Um fórum de RPG online no formato de PBF (Play by Forum).


    3º passo - Alianças

    Compartilhe
    Persephone
    Cavaleiro Jedi
    avatar
    Cavaleiro Jedi

    Mensagens : 191
    Reputação : 63

    Re: 3º passo - Alianças

    Mensagem por Persephone em Ter Jul 11, 2017 2:11 am

    Shin-Hee estava mesmo bastante disperso naquele almoço. Quem o conhecia, certamente estranharia o comportamento dele, que antes era tão solícito e atento. Acontece que nem ele conseguia se entender e a cada nova mensagem trocada, mais confuso ficava. Se antes ele estava no mundo da lua, agora depois da mensagem que leu sobre Tommy, ele ficou preocupado.

    Enquanto se perguntava o que estava sentindo, ele não se perguntar o que ela poderia sentir por ele.

    Tinha sido tão egoísta e egocêntrico que só se preocupou com os próprios sentimentos. Agora estava achando que talvez tivesse se metido demais na vida de Myeon e acabasse sufocando. E se ela gostasse de outra pessoa? E se ela simplesmente não gostasse dele daquela forma? Aliás, quando foi que ela deu abertura para que ele pensasse que ele podia gostar dela além de amigo?

    Talvez devesse ter escolhido Fiction mesmo, a música sofrida combinava mais com seus pensamentos de agora.

    Finalmente largou o celular e passou a interagir com os amigos. Ele pediu sinceras desculpas por ter ficado tão disperso e passou a ser mais generoso. Perguntou se estavam gostando dos ensaios, se estavam felizes com as músicas. Já imaginava que tivessem respondido coisas do tipo. Para Yuki e EunJi, ele comentou que achava que elas combinavam mais com Gee, mas que ao ver quem estava no grupo, elas tinham sorte de ter escolhido outro pessoal. Disse, ainda:

    "Só lamento por Naya-shi. Ela não combina com aquelas meninas, mesmo que a irmã gêmea esteja lá."

    Seria bom se a menina se entrosasse mais com EunJi e Yuki. Ele também comentou que viu uma menina chorando - não se lembrava do nome de todas, mas comentou que antes pensava que ela fosse do grupo de Peach e tinha uma franja. Pela descrição, as meninas saberiam quem era. Fora isso, ele não explicou o porquê de estar tão aéreo e decidiu aproveitar os minutos de almoço para para conversar amenidades.

    [...]

    A noite do coquetel havia chegado. Shin estava na sala de estar de seu duplex, esperando pela mãe. Parecia ainda bastante sério e avoado - preocupado e ansioso, sem saber como reagiria com Myeon agora - quando sua mãe se aproximou. Ele olhou para a mãe e sorriu para ela. Lembrou-se da dica de seu sunbae e testou, para ver se a mãe ficaria feliz com o comentário.

    - A senhora está linda com esse penteado. Serei o homem mais sortudo da noite?

    Arqueou suavemente a sobrancelha enquanto ampliava o sorriso e deixou a mão dela sobre seu antebraço. O pai chegou nesse momento e o sorriso de Shin diminuiu um pouco, mas ele tentava manter o bom humor. Estava tudo indo muito bem, obrigado, não custava nada que naquela noite eles fingissem ser uma família. Não concordava com aquilo, mas tinha prometido se comportar, então, que a noite fosse boa para todos.

    O Hotel Hwarang era realmente uma das maravilhas da arquitetura moderna. Quando a família saiu do carro, Shin seguiu logo atrás dos pais. O ideal seria sua irmã ir com eles também, mas ela já devia estar na ponte-aérea ou coisa assim. Os flashes o incomodaram um pouco, ainda não estava acostumado com aquilo. Como as fotos ainda não eram sobre ele, ele manteve-se focado, seguindo logo atrás de seus pais. As expressões dele eram bem neutras, mas ele não tinha um ângulo desfavorável, era bonito como um modelo e tinha aquele olhar de bom-moço que derretia corações. Shin era carimastico até quando estava mudo.

    Sua família entrou no salão do evento, após a recepção do tapete vermelho. O ambiente era uma mistura interessante de sensações. E a música foi a primeira coisa que chamou sua atenção. Olhava na direção do piano, tombando um pouco a cabeça para o lado enquanto olhava o artista daquele angulo que não dava para ver seu rosto. Antes que pudesse ver ou reconhecer, a anfitriã se aproximou. Shin ajeitou a postura e voltou a atenção para Jin Suyoung, a dona da marca homenageada da noite. Reverenciou quando a mãe o apresentou.

    - É um prazer conhecê-la. Sinto-me honrado pelo convite para um evento tão importante quanto este.

    Ergueu-se e então, ele ficou muito feliz por encontrar Tae ali. Pior ainda era saber que a festa era da mãe dele. A alegria saltava seus olhos e enquanto as mães conversavam, Shin apenas contava os minutos para sair dali. Que bela porcaria!


    - Sim, nos conhecemos...

    Disse de modo desanimado, mas a sua atenção também desfocou-se para algo mais importante. Shin era fã daquele artista que conseguia trazer uma pitada de clássico para o moderno. Ficou animado de novo, ignorando completamente a presença de Tae. Porém, quando seus olhos voltaram-se para algo, ou melhor, alguém, que conseguia ser mais impactante do que a música.

    Myeon estava ali, logo ali a poucos passos dele. E não era apenas seus cabelos que estavam belos...Ela inteira...parecia uma visão de outro mundo. A emoção ficou evidente na expressão de Shin e, mais do que isso, ele não ouviu mais Cho Yong-Ha ao piano, ele começou a ouvir as batidinhas de Fiction. Os ensaios realmente estavam deixando sua influencia e marca na vida do rapaz. Os olhos ficaram levemente marejados enquanto ouvia aquela musica na mente e a encarava.




    Apesar de querer encará-la por mais tempo, ele abaixou o olhar, engolindo em seco. Tentou se recompor. Fungou e desviou o olhar para outro lado. Não tinham trocado mensagens desde o dia anterior e agora aquela dúvida ficava em sua mente. Talvez fosse melhor se afastar dela de uma vez, só ser uma troca profissional mesmo. Seria melhor...

    Né?

    Sua mãe falou alguma coisa que ele não entendeu e logo o puxou.

    - Oh! Com licença, com licença.

    Reverenciou apenas a mãe de Tae e seguiu com a própria. A música voltou a ser a música ambiente, de Cho Yong-Ha tocando Adele. Mas ele nem percebeu se a mãe estava bem também. Estava ajeitando seu terno, abotando o botão e olhando para o lado quando pararam em frente à família do diplomata. Eu Se o veria de perfil e agora, numa festa como aquelas, ele parecia ainda mais um principe. Ele tinha o nariz um pouco anguloso, embora acabasse se tornando um charme a mais. Quando ouviu a voz do pai fazendo as apresentações, Shin voltou a cabeça para a frente.

    A primeira pessoa que viu, até pela posição que estava, foi Eu Se. Ele piscou uma, duas vezes até arregalar os olhos, com certa surpresa.

    Franziu as sobrancelhas, como se levasse um susto e, assim como a primeira vez, o que mais chamou a atenção dele foi o furinho no queixo dela, no rosto arredondado.  Parecia muito Go Min Nam! Não havia óculos, nem cabelo curto, a altura também era diferente, mas mulheres usavam salto alto. Shin-Hee teve um segundo para se recompor e foi educado para não dizer "Eu conheço voce!!". Ele ficou um pouco sem jeito, mas sorriu e reverenciou a família.

    - É um prazer conhecê-los. - Ergueu-se de novo, mas tinha um olhar ligeiramente desconfiado para Eu Se.

    Larissa Aprill
    Tecnocrata
    avatar
    Tecnocrata

    Mensagens : 417
    Reputação : 45
    Conquistas :
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/410.png

    Re: 3º passo - Alianças

    Mensagem por Larissa Aprill em Ter Jul 11, 2017 11:08 am

    Na hora do almoço quando seu grupo se aproximou da mesa do refeitório, assim que ela acenou para as meninas, a ruiva olha para os dois e começa a conversar.

    O loiro ficou tão sem jeito que não sabia como agir, Eu Se achava a ruiva muito simpática e respondeu feliz.

    - Joh-a, annyeonghaseyo? Dahaeng moduga gwageoleul gajigo iss-eoyo. chum dangsin-ui haeng-un-eul bibnida .... Fighting!!
    Olá, tudo bem? Fico feliz de todos terem passado. Boa sorte na dança de vocês.... Fighting!!


    A noite  trocou mensagens com sua mãe e entre as opções de vestido e acessórios escolheu o azul, disse que estava bem e feliz por reencontra-la. Não demorou muito para cair no sono, já que estava cansada dos ensaios.

    No dia seguinte quando estava repassando os passos da dança, Bonnie entrou na sala. Ela era linda, simpática e muito gentil. Infelizmente Eu Se não poderia ficar muito tempo ensaiando, mas a jurada compreendeu seu motivo e disse que poderiam focar na sua parte outro dia.

    Treinaram o refrão, a menina conseguia acompanhar a melodia sem problema, já que estavam só cantando. Mas Eu Se tentava disfarçar sua voz, usando um tom mais grave. Provavelmente isso não passou despercebido pela professora, que a observava atentamente. Mas como ela não disse nada, a garota fingiu que não estava fazendo nada de errado. Ela se despediu de todos com uma reverência e um pedido de desculpas.

    No hotel ela encontrou com sua mãe e retribuiu o abraço apertado. Percebeu naquele momento quanto sentiu sua falta. Ela responde com uma voz chorosa.

    - Eomeoni ...Bogo sip-eoss-eo
    Mãe... Senti sua falta


    Ela volta a abraça-la apertado, queria dizer tantas coisas. Queria lhe contar do concurso, dos seu progresso e dificuldades. Falar sobre seus amigos e sobre seus sentimentos. Elas sempre foram muito amigas e nunca Eu Se lhe escondeu um segredo antes. Estava se sentindo uma traidora, mas sabia que aquele não era o momento e nem o lugar. Ela se afasta do abraço e limpa as lágrimas no canto dos olhos.

    - Nan gwaenchanh-a. Geuleona naneun ohilyeo geugeos-e daehae daleun sigan-eul iyagi geos-ibnida.
    Estou bem. Mas prefiro falar disso outra hora


    Elas entram no hotel ainda abraçadas. Assim que entrou no salão reconheceu seu professor de música clássica. Ela o considerava um gênio e se inspirou nele para fazer sua apresentação no concurso, uma música que misturou o clássico do Beethoven com uma batida de hip-hop. Gostaria de conversar com ele se tivesse oportunidade.

    Seu pai caminhava em sua direção com o senador, que ela reconheceu por causa das criticas da Tv. Ela faz uma reverência formal, aos dois homens. Primeiro  dirigiu suas palavras ao seu pai, depois a figura ilustre ao seu lado.

    - Ye, abeojileul mul-eo jusyeoseo gamsahabnida. Sang-won uiwon-eul mannal su-issneun jeulgeoum-ida
    Sim, obrigado por perguntar pai. É um prazer conhecê-lo, Senador.


    A garota olha na direção que o senador indicou e de imediato ela sente um frio na barriga por ver que Tae estava na festa também. Por sorte ele estava distraído e não olhou para sua direção.

