Um fórum de RPG online no formato de PBF (Play by Forum).


    Capítulo 5 - Soldados de Rosso

    Compartilhe
    Gakky
    Mestre Jedi
    avatar
    Mestre Jedi

    Mensagens : 1472
    Reputação : 88
    Conquistas :
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/311.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1112.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1011.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1811.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1413.png

    Re: Capítulo 5 - Soldados de Rosso

    Mensagem por Gakky em Seg Jul 17, 2017 2:59 pm

    ---> Cena Corredor (Marin, Chui)

    Chui e Gail se aproximam do evo desacordado. O caçador é otimista em sua resposta ao príncipe, estava surpreso com as atitudes dele. Não demorou para Marin voltar a si, mas se sentia frustrado por ter falhado mais uma vez. Pelo menos agora lembrava dos amigos. Sem perder tempo, tomou logo a cápsula que precisava e se desculpou. Em seguida tentou se levantar, ainda sentia as pernas um pouco bambas, mas conseguia caminhar. Gail sorri ao ver o amigo se recuperar e diz:

    - Quando tudo isso acabar, você deve procurar um médico. E também tome cuidado para não esquecer seu remédio de novo, eu quase tive que tomá-lo...

    Os três finalmente caminham até os chuveiros para se banharem. A água estava quente e confortável, um vapor quente deixava o compartimento do vestiários aquecido. Gail organizava suas roupas em um canto antes de entrar no chuveiro, já tinha se despido da camisa quando falou a Marin:

    - Marin, você se lembra que quase nos fez tomar seu remédio? - Ele ri simpático e continua - Você sabe ser desconfiado, eu não sei se seu remédio pode me fazer mal. Mas eu sei que evos são diferente dos humanos, sabia que evos são imunes a qualquer tipo de veneno? Então eu não sabia se tinha ingredientes no remédio que poderiam ser venenosos para mim e não para você. Eu já fui envenenado antes e não queria que se repetisse...

    Os três tomam banho tranquilamente, era bom tirar a sujeira do corpo assim como o sangue seco dos ferimentos, pelo menos do evo e do caçador, que haviam sido espancados. Com certeza o rosto de vocês ficaria roxo no dia seguinte, se tocassem a parte que foi socada, sentiriam que está dolorido. Enquanto se vestiam, Gail também fez umas perguntas:

    - Vocês se lembram do que a Ray disse quando estavam me procurando na floresta? Quando eu fugi... Ela ficou preocupada ou irritada?

    O príncipe suspira enquanto espera a resposta de Chui e de Marin. Depois ainda pergunta:

    - Eu não entendo, a Ray me trata tão friamente, mas a vocês dois, ela sempre os trata bem. Já perceberam que ela nunca grita com vocês? E olha que eu e ela nos conhecemos há mais tempo. Acho que ela não deve gostar mesmo de nobres... O que ainda estou fazendo de errado? Não compreendo... Sinto que a cada dia que passa, ela parece se irritar ainda mais comigo...

    Essas ultimas palavras de Gail foram acompanhadas por um olhar perdido. Não demorou para que ele mudasse o assunto:

    - Ahn... Marin, você nunca mais falou daquela evo, como era o mesmo o nome... A Nina! Achei que tinha gostado dela.

    Todos vocês rolem teste de percepção CD7, se passaram vão ouvir uma voz fina chamando por: "Gaiô...Princesa..."

    ---> Cena Lounge (Ray)

    Rhaenee logo explicou para a criança alien sobre quem era a princesa e sobre a tela onde a imagem dela aparecia. Bloo ficou observando com curiosidade até que sua "mãe" o pediu para ir chamar o Gail. O alien acenou com a cabeça e sorriu:

    - Sim, mãe Ray! Bloo indo...

    A criança extraterrestre saiu do lounge apressada para fazer o que a guarda-costas disse. Enquanto isso, Ray respondia as perguntas da princesa. Adelaine ouviu tudo atentamente e nem podia imaginar que Gail havia fugido naquela hora, ainda acreditava que ele só estava com problemas por causa do curry. Ela também observava quando a criança alienígena sai da sala.

    - Fico feliz de ouvir isso, Rhaenee - Respondeu a princesa - Estou ansiosa para que ele se junte a nós aqui na base. Só tenho receio de que o Gail não goste das acomodações mais simples. Mas... Só uma pergunta, quem é aquela criaturinha azul? É uma criança? Ela te chamou de mãe?

    A princesa espera a resposta da guarda-costas. Rosso logo depois aproveita para perguntar a situação da galáxia. Era visível no olhar do comandante sua grande devoção para com a princesa. Parecia realmente bem na escolha que havia tomado, mas talvez não fosse a melhor escolhe para Rhaenee. Adelaine responde com pesar e tenta passar as informações para vocês dois:

    - Está tudo muito difícil, comandante. Muitos nobres se viraram contra nós, e como eu disse, Duos aceitou fazer uma aliança com o nosso inimigo e ainda não foi confirmado, mas parece que alguns integrantes da corte de Duos, estavam envolvidos com o golpe desde cedo. Um de nossos aliados, que está os espiando, soube que vai ter até uma cerimônia de nomeação do novo Rei de Primus, descobriram que o nome dele é Montalbán, é o homem de armadura metálica que mencionei antes. Estão contratando até mesmo artistas para entretê-los. Parece que esse golpe está planejado para acontecer há muito tempo, mas não sabemos exatamente quanto tempo. Eles fazem parte de um grupo de nobres que vinham se apoiando e desviando fundos do tesouro real. Além disso, estão pressionando os outros planetas a se aliarem também, depois da nomeação, planejam tomar a força os que não aceitarem fazer uma aliança. Não sei se estão tratando bem o meu povo, é realmente lamentável que a justiça esteja perdendo assim.

    - Nós vamos pensar em algo, alteza- Respondeu o comandante - Com as novas informações, poderemos achar um meio de reverter esse golpe.

    - Espero que sim, comandante - Disse a princesa - Espero mesmo que sim, estou disposta a fazer tudo pelo nosso povo. Vocês tem alguma pergunta que queiram fazer?
    Luxi
    Moderador
    avatar
    Moderador

    Mensagens : 1236
    Reputação : 173
    Conquistas :
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/311.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1012.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/912.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/212.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1811.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1413.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/410.png

    Re: Capítulo 5 - Soldados de Rosso

    Mensagem por Luxi em Seg Jul 17, 2017 6:07 pm

    Ray achava bonitinho e até ficava meio sem graça com Bloo a chamando daquele jeito, mas como falar que não? Apenas sorriu e agradeceu o pequeno enquanato ele saia do local.

    - Tenho certeza de que as acomodações simples não serão mais um grande problema, alteza. Aquele é Bloo, um bebê alienígena que encontramos em nossa viagem em Nihil. O Chui que deu esse nome para ele. Nem sabemos de verdade se é menino ou menina, mas ele acabou me "adotando" como mãe dele e eu meio que aceitei esse papel...hahaha. Ele é muito inteligente e já está falando bastante. Eu me perguntos e um dia vamos encontrar os pais de verdade dessa criança... ou até onde irá seu desenvolvimento.

    Ouviu então as novas explicações da princesa e a menção de Montalban.

    - Montalban... de novo. Esses nobres... sempre articulando! Eu me pergunto se a minha família está bem em Primus... De qualquer forma, tem alguma ideia se Montalban conseguiu reunir todos os artefatos, menos a espada? Isso seria um problema. Achei que estávamos em vantagem...
    Tsumai
    Tecnocrata
    avatar
    Tecnocrata

    Mensagens : 337
    Reputação : 13
    Conquistas :
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/411.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1811.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1413.png

    Re: Capítulo 5 - Soldados de Rosso

    Mensagem por Tsumai em Seg Jul 17, 2017 9:50 pm

    Ainda bem que as coisas tinham se ajeitado e não precisaram enfrentar um Marin armado. Chui complementou o que príncipe disse sobre o remédio:

    - Acho que seria uma boa se você carregasse uma ou duas cápsulas dessas com você, Marin. Para ocasiões como estas... por sorte Gail pensou rápido.

    Resolvido os problemas, os três foram para o banho, finalmente relaxar na água morna e reconfortante de Seleucia. Mas antes de entrarem efetivamente debaixo do chuveiro, Gail fez comentários a respeito do remédio e da fisiologia do evo, e Chui parou prestando atenção. Verdade, se um evo era imune a certas substâncias, as chances de uma cápsula daquela possuir algumas delas que fossem nocivas a um humano eram grandes.

    - Ainda bem que você não tomou então. - comentou o caçador para o príncipe.

