Um fórum de RPG online no formato de PBF (Play by Forum).


    [Suporte ao Jogador] Região, Seita e Caerns

    Compartilhe
    Rosenrot
    Tecnocrata
    avatar
    Tecnocrata

    Mensagens : 365
    Reputação : 34

    [Suporte ao Jogador] Região, Seita e Caerns

    Mensagem por Rosenrot em Seg Maio 15, 2017 10:18 am

    Eu sangraria até que rios jorrassem de mim; Queimaria
    até virar cinzas. Eu preferiria morrer dez mil mortes a deixar
    que os filhos da Serpente de Chifres colocassem seus pés no
    coração de Gaia.

    — Estômago de Pedra, Vigia

    O Território

    O parque nacional de Kilarney (em irlandês Páirc Náisisúnta Chill Airne), perto da cidade de Kilarney, condado Kerry, é o primeiro parque nacional na Irlanda. Criado quando as propriedades de Muckross foi doado ao estado livre irlandês em 1932. Desde então o parque tem sido expandido e abrange mais de 102,89km de ecologia diversa.

    É um ponto turístico famoso na Irlanda, porém nem todas as áreas do parque são abertas ao publico. Além da biodiversidade, o parque possuía uma vasta e densa floresta, que esconde mistérios e outras histórias...

    A Seita

    Seitas são organizações de Lobisomens limitadas por um protetorado. É como se fosse um... País, onde há diversas cidades inclusas em seus protetorados, apesar de cada país ter seu próprio líder, todos eles respondem ao líder da Seita. Os Caerns, dentro do protetorado da Seita são como as cidades dentro de um país.

    A Seita em que o protetorado de Kilarney se encontra, chama-se Seita dos Rios Que Correm Juntos. Datada de muito antes de você nascer, filhote, essa Seita tem sobrevivido graças aos incansáveis esforços de seus irmãos e irmãs ao longo dos séculos. Sua constituição inicial eram de três Caerns, atualmente a Seita conta com sete, se tornando uma das maiores Seitas da região.

    A Seita é liderada por uma sabia Lupina Theurge chamada Sussurra-no-Vento, há muitas histórias sobre essa Garou incrível, uma delas conta que seu nome foi ganho após Sussurra-no-Vento barganhar a própria voz com os espíritos em troca da proteção que eles oferecem ao Caern central. Se são verdades? Quem somos nós para questionarmos os Theurges e suas histórias? O fato é que Sussurra-no-Vento quando precisa se comunicar... Fala apenas dentro da sua cabeça, como um sussurro jogando nos braços do vento.



    Caerns


    Filhote! Você nos vê “escolher” nossas batalhas? Deixar
    nossas terras quando ameaçadas porque o inimigo é grande
    demais, para que possamos lutar quando forem menos?
    Filhote! Nossos inimigos sempre serão muitos! E sem nossos
    lares seremos ainda mais fracos. Não, devemos lutar com
    toda nossa força. Lutamos pela Avó Terra, para protegê-la
    dos Estrangeiros da Wyrm e dos filhos da Serpente de Chifres.
    Uma batalha pode estar perdida, mas nenhuma retirada pode
    chegar a vitória!

    — Tomador-da-Lâmina, Chefe de Guerra da Seita das
    Quedas Observadoras


    Caerns são o coração e a alma dos Garou. São locais para comunhão com a grande Mãe, fontes de estímulo e necessário poder e as últimas linhas de defesa. São o centro de praticamente toda crônica de Lobisomem, pois são tudo pelo qual lutam os Garou. São a seiva vital da própria Gaia.

    E mesmo com tudo isso, o caern é algo não necessariamente acessível em nossa maneira de pensar. Nós não crescemos nos mais profundos recessos das matas ou centros espirituais das cidades. Nós podemos já ter visitado locais assim, mas mesmo assim conseguimos enxergar apenas uma fração do todo. E ainda há a questão de como tal local seria se um grupo de lobisomens se estabelecesse naquela área!

    Pode ser particularmente difícil de interpretar um personagem Impuro quando você realmente não sabe como é crescer no coração de um caern. Todos nós estamos familiarizados com a sociedade humana e sabemos, vagamente, como é a vida de um filhote de lobos, mas não existem referências reais sobre como é a vida diária no cuidadosamente guardado coração da sociedade Garou.

    Até agora.

    Onde você encontra caerns? As imagens que vêm prontamente à mente são montes de terra e de pedra, topos de montanhas e bosques cobertos — locais longe do toque das mãos humanas. Mas, apesar dos rosnados de muitos lupinos, os trabalhos da humanidade não estão necessariamente distantes da espiritualidade. A profunda conexão espiritual de um caern pode ser encontrada em bares, monumentos, complexos de escritórios ou, até mesmo, cassinos.

