Um fórum de RPG online no formato de PBF (Play by Forum).


    3º passo - Alianças

    Compartilhe
    Persephone
    Tecnocrata
    avatar
    Tecnocrata

    Mensagens : 334
    Reputação : 90

    Re: 3º passo - Alianças

    Mensagem por Persephone em Qui Jul 13, 2017 12:13 am

    Os jovens retornaram até aquele perigoso grupo de adultos. Era curioso como eles precisavam ter cuidado justamente com as pessoas que mais deveriam confiar. Shin-Hee deu espaço para que Eu Se voltasse para o lado de sua mãe enquanto ele mesmo parava ao lado da sua - ele nunca ficava perto demais do pai, ela poderia perceber. O rapaz enfiou as mãos nos bolsos da calça de novo e tentou relaxar.

    Tinha cumprido seu objetivo de trazê-la de volta e, assim como havia prometido, ele agiria de modo natural. Em momento algum olhou para Eu Se como se a controlasse por ter um segredo dela ou coisa do tipo. Parecia o mesmo Shin do reality. Verdade que ele estava mais sério e vestido à caráter, ele também parecia ficar mais à vontade quando envolvido com musica - mas tinha alguma forma de ficar à vontade ali? A postura de principe e o titulo lhe caíam bem, mas ele gostava mesmo era de roupas e conversas simples.

    Sua expressão tranquila mudou quando ele virou o foco da conversa. Estava tão acostumado a sempre ouvir sobre seus irmãos que precisou de um segundo para entender que estavam falando com ele.

    - Hm?

    Piscou, sem entender no início.

    - Político? Eu? Ahm... - Olhou de banda para o pai. Estava pronto para dar uma resposta adequada para todos. Só não estava pronto para aquele comentário inocente.

    Pelo pouco que tinha visto da família de Eu Se, ele podia sentir que a mãe dela não era de todo má. Na verdade, parecia ainda mais submissa do que sua mãe. Porém, a pergunta não deixava de doer. Sua expressão vacilou e o sempre tão presente Shin-Hee, começou a murchar. Ele foi abaixando o olhar, até que abaixou a cabeça e os próprios ombros. Ficou olhando para o chão por alguns instantes, envergonhado. Completamente envergonhado!

    Tinha duas opções ali: correr, gerando uma cena ainda maior ou ficar e enfretar. A primeira sempre era a mais fácil, mas Shin tinha prometido que seria forte. O problema é que estava começando a sentir falta de ar e seu ombro esquerdo doía. Sempre era na ponta do ombro e ia descendo até os pés. Engoliu em seco algumas vezes, fechando os punhos por dentro da calça. Sua mãe podia sentir a tensão, mas sabia que ele tinha carregado os remédios consigo.

    Todos ficaram naquele "ahm...er..". Shin pigarreou quando a mãe de Eu Se se retirou dali. Foi o tempo dele conseguir fôlego e falar. Ergueu a cabeça, encarando o diplomata. Seus olhos estavam vermelhos marejados e o rosto um pouco mais corado também, pelo esforço que fizera.

    - Não pretendo seguir a política. - Disse simplesmente. - Não de modo direto, ao menos.

    Pouco a pouco, ele se transformava num robozinho, dando uma resposta automática, sem muito sentimento.

    - Tenho boas notas, boas indicações, mas me permiti um tempo nessas ferias de verão. Tenho dúvidas sobre meu futuro, mas felizmente ainda tenho tempo. Por isso estou me arriscando em outras áreas antes de escolher, de faot, qual caminho seguir.

    Disse sem expressão alguma e encarou o diplomata. Tinha dado a resposta que o pai gostaria, pelo menos assim esperava. Agora esperava que pudesse ficar sozinho. Poucos segundos depois, ele pediu licença de novo e se afastou deles. Foi a vez dele procurar algum lugar onde pudesse ficar sozinho e pensar na vida. Pegou um suco no meio do caminho e tomou um remédio. Para qualquer um que visse, parecia apenas um remédio para dor de cabeça ou coisa do tipo. Para Shin, era sua tábua de salvação.

    Procurou algum lugar recluso e sentou-se. Apoiou os cotovelos nos joelhos e segurou a cabeça com as mãos. Respirava fundo algumas vezes enquanto tentava se recompor.
    shamps
    Mestre Jedi
    avatar
    Mestre Jedi

    Mensagens : 1315
    Reputação : 69
    Conquistas :
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/311.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1011.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1811.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/712.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/410.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1511.png

    Re: 3º passo - Alianças

    Mensagem por shamps em Qui Jul 13, 2017 1:42 am

    Vendo que a amiga recusaria sua flor, a ruiva sacudiu a cabeça e sorriu.

    - Não, não. A flor é sua. Tenho um jardim interior de flores para ele. Fico feliz por me considerar mais do que uma flor. Também acredito nessa força... é Deus, e sim, ele tem planos para nós... vamos vencer.

    Depois dessa conversa ela foi levar a garrafa para Shin, mas ele não estava e quem a recebeu foi Quan Lei.

    - Oh! Tudo bem então – entregou para ele – deixe com o Tommy shi, por favor, ele tinha pedido para tomar conta do remédio. Não esqueça, é um copo por dia – reforçou, bem séria, a posologia da medicação. Ela confiou em Tommy e Quan Lei que eles entregariam o remédio para Shin, porém só não entendeu a piscada do chinês e fez uma expressão de “hã?” – eeer... não vou ficar andando por aí sem propósito... bom ensaios para vocês – e saiu rapidinho dali.

    Ficou feliz por reencontrar Dam e por ele ter falado que Minsoo certamente estaria indo bem nos ensaios, isso a deixava aliviada.

    - Ah não oppa, vou me esforçar bastante sim. Tenho que melhorar, me superar... tanto a professora Sohee quanto a senhora Bonnie me disseram para eu soltar esse sentimento que tem em mim. Não entendo o que elas querem... Dam oppa consegue se expressar bem assim... poderia me ensinar? Ontem acho que consegui um pouco, mas hoje... estou me sentindo uma minhoquinha saindo da terra de tanto que estou me contorcendo, mas parece mais fácil agora... vou treinar mais em casa.

    Logo chegam ao carro e ela faz uma última pergunta para Dam, apesar de um pouco capciosa, foi feita na inocência.

    - Dam oppa, o que significa quando um garoto pisca para uma garota?

    Bora falava sobre o método de Sohee, que Eun-Ji achou jovem demais para usar um método antigo, mas ela não entendia nada dessas coisas pedagógicas.

    - Não conheço nenhuma outra professora, além do mais, não temos muito tempo... Sim, senhora Bora, eu fiz o que eu podia... – sua expressão não passava muita confiança em seu auxilio à amiga.

    No dia seguinte, Eun-Ji já imaginava que seria difícil encontrar a maioria dos candidatos, já que ela própria também tinha seu ensaio. Sabia que a tarde seria mais fácil, mas ficou feliz com as flores que conseguiu entregar. Também ficou emocionada com os agradecimentos ternos que recebeu dessas pessoas e não se importou com algumas caras feias que encontrou pelo caminho. Dam até colocou a sua na água, deixando a menina bem feliz.

    - Eu não sou uma caixinha de surpresas – fez um muxoxo meigo – mas vou dar sim suporte para minha amiga. Seremos muito fortes. Bom ensaio para você também – e saiu saltitando pelo corredor.

    Na sala de treino, antes de Bonnie chegar, Eun-Ji comenta que dançou durante parte da noite em casa, mesmo sem som, fazia o movimento à exaustão e mostrou para Chae seu progresso e pede a opinião da amiga.

    Depois Bonnie mostra seu desgosto com o fato de Sohee ter escolhido ela com líder no lugar de Yuki.

    - É temporário, senhora Bonnie... aqui e agora tudo pode voltar ao normal – tentou se justificar imediatamente.

    Eun-Ji já foi organizando as meninas e começaram sua apresentação para a avaliação. Novamente, a cada palavra de Bonnie, a ruiva se sentia cada vez mais incompetente. Por treinar demais com Yuki, deixava Chae e ZZ de lado. Queria poder se dividir em várias naquela hora.
    Não entendeu o que ela queria dizer com pronúncia forçada, mas deu graças a Deus por ter que cantar só uma frase em chinês. Teria que treinar mais.
    Bonnie conversava com Yuki sobre sua dificuldade e Eun-ji olhava para o chão, esfregava as têmporas e os olhos, se sentindo cada vez mais culpada por Yuki estar naquela situação, com aquela música que não era para ela. Bonnie sugere um exercício para ela e a jovem acha aquilo demais e sai da sala discretamente. Não aguentaria aquilo, ver sua amiga sofrendo por uma escolha errada dela.

    - Vou ao banheiro – comentou baixinho com Chae – preciso de ar – e saiu. Ao sair da sala deu uma cabeçada na parede em uma autopunição – garota egoísta... egoísta... é culpa sua que a Yuki sofre.

    Sorte que tinha banheiros em todos os andares e não precisou se deslocar demais. Lavou o rosto após chorar e esperaria voltar depois que Yuki fizesse o exercício com Bonnie. Esperou ao lado da porta, do lado de fora, até que acabasse. Ela entendia o que Bonnie queria, era algo parecido com o que ela mesma tinha feito anteontem: sentir a música. Sorriu ao imaginar que a amiga conseguiria.
    Só depois entrou na sala para as outras instruções de Bonnie.

    - Como podemos melhorar, senhora Bonnie? Não queremos ser o segundo pior grupo...
    Larissa Aprill
    Mutante
    avatar
    Mutante

    Mensagens : 510
    Reputação : 48
    Conquistas :
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/410.png

    Re: 3º passo - Alianças

    Mensagem por Larissa Aprill em Qui Jul 13, 2017 9:07 am

    Enquanto eles caminhavam, a garota respirou mais aliviada ao ver que Tae estava ocupado com outros convidados. Então Shin comentou que gostava das músicas do Cho Yong-Ha. Ela abriu um sorriso iluminado e disse animada.

    - Geuneun dangsin-i wonhandamyeon naega geudeul-ege jegong hal su issseubnida, seonsaengnim-ieossda.
    Ele foi meu professor, posso apresentá-los se quiser.


    Quando chegaram ao encontro de seus pais, a menina tinha outro semblante. Estava feliz e confiante. Ela faz um pequeno aceno de cabeça aos pais do Shin.

    - Naneun jiyeon, naega hwolssin deo gibun joesonghabnida. Dangsin-ui aineun maeu chinjeolhada.
    Peço desculpas pela demora, estou me sentindo bem melhor agora. Seu filho é muito gentil.


    Eu Se olha para seu pai, procurando um sinal de aprovação, pois tinha seguido a etiqueta de boas maneiras, como lhe foi ensinado.

    Ela enlaça seu braço com a mãe e acena com a cabeça, confirmando que estava bem. Agora a vez de ser o centro das atenções era o rapaz. Quando sua mãe fez um comentário infeliz, todos ficaram tensos, menos a garota que não sabia do que se tratava.

    Seu pai tentou consertar a situação e ela percebeu que era algum assunto sério, pois sua mãe lhe olhava buscando ajuda. A garota não sabia o que fazer, ao olhar Shin cabisbaixo teve pena do rapaz. Mas seguiu com sua mãe até o toalete.

    No banheiro sua mãe estava aflita, Eu Se lhe dava tapinhas gentis nas costas, para acalma-la. E entrega o mesmo lencinho que Shin havia lhe dado para a mãe.

    - Hajiman dangsin-eun geuleohge kkeumjjighan-ui iyagi? Mueos-i geuege il-eo nassneunga?
    Mas o que você falou de tão terrível assim? O que aconteceu com ele?


