Um fórum de RPG online no formato de PBF (Play by Forum).


    Yeun Mi-Soo

    Compartilhe
    Persephone
    Troubleshooter
    avatar
    Troubleshooter

    Mensagens : 819
    Reputação : 416

    Yeun Mi-Soo

    Mensagem por Persephone em Ter Set 19, 2017 2:05 am



    05/03/2019 (Terça-feira)
    10:30 p.m



    MiSoo era conhecida - e reconhecida - por conta de seu sorriso cativante e animada presença. À primeira vista, ela parecia a menina mais feliz e divertida do mundo. Mas se tinha uma coisa que era capaz de matar seu sorriso e sua doce expressão era...a própria casa.

    Quando o ranking final saiu - inclusive depois das provas finais - e seu nome apareceu em 22º lugar, ela sabia que tinha apenas poucos dias de felicidade. Seu pai estava num Congresso em Dubai, dando palestras e fazendo a melhor propaganda que conseguia fazer de si mesmo. Tão logo ele retornasse e descobrisse aquilo, eles teriam uma conversa que, provavelmente, não seria nem um pouco agradável.

    Os dias tinham se passado naquela mistura amarga do rápido/devagar demais. Quando estava fora de casa, na companhia das meninas ou jogando tênis, o tempo simplesmente voava, como se perdesse os freios. Por outro lado, quando precisava ficar em casa, na companhia de sua mãe, o tempo parecia passar devagar demais. O pior de tudo foi que ela precisou comparecer a vários eventos com a mãe por conta das coleções que estavam prestes a mudar

    Nesses eventos, ela precisava sorrir até suas bochechas doerem. Obviamente não eram sorrisos verdadeiros, pois ela, melhor do que ninguém, sentia que não havia felicidade ou alegria por estar naquele meio tão falso e raso. Mas sua mãe impôs como uma condição para que o pai não fosse tão rigoroso com ela quando retornasse. Como se não bastasse, muitos foram os comentários envolvendo sua perda de peso. Ela, de fato, estava chamando mais atenção agora do que antes. Pelo menos para aquele mundo, porque suas amigas sempre disseram que MiSoo era uma das meninas mais bonitas que conheciam.

    E não falavam isso da boca pra fora, era verdade. Porque ela tinha uma energia que a fazia linda e plena, independente dos padrões impostos na Coreia do Sul.

    Depois de tudo isso, havia chegado o dia. O pai retornou na noite anterior, mas esperou até a manhã do dia seguinte para chamá-la.

    MiSoo tinha hábitos saudáveis e diurnos. Então, 10:30h era um horário sem nenhum tipo de sono e ela teve que se apresentar no escritório do pai. O pai estava atrás da mesa, olhando para a tela do notebook e com a mão no queixo. Depois que ouviu a filha pedindo permissão para se sentar, ele a encarou, indicando o lugar. A mãe também estava na sala, com uma expressão um pouco mais tensa. Olhou brevemente para a filha, mas não teve coragem de encará-la por muito tempo.


    (Yeun Sang Woo e Yeun Hyo Jin)

    - Bom. Você já deve imaginar porque eu chamei, não é mesmo, Mi-Soo? - O homem começou, afastando a mão do mouse e apoiando os pulsos na mesa. - Teve muitos dias para pensar em seus erros, então, serei curto e breve.

    A mãe chegou a abrir os lábios, mas o pai fez um sinal para que ela se calasse.

    - 22º é inaceitável. Simplesmente inaceitável. Que estivesse entre os 20 primeiros, no mínimo! Mas 22º? Isso demanda uma medida drástica. - Um segundo para que ela absorvesse aquilo. - Guarde sua raquete, pois você não precisará dela pelas próximas três semanas. Suas aulas de tênis estão suspensas e agradeça à sua mãe por não ser o mês inteiro. Você terá aulas particulares no horário que tinha as aulas. Vamos ver se sua mente volta fresca para as aulas.