    Então cada um terminou de se despir ao entrar nas baias dos chuveiros, e a água morna cair sobre o corpo era uma sensação indescritível. Depois da tensão, dos golpes que levaram e da sujeira de Nihil, lavar o corpo parecia também lavar a alma, e Chui nem conseguia mais se preocupar com as revelações que ouvira. Foi pego de surpresa pela pergunta de Gail enquanto passava xampu nos cabelos.

    - Bem... acho que foi um misto dos dois. Conhece a Ray, ela briga bastante, mas dava para perceber que estava preocupada.

    E então veio a segunda fala do príncipe e Chui voltou a ficar surpreso. Apesar de sempre saber dos sentimentos de Gail por Rhaenee, que se lembrava, era a primeira vez que ele quase falava abertamente sobre isso. Pensou um pouco e resolveu falar a respeito com Gail enquanto ensaboava os braços.

    - Olha, tem um motivo para ela se irritar com você e não com a gente. - Chui gesticulava em sua baia mesmo que o príncipe não pudesse ver. - Primeiro porque você é um tanto teimoso, mas relaxa, isso nem é o principal. Ray briga e reclama muito com você porque vocês são íntimos, ou seja, ela é beeem mais próxima de você do que da gente. E claro, o jeito dela de brigar não é como o do Rosso... ela é mais, digamos que carinhosa. Acho que você tá sacando onde quero chegar, né? Intimidade, carinho... só ligar os pontos.

    Chui queria que o amigo entendesse que a implicância de Ray era o jeito de ela demonstrar o afeto que sentia por ele, e que aos olhos do caçador eram mais que carinho de amigo. Mas não quis falar isso abertamente pois achou que Gail pudesse não gostar... só não sabia se tinha sido muito enigmático nas dicas. Esperava que ele entendesse sua mensagem. Mas, para mudar o assunto, o príncipe começou a falar de Nina para Marin, e Chui ficou curioso pela resposta do evo.

    Quando estava quase terminando o banho (a água estava muito boa para sair rápido), Chui conseguiu ouvir a vozinha fofa de Bloo, gritando por Gail e falando de princesa. Ou alguém tinha dito isso para ele ou ele percebeu que a princesa estava chamando pelo irmão. De toda forma, Chui avisou para o príncipe, rindo.

    - Gail, seu afilhado tá te chamando. Parece que sua irmã tá no comunicador.
    Pallando
    Troubleshooter
    avatar
    Troubleshooter

    Mensagens : 873
    Reputação : 15

    Re: Capítulo 5 - Soldados de Rosso

    Mensagem por Pallando em Seg Jul 17, 2017 10:25 pm

    Marin negou com a cabeça para a primeira pergunta, embora na verdade tivesse conhecimento da sua tentativa de faze-lo tomar o remédio. Tinha medo de acabar tendo que conversar a respeito de suas perdas de memória caso respondesse que sim, se lembrava do que havia tentado fazer. Acreditava que o melhor a se fazer era evitar o assunto, assim tanto Gail quanto Chui esqueceriam o evento com mais facilidade e não se sentiriam inseguros por ter o evo na nave. Detestava a ideia de que sua presença poderia colocar os outros em risco quando na verdade o que realmente queria era ajuda-los.

    - Você fez bem em não tomar... nem eu saberia dizer se esse remédio pode ou não fazer mal.- Já sobre o fato de os evos serem imunes a venenos, Marin ficou um pouco surpreso e também interessado no assunto.- Então sou imune a venenos...- Repetiu para si mesmo. Por alguns instantes até pareceu estar orgulhoso disso.

    A pergunta seguinte do príncipe pareceram um pouco sem sentido para Marin, ao menos no inicio. O evo aproveitou-se da distração do príncipe e olhou para Chui como se perguntasse ao caçador que tipo de resposta era esperada. Que utilidade teria saber algo assim? Não seria mais fácil perguntar diretamente para a Ray? Era um pouco curiosa a relação entre Ray e Gail. Ambos eram ligados pelo vínculo "príncipe e protetora" e também eram amigos de longa data, mas as vezes parecia algo mais.

    E embora não soubesse o que era esse "algo mais", Marin já tinha sensibilidade o suficiente para reconhecer a existência disso e confiar que Chui saberia responder melhor. E realmente, Marin assentiu em concordância depois de ouvir a resposta do caçador.

    - Exato.- Disse como se tivesse conseguido ligar o pontos que Chui havia mencionado, algo que certamente não era bem verdade.

    Depois de parecer um pouco perdido com o assunto, Gail mudou o rumo da conversa. Marin surpreendeu-se com a pergunta, visto que não tinha uma resposta rápida para dar. O evo sempre seguia focado em apenas um objetivo por vez e deixado pouquíssimos espaços para refletir sobre o que havia ficado no passado. E depois de ter ajudado a garota evo como podia, já havia se conformado que só lhe restava torcer para que ela conseguisse ter uma boa vida.

    Talvez por ser tão fraca, Nina havia conseguido despertar o lado protetor de Marin desde o inicio e conquistado sua simpatia com muita facilidade devido a personalidade ingênua. Por tudo isso, o evo realmente gostaria de saber se ela havia conseguido essa boa vida, embora não a ponto de pensar a respeito disso quando tinha todo o problema com os artefatos para se preocupar.

    - Não quero que ela tenha o mesmo destino do irmão, mas ela é boba e não sabe se cuidar... então pretende vê-la novamente. Ou pelo menos perguntar sobre para o tenente... acho que ele ainda é o tutor dela.
    Gakky
    Mestre Jedi
    avatar
    Mestre Jedi

    Mensagens : 1472
    Reputação : 88
    Conquistas :
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/311.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1112.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1011.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1811.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1413.png

    Re: Capítulo 5 - Soldados de Rosso

    Mensagem por Gakky em Ter Jul 18, 2017 6:01 pm

    ---> Cena Corredor (Marin, Chui)

    Trilha sonora - Momento de Paz:

    O príncipe ouviu a resposta de Chui ao seus questionamentos, mas logo franziu as sobrancelhas confuso. Marin logo concordou com o caçador como se soubesse do que estava se falando. Pelo menos, de alguma forma, aqueles três adolescentes começavam a conversar como verdadeiros amigos. Gail respondeu a Chui depois de lançar um olhar para o evo:

    - Eu não sou teimoso! - Reclamou, mas em seguida reconheceu - Tá... talvez eu seja teimoso algumas vezes... Eu não sei se poderia dizer que a Ray é carinhosa... Só quando ela quer... Ligar os pontos? Então quer dizer que ela é violenta comigo porque somos mais próximos? Isso faz mesmo sentido?

    Gail suspira e veste suas camisas, em seguida comenta com o olhar perdido:

    - Ray é tão imprevisível... Sempre estou pensando no que ela vai fazer, em como ela vai agir...

    Ele percebe então que estava falando demais. Marin parecia levar em conta a ideia de voltar a falar com a Nina. Gail então responde sobre isso:

    - Depois do golpe, não acho que dê para saber se ela ainda está com aquele tutor.

    Os cabelos de Gail estavam ainda molhados. Então Chui avisa que ouviu Bloo chamar, parecia que a princesa tinha se comunicado. Gail lançou um olhar furioso ao Chui por causa da palavra afilhado. Termina de se vestir rápido e antes de sair faz um comentário com o caçador:

    - Afilhado? Não diga essas coisas! Aquela criança... Agora a Ray só que saber do Bloo... Mas você disse princesa? É melhor ver isso logo...

    Vocês três já tinham tomado banho e faltava pouco para se vestirem. O príncipe foi na frente encontrar com Bloo. Logo Chui e Marin se juntam a ele. Então os três vão juntos para o lounge. (Próxima cena)

    ---> Cena Lounge (Ray)

    A princesa ouve Rhaenee falar sobre Bloo e fica surpresa e comovida com a história do bebê alienígena. Ela sorri com ternura e diz a guarda-costas:

    - Isso é inacreditável! Nunca encontramos alienígenas antes! E Rhaenee, você realmente parece ter nascido para ser mãe. Apesar de ser uma grande descoberta, fiquei comovida com a criança. Ela não deve ter parentes ou pais, imagine como vai sofrer se tiver que viver entre nós, os humanos. Sem ter alguém de sua própria espécie, deve ser solitário... Enquanto é uma criança, isso não será um problema grande. Espero mesmo que encontremos os pais dessa criança. Eu gostaria de fazer aliança com um povo alienígena. Então, Rhaenee eu sei que peço muito de você, mais do que sua função. Mas dessa vez, ainda vou explorá-la só mais um pouco, por favor, cuide bem dessa criança. Sei que fará isso, mesmo sem eu pedir. Só estou dizendo para tornarmos isso oficial. Este Bloo pode ser também a nossa ponte para relações sociais com outra forma de vida inteligente. Vamos torcer para encontrarmos os pais dessa criança.

