Um fórum de RPG online no formato de PBF (Play by Forum).


    Fichas Aprovadas

    Compartilhe
    Claude Speedy
    Troubleshooter
    avatar
    Troubleshooter

    Mensagens : 997
    Reputação : 21

    Fichas Aprovadas

    Mensagem por Claude Speedy em Sex Ago 04, 2017 5:27 pm



    Abominação

    Nome: Erik (Erik Thurgilson)
    Nome Garou: Não se lembra (Filho de Odin, Destruidor de Jotunn´s)
    Raça: Lupino
    Clã: Brujah
    Augúrio: Modi (Ahroun): Lua Cheia e Guerreiro
    Tribo: Crias de Fenris
    Campo: Não se lembra (Lança de Odin)
    Matilha: Não se lembra (Guerreiros da Tempestade)
    Totem: Fenris (Especial. Totens virão junto com o defeito "Assombrado" para Abominações)
    Conceito: Sobrevivente sem memória (Ferreiro/Guerreiro da Tempestade)
    Natureza: Fanático
    Comportamento: Solitário (Sobrevivente)
    Geração: 13ª
    Refúgio: Não tem (Casa dos Guerreiros da Tempestade)
    Descrição ou imagem: Alto (2,05m), forte, corpo definido, branco, cabelos loiros longos e desarrumados, olhos azuis, semblante sério e frio.

    2. Atributos (07/05/03)

    Físicos
    - Força:  4 (Mãos de Aço)
    - Destreza: 3
    - Vigor: 4 (Resistente)

    Sociais
    - Carisma: 3
    - Manipulação: 01
    - Aparência: 2

    Mentais
    - Percepção:  3
    - Inteligência: 2
    - Raciocínio:  3

    3. Habilidades (13/09/05)

    Talentos
    - Prontidão: 3
    - Esportes: 3
    - Briga: 3
    - Esquiva:  3
    - Intimidação: 2
    - Instinto Primitivo:  3

    Perícias
    - Empatia c/ Animais: 1
    - Ofícios: 2
    - Armas Brancas:  4 (Martelo)
    - Sobrevivência: 3

    Conhecimentos
    - Linguística: 1 (Norueguês)
    - Cultura da Wyrm: 2
    - Rituais: 2

    Virtudes (07)
    - Consciência:  2
    - Autocontrole:  3
    - Coragem: 5

    Humanidade:
    5

    Força de Vontade:
    5

    Antecedentes: (05)
    - Fetiche: 5 (Martelo do Jarl)

    Disciplinas: (03)
    - Rapidez: 1
    - Potência: 2

    Dons:
    - Lupino: Sentir a Caça
    - Ahroun: Garras Afiadas
    - Crias de Fenris: Semblante de Fenris

    Rituais:

    Fúria: 5
    Gnose: 5
    Força de Vontade: 3

    Qualidades:
    - Vontade de Ferro (3 pontos)

    Defeitos:
    - Amnésia (2 pontos)
    - Sono Pesado (1 ponto)

    Renome: 3
    Glória - 2 / 0
    Honra - 1 / 0
    Sabedoria - 1 / 0

    Equipamentos (Carregados): Martelo do Jarl
    Posses:
    Martelo do Jarl: Forjado em ferro laceado com prata e esfriado no sangue de inimigos mortos, com um espírito da guerra aprisionado.
    Dano Força + 3 de dano agravado. Pode ser arremessado por um Garou com precisão a uma distância de até 5m. Quando mata um inimigo, no arremesso, causa um barulho que parece um poderoso trovão.


    6. Prelúdio

    Erik foi encontrado por Arctus e alguns de seus coligados há menos de 1 semana. A abominação parece ter sido imensamente torturado nesse período, terminando com sua transformação de um Garou Cria de Fenris em uma abominação com sangue misturado a um Brujah.

    A amnésia o acometeu após isso e ele nada se lembra do passado. Apenas seu martelo foi encontrado junto a ele.
    zignon
    Sacerdote de Cthulhu
    avatar
    Sacerdote de Cthulhu

    Mensagens : 2772
    Reputação : 112
    Conquistas :
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/311.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1112.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/811.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/212.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1811.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/712.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/612.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/410.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1511.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/312.png

    Re: Fichas Aprovadas

    Mensagem por zignon em Qui Ago 10, 2017 12:51 pm

    Nome:Wang Meili (Jasmine Monson)
    Tradição:Irmandade de Akasha
    Essência:Investigadora
    Conceito:Artista
    Natureza:Celebrante
    Comportamento:Sobrevivente
    Descrição ou imagem:


    2. Atributos (07/05/03)

    Físicos
    - Força: 01+1 = 2
    - Destreza: 01 + 3 = 4
    - Vigor: 01 + 1 = 2

    Sociais
    - Carisma: 01 + 1 + 1* = 3
    - Manipulação: 01 + 0 = 1
    - Aparência: 01 + 2 = 3

    Mentais
    - Percepção: 01 + 3 = 4
    - Inteligência: 01 + 2 = 3
    - Raciocínio: 01 + 2 = 3

    3. Habilidades (13/09/05)

    Talentos
    - Prontidão: 3
    - Esportes:
    - Briga: 2
    - Esquiva: 3
    - Empatia:
    - Expressão:1*
    - Intimidação:
    - Consciência: 2
    - Instrução:
    - Intuição:
    - Manha: 2
    - Lábia: 1

    Perícias
    - Dô: 2*
    - Empatia c/ Animais:
    - Ofícios:
    - Condução:
    - Etiqueta: 1
    - Armas de Fogo:
    - Armas Brancas: 2
    - Liderança:
    - Segurança:
    - Furtividade: 2
    - Sobrevivência: 1
    - Tecnologia:
    - performance: 1
    - Meditação: 2

    Conhecimentos
    - Acadêmicos:
    - Computador:
    - Finanças:
    - Cosmologia: 2
    - Investigação:
    - Direito:
    - Linguística: 1
    - Medicina:
    - Ocultismo: 1
    - Política:
    - Ciências:
    - Cultura (grupo específico):
    - Enigmas: 1

    Virtudes (07)
    - Consciência: 01 + 3
    - Autocontrole: 01 + 2
    - Coragem: 01 + 2

    Humanidade:

    Força de Vontade: 5 (inicial)

    Antecedentes: (07) destino 2*, recursos 1, aliado 2, arcanum 1, avatar 2*, nodo 2*, talismã 2*, capela 1, sonhos 2


    Arete: 1 (inicial) + 1*= 2

    Esferas: (06)
    Correspondência: 1
    Entropia:
    Forças:
    Vida: 1
    Mente: 2
    Matéria:
    Primórdio:
    Espírito: 1
    Tempo: 1

    Quintessência:

    Paradoxo:


    Qualidades: SANGUE DE FADA
    (1 ponto de artes- Andanças e 1 ponto de Alçada - Ator.)

    Defeitos: cicatrizes(3), pesadelos(2), inimigo(2).(total 7)

    Equipamentos (Carregados): Mochila, espada, arco e flecha, túnica, itens de higiene e cozinha.
    Posses: compatível com antecedente recursos 1.


    6. Prelúdio

    Algumas explicações sobre o que deve ser respondido, substitua o texto pela sua origem.


    Jasmina Monson nasceu na china numa remota vila do noroeste do país e aos 4 anos numa guerrilha local teve toda sua família morta por uma gangue de salteadores e foi vendida para missionarios batistas ingleses, 2 anos depois estava em um orfanato em Liverpool pois seus pais atribuiram seus sonhos e pesadelos a uma possessão demoníaca. A família monson tinha lhe dado o nome de jasmine e seu registro no orfanato era este: Jasmine Monson. Aos 9 anos apos acordar com varias lagartixas na cama, colocada por meninos malvados, tem um surto de medo e foge do orfanato e refugiase numa casa de prostituição caindo nas graças de tia Adele Laprot, dançarina francesa e dona do estabelecimento. Aprende a dança burlesca e faz o serviço doméstico do estabelecimento atraindo a atenção ao seu belo corpo, até que um dia seus pesadelos chegam á um limite muito grande e ao dançar a noite não se sente bem e ao cair de joelhos é atacada por 4 arruaceiros que a despem e querem estrupa-la, ela fica fora de si e luta uma luta oriental desconhecida, bela coreografada e mortal e só não mata eles porque um senhor oriental a retira do local, a veste rapidamente com um manto e a leva para sua casa, ela está com 13 anos e este senhor é o servo de uma bela mulher oriental que conversa com Jasmine e estranhamente Jasmine se intitula Wong Meili e a mulher fica surpresa e revela que ela, a Jasmine,  é a reincarnação de um oráculo poderoso que viveu à muitos séculos atrás e convida ela para aprender um pouco mais de dança e um pouco mais da luta que lutou no bordel. Aos poucos Jasmine descobre que naquela casa funciona a cabala da Irmandade de Akasha em Liverpool. A mulher se apresenta como  Zhao Wu Li e que vai ser sua mestra e aliada até o fim de seus dias e vai inicia-la nos mistérios do Dô e Jasmine pergunta porque se chamou Wong Meili, e ela diz que seu avatar lhe revelou seu verdadeiro nome de nascimento e que aquela ocasião onde ela lutou e derrotou seu agressores foi seu despertar e aqueles agressores são da tecnocracia e você agrediu e quase matou o filho de um dos lideres e eles te caçam a muitos anos e foram eles que mataram seus pais lá na china para lhe interrogarem e dominarem o seu poder e Jasmine aceita ser sua noviça na ordem e a partir deste dia elas se tornam mais que amigas, se tornam amantes e almas gêmeas.
    Jasmine aprende que  pode sofrer um efeito chamado Ressonância, que pode leva-lo gradativamente na direção de ficar mais e mais parecida com uma sangue de fada de origem dependendo do quanto usarem seus poderes não mágikos em relação aos mágikos.

    Alguns Dons, Disciplinas e Truques podem ser complementares ao estilo de Jasmine ou conflitantes. Mas ela tem em mente que tipo de maga ela que ser e é sua fé que a move.

    É a primeira vez de vocês em Nova York?
    Sim é minha primeira vez. E da Li também.

    Já devem ter ouvido falar da Tecnocracia.
    Sim, sou perseguida por eles desde a minha infância.

    Isso, se quiserem ou não entrar para nosso grupo.
    Não sou da aliança mas quero ajuda-lo Arctos. Qualquer ação contra a tecnocracia me interessa.
    Claude Speedy
    Troubleshooter
    avatar
    Troubleshooter

    Mensagens : 997
    Reputação : 21

    Re: Fichas Aprovadas

    Mensagem por Claude Speedy em Qui Out 26, 2017 1:05 pm

    Nome do Personagem: Katerine Regan Rosenstock
    Nome Garou: Desabrochar-do-inverno
    Nome do Jogador: Crios
    Raça: Hominidio        
    Augúrio: Theurge    
    Tribo: Uktena
    Natureza: Confidente        
    Comportamento: Diretor (porém, parece muitas vezes com Samaritano)                      
    Conceito: Nobre mistica.

    Características
    Idade: 20                           Nacionalidade: alemã                     Etnia: alemã
    Cabelos: ruivos               Olhos: Verdes                                    Sexo: F

    ”fotos e características”:

    Descrição:
    .......................Altura:........................................... Peso:
    Hominídeo:.......1,72m........................................... 55 kg
    Glabro:.............1,87m.......................................... . 100 kg
    Crinos:.............2,86 m........................................... 340kg
    Hispo:.............. 1,60 m............................................... 340 kg
    Lupus:.............0,75m............................................. 35kg






    Atributos

    Físicos (3)
    - Força: 1+
    - Destreza: 1 + 2
    - Vigor: 1+ 1

    Sociais (5)

    - Carisma: 1+ 1
    - Manipulação: 1+ 1
    - Aparência: 1+ 3 (simpatia)

    Mentais (7) (+1 int da vantagem tribal)
    - Percepção:  1+ 3 (atento)
    - Inteligência: 1+ 2
    - Raciocínio: 1+ 2

    Habilidades

    Talentos 9

    Prontidão: 1
    Esporte:
    Briga: 1
    Esquiva:
    Empatia: 2
    Expressão: 2
    Intimidação:
    Instinto Primitivo: 2
    Manha:
    Lábia: 2

    Perícias 5

    Emp. c/Animais:
    Ofícios:
    Condução: 1
    Etiqueta:
    Armas Fogo: 1
    Armas Brancas: 2
    Liderança:
    Performance: 1
    Furtividade:
    Sobrevivência:

    Conhecimentos 13

    Computador: 1
    Enigmas: 2
    Investigação: 2
    Direito:
    Lingüística: 2 (Irlandes e inglês) (natural: alemão)
    Medicina: 2
    Ocultismo: 2
    Política: 1
    Rituais: 1
    Ciências:


    Antecedentes (5 pontos) +11 pt bonus
    raça pura 5 (família Rosenstock)
    numem 4
    recursos 2
    Aliados (matilha) 2
    Profecia 1
    totem 1
    ritos 1

    numem:


    Sylvanndis. Espirito Lendario: Elfico(livro dos jogadores pag 128) Jaggling de Gloria conhecida do Pai de Katerine que Aceitou proteger Katerine. Hoje, a relação das duas é estreita e muito intima. Espirito élfico, serva de Luna. Pacto pessoal de Katerine. aliou-se a linhagem Rosenstock (com pai de katerine) por algum tempo antes de trabalhar com Katerine. Grande confidente e amiga muito intima de Katerine. Se refere a ela como afilhada, muitas vezes.

    personalidade Sylvanndis:


    *musica de fundo*


    Essa é a musica favorita de Sylvanndis. Em certas ocasiões, enquanto ela vaga por ai, pode se ouvir sua voz a cantar. Geralmente, se katerine faz algum tipo de homenagem para Sylvanndis, essa musica é cantada. Imagine esta musica como a musica tema, que exprime bem a sua aura de misterio.

    Provavelmente o NPC mais importante da minha historia. Se puder pedir um favor a qualquer narrador, por favor, de uma atenção especial a Sylvanndis.

    Origem:

    Sylvanndis é um espirito Elfico um tanto quanto exótico no meio da telluriam. Em termos técnicos, Como numem, é um espirito de Gloria. E ela se classifica como Espirito Lendario (livro jogador pag.128) Ou seja, tudo o que foi descrito lá sobre chimenage e etc, se aplica aqui em certo grau. Se manifesta com a imagem e conceito de um elfo. Está diretamente ligada a lua, a natureza, as aguas frias e etc. Hoje, unida a herdeira direta do legado de Balança Dourada: Katerine. Os elfos são criaturas magicas que se isolam em comunhão direta e constante com a natureza. Seja como for, Sylvanndis, pessoalmente tem uma relação muita afetuosa com a lua, o sereno, a beleza da noite. Essa relação pode se explicar pois ela tem sua serventia ligada a Luna. Esteve também por muito tempo ligada a espíritos da agua, lagos e lagoas. O que a fez ter um gosto pessoal e caprichoso por aguas calmas, cristalinas e geralmente frias.

    O reino élfico é um local belo, em comunhão direta com a natureza. (Quando falo destes elfos, me refiro não tanto aos elfos de Senhor dos anéis. Mas sim, dos elfos de World of Warcraft. Mais especificamento, elfos noturnos. Night elfs).  Oque importa é que Sylvanndis vem a esta terra com certa frequência. (logo, é de esperar que Katerine também tenha vindo). Sylvanndis tem sua moradia nestas terras. Ao entrar em modorra, é la que passa o tempo.

    Casa de Sylvanndis nas Florestas do reino elfico:
    Uma casa que foi contruida em sua grande parte, dentro de uma pedra. por isso a parte de fora parece ser minusculo por fora. Katerine tem seu proprio quarto aqui.

    Detalhes de mentalidade & aparência

    “luna, que eu seja rápida e verdadeira. E se hoje for o dia de eu partir para sua casa, que eu morra com a aljava vazia”

    Elfos são seres nobres, reservados, muito graciosos e misteriosos. Por isso, Sylvanndis costuma andar com a cabeça coberta por um manto. Na calada da noite, ela honra o nome de sua senhora com homenagens cantadas em élfico, sua lingua natural. Geralmente próxima de algum rio, lago, ou floresta dentro de um Caern. Em situações mais especiais (assembleias, datas ou rituais importantes) usa uma saia longa, e apenas algo semelhante a um sutiã. Não gosta de mostrar, mas é sim ciumenta. Deixando sempre alguma coisa passar. Seus sentimos são até aparentes, e ela não tem medo de demonstrar amor e afeto. Mas, demonstra de uma forma adulta e madura.

    Para pessoas recém conhecidas, Sylvanndis pode parecer um tanto quanto sombria. Mas verdade é que não bem assim. Ela é uma arqueira élfica que está habituada a usar ocultação e a ofuscação em seu favor para conquistar assassinatos e infiltrações. Mas isso não quer dizer que ela seja necessariamente uma senhora das trevas. Ela talvez deixe muito disso aparecer, mas por dentro, ela realmente se importa com outras coisas mais lúdicas. Como a vida da terra, os planos espirituais, a comunhão com Luna e com gaia, etc. Pense que ela apenas tem um gosto põe essas coisas mais “obscuras”. Isso, seria seu comportamento, não sua natureza.

    Esquentada por fora, serena por dentro. poucas piadas vezes saem de sua boca. Mas não é frequente. As vezes, seu humor chega a ser meio sádico e negro. O mais engraçado, não necessariamente a piada, mas o momento e o contexto dela. Ironia em situações bem fora de contexto. Pode ser no meio de uma luta perigosa, avaliando uma cena de crime, ou simplesmente em uma conversa entre amigos. Ironia e Sarcasmo. As vezes até debochando de seus oponentes (se ela não o respeitar, é claro.).

