com uma outra menina no financeiro. Isso da tempo para Camille se focar em outras coisas, mais "sobrenaturais", e poder realizar os desejos de sua "mãe", e mestra. Como estudo do ocultismo, por exemplo.

    “Kassia, minha mestra, deixe-me lhe acompanhar esta noite?”

    Disciplinas: Potencia 1. Feitiçaria assamita 1 (controle elemental 1 - Rituais nivel 1: sangue em agua)

    Jeniffer Corduroy


    Nome: Jennifer Corduroy
    Avatar: Darya Lebedeva
    Natureza: sobrevivente
    Comportamento: caçadora de emoções (mas age como gozador a primeira vista)
    Conceito: Prostituta / Serva Leal.

    "Meu novo sangue me faz forte, e não estou apenas falando de força fisica, mas muito mais forte que muito cara por ai haha."
    Jennifer vem de uma família de lenhadores de Dakota, e cresceu até seus 15 anos, como uma sobrevivente nata. Sua família era tradicional, e tinha muito mais atenção para os irmão do que para a jovem moça. Porem, ela queria sair, ir além, atravessar as barreiras, ela poderia ser qualquer coisa, mas certamente não seria uma mulher parada e passiva como sua mãe foi. Os atritos com a família só pioraram quando ela descobriu gostar mais de mulheres do que de homens. Deserdada pelos pais, acabou com uma proposta de trabalho em L.A. Como gostava muito de apostas, jogava poker, e jogava muito bem. Até que em uma noite, ficou com uma divida que não poderia pagar. Começou a se prostituir, e sua vida entrou em decadência. Quando Kassia a encontrou, já estava com clara tendências suicidas. A vampira viu o valor da vida de Jeniffer. Kassia pagou a divida de “Jenny” com o tempo, e esta, aceitou de bom grado “começar a vida novamente”.

    Jeniffer é uma moça divertida, e bem articulada. Tem as manhas, de como se virar sozinha. Se veste bem e é vaidosa. Por isso, é bem arrumadinha e higiênica. Tem um lado diplomático interessante. Sabe ouvir bem ambos os lados de uma conversa, e sabe ser imparcial. É uma moça bem independente, e tem sentimentos intensos e visíveis. Ela é muito mais decidida e confiante, e por isso, gosta de tomar a dianteira em seus projetos quando percebe que ninguém ira fazer isso. É forte, e muito determinada. Então não se surpreenda se em uma situação meio caótica, ela do nada, fazer algo que coloque as coisas em ordem.

    Apesar disso, é um pouco mais “zueira” e despreocupada com algumas coisas. É uma pessoa brincalhona, e um pouco impulsiva quando envolve seus próprios desejos. Tem uma ótima capacidade diplomática e sabe ver ambos os lados de uma situação. Sabe como se adequar e se adaptar a vários grupos sociais. Tem um magnetismo natural, sempre esta bem arrumada e fica linda mesmo com as roupas mais bregas. Bem humorada, é bem aquele tipo que gosta de coisas novas. Seu treino físico obviamente é superior ao de Camille. Apesar de sua idependencia e determinação, é muito protetora com aquilo que é seu, se ela ama, ela protege. Então se da valor a seu pescoço, não encoste na familia dela. Seu coração é como fogo, aquece, e é muito aconchegante. Mas se você despertar sua ira, sera queimado em segundos.

    **Sua função no vermilion é agir como uma "policia secreta". Ela é os olhos e ouvidos de Kassia sobre o que acontece na cidade e dentro do seu proprio bordel, obviamente. Jennifer tem um senso apurado para perceber mentiras e sabe muito melhor como fazer a pessoa falar. Sua função é importante, pois ela geralmente busca informações durante o dia. Le jornais, fica ligada do que esta rolando no mundo e nas ruas. Como ela tem uma habilidade marcial maior, tambem acompanha Kassia em ocasiões mais especificas.

    Disciplinas: Potencia 1. Feitiçaria assamita 1 (controle elemental 1 - Rituais nivel 1: sangue em agua)

    "Hey, kassia, relaxa. Deixa que eu resolvo isso para você. Não, não. Serio, pode confiar na sua afilhada." *pisca*





    Perséfone:


    A “mãe” que Kassia Yakovich nunca teve. Ou pelo menos algo próximo a isso. A relação da anciã com a Russa, se estreitou quando Kassia salvou sua vida. Desde então, Perséfone adotou a assamita como sua aprendiz , que logo se provou ser uma agradável companhia. A primogênita dividiu o desejo de ter uma prole, porém, com a subida de Bartes ao poder, isso se tornou totalmente inviável. Portanto, mais do que apenas uma aprendiz, e amiga, Kassia se tornou o equivalente a uma prole da anciã, que a trata com algum afeto e atenção especial.

    Por outro lado, Perséfone também sabe que ter uma assamita em sua tutela, é algo exótico e pode lhe render uma segurança extra, não necessariamente de forma marcial. Afinal, Kassia é uma Assamita, e isso traz vantagens e desvatagens que certamente são completamente diferentes de se ter uma prole Toreador. Seja la qual eram os planos para perséfone, ela teve que muda-los. Essa mudança repentina certamente atraiu sua atenção. Alem do relacionamento estreito, Kassia geralmente faz alguns trabalhos para Perséfone, e a acompanha em várias ocasiões diferentes.
    Vermillion Club:


    Avatar:http://www.kiltshows.com.br/ambientes
    O Clube Vermillion: É a casa norturna administrada por Kassia. É um bordel luxuoso que atende pessoas da alta classe. É um bordel relativamente novo, e por isso, ainda não atingiu todo o potencial financeiro que poderá ter no futuro. O quarto (e ultimo) andar, é na verdade é a casa de Kassia e suas "filhas". O andar inteiro é a casa, por isso conta com bastante espaço. Existe um andar subterrâneo também, que serve como local para treinos e rituais, mas também tem dois quartos para passar um tempo, e provisões de emergência para humanos. É selada por uma porta a prova de fogo. Kassia dorme a onde for mais conveniente. Mas sua casa é o quarto andar de fato.

    **A cupula do Vermillion é composta por basicamente, Kassia, no topo.  Muitas prostitutas sabem que Kassia, ou "Russa" como é apelidada por algumas, é uma figura de poder la dentro. Porem, dificilmente se sabe sobre este fato. Afinal, o local esta no nome de Camille. Ela é a "vice-presidente da empresa". quem realmente resolve os problemas mais basicos do bordel no quisito "marketing". E agora, tem mais uma menina, que cuida do financeiro. Seu nome é Kristen. Ela que realiza pagamento, financiamentos, etc.