    Então a guarda-costas comenta sobre Montalbán, era um fato que ele era o inimigo de todos. Mas Adelaine não tinha as informações que Rhaenee pediu, porém prometeu que faria os seus aliados pesquisarem sobre isso. A princesa também aproveita para agradecer:

    - Obrigada a todos por estarem cuidado bem do meu irmão. Gail sempre vive me falando que a Rhaenee é ótima, eu posso entender o porquê. Meu irmão está em boas mãos. Quero agradecer aqueles dois rapazes também e comandante, não me arrependo um dia sequer de tê-lo tornado comandante. Obrigada.

    O comandante Rosso parece ficar um pouco afetado com essas palavras, mas ainda assim manteve sua postura. (Próxima cena)

    ---> Cena Lounge (Todos)

    Trilha Sonora - Música de interação no lounge:

    Logo a porta do Lounge se abriu, por ela veio Bloo, Chui, Marin e o príncipe. Os cabelos dos três adolescentes ainda estavam úmidos, mas a aparência deles já tinha melhorado muito, um banho era sempre renovador. Adelaine logo sorriu ao ver o irmão e respirou aliviada. Algumas lágrimas até pareciam querer escapar dos belos e delicados olhos da princesa. Gail sorriu ao ver a irmã, não estava tão emotivo, mas era visível sua satisfação. Por sorte, a irmã dele não havia perguntado sobre o seu intestino. Gail conversou mais um tempo com a irmã.

    Rhaenee foi com Bloo para o banheiro e deu banho na criança, com isso acabou descobrindo que era um menininho, ela pode decidir se vai contar ou não aos outros. Rosso indicou a ela um armário com roupas de reserva, então a guarda-costas conseguiu vestir o menino com um casaco que o serviu até os joelhos. Depois de Ray tomar banho, o comandante Rosso tratou de pegar uma caixa de primeiros socorros e ordenou que o grupo todo sentasse no sofá para tratar os ferimentos. Rhaenee se sentia bem melhor após o banho, seus cabelos estavam úmidos e arrumados dessa vez, se sentia mais leve e confortável também, embora seu curativo ainda estivesse úmido. De dentro da caixa, Rosso tirou sprays de pele e emplastros para usarem nos machucados. Bloo ficou curioso ao ver tantos objetos saindo da caixa de primeiros socorros, seus olhos pareciam até hipnotizados. Ele também havia ficado muito bonitinho com o casaco.

    - Pri-me-i-ro...- Tentava aprender o Bloo - So-cô-rô-is...

    - Vocês devem se cuidar antes de irem dormir, a boa notícia é que Seleucia tem uma rota, vamos para o esconderijo onde está a família real. Depois iremos planejar nossa vingança contra Montalbán. Parece que ele vai até fazer um evento em sua própria nomeação real, com teatro e outras atrações... Patético... - Dizia o comandante - Os emplastros são como adesivos, basta tirar o plástico e aplicar nos hematomas. Se tiverem algum corte aberto, usem o spray de pele.

    O príncipe prestava atenção, mas não tinha ferimentos visíveis, pois não foi socado em nenhum momento. Porém olhava constantemente para Ray com preocupação. Até mesmo perguntou ao comandante:

    - Comandante! O curativo da Ray está molhado, isso não é bom. Ele deve ser trocado.

    - Sim, é verdade - Concordou Rosso - Na sala médica tem um curativo especial que é impermeável. Rhaenee pode ir lá e trocar o seu, o ferimento já deve estar bem melhor e poderá manusear bem o braço.

    O príncipe nem esperou a resposta dela, se levantou apressado e pegou na mão da amiga. Ray sente que os dedos dele estavam quentes. Gail a puxou para seguir com ele até a sala médica e avisou ao Rosso onde estavam indo:

    - Vou levá-la para sala médica, não podemos deixar isso molhado desse jeito.

    Os dois saíram apressados do lounge, por causa do príncipe que a puxava. (Ray deve ir para a próxima cena). Rosso já tratava rapidamente os próprios ferimentos. Chui e Marin nem tinham começado a tratar seus ferimentos ainda. Quando Marin ia pegar um dos emplastros, Bloo chega perto dele e pega antes dele o adesivo. Depois o alienígena o abre apressado e subindo o sofá, fica de frente para Chui e diz:

    -Cuidar dos... ferimentos!

    Chui mal tem tempo para responder, pois Bloo cola rapidamente o emplastro no meio do rosto de Chui, seus bracinhos eram pequenos, mas o bebê tinha uma boa força nas mãozinhas. O emplastro colou até na franja de Chui! Em seguida o pequeno sai correndo rindo e vai volta a observar a caixa de primeiros-socorros, encarando principalmente a mão do evo, como se o esperasse tentar pegar alguma coisa.

    ---> Cena Sala médica (Ray)

    Gail não solta a mão de Raenee até chegarem na sala médica. O príncipe parecia preocupado, e assim que chegou começou a abrir os armários com pressa para procurar o curativo impermeável. Enquanto fazia isso, disse a Ray:

    - Pode infeccionar se deixar molhado... Sente nessa cama Ray, assim você pode descansar um pouco. Tire a jaqueta do seu uniforme, eu posso tirar para você o curativo molhado. Deve ter uma tesoura aqui em algum lugar...

    Rhaenee usava seu uniforme de guarda-costas. Era uma das poucas roupas limpas que sobraram, mas a parte de cima era de manga comprida. então precisaria tirar para ver o curativo. Por baixo, usava uma camisa comum. Ela também sentia que seu ombro já estava menos dolorido e já podia até mesmo esticar o braço.




    OFF: Sei que ficou grande, mas achei melhor adiantar, podem reagir com calma a cada cena. Espero que não tenha ficado corrido, se ficou me desculpem. Achei que não tinha necessidade de dar pausas.

    Marin e Chui rolem destreza CD7, no próximo post eu explico o motivo! É surpresa.
    Luxi
    Moderador
    avatar
    Moderador

    Mensagens : 1236
    Reputação : 173
    Conquistas :
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/311.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1012.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/912.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/212.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1811.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1413.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/410.png

    Re: Capítulo 5 - Soldados de Rosso

    Mensagem por Luxi em Ter Jul 18, 2017 8:22 pm

    - Combinado, alteza! Vou continuar cuidando do Bloo. Eu só espero que os pais dele sejam tão bem intencionados como ele ou essa aliança poderia sair bem errada.

    Rhaenee olhou rapidamente para o chão com as palavras dela, também um pouco constrangida por pensar em ficar no lugar de Rosso. Não era mesmo uma posição que ela gostaria de ter no futuro, não dessa maneira...

    Pensou um pouco sobre isso durante o banho, mas distraiu-se na tarefa de cuidar do alien e resolveu não contar para ninguém, apenas demonstrar em sua fala e eventualmente responderia se alguém perguntasse.

    De volta à sala, arrumada, sentia incômodo de seu curativo molhado. Era a única coisa nela que ainda lembrava o dia terrível que tiveram. Mesmo assim, mantinha o bom humor.

    - Essa caixinha você deve pegar quando alguém se machuca, Bloo. É para ajudar a curar ferimentos - explicou para o pequeno e deixou que ele brincasse com uma gaze.

    Ela não reclamou quando o príncipe a levou para a enfermaria pela mão, mas não conseguiu olhar para os demais, abaixando o rosto e deixando-se levar. Talvez devesse aproveitar as pequenas coisas antes que as obrigações deles falassem mais alto...

    Ray o acompanhou até a sala médica, em silêncio, como tinha feito quando tinham descoberto a caverna secreta em Nihil. Concordou com a cabeça, sentando-se e obedecendo. Agora começava a se sentir esquisita de novo e nervosa, exatamente como tinha sido naquela caverna...  
    Era ruim ter tempo para pensar "nessas bobagens" quando tinham tanto para pensar

    - Obrigada por me ajudar com isso... Estava mesmo me incomodando. - disse colocando a jaqueta do lado. - Acho que estou melhorando. Logo vou voltar a ser mais útil e vou poder lutar melhor com vocês contra Moltaban. - esticou o braço para ajudar a fazer o curativo e ficou mais um tempo quieta, só o observando. O que será que ele  planejava fazer depois de retomar Primus? Será que isso passava por sua cabeça? Será que já tinha pensado em algum momento nas mesmas coisas que ela? Às vezes ela tinha tanta certeza, mas agora não conseguia falar nada, sentindo o coração todo torto de nervosismo.

