Um fórum de RPG online no formato de PBF (Play by Forum).


    Capítulo 1 - Por um Punhado de Justiça

    Compartilhe
    Luxi
    Adepto da Virtualidade
    avatar
    Adepto da Virtualidade

    Mensagens : 1503
    Reputação : 412
    Conquistas :
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/311.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1411.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1012.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/912.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/212.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1811.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1413.png

    Re: Capítulo 1 - Por um Punhado de Justiça

    Mensagem por Luxi em Sab Jan 06, 2018 11:32 am

    Então qual seria o ponto de convergência que unia a Batalha e as Terras? Qual teria sido o ponto crucial para fundi-las?Queria saber o que tinha acontecido em seis meses naquele lugar para transformar tudo. Teria sido alguma intervenção de alguém daquele planeta? Ela não tinha visto ninguém efetivamente criando aquele deserto. Não tinha captado nada em especial que chamasse a atenção nas duas visões. Talvez devesse explorar isso mais tarde.

    No momento, Sarah e Quantum estavam loucos para sair dali, ainda que seu playground particular continuasse ativado.

    Respawn analisou cuidadosamente a expressão de Quantum, sem demonstrar qualquer tipo de ansiedade em descer para ajudar os "companheiros". Muito lhe dava preguiça a síndrome do herói, pois ela não era do tipo que gostava de entrar em combate.

    - Nossa prioridade era concluir a missão. Está feito. Eles parecem vivos para mim e isso é o suficiente. - olhou compenetrada para Rhys, querendo tirar qualquer ideia imbecil de se jogar no meio de uma luta que não era delse.

    - Pretendo não perdê-lo... ou danificá=lo - mais um motivo para não sair enfrentando a droga escura que tinha matado todo mundo ali dentro e por que não ela?

    - Tire os escombros. Precisamos garantir uma rota de fuga. Assim a garota pode sair se quiser. Vou avisá-los que a missão está concluída.

    "A missão está completa."
    Digitou para os companheiros.

    - Pronto. Sarah. Tem certeza mesmo que aquela coisa não tem algum tipo de ligação com você? Ela não vai sentir se você sair daqui?

    A ideia era que a menina pudesse sair pelos escombros primeiro e se safar,  pelo menos. Mas seria melhor se a sombra não soubesse disso.

    - A propósito, o que era aquela música tocando na sala? - perguntou aleatoriamente, de braços cruzados enquanto observava a sala e o trabalho de Rhys.
    Claude Speedy
    Troubleshooter
    avatar
    Troubleshooter

    Mensagens : 990
    Reputação : 21

    Re: Capítulo 1 - Por um Punhado de Justiça

    Mensagem por Claude Speedy em Sab Jan 06, 2018 10:40 pm




    Artemis me informa que Ace e Iroh devem ou estão sem braceletes...

    Que inveja!

    Eu realmente estou aqui tentando evitar uma guerra... Espero que os outros membros da Aliança também.

    Formalidade sempre foi um problema para intelectuais que se veem e querem ser vistos como parte da população, eu não sou uma exceção

    Elias Duque: -Barão...? Não de modo algum, eu só...

    Mas uma a explosão impede que eu possa fazer qualquer fala...

    Will=7
    Claude Speedy efetuou 1 lançamento(s) de dados (d20.) :
    4
    Lyvio
    Semi-Deus
    avatar
    Semi-Deus

    Mensagens : 7346
    Reputação : 16
    Conquistas :
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/211.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1112.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1011.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/212.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1811.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1413.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/410.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1511.png

    Re: Capítulo 1 - Por um Punhado de Justiça

    Mensagem por Lyvio em Dom Jan 07, 2018 12:26 am

    Wiil +12 contra cd 20

    Lyvio efetuou 1 lançamento(s) de dados (d20.) :
    14
    Neith
    Tecnocrata
    avatar
    Tecnocrata

    Mensagens : 319
    Reputação : 40

    Re: Capítulo 1 - Por um Punhado de Justiça

    Mensagem por Neith em Ter Jan 09, 2018 3:35 pm

    “Melior costuma dizer que todos tem potencial para serem heróis ou vilões. E alguns transitam entre ambos os conceitos durante a sua vida, não são nem heróis e nem vilões, apenas dão seu melhor a cada momento e as vezes falham. Que as mesmas características que constroem um herói fazem o vilão e que a diferença está naquilo que geralmente não vemos, nas motivações, nas ambições…Que tomar a decisão difícil, abrir mão de seus maiores anseios, fazer o que é preciso mesmo contrariando a lógica e tudo em nome de um bem maior ou de outro é o que se espera de heróis. O altruísmo genuíno é visto em situações chave, de impacto e nelas alguém comum pode tornar-se um herói momentâneo ou um herói tornar-se um vilão ou vice versa. E que ninguém seria puramente herói ou vilão, que os momentos cruciais mostram nossa principal tendência e por isso foi tão estranho estar na Terra 5, conhecer seus habitantes, eles fazem do heroísmo uma profissão com suas capas e uniformes. Um conceito totalmente novo e estranho o qual demorei para me habituar e que ainda me faz reservar muitas suspeitas, pois assim como meu irmão eu acredito que é nas dificuldades, na guerra, nos piores momentos que revelamos nossa natureza, nosso caráter, que mostramos nossa verdadeira face, mesmo que não a aceitamos plenamente. Ver que ao meu lado, lutando ao meu lado, estavam pessoas que demonstravam tais pontos era gratificante, mas isso não faz de nossos oponentes vilões. Aqueles soldados estavam sendo abatidos por seguirem as ordens de seus superiores, estavam fazendo o que julgavam certo, acreditando no julgamento de quem deveriam poder confiar, sendo leais a seus juramentos e definitivamente não merecem morrer. Guerras nunca são justas! Isso é um engano e precisa parar! E, agora eu percebi o que preciso fazer mesmo que isso me assuste. Marfim tinha razão, eu me esqueci e acabei me perdendo. É hora de encontrar o caminho de volta, de lembrar-me de quem fui e do que represento. Será um longo e difícil caminho!”

    Ron escreveu:–  Majestade, acertamos?  Majestade? Perz, espera!

    Diante a pergunta de seu guardião a Imperatriz permanece em silêncio, ela se dirigia apressadamente para a entrada do castelo e já não tinha mais a visão do campo. Atens esperava que eles não percebessem o que planejava a tempo de tentarem impedi-la. Entretanto, seu silêncio revela que algo estava errado, algo havia sido ocultado dos Guardiões e agora fora notado, ao menos por um deles.

    Ren escreveu:– Atens!? Sai daqui, não é seguro!

    Como esperado, assim que chega aos portões sua Guardiã esbravejava ignorando os soldados e se colocando em um perigo ainda maior. O trio de Guardiões ainda agia descoordenadamente e a Imperatriz havia, agora claramente, se aproveitado disso. Ebon também tenta apelar para que a Dryad saísse dali, mas era tarde. Atens estava determinada e não havia ninguém ali capaz de fazê-la voltar atrás em sua decisão.

    Ebon escreveu:– Atens, por favor, vá. Pegue Delilah e os outros e fuja...

    Ebon também tenta apelar para que a Dryad saísse dali, mas era tarde. Atens estava determinada e não havia ninguém ali capaz de fazê-la voltar atrás em sua decisão.

    Atens – Isso precisa acabar e … - Os soldados miravam todos na direção da Imperatriz que se concentrava em sua marca tentando harmonizar-se com ela na esperança de que aquilo pudesse ajudar a parar o conflito. - … só tem uma forma.

    Havia um ponto em comum entre aquela marca e a magia de Athantis, elas operam em uma mesma frequência. Fato que apesar de curioso fazia sentido aos olhos da Dryad afinal os Dryads acreditavam que aquela era a frequência geradora do Universo. A frequência da consciência do Universo, o ponto em comum entre tudo que existe. Entretanto, aquela sensação era nova, a marca reverbera feito um diapasão e uma luz intensa surge preenchendo o local e nenhum tiro é disparado. Antes de seguir na direção do mecha Atens analisa os soldados, ela buscava por indicios de que voltariam ou não a atacar. Pouco antes de chegar ao local onde Quasar lutava com o mecha a Imperatriz olha para a muralha e vê Perz parado. Atens não estava facilitando o trabalho deles e esperava que, dessa vez, pudessem perdoá-la, afinal ela estava fazendo o que era preciso. Diante a seus olhos não havia outra forma. Assim que percebe que sua voz poderia ser escutada pelo piloto a Dryad refaz seu discurso, mas dessa vez com um pouco mais de apelo.

    discurso:
    Atens – Uriah, sim, sou uma estrangeira! Mas, não viemos lutar embora as posturas do Rei estejam nos obrigando a isso. Estamos apenas nos defendendo!! Que prova maior você e seu povo poderia ter de que viemos em Paz do que termos nos submetido ao ritual da marca e eu estar agora na Casa do Marfim?! Sei que recebeu uma ordem, que perdemos pessoas que gostamos, mas por um momento pare de atirar e pense. Viemos aqui com um objetivo, sim: Ajudá-los com um problema que identificamos enquanto sobrevoamos seu espaço aéreo e que a cada segundo que passa se agrava. Se não pararmos esse conflito agora e não escutarem o que tenho a dizer em poucas horas Zionis deixará de existir assim como seu planeta. No fim, todos nós morremos a menos que pare de atirar e escute. Nossos equipamentos mostram que seu planeta está instável e a menos que trabalhemos juntos nas próximas horas para estabiliza-lo ele entrará em colapso e todos estarão mortos até o fim do dia. Sua ordem é nos levar até o Rei não é?! É justamente o que quero. Uma audiência com o Rei e a sua Corte. E, … - A Imperatriz ergue sua mão colocando em evidência sua marca. - … creio que eu tenha esse direito!
    Aparentemente Atens não demonstrava medo, mesmo após o susto gerado pelo ataque do Mecha. A Dryad continuava sua fala de modo incisivo. E, embora suas palavras parecessem sinceras ela modelava-as e ia revelando os fatos desde sua chegada aquele planeta do modo que mais lhe era conveniente.
    Atens – Pense Uriah!!! Se fossemos uma ameaça porque estaríamos tentando manter uma postura pacífica mesmo após sermos atacados? Porque não atacamos primeiro ao invés de tentar um diálogo? Porque Marfim teria me aceitado? O Rei está enganado sobre nós! Deixará seus familiares, seus amigos, seu Povo morrer? Pare o ataque!!!

