Um fórum de RPG online no formato de PBF (Play by Forum).


    Capítulo 1 - Por um Punhado de Justiça

    Compartilhe
    isaac-sky
    Tecnocrata
    avatar
    Tecnocrata

    Mensagens : 425
    Reputação : 16
    Conquistas :
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/411.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/212.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/410.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1511.png

    Capítulo 1 - Por um Punhado de Justiça

    Mensagem por isaac-sky em Qua Jun 07, 2017 1:35 am


    O Caminhante escreveu:"Se diante das mais bravias intempéries eles não desistiram. Se a morte da luz não os assustou...talvez haja chance.
    Eles não iriam gentilmente para a noite. Há esperança no vale, sei disso"





    12 de Abril de 2027, 12:00h: 15 minutos após decolagem do SR-Órion Nexus

    Um telejornal da Terra 1 acompanhava o dia inteiro o momento em que a nave de expedição seria lançada. As reportagens não desviaram do assunto exploração espacial, o futuro da Aliança e o que essa missão significaria.
    Todas as Terras acompanhavam de longe a instalação militar americana onde a nave faria seu lançamento.

    ...foi identificado entre os protestantes um perigoso vigilante conhecido como Fal- o âncora interrompeu a notícia, arregalou os olhos e pressionou o ponto eletrônico no ouvido para ouvir melhor - Notícia de última hora, foi iniciado o lançamento da nave expedicionária SR-Órion Nexus da Aliança. Corrigindo, o lançamento já foi completado! Temos imagens do local?

    A imagem mudou para uma repórter rodeada de inúmeras pessoas comemorando. No céu, ao fundo dela, era possível ver uma imponente forma escura cruzando o ar.

    -Travis, eu estou aqui na entrada da base militar aeroespacial de Ohio e posso confirmar com meus próprios olhos: o Órion está no ar! Esse grande momento de emoção contagia a todos que estavam a tantas horas aguardando ver como é a nave que vai explorar nossa nova galáxia... - a imagem voltou para o âncora.
    -Desculpe Onora, estamos recebendo as informações de quem é a tripulação. Como esperávamos, grandes heróis e mentes brilhantes de todas as Terras estão entre eles!

    Prontamente eram exibidas imagens da Samurai Rubra e Adrastrea...era uma tripulação de Heróis.

    Como caçadores eles expandirão as fronteiras da Aliança.




    11 de Abril de 2027, 23h00: 13 horas antes da decolagem do SR-Órion Nexus (Prólogo)

    @Nimaru Souske:


    NeoTokyo, Terra 3

    Credo da Infantaria escreveu:“Há sempre uma guerra a travar. Se não há inimigos no horizonte, aquele que encaras no espelho é o teu maior oponente. Tua trincheira é tua vida”


    Iroh sabia que aquela era sua terra natal, mas o soldado sentia como se aquela instalação fosse uma cópia exata das que conheceu nos Estados Unidos: talvez realmente fossem, não era difícil imaginar que até os engenheiros teriam feito uma base militar idêntica.
    A Terra 3 entendia sobre guerra, como evita-la ou provoca-la e como perpetua-la. Iroh sabia que era mais uma peça construída por eras de um mundo que só conhecia o avanço através do fim do cano de uma arma.

    Mas os tempos eram esquisitos. Era óbvio para o jovem soldado de que o efetivo nas bases em que era movido a cada mês (procedimento padrão em que já era acostumado) tinham metade ou só um terço do efetivo anterior.
    Memoriais gigantescos eram erguidos a cada semana, mesmo seis meses após a fatídica batalha que ceifou uma boa parte do exército da Terra 3 da Aliança.

    O alojamento de Iroh era isolado dos demais: procedimento comum, o jovem experimento sempre fora separado dos colegas de exército e da Aliança. Haviam lhe dito que estava em NeoTokyo para fazer exames de rotina.
    Por algum motivo o soldado não dormia naquela hora da noite.

    A porta de ferro se abriu repentinamente. O tenente Iashida era acompanhado de um homem, provavelmente militar.

       

    Iroh reconhece o homem como o oficial Evan T. Anderson, um dos heróis da Batalha de Antares.

    -Iroh, de pé! A partir de agora você está proibido de falar sobre o que ver e ouvir nos próximos instantes. Entendido? - tenente Iashida ordenava.

    -Prepare suas coisas. Você foi selecionado para a missão de Expedição Espacial Órion da Aliança. Posso responder perguntas no caminho mas é imperativo de que nos movamos imediatamente - Evan dizia num tom monocorde porém brando. O oficial parecia inspirar ordem e liderança de alguma maneira.

    Iroh em poucas horas estaria em Ohio, EUA, na Terra 1.



    @MINDGAME:


    Londres Leste, Terra 3

    Philip K. Dick escreveu:"Os andróides sonham com ovelhas elétricas?"


    Ace despertou ofegante no meio da noite. Sentia o peito pesado e o suor encharcava sua poltrona.
    Não se lembrava sobre o que o pesadelo era, mas não precisaria: todos os pesadelos eram sobre uma explosão na Batalha de Antares que consumia ele e uma mulher loira.

    Chamar aquilo de pesadelo talvez fosse equivocado. Ace sabia que aquilo na verdade era um espasmo de memória:  um pedaço da sua mente que ainda pensava que dormir era necessário ativava um trecho de memória, como se sonhasse. O cientista ainda não tinha encontrado uma forma de corrigir esses espasmos. Mas haviam se tornado raros esses espamos e não costumam durar mais do que cinco minutos.

    Os detalhes sobre a batalha, como que lutaram e os eventos ainda não faziam sentido depois de seis meses. Era um sintoma comum entre todos que participaram e sobreviveram.
    Talvez "sobreviver" não seja bem a palavra correta para o caso de Ace.

    Era possível ver as luzes fortes da Londres Leste através das cortinas: a cidade não conhecia o conceito de dormir.
    O relógio apontava 23h15. O telefone, mais especificamente uma holocall, surgia no despertador.
    Ace via de canto de olho a projeção da ID atendendo a chamada com um soco na interface.

    -Tá acordado Ace!? Caramba você não dorme mesmo - era Shggorth, um Meruda da Terra 4, amigo próximo do cientista. Ou talvez só um colega próximo, depende do dia.


    -Se liga na fita: aquela expedição galáctica muito loca pra ver esses planetas novos na área? Te coloquei dentro meu chapa, aqueles últimos detalhes foram resolvidos! Mas se liga, vai na boa, nem todo mundo sabe que você reviveu. Te deram um codinome esquisito também, sei lá, não sou bom com esses nomes de humano. É Lazáro, Lazarus, algo assim. Mas corre cara você tem exatas...três horas pra estar em Ohio da Terra 1. Voa bruxão! - o alien desligou.

    Era a chance que Ace tanto esperava. Encararia espaço desconhecido mais uma vez...


    @GODSCORPSE:


    Hospital Saint Martha, Terra 5

    Um ensaio sobre a Quarta Terra escreveu:“Do que são feitos os herois? Dos conceitos que os inspiram, ou eles inspiram esses conceitos? Se um heroi perde sua inspiração, o que ele é? É possível recobrar sua virtude?”


    Starman podia sentir o coração apertar, era um momento quase impossível de ser o otimista e brincalhão herói.
    Eram meses difíceis, a Batalha de Antares pareceu consumir não somente a claridão de uma constelação mas também o brilho da comunidade super heróica.

    Dessa vez Alexander Sloane o acompanhava naquela visita ao hospital psiquiátrico.
    Naquela noite havia recebido uma surpreendente ligação do bilionário: ele queria saber onde ela estava internada, queria ver com seus próprios olhos.

    Starman não sabia que Alexander se importava com ela, sequer se importava com qualquer pessoa.

    -Ela está estável hoje mas um pouco grogue, ontem foi uma noite difícil - o enfermeiro contou enquanto passavam pelos corredores.


    O Saint Martha era um hospital psiquiátrico especializado em seres com super poderes de alta periculosidade: uma instituição conhecida pelo bom trabalho com a regeneração e reintegração de muitos superpoderosos da Terra 5.

    Numa ala isolada do hospital, os dois herois passaram por três portas reforçadas. Separados por uma janela de acrílico eles podiam ver a paciente.

    -O que é isso!? Ela por acaso é um animal pra ficarmos vendo ela através de uma janela? Isso é inaceitável - Alexander parecia transtornado.
    -Senhor, infelizmente ela tem um alto grau de instabilidade, eu não estou sequer autorizado a permitir visitas nessa hora da… - o enfermeiro tentou explicar mas a paciente começava a abrir os olhos.

    Minerva virou a cabeça para a janela e por um instante Starman viu a caridosa e enérgica heroína que conhecia.
    Mas a visão se dissipou quando ela começou a contorcer o rosto em dor. O chão começava a tremer, a natureza vingativa começava a tomar forma e ela começava a urrar.

    Um dos enfermeiros prontamente correu até a sua maca e aplicou uma injeção. Os tremores cessaram e Minerva voltou a dormir.
    Starman sabia que ela não era a única heroína com aqueles sintomas: os monstros na Batalha de Antares foram capazes de consumir a saúde mental de muitos.

    -Eu te juro Starman, com essa expedição eu vou descobrir uma saída. Eu vou curar ela e os outros. Eu o farei! - Alexander deu meia-volta, furioso.

    Starman sabia como a expedição Órion era importante. Esse último encontro o relembrou do quanto.
    Em poucas horas ele deveria estar em Ohio, na Terra 1



    @ISABELMULLER:


    Embaixada Dryad, Terra 4

    Erenor em O Quinto Sol da Era” escreveu:“De que vale ser Rei, se não há Reino para governar?"


    -Vossa Graça, eles chegaram - Lyan mantinha um tom suave na voz a todo momento. Seu terno impecável parecia combinar com a postura séria do diplomata.


    Os últimos seis meses provaram mais uma vez a Imperatriz de como Lyan era eficiente, administrando todos os assuntos dryad no período de luto de Athens, até mesmo se desdobrando para participar dos funerais de vários soldados dryad.

    Mas Lyan não era Killian, muito menos Arian. Ninguém poderia substituir seu irmão ou sua prima.

    No escritório duas figuras distintas adentraram: tinham certa semelhança de rosto mas completamente opostos em postura.


    -Estes são Ren e Ron, os irmãos Banshee, seus mais novos protetores - Lyan apresentava o casal de gêmeos.
    -Vossa Graça, sou Ron. Alguns me chamam de Escudo de Prata, deixe-me protege-la com minha vida - o jovem dryad fez uma mesura com a cabeça. Respeitoso e sério.
    -Ren, com “n”. Aqui na Terra me chamam de Lança dos Lobos. Eu vou destroçar qualquer um que ficar no seu caminho - a jovem batia no peito com o punho cerrado. Enérgica e completamente fora do protocolo.


         


    -E-eles foram treinados pessoalmente por Killian antes daquele fatídico dia - Lyan parecia um pouco desconcertado com Ren. Lyan era um homem de modos e protocolos.
    -Seu terceiro guardião, foi solicitado de que ele fosse apresentado a você somente a bordo do Órion. Creio que o conheças mas o povo dryad não possui grande estima pela ordem a qual ele pertence - Lyan falava sobre Perz. Athens o conhecia de vista e reputação.

    Lyan entrelaçou as mãos atrás do corpo, em sinal de respeito.
    -Temo que seja minha última chance de tentar convencê-la a não embarcar nessa Expedição, Vossa Graça. Reconheço a importância de reencontrar nosso planeta mas...sua presença é igualmente importante para o moral de nossa raça - Lyan sabia que não conseguiria mudar os planos da Imperatriz - Siga os desígnios de sua sabedoria, apenas saiba que eu cuidarei do nosso povo com minha vida

    Athens estava determinada a encontrar respostas na Expedição Órion. Talvez pudesse encontrar o fim de seu Exílio.

    Em algumas horas ela deveria ir para a Terra 1




    @Lyvio”:


    Helicóptero sobre polo industrial de Ohio, Terra 1

    Efesto, em Fim do Olimpo” escreveu:“Os deuses invejam os homens e os homens invejam os deuses. No fim, acho que ninguém está satisfeito, nem mesmo os superiores"

    Orochi podia ver o mundo abaixo dele. Pequeno, frágil. A Terra 1 tinha um ar estranho, ao mesmo tempo familiar: tudo era igual, os países eram os mesmos da Terra 5, as línguas e até mesmo algumas histórias.
    Mas na Terra 1 tudo é impressionante, nela ninguém podia voar, ou emitir luz do próprio corpo ou até mesmo criar grandes inventos como naves espaciais.

    Como seria a Terra 1 se os deuses existissem nela também?

    Gaia, a mãe de Orochi, insistira para que o filho seguisse todo o protocolo da Aliança, sendo buscado formalmente na Terra 5 e alocado a base em Ohio através de um veículo da Terra 1.

    No helicóptero Orochi era acompanhado por uma agente da Aliança, parecia ser alguém da Terra 3.


    -Senhor Yamato, espero que entenda nosso protocolo. Estamos com a agenda apertada mas precisamos que todos façam a entrada na instalação militar acompanhados - Orochi poderia voar facilmente até a base, mas estava seguindo as instruções de sua mãe.

    Estavam chegando na grande instalação que funcionava como aeroporto militar tanto espacial como aéreo.
    Ao fundo era possível ver a plataforma de lançamento ocultada pelas muralhas.


    -Hmmm, é mais interessante ao vivo - disse a oficial ao ver a plataforma.

    Em poucas horas Orochi conheceria o novo universo.



    @Nazamura”:


    Mago Merlin escreveu:“A magia é um conceito esquisito. Ela não pode ser necessariamente ensinada formalmente. Você e ela são apresentados, ou ela vai com a sua cara e vocês viram melhores amigos, ou você vira um sapo falante.
    Acho que deve ser assim com os super herois”

    Para o Captain Britain e Victory Girl talvez esse fosse o maior dos desafios desde o ínicio de suas carreiras heróicas.
    Deixar Lily com a família Braddock foi difícil. A Aliança não havia informado nem mesmo um período o qual estariam fora da MultiTerra, a previsão era de que seria um bom tempo.

    A menina havia aceitado graças a grande distração que um castelo poderia dar a uma menina de cinco anos aficcionada por princesas dos livros que lia.
    Bastava torcer para que a Expedição fosse um sucesso e de que consigam estabelecer contato com a Terra 5.

    -Que bom que teremos o senhor no Órion, senhor Britânia! - O empolgado motorista da limousine, um agente da Aliança, falava enquanto entrava no complexo militar.
    -Aposto que vão encontrar aliens lá, os cabeça verde da Terra 4 vão adorar se tiverem - ele ria conforme falava.

    -As ordens são de não fotografar, enviar mensagens ou falar sobre o lugar até o lançamento. Mas acho que por um autógrafo eu deixo você fazer uma selfie hahahaha - o motorista brincava com o Capitão e Victory.

    Talvez essa viagem espacial fizesse o Capitão se lembrar da viagem a Terra 2 que tornou a sua vida nisso. Sentia um grande peso de responsabilidade após a Batalha de Antares.
    Ele não somente sobrevivera como voltou como grande heroi. Os mundos estavam de olho nele e no Órion.

    Em poucas horas o Capitão e Victory veriam a glória do projeto Órion em todo seu esplendor





    12 de Abril de 2027, 10:45h: uma hora antes da decolagem do SR-Órion Nexus (Agora)

    O design do Órion era curioso. Um cruzador espacial baseado em um design skaaveriano muito antigo, a nave parecia pequena do lado de fora mas aqueles que vissem as naves interceptadoras e todo o maquinário gigantesco sendo embarcado perceberiam como a nave era muito maior do que parecia.


    As pistas de pouso da instalação militar haviam sido convertidos em estações de triagem, barracas erguidas por diversos pontos do complexo agilizavam e tornavam a região numa pequena cidade com gente de todas as Terras, tripulação e equipe de apoio.