    --
    off: ficou ótimo!!! não se preocupe
    Tsumai
    Tecnocrata
    avatar
    Tecnocrata

    Mensagens : 337
    Reputação : 13
    Conquistas :
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/411.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1811.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1413.png

    Re: Capítulo 5 - Soldados de Rosso

    Mensagem por Tsumai em Qua Jul 19, 2017 8:26 pm

    Chui terminava de tomar banho enquanto Gail se preocupava com sua resposta, e o caçador apenas completou para ele:

    - Claro que faz sentido.

    Terminado o banho revigorante, Bloo estava à espera deles, e, como Chui imaginara, o príncipe se irritou com a palavra "afilhado". O caçador riu diante da implicância enquanto observava o pequeno alien correr até eles de uma maneira bonitinha.

    - Não precisa ter ciúmes do Bloo, ele é legal. Não é, Bloo? - Chui fez um sinal de "vitória", um "v" com os dedos para o garotinho enquanto sorria.

    Então, voltaram todos para o lounge para ouvir o que a princesa tinha a dizer - e também torcer para que ela não mencionasse a disenteria que Gail tivera, pois ele não sabia da desculpa que deram à sua irmã e nem pensaram e contar para ele. A princesa ficou emocionada ao ver o irmão, e por sorte não tocou no assunto de seu sumiço. Logo em seguida, Ray foi tomar seu banho e também cumpriu o que prometera ao levar o pequeno e agitado Bloo com ela. Chui ficou imaginando se o alien teria mesmo distinção de gênero ou não, mas acabou se esquecendo dessas questões quando ela voltou com ele, que agora vestia uma jaqueta laranja que lhe cobria quase toda as pernas.

    O grupo então foi instruído a se sentar no sofá para cuidar dos machucados. Chui não sentia tanto os seus ferimentos - desde que não tocasse neles. O sofá parecia tão confortável que estava levemente sonolento, mas se esforçou para manter-se atento, pois sabia que em breve poderia dormir. Ficou observando Bloo enquanto isso, que tentava ler a caixa, o que deixou Chui surpreso pela rapidez com que absorvia informação. Já estava aprendendo a ler com relativa facilidade.

    - Parabéns, Bloo! Muito bem! - encorajou o caçador. Em seguida voltou sua atenção para Rosso, que explicava algumas questões.

    Parece que finalmente iriam até onde estava a princesa que o embate com Montalbán estava mais próximo. Anotou mentalmente para lembrar o comandante de que queria falar com sua irmã novamente, e teria de ser antes de chegarem. De preferência, ia querer se comunicar a ela a sós, pois decidira que contaria de uma vez sobre o paradeiro do pai deles.

    E por falar em "a sós", Gail parecia querer o mesmo com Ray. O príncipe usa uma clara desculpa conveniente à situação, de trocar os curativos da guarda costas, para ter um momento sozinho com ela. Chui deixou escapar um risinho, torcendo para que seus conselhos o direcionasse para o caminho certo, e não para um desastre. Quem sabe eles adotassem o Bloo e acabaria virando um padrinho. Ou estava pensando longe demais?

    - Vamos conseguir acabar com essa bagunça do Montalban, tenho certeza! Assim nós poderemos... ei!

    Bloo havia se aproximado dele e usado um dos curativos com emplastro que Rosso mencionara e colara em seu rosto, prendendo junto sua franja. Chui ficou sem ação mas acabou rindo da atitude da criança, que era bastante adorável.

    - Haha! Obrigado, Bloo. O Marin também precisa de um desses! - implicou o caçador, só para ver como Bloo ia reagir, pois parecia atento aos movimento do evo na caixa de primeiros socorros. Tentava desprender o cabelo do adesivo enquanto isso, discretamente.
    Pallando
    Troubleshooter
    avatar
    Troubleshooter

    Mensagens : 873
    Reputação : 15

    Re: Capítulo 5 - Soldados de Rosso

    Mensagem por Pallando em Qui Jul 20, 2017 1:17 am

    Marin tirou alguns segundos para pensar no que Gail disse por fim. Talvez fosse algo que exigisse sua atenção em um futuro próximo, embora ainda estivesse bem confiante de que Nina permanecia com o mesmo tutor. Não via o golpe como algo que pudesse ter impacto até nisso, ao menos não por enquanto, mas de certo pretendia procurar ter certeza disso. Depois, já tendo terminado o banho, assistiu ao curto dialogo que deixou o príncipe um pouco aborrecido com a história de "afilhado". O evo sentia-se leve por ouvir uma conversa que não tivesse nada haver com o problema do golpe.

    Caminhou com os outros dois de volta para o lounge, e lá a princesa em chamada esperava para poder ver o irmão. Marin sentou-se em um canto qualquer e cruzou as pernas como se pudesse dormir escorado ali mesmo. Pensou em comunicar sobre a perda de memória para o comandante, afinal parecia ser a coisa mais "militar" a se fazer, entretanto não o fez. Não se importaria que ele ficasse sabendo, mas por hora o fato de o evo ter tido outro surto era irrelevante, pois tudo fora resolvido sem problemas. Apenas observou enquanto o príncipe conversava com sua irmã ao mesmo tempo que Chui e Ray interagiam com Bloo. A criaturinha azul realmente aprendia muito rápido.

    Assim que chegou a vez do comandante falar, a notícia de que já tinham uma rota foi capaz de dar mais ânimo ao menos para o evo. Já a respeito do evento de nomeação, com teatro e atrações do tipo, não era algo que incomoda-se o evo. Talvez fosse até mais fácil alcançar o maldito traidor em meio ao "espetáculo". Aquele Montalban... o nome e uma história eram tudo o que sabia a respeito do homem que tivera enorme impacto no rumo de sua vida. Depois de tantos anos, será que ele ainda procurava pela espada de Annelise?

    Com o fim da fala de Rosso, Gail agiu estranhamente e arrastou Ray com ele para a sala médica. Possivelmente aquilo tinha relação com toda aquela incerteza que o príncipe havia demonstrado na conversa de antes. A guarda-costas seguiu de cabeça baixa, talvez um pouco nervosa.

    Depois que os dois saíram, chegou a hora dos primeiros socorros e Marin aproximou-se da caixa assim como os outros. Quando tentou pegar o curativo, o pequeno Bloo agiu antes e ainda colocou o item na cara de Chui. Marin ficou um pouco espantado, até achou graça da situação, mas expressou apenas a surpresa inicial. Em seguida, percebendo que a criança parecia esperar uma ação sua, resolveu colaborar com a expectativa do pequeno e tentar pegar outro curativo.

    - Acho gostou de mexer com esses curativos...
    Gakky
    Mestre Jedi
    avatar
    Mestre Jedi

    Mensagens : 1472
    Reputação : 88
    Conquistas :
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/311.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1112.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1011.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1811.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1413.png

    Re: Capítulo 5 - Soldados de Rosso

    Mensagem por Gakky em Qui Jul 20, 2017 8:41 am

    ---> Cena Lounge (Marin, Chui)

    Na saída do banheiros, os três rapazes encontram Bloo. Quando Chui faz o sinal de V para Bloo, o alienígena repete o gesto. Mas não demoram a ir para o lounge. Gail fica nervoso quando o caçador fala sobre ele ter ciúmes da criança e diz:

    - Quem falou de ciúmes? Eu não tenho isso, sou o príncipe. Vamos rápido...

    (...)

    No Lounge, o grupo já começava a cuidar de seus ferimentos. Bloo aprendia várias coisas novas, um passo de cada vez. Ele presta atenção nas palavras da guarda-costa como se fosse a coisa mais importante ali. Pegou a gaze e ficou brincando. Mas foi só Ray sair com o príncipe, que Bloo começou a aprontar, primeiro colocando o adesivo no rosto de Chui. O caçador levou na brincadeira e riu enquanto tentava tirar o emplastro do seu rosto, sua face ficou toda suja de pasta para ferimento, mas tinha um cheiro bom.

    O alien voltou e ficou observando o que Marin ia fazer, Chui ainda provocou para que ele fizesse o mesmo com o evo. Bloo o olha com os olhos curiosos e parecia realmente ter ouvido as palavras do caçador. Quando o evo se aproximou para pegar mais um curativo, o alien sorriu para ele e pegou antes dele o emplastro. Em seguida o abriu o colou no joelho de Marin.

    Depois Bloo pegou um dos Sprays de pele e apertando o botão, gostou da sensação e saiu espirrando o spray em tudo ao seu redor, móveis, depois mirou no caçador, mas Chui desviou a tempo, mirou em Marin, mas o evo também esquivou muito bem. Entretanto o alien estava sem controle e saia sujando tudo com aquele líquido pegajoso que servia para colar a pele cortada. Rosso não gostou disso e olhando para vocês disse:

    - Só faltava essa... Sejam responsáveis e resolvam isso. Depois limpem o lounge... Está ficando tudo grudento...  