    Mas seu pavor só cresceu quando viu que Shin se aproximava. Ela já tinha ouvido rumores que ele era o filho do senador, mas acreditou que eram só boatos.  Quando ele parou na sua frente a menina fez outra reverência formal, mas demorou alguns segundos a mais do que o normal. Ela estava tentando prolongar o momento em que seria descoberta.

    - Mannaseo bangabseubnida
    É um prazer conhecê-los.


    Quando se ergueu novamente Shin estava a encarando. Ela não podia lhe dizer nada, mas em seu olhar ela demonstrava medo e uma súplica por ajuda.

    Gakky
    Mestre Jedi
    avatar
    Mestre Jedi

    Mensagens : 1332
    Reputação : 63
    Conquistas :
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/311.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1112.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1011.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1811.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1413.png

    Re: 3º passo - Alianças

    Mensagem por Gakky em Ter Jul 11, 2017 12:08 pm

    Quando falam que Eun-ji tinha sorte no amor, Yuki ouve a amiga confusa e pisca para ChaeSoo:

    - Sim, você tem muita sorte no amor Eun-ji.

    Então sua amiga começa a fazer muitas perguntas e ficar envergonhada, então Yuki a acalma e diz:

    - Olha, na próxima vez que for na minha casa, eu te explico tudo isso.

    (...)

    No refeitório, Yuki fica aliviada por Minsoo não ter perguntado nada do que tinha acontecido.

    - Ahh que bom que o Shin é um bom líder. Eu acabei sendo a líder do nosso grupo, espero fazer um bom trabalho... - Diz ao Minsoo.

    Pelo menos depois ela conseguiu comer, mesmo que fosse bem devagar. As coisa pareciam ter ido bem.

    (..)

    No ensaio, foi fofo quando Dam apareceu. Yuki fica animada e pisca para ChaeSoo quando ele aparece. Queria tanto ser sortuda assim. Eun-ji definitivamente tinha sorte no amor.

    - É tão romantico - Sussurra para ChaeSoo - Ele gosta mesmo dela.

    A japonesa corresponde a reverência de Dam e diz a amiga:

    - Ahhh que lindo! Ele veio só pra se despedir Eun-ji... Sortuda!

    Nos ensaios começava a sentir a dificuldade da dança, mas tentava se manter otimista. Sentia que se falhasse iria perder a grande chance de sua vida, e só lhe sobraria vender peixe pelo resto da vida.


    (...)

    No segundo dia receberam a coreógrafa Kim Sohee, mas ela parecia bem estressada. A mulher já chegou falando de suas qualidades, pelo menos elas aprenderiam com alguém profissional, pensou Yuki animada. Mas conforme foi passando o treino, as coisas ficaram mais tensas. Era difícil aprender a dança. Pior foi quando a mulher confundiu Eunji com a líder. Mas a coreógrafa não parecia prestar atenção nisso, então Yuki deixou passar da primeira vez.

    Foi então que foram tentar a dança wave, era tão difícil! Yuki se esforçou para fazer igual, mas não foi tão bem. Para piorar a treinadora começou a gritar com ela. Yuki levou quase um susto. Mas as coisas não pararam por aí, a mulher ainda a tentou imitar e Yuki viu que tinha sido mesmo muito ruim, mesmo que a mulher exagerasse, Yuki achava que realmente tinha sido ruim desse jeito. Para piorar ela chamou Eun-ji de líder novamente. Yuki começou a sentir um aperto no coração e a pensar que ela não era uma líder. Eun-ji fez o movimento como a professora pediu.

    Dessa vez, Yuki não queria ficar calada, estava constrangedora toda essa confusão. Então ela tentou explicar a coreógrafa assustadora:

    - Obrigada Eun-ji... Mas professora, eu que sou a líder. - Faz uma referência a professora e continua - Prometo me esforçar mais até conseguir.

    Então Yuki, mesmo muito envergonhada e com medo de falhar tão feio novamente, tomou coragem foi tentar repetir o movimento, bem devagar. Ela colocava na mente que precisava ser forte, porque sua vida dependia disso e a da sua família também. Então sua única escolha era aprender e insistir até fazer o movimento certo.

    Luxi
    Moderador
    avatar
    Moderador

    Mensagens : 1059
    Reputação : 67
    Conquistas :
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/311.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1112.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/912.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/212.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1811.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1413.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/410.png

    Re: 3º passo - Alianças

    Mensagem por Luxi em Ter Jul 11, 2017 2:26 pm

    ♫♫♫ TODOS ♫♫ ♫  

    ♪ Yuki ♪ e ♪ Eun-Ji ♪

    - Não, não gosto dele não! - Chae riu alto, após responder só com caretas divertidas o fato de Eunji ter sorte no amor.  - A Yuki explica pra você melhor depois.



    Minki ficou surpreso com as desculpas da ruiva. Até olhou para os lados, meio se sentindo culpado. Não queria ser, mais uma vez, o causador de outra polêmica, mas não sabia exatamente o que dizer também.  Por sorte, Eu Se estava lá para ser simpática e cumprimentá-la corretamente, sem causar más impressões.



    - Verdade? Você é a lider? - Minsoo pareceu surpreso, logo sorrindo de forma gentil. - Estou ansioso para ver a apresentação de vocês agora.  
    Tommy não conseguiu segurar a risada sobre o remédio para os nervos, mas não estava rindo exatamente dela. Era mais  por suas ideias malignas.
    - Ah não, por favor, traga isso! - ele queria pregar uma peça em Shin, então tinha um sorriso largo.
    - Mas o remédio natural para o corpo pode realmente ajudar todo mundo. Se puder compartilhar conosco, seria muito legal, Eunji - Minsoo sorriu gentilmente.  Também estava preocupado com o líder do grupo.



    Zhang e Zhenzhen conversavam baixinho em chinês, enquanto ela tentava mostrar a letra da música para ele. Quan Lei acabou sendo o responsável por explicar as coisas para ela.

    - Ela fala cantonês -  disse observando a menina enquanto ela falava. - Eu falo mandarim. - O Zhang tem um sotaque forte de  Xangai. Dá pra entender, mas tem palavras que mudam totalmente, depende se a pessoa falar devagar ou não.
    - É, você acertou - Zhang interrompeu o papo com Zhenzhen para conversar com a ruiva. - Eu vim de Xangai, mas aprendi mais o mandarim, porque é o oficial.
    - Eu acho tudo isso complicado. Acho japonês bem chato. Eles pegaram nossos ideogramas e transformaram em outras palavras. Não consigo ler quase nada quando tem a outra fonética.
    - Algumas das escritas são parecidas, mas a Zhenzhen está certa. É possível que a gente não entenda nada de um livro em japonês e vice-versa. - Zhang tentou explicar.

    Dam observava a conversinha do grupo com aquela expressão fechada “de sempre”.
    - Acho que sim. Sentiria sim. - não era mal educado, mas não deixava de sentir-se mal por não conseguir ajudá-la em nada em relação a isso e preferiu muito mais quando ela retomou o assunto da escolha de sua música.



    - Meu ensaio está indo bem. A propósito, não tive tempo de reativar a internet do seu celular, mas vou fazer isso logo.   - Dam conversava com ela no fim do ensaio.

    Chae concordava com a cabeça e fazia uma dancinha de fighting para Yuki.
    - Por que não vamos dar tchau para o Minsoo da próxima vez? Hein hein?

    ♫  


    - É a empresa que lançou o 2NE1 - cochichou Chae para a ruiva. Estava bem tensa em seu lugar.

    - Cuide-se bastante então. Faça compressas e alongue sempre antes de dançar. Está ouvindo?

    A explicação de Eunji sobre o acidente deixou Sohee preocupada. Tinha um certo fraco por alunos que enfrentavam com dores de treinamento. Além disso, tinha gritado com Shin Hee no dia anterior quando ele estava enfrentando fortes dores nos ombros. Talvez isso a tivesse feito refletir… só não o bastante para poupar a japonesa. A professora respirou fundo e olhou Yuki dos pés à cabeça.

    - Eu não estou acreditando. É você que representa esta equipe? - balançou a cabeça negativamente - Aish… Está bem. Olhe como ela faz. Agora, só você. -  o rosto da mulher se contorceu e ela aguardou feito uma pedra que a menina terminasse os movimentos. -  Certo. Vou tentar de novo. Quero ver vocês todas dançando. Do começo. 5, 6, 7, 8. Comecem! … Zhenzhen, você não está em um passeio no parque. Menos infantil. Isso, boa piscadinha. Eunji, um pouco mais para frente. Você é o centro, não esqueça, tem que aprender a preencher espaço….  Muito bom, Chae. …. Alonguem o movimento. Só tem vocês no palco. - seus olhos percorriam a sala feito um lince em busca de uma presa, e ela estava bem a sua frente. - Não, não não!!! Isso está horrível. RIDÍCULO.  Pare com a música. YUKI.  O que é isso? Sério. No meio de uma multidão dançando Not Today é uma coisa. Mas agora são só vocês. Vocês QUATRO. Todas. TODAS têm que ser excelentes. Não dá para ter um saco de batata no palco. Zhenzhen, entendi o seu estilo garota expansiva. É diferente, mas dá para engolir. Chae, acredite mais na sua sensualidade, a dança está boa, mas precisa acreditar mais. Eunji, você é o centro, por favor, seja melhor do que todas elas. É a sua obrigação. E você… Você eu tenho uma dúvida. Menina, você recebeu os três sim? - esperou a resposta - Pois é o que fiquei sabendo. Eu entendo os alunos que têm dificuldades porque foram escolhido para um time que não queriam. Entendo por que alunos que sofreram alguma limitação física recente estejam com problemas para dançar. Eu só não entendo… por que escolheu a DROGA DA MÚSICA que te faz parecer uma criança tentando aprender coreografia na frente da televisão! 2NE1 não é fofo. 2NE1 é força. Não é jogar a cabeça para o lado e fazer o movimento simétrico. É personalidade, é atitude. É interpretação! Não dá para uma pessoa que não tem o mínimo de noção corporal chegar aqui, olhar para a minha cara e apresentar ISSO. Preste atenção. - ela suspirou profundamente e levou as mãos à cabeça. - Deus sabe o que eu acabei de passar com aquelas meninas do “Abracadabra”, mas, céus! Isso está um desastre. A música quase não tem dança. Tudo que eu peço é que você não fique parecendo um animal se debatendo! É o seguinte, você vai para aquele canto e vai treinar sozinha. Eu preciso passar a coreografia para as outras ou vocês não vão aprender nada hoje. Estamos combinadas? Na próxima aula, ou você me mostra isso feito, ou vamos ter que repensar seriamente as suas posições no palco ou correm o sério risco de serem o segundo pior grupo que eu tenho. E, antes que eu me esqueça: não chore. Minha cota para gente chorona já deu hoje. Então, garotas, vamos continuar.

    Kim Sohee obrigou Yuki a ficar no canto da sala sozinha, enquanto repassava os passos com as outras meninas.

    - Perdeu alguma coisa, Chae Soo? - deu bronca, quando a menina ficava olhando para trás, para achar Yuki. - Voltando. Seu solo, você vem para frente….

    E um pouco depois, estava na hora da coreógrafa sair. Virada exclusivamente para as três meninas restantes, ela bateu palma.
    - Muito bem, garotas. Vejo vocês depois de amanhã. - antes de bater a porta, irritada, deixou um recado: - Yuki, treine, se não quiser eliminar o seu time.