    ”@Nimaru Souske e @Lyvio”:


    -Nome, filiação e registro - um homem impaciente olhava para o próximo da fila. Iroh com certeza nunca havia visto tantos tipos diferentes de pessoas agrupados numa instalação militar.

    Atrás de Iroh, Orochi é o próximo e é atendido por outro oficial da Aliança. Ele pede o mesmo, seu nome, a filiação e o registro número ao qual ele possuía em seu cadastro da Aliança.

    Após responder ambos recebem um bracelete de cor preta, ele se prende sozinho no braço e emite uma pequena luz azul através de um LED.

    -Equipe Azul, vocês entram pela plataforma quinze. Se apressem - um dos oficiais informou, já atendendo o próximo da fila.


    @GODSCORPSE e @Nazamura”:


    Starman reconheceu muitos colegas de heroísmo na instalação militar. Entre eles seu rival Alexander Sloane, Zeus, entre outros.
    Mas também muitos heróis novos da Terra 5, novos talentos que estavam começando sua carreira com o que talvez fosse a maior operação da história da Aliança.

    Numa pequena roda de herois conversando Capitão Britania e Victory Girl percebem que estão entre grandes figurões da Terra 5 como o Old Dynamo, Ventari e Starman.

    Uma mulher ruiva corre em direção do grupo.


    Ofegante, ela recupera o ar antes de falar.

    -Por favor, senhores... Starman, Capitão Britania e... Victory Girl. Preciso que vocês...venham...pra plataforma 15...agora… - em seu crachá está escrito Michelle E, Psicóloga - E seus...braceletes - ela entrega os braceletes dos três, todos com o led azul.


    @MINDGAME”:


    -Desculpe senhor mas...é...não, acho que no sistema você… - a mulher parecia nervosa. Ace era o único na fila daquela tenda. Ela digitava em seu notebook diversas palavras, como se estivesse procurando algo muito escondido.
    -Mil perdões senhor Cannon, seu nome está registrado com um codinome. Lazarus...bem...b-bem vindo a tripulação - Ace recebe seu bracelete de cor azul.

    Um pequeno grupo do que parecem ser magos, com seus grandes robes e mantos, passam ao lado do cientista.
    Uma mulher do grupo esbarra em Ace, o empurrando para o lado.

    -Desculpe! Eu não vi você - uma figura curiosa. A garota usava uma máscara, parecia estar acoplada com as suas costas e no que parecia ser uma caixa com uma planta dentro.


    Seus colegas a apressam e ela volta a andar apressada.

    -Senhor Cannon, plataforma 15 - a oficial que o atendeu indica.


    @ISABELMULLER”:


    Os gêmeos abriam caminho para a Imperatriz. Quase todo mundo se virava para ver a dryad passando.
    Athens não era vista em público desde o desfecho da Batalha de Antares.

    Os irmãos banshee eram bons no que faziam, a imperatriz não precisou esbarrar ou empurrar ninguém e já estava na tenda designada para seu cadastro.

    A imperatriz teria sido atendida por um oficial se um soldado não tivesse o interrompido.

    -Não será necessário fazer o cadastro dela. Já está pronto - o soldado parecia ser de uma patente alta. Ele estende três braceletes que se adaptam facilmente aos braços dos três dryad.
    -Esses braceletes são transponders de alta frequencia. A luz azul representa a equipe de que farão parte. Alguma dúvida? - o oficial pergunta de maneira direta, mas sem ser agressivo.

    -Sou o Capitão Evan. Irei acompanha-los até a plataforma 15, lá conhecerão o restante da equipe azul - o soldado se oferecia para leva-los até lá.






    OFF: Após um grande período finalmente começamos nossa mesa!
    Deixei livre para que no Prólogo vocês possam interagir com os npcs de sua primeira cena, lembrando que a cena seguinte é a qual está passando em tempo real (espero que não tenha ficado confuso).
    Fiquem a vontade para postar e me perguntar qualquer coisa no topico OFF ou pessoalmente.
    Lyvio
    Semi-Deus
    avatar
    Semi-Deus

    Mensagens : 6741
    Reputação : 9
    Conquistas :
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/211.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1112.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1011.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/212.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1811.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1413.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/410.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1511.png

    Re: Capítulo 1 - Por um Punhado de Justiça

    Mensagem por Lyvio em Qua Jun 07, 2017 9:45 am

    Orochi estava ansioso com tudo aquilo, conhecer o universo, novos seres, novas culturas e novas ameaças, sem dúvida isso o ajudaria a ter a chance de sentar ao lado de sua mãe e seus irmãos, ele tinha um plano em mente, queria o lugar sim, mas não pretendia apenas observar como os deuses fazem. Ele iria intervir, ajudar diretamente a Terra 5 e todas as demais Terras que necessitassem.

    Os filhos mais jovens de sua mãe e seus irmãos, os humanos e todos os seres da Terra 5 eram seus irmãos, inclusive as plantas. Orochi se orgulhava disso e protegeria seus irmãos a qualquer custo punindo aqueles que que burlarem a justiça. Por isso mesmo pediu a sua mãe para participar da expedição, e depois de muito insistir ela cedeu,

    Durante os dias antes da viagem Orochi estava ansioso, mesmo para um Deus era algo único, pelo menos para ele que era um Deus muito jovem. Ele seguiu sua rotina normalmente, residindo na Terra 5, trabalhando, ganhando seus sustento, e lutando como um Deus-Herói, ele representava a importância de Gaia para com seus filhos mais frágeis, essa era uma das funções dele.

    Rapidamente o tempo passou e chega o dia da viagem, Orochi finalmente estava perto de cumprir seu desejo, estava em um helicóptero planando a plataforma da Terra 1 a poucas horas de entrar na nave. A plataforma era deslumbrante, de uma tecnologia extremamente avançada e designer belo, ele para admirado olhando o local e pensando consigo como são interessantes as pessoas da Terra 1, sem poderes, sem apetrechos de tecnologia muito avançados, sem heróis...Quem protege essas pessoas das ameaça? Como uma civilização aparentemente frágil como esta se protege das ameaças universais? Talvez apenas eles tenham sorte de não terem sido atacados por nada disso até as Terras se juntarem, mas agora eles tem quem os proteja.

    Orochi então desperta de seus pensamentos com a voz da garota. Ele observa mais uma vez a moça e percebe que ela era muito bonita, parecia pertencer a Terra 3. O Deus sorri para a moça, para por alguns segundos admirando sua beleza encarando-a e analisando os detalhes de seu rosto, ela podia perceber que suas pupilas vermelhas acompanhavam os traços de sua face lentamente. Ele então desvia o olhar para a plataforma e responde:

    -Não se preocupe senhorita... Ela dava uma pausa para que ela dissesse seu nome inclinando um pouco sua face e cerrando seus olhos levemente e em seguida completa:

    -Meu interesse em chegar lá e grande, mas, não preciso me comportar fora do protocolo, não há necessidade de falar esse tipo de coisa, minha mãe já deveria saber...

    Dizia ele com leve rubror em sua face.

    Chegando no local, era uma fila enorme de pessoas que iam embarcar, Orochi estranha um pouco, esperava mais exclusividade. Ele observa as pessoas, muitas e o atendimento como se fossem qualquer um, no entanto, se foram selecionados é porque são destaque e destaque merecem receber um pouco mais de atenção.

    -Vocês atendem mal assim mesmo diariamente mesmo aqueles que vão salva-los, porque recebem pouco ou são mal educados mesmo?

    Indagava ele de modo sarcástico antes de responder incisivamente.

    -Sou o Deus-Herói da Terra 5, responsável pela Cura, Dor e Justiça: Yamato No Orochi, Filho da Deusa da Criação Gaia.

    Ele encarava o homem com olhar de desprezo, sentia-se ofendido ser tratado daquela forma pelo que ele é e pelo que vai fazer. Depois que recebe o bracelete ele segue para a plataforma 15 e depois de caminhar um pouco indaga o homem que foi atendido antes dele o que se identificou como Iroh:

    -Por favor, você também deve ter se incomodado com o trato que recebeu não? Somos destaque de onde viemos e somos tratados como qualquer um? Precisava desabafar com alguém.

    Orochi estava com um tom levemente irritado quando indagava o homem.
    Nimaru Souske
    Mutante
    avatar
    Mutante

    Mensagens : 725
    Reputação : 16
    Conquistas :
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/411.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1811.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/712.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1511.png

    Re: Capítulo 1 - Por um Punhado de Justiça

    Mensagem por Nimaru Souske em Qua Jun 07, 2017 11:33 am

    Kin permanecia sentado em seu quarto, olhando para a parede com uma face sem expressão, mas parecia uma máquina. Gostava de passar o seu tempo assim até porque não gostava de perder seu tempo fazendo reflexões inúteis que não lhe ajudava em nada na hora que era ativado por aqueles que lhe criaram. Notara sim a diminuição do efetivo militar, estranhara até, mas não pensara muito sobre o assunto, apenas o necessário. Sabia que com isso suas missões iriam se tornar mais recorrentes pois a necessidade iria aumentar. Apenas notificara isso para si mesmo. Não tinha o que opinar, muito menos temer. Em alguns segundos seus pensamentos chegaram a indagar se devia estar sentindo qualquer impacto por estar novamente - teoricamente - em sua terra natal, mas logo retornara a lógica e concluíra que nada útil iria vim de tais "sentimentos".

    Makuro se levantara prontamente para atender a entrada, pois provavelmente era algum superior seu. Ao abrir da porta, viu uma figura que esperara, mas outra que lhe causara estranheza. Levantou e colocou-se em continência para o Tenente Iashida, com todo respeito que poderia ter. Com força na voz, respondeu com prontidão:

    - Sim Senhor, Tenente !! Rapidamente, entre suas falas, reconheceu aquele que acompanhava seu superior.

    - Imediatamente, senhor. Assentiu novamente.

    Iroh levantou-se e pós a caminhar até o local que estava sendo guiado, olhando algumas vezes com estranheza pela presença do Oficial Evan T. Anderson. Não tinha o que perguntar, não tinha motivos para tal ato. Seguia ordens e ordens lhe foram dadas. Iria segui-las.



    ATUAL

    - Iroh, Menbro da Aliança com Registro 0000000000000001. Falava enquanto prestava continência.

    Ainda chegara a escutar a resposta daquele que estava em sua retaguarda e estranhara o modo qual ele respondia aquele oficial com informações irrelevantes e sem nexo com a pergunta lhe feita. Mas nada demonstrou e focou em aguardar instruções.

    Analisou o bracelete, queria sentir para ver se era feito de metal, poderia lhe ser útil em alguma hora, mas tinha confiança em seus brincos e crucifixo e sabia que aquele adereço novo que ganhara tinha outra utilidade.

    - Sim Senhor !! Mas uma vez repetira, como de costume.

    Aquelas palavras saiam já quase automaticamente da sua boca, pois seus músculos já se acostumaram a se moldar para emitir aquele exato som. Isso não o incomodava. Seguiu as ordens e rumou até o local indicado. Não parecia ter pressa, mesmo que lhe fora aconselhado que possuísse. Antes de qualquer coisa, fora abordado pelo homem que estava atrás do jovem oficial pouco tempo atrás naquela fila. Não exitou em responder em tom firme.

    - Mas é claro que não me incomodo, sou apenas mais um soldado desta nave. Se lhe incomoda a viagem com os outros, posso lhe conseguir uma vaga do lado de fora da nave para nos acompanhar em seu voo. Não continha sarcasmo em sua voz, nem ao menos tom de brincadeira. Era sério e falava sério. Pensava logicamente e, em sua lógica, aquela opção realmente lhe era viável vista a disposição do homem em ser tratado com exclusividade. Nada mais exclusivo do que ele oferecera.

    Esperara a resposta com paciência e educação, olhando fixamente para os olhos daquele que se auto denominou como um Deus. Pensava, em sua consciência, em como seria aquela viagem que estava prestes a acontecer.

    Pela primeira vez em muito tempo sentiu o coração palpitar dentro daquele corpo que mais parecia ser um pedaço de metal sem expressão.

    Talvez sentisse nervosismo.

    Talvez fosse medo.
    Nazamura
    Cavaleiro Jedi
    avatar
    Cavaleiro Jedi

    Mensagens : 250
    Reputação : 0

    Re: Capítulo 1 - Por um Punhado de Justiça

    Mensagem por Nazamura em Qua Jun 07, 2017 11:45 am





    Mais uma vez, partiremos para o desconhecido, salvar ou explorar o universo? eis a questão

    Amanda estava preocupada, embora houvesse acabado de acordar ao lado de Brian, estava muito preocupada em deixar a filha Lilly com os parentes dele, mas não havia com quem deixar, e pra variar Brian super-metódico e organizado já estava pronto.

    - O próximo transporte interplanetário é em 1h, temos tempo para um café da manhã - dizia Amanda ainda desarrumada com a roupa de baixo, Brian não estava entendendo suas preocupações.

    - Não se preocupe Amanda, já falei com Zack, e Lilly adora ele, principalmente as coisas q ele cria na marcenaria, vão se dar bem, ele fez um castelo pra ela - Brian vai até Amanda e a abraça fitando seu corpo belamente delineado - Já pegou sua passagem, o próximo circular está a caminho, eu compro o café lá

    - Não sei porque agente foi aceitar isso, uma missão de exploração? - cruzava os braços e continuava - Você sabe o quanto eu batalho pra conseguir dar um futuro pra minha menina

    Brian então termina de arrumar a pasta e solta um longo exalar, ele estava planejando pedir a mão de Amanda mas receava pelo futuro da aliança, não haveria um mundo de paz e ele não sossegaria até dar isso a ela

    - Vai dar tudo certo, sempre lutamos juntos e sempre ganhamos, já arrumou suas coisas? e a beija

    "Brian você não muda mesmo!" pensava enquanto temporariamente deixava as preocupações de lado...


    11 de Abril de 2027, 23h00
    Terra 1
    13 horas antes da decolagem do SR-Órion Nexus (Prólogo)

    Victory Girl e Captain Britânia chegam a carater com seus super-uniformes, foram recebidos por uma equipe diplomatica da ONUMT (Organizações das Nações Unidas das Multiterras) que passou parte do debriefing pros dois enquanto eles se preparavam

    - Bom tempo fora é? já devia esperar, vai ser estilo Terra 2 então? - Debochava Cap. Britania

    um oficial da ONUMT respondeu

    - Pense que é como Cristovão Colombo que descobriu a America em 1942 na Terra 1, não dava pra prever a duração da missão

    - Tipico, vai me lembrar Terra 2 então - dava uma leve risada

    Victory ouvia tudo e mordiscava o lábio, Britania apenas olhou para o lado e acenou confiante de cabeça para que ela se controlasse, afinal estando "a serviço", não poderiam demonstrar afeto em público ou poderiam causar mais problemas, eram parceiros de luta, e tinham que deixar essa imagem assim. Victory pegou o celular e enviou uma mensagem pra Zack "cuide da minha menina viu e diga que a amo muito", talvez isso a deixasse mais aliviada

    Chegando a limosine o empolgado motorista pos-se a falar

    -Que bom que teremos o senhor no Órion, senhor Britânia! Aposto que vão encontrar aliens lá, os cabeça verde da Terra 4 vão adorar se tiverem - ele ria conforme falava. As ordens são de não fotografar, enviar mensagens ou falar sobre o lugar até o lançamento. Mas acho que por um autógrafo eu deixo você fazer uma selfie hahahaha - o motorista brincava com o Capitão e Victory.