    - Querido...

    - Eu estou falando, Hyo Jin. - Foi o bastante para se calar. - Você pode me achar um crápula, mas faço isso pelo seu bem. Eu não quero uma casca vazia, a beleza só te leva até certo ponto, você precisa ser inteligente. 22º não é o suficiente para chegar na faculdade, está me entendendo? E filha bonita, já me basta a MinJi.

    - Sang! - a esposa o repreendeu

    - E tenho dito! Você também está com restrição de horários. Nada de ficar na rua até tarde, quero você em casa às 20h. E só sai depois das suas aulas. Elas começam amanhã. Estão dispensadas.
    Natalie Ursa
    Tecnocrata
    avatar
    Tecnocrata

    Mensagens : 315
    Reputação : 138

    Re: Yeun Mi-Soo

    Mensagem por Natalie Ursa em Ter Set 19, 2017 9:32 pm





    Foi só MiSoo olhar para a posição no ranking em que tinha ficado, para que toda sua energia se esgotasse repentinamente. Para ela o 22° nem era tão horrível assim, mas sabia que o pai não dividiria da opinião da jovem. Com certeza ele iria passar algum sermão, mas isso ainda iria levar uns dias, já que ele só saberia quando voltasse do congresso.


    MiSoo ainda tinha um tempo para se preparar psicologicamente para o que estava por vir... Ou será que a ansiedade pela qual teria que passar até ter de ouvir as palavras duras do pai só pioravam a situação? Só quando estava fora de casa é que o nervosismo por antecedência ia embora, parecendo que nada não havia nada de errado com a garota, quando suas amigas passavam tempo com ela, mas era só retornar para casa que todo o sentimento negativo voltava a lhe atormentar.

    Os eventos em que a mãe levava MiSoo também não serviam muito para ajudar a jovem em seus medos. Era tudo tão superficial, parado e sem graça que dava sono nela, mas precisava ficar com aquele sorriso preso na cara como se tivesse engessado as bochechas. Como era exaustivo... A única parte boa eram os elogios, mas nem isso ela tinha certeza se eram sinceros, a pior parte é que a mãe lhe proibia de comer decentemente o que era servido no buffet, parece que iria inflar se colocasse um petisco na boca! Era um absurdo!

    MiSoo tinha ouvido que o pai tinha chegado do congresso naquela noite e tinha certeza que seria chamada para conversarem no escritório dele na manhã seguinte, por isso mesmo teve uma noite muito mal dormida, só imaginando a que tipo de castigo seria submetida. Esses pareciam ser os pretextos favoritos de seus pais para intervirem nas atividades que MiSoo gostava de fazer, mas que eles preferiam que fossem outras. Esta manhã foi atípica e a garota acordou pelas nove da manhã... E provavelmente nem dormiu o suficiente.

    A jovem foi chamada ao escritório e lá adentrou cabisbaixa, encontrando o olhar severo do pai e o rosto preocupado da mãe, enquanto sentava-se diante da mesa. Sem dizer uma palavra e sem erguer os olhos, a garota ouviu as palavras severas do pai. MiSoo fez uma careta ao ouvir que seu castigo seria ficar sem treinar, três semanas era tempo demais... Pelo menos ele não tinha impedido de ver suas amigas, mas ainda assim era ruim. A garota não conseguia entender direito por que isso acabava acontecendo com ela... MiSoo tinha se esforçado. Tinha estudado bastante, mas sempre acabava tendo um branco e sua concentração se tornava muito ruim nas provas.

    Não era justo que o pai lhe colocasse de castigo. Como se ela não se esforçasse nem tentasse entender a matéria e estudar. A jovem também achava que o pai estava sendo severo demais. MiSoo ainda tinha sido melhor do que outros 58 alunos! Ela abaixava o rosto diante do pai mais para esconder a expressão de contrariedade do que mostrar respeito. Não conseguia ser como a mãe e não era só na questão de sua naturalidade para as passarelas. Precisava se esforçar para não responder desrespeitosamente ao pai. Se ter um marido era precisar ouvir calada do mesmo jeito que a mãe fazia, ela preferia ficar solteira.