    ♪ Shin-Hee ♪

    A mãe de Shin lhe deu um sorriso sincero, provando que o chinês realmente era ótimo com as mulheres.
    - Você gostou? Ora, está apenas tentando bajular sua mãe? - riu, antes que o clima murchasse pelo pai.



    Na festa, Tae lhe retribuía o olhar da serenidade, mas possuía mais cinismo no rosto do que deixava transparecer seu real sentimento. Tinha aquela necessidade de parecer ser superior.
    Quando o rapaz saiu de repente, ele observou o caminho que ele fez, e agora olhava de forma curiosa na direção de Eu Se, um pouco mais distante de lá.  

    ♪ Eu Se ♪

    A mãe, que estava vestida seguindo as sugestões da filha, quase chorou também ao abraçá-la, bem apertado. Quem diria que estavam apenas a alguns bairros de distância? Lee Sang concordou em conversarem depois, ou acabariam as duas derramando muitas lágrimas.

    ♪ Eu Se ♪  e  ♪ Shin-Hee ♪

    Como se não fosse o bastante a coincidência terrível o momento que vivia agora, Eu Se viu que Tae agora olhava em sua direção. Não estava tão perto quanto Shin, obviamente, mas era perigoso o bastante para que quisesse tomar medidas a respeito. Enquanto isso, os familiares se cumprimentavam.

    - Como está sua família? - começou o diplomata. - Hyun-Sik continua na procuradoria?
    - Sim, sim. É meu braço direito!
    - E sua filha, ainda quer ser diplomata?
    - Ah, minha querida In-Na está indo para um intercâmbio nos EUA em relações internacionais. Um orgulho!
    - É mesmo? Foi onde fiz minha pós-graduação.
    - In-Na é uma diplomata de sangue! Herdou a impetuosidade do pai - o senador falou orgulhoso.
    - Se ela precisar de alguma indicação quando voltar, podem contar comigo, é claro.
    - Que gentileza a sua - Seul-Bi sorriu.
    - Nossa Eu Se estava agora mesmo em um intercâmbio também. Em Londres, era sobre música clássica, não é, querida? - Lee Sang tentou participar da conversa sobre orgulho dos filhos e passou a vez para a menina, que agora era observada por todos. Sua mentira era cada vez mais exposta ao colega de concurso.
    Larissa Aprill
    Tecnocrata
    avatar
    Tecnocrata

    Mensagens : 417
    Reputação : 45
    Conquistas :
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/410.png

    Re: 3º passo - Alianças

    Mensagem por Larissa Aprill em Ter Jul 11, 2017 4:40 pm

    Eu Se sentia as mãos suando frio e sabia que tinha se metido numa enrascada quando viu que Tae olhava em sua direção. O estômago da jovem começava a embrulhar de nervosismo.

    Para piorar os pais conversavam entre si sobre os futuros dos filhos e sua mãe decide falar sobre o seu intercâmbio. Quando todos olharam para ela, sentiu seu coração bater tão rápido que parecia estar escutando suas batidas. Ela começa a gaguejar de nervosismo.

    - Ne Eomeoni... oneul ...achim-e dol-awassda
    Sim mãe..eu...cheguei hoje de manhã.


    Ela olha diretamente para Shin, o rapaz poderia desmenti-la a qualquer momento, mas rezava para todos os deuses lhe ajudasse naquele momento. E não entrou em muitos detalhes pois não queria se enrolar na sua própria mentira.

    Como se não bastasse todo o estresse daquele momento, ela tinha receio que Tae se aproximasse, agora que ele tinha a visto era um alvo fácil. Estava tendo um mini ataque de pânico.

    - Sillyejiman, naneun bihaeng-eulo jom pigon haeyo. Naneun sinseonhan gong-gileul eod-eul geos-ida.
    Se me derem licença, estou um pouco cansada pelo vôo. Irei tomar um ar fresco.


    Ela faz uma reverência a todos e começaria a caminhar em direção ao terraço. Ao erguer a barra do vestido, sentia que suas mãos tremiam um pouco.

    shamps
    Mestre Jedi
    avatar
    Mestre Jedi

    Mensagens : 1113
    Reputação : 42
    Conquistas :
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/311.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1011.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1811.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/712.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/410.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1511.png

    Re: 3º passo - Alianças

    Mensagem por shamps em Ter Jul 11, 2017 4:57 pm

    Ela ainda não entendia o que elas queriam dizer com sorte no amor, mas deu risada com suas amigas, assentindo com a cabeça e já feliz por pensar em ir novamente à casa de Yuki.

    No almoço, ela sorriu para Mi Nan e para Min-Ki, aceitando que ela não tenha feito nada de errado.
    Ela não tinha entendido o motivo da risada de Tommy, mas ficou feliz em poder ajudar e no dia seguinte pediria para seu avô, pois em sua caixinha de sapato onde guardava seus remédios não tinha nada para os nervos, só coisas para dores musculares, cicatrizantes e anti-inflamatórios, além de bandagens e faixas. Ela levaria sim os dois unguentos.

    - Claro, Tommy shi, trarei esse remédio – e Minsoo achou boa a ideia do remédio para dores – trarei agora mesmo. Tenho ele na minha bolsa, por causa do meu joelho. Depois do almoço vou passar novamente e posso levar lá na sua sala – e sorriu, estava feliz por poder ajudar – vamos comigo depois, Yuki? – perguntou para a amiga.

    Quan Lei explicou as diferenças entre os dialetos e isso a deixava bem empolgada, pensando qual deles seu pai falava.

    - Isso é tão empolgante... me mostre uma diferença – estava bem animada com a conversa – eu estudo mandarim... achei um curso e mais alguns livros na biblioteca da minha escola e comecei a estudar. Sinto-me um pouco insegura porque não tinha ninguém com quem falar, então não sei se falo certo ou não. Eu só tenho os livros... tem uns cds que vem com os livros, mas eu não sei mexer neles... – ela não sabia nem mexer no rádio e nem no computador, então só ficava nos livros mesmo e na escrita – por isso pratico bastante a escrita e vocabulário. O senhor Song fez uma anotação quando eu disse que não era fluente... será que ele me acha burra?

    Ficou preocupada com Yuki quando Zhenzhen falou que japonês era chato, pois não queria criar um clima ruim. Zhang tentou amenizar a situação.

    - Eu entendo... humm... mas vários idiomas se originaram de outros, não é mesmo? Então isso não deve ser tão ruim... vejo isso como uma evolução – mantinha o bom humor – eu vi os mangás da Yuki unnie, e verdade... não entendi nada hahahaha... pareciam palavras jogadas aleatoriamente no texto, mas elas isoladas dava para entender. E tem também aquelas letrinhas redondinhas que não sei o que são. Unnie, que letras são aquelas – perguntou para sua amiga japonesa.

    Ouvir Dam falar que seu pai sentiria orgulho dela a deixou muito feliz. Seria lindo se os dois se conhecessem.

    - Obrigada, oppa. Suas palavras me deixam muito feliz. Aposto que meu appa iria te achar muito simpático e gentil. Ele iria dizer “Dam, você é muito legal. Pode ser amigo da minha princesa” – ela fez uma voz mais grave, imitando um homem falando. Era bem inocente em seus devaneios. Depois deu uma risada – seria incrível. Ele me chamaria de princesa né? Ou de filha... já estaria bom se me chamasse assim – lembrou que nunca tinha sido chamada de filha, apenas quando Jeong tinha que apresentar ela a alguém ela falava “filha” – Dam oppa, sabia que foi meu pai que escolheu meu nome? Ele disse que era o nome coreano que ele achava mais lindo... ouvi meu avô gritando isso para minha mãe. Ele não gostou que minha mãe tivesse concordado com esse nome... ela disse que não fazia a menor diferença se eu me chamava Eun-Ji ou Totó, que isso não mudaria nada... acho que é por isso que ele me chama de “aquela menina” ou “filha daquele cara”. Ele deve ter ficado magoado que minha mãe não escolheu o nome que ele queria e sim o que meu appa queria. Sabe, isso me deixa feliz, significa que meu harabeoji pensou em mim uma vez na vida. Legal, né? – sua inocência fazia com que ela sorrisse e ficasse feliz com esses pensamentos simples.

    No fim daquele dia, Dam tinha aparecido e se despedido dela, deixando as amigas curiosas e animadas, mesmo que ela não tenha entendido por que.

    - Que bom, fico feliz por você. Tenho certeza que é o melhor nos ensaios. Vai ser o melhor grupo – ele falou da internet, mas ela não deu muita importância – internet? Ah, não se preocupe... eu nem sei o que é isso direito, nem ia saber mexer... é muito diferente do que as mensagens e as ligações? Bom, você vai ter que me explicar, por que sou bem burrinha com essas coisas tecnológicas – e fazia uma caretinha meiga enquanto falava – se isso for muito dispendioso para você, não faça... não quero dar trabalho, oppa!

    Assim que ele se foi:

    - Sim, ele veio... como prometido – ela suspirou longamente, sorrindo e com as bochechas rosadas – eu pedi para que ele viesse despedir de mim. Sabe, eu queria ter certeza de que ele estava bem. Que bom que estava!


    Durante as aulas com Sohee, que se mostrava uma professora muito enérgica, ela agradeceu a Chae por responder sobre a YG.

    - Sim senhora, meu médico me recomendou essas coisas e por isso já estou bem melhor. Agora que me mostrou esses exercícios, os farei sempre. Muito obrigada – se curvou respeitosamente – estou usando remédios e isso – mostrou as joelheiras.

    A professora era cruel com Yuki, lembrando até o tratamento de seus professores na escola. Ela ficava preocupada com Yuki, pois a ruiva estava acostumada com gritos, mas a doce Yuki com certeza não. Novamente sentia-se culpada pela escolha da música. Ela devia ter pensado na amiga antes de si própria, seu egoísmo levou sua amiga ao sofrimento, agora teria que ajuda-la de todas as formas.
    Eun-ji fez os movimentos e olhava para a amiga tentando transmitir força. Sohee falava diretamente com ela quando recomeçaram a dança e a ruiva ia seguindo as instruções dadas e rumou para centro, tentando preencher os espaços e aparecer mais. Lembrou-se das palavras de Bora sobre usar o palco e sobre deixar que as pessoas a conhecesse, talvez tivesse a ver com isso que Sohee falava. Depois disso, as coisas começaram a fazer mais sentido para a jovem e ficar ali parecia mais fácil.
    Sohee continuava dando broncas e Eun-ji tentava assimilar tudo para poder melhorar e dar orgulho ao seu grupo e, como dito pela professora, ela tinha que ser a melhor. Teria que dar tudo de si e treinar à exaustão.

    A professora continuou dando sua bronca em Yuki e a ruiva sentia-se cada vez mais culpada por aquilo e quando ela perguntou por que a amiga tinha escolhido 2NE1, ela se manifestou.

    - Foi minha culpa... que ela escolheu essa música... eu quis essa para me desafiar e ela me acompanhou... a culpa foi toda minha. Eu mereço a bronca também. Ela não – se curvou para Yuki – me perdoe, unnie. Me perdoe professora – se curvou para ela também.