    дисциплины (Disciplinas)
    Feitiçaria assamita 2
    Quietus 0
    Ofuscação 1

    Trilha & rituais :

    Controle elementais 2


    Rituais:

    NIVEL 1:
    -Rastro luminoso da presa
    -sangue em agua

    5. достоинства (Virtudes)

    - Consciência: 1+ 1
    - Autocontrole:  1+ 2
    - Coragem:  1+ 4

    Humanidade: 5

    Força de Vontade: 5

    ________________________________________

    Qualidades

    Amigo de clã (toreadorr):
    Amigo de um Clã (4 pontos)
    Um clã em particular (não o seu) tem um carinho especial por você. Talvez você tenha feito um favor para o clã como um todo ou simplesmente seja alguém que fala em prol dos objetivos deste. Qualquer que seja o caso, a dificuldade de todos os testes Sociais que envolvam um membro do clã em questão é reduzida em 2.
    Obviamente, a reação que seu relacionamento confortável com um outro clã irá causar nos líderes de seu próprio clã é um assunto completamente diferente.
    (Vampiro, a Máscara; Guia da Camarilla 3ª ed, pág 76)
    Voz encantadora:
    Voz Encantadora (2 pontos originalmente. mas estou pagando 3 pontos como já foi conversado)
    Existe algo em sua voz que os outros simplesmente não conseguem ignorar. Quando você dá ordens, eles se encolhem. Quando seduz, eles se desmancham. Seja trovejante, gentil, persuasiva ou simplesmente ao conversar, sua voz chama a atenção. As dificuldades de todos os testes que envolvam o uso da voz para persuadir, enfeitiçar ou comandar são diminuídas em dois pontos.
    (Vampiro, a Máscara; Livro Básico 3ª ed, pág 297)
    Diablerie Oculta:
    Diablerie Oculta (3 pontos)
    As famosas listras negras causadas pela diablerie não aparecem na sua aura.
    (Vampiro, a Máscara; Guia da Camarilla 3ª ed, pág 79)
    Veterano:
    Veterano (1 ponto)
    Você sobreviveu a pelo menos um ataque ou tentativa de recrutamento do Sabá. Sua experiência o ajuda a antecipar situações em que o Sabá pode estar à espreita. A dificuldade de todos os testes de Percepção relacionados ao Sabá é reduzida em 1. A principal vantagem desta Qualidade é evitar que você caia em emboscadas e outros golpes preparados pelo Sabá.
    (Vampiro, a Máscara; Guia da Camarilla 3ª ed, pág 75)
    Senhor de Prestigio:
    Senhor de Prestígio (1 ponto)
    O seu senhor teve ou tem grande Status em sua seita ou clã e isso confere um certo prestígio a você. Embora o seu senhor possa não ter mais nada a ver com você, o simples fato de sua ancestralidade o marcou para sempre. Este prestígio pode ajudá-lo muito ao lidar com os seus anciões ou com outros neófitos, ou pode provocar ciúmes ou inveja.
    (Vampiro, a Máscara; Livro Básico 3ª ed, pág 300)

    Defeitos

    Sono pesado:
    Sono Pesado (1 ponto)
    Quando você está dormindo é muito difícil acordá-lo. A dificuldade de todos os testes para acordá-lo durante o dia são aumentadas em dois pontos.
    (Vampiro, a Máscara; Livro Básico 3ª ed, pág 299)
    Exclusão de presa:
    Exclusão de Presa (1 ponto)
    Você se recusa a caçar certo tipo de presa. Você pode recusar-se a alimentar-se de traficantes de drogas, policiais, contadores, pessoas ricas etc. Se você se alimentar acidentalmente de um desses indivíduos, entrará automaticamente em frenesi e terá de ser bem sucedido num teste (dificuldade 7) para evitar a perda de Humanidade. Presenciar outro vampiro alimentando-se do objeto de sua exclusão também pode levá-lo a frenesi, a critério do Narrador. Os Ventrue, que já têm limitações impostas à sua alimentação pela fraqueza de seu clã, não podem adotar este Defeito.
    (Vampiro, a Máscara; Livro Básico 3ª ed, pág 299)
    Repulsa ao alho:
    Repulsa ao Alho (1 ponto)
    você não tolera o alho e qualquer resquício de cheiro de alho o fará sair do recinto, a menos que você seja bem sucedido num teste de Força de Vontade (dificuldade baseada na intensidade do odor).
    (Vampiro, a Máscara; Livro Básico 3ª ed, pág 301)
    Fetiche ao se alimentar:
    Fetiche ao se Alimentar (1 ponto)
    Você se sente compelido a morder apenas uma parte específica do corpo para se alimentar. Tentar morder a vítima em qualquer uotro lugar requer um teste de Força de Vontade (dif 6). O pescoço, é claro, é o mais tradicional, mas o lendário vampiro armênio Dakhanavar mordia apenas as solas dos pés de suas vítimas.
    Fobia de aranhas:
    Fobia (2 pontos)
    Você sente um medo irracional de alguma coisa. Aranhas, cobras, multidões e alturas são exemplos de fobias comuns. Você deve fazer um teste de Coragem sempre que se deparar com o objeto de sua fobia. A dificuldade do teste é determinada pelo Narrador e se você fracassar, deverá afastar-se daquele objeto.

    Observações

    Explicação de algumas qualidades e defeitos:


    Exclusão de presa: Kassia não se alimenta de pessoas que "entrem em respeito com a vida e com o universo, ou seja, aqueles que entendem o verdadeiro valor da vida.". Alguns Filosofos e pesadores, monges, e até alguns poucos membros do clero. O ponto é, alguem que demonstre estar em harmonia com a vida. Normalmente, quem estuda a vida e morte acaba ganhando um nivel extra de humildade, pois passa a entender que a vida é limitada etc. Tenha humildade pela vida e respeito na morte. ""pessoas decentes"". Entende? Isso gera enorme respeito por parte da Filha de Haquim. E como ponto adicional, se você ganhar o respeito dela, sendo um estudioso da vida e da morte.

    Fetiche ao se alimentar: "O que? Cada um tem suas preferencias horas. O sangue do pescoço é mais saboroso. Sensual...Vem ca, deixe-me mostrar..."

    Fobia de aranhas: Quando criança, kassia foi trancada no porão pelo seus dois primos, que jogaram duas tarantulas la. Ela ficou completamente apavorada. E saiu aos choros quando sua "Mamochka" (mamãe) abriu o porão. Desde então, tem um certo pavor de aranhas. Atualmente, tenta trabalhar seu medo.


    Pertences:
    Em construção. Mas neh, coisas basicas de se esperar, tipo armas. Logo posto o equipamento aqui


    PT BONUS:

    15
    15+1 sono pesado
    16+1 exclusão de presa
    17+1 Repulsa ao alho
    18+1 fetiche ao alimentar
    19+2 fobia de aranha

    21-4 amigo de clã (toreador)
    17-3 voz encantadora
    14-3 diablerie oculta
    11-1 veterano
    10-1 senhor de prestigio
    9 - 9 antecedentes
    Convidado
    Convidado


    Re: Kassya Aleksandra Yakovich - Assamita - Camarilla

    Mensagem por Convidado em Dom Maio 14, 2017 12:44 pm

    @Crios escreveu:
    6. Prelúdio
    Há, você quer minha história não é? Garoto tolo. Tudo bem. Te darei uns 5 minutos a mais de vida. Mas apenas porque estou de bom humor.




    --------------------------------------------------------

    прелюдия (preludio):




    CAPITULO 1 – Origens. Sangue COM водка SOVIETICA





    Eu nasci na união das republicas soviéticas em 1970. Era uma época tensa. A Guerra fria estava em seu auge, e esse era o início do fim para união soviética que tentava se manter firme perante as mudanças do mundo. É, eu tenho uma certa idade.

