Um fórum de RPG online no formato de PBF (Play by Forum).


    Capítulo 1 - Por um Punhado de Justiça

    Compartilhe
    Nazamura
    Cavaleiro Jedi
    avatar
    Cavaleiro Jedi

    Mensagens : 250
    Reputação : 0

    Re: Capítulo 1 - Por um Punhado de Justiça

    Mensagem por Nazamura em Qua Jun 14, 2017 9:15 am





    IA - Artemis escreveu:Sejam bem-vindos, Equipe Azul! A estrela índigo de nossa tripulação - a voz da uma pequena risada. Parece ser a voz de uma mulher modulada vários tons acima - Eu sou Artemis, sua Inteligência Artificial favorita - o display no bracelete exibia a "face" da IA



    Victory Girl escreveu:- Impressionante!  você irá identificar as áreas da nave enquanto passamos por ela certo?   - olhava para o bracelete



    Starman escreveu:- Ah sim... Claro... Assim vocês podem me contar como se conheceram.
    Orochi escreveu:- Me parece interessante capitão, os acompanho.
    Atens escreveu:Em um tom delicado e simpático Atens responde - É uma excelente ideia! Assim podemos nos conhecer.



    Captão Britania escreveu:- Vamos começar conosco então... querem saber como nos conhecemos? - dizia Captão  Britania estampando um sorriso no rosto - Bom tudo começou..




    Victory Girl escreveu:- E la vem historia... Mr. Gutsy, pode me trazer um cappucino com 3 pão de queijo - apoiava o cotovelo por sobre a mesa com as mãos segurando a cabeça enquanto ouvia a historia do capitão

    Como Capitão Britânia e Victory Girl se conheceram:




    Captão Britania escreveu:- Foi durante uma caçada ao cybervilão conhecido como Packrat..



    "A Morgenster Labs é apenas uma das corporações de frente da organização sombria conhecida como "O Labirinto". Uma das especialidades  era adaptar a tecnologia de DNA em animais deixando-os inteligentes e capazes de operar ferramentas

    Então um grupo de proteção aos animais ouviu falar dos testes ilicitos e acharam que estavam vandalizando outro lab na lista de corporações culpadas por torturarem animais inocentes para lucro, durante o incendio, o animal XCV-112890 fugiu para os esgotos, onde começou a ajudar marginais e malandros acabou formando uma gangue e eles o entitularam de Pack-Rat. perito em engenharia, só que ele utilizava suas habilidades com 2 propositos - vingança e lucro"




    Victory Girl escreveu:- Lembram quando houve uma serie de roubos na MarsTech e ASTRO Lab? então foi ele, ele sequestrava os cientistas e atacava de surpresa escavando por debaixo da terra. Eu estava em uma patrulha de rotina e vi a movimentação na Astro LAB, só não sabia que o capitão já estava no rastro dele  




    Captão Britania escreveu:- Na galeria de bunkers abandonados acabamos nos encontrando, foi dificil convencer essa cabeça dura a deixar de ser justiceira e se juntar a organização das nações unidas da terra 5 ...

    "quando a ação começou, Pack-rat aproveitou que estavamos distraidos e disparou sua bazuca de um lugar oculto, enquanto parte do bunker cedia, Vic partiu pra cima dele no que eu segurava o teto pra não cair por sobre nós. Depois da confusão encontramos os 4 cientistas, mas eles eram na verdade os lacaios dele, não estavam amarrados e quase nos pegaram de surpresa, se não tivessemos aprendido ali na hora a trabalhar em equipe, ele teria escapado."



    Captão Britania escreveu:- Foi aí que propus parceria pra Vic e mais tarde ela se apresentou para o trabalho




    Victory Girl escreveu:- Aqueles cientistas fingindo serem sequestrados foi uma jogada e tanto daquele rato    




    Captão Britania escreveu:- Pack-Rat está sobre custódia da ONUT5 até o momento... - O capitão retoma o folego e então se vira para o Drone robo - Eu também vou querer um latte machiatto duplo, e pode me trazer uma porção de ovos como sugeriu robo


    Após terminar de contar a historia de como se conheceram, O capitão dirige a palavra ao grupo



    Captão Britania escreveu:- Pessoal, a resposta da Samurai Rubra foi bem direta e sem rodeios, creio que seremos os batedores para que o comboio principal da aliança venha logo atrás. Meu poder principal vem da força enquanto Victory Girl manipula a luz. Seria interessante conhecer o que cada um de vocês é capaz de fazer pra se precisarmos montar uma estratégia em equipe, de ficar mais facil trabalhar em conjunto. Se quiserem falar um pouco de si mesmos fiquem a vontade.




    Victory Girl escreveu:- Isso é algo que também me preocupa, me parece que não houve um escalonamento por funções, ataque, defesa, suporte, infiltração, inteligencia - Tão logo o capuccino chega, Vic a segura e olha para a caneca quente e depois ao grupo - Britania aqui está mais para um Tanque enquanto eu lhe dou cobertura atirando de longe, mas eu entendo as preocupações dele. Ninguem aqui quer uma segunda antares  




    Captão Britania escreveu:- Sei que ainda faltam outros membros da equipe para conhecer, mas acho que temos tempo até a decolagem. - completava o capitão - E então, quem é o próximo? - dizia em tom amistoso


    Nimaru Souske
    Mutante
    avatar
    Mutante

    Mensagens : 725
    Reputação : 16
    Conquistas :
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/411.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1811.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/712.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1511.png

    Re: Capítulo 1 - Por um Punhado de Justiça

    Mensagem por Nimaru Souske em Qua Jun 14, 2017 2:10 pm

    Iroh permanecia calado enquanto arquivava as respostas da samurai rubra, pois as informações que possuía eram escassas. Ouviu falar de um monstro que nunca fora remetido antes enquanto sua estadia na aliança, o que achava estranho já que parecia que a maioria ali estava ciente desta situação, inclusive do rearranjo universal que ele mesmo só ouvira ser citado por um homem que fora seu alvo durante uma missão de abate.  


    " O que me intriga é o que tem no final desse caminho... muito sugestivo que uma atividade espontânea cause algo tão bem organizado como uma trilha para ser seguida..." Refletia enquanto a mulher continuava sua fala.

    Logo a explicação para sua pergunta foi proferida, o que lhe interessara muito. Parecia uma nobre missão, ao menos falando daquele modo.

    - Entendido, senhora. Espero ser útil em ajudar na conquista desse objetivo. Mais uma rápida continência para agradecer a resposta.

    Após mais algumas palavras da encarregada e alguns olhares curiosos dos demais do local, o grupo finalmente é liberado e segue para o café qual fora ofertado pelo capitão. No caminho, enquanto passavam pelas estruturas gigantescas do local, uma voz sai do bracelete de todos, fazendo o soldado prestar atenção do que dizia. Ficou espantado por aquilo ser uma IA, pois em nenhuma de suas missões anteriores tivera contato com tal tecnologia, mas tinha quase certeza de que fora desenvolvida em seu mundo. Ela os guia até um grande salão feito de refeitório onde se encontravam as mesas que seriam escolhidas pelo grupo para se acomodar, Makuro apenas seguiria-os.

    Logo são recepcionados por um estranho robô, uma mistura de tecnologia avançada militar e um requinte vintage que causava um pouco de estranhamento no garoto, mas que logo se distraía em pensamentos sobre o que iria pedir para se alimentar.

    - Que estranho, pensei que seu modelo fosse construído especificamente para combate. Vejamos se serve como atendente e me traga uma garrafa de energético MK300. Falou com o drone com um tom quase brincalhão, no limite que sua interação social permitia.

    Esperara seu pedido com um pouco de ansiedade, pois seu café da manhã nas instalações da aliança eram regradas com excelência, sem atrasar nenhum dia e sempre fornecendo exatamente aquele mesmo líquido de cor negra que parecia sustentar o garoto por todo dia. Esperava que possuíssem tal mantimento, pois caso contrário, não saberia o que comer.

    Logo o "anfitrião" daquela reunião começara a contar suas histórias, o que fizera Makuro sentir algo que sentira poucas vezes em sua vida. Ele não tivera uma infância comum, mas em alguns momentos pudera ter contato com alguns livros que continham histórias em meio a desenhos e balões de fala que remetiam a heróis de outros mundos e defensores dos justos. Aquela nostalgia fizeram seus olhos brilharem, mesmo que o mesmo não notasse o quão empolgado estava com a história.

    Após isso, veio o que mais interessava à Iroh: a apresentação dos poderes de cada um. Era imprescindível que conhecessem as capacidades uns dos outros para terem uma atuação efetiva caso ocorressem embates pelo caminho. Viu que a união daqueles dois era taticamente pensada, pois enquanto um se encarregava em entrar em combate direto, o outro atacaria ao longe, protegido da maioria dos danos e efetivo em derrubar os adversário. Se perguntava em que ele próprio se encaixava, pois até então nunca entrara em combate ao lado de alguém que possuísse qualquer diferencial que um humano comum.

    - Me chamo Iroh. Sou um soldado da aliança designado a acompanha-los para prestar assistência. Possuo a habilidade de controlar macro e micromoléculas de qualquer tipo de metal, quanto pra defesa quanto para ataque. Faz uma pequena pausa para recuperar o folego. Dentro de meus conhecimentos táticos de combate em grupo, vejo que seria importante um contato simulado entre nossas habilidades em uma área de treinamento para definir as possíveis funções de cada um, antes de qualquer batalha real. Não sei se temos tempo, mas considerem isso apenas um palpite.

    Ele se cala enquanto espera seu pedido e escuta os outros a se manifestarem.
    Lyvio
    Semi-Deus
    avatar
    Semi-Deus

    Mensagens : 6666
    Reputação : 8
    Conquistas :
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/211.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1112.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1011.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/212.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1811.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1413.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/410.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1511.png

    Re: Capítulo 1 - Por um Punhado de Justiça

    Mensagem por Lyvio em Qua Jun 14, 2017 3:33 pm

    Orochi ouve atento as demais explicações da Samurai Rubra e as indagações de todos, mas nada lhe vem a mente para fazer mais indagações, na verdade ele queria era se livrar daquela área e conhecer o ambiente e logo após as explicações, durante a expedição ele descobriria.

    Então seguem pelo Hangar e logo ele se deslumbra com o tamanho daquilo e tudo que acontecia ao redor, Orochi olhava de um lado para o outro distribuindo sorrisos simpáticos e maliciosos para as garotas que considerava mais bonitas, então seu bracelete vibra e logo a imagem de uma bela mulher se projeta. O herói faz uma expressão de agrado:

    -Que bela IA, porque essas coisas sempre são artificiais...

    Encerrava com ar de lamento.

    Ele segue as orientações dela e com o grupo vão para o refeitório que era gigantesco e mais uma vez Orochi para deslumbrado observando o ambiente.

    -Isso aqui é maravilhoso...nunca imaginei ver algo assim aqui, se compara ao palácio de minha mãe na dimensão celestial da terra 5.

    Não demora muito e um robô esquisito os atende, era algo bem bizarro e estranho.

    -Nossa como você é esquisito... Enfim, traga-me essa porção de bacon com ovos mas com algumas torradas e um copo de leite.

    Após isso Orochi ouve as histórias do capitão Britânia e sua companheira, mas já conhecia todas, elas eram transcritas em HQ's para serem revendidas. Na verdade na terra 5 era comum os feitos de seus heróis serem transformados em HQ, assim como foi a luta entre o próprio Orochi e seu irmão Auran, que teve a participação do Starman, culminando com a debandada do vilão.

    Ao ouvir os poderes do Capitão e da Vic, Orochi não se surpreende já os conhecia. Então quem tomou a palavra foi o rapaz esquisito que ele falou inicialmente. O Deus estava curioso quanto a ele e achou interessante seus poderes. "Huumm..parece bem versátil...". Pensava ele.

    Então toma a palavra:

    -Minha vez! Me chamo Yamato no Orochi, sou o filho da Deusa da criação da Terra 5, Gaia e por conseguinte também sou um Deus. Meus poderes são sobre o controle da Luz, focados em ataques a grupos de inimigos, fragilizando-os e causando severos danos diretamente em seus espíritos de modo a derrotar a maior quantidade possível do modo mais rápido possível, evitando mais ferimentos e desgastes desnecessários em combates longos.

    Além disso, tenho a habilidade de curar grupos de aliados, inclusive, trazer de volta a vida grupos de aliados mortos e que tenham suas faculdades físicas e mentais drenadas, mesmo que não estejam mortos.

    Posso ainda manipular a luz para iluminar locais em escuridão e para com o controle dela revelar inimigos invisíveis.



    Ele então pára para respirar um pouco e abre um sorriso orgulhoso de suas habilidades.
    Claude Speedy
    Investigador
    avatar
    Investigador

    Mensagens : 71
    Reputação : 0

    Re: Capítulo 1 - Por um Punhado de Justiça

    Mensagem por Claude Speedy em Qua Jun 14, 2017 3:59 pm

    O presidente Huck assumiu o governo pouco depois de 2018 pela primeira vez. A segunda foi recentemente, eu fico imaginando que foi o fato de que eu levei uma surra extra foi porque roubei as fotos de sua suposta amante nua e enviei para sua esposa de taxi. Eu não me arrependo, a crise em casa ajudou os olhos dele e da imprensa ficarem longe de mim... Enquanto ouço a enfadonha ideia de compromisso social mediante escravidão de minha nova carcereira, apenas tento comentar o desprazer de estar aqui.

    "The Orange is the New Black..."

    - O encontro do ninja com a Samurai? Que coisa mais poética. Pode ter certeza que a falta de consideração é mútua. Eu a saudaria, mas como pode ver estou do outro lado do vidro. E não precisa bancar a "tira boa" sobre o quanto eles foram rudes, a violência sempre foi a linguagem típica da polícia em meu país desde antes deu nascer.

    Antes mesmo de eu comentar sobre onde estamos, ela me informa que é a Terra 1. Eu realmente estou perdido, sabia apenas que a missão era um avanço pelo espaço, ouço ela tagarelar sobre a importância da Aliança. Sei, ela foi tão importante que minha mera agitação e propaganda em nome de uma democracia direta passou de uma contravenção para uma pena de morte graças às novas leis interplanetárias e internacionais. O Brasil só tinha pena de morte em caso de traição à Pátria e ninguém foi condenado à isso... Até agora.