    Quando irritada, costuma apenas engrossar a voz e o tom, mas não sera necessariamente grossa, ou rude. É um espirito nobre, e age como tal. Ela até pode se irritar fácil, mas não é de explodir e sair gritando por ai. Ela acumula sua raiva e sentimentos a curto prazo e pode até se enfurecer rapidamente, mas quando se acalmar, ira avaliar racionalmente a situação. Mas se explodir de raiva, cuidado.  Canções, conversas, e ficar sozinha (ou com katerine) são as melhores alternativas para relaxar. Porem, se alguém merecer seu ódio e desgosto, esta pessoa ira sentir. Geralmente, Katerine deverá intervir de alguma forma.

    Por ter uma ligação tão afetuosa com Katerine, acaba avaliando muito outros garous que interagem com o Desabrochar-do-Inverno. Pode se impressionar fácil ou se decepcionar rapidamente com quem ela interage. Adora dar aqueles comentários de mãe cobrando alguma coisa com Kat.

    “ser rápido é bom. Mas precisão é ainda melhor”
    Coragem e honra são palavras importantes para Sylvanndis. Logo, sua mente esta alinhada com a noção de “Gloria, Sabedoria e Honra” dos garou. Ela não tem medo de entrar em combate. Na verdade, ela é um espirito que destemido, e pode muito bem vir auxiliar em na guerra, afinal, Guerras, são coisas sagradas. E em tempos onde a Wyrm tem alguma vantagem, todos devem ajudar. Sylvanndis tem uma mente preparada estrategicamente para decisões de guerra. Sempre que ira entrar em combate, ou que Katerine vai entrar em combate, Sylvanndis toma suas providencias de preparação para as batalhas que podem vir.  

    Oque agrada e desagrada:

    Gosta de arcos, tributos aos elfos, referências a Luna etc.Reservada, Não gosta de ser incomodada por estrangeiros. Demora até pegar confiança (ou afeto), e até lá, mantem uma postura linha dura. Demonstrando pouco mais do educação e honra perante aos outros. Não estranhe se ela simplesmente não te responder caso não seja conhecido próximo dela. Reconhece qualquer forma de atitude nobre. Não gosta de desorganização. Bagunça, ou caos. Falta de planejamento a deixa irritada. Não que ela irá descontar nas pessoas ou dar uma lição de moral, afinal, ela ainda é um calmo espirito élfico. Mas se tiver a oportunidade de cutucar, ou apenas de falar algo sobre isso. Ela ira falar.  
    “não, e você não pode encher a cara de cerveja antes da luta”

    Se algo que a irrite ocorrer. Ela pode simplesmente começar a murmurar (e/ou xingar num bom tom) em élfico. Alias, seu "falar elfico", também é forte. É natural ela iniciar uma frase com palavras élficas, ou falar sozinha nesta língua ancestral. Murmurios, xingamentos, anúncios, ou apenas pensamentos altos são os melhores exemplos. Elogios a cultura élfica cai muito bem, mas não costuma se impressionar tão facilmente com isso. Afinal, qualquer um pode simplesmente elogiar ela. Mas quando nota que o elogio é verdadeiro (e ela vai tentar descobrir até onde vai a verdade no comentário de alguém), ai sim, ela fica contente. Em tempos de paz, é um espirito bem descontraido, brincando mais  e etc.

    Relacionamento com Katerine:

    “nós espíritos, somos poderosos sozinhos, mas unir-se aos garou, da a nós uma força superior a soma de nossas forças isoladas”

    Definindo a relação das duas de forma bem direta: Katerine é a guardiã de Sylvanndis, que por sua vez é guardiã desde o berço de Katerine. Por isso a relação intima das duas. Uma, se diz guardiã da outra. Por ser muito analista e pensar demais antes de tomar qualquer decisão, passou vários anos estudando e analisando Katerine antes de se firmar como espirito aliado. Acredita fielmente (e as vezes com razão) no potencial de Katerine. Sempre responde rapidamente seu chamados e a escuta atentamente. Motivações podem vir de indiretas, ou as vezes, de forma muito direta “para de ficar ai chupando dedo e faça algo”. Mas sempre com aquele ar de “você sabe que é capaz. para de mimimi”. Mesmo sendo um espirito forte, é humilde, e com katerine deixa isso transparecer. Ambas se tratam como iguais hierarquicamente falando.

    Se estão a conversar, Sylvanndis fala como se Katerine fosse de fato sua melhor amiga, demonstrando conforto. Observadores podem notar isso. Se Katerine cresce, Sylvanndis também cresce. Elfos são de fato muito fechados. Mas são extremamente leais e muito fieis. Isso faz deles ótimos companheiros. Eles estudam muito a quem devem se abrir. A elfa sabe que como única aliada física, o pacto termina com a morte de Katerine. Cuidados devem ser tomados para que ela continue viva. Somado isso a sua tendência guerreira, ela não tem problemas em aparecer para auxiliar em combate. Seu arco sempre está pronto para lutar por Luna, e por Gaia. Quando luta ao lado de Katerine, tendem a agir de forma sincronizada.

    Existe uma forma especial de se comunicarem. Toda vez que Sylvanndis quer falar com Katerine, ela simplesmente aparece. ou espera a mesma ir a umbra, isso se ela não decidir das as caras de imediato, ou dar sinais de sua presença. Galhos balançando, coisas se mechendo que guiam Desabrochar do inverno para algum lugar mais reservado. Enquanto isso, Katerine, Pode convoca-la com algum tipo de prece em élfico. Ou unicamente chamando pelo nome de Sylvanndis que rapidamente responde aos chamados, igualmente como Katerine. O mais importante é que a convocação seja feita.  Preces em élfico geralmente costumam ser muito boas, para ambos os lados. Katerine já aprendeu umas palavras ou outras em élfico, e ambas trocam palavras chaves as vezes. Afinal, as pessoas não precisam necessariamente entender do que ambas estão falando.

    Como já pode ter notado, Sylvanndis acompanha a vida de Katerine. E é de se imaginar que ela tenha seus próprios palpites sobre as decisões que Katerine toma para si. Por isso, Syl muitas vezes implica com sua afilhada. Fazendo piadas ou até mesmo brincando com atitudes de kat: “ah sim, tenho certeza que você chamou o cara pra sair pra saber ‘o prato preferido dele’ uhum. Ta. Sei”. “sim claro, você jura que bebeu pouco na festa. Katerine, você esta vomitando desde que chegou em casa”.

    Sylvanndis serve como uma espécie de mãe/irmã para Katerine. Estando presente, ou apenas observando a vida dela. Mae, amiga, irmã. Estão juntas e dificilmente vão se separar. O sentimento é claramente reciproco. Estar com uma, é estar com a outra, atacar uma, é pedir para atacar a outra. Sylvanndis costuma chamar Katerine de afilhada por uma questão de "nomenclatura".


    Imagine que esta seria a forma com que ela fala. Tom de voz, e postura. Apenas para ter uma noção geral. Vale muito a pena ver

    "Comprimente a escuridão eterna seu filho de uma cadela"

    Chiminage:
    Sylvanndis pede para sua filha para que quando possível, aja de forma semelhante a um elfo. Então, quando possível, carregar consigo joias ou adereços metálicos com formato da lua (joias  de prata como anéis ou brincos é sempre bem visto.). Ou para que se possível, a cada ciclo lunar, faça uma celebração a Luna com canções em élfico. (de preferência próximo lagos, rios ou mares,). Pede também para que se possível, espalhe a língua e cultura élfica. Falando élfico, ou usando ensinamentos, maneirismos, e palavras élficas em rituais ou na utilização de dons. (note que ela não obriga sua filha a nada. Mas pede agrados, dando recomendações que fazem referência de alguma forma a mística cultura élfica, ou a lua). Claro, isso se aplica mais a Katerine, mas outros garous pode acabar conhecendo outras possibilidades de chimenage que incluem coisas relacionadas com batalhas, ou atos ligados a Luna. Coisas misteriosas tal qual é Sylvanndis.

    RESUMO GERAL:
    Para todos os casos, interprete que este Espirito Lendário tem uma forte ligação com Katerine. Que ambas dividem uma grande amizade e intimidade. Por isso, praticam para trabalhar e lutar forma harmoniosa e sincronizada. Existe uma sentimento de preocupação com Katerine por conta dessa relação. Sylvanndis confia que “kat” será capaz de grandes feitos no futuro, e estar ao lado de uma Rosenstock tão humilde, é uma enorme honra. Sylvanndis é honrada e nobre. Não tem medo de dar a cara a tapa e incentiva isso. Ótima conselheira para estratégias, táticas, e conselhos de vida pessoal. Fala em élfico com frequência. Não sendo raro ela resmungar/xingar qualquer coisa em sua língua nativa. Carrega grande segredos, mas que apenas poderão ser revelados para Katerine, no futuro.


    Ficha/características De Sylvanndis:


    Furia: 7
    Força de vontade: 7
    Gnose: 7
    Essencia: 25
    Encantos: Sentido de Orientação, Sentir o Reino, Reformar e Materializar.
    Aparecer. Armadura. Olhar paralisante

    Estrategias:
    Não tem o costume de se materializar para combates físicos. Porem, geralmente o faz caso sua afilhada necessite de ajuda.
    Em combates físicos, O encanto armadura é indispensável para seja la o combate que for. Olhar paralisante é relativamente útil, e pode tirar um inimigo em potencial da jogada, dando tempo para ela, ou para Katerine.
    Peregrinações no mundo físico são oportunidade perfeitas para entender melhor os humanos, e suas formas de lutar bem como suas estratégias em combate.

    Imagens de Sylvanndis:







    Roupa ritualistica. ou "formal"

    Imagens Reino Elfico:



    Raça pura:

    Familia Rosenstock dos Uktena. Respeitados e com um nome forte e conhecido mundo a fora. Concentram-se no norte dos EUA. alguns poucos estão vivendo na Alemanha sob ambito do Pacto de aliança com a familia Regan (sangue puro Fianna). Esse pacto deu fim as rivalidades entre as familias e criou uma nova era de paz, e coperação entre ambos os membros. Foi apartir deste pacto de aliança, que nasceu Katerine. Simbolo vivo desta união. Portanto, o antecedente refere-se a raça úra Uktena, apesar de katerine ter o sangue nobre dos Fianna Regan, e ser reconhecida como tal, isso não tem qualquer efeito em ficha.

    recursos:
    Katerine recebe dinheiro vindo da família, alem de viver junto a matilha. Existe uma crença entre os parentes Rosenstock, de que os garous trabalham para gaia em um serviço sagrado, portanto, é justo que recebam “salários”. O patrão deles é simplesmente a criadora da terra.
    Profecia:

    Katerine esta envolvida com algum evento do futuro que será decisivo para a nação como um todo. Segundo a profencia, a “filha de duas tribos” ira liderar um grande numero de garous, e ser a chave para alguma grande batalha que terminará em vitoria, e também será uma força unificadora. Que batalha é essa, e qual unificação é essa, da um bom tema de discussão. A profecia é de conhecimento de sua “seita” de lobisomens dentro da aliança, bem como alguns lobisomens dentro de sua antiga seita, e outros amigos dentro da nação garou.
    Dons: Dons de Nível 1
    - Tribo = Mortalha
    - Raça =
    - Augúrio = Comunicação com espíritos. Toque da mãe. (dom fianna para ser aprovado)


    Comunicação com Espiritos:
    Este Dom possibilita aos Garou que se comuniquem com os espíritos que encontrarem. Desta forma o Garou é capaz de se dirigir aos espíritos, queiram eles ou não. É claro que (normalmente) nada impede o espírito de ir embora. O Dom pode ser ensinado por qualquer espírito.

    Sistema: Depois de aprendido, este Dom possibilita aos Garou que compreendam os espíritos intuitivamente. Mas alguns espíritos (como os Malditos), nem sempre podem ser entendidos.

    Mortalha (Nível Um):
    O Garou é capaz de criar um campo da mais negra escuridão através do qual só ele consegue enxergar.. Este Dom é ensinado por um espírito da Noite.

    Sistema: O Garou gasta um ponto de Gnose e testa Inteligência + Ocultismo contra uma dificuldade variável (3 para crepúsculo, 6 para ambiente interno, 9 para sol do meio-dia). Cada sucesso escurece um espaço de três metros e vinte de comprimento por três e vinte de largura e três e vinte de profundidade. O Garou pode escolher qualquer área em seu campo de visão. Dom dos Impuros: Olhos de Gato permite enxergar nessa escuridão mágica.

    Toque da Mãe (Nível Um):
    O Garou é capaz de sarar os ferimentos dos outros, sejam agravados ou não, simplesmente colocando as mãos sobre a área afligida. O Garou não pode curar a si mesmo com este Dom, nem pode usar em Espíritos e mortos-vivos. O Dom é ensinado por um espírito-unicórnio.

    Sistema: O Garou gasta um ponto de Gnose e testa Inteligência + Medicina (dificuldade igual à Fúria do indivíduo ferido, ou 6 (5 em W20) para seres sem Fúria). Cada sucesso cura um Nível de Vitalidade, inclusive agravado. Até mesmo as cicatrizes de batalha podem ser curadas desta forma, mas isto precisa ser feito na mesma cena que a cicatriz foi obtida e requer que se gaste um ponto de Gnose. Não há limite para o número de vezes que o Dom pode ser usado numa pessoa, mas cada uso requer um ponto de Gnose.

    Ritos:
    Nível 1:
    Ritual da dedicação do talismã:

    Este ritual possibilita a um Garou sintonizar um objeto com o seu corpo, permitindo que esse objeto se adapte às diversas formas do Garou (jeans irão crescer para se acomodar ao tamanho da forma Crinos, etc.) e acompanhá-lo até a Umbra. Esses talismãs costumam ser objetos comuns, porque os itens espirituais, como fetiches e talentos, permanecem automaticamente com o Garou em todas suas formas. Um Garou costuma executar este ritual com mais freqüência durante a fase da lua sob a qual nasceu. Cada augúrio possui seu ritual peculiar.

    Sistema: O custo é um ponto de Gnose por objeto dedicado, e um Garou jamais deve possuir mais objetos sintonizados com ele do que o seu nível de Gnose. Certos objetos particularmente grandes (a critério do Narrador) são considerados, para o propósito de .custo., mais de uma unidade. O Narrador e o jogador devem decidir o que acontece com o objeto quando assume determinadas formas. Por exemplo, quando o personagem assume a forma Crinos, sua mochila simplesmente irá crescer para acomodar-se em seus ombros (embora a mochila ainda assim não poderá manter mais objetos que o normal). Quando o personagem estiver na forma Hispo, a sua faca será absorvida pelo seu corpo. Nesses casos, o objeto aparecerá como uma tatuagem; as outras pessoas precisam gastar um ponto de Força de Vontade para remover o objeto do personagem.
    obs: maior parte das minhas roupas já estão dedicadas

    Manobra Especial:
    Salto Dilacerante:

    Uma manobra de luta para os Garou um pouco mais graciosos e leves, o salto dilacerante envolve passar por um oponente com um salto e golpeá-lo em meio ao movimento. Se bem-sucedida, a manobra faz o Garou aterrissar longe do alcance de seu oponente.
    O narrador deve primeiro verificar de quantos sucessos o jogador precisará num teste de Destreza + Esportes (dificuldade 3; as distâncias estão indicadas na tabela de Saltos). Se o jogador não obtiver um número de sucessos suficiente para fazer seu personagem passar pelo oponente, o personagem aterrissará onde a tabela assim o indicar e poderá ainda usar sua ação garantida por Fúria, submetida a uma penalidade igual a +1 sobre a dificuldade. Se tiver sucesso, ele então deverá fazer um teste de Destreza + Briga para o ataque com as garras. Se o ataque com as garras falhas, o personagem ainda aterrissará onde planejou.
    Este ataque provoca ferimentos agravados. Pode também ser tentado com um soco (provocando dano por contusão) ou com uma arma (provocando dano de acordo com a arma e transformando o teste em Destreza + Armas Brancas).

    Empregável por: Glabro e Crinos
    Teste: Destreza + Esportes e Destreza + Briga Dificuldade: 8
    Danos: Variável, com Garras é Força +2
    Ações: 2



    FÚRIA: 2
    GNOSE: 3 (+4 pt bônus)
    FORÇA DE VONTADE: 3
    POSTO: Cliath - 1


    RENOME
    - Glória Permanente:
    - Honra Permanente:
    - Sabedoria Permanente: 3




    Qualidades / Defeitos (e explicações):

    Incapacidade de Mudar Parcialmente(Defeito):

    Você não possui a habilidade de mesclar formas. Você não pode mudar sua laringe em Lupino para ser capaz de falar nem crescer focinho de lobo em Glabro. Você apenas pode mudar para uma forma completa.

    Sono Pesado (defeito 1pt):

    Quando você dorme, sente uma dificuldade imensa em acordar. Aumente a dificuldade em dois pontos em qualquer teste desse tipo, e interprete a forma como você aparentemente nunca chega na hora marcada para seus compromissos.

    Katerine é daquelas que tem que colocar 10 despertadores tocando a cada 2 minutos, e mesmo assim, existe a chance de dar algo errado mas não é necessariamente uma menina atrasada. hora é dromir é um momento sagrado, e Katerine fica de mal humor se acordada antes da hora.

    Tolerância a Prata (Qualidade 7 pts):


    Você é abençoado com uma tolerância extremamente incomum para a prata. Você pode absorver danos de prata em qualquer forma com dificuldade 8, embora isso não muda o tipo de dano que a prata faz.