    A maioria dos caerns — certamente a maioria dos mais velhos — estão em áreas selvagens ou rurais. Isso é apropriado, considerando que a maioria dos lobisomens remonta à força primordial de criação. Os campeões da Wyld estimam os locais primitivos do mundo, onde a corrupção da Wyrm ou o sufocante abraço da Weaver não tocou. Muitos Garou dizem que caerns necessitam de um tipo certo de harmonia espiritual e que qualquer influência externa — seja o toque de um inimigo, um estranho ou até mesmo um aliado inconsciente — estabelece pequenas ondas que podem, eventualmente, danificar o caern. Por essa razão, os lobisomens são duplamente vigilantes contra estrangeiros que possam “macular” o coração de um caern.


    Uma minoria dos caerns pode ser encontrada nas áreas urbanas e, normalmente, são de duas variações. O toque dos humanos com o passar do tempo pode “dar sabor” a um local e predispô-lo a se tornar um caern, como em uma instituição ou monumento nacional. Tal local reúne seu potencial apenas quando os sentimentos humanos a respeito do lugar são consistentes. Por exemplo, se um determinado bar sempre foi um local bem animado, ele pode atrair a ressonância do Humor, mas se um hospital onde incontáveis vidas foram salvas também viu numerosas mortes dentro de suas paredes, ele pode não atrair uma associação forte com a Cura. A outra espécie de caern urbano é, normalmente, bem jovem, tendo sido criada nas últimas décadas.

    Tipicamente mais da Weaver do que da Wyld, esses locais sagrados estão localizados em arranha-céus e centros computacionais onde a ordem e o padrão reinam supremos. Enquanto os caerns da Wyld lutam pela sobrevivência todos os dias, os novos caerns da Weaver estão prosperando.

    Caerns suburbanos são, para todos os propósitos, inexistentes. Caerns selvagens não sobrevivem ao avanço e poucos subúrbios possuem qualquer tipo de associação duradoura necessária para a conexão com o mundo espiritual para crescer. As pessoas fogem para os subúrbios para escapar da vida na cidade e assim, os deixam assim que o subúrbio fica grande demais para eles. Pântanos são drenados para matar mosquitos e acabam matando incontáveis outros animais que dependem da água e dos mosquitos para sobreviver. Apesar do que a televisão diz sobre o assunto, os subúrbios não são o local onde o espírito humano floresce. Infelizmente, todos esses fatores (e outros) significam que os caerns da Wyrm podem sobreviver e até mesmo prosperar nos subúrbios. Um caern selvagem é, tranquilamente, fácil de ser corrompido quando um projeto de habitação ou aterro sanitário é construído em cima dele. E loteamentos podem facilmente sustentar muita angústia, tristeza, luxúria e ódio como qualquer acúmulo urbano — fazendo o pior possível, pois eles são, normalmente, fechados. Afinal de contas, você não quer que seus vizinhos fiquem fofocando.


    Coração do Caern


    O coração do caern é um passo para tempos passados,
    antes da ruptura, antes da Película.
    Ele nos mostra o que foi perdido.
    Visitar o coração é aprender o
    verdadeiro significado da amargura.

    — Marcus Vigia-da-Nuvem, Senhor das Sombras, Philodox



    A parte mais sagrada de um caern é o seu centro. Se a área de assembleia é o coração social da seita, esse é o coração espiritual — o coração mais literal do caern. Claro, o centro nem sempre é o centro geométrico do caern; nem sempre há apenas um coração como o caern de triplo centro Brugh Na Boinne na Irlanda mostra claramente. O coração do caern é onde a Película não existe e, assim, o local onde os rituais mais poderosos são conduzidos. Até mesmo um mortal comum pode sentir o poder de tal lugar, apesar de que como ele interpreta essa sensação varia; um ecologista em harmonia com Gaia poderia entrar num bosque sagrada com sussurros abafados de reverência, enquanto um contador escravizado pode sentir episódios de vertigem no ambiente surreal (“gases de pântano?” ela pode pensar). Aqueles que portam uma mácula da Wyrm em suas almas podem tremer com o perigo e inquietude que sentem nesse local.

    Aqui a natureza espiritual do caern é mais forte — um caern de Fúria ferve com uma raiva palpável, enquanto um caern de Fertilidade é tão exuberante e acolhedor quanto o abraço de uma mãe. O coração de um caern é também o único local nesses últimos dias onde o mundo espiritual e físico estão verdadeiramente unidos. Um Garou que fique ali ganha uma visão surreal do caern e de seus habitantes; as estruturas e formações podem parecer bem diferentes, principalmente se eles possuem naturezas duplas. Espíritos e mortais podem estar juntos ainda que continuem sem perceber um ao outro, mas o Garou no coração do caern os vê com igual claridade.

    Os Três Caerns da crônica:

    Caern Chifres do Cervo (Sabedoria)- Principal caern da Seita. Caern Rural em Kilarney. Líder: Sussurra-no-Vento, Theurge Fianna.

    Caern Cações de Chuva (Respeito)- Caern rural em Slaheny River Bog. Líder: Justiça-Primeva, Philodox Cria de Fenris

    Caern Rotas dos Irmãos (Força) - Caern urbano em Bray, próximo a Dublin. Líder: "Verdade-Mal-Intencionada", Ragabash Senhor das Sombras.

      Data/hora atual: Qua Ago 16, 2017 12:25 pm