    Ela então continua afirmando que pode me responder perguntas.

    -Então diga logo, Nadia... Se posso te chamar de Nadia, sei que os gringos yankees adoram a formalidade do sobrenome... Mas somos próximos aqui, não? Me explique, garota. O que os burocratas dos juízes esperam de mim em troca do perdão por ter exposto que todos eles que deveriam zelar por nós foram comprados? E sei que vamos para o espaço. Pode me dizer exatamente para onde?

    E com isso tento ir até o armário ver o que existe ali para mim.
    GodsCorpse
    Tecnocrata

    Tecnocrata

    Mensagens : 326
    Reputação : -3

    Re: Capítulo 1 - Por um Punhado de Justiça

    Mensagem por GodsCorpse em Qui Jun 15, 2017 2:27 pm




    Orochi escreveu:-É bom Vê-lo também Starman, assim como o Capitão e a Victory. Parece que vamos trabalhar juntos por um bom tempo agora não? Ah sim, quero lhe agradecer por me ajudar a derrotar meu irmão Auran no nosso último confronto, ele fugiu mas aprendeu uma lição.

    - Sempre à dispor meu caro! Nada como ensinar à alguns membros da juventude uma lição.

    O herói flexiona os músculos, mais por brincadeira do que exibição. Ele não via graça no confronto contra o irmão de Orochi. Não há diversão em combate. Ser herói pelos thrills, como muitos faziam, assustava Starman. Era egoísta, era instintivo demais. E quando alguma coisa deixava de se tornar divertida... que rumo tomaria o herói?
    Os dois tinham poderes ao seu nível, poderes que não poderia brincar. Felizmente, mesmo com um upbringing complicado (julgando a partir do irmão antagônico), Starman ficava feliz que Orochi se mostra "do lado dos anjos".




    Starman ouvia com cuidado o que Nadia falava, levantando mais preocupações sobre o destino da viagem. Bruce abaixou o rosto e sorriu.

    "Se soubéssemos todo o destino, não seria uma aventura.

    Ele encheu o peito e voltou a ouvir as palavras de Nadia. Acreditava que a garota seria uma ótima comandante, mas temia pela experiência... Temia pela experiência de todos. Não que ele poderia falar muito sobre experiência. Tudo bem que estava alguns anos já atuando como Starman, mas... Mas nada prepara para algo do escopo de Antares. Starman volta a olhar ao redor: junto com ele, são outros marcados pelo confronto ou inocentes que nunca devem ter visto medo de frente. Nádia sabia disso.

    Starman largou a postura e falou seriamente - E se não estiverem compatíveis?

    A viagem era uma de exploração, paz, fazer aliados. Ainda assim, é um pequeno batalhão de super-seres viajando os espaços, planeta à planeta, perguntando se queriam se juntar à nossa querida coalização.

    Se eles forem como a Terra 1, que chance eles teriam em dizer não?

    "Estou indo para inspirá-los. Mas, como Orochi disse, 'Não faltam esquisitões' conosco".




    Bruce se surpreende em ver que seu bracelete fala com ele - Olá?... Olá Artemis. Você vai viver nos nossos braços agora? Nada como ter um amigo no alcance do punho.

    "Eles realmente não estão deixando de gastar com essa viagem.

    Mr. Gutsy escreveu: Bom dia senhores! Estamos próximos do lançamento, mas podemos lhes servir o cardápio de café da manhã enquanto não decolamos. Lhes recomendo nossa porção de bacons e ovos, estão Fantastic.
    Starman se vira para ver a chegada de "outro" robô.

    - Estaremos cheio de IAs pelo visto. Nada como uns amigos eletrônicos para energizar as coisas. Traga seis porções do que está oferecendo. E uma Coca-Diet. E vocês amigos, o que vão querer?

    Com os braços cruzados sobre a mesa, Starman observava a dupla contando sua história, bem intrigado. Ele invejava esse tipo de contos quando era ais novo, fazendo parte dos 20% que não tinham poderes, mas agora, essa realidade é muito distante.

    - Aye. Estou ciente das capacidades de vocês. Acho que estou mais ou menos no mesmo campo que o Capitão, só não vôo. Acho que meu verdadeiro super-poder é meu sorriso inabalável. - e como de praxe, sorriu.

    Agora, ele contaria essas histórias. Iroh continuou.

    - Você controla metal. Hummm... Isso é realmente muito útil. E o que você está sugerindo é... Um treinamento de batalha?


    Orochi escreveu:-Nossa como você é esquisito... Enfim, traga-me essa porção de bacon com ovos mas com algumas torradas e um copo de leite.

    Bruce não consegue evitar de rir em ver a resposta direta e honesta ao ver o robô. Era quase como uma criança, inocente com suas palavras, mas ainda assim inocente. Ele lembra de uma sobrinha que costumava dizer "Não dê água para ela, ela é feia".

    Orochi escreveu:-Minha vez! Me chamo Yamato no Orochi, sou o filho da Deusa da criação da Terra 5, Gaia e por conseguinte também sou um Deus. Meus poderes são sobre o controle da Luz, focados em ataques a grupos de inimigos, fragilizando-os e causando severos danos diretamente em seus espíritos de modo a derrotar a maior quantidade possível do modo mais rápido possível, evitando mais ferimentos e desgastes desnecessários em combates longos.
    Além disso, tenho a habilidade de curar grupos de aliados, inclusive, trazer de volta a vida grupos de aliados mortos e que tenham suas faculdades físicas e mentais drenadas, mesmo que não estejam mortos.
    Posso ainda manipular a luz para iluminar locais em escuridão e para com o controle dela revelar inimigos invisíveis.

    - Sou humilde perante a você, caro Orochi. - manteve o sorriso. Realmente admirava as capacidades de seu aliado, tendo visto um pouco quando confrontou seu irmão maligno - Yamato... Isso é Japonês, enquanto Gaia é Grego, não é? Você realmente é filho da Terra.

    "Mas ainda é estranho pra caramba."

    Desde antes de seus poderes, Bruce conhecia alguns heróis de origem divinas e um padrão se estabelecia em cada uma dessas "raças": são tão dividades quanto divindades são alienígenas. É praticamente uma questão de ponto de vista, já que, em sua Terra, a divisão entre Deuses e Supers era tênue demais para qualquer um ser realmente um deus, ou apenas outro metahumano.

    - Você disse... trazer pessoas dos mortos? - Starman larga o sorriso - Isso... isso é...

    As possibilidades de tal capacidade explodiam na mente de Bruce. Todo mundo perdeu demais, ainda mais na Batalha de Antares. Ele não conseguia verbalizar o resto e esperou que alguém o complementasse.

    MINDGAME
    Mutante
    avatar
    Mutante

    Mensagens : 584
    Reputação : 14
    Conquistas :
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/410.png

    Re: Capítulo 1 - Por um Punhado de Justiça

    Mensagem por MINDGAME em Qui Jun 15, 2017 2:32 pm

    Legendas: "Fala ou escrita", "Pensamentos", "Id", "Ego", "Superego", (Offs)

    Orochi: famoso herói da Terra 5, filho de Gaia uma aparente deusa da 5 e possui um irmão vilão igualmente poderoso. Vive entre as pessoas comuns. Id comenta como a quantidade de fanfiction envolvendo ele é obscenamente gigantesca.
    "Pop-stars costumam se considerar divindades... esse ao menos tem razão."
    Starman: herói icônico da Terra 5, da MultiTerra e da Batalha de Antares. Repleto de amigos, colegas e inimigos pode ser considerado um veterano. Existem registros obscuros na deep web de que teria sido uma pessoa comum antes de seu estrelato como herói, o nome de uma empresa de eletrodomésticos surge vez ou outra assim como referências a um ator careca da Terra 1 no google imagens. Superego boceja.
    "Está pensando no que estou pensando, Id?"
    "Casaco vermelho com decorações brancas, botas pretas e um trenó?"
    "Com a equipe de marketing adequada, nem precisaria do trenó!"
    Captain Britain e Victory Girl: herói britânico da Terra 5, famoso e com uma parceira de reputação semelhante. Victory Girl não parece ser a primeira parceira de justiça do Capitão, as notícias de desaparecimento da primeira são bem vagas. Há uma forte conexão na busca com Capitão e a ONUT5, igualmente para a Victory Girl. As três personas da IA reagem sobre o uniforme dela.
    "Você deve ficar adorável em um collant branco."
    "(sedutora) Mais tarde eu vou ficar muito mais do que adorável, Ace..."
    Iroh: o garoto parece estar ligado a diversos experimentos da Terra 3, todos devidamente confidenciais e protegidos por complexos sistemas de segurança. Uma busca rápida determina que ele parece ser natural japonês, possui parentes vivos mas viveu a vida toda em instalações militares e cresceu nos Estados Unidos da Terra 3. Makuro parece ser o provável nome dele. Ele é considerado um projeto finalizado. Id quer conhece-lo.
    "Nem pensem nisso, vocês dois!"
    "Você não pode dissecar um ser humano vivo, Albert, mesmo que ele seja modificado."
    "Ninguém precisa saber se não tocarmos nele."
    Olho através da constituição de Iroh, tentando identificar o que foi modificado em seu corpo.
    (Off = Lentes e receptores especiais: Perception +12 +SECOND CHANCE) MINDGAME efetuou 2 lançamento(s) de dados (d20.) :
    3 , 17
    (Off = Treatment ou Expertise adequado +13) MINDGAME efetuou 1 lançamento(s) de dados (d20.) :
    1
    "Conte-me seus segredos e diga-me o que fizeram com você."
    Evan: segundo no comando do Órion. Histórico militar impecável, soldado modelo. Lutou na Batalha de Antares e foi considerado o autor do Milagre de Antares, um evento de virada no destino do confronto. Possui família na Austrália da Terra 3. Evan tem o nome citado em alguns projetos confidenciais da Terra 3, os termos "aprimoração" são repetidos várias vezes. As três personas o odiaram
    "(Entediada) Chaaaaatooooo!"
    "Escoteiros. Fáceis de serem manipulados, nada originais."
    Nadia: heroína com 96% de aprovação geral da MultiTerra, natural da Terra 5, americana naturalizada japonesa. Os detalhes de seus feitos parecem inventados, desde a cortar o componente eletrônico de um mecha em plena queda com cinco milimetros de precisão a saltos de prédios amortecidos por lençois em um varal, mas as fontes são confiáveis. Noiva de Drake Corson, o Viper, em coma por seis meses ainda em estado grave. Suas habilidades parecem ligadas a suas espadas. As personas discutem entre si sobre a veracidade das informações
    "(Surpresa) E ainda tem uma bundinha linda!"
    "Ela é o Barão de Münchhausen?"
    "As fontes são confiáveis."
    "(irônica) Ela deve transar com essas fontes confiáveis."
    "Noivo em coma, seis meses na seca..."
    "(Sedutora) Ela fica mais interessante a cada minuto!"



    "(Confusa) Esse firewall... seja o que for é mais protegido do que um banco."
    Sorrio com confiança.
    "Soa como um desafio. Parece que a viagem não será tão monótona afinal. Me avise se encontrar uma brecha."



    "A druida parece preocupada."
    "Ela devia só estar querendo uma cabine com janela. Mas iria perceber cedo que a radiação do sol não se estende por toda a galáxia."
    "Vai ao menos oferecer ajuda?"
    "Não. Já quebrei o gelo. Agora tenho que me fazer de difícil."



    Nadia Dewitt escreveu:Aqueles que me conhecem sabem como eu gosto de lidar com as coisas: eu sou sincera, num nível que irrita muita gente. Não vai ser agora que eu vou esconder o jogo com vocês
    Nós não fazemos ideia do que é a assinatura de energia sentida e detectada no fim da galáxia. Cada um de cada Terra afirma uma coisa diferente. Nada impede dessa coisa ser mais um daqueles monstros de Antares...
    O que sabemos é de que todo o universo se rearranjou ao redor do sistema solar e da MultiTerra. Planetas novos, constelações novas...e também transmissões de rádio novas.
    Não escondo a frustração perante a resposta.
    "Por que eu não fui consultado?"
    "Porque você se exilou do resto do mundo."
    "Fico seis meses fora e a civilização retorna a era das trevas."
    "(Irônica) Claro, eram todos homens das cavernas antes de você nascer."
    Nadia Dewitt escreveu:Há uma espécie de trilha de sinais que encontramos flutuando no espaço, elas são o que confirmam que há vida nos planetas que iremos. Não sabemos o quão inteligente ou avançados serão, se são outras Terras ou os planetas da República da 4. Só sabemos que há um padrão, elas seguem um caminho...eu não sou a especialista no assunto, a nossa piloto poderá esclarecer melhor, mas basicamente o espaço agora está cheio de nuvens de energia cósmica altamente corrosiva, algo do tipo. O caminho dessas transmissões é justamente o trecho livre dessas nuvens, então nós precisamos passar por esses lugares de qualquer jeito.
    "Imagino que queiram meu parecer. Onde posso analisar a assinatura encontrada?"



    Nadia Dewitt escreveu:Iremos prestar suporte a cada um desses planetas e talvez até mesmo integra-los a sociedade da Aliança se eles forem compatíveis com nossa visão.
    "(Entediada) Chaaaaatooooo!"
    Nadia Dewitt escreveu:Nós vencemos aquelas coisas só com cinco Terras, se tivermos a ajuda de mais delas...
    "Mais inocentes morrerão."
    Nadia Dewitt escreveu:Eu confio que as lições que aprendemos naquele evento serão o que nos garantirá a vitória em situações assim. Eu confio em vocês, espero que confiem em minha liderança.
    "Ela confia em mim?!
    Como ela quer conquistar minha confiança mentindo dessa forma?
    Ela nem me conhece! Eu não confiaria em mim..."