    Apoio Familiar (Qualidade 1 pt):

    Sua família sabe o que você é e aceita sua nova vida de forma sincera. Talvez seus pais sejam Parentes e se prepararam para a possibilidade de você poder ser um Garou pleno. Entretanto, eles não são necessariamente Parentes (do tipo comprado através do Antecedente: Parentes); eles podem não entender o que você se tornou, mas acreditam que você é “especial” ou “abençoado”. Embora você não aceite que eles se arrisquem por você ou sua matilha, você pode confiar em seu suporte moral e sua compreensão — e talvez um lugar para descansar numa ocasião.

    Mia Regan Rosenstock:
    Mae de Katerine. Se esta mulher fosse um garou, você diria que ela é um Filho de Gaia, mas não, ela é uma Parente Fianna. Um doce de pessoa, porem muito protetora. Apesar da criação mais dura, ela é muito flexível, e mente aberta. Carrega ideias bem liberais no quesito de liberdade e igualdade. Um tanto sonhadora, um tanto mulher batalhadora.
    Apesar de parecer uma casca do lado de fora, pode ter sentimentos muito aflorados. Até mesmo agindo de forma impulsa com seu instinto materno.
    No início, ela não gostava de toda essa coisa de garou, gaia, seitas etc. Não queria estar metida la com Hainz, mas os anos se passaram, e aprendeu admirar, e amar esse homem fiel e honesto. Haiz, respeitando o fato de Mia querer distancia deste mundo, fez o possível para dar a ela uma vida “normal”. Eles estavam no ponto alto do casamento antes do Garou tombar de forma honrosa. Ela sente falta de seu ex-marido.
    Katerine muitas vezes tem atitudes, que são iguais a de seu pai. Tentando “proteger” sua mãe desse mundo. Mia com frequência diz algo como “você é igualzinha ao seu pai” ou “seu pai diria a mesma coisa”.
    Se antes Mia queria distancia do mundo garou, hoje, a situação inverteu. Apesar de ainda se assustar com Sylvanndis, e não entender essa coisa toda de politicas de seita, ela não quer que Katerine esconda o que faz mesmo tendo medo de que sua filha tombe igual a seu marido.
    No fim, é só uma mãe viúva, com muito amor no coração. E mesmo que Katerine seja capaz de se transformar em uma criatura de 3 metros de altura, Mia continua sendo sua mãe. E nunca duvide das capacidades de uma mãe brava e preocupada. Especialmente se ela é um parente que sabe um dom ou outro.


    Herança Notável (Qualidade 2pts):
    Sua linhagem familiar direta é particularmente conhecido, tanto na sociedade Garou ou no mundo humano. Você deve escolher (com a aprovação do seu Narrador) o mundo em que sua herança se relaciona, e detalhes de sua linha de família em de acordo. Você tem dificuldade -1 em todos os testes Sociais quando se trabalha na sociedade apropriada (com Garou e Parentes que estão consciente da sociedade lobisomem, ou quando ao lidar com seres humanos que estão conscientes de sua herança). Está prevista viver de acordo com a reputação da sua linhagem. Se você não conseguir fazer isso, você pode encontrar essa Qualidade diminuindo ao longo do tempo como histórias de sua próprias falhas começam a corromper a alta consideração que sua família recebe. Esta Qualidade não pode ser possuída pelos Roedores de Ossos

    Katerine é descendente direta de duas grandes familias sangue puro, e simbolo da união destas. Ou seja, carrega um legado duplo, sua mera presença ja impõe algum respeito. Os uktena Rosenstock, carregam o legado mistico do inverno e das rosas, Enquanto a familia Regan, carrega uma historia rica de herois. Para ambos os casos, Katerina tenta andar na linha de ambas as familias.

    Família Rosenstock:
    família de personalidades importantes na historia da nação garou. Abençoados com resistência a prata, Ligados a tribo Uktena, Rosas e ao inverno. Forte ligação com parentes. Mantem fortes as tradições da simbologia. Aliados da familia Reagan (Fianna) e Katerine serve de símbolo vivo desta União.

    Ulfrad Beaumont Rosenstock:
    Ulfrad Urso-do-inverno. Athro Ahroun, Avô paterno de Katerine. Sua tumba reside na Floresta das visões. Dizem que seu espirito ainda vaga por la horas ou outras.

    Hainz Beaumont Rosenstock:

    Philadox, balança dourada. Assim chamado pelo seu senso de justiça. Pai de Katerine. Chama sua filha de Princesinha. Mesmo após a morte, alguns dizem já terem conversado com ele. Afinal, os Rosenstock estão unidos além da morte. Foi uma personalidade importante, e esperam que Katerine aja de acordo.

    Hainz Beaumont Rosenstock é um homem tipicamente descontraido. Morre de amores quando ve qualquer coisa de sua filha, a qual considera uma princesinha. Veste-se de forma muito casual, porem elegante. Camisa branca um pouco desabotoada no peito. Rosto bem limpo, barba curta, e cabelos sempre bem penteados. Gosta muito de discutir temas mais intelectuais, como religião, filosofia, cosmologia etc. Sua forma de pensar e raciocinar engloba muito de um todo onde ninguém mais veria detalhes. Hainz é aquele que busca a verdade oculta que ninguém consegue perceber. Como um verdadeiro Sherlock Holmes da vida garou, ele vê aquilo que ninguém mais veria

    Ideologicamente liberal, gostava da frase “Minhas posições são bem definidas, mas não são definitivas”.  Ele dizia: “Todos os seres humanos e espirituais merecem ser respeitados. Trata os outros como quer ser tratado, respeite o próximo e de o exemplo, para que outros lhe respeitem”. Em vida, ele tinha medo da solidão. Ele sempre fez muita questão de estar presente quando possível nas coisas da filha. Se sente muito mal se de alguma forma se sentir abandonado. Não importa se ficou feio, o importante é a intenção. Vida material é passageira. Oque importa não é a matéria física, mas a essência de espirito. Essa convicção foi oque lhe rendeu o nome de Balança dourada. Nas formas selvagens, se parece com um grande lobo cinzento.

    Schleswig-Holstein / Floresta da Rosa:
    estado alemão na região norte. Local onde fica o caern Floresta da rosa, é onde vive Katerine. Floresta da Rosa, é a seita que Kat pertence.  Caern de fertilidade de médio porte (nível 3, com uma infraestrutura próxima de um de nível 4) situada ao norte da Alemanha. Por direito, terra dos Filhos de gaia. Porem a seita é liderada por Filhos, e Fianna. Alguns poucos Uktena vivem aqui.


    voz encantadora (2 pontos):


    Existe algo em sua voz que os outros simplesmente não conseguem ignorar. Quando você dá ordens, eles se encolhem. Quando seduz, eles se desmancham. Seja trovejante, gentil, persuasiva ou simplesmente ao conversar, sua voz chama a atenção. As dificuldades de todos os testes que envolvam o uso da voz para persuadir, enfeitiçar ou comandar são diminuídas em dois pontos.

    Inimigo 2 pts:
    Inimigo (Defeito: 1 a 5 pontos)

    Você adquiriu um inimigo (ou inimigos) que não apenas sabem o que você é, mas também tem poder próprio. Por 1 ponto, significa que seu inimigo é outro Garou do mesmo Posto que você que assumiu um forte desgosto por você ou que culpa você por algum erro do passado. Por 3 pontos, indica que uma matilha de Dançarinos da Espiral Negra carrega um rancor particular por você ou que um pequeno grupo sobrenaturalmente poderoso de caçadores de lobisomens visou você como uma ameaça potencial. Por 5 pontos, significa que você irritou alguém que se move e mistura dentro da sociedade Garou ou um poderoso vampiro ancião.

    EM CONSTRUÇÃO

    Transformação amaldiçoada (acônito):
    Transformação Amaldiçoada (Defeito: 1 a 6 pontos)

    Alguma circunstância, evento ou situação inibe sua habilidade de mudar de formas, exceto em caso de retornar a sua forma racial. Superar esse fator restritivo exige o gasto de um ponto de Força de Vontade e um teste com dificuldade de 8. Alguns exemplos de situações e seus relativos custos em pontos incluem:

    • Música relaxante (1 ponto)
    • Próximo de acônito (2 pontos)

    Equipamento e Bens Possuídos:

    Equipamento:
    Geral:
    Um celular Samsung ganho de aniversario da mãe. Umas boas roupas ja dedicadas. Um notebook que geralmente não sai do seu quarto. Se tiver dois jogos, ja é muito.

    Revolver Colt Python .357 herdado de Hainz Rosenstock:

    Esta dedicado


    Rapieira (espada esgrima):

    Katerine a tem, mas não costuma andar com ela. Fica guardada em casa, e é apenas usada para questão de treino, ou quando Katerine a leva para alguma missão. Esta dedicada.

    Scooter:

    Motinho humilde. Bom para se locomover pela cidade, e com pouco custo de gasolina. Katerine pretende comprar um carro no futuro.
    link: http://avenuescooters.com/images/avenue-scooters-09.jpg?crc=462044965

    Adaga:

    Arma principal de Katerine. Como estudou esgrima, usa a adaga com a graça de um esgrimista. Esta dedicado. Então quando Katerine assume outras formas, a adaga, bem como sua bainha, Mudam de tamanho para se adaptar ao tamanho da mão. Em Hispo e Lupino, a adaga se funda a pele.



    Gasto de pt bonus:

    21 base
    21+2 Transformação amaldiçoada
    23+2 Inimigo
    25+1 Incapacidade de mudar parcialmente
    26+1 Sono pesado
    27-7 tolerancia a prata
    20-1 apoio familiar
    19–2 herança notável
    17-2 voz encantadora
    15-4 gnose (+2 pts de gnose)
    11-6 antecedentes
    5 pts sobrando (tudo em antecedentes)
    -2 aliados matilha
    -1 recurso
    -1 profecia
    -1 totem


    Prelúdio/Historia:

    Preludio/historia:


    Ato 1- Rosas do inverno

    *musica de fundo*



    A família Rosenstock vem de uma larga geração de heróis dentro da nação garou. O Símbolo de nossa família, é uma rosa. Que por mais bela e nobre que sejam suas flores, Elas ainda são rubras, e tem espinhos afiados.  Essa simbologia da rosa é levada a sério pelos mais antigos de nossa família, que gostam de enfatizar o significado da rosa para os mais jovens. Também existem grandes referencias e simbologias ligadas ao inverno. Afinal, os Rosenstock vem de terras frias e geladas. Por isso não é incomum o termo "flor do inverno” “rosa do inverno” para se referir a nós.

    Uma simbologia, e gesto importante na família, é o ato de colocar uma rosa em uma mesa, antes de uma reunião, ou assembleia especial. O gesto significa que todos estão "Sob Rosa". Um tipo de juramento simbolico para manter a conversa em sigilo. Dizem que colocar a Rosa sobre a mesa é uma forma de afastar os espiritos curiosos.

    Tradicionalistas a família da Rosa, é de fato uma família muito unida. Nossos parentes acabam com facilidade se envolvendo nos assuntos garou. Tentamos ao máximo possível manter os laços familiares mesmo após a primeira transformação. Ações de união familiar sempre são fortemente encorajados. Mesmo após a morte. Encontros ocorrem com alguma frequência. Tentamos manter contato entre nós mesmos. Recentemente, tem corridos muitos boatos sobre um caern abandonado no Egito. Aparentemente, nossos antepassados acharam um lugar cheio de mistérios mágicos Próximos do rio Nilo. O mais misterioso disso é que todos os membros que fundaram este caern desapareceram. A única coisa concreta de fato é que foram eles a encontrar o caern. Teoricamente, o ultimo relato deles informa que encontraram uma pirâmide dentro da umbra. Isto intriga muito a família Rosenstock. Mas nada foi decidido ainda.

    Originarios de Nativos americanos, viemos do norte dos EUA. Criamos uma aura de mistério e poder acerca de nosso sobrenome. A título de curiosidade, mas de fato é estranho. Aparentemente a maioria de nossos familiares que nascem Garou, nascem com uma grande Resistência a prata. Mostramos a nação garou que mesmo nas maiores geadas, as rosas ainda resistem.


    Ato 2 – Primeira transformação. Parentes. Pacto Rosen-Regan ou Regan-Stock

    Durante os anos 60, a Familia Rosenstock começou uma rixa com a Familia Fianna Regan. Tudo iniciou com alguns insultos e desentendimentos que não foram bem esclarecidos. Mas, com os anos, tomaram proporções maiores. Ambas famílias de sangue puro (Rosenstock seria sangue puro 5, igualmente com os Regan, tambem de sangue puro 5) apenas evitaram se encontrar e tentaram diminuir seu contato. Porem, quando dois Philadox de ambas as famílias se encontram, viram que na verdade, os tais “xingamentos a honra da familia Reagan” não passou de uma falta de comunicação, e que a resposta agressiva aos “costumes invernais de uma familia falsa” na verdade foi causado por um Ahroun irreverente e esquentado. Para colocar fim as desavenças e provar que tudo isso não passou de uma mera estupidez e mal entendido, foi proposto dois casamentos. Um uktena se casaria com uma parente fianna, e um Fianna se casaria com uma parente Uktena. Meu pai, que já viajava com frequência para a europa, foi escolhido para se casar na Alemanha, aos ritos Fianna, e algum Fianna foi para os EUA se casar com uma parente Uktena, aos ritos Uktena. E assim foi feito. Meu pai, se casou com Mia Regan. Situando-se na Alemanha. Seu casamento, e posterioremente, meu nascimento, era o símbolo da aliança entre as duas famílias.

    Então, em termos técnicos, eu sou o símbolo vivo da união entre duas famílias importantes de sangue puro. Certo, agora você imagine que os Uktena querem que eu mantenha o legado da familia, tão forte quanto meu pai manteu, tanto quanto os Regan tambem querem que eu preserve o legado. Por outro lado, tenho sangue nobre Fianna e Uktena em minhas veias. Se eu cometer um erro, vou sujar o nome de duas famílias, e pior, o elo de ligação que ambas tem, sera manchado. Eu tenho a obrigação de intervir como diplomata. Por mais que eu não faça isso diretamente, apenas minha presença é uma forte lembrança do pacto de aliança. Os galliards adoram romantizar a minha historia, fazendo algo simples parecer a mais épica aliança da nação garou, me usando como exemplo toda vez que falam de qualquer forma de união e aliança. Eu não consigo me ver com tanta importância. Mas reconheço que tenho um papel e uma posição importante. Eu sei que existe um rapaz, aproximadamente com a minha idade, na america. Ele é um Fianna, filho do Regan que foi enviado para se casar com uma Parente Rosenstock. Nós dois somos os simbolos vivos. Eu ja o vi em uma reunião, mas pouco nos falamos. Parece que ele é o contrario de mim. Eu sigo o legado Rosenstock, e ele segue o legado Regan. Mas ambos temos o mesmo sangue desta união nas veias. Ele serve de simbolo da aliança na america, enquanto eu, sou o simbolo da aliança, na europa. Ja soube que haverá uma cerimonia para relembrar o pacto. Esta marcado em uma data que desconheço. Nesse dia, provavelmente eu vou acabar conhecendo ele invariavelmente.

    Eu sou a primeira filha de Hainz Beaumont Rosenstock, também chamado de Balança-Dourada. Passei bons anos de minha vida com minha mãe, Mia Regan Rosensotck, apesar da pouca participação do meu pai em minha vida, ele parecia preocupado com ela. Eu era a princesinha do papai e da mamãe. Fui muito amada e as vezes superprotegida. Meu pai tentava manter ao máximo possível a vida de um pai presente, tal qual tinha que se manter alinhado as atividades da seita e do resto da família. Tenho um tio e alguns primos. Seja como for, cresci em uma boa escola, e tive uma vida muito normal, aprendi a tocar baixo etc. Foi em meus 14 anos quando eu passei pela primeira transformação. Estava fora de casa, quando uma van me abordou e 2 homens me colocaram para dentro do carro. Tentaram me violar...Foi no meio das minhas defesas que eu me transformei.  Quando despertei, eu estava ilesa, em meio a uma floresta. A van tinha perdido a direção e batido em um arvore. E quando menos percebi, 3 corpos dos meninos estavam dilacerados no chão. Entrei em choque e fiquei catatônica. Não demorou alguns minutos, meu pai e meu tio apareceram do nada (umbra) e me socorreram. Fui levada para casa finalmente, e apenas ai que me explicaram tudo. Meu pai me levou aos anciões do Caern para que eu fosse oficialmente apresentada aos garous de lá.

    Um amigo de meu pai, theurge de sua matilha na época, me educou sobre meu Augurio. Fúria-dos-Espíritos-Indefesos, Filho de Gaia foi o grande responsável pela mentalidade que tenho hoje. Claro, a fúria era algo difícil de lidar. As pessoas se afastavam, mas a vida continua. Fiz aulas de esgrima por muito tempo. Me formei no colégio. Ajudei a criar o meu novo irmãozinho que hoje tem 3 anos de idade. E tive muito mais tempo para conversar com minha mãe.  NENHUM ESPIRITO, da conselhos melhor do que minha mãe, e nenhum faz um bolo de laranja tão bom quanto ela. Cresci intima dos Fianna (especialmente da família Regan) e dos Filhos de gaia. Quando o Pacto Rosen-Regan foi feito, Matilhas foram criadas, dois casamentos foram forjados, e houve uma especie de intercambio entre as familias. Alguns Uktena foram para a alemanha, e alguns Fianna foram para o norte dos EUA. Eu convivi fortemente com alguns Rosenstock que vivem aqui, proximos de mim. Eles querem manter vivo em mim, o contato com a familia de raça pura a qual pertenço.


    Ato 3 – A batalha do penhasco dourado. Morte de meu pai, encontro com Sylvanndis.