    Atens – Por favor, Ulriah, pense e verá que “não queremos violência e sim ajudar”.“Pare o ataque continua-lo é um erro”.

    resumo e rolagem:

    - Insigth soldados - Tentar perceber indícios de que voltarão ou não a atacar o grupo.
    Neith efetuou 1 lançamento(s) de dados (d20.) :
    17
    opção 1 - se os soldados demonstrarem que não vão continuar o ataque:
    Mantendo…
    -ANEL IMPERIAL (PROTECTION)
    -SÚDITOS IMPERIAIS (COMMUNICATION + AFFLICTION): Objetivo - Convencer Ulriah a parar o ataque.

    opção 2 - se os soldados demostrarem que vão continuar o ataque.
    Mantendo...
    -ARMADA IMPERIAL (ENHANCED SKILLS + COMMUNICATION  + FEATURE)
    -ANEL IMPERIAL (PROTECTION)
    Lyvio
    Semi-Deus
    avatar
    Semi-Deus

    Mensagens : 7346
    Reputação : 16
    Conquistas :
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/211.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1112.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1011.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/212.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1811.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1413.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/410.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1511.png

    Re: Capítulo 1 - Por um Punhado de Justiça

    Mensagem por Lyvio em Qua Jan 10, 2018 12:43 am

    Saloon

    Artemis]:A Casa do Rubi. Não sei o porque, a gente só tem teorias...

    [Abbhel]:Pode ter sido o Rei - ele soa preocupado - Corra Orochi, vai ser um dia longo, os problemas não acabam.

    Era só o que faltava Ebbon, Atens e os demais estão sob ataque. O rei de Ouro realmente parece perigoso, mas o que será que aconteceu para ele atacar dessa forma? Talvez tenha ocorrido algo...bem, depois descobrirei, tenho que resolver meus próprios problemas e tentar ajuda-los caso necessário.

    -Artemis, há luz natural no castelo de Ebbon? Ou nos seus arredores?

    Preciso partir, Artemis me responderá ou aqui ou nas minas.

    [Artemis]:Okdokey! Eu preciso calcular esse tipo de coisa, mas ele não são muito rápidos e pelo que eu vi as trincheiras na borda de Zionis são meio complicadas de atravessar.

    Interessante...Zinions ainda possui trincheiras, mas era de se imaginar, vivem em guerra.

    -Pois Calcule o mais rápido que puder e me informe se eles possuem artilharia de longo alcance, se sim, defina o raio que poderíamos ficar para nos mantermos seguros quando formos até lá.

    Tento pedir para que não ataquem e parece ter sido atendido, de quebra ainda consegui fazer os exércitos dos Karnotauros pararem e seu líder como imaginava era o de armadura preta exótica se dirigiu a mim.

    [Karnotaur Líder]:Quero ver os olhos de homens mortos antes de terminar com isto - ele grita, mas somente os membros da Aliança ali entendem graças a Artemis. Ele deixa a espada fincada na areia e avança sozinho.

    Seu grito é sentido por mim até nos ossos, mas nada mais que isso, pelo que parece, é uma espécie de intimidação, tipica de criaturas bestiais, mas isso não funciona comigo, no entanto é latente seu nível de poder, pelo que parece é alguém muito poderoso, era de se esperar que entre homens bestiais o mais forte comandasse.

    Desço a altura dele, mas mantenho minha levitação a alguns centímetros do chão. Fico de frente para ele, então ele me dirige a palavra.

    [Karnotaur Líder]:Quero ver os olhos de homens mortos antes de terminar com isto

    Ele não parece muito disposto a aceitar meus termos, talvez seja uma estratégia, não posso recuar e começar um confronto.

    -Me chamo Yamato no Orochi, e como disse, não há necessidade de um combate entre vocês e os sem rosto, as coisas vão se resolver em Zinions, meus emissários foram negociar a volta de vocês para lá, caso não consigam iremos a guerra, venho propor uma aliança de vocês, os sem rosto e nós contra Zinions, quais as suas exigências para que não tenhamos que nos enfrentar? E para essa aliança além do que já ofereci.

    Espero que eles cooperem, afinal, o que eles mais querem é voltar para Zinions.

    Jezreel
    Troubleshooter
    avatar
    Troubleshooter

    Mensagens : 937
    Reputação : 12
    Conquistas :
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/411.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/912.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/712.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/410.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1511.png

    Re: Capítulo 1 - Por um Punhado de Justiça

    Mensagem por Jezreel em Qua Jan 10, 2018 11:34 am

    A dor foi tão aguda, que seu corpo como um último recurso o adormeceu por completo. Sua visão tornou-se turva e suas forças foram se estinguindo de maneira contínua numa velocidade quase que rápida demais. A Quimera só sabia que estava perdendo sangue por causa de seu olfato que ainda funcionava relativamente bem.
    "É o fim?"
    Não sabia se era por causa do veneno ou porque sua morte realmente próxima, mas ele tinha certeza de que estava ouvindo alguma voz ou algumas vozes. Não sabia bem quem era, e com as poucas forças que tinha, era difícil manter-se focado, entretanto, parecia que o foco de sua visão não dependia apenas dele e ela ajustava-se sozinha em sua mente, como se estivesse sendo teleportado à outro mundo.
    - Joseph... ele ouvia repetidas vezes, como se estivessem o procurando, e até então não o achando. - Joseph... onde está você?
    A visão se ilumina à ponto da luz cobrir sua visão e tornar-se tudo branco.
    "Eu morri?" Mas logo ouvia o guincho daquela criatura tão intrigante, de certa forma poderia chamá-la até de bela, pois nunca havia visto criatura daquele porte.
    Reunindo suas últimas forças, ele tenta dar um golpe final na criatura afim de soltar-se, porém falha.
    "Me tornei aquilo que era meu objeto de estudo e vou morrer por algo que eu daria tudo para estudar. Irônico. Talvez este mundo realmente me odeie. Um fim trágico de uma vida trágica. Não do início ao fim, mas as lembranças parecem tão longe que eu não duvidaria de tudo aquilo que fui no passado, não passar de uma ilusão."
    Mais uma vez Joseph parece ouvir vozes o chamando, de algum lugar.
    "Joseph! Você não sabe o quanto eu desejei que você estivesse comigo por mais um dia!"
    - Lil... Mal conseguia falar. Talvez o veneno, o cansaço, a perda de sangue ou a mistura de tudo isso em uma criatura que já estava cansada de não sentir-se enquadrado em qualquer lugar. A morte já não parecia tão ruim.
    "Você não pode desistir agora, seu idiota!"
    A criatura se espanta. Era Drake, do jeito que ele vira por último, jutamente de Mark e Josh.
    Joseph não conseguia acreditar. Alucinações era a última coisa que poderia estar acontecendo com ele nesses últimos momentos. Sua mente estava lutando para que ele não desistisse da vida tão fácil. Precisava encontrar Lilian. Precisava encontrar seus amigos, sua família. Todos já haviam sofrido bastante com sua suposta morte, inclusive ele mesmo. Samurai Rubra tinha lhe dado uma chance e precisa aproveitá-la. Se tivesse um último desejo de vida, seria esse: lutar até alcançar seu sonho.

    Reunindo suas últimas forças, em um rugido forte o suficiente para que suas cordas vocais queimassem, Quimera enfia suas garras dentro das juntas da pata da criatura, torcendo para que aquilo pudesse romper algum tipo de tendão e ela não conseguisse mais usá-las.

    Jezreel efetuou 1 lançamento(s) de dados (d20.) :
    20



    OFF:
    Galera, meu celular pifou. Desculpe se alguém falou comigo pelo wpp e não respondi. Não sei quando vou conseguir um novo :/ Qualquer coisa me mandem pm ou pelo face. O Isaac me tem e acho que a Maithe tb.

    Fortitude DC 20 +9 Improved Critical 1:
    Jezreel efetuou 1 lançamento(s) de dados (d20.) :
    17



    Jezreel
    Troubleshooter
    avatar
    Troubleshooter

    Mensagens : 937
    Reputação : 12
    Conquistas :
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/411.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/912.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/712.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/410.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1511.png

    Re: Capítulo 1 - Por um Punhado de Justiça

    Mensagem por Jezreel em Qua Jan 10, 2018 11:38 pm

    Dano (Strengh 7) Improved Critical 1

    Jezreel efetuou 1 lançamento(s) de dados (d20.) :
    19
    Claude Speedy
    Troubleshooter
    avatar
    Troubleshooter

    Mensagens : 990
    Reputação : 21

    Re: Capítulo 1 - Por um Punhado de Justiça

    Mensagem por Claude Speedy em Sex Jan 12, 2018 8:18 am



    Me lembro brevemente da conversa do Saloon pelo comunicador aberto, que coisa...

    Lembro que eu antes tinha papos legais no bar, filosóficos.

    Lembro dos aristocráticos Orochi e Artemis falando sobre pedras preciosas... Rubi..

    Curioso, os trens em São Paulo também tem nome de pedras preciosas e não são lá essas coisas...

    Assim como os nobres daqui...

    Acho que é hora de mostrarmos o nosso valor.

    Esses devaneios me veem enquanto a sombra da espada ainda aterroriza minha mente, Orochi se apresenta flutuando da forma intimidadora que só ele é capaz de fazer, enquanto o sujeito na minha frente me traz arrepios.

    Uma das vantagens de ter uma máscara é esconder o medo que sinto, assim como usa-la como ferramenta para meu teatro pessoal.

    Eu me reclino, aproximando-me de Orochi, como um vassalo obediente diante de seu mentor. Ainda que eu seja livre inteiramente, meu comportamento demonstra uma submissão para nosso convidado... E eu ironicamente falo com nosso "pequeno Deus" com um sarcasmo que só os nossos entendem, enquanto tento soar como um dedicado querubim diante de seu criador.

    Digito a frase que quero dizer nessa hora para Artemis e peço que seja escrita uma semelhante com facilidade para como eu repetir... ainda que meu sotaque fique estranho.

    Anônimo: -Poderoso Orochi... Grande Abutre Os que tem rosto te louvaram sempre. Proteja-nos...


    Deception: 13

    Claude Speedy efetuou 2 lançamento(s) de dados (d20.) :
    9 , 6

    Uso o medo que estou sentindo do sujeito para canalizar minha interpretação, no fundo tento também olhar o ambiente pouco antes de me aproximar e me ajoelhar com um só joelho diante do garoto. Nessa posição ficará mais fácil rolar para trás de alguma pedra para ajudar a emboscar as tropas dos Karnotaurs caso eles avancem negando a diplomacia.


    Perception: 13

    Claude Speedy efetuou 2 lançamento(s) de dados (d20.) :
    7 , 16

    Não esta em meus planos a ideia ser um dos homens mortos que o líder deles quer tanto...

    Assim que Orochi desce à altura dele,  mantenho-se levitando a alguns centímetros do chão eu abaixo a cabeça e finjo estar concentrado em prece conforme o rapaz se afasta para conversar com o líder finjo reverência e temor para com Orochi, mas meu medo é realmente do Karnotaur líder... Não é ruim ter medo, meu inimigo só não precisa saber isso.

    Enquanto eles conversam, me preocupo em olhar ao redor para onde eu posso rolar e usar pedras como cobertura caso a proposta sobre a conversa em Zinions.

    [Karnotaur Líder]:Quero ver os olhos de homens mortos antes de terminar com isto

    Ele não parece muito disposto a aceitar meus termos, talvez seja uma estratégia, não posso recuar e começar um confronto.