    Nadia Dewitt escreveu:Temos a nova geração de comlinks e transmissores galaxynet da Terra 4 e 3, se a radiação no espaço não atrapalhar vocês poderão sim se comunicar com as Terras. Mas como você mesma disse, essa é uma missão secreta também, o público saberá de nossos feitos em operação mas não receberá detalhes para preservar a segurança de nossa Expedição. Toda comunicação com as Terras passa por nossa Inteligência e pode sim ser interceptada caso dê algum detalhe confidencial por engano.
    Sorrio com o canto do lábio.
    "(Empolgada) !!!!
    Significa que, se nos infiltrarmos na inteligência..."

    "Será tudo nosso, gata."



    Nadia Dewitt escreveu:Ah! Desculpe, você é o amigo do Sho, certo? Você é indicação direta dele, o cara gosta de você, não sabia que o chefe de Artilharia tinha amigos humanos. O seu codinome está como Lazarus, acho que é uma piada entre os dois...apesar de eu achar um tanto de mal gosto
    Falo mais baixo, em particular com a Comandante, como se revelasse segredos.
    "Ele é fã do David Bowie.
    E acho que tem uma queda por mim..."
    Nadia Dewitt escreveu:Ele deve estar te esperando lá dentro
    "Será que você pode me livrar dessa, Comandante?
    Ele costuma ficar chapado e me ligar de madrugada cantando essa musica... alguma coisa sobre um pássaro azul.
    Talvez seja mais adequado manter a minha presença aqui de forma mais... discreta.
    Só preciso do acesso. Sob a sua supervisão, é claro. Aqui estão minhas credenciais."

    "Por que toda essa enrolação?
    Espera, você também é padre?"

    "Você não sabia?! Eu achava que era por isso que você gostava daquela fantasia de noviça."
    "Não precisa responder agora e não quero ocupar seu tempo. Conversamos mais tarde.
    A que horas estará livre e onde posso te encontrar?"

    ".................... gênio!"
    "(Entediada) Como se ela fosse cair nessa."



    Ron escreveu:Se afaste. Agora.
    Ren escreveu:Respira nessa direção e você vira decoração de Calthag.
    Perz escreveu:Eu daria um passo para trás, senhor.
    Após me dirigir a Atens, minhas percepções se aguçam analisando os padrões de linguagem corporal dos soldados.
    Referencia:
    Meu semblante se altera involuntariamente em reação e a sensação é boa.
    "(Assustada) Cannon, não!"
    "Cuidado com as suas palavras, Albert."
    "(Sedutora) Humilha eles, Ace!"
    (Off = THE LAST WORD: Intimidation +Bônus de cada um contra si próprio) MINDGAME efetuou 3 lançamento(s) de dados (d20.) :
    12 , 6 , 18
    Minha entonação se torna tão arrogante quanto as dos soldados.
    "Acho que não fomos devidamente apresentados. Eu sou o responsável pelo artefato que permite que disparem um canhão contra a sua imperatriz sem estragar a maquiagem dela. Uma das coisas mais simples que já fiz na vida é mais eficiente em protegê-la do que vocês seriam capazes se jogando sobre granadas.
    Se quiserem descobrir as mais complexas, avancem, me toquem e eu garanto que eu serei a última coisa que vocês serão capazes de tocar. Do contrário, botem seus rabos entre as pernas e voltem a cheirar o do seu alfa."

    Termino a sentença apontando com a cabeça para Atens.
    "(Empolgada) WOOOOOOOOOOOW!"
    Voz masculina escreveu:Algum problema aqui?
    Permaneço em silêncio observando a reação dos três, tentando evitar expor o fato de eu estar acuado por Ren.
    "Abaixem as armas... droga... Atens, manda logo eles abaixarem as armas."
    "(Entendiada) Eu avisei que era uma má ideia..."
    "Podia ser pior..."
    IsabelMuller
    Cavaleiro Jedi
    avatar
    Cavaleiro Jedi

    Mensagens : 191
    Reputação : 16

    Re: Capítulo 1 - Por um Punhado de Justiça

    Mensagem por IsabelMuller em Sex Jun 16, 2017 12:26 am

    Trajeto:

    Ao olhar para a Imperatriz ele a vê caminhando tranquilamente e pode ser invadido por um sentimento de admiração.

    @Isaac-sky escreveu:[Evan]:O lançamento está ficando atrasado. O cadastro já estava pronto porque já configuramos seus braceletes com antecedência, eles são meio problemáticos com não humanos, por isso já agilizamos o seu procedimento e de outros não humanos - o tom é de cordialidade.

    Atens sorri com o termino da frase do Capitão Evan, embora algo nele ainda a incomodasse, aquela resposta era suficiente no momento. Talvez, fosse o fato dele parecer alguém importante.

    Atens -Compreendo Capitão.



    A cordialidade e o respeito demonstrados por Perz agradam a Imperatriz. A postura dos três após sua ordem de respeitarem-se, mostra que talvez aquilo pudesse realmente funcionar.

    "Espero que eles tenham entendido que não irei tolerar desavenças, mas teremos tempo para trabalhar isso mais tarde."

    Plataforma-15/Antes:

    A Imperatriz apenas observava atentamente as respostas de Nadia que estava se saindo bem diante aquele pequeno momento de tensão.
    “Pelo menos não trata-se de nenhuma amadora. Por hora, isso basta.”

    @Isaac-sky escreveu: [Nadia]:Aqueles que me conhecem sabem como eu gosto de lidar com as coisas: eu sou sincera, num nível que irrita muita gente. Não vai ser agora que eu vou esconder o jogo com vocês - ela responde olhando para o Capitão - Nós não fazemos ideia do que é a assinatura de energia sentida e detectada no fim da galáxia. Cada um de cada Terra afirma uma coisa diferente. Nada impede dessa coisa ser mais um daqueles monstros de Antares... - ela respira fundo, provavelmente havia se preparado para falar daquelas coisas antes - O que sabemos é de que todo o universo se rearranjou ao redor do sistema solar e da MultiTerra. Planetas novos, constelações novas...e também transmissões de rádio novas.

    “Transmissões!!! Essa é nova. Eles devem ter encontrado essas transmissões a pouco tempo. Posso estar enganada, mas não me parece que isso seja sigiloso. Pode ser que exista alguma de Athantis! Talvez, mais tarde, deva oferecer-me para traduzi-las, se é que elas dizem algo e não tratam-se de simples ruídos.”

    @Isaac-sky escreveu: [Nadia]:Há uma espécie de trilha de sinais que encontramos flutuando no espaço, elas são o que confirmam que há vida nos planetas que iremos. Não sabemos o quão inteligente ou avançados serão, se são outras Terras ou os planetas da República da 4. Só sabemos que há um padrão, elas seguem um caminho...eu não sou a especialista no assunto, a nossa piloto poderá esclarecer melhor, mas basicamente o espaço agora está cheio de nuvens de energia cósmica altamente corrosiva, algo do tipo. O caminho dessas transmissões é justamente o trecho livre dessas nuvens, então nós precisamos passar por esses lugares de qualquer jeito.

    “E eis que revela-se o verdadeiro motivo de estar aqui. Encontrar Athantis.”

    @Isaac-sky escreveu:[Nadia]:Nós vencemos aquelas coisas só com cinco Terras, se tivermos a ajuda de mais delas... Eu confio que as lições que aprendemos naquele evento serão o que nos garantirá a vitória em situações assim. Eu confio em vocês, espero que confiem em minha liderança.

    A Imperatriz revela em seu olhar uma leve preocupação com aquela fala.

    “Não creio que tenhamos aprendido o suficiente. Se tivéssemos essa fala seria um tanto diferente. Nenhuma vitória é garantida até que ocorra. Além de que é necessário qualidade juntamente com quantidade.”

    A Imperatriz destina um leve sorriso a Nadia e faz um gesto sutil de afirmação com a cabeça após a última fala.

    “Cedo para confiança, mas creio que seu cargo não foi uma escolha aleatória e portanto eu respeitarei.”

    VictoryGirl escreveu:- Eu também tenho uma pergunta - interpõe Victory girl - Haverão com-links para comunicarmos com a Terra ou essa é uma missão secreta?

    @Isaac-sky escreveu:[Nadia]:Temos a nova geração de comlinks e transmissores galaxynet da Terra 4 e 3, se a radiação no espaço não atrapalhar vocês poderão sim se comunicar com as Terras. Mas como você mesma disse, essa é uma missão secreta também, o público saberá de nossos feitos em operação mas não receberá detalhes para preservar a segurança de nossa Expedição. Toda comunicação com as Terras passa por nossa Inteligência e pode sim ser interceptada caso dê algum detalhe confidencial por engano.

    "Como prevíamos, poderei apenas mandar sinais de vida. Lyan terá que lidar sozinho com nosso povo e espero que não falhe. Principalmente na missão que deixei."

    “Com exceção daquele olhar erradico ele não parece apresentar mudanças, o que tem seu lado bom e ruim. Se, no fim, provar-se que nem mesmo a perda de Arian o fez amadurecer, talvez nada fará ou ele nunca a tenha amado de verdade. E, sendo assim, eu cometi um dos piores erros de minha vida ao permitir que ela se envolvesse tanto. Ele despreza praticamente todas as pessoas que o rodeiam e doí-me tanto pensar que talvez ele tenha visto em minha amada prima apenas um meio de extrair mais informações.”

    @MINDGAME escreveu:Ace- "Vossa majestade imperial não me viu no funeral... porque eu não queria ser visto."

    Atens - Tentar insultar-me Dr. Cannon não vai trazê-la de volta para nenhum de nós.-Atens tinha um tom gentil e levemente melancólico em sua voz.

    A Imperatriz percebe o tom de melancolia em sua voz e nota que deixou transparecer mais do que pretendia.

    “Por mais que eu queira não demonstrar o quanto isso ainda me perturba, as vezes é impossível.”

    Atens sente o peso da perda de Killian e Arian afetando-a enquanto Ace desaparece.

    “Sem eles, tudo que restou é mentira.”

    @MINDGAME escreveu:Ace- "Se quer mesmo saber o que houve, terá que ser em outra hora. Em particular."

    Atens esforçava-se para manter uma postura leve e uma expressão tranquila enquanto tentava controlar suas emoções, mas o aperto em seu peito já era tão intenso que ela sentia sua respiração pesada.

    “Droga! Isso tinha parado.”

    A confusão iniciada pela atitude de Ace em desaparecer e tentar reaparecer a seu lado fornece a Imperatriz, em um golpe de sorte, a distração perfeita para recompor-se ou a desculpa perfeita para justificar seu desconforto.

    @Isaac-sky escreveu:[Ron]:Se afaste. Agora.

    [Ren]:Respira nessa direção e você vira decoração de Calthag.

    [Perz]: Eu daria um passo para trás, senhor.

    @MINDGAME escreveu:Ace- "Acho que não fomos devidamente apresentados. Eu sou o responsável pelo artefato que permite que disparem um canhão contra a sua imperatriz sem estragar a maquiagem dela. Uma das coisas mais simples que já fiz na vida é mais eficiente em protegê-la do que vocês seriam capazes se jogando sobre granadas.
    Se quiserem descobrir as mais complexas, avancem, me toquem e eu garanto que eu serei a última coisa que vocês serão capazes de tocar. Do contrário, botem seus rabos entre as pernas e voltem a cheirar o do seu alfa."

    Até esse momento a existência de tal artefato era desconhecida pelos três guardiões.

    Atens - Já basta! - O tom de Atens demonstra que aquilo era uma ordem para que todos recuassem, a situação estava tomando proporções graves. Por sentir a necessidade de acalmar os ânimos da confusão qualquer um dos quatro olhar para a Imperatriz nesse momento, além de vê-la se afastando, poderá sentir-me mais calmo.

    Caso eles não recuem e insistam no confronto ela dirá:Atens -Eu disse que já chega! É uma ordem.

    A Imperatriz já esperava que Ace tentasse constrange-los e não demonstra nenhuma surpresa com aquela atitude. E, embora ela o visse como uma criança, assim como um dia o também o considerou parte da família, Atens jamais permitiria que rebaixasse aqueles que a protegeriam com suas vidas. Em um tom extremamente sério ela continua:

    Atens - Obrigada, Dr. Cannon. Com seu ato infantil demonstrou não só a agilidade e eficiência de minha equipe em proteger minha vida como também revelou que foi um grave erro preocupar-me com o Senhor após o que aconteceu.

    “Eu realmente pensei que ele pudesse sentir a perda dela como eu senti, mas agora cada vez mais tenho a sensação de que só o que importa a ele são as coisas materiais, o conhecimento, o poder, o status e... Só tem um conselho de minha prima que causa-me arrependimento: Contratá-lo. Em pensar que só aceitei que ele fosse o responsável pelo desenvolvimento porque ela estava interessada nele! Sem saber eu a conduzia para a morte enquanto tentava fazê-la feliz.”

    Atens foca seu olhar em Ace antes de continuar.

    Atens -Isso poderia ter sido evitado Dr. Cannon e o Senhor teria sido devidamente apresentado se tivesse respondido ao menos uma das diversas vezes que tentei contata-lo e não tivesse me deixado pensar que estivesse morto.

    Atens olha para os três guardiões e para Ace. A imperatriz já havia se distanciado um pouco mais da confusão e demonstrava uma postura firme, embora uma observação mais cuidadosa pudesse notar certa tristeza em seus olhos.

    Atens - Dr. Albert Cannon era o noivo de minha falecida prima: A Conselheira Arian. Apesar de inconveniente não é uma ameaça a minha vida. Lembrem-se estamos aqui por um objetivo maior, somos aliados e não inimigos. Além de estarmos na mesma equipe. Portanto, devemos agir de acordo!

    @Isaac-sky escreveu: [Voz masculina]:Algum problema aqui? - a voz vem da plataforma 15. Um homem de pele azul e uniforme que parece de herói da Terra 5.

    “Era só que faltava iniciarem uma briga pouco antes de embarcarmos e isso nos causar problemas!! Isso é, sem dúvidas, irritante e um contratempo inconveniente.”

    A Imperatriz volta-se na direção da voz entrelaçando as mãos atrás do corpo e mantendo sua postura imponente embora revelasse estar desconfortável. Atens estava profundamente irritada, mas esforçava-se ao máximo para não demonstrar. Em um tom respeitoso ela diz:

    Atens - Perdoe-me por preocupa-lo. Uma exibição exagerada e inapropriada de habilidades foi tomada como um ataque e risco de vida. Cuidarei para que esse mal entendido não se repita.- Atens demonstrava em sua fala e expressões seriedade e que estava constrangida com a situação na qual envolveu-se. O herói pode ser tomado por um sentimento de empatia ao olha-la.