    As broncas continuaram e ela mandou sua unnie treinar longe delas. Isso foi bem triste, porque tinham prometido treinar juntas. Então treinaria e tomaria tudo que fosse preciso da professora para depois repassar para Yuki. Ela também não queria ser o segundo pior grupo.

    - Eu vou te ajudar, unnie... confie em mim – disse quando a amiga ia para o canto.  

    Ao fim do treino, quando Sohee saiu, ela correu até Yuki e a abraçou.

    - Desculpe unnie. Vamos treinar muito, ok. Vamos repassar tudo? Ou quer descansar? –sentia-se muito culpada.
    Gakky
    Mestre Jedi
    avatar
    Mestre Jedi

    Mensagens : 1332
    Reputação : 63
    Conquistas :
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/311.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1112.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1011.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1811.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1413.png

    Re: 3º passo - Alianças

    Mensagem por Gakky em Ter Jul 11, 2017 7:54 pm

    No primeiro ensaio, quando Dam veio se despedir de Eun-ji, ChaeSoo faz um comentário sobre Minsoo, Yuki logo cora e diz:

    - Shuuuu... Eu não faria isso, o que ele iria pensar?

    (...)

    Então Yuki disse que era a líder. A coreógrafa pareceu muito surpresa e descontente.Isso fez o coração da japonesa apertar, mas tentaria provar que era uma boa líder. Ela começaram então a ensaiar novamente, mas Yuki não conseguia fazer o movimento. E de repente mais gritos, e eram para Yuki. Ela tinha sido chamada de saco de batata! Eun-ji se pronunciou e tentou defendê-la, mas Yuki respondeu com a voz tristinha e contida:

    - Tudo bem Eun-ji, a escolha foi minha e eu devo me responsabilizar pelo que escolho.

    Quando achou que não podia piorar, mais gritos foram lançados contra ela e também veio junto uma pergunta. Yuki abaixou a cabeça e com a voz baixa respondeu:

    - Sim... Recebi... - Respondeu sobre os três sims.

    Em seguida a mulher começou a dar um sermão duro sobre Yuki. A cada palavra da mulher, Yuki se sentia mais pequena, mais incapaz e mais inferior. Pelo que ela ouviu da coreógrafa, todos tinham talento e se esforçavam, menos ela. Pior ainda, tinha sido comparada com um animal se debatendo, era só o que faltava para ser um peixe completo, pensava Yuki, já que peixes se debatem quando saem da água. Ela queria tanto um buraco para se esconder, ou saltar no mar e ficar em baixo da água onde tudo é silencioso, onde o tempo parecia parar.  A professora ainda pediu algo mais assustador, mando ela ir treinar sozinha no canto. Sentiu vontade de chorar, mas segurou, não faria isso, não na frente da professora, não daria esse gostinho para ela. Yuki estava se sentindo tão culpada, achava que tinha feito a escolha errada. Eun-ji tentou a consolar quando caminhava em direção ao cantor, Yuki apenas olha para ela rápido e balança a cabeça para dizer que tinha escutado. Quem eu tô pensando que sou? Eu sou Yuki, a sardinha! Não deveria me desafiar sabendo que sou um desastre. - Pensava enquanto caminhava em direção ao canto cabisbaixa.

    No canto, Yuki não estava com a menor vontade de treinar agora, se sentia desprotegida, uma mosquinha morta. O pior de tudo é que por sua culpa, iria acabar eliminando o grupo todo. Então esse era o seu destino? Realmente o concurso não combinava com ela, percebeu. Seu irmão confiava tanto nela, lembrou. Então buscando as poucas forças de vontade que tinha, começou a treinar sozinha, mas era visível em seu corpo que estava bem desanimada e triste. Quando terminaram, Yuki prometeu a si mesma que nem iria dormir, treinaria em casa o tempo todo, mesmo que não desse bons resultados, ela daria seu sangue para conseguir. Antes de sair, a professora deixou um recado para Yuki, que fez seu coração apertar ainda mais.

    Eun-ji a abraçou quando a professora saiu e pediu desculpas, mas para Yuki a culpada ela era mesma. Ela faria o grupo perder. Dessa vez não retribuiu bem o abraço da amiga e se afastou cabisbaixa, se ela se estragasse as emoções agora, iria acabar chorando, por isso não poderia encarar Eun-ji ainda.

    - Desculpem meninas... Eu nem sei o que dizer... Não queria prejudicar vocês...  Eu vou treinar sem parar para não prejudicar vocês, prometo!

    Yuki faz uma reverência a elas.

    - Bom... Acho que podemos repassar, pelo menos para eu saber os passos... Não acho que ela fez certo de me deixar no canto, podia ao menos me deixar acompanhar para pelo menos eu saber os passos. Vou falar isso com ela na próxima vez, é.... E eu vou anotar em um papel os passos que me falaram, não se preocupem, vou treinar em casa.  

    Quando chegar em casa, Yuki vai se trancar no seu quarto e chorar bastante. Depois vai começar a ensaiar loucamente, sem parar para nada e nem vai querer dormir. Quando sua família estiver dormindo, ela vai ensaiar escondida, mesmo que estivesse doendo seus músculos. Ela sabia que precisava muito fazer isso e por isso não havia tempo a perder. Se os pais pedissem sua ajuda na peixaria, ela iria ajudar, mas ficaria dançando e fazer passos a cada intervalo, até mesmo entre atendimento dos clientes.


    shamps
    Mestre Jedi
    avatar
    Mestre Jedi

    Mensagens : 1113
    Reputação : 42
    Conquistas :
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/311.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1011.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1811.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/712.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/410.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1511.png

    Re: 3º passo - Alianças

    Mensagem por shamps em Ter Jul 11, 2017 8:45 pm

    Eun-ji se condoeu ao ver a reação da amiga, por mais que ela dissesse que era responsável por suas escolhas, a ruiva ainda via-se culpada pelas broncas da amiga.

    Viu que a amiga estava arrasada a cada conclusão que Sohee soltava em direção a ela.
    Quando sua amiga não lhe retribuiu o abraço, sentiu-se mais culpada ainda, tendo certeza que tinha condenado a amiga e que talvez ela a odiasse para sempre. Num desespero disse:

    - Unnie, unnie... me perdoe, por favor... eu vou te ajudar... faço o que for, unnie... nem que eu apanhe e sangre em casa, eu vou te ajudar... isso... darei meu sangue por você... eu prometo... eu fujo de casa se for preciso... para te ajudar... isso mesmo... minha mãe nem vai notar... olha, vamos repassar tudo, tá bom? – foi puxando ela pela mão – eu prestei bastante atenção nela e sei que posso te mostrar... vem... amiga, não pense assim. Encare como uma forma de você se concentrar só em você – respondeu quando ela falou sobre ficar no canto sozinha – todas nós aqui temos nossas dificuldades. De fato hoje foi mais duro com você, mas porque ela é mais durona, como o Minsoo disse. Estamos nos apoiando mutualmente. Não se sinta mal por isso... é só o jeito dela... ninguém aqui é perfeito e nem temos obrigação de ser. Só devemos dar o nosso melhor para melhorar e isso você está fazendo.

    Ela não sabia se estava ajudando ou não, por que ela sabia o quanto era duro receber críticas e se sentir um nada.

    - Olha... temos bastante tempo ainda para treinarmos. Só não desanime, por favor.
    Gakky
    Mestre Jedi
    avatar
    Mestre Jedi

    Mensagens : 1332
    Reputação : 63
    Conquistas :
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/311.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1112.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1011.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1811.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1413.png

    Re: 3º passo - Alianças

    Mensagem por Gakky em Ter Jul 11, 2017 10:29 pm

    As palavras de Eun-ji comovem Yuki, não queria que sua amiga ficasse tão preocupada e nem que se arriscasse.

    - Eun-ji... Eu não tenho nada para te perdoar, você não fez nada de errado. E não se preocupe assim comigo. Não quero prejudicar ninguém por minha escolha. Só se cuide, que eu já fico feliz. Me mostre os passos, eu sei que gosta de me ajudar, obrigada.

    O olhar de Yuki pode parecer um pouco distante.

    Persephone
    Cavaleiro Jedi
    avatar
    Cavaleiro Jedi

    Mensagens : 191
    Reputação : 63

    Re: 3º passo - Alianças

    Mensagem por Persephone em Qua Jul 12, 2017 12:36 am

    As duas famílias formavam duas linhas, onde cada membro se posicionava diante do outro, quase como numa dança antiga. Os condutores principais eram os pais de Shin e de Eu Se. O rapaz estava parado bem em frente à garota. Havia um nítido desconforto quase palpável ali. Para os outros, podia passar a impressão de que ela fosse tímida, mas o olhar dela apenas deixava mais e mais evidente as suspeitas de Shin.

    Os pais falavam das qualidades de seus respectivos filhos. Em momento nenhum o Senador falou de Shin-Hee, limitando-se aos seus irmãos mais velhos, os meninos de ouro e que o enchiam de orgulho. Naquele momento, ele não pareceu se importar com isso, pois estava mais preocupado com a cara que Eu Se fazia. Não fez nenhum comentário, mesmo que vez ou outra olhasse para o diplomata e sua esposa, dando um meio sorriso aqui ou ali. Num desses momentos, Shin olhou discretamente para trás, para o ponto onde estava antes na presença de Tae.

    Ao ver que o rapaz olhava naquela direção, Shin-Hee tomou uma postura que já denunciaria para Eu Se que seu segredo estava protegido. Ele chegou para o lado, tampando completamente o rosto da jovem. Olhou para a frente de novo, ajeitando seu terno e olhando para Eu Se.

    - Londres, que interessante...Sempre quis conhecer.

    Comentou por alto e a encarou. Eu Se estava cada vez mais pálida.

    A jovem logo dava uma desculpa e se retirava dali. Shin acompanhava com o olhar, mas observou o tamanho do salto que ficou visível quando ela elevou a saia do vestido. Os pais continuavam conversando e agora o rapaz se encontrava num...dilema. O que significaria se ele fosse atrás de Eu Se agora? Será que passaria uma impressão errada aos pais? Seria muito atrevido?

    Por outro lado, deveria deixar um amigo desprotegido?

    Shin respirou fundo e colocou seu futuro em jogo.

    .- Com o perdão da indiscrição, Sr. e Srª Hyun, mas eu também gostaria de tomar um ar. Com licença

    Reverenciou os dois e os pais, sem encará-los. Começou a se afastar, mas deixaria que o pai visse que, no meio do caminho, ele pegou duas taças de cristal com água e seguiu para o terraço onde Eu Se estava. O que ele poderia imaginar daquilo, era dificil de saber. Mas Shin também não foi discreto. Seguiu de modo determinado até o terraço e buscou pelas costas de Eu Se. Ao identificar o vestido rosa, ele se aproximou dela. O perfume dele já podia ser sentido, mas antes que ela começasse a se desesperar, ele ofereceu água para ela.

    - Acalme-se... - Comentou, olhando para a frente. - Eu não sou seu inimigo aqui.

    Deu um gole em sua própria taça, mas não a encarou.

    - Nem aqui, nem lá. - Olhou de banda para ela, finalmente. - É você, não é? Eu já achava que conhecia seu rosto de algum lugar, mas agora...tenho quase certeza.