    Eu estava me preparando para meu ritual de passagem. Porém, parece que as aguas do destino quiseram diferentes. Estava com meu pai no Caern quando uma invasão começou. Dançarinos da Espiral Negra vieram conquistar a seita em nome da Wyrm. Eu, ainda uma filhote, recebi ordens de meu pai para me esconder. Eu na verdade o segui, para ver onde meu pai iria. PAra depois, me esconder.

    Estava chovendo forte naquela noite. Meu pai e sua matilha estavam protegendo a área sul do Caern. Nas região mais alta da seita Um morro cheio de pedras. Seja bravura, ou ignorância, eu me meti no meio de algumas pedras, em um morro, distante dali. Este local era bem escondido dava para ver perfeitamente o campo de batalha, e o caern. Mal sabia eu, este seria meu local favorito no futuro. Eu assisti meu pai bravamente lutar contra um Dançarino. Porem a matilha da coruja (matilha de meu pai) não estavam na vantagem. Foram cercados. Eles estavam lutando em um penhasco a pelo menos, 30 metros de altura, sendo forçados a recuar em um precipício. o ponto mais alto do Caern. Meu pai decidiu tomar a frente de sua matilha. Um dos dançarinos acabara de ferir gravemente meu pai. Era o fim. Se ficassem, morreriam para os Dançarinos que estavam em maior número. Se recuassem, morreriam na queda. A chuva Engrossava a medida que a batalha acabava. Eu comecei a ter medo.

    Nesse momento de desespero, um espirito  apareceu para mim. Ela se apresentou como Sylvanndis. Ela parecia como uma elfa, e portava um arco. Falava com uma voz serena. Quando ela se apresentou, explicou que me acompanhava desde meu nascimento. Ela era um espirito aliado de meu pai, e foi atada a mim no meu nascimento. Meu pai havia feito um pacto com ela de que ele a ajudaria em troca da proteção para sua filha. Apesar de eu sempre me sentir olhada, ela nunca havia se apresentado formalmente, pois não havia uma oportunidade. Mas, agora meu pai precisava desesperadamente de ajuda, e deveria ser eu a ajuda-lo. Sylvanndis me colocou para cima e me motivou profundamente. Disse que teríamos tempo para conversar mas agora eu deveria agir. E assim eu fui. Sequei minhas lagrimas, me preparei, e fui a luta.

    Quando cheguei lá, anunciei minha presença com um urro. Quando todos os corruptos se viraram as atenções para mim, perdi toda a minha coragem e valentia. Nesses instantes em que todos voltaram sua atenção para mim, meu pai, que viu o tamanho do perigo ao qual me meti, deu um salto dilacerante em um dos dançarinos. Golpeando um dos dançarinos no ar e parando bem a minha frente. Ele me mandou recuar mas eu desobedeci. Os dançarinos tinham perdido segundos preciosos, e estavam a lutar em dois frontes. Eu, fiquei um pouco mais afastada do combate, apenas ajudando conforme podia. Eu assisti muito mais do que ajudei de fato. As marés da batalha viraram o lado. Um dos dançarinos veio até mim com sua Klaive, e meu pai, em um ultimo esforço heroico, se precipitou na minha direção, tirando o Dançarino de perto de mim num ataque brutal. Tendo conquistado sua última vitória, Heinz, havia matado meu agressor e último dançarino, entretanto isso lhe custara sua vida com uma Klaive enfiada no coração.
    Corri para meu pai, peguei sua mão. E em suas últimas palavras ele disse:

    “De todas as vezes em que enfrentei a morte, nunca imaginei que a encontraria ao lado de minha filha. Por favor, não cometa os mesmos erros de seu velho pai...Pare de chorar, Eu estarei sempre com você para lhe ajudar, minha princesa. ”

    Ato 4 – Ritual de passagem:



    Com o caern seguro novamente, meu ato de bravura foi reconhecido como sendo o divisor de águas da batalha. Graças a minha ousadia, a matilha da coruja teve tempo de atacar os dançarinos por tras. Alguns anciões consideraram esta batalha por si só, um bom ritual de passagem, pois minha atitude de fato salvou uma matilha. Outros diziam que eu deveria fazer um ritual de passagem mais "theurgico", mas eu já havia provado meu valor. Assim, meu ritual consistiria numa Viagem Umbral. 2 dias depois, eu fiz o desafio posposto pelos Anciões da minha familia: Me levaram até um reino selvagem e gelado. Uma floresta de pinheiros que parecia infinita. Não importasse para onde eu fosse, a magica do local fazia eu me perder com facilidade. Para resolver, eu deveria convencer e barganhar com espíritos para ser guiada. Mediante a algum desafio ou enigma. Passei sem grandes dificuldades. Talvez os anciões já tivessem visto o suficiente na batalha contra os dançarinos, mas precisavam de uma prova mais “theurge”. No fim, eu estava alcançando finalmente o tão sonhado posto de Cliath.

    Em homenagem a meu pai, Hainz Rosenstock, Balança dourada, o local da batalha foi chamado de Penhasco dourado. Gosto de meditar no local onde me escondi durante a batalha. É ainda um ótimo lugar para se esconder, pois é pequeno, e mesmo na forma crinos há espaço. Pense que a formação natural das pedras forma uma espécie de mini caverna. Como um pequeno comodo natural, tem o tamanho de um pequeno quarto. Acredite, dá até pra dormir ali (e sim, eu já fiz isso. FOI TÃO LEGAL) Não muito longe dali, está o tumulo de meu pai. No local onde ele pereceu em batalha, dando sua vida para me salvar. De qualquer forma, os outros garous respeitam a área como um local especial. O fato do meu “esconderijo” ser próximo da tumba de Hainz, fazem os garous respeitarem muito aquele pequeno punhado de terra quase como se fosse “meu”.

    Dias mais tarde aquele espirito se apresentou para mim. Sylvanndis. Ela disse que pensou muito a respeito antes de tomar essa decisão, mas depois de ver como eu agi, achou que eu merecia. Ela me explicou oque realmente aconteceu. Quando  meu pai descobriu que eu seria uma garou, não tardou a invocar Sylvanndis e propor uma troca. Ele a ajudaria no que pudesse, desde que ela ficasse de olho em mim e me protegesse. Isso fez sentido, pois eu sempre senti que tinha um “anjo da guarda”. E com a morte do meu pai, ela não teria mais a obrigação de me proteger. Por isso, ela propôs que eu continuasse o pacto de meu pai. Ela tem muito a ganhar com ajuda no mundo físico. Ela não tinha interesse em se apresentar diretamente para mim, até o dia anterior. Ela viu um potencial tão forte quando meu pai. E isso bastaria para que fechássemos um pacto. Os anos se passaram, e desde então meu relacionamento com ela apenas tem melhorado.


    Ato 5 – Medos, objetivos para o futuro. Desejos e aspirações.

    Meus iguais me veem nascida em um berço de ouro, e meus superiores me veem como sendo a peça chave para alguma coisa no futuro. Meus anciões criam grandes expectativas minhas, e com frequência dizem que sou muito parecida com meu pai. Todos olham meus passos como se eu fosse talvez uma aspirante a heroína, o futuro da nação, ou algum tipo de celebridade. Toda essa pressão me deixa louca. Eu não sei lidar com toda essa “torcida”. Eu tenho grande medo de falhar. Talvez este seja meu maior medo atualmente. Não que eu quero que eles saibam disso. Minha insegurança e meu desconforto é algo que gosto de guardar para mim. Apesar disso, quero subir na sociedade garou. Quero mostrar meu valor. Talvez descobrir algo sobre aquele caern abandonado no egito pelos Rosenstock.

    Eu quero mais é ter uma vida tranquila. Como a minha mãe ou meu irmãozinho de 3 anos. Eu sou bem reservada e gosto de tranquilidade acima de tudo. Aquele meu cantinho secreto no Penhasco Dourado é uma forma de eu achar a tranquilidade. Sylvanndis diz que com meu pai não foi diferente. Pode parecer bobo, mas eu quero me casar. Quero criar família. Quero ter um filho e um bom marido. Mas as vezes eu não sei se essa vontade foi imposta, pu se é vontade minha de fato. Hoje tenho uma motoneta, mas quero comprar um carro. Minha adolescência foi marcada por rock e metal. E como toco baixo, não seria má ideia entrar em uma banda sabe. Preciso comprar uma casa também.

    Gosto de me ver como uma Nobre mística. Porém, eu gosto de humildade. Todos me tratam de uma maneira muito diferenciada. Parece que minha simples opinião acaba sendo algo muito forte para as pessoas próximas de mim. É engraçado, pois quando pensam em alguém de raça pura, esperam alguém entrando com tapetes vermelhos e, cornetas anunciando minha chegada etc. Mas as pessoas chegam a ficar surpresa com a minha humildade. A realeza mística é o meu tesouro. Sou uma nobre dos Uktena, Família dos Fianna. Ostento dois nomes famosos e honrados. Se quiser ver de outra forma, é como os altos sacerdotes da realeza. Respeitados e temidos.

    Claro, alguns outros uktenas vivem próximos. Não deixariam um dos “herdeiros” do legado tão sozinha sem ter contato com a tribo Uktena. Tenho dupla cidadania, afinal, pai americano e mãe alemã. Com bastante frequência, eu viajo para os estados unidos, seja por alguma assembleia, ou assunto Rosenstock.  Os anciões da família gostam de ver de perto como anda meu desenvolvimento. Existem outros jovens Rosenstock, claro, e todos são “herdeiros do legado”, mas nenhum deles é um símbolo vivo da aliança com uma nobre família dos Fianna. Ou seja, eu sou “especial”. Os Rosenstock tentam na medida do possível manter viva a tradição em mim, eu vejo um esforço para isso. Isso vem desde indiretinhas, até mesmo conversas amigáveis. Já falaram pra mim daquele jovem que foi nascido entre um Fianna e uma parente Uktena, como parte do pacto de aliança das duas famílias sangue puro. Mas desconheço ele. Tenho desejo de conhece-lo, quero saber se ele passa pelas mesmas situações. Somos primos e ambos somos "símbolos vivos" da aliança das famílias. Falam bem dele, então, parece ser uma boa pessoa para conversar. Quero conhece-lo, pois afinal, os dois símbolos vivos da aliança Rosen-Regan, devem se dar bem, para mostrar que a aliança, é algo positivo, e que rendeu frutos. Alguma coisa me diz que algum ancião vai querer que eu me case com ele....

    Eu vivi entre as duas tribos. Não sou Fianna, é claro, mas é claro que acabei por viver muita coisa dentro da família Regan. Sai com muitos Fianna, festejei com eles também. Eu gosto deles. Eles me respeitam bastante, e mesmo não sendo uma Fianna, muitas vezes sou tratada como uma. Eu passei muito tempo afastada deles também. Não ligando muito para a família do lado da mãe. Hoje, eu já tenho bem mais interesse nos costumes, nas vivencias e contato com os Fianna. De verdade, esses caras são legais, e me respeitam. Apesar de ter mais contato com os Reagan, por questão de convívio, eu estreitei laços mais firmes com meus colegas e parentes Uktena, nos estados unidos, e os poucos que aqui ficaram. Eu sei que no fundo, alguns deles só estão aqui para que eu "não esqueça qual a minha tribo". Seja como for, eu as vezes acho que eu sou o exato meio termo entre Uktena e Fianna. Aprendi muito com os Fianna, e claro, para os que não conhecem minha história, chegam a pensar que sou de fato uma Fianna. Mas as aparências enganam. Apesar de algumas pessoas dentro dos Regan não gostarem muito de mim, talvez porque me consideram uma invasora, ou simplesmente porque ainda exista um resto de rivalidade com os Rosenstock. Não são todos, mas acho minha função eliminar por completo os resquícios dessa rivalidade. Eu acho apenas que os Regan são um pouco irresponsáveis, as vezes, mas tudo bem. Eles ja se provaram com grande ferocidade e honra a Nação Garou. Família, a gente não escolhe. E eu amo ela, independente de tribo, de raça, ou continente. E sinto que sou amada pelos dois lados.

    Agora, aqui vai um pequeno segredinho. Quando eu tinha meus 17 pra 18 anos, eu comecei a ter um rolo com uma menina. Seu nome é Amy Laurent Ela é um amor de pessoa. Era uma amiga do colégio. Porem mesmo depois do ensino médio, continuamos a se falar. Nós...bem. Você sabe. Não havia ninguém em casa aquele dia, estávamos tomando vinho e falando do quanto o Ex dela era um otario...E bem...Aconteceu. Sabe, um pouco além de beijos...acabamos repetindo essa “aventura”, mais algumas vezes. Começou a rolar uma paixão. As coisas começaram a ficar confusas. Ela insistia para que ficássemos mais, porém, eu não sei como seria a reação da minha mãe, muito menos dos outros garou. Poderia isso por em risco a imagem da família? Ou eu tenho apenas que ter muito culhões para bancar um relacionamento tão... “novo” pra um bando de lobisomens?

    Não sei dizer se eu fiquei de fato apaixonada ou não. Mas foi a coisa mais intensa que já senti por alguém. Olha, talvez eu seja mesmo Bi, talvez seja cedo para tirar qualquer conclusão. Paramos de nos falar quando este medo começou a tomar conta de mim. Brigamos naquela noite por whatsapp. Depois disso, ficamos um bom tempo sem nos falar. Apesar de tudo, eu sinto falta, e fico triste ao lembrar da melhor amiga que eu “perdi”. Ela me mandou uma mensagem a pouco tempo, pedindo desculpas e que estava com saudade. Queria me ver. Eu não tive coragem de responder, e me sinto mal por deixar ela no vácuo. . Mas, por mais que eu tenha medo, eu quero fazer tudo aquilo novamente...Acho que essa historia daria um bom clipe de alguma musica triste como essa aqui, que define bem o clima
    Meu pai esta morto, mas diferente dessa dor do passado, Amy é como uma dor do presente, que não é exatamente facil de lidar. Sempre que eu penso nela eu fico...bem, deixa pra la, se eu continuar eu vou acabar chorando. Não tenho estrutura para isso, tenho um dever pra seguir
    https://www.youtube.com/watch?v=CYQJLAcZfeM
    (obs: Amy, é um parente. Mas não sabe disso. Obs²: Kat é bi, e ainda não sabe totalmente disso. Ela sente atração por mulheres, mas de certa forma, tenta não dar atenção a isso, se reprimindo. Ela esta tentando lidar com isso)

    (Katerine é vista como uma personalidade importante. Uma heroína que não atingiu seu total potencial. Sua mae é parente de uma das mais importantes familias Fianna da europa. Seu pai se tornou uma lenda Uktena que morreu recentemente dando sua vida para salvar a filha. A família Rosenstock carrega um peso importante e Katerine é claramente vista como uma das sucessoras do braço principal de heróis da família. E apesar não ser uma Fianna, é uma Regan é tratada como igual pelos Fianna)

    Uma nobreza com fundamentos da magia, misticismo celta, inverno e rosas. Nascida no berço de duas familias sangue puro, como simbolo maximo de seu pacto de aliança, os outros Garou me olham com inveja, orgulho, ou desejo. Eu sou exposta em varias canções Fianna sobre "o pacto Rosen-Regan", e caso alguma reunião aconteça entre as duas familias, eu tenho presença obrigatoria. Não quero ser mesquinha nem nada, mas eu me esforço para manter uma boa imagem, e parecer o mais “nobre” possivel. Manter a pose, a elegância, e a graça. A simbologia por tras de minha familia e meu augúrio me representam bem. Eu sou elegante como a rosa, misteriosa como Uktena, e graciosa como a neve. Com a ajuda dos espíritos, libero grandes poderes e segredos. O inverno costuma trazer frio e fome, e sua força pode massacrar todo um exercito. Posso até parecer frágil e delicada como uma rosa, mas eu sou o desabrochar do inverno.


    Mote:
    Se o inverno é uma força devastadora, eu sou a delicada rosa que traz seu desabrochar


    Claude Speedy
    Troubleshooter
    avatar
    Troubleshooter

    Mensagens : 997
    Reputação : 21

    Re: Fichas Aprovadas

    Mensagem por Claude Speedy em Sex Nov 24, 2017 1:23 pm

    Ficha - Mago

    Nome: Myrella von Horn
    Tradição: Verbena (Seguidores da Lua)
    Essência: Investigador
    Conceito: Curandeira Sábia
    Natureza: Filantropa
    Comportamento: Perfeccionista
    Descrição ou imagem: Myrella possui cabelos da cor do cobre polido ondulados e com volume controlado através de produtos e hidratações constantes que lhe iam até o meio das costas, olhos verdes expressivos e a pele clara, traços que herdou de seu pai. Com um metro e cinquenta de altura e pesando cinquenta quilocalorias, tem uma boa aparência que herdou de sua falecida mãe.
    Imagem:

    2. Atributos

    Físicos (03)
    - Força: 01+ 01 = 02
    - Destreza: 01+ 01= 02
    - Vigor: 01+ 01 = 02

    Sociais (05)
    - Carisma: 01 + 02 = 03
    - Manipulação: 01 + 01 = 02
    - Aparência: 01 + 02 = 03

    Mentais (07)
    - Percepção: 01 + 02 = 03
    - Inteligência: 01 + 03 = 04
    - Raciocínio: 01 + 02 = 03

    3. Habilidades

    Talentos (09)
    - Prontidão: 02
    - Esportes:
    - Briga: 01
    - Esquiva: 02
    - Empatia: 01
    - Expressão:
    - Intimidação:
    - Consciência: 02
    - Instrução:
    - Intuição: 01
    - Manha:
    - Lábia:

    Perícias (05)
    - Dô:
    - Empatia c/ Animais: 01
    - Ofícios:
    - Condução:
    - Etiqueta: 02
    - Armas de Fogo:
    - Armas Brancas: 01
    - Liderança:
    - Segurança:
    - Furtividade:
    - Sobrevivência:
    - Tecnologia: 01

    Conhecimentos (13)
    - Acadêmicos: 01
    - Computador: 02
    - Finanças:
    - Cosmologia: 02
    - Investigação: 02
    - Direito:
    - Linguística: 01
    - Medicina: 01
    - Ocultismo: 02
    - Política:
    - Ciências: 01
    - Cultura (Garou): 01

    Virtudes (07)
    - Consciência: 01 + 03 = 04
    - Autocontrole: 01 + 02 = 03
    - Coragem: 01 + 02 = 03

    Humanidade: 07

    Força de Vontade: 5 (inicial)

    Antecedentes: (07) Raça Pura  (5), Riqueza (2 +3), Nodo (1), Avatar (4), Aliados (1)

    Arete: 1 (inicial)

    Esferas:
    Correspondência:
    Entropia:
    Forças: 1
    Vida: 1 (Tradição)
    Mente: 1
    Matéria: 1
    Primórdio: 1
    Espírito: 1
    Tempo:

    Quintessência: 4

    Paradoxo:


    Qualidades: Parente Metamorfo (Grátis), Vida Longa (1 pt), Toque da Vida (3 pts), Centelha da Vida (5 pt), Mansão  (3 pt)

    Defeitos: Língua de Bardo (-1 pt), Fobia (-2 pt: altura), Alergia (-1 pt: polem), Compulsão  (-2 pt), Estatura Baixa (-1 pt)

    Equipamentos (Carregados): Celular Moto Z Play, Chaves (Casa e Carro), Documentos, Bolsa Médica (com pomadas, remédios e outros material de primeiros socorros), Caderno de Anotações.
    Posses: Notebook, material da faculdade.