    - É melhor evitar problemas com a burocracia, sabe como eles são - dava um tapinha de leve que em escala humana seria como um soco doido nas costas - Dirija ai, quando chegarmos te dou o autografo, mas nada de selfie

    - Deixa o homem ser feliz Britania - retrucava Victory - Se você não quer tirar uma selife com ele, eu não me importo - e deixava um sorriso escapar de seu rosto

    - Hoje é o dia mais feliz da minha vida - respondia o motorista após chegar ao local combinado e tirar uma foto com a superheroina



    12 de Abril de 2027, 10:45h
    Terra 1
    uma hora antes da decolagem do SR-Órion Nexus (Agora)

    - É realmente uma instalação militar grandiosa - comentou Victory girl

    - To vendo, eles reuniram os melhores, acho que conheco aqueles caras, da batalha de Antares.

    Não havia muito tempo para conversar, logo uma ruiva chega e aborda o grupo chamando por ele, vic e starman dando-lhe pulseiras em neon azul

    -Por favor, senhores... Starman, Capitão Britania e... Victory Girl. Preciso que vocês...venham...pra plataforma 15...agora… E seus...braceletes - ela entrega os braceletes dos três, todos com o led azul.

    - Como quiser senhorita Michelle. logo ele se aproxima do outro e diz - Starman certo? - tentou entabular uma conversa com o companheiro - Lembro de ter-lhe visto lutar na batalha de Antares, mas eramos em muitos grupos e cada um tinha sua missão... enfim, bom rever um companheiro de luta a bordo. Esta aqui é Victory Girl. - aponta para sua sidekick - Somos parceiros na luta contra o crime

    - Prazer em te conhecer - Responde Victory Girl - Alguma idéia do que nos espera agora?

    Captão Britania e Victory Girl seguem a ruiva em direção a plataforma 15 reparando que diversos outros estavam tambem preenchendo fichas e seguindo para o embarque

    -Isso me faz lembrar aquele clássico filme da Terra 1. Armagedoon. Tripulação da Freedom - aponta o braço para direita - Tripulação da Independence - aponta o braço para a esquerda

    - Você e suas coisas nostálgicas - e ria do parceiro


    Lyvio
    Semi-Deus
    avatar
    Semi-Deus

    Mensagens : 6741
    Reputação : 9
    Conquistas :
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/211.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1112.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1011.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/212.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1811.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1413.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/410.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1511.png

    Re: Capítulo 1 - Por um Punhado de Justiça

    Mensagem por Lyvio em Qua Jun 07, 2017 11:54 am

    Orochi ouve a proposta do homem incrédulo, pior, ele parecia falar sério. Por um momento o filho de Gaia tentava entender o sentimento do homem ao falar isso, qual entonação ele quis usar? Não via Sarcasmo ou brincadeira, ele falava sério. Depois de alguns segundos encarando o homem confuso Orochi lhe responde:

    -N...não foi nesse...nesse sentido que eu quis dizer...

    Orochi olha para um lado e para o outro desconfiado, aproxima do homem e cochicha em seu ouvido

    -Eu sou um Deus sim, mas até para um Deus o espaço pode ser perigoso...Mais isso pode ficar entre nós se não acaba com minha moral por aqui, se é que tenho alguma pelo que vejo...

    Ele abre um sorriso amarelo e sem graça completando:

    -Os Deuses não são exatamente como nos filmes...eles são mais...humanos do que se imagina.

    Respondia ele com um sorriso sem graça.

    -Mas gostei de você. Vocẽ...realmente falou sério nesse lugar fora da nave!?

    Dizia ele com ar confuso para o homem.

    -Então quem é você e de onde vem?
    Nimaru Souske
    Mutante
    avatar
    Mutante

    Mensagens : 725
    Reputação : 16
    Conquistas :
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/411.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1811.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/712.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1511.png

    Re: Capítulo 1 - Por um Punhado de Justiça

    Mensagem por Nimaru Souske em Qua Jun 07, 2017 12:28 pm

    - Se não foi, peço que nos apressemos como o Oficial falou. Não podemos nos atrasar.

    Ele começa a andar e escuta a conversa estranha do homem.

    - Deuses são relativos. Quem quiser pode se auto proclamar um Deus e quem for mais fraco, não poderá desmentir.
    Então sua afirmação de ser um " de verdade " se torna desnecessária, ainda mais quando precede a afirmação sobre o perigo no espaço, que é infundada pela inexatidão da mensura do objeto referido, apenas podendo ser dito que a "parte" conhecida do universo é perigosa. Talvez exista um local ainda desconhecido onde não precisemos dessa conversa, não sabemos. Não tenho nenhuma intenção de acabar com a" moral "de ninguém nessa nave. Apenas cumpro ordens, como disse ao senhor. Sou um soldado como qualquer outro que existe na nave.


    Respondia como uma máquina, fazendo recortes entre uma fala e outra como se respondesse exatamente cada pergunta feita por vez. Como sempre, carregava suas frases com seriedade.

    - Falei sim. Algum problema ? Não parecia ameaça, nem tão pouco interesse em saber da opinião do "deus". Era automático.

    - Como já repeti três vezes, sou um soldado da aliança e venho de lá.

    Seus passos se tornaram um pouco mais apressados.
    MINDGAME
    Mutante
    avatar
    Mutante

    Mensagens : 641
    Reputação : 24
    Conquistas :
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/410.png

    Re: Capítulo 1 - Por um Punhado de Justiça

    Mensagem por MINDGAME em Qua Jun 07, 2017 7:16 pm

    Legendas: "Fala ou escrita", "Pensamentos", "Id", "Ego", "Superego", (Offs)


    "ARIAN!!!"
    Desperto ofegante e levo segundos para recobrar completamente a consciência. Está tarde e uma música da minha lista de reprodução da Terra 1 está tocando nos auto-falantes do quarto.
    Dou pouca atenção aos arredores enquanto observo agoniado, com os olhos marejados, as partículas das minhas mãos fibrilando, as desconstruindo e reconstruindo fora de controle. Sinto a umidade na poltrona e noto que o lapso gerou disfunções por toda a estrutura do meu corpo.
    Tento me erguer e minha estrutura colapsa ao chão, se desfazendo em partículas. Me sinto sem forças e perdido. Achava que havia corrigido esses "espasmos". Tento me mover, mas apenas espalho minhas partículas no chão.
    Recebo uma holocall e tento mais uma vez reorganizar minhas estrutura para poder atender, mas apenas me frustro.

    Shggorth escreveu:Tá acordado Ace!? Caramba você não dorme mesmo
    "Isso foi sarcasmo?! Meruda desgraçado..."
    Shggorth escreveu:Se liga na fita: aquela expedição galáctica muito loca pra ver esses planetas novos na área? Te coloquei dentro meu chapa, aqueles últimos detalhes foram resolvidos! Mas se liga, vai na boa, nem todo mundo sabe que você reviveu. Te deram um codinome esquisito também, sei lá, não sou bom com esses nomes de humano. É Lazáro, Lazarus, algo assim. Mas corre cara você tem exatas...três horas pra estar em Ohio da Terra 1. Voa bruxão!
    A chamada é encerrada e eu permaneço inerte por alguns instantes.
    "Tudo bem... levanta Ace!
    Levanta!"

    Finalmente encontro forças para reestruturar meu corpo e, quando ele se completa, dou um soco no chão.
    "Um passo para frente... dez para trás."
    Suspiro profundamente e sento ao chão, observando as luzes de Londres através das cortinas.
    "Sinto sua falta...
    Odeio o mundo sem você... e não tem mais ninguém para me proteger do meu lado auto-destrutivo."

    A musica me chama a atenção.
    I've been looking so long at these pictures of you
    That I almost believe that they're real
    I've been living so long with my pictures of you
    That I almost believe that the pictures are all I can feel
    Recosto a cabeça na poltrona e continuo ouvindo a música enquanto abro meus registros de memória sobre a Arian.
    "Você era tão doce... como alguém supera a perda de um anjo da guarda?"
    Remembering you standing quiet in the rain
    As I ran to your heart to be near
    And we kissed as the sky fell in holding you close
    How I always held close in your fear
    Remembering you running soft through the night
    You were bigger, and brighter and whiter than snow
    Screamed at the make-believe, screamed at the sky
    And you finally found all your courage to let it all go
    Sei que muitas bandas da Terra 1 fazem sucesso por letras direcionadas a sentimentos aflorados, mas me permito esquecer por alguns instantes e permaneço ouvindo a música, sentindo como se ela fosse escrita para ela e para aquele momento.
    Meus olhos se encharcam novamente.
    Remembering you fallen into my arms
    Crying for the death of you heart
    You were stone white, so delicate, lost in the cold
    You were always so lost in the dark
    Remembering you, how you used to be
    Slow drowned, you were angels, so much more than everything
    Hold for the last time, then slip away quietly
    Open my eyes but I've never seen anything
    If only I'd thought of the right words
    I could have hold onto your heart
    If only I'd thought of the right words
    I wouldn't be breaking apart
    All my pictures of you
    Sinto lágrimas escorrerem pela minha face enquanto começo a remover todos os registros de Arian da minha memória e os compacto em um arquivo. Eu havia passado seis meses em luto, e nada me dizia que eu superaria a perda.
    Looking so long at these pictures of you
    But I never hold onto your heart
    Looking so long for the words to be true
    But always just breaking apart
    My pictures of you
    Quando a compactação fosse completada, todas as minhas lembranças e sentimentos por ela desapareceriam da minha mente e seriam limitados a apenas informações no meu vasto banco de dados.
    Contemplo, pela última vez, minhas vivências com ela.
    Nosso último café da manhã e a última vez que eu vi seu sorriso.
    O pedido de noivado.
    O perfume dos seus cabelos e de como me fazia feliz observá-la dormindo.
    O calor do corpo dela junto ao meu e como a cabeça dela se encaixava perfeitamente no meu ombro.
    A sua risada, o seu choro.
    A forma como eu a deixava sem jeito e as juras de amor.
    A primeira vez que eu a fiz chorar e como isso dilacerou meu coração.
    A primeira vez que eu conquistei um sorriso dela.
    E finamente, o dia em que nos conhecemos.
    Uma a uma as lembranças são removidas da minha memória enquanto meus prantos são aliviados cada vez mais.
    There was nothing in the world
    That I ever wanted more
    Than to feel you deep in my heart
    There was nothing in the world
    That I ever wanted more
    Than to never feel the breaking apart
    My pictures of you
    Finalmente, após seus meses de luto, eu sorrio.
    Desde que eu a conheci, não houve um dia em que eu não a amasse mais do que no dia anterior e, agora, todos aqueles sentimentos eram apagados em segundos.
    Não há mais dor ou saudade. Eu estou livre.
    Ergo-me e observo o arquivo compactado onde estão todas as minhas memorias da Arian por alguns instantes antes de concluir que ela serviria perfeitamente como base estrutural para a personalidade da inteligência artificial de um assistente virtual.
    "Se funcionar, não vou mais precisar me preocupar com "espasmos" novamente."
    (Off = Desencadeia a cena no Background da ficha)




    Tomo uma ducha fria antes de partir.
    "(Preocupada) Você está ciente de que tem meia hora para cruzar o percusso até a Terra 1, não é?"
    "Arrependida?"
    "(Irônica) Acho que é peso na consciência..."
    "(Irritada) Cannon, para de enrolar! Pra que esse banho afinal?"
    Começo a me secar.
    "Relaxar..."
    "(Sedutora) Podemos cruzar o setor em segundos, temos 29 minutos para... "relaxarmos"... mais um pouco..."
    "Albert, quanto mais cedo chegarmos, mais tempo teremos para estudar a engenharia da nave."
    "Tudo bem, estou quase pronto."
    Visto-me e sigo até o terraço.
    "Id, me mostra o que pode fazer"
    "(Empolgada) Achei que nunca ia pedir! Hummm...
    CONTEMPLE!"



    "(Empolgada) Essas turbinas podem cruzar mais de um setor por segundo, Ace!"
    "Ta... mas... é meio rosa demais..."
    "(Empolgada) É LINDO!"
    "Você sabe que acabou com toda a virilidade de ter um robô gigante, né?!"
    "(Irritada) Na próxima vez, você pode fazer seu robô gigante sozinho."
    Suspiro.
    "Isso vai ser mais difícil do que eu esperava."
    Sigo para a Terra 1 em alta velocidade.
    "(Empolgada) Será que podemos explodir alguma coisa? Ninguém vai saber!"
    "Eu... criei um monstro!"
    Chego em Ohio em poucos instantes e desfaço o mecha em uma altura segura para não ser reconhecido, assumindo as funções básicas do Omnitools, então me aproximo das estações de triagem na pista de pouso.
    "Design skaaveriano... eles querem que exploremos o universo nessa banheira?"
    "Talvez os recursos da expedição sejam limitados."
    "Acho que podemos voltar para casa e esperar juntarem mais recursos..."
    Paro de andar.
    "(Empolgada) Olha o lado bom, Ace: em uma nave tão antiga, pode ser mais fácil estudar a tecnologia de dobra."
    Volto a andar na direção da barraca.
    "Acho que eu posso lidar com umas teias de aranha..."
    "Dr. Albert Cannon."
    Oficial escreveu:Desculpe senhor mas...é...não, acho que no sistema você…
    "Aff... Meruda retardado...
    Id, entre no sistema dela e copie os dados."

    "(Empolgada) Aye aye, sir!"
    (Off = OMNIAPP: Technology +18 +SECOND CHANCE) MINDGAME efetuou 2 lançamento(s) de dados (d20.) :
    18 , 15
    "Talvez esteja como Magnum Opus."
    Oficial escreveu:Mil perdões senhor Cannon...
    "Doutor."
    Oficial escreveu:... seu nome está registrado com um codinome. Lazarus...bem...b-bem vindo a tripulação
    "Obrigado."
    Coloco o bracelete azul.
    "Lazarus... quem teve essa idéia?
    Referência bílica, de software ou a música?
    Espero que seja a música..."
    Garota escreveu:Desculpe! Eu não vi você
    Sorrio e observo o equipamento da garota, tentando compreender sua função.
    (Off = Technology +18 +SECOND CHANCE ou Expertise relacionada +13 (Considere apenas a primeira rolagem)) MINDGAME efetuou 2 lançamento(s) de dados (d20.) :
    9 , 16
    "Tudo bem, pode fazer de novo se quiser."
    Analiso o grupo.
    "Ego?"
    (Off = WELL-INFORMED: Investigation +14 +SECOND CHANCE) MINDGAME efetuou 2 lançamento(s) de dados (d20.) :
    8 , 12
    Oficial escreveu:Senhor Cannon...
    "Doutor."
    Oficial escreveu:... plataforma 15
    "Ah, sim. Obrigado."
    Cumprimento a oficial e sigo para a plataforma.
    MINDGAME
    Mutante
    avatar
    Mutante

    Mensagens : 641
    Reputação : 24
    Conquistas :
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/410.png

    Re: Capítulo 1 - Por um Punhado de Justiça

    Mensagem por MINDGAME em Qua Jun 07, 2017 9:21 pm

    (Off = Como pedido pelo narrador, Expertise Biology +13) MINDGAME efetuou 1 lançamento(s) de dados (d20.) :
    6
    GodsCorpse
    Tecnocrata

    Tecnocrata

    Mensagens : 326
    Reputação : -3

    Re: Capítulo 1 - Por um Punhado de Justiça

    Mensagem por GodsCorpse em Qui Jun 08, 2017 1:07 pm




    - Um Herói da Justiça nunca treme perante o perigo! Dakota Smash! - Starman golpeou o chão e ele rachou. As rachaduras seguiam na linha reta, levantando o solo por onde passava - derrubando objetos no caminho - até chegar em seus oponentes. Uma dupla de ladrões pilotava uma maquinaria bípede de destruição, mas sem chão firme para andar, ali ela cai.  


    Saltando sobre o veículo e arrancando a dupla de ladrões com uma mão de dentro do veículo, Starman proclama, com um sorriso - Este é o fim para suas carreiras criminosas! Vocês seguem para cadeia agora, rapazes.
    Amarrando a dupla com uma fatia de metal e deixando os dois ladrões desapontados presos, Starman deixa a cena após a chegada da polícia e reduzir o estrago no chão com sua própria força.