    Luxi
    Moderador
    avatar
    Moderador

    Mensagens : 1059
    Reputação : 67
    Conquistas :
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/311.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1112.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/912.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/212.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1811.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1413.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/410.png

    Re: 3º passo - Alianças

    Mensagem por Luxi em Qua Jul 12, 2017 8:45 am

    ♪ Yuki ♪ e  ♪ Eun-Ji ♪

    Tommy pediu para ficar com um deles, se não fosse problema. Queria presentear o amigo com o unguento de Eunji.

    (...)

    - Provavelmente acha que você não irá representar o grupo em outros países. Mas vamos fazer assim, que tal marcar um dia para conversarmos? Nos reunimos os quatro para trabalhar a letra de vocês. Venham aqui em algum almoço e resolvemos.

    Zhenzhen e Zhang concordaram com aquilo também. Especialmente a menina, que queria muito ver o chinês sorridente em outra oportunidade.

    Dam riu sozinho pela interpretação que Eunji fez sobre seu próprio pai. Será que ele realmente seria gostável daquele jeito? Respirou fundo ao ouvir todo o relato sobre o avô dela.
    - Eunji é um nome bonito - concluiu simplesmente, para ela ter algo bom para pensar.



    Chae Soo mal conseguia ensaiar direito, porque ficava olhando para Eunji e depois para Yuki, preocupada, mesmo assim, ninguém teria coragem de parar de dançar de repente e ouvir os berros de Sohee.

    - Sinceramente não me interessa de quem é a culpa e, na verdade, acho óbvio que seja do líder. Eu quero entregar um trabalho satisfatório com os times que me deram. Mas ao menos vocês conseguem entender o que estou dizendo. Eunji, assuma o papel de ensiná-la. Vou considerá-la a líder até nossa próxima aula. Dispensadas.

    A professora deixou o local e um silêncio estranho assumiu, até que as amigas se abraçaram. Zhenzhen não sabia direito para onde olhar. Chae foi até ela, toda preocupada.

    - Você está bem? Nossa, isso foi muito pesado… Você não merecia ouvir isso. Acho que ela exagerou. Foi sua primeira aula… É, ninguém é perfeito. Ouça o que a Eunji diz. Se a Eunji não puder ficar aqui até mais tarde, eu fico, não se preocupe! Sou boa com a dança, pode deixar, Eunji, eu cubro você como professora. - fez um sinal de positivo - Minha mãe pode me buscar. Além disso, você tem que fazer o seu trecho na música, não é?

    - Eu acho que ela só quer descansar agora, gente. - Zhenzhen opinou, sem se aproximar das três - Vamos fazer uma pausa? Tomar água, comer… A gente se encontra aqui de novo quando todo mundo esfriar a cabeça, que tal? Bem, eu volto daqui a pouco.

    A chinesa decidiu ir na frente e dar mais espaço para elas, enquanto Chae ficou mais um pouquinho lá, mas acabou por pedir licença.

    - Acho que ela vai conseguir se abrir mais se for com você. Então, eu vou lá buscar uns lanchinhos para a gente, está bem? Já venho.

    A rapper saiu em busca de alguns sanduíches naturais para as meninas e voltaria antes de Zhenzhen. As duas tiveram um tempo de silêncio. Quando a garota voltou para a sala, propôs que comessem e reiniciassem os ensaios. Com paciência, Chae repassou cada ponto da coreografia, mas era difícil ensaiar naquele estado de tristeza profunda. Mesmo que a professora não estivesse mais ali, suas críticas estavam bem gravadas na sua mente.

    Um tempo depois, Zhenzhen voltou para a sala, com um papel. Ela tinha almoçado com Zhang e tentado rascunhar a letra em chinês. Entregou para que Eunji estudasse para a aula de canto no dia seguinte. No horário normal, a chinesa foi embora.  Dam apareceu na sala para se despedir de Eunji novamente e Chae sugeriu que elas encerrassem o dia, prometendo ensinar Yuki no lugar dela, sem o menor problema.

    Quando Yuki quis ir para casa, pôde finalmente chorar tranquila em seu quarto. Sua mãe a olhou preocupada desde o momento que chegou até quando quis deitar. Não se meteu, mas esquentou um chazinho para ela, que foi levado pelo irmão. Taegyu bateu a sua porta e ofereceu chá à irmãzinha.

    - Quer conversar? - perguntou já esperando uma negativa. - Omma fez chá. Se não beber, ela vai ficar triste. Toma. Vou estar na sala dormindo, mas me chame se precisar.

    Toda a dificuldade que não tinha para cantar parecia acumulada em uma fraqueza só. No dia seguinte, as garotas teriam aula de canto, mas o foco de treino delas era bem diferente. Ficava mais difícil se encontrarem com os outros grupos, pois cada um tinha combinado seu próprio horário de ensaio, almoço e afins, mas isso aumentava as expectativas de como Minsoo e Dam estavam se saindo em seus grupos, por exemplo.

    Chae já estava lá bem cedo para ajudar as meninas a treinar, mas Zhenzhen chegou um pouco mais tarde. Mais aliviada do que no dia anterior, Yuki percebia que começava a memorizar de verdade a coreografia. Talvez não estivesse no movimento “bonito sensual” de “wave”, que a instrutora queria, mas ela sabia a sequência. Já Eunji podia considerar toda aquela coreografia fácil. Se continuasse cuidando bem de sua saúde, não teria problemas em dançá-la. Os movimentos estavam longe de algo pudico que sua religião desejava, mas sentia-se mal dançando? Era algo de outro planeta? Isso era uma questão que poderia refletir.

    As garotas ensaiavam quando a cabeleira acobreada de Bonnie apareceu na sala.
    - Bom dia, queridas. Como estamos? Hoje eu gostaria de ver como está a apresentação em geral, incluindo a dança. Quero adiantar o trabalho de palco com vocês. Esta será sua última aula de canto, então quero tirar todas as dúvidas. - ela observou os rostinhos desanimados - Aconteceu alguma coisa, meus amores?

    ♪ Eu Se ♪  e ♪ Shin-Hee ♪

    Eu Se era observada por quatro adultos dos quais dois deveriam ser especialistas em detectar mentiras: um diplomata e um senador.  Havia muita expectativa nos olhos do Senador quando ela começou a falar. O homem, que tinha uma expressão um tanto cisuda mesmo quando sorria, estava muito interessado em conhecê-la e quando o rapaz comentou que gostaria de conhecer a Europa, um sorriso estranho iluminou seu rosto. Até que… a menina saiu de repente, deixando uma centelha de desconforto.

    - Ela está nervosa. É muito tímida - justificou o pai da garota, mas Shin conseguia ler de forma diferente.

    - Nossa Eu Se é muito meiga e feminina. Precisam ouvi-la tocando! -  Lee Sang encheu-se de orgulho para falar da filha, iniciando todo um assunto constrangedor que ela evitaria.

    Quando Shin Hee deu os primeiros passos, diferentemente da rudeza habitual do Senador Yoon, ele teve certeza que os dois homens ali trocaram olhares. O Senhor Hyun foi extremamente simpático, com um meneio leve e um sorriso gentil.

    - Traga-a de volta quando ela se acalmar. - pediu o pai da menina, antes de voltarem a conversar entre si.

    Seul-Bi acompanhou seu trajeto até o terraço, um pouco preocupada, mas acabou tendo a atenção chamada novamente para a conversa entre casais.


    O terraço tinha sido um refúgio inteligente e bem mais tranquilo, possibilitando um respiro e um pouco de privacidade. Naquele momento, estavam a sós. Por ser um início de festa, os convidados preferiam circular entre si e bajular a anfitriã. Eu Se sabia que seu pai não ficaria muito feliz se ela abandonasse a família por muito tempo. Ele gostava de fazê-la de peça decorativa nas festas, e tinha também o fato de ser a parceira principal de sua mãe nas festas.
    Larissa Aprill
    Tecnocrata
    avatar
    Tecnocrata

    Mensagens : 417
    Reputação : 45
    Conquistas :
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/410.png

    Re: 3º passo - Alianças

    Mensagem por Larissa Aprill em Qua Jul 12, 2017 10:17 am

    A garota mal escutou o comentário do rapaz, pois precisava se afastar e pensar no que fazer. Se descobrissem sua mentira, seu pai iria odiá-la. Já conseguia ver o olhar de decepção no rosto da mãe. E nunca mais iria ver os meninos, nem teria a chance de se despedir.

    Assim que chega no terraço o vê o local vazio, ela puxa o ar com força ao mesmo tempo em que tenta lutar contra as lágrimas. Ela se aproxima do parapeito enquanto tentava se acalmar.

    Ela percebe alguém se aproximando de suas costas e assim que se vira ela percebe que era Shin, ele pode perceber que os olhos dela estavam cheios de lágrimas e que ela tentou limpar rapidamente.

    Ele falava calmamente enquanto oferecia um copo de água para ela. Depois que bebeu sua taça e se sentiu mais calma ela olha para o rapaz.

    - Kamsamnida.

    Obrigada.


    Eu Se se sente grata pelo o que o rapaz disse, realmente ele tinha lhe ajudado ao escolher Min-ki para seu grupo. Ele havia defendido o rapaz também contra a acusação da Peach. Ela começa a falar, mas preferia olhar para as ruas de Seul.

    - Na. Bumonim-eun K pab gyeong-yeon daehoee cham-yeoui ganeungseong-eul injeonghaji anh-eul geos-ibnida wae yeohaeng gyohwan-e daehae geojismal. geudeul-eun naega keullaesig pianiseuteuga doel junbileulhago issseubnida saeng-gaghabnida.

    Sou eu. Menti sobre a viagem de intercâmbio, por que meus pais nunca aceitariam a hipótese de participar de um concurso de K-pop. Eles acham que eu estou me preparando para ser uma pianista clássica.




    shamps
    Mestre Jedi
    avatar
    Mestre Jedi

    Mensagens : 1113
    Reputação : 42
    Conquistas :
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/311.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1011.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1811.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/712.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/410.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1511.png

    Re: 3º passo - Alianças

    Mensagem por shamps em Qua Jul 12, 2017 11:25 am

    Não representar o grupo em outros países?
    A jovem ficou pensativa sobre aquilo, sem entender muito bem, e deu de ombros.

    - Não entendi, Quan Lei jun, mas não tem problema - realmente ela não parecia abalada - eu gostei da ideia, mas temos pouco tempo para isso... quando podemos estudar? - pareceu bem animada.


    Ouvir Dam falar que seu nome era bonito realmente rendeu bons pensamentos para a garota sofrida.

    - Verdade, oppa? Você acha mesmo? O seu nome também é muito bonito... e auspicioso... "brilhante"... como o nome da empresa... já pensou nisso? - e sorriu.


    O dia da dança foi muito desgastante, mais emocionalmente do que fisicamente, não só para Yuki, mas para todas que não sabiam como melhorar a situação. Eun-Ji ainda se sentia culpada.
    Ela olhava para Chae com a mesma preocupação, mas tinha que se empenhar para poder ajudar a amiga mais tarde. Ensaiou a wave fervorosamente, queria estar perfeita para ajudar Yuki e também para levar menos bronca. Uma só já era suficiente, mais uma sendo xingada seria demais para a moral delas.

    - S... sim senhora - gaguejou ao concordar em ser a líder temporária para ajudar sua unnie.