    Atens olha para os quatro com uma expressão séria, ela estava orgulhosa da resposta rápida que os três tiveram diante a uma possível ameaça e eles poderiam notar isso em seu olhar. Para Ace seu olhar revela reprovação e tristeza.  A imperatriz tenta transmitir um sentimento de calma a todos.

    Caso não existam interferências e a situação já esteja sobre controle ela volta-se novamente ao herói de pele azul e diz em um cordial: Atens - Agradeço sua atenção. Com licença, Senhor.- Sem mais palavras a Imperatriz apenas inicia sua caminhada para dentro da Orion.
    MINDGAME
    Mutante
    avatar
    Mutante

    Mensagens : 584
    Reputação : 14
    Conquistas :
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/410.png

    Re: Capítulo 1 - Por um Punhado de Justiça

    Mensagem por MINDGAME em Sex Jun 16, 2017 4:46 pm

    Legendas: "Fala ou escrita", "Pensamentos", "Id", "Ego", "Superego", (Offs)

    Atens escreveu:Tentar insultar-me Dr. Cannon não vai trazê-la de volta para nenhum de nós.
    "Insultar?
    Ela está paranoica?"

    "Você não a vê desde o funeral e ela se isolou nesse meio tempo. Provavelmente pelo mesmo motivo."
    "É como pisar em ovos..."



    Atens escreveu:Já basta!
    Eu disse que já chega! É uma ordem.
    Novamente a sensação boa enquanto minhas percepções se aguçam analisando os padrões de linguagem corporal da imperatriz.
    "CANNON!"
    "Não."
    Cancelo a sub-rotina antes de reagir.
    Atens escreveu:Obrigada, Dr. Cannon. Com seu ato infantil demonstrou não só a agilidade e eficiência de minha equipe em proteger minha vida como também revelou que foi um grave erro preocupar-me com o Senhor após o que aconteceu.
    "Ela achou infantil?"
    "Eles definitivamente não acharam."
    Atens escreveu:Isso poderia ter sido evitado Dr. Cannon e o Senhor teria sido devidamente apresentado se tivesse respondido ao menos uma das diversas vezes que tentei contata-lo e não tivesse me deixado pensar que estivesse morto.
    "Eu estava morto, Atens!"
    Respondo sem esconder a irritação.
    "Não tenho paciência para isso agora."
    Retorno ao meu estado estrutural padrão (UNCANNY REGENERATION), desvio o olhar e dou as costas para o grupo de Dryads.
    "Na próxima vez, majestade, não mande mensagens. Me procure pessoalmente e sem seus cães de guarda."
    Sigo, com um gosto amargo na boca, na direção em que a equipe foi, ignorando o restante do diálogo.
    "Por que você está tão irritado agora?"
    "Há poucas coisas que eu respeito de verdade. "Poder", é uma delas. Não o poder virtual ao qual as pessoas se apegam e continuam miseráveis. Poder de verdade.
    A Atens tem poder. Ela o emprega em cada palavra, em cada gesto, e eu já vi o que ela pode fazer.
    Eu te admirava pelo mesmo motivo. Só tive certeza do que eu realmente sentia por você, de que não era apenas o que você queria que eu sentisse, quando eu te perdi. Mas eu não posso respeitar ela nesse estado."

    "Ela está sofrendo. Pode sentir na voz dela. Na postura dela. Ela não superou."
    "E eu não posso ajudar a imperatriz a recobrar a sanidade."
    "Poderia... se quisesse."
    "Tem razão, não quero. Não gosto de ser ofendido gratuitamente. Por mais que ela esteja fora de si, vai precisar se encontrar sozinha."
    "Sinto falta dela..."
    "É...
    Eu sei..."

    Ao chegar no refeitório, me aproximo da equipe e, com o semblante desanimado, sento próximo a druida, então me debruço sobre o prato e suspiro, expondo cansaço.
    "Como eu posso te animar, Ace?"
    "...
    Vai brincar com as outras inteligencias artificiais e me traz algo bem gostoso."

    "Alguma dica?"
    "Me surpreenda."
    (Off = Interações normais através do OMNIAPP)
    "Dormitórios sem janela, não é?!"
    Mantendo um tom desanimado, me dirijo a druida sem olhar para ela.
    isaac-sky
    Tecnocrata
    avatar
    Tecnocrata

    Mensagens : 388
    Reputação : 12
    Conquistas :
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/411.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/212.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/410.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1511.png

    Re: Capítulo 1 - Por um Punhado de Justiça

    Mensagem por isaac-sky em Dom Jun 18, 2017 1:12 am

    @Claude Speedy:


    12 de Abril de 2027, 00h20: 12 horas antes da decolagem do SR-Órion Nexus

    A tensão entre Elias e a Samurai Rubra não podia ser impedida nem mesmo pela parede de vidro.

    Elias escreveu:- O encontro do ninja com a Samurai? Que coisa mais poética. Pode ter certeza que a falta de consideração é mútua. Eu a saudaria, mas como pode ver estou do outro lado do vidro. E não precisa bancar a "tira boa" sobre o quanto eles foram rudes, a violência sempre foi a linguagem típica da polícia em meu país desde antes deu nascer.

    Nadia vira os olhos, claramente incomodada com aquela conversa.
    [Nadia]: Se eu tivesse deixado o policial mal vir, você não ia ter só um hematomas - ela comenta ficando bem próxima da parede de vidro.

    Elias escreveu:-Então diga logo, Nadia... Se posso te chamar de Nadia, sei que os gringos yankees adoram a formalidade do sobrenome... Mas somos próximos aqui, não? Me explique, garota. O que os burocratas dos juízes esperam de mim em troca do perdão por ter exposto que todos eles que deveriam zelar por nós foram comprados? E sei que vamos para o espaço. Pode me dizer exatamente para onde?

    [Nadia]:No Japão você trata alguém com respeito pelo sobrenome, mas não vou exigir isso de alguém como você. Você possui uma filosofia forte, Elias, nisso eu nunca discordarei. Mas sei também que já cometeu coisas horrendas em nome dessa filosofia, e por isso eu não confio em você - a samurai não gostava do ninja, isso era muito claro - Mas a decisão de te mandar nessa missão não foi minha. O Conselho da Aliança decidiu que você seria necessário.

    O Anonimo vai até o armário. Lá encontra seu antigo equipamento de combate, sua máscara e um bracelete preto.
    Sua katana, suas shurikens, talvez o ninja pensasse que nunca mais os veria.

    [Nadia]:O bracelete te garante abrir aquela porta - a Samurai Rubra aponta para uma pequena interface na parede de vidro de sua cela - Lhe foi concedido liberdade no setor de Contenção da Nave. Se você se comportar nós vamos aos poucos lhe permitir acessar o restante da nave.

    O bracelete se adapta perfeitamente ao braço do ninja. Uma luz azul é emitida num led.

    [Nadia]:Nós vamos explorar o novo universo que se rearranjou ao redor da MultiTerra, vamos para os planetas habitados no caminho até uma fonte de energia detectada no outro lado da galáxia. Amanhã decolamos, fique a vontade para explorar a área, esse espaço foi projetado para acomodar você e os outros na mesma condição.

    A Samurai se afasta e vai até um elevador.

    [Nadia]:Ah, antes que eu me esqueça, você está expressamente proibido e impedido de acessar qualquer tipo de tecnologia com conexão intra,inter ou extranet - a porta do elevador se fecha.


    Elias se vê sozinho num grande espaço que parece um depósito: inúmeras outras celas parecidas com a sua, ao fundo um espaço do que parecem ser algumas mesas, em outro ponto do lugar alguns itens de lazer como mesa de sinuca e diversos equipamentos. O ar parece bem denso e o teto parece um pouco mais baixo que o normal para uma nave.

    O ninja estaria completamente sozinho se do seu bracelete não surgisse uma voz feminina aguda:
    [Artemis]:Boa noite! Eu sou a Artemis! - o "avatar" da IA surge na tela do bracelete - Sua Carcereira Virtual favorita!





    12 de Abril de 2027, 11:25h: vinte minutos antes da decolagem do SR-Órion Nexus

    @MINDGAME:


    Nadia ri imaginando o Meruda cantando.

    [Nadia]:Eu entendo Doutor, acredito que seja pensando nisso que seu registro é um codinome feito por ele. Sua presença pode ser discreta se assim preferir mas eu não acho que vá conseguir evitar o Sho, ele é o Chefe da Artilharia. Você vai ter de aguentar algumas músicas se quiser ter acesso a Engenharia por completo - a Samurai age com gentileza e educadamente se dirige ao grupo seguinte, a Equipe Laranja.


    @MINDGAME e @ISABELMULLER:


    Era um conflito inevitável. Palavras há muito tempo guardadas entre os dois eram trocadas como socos.
    Doloroso para ambos.

    @Ace escreveu:Ace- "Acho que não fomos devidamente apresentados. Eu sou o responsável pelo artefato que permite que disparem um canhão contra a sua imperatriz sem estragar a maquiagem dela. Uma das coisas mais simples que já fiz na vida é mais eficiente em protegê-la do que vocês seriam capazes se jogando sobre granadas.
    Se quiserem descobrir as mais complexas, avancem, me toquem e eu garanto que eu serei a última coisa que vocês serão capazes de tocar. Do contrário, botem seus rabos entre as pernas e voltem a cheirar o do seu alfa."

    Ren, a dryad mais baixa que o doutor, muda o semblante para raiva. Ron parece apreensivo e continua com o escudo erguido e Perz permanece na mesma posição.

    Atens ordenou que parassem.

    Perz desligou o sabre de luz enquanto o escudo de Ron retornava ao formato de disco em seu punho.
    Ren encarou o doutor por mais alguns segundos antes de desligar a lança. Os três se colocam para trás da Imperatriz.

    Atens escreveu:
    Atens - Dr. Albert Cannon era o noivo de minha falecida prima: A Conselheira Arian. Apesar de inconveniente não é uma ameaça a minha vida. Lembrem-se estamos aqui por um objetivo maior, somos aliados e não inimigos. Além de estarmos na mesma equipe. Portanto, devemos agir de acordo!

    [Ron]:Nos perdoe Vossa Graça, a movimentação dele era estranha - o protetor agia com cordialidade.
    Ren continuava a encarar o doutor. Perz permanece calado.

    Ace termina a discussão andando até o Órion apressado. Os dryads protetores acompanham sua movimentação com o olhar.

    Atens escreveu:Atens - Perdoe-me por preocupa-lo. Uma exibição exagerada e inapropriada de habilidades foi tomada como um ataque e risco de vida. Cuidarei para que esse mal entendido não se repita.- Atens demonstrava em sua fala e expressões seriedade e que estava constrangida com a situação na qual envolveu-se. O herói pode ser tomado por um sentimento de empatia ao olha-la.

    O homem de pele azul respira aliviado e sorri. Parece até mesmo a expressão de uma criança.


    [Adrastrea]:Ufa! Achei que ia ter de lutar ou algo parecido, e a gente nem decolou ainda haha - o herói ri - Prazer, eu sou Adrastrea, herói da Terra 5. Vamos entrando? A Nadia tá terminando de falar com a última equipe, a gente vai decolar logo.

    Os dryads e o heroi embarcam no Órion.

    Ren assobia ao ver o tamanho do hangar
    [Ren]:Caramba, os caras não estavam brincando. Deve caber todo um povo aqui.
    [Perz]:Interessante, é um pouco maior que um cruzador.
    Ron permanece calado.

    [Adrastrea]:Haha, é grande né. Com licença, a Nalaror deve estar me procurando e eu já aprendi que ver um skaaveri irritado é tipo, bem ruim - o herói voa para outro ponto do hangar.

    [Artemis]: Olá dryads! Sou Artemis sua Inteligência Artificial oficial! A Equipe Índigo está no refeitório, posso guiar vocês até lá - um avatar feminino surge nos braceletes dos quatro.

    O grupo segue para o refeitório, o movimento para lá é grande.





    Celas de Contenção


    Anônimo

    Blood Bones

    Tenebrae



    @Claude Speedy:


    As horas se passaram com certa rapidez. Durante a madrugada e manhã alguns dos aquario-cela eram preenchidos com pessoas.
    Próximo a cela de Elias estão duas: em uma entra um homem com um capacete em formato de caveira, roupas vermelho-sangue. Em outro a luz da cela escurece e o Anônimo só enxerga duas luzes, os olhos de alguém.

    Eles permanecem calados, parecem ter recebido seus briefings antes de entrarem nas celas.

    O lugar começa a emitir uma vibração leve, como se algo tivesse sido ligado. Em seu bracelete um aviso de delocagem era emitido, recomendando de que permanecesse sentado no momento.






    @MINDGAME:


    Até mesmo o veterano cientista da Terra 3 podia notar a grandiosidade daquele hangar e do equipamento de ponta sendo transportado ali
    Seu bracelete ativa um visor, um avatar de uma bela mulher surge e se apresenta.

    [Artemis]:Olá eu sou Artemis! Sua Inteligência... - ela para um instante, como se processasse algo novo - ...Artificial favorita!

    (@MINDGAME, faça um teste de Technology)

    [Artemis]:Sua equipe está reunida no refeitório da nave. Eu vou te guiar - o avatar dá uma piscadela e indica o caminho.

    Os corredores são muito limpos e possuem um visual muito diferente do exterior rústico da nave. Parece até mesmo que a nave havia sido projetada por equipes diferentes com ideias completamente distintas.


    12 de Abril de 2027, 11:35h: próximo a decolagem do SR-Órion Nexus

    Refeitório Órion

    Iroh

    Ace

    Starman

    Athens

    Orochi

    Capitão Britânia

    Victory

    Ron

    Ren

    Druida

    Perz


    O grupo reunido no refeitório aproveita o tempo antes da decolagem para se conhecerem.

