Um fórum de RPG online no formato de PBF (Play by Forum).


Capítulo 1- Unbreakable

Compartilhe
shamps
Mestre Jedi
avatar
Mestre Jedi

Mensagens : 1047
Data de inscrição : 04/04/2016

Re: Capítulo 1- Unbreakable

Mensagem por shamps em Sex Maio 19, 2017 9:07 pm

Ela dá uma leve risada quando ele diz ser obvio serem residentes novatos.

- Talvez sim, talvez não. Afinal você poderia ser um enfermeiro ou um técnico de TI... qualquer coisa... entããão - dá uma alongada marota na palavra - não é uma pergunta tão boba assim - depois dá outra risada, aparentemente se divertindo - e mesmo se fosse boba, quem liga?
Okley
Cavaleiro Jedi
avatar
Cavaleiro Jedi

Mensagens : 226
Data de inscrição : 04/11/2016

Re: Capítulo 1- Unbreakable

Mensagem por Okley em Sex Maio 19, 2017 9:56 pm



Vou pra próximo da parede onde fico observando todos por ali, tinha que recepcionar todos os novos residentes mais chegaram todos ao mesmo tempo. Alguns já foram comer tudo, pareciam um bando de esfomeados que não tinha o que comer em casa. Outros não começaram a fazer um baile na pista parecia que estavam em uma balada.

O sono estava forte, me segurava para ficar de pé, queria estar em casa e ir para a cama. Pego um energético para poder aguentar ate o final da festa. Olho sem grande discrição para os residentes que não se comportavam, não tinham porte para uma estar em uma festa que nem aquela.

Fico imaginando o que farei ate os diretores começar a apresentação. Pego o celular mexendo no Facebook e sites de curiosidades, disfarçando estar ocupado com assuntos no celular. Estou já ansioso para o fim da festa, ate mesmo que para isso tenha que tocar o pessoal para fora.
Bastet
Cavaleiro Jedi
avatar
Cavaleiro Jedi

Mensagens : 208
Data de inscrição : 09/04/2017

Re: Capítulo 1- Unbreakable

Mensagem por Bastet em Sab Maio 20, 2017 2:39 pm




   
A loira terminou de se ajeitar, sorrindo ao perceber que estava falando com uma colega de trabalho. Estava um pouco surpresa, pois a menina parecia muito nova... Mas era interessante, ver jovens tão dedicadas e empenhadas em estudar e aprender.  Assentiu, ouvindo a menina falar sobre a diferença entre como ela estava se sentindo em relação ao ambiente e aos colegas e como os outros estavam se sentindo e se portando.

–  Acredito que pessoas mais confiantes e desinibidas se dão melhor nesse tipo de situação. Afinal, somos todos desconhecidos aqui, né? E nem sabemos quem é importante e quem é como nós – deu uma risada. Apesar da animação de todos os residentes, enfrentariam nos próximos anos uma luta contra o ego... Afinal, os médicos os viam como crianças ainda nas fraldas... Nada importantes.

Quando saíram do banheiro, a festa estava um pouco mais cheia, com pessoas conversando em cada cantinho e outras dançando. Algumas pessoas não pareciam animadas, incluindo o chefe dos enfermeiros que falara com ela uns minutos antes. Provavelmente essas pessoas estavam na organização, o que não devia ser um trabalho fácil.

– Eu cheguei faz pouco tempo. Um pouco atrasada, mas o trânsito estava péssimo, o táxi demorou anos pra chegar lá em casa –  disse e olhou para as meninas que a jovem apontou. – Hm, não tive a chance de conversar com elas. Só falei com ele –  indicou Kennedy com a cabeça, de forma discreta – Mas ele não é residente. Quer ir até as meninas que você estava conversando?
Dwight Memphis
Samurai Urbano
avatar
Samurai Urbano

Mensagens : 140
Data de inscrição : 15/09/2016

Re: Capítulo 1- Unbreakable

Mensagem por Dwight Memphis em Sab Maio 20, 2017 9:52 pm

Matt ri levemente, Kali parecia estar querendo se explicar, ele não via o porquê de tal ação, mas achava interessante.

Eu, com certeza, não ligo - o rapaz responde a ela - Mas e então Kali, animada pra residência? -
diz mudando um pouco de assunto.

Matt olha em volta e percebe vários olhares direcionados a sua companheira de dança, certamente Kali era uma das mulheres mais bonitas da festa e muitos queriam estar conversando com ela, mas ele que havia tomado a dianteira.

shamps
Mestre Jedi
avatar
Mestre Jedi

Mensagens : 1047
Data de inscrição : 04/04/2016

Re: Capítulo 1- Unbreakable

Mensagem por shamps em Sab Maio 20, 2017 11:22 pm

A única coisa que Kali podia fazer naquele momento era dar risada junto com Matt. Estava se divertindo bastante.

- Eu estou animadíssima. Esse programa é importante demais para mim. Mal vejo a hora de começar - realmente tinha um brilho no olhar bem diferente daquela agressividade luxuriosa que demonstrava até agora. Ela realmente gostava do que fazia - e você?
Dwight Memphis
Samurai Urbano
avatar
Samurai Urbano

Mensagens : 140
Data de inscrição : 15/09/2016

Re: Capítulo 1- Unbreakable

Mensagem por Dwight Memphis em Dom Maio 21, 2017 12:13 am

Griffin percebe a animação da mulher ao falar sobre a residência.

Estou bem animado também - mente o rapaz fingindo uma animação - Mal acreditei quando recebi a carta de admissão. Ainda não me decidi direito, mas estou pensando em me tornar um neurocirurgião. Já tem algo em mente?