    Ela estava curiosa e preocupada com o rapaz. A expressão que ele fez um pouco antes de saírem, mexeu com a menina, pois ele parecia estar realmente infeliz. E da mesma maneira que ele lhe ajudou, ela queria retribuir.


    Luxi
    Moderador
    avatar
    Moderador

    Mensagens : 1232
    Reputação : 171
    Conquistas :
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/311.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1112.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/912.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/212.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1811.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1413.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/410.png

    Re: 3º passo - Alianças

    Mensagem por Luxi em Qui Jul 13, 2017 1:30 pm

    OFF: estou postando antes para os dois porque quero  voltar a linha de tempo simultânea.

    ---

    ♪ Eu Se ♪  e ♪ Shin-Hee ♪

    - É sim, Shin Hee é um bom menino - SeulBi sorriu satisfeita com o elogio. - Obrigada.
    Eu Se notou que seu pai estava muito mais feliz com o seu comentário sobre o rapaz do que o próprio senador, que assentiu educadamente.

    ♪ Eu Se ♪  

    //DIA 2//

    - Eu me esqueci… eu falei sobre a competição de tênis, porque lembrei que há muito tempo seu pai me falou a respeito de seu filho caçula… - começava a reorganizar o pensamento. - O garoto era uma promessa no tênis nacional e talvez tivesse se tornado um competidor olímpico se.. Não fosse o acidente. - ela se aproximou um pouco mais dela e espiou a garota que acabava de fechar o batom e guardava na pequena bolsinha branca. Eu Se podia ter quase certeza de que era observada por ela.  - A imprensa abafou completamente o caso, mas como eram amigos, seu pai acabou sabendo. Ele e a mãe ficaram presos em um incêndio dentro de casa. A senhora Yoon saiu praticamente ilesa, porque o filho a protegeu com o próprio corpo.
    Os médicos conseguiram cuidar de suas queimaduras, mas ele ficou comprometido para sempre nunca mais conseguiu jogar… - lamentou ela. Agora Eu Se tinha a absoluta certeza de que a menina estava olhando para elas fixamente através do espelho.

    Quando percebeu que estavam olhando para ela, a garota ajeitou o vestidinho branco curto e saiu do banheiro cabisbaixa.

    Um pouco depois, a senhora Yoon entrava por aquela porta com os olhos vermelhos. Ficou surpresa por ver as duas ali e pegou um pedaço de papel para secar o canto dos olhos com dignidade, como se apenas estivesse retocando a maquiagem. Mesmo assim, parecia visivelmente incomodada.

    Lee Sang fez uma reverência breve e tentou levar Eu Se para fora do local. Somente o diplomata e o senador conversavam agora. Tae estava mais distante, tirando fotos ao lado de Peach. Shin Hee não podia ser visto em lugar algum.

    ♪ Shin-Hee ♪

    //DIA 2//

    - Saiba que se precisar, terá um apoio em meu nome também.

    O pai de Eu Se não demonstrou qualquer emoção após sua resposta, mas pelo menos não parecia obviamente infeliz. Talvez tivesse dado a resposta correta, pois o político abaixou os ombros, relaxando um pouco mais. Sua mãe, no entanto, não conseguia olhar mais para ele e apertava a bolsa com uma firmeza que mudava até a cor de seus dedos.

    O melhor local para se refugiar depois do terraço eram as escadas da saída de emergência. Demorou um pouco, mas seu celular vibrou e o rostinho de Myeon apareceu na tela.

    ”Onde você está?”
    Persephone
    Tecnocrata
    avatar
    Tecnocrata

    Mensagens : 334
    Reputação : 90

    Re: 3º passo - Alianças

    Mensagem por Persephone em Qui Jul 13, 2017 4:07 pm

    Shin-Hee entrou num modo automático poucas vezes vista. Era como se sua alma estivesse vagando pelo tempo e sua casca apenas correspondesse às expectativas das pessoas. Não era algo difícil, afinal, ele tinha passado boa parte de sua vida treinando esses discursos prontos, feitos para impressionar pessoas como os amigos de seu pai. Vale ressaltar que, apesar de seus esforços e elogios, isso nunca foi o suficiente para o Senador. Independente do quanto o menino se destacasse, ele simplesmente dava um jeito de voltar o foco para os filhos mais velho.

    Já sabia como funcionava e agora realmente não se importava.

    As palavras do diplomata não foram absorvidas, mas ele respondeu com uma suave mesura antes de se retirar. Sua vista estava bastante embaçada quando ele pegou o suco, agradecendo sem saber para quem. Bebeu seu remédio e, sem saber como, encontrou o isolamento que necessitava, perto da saída de incêndio. Seu lado esquerdo inteiro já estava doendo e ele não se importou muito com o jeito que sentou - ou o barulho que fez.

    Sabia que estava sozinho e os sons da festa abafariam qualquer coisa. Tinha outros lugares mais interessantes aos convidados do que aquele canto em específico. Como todos sentiam-se seguros, poucos seriam aqueles que olhariam para a saída de emergência. O rapaz escondeu o rosto com as duas mãos, mas seu braço esquerdo começava a tremer.

    Mesmo com o remédio, ele começou a sentir aquelas feridas latejando. E agora que aquela história foi citada, ela não era a única cicatriz que se abria. O dia em que ele conheceu o inferno de perto, retornou à sua mente, enchendo seus olhos de lágrimas. Foi o dia que sua vida mudou completamente e seus sonhos foram despedaçados.

    Assim como a mãe de Eu Se havia revelado, Shin-Hee era uma das grandes promessas do tenis. Ele amava as quadras mais do que qualquer coisa e o talento dele era evidente. Por ser canhoto, suas raquetadas vinham cheias de efeito e era difícil alguém pará-lo, pelo menos na Coréia. Aos 13 anos, ele fez sua primeira viagem para uma competição internacional. O Campeonato Asiático daquele ano, aconteceria no Japão e houve todo um esquema e troca de favores para que ele conseguisse ir. Nessa época, ainda havia amor paternal em sua casa e o pai o tratava igual fazia com os mais velhos, com a vantagem de ser um caçula. Era um principe desde cedo e fazia graça no clube, deixando as meninas de sua idade suspiradas.

    O Japão era seu sonho e sua mãe o acompanhou nessa jornada. Uma casa foi alugada por temporada, para que eles passassem os 7 dias de torneio e voltassem para a Coreia - com o troféu, de preferência. O seu técnico também o acompanhou e havia todo um profissionalismo, mesmo que ainda fosse uma competição juvenil. Shin-Hee lembrava-se de cada detalhe, de cada momento.

    Tudo parecia perfeito, ele não entendia muito de japonês e inglês, apenas os termos do jogo. Gostava tanto do esporte que o estudo de linguas era negligenciado nessa época - e ainda é hoje em dia, porque ele não fala de modo fluente nenhuma lingua estrangeira. Os dias passavam e eles revezavam entre treinos, passeios turisticos e muita competição. Shin era um dos representantes da Coreia e não desapontou.

    Chegou até as semi-finais, porém...

    Na madrugada que antecedia o penultimo dia de competição, um acidente em sua casa colocou tudo a perder. O gás começou a escapar durante a noite e quando seu técnico acendeu a luz, a cozinha explodiu. Shin e sua mãe estavam nos últimos cômodos e acabaram presos por conta da explosão. O incêndio foi consequência disso e ele não poupou sofrimento. Seu técnico morreu na hora, com 90% do corpo queimado. Shin era mais esperto e protegeu sua mãe porque sabia que ela tinha tomado remédio para ansiedade para se manter calma no dia seguinte. Ela ainda estava grogue e ele precisava ser heroi, porque não permitiria que nada acontecesse à sua mãe.

    Mesmo que eles tenham tido mais tempo do que o técnico, o fogo chegou e Shin defendeu a mãe como pôde, queimando-se bastante no processo.

    O socorro chegou antes que os dois se tornassem mais vítimas do desastre. Shin não se lembrava de nada além da dor que sentia com as raspagens que recebia diariamente no hospital. Seu lado esquerdo - costas, lateral e peito, até a altura da cintura - estava queimado, em carne viva. Ele quase morreu várias vezes, até entrar em coma. Cirurgias foram feitas para colocar outra pele no lugar, diziam que a cicatrização dele seria boa, porque ele era muito jovem. Mas foram meses e meses no hospital do Japão, entre o coma e essas operações.

    Quando acordou, ele não tinha mais 13 anos e tudo tinha mudado.

    Não haveria mais tênis.

    Haveria apenas as cicatrizes, a dor, a fisioterapia para se recuperar.

    Não havia mais o mesmo pai de antes e ele só pensava que era culpa da cicatriz. Mesmo que não fosse em seu rosto - por sorte - parecia insuportável demais para o pai aceitar. Seu filho perfeito tinha se transformado num monstro.

    Quando voltaram para Coreia, não havia mais nenhuma notícia sobre esse incidente. Shin-Hee perdeu um ano do colégio e as informações foram caladas, para todos os efeitos, ele fez um intercâmbio no Japão - mas não aprendeu nada de japonês, além do básico. Era uma história mal contada, mas os adolescentes são dispersos e os mais velhos se focam no dinheiro e influencia.

    Ele ficou mais recluso, não tinha o mesmo ânimo de antes, fez muita fisioterapia até andar perfeitamente e mexer seu corpo como antes - mas à custo de muito medicamento e dor no processo. Ele também aprendeu a escrever com a mão direita, tanto que muitos se esqueceram de que ele era completamente canhoto. As vitórias no tênis ficaram registradas nas fotos e em sua memoria, porque ele não tinha mais condições de praticar um esporte como esse.

    Somente a música o salvou de toda a tristeza que ele se meteu.

    E agora isso também estava em risco, graças aos impulsos de seu pai.

    As lágrimas rolavam pelo rosto do rapaz e ele só percebeu que chorava e tinha o rosto bastante vermelho quando viu a mensagem no celular. Fechou a tela e guardou de novo, porque não queria ver Myeon agora. Não assim.

    Estava mais mosntruoso do que nunca. Estava exposto e não queria que ela o visse.

    Sem saber que ela estava mais perto do que ele imaginava, ele começou a se levantar para sair dali. Passou a mão pelo rosto, limpando as lágrimas sem seu lenço e encaminhou-se para a porta da saída de emergência.


    Gakky
    Mestre Jedi
    avatar
    Mestre Jedi

    Mensagens : 1469
    Reputação : 86
    Conquistas :
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/311.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1112.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1011.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1811.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1413.png

    Re: 3º passo - Alianças

    Mensagem por Gakky em Qui Jul 13, 2017 8:29 pm

    Depois de contar a Bonnie quem seria a nova líder, a jurada parecia preocupada e pediu que elas mostrassem a coreografia. Yuki fez como o pedido, embora estivesse com medo de ouvir mais gritos, ainda mais de uma jurada. Sentia dores da coluna, mas tentava disfarçar para ninguém saber. Por sorte, Bonnie não gritou, em vez disso começou a falar, mas de um jeito calmo. A japonesa prestou atenção nas palavras dela, mas já esperava algo como uma bronca. Agora que se lembrava que devia ter feito o trecho da música, seria melhor não ter dormido, pensava.

    - Eu vou fazer a letra hoje... - Respondeu sem encarar a Bonie.

    Mas para a surpresa de Yuki, não bem uma bronca. Embora estivesse se sentindo pressionada a mostrar uma releitura da música, não sabia se faria certo ou do que a jurada estava esperando. Yuki respirou fundo e fechou os olhos como a jurada havia pedido. Depois se posicionou para começar a cantar a dançar do seu jeito. Eun-ji se retirou nesse momento, mas Yuki não entendeu o motivo.