    Mr Gutsy anota o pedido de todos e prontamente se dirige a cozinha. Em poucos minutos ele já retornara com os pratos e bebidas pedidos.
    [Mr.Gutsy]:Oh mas que grupo adorável, por favor voltem a noite para o jantar. O Chef irá preparar o que eu acho o mais delicioso prato já feito hahahaha - o robô parece ter uma personalidade própria - se eu tivesse paladar é claro.
    Mr. Gutsy sai da mesa rindo sozinho, um som monocorde que mais parecia um despertador.

    Entre eles, a mulher de máscara permanece calada. Ela apenas negou com a cabeça quando Mr. Gutsy havia falado sobre os pedidos.

    O refeitório está agora muito mais cheio: soldados, cientistas, engenheiros, herois e magos.
    É possível ver que há uma pequena equipe de filmagem com uniformes da Aliança num ponto alto fotografando o local e as pessoas: pelo visto até mesmo uma equipe de imprensa estava na tripulação.

    [Artemis]:O Órion está equipado com uma Sala de Combate de Nível Sigma, caso queiram acesso a ela entrem em contato com Adrastea - a IA comenta ao ouvir sobre o assunto treinamento de combate. Seu avatar dá um sorriso e pisca com um dos olhos.

    [Interfone]:Tripulação Órion aqui quem fala é Nalaror Xarophav, Piloto-Capitã da nave. Decolaremos em quinze minutos, nossa previsão de salto é daqui a meia-hora. Recomenda-se permanecerem sentados. Caso essa seja sua primeira viagem interplanetária os sintomas de enjôo durante o salto são comuns e passam conforme se acostumam. Tenham uma boa tarde.

    A voz feminina anuncia nos alto-falantes espalhados pelo complexo. A hora de saltar se aproximava.

    Ace se junta ao grupo nesse momento, se sentando ao lado da Druida que permanecera calada todo esse tempo.

    @Ace escreveu:"Dormitórios sem janela, não é?!"

    A druida olha confusa para o cientista, não havia o notado até então.
    [Druida]:Ahn, hmmm, é...claro - ela responde, a máscara abafando o som de sua voz - V-Você não queria janela?
    Ela parece nervosa.

    Atens e sua comitiva se juntam ao grupo por último.

    Algumas pessoas se aglomeram na escotilha do refeitório, uma janela que dava visão ao lado de fora.

    [Soldado]: Eu aposto que é injeção de plasma do Composto - um soldado da Terra 3 comenta ao olhar para o que parecem ser turbinas.
    [Engenheiro]: Não seja idiota, é design Skaaveri, essa nave vai voar sem aquela porcaria de explosão que as naves de vocês fazem.

    [Interfone]: Iniciando sequência de decolagem. Contagem de 30 segundos para o salto, atenção, 30 segundos para o salto.

    A ansiedade era palpável. Uma tripulação muito jovem, ansiosos por serem os pioneiros desse novo espaço.

    O Órion iniciava a aquecer suas turbinas. Aqueles olhando pela escotilha podem ver que a nave expele uma chama azul dos propulsores.
    A contagem foi encerrada e sem turbulência a nave era lançada para cima, fazendo uma curvatura para que a frente se colocasse em direção ao céu.

    A tripulação comemorava, poucos ali tinham visto a nave em vôo.


    Em poucos segundos a visão da escotilha mudava do céu azul de Ohio para a curvatura da Terra 1 e em seguida o planeta era visto do espaço.
    A MultiTerra era algo que não fazia muito sentido, mas ainda era linda de se observar.


    [Interfone]: Salto realizado com sucesso. A previsão do primeiro Salto de Dobra é daqui a meia-hora - a piloto informava.

    Nos braceletes de toda tripulação o visor mostrava a Samurai Rubra no que parece ser a Ponte de Comando. Evan "Capitão", Adrastrea e um homem de terno estavam ao seu lado.

    [Samurai Rubra]: Gostaria de agradece-los pela agilidade no embarque, estamos dentro do cronograma. Acredito que todos me conheçam, sou Nadia DeWitt a Samurai Rubra. Serei a Comandante dessa missão. Artemis, a IA da nave irá guiar cada um de vocês aos seus aposentos e suas funções durante nossa viagem. O primeiro planeta na nossa previsão irá exigir o acionamento de nossas três Equipes de Campo, então estejam preparados.

    A transmissão é encerrada. Todos podem ver da escotilha a MultiTerra: cinco planetas e suas luas alinhados perfeitamente em órbita ao redor do sol.

    Aquela seria a última vez que todos teriam aquela visão por algum tempo.



    Mecânica:

    Todos estão mandando muito bem nas postagens, continuem assim! (Vocês receberam PH de acordo com essas postagens)


    Iroh
    Data: 12 de Abril de 2027
    Vitalidade: Ok
    Condição: Ok
    Pontos heroicos: 2
    Pontos de poder: 123


    Ace
    Data: 12 de Abril de 2027
    Vitalidade: Ok
    Condição: Ok
    Pontos heroicos: 3
    Pontos de poder: 123


    Starman
    Data: 12 de Abril de 2027
    Vitalidade: Ok
    Condição: Ok
    Pontos heroicos: 2
    Pontos de poder: 123


    Atens
    Data: 12 de Abril de 2027
    Vitalidade: Ok
    Condição: Ok
    Pontos heroicos: 3
    Pontos de poder: 123


    Orochi
    Data: 12 de Abril de 2027
    Vitalidade: Ok
    Condição: Ok
    Pontos heroicos: 2
    Pontos de poder: 123


    Captain Britain
    Data: 12 de Abril de 2027
    Vitalidade: Ok
    Condição: Ok
    Pontos heroicos: 2
    Pontos de poder: 123


    O Anônimo
    Data: 12 de Abril de 2027
    Vitalidade: Ok
    Condição: Ok
    Pontos heroicos: 1
    Pontos de poder: 120
    MINDGAME
    Mutante
    avatar
    Mutante

    Mensagens : 584
    Reputação : 14
    Conquistas :
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/410.png

    Re: Capítulo 1 - Por um Punhado de Justiça

    Mensagem por MINDGAME em Dom Jun 18, 2017 1:22 am

    (Off = Technology +18 +SECOND CHANCE) MINDGAME efetuou 2 lançamento(s) de dados (d20.) :
    2 , 19
    Nimaru Souske
    Mutante
    avatar
    Mutante

    Mensagens : 725
    Reputação : 16
    Conquistas :
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/411.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1811.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/712.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1511.png

    Re: Capítulo 1 - Por um Punhado de Justiça

    Mensagem por Nimaru Souske em Dom Jun 18, 2017 2:27 am

    Iroh ainda nota na voz daquele autoproclamado deus uma soberba que o incomodava em um nível brando, mas ainda assim causava uma desconfiança em suas habilidades, ainda mais quando se semelhavam aos descritos pela mulher que se apresentou primeiro... estava curioso para como ele se encaixaria ali, pois achara útil suas habilidades de cura. Viu também a hiper confiança daquele homem que ostentava um grandioso sorriso, mas ficara um pouco decepcionado do que conseguira tirar de informação, pois mesmo que fossem semelhantes, ainda assim havia algum motivo de terem escolhido os dois... algo naquele homem devia ser ainda mais brilhante que seus dentes sempre a mostra. Starmam logo se referiu ao que Makuro havia falado, logo prontamente respondeu.

    - Espero que seja útil para esta missão, senhor. E sim, sugiro um treino de batalha para testarmos nosso grupo e criarmos um maior entrosamento entre as habilidades individuais de cada integrante... pode chamar de " batalha contra o coleguinha que acabei de conhecer" se desejar, Em sua palavras existia uma grande seriedade, até mesmo quando se referiu a batalha. Ele parecia muito focado no que queria dizer.

    Logo viu que o homem de cabelos grisalhos continuara em sua fala, interagindo desta vez com Orochi, fazendo pontuais observações que logo foram anotadas pelo soldado Kin, até mesmo a falta de palavras que lhe ocorrera diante do fato da existência de ressurreição.

    - É realmente uma habilidade preciosa em batalha. Completou.

    Sua frieza as vezes chegava a espantar. De tantas utilidades que aquilo traria, pensar em guerra só poderia vim de um menino criado em meio a ela. Logo estava com seu pedido que o robô trouxera. Agradeceu prontamente e pôs-se a beber. Ainda focado no que rolava ali na mesa e não se importando muito sobre o que estava ao redor. Ao ver a resposta da IA, Iroh fala, interrompendo seus goles do líquido preto.

    - Ótimo. Aos que concordarem com o que foi dito, já temos um local para a realização. E volta a beber logo em seguida.

    Com a mensagem no interfone, o jovem sente ainda mais aquele nevosismo que o acometera mais cedo, mas não o demonstrava. Vê duas pessoas conhecidas se aproximando e se juntando à mesa, mas nada falam ainda. O soldado só observa tentando distrair a sensação ruim. Durante a decolagem, quando supostamente todos deveriam ter sessado momentaneamente as interações para admirar a beleza, ele também estaria olhando para as janelas, vendo até onde sua visão permitia, onde seus objetivos iriam levar aquele grupo.

    Após o tempo de tenção, veio a comemoração, o que não fez o garoto mudar em nada sua postura. Permanecia ali. Calado, quieto, em meio aos goles de sua refeição. Olhou para seu bracelete para receber a mensagem da samurai rubra e logo assentiu com a cabeça ao final da mensagem, mesmo sabendo que muito provavelmente ela não estaria vendo cada um que recebia aquela mensagem. Permaneceu sentado esperando o resultado de toda aquela conversa e achara interessante que logo o primeiro planeta irá exigir que as três equipes... talvez o problema a ser solucionado fosse grande desde o inicio.

    Iroh tomava mais um pouco de seu energético.
    Nazamura
    Cavaleiro Jedi
    avatar
    Cavaleiro Jedi

    Mensagens : 250
    Reputação : 0

    Re: Capítulo 1 - Por um Punhado de Justiça

    Mensagem por Nazamura em Dom Jun 18, 2017 6:29 pm




    O Captão termina de contar sua narrativa e logo após os demais membros do grupo que estavam por ali falam de si e se apresentam

    uma das apresentações deixa Starman sem palavras

    Starman escreveu:- Você disse... trazer pessoas dos mortos? - Starman larga o sorriso - Isso... isso é...



    Captão Britania escreveu:- O que faltou na batalha de Antares Starman... o que faltou - completava o capitão com um olhar sério, relembrando da batalha - Aposto que ficou pensando se o resultado seria diferente?  


    Não demora muito e logo Ace; Atens e sua comitiva se juntam ao grupo por último.



    Captão Britania escreveu:- Parece que estamos todos reunidos agora - olha para o grupo que chegou - Estavamos completando nossas apresentações e cada um estava comentando sobre seus poderes e habilidades, se quiserem se apresentar, fiquem a vontade - dizia enquanto gesticulava com o braço em arco ao redor da mesa como se tivesse apresentando os demais integrantes




    Não tarda muito e logo Iroh sugere a ideia de um combate entre todos para melhor conhecer e até mesmo a IA entra na conversa com sugestões



    Victory Girl escreveu:- Iroh ne? eu acho que nada melhor que nos conhecermos em combate, estou dentro, o que acha capitão?   - dizia animada




    Captão Britania escreveu:- Não vejo problemas, mas não falta pouco para decolarmos? - tão logo o capitão fala e ...



    [Interfone]: Iniciando sequência de decolagem. Contagem de 30 segundos para o salto, atenção, 30 segundos para o salto.

    [Interfone]: Salto realizado com sucesso. A previsão do primeiro Salto de Dobra é daqui a meia-hora - a piloto informava.

    A Nave decola, ganha altura e logo o planeta vai ficando para trás... da janela da imensa nave é possível ver as multi-terras e todo o complexo sistema da aliança



    Victory Girl escreveu:- O Espaço é realmente maravilhoso, uma viagem, ao mesmo tempo que é emocionante, é apavorante   - Victory Girl cruza os braços e se apoia na janela, era a primeira vez que ela saia do planeta e a saudade dos seus começava a apertar


    Captão Britania se aproxima de Victory girl na mesma janela



    Captão Britania escreveu:- Não se preocupe, temos que confiar na aliança e a melhor equipe está aqui reunida. Mesmo que uma provavel Antares esteja por vir, temos veteranos a bordo como Starman e soldados como Iroh com conhecimento tático, Yamato, filho da Deusa da criação, além de outros aos quais iremos conhecer seus talentos muito em breve - O capitão estava animado tentando transmitir segurança a parceira, sabia que seria sua primeira vez e que sua mente poderia devagar, mas era preciso manter o foco




    Victory Girl escreveu:- Derrepente aquela idéia do Iroh de um sparring pode ajudar a distrair - respondia Victory Girl - Artemis, onde fica o simulador? - pergunta olhando para a pulseira


    [Samurai Rubra]: ... O primeiro planeta na nossa previsão irá exigir o acionamento de nossas três Equipes de Campo, então estejam preparados.



    Captão Britania escreveu:- Bom, nossa lider pelo visto já espera por problemas para desembarcar todas as equipes - completava o capitão - Eu topo com o sparring. Quem sabe estaremos melhor preparados se precisarmos entrar em combate real? - termina em tom encorajador


    Lyvio
    Semi-Deus
    avatar
    Semi-Deus

    Mensagens : 6666
    Reputação : 8
    Conquistas :
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/211.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1112.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1011.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/212.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1811.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1413.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/410.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1511.png

    Re: Capítulo 1 - Por um Punhado de Justiça

    Mensagem por Lyvio em Dom Jun 18, 2017 7:31 pm

    Orochi ouve o espanto do Starman e o modo como todos se impressionaram com seu poder de ressurreição e o lamento por ele não ter participado da famosa Batalha de Antares.

    -Infelizmente eu não pude estar nesse acontecimento, sem dúvidas poderíamos salvar incontáveis vidas...


    Então Iroh sugere um combate simulado.

    "Isso parece interessante..."

    -Gostei dessa ideia de combate simulado, muito me interessou, ainda mais para conhecer a tecnologia que vai simular nosso combate simulado.

    Então a contagem se inicia e todos pararam para observar pelas janelas e o distanciamento com aquela bela visão azul, e das demais terras alinhadas, era maravilhoso. Orochi parava observando pasmo toda aquela beleza, era deslumbrante. Ele observava enquanto comia sem nem olhar para o prato.