    Assim que Sohee saiu da sala, as amigas se abraçaram e cada uma ajudou Yuki da melhor forma, Chae se ofereceu e a ruiva agradeceu a oferta para ajudar Yuki depois que ela fosse embora, até que deixaram as amigas sozinhas. Eun-Ji foi até sua mochila e pegou uma florzinha e o remédio para os nervos que tinha prometido para Shin.

    - Beba um gole disso. É um pouco amargo, mas vai ajudar. É um remédio que meu avô faz, para acalmar os nervos - ofereceu a garrafada para a amiga, junto com um copinho. Depois entregou a florzinha - toma... eu colhi essa flor para o Dam oppa, mas acho que você esta precisando mais dela do que ele - e sorriu ao entrega-la - amanhã trago outra para ele e uma para a senhora Bonnie.

    - Unnie, lembre-se que nós estamos enfrentando vários desafios desde que chegamos aqui. Esse é só mais um. Lá na frente, quando você estiver bem, você vai olhar para esse momento e vê-lo como um dos degraus que te levou até lá. Não desanime... eu sempre estarei aqui ao seu lado... vamos superar isso juntas - e abraçou a amiga - tudo bem ser forte na frente dela, mas pode desabafar agora - e permitiu que a amiga chorasse em seu ombro, caso quisesse.

    Assim que a amiga se acalmasse, Eun-Ji também daria um tempo para ela.

    - Yuki unnie... acho que você vai querer uns minutinhos só para você, então vou levar essa garrafada para o Shin-Hee shi, como eu tinha prometido. Tudo bem? Olha, eu volto logo tá? - e passou a mão no rosto da amiga para conforta-la.

    Ela seguiu pelos corredores atrás da sala de Sorry Sorry e bateu gentilmente e assim que foi atendida entregou a garrafada.

    - Com licença - fez uma mesura - Shin-Hee shi, trouxe a garrafada - estendeu a garrafa na direção dele - o remédio para os nervos que prometi. Meu avô me deu. É amargo, mas é muito eficiente. Está benzido também. Ele é especialista em remédios naturais... ele diz que para me aturar precisa de umas duas garrafas por semana, mas é exagero dele hahaha ... ele nunca tomou tanto assim, só um copinho por semana. Ah... toma um copo, tá? - depois disso voltou para sua sala.

    Chegou junto com Chae, comeram e voltaram a ensaiar. Mesmo com clima pesado, EunJi tentava anima-las com seu jeito bobinho, afinal era a líder interina agora e fazia parte de sua função, como já começava a entender.

    - Já fizemos um alongamento, mas acho que poderíamos fazer algumas brincadeiras para soltar o corpo, que tal? Como os exercícios de canto... que fazemos caretas, tem coisas assim para o corpo também - e promoveu alguns movimentos e saía sacudindo as meninas pelos ombros, fazendo graça para anima-las. Elas precisavam disso, de coisas alegres. Ela fez o que pode com seu pouco conhecimento sobre o assunto. Quando sentisse uma melhora nos humores, retornariam ao treino.

    A ruiva guardou com cuidado a letra em chinês para estudar em casa. Pediu dicas de pronuncia para ZZ e fez as anotações na folha mesmo.

    - Xie xie, Zhenzhen jun!

    Ficou muito feliz ao ver Dam novamente, tinha passado o dia inteiro sem vê-lo e sem noticias dele.

    - Ah! Dam oppa - sorriu ao vê-lo e foi cantarolando até ele - nós estamos "come back home" - e fez uma graça para ele - aiai... como foi seu dia? O nosso foi bem tenso... entendi agora o que significa a expressão "osso duro" que o Minsoo shi falou. Creio que você também já conheceu a professora Sohee, né? Espero que ela não tenha gritado com você com o Minsoo shi. Nós já estamos indo também... nos acompanhe até o carro da senhora Bora, por favor... - pediu gentilmente.

    Depois que Bora deixou Yuki em casa, ela contou para sua professora tudo o que tinha acontecido e queria dicas para poder ajudar as amigas.

    - Foi bastante duro para a unnie. A senhora acha que fiz bem? Como eu posso ajuda-las?

    Depois mandou um sms para amiga desejando forças para ela, antes de estudar a letra da música em chinês.

    "Lembre-se, são degraus! Deus te abençoe!"


    O dia começava como todos os outros para a ruiva, com missa e orações. Ela colheu de seu jardim um buquê de florzinhas para dar às pessoas que a estavam ajudando durante as provas. Conseguiu alguns unguentos com o pastor de sua igreja, já que seu avô tinha se negado a fornecer, porque ela já tinha pego um naquela semana, além da garrafada para os nervos.
    Ela tinha passado a noite toda fazendo o wave e alguns outros passos e já não achava tão difícil assim. Era quase natural, ainda mais com o alongamento certo. De repente, com a repetição, o movimento sinuoso do corpo não parecia algo estranho ou pecaminoso, lhe parecia permitido por Deus, já que Ele tinha lhe concedido um corpo com juntas tão macias. Mesmo que ela não soubesse, seus movimentos já estavam leves e sensuais, na medida certa. Sentia-se segura para ajudar Yuki agora.

    Assim que viu Bora lhe entregou uma das flores e fez o mesmo com Yuki. Seguiria o ritual com Chae, ZZ, Minsoo, os meninos da aula de chinês, Tommy e Shin, porque estava doentinho. Claro que para Dam também, mas para ele tinha que ser especial. Queria entregar logo pela manhã para que ele tivesse um bom dia.


    - Yuki unnie... meus desejos de um bom dia para você!

    - Chae unnie, Zhenzhen unnie... para vocês... obrigada por tudo!

    - Shin-Hee shi, espero que o remédio tenha ajudado. Ah... tome - ofereceu a flor - para ter um bom dia!

    - Essas são para Zhang jun e Quan Lei jun... Gǎnxiè nín duì zhōngguó de jiàoxùn! (Obrigada pela aula de chinês).

    - Tommy shi... aqui... por ter sido gentil comigo e com a Yuki unnie aquele dia e por se preocupar com o seu amigo.

    - Daichi san... a Yuki me ensinou que para um japonês temos que falar san... tome essa florzinha... por você ter sido muito gentil com a minha amiga - e sorriu.

    Procurou pelos corredores um bom momento para entregar a flor para Dam.


    - Oppa! Olha o que eu trouxe! - mostrou a flor, que era um pouco diferente das outras - não é uma flor selvagem, mas foi colhida com o coração. É para você ter um bom dia e também é um agradecimento por ser tão legal comigo. Eu tinha trazido ontem para você, mas acabei dando para Yuki, que estava tão tristinha. Senti que ela precisava mais dela... você me perdoa? Não que você não precisasse, mas... aish... você me entende né? Queria que fosse especial, mas acho que não sou boa em fazer coisas especiais - e coçou atrás da cabeça, inflando as bochechas rosadas, levemente sem graça.

    Tinha flores suficientes e ainda distribuiu para Tae, Min-ki, Bae, Amihan e Go Mi Nam, pessoas com quem tinha falado. Acabou dando uma flor para todos do almoço feliz.

    Depois ela tinha seus próprios compromissos com as meninas. Ensaiou e tentava liderar o grupo, como pedido, repassando, junto com Chae, a coreografia e as marcações que já tinham. Tinha também a missão de animar as amigas e fez o seu melhor com historinhas motivadoras que ouvias durante suas missas. A palavra de Deus sempre era inspiradora.

    - Unnie, pensei num jeito de passar o wave para você. Testei em casa e acho que vai dar certo... venha - e a levou até a parede - encoste a testa na parede - à medida que falava ia mostrando o movimento - depois o nariz, o queixo... isso... o peito, a barriga... assim mesmo... o quadril... agora a testa outra vez... imagine seu corpo fazendo a letra S... espero ter ajudado...

    Quando Bonnie chegou, foi recepcionada pela florzinha colhida pela jovem.

    - Bom dia, senhora Bonnie!

    Estava super animada com as aulas de Bonnie, adorava-as e ela era sempre muito amável. Seria bom para Yuki toda aquela doçura.

    - Não se preocupe, senhora... tivemos um dia duro ontem... mas estamos melhor hoje - falou de um jeito animado para puxar as amigas para cima. Não estava, de forma alguma, diminuindo o sofrimento do dia anterior, apenas achava que era bom não remoer aquilo para não sofrerem de novo, afinal ela tinha que anima-las.
    Gakky
    Mestre Jedi
    avatar
    Mestre Jedi

    Mensagens : 1332
    Reputação : 63
    Conquistas :
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/311.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1112.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1011.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1811.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1413.png

    Re: 3º passo - Alianças

    Mensagem por Gakky em Qua Jul 12, 2017 1:14 pm

    Até mesmo Chae se aproximou de Yuki, pareciam preocupadas. Yuki nunca tinha tido amigas assim, mas no momento não queria falar muito, porque não queria expor seus sentimentos, não queria deixar elas ainda mais preocupadas. Então respirou fundo e disse a Chae:

    - Obrigada ChaeSoo...

    Então Zhezhen também falou. Yuki queria mesmo descansar, mas sentia que não devia. Alguém como ela não deveria parar um segundo, teria que treinar o máximo possível. Mas talvez tomar um pouquinho de água não fizesse mal pensou. ChaeSoo resolveu sair junto com a chinesa, Yuki não gostou da ideia, como assim ela podia se abrir? Ela não queria se abrir. Tinha feito escolhas erradas e agora precisava lidar com elas. Eun-ji foi até a própria mochila e parecia pegar algo. Notou que a amiga voltou com um chá, e quando ela falou da flor que ia dar para o Dam, Yuki não conseguiu segurar as lágrimas, que escaparam furtivas de seus olhos pequenos:

    - Desculpa... - Disse entre as lágrimas, encarou o chá enquanto ouvia as palavras da amiga.

    Yuki chorava porque estava com medo, medo de não conseguir dançar e ser eliminada. Tinha sido confrontada com a verdade que não sabia dançar e que não era nenhum talento nato da dança. E sabia que dançar era essencial para todo k-idol. Por isso tinha muito medo de não conseguir, seus braços e pernas não conseguiam obedecê-la e não sabiam fazer movimentos de dança graciosos e fluídos. Ela sabia que era mais dura que uma vareta. Mas não podia desistir, precisava ser forte. Tinha encontrado boas amigas e precisava mudar o seu destino. Uma oportunidade havia sido aberta para ela, e isso não podia ser atoa. Uma garota como ela jamais conseguiria três sims, então talvez o cosmos realmente achasse que ela passaria. Com o dorso da mão ela enxuga as lágrimas e bebe o chá de uma vez, depois tosse um pouco.

    - Fique com a flor Eun-ji, ela é do Dam. Não preciso dela, porque tenho você. Se conseguimos os três sims, é porque devíamos estar aqui, não é Eun-ji? Uma força maior queria, o universo ou algo assim... Pode ir falar com o Dam, eu vou treinar um pouco.

    Yuki deu uns soquinhos com uma das mãos no próprio peito e disse:

    - Sai, sai, sai!

    Ela queria que a tristesa saísse, mas para todo lugar que olhava, se sentia envergonhada. Tinha achado que poderia ser a líder, e no entanto, tinha sio um fracasso. Dá próxima vez, isso se tivesse, deixaria as coisas na mão de outra pessoa. Quandos as meninas voltam, Yuki tenta treinar como podia. Ela vai aceitar todas as propostas, tentando pelo menos treinar.