    A criança ria empolgada enquanto fazia sua arte, saiu correndo tanto que derrubou até as cadeiras da mesa. (Vocês não foram acertados pelo spray porque passaram no teste de agilidade,)


    ---> Cena Sala médica (Ray)

    Trilha Sonora Recomendada:

    O príncipe abriu os armários e conseguiu encontrar a tesoura e o novo curativo, na embalagem dizia ser impermeável ao mesmo tempo em que tinha uma tecnologia que permita que a pele respirasse. Rhaenee tira a jaqueta e sente que o movimento do seu ombro havia melhorado, ela esticou o braço para facilitar o trabalho de Gail. Ele se aproximou com a tesoura e segurou o braço dela com delicadeza, como se estivesse manuseando algo frágil. Seu olhar parecia concentrado quando cortava o velho curativo molhado. Depois de remover tudo, o príncipe juntou as partes do curativo velho e jogou fora. Por baixo de todo o curativo, sua pele estava até um pouco suja. Gail sorriu satisfeito e enquanto pegava gazes e um líquido antisséptico, respondeu ao comentários da amiga:

    - Não precisa agradecer, você já fez muita coisa. Eu sei que é teimosa, mas pelo menos dessa vez, me deixe cuidar de você.

    Gail parecia muito empenhado, a guarda-costas não lembra de o ter visto assim antes. Ele pegou uma gaze limpa e molhou no líquido antisséptico, depois foi passando devagar pelo braço na amiga. Rhaenee sente o gelado da gaze úmida na sua pele, mas também sente os dedos quentes de Gail segurando seu pulso enquanto a outra mão desinfetava o seu ferimento devagar. Ele parecia distraído, mas será que o coração da guarda-costas esta tranquilo com isso? Ela podia sentir o aroma dele, era agradável e familiar, principalmente porque ele tinha acabado de tomar banho. Depois de limpar a área do ferimento, Gail abriu a embalagem do curativo. Para Rhaenee o tempo que ele demorou limpando seu ombro e parte do seu braço parecia ter durado uma eternidade. Gail começou a enrolar o curativo novo ao redor do ombro dela, como dizia as instruções holográficas da embalagem, enquanto fazia isso, começou a conversar com a amiga:

    - Naquela hora... Na cápsula do Marin, lembra que você disse que iríamos conversar mais tarde? Eu não pude completar o que eu queria dizer. Quando nós chegarmos ao esconderijo da minha irmã, eu tenho certeza que vão me trancar em algum lugar, por segurança. Mas não tenho certeza de quanto tempo terei que ficar lá, ou quanto tempo demorarão para nós achar caso as coisas deem errado... Só queria que soubesse que não tem obrigação de ficar comigo, fui eu que nasci sendo um príncipe, então devo pagar o preço. Mas você não precisa passar por esse isolamento, você é livre Ray. E... Espere, deixe-me só terminar isso...

    O príncipe terminou de por o curativo, parecia bem feito. Ele desligou as instruções holográficas da embalagem e deixou de lado em um balcão. Em seguida abriu uma gaveta e tirou de lá um pote com pomada cicatrizante para ferimento, depois se aproximou dela. Mas antes de fazer alguma coisa, Gail tentava completar o que queria dizer, olhou para baixo e sorrindo falou:

    - Ray, tem tanta coisa que eu queria dizer, mas é difícil - Ele respirou fundo e continuou sério - Naquela hora eu queria dizer que caso eu tenha que ficar muito tempo isolado, e você vá viver sua vida, eu queria que... Isso vai parecer meio bobo e estranho, mas queria que você me desse algum objeto seu, para eu guardar como lembrança... Assim quando eu estiver me sentindo solitário por estar trancado, vou pensar em você e em como estará bem por estar livre... - Ele desviou o rosto e disse - Deixa eu ver esse corte, isso me faz ter raiva daqueles malditos bandidos...

    Gail deixou o pote de pomada para cortes ao lado da garota, em cima da cama, em seguida observou o corte do rosto de sua guarda-costas como se a analisasse mais de perto. Algumas mechas de cabelos da Ray caíam pelo seu rosto, escapando do prendedor de cabelo. O príncipe colocou a mão dele no rosto dela como se quisesse afastar as mechas soltas do cabelo da amiga. A guarda-costas sente a mão dele quente na pele do seu rosto e sua visão vai de encontro ao pescoço dele, que parecia protetor e convidativo para um abraço apertado. De alguma forma, a mão do príncipe foi repousando lentamente em sua face, o tempo parecia passar muito lentamente, como se pudesse até ser tocado.


    De repente os olhos dele encontraram com os olhos de Rhaenee, algo estava acontecendo. Os belos olhos azuis do príncipe a fitavam de um jeito intenso. Ela nem teve tempo para falar algo, pois Gail segurou gentilmente sua cabeça com as mãos e a beijou delicadamente. (Imagem da cena abaixo)

    Imagem da cena:


    O tempo parecia ter parado, o coração dois dois batia no mesmo ritmo, era um beijo simples, mas que carregava muitos significados. Gail se afastou devagar quase que hipnotizado, mas assim que seus olhos se abriram e se encontraram com os dela, ele levou um susto. Seu rosto estava corado e nervoso. O príncipe se afastou rápido e preocupado fez uma reverência para ela, em seguida se desculpou muito nervoso:

    - Desculpe Ray! Fiz sem permissão... E-eu não deveria ter feito isso sem te pedir! Desculpe! Da próxima vez vou perguntar antes... E dos seus sentimentos...

    Gail parecia realmente constrangido e preocupado.
    Luxi
    Moderador
    avatar
    Moderador

    Mensagens : 1236
    Reputação : 173
    Conquistas :
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/311.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1012.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/912.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/212.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1811.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1413.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/410.png

    Re: Capítulo 5 - Soldados de Rosso

    Mensagem por Luxi em Qui Jul 20, 2017 4:02 pm

    Conforme Gail falava, a garota ficava mais tensa. Recriminava-se por ficar nervosa daquele jeito, mas era muito difícil não fazê-lo. Sentia-se exatamente da mesma maneira quando o príncipe a abraçara anteriormente. Depois da conversa com Rosso, pensar nisso a deixava infeliz. Mesmo que já soubesse perfeitamente agora que gostava dele, admitir isso ou pensar nisso a fazia pensar automaticamente na princesa Amelie e em tantos outros problemas políticos que viriam disso. Pensava em Rosso e sua servidão eterna... seu coração preso e resignado a uma vida de comandante, jamais agradando a si mesmo por completo. Será que isso bastava?

    Estava quieta, deixando que ele fizesse os curativos nela e sentindo-se feliz por ser cuidada daquele jeito. Era bom. Conforme ele comentou sobre o que aconteceria com ele ao chegarem no esconderijo, acreditava que dificilmente ele seria permitido a deixar o lugar e lutar ao lado deles. Não tinha pensado ainda nisso e ficou incerta. Ficar em sua companhia ou lutar ao lado dos demais? Já tinha dado sua palavra que lutaria até o fim e sabia que era o mais certo. Ficar resignada em um local simplesmente para atender seus caprichos não era certo. Se ele estaria em segurança, junto de sua irmã, então ela tinha que ir. Muito mais estaria em jogo, o futuro de um planeta todo.

    Ele lhe pedia um item... Então ela levou as mãos ao cabelo e desfez  o rabo de cavalo, talvez o item mais icônico que tinha durante todo esse tempo de viagem. Mordeu o lábio e entregou a ele.

     - Pode ficar... - falou meio sem jeito. Estava mesmo entregando aquilo com carinho e queria que ele guardasse como se fosse importante. Por outro lado, também estava sem graça pois acabava assinando embaixo sua decisão de deixá-lo sozinho para viver sua vida. Sem querer, estava decidindo naquele momento deixá-lo também, para poder ser militar e seguir com a vida que deveria construir. Não disse o contrário. Não podia. Não queria ficar reclusa com ele, não tinha nem o direito disso, muito menos sangue real.

    Então ele segurou seu rosto, deixando-a surpresa. Forçava-se a não pensar nada demais, mas não conseguia deixar de ficar muito nervosa, com o rosto corado.

    - Não foi nada... o machucado... - era muito difícil falar olhando direto para ele. Sua voz falhou e saiu em um sussurro, pois sem querer ela se via hipnotizada de novo por aquele rosto. Era extremamente torturante continuar olhando ali. Ele não podia simplesmente soltá-la? Quando pensou em dizer algo, achava que tinha entreaberto os lábios, que logo foram preenchidos por ele em algo que ela nunca tinha imaginado que aconteceria de verdade, muito menos ali, antes que tudo fosse resolvido.