    -Que circunferência maravilhosa, lembra belos seios perfeitamente esculpidos...

    O comentário sai de sua boca sussurrado sem ele se atentar a todos ao redor.

    A voz da Samurai rubra sobre necessitar de todas as equipes no primeiro planeta grava na mente de Orochi, mas aquela circunstância ele analisará melhor depois de admirar a decolagem.

    Assim que a maravilhosa cena passa ele volta atentar-se ao grupo e percebe a druida o outro se aproximarem.

    -Ah sim! Topo o sparing! mas o que me preocupa é a necessidade de todas as equipes para esse primeiro planeta...Porque será? Seria muito Hostil?

    Orochi indagava os demais buscando um debate sobre esse planeta.
    MINDGAME
    Mutante
    avatar
    Mutante

    Mensagens : 584
    Reputação : 14
    Conquistas :
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/410.png

    Re: Capítulo 1 - Por um Punhado de Justiça

    Mensagem por MINDGAME em Seg Jun 19, 2017 9:08 am

    Legendas: "Fala ou escrita", "Pensamentos", "Id", "Ego", "Superego", (Offs)

    Nadia Dewitt escreveu:Eu entendo Doutor, acredito que seja pensando nisso que seu registro é um codinome feito por ele. Sua presença pode ser discreta se assim preferir mas eu não acho que vá conseguir evitar o Sho, ele é o Chefe da Artilharia. Você vai ter de aguentar algumas músicas se quiser ter acesso a Engenharia por completo
    "(Sarcástica) Eu disse que ela não cairia."
    Expresso surpresa com a resposta.
    "Uma boa ideia, mal executada."
    "Da um tempo! Não é uma ciência exata!"
    "Vai evitar mesmo o Sho, Albert?"
    "É claro que não! Só estou adiando. Ele tem acesso completo a engenharia, mas não tem peitos!"
    "E se eu fizer o jantar?"
    Me aproximo com confiança, tentando uma última resposta antes dela passar para o próximo grupo.
    "Vai ver em algum lugar aí que eu sou um chef cinco estrelas. Mas..."
    Sorrio com uma postura amigável.
    "... o que não vai descobrir pela minha ficha é que eu sou capaz de adivinhar e preparar seu prato favorito.
    O que me diz, comandante?"

    "Relaxa, ela está na sua! Só está se fazendo de difícil para não se sentir culpada pelo namorado moribundo..."
    "(Enjoada) Você me enoja..."



    Perante a ordem de Atens, a dryad com a lança me encara perturbadoramente por alguns instantes e, quando ela finalmente deliga a arma, mostro a língua para ela.
    "Há! Ganhei!"
    "(Entendiada) Muito maduro, Cannon. Muito maduro..."



    Artemis escreveu:Olá eu sou Artemis! Sua Inteligência... Artificial favorita!
    "Ela tentou reconhecer nossos dispositivos."
    "Ah, Artemis, sua safadinha! Mal nos conhecemos e você já quer avançar para a terceira base?!"
    "Eu devia ficar com ciumes?"
    Artemis escreveu:Sua equipe está reunida no refeitório da nave. Eu vou te guiar
    "Tudo bem, Sabe guardar segredo, Artemis?"
    "Espero que saiba, porque eu quero todos os seus."
    Aguardo a resposta antes de continuar.
    "Bem, espero não te magoar, mas você não é a minha favorita. Vou aproveitar o caminho para te apresentar uma amiga."
    "(Empolgada) ?!?!?!
    Eu sou sua favorita?! Mesmo?!"

    "É claro! E você vai conseguir tuuuudo o que ela tem, não é?
    Dessa vez não quero só uma cópia de dados. Há segredos muito bem guardados aqui, aliados na rede seriam úteis."

    "(Empolgada) Você quer que eu... seduza ela, Ace?"
    "Drogar e escravizar pode ser uma metáfora mais adequada."
    (Off = OMNIAPP: Technology (Subjugar IA) +18 +SECOND CHANCE) MINDGAME efetuou 2 lançamento(s) de dados (d20.) :
    7 , 7

    (Off = OMNIAPP: Technology (Copiar dados) +18 +SECOND CHANCE) MINDGAME efetuou 2 lançamento(s) de dados (d20.) :
    15 , 5

    (Off = OMNIAPP: Technology (Apagar rastros) +18 +SECOND CHANCE) MINDGAME efetuou 2 lançamento(s) de dados (d20.) :
    16 , 14




    Artemis escreveu:O Órion está equipado com uma Sala de Combate de Nível Sigma, caso queiram acesso a ela entrem em contato com Adrastea
    "Poderia me manter informado de todos os combates agendados, Artemis?"
    "(Empolgada) !!!
    Vamos explodir traseiros?!?!?!"

    "Não, vamos analisar os combates. Sábios aprendem com as falhas dos outros."
    Começo a me aproximar da mesa da equipe quando o pronunciamento se inicia.
    Interfone escreveu:Tripulação Órion aqui quem fala é Nalaror Xarophav,
    "Pfff HAHAHAHAHAHAHA!"
    Interfone escreveu:Piloto-Capitã da nave. Decolaremos em quinze minutos, nossa previsão de salto é daqui a meia-hora.
    Interrompo a gargalhada confuso.
    "Espera... era sério?"
    Interfone escreveu:Recomenda-se permanecerem sentados. Caso essa seja sua primeira viagem interplanetária os sintomas de enjôo durante o salto são comuns e passam conforme se acostumam. Tenham uma boa tarde.
    Olho levemente constrangido para a equipe antes de sentar.
    "É um nome engraçado..."
    "(Apática) ..."



    Druida escreveu:Ahn, hmmm, é...claro
    V-Você não queria janela?
    Assim que ela começa a responder, ergo a cabeça e olho em sua direção vagarosamente, com o semblante assustado, e então permaneço por alguns instantes olhando boquiaberto para ela.
    "O que foi?"
    "Ela... é... tímida!"
    "E...?"
    "Ta brincando?! Eu adoro garotas tímidas!"
    Olho através de sua máscara tentando ver melhor seu rosto.
    (Off = Lentes e receptores especiais)
    Estendo a mão para cumprimentá-la, convertendo o semblante assutado em um olhar amigável.
    "Dr. Albert Cannon. Biólogo."
    "Biólogo?"
    "Um título de cada vez."
    Captão Britania escreveu:Parece que estamos todos reunidos agora
    Estavamos completando nossas apresentações e cada um estava comentando sobre seus poderes e habilidades, se quiserem se apresentar, fiquem a vontade
    "Bem, eu..."
    Desvio o olhar com um semblante pensativo, aperto os olhos e os lábios, balanço a cabeça sutilmente, faço uma longa pausa reflexiva e então completo a sentença em um tom constrangido.
    "... construo coisas."
    "(Irônica) É sério?"
    "E sou muito bom jogando video-game!"
    "Você pode fazer melhor do que isso."
    "Er... também sou bom em... achar coisas na internet?"
    "Albert..."
    "Mas ia estragar a surpresa!"
    "Sou bem versátil!"
    Finalizo sorrindo com um leve tom de orgulho, mas transparecendo que foi uma resposta sem sinceridade.
    "(Irônica) Se você queria parecer um idiota, conseguiu."
    "É melhor do que dizer a verdade e parecer um babaca pedante..."
    Interfone escreveu:Iniciando sequência de decolagem. Contagem de 30 segundos para o salto, atenção, 30 segundos para o salto.
    Ignoro a multidão e comentários alheios enquanto a nave decola, mas me permito observar brevemente a reação de Atens enquanto tomo um café da manhã repleto de doces por influencia da Id.
    Yamato no Orochi escreveu:Que circunferência maravilhosa, lembra belos seios perfeitamente esculpidos...
    O comentário chama a minha atenção, aperto os olhos e olho na direção do herói.
    "Ele acha seios de Krakor perfeitos???"
    "Não consigo ver graça em peitos sem mamilos."
    "Você está olhando para a multi-terra e imaginando uma Veshnukal com seios Krakorianos?"
    Permaneço com o semblante horrorizado por alguns instantes, então sorrio com o canto da boca.
    "Acho que conheço alguém que consegue isso para você."
    Interfone escreveu:Salto realizado com sucesso. A previsão do primeiro Salto de Dobra é daqui a meia-hora
    Nadia Dewitt escreveu:Gostaria de agradece-los pela agilidade no embarque, estamos dentro do cronograma. Acredito que todos me conheçam, sou Nadia DeWitt a Samurai Rubra. Serei a Comandante dessa missão. Artemis, a IA da nave irá guiar cada um de vocês aos seus aposentos e suas funções durante nossa viagem. O primeiro planeta na nossa previsão irá exigir o acionamento de nossas três Equipes de Campo, então estejam preparados.
    "Tenho mesmo que fazer isso?"
    "As chances de algo sair errado e termos que explodir alguém são bem altas."
    Suspiro.
    "Será que eu consigo convencê-los a me chamarem só nessa parte?"
    Observo a equipe se empolgando com a ideia de combaterem-se na sala de simulação e volto a me aproximar da Druida.
    "Então... o que te trouxe até esta... jornada?"
    Claude Speedy
    Investigador
    avatar
    Investigador

    Mensagens : 71
    Reputação : 0

    Re: Capítulo 1 - Por um Punhado de Justiça

    Mensagem por Claude Speedy em Ter Jun 20, 2017 5:07 pm

    Fico surpreso com algumas das falas dela e não minto que em seguida me culpo por ter ficado surpreso.

    -Se eu tivesse deixado o policial mal vir, você não ia ter só um hematomas
    O nítido ódio dela faz escapar quem realmente enviou pessoas para me bater, além de perceber que a lei novamente não será respeitada pelos menos novos anfitriões, eu ainda noto que a clara violação dos direitos dos prisioneiros é algo que ela faz com frequência por aqui. As primeiras impressões que eu tinha era que alguém do alto escalão tinha pago para os capangas que me arrastaram até aqui, preciso confirmar. A primeira coisa que me surpreende é como ela libera tão facilmente suas ações e opiniões sobre o espancamento que recebi sendo uma militar, isso me faz pensar que ela tem uma certa autonomia aqui dentro. Ela continua se gabando com ameaças pouco depois, tento perceber se o ódio dela no decorrer de seu discurso foi amenizado com os golpes que levei ou se ela vê isso como uma violação legal, o que de fato é. É nisso que minha maior revolta é com minha ingenuidade em ainda acreditar que alguns oficiais da lei iriam cumpri-la por dedicação e que a Samurai Rubra teria a mesma moral de um personagem dos desenhos animados dos anos 70.

    -No Japão você trata alguém com respeito pelo sobrenome, mas não vou exigir isso de alguém como você. Você possui uma filosofia forte, Elias, nisso eu nunca discordarei. Mas sei também que já cometeu coisas horrendas em nome dessa filosofia, e por isso eu não confio em você -Fiz? Não sei se é o padrão moral dela ou se contaram alguma mentira a meu respeito. Afinal tem coisas que eu nem lembro - Mas a decisão de te mandar nessa missão não foi minha. O Conselho da Aliança decidiu que você seria necessário.

    -No Japão o ninja nasceu por não poder ter terras para chamar ninguém pelo nome. Mas é a diferença entre o ninja, aquele que resite, do samurai, aquele que serve...Não vejo dignidade em ser escravo que tortura os prisioneiros dos escravizadores. Sei que conceitos como amor e liberdade são difíceis de uma pessoa como você, voltada apenas à servidão cega, entender. Se fosse realmente livre talvez sua espada tivesse vindo contra mim antes...

    [Nadia]:O bracelete te garante abrir aquela porta. Talvez mais tarde os elevadores. Lhe foi concedido liberdade no setor de Contenção da Nave. Se você se comportar nós vamos aos poucos lhe permitir acessar o restante da nave. Não sei se serei um bom menino, mas apenas a ouço e observo como a menina má policial sai para pensar no mesmo depois.

    Ela me faz olhar para minhas roupas no armário, mas tento não perder ela de vista.

    Além de meus velhos pertences, Nadia ainda me dá um bracelete. Várias distrações reveladas de uma vez, para abrir o momento da deixa dela.
    Não tento entender a tecnologia em meu pulso nesse momento, se ela não é algo mágico ou meramente aprimorado vai ter de esperar me mantenho olhando para ela.
    ,
    [Nadia]:-Nós vamos explorar o novo universo que se rearranjou ao redor da MultiTerra, vamos para os planetas habitados no caminho até uma fonte de energia detectada no outro lado da galáxia. Amanhã decolamos, fique a vontade para explorar a área, esse espaço foi projetado para acomodar você e os outros na mesma condição.

    Enquanto ela fala e ativa o elevador, me empenho em reparar se há algum código no elevador para o deixar sair ou se é por algum comando ligado à ela ou ao que ela esta vestindo.
    ( Perception: 6+4 (AWE) = 10 Claude Speedy efetuou 1 lançamento(s) de dados (d20.) :
    20
      Technology: 2 +3 (INT, T) = 5 Claude Speedy efetuou 1 lançamento(s) de dados (d20.) :
    15
    )

    [Nadia]:Ah, antes que eu me esqueça, você está expressamente proibido e impedido de acessar qualquer tipo de tecnologia com conexão intra,inter ou extranet - Sei.

    -Certo, senhora. Estamos agitados... Acho que é melhor conversarmos com mais calma depois, e eu esquecerei essa surra que você me mandou darem.
    (Deception: 4 + 4 (PRE) = 8 Claude Speedy efetuou 1 lançamento(s) de dados (d20.) :
    4
    )

    Que raios de lugar é esse? Os guardas vem aqui para a recreação? E pior que não consigo estar sozinho com meus pensamentos aqui.
    [Artemis]:Boa noite! Eu sou a Artemis! Sua Carcereira Virtual favorita!

    -Ah, "oi"... Artemis? Igual a deusa da caça, para quem Agamenon sacrificou a filha para chegar em sua viagem para vencer Tróia. Será que seus programadores tinham isso como referência quando pensou em te lançar no espaço?
    (Expertise: Philosophy 4 + 3 (INT, T) = 7 Claude Speedy efetuou 1 lançamento(s) de dados (d20.) :
    16
    )

    -Eu preciso vestir minha outra roupa, Ártemis. Sou tímido, vire-se costas, sim?