    Papa lutou na Alemanha. Mamochka (mamãe), foi sniper no fim da guerra, e veio trabalhar para a KGB, quando retornou. Mulheres que trabalhavam no exército da “Gloriosa União”, ganhavam certos privilégios. Acredite se quiser, mas os exército soviético foi o que mais utilizou mulheres em seu esforço de guerra. Os soviéticos consideravam que mulheres era ideias para a posição de sniper, e assassinas. Pois conseguiam se manter quietas por mais tempo do que os homens. Por esse motivo, foram amplamente utilizadas em missões de infiltração, assassinato, sniper, e até mesmo pilotagem de bombardeiros. Por volta dos meus 12 ou 13 anos, minha mãe havia decidido que seria uma boa ideia me colocar na lista de espiões da KGB. De fato, havia uma sessão especial para Agentes mirins. E foi ai que comecei a receber meu treinamento. Estudei em um colégio especial para isso. A carga horaria era dividida com aulas das mais diversas. As mulheres tinham escolas militares especificas para estas atividades, e eu fui escalada para cumprir com tais funções. Aprendíamos coisas interessantes, como a melhor posição para acertar a jugular com uma faca (ou apenas como portar uma de forma decente), ou como esconder uma pistola Makarov, a principal pistola do uso soviético. Meu treino em especial, se concentrou um pouco mais na área social. Tipicamente uma espiã. Quando fiz 15 anos, Mamochka e papa, me deram uma presente que guardo até hoje. Está vendo meu colar seu pirozhki? Este foi meu presente.

    Apesar de tudo isso, eu ainda tive uma infância sofrida. Ou você acha que foi fácil crescer sendo treinada para a espionagem? Nos éramos constantemente forçados a criar uma camada de ferro no nosso сердце (Sierdtse - coração). Eu ficava longos períodos longe de Папа и мама (papa e Mama). A curto prazo, foi bom para aprendermos como ser bons soldados. A longo prazo, essa dureza contribuiu para minha falha, e desesperada tentativa de suicídio. A vida seguiu até meus 17 anos. Era 1987. Cada vez mais a união soviética estava com problemas financeiros. Sim, a União veio a cair em 1991, Porem, a KGB só veio a cair depois de 1995. Ou você acha que mesmo que a espionagem não era uma extrema prioridade de Gorbachev? Você acha que a Перестройка и Гласность (Perestroika e Glasnost) não foram feitas sem antes estudar muito bem o cenário norte americano? Eu fui uma das espiãs enviadas para os EUA. Apesar da minha idade, estava pronta para deixar o solo de minha nação, e trabalhar por ela. Minha mente estava, ao menos. Pois meu coração não.

    Meu grupo era composto por Ivan e Dimitri. Dimitri era o nosso líder local. Ele que mantinha contato direto com a central em Москва (Moskva - Moscou). Nos víamos muito pouco. Não poderíamos ser vistos juntos. Tínhamos diversas operações. As mais comuns envolviam códigos criptografados em jornais ou coisas do gênero, mas eu não era quem descriptografava. Minha função era simples. Seduzir, provavelmente drogar alguém, e roubar algum documento. Eu tive muitos nomes falsos. Muitos empregos. E fiz muita coisa que não me orgulho. Acho que sei como a Barbie se sente. Sendo apenas mais um rostinho bonito, trabalhando para diversão alheia, atendendo a sonhos de pessoas tolas. Mas quem é ela é por trás da máscara, ninguém nunca soube. Enfim...eles me diziam quem, e onde. Eu colocava a máscara, pegava o que tinha que pegar, e ia embora.

    Ah, por que te chamo de Pirozhki? Não. Não é “bonitinho” em russo. É nome de um bolinho de carne. Adorava quando era uma garotinha. Sabe, comida típica do pais. É como por exemplo...a comida cancerígena que é típica aqui nos EUA.. DesculpЁ se te decepcionei. Mas não importa. Pare com esse mimimi e continue a porra da historia



    CAPITULO 2 – Homem lata precisa de coração: Eu espiã.



    cada missão para qual eu era designada, era um desafio. Eu nunca sabia se voltaria viva ou não. A qualquer passo em falso, eu estava morta. Por isso passei a valorizar a vida muito mais do que valorizava. Até hoje, eu reconheço o valor de um vida. Mas é uma filosofia complicada. Parece contraditório não é?

    Em uma das missões. Eu conheci uma mulher. Ela era meu próximo alvo. Ela trabalhava como Redatora em uma agencia de publicitaria da época. Seu nome, era Alyssa Thompson. Alguns agentes da KGB estavam sendo mortos, Ivan e eu tínhamos quase certeza de que era ela que entrega as localizações, criptografadas em anúncios publicitários. Na verdade, mais tarde eu descobri que foi tudo um mal entendido. Ela era uma mulher esperta, e inteligente. Gosto de pessoas assim. Foi nessa época que comecei a gostar dela. Eu trabalhava com outras missões simultaneamente, e a vida era estressante. Por uma série de motivos. Era 1990. Já tinha 20 anos, e a união soviética estava desmoronando. A pressão encima de mim era forte demais. Eu me tornei tão robótica...Não sabia mais quem eu era. Eu era como a Barbie. Um rostinho bonito, que serve de brinquedo para agradar os outros e fazer as funções. Tendo varias profissões e historias diferentes. Mas quem sera a Barbie por tras de tanta "felicidade" forçada, e maquiagem? Talvez nuca saibamos por que ninguem faz questão. Comigo era exatamente isso

    Eu tive meu coração arrancado com força por causa do meu trabalho. Com o desmoronamento da união soviética, a KGB estava louca. Eu estava sobrecarregada, e entrando em depressão e ficando cada vez mais confusa sobre trabalho e vida pessoal. Eu escrevia para meus pais, dizendo o quanto queria lutar pela мать отечество (mat' otechestvo - pátria mãe), mas já não estava engolindo meu próprio papo. Meu problema era meu trabalho. Pense que meu trabalho era como um сигарета (sigareta- Cigarro). Quando eu fingia ser outra pessoa, era como se os problemas iam embora numa tragada, mas logo, a realidade voltava, e os problemas iam piorando a cada cigarro. Uma boa fuga do mundo era Alyssa. Adorava conversar com ela. Mulher intelectual, conhecia bem o mundo. As conversas politicas com ela eram...transformadoras. Mas as coisas iam de mal a pior.

    Até o dia fático que resolvi me matar. É. Foi um dia de merda. Por um grande azar do destino, eu não consegui. A дерьмо (der'mo-merda) da Makarov engasgou. E por uma grande sorte do destino, foi ela que chegou em meu apartamento. Quando estava tudo pronto novamente, ela bateu na porta. E eu não consegui não abrir. Foi mais forte do que eu. Eu estava com a cara manchada de lagrimas, o espirito abalado e nem sabia onde estava meu coração. Era como se eu não tivesse...