    Ele deixou o lugar ao som da torcida dos civis. Starman fechou o rosto depois sair. Tinha um lugar para ir.




    Os passos de Starman no hospital eram mais pesados do que quando andava pela cidade. Ajudar as pessoas dava em seu coração uma liberdade que era refletida em todo seu comportamento. Seu sorriso era a marca disso. Mas neste lugar, ele andava de cabeça baixa. Ele era muito grande para os corredores, então tinha que se virar de lado para lugar às macas e às pessoas. Com sua mente focada no destino de sua amiga, ele havia já esquecido que Sloane andava do seu lado.

    Parou em um dos corredores para ver as direções e se pechou contra o bilionário ao virar para o lado.

    - Ah Sloane... Esqueci que você estava ai. - ele abriu um sorriso fraco, diferente do seu característico sorriso. Não era debochado, mas desta vez não se importava, assim como ele não acreditava que Sloane se importasse.

    Bruce ignorou o que Alexander respondeu, pois havia achado o local certo, passando reto pelo corredor. Até encontrar o enfermeiro.

    - Ela está estável hoje mas um pouco grogue, ontem foi uma noite difícil

    Ele ouvia atentamente o enfermeiro. Não conseguia pronunciar uma palavra sequer. Ele já entendia o quadro.

    -O que é isso!? Ela por acaso é um animal pra ficarmos vendo ela através de uma janela? Isso é inaceitável.

    A -falsa- indignação de Sloane eram apenas murmúrios para Starman agora que via sua amiga através do vidro. Ele pôs a mão levemente e olhava com tristeza. Ao ver sua amiga abrindo seu rosto caridoso, ele sorriu, sorriu de verdade.

    - Meu pequeno Couve-flor...  

    Ao ver sua mudança, Starman se afastou do vidro.

    Minverva! Minerva, se acalme! Jesus...

    Seu coração doía em ver Minverva sendo forçadamente sedada. Bruce virou o rosto e pôs a mão sobre a boca. Aquela cena era de revirar seu estômago e fazia lembrar de tudo... Tudo que causou isso. Ele lembra de seu coração tremer ao olhar para os céus, ao olhar os cadávers, ao olhar vazio que ficou em seus rostos.

    Depois daquele dia, ele teve que treinar seu sorriso novamente.

    O pior de tudo: com todos seus poderes, ele não podia fazer nada. Não era algo que pudesse socar. Nunca se sentiu tão... tão fraco.

    - Eu te juro Starman, com essa expedição eu vou descobrir uma saída. Eu vou curar ela e os outros. Eu o farei!

    - Eu espero que seja verdade... - Sloane já havia saído.

    Nenhuma resposta engraçada, nada a retrucar, nem sarcasmo.

    Starman abriu o punho para revelar uma flor que havia encontrado alguns dias antes, antes de saber do caso de Minerva. A pobre estava toda surrada, apertada na mão do herói, tinha pétalas brancas e um caule bem mais azulado do que verde. E colocou sobre uma mesa com outros pertences e se virou para a colega - Eu trouxe essa pequena flor. Ela me lembrou de seu cabelo... Eu tive que parar um robô no caminho... Heh... Ai amassou ela um pouco. Sabe como.... Sabe como você odeia máquinas né.... - Bruce começou a chorar - - Minerva... Melhore... Por favor...

    Puxou o ar para dentro e suspirou. Limpou as lágrimas com as costas da mão e encarou a amiga novamente.

    - Eu vou achar respostas. Eu vou te tirar daí.

    Starman foi até o enfermeiro - Por favor, tenha certeza que ela ficará confortável. Façam o melhor por ela.

    Uma última vez, ele se virou para a amiga - Até logo, pequeno couve-flor.




    12 de Abril de 2027, 10:45h: uma hora antes da decolagem do SR-Órion Nexus

    Bruce havia chegado atrasado. Bem atrasado. Ele passava pelas várias pessoas que circundavam a base antes de chegar à pista. Tripulação, famílias, fãs, ele sorria e acenava para todos. Bem desengonçado, ele respondia cada uma das perguntas mais rápido possível com seu sorriso.

     

    - Passando... Passando. Olá! Bom ver vocês! Isso, sou eu mesmo! É! Sim! É. Não! Fico lisonjeado, mas vou ter que recusar... - nas suas costas, ele trazia um saco gigante feito com uma barraca para carregar suas roupas. Ele larga com um oficial do transporte que é quase engolido pelo tamanho da carga.

    "Uau... Eu havia visto algumas naves assim, mas nada igual tão perto. Farei justo ao nosso nome, Meredith. Starman nas estrelas."

    Sua mentora, Meredith, a antiga Starwoman, acompanhava as façanhas de seu protegée. Engraçado era que os dois tinham a mesma idade, mas quando empoderados, eles ficam totalmente diferentes.

    "Para as estrelas." - ela disse

    - Para as estrelas! - jogou o braço no ar.




    Passando por cada um de seus antigos colegas, seu coração enchia de alegria. Vê-los vivos depois da Batalha de Antares aliviava as terríveis memórias daquele conflito. Acenou para Sloane - e foi ignorado -, para Zeus - e foi respondido com uma bufada -, deixando-o bem constrangido.

    "Essa vai ser uma bela viagem." - puxou a gola de seu traje para respirar um pouco.

    Starman passou em um dos grupos de novatos e se pôs ao lado deles.

    - Isso que gosto de ver: o Espírito da Juventude vivo e forte, desbravando novos espaços! - ele apertou o rapaz ao seu lado, quase sufocando o jovem herói - Estou louco para vê-los em ação! Vamos juntos desbravar o futuro!

    Ele soltou e deu um "tapinha" nas costas do jovem, tirando o resto do ar que tinha no corpo dele.

    - Vamos SHOUNE!

    - Não quer dizer "shounen"?

    - SHOUNE! - pôs os punhos na cintura e estufou o peito, sorrindo.




    - Dynamo! Bom vê-lo! Ventari, ainda fortão ai? Heheheh...

    Capitão Britania escreveu:- Starman certo? Lembro de ter-lhe visto lutar na batalha de Antares, mas eramos em muitos grupos e cada um tinha sua missão... enfim, bom rever um companheiro de luta a bordo.
    Esta aqui é Victory Girl. - aponta para sua sidekick - Somos parceiros na luta contra o crime

    Starman se vira e cumprimenta o Capitão e depois a garota.

    - Capitão Britania! Que prazer vê-lo aqui. Sim... Foi uma batalha terrível. - ele perte um pouco o sorriso, mas o retoma - Mas é bom vê-lo em forma com sua parceira! É um prazer em conhecê-la também!

    Victory Girl escreveu:- Prazer em te conhecer - Responde Victory Girl - Alguma idéia do que nos espera agora?

    - A beleza das estrelas, jovem! O brilho de um novo amanhã!

    Michelle E. escreveu:- Por favor, senhores... Starman, Capitão Britania e... Victory Girl. Preciso que vocês...venham...pra plataforma 15...agora…

    - Aye aye madam! - "madam" soa como se fosse um estrangeiro arranhando o inglês. Terrível.




    Starman tem dificuldade em por a pulseira em seu pulso largo, mas eventualmente consegue.

    - Tecnologia maravilhosa. Braceletes auto-expanssivos! - sorriu.

    Capitão Britania escreveu:- Isso me faz lembrar aquele clássico filme da Terra 1. Armagedoon.

    - Bruce Willis! Vejo que você é um homem de cultura também!

    IsabelMuller
    Cavaleiro Jedi
    avatar
    Cavaleiro Jedi

    Mensagens : 216
    Reputação : 20

    Re: Capítulo 1 - Por um Punhado de Justiça

    Mensagem por IsabelMuller em Sex Jun 09, 2017 12:31 am

    11 de Abril de 2027, 23h00: 13 horas antes da decolagem do SR-Órion Nexus (Prólogo)."
    Embaixada Dryad, Terra 4.

    @isaac-sky escreveu:Lyan - Vossa Graça, eles chegaram.
    No instante em que ouve a voz de Lyan a Imperatriz estava analisando alguns arquivos os quais ela fecha e deixa-os sobre a mesa antes de levantar-se em sinal de respeito. Um gesto simples que não era exigido a ela; entretanto, Atens gostava de realiza-lo.

    @isaac-sky escreveu:Lyan -Estes são Ren e Ron, os irmãos Banshee, seus mais novos protetores.
    Atens -Sejam bem vindos. O tom de sua voz era suave como uma doce melodia e era impossível não ser inundado pelo sentimento de admiração ao olha-la.

    Atens sorri brevemente ao voltar seus olhos para os irmãos. Seu olha e sua postura, em um primeiro momento, demonstravam a seriedade e rigidez exigida em seu cargo. Sua postura era impecável, seus movimentos suaves e mantinha a cabeça levemente erguida, sinais clássicos de um aristocrata. Suas vestes eram elegantes, mas simples. Se ela não fosse alguém conhecida, em aparência, talvez fosse capaz de misturar-se facilmente entre seu povo aos olhos de estranhos. Entretanto, isso revelava ser um equivoco, pois, antes das mortes, ela vivia constantemente entre eles e era notável seu destaque; talvez fosse pela forma que os demais Dryad a tratavam.

    @isaac-sky escreveu:Ron -Vossa Graça, sou Ron. Alguns me chamam de Escudo de Prata, deixe-me protege-la com minha vida. - o jovem dryad fez uma mesura com a cabeça. Respeitoso e sério.
    Ren -Ren, com “n”. Aqui na Terra me chamam de Lança dos Lobos. Eu vou destroçar qualquer um que ficar no seu caminho. - a jovem batia no peito com o punho cerrado. Enérgica e completamente fora do protocolo.
    Atens sorri de modo simpático ao termino de cada apresentação, mas não esconde a surpresa com a reação exagerada de Ren. Entretanto, ao contrário de Lyan, ela não demonstrava incomodo com aquela pequena quebra de protocolo. Ela havia recordado de alguns comentários de Killian sobre os irmãos, talentosos e promissores, mas eram muito jovens. Para muitos, seriam considerados jovens de mais para a posição que assumiriam naquele momento. Possivelmente, esse era um dos aspectos que incomodavam Lyan, juntamente com a quebra dos modos e protocolos comuns a ansiedade natural da juventude. Ela permanece olhando para os gêmeos com uma expressão amigável:

    Atens -É um prazer finalmente conhecê-los.

    Atens fixa o olhar em Ren quando escuta a voz do Embaixador.

    @isaac-sky escreveu:Lyan -E-eles foram treinados pessoalmente por Killian antes daquele fatídico dia.
    Atens sorri de modo simpático, mas durante a menção ao nome de Killian, principalmente para Lyan que havia convivido com ela diariamente nos últimos meses, fica notável que aquele assunto ainda lhe causava desconforto.

    Atens -Estou ciente disso. O Conselheiro Killian falava muito bem de seus subordinados. Eles cumprirão suas funções com excelência.

    Atens olha para a porta como se esperasse ela abrir novamente, mas na realidade apenas estava tentando controlar suas emoções antes de continuar. De certa forma a Imperatriz já esperava que apenas dois dos três escolhidos estariam presentes na reunião, mas a sua ausência foi útil naquele momento. Ao retornar a falar ela destinava seu olhar aos irmãos Banshee.

    Atens -Vocês o conheciam e sabem que não há, entre nós, um substituto à altura de suas qualidades. Não ainda. Espero não decepcioná-los e prometo fazer o máximo para não os colocar em perigo.

    Ela volta-se para o Embaixador com uma expressão de dúvida.

    Atens -Onde está o terceiro?

    @isaac-sky escreveu:Lyan -Seu terceiro guardião, foi solicitado de que ele fosse apresentado a você somente a bordo do Órion. Creio que o conheças mas o povo dryad não possui grande estima pela ordem a qual ele pertence.
    Atens -Perz! Certo?! Ou me enganei?

    Após a confirmação de Lyan a Imperatriz continua em um tom formal.

    Atens -A solicitação foi feita por ele?

    Se Lyan respondesse negativamente a pergunta:

    Atens -Quem fez a solicitação?

    Obviamente aquele era um detalhe delicado, visto a opinião geral do povo a respeito de Perz. Por mais que Atens não concordasse com a forma que o assunto foi tratado, ela não revela e nem posiciona-se abertamente a respeito naquele momento. A impressão que suas expressões e gestos passavam era de quem apenas estava informando-se sobre o assunto.“Quantos mais terão que morrer para que percebam o quão insignificante são essas rixas?!”

    Atens -Feitas as apresentações é hora de trabalharmos.

    @isaac-sky escreveu:Lyan entrelaçou as mãos atrás do corpo, em sinal de respeito.
    Lyan --Temo que seja minha última chance de tentar convencê-la a não embarcar nessa Expedição, Vossa Graça. Reconheço a importância de reencontrar nosso planeta mas...sua presença é igualmente importante para o moral de nossa raça.
    Atens observava Lyan com seriedade e o olha com uma expressão de repreensão antes de dirigir-lhe a falavra.

    Atens -Vossa Excelência fala como se eu não fosse mais voltar. É arriscado, eu sei, mas eu ficarei bem e retornarei. A propósito: Como estão as estratégias para solucionar nossos problemas com os Skaaveri? Lembre-se, que ao voltar espero que os problemas tenham sido solucionados Sem concessões.

    A pergunta de Athens aparenta uma repreensão e de fato era. A Imperatriz estava lembrando-o de que eles tem funções diferentes e que ele deveria atentar-se a cumprir as deles com a eficiência esperada. Com as duas últimas palavras Lyan entendia que não deveria abrir dos direitos Dryad sobre a rota que agora dominavam. A voz da Imperatriz passa a assumir um tom complacente.“Será que um dia Lyan entenderá que minha responsabilidade não é apenas com os Dryad na Terra 4, mas com todos e principalmente com nosso Lar. Aqui nunca deixaremos de ser ‘exilados’, hospedes. E que ficar sentada atrás de uma mesa, não levará nenhum de nós para casa.”

    Atens -O Senhor sabe que aprecio sua opinião. Analisei e considerei cuidadosamente todas elas, em cada uma das vezes que discutimos. Percebo que não há necessidade de lembra-lo que não sabemos o que houve com Athantis e que precisamos saber. Ou que meu dever é com todos os Dryads, onde quer que estejam. Mas diante a seu argumento devo questioná-lo, uma última vez: Como eu fortaleceria o espirito de nosso povo se negasse a eles a esperança de rever nosso Lar ou as pessoas que deixamos lá?

    Embora aquele discurso pudesse parecer uma repreensão, não havia o menor sinal de agressividade na Imperatriz; pelo contrário, ela inspirava tranquilidade, cortesia e benevolência.

    Atens -Eu não tenho aparecido em público, mas tenho acompanhado as reuniões... Sua postura era elegante e suave, mas sua voz repentinamente assumia um ar levemente melancólico antes de fazer uma pausa. Durante a pausa em sua fala a Imperatriz olha na direção dos arquivos que analisava no momento em que os demais entraram no escritório e em seguida torna a olhar para o Embaixador.“Lyan, sem dúvidas, é eficiente, mas me faz sentir ainda mais a falta de Killian e Arian. Eles entendiam minhas responsabilidades e tornavam o trabalho divertido.”O ar melancólico desaparece da voz da Imperatriz restando apenas a seriedade e o respeito que destinava a Lyan. ... Vossa Excelência tem conhecimento, tanto quanto eu, de que não há uma reunião em que não esteja presente alguém que queira notícias daqueles que ficaram em Athantis ou querendo retornar para casa.

    @isaac-sky escreveu:Lyan -Siga os desígnios de sua sabedoria, apenas saiba que eu cuidarei do nosso povo com minha vida.
    Agora, ela esboçava um leve sorriso. E, embora usasse de um tom mais firme, ela continuava a demonstrar gentileza em sua voz.