    Em sua releitura, Yuki vai cantar de um jeito mais lento e romântico, também vai dançar mais devagar como se a música fosse mais lenta e do seu jeito, que estava até um pouco melancólico. Depois de terminar, sua amiga voltou e fez algumas perguntas a jurada. Yuki respirava ofegante depois de sua apresentação à jurada e sentia pontadas na coluna. Provavelmente tinha exagerado nos treinos, mas que escolha ela tinha se era tão ruim.

    - Senhora Bonnie... - Disse a jurada - Sou muito ruim?


    Luxi
    Moderador
    avatar
    Moderador

    Mensagens : 1232
    Reputação : 171
    Conquistas :
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/311.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1112.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/912.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/212.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1811.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1413.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/410.png

    Re: 3º passo - Alianças

    Mensagem por Luxi em Qui Jul 13, 2017 10:46 pm

    ♪ Eun-Ji ♪

    //DIA 2//

    - Nada demais. Só pense em ir para casa. -  foi a resposta curta que Dam lhe deu sobre piscar, mas por algum motivo ele demorou um tempo olhando para ela antes de fazer isso.

    ♪ Yuki ♪ e  ♪ Eun-Ji ♪

    //DIA 3//

    - Está bem legal. - fez um joinha para Eunji - Eu não sabia que você conseguia dançar assim, Eunjiya. Parece que treinou bastante!

    (...)

    - Nós até podemos mudar a posição de vocês, mas precisamos de um motivo forte para isso. Até onde vi, Yuki cumpriu bem com seu papel até agora… Então vamos ver o que há de errado e se precisamos mesmo dessa troca.

    (...)

    - Tá tudo bem? - cochichou Chae com a ruiva - Precisa de ajuda? - olhou curiosa para ela, mas acabou deixando que ela fosse, pois ela foi forte em não demonstrar seus reais sentimentos naquele instante.

    Zhenzhen aguardava a apresentação de Yuki e queria que voltassem logo para os ensaios normais e resolver logo aquele impasse criado pela professora de dança. Já Chae estava mesmo era curiosa para ver a releitura da menina. Eunji acertou em seu palpite sobre as verdadeiras intenções da jurada com aquilo e ouviu a apresentação no lado de fora. Quando Yuki terminou de cantar, a jurada tinha um sorriso no rosto.

    - Não acho que você seja ruim. Como eu disse, você não pode obrigar uma vocalista a se mexer como membros da dance line. É claro que, tornando-se uma profissional, você sempre precisará treinar, mais do que os outros, até aprende a ter familiaridade com a dança, mas não precisa se sentir mal quando errar. Todos erramos. Mesmo nas coisas que somos melhores. Muito bem, Yuki é a líder, mas como minha colega trouxe a Eunji como uma substituta, entendo que a decisão para a proposta que farei a seguir deve ser tomada em conjunto. Proponho alterar o arranjo da música. Chaesoo trocaria suas primeiras linhas com as vocalistas em uma versão acústica. No refrão, Zhenzhen e Chaesoo assumiriam a coreografia e a música volta ao ritmo original. Que tal? Acho que o produtor Cha vai poder ajudar melhor nessa questão, mas a música ficaria mais coerente com a sua imagem. É claro que depois todas deverão dançar, mas a ideia é destacar o ponto mais forte de cada uma no momento correto. O que acham?

    (seria meio assim: http://vocaroo.com/i/s1ba4MPBPPbR )

    - Eu ficaria tão feliz de não ter que cantar aquele começo - a rapper juntou a mãos, comemorando.

    - Se aceitarem, vou passar as informações para que o produtor edite a música e faça as marcações no palco, está bem? Isso com certeza vai dar personalidade ao grupo de vocês, além de deixá-las muito mais confiantes com cada parte. Muito, muito longe de pior grupos, queridas. Eunji, agora que vamos colocar mais foco nas vocalisas em primeiro, por favor, tente trabalhar com Zhenzhen no trecho em chinês. Yuki, faça o mesmo com o seu em japonês. Nós vamos tomar a decisão final se ele será aprovado no dia do ensaio do palco. Por isso, treinem.


    ♪ Shin-Hee ♪

    // DIA 2 //

    Quando Shin Hee voltou para a circulação normal de pessoas, viu um borrado branco que andava para lá e para cá até descobri-lo e se desvencilhar da multidão com alguma urgência até chegar nele.

    - Eu te procurei em todo lugar, oppa. Está tudo bem?

    A menina demonstrava preocupação, e ele teve a impressão de que os olhos dela acabaram percorrendo a linha do terno, como se quisesse enxergar sua forma “verdadeira”. Ou era só coisa da sua cabeça? Myeon o olhava como se conhecesse toda a verdade de como eram as marcas do acidente e a preocupação em seu rosto podia muito bem ser deturpada como pena. Além disso, a sensação paranóica que aquele olhar o trazia era crescente. Era impossível que ela soubesse de algo, mas ao mesmo tempo, poderia ser um sinal de que todos a sua volta começavam a ver o que ele queria ocultar.

    (to sentindo que  esse turno do shin não vai sincronizar legal com o da eu se. Então estou tentando =x adiantá-lo aqui)
    Persephone
    Tecnocrata
    avatar
    Tecnocrata

    Mensagens : 334
    Reputação : 90

    Re: 3º passo - Alianças

    Mensagem por Persephone em Qui Jul 13, 2017 11:06 pm

    Shin-Hee não entendeu porque a maldita porta de emergência não estava funcionando! E se tivesse algum incêndio ali!? Na verdade, ele simplesmente não conseguiu abrir a porta, tamanho foi seu nervosismo naquele momento. Trincou os dentes e esfregou o rosto de novo, para tomar fôlego e cruzar aquele salão. Seu objetivo era chegar até a saída sem ser interceptado por ninguém.

    Infelizmente, ou não, antes que chegasse à porta, um pontinho branco começou a cortar rapidamente as pessoas e vir em sua direção. Isso fez com que Shin hesitasse. Sua respiração estava tão ofegante quanto a dela, mesmo que Myeon tenha feito todo o esforço físico de correr de salto até ali.

    - ....

    As sobrancelhas dele se mexiam assim como seu nariz abria e fechava. Ele estava engolindo o choro, o orgulho. E agora precisava lidar com aquela vergonha. Quando Myeon o encarou daquele jeito, ele rapidamente virou-se. Meio que jogou o lado direito para a frente, como se quisesse esconder o lado esquerdo. Ela teria a certeza de que havia algo errado ali, bem ali. Levou a mão até o bolso interno, apalpando a própria cintura e olhou brevemente ao redor.

    Verdade ou não, ele sentia alguns olhares para si. A última coisa que pensou é que foi reconhecido por algumas pessoas como participante do reality musical. Ele fechou os olhos e abaixou a cabeça.

    - Agora não, Myeon-shi. Não é um bom momento.

    Disse um tanto quanto severo, mas extremamente infeliz com a situação.

    - Por favor, não me olhe assim. Está fazendo com que me sinta ainda pior...Ainda mais...

    Ele parou de falar e a encarou.

    - Esqueça.

    Meneou negativamente e pediu licença, passando por ela. Se antes já era uma tarefa difícil, agora Shin-Hee achava que era impossível. Como alguém como Myeon aceitaria alguém marcado como ele? Nunca aconteceria. Agora nem em seus sonhos...


    shamps
    Mestre Jedi
    avatar
    Mestre Jedi

    Mensagens : 1315
    Reputação : 69
    Conquistas :
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/311.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1011.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1811.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/712.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/410.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1511.png

    Re: 3º passo - Alianças

    Mensagem por shamps em Qui Jul 13, 2017 11:36 pm

    Com alívio Eun-Ji sorriu para Chae e confirmou que tinha ensaiado sim.

    - Treinei sim... bastante... até as juntas doerem hahaha... você acha que está bom mesmo? Eu não fiquei esquisita fazendo isso? – sentia-se insegura, por isso treinava bastante.

    Bonnie era incrível e ajudava da melhor maneira possível e gostava quando ela dizia que Yuki tinha feito um bom trabalho e que achava a troca desnecessária.

    - Não – disse para a oferta de Chae – se me acontecer algo no banheiro eu grito, está bem? – disse isso porque banheiros sempre eram lugares onde a maldade das pessoas aflorava. Não queria nenhum incidente e por sorte não teve. Pode chorar a vontade e se recuperar depois.
    De volta à sala, ela prestou atenção às palavras da jurada e só concordava com a cabeça tudo que ela falava. Era uma boa ideia realmente, seria infalível, a solução para o problema delas.

    - Aceito! – nem pestanejou em aceitar a sugestão da profissional. Quando ela disse para treinarem, ela já foi puxando ZZ pela mão, pois isso era a única coisa que ainda não tinha treinado – vamos Zhenzhen jun.

    Mesmo aliviada com a definição das coisas, ela ainda sentia-se culpada e envergonhada e evitou Yuki o tempo todo depois que voltou do banheiro. Sabia que choraria se a encarasse e ela não queria mais chorar. Usou o treino do trecho em chinês como desculpa para se manter distante.

    - Hmmm eerrrr... Chae shi, ajude a Yuki, tá? Vou treinar com a Zhenzhen jun.

    Gakky
    Mestre Jedi
    avatar
    Mestre Jedi

    Mensagens : 1469
    Reputação : 86
    Conquistas :
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/311.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1112.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1011.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1811.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1413.png

    Re: 3º passo - Alianças

    Mensagem por Gakky em Sex Jul 14, 2017 9:25 pm

    Depois de dançar do seu jeito, Yuki estava exausta e temia pela resposta de Bonnie. Lançou um olhar para Eun-ji, como se checasse se tinha acontecido alguma coisa a mais. Logo veio a resposta da jurada, a japonesa ficou surpresa. Sentiu como se tivesse tirado um peso enorme dos ombros. A ideia de Bonnie era incrível e ajudaria muito, Yuki sem sabia como agradecer. ChaeSoo ficou feliz também por não ter que cantar o começo. Antes de responder a jurada, Yuki faz uma reverência para ela e agradece:

    - Obrigada! Isso me ajudou muito, nem sei como agradecer.

    Em seguida voltou a postura normal e acrescentou:

    - Por mim, aceito completamente, agora depende das meninas. Vou terminar hoje o trecho em japonês, prometo. E treinarei bastante!

    Yuki estava com o rosto casado, mas já era possível ver o brilho voltando ao seu olhar. EUn-ji também aceitou a proposta, mas logo foi treinar a Zhenzhen. Yuki achou estranho que a ruiva não viesse falar diretamente com ela, mas deixou para lá, pois achou que Eun-ji só queria treinar mesmo a Zhenzhen.

    - Então Chaesoo, me ajude certo? - Disse para Chae.


    Larissa Aprill
    Mutante
    avatar
    Mutante

    Mensagens : 510
    Reputação : 48
    Conquistas :
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/410.png

    Re: 3º passo - Alianças

    Mensagem por Larissa Aprill em Sab Jul 15, 2017 5:20 pm

    Eu Se fica chocada ao ouvir a história, nunca imaginou que Shin poderia ter sofrido esse acidente. Ele sempre pareceu tão saudável. Ela leva a mão ao coração e fica realmente triste pelo rapaz, não imaginava que o sofrimento dele fosse tão grande assim.

    - Naneun-i sagoga kkeumjjighandoeeo iss-eoyahabnida, eomeoni geu jung hanaleul gieoghaji anhseubnida. Geuleona naneun geuga jal hwagsin ... gyeolko ele..ele eobs-seubnida ...
    Não me lembro de nada disso, esse acidente deve ter sido horrível, mãe. Mas tenho certeza que ele está bem...ele..ele nunca...