    Quando chegar em casa, vai chorar um pouco no seu quarto com o rosto escondido no travesseiro. Sua família foi gentil com ela e até Taegyu se ofereceu para ajudar, mas Yuki não queria preocupá-lo, ele já tinha coisas demais para pensar. Também não queria que seu irmão perdesse a fé nela.

    - Está tudo bem oppa, eu vou lá beber o chá. Não se preocupe, eu estou bem.

    Yuki vai aceitar o chá e tentar parecer bem. Depois que todos forem dormir, vai usar parte da noite para treinar no próprio quarto como uma louca. Quando fosse umas três da manhã, ela acaba pegando no sono exausta. No dia seguinte cada parte do seu corpo estava doendo, a cada pisada era uma nova dor, mas disfarçava para ninguém notar. Isso não importava agora, o que importava era treinar e treinar, mesmo que não ficasse muito boa.  Talvez fosse uma forma de punir a si mesma, como a professora falou, os outros tinham bons motivos, mas ela não. Por isso se sentia muito culpada.

    Na manhã do treino seguinte, Yuki recebe a florzinha dada pela Eun-ji, ela era realmente cheia de surpresas. A japonesa agradece com um sorriso discreto e fica encarando a florzinha. Durante o ensaio percebe que pelo menos conseguia memorizar a coreografia e se esforçava. Eun-ji então se aproximou dizendo que a ensinaria a fazer o wave. Yuki tentou imitar Eun-ji, mas não sabia se conseguia fazer tão bem quanto ela. Bonie chegou e parecia ter percebido que algo havia acontecido. Mas Yuki não podia dizer isso a ela, não a jurada. O que ela iria pensar? Que ela era um peixinho fraco que não servia nem para refeição! Não podia mesmo contar que tinha sido um desastre e que isso a afetava emocionalmente.

    - Estamos bem! - Responde a Bonnie - Só que, que... A líder no momento é a Eun-ji. É... Isso! A coreógrafa acho que seria melhor no momento... Então por isso, é isso... E obrigada por vir, senhorita Bonnie.

    Persephone
    Cavaleiro Jedi
    avatar
    Cavaleiro Jedi

    Mensagens : 191
    Reputação : 63

    Re: 3º passo - Alianças

    Mensagem por Persephone em Qua Jul 12, 2017 2:14 pm

    Shin ouviu o pedido do pai de Eu Se e o olhou de banda por um instante. Sua expressão estava séria, meio tensa diante da tranquilidade com que ele pedia aquilo à uma estranho - era a filha dele, afinal - mas suavizou e esboçou um pequeno sorriso. Julgando quem era o amigo dele, não era nenhum espanto ver esse tratamento que visava objetificar o filho. Será que o diplomata não percebera que Shin não servia nem de objeto pro Senador expor? E, mesmo assim, pedia para que trouxesse a filha de volta?

    O rapaz trocou um breve olhar com a mãe e meneou positivamente, a tranquilizando.

    Pegou suas taças no caminho e seguiu com passos calmos até o terraço, sumindo da vista dos pais.

    Shin-Hee buscou acalmar Eu Se, sem chamar muita atenção enquanto entregava a taça com água. Ele repousou uma mão no parapeito e ficou sustentando a própria taça com a outra mão. Focou em seus olhos no início, mas percebia as lágrimas e desviou o olhar. Não queria que ela se sentisse ainda mais envergonhada, por ser pega numa situação como esta. Ele deu um gole em sua própria água, voltando o olhar para o céu de Seul.

    Suspirou com a narrativa dela e meneou positivamente.

    - A maioria das pessoas que estão ali embaixo, gostariam de estar aqui. Quão irônico seria, se elas soubessem que queríamos trocar de lugar com elas? - Deu um meio sorriso no canto dos lábios, meio triste. - Sabe, eu posso ser uma pessoa bastante dura e tenho tentado balancear minhas palavras. Por favor, não me leve a mal, mas...Quando começamos uma mentira, temos que saber como sustentá-la.

    Voltou a encará-la e ele não estava criticando ou brigando com ela.

    - Você, assim como eu, não tinha pensado que iria tão longe, não é? - Deixou os ombros caírem um pouco. - O que pretende fazer agora? Bom, eu não vou contar, até porque eu simpatizo com o baixinho...Mas...O que você precisa e que eu possa ajudar?

    Larissa Aprill
    Tecnocrata
    avatar
    Tecnocrata

    Mensagens : 417
    Reputação : 45
    Conquistas :
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/410.png

    Re: 3º passo - Alianças

    Mensagem por Larissa Aprill em Qua Jul 12, 2017 3:07 pm

    Ela olha de canto de olho para Shin, que estava parado ao seu lado apreciando a vista também. O rapaz conseguia mantê-la calma com sua fala ponderada. Ela dá um sorriso triste.

    - chalali yeogie seuteikeuboda .... naneun-i modeun wiseon-ui pigon geos-eulhago modeun jubyeon modeun desmoronando.Acho wae sonyeon ttaemun-e cheoghandagohadeolado, joh-eun geos-eul aparências.As salamdeul-i cheog gyesog geos naneun-i eog-ab, haengbog-ui jalmosdoen insig-eul talchulhago sip-eossda.
    Preferia estar naquela churrascaria de antes do que aqui.... Cansei de toda essa hipocrisia. As pessoas fingem que está tudo bem, mesmo que tudo ao seu redor esteja desmoronando. Acho que por isso que quis fingir ser um menino, porque queria fugir da minha vida. Fugir dessa opressão e da sensação de falsa felicidade.


    Eu Se o olha surpresa quando diz que não achou que iriam tão longe. Por um momento eles ficam se encarando, numa compreensão mútua. Então a menina começa a corar e volta a encarar a noite enquanto põem os cabelos atrás da orelha.

    - naneun cheos beonjjae dangyeleul tong-gwa hal geos-ilago saeng-gaghaji anh-assda. nan geunyang hyeondae eum-ag-eul jaggog-e jaeneung-issneun geos-eul jasin-ege jeungmyeonghago sip-eoss jigeum-eun milo tig-eseo segsihan sonyeon-eul guhyeonhagi wihae satuleul beol-ingeoya.
    Não achei que passaria da primeira fase. Só queria provar a mim mesma que era talentosa em compor música contemporânea e agora estou sofrendo para encenar um menino sexy em Mirotic.


    Ela acaba rindo alto, pois era uma situação um tanto cômica. De manhã eram colegas de competição, agora agiam como desconhecidos. Ela até olha para a porta preocupada que alguém tivesse os escutado.

    - naneun taedo yeogie issseubnida ... bumonim-i geogjeongdoegi jeon-e dasi eod-eul pil-yoga ...hajiman. geuligo naneun modeun salam ap-eseo naleul nochul dulyeowo.
    Eu preciso voltar antes que meus pais fiquem preocupados...mas... Tae está aqui também. E tenho medo dele me desmascarar na frente de todos.



    Persephone
    Cavaleiro Jedi
    avatar
    Cavaleiro Jedi

    Mensagens : 191
    Reputação : 63

    Re: 3º passo - Alianças

    Mensagem por Persephone em Qua Jul 12, 2017 3:20 pm

    - Eu compreendo.

    Shin disse de modo simples e terminou de beber sua água. Era a mais pura verdade. Os dois compartilhavam aquele fardo de virem de famílias sem amor, mal estruturadas. Quer dizer, pareciam famílias perfeitas, mas os dois sabiam que estavam longe, bem longe disso. A diferença é que Eu Se acabou escolhendo um caminho muito mais perigoso e complicado do que Shin.

    - Também preferia ser conhecido só como Shin-Hee e não Yoon Shin-Hee.

    Os ombros dele caíram um pouco e ele voltou a encarar Eu Se. Disse tudo o que desejava dizer, sem desviar o olhar. Achava importante ser compreendido além da fala. Contudo, Eu Se logo fica corada e volta a olhar para a frente. Shin abaixa a cabeça e olha para a frente também, ficando lado a lado com ela, mas mantendo uma distancia respeitável entre os braços.

    - Todos nós queremos provar algo, Eu Se-shi. - Ele quase falou errado, mas era difícil chamá-la de Go Min Nam vestida daquele jeito. Ao ouvir sobre Mirotic, ele deu uma risada e coçou a cabeça de leve. - E tenho certeza de que dança muito melhor do que eu, tentando fazer Sorry, Sorry.

    Comentou de um jeito engraçado e ficou feliz quando ela riu, aliviando um pouco a tensão. Ele retirou um lenço seu do bolso e entregou a ela.

    - Não se preocupe com o Tae. Aja como Eu Se, não como Go Min Nam. Ele não tem provas de que são a mesma pessoa, isso se ele chegou a reparar em você lá. - Respondeu. - Não por mal, entenda, ele é o tipo de gente que só enxerga o que quer ver. - Deixaria o lenço com ela. para se recompor. - No que depender de mim, eu segredo estará seguro, aqui ou lá. Não vou deixar Tae te desmascarar. Mas...

    Virou-se para ela.

    - Você sabe que sua mentira tem prazo de validade, não é? Tome cuidado, Eu Se...- Abaixou o olhar. - Seu pai pediu para que eu retornasse com você quando estivesse mais calma. Você decide se quer que voltemos juntos ou se prefere ir primeiro...

    Larissa Aprill
    Tecnocrata
    avatar
    Tecnocrata

    Mensagens : 417
    Reputação : 45
    Conquistas :
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/410.png

    Re: 3º passo - Alianças

    Mensagem por Larissa Aprill em Qua Jul 12, 2017 4:07 pm

    Falar sobre a rotina do concurso a deixava mais animada e ela riu também quando o rapaz disse da dificuldade da música que escolheu. Era bom sentir que estava entre amigos.

    Ela arregala os olhos quando ele lhe entrega o lenço e fica surpresa com esse gesto tão cavalheirisco. Estava acostumada com as atitudes desleixadas dos colegas de quarto. Ela cora novamente e limpa os resquícios de lágrimas, tomando cuidado para não borrar a maquiagem.

    Quando ele fala sobre Tae, ela respira fundo e o agradece por tudo que ele estava fazendo por ela.

    - gamsahabnida. naneun algoissda ...hajiman naneun geugeos-i jisoghaneun dong-an jeulgil sip-eossda. ulineun dasi hamkkebad-eul su issseubnikka? dangsin-i nawa hamkke issdamyeon naneun ... anjeon balabnida.
    Obrigada. Eu sei... Mas queria aproveitar, enquanto durar. Ficarei mais calma, na frente dos nossos país. Podemos voltar juntos? Me sinto mais segura...se você estiver comigo.


    Eles saem do terraço e Eu Se ainda segurava o lencinho nas mãos. Mas ela sorria gentilmente para Shin. Estava realmente agradecida por ele estar ao seu lado.


    Persephone
    Cavaleiro Jedi
    avatar
    Cavaleiro Jedi

    Mensagens : 191
    Reputação : 63

    Re: 3º passo - Alianças

    Mensagem por Persephone em Qua Jul 12, 2017 7:16 pm

    Não era apenas a aparência que apontava Shin como um cavalheiro. Suas atitudes de "alma antiga" apenas confirmavam a boa educação que ele tivera e o cuidado que tinha com as mulheres. Shin não tinha essas atitudes cordiais para chamar atenção ou seduzir, ele o fazia simplesmente porque achava certo. E porque não gostava de ver ninguém chorando. O lenço dele tinha o sobrenome de sua familia bordado em prateado, na ponta.