    Atens -Embaixador Lyan, durante esses seis meses, como acreditei que seria, Vossa Excelência mostrou-se perfeitamente capaz de cuidar do povo Dryad que aqui reside. A Imperatriz Anwenn foi sabia ao colocar-te nessa posição e minha partida nessa Expedição mostra que confio no Senhor. Agora, precisamos acertar os últimos detalhes de minha partida. Incluindo a reunião em que confirmarei minha participação na Expedição e declararei que durante minha ausência o controle retorna a suas mãos com uma missão especial e que mostrou-se difícil: Solucionar nossos conflitos com o povo Skaaveri. Temos menos de duas horas para o início da reunião, dez para minha partida para a Terra 1 e treze para minha partida na Expedição.

    Estava claro para Lyan que ele não a convenceria a não ir ou a deixar que alguém a substituísse na Expedição e que a partir daquele momento só acertariam os últimos detalhes de sua partida.  

    12 de Abril de 2027, 10:45h: uma hora antes da decolagem do SR-Órion Nexus (Agora).:

    O design skaaveriano não agradava Atens, embora ela não demonstrasse. Não que a Imperatriz entendesse a respeito, pois isso estava além de suas funções. Seu desagrado era apenas um lembrete de seus problemas com o povo Skaaveri. Problemas esses que, a contra gosto, havia deixado nas mãos de Lyan. Mesmo acreditando que estar presente nessa expedição era o melhor que ela poderia fazer, pois era a única chance real de encontrar um meio de voltarem para casa, Atens não se sentia confortável em deixar o Embaixador responsável por tal situação. Durante os seis meses em que oficialmente esteve fora dos eventos públicos devido ao luto, um sentimento real ao qual ela ainda estava entregue embora se dedicasse a não transparece-lo, a Imperatriz o testou de todas as formas que pode e chegou à conclusão de que o Lyan seria capaz de, no mínimo, manter as coisas sobre controle até seu retorno.

    Os olhares não a incomodavam, eles sempre estiveram lá, a diferença é que agora os cochichos provavelmente envolviam além das fofocas habituais o seu “desaparecimento” após a Batalha de Antares. Os rumores sobre seu afastamento foram inúmeros e alguns beiravam a insanidade daqueles que amam uma boa teoria de conspiração. Rumores aos quais ela esteve atenta, mas sem dar-lhes muito crédito, afinal são apenas rumores e agora era a hora apropriada de desfaze-los. A princípio nenhuma mudança era notável na Imperatriz, ela parecia agir exatamente igual ao período anterior a Batalha de Antares.

    Inicialmente os gêmeos Banshee mostravam-se eficientes em suas funções, mas ainda era cedo para dar-lhes um veredito. Entretanto, ela depositava neles uma forte esperança, afinal haviam sido treinados por Killian. Pouco antes de ser atendida por um dos oficiais alguém se aproxima do mesmo interrompendo-o.


    @isaac-sky escreveu:Capitão Evan -Não será necessário fazer o cadastro dela. Já está pronto.
    Athens olha com surpresa para o soldado que interrompeu o oficial. Embora tenha ficado satisfeita pela praticidade de não precisar realizar o cadastro a Imperatriz não estava contando com esse evento. Ela sorri e os agradece. Quando o Atens pega o bracelete ela sinaliza para que os gêmeos façam o mesmo.

    @isaac-sky escreveu:Oficial -Esses braceletes são transponders de alta frequência. A luz azul representa a equipe de que farão parte. Alguma dúvida?
    A Imperatriz sorri com uma expressão levemente sem graça. Atens olha para aquele bracelete rapidamente e diz com um tom gentil em sua voz.

    Atens -Varias, na verdade. Entretanto, creio que no momento basta saber seus nomes para agradecê-los apropriadamente e saber para onde devemos ir em seguida.

    @isaac-sky escreveu:Capitão Evan- Sou o Capitão Evan. Irei acompanha-los até a plataforma 15, lá conhecerão o restante da equipe azul.

    Atens -Obrigado pela gentileza em nos acompanhar, Capitão Evan.

    Aquele ambiente militar a fazia lembrar de seu irmão e aquilo ainda era dolorido. A principio, a Imperatriz apenas o seguiria em silêncio imersa em pensamentos e memórias.

    isaac-sky
    Tecnocrata
    avatar
    Tecnocrata

    Mensagens : 425
    Reputação : 16
    Conquistas :
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/411.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/212.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/410.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1511.png

    Re: Capítulo 1 - Por um Punhado de Justiça

    Mensagem por isaac-sky em Sex Jun 09, 2017 1:48 am

    @Lyvio e @Nimaru:


    Orochi escreveu:-Não se preocupe senhorita... Ele dava uma pausa para que ela dissesse seu nome inclinando um pouco sua face e cerrando seus olhos levemente...

    Ela dá um breve sorriso. Há bastante formalidade na forma que ela age.

    [Kyra]:Tenente Kyra Boehler - ela mantém a postura séria, porém não parecia se incomodar com o que Orochi falava - pode me chamar só de Kyra.

    ...

    Orochi escreveu:-Vocês atendem mal assim mesmo diariamente mesmo aqueles que vão salva-los, porque recebem pouco ou são mal educados mesmo?
    Indagava ele de modo sarcástico antes de responder incisivamente.

    -Sou o Deus-Herói da Terra 5, responsável pela Cura, Dor e Justiça: Yamato No Orochi, Filho da Deusa da Criação Gaia.

    O oficial respira fundo e não esconde seu descontamento.

    [Oficial]:Que ótimo, mais um filho de alguém importante. Estamos com pressa garoto, você pode ser o Papai Noel vestindo uma armadura com luzinhas, nós ainda só temos uma hora pra processar a entrada de toda a tripulação. Então se puder andar até a plataforma, obrigado.

    Enquanto isso o soldado Iroh dava entrada ao mesmo tempo, seguindo todo o protocolo militar. O oficial apenas acenou positivamente com a cabeça e entregou seu bracelete.

    Soldado e deus conversavam enquanto andavam até a plataforma 15. Perspectivas de vida completamente diferentes.

    Os dois podem ver uma grande placa sobre um poste de metal e ao lado uma das aberturas do hangar da nave: o Órion era uma estrutura colossal, muito maior visto de perto.
    Orochi, conhecendo a mitologia que circundava a história de sua mãe, entende melhor agora porque o nome da nave era Órion: um caçador que seria elevado as estrelas. Parece combinar.


    @Nazamura e @GODSCORPSE:


    O grupo de herois reunidos parecia empolgado. Com a chegada de Capitão Britânia e Starman todos pareciam mais animados já que a lista de tripulantes era secreta até então.
    Era claro que o padrão dos herois escolhidos era alto. Bastava saber quem seria o líder da tripulação, seria alguém da Terra 5 o comandante? Ou talvez um herói icônico da Terra 5?

    Capitão Britania, Starman e Victory recebem seus braceletes e são guiadas por Michelle até a plataforma 15.

    [Michelle]:Estou entrando e saindo da nave o dia inteiro, mas ainda não me acostumei com o tamanho dela. É gigante! - ela segurava sua prancheta contra o corpo e olhava para cima enquanto andava - Ah, me desculpem! Eu não me apresentei direito.

    Ela ruboriza um pouco ao falar com os três.

    [Michelle]:Eu sou a Michelle, psicóloga da nave. Contem comigo para cuidar de vocês enquanto estivermos viajando, eu tenho um consultório na nave que estará sempre aberto pra vocês - ela diz sorrindo.

    Os três percebem como a Aliança parece estar preocupada com a saúde mental de seus herois. Starman sabia muito bem como as mentes de alguns estavam debilitadas, era natural que a Aliança teria alguém responsável nesse campo.

    A plataforma 15 vai ficando mais perto. Era possível ver caixas e veículos sendo carregados no hangar. Michelle se despede rapidamente e volta para as tendas do complexo militar.



    @MINDGAME:


    Apesar das dificuldades iniciais Ace chega na instalação militar com tempo. Impaciente, invadia a o sistema da oficial.

    Ace vê a lista de todos os membros do que parecia ser o departamento científico da nave: cientistas da Terra 3, 4 e apenas um da Terra 1. Vários campos de atuação, entre robótica, biologia, astronomia e física quântica.
    O cientista percebe que seu registro está com cinco travas de segurança diferentes, muito mais protegido que a dos outros cientistas. Em sua ficha o Codinome era exibido ao lado de seu nome.

    35% de chance de instabilidade - escrito no campo análise psicológica prévia.

    O esbarrão distraia esse momento.

    A garota arqueia as sobrancelhas para Ace diante de sua resposta, mas não tem tempo de responder pois é apressada por seus colegas magos.

    Curioso com a tecnologia da garota ele observa:
    Se trata de um equipamento semelhante a um respirador de oxigênio, como o de um mergulhador, mas os tubos saiam da máscara para a caixa com a planta. Não havia outra abertura.

    Ace não consegue identificar nada de anormal na planta, apenas de que há bastante condensação na caixa.

    O grupo é o que Ace conhecia como "Companhia", um termo da Terra 2 para designar grupos ou esquadrões de magia: cada um usava um detalhe de cor diferente no manto, indicando uma função. A garota não usava um manto mas tinha uma fita verde no braço.

    Se dirigindo a plataforma Ace percebe como a nave é rústica por fora, mas bem diferente por dentro. Pequenas naves eram carregadas no hangar: não eram economia de recursos, com certeza.



    @ISABELMULLER:


    [Ren]:Ha, gostei dela - Ron encarou a irmã, fulminando com um olhar sério - digo, Vossa Graça - ela completou com uma mesura desajeitada.

    Athens escreveu:Atens -Quem fez a solicitação?

    [Lyan]:A Ordem da qual ele faz parte. Conhecendo a filosofia deles eles querem evitar mais um conflito com os dryads. Compreensível apesar de ser um aborrecimento.

    Athens escreveu:
    Atens -Embaixador Lyan, durante esses seis meses, como acreditei que seria, Vossa Excelência mostrou-se perfeitamente capaz de cuidar do povo Dryad que aqui reside. A Imperatriz Anwenn foi sabia ao colocar-te nessa posição e minha partida nessa Expedição mostra que confio no Senhor. Agora, precisamos acertar os últimos detalhes de minha partida. Incluindo a reunião em que confirmarei minha participação na Expedição e declararei que durante minha ausência o controle retorna a suas mãos com uma missão especial e que mostrou-se difícil: Solucionar nossos conflitos com o povo Skaaveri. Temos menos de duas horas para o início da reunião, dez para minha partida para a Terra 1 e treze para minha partida na Expedição.

    [Lyan]:Vossa graça sabe como eu amo este planeta e meu povo. Agradeço por confiar em mim. Sentirei saudades de vossos conselhos - ele fazia uma mesura com a cabeça - Sim, há muito o que preparar.

    ...

    Na base militar Athens recebera seu bracelete. Ele se encaixava com perfeição em seu braço.

    Os dryads eram acompanhados pelo Capitão Evan. O homem parecia uma propaganda militar da Terra 3: os movimentos precisos, o rifle acoplado nas costas reluzia de tão limpo e todos os soldados que cruzavam seu caminho lhe prestavam continência.
    Todos andaram em silêncio.

    A nave parecia ainda maior de perto, a plataforma 15 se aproximava. Um pequeno palanque te metal tornava o local um ponto de descarregamento e carregamento de carga.

    Num movimento rápido Ren saca de um bastão de metal. Ron pega um disco e o acopla no punho direito.
    Uma figura sai de trás de uma das grandes caixas.

    [Jedi]:Por favor irmãos, não há necessidade de assustarem. Mil perdões, eu sou Perz. Muito encantado em conhece-la, Imperatriz - a figura altiva tirava o capuz de seu manto. Ele não se referia a dryad como "Vossa Graça". Haveria algum significado nisso?


    [Evan]:Os outros já chegaram, por favor se aproximem.


    A bandeira com o símbolo da Aliança tremulava na plataforma 15. Com a chegada dos Dryads o grupo estava completo.


    Um soldado. Um deus. Três super herois. Um cientista. Uma mulher de máscara com tubos. Quatro dryads. A equipe formada com certeza era diversa.
    Alguns se conheciam: Orochi, Starman, Captain Britain e Victory todos já trabalharam juntos em algum momento de suas carreiras.

    Athens reconhecia Ace, o cientista que um dia fora tão próximo de sua prima...vivo. Ace também reconhece a dryad.
    O cientista também reconhece a garota da planta nas costas.

    Iroh apenas conhecia o Capitão Evan que passava pelo grupo e andava até o hangar.

    Diante deles estava uma mulher ruiva, vestindo seu traje de heroína mas sem a máscara que acompanhava o uniforme. Duas katanas estavam embainhadas em sua cintura.
    Mas todos conheciam a identidade da Samurai Rubra. Nadia Dewitt.


    [Nadia]:Olá senhores. Que bom que chegaram - ela digitou algo em um datapad e entregou para um agente da Aliança que estava ao seu lado, o mesmo voltou para o hangar - Peço perdão por essa correria, temo que tornar a hora desse lançamento confidencial tornou nossa logística mais problemática.

    Nadia parecia extremamente honesta em sua forma de falar, não pareciam haver protocolos ou meias-verdades. Isso de certa forma inspira confiança.

    [Nadia]:Acho que a maioria me conhece. Samurai Rubra, eu sou a comandante dessa expedição - ela deu sorriso confiante.

    [Nadia]:Vocês são a Equipe Órion Azul. O que isso significa exatamente? Vocês possuem funções diferentes na Órion, mas as equipes foram criadas como grupos autossuficientes. Nossa missão envolve visitar cada planeta onde for encontrada vida inteligente, então vocês também são uma equipe de campo - os heróis do grupo reconhecem esse tipo de organização. Se parece com os formatos de ligas e sociedades de justiça.

    [Nadia]:A nave está divida em setores, sintam-se a vontade para conhece-los antes de decolarmos. Seus quartos ficam na ala azul dos dormitórios. Como a Aliança os informou, não há regalias para ninguém. Os quartos são iguais - pelo tom de voz ela teve de explicar essa última parte pelo menos mais algumas vezes.

    Ela cruza os braços, olhando para cada um dos integrantes da equipe.

    [Nadia]:Sei que são um grupo peculiar mas não se enganem, a escolha foi feita com muito cuidado. Perguntas?

    Assim que as perguntas forem feitas e respondidas, o grupo está liberado a entrar na nave pelo hangar.
    Nazamura
    Cavaleiro Jedi
    avatar
    Cavaleiro Jedi

    Mensagens : 250
    Reputação : 0

    Re: Capítulo 1 - Por um Punhado de Justiça

    Mensagem por Nazamura em Sex Jun 09, 2017 11:14 am





    Starman escreveu:- A beleza das estrelas, jovem! O brilho de um novo amanhã!


    Victory Girl escreveu:- Fico fascianada que você tem uma admiração pelo espaço, queria ser tão empolgada quanto vocês dois, estou curiosa pra descobrir o que tem lá também - e ria do clima entrosado da conversa


    Starman escreveu:- Bruce Willis! Vejo que você é um homem de cultura também!



    Captão Britania escreveu:- A cultura do inicio do século XX sempre me anima - dizia Captain Britania olhando nostalgico para o nada - E pensar que o que era ficção naquela época hoje é rotineiro..


    Logo Michelle se apresenta

    Michelle escreveu:Estou entrando e saindo da nave o dia inteiro, mas ainda não me acostumei com o tamanho dela. É gigante! - ela segurava sua prancheta contra o corpo e olhava para cima enquanto andava - Ah, me desculpem! Eu não me apresentei direito.

    Ela ruboriza um pouco ao falar com os três.

    - Eu sou a Michelle, psicóloga da nave. Contem comigo para cuidar de vocês enquanto estivermos viajando, eu tenho um consultório na nave que estará sempre aberto pra vocês - ela diz sorrindo.