    Ela parou de falar de repente, primeiro por que não podiam saber que eles se conheciam. E a garota no espelho, estava a encarando, com certeza ouviu a conversa de sua mãe, mas logo ela saiu do banheiro e a mãe do Shin entrou. Ela estava visivelmente abalada e sua mãe constrangida, queria sair o quanto antes.

    Mas antes a menina fala com a mãe do rapaz.

    - Eomeoniga mal-eul joesonghabnida, geunyeoneun eotteon haeleul ibhil sipji anh-assda. Dangsin-i jeoleul heoyonghaneun gyeong-u, naneun sin-ege chingugadoego sip-eo naega hal su-issneun modeun bangbeob-eulo dangsin-eul dowajubnida.
    Sinto muito pelo que minha mãe disse, ela não quis causar mal algum. E se a senhora me permitir, quero ser uma amiga para o Shin e ajuda-lo no que eu puder.


    Elas saem do banheiro, dando a privacidade que a mãe dele precisava. Ao retornarem ao salão, a menina repara que Shin não estava mais no grupo, ela olha ao redor o procurando, mas nem sinal do rapaz. Para sua infelicidade, Peach estava aqui também. A menina caminha  mais rapidamente até a presença do pai e do senador. As duas chegam em silêncio e a jovem não sabia o que dizer aos dois homens, então apenas acena com a cabeça.
    Luxi
    Moderador
    avatar
    Moderador

    Mensagens : 1232
    Reputação : 171
    Conquistas :
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/311.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1112.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/912.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/212.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1811.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1413.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/410.png

    Re: 3º passo - Alianças

    Mensagem por Luxi em Seg Jul 17, 2017 11:38 am

    ♪ Eun-Ji ♪ e ♪ Yuki ♪

    //DIA 3//

    - Nem um pouco!! Você fica linda. Não é a toa que a gente te escolheu como visual - Chae comentou e falou mais baixinho em seguida: - Tenho certeza que o oppa vai gostar também.

    Quando as meninas aceitaram a apresentação, Bonnie parecia bem satisfeita.

    - Agradeça fazendo uma boa liderança e uma boa apresentação. - sorriu. - Meninas, boa sorte! Vou deixá-las por agora. Tenho muita confiança de que teremos um bom show vindo de vocês. - e deixou a sala.

    Zhenzhen ficou meio atordoada pela forma repentina que Eunji quis treinar, mas a seguiu.
    - Claro, claro.. Depois que a gente fizer a letra, vamos conferir com os meninos. Quero que o Zhang leia. - abriu um sorriso largo. - Vamos lá pra cima.

    - Tá bom… - Chae achou estranha a forma como a menina se afastou , mas acabou empolgada e concordando com Yuki. - Vamos fazer você ficar muito fatal, mas bonitinha, como a Bonnie sugeriu. Hehehe.

    Chae Soo coordenou os ensaios de Yuki, usando a técnica na parede que Eunji tinha sugerido e agora que a confiança voltava para a menina, ela também podia reparar que melhorava em tudo. Zhenzhen ficou no cantinho da sala para ajudar a estudar em chinês. O tal do sotaque era apenas um detalhe que ela ainda não tinha dominado por não ter ninguém em casa com quem treinar.

    Quando estavam começando a ficar com fome, Zhang apareceu na sala e Zhenzhen pulou de alegria.
    - Vou mostrar a letra pra ele - murmurou para ela e saiu de fininho. - Depois eu volto.
    - Oi - acenou para as meninas da sala.

    O barulho nos corredores já indicava que estavam mais movimentados agora. Logo Dam e Minsoo apareceram por ali também.
    - Oi, tudo bem? Como estão hoje? Está ficando difícil para se reunir… eu me pergunto se a vida de trainee é assim - Minsoo refletiu.
    - Deve ser corrida. Acho que é por isso que a maioria só namora escondido - brincou Chae.
    - Eunji. Está com seu celular? Pode vir aqui um pouco? É rápido…
    - Claro, claro. Pode levar - Chae fez um gesto para Eunji, incentivando-a a ir. - Eu cuido da Yuki!!


    ♪ Eun-Ji ♪

    //DIA 3//

    Do lado de fora, Dam não reparou a princípio que a ruiva estava chateada ou seus olhos inchados. Na verdade, parecia feliz demais com algo em especial que não parou para prestar atenção ao redor. Ele a levou para um canto, encostando-se a parede e pegou emprestado seu celular, fazendo algumas configurações.

    - Pronto. Aqui está. Você já pode assistir vídeos e acessar a página do programa na internet. Veja só. Para vídeos, você aperta aqui…. - Dam estava entretido em mostrar isso a ela.

    ♪ Yuki ♪

    //DIA 3//

    Vendo que estavam a sós, Chae levantou de repente.
    - Ai, nossa! É verdade!!! Eu tinha muuuuito que fazer uma coisa. Já venho, Yuki. - acenou e saiu empolgada pela porta, não sem antes piscar para ela. Não era nada boa em disfarçar. Minsoo riu um pouco.
    - Então, como foram os ensaios? Vamos esperar pelos outros lá em cima? Minha música está mais difícil do que eu pensava, mas o grupo é bem participativo… eu imagino o que teria escolhido se eu pudesse… - sorriu, saindo da sala com ela, mas ali Matsumoto Daichi cruzou o caminho com eles, aparentemente já indo em direção à sala, com uma garrafa térmica e uma caixinha enrolada em um pano vermelho.
    - Ah, Yuki-chan! Que coincidência. Ogenki desu ka? (Está tudo bem?). Fiquei me sentindo culpado no outro dia… Então eu trouxe chá gelado e senbei. Espero que goste - o rapaz entregou a ela. - fez uma reverência respeitosa a ela.

    ♪ Shin-Hee ♪

    //DIA 2//

    Myeon associava a conversa que tinha ouvido no banheiro com o posicionamento corporal de Shin. Não conseguiu evitar de olhar bem para aquele ponto e imaginar o que teria por debaixo do terno. Seria tudo queimadura? A ideia a fez sentir mais pena ainda do rapaz, mas seus lábios terminaram de fazer a curvatura suave para baixo quando ele lhe respondeu daquela forma.

    Ergueu os olhos para encontrar os dele, mas saber que estava piorando a situação foi a última coisa que precisava para desmontar sua expressão. Parecia surpresa e sem reação; seus olhos estavam grandes como os de um filhote assustado. Entreabriu os lábios para dizer algo, mas ele já partia.

    Em vez de segui-lo, Myeon apenas abaixou a cabeça exatamente onde estava e tratou de se esgueirar entre as pessoas pelo lado direito, tentando ganhar distância e desaparecer do andar em uma segunda olhada.

    No momento, Peach desfilava com roupas novas assinadas pela mãe de Tae, que ficava observando de perto. Parte do público agora estava distraída com aquela pequena atração e sua saída foi bastante transparente para o público em geral.

    Seu celular tremeu novamente, mas dessa vez era uma mensagem de sua mãe.
    “Venha se despedir da família Hyun. Por favor.”

    Quando observou essa mensagem já era tarde demais. Em casa, ele ouviu os berros do pai logo na entrada e os passos do homem que foram em direção a seu quarto, já carregando uma discussão.

    - Não consigo entender o que pode ter se passado na sua cabeça para fazer uma desfeita daquelas para uma família importante para a nossa, mas você vai ter que arcar com as consequências! Ouviu?

    - Querido, ele ficou chateado depois de mencionarem o incidente… sabe que os médicos disseram que…

    - Ah, cale a sua boca, Seul-Bi. Sabemos por que esse moleque é desse jeito e é falta de vergonha na cara. Nunca fui tão desrespeitado por nenhum filho meu dessa forma! Vê-se que a pouca vergonha é uma questão de ge-

    - PARE! Shin Hee fez TUDO que você mandou.

    - Tudo menos UMA coisa. Quando o senhor Hyun me ligar, vai ser para acertar datas, SeulBi. É isso ou exército. E é bom que ele esteja ouvindo! - deu uns murros na porta do quarto do rapaz e seguiu para o próprio.

    Sua mãe lhe deu dois toquinhos na porta.
    - Esqueça isso, querido. Me desculpe - disse encostando o rosto nela e pretendendo comer também.

    Myeon não havia mais entrado em contato. No dia seguinte, havia mais uma aula de dança esperando pelos rapazes, além de seu emprego temporário.

    ♪ Eu Se ♪

    //DIA 2//

    Seul-Bi precisou ganhar algum ar para responder Eu Se. Primeiro, fez uma reverência breve, depois levou um lencinho na linha entre a boca e o nariz, engolindo as emoções. Então sorriu de forma protocolar, com educação.
    - Obrigada, querida. É muito gentil de sua parte. Ele realmente precisa de pessoas assim. - notou o olhar de Lee Sang sobre ela e adiantou-se - Não precisa pedir desculpas. Está tudo bem.

    Quando voltaram ao grupo, os dois homens pararam de conversar por um instante.
    - Muito bem, senador. Espero revê-lo em breve, como conversamos.
    - Você e sua família serão muito bem recebidos em minha casa - o senador sorriu e Eu Se pôde ver, mais a frente, um Shin passando um tanto quanto transtornado. Instantes depois, a senhora Yoon se juntava ao grupo.
    - Ah, sua esposa voltou. Onde está Shin Hee para que possamos nos despedir?
    O pai de Shin comprimiu os lábios, em irritação. A mãe se adiantou, com um celular em mãos.
    - Ele já está a caminho. Foi um prazer.

    As famílias se cumprimentaram, aguardando que Shin aparecesse por lá para um aceno final, mas isso nunca aconteceu e a expressão de desgosto do senador só aumentou. Acabaram ficando um pouco mais ali, até que o próprio se irritou, sugerindo que fossem embora. Era estranho sair assim sem aguardar todas as atrações, mas aparentemente tinha sido apenas uma desculpa para se encontrarem.

    Já no carro, dessa vez juntos, o pai logo disparou assim que as portas se fecharam:
    - Precisava estragar tudo, Lee Sang?
    A mãe olhou para o chão, entristecida.
    - Sabe como esse assunto é delicado. Só eu sei o quanto tive que me desdobrar naqueles minutos para convencer o senador que você não sabia de nada sobre a história toda. Maldito dia que te deixei ouvir essa conversa. - suspirou pesadamente. - Por sorte, o senador concordou em marcarmos um jantar em família para esclarecer os mal entendidos. Eu Se, atrase sua volta. Tenho certeza de que um dia ou dois não vão reprová-la no curso. - era muito raro ver o pai aceitar faltas na escola, por ser muito rígido. Isso deveria ser muito importante para ele.
    - Mas querido…
    - Isso é fundamental para a nossa família, Lee Sang. Você não faz ideia em que tipo de situação estamos agora. Não posso lidar com caprichos agora. Você deve fazer como eu digo e ficar em casa pela semana. Se for o caso, eu mesmo cancelo o curso.
    - Não pode deixar que ela termine, querido? Já estamos na metade de julho e as aulas voltam no final de agosto…
    - Certo, que seja. De qualquer forma… Eu Se, seja educada com o rapaz e de algum jeito mantenha contato. O que achou do rapaz? Ah, diga também onde está hospedada.
    - Você não vai dormir em casa, querida?

    A garota poderia mentir, podendo voltar para um hotel qualquer e completando a viagem sozinha ou passar a noite em casa, como quisesse. No dia seguinte, teria compromisso de uma nova aula de dança com seus companheiros.
    shamps
    Mestre Jedi
    avatar
    Mestre Jedi

    Mensagens : 1315
    Reputação : 69
    Conquistas :
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/311.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1011.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1811.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/712.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/410.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1511.png

    Re: 3º passo - Alianças

    Mensagem por shamps em Seg Jul 17, 2017 1:51 pm

    A ruiva ficou feliz e aliviada com a resposta de Chae, porém ficou encabuladíssima quando ela falou que Dam poderia gostar também.