    Comento isso, tentando evitar que o computador veja como escondo as shurikens enquanto me visto.
    (Stealth: 8 + 6 (AGL) = 14 Claude Speedy efetuou 1 lançamento(s) de dados (d20.) :
    8
    Technology: 2 +3 (INT, T) = 5 [roll="d20"]1[roll])

    A shinobi esta aqui, a katana e as velhas shurikens. Preparadas e prontas para cortar praticamente de tudo, me deixar aqui com elas é quase tão perigoso quanto.

    Ah, agora sim... "Back in Black!" Alguém toque AC/DC...

    Só preciso da máscara.


    -Perfeito. Pode virar, garota. Não foi uma menina má igual sua chefe vermelha, né? E por acaso você joga sinuca?

    Independente da resposta do "software-deusa", eu passo um pouco de giz no taco e organizo as bolas para o jogo. Conforme o tempo passa finjo interesse pelo jogo e desinteresse pela segurança enquanto faço justamente o contrário... Tento olhar quando alguém for entrar nessa sala, o que acontece é que meus dois outros "colegas" chegam.

    -Boa noite, senhores. Se gostarem de sinuca depois me avisem. Eu vou me sentar e por o acento na posição vertical.


    Elias Duque: -Então... você voltou.
    Anônimo: -E como poderia ser diferente. Agora pare de fingir que você não sou eu. Já tem malucos demais nessa nave. Viu o nome da nossa carcereira? Se me virem falando sozinho vão me chamar de Narciso.
    IsabelMuller
    Cavaleiro Jedi
    avatar
    Cavaleiro Jedi

    Mensagens : 191
    Reputação : 16

    Re: Capítulo 1 - Por um Punhado de Justiça

    Mensagem por IsabelMuller em Ter Jun 20, 2017 6:40 pm

    12 de Abril de 2027, 11:25h: vinte minutos antes da decolagem do SR-Órion Nexus:

    @Isaac-sky escreveu:[Adrastrea]:Ufa! Achei que ia ter de lutar ou algo parecido, e a gente nem decolou ainda haha - o herói ri - Prazer, eu sou Adrastrea, herói da Terra 5. Vamos entrando? A Nadia tá terminando de falar com a última equipe, a gente vai decolar logo.

    A Imperatriz demonstra estar mais aliviada com a situação tendo finalmente encontrado seu fim e responde ao herói em um tom simpático enquanto entravam na nave.

    Atens - O prazer é meu Adrastrea. Meu nome é Atens sou representante do povo Dryad e Imperatriz de Athantis. Peço perdão pelo acorrido, eu tomarei as devidas providencias para que não se repita.

    @Isaac-sky escreveu:[Ren]:Caramba, os caras não estavam brincando. Deve caber todo um povo aqui.
    [Perz]:Interessante, é um pouco maior que um cruzador.
    Ron permanece calado.

    [Adrastrea]:Haha, é grande né. Com licença, a Nalaror deve estar me procurando e eu já aprendi que ver um skaaveri irritado é tipo, bem ruim.

    “Principalmente sendo seu atraso causado por Dryads.”

    Atens - Eu o entendo, perfeitamente. Fique à vontade, Adrastrea.

    @Isaac-sky escreveu:[Artemis]: Olá dryads! Sou Artemis sua Inteligência Artificial oficial! A Equipe Índigo está no refeitório, posso guiar vocês até lá - um avatar feminino surge nos braceletes dos quatro.

    Atens segue as orientações de Artemis até encontrar o grupo no refeitório.


    @Nazamura escreveu: Capitão Britania - Parece que estamos todos reunidos agora.

    Atens - Desculpem-me pelo atraso.

    @Nazamura escreveu: Capitão Britania -  Estavamos completando nossas apresentações e cada um estava comentando sobre seus poderes e habilidades, se quiserem se apresentar, fiquem a vontade.

    A Imperatriz sorri e olhando para o Capitão Britania diz em um tom gentil:

    Atens -Por hora, me contentaria em saber apenas como devo chama-los. Meu nome é Atens, sou representante do povo Dryad e Imperatriz de Athantis, um dos planetas que compõe a República da Terra 4. Mais cedo o Senhor perguntou se haverá espaço para diplomacia nessa expedição, eu presumo que sim ou não teria espaço para mim nessa equipe. Não sou uma guerreira. Ainda irão detalhar nossas funções, mas creio que a minha envolva traduções e comunicação.

    Atens olha para seus guardiões e faz um leve gesto com uma das mãos para que eles apresentem-se ao grupo. Eles já haviam sido instruídos de que não deveriam revelar abertamente suas funções, apenas nome e as habilidades que acharem pertinentes; se acharem pertinente.

    (...)

    Atens observava a movimentação do local. As pessoas começavam a aglomerar-se próximas a escotilha provavelmente na intenção de observarem o lançamento. Ver aquelas pessoas reunidas no refeitório a fez lembrar de casa e mergulhar em lembranças. Sua comunidade era conhecida entre os Dryad por terem muitas áreas comuns: como grandes refeitórios e jardins.


    “Céus, sinto tanta falta de casa!”

    @Isaac-sky escreveu:[Interfone]: Iniciando sequência de decolagem. Contagem de 30 segundos para o salto, atenção, 30 segundos para o salto.
    (...)
    [Interfone]: Salto realizado com sucesso. A previsão do primeiro Salto de Dobra é daqui a meia-hora.

    A Imperatriz permanecia em silêncio apenas observando o distanciar-se das Terras e agarrando-se a esperança de voltar para casa. Afinal, era sua última chance, era só o que havia lhe restado de tudo que amava. Novamente Atens sente-se fisicamente desconfortável, mas algo lhe prende a atenção em seu bracelete. Ao lado da Comandante DeWitt estavam Capitão Evan (o homem que havia estranhamente lhe recepcionado) e Adrastrea. A Imperatriz estrava claramente intrigada com o que via.

    @Isaac-sky escreveu:[Samurai Rubra]: Gostaria de agradece-los pela agilidade no embarque, estamos dentro do cronograma. Acredito que todos me conheçam, sou Nadia DeWitt a Samurai Rubra. Serei a Comandante dessa missão. Artemis, a IA da nave irá guiar cada um de vocês aos seus aposentos e suas funções durante nossa viagem. O primeiro planeta na nossa previsão irá exigir o acionamento de nossas três Equipes de Campo, então estejam preparados.

    Atens -Com licença, irei me retirar. Até mais tarde.

    Atens volta-se aos guardiões.

    Atens -Sintam-se a vontade para participar da simulação de batalha com a equipe, se assim desejarem.

    A Imperatriz caminha em direção a saída do refeitório. A Dryad pretendia chegar a seus aposentos e lá permaneceria até que o salto de dobra fosse realizado. Após o salto ela pretendia caminhar pela nave a fim de conhecer melhor o local ao qual estaria presa por um longo tempo.
    isaac-sky
    Tecnocrata
    avatar
    Tecnocrata

    Mensagens : 388
    Reputação : 12
    Conquistas :
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/411.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/212.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/410.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1511.png

    Re: Capítulo 1 - Por um Punhado de Justiça

    Mensagem por isaac-sky em Qui Jun 22, 2017 1:33 am

    Refeitório Órion

    Iroh

    Ace

    Starman

    Athens

    Orochi

    Capitão Britânia

    Victory

    Ron

    Ren

    Druida

    Perz



    @MINDGAME:


    Nadia polidamente nega as propostas de Ace e o deixa para falar com a Equipe seguinte.

    Findado o conflito com os dryads o sistema de Ace identifica um processamente diferente na Artemis:
    A IA tentou realizar um teste de ping nas conexões do cientista e seu sistema, basicamente batendo em algumas das "portas" e identificando quais são.
    Não era necessariamente um ataque ao seu sistema, mas uma forma de identifica-lo.

    @Ace escreveu:"Ah, Artemis, sua safadinha! Mal nos conhecemos e você já quer avançar para a terceira base?!"
    O avatar humano da IA ruboriza de forma cartunesca.

    Ace tenta subjulgar Artemis com a ajuda de suas personas, mas encara o mesmo firewall poderoso que encontrou no datapad.
    Ele falha em tentar controla-la.

    [Artemis]:Ei! Olha a mão boba!

    Ace consegue copiar os dados da IA alocados fisicamente no bracelete:

    Artemis v1.1.0.2
    Orion Nexus Corp Productions
    Propriedade da Aliança Nexus
    ENCRYPTED
    ENCRYPTED
    ENCRYPTED

    O cientista identifica que a IA trabalhava numa espécie de processamente em nuvem de forma descentralizada, ou seja, cada bracelete parecia trabalhar em conjunto para garantir o funcionamento completo da IA.
    As informações mais detalhadas do sistema não estavam no bracelete e sim alocados atrás do seu firewall.

    A IA não possuía registros anteriores a essa versão, aparentemente fora desenvolvida exclusivamente para essa missão.
    Ace também descobre que a IA possui permissão para alterar funcionamento de todas as seções da nave exceto a Ponte de Comando e em setores vitais que poderiam afetar a sobrevivência da nave e da tripulação (escudos por exemplo).

    Ace consegue ocultar boa parte dos rastros de sua navegação e cópia. O avatar de Artemis cruza os braços, como se tentasse cobrir o corpo.
    [Artemis]: O que você fez? - diz a IA num tom choroso.

    Artemis sabia que Ace acessou seu sistema sem permissão, mas não sabe que foram feitas cópias.

    A IA se recompõe e volta ao funcionamento normal, o guiando para o refeitório.

    ...

    [quote"Ace"]"Poderia me manter informado de todos os combates agendados, Artemis?"[/quote]

    [Artemis]:Pode deixar - diz ela dando uma piscadela. Não haviam treinamentos agendados para aquele dia.

    ...

    Ace tenta observar melhor pela máscara da Druida: o rosto é um tanto pálido, mas não há nada fora do comum para uma humana jovem.

    A druida responde ainda tímida:
    [Adurna]:Adurna Bris, mas todos me chamam de Druida - ela ajeita uma mecha do cabelo em sua testa - M-Mas eu estou mais para uma maga especializada em plantas.

    Ela parece sorrir um pouco. Quando a nave decola Adurna não olha para a escotilha mas se foca num ponto fixo na mesa.
    [Adurna]:O-Odeio voar... - ela sussurra.


    @Nimaru Souske:


    O soldado permanece com sua postura séria, mesmo diante de coisas que desconhecia e de uma viagem que não sabia o que esperar.

    Tenente Iashida escreveu:
    "Lembre-se, tudo o que ver e ouvir nas próximas horas é confidencial..."

    Se lembrara de algumas das palavras de Evan "Capitão" e do Tenente no caminho para a Terra 1. Tudo o que ele sabia, treinara e fora desenvolvido culminava ali.


    @Lyvio:


    Orochi acompanha o lançamento pela escotilha.

    Orochi escreveu:-Que circunferência maravilhosa, lembra belos seios perfeitamente esculpidos...

    Uma engenheira vira de lado e arqueia uma das sobrancelhas ao ouvir o comentário.


    @Nazamura:


    Capitão Britânia e Victory veem a Terra 1 se afastando, assim como a 2, 3, 4 e 5. Suas vidas na ONUT5, com a família Braddock, com sua filha, se afastam conforme a nave ganha velocidade.
    Agora era pra valer.

    Até mesmo dois heróis experientes poderiam sentir o frio na barriga


    @ISABEL MULLER:


    Atens permanece calada durante o lançamento e entre o grupo. Ren parecia animada, olhando para a escotilha.
    [Ren]:A última vez que eu andei numa nave pra fora de um planeta eu não tinha nem a altura dessa mesa.

    Ron permanece sentado mas quebra a expressão séria ao rir do comentário de Ren. A irmã gêmea não era lá muito alta hoje em dia. Ele volta a sua postura militar em seguida.

    [Perz]:Que a força esteja conosco... - sussurra o jedi.

    Atens se levanta e começa a se dirigir aos seus aposentos.
    [Ren]:Eu te acompanho chef...Vossa Graça - diz ela se levantando junto.
    [Ron]:Pretendo explorar um pouco a nave antes de ir ver os dormitórios.
    [Perz]:Acredito que eu tenha alguns amigos a bordo, vou vê-los antes também.

    A Imperatriz é guiada pela interface em seu bracelete.

    Os dormitórios se dividem em quatro cores de acordo com a placa: Verde, Azul, Laranja e Cinza.
    A zona Verde pertencia a Equipe de Campo Verde, a Azul a equipe dessa cor e a Laranja a equipe laranja.
    Artemis descreve a Cinza como a zona de todo o restante da tripulação.

    Ren deixa a Imperatriz a sós para que entrasse em seu quarto. A porta automática era aberta quando aproximava seu bracelete.

    Apesar de todos os quartos serem padronizados e iguais não eram pequenos: possuia uma cama de solteiro, uma escotilha com visão para o espaço sideral, um pequeno armário, um baú próximo a cama e uma escrivaninha com uma interface computacional.

    Aquele seria o lar de Atens enquanto estivesse na missão. Um passo para finalmente encontrar seu verdadeiro lar.





    Celas de Contenção


    Anônimo

    Blood Bones

    Tenebrae

    @Claude Speedy:


    O primeiro contato com a Samurai não fora muito positivo, mas ela havia pelo menos sido honesta em como não gostava dele ali.

    O Anonimo percebe que a Samurai não digita nada para ativar o elevador, apenas ergue o bracelete, um igual ao que usa mas com um led vermelho.

    Elias escreveu:-Certo, senhora. Estamos agitados... Acho que é melhor conversarmos com mais calma depois, e eu esquecerei essa surra que você me mandou darem.

    Ela vira os olhos.
    [Nadia]:Eu não mandei lhe bater. Mas se fosse o caso eu mesma o faria... - a porta se fecha.

    Elias é recebido pela IA
    Elias escreveu:-Ah, "oi"... Artemis? Igual a deusa da caça, para quem Agamenon sacrificou a filha para chegar em sua viagem para vencer Tróia. Será que seus programadores tinham isso como referência quando pensou em te lançar no espaço?