    -Me chamo Yamato no Orochi, e como disse, não há necessidade de um combate entre vocês e os sem rosto, as coisas vão se resolver em Zinions, meus emissários foram negociar a volta de vocês para lá, caso não consigam iremos a guerra, venho propor uma aliança de vocês, os sem rosto e nós contra Zinions, quais as suas exigências para que não tenhamos que nos enfrentar? E para essa aliança além do que já ofereci.

    Espero que eles cooperem, afinal, o que eles mais querem é voltar para Zinions.
    isaac-sky
    Moderador
    avatar
    Moderador

    Mensagens : 850
    Reputação : 182
    Conquistas :
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/411.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/212.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/712.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/410.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1511.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/312.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/2111.png

    Re: Capítulo 1 - Por um Punhado de Justiça

    Mensagem por isaac-sky em Sab Jan 13, 2018 5:45 pm

    Respawn:


    Com respostas e mais perguntas Respawn analisa aquelas informações em sua mente.

    Quantum conhecia aquela expressão dela quando sugeriu ir salvar os outros. Por mais que não admitisse era o tipo de atitude que o salvou algumas vezes também.

    Respawn escreveu:- Nossa prioridade era concluir a missão. Está feito. Eles parecem vivos para mim e isso é o suficiente.

    [Quantum]:Hmpf...ok - respondeu um pouco mais contrariado que o normal.

    Respawn escreveu:- Pretendo não perdê-lo... ou danifica-lo


    Respondera sobre o bracelete. Rhys apenas assentiu com a cabeça.

    Enquanto digitava Quantum olhava uma última vez para os escombros que um dia foram a janela da ponte de comando. Aos poucos concentrou sua energia, ou melhor dizendo, seu poder.

    Quando Respawn terminasse e enviasse a mensagem de missão completa Quantum já estaria coberto da energia violeta de seu poder.
    Morrigan já o tinha visto usar seus poderes antes, mas era um evento incomum pois lidavam com criminosos de rua e não ameaças que o fizessem utilizar sua força por completo.

    Quantum dá um soco nos escombros com a palma da mão aberta.


    Com sucesso, os escombros voam para frente e para fora da nave, revelando o sol, o deserto, e a grande altura que estavam do chão.


    [Quantum]:Artemis, pode trazer a nave pra cá?

    A luz é um pouco cegante, principalmente para quem estava ali a muito tempo. Sarah fica receosa de olhar para o lado de fora e se vira, ficando de frente para Morrigan.

    Respawn escreveu:- Pronto. Sarah. Tem certeza mesmo que aquela coisa não tem algum tipo de ligação com você? Ela não vai sentir se você sair daqui?

    [Sarah]:E-Eu não sei, mas o demônio nunca sairia desta nave e iria para o sol, é contra a natureza dele. Eu não sei se estamos ligados, mas eu posso sentir que ainda está vivo...mas...estranho, ele não parece tão forte agora.

    Respawn escreveu:- A propósito, o que era aquela música tocando na sala?

    [Sarah]:Ah, minha caixa de música... - ela olha para o objeto em sua mão - Eu ganhei de uma das tripulantes. Me ajuda a me manter...acordada. Ajuda com os pesadelos.

    Sarah toma coragem e anda em direção a luz que a abertura trouxe. Ela respira fundo e sente o ar em seu rosto. Conforme os raios solares tocam em seu rosto as escamas começam a se desfazer, como se reagissem a luz.


    Thera, a nave que embarcado no Orion, chega sobrevoando e estaciona logo de frente para a abertura criada.



    Laranja:


    Num embate de monstros a brutalidade não é somente um detalhe e sim o que pode definir o resultado desta luta.
    A centopeia de escuridão possui muita força e seria capaz de aniquilar todo o grupo se não fossem pelos momentos de sorte ou estratégia do grupo.

    Imerso em memórias e no torpor do veneno Quimera vê e ouve sua antiga vida e balbucia nomes. Num urro reverberante o doutor decide não se entregar.
    O corpo dele naquele instante reage ao veneno, interrompendo os efeitos dele.

    (Dr. Quimera não está mais sob efeito do Veneno)

    Urrando o fera salta sobre o centopeia. Distraído com algo que o grupo no hangar não vê o monstro não reage a tempo de evitar ser atacado.
    O Quimera realiza um salto perfeito e consegue fincar as garras no olho que já sangrava e em uma das bifurcações da couraça.

    Sangue negro jorra e inunda o chão sob eles. O guincho do monstro é horripilante e ele se debate tentando se libertar, mas o ferimento é profundo e o sangue não para.
    Aos poucos o Quimera pode sentir a vida do monstro se esvaindo e o mesmo cai no chão.

    E pensar que se este monstro estava na Batalha de Antares então a Aliança enfrentou milhares desse.

    [Cheyenne]:Steel, por favor não Steel. Você é o famoso Steel, não pode morrer assim.
    Sem o capacete o ex-soldado apenas sorri para ela logo antes de fechar os olhos pela última vez.

    Ennio guardava os revolveres, sem que vissem ele tinha eliminado os dois androides.

    O silêncio preenche o hangar. Somente uma mensagem interrompe este momento.

    "Missão Completa" vindo de Respawn.





    Equipe Azul:


    O rugido do líder Karnotaur é de gelar a espinha.

    Anonimo tenta agir com o cérebro, afinal, como um humano comum iria lutar entre criaturas como aquelas?
    Mas o rugido lhe dá um medo primal, como um instinto humano ao ouvir o rugido de uma fera na floresta.


    Anonimo está com status temporário de Impaired. -2 em suas rolagens

    Orochi resiste ao rugido de forma resoluta.
    Infelizmente não há tempo ou oportunidade para saber mais do conflito de Atens e seu grupo.

    Orochi escreveu:-Me chamo Yamato no Orochi, e como disse, não há necessidade de um combate entre vocês e os sem rosto, as coisas vão se resolver em Zinions, meus emissários foram negociar a volta de vocês para lá, caso não consigam iremos a guerra, venho propor uma aliança de vocês, os sem rosto e nós contra Zinions, quais as suas exigências para que não tenhamos que nos enfrentar? E para essa aliança além do que já ofereci.

    O karnotaur encara Orochi flutuando.

    [Karnotaur]:Acordo de volta? Hahahahaha, você é louco ou o sol te deixou assim? - ele ri de forma sarcástica.

    O Anonimo emula uma espécie de prece, dando um ar de ser divino maior a Orochi. O Karnotaur olha para o vigilante por um instante antes de voltar a encarar Orochi.

    Naquela posição o Anonimo consegue ver que na fenda onde fica a mina há muitos pontos de cobertura e diversas bifurcações, então é possível correr rapidamente de volta caso começassem a trocar tiros. O maior problema é o mecha e os herois não sabem se seus canhões funcionam.

    [Karnotaurs]:Os desgraçados filhos do Ouro nunca nos aceitariam de volta. A única maneira de entrarmos em Zionis é pela força, quando não restar nenhum deles. Está disposto a isso Yamato?

    Ele cruza os braços.

    [Karnotaur]:Eu sou Nahir, e eu serei o Abutre que irá trazer morte e desgraça a Zionis. Meu povo faz acordos só de um jeito.

    Nahir muda a postura e ergue os punhos. Orochi pode sentir que há alguma energia estranha nele.

    [Nahir]:Se me derrotar, eu e meu exército paramos aqui e lhe seguiremos. Caso eu vença, você me entregará esta mina de carvão voluntariamente.

    O karnotaur encara Orochi e Anonimo.

    [Nahir]:Seria injusto um duelo, eu sou forte demais. Pode incluir aquele cara - responde apontando para o vigilante.





    Atens:


    Atens em seu desafio revelava ter muita coragem. Andar desarmada no meio do combate, ignorando os pedidos de seus próprios colegas em retornar à segurança.
    Esse é o tipo de coisa que seus aliados e seus inimigos se recordariam.

    A magia ressonante com a runa podia não ter um efeito prático, mas a luz revelava que ela não tinha somente uma máscara: mas exibia habilidades do Poder: a prova prática de que Ebon estava correto.

    Talvez com tempo, depois da missão, Atens pudesse compreender as semelhanças da Marca de Poder das Runas.

    Diante do gigante que é Jericho as palavras de Atens ressoavam em alto e bom som. Alguns soldados rubi tirando fones de ouvido acoplados em suas máscaras, e nenhum deles parece querer retornar ao combate mas se mantém atentos para caso Ebon e os outros atacassem.

    [Uriah]:Se defendendo? Hoje de manhã eu perdi oito dos meus amigos. Que tipo de defesa era aquela ao atacar todos os pontos de guarda da cidade? Hein? - ele esbraveja pelos alto-falantes do mecha. Se referia ao massacre causado por Ace anteriormente na fuga.

    [Uriah]:Você oferece ajuda mas só está piorando as coisas. Até arrastou Ebon nisso. Acha que é fácil quando lhe mandam explodir seus amigos de infância?

    [Ebon]:Obrigado pela consideração, Uriah - comentou Ebon de forma sarcástica, sentado no chão.

    [Uriah]:O Rei lhes declarou traidores de Zionis e um risco para a segurança de nosso refúgio. Fomos ordenados com a eliminação completa dos karnotaurs infiltrados e seus simpatizantes.

    [Soldado Rubi]:Você viu o que ela fez, Jericho - diz um dos soldados por rádio.

    [Uriah]:Karnotaurs não fazem isso. O que é você e quem você é...

    [Lukka]:Uriah seu desgraçado, o Rei mandou eliminar todos os concorrentes de uma vez. Não é obvio?

    O piloto do mecha pensa por alguns instantes.

    [Uriah]:Com a autoridade concebida a mim pela guarda real e pela Casa do Ferro eu levarei a mulher do Marfim e Ebon sob custódia. Sob as diretrizes e regulamentações sob aqueles suspeitos de terrorismo irei leva-los a corte e ao Rei. Somente os dois.

    Atens conseguira o fim do conflito imediato mas agora era obrigada a seguir seu próprio pedido: e dessa vez sem a companhia de seus guardiões, Uriah não iria permitir.

    Perz corre da muralha até próximo de Atens, mas não antes da resposta dela.

    Os soldados rubi começam a recuar e baixam suas armas.

    [Ren]:Atens...não... - ela soa um tanto triste. Era um tanto obvio enxergar sua culpa pelas falhas.