    - O oppa? O Dam oppa? Você acha? Ele vai me ver dançando assim? Aish... que vergonha... - ela cobriu as bochechas com as mãos - ele não vai rir de mim?

    Ela se despediu de Bonnie sempre com um sorriso no rosto. Queria sim fazer o show perfeito que ela esperava.

    - Obrigada Zhenzhen... eu preciso mesmo dessas aulas de gramática e pronúncia... eu treinei bastante em casa também... veja, arrisquei algumas frases. O que acha? - mostrou uma folha de caderno com uns rascunhos em chinês, na maioria tentativas de construção de frases, mas a garota tinha até facilidade para aprender o idioma, faltava mesmo a prática - infelizmente eu não tinha nenhum livro comigo e tive que fazer tudo de cabeça... ao menos eu tentei... ir lá para cima? Claro, porque não.

    - Oi Zhang jun! - ela cumprimentou o rapaz após a explosão de alegria de ZZ e sorriu depois. Eun-Ji também queria treinar seu chinês com eles, mas percebia, um pouco tardiamente, as intenções de ZZ. Apenas deixou que ela seguisse com ele.
    Mas antes que pudesse ficar triste, Dam aparece com Minsoo na sala delas e sua alegria reacende.

    - Ah, Dam oppa! - sorriu e levantou depressa do chão onde estava sentada - meu celular? Claro - foi pegar o aparelho em sua mochila - aqui está e entregou a ele - oi Minsoo shi!

    Do lado de fora da sala, a menina observou-o encostando na parede, admirando seu sorriso, pois ele parecia muito animado.

    - Está animado hoje, oppa! - enquanto ele mexia no cell, ela para ao lado dele e estica o pescoço, olhando tudo o que ele fazia no telefone, tinha muito interesse em aprender tudo. A atitude deixou ela bem próxima a ele, mas ela não se importou, estava animada demais. Depois ele explicou muito das funções da internet e do site, que ela ouvia com bastante atenção - é mesmo? Muito obrigada, Dam Kyu-Hwan oppa! Uau... que felicidade... eu quero ver a música que o oppa cantou - e pediu ajuda para procurar o vídeo da apresentação dele - foi muito bonito e inspirador. Posso aprender a cantar com emoção vendo aquela apresentação - ela parecia bem empolgada - ah, e depois posso ver o oppa dançando Not Today, já que no dia não consegui ver nada.

    Ela procurou pela música e esperava que ele ficasse junto para ver.

    - Muito bonita essa canção... a letra é muito forte... o oppa estava emocionado mesmo... aqui, olha - ela se referia ao momento em que um dos jurados pergunta se ele buscava inspiração em alguma vivencia para cantar aquilo - era tristeza nesse momento, oppa? - ela fez a pergunta com cuidado para não ofende-lo, já que ela lembrava da conversa que tiveram no dia da dança - hmmm acho que tudo bem não falar... só fiquei preocupada agora... - ela tentou mudar de assunto, mas não sabia o que inventar agora - a senhora Bonnie disse que tenho que cantar com emoção, isso pode ser inspirador... muita emoção mesmo - disse olhando o vídeo, depois ela começou a rir - lembrei de uma coisa, oppa... naquele dia você fugindo da Yi-Eun o tempo todo... acho que ela gostou de você, do Minsoo shi e do Tae sunbae, hahaha! Você não gostou dela? - na inocência e também na curiosidade, ela prossegue - ela é seu tipo de garota, oppa? Seu e do Minsoo shi? O Joon shi chamou ela de gata... a Yuki me explicou que gata quer dizer bonita... você achou ela gata também? Ah oppa... se eu quiser dizer que o oppa é bonito eu posso falar gato? Ou isso é só para menina? Eu não conheço muita gíria... - ela olha para cima, pensativa, enquanto joga a boca para o lado - acho que eu vou lembrar do seu gato... você tem uma foto dele aí? No seu telefone? - depois espera pelo vídeo da dança - ah... vamos ver a dança...

    Ela já se sentia bem a vontade com Dam e conversava normalmente com ele, até a fome apertar.

    - Eu trouxe mais biscoitinhos para você, já que gostou daqueles. Eu vou buscar - logo voltou com um pacotinho - esse é um amanteigado simples, mas é uma delícia. Ontem não tive muito tempo para fazer algo mais elaborado porque queria treinar. Podemos ir almoçar... e você pode come-los de sobremesa - e sorriu satisfeita.
    Gakky
    Mestre Jedi
    avatar
    Mestre Jedi

    Mensagens : 1469
    Reputação : 86
    Conquistas :
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/311.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1112.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1011.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1811.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1413.png

    Re: 3º passo - Alianças

    Mensagem por Gakky em Seg Jul 17, 2017 3:35 pm

    Yuki já estava melhor e se sentia animada para continuar. Bonnie havia salvado sua apresentação, agora já sabia o que fazer. Antes da jurada ir embora, não deixou de fazer mais uma reverêncai em agradecimento. ChaeSoo a ajuda na dança. Yuki riu animada do comentário dela e disse:

    - Sim! Vou me esforçar bastante.

    As duas ensaiaram juntas e Yuki ficou feliz de ver os próprios progressos. Depois até ofereceu sua ajuda a Chae:

    - Chae Soo, depois posso te ajudar com a música também.

    Logo chegou a hora de se alimentarem. Elas caminharam de volta até o refeitório, Yuki observa Eun-ji e acha que ela estava mais quieta que o normal. Mas antes que pudesse perguntar algo, os garotos apareceram, Dam e Minsoo.

    - Oi, estamos bem - Respondeu Yuki - É difícil dançar, mas estou tentando. Acho que a vida de um trainee deve ser assim...

    Chae respondeu também e quando falou de namorar, Yuki acabou ficando corada um pouco. Isso não era assunto para uma hora dessas, não era? Dam logo se ocupou em chamar Eun-ji para falar do celular, era claro o quanto ele gostava dela.

    - Até mais Eun-ji... - Disse antes da ruiva se afastar - Volte para almoçar com a gente.

    De repente Chae Soo disse que tinha coisas para fazer, Yuki notou sua piscada e ficou nervosa, sabia que era tudo um plano! E pior é que ela não tinha sido bem em disfarçar. Minsoo riu e começou a perguntar dos ensaios. Era verdade que Yuki não tinha muita coisa boa para falar deles.

    - Ham... - Gaguejou um pouco antes de falar algo com sentido - Os ensaios... Foram difíceis... A coreógrafa... Acho que ela não gostou de mim. Mas está tudo bem, eu já sei o que vamos fazer na apresentação. Sim vamos para cima...Esperar, é esperar elas, porque ficar parados aqui não dá, não é?

    Minsoo começava a comentar sobre suas dúvidas a respeita da escolha da música, parecia que ele estava sentindo o mesmo que ela. Yuki logo respondeu com a voz uma pouco desanimada, dessa vez nem estava tão tímida:

    - Sei como se sente... Mas pelo menos não foi sua culpa... Eu no entanto, escolhi uma música difícil de dançar por escolha própria... Acho que fiz uma escolha ruim, mas agora tenho que ter responsabilidade e lutar para ser boa nela, é o que tenho pensado...

    De repente o japonês bonito cruzou o caminho de Yuki e a cumprimentou. Yuki logo começou a se sentir nevosa. O rapaz falou japonês com ela e se desculpou pelo outro dia, mas Yuki não entendeu o motivo das desculpas se foi ela que derramou o chá.

    - Mas... Mas... - Gaguejou um pouco, em seguida riu nervosa - Daichi-Kun! Não foi culpa sua!

    Então fez uma reverência em resposta da dele e aceitou o chá, muito envergonhada, mas aceitou:

    - Vou aceitar... Mas, como eu disse, a culpa foi minha. Sou uma desastrada.. Ahn, fico te devendo então algo também..

    Yuki logo notou que estava falando sobre isso na frente do Minsoo! Isso era terrível, pois ele acabou de ficar sabendo que algo tinha acontecido e logo iria querer saber o que houve. Sem saber direito o que fazer, Yuki apressou Minsoo para irem sentar:

    - Temos que ir... Arigatou! - Saiu fazendo mais reverência ao japonês.

    Acabou por puxar Minsoo com um toque no cotovelo dele. Mas assim que notou, largou e pediu desculpas.

    - Desculpa... É... Só que eu quero... Quero marcar lugar para nossos amigos, antes que fique cheio...

    Persephone
    Tecnocrata
    avatar
    Tecnocrata

    Mensagens : 334
    Reputação : 90

    Re: 3º passo - Alianças

    Mensagem por Persephone em Seg Jul 17, 2017 4:19 pm

    Shin-Hee estava deitado em sua cama, usando apenas a calça social. Seus cabelos se encontravam desgrenhados sobre a colcha enquanto os braços ficavam abertos, jogados para os lados. Da mão esquerda, pingava um pouco de sangue por conta de um pequeno corte que ele conseguiu fazer ao socar o espelho do banheiro do quarto. No chão escuro estavam cacos de vidro, as partes de cima de seu terno meio rasgados e uma certa bagunça quando ele quebrou alguns moveis.

    Felizmente ou não, ninguém estava em casa quando ele chegou com a mente completamente nublada e surtou. Depois de colocar parte de sua ira para fora, seu corpo começou a doer de novo e precisou de mais remédio. Sentia-se letárgico, naquele limite perigoso para a overdose - Shin sabia disso porque já teve antes, sabia como era a sensação e usava aquele parâmetro agora para se controlar. Mas ele via as coisas confusas e mais lentas. Seu lado esquerdo ainda tremia e o pior de tudo é que ele ainda sentia raiva.

    Aquilo o consumia.

    Ouviu cada palavra do pai, como se estivesse preso num pesadelo. Queria calá-lo, mas não conseguia e graças à alta dose do remédio, a voz do pai saía a voz mais grossa e lenta, como se sofresse um efeito de som. Um suspiro escapou de seus lábios enquanto olhava para o teto ondulante de seu quarto. Os olhos ficaram marejados e as lágrimas escorreram, principalmente quando se lembrou do olhar de Myeon para aquele maldito lado esquerdo.

    Se o pai ia contar para todos os amigos íntimos dele, pelo menos podia ter avisado. Ele estaria pronto para enfrentar algo do tipo.

    Como estava naquela situação há bastante tempo, o sono logo o pegou. Um sono cansado, sem sonhos. Shin acordou mais exausto do que antes e antes mesmo do despertador tocar. Tinha a sensação que sua cabeça ia explodir a qualquer momento, mas levantou à força. Pelo que se lembrava, ainda tinha muita coisa para fazer naquele dia e sentia que aquele treino seria seu grande escape do dia. Podia não mudar sua situação, mas enquanto estivesse cantando e dançando, pelo menos não se lembraria de sua real condição física, nem pensaria em Myeon ou em sua família. Ali seria apenas o Shin-Hee, lider do grupo que faria o cover de "Sorry, Sorry".

    O quarto estava mais iluminado graças aos primeiros raios do dia que passavam um pouco pelas cortinas. Ele viu a bagunça que deixou o quarto e isso o ajudou a se apressar e sair de casa antes mesmo do café da manhã. Seu corte já estava com uma crosta de sangue e só precisaria fazer uma limpeza e colocar um band aid, sem grandes complicações.

    [#DIA 3]


    Apesar de ter dito que chegaria um pouco mais tarde, Shin chegou bem cedo. Como tinha saído fugido de casa, ele gastou um tempo tomando um café da manhã na rua e, em seguida, foi até o prédio da produtora. Usava boné, óculos escuro, uma calça escura de tactel da adidas, blusa sobreposta e tenis. Chegou à sua sala cerca de dez minutos depois que Eun Ji passou por lá.