Matt não queria estragar a animação de Kali com seu má vontade, felizmente não era de hoje que ele fingia coisas que na verdade não sentia.

shamps
Mestre Jedi
avatar
Mestre Jedi

Mensagens : 1047
Data de inscrição : 04/04/2016

Re: Capítulo 1- Unbreakable

Mensagem por shamps em Dom Maio 21, 2017 1:56 am

- Neuro? Bem ambicioso - disse achando muito curioso a opção dele - eu serei pediatra ou onco pediatra. Vou decidir ainda - Kali só sabia que queria ajudar crianças, e da melhor maneira possível.
Dwight Memphis
Samurai Urbano
avatar
Samurai Urbano

Mensagens : 140
Data de inscrição : 15/09/2016

Re: Capítulo 1- Unbreakable

Mensagem por Dwight Memphis em Dom Maio 21, 2017 2:24 pm

Lógico que é ambicioso, se não for pra sonhar com coisas grandes pra quê perderia meu tempo - essa era uma frase que Matt costumava repetir para si mesmo quando falhava em algo, ultimamente tinha quase se tornado seu mantra - Então gosta de crianças, que legal.

Na verdade Matt detesta crianças, pra eles todas pareciam iguais. Ranhentas, choronas, pestes e crianças pra ele eram todas palavras sinônimas.

Miss Johnson - Griffin fala pegando sua mão e levando aos lábios após a música ter terminado - Foi realmente um prazer te conhecer e muito mais ainda essa dança, mas se me permite tenho que ir, creio que nos veremos ainda esta noite, mas caso não, nós encontraremos em nosso primeiro dia de residência.

Mathew não era muito fã de falas muito empoladas, mas não conhecia exatamente Kali e ela poderia muito bem se sentir ofendida caso o contrario fosse feito neste ambiente, ele havia descoberto isso da pior forma. Fora que as mulheres gostavam de cavalheiros.

Mas após se despedir o rapaz segue em direção ao banheiro, além de realmente precisar usar-lo ele queria se afastar de Kali. Ele claramente queria dormir com ela, mas precisava conhece-la antes se ele for encontrá-la praticamente todos os dias de sua residência, imagina ter uma louca sem noção apaixonada por ele e soltando cantadas indiscretas e o fazendo passar vergonha, não impota seu desânimo, ele tinha noção de que sua carreira poderia depender daquilo.

shamps
Mestre Jedi
avatar
Mestre Jedi

Mensagens : 1047
Data de inscrição : 04/04/2016

Re: Capítulo 1- Unbreakable

Mensagem por shamps em Dom Maio 21, 2017 3:01 pm

A mulher apenas sorri com o comentário dele, tinha sinais que ela sabia reconhecer, mas permaneceu com sua cara de boa moça, já que era obvio que um tipo feito ele não devia gostar mesmo de crianças.

- Está certo em sonhar alto – foi apenas o que disse.

Ao fim da dança, ela faz uma mesura em agradecimento pela dança e quando ele se afasta, após sua fala, ela dá uma risada, percebendo a intenção do rapaz e então caminha até mesa de comida. Ela não era criança e sabia muito bem como as coisas funcionavam, não iria forçar nada.

- Bobinho, ficou com medo – disse sozinha, no meio do caminho. Isso só acontecia com ela em duas situações: homens com medo de não dar conta ou homens com medo dela ser um grude depois.

Ao chegar à mesa de petisco cumprimenta quem estiver por ali.
Gakky
Mestre Jedi
avatar
Mestre Jedi

Mensagens : 1261
Data de inscrição : 08/07/2015

Re: Capítulo 1- Unbreakable

Mensagem por Gakky em Dom Maio 21, 2017 3:52 pm

Tracy sorri com a gentileza de Diane, achou que ela parecia ser uma pessoa legal. Tracy nota que a loira tinha costumes educados e gestos delicados, bem oposto a ela mesma. Mas apesar disso, ainda não parecia uma esnobe, pelo menos não por enquanto. Vai pegar também um salgadinho dos que trouxe, mas sem a mesma delicadeza de Diane e sem usar guardanapo, acaba deixando derramar um pedacinho de molho na mesa. Mas não liga, pega o pedacinho que caiu e come enquanto ouve a colega na mesa.

- É sim, é ótimo! - Responde ainda de boca cheia.

Depois engole e continua a conversa:

- Legal, crianças são ótimas. Eu ainda não sei o que quero fazer, mas gosto muito de cardiologia. Ainda estou decidindo, acho que ficar aqui vai fazer com que eu decida melhor.

Tracy olha ao redor, tentava pensar em outro assunto para comentar, mas não era boa com isso. Diane parecia bastante feminina, gostava de obstetria, que era uma especialidade bonita. Tentando parecer social, ela vai puxar mais algum assunto:

- Ahn... Você mora longe? Quer dizer, é difícil para vir até aqui?

Depois vai perguntar mais uma coisa:

- Você sempre quis ser médica? Quer dizer... Tem alguns que seguem os pais, que também são médicos, sabe... É natural não é? E sei lá... Só uma pergunta... Pode comer o quanto quiser, depois eu pego mais. Eu já cheguei fora dos padrões mesmo, ninguém vai ligar se me ver comendo muito. É bom aproveitar.

A mestiça vai pegar mais salgadinhos e enfiar na boca. Depois de ouvir a resposta da colega, vai se levantar com o guardanapo para pegar mais salgadinhos e ri ao sair de mesa:

- Já volto!

Ela começava a por vários salgadinhos no guardanapo quando deu de cara com a mulher elegante e indiana, era um tanto constrangedor estar vestida tão informalmente e raptando um monte de salgadinhos. Mas Tracy tenta levar na boa e sorri com um cumprimento, depois tenta ser natural ao dizer:

- Olha esses aqui estão ótimos,  nem sei o que é, mas fica o conselho.  Vou pegar só mais uns cinco... Festa tem que aproveitar não é?   - Ri disfarçando enquanto pega os petiscos na cara de pau.