    Mecânica
    Spoiler:



    Djinn
    Data: 12 de Abril de 2027 - 11h49
    Vitalidade: Ok
    Condição: Ok
    Luck Points: 3
    Pontos heroicos: 12
    Pontos de poder: 171


    Dr Quimera
    +1PH
    Data: 12 de Abril de 2027 - 11h49
    Vitalidade: Ferido
    Condição: Dazed, -1 em resistencia a Damage
    Pontos heroicos: 8
    Pontos de poder: 169

    *Dazed: Somente pode realizar ações Free e uma única ação Standart ou Move por turno



    Respawn
    +1PH
    Data: 12 de Abril de 2027 - 11h55
    Vitalidade: Ok
    Condição: Ok
    Pontos heroicos: 16
    Pontos de poder: 170



    Orochi
    +1PH
    Data: 12 de Abril de 2027 - 12h30
    Vitalidade: Ok
    Condição: Ok
    Pontos heroicos: 20
    Pontos de poder: 190


    O Anônimo
    +1PH
    Data: 12 de Abril de 2027 - 12h30
    Vitalidade: Ok
    Condição: Ok
    Pontos heroicos: 21
    Pontos de poder: 188



    Atens
    +1PH
    Data: 12 de Abril de 2027 - 12h15
    Vitalidade: Ok
    Condição: Ok
    Pontos heroicos: 38
    Pontos de poder: 192

    Lyvio
    Semi-Deus
    avatar
    Semi-Deus

    Mensagens : 7346
    Reputação : 16
    Conquistas :
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/211.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1112.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1011.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/212.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1811.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1413.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/410.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1511.png

    Re: Capítulo 1 - Por um Punhado de Justiça

    Mensagem por Lyvio em Sab Jan 13, 2018 8:47 pm

    Analisando a modo que ele fala, me parece muito bem educado para um amontoado de seres bestiais, no entanto, eles se portam como seres bestiais educados, na realidade, seu líder, talvez os líderes sejam assim. Continuarei a prestar atenção no que ele falará.

    [Karnotaur]:Acordo de volta? Hahahahaha, você é louco ou o sol te deixou assim?

    Deve ser da raça deles o sarcasmo impregnado, Abbhel, agora esse, deve ser característico deles só pode...

    Anônimo: -Poderoso Orochi... Grande Abutre Os que tem rosto te louvaram sempre. Proteja-nos...

    Então Anônimous intervem, ele toma postura de servo diante de mim e fala no idioma Karnotauro, Artemis traduz automaticamente e logo percebo que ele tenta passar um ar de autoridade divina para mim, como sou de fato, mas insere o nome abutre...deve ser para convencer o Karnotauro, interessante estratégia...que desperdício o cara desses ser criminoso, sua inteligência é considerável.

    -Não se preocupe...uma divindade não abandona seus servos.

    O karnotauro não parece ter se convencido desse teatro pelo que vejo. Mas, valeu a tentativa.

    [Karnotaurs]:Os desgraçados filhos do Ouro nunca nos aceitariam de volta. A única maneira de entrarmos em Zionis é pela força, quando não restar nenhum deles. Está disposto a isso Yamato?

    Ouço suas palavras e ele parece desafiador, mas como disse anteriormente, atacarei sim Zinions, mesmo que seja contra as normas da aliança para resolver tudo isso, caso a Imperatriz falhe.

    -De onde venho, tentamos duas estratégias para solução de problemas desse tipo. A primeira, é utilizar a inteligência e diplomacia para tal, caso não funcione, utilizamos sim a força e esta estratégia é a que estamos aplicando em Zinions. Incluive, o Rei do Ébano está do nosso lado e foi ele que propôs traze-los de volta a Zinions, juntamente com os sem rosto para tira-los de seus sofrimentos, vocês e eles.

    Diferente do Rei de Ouro, o Rei do Ébano é um homem justo e reconhece vocês como parte de Zinions e os quer de volta lá, portanto, há uma disputa interna política em Zinions e isso a fragilizará.


    Encerro encarando sua máscara na altura dos olhos e lanço um leve sorriso de canto de rosto. aguardando uma resposta dele.

    [Karnotaur]:Eu sou Nahir, e eu serei o Abutre que irá trazer morte e desgraça a Zionis. Meu povo faz acordos só de um jeito.

    Nahir, interessante, ele diz ser o abutre...É, esse povo parece desesperados mesmo, elegem qualquer um para ser seu mentor que levará a vitória a eles sobre Zinions.

    -Abutre? Estranho, aqueles que ousaram me atacar dos seus enquanto tinhamos acabado de chegar na vila se submeteram a meu poder e me deram esse título...

    Mais uma vez o encaro e ele não exita.

    Nahir muda a postura e ergue os punhos. Orochi pode sentir que há alguma energia estranha nele.

    [Nahir]:Se me derrotar, eu e meu exército paramos aqui e lhe seguiremos. Caso eu vença, você me entregará esta mina de carvão voluntariamente.

    Combate corpo a corpo, isso não é minha praia, além de ser algo na minha opinião nada eficiente quando se pode dominar e devastar exércitos inteiros como eu. Sorrio mais uma vez, gosto da personalidade dele, parece um líder promissor.

    [Nahir]:Seria injusto um duelo, eu sou forte demais. Pode incluir aquele cara



    Não me contenho e um sorriso barulhento e sarcástico sai de minha boca. O que!? Ele sabe voar por acaso, ele se quer tem noção de meus poderes, ele que não teria a mínima chance contra mim, acho que preciso demostra-lo um pouco de meu poder.

    -Ora Nahir, por favor, não me insulte... Deixe-me dizer algo a você, eu sozinho posso devastar Zinions e qualquer outra cidade que eu desejar, eu posso tomar o controle do coração dos seres e faze-los me obedecer. Quer uma Demonstração?

    -Larguem suas armas!


    Ordeno ao exército dos Karnotauros que o faça usando a Onipotência.

    Onipotência:
    Ônipotência

    *EFFECT: Afliction / TYPE: Compeled / DESCRIPTORS: Divine
    *ACTION: Standard / RANGE: Close / DURATION: Continuous
    -Flats:
    -Extras: Selective, Perception-area.
    -Flaws: sense depende(Visão)
    RANK: 12 Entranced, Compelled, Controller
    DESCRIPTION: Uma aura de formato icônico que parece girar surge atrás e abaixo do corpo de Orochi, de modo a demonstrar seu sangue divino. Aqueles que presencial tal fato que possam ver e escutar sentem-se compelidos a ajoelharem-se para ele o oferecer obediência.

    Se eu quiser, boa parte de seu exército irá me servir eu preciso apenas ordenar. Além disso,  eu posso voar, você  pode? Eu posso subir, descer, ir para frente ou para trás em todas as direções possíveis e imagináveis nesse plano, eu poderia voar e ataca-lo de cima, o que você poderia fazer?

    Enquanto falo sobre as direções flutuo para elas.

    Além disso, eu posso rapidamente sumir...

    Uso a Onipresença e desapareço completamente da frente dele e num piscar de olhos estou acima da mina falando em alto tom para que todos ouçam e me vejam.

    Onipresença:
    Onipresença

    *BASE EFFECT: Movement / BaseTYPE: Teleport, Divine
    *ACTION: Move / RANGE: Ranking / DURATION: Instant
    -Flats:
    -Extras: Accurate, Easy
    -Flaws: Medium (Locais que tenha visualizado)
    RANK: 21
    DESCRIPTION: Num piscar de olhos, Orochi teleporta para Locais que ele já visualizou de alguma forma.

    ..e reaparecer, aqui, em cima da mina! Posso sumir mais uma vez...


    Desapareço mais uma vez e apareço atrás dele sussurrando em seu ouvido.

    ...e reaparecer...aqui!

    Subo voando mais uma vez.

    Posso falar em sua mente, posso ver quase todos os lugares desse ou de qualquer outro planeta e imediatamente aparecer lá, posso curar os feridos e trazer os mortos de volta a vida. O que você pode fazer quanto a isso!?

    Intimidar:


    +15
    Lyvio efetuou 1 lançamento(s) de dados (d20.) :
    5


    Dar socos, Gritar e atacar com a espada? Por favor, Nahir, se eu desejar posso exterminar grande parte de todo um exército de uma única vez, quanto tempo você sozinho demoraria para fazer isso? Não há porque lutarmos por isso. Entenda uma coisa Nahir, eu e os meus não pretendemos ficar neste planeta, portanto sua liderança como abutre depois de tudo resolvido se manterá, viemos trazer a ordem e a paz. Essa ordem é vocês de volta a Zinions juntamente com os sem rosto, lá tem espaço para todos!

    O que proponho é simples, evitemos esse combate e marchemos para lá. Se daqui para chegarmos em Zinions meus emissários conseguirem um acordo com o Rei de Ouro vocês já entram na cidade e ocupam seus lugares, se não atacaremos. É simples. Então, mais uma vez, o que me diz?


    Aguardo ansiosamente sua resposta, não é possível que depois de tudo isso ele ainda queira me enfrentar...
    Lyvio
    Semi-Deus
    avatar
    Semi-Deus

    Mensagens : 7346
    Reputação : 16
    Conquistas :
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/211.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1112.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1011.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/212.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1811.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1413.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/410.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1511.png

    Re: Capítulo 1 - Por um Punhado de Justiça

    Mensagem por Lyvio em Sab Jan 13, 2018 8:48 pm

    Re-rolo o Ijntimidar gastando 1 PH +15

    Lyvio efetuou 1 lançamento(s) de dados (d20.) :
    17
    Jezreel
    Troubleshooter
    avatar
    Troubleshooter

    Mensagens : 937
    Reputação : 12
    Conquistas :
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/411.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/912.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/712.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/410.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1511.png

    Re: Capítulo 1 - Por um Punhado de Justiça

    Mensagem por Jezreel em Sab Jan 13, 2018 10:46 pm

    Sangue.
    Não foi necessário a mutação para ter se acostumado com isto. O sangue está presente desde que se lembra. Desequilíbrios infantis marcam suas primeiras memórias, em brincadeiras inocentes. Sua presença era renovada anualmente pelas inúmeras doações que já havia feito. Sangue era sua matéria, quando dissecava outro ser para aprender mais sobre o mesmo. Na biologia:  líquido vermelho, viscoso, que circula nas artérias e veias bombeado pelo coração, transportando gases, nutrientes e elementos necessários à defesa do organismo. Na prática: vida, existência.
    As garras da fera não hesitaram em momento algum. Ao contrário, ao atentar-se para sua feição rústica e brutal, conseguiria observar a feição grotesca de contemplação e satisfação com tamanha carnificina. Estava em seu habitat natural. A criatura híbrida era a própria guerra em vida.  Guerra visível onde todos os animais estão em um processo eterno de dominação do corpo do pobre Joseph. Seu urro abominável acompanhava a destruição ocular do monstro das trevas que jorrava sua existência inutilmente ao chão. Era o fim.
    A besta que há pouco assombrava por seu porte, garras e presas estava lutando debalde contra seu destino fatídico.  
    O fim do duelo bestial. O vencedor ainda não havia sentindo os resquícios de luta por sua adrenalina estar alta, caminha em silêncio absoluto direcionando-se às lamentações de Cheyenne e visualizando a cena, entendeu o ocorrido. Baixas. Joseph lembra de quando iniciara sua primeira guerra em busca de dominação por território. Ele contra grupos inteiros. Até todos os animais aceitarem sua soberania em todo território das savanas. Suas cargas emocionais já haviam lhe ensinado como reagir à perdas. Sua nova vida foi feita de perdas. Agachou-se de modo que apoiasse com um de seus joelhos e dedicou seu silêncio para Steel. Era desta maneira que Joseph observara os animais prestando seus sentimentos aos seus iguais quando morriam. Só mudou de posição quando ouviu uma voz ligeiramente familiar atualizando o status da missão. A missão estava completa. Era como quando ainda estava envolvidos em ciclos sociais humanos e as pessoas tinham 2 notícias para dar. O mais sábio era escolher a ruim primeiro. A boa na maioria das vezes era como refrigério e de certa forma, desta vez também foi. Os ferimentos começam a doer, porém mais do que ninguém, Joseph sabia de sua taxa alta de regeneração e despreocupou-se. Logo estaria inteiro novamente.
    - Artemis, ouvimos que a missão está concluída. Diga-nos a posição da nave e a posição de todos os tripulantes, por favor.
    A fera estava agindo diferente desde sua batalha com a criatura das trevas. Talvez aquelas alucinações o afetaram mais do que o normal.
    - Este homem morreu em terras estrangeiras. O que podemos fazer agora é enterrá-lo em sua terra nativa. Concordam? Sem esperar a resposta dos outros, Joseph tenta retirar o corpo recém ceifado da armadura, para levá-lo.
    Neith
    Tecnocrata
    avatar
    Tecnocrata

    Mensagens : 319
    Reputação : 40

    Re: Capítulo 1 - Por um Punhado de Justiça

    Mensagem por Neith em Seg Jan 15, 2018 5:17 pm

    Melior escreveu:“Coragem não é a ausência do medo, mas o triunfo sobre ele. O corajoso não é aquele que não sente medo, mas sim aquele que age e conquista apesar do medo.”