    Só Zhang e Wonghae estavam por lá, ficando um pouco surpresos por vê-lo. Dessa vez, Shin tinha levado a bolsa com seus pertences para a sala de aula - ela estava pendurada no ombro direito. Com a mão esquerda segurava uma vitamina e ainda tinha fones de ouvidos, repetindo Sorry, sorry pela milésima vez. Deu um meio sorriso quando viu os rapazes.

    - Bom dia, pessoal. Como estão? - Colocou a bolsa de lado e deu um gole em sua vitamina. Equilibrou o copo em seguida e começou a se desfazer do oculos escuro e dos fones.

    Não tinha nenhuma mensagem de Myeon, nem de sua mãe. Porém, ele enviou mensagem para a mãe, apenas explicando que estava tudo bem, que tinha escutado a briga da noite anterior e lamentava muito. Não tinha lido a mensagem à tempo. Saiu cedo de casa porque não queria encontrar o pai e tinha muito o que fazer. Quando chegassem em casa, podiam conversar melhor.

    E quanto a Myeon, ele viu a foto dela no aplicativo e apenas suspirou. Virou-se para Zhang e Wonghae.

    - Acabei chegando mais cedo, mas não precisamos começar ainda. Eu preciso repetir os passos mesmo...

    Deu de ombros, sorrindo e foi para seu canto. Tinha melhorado bastante desde a primeira vez, mas não chegava a ser um grande dançarino como Quan Lei ou Kim. Zhang entregou a flor que Eun Ji havia deixado para ele e, quando Quan Lei chegou, ele também ficaria sabendo sobre a garrafa para os nervos. Como ele não tinha prestado atenção quando ela falou disso no almoço, precisou que Quan Lei explicasse. Fez uma cara de "ooh" e sorriu, achando muita gentileza dela. Procuraria por ela depois para agradecer.

    Mas agora...

    Tinham que enfrentar uma fera e Shin não estava no melhor dos humores. Pelo menos, ele parecia muito mais concentrado, focado e esforçado do que antes. Sua voz continuava maravilhosa, alcançando uns tons dificeis, mas sem perder o vigor. E também conseguia dançar e cantar ao mesmo tempo de modo satisfatório.

    Quando o ensaio teve a pausa para o almoço, ele pensou nessa questão de canto. Foi então que se lembrou de Eu Se ou Go Min Nam. Eles basicamente tinham trocado um segredo na noite anterior.

    Shin tirou o proprio boné, colocando para trás e esfregou o rosto com as duas mãos. Zhang e Minsoo iam saindo para encontrarem seus grupos. Quan Lei podia perceber que o amigo estava diferente, mas não havia dito ainda o que estava acontecendo. Pegou o celular de novo e se retirou da sala para procurar pelos outros. Preferia treinar sem pausas, mas sabia que não poderia fugir para sempre de seus problemas.

    Larissa Aprill
    Mutante
    avatar
    Mutante

    Mensagens : 510
    Reputação : 48
    Conquistas :
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/410.png

    Re: 3º passo - Alianças

    Mensagem por Larissa Aprill em Seg Jul 17, 2017 7:16 pm

    A garota saiu do banheiro após as palavras da mãe de Shin. Ela estava preocupada com o rapaz já que ele não voltou para o pequeno grupo de pessoas. Então ela vê Shin saindo apressado da festa e percebe aos pouco a irritação do pai dele aumentando, mas ela não diz nada para denuncia-lo.

    No carro seu pai estava sentado de frente para elas e era arrogante com sua mãe e precisou que a menina a interferisse na discussão.

    - Appa, eommaga ag malhaji anh-assda, geunyeoneun ij-eo beolinhaeyahabnida
    Papai, a mamãe não falou por mal, ela deve ter se esquecido.


    Eu Se faz um biquinho ao falar, pensando que isso iria amenizar a raiva do diplomata. Mas ele logo em seguida sugere que ela não conclua o intercâmbio e precisa que sua mãe a defenda naquele momento.

    Após passar alguns segundos sem reação devido a surpresa, a menina junta suas mãos em forma de prece. E começa a esfrega-las num gesto aflito. Era uma forma de implorar clemência ao pai.

    - Haji masibsio. naneun jebal abeoji, na-ege han beon deo sigan-eul jul ... naleul gwajeong-eul wanlyo han da-eum wonhaneun mueos-ideun hal su issseubnida. Por favor não. Me deixe eu terminar o curso e depois faço tudo o que o senhor quiser... só me dê mais um tempo, por favor pai.


    Ela sabia do preço daquela promessa, mas não estava disposta a abrir mão do concurso agora. Talvez com um pouco de sorte seu pai deixaria ela continuar “estudando”. Aparentemente ele deixou aquele assunto de lado e começou a falar do Shin.

    A menina abaixa a cabeça um pouco sem graça. Então fala timidamente para não levantar suspeitas.

    - Geuneun telaseueseo na-ege maeu chinjeolhaessda. ulineun jogeum iyagihago geuege yeonlaghasil su issseubnida.
    Ele foi muito gentil por me buscar no terraço. Conversamos um pouco e ficaria feliz em manter contato com ele.


    Na verdade Eu Se estava realmente preocupada com o rapaz. O acidente que ocorreu a anos atrás ainda era uma grande fonte de tristeza para o rapaz e ela percebeu isso na festa. Mas como ele mesmo disse, ele estava do lado dela para ajudá-la. Então ela também iria ajudá-lo a manter seu segredo. Eu Se não consegue recusar o pedido da sua mãe e decide dormir em casa.

    //DIA 3//


    Na manhã seguinte Eu Se acorda em seu quarto e por um momento se esqueceu o porque estava ali. Sua mãe tinha levantado cedo e preparado uma mesa farta de café da manhã, como sempre seu pai já tinha saído.

    A menina acaba mentindo mais ainda ao contar como tinha sido suas aulas de intercâmbio. Mas ela fala a verdade sobre conhecer amigos que se importava muito com ela. Ela até fala discretamente de Min-ki para sua mãe. Quando ela percebe já estava em cima da hora para o ensaio. Eu Se se despede da mãe dizendo que se encontraram em breve.

    Anotes de treinar ela precisou parar num salão de beleza e teve que cortar os cabelos. Mas por causa do aplique, ela teve que deixar seu cabelo mais curto do que antes, tirando um pouco as mechas onduladas que começava a crescer. Ela já estava atrasada quando parou para comprar roupas que até esqueceu de retirar a etiqueta da camisa.



    Quando ela chega na sala, Eu Se já havia se atrasado 20 minutos. Ela se desculpa com a instrutora e com a equipe. Evitaria de conversar na hora do ensaio, pois precisava dar tudo de si. Na hora do almoço, ela daria atenção aos seus amigos.

    No corredor, por coincidência ela encontra Shin falando ao telefone e percebe que havia pequenos curativos em sua mão. Preocupada ela deixa os rapazes para traz e vai falar com Shin.

    - Dangsin-ui gwaenchanh euseyo? il-i eoje il-i iss-eossnayo?
    Você está bem?? Aconteceu alguma coisa ontem?


    Ela pega na mão machucada do rapaz e observa melhor os Band aids. Depois solta a mão dele envergonhada. E fala num tom de voz mais baixo para ninguém escutar.

    - Mian haeyo. eomeonineun ag malhaessda. geuligo nan ... nan jeongmal moleugess-eoyo.
    Me desculpe. Minha mãe não falou aquilo por mal. E eu...eu realmente não sabia.


    Eu Se abaixa o olhar e diz quase num sussurro.

    - Dangsin-eion jeoleul mid-eul su ... dangsin-ui bimil-eun anjeonhabnida. naneun dangsin-i pil-yolohaneun geos-eul dangsin-eul doum-i doel geos-ibnida.
    Pode confiar em mim...seu segredo está guardado. Irei te ajudar no que for preciso.



    Luxi
    Moderador
    avatar
    Moderador

    Mensagens : 1232
    Reputação : 171
    Conquistas :
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/311.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1112.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/912.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/212.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1811.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1413.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/410.png

    Re: 3º passo - Alianças

    Mensagem por Luxi em Seg Jul 17, 2017 9:17 pm


    //DIA 3//

    ♪ Eun-Ji ♪  e ♪ Yuki ♪
    - Não vai rir não, não se preocupe. Aposto que ele vai gostar muito!

    ♪ Eun-Ji ♪

    Dam sorria livremente, satisfeito por ter conseguido liberar internet, mas ela decidiu ouvir a música de sua apresentação. Ele a ajudou a procurar, mas ficou em silêncio. Apesar de ficar a seu lado, o rapaz desviou o olhar, pensativo, ouvindo-se cantar.

    - Sim, era tristeza. - confirmou um tanto mecanicamente, mas ela logo tentou mudar de assunto. Eunji percebi que ele ouvia suas palavras, mas que o olhar vagava um pouco, até que uma pergunta mais direta o fez voltar para o assunto.  - Yieun é muito barulhenta. Sim, você pode usar essa palavra para um garoto… especialmente se ele pisca para você. Esqueça o que eu disse. - comentou a última parte um pouco mais sério do que o normal, mas se distraiu com o telefone. - Este é o Harry - mostrou a foto do gato* -  Está bem, vamos ver a dança. Aish. Não tinha visto isso antes, eu não sei o que estava pensando. Eh? Como isso tem tantas visualizações? - O vídeo da dança somava milhares de visualizações e centenas de likes. Os comentários citavam a beleza de Dam e seu tipo badboy. Ele pigarreou. - Vamos, vamos almoçar. Obrigado por isso - fez uma reverência breve, aceitando os biscoitos em seguida.

    *

    ♪ Yuki ♪

    - Até onde eu sei, você queria se desafiar e acompanhar Eunji, não foi? Não vejo lealdade e coragem como coisas ruins. Estou bastante curioso para ver como vão se sair. Às vezes eu acho que você não conhece de verdade do que é capaz. Lembre-se: você ganhou três sims. Isso é muito especial. - sorriu para ela. - Kim Sohee também foi incisiva com nosso grupo. Bem, acho que ela praticamente ignora a minha presença, por enquanto. É a primeira vez que algo assim me acontece - riu e coçou do lado da cabeça. - Mas temos que enfrentar os problemas que nos aparecem, não é mesmo? “Fighting” é o lema. Hm? Olá, Matsumoto. - olhou o japonês.

    (...)

    - Então está combinado. Nos falamos depois. Faz tempo que não falo com alguém que entende nossos costumes - fez uma reverência novamente e saiu.

    Minsoo olhava de um para o outro de forma atenta e até um pouco curiosa, mantendo a expressão quando ela encostou em seu braço. Ele sorriu de leve.
    - Tudo bem, você tem razão. Aconteceu alguma coisa? Antes... Bem, vamos então.  O refeitório pode ficar cheio. - Sem querer constrangê-la, o garoto cortou o assunto para levá-la aos andares superiores. - Seus pais estão bem? Como está o emprego novo do seu irmão?

    ♪ Shin-Hee ♪

    A aula de dança tinha sido mais leve do que a anterior, mas Quan Lei finalmente tinha mostrado seus passos secretos e deu um mortal para trás que deixou a coreógrafa impressionada. Ele sugeria abrir um pouco o terno para fazer o momento solo e ela os ajudou a configurar esses momentos dentro da coreografia principal. Talvez por culpa, a coreógrafa pegou um pouco leve com Shin, apenas querendo ter certeza de que ele estava em perfeitas condições para dançar, mas não poupou gritos caso notasse que ele estava aéreo. Acabou mudando algumas posições para escondê-los e exigiu perfeição para o ensaio nos palcos.  