    - É um prazer conhece-la Michelle - e estende a mão para cumprimenta-la  - Com certeza seus serviços serão valiosos, ainda me recordo dos companheiros que cairam com a demência espacial, não conseguiram lidar com tanto tempo longe de casa e o stress... enfim

    - Só pelo nome da doença não deve ter sido nada agradável para você e sua equipe né? - Victory Girl segura a mão do Capitão, mas logo retira rapidamente e cruza os braços, continuando a seguir Michelle e os demais

    o capitão só olha de rabo de olho para Vic como quem diz "toma cuidado"


    Eis que surge a Samurai Rubra, faz as devidas apresentações e explicações e então continua

    Nadia escreveu:Sei que são um grupo peculiar mas não se enganem, a escolha foi feita com muito cuidado. Perguntas?

    Capitão Britania logo toma a palavra e diz

    - Não há motivos para esperar uma segunda "Antares" certo? ou realmente iremos chegar e procurar por vida nesses novos planetas que surgiram e estabelecer relações diplomáticas? Alguma sonda já conseguiu chegar nesses planetas e fotografa-las pelo menos? ou seja, estaremos voando as cegas?

    - Eu também tenho uma pergunta - interpõe Victory girl - Haverão com-links para comunicarmos com a Terra ou essa é uma missão secreta?


    Após ouvir a resposta da Samurai, e após todos os demais terem feitos suas perguntas o Captao propõe

    - Agora que temos pelo menos o básico das explicações, o que acham de procurarmos o setor da cantina pessoal? pelo menos um café tenho certeza que servem por aqui - e segue andando pelos corredores da nave atrás desse lugar

    Victory Girl segue o captão logo em seguida, era talvez uma chance de conhecer os demais companheiros de missão, não esperava que o convite do café fosse colar, mas eles estavam em 11, talvez fosse possivel sondar cada um


    GodsCorpse
    Tecnocrata

    Tecnocrata

    Mensagens : 326
    Reputação : -3

    Re: Capítulo 1 - Por um Punhado de Justiça

    Mensagem por GodsCorpse em Sex Jun 09, 2017 6:08 pm




    Victory Girl escreveu:- Fico fascianada que você tem uma admiração pelo espaço, queria ser tão empolgada quanto vocês dois, estou curiosa pra descobrir o que tem lá também.




       
           
       

           

               
    Starman escreveu:- Acho que é o mal do nome. HaHaHa! - colocou as mãos no ombro dos dois enquanto ria espatifosamente.
               
           


    Captão Britania escreveu:- A cultura do inicio do século XX sempre me anima - dizia Captain Britania olhando nostalgico para o nada- E pensar que o que era ficção naquela época hoje é rotineiro.




       
           
       

           

               
    Starman escreveu:- E pensar que para nós, nosso rotineiro é totalmente fantástico para os jovens da Terra 1. Somos espíritos inspiradores não só para nós, como para outros mundos, Capitão.
               
           


    Depois, enquanto seguia para plataforma, Starman se vira para a dupla:




       
           
       

           

               
    Starman escreveu:- O que acha, caro Capitão e Victory Girl? Temos uma escolha interessante de colegas. Pesos pesados ainda. - olhava para os lados - Não parece que faremos muita exploração.
               
           





    Michelle escreveu:- Eu sou a Michelle, psicóloga da nave. Contem comigo para cuidar de vocês enquanto estivermos viajando, eu tenho um consultório na nave que estará
    sempre aberto pra vocês
    - ela diz sorrindo.

    Captão Britania escreveu:- É um prazer conhece-la Michelle - e estende a mão para cumprimenta-la - Com certeza seus serviços serão valiosos, ainda me recordo dos companheiros que cairam com a demência espacial, não conseguiram lidar com tanto tempo longe de casa e o stress... enfim .

    "Uma recordação que também lembro, Capitão..."




       
           
       

           

               
    Starman escreveu:- Pelo calor em seu rosto, você deve já saber: Starman!! - ele puxou a mão dela e a cumprimentou com bastante cuidado.
               
           

    "Que nova..." - em sua mente, julgou um pouco sobre a capacidade da jovem como psicóloga pela sua idade, mas logo descartou esse pensamento, envergonhado de seu preconceito - "Se ela está aqui, ela é capaz"

    Sorriu ainda mais. Agora, conhecendo uma pessoa da equipe, uma pergunta pairou sobre a cabeça de Bruce: "Quem seria o líder?"

    "Faria sentido ser alguém de casa, mas seria muito esperado... Com a nave da Terra 3, eles devem ter alguém de olho no investimento..."




       
           
       

           

               
    Starman escreveu:- Michelle! - exclamou, assustando a coitada - Se quiser me dar spoilers, quem é o líder dessa expedição?
               
           





    Starman fica maravilhado em ver o investimento da expedição. Ele era um homem grande graças aos seus poderes, então, em sua terra, ele não era a norma para construção de veículos automobilísticos, o que acabava em situações engraçadas e inconveniente.

    Agora, quando se tratava de veículos militares, Bruce adorava. Não só era para sua medida, mas, como em sua personalidade, irradiava o espírito de combate!

    Ele olhava para um A.P.C.s - "Andarei em você amigo!"




    Starman observou Michelle se despidindo e voltou a pensar em Minerva. Colocou a mão no queixo e olhou para baixo, ficando para trás na caminhada.

    "Eles estão sendo precavidos... ou preparados?"

    Voltou a olhar para frente.

    "Não é coincidência, não é?"




    Starman foi acenando para aqueles que conhecia e levemente acenando para os que não.  

    Um soldado. Um deus. Três super herois. Um cientista. Uma mulher de máscara com tubos. Quatro dryads. A equipe formada com certeza era diversa.

    Esperava soldados e cientistas. Acreditava que cientista era o encaixe da garota, porque não saberia mais o que descrever ela.

    "Deve ser um tipo de cientista. Ah, o garoto deus... Heheh... ele é meio estranho."

    Starman foi até seu lado e o cumprimentou:




       
           
       

           

               
    Starman escreveu:- Olá shoune!! Bom vê-lo aqui! Acho que agora saberemos o que é um deus para as estrelas.
               Entre Orochi e o Capitão, ele pergunta - E aquele grupo? - fazendo menção para as dryads - Eles são alguma realeza?
               
           


    Com a chegada da Samurai Rubra, Starman ficou em silêncio, atento.

    Samurai Rubra escreveu:
    - Vocês são a Equipe Órion Azul. O que isso significa exatamente? Vocês possuem funções diferentes na Órion, mas as equipes foram criadas como grupos autossuficientes. Nossa missão envolve visitar cada planeta onde for encontrada vida inteligente, então vocês também são uma equipe de campo. A nave está divida em setores, sintam-se a vontade para conhece-los antes de decolarmos. Seus quartos ficam na ala azul dos dormitórios. Como a Aliança os informou, não há regalias para ninguém. Os quartos são iguais.

    "Espero que comporte meu tamanho."

    Bruce não era do tipo que tinha dúvidas no início. Ia montando a medida que vinha. Mas havia uma coisa em mente a respeito de Michelle e seu papel. Era conveniente demais para ele.

    Captão Britania escreveu:
    - - Não há motivos para esperar uma segunda "Antares" certo? ou realmente iremos chegar e procurar por vida nesses novos planetas que surgiram e estabelecer relações diplomáticas? Alguma sonda já conseguiu chegar nesses planetas e fotografa-las pelo menos? ou seja, estaremos voando as cegas?

    Bruce virou o rosto surpreso com a pergunta do Capitão - "Uau, já puxamos o elefante para o meio da sala."

    Caso surjam umas perguntas legais, complemento depois.




    Captão Britania escreveu:
    - Agora que temos pelo menos o básico das explicações, o que acham de procurarmos o setor da cantina pessoal? Pelo menos um café tenho certeza que servem por aqui.

    Starman estava destraído com a conversa, ainda remoendo a ideia que a Equipe deve encontrar um evento "Antares" e estão preparados para isto.




       
           
       

           

               
    Starman escreveu:- Ah sim... Claro... Assim vocês podem me contar como se conheceram. - falou na inocência, sorrindo.[/color]
               
           


    Lyvio
    Semi-Deus
    avatar
    Semi-Deus

    Mensagens : 6741
    Reputação : 9
    Conquistas :
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/211.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1112.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1011.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/212.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1811.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1413.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/410.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1511.png

    Re: Capítulo 1 - Por um Punhado de Justiça

    Mensagem por Lyvio em Sex Jun 09, 2017 6:57 pm

    Orochi vê o home seguir apressado e deixa-lo para trás, o deus fica para olhando ele seguir e pensando consigo:

    "Pela aparência era um ciborgue, por isso mesmo é tão...esquisito...Ele parece não gostar de companhias, espero que pelo menos saiba trabalhar em equipe, esses tipo são bem problemáticos..."

    Após tirar sua próprias conclusões sobre o ciborgue, Orochi seguiu seu caminho levitando, retirando suas roupas pesadas e ficando mais a vontade como se sentia bem, sem camisa e com uma calça comprida branca de seda e sapatos também brancos, claro, já fazia certo tempo que tinha perdido sua namorada e já estava na hora de seguir em frente.

    Ele sabia de sua beleza acima da média e sabia também que tinha um corpo atraente para as mulheres e não evitava utilizar-se disso, gostava de ser admirado.

    Não demora muito e logo viu Starman vindo em sua direção, ele estava acompanhando do Capitão Britânia e da Victory Girl, todos já trabalharam com ele em algum momento. Starman o cumprimenta e Orochi devolve o cumprimento abrindo um sorriso com "Deus para as estrelas"

    -É bom Vê-lo também Starman, assim como o Capitão e a Victory. Parece que vamos trabalhar juntos por um bom tempo agora não? Ah sim, quero lhe agradecer por me ajudar a derrotar meu irmão Auran no nosso último confronto, ele fugiu mas aprendeu uma lição.

    Dizia Orochi agradecendo a Starman. Ele ouve o comentário sobre o curioso grupo e logo responde:

    -Não faço a menor ideia...são estranhos não? O que não faltam são esquisitões. Aquele ciborgue alí é mais um, mas ele parece gente boa.

    Em seguida ele houve a chegada da Samurai Rubra e atento escuta as orientações e nenhuma dúvida restante ele tem. Em seguida o capitão Britânia sugere um café.

    -Me parece interessante capitão, os acompanho.


    Nimaru Souske
    Mutante
    avatar
    Mutante

    Mensagens : 725
    Reputação : 16
    Conquistas :
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/411.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1811.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/712.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1511.png

    Re: Capítulo 1 - Por um Punhado de Justiça

    Mensagem por Nimaru Souske em Dom Jun 11, 2017 2:47 pm

    Makuro não se surpreendeu com o tamanho daquela estrutura, pois não estava ali para isso. Rumou em direção à onde fora ordenado, agora distante do "deus" que decidira rumar sozinho, analisando todos presentes com um olhar rápido. Não conhecia ninguém ali, e nem fazia questão de conhecer, ao menos se sua missão fosse essa. Ficou parado, calado, apenas observando a interação da equipe entre eles mesmos e para com os oficiais ali presentes. No máximo, acenou com a cabeça para o homem ostentando um grande sorriso em seu rosto que entrara cumprimentando a todos. Viu o capitão Evan e o olhou esperando alguma interação ou revelação mais aprofundada de sua missão. Nada. Apenas passou pelo grupo deixando uma mulher ruiva à frente de todos. Parecia a encarregada pelos comandos.

    Kin, logo prestou continência à mulher portadora das katanas e descansou para escutar suas palavras. Comentou alguns detalhes sobre o lançamento, irrelevantes para o soldado, e logo disparou o que deveria ser seu nome de Herói. Iroh nunca havia escutado tal nome, se escutara, não dera importancia, pois nem ao menos o nome daquele que acabara de conversar no caminho até ali ele fizera questão de guardar na memoria. Finalmente, nas palavras da mulher, vieram informações que seriam úteis. Na verdade, essenciais.

    Status da missão (parcial): Visitar planetas com vida inteligente...

    Só isso já lhe bastava para começar as atividades a risca. Makuro, então levanta a mão e fala sua única pergunta.

    - E o que faremos nessas visitas, especificamente ?

    Esperou sua resposta, mas viu que outros da equipe também faziam perguntas bem relevantes, o que fizera esperar pelas respostas dos outros também. Queria saber o máximo de detalhes possível para que não falhasse em quaisquer pontos dessa missão.

    Com o encerramento das perguntas, seguiria o grupo para quaisquer interações que decidissem fazer. Permaneceria calado, apenas absorvendo detalhes de cada um.
    MINDGAME
    Mutante
    avatar
    Mutante

    Mensagens : 641
    Reputação : 24
    Conquistas :
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/410.png

    Re: Capítulo 1 - Por um Punhado de Justiça

    Mensagem por MINDGAME em Dom Jun 11, 2017 3:23 pm

    Legendas: "Fala ou escrita", "Pensamentos", "Id", "Ego", "Superego", (Offs)

    Analiso os dados do sistema da oficial.
    "Terra 1 menosprezada novamente no campo científico... esse é o preço de estabelecer profissões como "youtuber" e "desenvolvedor de memes"...
    Alguém precisa entreter as tropas enquanto fazemos história, não é?!"

    "(Irônica) Você está na lista e passa a maior parte do seu tempo desenvolvendo memes e assistindo pornografia, Cannon."
    "Heeeeey! Eu tenho sentimentos, sabia?!"
    "(Admirada) 35% de chance de instabilidade psicológica... nada mal, Ace!"
    "Incompetentes... espera eles saberem que eu me auto-injetei esquizofrenia e agora sou perseguido por três garotas nuas imaginárias."
    "Albert, você não tem esquizofrenia, está realmente nos vendo e nós não estamos nuas."
    "Eles não sabem disso..."



    Após o esbarrão, observo a reação da garota com um sorriso.
    "Esquadrão de magia. O detalhe de cor diferente no manto indica sua função na Companhia. A fita verde no braço deve representar uma druida."
    "Criaturas fascinantes os magos... ou ela está adquirindo a habilidade de superar a asfixia por CO2, ou encontrou um jeito indolor de cometer suicídio..."
    "Bela planta!
    Não esqueça de praticar aquela magia de criar radiação solar!"

    Sigo para a plataforma e me aproximo do grupo.
    (Off = WELL-INFORMED: Investigation +14 +SECOND CHANCE)
    Orochi MINDGAME efetuou 2 lançamento(s) de dados (d20.) :
    6 , 12
    Starman MINDGAME efetuou 2 lançamento(s) de dados (d20.) :
    17 , 12
    Captain Britain MINDGAME efetuou 2 lançamento(s) de dados (d20.) :
    3 , 18
    Victory Girl MINDGAME efetuou 2 lançamento(s) de dados (d20.) :
    11 , 18
    IROH MINDGAME efetuou 2 lançamento(s) de dados (d20.) :
    13 , 7
    Capitão Evan MINDGAME efetuou 2 lançamento(s) de dados (d20.) :
    11 , 17
    Nadia Dewitt MINDGAME efetuou 2 lançamento(s) de dados (d20.) :
    7 , 19
    "Atens! Você não vai falar com ela?"
    "É obvio que ela está aqui por achar que pode voltar para o seu planeta, tudo o que eu disser pode estragar essa esperança."
    "Você não precisa falar nada sobre a missão."
    "(Empolgada) !!!!!
    Você pode convencer ela a ser a nossa número quatro!"