    MiSoo não lembrava de MinJi sendo repreendida tanto quanto ela quando ia mal na escola. Por que com MiSoo ele tinha que ser diferente? Talvez porque MinJi fosse muito mais obediente do que sua irmã mais nova? Ou porque sempre atraiu os olhares de pessoas importantes para a família? MiSoo não sabia dizer, estava começando a ficar irritada demais para pensar sobre aquilo ou sequer considerar as justificativas do pai para aquela atitude. Nem a mãe ele poupava.

    A restrição de horário foi a cereja do bolo. Sem querer ouvir mais nada da estupidez do pai, a garota pediu licença sem nem tentar disfarçar o tom irritado e agressivo em sua voz e saiu correndo da sala, atravessou os corredores, desceu a escadaria e, por fim saiu de dentro da mansão pela porta de trás. Não ia desrespeitar o castigo do pai, apenas estava indo para o jardim.




    MiSoo correu até a parte coberta do jardim que envolvia a piscina, tirou os sapatos, sentou-se na borda do deck, com os pés dentro da água e inclinou o corpo para ver o próprio reflexo distorcido na água agitada pelos seus pés. Mal dava para ver seus olhos úmidos pelas lágrimas no reflexo falho. E ali naquela imagem distorcida ela imaginou se os castigos seriam iguais se ela fosse como a irmã mais velha, tão submissa, pacífica e bonita. MinJi encantava todos à sua volta, talvez esse fosse o segredo...

    A jovem entristecida chacoalhou a cabeça, na esperança de afastar aquele pensamento e se focar no que era mais importantw. Agora teria mais aulas particulares e menos tênis, além de ter que voltar mais cedo para casa... As próximas três semanas seriam entediantes!





    Persephone
    Troubleshooter
    avatar
    Troubleshooter

    Mensagens : 819
    Reputação : 416

    Re: Yeun Mi-Soo

    Mensagem por Persephone em Qui Set 21, 2017 1:19 am


    06/03/2019(Quarta-Feira)
    1:30 p.m.


    A primeira semana de punição tinha chegado ao fim. O pai não abriu mais espaços para conversas ou tentativas de acordo, estava declarado que Mi-Soo ficaria três semanas sem suas amadas aulas de tennis e passaria a ter naquela quarta feira, aulas particulares com um professor particular. Durante a terça-feira, ela ainda teria uma relativa liberdade - mas suas amigas, infelizmente, não estavam disponíveis para nenhum passeio ou ida à casa dela. Mesmo assim, elas conversaram bastante pelo celular e desejaram forças.

    Bo-Mi sugeriu que elas almoçassem juntas no sábado e aproveitasse uma tarde na piscina de sua casa. Até sábado, todas estariam de volta de suas pequenas viagens ou desocupadas e Mi-Soo poderia contar pessoalmente como tinham sido aquelas injustas aulas durante as férias.

    Todas concordaram em ir e, bom, Mi-Soo não estava proibida de ver suas amigas, só tinha que estar mais cedo em casa. Felizmente, Bo-Mi morava super perto dela e certamente não teriam nenhum problema.

    Ainda na terça-feira, ela podia chiar o quanto quisesse e resmungasse quando a figura do professor. Independente do que ela imaginasse, nada seria como a chegada dele na quarta-feira. Sua mãe comentou que o professor se chamava Lee Chang-Wook, mas não deu mais detalhes sobre a vida pessoal dele ou coisa do tipo - algo bem fora do comum de sua mãe, que geralmente fazia uma pesquisa assídua sobre as pessoas, revirando até mesmo as coisas mais secretas.