    “Uma perfeita mentirosa, treinada a vida inteira para demonstrar apenas o necessário para atingir os objetivos desejados. Treinada para identificar a hora certa de mentir… A hora certa de dizer a verdade… A analisar todas as situação e buscar o melhor resultado através de ações meticulosas e precisas… A não dar um passo, um gesto sem saber como beneficiar-se dele. A ser uma perfeita ferramenta para a prosperidade de meu Povo… É como viver eternamente em Guerra… Esse estilo de vida as vezes nos faz esquecer que também temos um lado vivo e pessoal. Antares me fez lembrar disso, ao ver um a um dos que mais amava morrendo, e agora eu devia esquecer isso novamente para garantir nossa sobrevivência e poder dar aos que ficaram o que mais desejam: Voltar pra casa. Aos olhos desatentos minha atitude de seguir desarmada em um campo de batalha pode ser considerada impulsiva e imprudente, mas não. Riscos foram calculados, opções analisadas e uma oportunidade única foi encontrada… Eu não poderia desperdiçá-la. Esse gesto certamente seria lembrado, por ambos os lados, de modo diferentes ou não. Mais uma vez estavamos em uma guerra que não deveria ser nossa, mas tornou-se enquanto buscamos o nosso caminho pra casa. E, embora eu disfarçava meu medo com precisão eu estava repleta dele. Não de morrer ou me ferir, mas de falhar… Detesto falhas! Eu prometi levá-los pra casa e eu vou!

    Não havia tempo para pensar nas semelhanças daquela marca e as runas, de aprender a usá-la de forma prática, mas aquilo mostrou o suficiente para cumprir meu propósito com aquela ação: Instaurar a dúvida. E, esse era o primeiro passo para tentar reverter a situação. A reação dos soldados mostrava o sucesso no primeiro e o momento e iniciar o segundo...”


    Ulriah escreveu:–  Se defendendo? Hoje de manhã eu perdi oito dos meus amigos. Que tipo de defesa era aquela ao atacar todos os pontos de guarda da cidade? Hein? Você oferece ajuda mas só está piorando as coisas. Até arrastou Ebon nisso. Acha que é fácil quando lhe mandam explodir seus amigos de infância?

    Atens analisava Ulriah tentando tirar o máximo de impressões possíveis dele. Aquela e outras atitudes de Ace seriam questionadas e contavam negativamente para o grupo, isso não era novidade. No momento em que decidiu proteger seus aliados e não pará-lo a Imperatriz sabia que deveria lidar com as consequências disso em algum momento. E diante da acusação do Mecha a Dryad demonstrava estar tranquila.

    Ebon escreveu:–  Obrigado pela consideração, Uriah - comentou Ebon de forma sarcástica, sentado no chão.

    O sarcasmo de Ebon revela que, talvez, o Lorde não acredite na veracidade das palavras de Ulriah. Como desconfiava, aquilo poderia ser apenas um teste de culpa, uma avaliação de suas reações ao ser confrontada.

    Atens – Sinto por seus amigos… - Atens não apenas demonstra ser sincera naquelas palavras como realmente o erra. Aquelas mortes pesaria em sua consciência por muito tempo. Mas, era um risco que escolheu correr quando decidiu não impedi-lo para auxiliar seus aliados. A Imperatriz caminhava na direção de Ebon enquanto falava:

    Atens – ... Sim, estávamos nos defendendo. Não sou a responsável por essa bagunça e você poderá chegar a essa conclusão sozinho se tiver todos os fatos.

    Atens havia percebido que dentre seus aliados Ebon apresentava ferimentos mais graves e ao se aproximar dele o suficiente tentaria curar seus ferimentos enquanto permanecia tentando persuadir Ulriah a ver a situação através de outra forma. Havia dois motivos para que ela tivesse escolhido curar Ebon primeiro, um deles era claro: Seu estado comparado aos outros era pior.

    Atens – Quer saber o que aconteceu essa manhã, Ulriah? Então escute! - A Imperatriz passa a encarar o piloto enquanto tecia suas palavras em uma trama de desconfianças e questionamentos que provavelmente não teriam se passado pela mente de Uriah e amarrava-as com fatos que deveriam ter sido ocultados do mesmo. - Chegamos pacificamente ao distrito do Bronze querendo apenas uma reunião. Ao saber de nossa presença o Rei mandou um exército para nos eliminar sem nenhuma razão aparente. Eu consegui pará-los sem nenhuma baixa de ambos os lados enquanto lidava com indícios de traição de um dos membros do grupo. Minha ordem à meus aliados, à todos, foi recuar. O que o Rei fez?! Mandou nos perseguir e matar sem que tivéssemos mostrado nenhuma ofensividade militar. Mesmo assim, mantive a ordem de recuarem e apenas se defenderem… Ulriah, tenha em mente antes de acusar-me de algo que sob as ordens do Rei vocês atiram primeiro e que isso nos daria o direito de resposta e não fizemos. Nenhum de nós aqui presente respondeu agressivamente. Quem fez isso, quem matou seus amigos não estava sob minhas ordens!!! O responsável por esse ato brutal e imperdoável é um Traidor... da Aliança… de Athantis… e deve pagar por seus crimes o que inclui a morte de seus amigos. Seu nome é Albert Cannon. Quer capturá-lo? - Atens faz uma pausa mais longa. “Eu disse que não permitiria que machucasse inocentes. Não em nome de Arian ou em meu nome. Deveria ter acreditado, Cannon. Nossa Guerra começou.” - Ele terá sorte se você conseguir chegar a ele primeiro do que eu e teremos mais sucesso se fizermos isso juntos.

    Embora Ulriah não tivesse tal conhecimento ao declarar Ace traidor de Athantis ela estava colocando sua cabeça a prêmio e destinando-o a um fim pior que a morte. Aquilo era algo que poucas vezes na história de seu povo havia acontecido. Uma medida extrema e poucas vezes usada mesmo quando justificável. Ao destacar que ele também traiu a Aliança estava dirigindo-se não a Ulriah apenas, mas a Artemis que em nome da aliança já havia demonstrado estar vigiando-os através de seus braceletes. Desse modo preparava-se para um possível impasse diplomático ao declará-lo inimigo de Athantis e ao se dispor a ajudar o povo de Zionis a capturá-lo enquanto tentava usar isso para fortalecer seu ponto de vista diante as acusações de Ulriah.

    [Uriah]:O Rei lhes declarou traidores de Zionis e um risco para a segurança de nosso refúgio. Fomos ordenados com a eliminação completa dos karnotaurs infiltrados e seus simpatizantes.

    [Soldado Rubi]:Você viu o que ela fez, Jericho - diz um dos soldados por rádio.

    [Uriah]:Karnotaurs não fazem isso. O que é você e quem você é…

    Atens – Meu nome é Atens pertenço ao Povo Dryad e fui escolhida como Imperatriz do mesmo. Viajamos pelo espaço como um dia seu Povo também o fez. Vocês chamam de Kanotaur aqueles que descendem dos integrantes expulsos de Zionis, certo? Nesses critérios nenhum de nós somos karnotaurs. Descendemos de outros povos, nascemos em outros planetas e apenas viemos até sua cidade porque nossa nave recebeu um sinal de socorro vindo do seu planeta e identificamos que estão sob intenso conflito contra os karnotaurs. Viemos oferecer ajuda para encontrarem a Paz e por isso tentamos conversar no distrito do Bronze, mas… Antes de nos deixarem falar nos atacaram. Nos declarou como kanotaurs e traidores antes mesmo de qualquer confronto. Nós não tínhamos conhecimento sobre a tradição das Faces e só permanecemos aqui após os ataques do Rei porque identificarmos nesse meio tempo que seu planeta está instável. Em cerca de 11h se falharmos em o estabilizá-lo tudo deve ir pelos ares culminando… na possível destruição do seu planeta. Uriah, não somos inimigos de Zionis como querem que pareça que somos.

    Lukka escreveu:–  Uriah seu desgraçado, o Rei mandou eliminar todos os concorrentes de uma vez. Não é óbvio?

    A dúvida havia sido instaurada e agora o piloto tentava assimilar todas novas informações. Enquanto Atens aproximava-se de Lukka.

    Atens – Lukka, um problema por vez... Não terá importância quem herdará o posto de Rei se não controlarmos a instabilidade identificada pela Orion. Você e Ebon estão vivos...

    Ulriah escreveu:–  Com a autoridade concedida a mim pela guarda real e pela Casa do Ferro eu levarei a mulher do Marfim e Ebon sob custódia. Sob as diretrizes e regulamentações sob aqueles suspeitos de terrorismo irei levá-los a corte e ao Rei. Somente os dois.

    Atens observa a reação de Ebon e Lukka, aquilo certamente não significava algo bom, mas ela pretendia saber o quão ruim era aquela situação.

    Atens – Ulriah… Não somos terroristas, não somos inimigos de Zionis. Marfim não teria me escolhido se eu fosse! Você discorda?! Não sei ao certo as motivações para estarem fazendo de tudo para parecer que somos seus inimigos, mas as evidências mostram que não somos. Basta parar e pensar por si mesmo. Se antes de atirar tivessem nos dado o beneficio da palavra nada disso teria acontecido, pois saberiam que essa reunião é o que pretendemos desde o princípio! Prometa, Ulriah, que vocês deixarão todos que estão aqui vivos e eu irei sem resistência.