Depois se não tiver problemas vai voltar a mesa.


shamps
Mestre Jedi
avatar
Mestre Jedi

Mensagens : 1047
Data de inscrição : 04/04/2016

Re: Capítulo 1- Unbreakable

Mensagem por shamps em Dom Maio 21, 2017 5:15 pm

Na mesa de petiscos, Kali observa atentamente o que pegar até receber sugestão de uma outra jovem que estava por ali.

- Ah, obrigada - pega alguns e sorri - só evito pegar o que tem carne bovina e chocolate... não posso com eles - até cheira alguns deles para ter certeza e dá risada da espontaneidade da moça - ah, fique a vontade. Muito prazer, sou Kali - estenderia a mão, mas ela estava segurando o pratinho com os petiscos.
Okley
Cavaleiro Jedi
avatar
Cavaleiro Jedi

Mensagens : 226
Data de inscrição : 04/11/2016

Re: Capítulo 1- Unbreakable

Mensagem por Okley em Dom Maio 21, 2017 5:40 pm

   
Ficar ali mexendo no celular estava ficando cansativo e começariam a a desconfiar de mim por esta razão assim no celular. Guardo o celular no bolsa, aproveito vou comer alguns salgadinhos, dedilhando com cuidado máximo para não me sujar, entre uma mordida e outra, olho para o lado vendo se alguem pensa que sou guloso e pensar ainda mais que quero comer todos os salgados, talvez seja um pouco de paranóia. Queria mais, mas não quero que pensei nisso então vou aos poucos os três salgados.

Meus dedos estavam sujos de gordura que os salgados, dei uma limpada com o guardanapo mesmo deixando limpo novamente, agora seria uma boa hora de ir no banheiro e assim limpar melhor a mão. Era mais  uma justificativa para ir e esperar o tempo passar, me livrando dos olhares.

Vou até o banheiro masculino, não tinha ninguém ali, me dirijo a um dos mictório do mais do canto. Até que alguém entra no banheiro também, Matt, olho para ver quem estava vindo rapidamente, ainda bem que já estava terminando. Ele é muito gato, deve ser um dos novos residentes, fico contente que trabalhariam juntos, controlo meus pensamentos para ele não pensar coisa errada de mim.

Era tarde demais tinha já conseguido mexer comigo, estava já ficando corado de vergonha, terminei rapidamente, ao passar por ele lá, olhei seu corpo, que era gostoso, discretamente tentando evitar que ele reparasse que olhei nele. Meu coração bateu mais forte enquanto ia para pia lavar as mãos,  tentava desviar o olhar e fazer que não estava me importando com ele.
- Olá! Você é novo aqui? No hospital quero disser - rindo disfarçando o vergonha de que senti, as palavras saíram da minha boca sem querer, imaginava por que eu disse aquilo, torcia que ele seja legal.

Esfregava bem as mãos, aproveitei um pouco da água para arrumar o cabelo melhor, dava tempo suficiente para algumas olhadas no espelho nele e admira-lo um pouco, lavando as mãos novamente para terminar.

- Sou o Karl, sou o enfermeiro chefe daqui - falo com um sorriso no rosto bastante amigável, não gostava de agir assim como uma adolescente, mesmo não querendo. Estava ficando chato essa frase toda hora, mas não consegui pensar em algo por agora.Vou me preparar para sair, secando as mãos com o papel toalha, pensando que conversas de banheiro não podem ser muito longas
Larissa Aprill
Tecnocrata
avatar
Tecnocrata

Mensagens : 388
Data de inscrição : 01/01/2016

Re: Capítulo 1- Unbreakable

Mensagem por Larissa Aprill em Dom Maio 21, 2017 9:58 pm

Shamps e Dwight

K
ali estava dançando e percebe os olhares do rapaz do balcão, mas ele continuava sorrindo de maneira enigmática e aproveitando seu Whisky com gelo. Griffin que até então estava apenas observando o ambiente, apanhou duas bebidas e se aproximou da indiana. Os dois começaram a dançar, era uma musica antiga mas animada, mas isso não impedia o casal de conversar.

Spoiler:


Era óbvio que eles estavam flertando, havia muita troca de olhares  e a maneira como Kali falava era muito sensual e provocante. Mas Matt não estava totalmente a vontade com a situação, ele achou que seria excitante dançar com a jovem, mesmo ela sendo linda e simpática, não era aquele tipo de adrenalina que ele procurava no momento. Claro que se tivesse uma chance de sair com ela mais para frente, não perderia aquela oportunidade. Ele se despede cordialmente e caminha em direção ao banheiro, enquanto isso a jovem se aproxima do buffet.

Uma jovem se aproximou dela, ela tinha traços japoneses, mas estava usando calça jeans e jaqueta, parecia uma aluna colegial. Após trocarem breves palavras, a menina volta para a mesa onde estava. Quando finalmente pensou que estaria sozinha, o homem misterioso surge ao seu lado. Ele sussurra as palavras em seu ouvido, a voz era grossa e sexy, com um leve toque amadeirado do whisky.

- Achei que não ficaria mais sozinha hoje.

De perto ele parecia mais alto e imponente, tinha ombros largos e enquanto falava com ela costumava inclinar seu corpo para frente, assim sempre que falava mantinha os lábios próximo de seu pescoço e orelha.


¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤

Gakky e Persefone

Tracy e Diane estavam sentadas na mesa, enquanto comiam salgadinhos e conversavam para tentar se conhecer melhor. A mestiça mesmo estando incomodada pelo jeito que estava vestida, tentava ser simpática e puxar assunto com a loira, tentava sair um pouco da sua zona de conforto.  Diana continuava sentada na mesa, ela olhava ao redor tentando identificar algumas pessoas ou possíveis chefes. Enquanto isso Tracy caminha em direção ao salgados, preferia se manter ocupada comendo do que ficar entediada, após ela conversar com a indiana um homem começou a conversar com ela enquanto.