    Eu não conseguia parar de chorar, estava transtornada demais para fazer qualquer coisa. Ela Pegou minha pistola e começou a olhar a carta de suicídio escrito em russo. Ela havia sacado tudo. Eu era uma espiã da KGB. Porém, para minha surpresa. Ela me abraçou, e acariciou minha cabeça. Me acalmou. E foi ali, onde eu desabafei tudo. Falei tudo o que não podia falar para meus colegas de trabalho, para meus pais, para minha pátria, nem pra ninguém. Foi doloroso demais. Ela apenas me olhava com atenção e curiosidade. E a primeira coisa que disse quando eu acabei foi:

    “Certo. E depois de tudo isso. Quem é você de verdade? Quero dizer. Você se conhece de verdade?”.

    Fui pega de surpresa. Eu não sabia quem eu era. Eu achava minha existência tão insignificante que não julgava merecer minha vida. Ela me mostrou que a vida tem valor. Entende o quanto isso pegou para mim na época? Eu não enxergava o valor de minha própria vida. Ficamos a noite toda falando sobre o sentido da vida. Até que nos beijamos...e quando me dei conta, já estávamos nuas na cama. Foi a melhor experiência sexual da minha vida. Dormimos ali mesmo. Alyssa acordaria de manha para ir trabalha, mas voltaria a noite.

    Aquela tarde eu não fiz nada, se não pensar na minha vida. Depois de lubrificar minha makarov, beber metade de uma garrafa de водка (Vodka), consultar todos os meu conhecimentos sobre empatia humana, eu cheguei à conclusão que eu estava apaixonada, e que queria o ее голое тело (yeye goloye telo – Corpo dela nu). O tempo todo eu estava apaixonada por uma mulher. Por isso ela sempre me fez tão bem durante aquelas conversas. Decidi que iria valorizar mais a vida, eu quase desperdicei algo tão sagrado quanto a vida

    Foi naquela tarde, que eu descobri o que era ter coração. E era bom....



    CAPITULO 3 – худший день в моей жизни (a pior noite da minha vida)



    Mas, nem tudo é um mar de rosas. Não é Pirozhki? um dia, você descobre é gostoso ser bissexual, no outro, você volta a ser pressionado e problemas maiores acontecem. Nos anos 90, qualquer coisa que não fosse hetero não era bem vista.

    Ta, mas o bolinho de carne, tu estava realmente que eu iria ficar com você? Вы ничего не знаете невинного. Но пока его член не выглядит красиво. Это позор.
    (Vy nichego ne znayete nevinnogo. No poka yego chlen ne vyglyadit krasivo. Eto pozor. – Sabe de nada inocente. Mas até que seu pau parece ser bonito. É uma pena). Você foi o que mais durou. Não costumo fazer esse tipo de coisa. Mas não vai se achando o bambambã ai pois você ainda é hierarquicamente menos do que um Pirozhki de verdade.


    No final da tarde, eu recebi a visita de Ivan. Ele tinha uma nova missão para mim. De alguma forma. Ele sabia do meu caso na noite anterior. Ele falou gritando comigo, o quanto aquilo era nojento. Disse eu deveria saber a hora de abrir as pernas. “como uma boa mulher”. E aquela não era hora. Ivan sempre foi um idiota, mas depois daquilo, meu ódio subiu pela garganta e quase soltei um отвяжись (otvyazhis – vai tomar no cu)

    Por fim, ele me deu uma nova missão. Execução clássica. Eram 2 no total, e estavam ligados diretamente com a mídia americana. Porém, a lista de alvos continha o nome de Alyssa. Imediatamente, me senti pesada. Comecei a passar mal, e toda a водка (Vodka) que eu tinha bebido, estava prestes a sair. Se eu vomitasse em Ivan, até que não seria má ideia. Mas continuando, ele parecia muito feliz em ver meu sofrimento ali. Em seguida saiu, sem falar nada, me deixando sozinha com os cacos do meu coração, o peso das minhas lagrimas, as balas da minha pistola, e uma ilustre garrafa de водка (Vodka).

    Mas pra resumir, o que aconteceu em seguida foi uma choradeira sem fim. ради Бога (Radi Boga – Pelo amor de deus), olha o estresse que eu estava passando. Como se não fosse ruim o bastante eu estava na TPM. Não queira ver uma assassina na TPM. Esta foi a noite mais importante da minha vida possivelmente. Os dilemas morais que eu estava passando eram intensos. Mas com uma pequena ajuda de водка, eu estava quase pronta para cumprir a missão. Queria fazer aquilo de forma rápida. Quanto menos dor, melhor. Ela não merecia aquilo, ela merecia uma boa morte. Me vesti de preto, pois já estava em luto muito antes dela morrer. Foi ai que meu código de ética começou a se formar

    Eu iria mata-la enquanto estivesse dormindo. Mas antes, daria a melhor noite da vida dela. Comprei o chocolate mais caro, O melhor buque com arranjo de rosas, a водка (vodka) da melhor qualidade que tinha disponível (pois a melhor sempre sera da Mae Russia. Americanos não sabem fazer водка boa.). Fora tudo isso, eu comprei uma joia de prata e ametista. Ela AMA, ametista, prata e opala. Custou o equivalente a 2 meses de contas e comida. Mas Alyssa valia muito mais do que aquele valor. Eu fiz tudo aquilo com meu coração, ou pelo menos o que sobrou dele. Mas Ela estava demorando. Eram 20h Havia algo estranho no ar. Minha ansiedade estava me machucando. Eu fui treinada para fingir meus sentimentos, estava contando com isso. Mas havia algo a mais aquela noite. Então, de repente, um papel foi jogado por debaixo da porta. Era uma papel escrito as pressas dizendo:

    “Alyssa em perigo. Vá para Amaranth St.”

    Aquilo era muito bizaro. Mas Eu não pensei duas vezes. Peguei minha pistola, e parti para a rua, que ficava a poucos metros da minha rua. Quando cheguei, vi Alyssa no chão semi consciente sendo espancada por dois homens. Eles não tinham me visto. Aproveitei, e deu dois maravilhosos tiros em um deles. Ele viria a morrer engasgado com o próprio sangue em minutos. O amiguinho dele por outro lado foi mais rápido. Sacou uma faca e avançou contra meu peito. A lamina perfurou alguns centímetros após passar pelas costelas. Senti um das minhas costelas se quebrando e uma parte se estilhaçando dentro de mim. Aqueles pedacinhos de osso estavam rasgando minhas veias. O pior era a faca daquele monstro. Aquela força era sobre humana. O golpe foi tão forte que eu recuei alguns passos, já me desequilibrando. Concentrando minhas ultimas forças, eu consegui colocar a Makarov ao lado da cabeça dele, e dei 4 tiros no total. Ele tombou ali mesmo.

    Minha respiração ficava pesada, e minhas roupas estavam banhadas a sangue. Meu peito doía demais, e eu não aguentei mais do que 5 segundo em pé. Eu Havia matado os agressores, mas a um grande custo. Eu morreria ali em alguns poucos segundos. Alyssa, com o resto de consciência conseguia apenas dizer o meu nome durante toda a situação. Ela já estava fraca demais para entender ou responder algo. Tão logo, eu morreria. Eu chorei, por que agora sim, eu estava realmente entendendo o sentido da minha vida. E o valor do sangue que estava sendo derramado. Eu me ajoelhei, a beijei, por uma última vez, queria sentir seus lábios...