    Ren escreveu:–  Atens...não... - ela soa um tanto triste. Era um tanto óbvio enxergar sua culpa pelas falhas.

    A imperatriz nota a tristeza de Ren culpando-se pelas falhas que não só ela cometerá. Cada um ali havia falhado em algum momento e agora deveriam conter e minimizar os danos ao invés de se lamentar. O silêncio de Atens diante ao apelo da guardiã demonstrava que era tarde para lamentações. Embora fosse notável pela postura de Ulriah que ele não permitiria que mais ninguém os acompanhace, Atens precisava tentar.

    Atens – Permita que aqueles em meu grupo com a marca do metal nos acompanhem. Isso evitaria...

    Atens observava os soldados abaixarem suas armas quando percebe a presença de Perz e temendo que o conflito reinicie a Dryad interrompe sua fala e volta-se ao guardião.

    Atens – Está decidido. Sem mais conflitos. - A Imperatriz analisava a postura de seu guardião enquanto dava sequência em sua fala. - É preciso perder para saber como vencer.

    Em sua última frase para o guardião ela tenta revelar que aquele não era o fim, que agora não era o momento de lutar com armas.
    resumo e rolagem:
    "LEVANTE-SE E LUTE PELO IMPÉRIO!" (ENHANCED SKILLS + HEALING + FEATURE)
    - Healing 12 Neith efetuou 1 lançamento(s) de dados (d20.) :
    7
    Neith
    Tecnocrata
    avatar
    Tecnocrata

    Mensagens : 319
    Reputação : 40

    Re: Capítulo 1 - Por um Punhado de Justiça

    Mensagem por Neith em Seg Jan 15, 2018 5:18 pm

    - 1 PH reroll Neith efetuou 1 lançamento(s) de dados (d20.) :
    4
    Claude Speedy
    Troubleshooter
    avatar
    Troubleshooter

    Mensagens : 990
    Reputação : 21

    Re: Capítulo 1 - Por um Punhado de Justiça

    Mensagem por Claude Speedy em Seg Jan 15, 2018 6:56 pm



    Medo... até aí, ele me ajuda a não ser ousado.

    Olhar o ambiente...

    Fuga até duas rochas... Conferida,
    Distancia das armas desde a última vez que tentaram me acertar no cemitério...Conferida.

    Vamos ver o que vai ser... Máscaras para esconder suas intenções.

    Não saia de casa sem elas.

    Apesar de me sentir acuado, tento ir analisando a modo que o líder deles fala e ele resolve decidir tudo aquilo na violência. Claro! Por que eu achei que seria fácil?

    Não posso negar que a piada sobre o sol foi bem interessante.

    Tento levantar a bola para o "nosso abutre"... Ao que parece, o sujeito pensa ser "o abutre deles"...

    Apesar do desafiante não crer nisso, algum outro deles irá crer...

    Orochi então comenta sobre termos o apoio do Rei de Ébano

    Então, ouço seu nome...

    Nahir...

    Orochi então diz: -Abutre? Estranho, aqueles que ousaram me atacar dos seus enquanto tinhamos acabado de chegar na vila se submeteram a meu poder e me deram esse título...

    Enquanto eles se encaram conversam ver quem é que irá comer a carniça com mais pompas entre os mascarados, preparo a nave por via de Artemis para em caso de emergência ela pousar em um local atrás de Nahir. Deixando-a preparada para ficar entre ele e os demais Karnotaurs, caso eles pareçam que irão avançar.

    Pela postura de Nahir, forma de se mover, eu começo já a tentar avaliar onde estariam suas maiores fraquezas. E se armadura é difícil de se mover, se ele depende dela para lutar.

    Off: Assessment, Perception 10. Claude Speedy efetuou 1 lançamento(s) de dados (d20.) :
    13


    [Nahir]:Seria injusto um duelo, eu sou forte demais. Pode incluir aquele cara


    Não, CAra... Não diz isso!

    Orochi pode literalmente despedaçar todos com sua energia mutante, como ele fez antes só por essa gracinha... E eu... bem não quero te encarar, não, fica aí com o Menino-Jesus...

    -Ora Nahir, por favor, não me insulte... Deixe-me dizer algo a você, eu sozinho posso devastar Zinions e qualquer outra cidade que eu desejar, eu posso tomar o controle do coração dos seres e faze-los me obedecer. Quer uma Demonstração?

    -Larguem suas armas!


    Ufa...

    Ao invés de usar de força ele usa seus outros poderes X-men/Jedi e depois começa  um show pirotécnico, teleportando para lá e para cá... Sério, é uma pena que esse sujeito queira ser deus opressor e não um membro do Circo de Soliel.

    Depois ele diz para o cara que socar, chutar e dar espadas é uma perda de tempo... Saco... eu nem tenho uma moto.

    Me levanto, não to mais com saco pro meu show de capacho... Não quero ser isso nem de brincadeira...

    Enfrento o medo que esse cara me provoca e interpreto como se eu estivesse bem, como se não estivesse sentindo receio nenhum... Assim que o Menino-Jesus termina a oferta eu me levanto tentando apoia-lo, escondendo o que sinto.

    Deception 10. Claude Speedy efetuou 2 lançamento(s) de dados (d20.) :
    11 , 3
    (s. Chance)

    Anônimo: -Certo, Nahir! Você é o cara, o abutre... Que seja. Eu também ouvi seu povo chamar o Orochi de Abutre, por isso encenei essa farsa para convencer você a não atacar! Chega de mortes! Quero que saiba que eu também elegi para mim um rosto, igual seu povo o meu usou esse rosto para lutar contra a tirania...  E se o tal Rei Dourado esta querendo despedaçar todos aqui, saiba não queremos mais mortes, vamos marchar ao lado de vocês para pega os canalhas que estão limitando vocês a esse deserto... E vamos fazer isso não porque esse garoto teleportador pode seduzir seu povo, pelo contrário! Não somos daqui, somos só um grupo de apoio. Não viemos tomar nada do que é de vocês, pelo contrário vamos achar uma cura para seu povo e se for o carvão vamos descobrir como distribuir sem gerar prejuízos para o povo da vida. TEMOS de achar uma saída... Só viemos ajudar alguém que nos convocou, mas descobrimos a maldade que estão fazendo... E acredite, Nahir... Eu não vou deixar o que esse Rei fez quieto... Não enquanto eu estiver aqui.  Agora... Se quiser perder tempo em uma briga inútil ao invés de nos ajudar a pegarmos o Rei de Ouro para deixar um lugar para seu povo... Estamos aqui para isso também!

    Pelo amor da luz elétrica, que eu to fazendo?


    Luxi
    Adepto da Virtualidade
    avatar
    Adepto da Virtualidade

    Mensagens : 1503
    Reputação : 412
    Conquistas :
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/311.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1411.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1012.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/912.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/212.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1811.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1413.png

    Re: Capítulo 1 - Por um Punhado de Justiça

    Mensagem por Luxi em Qua Jan 17, 2018 8:53 pm

    Respawn ficou algum tempo só observando o poder de Rhys. Não era a toa que ele gostava de bancar o herói. Se soubesse fazer coisas como aquela, quem sabe o tipo de confiança que teria. Porém, seu poder permitia que ela pudesse morrer, mas a dor continuava ali. Não era exatamente um superpoder muito legal.

    Ela franziu o rosto e cobriu os olhos com o braço reacostumando-os com a luz. Andou com Sarah para o lado de fora e quando estava voltando a enxergar normalmente, teve que esfregar os olhos para ver que ela tinha perdido as escamas da face.

    - Sumiu...

    Estava surpresa por ter sido tão fácil. Suspirou e olhou para trás assim que a nave chegou. Será que eles demorariam muito? Pelo menos a menina tinha dito que o demonio estava mais fraco. Deviam estar terminando a batalha.

    - Artemis, indique o caminho para os demais.

    Como tinham algum tempo para conversar, cruzou os braços e o aproveitou.

    - A caixinha você trouxe com você? Talvez seus pesadelos acabem agora. O que pretende fazer agora? - esperou pela resposta e continuou. - Tem uma pessoa que está procurando por você. Eu não tenho interesse de usar meus poderes para descobrir o que aconteceu, então seria bom que me contasse. Como veio parar aqui e por que parecia fugir do xerife James? Bem, você sabe que existe alguém que está procurando por você, não é mesmo? Ou será que me enganei?

    isaac-sky
    Moderador
    avatar
    Moderador

    Mensagens : 850
    Reputação : 182
    Conquistas :
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/411.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/212.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/712.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/410.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1511.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/312.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/2111.png

    Re: Capítulo 1 - Por um Punhado de Justiça

    Mensagem por isaac-sky em Sab Jan 20, 2018 2:23 am

    O confronto da Mina:


    Como bestas que medem suas forças antes de um confronto, o embate inicial com Nahir é de intimidação.

    Orochi escreveu:-De onde venho, tentamos duas estratégias para solução de problemas desse tipo. A primeira, é utilizar a inteligência e diplomacia para tal, caso não funcione, utilizamos sim a força e esta estratégia é a que estamos aplicando em Zinions. Incluive, o Rei do Ébano está do nosso lado e foi ele que propôs traze-los de volta a Zinions, juntamente com os sem rosto para tira-los de seus sofrimentos, vocês e eles.

    Diferente do Rei de Ouro, o Rei do Ébano é um homem justo e reconhece vocês como parte de Zinions e os quer de volta lá, portanto, há uma disputa interna política em Zinions e isso a fragilizará.

    [Nahir]:Pff, não importa o metal, Sem-Rosto. Enquanto houver um rei que não seja Karnotaur nós não temos um lar no Refúgio. Hmmm, se há uma disputa interna então é o momento perfeito para que entremos e exterminemos tudo e todos. 'O Abutre liderará seus irmãos até a Cidade Proibida e sob os ossos das mulheres e crianças irá reconstruir nossa glória'...

    O karnotaur fecha os punhos.

    [Nahir]:Homens tolos, cegos por um simples Sem-Rosto que conhece alguns truques. Você não é o Abutre.

    Orochi escreveu:-Ora Nahir, por favor, não me insulte... Deixe-me dizer algo a você, eu sozinho posso devastar Zinions e qualquer outra cidade que eu desejar, eu posso tomar o controle do coração dos seres e faze-los me obedecer. Quer uma Demonstração?

    Alguns homens começam a largar as armas, mas Orochi e Anonimo escutam novamente aquele rugir gutural, dessa vez direcionado aos próprios Karnotaurs. Os homens param de largar as armas e ficam um tanto atordoados.

    Orochi demonstra mais de seus poderes. As palavras de Orochi parecem ter certo peso em Nahir, pois ele fecha os punhos e assume uma postura corporal mais defensiva: ele estava intimidado de alguma forma e seus homens não pareciam mais tão confiantes.

    Enquanto isso o Anonimo tenta analisar o oponente: sua postura indica que ele é forte e que possui alguma forma própria de luta, há algo de bestial nele como se a armadura contesse uma fera.
    O vigilante nota que em pontos de ligação da armadura existe uma pequena luz alaranjada, uma espécie de liga (esses pontos ficam nos ombros e nas pernas)

    Apesar de seu medo o vigilante fala bem e os karnotaurs entendem seu apoio a Orochi como sincero.