Tracy retorna a mesa, trazia mais salgadinhos para as duas. Parecia que o grupo de pessoas na festa estava aumentando, quando algumas pessoas ao redor exclamavam "Olha, aquela não é a Nazista??" Uma mulher baixinha e gordinha tinha acabado de entrar no salão, ela estava usando um vestido verde de festa e usava sandálias que pareciam estar extremamente desconfortável. Ela cumprimenta algumas pessoas, não parecia estar muito feliz, pois o sorriso era falso. Então na primeira oportunidade ela caminha em direção ao buffet e fica próximo das duas meninas na mesa.

- De que raios isso é feito???

Ela olhava de maneira estranha para o salgado e até chega a cheirar um enquanto comia desconfiada.




¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤

Luxi e Bastet

Maisie recebeu ajuda de Valentina com um truque útil de lavanderia. Felizmente a manchinha some, ficando em evidencia o tecido molhado, mas que logo secaria. A loira termina de retocar a maquiagem e as duas saem do banheiro e caminham em direção as mesas, onde outras duas residentes estavam sentadas.

Eis que surgem na frente delas, um médico lindo e famoso. Valentina é a primeira a reconhece-lo e avisa Maisie, ele é Derek Shepherd, o famoso neurocirurgião. Assim que ele vê as duas, se aproxima sorridente e as cumprimenta com um aperto de mão.

- Vocês devem ser as novas residentes, muito prazer. Podem me chamar de Derek e  se precisarem de alguma ajuda, estarei a disposição.

Ele estava vestindo uma camisa social vinho e calças jeans, um look bem despojado, pois ele não precisava de muito mais do que isso para chamar atenção das pessoas.




¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤

Okley e Dwight

Após analisar alguns candidatos, Karl fica entediado logo, então começa a mexer no celular, checando suas atualizações do facebook para matar o tempo. Ele caminha para a mesa de salgadinhos, experimenta alguns mas estavam gordurosos demais. Então se caminha em direção ao banheiro para lavar as mãos.

Enquanto estava fazendo suas necessidades. Um rapaz muito bonito entra no banheiro também, ele se aproxima do mictório, mas deixa um espaço vazio entre eles, pois era de bom tom, cada um respeitar a privacidade do outro.  Discretamente Karl dá uma olhada no rapaz, mas não quer dizer que ele tenha conseguido ver o conteúdo, mas pela sua experiencia já poderia deduzir coisas, por isso ele cora levemente, enquanto vai lavar as mãos na pia.

O enfermeiro puxa assunto com o rapaz e aguardaria sua resposta, após as devidas apresentações (ou não). Os dois sairiam do banheiro, em seu devido tempo. Assim que Karl saísse do banheiro, ele encontraria com o Chefe.

Richard Webber caminha em direção ao rapaz e lhe dá leves tapinhas no ombro.

- O que está achando da festa?? Você fez um bom trabalho.... Ah teve oportunidade de conhecer os novos residentes? Preciso de sua ajuda.

Os dois caminham em direção a uma porta lateral e conversavam sobre a opinião de Karl sobre os novos funcionários.



Enquanto isso Matt acaba de sair do banheiro e vê ao longe uma pessoa muito familiar. Era um homem alto de cabelos grisalhos, que conversava com algumas pessoas, o jovem reconheceu o renomado cardiologista, Peter L. Sheffer. Um antigo amigo da família, mas sua surpresa foi saber que ele trabalhava naquele hospital. Quando o homem percebeu que estava sendo observado, se dirigiu a ele com um grande sorriso e abraço.

- Meus parabéns... fiquei muito feliz quando sua mãe me contou. Como você cresceu, agora já está um homem formado.

Ele apoia as mãos no ombro do rapaz e o olhava feliz e orgulhoso.

Spoiler:
shamps
Mestre Jedi
avatar
Mestre Jedi

Mensagens : 1047
Data de inscrição : 04/04/2016

Re: Capítulo 1- Unbreakable

Mensagem por shamps em Seg Maio 22, 2017 1:37 am

Depois de comer uns canapés, Kali agradeceu a jovem, que já tinha saído rapidinho. Bebericou sua bebida e sentiu um hálito quente em seu ouvido. O homem do balcão havia se aproximado dela e Kali gostou muito do que viu. Um homem charmoso e de voz grave, que chegava a fazer cócegas em seu pescoço quando falava.

- Esse não é meu plano para essa noite – respondeu à frase do homem. Não pretendia terminar a noite sozinha. Ela se vira para ele, sem afastar o rosto – Kali, muito prazer!
Luxi
Moderador
avatar
Moderador

Mensagens : 964
Data de inscrição : 02/03/2016

Re: Capítulo 1- Unbreakable

Mensagem por Luxi em Seg Maio 22, 2017 10:55 am

Maisie agora já estava mais tranquila. De quatro pessoas, só uma a tinha deixado desconfortável, então já era um ganho. Assentiu para irem até a mesa com as outras residentes, mas foram interrompidas por um médico lindo.

- Ahn....tá... obrigada... Derek... - comentou boquiaberta diante de um deus grego falando com elas e repetiu o cumprimento. - Sou Maisie Drew. - a voz saiu baixinha, mas mais recuperada, pois estava ainda com um pouco de vergonha.

[/quote]
Persephone
Samurai Urbano
avatar
Samurai Urbano

Mensagens : 130
Data de inscrição : 07/05/2017

Re: Capítulo 1- Unbreakable

Mensagem por Persephone em Seg Maio 22, 2017 12:33 pm

 
- Cardiologia? Que interessante. - Meneou positivamente, enfatizando o que dizia. - Achei uma matéria um pouco complicada, principalmente nas simulações de cirurgia. Se a mão já tem que ser firme, nessas horas precisa ser mais firme ainda.

Ponderou e pegou outro salgadinho com os mesmos modos delicados de antes. Diane parecia combinar com pediatria, mas também parecia ter o porte e a postura de uma endocrinologista. A diferença estava em sua expressão sempre tranquila e doce, que parecia acalmar as pessoas. Ou não, podia irritar quem não gostasse de um comportamento assim.