    CAPITULO 4 - Blood on my name...




    Porem, aquela não foi a ultima vez....

    Milagrosamente, eu despertei. Estava numa cama de solteiro qualquer, e meu peito, estava no lugar. Eu havia sido abraçada. Seu nome era Joseph Sayar. Um Ancião do clã Assamita. Um dos poucos que estavam com a Camarilla.

    Bem, já que você tem uma boa noção de como funciona o abraço, seu Carniçal Pirozhki, não preciso explicar muita coisa.

    E quando acordei, ele começou a me explicar o ocorrido. Ele estava me seguindo por aproximadamente um ano. Acompanhando minhas aventuras de espiã. E ele armou tudo. Os dois humanos espancando Alyssa, o bilhete na porta...Ele estava la assistindo. Tudo não passou de um teste. E eu passei. Existe muito mais ética na morte, dos que os vivos podem sequer imaginar. E eu estava encaminhando para isso. Ele me escolheu com orgulho, pois eu não era uma assassina qualquer. Eu tinha caráter. E tinha aprendido o valor da vida. Eu era uma assassina que tinha coração...

    Ele explicou o básico de minha nova condição. Falou sobre várias coisas envolvendo o vampirismo, e o clã assamita. E depois disse da minha condição mundana. Basicamente, eu havia assassinado dois carniças em um beco. É diferente de um assassinato planejado onde é possível esconder muitas evidencias. Eu não tinha muitas opções, se não ir com ele. A única coisa que me prendia era a KGB. Porem...
    As operações na américa do norte já haviam acabado. E vários agentes estavam sendo convocados para voltar a Moskov (moscou). Dimitri havia recebido uma carta, vinda diretamente da central da KGB. Joseph tirou me mostrou então o telegrama. Criptografado obviamente, mas eu conhecia aqueles códigos. Eles diziam mais ou menos:

    Администрация Москвы сообщает, что оперативники, не имеют более формального resposabilidades с центром.

    КГБ будет закрывать свои двери, потому что больше не в состоянии продолжать работать в этой области. Мы просим вас вернуться в центр, чтобы забрать pertencenses и подтвердить официальные заявления об отставке бумаги.


    мы желаем вам всем удачи

    Москва Центральный



    Mas como você não entende russo, eu vou traduzir:


    Moscow Administration relata que os investigadores não têm um resposabilidades formais do centro. KGB vai fechar suas portas porque ele não é mais capaz de continuar a trabalhar nesta área. Pedimos-lhe para voltar ao centro para pegar pertencenses e confirme o jornal oficial resignação. desejamos-lhe toda a sorte.

    Moscou Central



    Com o a aproximação do fim da União soviética. Várias instituições estatais estavam fechando as portas. Por isso, já havia algumas semanas que eu poderia voltar para casa. O fato é que Dimitri, pretendia me deixar no limite do estresse, e iria tentar transar comigo, se aproveitado dessa situação. Ivan estava envolvido no plano, e ambos queria se usar de mim. Credo. Alyssa era uma pedra no caminho que precisava ser eliminada para isso. Eles iriam destruir meu emocional, e se aproveitar da minha fragilidade. Mas antes que pudessem colocar isso em pratica, eu fui transformada.
    Antes de sair da cidade com ele, eu pude escrever uma carta para Alyssa. Ele usou poderes de dominação para que a carta fosse entregada a ela, no hospital. Junto com o envelopezinho da carta, eu coloquei o anel, e a chave do meu apartamento. Eu prometi que voltaria depois de alguns anos. Disse que não poderia explicar o porquê. E foi nesta carta que eu disse pela primeira vez que eu a amava. Foi lindo. Queria ter visto a cada dela ao ver. Mas eu me senti muito bem fazendo aquilo. Eu estava feliz, apesar de tudo. Após isso. Eu fui atrás de Ivan e Dimitri. Não vou me prolongar. Vou apenas dizer que eu os matei. Não interessa os detalhes.

    Depois de tudo este fuzuê, eu estava pronta para deixar a cidade. E assim foi feito.


    Capitulo 5- Th3re is no Plдc3 for a hero.



    Após meu abraço, eu nasci denovo. Comecei a me conhecer como mulher. O vampirismo apenas me deu a chance de começar de novo. Por isso, eu me adaptei muito bem.

    Joseph, ou Mr Sayar, é um assamita que veio de Israel, e se juntou a camarilla por uma serie de motivos. Ele concorda com a relativa ordem que ela é capaz de proporcionar, concorda com as tradições (no geral) dentre outros motivos mais pessoais. Contratos de sangue sustentam o vicio dele. E isso foi uma coisa que ele se preocupou muito. Ele evitou a todo custo que eu ficasse viciada. E por isso, me manteve longe de Vitae. Ele também costuma viajar muito de cidade a cidade. E foi nessas viagens que aprendi sobre o vampirismo, a Camarilla, e sobre meu clã.

    Nos anos em que ficamos juntos, ele demonstrou grande interesse em minhas habilidades. Parece que ele estava me preparando para algo importante. Eu era uma das poucas do mesmo sangue que ele, e por isso, uma das poucas que o entenderia, e seria totalmente confiável.

    Existem poucos assamitas dentro da Camarilla, de fato. E o clã, em sua raiz, tem um enorme respeito uns pelos outros. Um senso de honra e respeito que é forte para o clã. Ele me ensinou a sempre respeitar muito, os poucos assamitas na Camarilla. Aprendi a ter orgulho da minha linhagem, e dos meus poderes.

    Durante todas essas viagens, eu iniciei uma nova série de treinos. Agora muito mais concentrado para meu corpo físico. Eu era uma assamita, e é esperado de mim, habilidades marciais. Ele começou a me treinar em artes diversas, Luta, esgrima, tiros, etc. Minha agilidade sempre foi um ponto importante nos treinos, pois eu deveria ser rápida, acima de tudo. E, em meio aos treinos físicos, recebia instrução sobre feitiçaria, magia, rituais, etc. Pois essa era e ainda é a maior especialidade de Sayar.


    Eu aprendi a lutar contra o sabá. E mais de uma vez eu enfrentando de frente alguns dos bucha de canhão. Apesar de eu não ser uma boa combatente, eu já os enfrentei. Não que eu tenha matado muitos, pois os bucha de canhão são fáceis. Agora...os bandos de guerra são o capeta. Mas uma coisa eu aprendi. Eles tem alguns padrões fáceis de reconhecer. Algumas de suas táticas são previsíveis.

    Eu passei um quase uma década com ele. Até um infortunado dia onde eu fui empalada. E como não bastasse, fui jogada em algum lugar no meio do golfo do México em uma caixa de madeira. Da pra acredita? Filhos da puta, eu nem vi quem foi. Meu senhor foi capaz de me localizar apenas alguns anos depois. Apesar de saber a minha localização aproximada, ele não sabia onde exatamente eu estava. Por isso a demora.