    Foi depois disso tudo que o grupo foi dispensado com um elogio e palmas da mulher, que exigia melhora imediata de Minsoo.  Tommy surgiu ali também para se reunir a eles.
    - Meu príncipe. Vim lhe trazer a solução para seus problemas. Aqui. O néctar - entregou a ele o remédio de “nervos” de Eunji. - Um copo por dia, ela diz. Wong Eunji notou que você estava aéreo no outro dia e eu pedi que ela trouxesse isso.
    - Hoje não, Tommy… - Quan Lei observava Shin há um tempo, e tinha evitado grandes conversas desde que ele tinha reagido de forma estranha.
    - O que houve?
    - Eu não faço a menor ideia.. Deixa ele.  o amigo parecia compreensivo e mais sério. Não quis se meter em seus problemas e deixou que ele saísse sozinho. - Shin, vamos comer lá em cima, se você quiser...

    ♪ Eu Se ♪

    O pai da menina havia concordado que ela fizesse “tudo o que ele quisesse“ como condição e pareceu satisfeito com isso. Ele levava muito a sério as palavras ditas a ele, como um pequeno contrato verbal. Eu Se seria cobrada disso e tinha certeza. Também era esquisito o sorriso de leve que ele havia dado após ela explicar sua experiência no terraço. O pai nunca tinha sido sentimental ou dado abertura para esse tipo de coisa.

    Em casa, a mãe recebeu a menina com todo amor possível, parecendo alegre como nunca. Seu quarto tinha cheiro de limpeza, tendo sido sempre cuidado mesmo em sua ausência. Pareceu interessada na figura de Minki que ela apresentou.
    - Eu Se, por acaso está interessada nesse rapaz? - a mãe chegou a perguntar.

    Uma mensagem de seu amigo de infância também chegou logo cedo para ela.
    ”Como foi lá?
    Tá tudo bem?


    Quando a garota chegou para treinar, Minki quase pulou em cima dela.
    - GO MI NAM. Onde você tava???
    Amihan olhava preocupado para ela e Park Byunchul pareceu aborrecido com aquela demora, mas ninguém estava mais tenso que a professora.
    - Isso são horas? Eu espero que no mínimo a sua coreografia esteja perfeita. Vamos começar tudo de novo. Agradeçam seu amiguinho.  5, 6...7….

    Eu Se não tivera muito tempo para treinar, então sua dança não tinha evoluído muito, mas a professora decidiu focar suas atenções nela e em Park Byunchul para corrigir sua coreografia. No fim, ela já estava conseguindo dançar, embora Amihan precisasse dar um toque ou outro nela para que não parecesse tanto com uma garota. Sohee deixou a sala pedindo que todos treinassem aquilo exaustivamente.

    - Onde você tava?
    - Foi o compromisso de família, ele já tinha dito.
    - Mas precisava dormir fora? Onde você foi?
    - Para de ser chato. Go Mi Nam foi embora porque não te aguentava mais.
    - Isso é mentira… eu ia ensiná-lo a dançar. Ei. Onde você vai?

    Os dois ficaram observando um pouco distantes a conversa de Eu Se e Shin. Amihan fazia um esforço para impedir que o loiro fosse incomodar, mas ele ficava acenando a distância, para ser visto, mas logo acabou cedendo e partindo em direção aos elevadores.


    ♪ TODOS ♪

    Dessa vez o refeitório estava mais movimentado. Os grupos estavam mais misturados, não exclusivos de suas respectivas canções.

    Tae e Peach ocupavam uma mesa única, conversando entre si cercados de garotas e alguns garotos dos grupos de Abracadabra, Gee e Lucifer. Ele fingiu nem conhecer os antigos amigos, ou pelo menos, não tinha os visto.

    As meninas de Hate e Nobody não estavam por lá naquele dia. Zhenzhen e Zhang comiam perto um do outro, com um caderno em cima da mesa e pareciam evitar propositalmente outras pessoas e estarem felizes com a companhia mútua.

    Os rapazes de Fiction estavam um pouco desfalcados, mas no fim, Dam decidiu sentar-se com Eunji, Minsoo e Yuki para conversarem, também com Chae Soo. Bae estava por lá esperando pelos amigos. Amihan e Minki surgiram, pediram licença para sentar e deram oi a todo mundo na mesa. O loiro estava meio emburrado e não parava de olhar pra porta.

    Wonghae, Jaehyo e Ji Kwon conversavam entre si em outra mas, mas quando Quan Lei e Tommy apareceram por lá também, eles fizeram questão de unir mesas. O chinês perguntou baixinho quando ele chegou perto: - Está tudo bem?

    O celular de Shin ainda não tinha nenhum atualização que não fosse um “Cuide-se, por favor” de sua mãe e assim permaneceria o dia todo. Sem o menor sinal de Myeon, exceto que ela havia atualizado as redes sociais, caso ele se interessasse em ver.  Uma selfie de sua roupa do dia anterior e no dia de hoje apenas uma xícara com filtros conceituais.


    O restante do dia deles estava resumido a muito treinamento. Afinal, no dia seguinte, seriam submetidos à última aula de treinamento da matéria faltante e era também o dia em que uma nova edição do programa seria exibida. Para Eunji e Yuki, era o dia do fatídico veredito da coreógrafa. Para Eu Se, o dia em que Bonnie avaliaria suas notas agudas. Shin também teria avaliação de sua música, ao menos o pior já tinha passado.



    Podem usar a rodadinha para conversarem, darem as respostas uns aos outros.
    Meu próximo post eu costuro alguma resposta que ficou faltando e vou já jogar as cenas mais interessantes das aulas de Dança/Canto de vocês =) e logo a exibição do programa.
    Persephone
    Tecnocrata
    avatar
    Tecnocrata

    Mensagens : 334
    Reputação : 90

    Re: 3º passo - Alianças

    Mensagem por Persephone em Seg Jul 17, 2017 10:18 pm

    Depois de enviar o texto para sua mãe, Shin enfiou o celular no bolso da calça. Nesse instante, Tommy entrava na sala, daquele jeito dele animado e receptivo. Conseguiu tirar um sorriso de Shin, mesmo que ele estivesse bem mais contido.

    - Oh, um nectar? - Pareceu interessado e pegou a garrafa com cuidado. - Wong Eun Ji tem sido muito solicita e preocupada, de fato. - Comentou, vendo o vidro e guardando. - Também recebi flores hoje e em nenhuma das duas vezes estive aqui para pegar pessoalmente.

    Fez um bico no canto dos lábios e deu de ombros. Guardou a garrafa com bastante cuidado dentro de sua bolsa para que ela não virasse ou quebrasse. Nesse meio tempo, ouviu os cochichos dos amigos. Ele não desmentiu Quan Lei, mas sentia que estavam cada vez mais próximos e, bom, como seu segredo parecia ser de conhecimento de mais pessoas do que imaginava, estava considerando a hipotese de contar ao amigo chines. Depois podia contar para Tommy, mas Quan Lei era diretamente interessado por conta da apresentação.

    Ouviu a pergunta e meneou positivamente.

    - Vou sim. Só um instante.

    Pegou alguma coisa dentro de sua carteira - um cartão, sendo mais exato - e o guardou junto do celular. Os amigos seguiam na frente e Shin teria alcançado, se não fosse interceptado por Eu Se. Ou melhor, Go Min Nam. O rapaz parou, piscando rápido e olhando uma segunda vez para ela. Era muito estranho! Agora parecia tão óbvio que era uma menina! Como ninguém tinha reparado antes?! Aqueles traços eram femininos demais! Shin coçou os olhos, esboçando um sorriso para Eu Se. Estava pronto para dizer que não tinha sido nada, mas acabou mostrando sua mão machucada.

    Ela prontamente pegou sua mão daquele jeito e os dois arregalaram os olhos. Era muito estranho dois meninos se tocando assim, por isso, Shin a pegou pelos ombros e meio que "coçou" a cabeça dela com o punho fechado, bagunçando um pouco o cabelo.

    - Hey, Min Nam-shi! Você tá mandando bem naquela musica?!

    Tentou disfarçar, rindo mais e depois erguendo as mãos, como se pedisse desculpas rendidas por ter bagunçado o cabelo dele. Shin tinha cuidado com o que dizia mesmo nos corredores, porque ali tinham muitos olhos  - visiveis ou não - e também achava que podiam filmar cenas assim. Sabe-se lá o que eles podiam fazer por audiencia! Ele pigarreou e a convidou a andar lado a lado com ele, para conversarem disfarçadamente.

    Talvez ela tenha ficado um pouco envergonhada pelo gesto dele - Shin também tinha ficado, porque agora sabia que era uma menina, mas como sabia improvisar, ele agia com naturalidade. Como se Eu Se realmente fosse Go Min Nam.

    - Desculpa por isso. Fiquei com receio que alguém visse. - Falava baixo, só pra ela. - Não se preocupe. Não estou condenando sua mãe por nada. Só fiquei...hm...surpreso e sem reação. Acho que você me entende melhor do que ninguém, nesse quesito.

    A olhou de banda e, mesmo com a diferença de altura, ela podia ver que os olhos dele estavam um pouco inchados.

    - Mas não fique assim, hm? Minha promessa continua firme e, ahm, depois me dá seu celular. Ontem eu acabei saindo sem me despedir e sinto muito por isso. Eu só...Não conseguia mesmo voltar.

    Engoliu em seco, abaixando o olhar de novo.

    Pelo ritmo que os dois caminhavam, talvez fossem um dos últimos a chegarem no refeitório. Shin convidou Eu Se a se sentar onde ele fosse sentar, se ela quisesse. A verdade é que acabariam juntando Fiction, Mirotic, Come Back Home e Sorry, Sorry. Eles formavam um grupo gigante, maior do que o de Tae e Peach. Ficava visivel a separação dos times. Mas, Shin se surpreendeu um pouco ao ver os mini-grupos dentro do grupo.

    Enfiou as duas mãos nos bolsos e ponderou.

    - Hm...Cade aquele cabelo ruivo? Hmm..ali! Vamos? - Convidou Eu Se e começou se aproximar da mesa de Eun Ji, Dam, Yuki e Minsoo.

    O rapaz chegou como quem não queria nada e parou pela lateral, reverenciando de modo respeitoso (não sei se a Eu Se esta do lado dele).

    - Ahm, desculpe interromper, mas isso é um pouco urgente. - Pigarreou e olhou para Eun Ji. - Muito obrigado por sua preocupação, Wong Eun Ji-shi. Sinto muito por não ter estado presente, mas seus presentes foram entregues. Bom, eu não pensei em algo muito elaborado, por isso, eu ofereço essa singela troca.

    Tirou o cartão do bolso de sua calça e empurrou suavemente na direção dela. Era o cartão da Cafeteria que ele estava trabalhando, com endereço e telefone.Yuki nem imaginava que era o mesmo lugar onde o irmão dela trabalhava. Sorriu, mostrando a covinha e fez a proposta.

    - Depois das apresentações, quando todos nós passarmos, porque vamos passar... - Fez um fighting, mostrando o braço direito. - Você é minha convidada especial para tomar um café aí. Hm, você e Yuki-shi. Eu pago um café gatinho feito por minhas nada habilidosas mãos. Eu trabalho lá, mas ganho o suficiente para pagar por dois cafés e panquecas. Vocês também estão convidados... - Olhou para os outros. - Mas por sua conta...tenham dó do pobre garçom.