    6. Prelúdio

    O sangue é mais grosso que a água, meus pais disseram tantas vezes antes de morrem em um trágico acidente de carro quando voltavam para a cidade de Nova York após uma conferência de meu pai. Eu tinha doze anos na época e, desde então, venho sido criada por meu irmão, Gael von Horn. Diferente de mim, ele tinha os cabelos ruivos de nossa mãe e estatura alta de nosso pai, mas não era apenas isso que eu e meu amado irmão havíamos herdado de nossos pais. Tal como nossa mãe, ele havia herdado o Lobo e eu havia herdado o sangue puro de nossa família, marcando que era uma... Parente. Descobri tal coisa quando me deparei com meu irmão transformado em um lobo humanoide de pelo menos uns três metros de altura e com mais que o dobro do peso e músculos da forma humana. A pelagem era ruiva dele estava manchada de sangue e a dor e medo dele eram palpáveis no ar. Andei até aquela criatura, sentindo algum tremor. A cabeça dele se inclinou para o lado, parecendo meu cachorro quando falava com ele, e me observou. Gael me deixou toca-lo e me lembro de tentar acalmar e consolar aquela criatura.

    Ele havia tido sua primeira Mudança e matado a vadia da ex-namorada dele e o amante dela. Os empregados haviam deixado eles entrarem na casa e Gael os pedou fazendo sexo na cama dele. Definitivamente aquilo o deixou com muito ódio e gerou a transformação. Não como os criados estavam vivos, mas haviam conseguido escapar da ira do filhote. No ano que de seguiu, ele havia sido treinado e educado pelos lobisomens da região pertencentes a nossa tribo, os Fianna, e não fazia ideia de como havia sido aquilo. Apesar de não poder acompanhar os treinos e ensinamentos, os anciões foram gentis o suficiente para me ensinar um pouco da cultura Garou.

    Nesse período, aprendi minha função como Parente. Eu devia ajudar a nação Garou como poderia e a herança de nossos pais, que incluíam ações em empresas e o que eles acumularam com o trabalho de meu pai como um neurocirurgião de sucesso e renome podia ser útil para mantermos... As coisas tão bem quanto poderíamos com dinheiro. Compramos uma casa maior, investimos mais em segurança, mantivemos os empregados leais e comecei a procurar refúgio na religião e cultos pagões. Fui me encontrar em meio a religião Wicca, que tinha muitas semelhança com o que viria a ser a minha Tradição mágica. Mas apesar das crenças similares, nada poderia me deixar pronta para o Despertar, nem meu amor a deusa Gaya.

    Meu despertar ocorreu um ou dois anos após meu irmão virar um cachorro gigante. Voltava para casa a pé, após sair da casa de uma amiga quando ainda estava no segundo ano do ensino médio. Estava passando por uma rua vazia enquanto ligava para meu irmão para perguntar se queria que eu levasse algo da rua. Não havia visto que nessa hora dois homens me seguiam e pouco após fui abordada por eles. Ia pegar um atalho pelo Central Park, ainda aberto, quando percebi eles e apressei o passo. Me embrenhando por entre as árvores, vi pela primeira vez o que seria um familiar. Uma driade estava observando e demorei a notar a presença dela e do homem próximo. Ele tinha uma aparência selvagem, mas não ruim. Sua mão agarrou meu pulso, me puxando para as árvores e meus perseguidores passaram direto por nós, apressados. Foi quando meus olhos assimilaram o espírito de árvore presente e o homem. Sem palavras, os observei por um tempo e um véu começou a se desfazer na minha mente. Conhecia aquele homem, era o alto-sacerdote do meu grupo Wicca. Devia ter seus algo por volta de seus trinta e cinco anos e era a presença paterna que não tinha a algum tempo.

    Foi algo complicado. Queria entender o que, diabos, era aquela driade e ao mesmo tempo ir embora. Não era a coisa mais bizarra que já vi, mas era algo diferente de um cachorro gigante que estraçalhava corpos em fúria. James ficou surpreso por eu não ter surtado e lembro de ter dito que nada que um garou não pudeese te deixar preparada para ver. Com transformações lupinas, Dons e Espíritos dificilmente iria estranhar aquilo. Fui levada para casa após mais de meia hora dele dizendo que ninguém podia ver ou saber daquilo além de, talvez, meu irmão. A única coisa que queria na hora era fugir e me isolar no quarto. Que se dane o resto. Quando cheguei em casa, jantei com meu irmão e discutimos sobre o que ele e os irmãos de tribo dele planejavam fazer com um traidor da seita. Pelo menos ele não tinha problemas em me atualizar sobre o que acontecia na Nação Garou.

    Nos dias que se seguiram, perguntei a ele e a um theurge sobre espíritos das árvores com corpo físico além da árvore e queriam saber o motivo da pergunta. Tentei explicar que achava que vi algo assim, mas evitava entrar em muitos detalhes sobre tudo aquilo. Mas quando minha mente "aceitou" o que aconteceu e estava pronta, procurei James para compreender melhor o que havia visto. Nos vários dias, semanas e meses que se seguiram, aprendi mais da sociedade mágika e sobre as tradições. Por similaridade, acabei me afeiçoando pelos Verbena e procurei formas de me unir a eles, começando meu treinamento formal com eles.

    Revelei ao meu irmão sobre o Despertar e que queria... Treinar com os magos. Se houve brigas e confusão? Claro, mas o argumento de que era um plano de Gaya para que eu pudesse ajudar os seus guerreiros era forte o suficiente para que ele não decidisse me expulsar de casa. A partir desse dia, treinava e me aprofundava mais e mais nas culturas de ambos os lados. Me formei na escola e entrei quase imediatamente para a faculdade de Medicina. Queria cuidar das pessoas quando não estava ocupada sendo uma espécie de xamã para os Fianna.

    Havia procurado e tentado resgatar o máximo dos cultos celtas antigos, o que me fez estudar não a esfera da Vida como também as Forças da natureza, o Espírito e outros ramos que poderiam ajudar nossa tribo. Eu agora planejava conhecer e aprender Dons para poder melhorar minha ajuda na tribo. Nas férias de primavera, fui para a Irlanda do Norte pesquisar mais sobre a tribo e também minha família, aproveitando também para me aprofundar mais no idioma irlandês. Quando voltei que soube que alguns magos da cidade haviam sido levados por "homens de preto". James os descreveu apenas como problemas dos grandes e membros da Tecnocracia, mas não sabia como ou porque eram problemas.

    Foi quando soube do pedido de ajuda de Arctos e decidi... Atender ao pedido. A união as vezes era boa e os problemas de vampiros, lobisomens e magos poderiam ser ainda piores... Se juntos.

    Claude Speedy
    Troubleshooter
    avatar
    Troubleshooter

    Mensagens : 997
    Reputação : 21

    Re: Fichas Aprovadas

    Mensagem por Claude Speedy em Ter Dez 12, 2017 11:30 pm

    Nome: Abigail Black
    Nome Garou: N/A
    Raça: Hominideo
    Clã: Lasombra
    Augúrio: Theurge
    Tribo: Dançarinos da Espiral Negra
    Desvantagem Tribal: Perturbação - Esquizofrenia
    Campo: N/A
    Matilha: N/A
    Totem: N/A
    Conceito: Pródiga das Trevas
    Natureza: Sobrevivente
    Comportamento: Sobrevivente
    Geração: 8ª
    Refúgio:
    MURRAY HILL TOWER - APARTAMENTO EM MANHATTAN:



    AVATAR:





    OUTROS AVATARES:
    Alex Meyers - Toreador




    Jessyca (Jesse) Bloom - Lasombra




    Lydia Norman - Humana (Carniçal)



    2. Atributos (07/05/03)

    Físicos (5)
    - Força: 1 + 1
    - Destreza: 1 + 3 (Movimentos Felinos)
    - Vigor: 1 + 1

    Sociais (7)
    - Carisma: 1 + 1
    - Manipulação: 1 + 3 (Convincente)
    - Aparência: 1 + 3 (Feições angelicais)

    Mentais (3)
    - Percepção: 1 + 1
    - Inteligência: 1 + 1
    - Raciocínio: 1 + 1

    3. Habilidades (13/09/05)

    Talentos (13)
    - Prontidão: 3 (6 PB)
    - Esportes:
    - Briga: 3
    - Esquiva: 1
    - Empatia:
    - Expressão:
    - Intimidação: 2
    - Instinto Primitivo: 3
    - Liderança:
    - Manha: 1
    - Lábia: 3

    Perícias (5)
    - Empatia c/ Animais:
    - Ofícios:
    - Condução: 2
    - Etiqueta: 1
    - Armas de Fogo:
    - Armas Brancas:
    - Performance:
    - Segurança:
    - Furtividade:
    - Sobrevivência: 1
    - Tecnologia: 1

    Conhecimentos (9)
    - Acadêmicos: 1
    - Computador: 2
    - Finanças:
    - Investigação:
    - Direito:
    - Linguística:
    - Medicina:
    - Ocultismo: 4 (Artes das Trevas - Abismo)
    - Política: 2
    - Ciências:
    - Cultura (grupo específico):

    Virtudes (07)
    - Consciência: 1 + 2
    - Autocontrole: 1 + 2
    - Coragem: 1 + 3

    Humanidade: 6

    Força de Vontade: 4 + 3 (PB)

    Antecedentes: (05)
    Geração: 5
    Recursos: 4 (PB)
    Lacaios: 1 (PB)
    Rituais: 3 (PB)


    Disciplinas: (03)
    Tenebrosidade: 1
    Dominação: 1
    Potência: 1

    Dons:
    Tribal: Mortalha
    Racial: Mestre do Fogo
    Augúrio: Comunicação com os Espíritos


    Rituais: Dedicação do Talismã (1 - Roupa Reforçada), Purificação (1), Pedra Caçadora (1).

    Fúria: 2
    Gnose: 1

    Qualidades:
    Voz Encantadora: (2)
    Audição Aguçada (1)
    Visão Aguçada (1)
    Faro Aguçado (1)



    Defeitos:
    - Cabeça Quente (2)
    - Marca do Pedrador (2)
    - Vingança (2)
    - Pesadelos (1 - Experiências da Transformação)


    Renome:
    Glória - 0 / 0
    Honra - 0 / 0
    Sabedoria - 3 / 0

    Equipamentos (Carregados): Roupa reforçada (Armadura + 1), Smartphone, Faca, Glock 17, Soco Inglês.
    Posses: Honda CBR 250 preta, Notebook Vostro top de linha, Identidade Falsa (Freya Mainyu).

    HONDA CBR 250 PRETA:


    [spoiler="Prelúdio"]
    - Abigail Black -

    ‘’Em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo. Espero que Deus tenha piedade de nossas almas condenadas por nossos corpos imortais. Até para mim, a esperança deverá ser a ultima que morre... A esperança de Vingança ao horror que eles me causaram. Amém... ’’

    ’You have entered once again in the world of survival horror…
    Good Luck…’’



    Capitulo 1 – Prisão

    E foi aonde eu nasci, em Tall Oaks no ano de sete de setembro de mil novecentos e noventa, meus pais... Droga... Minha mãe era prostituta de um bordel chamado Sin Bin, meu pai era um cliente especial, ela sempre imaginou que meu pai gostava do jeito que eles transavam após pagar 200 dólares, mas a verdade era outra. Meu pai era simplesmente obcecado por ela. Eles possuem uma historia... Estudaram juntos. Meu pai não foi bem sucedido, nem ela e ambos tomaram caminhos errados, ele entrou para o mundo do crime e ela resolveu vender seu corpo após se viciar em drogas. Meu pai finalmente a conquistou depois de muito tempo, prometendo-a uma vida melhor e conseguiu, por um curto prazo... Após meu nascimento meu pai foi preso e levado a prisão de segurança máxima de Fox River, minha mãe ficou revoltada, pois agora tinha de voltar as ruas e agora com uma criança para sustentar. Fui criada às tapas e aos berros, acostumada a ter homens estranhos em minha casa que vinham todas as noites e eu sabia o que faziam. Nunca conheci meu pai, mas não porque ele não queria minha visita na prisão e sim porque minha mãe nunca permitiu que eu o visse.

    - Você não tem um pai, apenas um porco nojento e mentiroso que esta apodrecendo atrás das grades por ser um idiota maldito.

    E o que ela dizia e me conformei assim. Sentia-me sozinha, abandonada, minha mãe sempre com homens estranhos dentro de casa e quando não, entorpecia-se com drogas e ficava jogada no chão gemendo de dor e êxtase que as drogas pesadas lhe proporcionavam. Inúmeras foram as noites que passei em claro sobre pranto de lagrimas.

    Andava de skate nas ruas, tinha que me virar pra comer às vezes e então eu roubava, mas entendam não roubava por maldade, roubava porque eu tinha fome e minha mãe não tinha capacidade nem de cuidar de si mesma quanto mais de mim. Pelo menos roubar me rendeu uma coisa boa, conheci o policial Harry, ele era negro alto, bem forte e tinha um bigode estranho, mas engraçado, ele me pegou roubando, me parou, e me perguntou.

    - Onde estão seus pais, garotinha?

    - Minha mãe esta... Ocupada, e eu não sei onde esta o meu pai. Por favor, não me leva presa, eu só estava com fome...


    Harry logo se apiedou de mim e pagou o hot-dog que eu havia pedido e que não iria pagar depois de comer.

    - Qual e o seu nome?

    - Abigail...

    - Não faça mais isso, Abigail, peca dinheiro a sua mãe da próxima vez.


    Eu não dei ouvidos, porque minha mãe só tinha dinheiro para as drogas, todo o dinheiro que ganhava dos homens estranhos ela gastava muito rapidamente em drogas.

    Voltei a roubar para conseguir comer algo, dessa vez algumas frutas, só que fui pega por outro policial que não Harry e ele me levou para uma delegacia próxima e foi lá que encontrei Harry novamente, ele estava com um homem branco, cabelos cumpridos e castanhos, alto e muito bonito.

    - Abigail, o que esta fazendo aqui?

    - Eu... Eu...


    Não consegui falar a verdade, ele tinha sido tão legal e não tive coragem de decepciona-lo.

    - Ela foi pega roubando um mercado, Harry. Você a conhece?

    Harry me olhou e meneou a cabeça negativamente

    - Pode deixar Jack, eu cuido do assunto, conheço a garota.

    O policial Jack não se importou

    - Abi, esse e Alex, ele é roqueiro e esta começando com a sua banda, veio começar sua vida em Tall Oaks junto com a namorada Rebecca.

    - Hm... Roqueiro. Você toca guitarra?


    Alex tinha um jeito encantador

    - Toco guitarra, e sou o vocalista, mas também toco bateria. Você gosta?

    - Eu adoro!!!! Pode me ensinar?


    Eu havia ficado entusiasmada, já tinha parado em lojas de Cd`s e ouvi algumas bandas como Metallica, AC/DC, Marylin Mason e muitas outras bandas legais, mas nunca tive dinheiro para comprar, e foi a partir do dia que Alex começou a me dar aulas com a guitarra dele que tive muita vontade de virar Roqueira e foi também a época que criei coragem para começar a roubar os CD`s das lojas.


    Capitulo 2 – Conspirações

    Eu já tinha dose anos, estava mais esperta, era capaz de coisas mais ousadas, embora não voltei mais a roubar por causa do Harry, ele tinha ido conhecer minha mãe e já a ameaçou leva-la presa, ele só não a prendeu ainda porque eu não tenho família e iria para assistências sociais, Harry sabia como eram algumas assistências sociais e ele não me quer em nenhuma delas, ate que Rebecca, a namorada de Alex teve a ideia de me adotar. Eu moraria com eles, e estava ficando feliz muito feliz com a ideia, mas minha mãe brigava pela minha guarda, não sei porque, mas ela se negava a me deixar partir com Alex e a Rebecca, acho que e porque eu era seu escudo contra o Harry, mas o processo estaria rolando e Harry daria seu testemunho. Minha mãe seria presa e eu seria imediatamente adotada por eles.