    Acabou fechando os olhos e relaxando os braços, correspondendo a ele muito envergonhada, mas deixando-se levar. Sentiu o coração bater bem forte e seus olhos encherem-se de emoção, apesar de apenas parecer assustada. Observou a reação do príncipe igualmente corada e incerta. Seu coração batia tão forte que ela sentia todo o corpo amolecer.

    Engoliu em seco, ainda olhando-o feito tonta e seu braço, agora já bem móvel, esticou para alcançar a roupa dele, inicialmente segurando-o, até que ele a olhasse. Havia alguma determinação ali, alem de vergonha.

    Ela ergueu o corpo e dessa vez que o puxou de repente foi a própria guarda-costas, segurando o rosto dele com as duas mãos e retribuindo propriamente um beijo.

    Quando o soltou, suas mãos tremiam, e ela até encarou o chão por um tempo.

    - ...Você sabe... que isso não pode acontecer. Por favor... vamos fingir que... - agora ela tinha os olhos marejados e a voz embargada. Não conseguia dizer para fazer com que nada tivesse acontecido. Estava tão feliz, mas ao mesmo tempo... - Vamos... resolver o problema em Primus. É só o que devemos pensar agora, alteza  - reforçou o termo para que ele se lembrasse de quem eram e por que aquilo era impossível.

    Porque depois... ele voltaria a ser o príncipe, e ela apenas uma guarda-costas.
    Pallando
    Troubleshooter
    avatar
    Troubleshooter

    Mensagens : 873
    Reputação : 15

    Re: Capítulo 5 - Soldados de Rosso

    Mensagem por Pallando em Qui Jul 20, 2017 4:32 pm

    Marin ainda tentava descobrir se a intenção daquele pequeno era ajudar com os curativos ou brincar, ou os dois ao mesmo tempo. Não conseguia entender o comportamento de Bloo por que nunca antes tivera contato com uma criança, logo também não saberia dizer se toda criança se comportava daquele jeito ou se eram apenas as alienígenas. O evo não se importou com o emplastro e continuou observando com curiosidade enquanto Bloo corria com um spray na mão. O pequeno até tentou acertar um pouco do spray em Chui e Marin, mas ambos conseguiram evita-lo.

    Era de se esperar que o comandante não gostasse daquilo, e então incumbiu os dois membros do grupo presentes de dar um jeito no problema. Em resposta, Marin levantou-se logo depois de ouvir Rosso e olhou na direção da criança que agora corria derrubando as cadeiras. A primeira coisa em que pensou foi que não tinha a mínima ideia de como faze-lo parar, depois pensou que Chui talvez tivesse alguma noção de como fazer isso. Marin olhou para o caçador com a cara de quem não sabia o que fazer, mas assim que o fez também se lembrou de algo.

    - Chui, se quiser conversar com o comandante sobre a ligação para a Ashanti... eu vigio o Bloo.- Diria isso depois que Chui fizesse algo para aquietar o pequeno alien, isso se ele fosse fazer. Do contrário diria enquanto o caçador ainda estivesse parado. Sua voz pareceria confiante, embora na verdade não soubesse bem como lidar com a criança.
    Tsumai
    Tecnocrata
    avatar
    Tecnocrata

    Mensagens : 337
    Reputação : 13
    Conquistas :
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/411.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1811.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1413.png

    Re: Capítulo 5 - Soldados de Rosso

    Mensagem por Tsumai em Qui Jul 20, 2017 9:54 pm

    Chui riu quando Bloo seguiu seus conselhos e foi fazer o mesmo com Marin, mas achou preocupante ele pegar o spray. Tanto estava certo que o pequeno se aproximou deles e tentou espirrar aquele líquido melequento neles, mas por sorte Chui e Marin eram mais rápidos e conseguiram evitar. Porém, Bloo saiu espirrando aquilo em tudo que é lugar, deixando cada móvel naquele lugar pegajoso. Quando Rosso disse para tomarem conta dele, Chui já esperava por aquilo.

    - Tudo bem, daremos um jeito.

    Então Marin se levantou e olhou para ele. O caçador já esperava que o evo não soubesse lidar com crianças, quanto menos com crianças de um planeta diferente do que estavam acostumados. Marin chegou a se oferecer para cuidar do pequeno enquanto Chui resolveria sua conversa com Ashanti. Chui apreciou a oferta do amigo, que era um gesto de preocupação, mas deixaria aquilo para mais tarde, e não largaria o evo à própria sorte com Bloo.

    - Não se preocupe, Marin, falo com ela antes de dormir. - depois, passou a chamar Bloo, agachado e com os braços abertos. - Blooooo! Vem cá, vou te mostrar como é o spray! Deixa eu te ensinar!

    Não sabia se daria certo, mas era o melhor que conseguiria.
    Gakky
    Mestre Jedi
    avatar
    Mestre Jedi

    Mensagens : 1472
    Reputação : 88
    Conquistas :
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/311.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1112.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1011.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1811.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1413.png

    Re: Capítulo 5 - Soldados de Rosso

    Mensagem por Gakky em Qui Jul 20, 2017 10:34 pm

    ---> Cena Lounge (Marin, Chui)

    Marin e Chui deveriam decidir uma forma de parar aquela criança brincalhona e rebelde. Entretanto o evo nunca tinha lidado com crianças antes e nem tinha ideia do que fazer. Mas foi gentil ao sugerir ao caçador que tomaria conta de tudo para que o amigo pudesse falar com Ashanti. Chui sabia que seria difícil para Marin dar conta sozinho de Bloo, por isso decide ajudá-lo, teria tempo de falar com a irmã mais tarde.

    Então com confiança, Chui se agachou e chamou pelo alien de braços abertos. Bloo se escondeu atrás de uma cadeira e lançou um olhar curioso para o caçador, também tinha um sorriso travesso nos lábios. A criança olhou também para o spray que segurava e depois de uma risada bem fofa respondeu:

    - É Meu! Bloo cura ferimento!

    O alienígena correu até Chui e quando chegou perto, espirrou uma grande nuvem de spray no caçador, em seguida largou o spray no chão e subiu em um dos balcões. Abriu a porta de um dos armários da cozinha e começou a jogar os pacotes de comida longe, ria ao ver como as coisas caíam no chão.

    - Legal! - Gritou fazendo o sinal de V na mão.

    Rosso não gostou nada de ver isso, respirou fundo e disse:

    - Ainda não conseguiram, será que vou ter intervir? Não sou bom com crianças, só conheço um método de disciplina, se eu tiver que me intrometer vai ser para discipliná-lo no estilo militar. Se não querem isso, melhor parar essa criança agora. Ela está estragando nossos mantimentos.

    ---> Cena Sala médica (Ray)

    Quando Ray entrega o seu prendedor de cabelo ao príncipe, ele parece surpreso por uns instantes, seu olhar adquire uma expressão melancólica por uns instantes, mas logo um sorriso ameno surge em seus lábios. Gail guarda o item com carinho dentro de sua túnica e diz:

    - Obrigado. Vamos combinar uma coisa, quando toda essa confusão terminar, vou devolvê-lo pessoalmente a você.

    Também estava corado e um pouco diferente, era como se estivesse se contendo de algo. Mas então suas atitudes se seguiram, desde o momento em que analisava o corte de Rhaenee até o momento em que seus corações bateram juntos pela primeira vez. Gail tentava se desculpar pela sua atitude impulsiva, estava assustado e preocupado. A guarda-costas tinha o rosto totalmente ruborizado, e quando segurou a aba da túnica do príncipe, ele arregalou os olhos.

    Rhanee então fez o que seu coração desejava, com as mãos tremulas, o segurou e o beijou. O príncipe não se afastou e também fechou os olhos se entregando aquele momento único. Os dois ansiavam por algo assim, mas será que havia espaço para isso no mundo em que viviam? A guarda-costa o soltou e envergonhada encarou o chão. Se tivesse olhado para ele, o veria também completamente ruborizado e surpreso.

    As próximas palavras de Rhaenee vieram com uma voz chorosa. Gail a ouviu em silêncio, ainda tentava por em ordem os pensamentos. Quando ela mencionou a palavra alteza, ele franziu as sobrancelhas, breves segundos se passaram em silêncio. Gail segurou as duas mãos da guarda-costas e a puxou para frente da cama. Em seguida a abraçou apertado, a envolvendo com os próprios braços de um modo protetor e sussurrou em seu ouvido:

    - Ray, você me chamou de alteza, então agirei como seu príncipe.