Mas fazer o que? Era o natural dela.

- O bom é que vamos passar por vários setores diferentes e a opinião pode acabar mudando, né? Clinica Geral dá de tudo.

De tudo mesmo, ela pensou.

- Hm? - Tombou um pouco a cabeça. - Ah, mais ou menos. Eu moro numa república na cidade universitária. Mas como o meu tempo está acabando lá, preciso encontrar um apartamento para alugar. De preferência próximo daqui, já que assim economizaria com condução. Mas acho que os imoveis daqui são muito valorizados. Preciso ver.

Lamentou-se um pouco porque seria um problema a mais para resolver, mas logo emendou.

- E você? - Tracy fez algumas perguntas sobre a vocação dela. - Eu sempre quis ser médica mesmo, mas não tenho ninguém da família que seja. Acho que é mais uma questão de vocação. Haha, não tem problema perguntas, estamos nos conhecendo. E obrigada.

Agradeceu pelos salgados, mas deixou que Tracy desse uma volta.

Achava que não tinha deixado a jovem confortável o suficiente e isso a angustiou um pouco. Ela não deveria se sentir mal pelo que estava vestindo. Diane ficou sozinha à mesa, sem tocar nos salgados de Tracy enquanto ninguém voltava.

Teve um tempo para olhar ao redor e até teve um pouco de vontade de dançar, mas os sapatos eram desconfortáveis para isso. Suspirou e ouviu alguns murmúrios sobre nazistas. Aquilo arrepiava Diane, principalmente porque seus avós vinham da Alemanha e tinham fugido do país por isso. Eles ajudaram famílias judias e antes de serem mortos, conseguiram fugir. Não achava aquela palavra boa nem para brincadeiras.

Viu a mulher que se aproximava.

Ainda era uma ironia, porque ela tinha tudo o que os nazistas eram contrários. Não era ariana e só faltava ser judia.
Que babaquice com ela.

Logo sua voz ecoou próxima a Diane e ela a encarou.

- Ah, tem de carne desfiada, queijo com espinafre e acho que camarão. Pelo menos foram os que provei.

Comentou, achando que ela tivesse pedido ajuda.  




Dwight Memphis
Samurai Urbano
avatar
Samurai Urbano

Mensagens : 140
Data de inscrição : 15/09/2016

Re: Capítulo 1- Unbreakable

Mensagem por Dwight Memphis em Seg Maio 22, 2017 2:26 pm

Matt entra no banheiro e encontra um homem lá, nada diferente da rotina até´que o cara decide puxar assunto, Griffin levanta uma sobrancelha em uma cara de desentendimento, tinha sido pego de guarda baixa, não esperava ser abordado em tal ambiente. Matt ignora a pergunta um pouco sem graça, mas o outro insiste em conversar, se apresentando.

Mathew Griffin - diz com um rápido sorriso enquanto abotoava a calça de volta, mais por educação do que qualquer outra coisa.

Griffin acredita que provavelmente, sendo ele o chefe dos enfermeiros, estava apenas querendo ser simpático, mas aquele não me parecia o melhor dos momentos, possivelmente por ser tão jovem e estar em tal cargo, o rapaz tivesse tido que sacrificar um pouco sua vida social em prol do trabalho e do estudo, o que acaba por fazer ele não saber exatamente algumas das regras básicas.

Matt faz um aceno com a cabeça quando o enfermeiro sai e lava as mãos, ajeita a gravata, o terno e sai. Olha no relógio e acredita que já deu pra bater o ponto na festa e que já poderia ir embora, mas ao dar mais uma olhada pelo salão vê uma pessoa familiar, um antigo amigo da família, Peter, ou provavelmente por ali conhecido como Dr. Sheffer. Ao ver Mathew, Sheffer vai em sua direção.

Pe...Dr. Sheffer, que surpresa o senhor por aqui - diz sorrindo educadamente quando o médico esta perto o suficiente - minha mãe não havia me informado que o senhor trabalhava aqui.

O mais velho o congratula pela conquista da residência, Matt fica um pouco sem graça quando Peter comenta sobre ele ter crescido, não era muito comum esse tipo de comentário a seu respeito.

Sim, estou muito feliz. Mal posso esperar pra começar. Como vai a esposa? Não vejo vocês desde que mudei da casa de meus pais.

Bastet
Cavaleiro Jedi
avatar
Cavaleiro Jedi

Mensagens : 208
Data de inscrição : 09/04/2017

Re: Capítulo 1- Unbreakable

Mensagem por Bastet em Seg Maio 22, 2017 5:16 pm

   
No início da faculdade, antes de Tina se informar sobre o que era ser uma transgênero e decidir de vez que queria se especializar em cirurgia plástica, a loira era fascinada na área de neurocirurgia. Mesmo ainda estando no comecinho, sempre se metia em palestras, cursos, lia artigos... Enfim, deixava o ímpeto juvenil a levar por caminhos ainda desconhecidos para uma caloura de medicina. Conheceu o Dr. Shepherd em um congresso que foi, um ano após entrar na faculdade, mas apenas tiveram uma breve conversa sobre o motivo de uma novata (que claramente não entendia metade do que estava sendo ensinado ali) estar matando aula para fazer aquele curso. Ele fora muito gentil, mas a conversa não durou mais que alguns minutos, então ele provavelmente não se lembrava dela (na época ainda com a aparência bem masculina) e ela, com toda certeza, se lembrava dele.

Após sair do banheiro, enquanto conversava amenidades com Maisie e se dirigia a mesa de petiscos, viu Shepherd se aproximando e cutucou a menina, indicando e comentando baixinho quem ele era. Enquanto “focavam”, o Dr. S se aproximou, deixando as duas sem graça.

Tina aperta a mão do doutor de forma firme, após ele cumprimentar Maisie e abre um pequeno sorriso.