    Tudo estava perfeito, mas parecia que a felicidade estava mais longe do meu alcance do que eu poderia imaginar. Uma noite de verão, vi um caminhão de bombeiro cruzar rapidamente a rua. Eu nunca tinha nada para fazer, então peguei meu skate e corri para ver o que era. Eu estava reconhecendo o caminho e meu coração apertava. Virando a eight street meu coração saltou pela boca.

    - ALEX!!! REBECCA!!!

    Eu ia correr para o apartamento deles em chamas, mas Harry surgiu de repente e me segurou pelo braço.

    - Não Harry!!! Me deixa!!! A Rebecca e o Alex vão...

    - Eles já estão mortos Abi!!!


    Eu congelei.

    - Eles estão mortos...

    Disse agora se ajoelhando para ficar do meu tamanho, e logo em seguida me abraçou. As lagrimas escorreram dos meus olhos incrédulos, mas minha boca não propagava nenhum som. Não sei quanto tempo se passou, horas, minutos, mas eu estava sentada na calcada, os corpos já haviam sido retirados antes de eu chegar e identificados, os bombeiros só estavam vindo para apagar o fogo. A única coisa que havia sobrado, milagrosamente foi a guitarra dele.
    Harry me deu a guitarra dele, achou que seria o desejo de Alex.

    Mal é pouco de como me senti com a morte dos meus melhores amigos, eles me dariam uma casa e família de verdade e isso foi arrancado de mim. Harry não queria me dizer, mas eu fui teimosa e averiguei nos arquivos, eu zanzava livremente pela delegacia, pois era amiga do Harry e todos já me conheciam, inclusive o Jack. Inspecionei algumas coisas e achei o Diário da Rebecca, li algumas coisas, Alex havia pedido ela em casamento, e não me contaram, eu fiquei brava, mas depois li que queriam me dizer depois que eu já estivesse morando com eles, pois seriamos uma família de verdade, e também vi algumas coisas que me chamaram a atenção. Li sobre a Terra Save, Alex e Rebecca eram um grupo de pessoas que faziam campanha contra a empresa farmacêutica Umbrella Inc. La eu li coisas perturbadoras, conspirações e testes em pessoas para criar armas biológicas, fotos e arquivos, criar seres mutantes dotados de habilidades sobre humanas para servirem como armas militares. Ouvi um barulho na sala dos arquivos.

    - Abi!!!

    Droga, Harry havia me pegado.

    - O que esta fazendo, Abi!? Você não pode entrar aqui, é proibido!!!

    - Se eu não tivesse entrado, não saberia da verdade! Rebecca e Alex iam se casar, eles estavam noivos e nós seriamos uma família, mas tudo foi por agua abaixo e eu já sei o porque!!!

    Harry ficou mudo, em choque, havia sido pego.

    - É a Umbrella não e!? Eu li o diário da Rebecca, Harry, eles estão fazendo coisas ruins, e a Rebbeca e o Alex estavam lutando contra isso!!! Foi essa empresa que fez isso com eles, eles sabiam que a Rebecca e o Alex eram uma ameaça e por isso os assassinaram. Eu sabia que não era um simples acidente, não podia ser!!!

    - Já chega Abi, vamos embora!


    Harry me pegou pelo braço e me tirou a forca, todos da delegacia estavam me vendo ser puxada com forca. Um policial perguntou o que estava acontecendo

    - Nada do que eu não possa resolver, sai da frente.

    Nunca vi aquilo, Harry costumava ser calmo, mas agora estava em um estado de espirito muito perturbado.

    -Me solta Harry!!!

    Harry me levou para fora da delegacia, em frente à calçada, agachou-se um pouco, suspirou, seu olhar era de lamento.

    - Abi, entenda uma coisa, isso que você viu não era pra ser do conhecimento de ninguém, ainda...

    - Você mentiu pra mim, Harry, disse que só a guitarra do Alex que havia sobrado, mas o diário da Rebecca também e o que mais você esconde de mim!? Ham? Me fala!!!


    Harry pegou na minha mão e me levou para um canto mais reservado e começou a desenrolar.

    -Abi, você é muito pequena para entender dessas coisas, não há nada do que você possa fazer.

    Eu não estava nada convencida e Harry viu isso, dando um suspiro, ele desistiu.

    - Está bem... A alguns anos, antes de você conhecer o Alex, estabeleci contato com a Terra Save, é uma ONG secreta que trabalha contra algumas empresas, elas conspiram e infligem a lei por um bem maior, porque legalmente o sistema capitalista e a influencia que as grandes empresas que possuem a taxa mais degradante do meio ambiente detem desse sistema é grande demais para ser combatido, eu entrei nessa porque o nosso mundo está como está e Alex me foi apresentado. Mantivemos contato e ele veio com uma descoberta inacreditável, sobre a Umbrella, que é uma empresa farmacêutica multimilionária.

    Entendam, naquele tempo eu tinha apenas dose anos, não entendia de politica e finanças, por isso nunca prestei atenção na Umbrella.

    - Alex trouxe fotos e provas do que aquela empresa fazia, ele trabalhava para aquela empresa até que via coisas suspeitas acontecendo dentro dos laboratórios e quis saciar sua curiosidade, viu os experimentos, ficou horrorizado, roubou as provas e procurou alguém confiável a quem revelar, até que conheceu Rebecca que já era membro da Terra Save, então Alex e Rebecca se apaixonaram e logo vieram para Tall Oaks para me encontrar.

    Eu estava escutando tudo, compreendia, não era nada extraordinário, mas era algo a se pensar. Harry já sabia que estava roubado, eu entraria nessa, e acabaria com a Umbrella virando um membro da Terra Save.


    Capitulo 3 – Lembranças.

    Eu já estava com quinze anos, estava fera na guitarra, praticando e cuidando com todo amor e carinho na guitarra do Alex. Eu já entendia melhor de guitarras, aquela era uma Ibanez preta com detalhes vermelho, ela tinha uma rosa vermelha com espinhos bem destacado cobrindo a parte de baixo e atrás da guitarra e os braço possuía marcações de rosa como aquela do Guitarrista Steve Vai, mas não era o mesmo modelo que ele usava.

    Toda vez que eu tocava nela sentia saudades do Alex e da Rebecca, eu tinha aulas em sua casa, ia pra lá, não tinha uma guitarra ele me ensinava com dele e só assim eu podia praticar, ele me dizia que eu tinha uma voz muito bonita também que eu poderia facilmente ser vocalista junto com a guitarra como ele. A única coisa que interrompia o meu treinamento com a guitarra era a minha mãe, ou melhor, os clientes dela, embora eu já tenha conversado com alguns desses nojentos e até que alguns eram legais, teve outros que tentaram me seduzir.

    -Eu sou só a filha da puta.

    Respondia, eles até achavam graça, mas era verdade, já minha mãe não gostava de ser chamada assim, ela se dava essa fama, eu já não estava nem aí, tinha outros projetos. Harry me mostrava algumas coisas novas da Terra Save, já que aquela ONG agia pelas sombras agindo até contra a lei, um crime a menos não faria diferença.

    Agora eu estava conseguindo meu próprio dinheiro, eu consegui um contato nas ruas e aí conheci um tatuador, seu nome era Seth, era roqueiro também, alto, cabelos cumpridos e negros, cheio de tatuagens. Ele me fez um pentagrama invertido nas costas, bem grande, e tribais nos braços na altura do bíceps. Estava me ensinando a ser tatuadora, eu até que aprendi bem, nunca pensei que poderia ter alguma habilidade com desenhos, mas já fiz caveiras, guitarras, morcegos, vampiros, lobos e até zumbis. Zumbis... Eu me lembrava dos Zumbis de filmes quando via aquelas fotos das armas biológicas da Umbrella e lia seus relatórios... Comportamento irracional, nenhum vestígio de inteligência, só possuindo os instintos básicos, e o mais evidente, a fome... Eram testes realizados em pessoas... Aquilo me deixava... Enojada... Mal... Onde essa humanidade ia parar eu não sabia, até hoje não sei, mas eu sonho que um dia chegue para eu poder ver paz nesse mundo, por mais difícil que seja.

    Eu ganhava dinheiro com assistência tecnica junto com Seth no seu estúdio, ele me ensinou também sobre computadores e usei uma parte do seu estudio pra fazer umas manutenções básicas, ganhava um bom dinheiro e consegui comprar a minha moto, uma Honda Shadow 250 com bastante esforço, adorava aquela moto, no começo foi difícil mas fui andando devagar e pegando as manhas aos poucos. Meu corpo é muito desenvolvido para minha idade, no inicio da adolescência os rapazes e algumas garotas corriam atrás, sempre tinha um louco até mesmo para desrespeitar, mas eu segurava a minha raiva para não fazer besteira e chamar a atenção, mas foi graças ao meus corpo desenvolvido que os policiais não desconfiavam que eu era menor, mesmo porque parei de visitar a delegacia, estava crescendo e os policiais viviam me dando sermões, enjoei disso, e mantive contato só com o Harry e algumas vezes com o Jack.

    Na volta pra casa a tristeza banhou o meu coração de repente... Se Alex e Rebecca estivessem vivos, as coisas estariam sendo diferentes... Quem sabe estaria em outra cidade tendo estudos de verdade e vivendo uma vida de adolescente de verdade, ao invés de ficar rodeada de bandidos, traficantes e gangues de rua. Alex, Rebecca... Tinha saudades deles, por isso passei naquele apartamento novamente. Retirei meu capacete, estacionei a moto e subi as escadarias... Aquele prédio já estava abandonado, destroçado, depois do incêndio o bairro só foi ficando mais e mais violento, as pessoas fugiram desse lugar, era triste e solitário, às vezes era por isso que esse deveria ser o melhor lugar para mim.

    Fui rodando o lugar, abri a porta, vi a sala toda queimada, destruída... Não era a primeira vez que ia naquele lugar sozinha... Quando queria pensar ou desabafar vinha para cá, sentir saudades, ser humana, ser eu mesma e não essa pessoa que eu mostro ser. Teve uma vez que já dormi aqui, porque não queria mais escutar os gemidos e os gritos que minha mãe tinha que fazer com aqueles tarados nojentos.

    Fui até o quarto da Rebecca e do Alex, era como se eles estivessem lá... Fazendo cócegas em mim na cama, brincando comigo, e logo eu corria para a sala pegando a guitarra dele e ameaçando.

    -Para, ou eu vou jogar a sua guitarra pela janela!

    Ele ria e dizia

    - Não vai não, é a única que eu tenho e você aprende a tocar nela.

    Eu baixava a guitarra com um sorriso...

    - Tá... Você me pegou...

    Eu deixava a guitarra no chão e ele corria atrás de mim denovo fazendo a brincadeira, até que no fim a Rebecca dizia.

    - Vocês dois já chega não é? Vou preparar o jantar. Abi vai ficar pra jantar com a gente não é mesmo?

    Eu era louca pela comida da Rebecca...

    Lágrimas... Porque as coisas tinham que ser daquele jeito?

    Sentei em um canto, onde podia ver tudo acontecer como um filme antigo. Abracei meus joelhos, minha maquiagem estava toda borrada, as lagrimas desciam incansavelmente do meu rosto, eu não queria mais nada... Só queria o Alex e a Rebecca de volta... Queria meus amigos de volta, queria minha família, o mundo é tão injusto. Porque isso tinha que acontecer? Porque comigo? Porque eu? O que eu fiz de errado? Porque eu roubei quando tinha fome? Porque eu menti? Eu não gostei da minha mãe, mesmo ela não dando a mínima pra mim e me expondo desse jeito?

    - Não pode chover o tempo todo...

    - Alex???


    Me levantei em um salto, olhando para a janela, alguém estava na janela e havia pulado, tinha certeza. Corri disparada para a janela aberta e lá só vi a cidade noturna, o vento forte, e os carros passando pelas ruas sujas da cidade.

    Eu sabia que não poderia ser coisa da minha cabeça. Voltei às pressas para casa, por incrível que parecesse a casa estava silenciosa, minha mãe não estava. Fui imediatamente para meu quarto e revirei minhas coisas, peguei um cd’s e o coloquei meu disk man pondo meus headfones, fui mudando as faixas até que eu ouvi...

    “Não pode chover o tempo todo...”.

    - Alex... É você mesmo...



    Capitulo 4 – Luz nas Trevas

    Depois daquela noite adormeci e quando acordei, vendo uma coisa inédita... Minha mãe estava fazendo o café da manhã... Eu estranhei, muito... Ela nunca fazia o café da manhã, quem fazia era eu e mesmo assim ela vivia reclamando. Ela me deu bom dia, preparou uma mesa bem bonita, perguntou se eu estava com fome, eu respondi que mais ou menos... Aquela cena era estranha, estava começando a pensar que ela estava querendo pedir dinheiro, já me pus na defensiva e ela percebeu. Pos meu café da manha na mesa e pediu para que eu comecesse... Depois que dei a primeira mordida na panqueca eu quase engasgei... o gosto estava horrível, fiz uma cara ruim sem querer e logo vi os olhos dela ficarem tristes e ela perder o sorriso.

    -Está gostoso?

    -Eu... bem...


    Ela levantou-se imediatamente decepcionada

    - Tudo bem, nunca fui muito boa com esse negócio de mãe mesmo.

    Eu peguei no braço dela

    -Não! Está delicioso... eu adorei! Mãe...

    Ela sorriu...

    Fui correndo contar ao Harry no que tinha acontecido. Ele ficou preocupado, achou que eu poderia estar delirando, com relação ao Alex, mas pela minha mãe ele ficou feliz. Eu sabia o que tinha ouvido, só não tinha certeza do que tinha visto naquela janela. Harry não acreditou, eu apenas desisti de tentar convence-lo. Ninguém acreditaria, mas eu tinha certeza, Alex estava vivo! As coisas pareciam estar começando a tomar um rumo melhor, mas ainda assim, estranho...

    Fui para o estúdio do Seth, e lá eu trabalhei um pouco, até porque precisava pensar... As coisas estavam mudando, finalmente eu sentia um raio de esperança na minha vida... Alex poderia estar vivo, e minha mãe, finalmente está começando a agir como mãe.


    Capitulo 5 – Pesadelo

    Eu já não sabia o que estava acontecendo... Meus olhos... Doiam... Não sabia que lugar era aquele... Pessoas, pessoas me observando, pessoas que eu nunca vi... Estava assustada, e de repente... Aquela sensação... Fome...

    - Abigail...

    A voz... Vinha de dentro de mim, de dentro do meu coração...

    - Abigail... Eu conheço você... Conheço toda a sua história...

    A voz era sinistra... Amedrontadora, era masculina, e subitamente tudo ficou escuro... Eu me via, minha imagem, estava nua, e em minha frente um par de olhos vermelhos, assombrosos, gigantes... Dentes afiados... Mas não havia face...

    - Quem é você?

    Perguntei amedrontada.

    - Não me conhece Abigail? Rum rum rum rum...

    Uma risada sinistra ecoou por toda a escuridão.

    - Eu sou você...

    A resposta passou pela minha cabeça como um raio.

    -Conheço você, Abigail... Sempre estive com você... Quando roubava, roubávamos juntos, quando mentia, mentíamos juntos, quando odiava, odiávamos juntos... Quando queríamos matar, queríamos juntos...

    - Não... Não pode ser... Você não pode ser eu...


    A gigantesca boca cheia de dentes não se movimentava, era quase como se fosse contato telepático

    - Não me negue, Abigail... Eu não sou seu inimigo, sou seu aliado... Você não se lembra do que fizeram com a gente?

    As imagens vinham como flashes em minha cabeça... Enquanto falavam...

    - Eles tiraram nossas pessoas mais queridas de nós, tiraram qualquer vestígio de esperança da felicidade que poderíamos ter, e para que?

    - Para que?

    - Para criar monstros...


    As imagens vieram atona... Cerberus, Hunter, projeto T- Tyrant 03 entre outros.

    - Agora, eles querem nos transformar em monstros...

    - Não...


    As imagens vieram novamente... Na minha cama... uma invasão repentina... Pessoas mascaradas armadas, me pegaram a força, Umbrella... Minha mãe... Morta ao chão da cozinha...

    -MÃÃÃÃEEEE!!!!!!

    - Levem-na para o laboratório subterrâneo da Colméia, será nossa primeiro protótipo...

    - NÃÃÃÃOOOO!!!!


    Estava sendo arrastada para fora de casa... Um clarão, um lugar estranho, estava deitada, entubada, pessoas que pareciam médicas, com mascaras de gazes... Um homem se aproximava... Loiro, olhos claros, cabelos cumpridos e bata branca de cientista...

    - Minha cria... Meu sangue... Meu experimento... Minha Arma...

    A voz do voltou dando continuidade.

    - E eles conseguiram...

    Minha visão ficou avermelhada, tudo o que eu via era avermelhado... Sinais apitando no exterior, pessoas correndo desesperada... Meus braços, estava presa, entubada num tanque de água verde, com toda a minha força quebrei as algemas que fizeram um som metálico, rangi meus dentes e uma fome absurda tomou conta do meu ser e eu virei uma espécie de Abominação. Dei de encontrão no tubo e em dois ataques o tubo quebrou liberando a água verde. Os apitos logo aumentaram o som, e uma sirene tomou conta do ambiente... Eu estava descontrolada... Rapida e de forma sobrenatural avencei em um homem agarrando-lhe o pescoço e mordendo com extrema força arrancando sua cabeça em uma mordida selvagem e comecei a beber seu sangue, doce, quente... gostoso... Eu queria mais... Larguei-o, pois havia secado, avancei em outro homem e fiz o mesmo, só que dessa vez em ódio separei sua cabeça de seu corpo, os gritos aumentaram, todas as portas metálicas desceram, não antes de guardas com pistolas e outros armamentos adentrarem no local. As portas se fecharam automaticamente deixando as pessoas presas junto comigo... Eles tentaram me parar... Não tenho mais nada a dizer... Todas as pessoas foram brutalmente assassinadas.