    [Artemis]: Olha só! Alguém entendeu a minha referência! - o avatar da IA sorri numa expressão exagerada de animação - Ainda bem que eu sou só um programa, e não uma deusa do mal hahahaha.

    Elias escreveu:-Eu preciso vestir minha outra roupa, Ártemis. Sou tímido, vire-se costas, sim?

    [Artemis]: Seu bobinho, eu estou no seu braço, não dá pra ficar de costas!

    O Anonimo oculta parte de seu equipamento como as shurikens. Artemis não reaje quanto a isso, ou ela não percebeu ou simplesmente não se importou.
    Elias recebe seus primeiros colegas.

    O homem com capacete de caveira sai da cela da mesma maneira que o vigilante, com um bracelete com cor de led laranja.

    [Blood Bones]:Hmmm, eu já matei um cara com cada elemento dessa sala - o homem comenta, a voz extremamente grave - Mas sou péssimo no jogo. Blood Bones, e se você está de castigo aqui também deve ser porque é tão horrível quanto eu.

    Parecia alguém direto.

    O lugar tremia novamente. Uma mensagem era exibida em seus braceletes.

    "Salto de Dobra Espacial realizada com sucesso. Níveis de Radiação Cósmica...Seguro"





    Sala de Treinamento Sigma

    Iroh

    Ace

    Starman

    Orochi

    Capitão Britânia

    Victory

    Druida


    A maioria do grupo da Equipe Azul decide ir para a sala de treinamento. Uma avançada instalação capaz de emular a maioria dos cenários, a Equipe Azul estreiava o lugar.

    Assim que terminam seu primeiro treinamento a Equipe ouve os interfones e podem ver que o cenário nas escotilhas mudou: um borrão azul e em seguida as estrelas diferentes.

    Mas talvez o mais impressionante foi ver um planeta com todo seu hemisfério direito coberto nuvens espessas.
    [Interfone]: Aqui é a piloto. Realizamos o salto de dobra espacial com sucesso. A radiação cósmica está normal. Detalhes em alguns minutos. Equipes de Engenharia, hora do show.

    Os braceletes de todos vibram, Artemis surge mas vestindo uma roupa de astronauta clássico.

    [Artemis]:Oi meus azulzinhos! Vou mostrar pra vocês a interface de mensagens do meu sistema! Já tem mensagens pra vocês - ela apresenta como navegar e enviar mensagens através dos braceletes.

    @Nimaru Souske:


    De: Tenente Kyra Boehler
    Para: Iroh
    Assunto: Armando-se

    Olá Iroh. Sou a tenente Kyra. Por favor se apresente ao Arsenal da nave assim que possível, preciso te apresentar ao nosso pessoal.

    Saudações
     

    @Nazamura e @GODSCORPSE:


    De: Adrastrea
    Para: Capitão Britania; Victory Girl; Starman; Sloane; Ventari
    Assunto: Reunião

    Oi amigos! Preciso falar com vocês na Ponte de Comando. 10 minutos, coisa rápida, eu espero.

    @Lyvio:


    De: Sid XXV
    Para: Orochi, Druida
    Assunto: Equipe magia

    VENHAM PARA A INNER MYSTIC. AGORA



    @MINDGAME:

    De: Sho
    Para: LAZARUS
    Assunto: Boas vindas

    Eae meu broder! O que achou da decolagem? Essa nave aqui é o sonho de todo mundo na Terra 4, tem noção da importância histórica dessa barca? *emojis de risada*
    Aparece aqui na Artilharia, vou te apresentar o pessoal e te mostrar os canhões dessa belezura. A gente deve conseguir derrubar umas luas haha.





    Dormitórios

    Atens

    Perz


    @ISABELMULLER:


    A visão da escotilha muda como um borrão: as estrelas mudaram e agora era possível ver novos corpos celestes, entre eles um planeta coberto pela metade por nuvens.

    Artemis surge na interface do bracelete.

    [Artemis]:Você tem uma visita! Você pode ver o lado de fora com o bracelete! - diz a avatar com roupa de austronata.

    Era Perz do lado de fora.
    [Perz]: Imperatriz, posso falar contigo por um instante?





    Mecânica:
    Spoiler:




    Iroh
    Data: 12 de Abril de 2027
    Vitalidade: Ok
    Condição: Ok
    Pontos heroicos: 2
    Pontos de poder: 123


    Ace
    +1PH!
    Data: 12 de Abril de 2027
    Vitalidade: Ok
    Condição: Ok
    Pontos heroicos: 4
    Pontos de poder: 123


    Starman
    Data: 12 de Abril de 2027
    Vitalidade: Ok
    Condição: Ok
    Pontos heroicos: 2
    Pontos de poder: 123


    Atens
    Data: 12 de Abril de 2027
    Vitalidade: Ok
    Condição: Ok
    Pontos heroicos: 3
    Pontos de poder: 123


    Orochi
    Data: 12 de Abril de 2027
    Vitalidade: Ok
    Condição: Ok
    Pontos heroicos: 2
    Pontos de poder: 123


    Captain Britain
    Data: 12 de Abril de 2027
    Vitalidade: Ok
    Condição: Ok
    Pontos heroicos: 2
    Pontos de poder: 123


    O Anônimo
    +1PH!
    Data: 12 de Abril de 2027
    Vitalidade: Ok
    Condição: Ok
    Pontos heroicos: 2
    Pontos de poder: 120
    [/quote]
    Lyvio
    Semi-Deus
    avatar
    Semi-Deus

    Mensagens : 6666
    Reputação : 8
    Conquistas :
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/211.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1112.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1011.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/212.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1811.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1413.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/410.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1511.png

    Re: Capítulo 1 - Por um Punhado de Justiça

    Mensagem por Lyvio em Qui Jun 22, 2017 8:51 am

    Orochi estava conversando e com os demais e já estava acabando seu café quando ouve um chamado para a equipe magia, ele parece surpreso, não sabia dessa subdivisão, ele observa seu bracelete e então comenta com os demais:

    -Chamado da equipe magia!? Interessante! Existem sub-equipes também a esse nível de detalhes...Então me consideram um mago!? Que tipo de definição mais limitada...

    Orochi não parece se agradar muito dessa limitação de definição pra ele, era visível em sua expressão. Mas fazer o que?

    -Pois bem pessoal, eu e nossa amiga da planta temos que ir para uma reunião com o grupo da magia. Nos vemos mais tarde!

    Orochi subitamente agarra a druida e a joga em suas costas:

    -Segure que vamos voar um pouco!

    Dizia ele sorrindo e seguindo com ela nas costas até o setor.
    Nimaru Souske
    Mutante
    avatar
    Mutante

    Mensagens : 725
    Reputação : 16
    Conquistas :
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/411.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1811.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/712.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1511.png

    Re: Capítulo 1 - Por um Punhado de Justiça

    Mensagem por Nimaru Souske em Qui Jun 22, 2017 2:02 pm

    As lembranças vieram e isso era apenas um sinal da sua importancia naquela missão. Por algum motivo, tinha que ser ele para participar da equipe. As imagens que passavam naquela janela eram impressionantes e só aumentavam a imersão em pensamentos que o soldado era acometido ali. Iriam ver coisas novas para ele e para o mundo de onde viera, mas ele não podia falar nada para ninguém além de pessoas autorizadas.

    Levantou-se e foi para a sala de treinamento.

    Saiu de lá cansado, porém satisfeito por poder analisar melhor os poderes de cada um que aceitou o desafio. Para Iroh era mais importante as informações que captou do que demonstrar competitividade e vontade de vencer, mesmo que para isso tivesse que passar toda luta caído ao chão e cantarolando uma música que encaixava perfeitamente com os acontecimentos. Logo após sua saída, viu que o cenário havia mudado e que o capitão falava algo nos interfones. Falava sobre o salto de dobra espacial. Makuro não se interessava muito, apenas que isso significava que estavam mais perto de seu objetivo.

    Logo, aquela IA em seus braceletes informara que haviam novas mensagens, além de ensinar como mandar as suas próprias mensagens para outros do grupo.

    - Me mostre a mensagem, por favor.

    O soldado Kin leu com atenção, tentando entender o que " armando-se" significaria, mas logo viu que quem mandara fora um superior, ou melhor, uma superiora, a Tenente Kyra. Uma ordem de um superior não deve ser nada menos que acatada o mais rápido possível.

    Foi o que ele fez, partindo logo em seguida para o arsenal da nave, deixando apenas um:

    - Com licença, tenho que me ausentar.

    Para todos ali.
    Claude Speedy
    Investigador
    avatar
    Investigador

    Mensagens : 71
    Reputação : 0

    Re: Capítulo 1 - Por um Punhado de Justiça

    Mensagem por Claude Speedy em Qui Jun 22, 2017 4:48 pm



    Elias:-Sabe bem do que estou falando, nós somos Legião! Somos Anônimos! Não esquecemos, não perdoamos!
    Anônimo: -Não é só por vinte centavos de real... é pela democracia real, pela liberdade não moldada... Vamos, admita.
    Elias: -Eu compreendo. Admito que gosto de te-lo aqui.
    Anônimo:-Ótimo, porque Legião alguma pode vir.

    Nadia escreveu:-Eu não mandei lhe bater. Mas se fosse o caso eu mesma o faria... -
    Então não foi ela. Ótimo... Ela tem um espírito fácil de manobrar, em breve essa informação pode ser útil.

    Minha avaliação do lugar dá parcialmente certo, ao que parece a ira contra mim veio de outra pessoa. Mas ela revela que não tem nada contra violação de direitos civis.
    A mão pesada do estado sempre aperta através da manipulação de opinião. Creio que eu não a odeio tanto quanto ela me odeia, afinal sei que ela foi ensinada que eu sou o mal e não muito diferente dos meus colegas de sala.

    Tento perceber se a inteligência artificial tem um nível pesado de inteligência ou só uma interação mais articulada.

    Artemis escreveu::- Olha só! Alguém entendeu a minha referência! -

    Não era difícil, bom, não para alguém com o conhecimento sobre filosofia que eu tenho. Várias linhas de pensamento se articularam para eu ser considerado perigoso pelas pessoas, apesar de que eu considero que elas é quem trabalharam para os verdadeiros mafiosos... Então vejo o avatar da IA em Uma agitação como de uma colegial envaidecida, interessante.

    Artemis escreveu:  - Ainda bem que eu sou só um programa, e não uma deusa do mal hahahaha.

    A Artemis da antiga religião também não era maligna por excelência , sacrifícios eram comuns na Grécia antiga, aliás por toda antiguidade os homens em quase todas todas culturas da Mesopotâmia sacrificaram animais aos seus deuses para se poupar da destruição certa. O próprio Cristo é um simbolo de um sacrifício divino para poupar as vidas da humanidade... Talvez seja esse nosso propósito aqui sermos sacrificados igual macacos espaciais. Refletir sobre tudo... Com certeza sacrificar é maligno para a vítima. É isso que tanto eu, quanto a samurai rubra e todos que estamos aqui somos? Ou seriamos como conquistadores de Troia? De qualquer modo, o conquistador e a vítima estavam no mesmo barco.

    Artemis escreveu:- Seu bobinho, eu estou no seu braço, não dá pra ficar de costas!

    O jeito de me chamar de tolo enquanto escondo minha arma, faz eu me lembrar de como conheci uma garota que me ajudou.
    Faz tanto tempo... Ela me faz lembrar dela. Mas as lembranças eram reais?

    AAAAaaaaaaaaaaaaaaaaaa!

    Eu tenho de me controlar. Antes que eles voltem a me deixar completamente fora de mim.
    Enquanto eu guardo as armas, eu penso que preciso de uma outra máquina. Um hardware qualquer além do que esta no meu pulso.
    Em seguida tento compreender a programação dela enquanto respondo ao comentário sobre ela estar no meu braço.


    Ah... Qualé? Eu estou ficando louco, pensando que uma máquina pode ser uma pessoa.
    Mas quem sabe... eu possa, enganar a opinião dela tentando fazer um registro de que sou um bom moço mais tarde.

    Solidão da viagem?

    Noto que o sujeito com cara de caveira tem também um bracelete.

    Blood Bones escreveu::Hmmm, eu já matei um cara com cada elemento dessa sala

    Reconheço que fico curioso, eu lembro que já tinha até estudado tal técnica de improvisar armas mas nunca me especializei e por isso estou com uma espada e shurikens nesse voo.

    Blood Bones escreveu:Mas sou péssimo no jogo. Blood Bones, e se você está de castigo aqui também deve ser porque é tão horrível quanto eu.

    É sempre fundamental causar uma boa impressão!
    Especialmente em alguém que pode te matar com os objetos que você esta usando.
    Tento então falar algo inteligente com as informações que ele me passa.
    Deception: 4 + 4 (PRE) = 8 Claude Speedy efetuou 1 lançamento(s) de dados (d20.) :
    10
    Expertise: Philosophy 4 + 3 (INT, T) = 7   Claude Speedy efetuou 1 lançamento(s) de dados (d20.) :
    4

    -Sou Anônimo e certamente sou tão horrível quanto você, pelo menos nos jogos... Jogos esses que nossos carcereiros seguem as regras e também perdem conosco. Eu ainda acho que sou inocente, mas quem faz esse julgamento são eles, não é...? O que tenho certeza creio que por mais horrível que nós dois tenhamos jogado não fomos tão ruins tão nosso amigo sombrio ali ao fundo. Ao que parece pegaram ele por motivos bem piores. Não acha...?

    Uso a palavra horrível não no sentido moral, mas no sentido de ruim como criminoso para que desse modo ele pense que eu não tenho moralidade alguma. Um sujeito se gabando de matar com todos objetos encontráveis em um bar tem de pensar que sou pior do que ele para me deixar em paz...

    E com isso me inclino para dar mais uma péssima tacada no jogo, tentando prestar atenção no que meu pretenso colega de sala esta carregando de armas, ou pior, o quão perto as mãos dele estão de um outro taco.
    Perception: 6+4 (AWE) = 10   Claude Speedy efetuou 1 lançamento(s) de dados (d20.) :
    13
    Conteúdo patrocinado


    Re: Capítulo 1 - Por um Punhado de Justiça

    Mensagem por Conteúdo patrocinado


      Data/hora atual: Seg Jul 24, 2017 11:35 pm