    Depois de falar ele deu um passo para trás, estava com uma expressão séria quando de repente desembainhou a espada, em seguida se abaixou na frente dela, um joelho encostado no chão e a outra perna flexionada, a cabeça abaixada, era uma típica reverência usada pela realeza. O príncipe colocou a espada na frente dele no chão. Rhaenee havia frequentado muito o palácio e eventos da realeza, por isso sabia que esse gesto significava que tudo que ele falaria seria verdadeiro, ele estava provando que não brincava com os sentimentos dela, como alguns outros príncipes faziam antes de casarem, também mostrava que não falaria falsas promessas, seria um discurso na frente do brasão real de Arkadia.

    - Rhaenee, eu desejo que fiquemos juntos. Eu juro que irei proteger nossos desejos com toda minha a força. Me deixe lutar por nossos sonhos, Rhaenee.

    Gail se levantou e esticou uma nas mãos na direção da garota, com a palma virada para cima ele continuou:

    - Rhaenee, eu sou o príncipe de Primus, não de Duos ou de qualquer outro planeta. Confie em mim, vou lutar por nossos desejos, vou encontrar um caminho onde poderemos realizar nossos objetivos sem prejudicar o reino. Você não precisar se preocupar, só me diga, aceita me deixar lutar por isso? Aceitaria a minha mão?
    Luxi
    Moderador
    avatar
    Moderador

    Mensagens : 1236
    Reputação : 173
    Conquistas :
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/311.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1012.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/912.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/212.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1811.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1413.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/410.png

    Re: Capítulo 5 - Soldados de Rosso

    Mensagem por Luxi em Qui Jul 20, 2017 11:58 pm

    off: taradona da peste Mad
    meninos, me perdoem por ser assim.
    Sou a parte shoujo do nosso anime.
    estou é mto feliz. HAUHAUHAU <3 <3 <3

    on:
    Rhaenee não entendeu, a princípio o que ele quise dizer com "agir como príncipe dela", mas essas palavras mexeram com ela. A menina arregalou os olhos e sentiu-se bastante envergonhada, com medo do que viria, mas ao mesmo tempo ansiosa. Era diferente do que ela esperava, e fez com que não olhasse mais para o chão. Era muito estranho ser correspondida, mais ainda na circunstância em que estavam, mas a verdade é que sabia esse tempo todo, só tinha medo de terem que viver isso, pois não tinha volta, sabia. Agora seria realmente muito mais difícil fingir-se profissional, como se algum dia tivesse aceitado aquele emprego por ser competente, e não por que ambos só queriam uma desculpa para ficar mais perto. Acabou não o abraçando de volta, pois ainda se sentia mal por toda a situação.

    Quando ele se ajoelhou, o susto que levou foi maior ainda e ela não conseguiu conter o brilho nos olhos emocionado por vê-lo repetir aquele gesto, que antes ela achava tão patético e burocrático dentro dos rituais frescurentos do castelo, mas agora achava tão bonito que fosse direcionado a ela. Logo ela, que nem realeza era. Engoliu o choro, sem derramar lágrimas ainda, com sucesso, mas apreciava muito o que ele tentava fazer por ela. Por acaso ele sabia o quanto era um idiota de achar que ficariam juntos?

    Nunca tinha visto o menino determinado daquele jeito, nem quando lutaram juntos nos últimos tempos. Parecia que ele tinha crescido muito naquela viagem. Jamais pensaria que um dia ele sairia de seu posto de príncipe e orgulho e começaria uma rebeldia sistêmica por causa de...alguém como ela.  A forma como ele lhe oferecia a mão poderia parecer boba, ou fora de contexto para alguém que não tivesse visto aquela cena acontecer incontáveis vezes mas com outros personagens envolvidos. Era o jeito que ele conhecia para agir naquele universo e isso a fez apreciar cada palavra e achar todo o ato muito bonito.

    Fez uma careta, porque agora sentia lágrimas no cantinho dos olhos e acabou balançando a cabeça em afirmação. Mesmo que soubesse que não deveria, que talvez mais do que a promessa dele as leis dos planetas falassem mais alto, ela queria permitir-se ser infantil e adolescente e acreditar em tudo aquilo, antes que as circunstâncias a trouxessem para mais perto da realidade.

    Esticou o braço e pegou a mão dele, seus olhos incrédulos a faziam achar que já tinha dormido e estava sonhando. Parte dela teimava em jogar a lembrança de que estavam partindo para uma grande batalha, mas permitiu-se viver um momento de leveza e alegria, pois não sabia quando poderiam fazer algo assim novamente.

    - Você é mesmo muito teimoso. - sorriu de forma provocativa, como era de costume, sem derramar lágrimas, mas depois esse sorriso se desmanchou para algo mais feliz de verdade.
    -  Vou esperar pela presilha. É minha favorita.

    Fez uma longa pausa e olhou para a porta. Seu tom de voz tinha mudado totalmente e ela parecia bem tranquila, e até feliz.

    - Vamos voltar. Não quero que fiquem pensando bobeira ou não possam dormir por nossa causa...
    Pallando
    Troubleshooter
    avatar
    Troubleshooter

    Mensagens : 873
    Reputação : 15

    Re: Capítulo 5 - Soldados de Rosso

    Mensagem por Pallando em Sab Jul 22, 2017 4:03 pm

    Mais uma vez o pequeno Bloo espantou Marin com o que fazia, espirrando o spray em Chui para logo em seguida subir nos balcões e começar a jogar alguns pacotes de comida no chão. Aquela criança estava bem agitada sem Ray por perto, e o aviso do comandante ao ver tudo aquilo servia para apressar alguma atitude por parte do evo ou do caçador. Para Marin em especial, era curioso observar o comportamento infantil do alien e sua persistência na desobediência. Vendo aquilo, o evo realmente acreditava que talvez não fosse uma má ideia deixar Rosso cuidar daquilo.

    Marin não sabia realmente como proceder. Não estava com raiva do pequeno alien, afinal de contas sabia que não havia maldade nas ações dele, mas acreditava que uma postura mais firme havia se provado necessária. Tinha conhecimento de que provavelmente não conseguiria "amedrontar" a criança apenas com palavras, pois sabia que não possuía uma aparência ameaçadora. Depois de pensar a respeito de tudo isso, o evo decidiu agir antes que o comandante precisasse fazer isso.

    O evo caminhou sem pressa até o balcão onde o pequeno alien estava, ainda um pouco incerto a respeito de como agir, e caso conseguisse chegar até Bloo sem faze-lo recuar, tentaria segurar o pulso da criança antes que outro pacote de comida voasse ao chão. Seria firme se conseguisse, mas sem apertar a ponto de machucar, e puxaria o alien de volta se este tentasse escapar. Não tentaria fazer cara feia ou intimidar a criança ainda, apenas colocaria sobre ele seu olhar indiferente, de reprovação, e daria um tempo para que Bloo entendesse que era o único rindo daquilo.

    - Pare agora.- Diria se tudo acontecesse como esperado. Ainda que Marin não soubesse se aquilo era ser duro demais ou não, tinha certeza de que seria uma situação bem mais desconfortável para o alien se fosse Rosso a repreende-lo.- Sempre que você jogar algo no chão... Marin, Chui, Gail e a Ray vão ser obrigados a limpar. Entende isso, Bloo?... isso é errado. Ruim. Você não deve fazer ou vai deixar a Ray triste. E ele ali irritado.- Apontaria para o comandante no fim.





    Tsumai
    Tecnocrata
    avatar
    Tecnocrata

    Mensagens : 337
    Reputação : 13
    Conquistas :
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/411.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1811.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1413.png

    Re: Capítulo 5 - Soldados de Rosso

    Mensagem por Tsumai em Seg Jul 24, 2017 7:07 pm

    Chui estava de braços abertos esperando que Bloo aceitasse sua sugestão, e até achou que ele iria concordar com as palavras do caçador, mas o pequeno alien apenas queria espirrar aquele spray melequento. Chui cuspiu aquela gosma esquisita e pensou que essa talvez não tivesse sido a melhor estratégia para lidar com Bloo, e também que talvez tivesse que tomar outro banho.

    - Eca, Bloo... para com isso!

    Em seguida, o pequeno alien começou a "testar" a gravidade da nave, observando como os pacotes de alimento dos armários caíam quando eram arremessados, e ainda afirmava que era legal, com o sinal de "V" com a mão que o próprio Chui havia ensinado a ele.

    - Ai ai isso não é bom...

    E então Marin tomou uma iniciativa, que a princípio deixou Chui assustado com a firmeza e aparente grosseria com que tratou Bloo. Mas não tinha de fato sido rude com o alien, e sim firme. Talvez fosse a melhor maneira de lidar com crianças, e o caçador não estava preparado para cuidar de uma tão levada como o Bloo. Inclusive usar o termo "Ray triste" poderia ser uma boa "chantagem" para se usar com ele.