    Agora Nahir era como uma fera começando a se sentir acuada. Mas como na natureza uma fera acuada pode reagir na unica maneira que conhece: atacando.
    Orochi e Anonimo não conhecem a cultura karnotaur que valoriza a força bruta e a honra de guerreiro.

    Negar um duelo agora seria a condenação de Nahir naquela sociedade.

    [Nahir]:Hmpf, ótimo, eu vou lhes dar um desconto por serem estrangeiros. É assim que fazemos diplomacia entre os Filhos do Ódio - a espada fincada se incendeia com uma luz elétrica amarelada. A arma se arrasta no chão, como se rasgasse a areia, até chegar na mão de Nahir.

    [Nahir]:Se vocês dois me mostrarem que são realmente lutadores dignos de um Abutre então eu vou conversar com vocês - o karnotaur ergue a espada e sua claridade amarelada percorre todo o corpo de Nahir, como uma aura feita de eletricidade.

    Era inevitável, o karnotaur iria atacar, mas de alguma forma ele não parece ter a intenção assassina de antes.

    (@Lyvio e @Claude Speedy podem rolar iniciativa)





    O último recurso da diplomacia:


    Atens não conseguia ver o rosto de Uriah lá de baixo, então teria de interpretar suas reações pela voz dele.

    Atens escreveu:Atens – Sinto por seus amigos…

    Uriah permanece calado, sendo difícil definir se ele aceitava sua sinceridade.

    Atens se aproxima de Ebon, aliviando seus ferimentos. Aos poucos o lorde do ébano parece melhorar.

    A Imperatriz explica os acontecimentos daquela manhã ao piloto do Jericho. Os soldados rubi se entreolham como se estivessem escutando uma história completamente inédita.

    [Uriah]:Então...um traidor. Infelizmente não posso julgar as ordens de meu rei - se referia as atitudes agressivas no inicio na reunião com o ministro.

    [Lukkah]:É claro que pode. Nem parece o garoto que dizia que o rei era burro e... - ele começava a resmungar, mas seu irmão rapidamente ergueu a mão e segurou seu ombro. Não era hora, nem o lugar.

    Atens revela seu nome e sua origem, assim como o destino eminente daquele planeta. Eram muitas informações, os soldados e Uriah tentam processar aquilo mas Atens nota a confusão: pessoas do espaço como nas lendas, Sem-Rosto que ganhou a marca depois de adulta e um apocalipse.

    Atens escreveu:Atens – Lukka, um problema por vez... Não terá importância quem herdará o posto de Rei se não controlarmos a instabilidade identificada pela Orion. Você e Ebon estão vivos...

    Lukka apenas assente com a cabeça, um tanto emburrado. Se sentia frustrado ali com certeza.

    Atens escreveu:
    Atens – Ulriah… Não somos terroristas, não somos inimigos de Zionis. Marfim não teria me escolhido se eu fosse! Você discorda?! Não sei ao certo as motivações para estarem fazendo de tudo para parecer que somos seus inimigos, mas as evidências mostram que não somos. Basta parar e pensar por si mesmo. Se antes de atirar tivessem nos dado o beneficio da palavra nada disso teria acontecido, pois saberiam que essa reunião é o que pretendemos desde o princípio! Prometa, Ulriah, que vocês deixarão todos que estão aqui vivos e eu irei sem resistência.

    [Uriah]:Os homens da guarda de prata contaram sobre como são suas palavras. O piloto daquele mecha rubi precisou ser imobilizado para que parasse de socar os controles...o que faria se tivéssemos lhe dado o beneficio da palavra diante do Rei?
    O piloto do Jericho trazia um dos grandes problemas que Atens teria se usasse seu poder deliberadamente: como acreditar em quem pode lhe controlar com simples palavras? Até onde você poderia confiar em quem pode distorcer seu julgamento tão facilmente?

    Apesar disso Uriah ainda a escutava e não disparou mais. A diplomacia ainda era uma opção.

    Atens escreveu:Atens – Permita que aqueles em meu grupo com a marca do metal nos acompanhem. Isso evitaria...

    [Uriah]:Não. Você e Ebon somente - era resoluto, não haveria como negociar esse ponto.

    Os soldados rubi foram um perímetro ao redor de Ebon e Atens, os separando de seus colegas. Atens pode ver nos olhos de Perz que ele não está somente decepcionado...mas preocupado também.
    Separados e sem chance de despedidas, Jericho se ajoelha e uma comporta onde ficaria a canela direita do mecha se abre, revelando uma rampa. Os dois entrariam primeiro e em seguida acompanhados dos soldados (carregando os corpos dos rubi caídos).
    Os olhares para os dois são vazios: era uma derrota para os guardiões e os aliados de Ebon, ambos tinham perdido seus líderes.

    Atens e Ebon são conduzidos pelos corredores do gigantesco mecha até alcançar a pequena sala de comando localizada na cabeça.
    Sentado numa cadeira giratória está um homem de expressão fria e traços brutos.


    [Ebon]:Uriah...

    [Uriah]:Ebon...

    Um silêncio constrangedor.

    [Uriah]:Você cresceu, na última vez que nos vimos eu ainda era maior que você.
    [Ebon]:Não está tão mal também Uriah.
    Uma pequena conversa que revelava muitos detalhes sobre os dois: conhecidos de infancia provavelmente.

    Uriah assume o controle do mecha e Jericho ergue voo.

    Atens se vê mais uma vez no ar, rumo a Zionis.

    ...

    Já em Zionis, a cidade continua grandiosa e repleta de opostos: riqueza, antiqualidade, tecnologia de ponta e grandeza.
    Sobrevoando os jardins do Distrito do Ouro Atens nota que a cidade não parece mais tão pacífica.


    A uma inquietação, uma movimentação grande de carros voadores para lá e para cá.

    [Ebon]:Está assim desde que horas?
    [Uriah]:Quando falaram que o grupo terrorista escapou. Estão esperando um próximo ataque.
    [Ebon]: Uriah, escute, preciso que me escute dessa vez...
    [Uriah]: Ebon, eu sempre te escutei. Mas eu não posso simplesmente abandonar meu dever, sabe disso. Eu já fiz muito não os matando.
    [Ebon]:Então não nos leve até o matadouro. Olhe sei que não anunciou nossa chegada a guarda do ouro. Pode dar meia volta e nos levar no Palácio da Corte ao invés do Castelo do rei.

    Uriah pressiona os punhos nos controles. Há dúvida em sua postura.





    Missão Laranja Completa:


    Rhys nunca falava muito sobre seu passado ou sobre o porque de não ter virado um herói. Ele tinha os poderes e Respawn sabe que ele tem o desejo de heroísmo, mas as motivações para que ele escolhesse o caminho do vigilantismo ainda eram um mistério para Morrigan, assim como muitas coisas em sua vida agora.

    Após alguns instantes se acostumando com a luz Respawn nota que Sarah parecia bem melhor agora.

    Por sorte e por sua estratégia de autopreservação Respawn e Quantum conseguiram sobreviver e completar a missão. Talvez não fosse a dupla mais popular do Orion, mas ninguém poderia negar a eficiência.

    Os três entram na nave que ainda flutua.

    Respawn escreveu:- A caixinha você trouxe com você? Talvez seus pesadelos acabem agora. O que pretende fazer agora? -

    [Sarah]:S-Sim, está comigo - ela mostra tirando ela de seu bolso - E-Eu nem sei o que pensar, achei que nunca mais veria a luz do sol. Eu podia voltar para a vila...não, eu não posso.

    Respawn escreveu: - Tem uma pessoa que está procurando por você. Eu não tenho interesse de usar meus poderes para descobrir o que aconteceu, então seria bom que me contasse. Como veio parar aqui e por que parecia fugir do xerife James? Bem, você sabe que existe alguém que está procurando por você, não é mesmo? Ou será que me enganei?

    [Sarah]:Não me lembro de tudo, está tudo voltando mas...eu fugi do xerife. Eu não posso voltar pra vila, eu não lembro o porque mas se eu voltar algo ruim vai acontecer. Meu lugar não é mais lá - ela olha com os olhos um tanto marejados - Será que posso ficar só mais um pouco com vocês?

    Quantum até então estava sentado no banco do piloto. Parecia prestar atenção em algo no seu bracelete.
    A nave começa a se mover para outro lado do Emperor.

    [Quantum]:Respawn. Um deles não resistiu, estamos indo buscar o restante.

    ...


    O silêncio de uma perda é quase palpável no ar. Cheyenne não consegue segurar as lágrimas. Steel era seu heroi desde que tinha entrado para o exército da Terra 3 e se tornado uma recruta da Organização Justicar.

    [Cheyenne]:Son moy drug. Son i otdykh ot etoy vechnoy voyny (Durma amigo. Durma e descanse dessa guerra eterna) - ela recita algo sussurrando e fecha os olhos do soldado caído.

    Quimera talvez não esperasse que encontraria tanta familiaridade com sua vida animal ali, diante de tanto aço e pessoas.

    Dr Quimera escreveu:- Artemis, ouvimos que a missão está concluída. Diga-nos a posição da nave e a posição de todos os tripulantes, por favor.

    [Artemis]:Estamos indo aí. Conseguem abrir esse hangar?

    [Ennio]:Isso aqui? - ele pressiona um botão vermelho grande numa plataforma, iniciando a sequencia de abertura das comportas do hangar. A abertura quase emperra, mas abre o suficiente para que a nave com Respawn e Quantum chegasse e abrisse sua rampa.

    Dr Quimera escreveu:- Este homem morreu em terras estrangeiras. O que podemos fazer agora é enterrá-lo em sua terra nativa. Concordam?

    Cheyenne assente com a cabeça e dá espaço para que o Quimera erguesse o homem e sua armadura: não seria possível separa-lo dela ainda.

    [Quantum]:Foi ele? Merda... - era o líder do grupo que era carregado pelo grande Quimera. Quem iria dar as ordens agora? - Onde está a Flamesh?

    [Artemis]:Disse que tinha de resolver algo e saiu voando.

    [Ennio]:Sarah! - o androide cowboy corre em direção da nave, de encontro a garota.
    [Sarah]: Oi, mas...quem é você?
    [Ennio]:Sou eu, ah, me desculpe, você não me conhece - o androide tira o chapéu, revelando mais circuitos e remendo feitos por ele mesmo em seu cranio metalico - Seu pai me contratou pra te encontrar, disse que deveria levar você pra casa.

    Sarah, a garota que Ennio procurava, dá um passo para trás.

    [Sarah]:Eu não vou voltar. Eu não posso.

    [Artemis]:Ei, pessoal. Eu estou sem interferência da nave agora...não tenho notícias boas.

    A nave ergue vôo e sai do hangar. Finalmente o grupo estava fora daquela grande ruína que era o Emperor.