    Estava andando calmamente com minha boca cheia de sangue, nua, de alguma maneira eu havia conseguido voltar a minha forma humana. O cenário? Mesas derrubadas, vidros quebrados, líquidos esparramados, luzes piscando... Um verdadeiro holocausto... estava procurando papeis, documentos... Achei... Autorizações de experimentos, fotos, experimentos... “Projeto Black Rose” por Edward Simmons. Amassei o papel... E virei a ponta da porta se abrir... me aproximei de uma escopeta de cano serrado e a peguei, carreguei-a com muita facilidade, apenas uma mão e estava leve, extremamente leve...

    Me aproximei em passos apressados nua, estava a procura de roupas... passei por um corredor escuro, e vi uma porta com um codin de cartões, não estava com paciência, mirei a arma no codin e estourei-o com um tiro. A porta abriu... Adentrei, o quarto estava escuro, mas minha visão... está melhorada... eu enxergava tudo... procurei um interruptor mesmo assim... Acendi as luzes, minhas pupilas não se dilataram devido a luz súbita... Procurei e procurei... finalmente achei roupas... Um coturno de cano longo feminino de vinil, uma saia, corset e um sobretudo do mesmo material, negros. Vesti-os e assim que o fiz, escutei um barulho, rosnados... Mas... Virei-me, não senti medo... estavam distantes, muito... portas se abrindo, passos apressados e rápidos, latidos altos, monstruosos, portas fechando, olhei para os lados, ao longo do corredor... Dois deles, vindo da mesma direção. Calma, confiança. Eram eles... Cerberus... Testes em animais feitos pela Umbrella. Os cães da raça hot wailer se aproximavam rápido... Corriam desesperados e eu sabia o que eles queriam, quando se aproximaram... Saltaram ao mesmo tempo, rapidamente levantei a escopeta com apenas uma mão e a explosão afastou os dois arrancando boa parte de seus rostos deixando-os caídos... Engatilhei a escopeta, olhando-os de cima dei alguns passos, apontei a arma para um e explodi seus miolos, pisei no outro prensando-o no chão, engatilhei novamente a arma e estourei seu crânio que acabou por ficar exposto e completamente destroçado.

    Olhei para a direção de onde tinha ouvido a porta... avancei com passos longos... O estalo do coturno fazia eco no corredor escuro... Cheguei até a porta, não havia codin como a outra... Mas havia uma câmera de segurança... eu estava sendo monitorada... Levantei a arma para a câmera e a estourei. Engatilhei novamente, a porta abriu-se sozinha... Adentrei...

    Dentro daquele local se demonstrou ser um laboratório, vi coisas terríveis, assim como tive que fazer coisas terríveis para sair da zona de perigo, mas era fato, a Umbrella já estava botando suas armas biológicas em prática, eu era uma delas, um projeto que se voltou contra seus criadores.

    Finalmente cheguei aonde queria...

    - Não!!! Você não entende!!!

    Desesperadamente pegou uma arma e começou a atirar, acertou um, dois, três tiro, um no peito, um na barriga, e o ultimo foi na testa. Nada falei, continuei avançando... Mas logo minha cabeça começou a doer, sentia como se estivessem apertando minha mente... Ele estava levantado...

    - HÁ há há há!!! Você pode ser a arma perfeita, mas ainda possui sua consciência, e essa é a minha defesa contra você. Agora, comporte-se, minha cria!!!

    - Sua... Cria...


    Minha voz saiu de uma gultural, demoníaca... Minha raiva foi despertada, meus olhos começavam a tomar o tom avermelhada, e ignorando completamente a dor por causa do meu ódio, tirei lentamente as mãos da minha cabeça e a ergui até fita-lo. Novamente me transformei naquela Abominação que agora fazia parte de mim, avancei em velocidade sobrenatural erguendo aquele miserável pelo pescoço.

    - Porque fez tudo isso? Para que faz isso? Qual sua motivação? Dinheiro? Poder?

    - Vencer uma guerra...


    Disse ele lutando para se soltar.

    - Explique!!!

    - Você... é a primeira... Abominação, criada artificialmente... A primeira... Vampira criada de um laboratório com o DNA de um Lobisomem, minha falecida prima Amélia, uma Dançarina da Espira ... Mas... Não se pode criar um ser sobrenatural sem um elemento sobrenatural... E eu usei, o meu sangue... o sangue de Lasombra... Para poder deixar você forte... Tão forte quanto seu corpo...

    Apertei a garganta, minhas presas saltaram.

    - Você me tornou um monstro!!!

    - Não...


    Disse ele ainda tentando se soltar.

    - Te tornei nossa... General...

    Minhas presas de monstro ainda expostas soltaram um rosnado feroz.

    - MORRA...

    Com minhas garras arranquei o seu crânio, dando ao meu criador, a Morte-Final.

    Edward Simmons teve sua morte-final em 18 de Novembro de 2005.


    Capítulo 6 – Salvação

    Minha vida estava acabada, Harry, Seth e todos que eu conheci tiveram de serem deixados para traz... Agora sozinha no mundo, fui encontrada por outro ser que era como eu, mas não inteiramente, porque esse era legitimo, ele tentou me capturar a força, mas não foi fácil... Até que fui estacada e levada a julgamento. Num local estranho com muitas pessoas estranhas, elas me avaliavam e falavam coisas estranhas, falavam da minha espécie, era considerada uma Abominação, era um deles, sem criado, mas a verdade era outra... Eu sabia quem havia me criado e até o nome do sangue que havia me dado, porém eu não queria revelar... Então alguém adentrou à sala... Meus olhos derramaram lágrimas...

    - Alex!!!!!

    Eu gritei... Estava presa, por alguma coisa estranha, não conseguia me soltar, se não teria corrido para abraça-lo.

    - Meu Senhor, peço o direito de de adotar esta criança para orienta-la em nosso mundo, ensinar-lhe sobre o mundo que ela adentrou e os caminhos a serem trilhados pela Aliança Mistica.

    - Tem certeza, sr Meyers?

    - Absoluta... Nada me é mais triste do que ver um ser tão belo ter um potencial perdido aos ventos da crueldade do mundo de hoje.

    - Que assim seja... Terás o direito de adota-la.


    Então aquele homem me liberou.

    Em seguida voltei para um casarão com Alex, ele me explicou muita coisa, coisas sobre o nosso mundo e também sobre mim e a Umbrella... Me explicou que sempre foi um Vampiro, e que Rebecca era sua carniçal e era também sua noiva, ele havia se apaixonado por uma humana e iria transforma-la futuramente. Sobre o atentado, ele havia conseguido escapar, mas não Rebecca... Os responsáveis foram a USS, uma equipe de elita da Umbrella, uma divisão de projetos especiais da Tecnocracia. Uma coisa muito avassaladora estava acontecendo em nosso mundo...

    Me explicando mais sobre a Umbrella e o que eles fizeram comigo... A umbrela como propriedade da Tecnocracia realizou testes em pessoas e animais para criar armas biológicas capazes de enfrentar os protetores de Gaia, mas se demonstraram insuficientes... Eu era a primeira experiências genética com Abominações... bem como Edward Simmons disse... E fui um sucesso. Alex disse que investigava a Umbrella desde o começo porque imaginava a catástrofe que aconteceria se um acidente acontecesse... Poderia causar pânico global, e ele estava certo. Alex queria destruir a Umbrella... Tentou usar sua influencia, mas a Camarilla não concordou e continou com os planos e assim ele se uniu à Aliança Mistica... O jeito que alex conhecia agora era mexer os pauzinhos por detrás das cortinas. Mostrou-me outra sede da Umbrella que ficava em Los Angeles... Lá invadi os computadores e uma pessoa apareceu... Seu nome era Jessica, mas pediu para me chamar de Jesse, ela era do Sabá, disse que conhecia porque viu as câmeras de vigilância que restaram da sede de Tall Oaks e viu também os relatórios de testes e disse que tinham uma tarefa em comum... Reforçou-me que a Tecnocracia era a dona da Umbrella e mesmo que a Umbrella fosse destruída a Tecnocracia a ressuscitaria... O jeito era destruir a Tecnocracia. Ela tinha razão... Alex não sabia, mas eu me juntei a ela, ela me deu pistas de que em Detroit havia uma sede da Umbrella muito influente e que teriam muitas provas para expor. Deveríamos destruir Tecnocracia, principalmente pelo que eles fizeram... E era isso, isso deveria ser feito... Combinei com a Jesse, ela me encontraria em Detroit, era para ligar para ela quando chegasse lá e encontraria com outra pessoa envolvida na missão, Alex. Descobri que Jesse era também uma agente da Aliança Mística infiltrada no Sabá.

    Estava indo agora para Nova York, avisei a Alex tinha uma pista da Umbrella, estávamos fazendo tudo por debaixo dos panos, ele iria sustentar tudo com a sua influencia e eu tiraria o lixo das ruas, sem deixar que sua influencia se espalhasse, tanto em mim quanto no mundo, porém não consegui mais encontrar Alex nem Jesse, e eu tenho medo de que tenha perdido meu melhor amigo novamente. Como um Membro da Aliança Mística, Theurge, estou investigando em Nova York o desaparecimento dos dois, se há algum meio sobrenatural isso. Fui altamente treinada pela aliança para estes assuntos e é hora de ver o resultado. Tenho que encontrar Alex e Jesse, destruir a Tecnocracia, e me vingar da Umbrella. Pra me ajudar nesta tarefa, tenho Lydia Norman, uma juíza de direito com muitos recursos que me ajudou a me reinserir na sociedade mortal como Freya Mainyu.
    Claude Speedy
    Troubleshooter
    avatar
    Troubleshooter

    Mensagens : 997
    Reputação : 21

    Re: Fichas Aprovadas

    Mensagem por Claude Speedy em Qua Dez 27, 2017 11:32 am


    Nome: Daniel Dumont Brenner
    Tradição: Vazio
    Essência: Dinâmico
    Conceito: Gamer/Questing
    Natureza: Esperto
    Comportamento: Sobrevivente
    Descrição ou imagem:

    2. Atributos (07/05/03)- ordem:5/7/3

    Físicos
    - Força: 01+00 = 1
    - Destreza: 01+01 = 2
    - Vigor: 01+04+01* = 6  (lendário, absorve agravados especialização: precisa mencionar...? É lendário!)

    Sociais
    - Carisma: 01+00 = 1
    - Manipulação: 01+04 = 5 (especialização: convincente, bom argumentador)
    - Aparência: 01+03 = 4 (especialização: beleza natural)

    Mentais
    - Percepção: 01+01 = 2
    - Inteligência: 01+02 = 3
    - Raciocínio: 01+01 = 1

    3. Habilidades (13/09/05)

    Talentos

    - Prontidão: 2
    - Esportes: 2
    - Consciência: 2
    - Briga:
    - Esquiva: 1
    - Expressão: 1
    - Intimidação:
    - Liderança
    - Manha:
    - Lábia: 3

    Perícias

    - Ofícios:
    - Condução:
    - Etiqueta:
    - Armas de Fogo: 1
    - Meditação: 3
    - Armas Brancas:
    - Atuação:
    - Furtividade: 3
    - Sobrevivência:
    - Tecnologia: 2


    Conhecimentos
    - Acadêmicos:
    - Computador: 3
    - Cosmologia:
    - Enigmas:
    - Investigação: 2
    - Direito:
    - Linguística:
    - Medicina:
    - Ocultismo:
    - Política:
    - Ciências:
    - Cultura


    Antecedentes: (07) avatar 4; arcanun 1; familiar 5 (2+3* - Mago a Ascensão - Forjado no Fogo, pag:85);

    Força de Vontade: 5 (inicial)

    Arete: 1 (inicial) + 01* = 2

    Esferas: (06)
    Correspondência: 2
    Entropia:
    Forças:
    Vida:
    Mente:
    Matéria:
    Primórdio: 2
    Espírito: 2
    Tempo:

    Quintessência:

    Paradoxo:

    Ressonância:
    Dinâmica____enérgica e rápida: 1
    Entrópica:
    Estática:

    Qualidades:

    Atributo Lendário Vigor - 5 pts
    Voz Encantadora - 2 pts
    Avatar Manifesto - 3 pts

    Parente Metamorfo - 4pts (grátis)

    Defeitos:
    Notório - 3 (adeptos da virtualidade)
    Carne Fresca - 4 (Initiates of the Art)
    Você acabou de Despertar e conseguiu fazer um pouquinho de mágika. Apesar disso, infelizmente, as outras criaturas sobrenaturais de sua cidade natal decidiram que você daria um bom aliado… ou marionete.
    Algum tipo de criatura sobrenatural quer te controlar e exercer controle sobre suas habilidades mágikas. Por algum motivo, seu mentor (se você tiver) é incapaz de prevenir a influência desta criatura. Seu Narrador irá desenvolver a criatura e definir seus poderes, objetivos e meios de ferrar com você.


    Magia e focus:

    Pontos Bonus: 15pts; -5 atributo vigor. -3 qualidades; - 3antecedentes -4 arete

    Equipamento:
    Rossi modelo 85, é um modelo de calibre 38 brasileiro com dif. 6, Dano 5, distância 12, Cadência de Tiro 3, 6 balas na arma, ocultabilidade B, pesando 1.0 Kg) (adquirido na mesa)


    Familiar: SmartWach Avatar, chamado de "AVA", por falta de criatividade
    Sorvo - Enormes quantidades de energia elétrica...Nhumeee...isso pode deixar sua conta de luz, bem cara...
    Tipo - Constructo


    Atributos: 5/3/1

    Físicos
    - Força: 01+00 = 1
    - Destreza: 01+00 = 1
    - Vigor: 01+03+01* = 5  

    Sociais
    - Carisma: 01+00 = 1
    - Manipulação: 01+01 = 2
    - Aparência: 00+00 = 0

    Mentais
    - Percepção: 01+03 = 4
    - Inteligência: 01+01 = 2
    - Raciocínio: 01+01 = 2

    Habilidade 7/5/3
    Consciência-3
    Prontidão -2

    Etiqueta-3

    Computador-3
    Ocultismo-3
    Investigação-1


    Força de Vontade - 3 +7* = 10
    Essência - 1+9* =10

    Encantos
    Absorver Dano Letal- grátis
    Absorver Dano Agravado - 2pts
    Maldição do Azar - 3pts
    Cura - 5pts
    Informante Espiritual -3pts
    Ciberpresença -3pts
    Sorte -4pts
    Colher Quintessência -7pts
    Ler e Escreer -1pt
    Fala - 1pt


    Defeitos:
    Imóvel - 5pts
    Minúsculo -2pts

    Pontos Bônus - 50

    Encantos - 29 pts
    defeitos +7pts
    força de vontade -14
    essência -9
    atributo -5

    ------------

    ------------


    The Gamer - Daniel Dumont Brenner


    Mote:

    A azul você continua vivendo em mentiras criadas para um só propósito, sugar a sua vida, um mundo criado por falsas verdades confortando os próprios egos, bebidas, drogas, falsos moralismos, conformismo como realidade e qualquer forma de individualidade e questionamento como inimigos a serem caçados... Azul ou vermelha?
    Se você não sabe, não existe dor, às vezes a ignorância é uma benção, mas prefiro a maldição que a sabedoria traz.
    - A realidade não passa de um jogo, e como em todo jogo, você está aqui para ganhar e tentar ver o final e se tiver sorte, talvez se divertir no processo.
    - Vou ali fazer minha Quest, preciso de XP e umas energias pra eu alimentar meu pet!
    -  No grande jogo da vida e de flexionar a realidade, quando você se fode, isso aparece. Pior ainda quando o time foderoso (Espíritos do Paradoxo) aparecem só pra fritar você. É melhor não estragar tudo.