    Quando tudo isso acabou. Nós dois conversamos, e ele disse que eu estava pronta para se um pouco mais autônoma. Ele tinha missões importantes a resolver fora do pais. Coisas que eu não seria capaz de acompanha-lo. Não me disse para onde iria, mas eu suspeito que tenha ido para a Europa. Antes de ir, ele ficou mais um ano comigo. Voltamos para Los Angeles, como ele havia prometido no dia do meu abraço. Antes de sair, ele disse estar muito satisfeito com os meus avanços. Apesar de vários erros, eu era uma boa aprendiz. Atendi boa parte das expectativas dele. Ele disse que voltaria de vez em quando. Meu treino ainda não havia acabado, mas eu já poderia andar com as próprias pernas. Me deu varias instruções sobre a feitiçaria assamita, e me deixou com “material de estudo”, para que eu treinasse por conta própria em varias artes diferentes. Ele espera que quando voltar, eu esteja um pouco mais versada no quesito “linhas taumatúrgicas”. Mas deixou claro, que meu treino ainda não estava completo.


    Os anos seguintes, foi quando eu comecei a formar a minha intima e grande amizade com o clã Toreador. E a minha estabilidade social na cidade.



    Capitulo 6 – Rosas de sangue: Buque escarlate de Perséfone.



    Hoje, eu desfruto de uma enorme amizade com o clã toreador. Eu, apesar de não ser um, todas as vivencias que tive com eles, só me mostraram que eu sou uma toreador, num corpo assamita. É uma brincadeira que já foi feita comigo uma vez, e eu concordo. Em parte...

    Tudo começou quando que voltei para a cidade. Após vários anos sem voltar para los angeles, eu tinha uma promessa a cumprir com Alyssa. Quando voltei, e comecei a procura-la, para minha enorme surpresa e espanto, ela já tinha virado uma vampira. Ela foi abraçada bem mais tarde do que eu, porém, era uma toreador, prole de nada mais nada menos do que a mestre das harpias, Leonor Ferrari. Porem, ela havia sumido. Já fazia algum tempo que havia sumido da cidade sem deixar rastros. Seu paradeiro foi um total mistério, até mesmo para os membros da cidade. Alguns suspeitaram do sabá, outros, diziam que ela fugiu por si mesma. Seja como for, eu pretendo acha-la. Não será uma tarefa fácil, mas por hora, não existe nada que eu possa fazer. Leonor esta tão empenhada nisso quanto eu. E isso acabou sendo o primeiro contato com o clã.

    O príncipe de Los Angeles deu a permissão para meu senhor criar uma neófita. Porem, apenas depois de 16 anos após a apresentação formal ao príncipe, eu retorno. O importante é, que nos primeiros anos, eu era uma ninguém, e comecei a participar com muita frequência, de eventos relacionados ao clã Toreador. Varias pequenas ações contribuíram para que eu ganhasse a atenção que tenho hoje. A principal ação, foi o dia que eu salvei o Grande Baile.A guilda de Los Angeles, conseguiu o direito de hospedar o Grande Baile, que iria acontecer no Dia das Bruxas. O direito pela hospedagem é muito disputada, e a Guilda de Los Angeles estava decidida a mostrar para todas a guildas da região, o quanto eles eram superiores. E NADA PODERIA SAIR ERRADO. A guilda trabalhou junta de forma formidável, mas a pressão era grande. Eu sei pois eu me prontifiquei a ajudar.

    Digamos que no dia do evento eu estava no lugar certo, na hora certa, com as pessoas certas. O universo conspirou completamente ao meu favor e é impossível ter tido mais sorte do que aquela noite. Basicamente, em meio ao baile, a Primogênita, e líder da guilda, Perséfone, sumiu. Sem mais nem menos. Eu estava ao lado de Leonor quando ela foi convocada para uma sala em particular. Perséfone fora da festa, os convidados logo perceberiam, e sem a liderança dela, a festa seria um enorme caos. Nesse momento, eu me levantai da minha cadeira, e disse que iria atrás dela. Mas na hora, fui alvo de piadas. “Ah, ta bom, que a assamitinha vai conseguir pegar uma anciã assim. Ta. Qual é.”. Decidiram que se eu quisesse ir atrás, teria carta livre. Mas o clã em si faria a busca de fato. O resto, foi uma cagada de sorte atrás da outra. Eu usei meu ritual do “rastro luminoso”, além dos meus poderes da feitiçaria assamita e por meio disso, encontrei a trilha da Perséfone, e de seja lá quem fez isso com ela.

    Seguindo a trilha, eu encontrei dois membros do sabá. Estavam em uma casa bem afastada, numa pequena montanha em Santa Monica. Perséfone estava empalada, e eles aparentemente, estavam fracos, como se estivesse feridos. Um estava esperando alguém “importante”, para diablerizar a anciã.  Outro, queria diablerizar ela ali mesmo. Ambos estavam nos fundos da casa. Eles começaram a brigar, e um foi para o lado de fora da casa na parte da frente, do lado da garagem. Empalei o filho da puta antes que ele pudesse fazer algo. Aproveitei um pouco da gasolina que tinha na garagem e ateei fogo no vampiro, quebrei o vidro da frente da casa para chamar atenção e fui correndo para os fundo da casa.

    O corpo do primeiro, queimava em frente à casa, enquanto o colega ia para a parte da frente da casa para saber o que estava acontecendo, eu entrei pelos fundos da casa, e removi a estaca de Perséfone. Foi tudo muito rápido. Ao mesmo tempo que eu retirei a estava da anciã, o outro vampiro deu as caras. A primogênita estava recuperando a consciência, e eu simplesmente pulei encima do vampiro do sabá. O combate foi rápido. Mas eu sai vitoriosa, e com as costas arranhadas por garras de gangrel. Minha sorte, foi que o Bastardo estava ferido. Se não, estaria morta provavelmente. Ao terminar, me viro para Perséfone que olhava tudo atentamente. Um pouco de surpresa, e talvez pensamentos mais ocultos em sua mente. Mas seja como for, o agradecimento veio pouco depois. Eu salvei a vida da primogênita Toreador de uma das cidades mais importantes para a Camarilla, na noite mais importante para o clã, e principalmente para a guilda. Afinal, aquela noite faria eles ganharem prestigio de vários outros Toreador. Eu não apenas salvei a anciã, eu salvei a maior e única oportunidade da guilda de Los Angeles, de se mostrar superior as outras guildas. Foi uma tacada de astucia, e de muita sorte. Eu enfrentei um perigo enorme, e mesmo assim encarei dois membros do sabá apenas para ajudar o clã em sua noite de baile.

    Quando eu e Perséfone voltamos JUNTAS, para o baile. Eu fui clamada internamente pela guilda como uma heroína. Perséfone viria a dizer que eu tenho espirito de Hercules. E todos aqueles que riram de mim naquela reunião particular da guilda, quebraram a cara. Espanto, ao mesmo tempo orgulho com uma pitada de inveja. Seja como for, o baile foi um sucesso total e completo. Não tinha como ser melhor. O prestigio que a guilda de L.A ganhou foi absurdo entre as outras guildas. E eu, tive uma peça chave para que o evento não caísse em ruina. O clã, me adotou como um membro especial e com um certo carinho. Minha feitiçaria e o ritual de fazer cabelo voltar a crescer, também atraiu muitas atenções positivas. Os Toreador não confiam tanto assim na magia dos Tremere. Eu estava com tudo dentro do clã, e investi para continuar assim. Como eu sou uma assassina, comecei a fazer diversos contratos pequenos, para carniças e mortais que muitas vezes os Toreador precisavam fazer. Eu comecei a frequentar muito, várias situações ao lado do clã, e quanto mais eu fazia isso, mais confiança eles ganhavam em mim. Eu não apenas fiz meu nome. Eu o mantive.