-Obrigada, Dr. Shepherd – disse, apesar de ele dar intimidade para usar o primeiro nome, Tina se sentia meio esquisita de o fazer. O observou um instante, esquecendo de largar a mão de Derek, admirada em como os anos haviam feito maravilhas com ele. “uh-lah-lah” pensou e logo deu uma risada sem graça, tirando a mão – Valentina Marks –  se apresentou.
Gakky
Mestre Jedi
avatar
Mestre Jedi

Mensagens : 1261
Data de inscrição : 08/07/2015

Re: Capítulo 1- Unbreakable

Mensagem por Gakky em Seg Maio 22, 2017 8:27 pm

- É no começo também achei cardiologia complicada, mas depois que fui estudando mais, me apaixonei pelo coração humano. Acho lindo aquelas cavidades, as válvulas e a forma como pulsa. E aquele sangue todo sendo enviado para o corpo, amo isso.

Tracy fala empolgada de cardiologia e com as mãos faz a forma do coração humana, a mão de cima como se fosse os átrios e a de baixo os ventrículos, ela faz o som com a boca das batidas do coração em movimenta as mãos como se fosse o coração pulsando e contraindo, de acordo com o movimento certinho das cavidades.

- Quando eu entendi um eletrocardiograma pela primeira vez, foi tão incrível! E o ecocardiograma! Foi lindo! Na época eu fiz questão de fazer todos os exames cardiacos, vi meu próprio meu coração, foi muito louco e legal.

Os olhos de Tracy brilham quando ela fala da área de cardiologia. Em seguida pega mais um salgadinho e continua:

- Mas sim, vai ser bom confirmar o que queremos. Hum? É vou precisar também procurar um lugar para morar mais perto.

Depois elas falam sobre o motivo de terem escolhido serem médicas. Tracy se surpreende por Diane não ter pais médicos, pois ela parecia ser uma médica nata.

- Legal, eu achei que era de família de médica, você parece que nasceu para isso. Eu sempre achei maneiro fazer medicina, e muito doido, na época parecia impossível. Também ficava com raiva quando os médicos erraram com minha família e queria estar no lugar deles para fazer do jeito certo. Quero me esforçar para ser uma médica boa, que facilita a vida de seus pacientes.

Então ela se levantou para pegar salgadinhos e trocou palavras com Kali, que apesar de parecer muito elegante e intocável, tinha sido simpática. Tracy sorri para ela e responde:

-Ah entendi. Eu sou Tracy, nos vemos por aí.

Tracy volta para a mesa e comenta com Diane:

- Aquela residente parece ser legal.

Então ela vê Miranda chegando, parecia que tinha cara de brava e também faz um comentário para ajudar:

- Olha, tem uns que não sei o que é, mas provei todos já e eram muito bons.


Okley
Cavaleiro Jedi
avatar
Cavaleiro Jedi

Mensagens : 226
Data de inscrição : 04/11/2016

Re: Capítulo 1- Unbreakable

Mensagem por Okley em Seg Maio 22, 2017 9:28 pm

   
Karl suspira com a indiferença que o homem agiu com ele, se fazendo de desentendido sobre o assunto. Fez uma leve mordida no lábio de insatisfação, esperava alguma atitude dele ainda mais positivo, ainda tinha esperança que notasse a presença dele ali.  Até que se apresentou somente com o nome, aumentando ainda mais a insatisfação. Karl se sentia um completo idiota, tudo por culpa do Matt.

Já que não demonstrava mais nenhum contentamento e até mesmo irritado com toda situação, pronto para sair chutando tudo que visse pela frente, nem esperou qualquer atitude vinda de Matt. O que saiu rapidamente batendo a porta como não se importava em fecha-la novamente. Já no salão chega já separando e mandando ir trabalhar um grupo de três garçom que conversam ali, sem se preocupar se era assunto de serviço, demonstrando mais irritado ainda que o início da festa.

Percebe que o senhor Webber se aproximava, ajeita rapidamente o terno, desconsiderando os tapinhas no ombro. Mesmo com a presença de o mais importante do hospital, continuou demostrando uma grande insatisfação e um grande cansaço que era quase contagioso.

- Se não fosse eu seria um desastre. –Boceja neste momento, descontente com tudo o que via ali. Quando foi perguntado sobre os residentes, já um grande suspiro de insatisfação e balançado negativamente com a cabeça. – Eu já te disse que essas universidades não ensinam nada, só pensam em dinheiro. O conversei com alguns, mas se mostraram metidos, orgulhosos, só vão dar mais trabalhos.

Acompanhava por onde ia o Richard e continuou a murmurar sobre os residentes. - Torço para que não acabem com esse hospital. Se durarem mais do que um ano. Do modo que estão cheios de “não me toque”. Onde estamos indo?

Não estava pra saber se a pergunta era sobre onde o Richard está levando ele ou sobre o programa de novos residentes.
Larissa Aprill
Tecnocrata
avatar
Tecnocrata

Mensagens : 388
Data de inscrição : 01/01/2016

Re: Capítulo 1- Unbreakable

Mensagem por Larissa Aprill em Ter Maio 23, 2017 9:04 pm

Shamps

Kali observa o homem a sua frente, ele era realmente muito charmoso e tinha um sotaque forte e arrastado, mas ela não conseguia identificar qual seu pais de origem. Quando a jovem disse sobre os planos da noite, ele soltou uma gargalhada forte enquanto inclinava a cabeça para trás. Após a jovem se apresentar, o homem deu um passo em sua direção e enlaçou sua cintura com os braços fortes, puxando a jovem contra ele.

O beijo que ele lhe deu na bochecha foi uma surpresa, ela sentiu a barba por fazer roçar em seu rosto, enquanto ele dizia seu nome próximo ao seu ouvido.