    A IA revela sobre a mensagem de Nalahor, a piloto do Orion: algo aconteceria ao planeta a meia noite e algumas pessoas foram enviadas para verificar o local, mas ainda não faziam ideia do tipo de ameaça.
    Além disso os outros dois grupos pareciam lidar com problemas próprios: um conflito numa mina de metal e um conflito diplomático.

    [Artemis]:Espera eu tenho uma transmissão aqui. É da Equipe Azul!

    A imagem de um homem surge no visor da nave.


    [Ron]:Guardião Dryad Ron falando. Equipe Laranja, podem me ouvir? Estou solicitando seu apoio, temos uma membro da Aliança sob custódia de um monarca. Estão na escuta?





    Mecânica
    Spoiler:



    Djinn
    Data: 12 de Abril de 2027 - 12h20
    Vitalidade: Ok
    Condição: Ok
    Luck Points: 3
    Pontos heroicos: 12
    Pontos de poder: 171


    Dr Quimera
    +1PH
    Data: 12 de Abril de 2027 - 12h20
    Vitalidade: Ferido
    Condição: Dazed, -1 em resistencia a Damage
    Pontos heroicos: 9
    Pontos de poder: 172

    *Dazed: Somente pode realizar ações Free e uma única ação Standart ou Move por turno



    Respawn
    +1PH
    Data: 12 de Abril de 2027 - 12h20
    Vitalidade: Ok
    Condição: Ok
    Pontos heroicos: 17
    Pontos de poder: 173



    Orochi
    +1PH
    Data: 12 de Abril de 2027 - 12h50
    Vitalidade: Ok
    Condição: Ok
    Pontos heroicos: 19
    Pontos de poder: 191


    O Anônimo
    +1PH
    Data: 12 de Abril de 2027 - 12h50
    Vitalidade: Ok
    Condição: Ok
    Pontos heroicos: 22
    Pontos de poder: 189



    Atens
    +1PH
    Data: 12 de Abril de 2027 - 13h34
    Vitalidade: Ok
    Condição: Ok
    Pontos heroicos: 38
    Pontos de poder: 193

    Claude Speedy
    Troubleshooter
    avatar
    Troubleshooter

    Mensagens : 990
    Reputação : 21

    Re: Capítulo 1 - Por um Punhado de Justiça

    Mensagem por Claude Speedy em Sab Jan 20, 2018 5:33 am



    Hum... Ele parece querer provar algo com sua espada.


    Diplomacia por violência?

    Que seja.


    INITIATIVE: 12+ (AGL:6) =18 Claude Speedy efetuou 1 lançamento(s) de dados (d20.) :
    20



    Anônimo: -O dia poderia ter terminado em um bar!

    Estico uma mão calculando a distância ficando velho demais para isso, mas conforme ele avança, eu tenho me esconder antes que ele se aproxime rolando para direção das pedras antes dele nos alcançar.

    Certamente o ângulo que me escondo, não vai me esconder do povo dele... Talvez com isso eles não me vejam como covarde por fazer isso.

    Stealth: 10 + 6 (AGL) = 16   Claude Speedy efetuou 2 lançamento(s) de dados (d20.) :
    1 , 13


    Conto que Orochi ficará sozinho por um breve momento.

    Bem breve até eu pega-lo.


    [/quote]
    Lyvio
    Semi-Deus
    avatar
    Semi-Deus

    Mensagens : 7346
    Reputação : 16
    Conquistas :
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/211.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1112.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1011.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/212.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1811.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1413.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/410.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1511.png

    Re: Capítulo 1 - Por um Punhado de Justiça

    Mensagem por Lyvio em Sab Jan 20, 2018 11:49 am

    Pelo visto parece que talvez a minha demonstração de poder o deixou de calças curtas... Ele sentiu-se intimidado de fato e não podia se deixar sofrer sob a intimidação para não demonstrar fraqueza aos demais, seus próprios homens tremeram diante de minhas demonstração e muitos chegaram a largar as armas, mas, através da intimidação ele suprimiu em parte meu poder, percebeu o perigo, chamou sua arma para sí e ela teve um efeito interessante.

    E se a diplomacia deles é a luta então, vamos a ela.

    Anônious age antes, ele faz uma manobra ganhando cobertura, talvez prefira esperar uma oportunidade apara ataca-lo.

    Iniciativa +4

    Lyvio efetuou 1 lançamento(s) de dados (d20.) :
    8

    Devo iniciar debilitando-o fisicamente, ele parece muito forte e é um típico guerreiro, força física, espada e armadura, pena que meu "Aspecto da Dor" ainda não está completamente treinado, seria ideal par esse combate de modo que minha estratégia não pareça covarde aos olhos dos Karnotauros.

    Afasto-me uns 12 metros dele para ganhar tempo obrigando-o a usar sua velocidade de deslocamento e quem sabe evitar um ataque mais brutal. Aponto para Nahir, um flash de luz é emitido de mim, então começo a brilhar em azul e na palma de minha mão direita a energia vital do Karnotauro se acumula formando uma esfera que mescla branco e azul, crescendo cada vez mais, então esmago-a, buscando causar dano e destruir seus atributos físicos.

    Mecânica:


    Gasto 1PH pra aumentar a CD do poder.

    Destruição do Espírito

    *ALTERNATE EFFECT: Damage / TYPE: Divine
    *ACTION: Standard / RANGE: Close / DURATION: Instant
    -Flats: Incurable, Afect insubstancial 2
    -Extras: Alternate Resistance (Will), Perception-Area, Selective, Linked by Weaken 12, Broad( Fisical Abilities)
    -Flaws:
    RANK: 12 Damage(espírito) (Vision)
    DESCRIPTION: Orochi drena a energia espiritual dos inimigos transformando-a em uma esfera de energia em sua mão, então esmaga-a causando dano a todos os inimigos afetados e destruindo seus atributos físicos.




    Jezreel
    Troubleshooter
    avatar
    Troubleshooter

    Mensagens : 937
    Reputação : 12
    Conquistas :
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/411.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/912.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/712.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/410.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1511.png

    Re: Capítulo 1 - Por um Punhado de Justiça

    Mensagem por Jezreel em Ter Jan 23, 2018 3:28 pm

    O monstro ergue o soldado abatido em seus ombros fazendo algumas caretas devido aos seus recentes machucados. Não era problema algum para a fera, uma vez que logo estaria curado. As incontáveis batalhas dentro da savana foram de extrema importância para saber exatamente todos os limites de seu novo aspecto genético.
    A atmosfera estava carregada. Cada um sentindo um pouco do peso da morte de Steel. Ele havia dado sua vida em prol da conclusão da missão. Joseph conhecia milimetricamente cada partícula desta dor. A dor da perda. E sabia que nada neste mundo poderia substituir qualquer um que "volte para lama". Um termo muito usado entre os animais.

    Quantum escreveu:Onde está a Flamesh?

    Seus olhos despertam da uma profunda introspecção e agora volve os olhos ao redor do cenário. Havia esquecido completamente de Flamesh.

    Artemis escreveu:Disse que tinha de resolver algo e saiu voando.


    - Imprudência. Andar num mundo desconhecido não a trará nada de bom.

    O semblante da quimera era sério. Fechado em todos os sentidos. Combinando exatamente com as visões que teve mais cedo. Mark, Drake, Josh... Lilian. Todos rostos antigos que daria tudo para vê-los mais uma vez. Seu coração contrito o trouxe a realidade. A morte em algum ponto de sua vida também seria inevitável. Quanto foi a sorte de ter sobrevivido ao ataque da centopeia? Poderia ter sido ele ali e com certeza, diferente de Steel, não haveria luto. O silêncio impotente da vera imperou durante a discussão de Ennio e Sara. Pode-se dizer que não importava-se com o assunto. Em uma espécie de fuga para o passado, Joseph se aventurou. Procurou em suas memórias de quando ainda era um ser humano, o que parecia fazer tanto tempo que as memórias passaram a ter um tom embaçado. Como um sonho. Nada muito importante. Apenas lapsos. Como de quando Drake e Josh ficavam super competitivos quando jogavam video game e também das histórias de terror que eles gostavam de encenar. Das piadas tão sem graças de Mark, que acabavam sendo engraçadas. Do tempo de escola e suas primeiras namoradas. Eram memórias triviais, mas que hoje carregavam um peso de uma outra vida para Joseph. Uma vida passada distante, que lutava para conseguí-la de volta.
    Lapsos:




    Suas cargas emocionais elevaram-se à ponto de uma nascente de líquido aquoso ganhar vida e escorrer em seu rosto antropomórfico. A umidade em seu rosto foi o suficiente para trazê-lo de volta junto das palavras digitais de Artemis.

    Artemis escreveu:Ei, pessoal. Eu estou sem interferência da nave agora...não tenho notícias boas.

    Graças à I.A o status de cada tripulante foi atualizado. Estávamos sem líder e era preciso ser feito alguma coisa, contudo, antes de qualquer possível fala a projeção inesperada foi feita.

    Guardião Dryad Ron escreveu:Guardião Dryad Ron falando. Equipe Laranja, podem me ouvir? Estou solicitando seu apoio, temos uma membro da Aliança sob custódia de um monarca. Estão na escuta?

    "Os dois grupos estão com problemas. Não conheço os tripulantes que chegaram antes neste planeta, porém acredito que se estivessem precisando de ajuda também falariam." Ponderou.

    - Artemis, você consegue nos levar até onde esse membro está?

    Joseph estava sentindo-se diferente. Era verdade que após uma batalha, seu instinto animal o dava uma folga. Mesmo que seu timbre de voz continuasse numa junção abominável entre humano e animais, era como se seu instinto estivesse em êxtase por ter conseguido mais uma morte. A sensação de cortar os olhos da fera com suas garras ainda estava viva nele e ele sabia que se parasse para pensar naquilo, sentiria um prazer inexplicável. A sensação de estar entre a vida e a morte e sair vitorioso. Todas estas emoções eram como drogas para seu lado mais feroz. Era possível ver os restos mortais ainda entre suas garras. Monstro daquele tamanho, provavelmente o deixaria em paz por mais algum tempo, porém, diferente de todos os cenários, agora poderia usar sua mente de doutor para alguma coisa. O constante atrofiamento foi quebrado e agora, tinha a oportunidade de usar sua mente.

    - Gostaria que confirmasse com os membros que estão na mina se precisam de ajuda. Eu não aguento mais esse planeta.

    De fato não aguentava. Um dos motivos para querer voltar de volta à base era para analisar o pedaço de meteorito que o transformou. Carregava em um cordão consigo. Dificilmente conseguiria observar o cordão por estar envolvido pelos milhões de pelos, mas estava lá. Pronto para ser analisado. Ele acreditava que se houvesse alguma resposta para voltar ao seu normal, aquele meteorito estaria envolvido de alguma forma.
    Conteúdo patrocinado


    Re: Capítulo 1 - Por um Punhado de Justiça

    Mensagem por Conteúdo patrocinado


      Data/hora atual: Sex Jun 22, 2018 4:03 pm