    "Agora não Id..."
    Nadia Dewitt escreveu:Olá senhores. Que bom que chegaram
    Observo o datapad de Dewitt.
    "Bom, estamos na nave, queremos informações... sabem o que fazer garotas."
    (Off = OMNIAPP: Technology +18 +SECOND CHANCE) MINDGAME efetuou 2 lançamento(s) de dados (d20.) :
    13 , 5
    Nadia Dewitt escreveu:Peço perdão por essa correria, temo que tornar a hora desse lançamento confidencial tornou nossa logística mais problemática.
    Acho que a maioria me conhece. Samurai Rubra, eu sou a comandante dessa expedição
    "Comandante?"
    Olho para Atens.
    "Por pouco tempo..."
    "Acha que a Atens vai tentar algo, Albert?"
    "Acho que, a despeito do que a aliança planeja para esta expedição, sua prima quer voltar para casa. E todos atenderão os caprichos dela, independente do título."
    "Ela não agiria contra a aliança."
    "É o que vamos ver."
    Nadia Dewitt escreveu:Vocês são a Equipe Órion Azul. O que isso significa exatamente? Vocês possuem funções diferentes na Órion, mas as equipes foram criadas como grupos autossuficientes. Nossa missão envolve visitar cada planeta onde for encontrada vida inteligente, então vocês também são uma equipe de campo
    "Droga, odeio serviço de campo..."
    "(Irônica) E qualquer serviço que não envolva resolver um quebra-cabeças."
    "(Irônica) Sempre podemos delegar o serviço chato."
    Nadia Dewitt escreveu:A nave está divida em setores, sintam-se a vontade para conhece-los antes de decolarmos. Seus quartos ficam na ala azul dos dormitórios. Como a Aliança os informou, não há regalias para ninguém. Os quartos são iguais
    Observo o tom de voz e analiso à minha volta quem se ofende com o esclarecimento.
    "O que você está procurando?"
    "Alguém fácil de manipular."
    (Off = Insight +12) MINDGAME efetuou 1 lançamento(s) de dados (d20.) :
    14
    Nadia Dewitt escreveu:Sei que são um grupo peculiar mas não se enganem, a escolha foi feita com muito cuidado. Perguntas?
    Capitão Britania escreveu:Não há motivos para esperar uma segunda "Antares" certo? ou realmente iremos chegar e procurar por vida nesses novos planetas que surgiram e estabelecer relações diplomáticas? Alguma sonda já conseguiu chegar nesses planetas e fotografa-las pelo menos? ou seja, estaremos voando as cegas?
    Comparo as respostas com as que obtive (se obtive) através do Omniapp.
    Victory girl escreveu:Eu também tenho uma pergunta
    Haverão com-links para comunicarmos com a Terra ou essa é uma missão secreta?
    "Espero que sim. Preciso de um ponto de partida para começar a estudar essa tecnologia."
    IROH escreveu:E o que faremos nessas visitas, especificamente ?
    Olho preocupado para o garoto.
    "O que ele pensa que vamos fazer?"
    Após as respostas, me dirijo à Nadia.
    "Comandante Dewitt, gostaria de estender meu nível de acesso à engenharia do cruzador. Com quem devo tratar?"



    Capitão Britania escreveu:Agora que temos pelo menos o básico das explicações, o que acham de procurarmos o setor da cantina pessoal? pelo menos um café tenho certeza que servem por aqui
    Starman escreveu:Ah sim... Claro... Assim vocês podem me contar como se conheceram.
    Orochi escreveu:Me parece interessante capitão, os acompanho.
    "Não quer ir com eles?"
    "Tenho trabalho a fazer."
    "Se vai ficar preso a este grupo, sugiro que conheça o quanto antes suas virtudes e fraquezas."
    Suspiro e, com um semblante contrariado, sigo o grupo em silêncio.
    "(Irritada) Cannon, para de ficar olhando através das roupas delas!"
    "Eu sou médico. Meu interesse na anatomia feminina é puramente profissional."

    IsabelMuller
    Cavaleiro Jedi
    avatar
    Cavaleiro Jedi

    Mensagens : 216
    Reputação : 20

    Re: Capítulo 1 - Por um Punhado de Justiça

    Mensagem por IsabelMuller em Seg Jun 12, 2017 2:00 pm

    Trajeto:

    O bracelete havia se acomodado perfeitamente em seu pulso e embora aquela coisa não fosse de seu agrado teria que atura-la e que se acostumar, afinal o mais provável é que deveria usá-lo enquanto durasse aquela Expedição. Embora a princípio a Imperatriz tenha apenas seguido o Capitão Evan, ao pensar sobre a Expedição algo repentinamente a incomoda.

    "Sem regalias e favores! Então, porque meu cadastro já estaria pronto? E, qual a razão dessa escolta?"

    Em um tom gentil Atens interrompe o silêncio.

    Atens -Não esperava pelo fato do cadastro estar pronto.

    A pergunta a seguir é feita no mesmo tom embora revelasse certo ar de curiosidade.

    Atens -Estou tão atrasada assim?!

    Insight + SECOND CHANCE: Capitão Evan.
    IsabelMuller efetuou 2 lançamento(s) de dados (d20.) :
    14 , 7

    A imperatriz presta atenção na resposta e reação do Capitão, ela sabia que até aquele momento, e a menos que algum imprevisto acontecesse durante o caminho, ela não estava atrasada. Sua desconfiança a respeito do Capitão cresceu ao ver que ele era alguém conhecido e respeitado, sua patente parecia ser alta e portanto deveria ter algum motivo por trás daquela “gentileza”.




    @isaac-sky escreveu:Num movimento rápido Ren saca de um bastão de metal. Ron pega um disco e o acopla no punho direito.
    A atitude dos irmãos faz com que Atens pare de caminhar e comece a procurar, com um olhar preocupado, pelo motivo daquela reação. Ao ver que tratava-se de Perz seu olhar retorna a mansidão habitual.

    @isaac-sky escreveu:[Jedi]:Por favor irmãos, não há necessidade de assustarem. Mil perdões, eu sou Perz. Muito encantado em conhece-la, Imperatriz.
    "Isso era exatamente o que gostaria de ter evitado com aquela reunião! Entendo os motivos, mas agir assim também não ajuda."

    Atens sorri gentilmente e diz em um tom calmo. A mesma calma que os gêmeos poderiam sentir ao olhar para ela.

    Atens -É um prazer conhece-lo, Perz. Perdoe-nos, não esperávamos vê-lo antes de embarcarmos. Conversaremos a bordo da Orion ou nos atrasaremos.

    "Bom, ele pode ter abandonado a crença de nosso povo, mas, ao menos ele mantém o respeito pela autoridade. Hum... Isso abre questões. O que ele pensaria se descobrisse o que realmente acredito? E porque o permiti entre os guardiões?"

    A Imperatriz não demonstrava ter se importado com o fato de Perz não ter se referido a ela por “Vossa graça” assim como não passava o mesmo desprezo que maioria dos Dryad sentiam por ele, pelo contrário, a postura de Atens diante ao pequeno incidente demonstrava respeito.

    Insight + SECOND CHANCE: Perz.
    IsabelMuller efetuou 2 lançamento(s) de dados (d20.) :
    1 , 11

    Atens lança um olhar serio para os três e diz em um tom firme:

    Atens -Respeitem-se.

    Com aquela ordem ficava claro para os três que Atens não iria admitir desavenças ou discussões entre eles, principalmente em público.

    @isaac-sky escreveu:[Evan]:Os outros já chegaram, por favor se aproximem.
    Diante a fala do Capitão Evan a Imperatriz, em silêncio, retoma a caminhada e ao aproximar-se novamente diz:

    Atens -Novamente, obrigada. Até breve, Capitão Evan.

    Após despedir-se do Capitão Evan a Imperatriz segue para onde o restante da equipe estava.

    "Estou com a sensação de que o verei novamente. E, embora tenha apreciado a praticidade de não precisar realizar o cadastro, isso soou estranho. Tal praticidade não foi informada e favores vindos da Aliança não eram esperados, mesmo para alguém em minha posição. Há algo me incomodando a respeito do Capitão Evan. Quem é o Senhor?!"

    Atens aproximasse do grupo e ao notar a presença de Ace é confrontada com as memórias de Arian. A Imperatriz junta ambas as mãos a frente do corpo e foca seu olhar na comandante Nadia que começava a falar. As memórias de sua prima ainda a abalavam fortemente e aquele não era o momento de deixar-se dominar por sentimentos.

    "Dr. Albert Cannon!!  Quando não apareceu no funeral de Arian e não retornou as mensagens pensei que estivesse morto. Mas não, aparentemente apenas não importou-se o suficiente. Humanos e seus falsos amores. E tudo que queria era vê-la feliz. Se eu não a tivesse liberado para aquela maldita reunião ela estaria comigo e permaneceria viva! E não teria perdido as duas únicas pessoas reais em minha vida. "

    Quem olhasse para Atens nesse momento a veria mantendo uma postura imponente, com uma expressão séria e prestando atenção em cada uma das palavras da Comandante Nádia. É provável que ao olharem para ela sintam admiração: Seja por sua postura impecável, por sua beleza, pelo poder que seu cargo lhe fornecia (caso tenham conhecimento) ou qualquer outro motivo.

    @isaac-sky escreveu:[Nadia]:Olá senhores. Que bom que chegaram. Peço perdão por essa correria, temo que tornar a hora desse lançamento confidencial tornou nossa logística mais problemática. Acho que a maioria me conhece. Samurai Rubra, eu sou a comandante dessa expedição. Vocês são a Equipe Órion Azul. O que isso significa exatamente? Vocês possuem funções diferentes na Órion, mas as equipes foram criadas como grupos autossuficientes. Nossa missão envolve visitar cada planeta onde for encontrada vida inteligente, então vocês também são uma equipe de campo. A nave está dívida em setores, sintam-se a vontade para conhece-los antes de decolarmos. Seus quartos ficam na ala azul dos dormitórios. Como a Aliança os informou, não há regalias para ninguém. Os quartos são iguais.
    Ela cruza os braços, olhando para cada um dos integrantes da equipe.
    Quando a Comandante olha para Atens, a Imperatriz sorri delicadamente e de modo discreto acena levemente com a cabeça em sinal de respeito. Atens não demonstra o menor incomodo com as falas da Comandante, nem mesmo a respeito dos quartos ou das regalias. Tudo que a Imperatriz queria naquele momento era que aquela apresentação terminasse o mais rápido possível. Afinal, nenhuma informação pertinente seria dada enquanto não estivessem a bordo da nave.

    @isaac-sky escreveu:[Nadia]:Sei que são um grupo peculiar mas não se enganem, a escolha foi feita com muito cuidado. Perguntas?
    “Que a escolha tenha sido cuidadosa é o mínimo que se espera dado a importância da Expedição.”
    @Nazamura escreveu: Capitão Britania - Não há motivos para esperar uma segunda "Antares" certo? ou realmente iremos chegar e procurar por vida nesses novos planetas que surgiram e estabelecer relações diplomáticas? Alguma sonda já conseguiu chegar nesses planetas e fotografa-las pelo menos? ou seja, estaremos voando as cegas?
    Diante a tensão imposta por aquelas questões, mesmo sendo capaz, Atens não interfere. Primeiro, por querer ver como a Comandante se sairia naquela situação e segundo em respeito à autoridade da mesma.

    "Uma segunda Antares?! Achei que evitar isso era exatamente um dos objetivos da Aliança com essa Expedição e por isso eu estou aqui, além de meus objetivos pessoas é claro. Afinal como ele veio parar aqui? Quem é ele? Um pouco ansioso de mais, não? Ou será que tem problemas com autoridades? Em receber ordens, talvez?"

    Atens apenas observa as perguntas, reações e posturas de cada um dos presentes.

    "Um bom jeito de conhecer alguém é: ignorando a autopropaganda e observando atentamente seus atos."

    @MINDGAME escreveu:Dr. Cannon - "Comandante Dewitt, gostaria de estender meu nível de acesso à engenharia do cruzador. Com quem devo tratar?"
    "Você nunca muda não é, Dr. Cannon? Sempre em busca de mais informações! Esperava que se importasse com Arian pelo menos um decimo de como se importa com essas coisas."

    Atens -Por hora, sem perguntas de nossa parte. Acredito que os detalhes mais pertinentes a nossas funções individuais serão esclarecidos a bordo da Orion. Grata pelos esclarecimentos iniciais e práticos, Comandante.- O tom de voz da voz de Atens expressava serenidade e respeito. Assim que termina de falar ela sorri de maneira simpática para a Nádia que nesse momento pode ser afetada por um sentimento de confiança.



    @Nazamura escreveu:Capitão Britania- Agora que temos pelo menos o básico das explicações, o que acham de procurarmos o setor da cantina pessoal? pelo menos um café tenho certeza que servem por aqui.
    @GodsCorpse escreveu: Starman- Ah sim... Claro... Assim vocês podem me contar como se conheceram.
    @Lyvio escreveu: Orochi- Me parece interessante capitão, os acompanho.
    Em um tom delicado e simpático Atens responde:

    Atens -É uma excelente ideia! Assim podemos nos conhecer.

    A impressão que Atens passa em sua voz é de gentileza e cordialidade. Após concordar com a sugestão feita pelo Capitão Britania a Imperatriz aproxima-se do Dr. Cannon que havia passado a acompanhar o grupo em silêncio com uma expressão de quem estava contrariado e diz:

    Atens -Quando não o vi no funeral de Arian e nem obtive notícias suas presumi que estava morto, Dr. Cannon. O que aconteceu? - Caso ele olhe para Atens talvez sentisse um sentimento de tristeza iniciando. Embora o tom da Imperatriz fosse cordial a frase poderia induzi-lo a pensar, acertadamente, que ela estava magoada. Afinal, ela também não o havia cumprimentado anteriormente e nem o chamou por Ace.

    “Dizer o nome dela em voz alta esmaga meu coração. É melhor que tenha uma boa justificativa Dr. Cannon!”

    Atens novamente junta as mãos colocando-as a frente de seu corpo. Enquanto observava o restante do grupo a Imperatriz tentava afastar as memórias de Arian e Killian.

    “Não há um dia, após suas mortes, em que não me arrependa de apoia-la nesse relacionamento, de permitir que fosse naquele almoço sozinha ou que Killian os liderasse naquela batalha. Vou levá-los pra casa nem que seja a última coisa que faça! Pelo menos não preciso mais me preocupar com os custos disso. Já paguei o pior deles e por menos.”
    IsabelMuller
    Cavaleiro Jedi
    avatar
    Cavaleiro Jedi

    Mensagens : 216
    Reputação : 20

    Re: Capítulo 1 - Por um Punhado de Justiça

    Mensagem por IsabelMuller em Seg Jun 12, 2017 2:05 pm

    Insight + SECOND CHANCE: Ace.
    IsabelMuller efetuou 2 lançamento(s) de dados (d20.) :
    14 , 3

    Foi mal pelo post duplo, faltou esse.

    MINDGAME
    Mutante
    avatar
    Mutante

    Mensagens : 641
    Reputação : 24
    Conquistas :
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/410.png

    Re: Capítulo 1 - Por um Punhado de Justiça

    Mensagem por MINDGAME em Seg Jun 12, 2017 2:42 pm


    Legendas: "Fala ou escrita", "Pensamentos", "Id", "Ego", "Superego", (Offs)

    Atens escreveu:Quando não o vi no funeral de Arian e nem obtive notícias suas presumi que estava morto, Dr. Cannon. O que aconteceu?
    (Off = Deception +0 vs Insight de Atens) MINDGAME efetuou 1 lançamento(s) de dados (d20.) :
    1
    Olho para a imperatriz e então desvio o olhar, mantendo a expressão de contrariado.
    "Droga, esse olhar de filhote de gatinho abandonado..."
    Suspiro e desapareço em frente aos seus olhos.
    (Off = STEALTH MODE: Stealth +18 +SECOND CHANCE) MINDGAME efetuou 2 lançamento(s) de dados (d20.) :
    8 , 1
    Contorno a imperatriz e reapareço caminhando do outro lado dela, perturbadoramente próximo a ela, ostentando o mesmo semblante contrariado.
    "Vossa majestade imperial não me viu no funeral... porque eu não queria ser visto."
    "Não era para eu me sentir tão culpado... malditas dryads..."
    "(Insultada) Heeey!"
    "Ela só está magoada, Albert. Ela também teve perdas."
    Faço uma pausa antes de continuar.
    "Se quer mesmo saber o que houve, terá que ser em outra hora. Em particular."
    "!!!!!"
    "Id! Não!"

    isaac-sky
    Tecnocrata
    avatar
    Tecnocrata

    Mensagens : 425
    Reputação : 16
    Conquistas :
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/411.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/212.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/410.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1511.png

    Re: Capítulo 1 - Por um Punhado de Justiça

    Mensagem por isaac-sky em Qua Jun 14, 2017 3:40 am

    11 de Abril de 2027, 00h00: 12 horas antes da decolagem do SR-Órion Nexus

    Claude Speedy:


    Elias despertou sentindo os pés arrastando no chão. Seus braços estavam imóveis, completamente presos por uma avançada algema. Um soldado da Terra 3 em cada lado, o carregando pelos braços.
    Os machucados...Elias não se lembrava de como havia se machucado, mas em seus braços via hematomas e sentia o corpo todo dolorido.