    - Isso, obedeça ao Marin que é melhor!
    Gakky
    Mestre Jedi
    avatar
    Mestre Jedi

    Mensagens : 1472
    Reputação : 88
    Conquistas :
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/311.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1112.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1011.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1811.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1413.png

    Re: Capítulo 5 - Soldados de Rosso

    Mensagem por Gakky em Ter Jul 25, 2017 7:49 pm

    ---> Cena Lounge (Marin, Chui)

    Bloo estava impossível, fazia uma terrível bagunça no lounge e Rosso havia dado seu último aviso, interveria do modo militar se não parassem o pequeno alien. Chui estava todo sujo de spray para pele e suas ideias não pareciam surtir efeito. O evo não tinha experiências com crianças, mas decidiu tentar alguma coisa. Marin se aproximou devagar do alien e o segurou pelo pulso sem muita força, para não machucá-lo. Bloo ficou surpreso e olhou espantando para o evo, em seguida tentou escapar rindo, mas foi puxado de volta. Tentou forçar o bracinho para sair, mas o evo era bem mais forte. Quando Marin começou a falar, a criança parou de se mexer, seus grandes olhos fitaram o evo atento.

    O caçador também tentou dizer algo, apoiou as palavras do evo embora não soubesse realmente como proceder. Marin sentiu que o bracinho parou de fazer força para sair. Bloo olhou para o chão todo sujo e com os pacotes de comida espalhados, depois olhou para baixo sério.

    - Ruim... Ray triste? - Repetiu sem sorrir, parecia ter entendido.

    Quando o evo soltar Bloo, ele não vai fugir e nem continuar a bagunça. Ficou quieto e parado em silêncio. Rosso observava tudo e disse:

    - Acho que Bloo entendeu. Eu sugiro que o ensinem as regras da nave, se não ninguém vai conseguir dormir aqui com essa criatura fazendo tanta bagunça. Não quero ninguém colocando fogo na nave. Essa criança precisa de limites. Coloquem ele para arrumar tudo também, creio que deve ser o melhor.

    ---> Cena Sala Médica (Ray)

    Quando Rhaenee pega na mão do príncipe, ele fica surpreso e sorri com ternura. Ray teve a impressão de ver os olhos de Gail marejados nesse momento. O príncipe colocou a espada de volta em sua bainha enquanto os dois ficaram em silêncio por uma longa pausa. A guarda-costas então volta a ficar tranquila e sugere que os dois voltem para o lounge para não pensassem nenhuma bobeira. Gail sorri novamente, dessa vez mais tranquilo e responde:

    - Não se preocupe, vou devolver sua presilha, um príncipe não deve descumprir suas promessas - Em seguida ele piscou e falou uma indireta - Você poderia começar a se interessar pelas coisas da realeza... Eu espero que não queiia ser guarda-costas para sempre...Pense sobre isso...

    Em seguida olhou para a porta e novamente para ela antes dizer:

    - Ray, se você achar que pode ficar constrangida, não precisa voltar para o lounge. Vá dormir e descansar, eu aviso que você foi para o seu quarto. A partir de hoje vou cuidar de tudo, vou proteger nossos desejos, não precisa se preocupar com isso, só se concentre nos problemas de agora, o resto deixe em minhas mãos, ok?

    Gail fez um sinal com a mão de "OK" e deu um sorriso lindo, seus dentes impecavelmente brancos faziam seu sorriso ser ainda mais perfeito.
    Pallando
    Troubleshooter
    avatar
    Troubleshooter

    Mensagens : 873
    Reputação : 15

    Re: Capítulo 5 - Soldados de Rosso

    Mensagem por Pallando em Qua Jul 26, 2017 5:49 pm

    Marin soltou o pequeno alien assim que este parou de tentar forçar a liberdade do braço. Bloo olhou para baixo, aparentemente triste com o que havia acabado de entender, e não tentou fazer nenhuma outra brincadeira que fosse dar trabalho para os outros. Chui havia apoiado a atitude do evo e o comandante pareceu satisfeito com o resultado no final, além de aproveitar a oportunidade para sugerir que ensinassem as regras da nave ao alien. Ainda um pouco surpreso com seu sucesso, o evo então começou a recolher alguns pacotes de comida do chão.

    - Bloo, se quiser ajudar... pegue os pacotes do chão. É melhor limparmos antes que a Ray volte... assim ela não ficará triste...- Como havia dado tão certo aquela chantagem emocional, Marin voltou a usa-la.
    Tsumai
    Tecnocrata
    avatar
    Tecnocrata

    Mensagens : 337
    Reputação : 13
    Conquistas :
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/411.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1811.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1413.png

    Re: Capítulo 5 - Soldados de Rosso

    Mensagem por Tsumai em Qua Jul 26, 2017 9:41 pm

    Chui estava genuinamente surpreso que toda aquela estratégia de Marin estivesse funcionando. Afinal, o evo não tinha muitas habilidades sociais e muitas vezes não parecia compreender como funcionavam as pessoas e suas interações, mas, talvez por Bloo ser ainda jovem e também não entender as relações entre as pessoas, a estratégia surtira efeito nele. Ou tudo isso era apenas uma viagem mental de Chui para buscar um motivo de ter falhado miseravelmente em educar a criança.

    - Vamos limpar isso. - Chui vai ajudar os dois a guardar as coisas. Depois, vai pegar um pano para se limpar e também limpar os móveis melecados. Quando estiver próximo de Marin, vai sussurrar para ele, evitando que Bloo ouça: - Bom trabalho... lembre de falar com Ray, acho que as regras geral ela pode ensinar. Ao menos acho que ele vai ouvir mais ela do que a gente, e como ele aprende rápido, não duvido que se torne imune à chantagem...
    Luxi
    Moderador
    avatar
    Moderador

    Mensagens : 1236
    Reputação : 173
    Conquistas :
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/311.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1012.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/912.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/212.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1811.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1413.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/410.png

    Re: Capítulo 5 - Soldados de Rosso

    Mensagem por Luxi em Qui Jul 27, 2017 7:42 am

    off: Relaxem que a SuperNanny ta voltando

    on:

    - Eu espero que devolva mesmo! Vou cobrar. - piscou, brincalhona. - Mas não espere me ver vestida de pavão tão cedo. - mostrou a língua para ele, para descontrair, mas acabou sorrindo, primeiro para ele, depois para si mesma, disfarçando.

    Ouviu a forma atenciosa que o príncipe a tratava e ficou até com vergonha. Fez um biquinho sem graça e coçou o rosto.

    - De jeito nenhum! Tenho responsabilidade com o Bloo , tenho que levá-lo para dormir. Ele começou a descobrir os objetos da nave, talvez esteja dando problema - riu. - E que história é essa, hein? Por enquanto, EU sou a guarda-costas aqui. Você não esqueça disso.  Não pense que vou deixar você sair correndo por aí como bem entender. - piscou, deu um soquinho de leve no braço dele e saiu andando na frente toda bobona, dando risada sozinha, parecendo bem feliz na verdade com toda a situação.

    Chegou ao longe com o humor nas alturas, mas só estava sorrindo bastante, até que avistou o pequeno alien e a bagunça toda, olhando para os amigos assumindo um pouco a culpa.  

    - O que aconteceu aqui??? Bloo! Que coisa feia. - botou as mãos na cintura. - Ajude os meninos a guardar tudo. Todo mundo está cansado. - Ela foi logo até os pacotes, sem reclamar. - Vamos fazer isso juntos que vai mais rápido! Vem você também, Gail. - Ray era a criatura mais empolgada do mundo para arrumar uma bagunça. Ajoelhou no chão para ajudar os garotos sem reclamar, mas também sem contar nada. Nunca houve naquela nave uma pessoa tão carinhosa com panos de chão, parecendo estar em um planeta paralelo de pensamentos. Ao final, ela deu uma bela espreguiçada.

    - Bloo. Agora peça desculpas ao Chui e ao Marin por ter feito sujeira. Olha só o tempão que nós perdemos! Eles estavam muito cansados por causa de todos os problemas que tivemos hoje. Somos todos amigos. Para viver juntos, precisamos pensar em como isso vai afetar o outro. Tudo o que fazemos aqui dentro vai afetar todo mundo. Você consegue entender isso? - olhou por um tempo com cara séria, mas acabou abrindo um sorriso. - Mas obrigada por ajudar a limpar tudo. Bom menino. Agora sim, vamos dormir?
    Conteúdo patrocinado


    Re: Capítulo 5 - Soldados de Rosso

    Mensagem por Conteúdo patrocinado


      Data/hora atual: Sex Set 22, 2017 1:34 am