    Após dar seus conselhos, ele espera pela resposta de Eu Se. Disse que ela podia voltar primeiro ou podiam voltar juntos. Ele deixou sua taça numa mesinha de canto, onde os garçons recolheriam depois e meneou positivamente com a resposta dela.

    - Tudo bem. Ele também não gosta de mim, então, acho que é o lugar mais seguro mesmo. - Riu. - Eu bem que queria voltar para ouvir o Cho Yong-Ha tocando. Gosto muito dele, sou um fã.

    Comentou por alto e indicou o caminho que ela podia seguir. Permitiu que ela fosse apenas um passo à frente até que andaram lado a lado, voltando do terraço. Eu Se parecia mais calma enquanto Shin trazia aquela expressão suave de costume. Estava com as mãos nos bolsos e revezando o olhar entre o chão e a festa em si. Estava evitando focar em certos lugares, porque não sabia como reagiria se acabasse encontrando Myeon. Ela não tinha reparado nele quando ele a viu e, bom, não era como se ele tivesse tido muito tempo para procurá-la também.

    Luxi
    Moderador
    avatar
    Moderador

    Mensagens : 1059
    Reputação : 67
    Conquistas :
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/311.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1112.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/912.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/212.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1811.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1413.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/410.png

    Re: 3º passo - Alianças

    Mensagem por Luxi em Qua Jul 12, 2017 11:14 pm

    ♪ Eun-Ji ♪

    //DIA 2//

    Quando bateu na porta da sala de treino de Shin Hee, o rapaz era o único que não estava ali dentro. Em vez disso, Quan-Lei perguntou do que se tratava e acabou recebendo os tais “remédios para nervos”, mas sem levar realmente a sério, lembrando da peça que Tommy queria pregar nele. Ouviu a história do avô meio sem entender, mas assentiu.
    - Ele teve um compromisso hoje, mas pode deixar que vou entregar para ele. - observou um pouco contido, tentando ser comportado. - Venha quando quiser. - piscou e retornou para os ensaios.

    Mais tarde, Dam a acompanhou até o carro, ouvindo-a desabafar sobre o dia.
    - Eu espero que ele esteja se saindo bem também - comentou sobre Minsoo - Apenas não se esforce demais. Cuide-se. - recomendou, cumprimentando, em seguida, a senhora Bora com muito respeito.

    No carro, a professora ficou um pouco pensativa, para não dizer preocupada.
    - Ela segue uma linha bastante antiquada de ensino… Acredito que devam conversar com a outra professora e peçam a opinião dela. Você fez o que podia, Eunji. - sorriu de forma doce.



    //DIA 3///

    A mãe de Eunji ficou bem nervosa com o fato da filha demorar “tanto”, na opinião dela, para sair de casa. Tudo por causa das benditas flores, que ela não tinha visto, por sorte da ruiva. A família seguiu para a igreja mais uma vez na rotina e depois Bora a levou, com Yuki, para o treinamento. Não sem antes agradecer pela flor e dizer que providenciaria um vasinho para ela imediatamente.

    Estava cada vez mais difícil encontrar as outras pessoas circulando por aí. De fato, todos tinham seus próprios horários de almoço e treinos. Depois das primeiras broncas, ninguém queria ficar para trás. Por isso, nem todo mundo para quem ela queria dar flores estava perambulando por aí naquele instante. Talvez fosse melhor esperar após o turno das orientações, que acontecia em sua maioria pela amanhã, mas naquele momento ela já tinha conseguido fazer algumas entregas de menina florista.

    ChaeSoo ficou bem empolgada com a flor e resolveu brincar de tirar fotos com ela no cabelo. Zhenzhen agradeceu em chinês e colocou no meio de uma agendinha.
    - Que legal, nunca ganhei flores antes - comemorou a rapper.


    Por exemplo, Tae não estava ali. Na verdade, na sala dos garotos de “Fantastic Baby” só havia dois meninos, um dos quais era loiro do cabelo tigelinha, que a olhou friamente quando ela tentou entrar e a ignorou com todas as forças.

    Em “Sorry, Sorry”, Zhang tinha acabado de chegar e aceitou a flor da garota, sorridente.
    - Ah é, você gostou da letra? Vai demorar para o pessoal chegar O líder marcou os ensaios para um pouco mais tarde. Eu vim da academia e já aproveitei.
    Na sala, havia um outro rapaz (Wonghae), que treinava piruetas.

    Em “Mirotic”, a ruiva pôde ouvir a voz da instrutora Sohee falando algo, o que significava que eles já estavam recebendo aconselhamento e seria melhor que, definitivamente, ela não tentasse entrar ali, por enquanto.

    Na sala de “Fiction”, Tommy achou a atitude uma graça, e acabou rindo.
    - Eu ganho uma flor por me preocupar com o meu amigo? Isso é diferente. Vou postar nas redes sociais, obrigado.
    Até Bae acabou ganhando uma flor, fazendo o garoto olhar para os lados, confuso de por que tinha recebido isso, mas agradeceu de forma polida, voltando imediatamente para o canto da sala.
    - Obrigado - Daichi sorriu, involuntariamente galante. - Mande meus cumprimentos a ela.
    Dam já estava quase enciumado com o fato, mas a garota o chamou para conversar. O rapaz logo pegou uma garrafa de água e colocou o caule da flor dentro. Foi estranho, mas pelo menos queria preservá-la.
    - Você é mesmo uma caixinha de surpresas. Claro, eu… se eu entendi corretamente, ela está enfrentando um momento complicado. Continue dando suporte a Yuki. Sejam fortes. - fez uma reverência a ela, desejando um bom dia de treinos.


    ♪ Yuki ♪ e ♪ Eun-Ji ♪

    //DIA 3//

    Yuki tinha dor no corpo, que pedia que ela ficasse em repouso um pouco. No entanto, pausa era a última coisa que a garota queria naquele momento, especialmente porque teriam sua última aula de dança no dia seguinte.

    De volta à sala, Eunji surgiu com uma ideia interessante: fazer o “S” na parede. Se não fosse a coluna pedindo que ela simplesmente parasse de fazer aquele movimento repetido, Yuki poderia dizer que era um bom método de ensaio! O dia parecia sorrir um pouco mais para a japonesa.

    Bonnie ouviu os lamentos das meninas, com atenção.
    - Como assim Eunji é a líder? - balançou a cabeça negativamente. - Isso não está certo… Antes vou precisar avaliar a apresentação de vocês. Podem me mostrar a coreografia e a música, queridas? Se tiverem a letra que eu pedi pronta, podem tentar.

    O quarteto começou sua apresentação e Yuki sentia pontadas na coluna, por forçar “entortá-la” sem nenhuma instrução profissional. Chaesoo ainda demonstrava uma voz mais fraca para aquelas estrofes, mas era nítido que tinha se esforçado. Eunji já estava habituada à música no momento, precisando ser polida aqui e ali. E ZhenZhen era enérgica e cheia de vontade.

    - Acho que entendi qual é o problema, mas ele não me faz querer tirar a liderança de você. Bem, vamos por partes. Chaesoo, você precisa trabalhar no seu vocal. Está realmente destoante das demais. Sei que não é sua culpa, mas precisa usar sua voz corretamente. Vou tentar ajudá-la com isso. Eunji, acho que sua pronúncia ficou um pouco forte. Vamos incluir apenas a frase final da estrofe, então Zhenzhen poderá complementar com outra linha. Zhenzhen, você precisa tomar cuidado com as transições. Yuki, querida, não teve tempo de trabalhar sua letra para mim pois estava treinando bastante, não é? - Fez uma longa pausa, enquanto a observava. - Eu vi sua dança e entendi qual é o problema… Você é muito fofa e carismática. Acabou em uma música que está no imaginário coletivo como sendo de mulheres donas de si poderosas. É tudo culpa do conceito. Não é você. Se eu acho que fez a escolha errada? Pensei um pouco no que você disse sobre se desafiar. Acho importante. Sim, temos que sair do lugar comum. Sim, você pode fazer qualquer música que você quiser… desde que se respeite. Yuki, seja sincera comigo. Feche os seus olhos. Respire fundo. Entre mim e você. Imagine que estamos em uma audição individual. Como no seu primeiro dia. Se você tivesse que me fazer uma versão sua, agora, uma releitura dessa música tirada do seu coração, como você faria isso? Mostre para mim. Eu quero ver.

    ♪ Eu Se ♪ e ♪ Shin-Hee ♪

    //DIA 2//


    Myeon não podia ser vista em lugar nenhum a essa altura. Tae bem que observava naquela direção quando o casal saiu de lá, mas ele parecia mais intrometido na vida alheia do que de fato planejando algo. Pelo menos, por enquanto.

    Lee Sang já apresentava sinais de cansaço e praticamente pedia com o olhar para ser tirada de lá por alguns instantes. A senhora Yoon já era mais comedida e mantinha um sorriso educado para o falante diplomata. Quando o senador avistou a dupla se aproximando, virou interessado e atraiu também a atenção do senhor Hyun. Os dois pareciam um tanto quanto satisfeitos pela volta.
    - Está tudo bem? - A mãe de Eu Se falou baixinho para ela. Com a volta da filha, já estava mais confortável naquele lugar.
    - Bem, meu rapaz, o que pretende seguir como carreira após a escola? Será um político como seu pai?
    O senador quase prendeu o ar, olhando para Shin atentamente esperando por sua resposta. Sua mãe também pareceu tensa, mas com o marido. O clima estranho fez Lee Sang querer ajudar o bom rapaz:
    - Ouvi dizer que você competiu por nosso país em um campeonato de Tênis. Ainda pensa em retomar esse sonho?
    A frase da mulher caiu como uma bomba no rosto do senador, que respirou fundo. Seul-Bi não conseguiu disfarçar a tristeza que invadiu seu rosto de repente e acabou olhando para baixo por um breve segundo. Hyun Woo-Kan também olhou a esposa alarmado. Só então a senhora Hyun pareceu se lembrar de algo e automaticamente passou a se sentir culpada.
    - Isso foi há muito tempo. A minha pergunta era sobre agora. Minha mulher não sabe completamente dos fatos. Perdoe-na, senador.
    Lee Sang estava obviamente constrangida com sua falha crítica social. Tinha cometido uma gafe tremendo a julgar pelos rostos dos demais. Ela olhou a filha, em uma espécie de código secreto que significava “me tire daqui”.
    - … Com licença um minuto - fez uma reverência constrangida e se afastou do grupo, em direção ao toalete e esperando que Eu Se fosse com ela.
    Enquanto isso, os demais aguardavam alguma resposta de Shin.



    Chegando no banheiro, que tinha apenas uma moça retocando a maquiagem na frente do espelho, a mãe colocou a mão no peito.
    - Ah! O que eu faço? Eu acabei de cometer uma grande gafe com o senhor Yoon. Que vergonha… Seu pai deve estar muito irritado comigo!
    Conteúdo patrocinado


    Re: 3º passo - Alianças

    Mensagem por Conteúdo patrocinado


      Data/hora atual: Seg Jul 24, 2017 1:44 am