    Bg:

    Aos três anos de idade, você já utilizada os tabletes e o mouse do computador como se fosse uma extensão do seu ser, e não se afastou deles desde então. Seus pais fizeram tudo para lhe incentivar, talvez houvesse algum propósito nisso, além da alegria de ver seu filho como um profissional bem-sucedido.
    Na adolescência você comprava e revendia peças pela net, desmontava e as montava em seu computador, apenas para analisar se houve algum ganho de performance, mesmo que não fosse perceptível, você ainda continuava a melhorar seu computador, de uma forma simples, isso era algo como colocar os ditos cujos na mesa, quem tivesse o melhor, tinha o maior pinto, apenas algo para se gabar.
    Logo os computadores se tornaram tediosos, ao menos quando usados da maneira usual, você passou a gastar algum tempo nas faculdades como hacker, o firewall primitivo deles era uma presa fácil para você, foi assim que os adeptos da virtualidade te acharam.
    Eles o observaram por um longo tempo, esperando para ver se você iria despertar, eles então jogaram a isca, o atiçaram nos fóruns e programas na deep web. Eles esperavam que seus programas especiais desencadeassem o despertar em você.
    O que eles não previram era que você passou apenas a jogar o jogo deles por um tempo, enquanto era benéfico pela troca de informações, você na verdade nunca gostou.  as vezes você tinha pesadelo com sua imagem sendo destruída em bites, você não sabia o porquê, mas algo sempre esteve errado. Você tinha em mente algo mais como Neo do Matrix, uma ideia de ser um herói, algo mais do que rodar by-passes eletrônicos na rede e comunicar certas verdades. Ao mesmo tempo que você despertava você queria se libertar e aprender mais sobre você mesmo e seus pensamentos de herói.
    Por um tempo você tentou caminhar sozinho e logo você se juntou com um bando de carinhas sinistros na rede, então alguém online o desafiou a invadir um website chamado: “A evolução da espécie e adaptação do meio”, ou algo assim, novamente seu ego falou mais alto, determinado a botar na mesa e mostrar que o seu p*nto era o maior, você  tentou invadir, falhou uma e outra vez, você então começou a ler o site, grande erro, a mensagem era algo que bizarramente mexia com seu subconsciente, “apatia como solução, defendendo a espécie humana dela mesmo”
    Então, como um clique de despertar, sua tela abruptamente começou a piscar, A palavra “ Calouro” apareceu, seguida por uma enorme explosão que o atirou ao teto.
    Talvez se não fosse por sua enorme vontade de viver, você talvez não teria sobrevivido, pelo menos era isso que você e os médicos acharam na época...você sobreviveu deitado na cama do hospital, semiacordado, perdido em pensamentos e nas altas doses de morfina e coquetéis de remédio. Os médicos se mostravam preocupados sobre suas chances de andar novamente, os danos físicos pelo menos deveriam ser enormes numa concepção comum.
    Em pouco tempo, um terapeuta físico veio lhe falar, e embora ele dissesse que queria ajudar, você sempre o achou estranho, uma aura assassina, ou mais precisamente de um animal, de um predador. Nos poucos momentos em que você esteve lúcido ele lhe contou que você fora o único sobrevivente, que o transformador perto da sua casa teve um curto e disjuntor da sua casa explodiu e que boa parte da casa foi destruída no processo (junto com seus pais). Nos outros momentos, palavras desconexas como Wyrm, mãe-terra e lobos, foram as poucas coisas que você conseguiu entender. O tempo passou, a imagem de um lobo, disse-lhe que ia embora, tinha assuntos, mas que voltaria em breve para lhe ajudar e lhe tirar dali...
    Ódio, culpa, desejo por vingança, atormentado por sonhos estranhos, mais tarde você iria descobrir ou pelo menos inferir que você tinha se tornado um canal para a umbra, um farol para os espíritos te atormentarem, tantos os bons quanto os ruins.
    Uma noite, chorando na cama, você teve sua epifania, um despertar verdadeiro, de fato, a consciência do potencial que você tinha, todo o potencial que você desperdiçou, o inundou e você compreendeu o que poderia fazer se tivesse uma segunda chance.
    Suas visões intrínsecas de lobos, seres metamorfose, espíritos e tecnologia, o fez perceber a visão limitada dos seus amigos anteriores (adeptos da virtualidade), todos estavam errados, se não o fosse, como você explicaria seus sonhos bizarros e aqueles animais, a realidade é um jogo,  cheia de etapas, fases, quests e fazes bônus, você contra seu despertar, você contra a realidade, você contra o enigma da descoberta, a realidade pode ser moldada, ela é mais que  um código em algum lugar, onde alterações temporárias podem ser introduzidas, a vida é um jogo, ao qual também podemos apreciar. O objetivo do jogo é ver quem pode causar mais problemas, conseguir ser o mais divertido, aquele que conseguir “zerar” o jogo primeiro.
    E nesse momento final de conclusão, um flash seguido por um estrondo espalhou-se pelo seu quarto, você estava em pé, desperto, atônico e então sua mente e atraída pela voz semi-robótica do google:

    “- É hora de sairmos daqui criança, antes que perguntas desnecessárias sejam feitas....”

    Dias atuais e descobertas:
    - Merda porque sou tão pobre! Você está com fome de novo!?!? A última vez apagamos a subestação da cidade, droga, procure um “Nodo” dessa vez um bem singular, o da última vez deu merda...

    Uma coisa é certa, você ainda precisa de alguma fisioterapia e musculação para recuperar os músculos atrofiados dos meses que você ficou de cama...
    De alguma maneira você conseguiu se tornar um farol/portal ( vai ver eram suas esferas em correspondência, primórdio e espírito) para os espíritos, e no seu despertar, seu avatar conseguiu aproveitar esse portal para se manifestar na realidade e te dizer “oi!”
    Você ainda está tentando buscar seu lugar, enquanto isso você gasta praticamente seus dias, sobrevivendo, seja se alimentando, seja alimentado seu Avatar(familiar), você sente que precisa encontrar rapidamente uma fonte de renda fixa, seja um emprego ou alguma entidade que o patrocine.

    Com ajuda do seu Avatar, algumas coisas foram fazendo sentido ao longo do tempo, como por exemplo você provavelmente desconfiar seriamente que tem alguma relação com os metamorfos.
    E após algumas considerações (e alguns choques elétricos), se você tivesse que chutar, você diria que uma das suas habilidade de ser o jogador escolhido, é que parte dos danos físicos que você deveria tomar, vão na verdade pra algum lugar, outra dimensão talvez...ou talvez sua vontade de vencer é tão forte, que sua vontade sobrepujou a matéria humana em um vigor sobrenatural, vai saber...

    Paradigma: Mágika é como jogamos o jogo. Use-a para alterar coisas, acabar com os seus inimigos, ou simplesmente para se divertir.

    Interpretação:
    Você certamente passou por fases bem estranhas, mas você finalmente resolveu que sua atual visão da realidade e de você mesmo parecem certos. Você é um escolhido para “zerar” o jogo e apesar da sua rejeição de ser uma mera ferramenta dos adeptos, o simbolismo da ciência ainda permanece forte no seu eu, só que agora você prefere ser ferramenta de seus próprios interesses.
    Você age como um anti-herói, mais pra uma mistura de Deadpool com Neo. Ao mesmo tempo que você não se importa em ser menosprezado ao mesmo tempo você tenha um sentimento de ser o escolhido para “zerar” o jogo, contrariando seu eu anterior, cheio de ego, você aprendeu a lição. E ainda apear de fazer graça da sua própria sorte, quando necessário, você age seriamente, tentando pensar em uma estratégia e se preparando para o pior. Tudo isso, somado a seu estranho e alucinógeno despertar, o fez perder a pouca ingenuidade que você tinha, tons de cinza e mais cinza, preenchem o horizonte do papel antes de chegar no preto no branco, o tornando até um pouco egoísta, pra você todos tem segundas intenções... Sonhos realidade - sonhos de quem?
    Ainda você não busca por situações perigosas, você ainda não é um perfeito idiota, nem tão pouco teme o game over, afinal, você o enfrentou antes e sobreviveu.

    Mágica: Você utiliza sua mágica com o mínimo necessário, essencialmente, você gesticula e e posa para focar sua magia, algumas são poses de artes márcias retiradas dos jogos e quadrinhos que você já viu, enquanto outras são simples movimentos, como o balançar da ou estreitar seus olhos...
    Claude Speedy
    Troubleshooter
    avatar
    Troubleshooter

    Mensagens : 997
    Reputação : 21

    Re: Fichas Aprovadas

    Mensagem por Claude Speedy em Sab Jan 27, 2018 10:34 am

    Ficha - Mago

    Nome: John Ford
    Tradição: Filhos do Etér
    Essência: Dinâmica
    Conceito: Cientista pulp
    Natureza: Mad scientist
    Comportamento: Visionário  
    Descrição ou imagem:
    Spoiler:

    2. Atributos (07/05/03)

    Físicos
    - Força: 01+02=03
    - Destreza: 01
    - Vigor: 01+03=04(Duro como Pedra)

    Sociais
    - Carisma: 01+02=03
    - Manipulação: 01
    - Aparência: 01+01=02

    Mentais
    - Percepção: 01+01=02
    - Inteligência: 01+03=04(imaginação)
    - Raciocínio: 01+03=04(intuitivo)

    3. Habilidades (13/09/05)

    Talentos
    - Prontidão: 02
    - Esportes: 01
    - Briga: 01
    - Esquiva: 01
    - Empatia:
    - Expressão:
    - Intimidação:
    - Consciência:
    - Instrução:
    - Intuição:
    - Manha:
    - Lábia:

    Perícias
    - Dô:
    - Empatia c/ Animais:
    - Ofícios: 03(invenções)
    - Condução:
    - Etiqueta: 02
    - Armas de Fogo: 01
    - Armas Brancas:
    - Liderança:
    - Segurança:
    - Furtividade:
    - Sobrevivência:
    - Tecnologia: 03

    Conhecimentos
    - Acadêmicos:
    - Computador: 03
    - Finanças:
    - Cosmologia:
    - Investigação: 02
    - Direito:
    - Linguística:  
    - Medicina: 03
    - Ocultismo:
    - Política:
    - Ciências: 03+02(PB)( Engenharia , Física)
    - Cultura (Tecnocracia): 02

    Virtudes (07)
    - Consciência: 01+01=02
    - Autocontrole: 01+02=03
    - Coragem: 01+04=05

    Humanidade:

    Força de Vontade: 5 (inicial)

    Antecedentes: (07)

    Avatar: 04
    Recursos: 03


    Arete: 1+02(PB)

    Esferas: (06)

    Correspondência:
    Entropia:
    Forças: 02
    Vida: 02
    Mente:
    Matéria: 02
    Primórdio: 01(PB)
    Espírito:
    Tempo:

    Quintessência: 04

    Paradoxo:


    Qualidades:
    Carniçal (potência 01 e auspícios 01 PdS:10/10) Aptidão para habilidade(ciência)(1pt)

    Defeitos: Menbro em Aprovação(4pts) Pesadelos(1pt)

    Equipamentos (Carregados): celular, armas de raios(invenção), antena adaptadora multiuso(invenção)
    Posses: Laboratório num galpão pequeno, carro.

    [/b]



    6. Prelúdio


    Algumas explicações sobre o que deve ser respondido, substitua o texto pela sua origem.

    Você está num bar. A pessoa que você vai encontrar aqui que te achou, te mandou umas mensagens perguntando o que não devia saber. Tu achou melhor encontrar pessoalmente e ver a pessoa misteriosa nos olhos antes de se livrar dela. Você toma seu café enquanto um homem entra pela porta. Não era jovem, estava de sobretudoo culpa escuros, um homem grande com cara de poucos amigos. Ele senta na sua frente, e antes de qualquer reação sua ele saca uma arma. Não é uma arma normal, parece mais futurista. Ele repousa a mão com a arma na mesa apontando para você. Você sabe que tu tá ferrado. Tecnocracia? A mais tu tá muito ferrado. Ele começa a falar alguma coisa. Você tá muito distraído pra entender. Muita gente no bar. O choque de retorno vai te destruir mais que a arma do cara. A quanto tempo você tá suando tanto? A mão dele se mexe e você sabe que agora é o seu fim. Mas o homem só tira os óculos. Você olha nos olhos dele. Olhos frios, calmos, olhos de máquina, olhos da tecnocracia, mas não é isso que você encontra. Você vê olhos que veem além, olhos insanamente inquietos, olhos vivos e cheios de paixão ele não é um tecnocrata, é um tipo muito mais volátil. Ele volta a falar e dessa vez você escuta.

    - Então senhor Sparks... Como eu ia dizendo, esse grupo, A aliança como eles se chamam, gostaria que me contasse tudo que sabe sobre eles...

    As horas passam e você dá informações ao homem, a maioria rumores e lendas, mas hora ou outra tu tem que dizer algum fato sólido para ficar verossímeu. As horas parecem passar mais devagar em momentos como esse. A forma como ele se comporta o fazem achar que ele testou alguma de suas invenções em si mesmo.

    Alguns dias passaram. Seus contatos conseguiram informações, hoje você recebeu uma pasta, mas esperou até chegar em casa para analisar as informações. Na pasta você logo indentificar uma sigla no canto superior, N.W.O., é um carimbo de confindencial cruzando a pasta diagonalmente. Você abre a pasta e exites dietas informações, John Ford o nome do sujeito, no começo dos quarenta, você passa pelo currículo académico dele, pelo visto o cara é esperto. Um dos arquivos que chama a sua atenção é o perfil psicológico dele, mais especificamente uma frase, "extremamente instável". Você vai passando pelos dados a respeito dele, ficha histórico médico, alguns artigos publicados, até que você chega a algo que parece ser um relatório. As datas e nome de terceiros estão tarjadas. Você lê o primeiro relatório.

    XX/XX/XXXX

    Indentifiquei hoje um possível recruta para nossa organização . John Ford. Jovem, esperto, compartilha nosso interesse para com o avanço da ciência rumo à evolução humana. Seu histórico acadêmico é impecável, formou-se com louvor no ensino médio. Conseguiu bolsa de estudos no MIT, onde está atualmente estudando. Possui alguns problemas psicológicos, mas acredito que dentro de nossas capacidades possamos reprimir tais impulsos. Maiores análises serão necessárias para avaliar se sua adição  será valiosa para nossa organização.

    XX/XX/XXXX

    O indivíduo em questão parece ser mais excepcional que o definido em uma primeira avaliação. Os fatos sugerem que ele despertou espontaneamente. O ocorrido aconteceu durante uma aula laboratorial, quando o mesmo conseguiu programar o celular para por meio da câmera indentificar os materiais base dé uma substância desconhecida no laboratório. Farei contato direto o mais breve possível, o indivíduo é muito promissor para não ser incorporado como recurso.

    XX/XX/XXXX

    O treinamento do indivíduo ocorre perfeitamente bem, o mesmo já domina o conceito básico dos principais "interativos diretos". Acredito que em poucos meses ele poderá de fato integrar nossas fileiras como um operativo. Apenas possuo uma ressalva, o indivíduo em questão possui uma tendência a buscar experimentações que item do método científico, talvez sendo necessário o seu recondicionamento. Seus interesses o guiam cada vez mais para assuntos que beiram a ciência, acredito que ele será uma adição aos engenheiros do vazio.

    XX/XX/XXXX

    O excesso de criatividade e falta de disciplina do indivíduo estão começando a me deixar dúvidas se ele poderá realmente integrar nossas fileiras. Ele se recusa a realizar testes de forma regulada e advoga da unicidade de cada invenção. Ele discorda do consenso e da necessidade de uma amostragem aceitável de fatos para elaborar suas teorias. Acredito que tal indivíduo não mais se encaixe em nosso programa. Solicito permissão para eliminar o indivíduo em questão.

    XX/XX/XXXX

    O indivíduo de alguma forma conseguiu invadir meu sistema é ver meus relatórios. Quando chegamos ao domicílio do indivíduo outro de nossos operativos foi morto em combate, eu me encontro ferido, mas nenhum dano permanente foi encontrado. Assumo o erro de permitir que o indivíduo tenha se tornado um operativo antes que tenhamos conseguido indentificar o perigo que ele representava para nossa organização. Foi um erro convida-lo a se juntar a nós, e a eliminação dele seria a decisão mais gratificante. Porém pr hora a dispêndio de tais recursos não é possível. À decisão racional é deixá-lo ir.


    Você continua passando, claramente há vários relatórios faltando e você apenas consegue estipular quanto tempo ele pode ter passado como um tecnocrata, pelos dados foram mais que alguns meses porém menos que dois anos completos. Você ótima passando pelos arquivos, a tecnocracia ainda monitorava de perto as atividades de Ford. Ao que parecia ele tinha buscado abrigo se juntando aos filhos do Etér, que possuíam uma visão do mundo que melhor se encaixava com a sua "visão romantizada da ciência", como diziam os relatórios. De acordo com os arquivos Ford se estabeleceu em nova york onde presumidamente possui algum tipo de laboratório ou oficina para suas práticas.

    O último papel era o mais intrigante, não parecia estar devidamente verificado, nele faltavam as tarjas em pontos específicos para suprimir a informação, ele estava completo. O único arquivo com data, sete meses atrás . Você começa a ler e é um relatório feito pelo próprio Ford. Ao que parece ele havia encontrado um espécime estranho, que de alguma forma "transitava entre a vida e a inércia da não vida", nas palavras de Ford. Ele conseguiu prendê-lo em seu laboratório e realizou uma série de experimentos com a criatura. Força e resistência física elevada, reflexos melhorados, capacidades de percepção ampliadas, o espécime parecia ter diversas qualidades excepcionais, mas ao que constava no relatório, coisas ainda mais estranhas eram percebidas, ausência de batimentos cardíacos, sensibilidade a raios ultra violeta e uma sede por sangue. Após alguns dias de análises Ford decidiu testar em si mesmo o sangue do ser, de onde, em seu ponto de vista, supostamente vinha seu poder. Ao que parecia Ford injetou o sangue da criatura em si mesmo. Após isso aprenderia poucas mudanças físicas visíveis, mas um grande aumento em suas capacidades físicas seguido de um grande cansaço após tal esforço. Você continua lendo as teorias e os experimentos feitos por Ford e você acha que talvez ele tenha ultrapassado alguns limites do que seria certo a se fazer.

    Ao terminar você acha uma folha perdida, ao visto tinha passado despersebido ao final do relatório de Ford, mas essa não havia sido escrita por ele. Foi escrita pelas tecnocracia. Essa possuía várias informações restritas ou faltantes, mas pelo que pode ler conseguiu entender que houvera um ataque ao laboratório de Ford, tudo foi "confiscado" pelos tecnocratas, menos o próprio Ford que conseguiu fugir. Agora com paradeiro desconhecido. Seu telefone toca e você atende rápido antes que acorde as crianças, já estava muito mais tarde do que você achava. Quem te ligaria a essa hora? Então você ouve a voz de Ford.

    - Senhor Sparks. Agora que sabe mais sobre mim. Será que poderia me arrumar uma reunião com Arctos?

    Um frio corre sua espinha, mas você sabe o que fazer.


    É a primeira vez de vocês em Nova York?
    Não, já vivo aqui a algum tempo.

    Já devem ter ouvido falar da Tecnocracia.
    Eu tenho umas historia com eles como deve saber.

    Isso, se quiserem ou não entrar para nosso grupo.
    É exatamente por isso que eu entrei em contato com você.
    Conteúdo patrocinado


    Re: Fichas Aprovadas

    Mensagem por Conteúdo patrocinado


      Data/hora atual: Dom Jun 24, 2018 11:00 pm