    Disse com certo humor e voltou a encarar Eun Ji e Yuki, esperando a resposta. Ele faria o mesmo convite para seus amigos, obviamente, mas teria tempo depois pra falar com eles.

    shamps
    Mestre Jedi
    avatar
    Mestre Jedi

    Mensagens : 1315
    Reputação : 69
    Conquistas :
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/311.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1011.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1811.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/712.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/410.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1511.png

    Re: 3º passo - Alianças

    Mensagem por shamps em Ter Jul 18, 2017 12:33 am

    - Chae shi... então eu tenho que treinar mais... tenho que estar perfeita... eu quero que ele goste de me ver dançar – falava bem empolgada – tenho que estar à altura de Fiction, né!? Eu sei que ele vai estar perfeito nessa música – agora sua expressão mudava para algo sonhador e divagador.

    Quando Yuki pede para que Eun-Ji vá almoçar com eles depois, a ruiva dá um sorriso amarelo e desvia olhar, sem falar nada e sai atrás de Dam.

    Ela deu um empurrãozinho de leve, com o ombro, nele, claramente feliz por vê-lo sorrindo. Ela se divertia também.
    Ela não entendia porque ele não gostava de se ouvir cantando, mas como já tinha falado demais, preferiu ficar quieta naquele momento. Foi só quando ele falou que sentia tristeza na hora daquela canção que ela se manifestou.

    - Está tudo bem, oppa – e sorriu – não precisa ficar mais triste... eu prometo te ajudar quando você precisar. Pode contar comigo... um dia, quando se sentir mais confiante comigo... – e pôs a mão no ombro dele, afagando de leve. Depois voltou a se concentrar no celular, não tocando mais no assunto. Ele fala de Yi-Eun e ela dá risada – eu também sou barulhenta, oppa, e você conversa comigo... então... – ela fica um pouco mais quieta e pensativa, chateada talvez, sem saber o que concluir disso. Depois ele responde sobre a gíria e ela acha engraçado, pois Quan Lei tinha piscado para ela e como Dam disse que aquilo não significava nada, ela achou que talvez o chinês tivesse algum incomodo no olho e já tinha uma solução para o rapaz, mas agora Dam diz que pode chamar de gato quem pisca para ela – fiquei confusa agora, Dam oppa. Você disse que piscar não significa nada e agora diz que quem pisca eu posso chamar de gato, depois diz para esquecer... aish – e solta um muxoxo – você tem o poder de me deixar confusa – e cruza os braços enquanto faz biquinho e infla as bochechas, virando a cabeça para o lado oposto. Seu mau humor não durou mais que alguns segundos, já que na sequência ele mostrava a foto do gato – ah, que lindo! Oi Harry – ela fala com a foto – que bonito que ele é, oppa. Parece você! Você acha que ele vai gostar de mim quando me conhecer? Ele morde?

    Eles continuaram navegando pelo site do programa e foram ver os vídeos do dia de Not Today. Foi muito interessante ver a dinâmica da dança, ela não tinha visto nada ainda, mas o que queria mesmo era ver Dam dançando.

    - Ora, oppa, estava pensando na dança – ela não tinha entendido o questionamento dele sobre a dança – visualizações? As pessoas que viram o vídeo? – ela ainda não entendia bem como funcionavam as coisas na internet – isso são as pessoas que gostaram? – se referiu aos “joinhas” – acho que as pessoas gostam de você... suas fãs...? Eu sou sua fã número um e seu primeiro autografo tem que ser para mim... – e sorriu animada – jeito badboy? Não entendi... elas te acham bonito, oppa. Você dançou muito bem... eu gostei... também quero dizer que gostei. Como faço? ... – perguntou como fazia para deixar likes nos vídeos - agora só penso em Fiction... esse dia vai ser memorável e vai ter que ser comemorado à altura... – por já estar se acostumando com o jeito dele, ela apenas achou fofo quando ele ficou sem graça e deu outra ombrada de leve nele enquanto sorria – está bem, vamos almoçar... de nada!

    A animação do refeitório contagiou a garota, era tão emocionante estar ali, com pessoas que não a julgavam e não a perturbavam – pelo menos a maioria não – que ela sorria. Pegou salada e peixe e foi para mesa acompanhando Dam. Ainda estava sem jeito ao lidar com Yuki que não queria sentar na mesma mesa, mas se obrigou a ir porque seguia Dam. Evitou fazer contato com ela, pois se achava indigna da atenção da amiga. Queria um buraco para se esconder.
    Ela viu ZZ bem feliz com Zhang e sorriu para Chae.

    - Ooooh... A Zhenzhen... Chae shi... eles parecem bem animados e... em sintonia... – não conhecia termo melhor para eles.

    Ela retribuiu o olá dado por Min-Ki e Amihan e continuou conversando com Chae.

    - Chae shi, sabia que o oppa tem muitas fãs? Elas acham ele bonito – falava um pouco mais baixo para ela – ah, ele me mostrou a foto do gato dele... é cinza... tão lindo! Ah... falando em gato – ela viu quando Quan Lei chegou – tenho que passar uma dica para o Quan Lei jun. Já volto – e foi até ele – olá Tommy shi. Olá Quan Lei jun! Quan Lei jun, tenho que te mostrar algo... me acompanhe – e foi até a bancada lateral da mesa de buffet, pegou um copo com água gelada e pôs açúcar. Tirou do bolso duas rodelas de algodão e entregou ao rapaz – aqui... compressa de água fria com açúcar. É muito boa para os olhos... depois do almoço arranje um tempinho e fique uns dez minutos com essas compressas. Vai aliviar a irritação do seu olho... sabe, por causa da piscadeira... fiquei preocupada... chá de camomila gelado também é bom – ela juntou as mãos, feliz por ajudar – desculpe se eu estiver sendo intrometida. Só quis ajudar. Vou voltar para minha mesa... não esquece, dez minutos! – por mais bonito e gentil que o chinês fosse, ela nunca teria coragem de chama-lo de gato. Depois ela olha para ZZ e Zhang e comenta – acho que minha aula de chinês não está indo muito bem... tentei construir algumas frases e mostrei para a Zhenzhen jun... a senhora Bonnie disse tenho que melhorar minha pronúncia, mas você foi a primeira pessoa com quem falei chinês na vida... – disse enquanto se encaminhavam às suas respectivas mesas.

    Ela procurou não se demorar muito com Quan Lei, voltando logo para junto de seus amigos.

    - Prontinho! Água gelada com açúcar é boa para os olhos. Fui lá falar isso para ele.

    Depois foi a vez de Shin se aproximar da mesa. A moça foi pega de surpresa e levou a mão à boca, espantada.

    - Ah, Shin-Hee shi! Como vai? – ela sorriu ao ver que o rapaz falava diretamente com ela. Isso raramente acontecia quando não era agressão – não precisa agradecer. Foi o mínimo que podia fazer por ter sido tão gentil comigo. Ah, não se preocupe com isso. Fui informada que você estava ocupado pela manhã – ficou feliz por saber que ele tinha recebido os mimos de agradecimento e olhou curiosa para o cartão que ele entregava para ela – sim, passaremos! – ficou muito animada com o otimismo dele e continuou ouvindo, ficando admirada com o convite – uau... uma cafeteria. Nunca fui em uma... – seus olhos brilharam quando ele falou do café de gatinho – café de gatinho? Que legal... – e olhava para Dam e depois para Shin – muito obrigada, Shin-Hee shi... não precisa se incomodar. O que fiz, fiz de coração. Eu quero café de gatinho – guardou o cartão – vamos comemorar nossa vitória lá sim... yuppieeeee! – ergueu o braço no ar comemorando o convite – vai ser divertido – e olhou para Yuki, Minsoo, Chae e Dam – eu nunca fui convidada para nada, nem fui convidada de honra... muito obrigada – ela estava com o olhar marejado de emoção.
    Larissa Aprill
    Mutante
    avatar
    Mutante

    Mensagens : 510
    Reputação : 48
    Conquistas :
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/410.png

    Re: 3º passo - Alianças

    Mensagem por Larissa Aprill em Ter Jul 18, 2017 8:05 am

    Ela sabia do preço de suas palavras ao pai. Sua liberdade era passageira, então precisava agarrar todas as oportunidades antes que seu mundo começasse a ruir.

    Em casa enquanto tomava café da manhã, a menina sorriu ao ver o interesse da mãe pelo loiro.

    - Geugeos-eun geuga danji chingulo jeoleulbogo, bogjab.
    É complicado, ele só me vê como amiga.


    Disse um pouco entristecida, mas logo dá um jeito de animar o assunto, não queria que a mãe se preocupasse com ela. No caminho ela responde a mensagem de Go Mi Nam, dizendo que o jantar não tinha sido tão terrível assim.

    Assim que ela chega na sala, ela se desculpa com a equipe e fica toda a parte da manhã treinando num canto com Park. Pelo menos agora ela sabia todos os passos, mas precisava focar sua atenção em seus gestos e teria que aprender a ser um menino sexy. Talvez Min-ki pudesse ajudá-la nisso mais tarde.

    Assim que fazem a pausa pro almoço, o loiro e Amihan ficam ao redor dela. Ela abaixa o olhar para os rapazes.

    - Mian haeyo. bumonimgwa hamkke jeonyeog sigsa-e gal subakk-e eobs-eossseubnida. geuligo naneun oneul bam-eul gyeong-gohajiman, jib-eseo jam-eul ij-eo beolyeossseubnida. eomeonineun hyangsubyeong-ieossda
    Me desculpe. Eu não tive outra escolha a não ser ir num jantar com meus pais. E eu esqueci de avisá-los, mas dormi em casa essa noite. Minha mãe estava com saudades.


    Inconscientemente ela passa a mão na nuca. Era difícil de acreditar que menos de 24 horas ela tinha voltado para sua antiga vida e a agora fingia ser novamente um menino.

    Na saída ela encontra Shin e fica surpresa com o cafuné, o que a fez corar e se afastar um pouco enquanto arrumava os cabelos bagunçados pelo rapaz.

    Eles caminham juntos para o refeitório, ela concordava com a cabeça ao que ele dizia.

    - uli nalaneun geudeul-i wonhaneun ttae museoun geos-eulo algoissda. geuleona naega taewa bogsung-a honja cheoli hal gyeong-u bangbeob-eul algohaji anhseubnida, geogie dangsin-eul mannaseo haengboghaessda geu já.
    Nossos país sabem ser assustadores quando querem. Mas fiquei feliz por te encontrar lá, não sei como teria lidando se estivesse sozinha com o Tae e a Peach naquela festa.


    Eles trocam números de telefone no corredor e quando chegam no refeitório, a menina o acompanha até a mesa da ruiva. Ela chega e cumprimenta o grupo das meninas, Minsoo e Dam.  Eu Se percebe que Bae, Min-ki e Amihan estavam sentados por perto também.

    - Annyeonghaseyo, eotteohge dangsin-eun?
    Olá, como tem passado?


    Ela sorri com a ingenuidade da garota e complementa a frase de Shin.

    - ulineun uliui choegoui .... modeun goyang-i keopileul jul geos-ida.
    Vamos dar nosso melhor.... tudo pelo café gatinho  ^^


    Depois ela se senta na mesa com os amigos e começa a comer. Eu Se percebe que Min-ki estava emburrado.

    -  Museun il-iya?
    Qual o problema?


    Eu Se daria atenção aos seus amigos, perguntar ia como Bae estava indo em seus ensaios e depois do almoço voltaria a treinar com afinco a coreografia. Ficaria até fechar a sala e depois iria treinar na academia do hotel. Precisava recuperar o tempo perdido. Também pediria ajuda para Min-ki, com algumas dicas para fazer uma expressão sexy na dança.

    Conteúdo patrocinado


    Re: 3º passo - Alianças

    Mensagem por Conteúdo patrocinado


      Data/hora atual: Qui Set 21, 2017 12:16 am