    Quando a visão deixou de ficar embaçada notou que estava sendo levado por um corredor branco. Completamente impecável, chegava a doer os olhos de tão limpo. Os soldados pararam e o viraram de frente para uma porta mecânica.
    A porta se abriu e os soldados o jogaram para dentro. Ela se fechou novamente. Elias caiu de costas, sentindo todas as partes doloridas do corpo reclamarem.

    [Interfone]:003 e 004, eu já avisei sobre uso de força desnecessária. O próximo que jogarem desse jeito eu mesma os coloco nas caixas - uma caixa de som emitia a voz de uma mulher. Elias ao se levantar podia ver uma segunda porta a sua frente se abrindo e as algemas se soltando.

    Era como um aquário. Ao andar para frente notou como havia muita luz apontada para a pequena sala com paredes de vidro. Viu uma porta a direita, aberta, um pequeno banheiro. A esquerda um armário de metal. Ao redor paredes de vidro

    E na sua frente, a parede de vidro e muito espaço em volta. Outros "aquários" se estendiam por todo o andar. Elias não tem ideia de onde está e muito menos porque uma mulher ruiva está sentada do lado de fora, de frente para Elias.
    Ela pressiona a orelha direita com o indicador e Elias escuta o interfone novamente.


    [Nadia]:Acho que não precisamos de apresentações Elias. Você sabe quem eu sou, eu sei quem você - a mulher estava sentada de pernas cruzadas, vestindo seu uniforme de heroína.
    Samurai Rubra, Nadia Dewitt, informações muito fáceis para alguém como o Anonimo.

    [Nadia]:O protocolo também não será necessário. Mas tudo o que você sabe é de que aceitou um acordo bem esquisito pra não cumprir pena de morte, certo? - ela parecia bem informada também - Você foi recrutado Elias, e pra algo bem grande. Até pessoas como você podem ter segundas chances na Aliança, apesar de eu admitir que não sou sua maior fã.

    A samurai se levanta e fica mais próxima da parede de vidro.

    [Nadia]:Posso responder algumas perguntas, mas não todas. Sim você está na Terra 1, mas não ficará o restante da sua missão aqui - ela diz cruzando os braços - E antes que eu me esqueça, olhe no armário, pode gostar do que vai encontrar lá.

    Parecia uma prisão, mas não tinha nada em comum com as que Elias conhecia.





    12 de Abril de 2027, 11:15h: meia hora antes da decolagem do SR-Órion Nexus


    Plataforma 15

    Iroh

    Ace

    Starman

    Athens

    Orochi

    Capitão Britânia

    Victory

    Ron

    Ren

    Druida

    Perz

    Nadia

    O grupo conhece a Samurai Rubra. Assim que ela abre para perguntas o clima de empolgação é cortado como se uma navalha fria tivesse atravessado o ar.

    Capitao Britania escreveu:
    - Não há motivos para esperar uma segunda "Antares" certo? ou realmente iremos chegar e procurar por vida nesses novos planetas que surgiram e estabelecer relações diplomáticas? Alguma sonda já conseguiu chegar nesses planetas e fotografa-las pelo menos? ou seja, estaremos voando as cegas?

    Nadia muda o sorriso do rosto para uma expressão séria. Ela coloca a mão sobre o anel na mão direita, os heróis da Terra 5 sabem que a Batalha havia colocado seu noivo em um coma que já dura seis meses.

    [Nadia]:Aqueles que me conhecem sabem como eu gosto de lidar com as coisas: eu sou sincera, num nível que irrita muita gente. Não vai ser agora que eu vou esconder o jogo com vocês - ela responde olhando para o Capitão - Nós não fazemos ideia do que é a assinatura de energia sentida e detectada no fim da galáxia. Cada um de cada Terra afirma uma coisa diferente. Nada impede dessa coisa ser mais um daqueles monstros de Antares... - ela respira fundo, provavelmente havia se preparado para falar daquelas coisas antes - O que sabemos é de que todo o universo se rearranjou ao redor do sistema solar e da MultiTerra. Planetas novos, constelações novas...e também transmissões de rádio novas.

    A parte das transmissões era informação inédita.

    [Nadia]:Há uma espécie de trilha de sinais que encontramos flutuando no espaço, elas são o que confirmam que há vida nos planetas que iremos. Não sabemos o quão inteligente ou avançados serão, se são outras Terras ou os planetas da República da 4. Só sabemos que há um padrão, elas seguem um caminho...eu não sou a especialista no assunto, a nossa piloto poderá esclarecer melhor, mas basicamente o espaço agora está cheio de nuvens de energia cósmica altamente corrosiva, algo do tipo. O caminho dessas transmissões é justamente o trecho livre dessas nuvens, então nós precisamos passar por esses lugares de qualquer jeito.

    A missão parecia matar muitos coelhos com um golpe só.

    Makuro escreveu:- E o que faremos nessas visitas, especificamente ?

    [Nadia]:Iremos prestar suporte a cada um desses planetas e talvez até mesmo integra-los a sociedade da Aliança se eles forem compatíveis com nossa visão.

    Ela pausa um instante antes de continuar.

    [Nadia]:Nós vencemos aquelas coisas só com cinco Terras, se tivermos a ajuda de mais delas... - imaginar a MultiTerra com mais planetas era ainda muito abstrato - Eu confio que as lições que aprendemos naquele evento serão o que nos garantirá a vitória em situações assim. Eu confio em vocês, espero que confiem em minha liderança.

    Ela encerra as duas perguntas com uma leve mesura com a cabeça, um traço oriental em seu jeito relaxado de se portar.

    Victory Girl escreveu:- Eu também tenho uma pergunta - interpõe Victory girl - Haverão com-links para comunicarmos com a Terra ou essa é uma missão secreta?

    Nadia olha para a heroína com um pequeno sorriso.

    [Nadia]:Temos a nova geração de comlinks e transmissores galaxynet da Terra 4 e 3, se a radiação no espaço não atrapalhar vocês poderão sim se comunicar com as Terras. Mas como você mesma disse, essa é uma missão secreta também, o público saberá de nossos feitos em operação mas não receberá detalhes para preservar a segurança de nossa Expedição. Toda comunicação com as Terras passa por nossa Inteligência e pode sim ser interceptada caso dê algum detalhe confidencial por engano.

    Uma vez respondidas as maiores perguntas a Samurai Rubra os libera para entrar na nave e permanece na plataforma 15 para receber o próximo grupo.

    A maior parte do grupo segue para o hangar, decidindo se conhecerem melhor como equipe.

    @MINDGAME:


    Ace inicia uma breve busca por informações de todos ali. As personas de sua IA começam a jogar informações na interface como se quisessem atingi-lo com elas.

    Orochi: famoso herói da Terra 5, filho de Gaia uma aparente deusa da 5 e possui um irmão vilão igualmente poderoso. Vive entre as pessoas comuns. Id comenta como a quantidade de fanfiction envolvendo ele é obscenamente gigantesca.

    Starman: herói icônico da Terra 5, da MultiTerra e da Batalha de Antares. Repleto de amigos, colegas e inimigos pode ser considerado um veterano. Existem registros obscuros na deep web de que teria sido uma pessoa comum antes de seu estrelato como herói, o nome de uma empresa de eletrodomésticos surge vez ou outra assim como referências a um ator careca da Terra 1 no google imagens. Superego boceja.

    Captain Britain e Victory Girl: herói britânico da Terra 5, famoso e com uma parceira de reputação semelhante. Victory Girl não parece ser a primeira parceira de justiça do Capitão, as notícias de desaparecimento da primeira são bem vagas. Há uma forte conexão na busca com Capitão e a ONUT5, igualmente para a Victory Girl. As três personas da IA reagem sobre o uniforme dela.

    Iroh: o garoto parece estar ligado a diversos experimentos da Terra 3, todos devidamente confidenciais e protegidos por complexos sistemas de segurança. Uma busca rápida determina que ele parece ser natural japonês, possui parentes vivos mas viveu a vida toda em instalações militares e cresceu nos Estados Unidos da Terra 3. Makuro parece ser o provável nome dele. Ele é considerado um projeto finalizado. Id quer conhece-lo.

    Evan: segundo no comando do Órion. Histórico militar impecável, soldado modelo. Lutou na Batalha de Antares e foi considerado o autor do Milagre de Antares, um evento de virada no destino do confronto. Possui família na Austrália da Terra 3. Evan tem o nome citado em alguns projetos confidenciais da Terra 3, os termos "aprimoração" são repetidos várias vezes. As três personas o odiaram

    Nadia: heroína com 96% de aprovação geral da MultiTerra, natural da Terra 5, americana naturalizada japonesa. Os detalhes de seus feitos parecem inventados, desde a cortar o componente eletrônico de um mecha em plena queda com cinco milimetros de precisão a saltos de prédios amortecidos por lençois em um varal, mas as fontes são confiáveis. Noiva de Drake Corson, o Viper, em coma por seis meses ainda em estado grave. Suas habilidades parecem ligadas a suas espadas. As personas discutem entre si sobre a veracidade das informações

    Após a onda de informações Ace tenta hackear o ominiapp de Dewitt, mas é bloqueado por um firewall poderoso.

    Analisando seus colegas, Ace percebe que a pessoa que mais reagiu ao comentários dos quartos iguais foi a garota da máscara e mochila de planta.
    Ela baixou a cabeça por alguns segundos, como se estivesse preocupada por um instante.

    Após as perguntas Ace se aproxima da comandante.

    @Ace escreveu:"Comandante Dewitt, gostaria de estender meu nível de acesso à engenharia do cruzador. Com quem devo tratar?"

    A Samurai Rubra o encara por alguns segundos.

    [Nadia]:Ah! Desculpe, você é o amigo do Sho, certo? Você é indicação direta dele, o cara gosta de você, não sabia que o chefe de Artilharia tinha amigos humanos. O seu codinome está como Lazarus, acho que é uma piada entre os dois...apesar de eu achar um tanto de mal gosto - comenta ela sobre o Meruda Shggorth - Ele deve estar te esperando lá dentro - ela responde voltando a atenção para a base e quem vinha de lá.

    Ace faz menção de seguir o grupo, mas é interrompido...


    @ISABELMULLER:


    O trajeto dos dryads foi curto até a plataforma.

    Athens escreveu:Estou tão atrasada assim?!
    Ela nota um leve arquear de ombro do soldado e um olhar rápido nela e nos dryads: parecia avalia-los.

    [Evan]:O lançamento está ficando atrasado. O cadastro já estava pronto porque já configuramos seus braceletes com antecedência, eles são meio problemáticos com não humanos, por isso já agilizamos o seu procedimento e de outros não humanos - o tom é de cordialidade

    O primeiro conflito dos irmãos e do jedi havia surgido no primeiro instante de encontro.

    Athens notava como o jedi Perz mantinha uma espécie de distância segura dos três, sem invadir a bolha imaginária do espaço pessoal. Ele parece ser o tipo de pessoa que se mistura na multidão. Não há nada além de cordialidade em sua voz.

    A ordem da Imperatriz havia sido clara: eles não deveriam se confrontar, pelo menos não diante dela.

    Os dryads acompanham solenemente as informações e perguntas respondidas. O grupo era de maioria heróica, pareciam fortes...mas também havia quem a Imperatriz conhecesse pessoalmente.
    Ela ainda usava o anel que ele desenvolveu.





    Hangar Órion

    Iroh

    Starman

    Orochi

    Capitão Britânia

    Victory

    Druida

    @Nimaru Souske, @GodsCorpse, @Lyvio e @Nazamura:


    O grupo de heróis percebe como o hangar é gigantesco. Veículos que comportariam o alto Starman eram pequenos comparados com o tamanho do lugar. O hangar possui diversos números e letras exibidos sobre as entradas e portas do hangar.
    O bracelete de todos exibe em sua superfície negra uma grande letra A ao lado do número 1. Aparentemente o equipamento possúia display próprio.

    [Voz dos braceletes]:Sejam bem-vindos, Equipe Azul! A estrela índigo de nossa tripulação - a voz da uma pequena risada. Parece ser a voz de uma mulher modulada vários tons acima - Eu sou Artemis, sua Inteligência Artificial favorita - o display no bracelete exibia a "face" da IA


    Inteligência Artificial. Pelo visto a Terra 3 havia conseguido finalmente desenvolver uma realmente avançada, e era exclusiva do Órion.


    Ela os guia até o refeitório, um gigantesco salão com várias mesas alinhadas organizadamente.

    [Mr Gutsy]:Bom dia senhores! Estamos próximos do lançamento, mas podemos lhes servir o cardápio de café da manhã enquanto não decolamos - um robô, a cor branca claramente repintada de outro design, ele flutua no ar graças a pequenos propulsores abaixo de seu corpo esfera - Lhes recomendo nossa porção de bacons e ovos, estão Fantastic - diz ele num sotaque esquisito.


    Iroh reconhece a máquina como um modelo muito antigo de velhos drones de combate da Terra 3.

    Aos poucos o local vai sendo preenchido pelos tripulantes que embarcam, igualmente conhecendo o local.





    Plataforma 15

    Ace

    Athens

    Ron

    Ren

    Perz

    @MINDGAME e @ISABELMULLER:


    Athens e Ace param diante da entrada do hangar. Era a primeira vez que se viam desde Antares.

    Athens nota que esse parece ser o mesmo Ace de sempre, mas seus olhos se movem erraticamente as vezes, como se prestasse atenção em coisas que ela não via. Parecia alguém desconfiado, ele tinha o olhar de quem analisava tudo e todos dos que estavam juntos na conversa com Nadia.

    Ace tentara impressionar a Imperatriz com sua camuflagem e tentou surgir ao lado dela. Mas quem estava ao seu lado não era Athens.

    Um escudo do tamanho de uma porta se posicionava a frente de Athens, segurado por Ron.
    Ren erguia a lança elétrica na direção do pescoço do cientista.
    Perz ligara o sabre de luz e apontava da outra direção o sabre de luz na altura do peito de Ace.

    A imperatriz percebia agora como eles podiam ser eficientes, em poucos segundos já estavam prontos.

    [Ron]:Se afaste. Agora.
    [Ren]:Respira nessa direção e você vira decoração de Calthag.
    [Perz]: Eu daria um passo para trás, senhor.

    (Ren passou no teste de Intimidação)

    [Voz masculina]:Algum problema aqui? - a voz vem da plataforma 15. Um homem de pele azul e uniforme que parece de herói da Terra 5.

    Um impasse dryad



    OFF: Devido ao avanço da hora será editado esse post com a qtd de PPs e PHs de vocês assim que possível
    Conteúdo patrocinado


    Re: Capítulo 1 - Por um Punhado de Justiça

    Mensagem por Conteúdo patrocinado


      Data/hora atual: Qua Ago 16, 2017 12:22 pm