- Pode me chamar de Dr. Kovač, mas preferia que você me chamasse de Luka...Assim como te chamarei de Kali


Ele continuava abraçando a jovem pela cintura, não se importando se outras pessoas estariam olhando para o casal, ele só tinha olhos para a jovem no momento.

- O que a traz até aqui, Kali?


¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤


Gakky e Persefone

As duas se conheciam melhor e pareciam se entrosar bem. Então apareceu Miranda, ela olha para as duas jovens e sua cara não esconde a estranheza. Uma estava vestida de maneira sofisticada, com um macacão preto elegante. Enquanto a outra estava usando jeans, tênis e uma jaqueta colegial. Ela chegou apontar para as duas garotas e pensou em dizer alguma coisa mas desistiu, porém a expressão dela já revelava tudo.

- Deixa eu adivinhar, vocês são as novas residentes...

Ela pega alguns salgados, incluindo as sugestões das meninas e mesmo sem ser convidada senta com elas na mesa. Primeiro a mulher as encarava intensamente, parecia que estava tentando decifrar suas almas.

- Muito bem, me chamo Miranda Bailey. Serei a responsável por vocês durante o programa de residencia...MAS... não quero falar sobre isso agora. Quero apenas comer meus salgados em paz, entendido?

Dava para perceber que ela era uma pessoa bem autoritária, para sorte ou não dos residentes. Após ela comer alguns salgadinhos, ela retoma a conversa como se nada tivesse acontecido.

- Então meninas, me contem suas histórias, o que esperam fazer aqui no MEU hospital?




¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤


Luxi e Bastet

Derek Shepherd olha as duas jovens de um jeito encantador, parecia ter saído de um livro de contos de fadas. Ao estender a mão para Valentina, percebeu que ficaram de mãos dadas por um tempo maior do que necessário, mas em nenhum momento ele pareceu incomodado com a situação, apenas sorria gentilmente. Então depois das devidas apresentações, ele começou a pegar alguns finger foods e colocar no prato, enquanto conversava com muita naturalidade com as jovens.

- Então ansiosas para amanhã? Já pensaram em qual área vão querer se especializar?





¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤


Okley

Karl saiu do banheiro irritado e encontrou 3 garçons azarados que acabaram levando uma bronca sem ter culpa de nada. Mas ele encontra Richard, esse parecia muito animado com os novos residentes. Mas ao ouvir tudo que o enfermeiro falou, ele ergueu as sobrancelhas de surpresa.

- Achei que tinha acertado dessa vez....

Havia um leve tom de desapontamento em sua voz, mas conforme eles caminhavam para uma salinha lateral, parecia ficar animado de novo. Então ele pega algumas sacolas brancas, cada uma estava estampada com o logo do hospital, dentro tinha um jaleco para cada residente, ele entrega as sacolas para Karl, enquanto carrega uma caixinha com os crachás.

- Mas tenho certeza que logo eles entram no ritmo do Seattle Grace, conto com sua ajuda para coloca-los na linha.

Disse sentre risos, eles caminham em direção a Matt e o Dr. Sheffer.




¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤


Dwight

Matt realmente ficou surpreso com a presença do amigo da família, não sabendo se seria algo bom ou ruim, já que sua mãe estaria sabendo de todas as coisas que aconteceria com ele. No entanto o cardiologista, realmente parecia feliz por ele estar ali.

- Ela está muito bem, obrigada por perguntar. Kat iniciou a faculdade de medicina também, conseguiu uma bolsa em Havard.

O jovem conhecia muito bem a filha de Peter, já que cresceram juntos, sendo a menina apenas 4 anos mais nova que ele. Então o médico acena para o Dr. Webber, que vinha na direção deles, junto com o enfermeiro que conheceu no banheiro.

- Deixe-me apresenta-lo ao Dr. Webber, ele é o administrador e responsável pelo hospital.
shamps
Mestre Jedi
avatar
Mestre Jedi

Mensagens : 1047
Data de inscrição : 04/04/2016

Re: Capítulo 1- Unbreakable

Mensagem por shamps em Ter Maio 23, 2017 9:55 pm

Charmoso, cheiroso e interessante.
Finalmente a noite estava rendendo. O homem tinha atitude e Kali amava aquilo. Ele tinha um sotaque irresistível, o que a deixou muito curiosa, mas poderia ir matando essa curiosidade aos poucos, afinal a noite era uma criança.
Kali apenas observou e deu uma risada quando ele gargalhou, considerou aquilo uma reciprocidade no interesse. Ele a puxou para junto dele e a australiana adorou a ousadia, demonstrando isso com um alvo sorriso.

- Uhuhuhu - depois foi um beijo em sua bochecha e ela adorou ainda mais. Ela sentia a barba por fazer roçar em seu rosto enquanto ele ouvia seu nome. Parecia do norte da Europa talvez - hmmm Luka! Pode me chamar de Kali, sem problemas - disse com um pouco de irreverência na voz. Ela também revelava um sotaque estrangeiro.

Ele parecia interessado mesmo e já iniciava uma conversa mais amena, o que agradava a jovem.

- Uma carta de aceitação - respondeu a pergunta feita por ele - programa de residência - sorriu e ergueu as sobrancelhas, seu olhar era provocativo e curioso, não esperava que um dos médicos que daria em cima dela, logo de cara. Mas naquele momento só via o Luka, másculo e decidido, com um homem tinha que ser.