    Algumas noites após o evento, Perséfone em pessoa me chamou para sua casa. Após uma longa conversa, e questionamentos por parte dela, a primogênita decidiu me “adotar como prole”. Ela me explicou que se eu demorasse um pouco mais, um antigo inimigo dela do sabá iria diableriza-la. E que noite melhor para se fazer isso do que na noite de Gloria da anciã? Por isso, eu não apenas salvei a vida dela, como também fiz um favor para todo o clã. Ela revelou que ficou paralisada alguns segundos apenas olhando para mim. Era belo demais a forma com que eu lutei. Fora isso, ela já tentou ter o direito a prole, mas nunca recebeu a permissão formal, Ainda mais com a subida de Bartes ao poder, dificilmente ela teria o direito. E sempre foi um desejo dela criar uma prole. Por isso ela me propôs, de forma informa e indireta, que eu fosse a “cria” que ela nunca pode ter. Fiquei lisonjeada. Eu apenas consenti. A partir daquela noite, desenvolvemos uma ótima e intima relação. E eu me esforço para manter as coisas assim. Foi com ela, que comecei a criar um gosto em especial pela cultura grega, e pela mitologia. Eu a vejo com frequência, e a acompanho em coisas importantes. Muitas vezes, ela me chama apenas por companhia, e muitas vezes, me pede para que eu faça trabalhos. Bem lá no fundo, depois de todos esses anos, eu a vejo mais como uma mãe que eu nunca tive. E sinto alguma reciprocidade dela. Afinal, ela me trata muito melhor do que muitos no clã. Como se ela tivesse algum afeto, um carinho em especial por mim.

    Porém, não pense que tudo é um mar de rosas. Ela é exigente comigo. Eu sou como a “prole” dela. Claro, esse tratamento é esperado de qualquer mentor. Mas no geral, mantemos ainda uma relação um pouco afetuosa e muito próxima. Geralmente estou a par da agenda do clã, e tento na medida do possível, acompanhar isso.




    Capitulo 7: Atualidade. Objetivos e detalhes.



    Uma das musicas tema de Kassia. Pois pode representar basicamente, o subconsciente assassino e frio do passado dela, falando com a nova ela. Escute com atenção, e leia a tradução abaixo. Entenda a essência da personagem e seu drama pessoal.



    Quando você se encontra num espelho:



    A musica não foi colocada inteira. justamente para que essa primeira parte seja lida e, em sequencia com a musica. Se leia o restante do capitulo.

    Eu não consigo ver de onde você está vindo
    Mas sei exatamente do que você está fugindo
    E o que importa não é saber quem é o pior, mas
    aqueles que impedem você de cair da sua escada, pense nisso

    Veja como está se sentindo agora
    fazendo coisas só para agradar seu batalhão
    Quando te amo da forma que amo
    eu sofro, mas não vou te abandonar porque

    Esse não é lugar para herói algum
    Esse não é lugar para nenhum bom homem
    Esse não é lugar para herói algum
    Chamar de lar

    Esse não é lugar para herói algum
    Esse não é lugar para nenhum bom homem
    Esse não é lugar para herói algum
    Chamar de lar

    Toda vez que fecho meus olhos
    Eu penso, penso em você lá dentro
    Em sua mãe, desistindo de perguntar o porquê
    Porque de você mentir, de enganar e de tentar fazer
    Corrigir
    Dela uma tola

    Foi buscando ter o meu próprio cantinho na cidade, que eu comecei a me aproximar do mercado erótico. VV fez um ótimo trabalho com o Versuvius, e penso que eu poderia algo similar. Porém, sem roubar o mercado dela. Eu tive total apoio de Perséfone. Nesse trajeto, acabei conhecendo minhas duas Carniçais. Ambas, prostitutas de luxo. Elas eram como eu. Não sabiam mais o que era viver. Não sabiam o que era dar valor a vida. Estavam no fundo do poço, prestes a se matar. E eu fiz com elas, exatamente o mesmo que Alyssa fez comigo: Eu lhes dei uma nova vida. Mas eu realmente não falarei delas agora.

    Com o passar do tempo, Camile e Jeniffer viraram minhas “filhas adotivas”. E junto dela, passei a trabalhar nos meu próprios planos. Descobri que a manutenção destas carniçais pode ser uma boa forma de passar o tempo. Eu gosto delas.. Elas me ajudam a administrar o Vermillion, meu novo bordel, fora que também são minhas prostitutas especiais, e custam um alto preço. Estreou alguns meses atrás, e os resultados foram ótimos. Afinal, tudo foi preparado com muita cautela, uma vez que pelo menos 6 ou 7 meses antes, começou o trabalho de coesão contra os cafetões da área. Algumas pessoas morreram “em brigas de facções rivais”, e eu consegui jogar as atenções para longe de mim, enquanto preparava as garotas de luxo.

    Tenho objetivo de achar Alyssa, mas não sei nem ao menos como começar, pois não existe nenhum rastro dela. Só deus sabe o quanto eu me quero acha-la. Eu prometi que voltaria para ela. E pretendo cumprir minha promessa.

    Viajei para a Russia a pouco tempo, descobri que Mamochka (mamãe) ainda está viva, e Papa morreu de câncer na laringe. Quando conversei com minha mãe, ela ficou surpresa com minha “juventude” e por eu ainda usar o colar que ela me deu, quando eu tinha 15 anos. Carrego comigo isso desde 1985. Ou seja, são 30 anos usando o colar. Ela está morando com minha tia, mas não há muito dinheiro. Por isso, eu envio uma quantia mensal para ela. Ela tem 85 anos, mas continua sendo a mesma mulher de ferro da antiga CCCP. Volta e meia, eu marco de visita-la novamente para “tomar chá”. Tento ficar longe, e não é por que ela gosta de falar de mim... голый в ванне, когда я был ребенко (golyy v vanne, kogda ya byl rebenkom - pelada no banho quando eu era criança), mas sim pela necessidade de sangue mesmo.

    Espero continuar bem meu treino. Joseph me deus instruções da direção que devo tomar e como fazer. Eu tenho momentos de estudo, meditação, e treino físico. “Mente afiada, lamina afiada”. Tento manter a harmonia entre meu corpo, mente e espirito. Isso vai além de meditação. Isso é parte do meu treino e busca do conhecimento. Outro assunto que me preocupa é, por ande anda Joseph Sayar, meu senhor? Eu sei que ele costuma fazer viagens em busca de conhecimento, ou da integração do clã assamita dentro da Camarilla, mas como ele faz isso, ou onde faz, não faço ideá. Mesmo que ele venha volte e meia para los angeles, para me visitar e ver meu progresso. Alem disso, da mesma forma como meu senhor, penso que a união dos assamitas da Camarilla é algo importante.


    Nasci em 1970. Fui abraçada em 1991 com 21 anos. Viajei com Joseph por 10 anos até meados de 2001. Fui empalada, e apenas voltei 6 anos depois. Em 2007, retornei para Los Angeles com meu senhor, depois de 16 anos. Em 2008, Joseph me deixa sozinha para continuar o treinamento por minha conta. Entre 2009 e 2012, me aproximei dos Toreador, o que resultou em Perséfone como minha mentora. De 2012 a 2015, me esforcei na criação do meu próprio negócio na cidade, ao mesmo tempo que lido com temas da sociedade imortal. Hoje estou Com meus 45 anos, e rosto de 21.


    Etica de um assasino:




    Etica e moral de um assassino:

    “Algumas pessoas simplesmente não merecem morrer, mas devem. Outras, não devem morrer, mas merecem” - Kassia

    Trabalhando como uma espiã e aspirante a assassina, o trabalho estava destruindo Kassia. Ela era um robô que cumpria ordens sem perceber que por de trás da guerra fria, haviam pessoas que não eram tão frias assim e só queriam um pouco de paz. No fundo, era o que ela também queria, mas não sabia. Kassia Aleksandra Yakovich, não sabia o valor da vida, até desistir dela. E foi isso que fez a dar sua vida de tão bom grado para salvar Alyssa. Até o momento que nasceu novamente, como vampira.

    Gastou parte de sua não-vida tentando entender o significado da vida. Kassia até hoje estuda temas relacionados a vida e a morte. Todos esses anos criaram um código de conduta interna para Kassia aprender a lidar melhor com a morte e a crueldade envolvendo essas atividades. A vida tem sim valor, e apenas quem trabalha tirando a vida de outros entenda melhor isso. Então existe um certo “código de honra” envolvendo a morte dos outros. Algumas de suas doutrinas se baseiam EM PARTE nos conceitos Assamita sobre honra, e contratos.

    A trilha da humanidade naturalmente entra em conflito com seu trabalho e atividades. Por esse motivo, Kassia busca ativamente a busca pela harmonia. Ela com frequência medita, e busca a paz interior. Manter a mente saudável é tão importante quanto manter o corpo. Ela pratica yoga com suas caniçais, e incentiva atividades relaxantes, busca de sabedoria, e auto-conhecimento. Manter a paz interior, ajuda a se manter focada na missão, e prepara a alma. Alem disso, uma certa pratica humilde sobre este assunto.

    Os treinos que envolvem o corpo fisico, são constratados com praticas de concentração, foco, e harmonia com a mente. Enquanto os treinos que envolvem a mente, são constratados por praticas fisicas, como Yoga, alongamento, e tai-shi.

    Gratidão pela vida, e respeito pela morte. Afinal, todos são iguais no fim.

    “lamina a fiada, mente afiada”



    --------------------------------------------------------


    Senhor:
    Senhor: Joseph Sayar:


    Avatar: Stefan Karl



    Joseph Sayar, é um ancião israelita, feiticeiro especialista na guerra contra o sabá. Seu senhor, assim como ele, vinha da linhagem de feiticeiros. O senhor de Sayar, Ahú Marrib, foi um feiceiro que dedicou sua não vida a magia e ao misticismo. Até o dia em que foi diablerizado por um Lasombra, na ilha de Creta. Joseph Sayar, começou a criar um enorme ódio pelo Sabath. A partir daquela noite, jurou matar Francisco Rocco Ramon, o Lasombra que diablerizou de seu mentor. Para cumprir essa tarefa, ele seguiu os passos de seu Senhor. Estudou a feitiçaria de forma absurda e começou a caçar pela noite, os segredos mágicos que podia obter. Sua cruzada e desejo de vingança dura até hoje, porem, Rocco, é arcebispo de uma cidade pequena do sabá em creta. Isso dificulta as coisas. Por mais que Sayar seja mais velho, e teoricamente, de geração menor, ele esta “esperando o momento certo”. Seja lá o que for.

    Se fechando mais com seu próprio clã, em uma cruzada pessoal contra o sabá, Sayar começou a se aproximar da Camarilla cada vez mais. Como a seita gosta de funcionar com troca de favores, é o local ideal para contratos, e informações que auxiliem suas pesquisas. De certa forma, acredita nos ideias da seita, especialmente na máscara, e na força da Camarilla como um todo. Em tempos onde a guerra com o sabá é tão intensa, trabalho é o que não falta. Foi assim que muitos príncipes ficam lhe devendo favores importantes. Ele foi uma peça importante na luta contra o sabá. Com tantos anos de viagens e combates contra a espada de caim, Sayar se tornou um especialista na guerra contra o Sabath. Durante muito tempo, lutou espeficicamente contra os recém formados, Tremere AT, antes de seu misterioso desaparecimento. Viu a oportunidade perfeita de roubar segredos taumatúrgicos e ao mesmo tempo, combater a Espada de Caim. Foi assim que ele obteve conhecimentos mais obscuros da taumaturgia. Como a taumaturgia negra, mas sem ter que recorrer a pacto com demônios. Isso, é algo que guarda um forte segredo e quem o viu utilizando tais segredos, não esta mais neste plano de existencia. Alem disso, conquistou conhecimentos necromânticos e sobre tenebrosidade durante a caça contra o sabá.

    Seus serviços acabariam ficando bem evidentes para a Camarilla, e ele foi compensando com o direito ao Abraço. Desde o início, ele queria alguém que tivesse valor a vida, foi ai que achou Kassia. Durante os anos que ficaram juntos, nutriu uma boa relação com ela. Ele a vê como uma aluna promissora, que pode dar bons frutos no futuro, mas ainda precisa amadurecer. Por isso, decidiu deixar Kassia “sozinha” em los angeles. Para ver como ela se sai com a Camarilla, e a jyhad, sem a auxilio dele. Ficou surpreso, e vê com bons olhos a relação de Kassia com o clã Toreador. Ele parece querer prepara-la para algo maior no futuro. Ele volta esporadicamente, uma ou duas vezes por ano, ou semestre. Faz isso para averiguar como anda o progresso de sua prole. Como seu senhor fez com ele, pretende ensina-la nas artes magicas, e deixar seu conhecimento, mas tudo no seu devido tempo.

    Tem enorme interesse na unificação dos assamitas da Torre de marfim. E quando Al-Shrad se uniu a Camarilla, viu que as coisas estavam melhorando. Ele apoia a organização informal criada por Al-Shrad para os assamitas da Camarilla. Ele tem um esconderijo secreto com uma grande biblioteca. Mas apenas alguns lacaios muito bem escondidos sabem de sua existência. Foi herdado do senhor dele, e caso Sayar venha a cair em combate, a localização sera dada a sua prolê. Mas ninguém além dele, e mais dois carniçais sabem disso.Fora isso, seus objetivos e desejos pro futuro são desconhecidos. Oque exatamente esta fazendo, e onde esta fazendo, é um misterio maior ainda. Ele sabe como não ser rastreado.

      Data/hora atual: Ter Ago 22, 2017 12:21 am