- Vejo que gostou do meu plano para esta noite - falou após dar um gole em sua bebida - você tem alguma outra ideia? Podemos discutir as possibilidades... - deixou o resto da frase vago enquanto sorria de lado.
Gakky
Mestre Jedi
avatar
Mestre Jedi

Mensagens : 1261
Data de inscrição : 08/07/2015

Re: Capítulo 1- Unbreakable

Mensagem por Gakky em Ter Maio 23, 2017 10:36 pm

Tracy sente um frio no estômago quando Miranda senta na mesa com elas. Mal acreditava nisso, não parecia companhia tranquila e não era nada relaxante. Logo agora que o papo estava ficando legal. A mulher era um pouco contraditória, começou dizendo que não queria conversar sobre o assunto. Tracy balançou a cabeça em afirmação enquanto a via comer os salgadinhos. Depois a mulher perguntou o que esperavam no hospital dela! Isso era preocupante. Mas Tracy sabia que teria que responder, então tenta ser sincera, embora estivesse se sentindo pressionada. Ela sorri e responde com simplicidade:

- Nossas histórias? Primeiro meu nome né? Eu sou Tracy. Bom... Eu sou filha de um chinês instrutor de ioga, como pode imaginar, as pessoas não costumam acreditar em nós, mas sempre achei maneiro ser médica, tive certeza quando vi alguns médicos errarem com minha família. Isso me revoltava e me dava vontade de ficar no lugar dos médicos para fazer um atendimento mais humano, entende? Então eu estudei muito para poder ser médica. Quero fazer a diferença e ajudar as pessoas, por isso vou ser muito atenta e espero aprender muito no seu hospital. Quero salvar vidas e facilitar a vida das pessoas. É aqui que quero aprender isso, e como é um ótimo hospital, sei que vou aprender e prometo me comprometer.

Ela não deu detalhes de sua família, não sabia o que Miranda queria, mas tentou dizer algo. Pelo menos a mulher não parecia esnobe, só assustadora e com uma personalidade muito forte. Depois ela olha para Diane, estava curiosa para o que a outra iria responder.


Luxi
Moderador
avatar
Moderador

Mensagens : 964
Data de inscrição : 02/03/2016

Re: Capítulo 1- Unbreakable

Mensagem por Luxi em Qua Maio 24, 2017 1:34 pm

Maisie ficava impressionada com a confiança da colega ao falar com o doutor Shepherd e pela primeira vez na festa se sentiu um pouco insegura sobre a residência. Ela era tão residente quanto ela, mas era confiante, enquanto ela não sabia nem o que queria de verdade na especialização.

- É... eu queria... - ficou pensando no que escolher - Talvez eu tenha jeito com crianças - foi a primeira coias que disse, por motivos óbvios, mas se arrependeu completamente. Não queria trabalhar com crianças, nem se achava a melhor mãe do mundo. Na verdade, era bem difícil .Por que tinha dito aquilo então? - Bem, eu não sei.  Ah, aquele vermelho é bem gostoso - disse apontando para o petisco.

Persephone
Samurai Urbano
avatar
Samurai Urbano

Mensagens : 130
Data de inscrição : 07/05/2017

Re: Capítulo 1- Unbreakable

Mensagem por Persephone em Qua Maio 24, 2017 2:01 pm

 
A paixão que Tracy tinha pela medicina era quase palpável para Diane. Mesmo diante de uma pergunta simples, a moça se empolgou e até mesmo imitou um coração bombeando sangue. Isso fez um sorriso surgir no canto dos lábios da loira. Não a interrompeu nenhuma vez, permitindo que ela embarcasse em sua própria narrativa acerca da paixão pela cardiologia. Diane até mesmo parou de comer e admirou, movendo a cabeça positivamente.

- Tenho certeza de que você será uma excelente médica. Seus pacientes serão pessoas de sorte.

E meneou negativamente, enfatizando que não vinha de uma família de médicos. Mas concordava que medicina era algo lindo, porém difícil de lidar. Salvar uma vida era um gesto maravilhoso, grandioso, porém sempre havia um revés. Era como se cada médico sempre fosse acompanhado pela vida e pela morte, como sombras que o seguiam. Em cada caso, uma teria o sucesso final. Lidar com esse sentimento não era para qualquer um, era um desafio constante.

Enquanto ponderava sozinha, Tracy pedia licença para pegar mais salgados e os cochinhos começaram a apontar para a chegada de outra mulher. Diane despertou, voltando a atenção para a "nazista". Não gostou nada do apelido e foi gentil na resposta quando ouviu a pergunta. Tracy também tinha retornado com seus salgados. Apontou para outra residente que dizia ser legal e ainda dava sugestões sobre os salgados. Após as respostas, a mulher começou a falar diretamente com elas, como se só agora as tivesse notado de verdade.

- Sim, somos parte do novo grupo de residentes.

Diane respondeu e nem precisou convidar a mulher para se sentar. Ela logo foi tomando seu espaço, sem saber se havia mais gente ali ou não. A expressão suave da loira se manteve até ouvir as apresentações. Ergueu um pouco as sobrancelhas, fazendo um "o" com os lábios, mas sorrindo na sequencia. Achou divertida a forma como ela enfatizava seu discurso e dizia não querer falar de trabalho, mas perguntar justamente do trabalho. Contraditoriamente divertido. Meneou positivamente, mostrando que havia entendido e Tracy começou a falar de novo.

Diane pegou uma taça com suco enquanto elas falavam.

Tracy era mesmo engraçada, mas Diane entendeu um pouco mais de sua insegurança. Ela falava de seus pais estrangeiros e dizia que era normal não confiarem neles. Talvez por isso ela tenha ficado tão insegura com sua roupa também. Só achou que ela talvez tivesse entrado em detalhes demais, a mulher parecia bem direta. Pensou no que diria até que chegou sua hora.

- Eu me chamo Diane, Diane Steiner. Espero que esses seis meses iniciais de residencia sejam de bastante trabalho e conhecimento. Sei bem qual área pretendo seguir, mas todo aprendizado é válido. Não venho de uma família que tradicionalmente forme médicos, talvez seja a primeira depois de muito tempo, mas é o que eu amo fazer e me preparo desde pequena para ajudar o próximo.



Conteúdo patrocinado


Re: Capítulo 1- Unbreakable

Mensagem por Conteúdo patrocinado


    Data/hora atual: Qua Jun 28, 2017 10:55 pm