    Suas aulas durante a semana seriam na parte da tarde enquanto aos sábados seria na parte da manhã. Obviamente foi uma atitude proposital de seu pai, visto que quebrava as tentativas dela de sair como queria. As aulas iam das 13:30 às 17h com alguns intervalos estipulado entre eles.

    Às 13:30 em ponto, Mi-Soo foi solicitada para se apresentar ao professor. O homem vestia-se de modo formal - com uma blusa de mangas compridas dobradas até o cotovelo e uma calça social. Era alto com cabelos castanho-avermelhados por conta da luz e o corte bem feito. Virou-se lentamente na direção da menina e a encarou por um instante. Superando qualquer expectativa, tratava-se de um homem jovem e muito bem-apessoado. Os óculos de armação fina estavam em suas mãos enquanto ele limpava com o lencinho. Prontamente, ele parou o que estava fazendo a reverenciou de modo bastante polido.



    (Lee Chang-Wook)


    - Boa tarde, Senhorita Yeun. Eu me chamo Lee Chang Wook e serei seu professor particular nas próximas semanas. Pode se sentar, por favor?

    A convidou para se aproximar e dividissem a mesa da sala de estudos da mansão. O pai transformou uma das salas pouco utilizadas numa sala específica para essas salas. Aparentemente, Wook já tinha um relatório sobre Yeun. O pai dela era perfeccionista e já tinha enviado tudo o que ele precisava saber. Era uma espécie de dossiê da menina, mas que o professor não pareceu muito interessado em ler.

    Apesar de ser uma atividade pouco interessante para ela, Wook tentou ser o menos tedioso possível. Naquele primeiro dia, eles apenas se conhecerma de modo raso. Explicou que a ajudaria nas matérias que tinha mais dificuldades e que esperava que até o fim das aulas, conseguissem sanar todos os problemas que ela tivera na prova do colégio Wangjo. Mostrou-se surpreso por ela ter ficado em 22º, mas não de modo negativo. A surpresa foi o fato dela precisar de reforços por isso.

    Mas dinheiro era dinheiro. E ele não reclamaria de ter a oportunidade de trabalhar, mesmo que temporariamente.

    As aulas passariam mais rápidas do que ela imaginava. O professor Wook era firme, porém paciente e explicava de um modo muito melhor do que os professores de seu colégio. Fazia com que o conteúdo fosse interessante e não tedioso. Seus pontos altos eram história, geografia, linguas, literatura e afins. Mas também conseguia decifrar os enigmas de matématica, fisica, quimica e biologia.




    09/03/2019 (Sábado)
    2 p.m.

    Quando o sábado chegou, os problemas pareceram menores. A semana não tinha sido tão ruim, muito embora ela sentisse falta das aulas de tênis e de sua liberdade. A presença do pai em casa também tornava sua vida desgostosa, mas sua mãe a perturbou menos porque ela parecia dedicada e ocupada com os estudos - só regrava a alimentação mesmo.

    Agora podia finalmente descansar um pouco à beira da piscina de Bo-Mi. Mia também já tinha chegado, mas Eun-Bi disse que se atrasaria um pouco. Mia estava ao lado dela lamentando pelo tennis quando Bo-Mi retornou ela mesma com uma cesta com taças e jarra com suco de melancia.


    (Bo-Mi) (Mia)


    - Fui lá pegar antes que meu irmão convencesse a Nana a deixar o suco todo pra ele. Oppa é um egoísta! - Reclamou com um beicinho, mas elas sabiam que era implicância.

    Gyu-Sik era um garoto calado, mais na dele no colégio, mas bastante divertido e implicante com a irmã. Bo-Mi que gostava de fazer um charminho.



    (Gyu-Sik)

    - Oh, Gyu-Sik-shi está em casa?

    - Uhum. Mas já falei que a piscina é nossa, não se preocupem. Ele deve se meter no quarto pra jogar ou qualquer coisa do tipo. - Deu de ombros. - Mas e então, Mi-Soo? Como foi?


    Natalie Ursa
    Tecnocrata
    avatar
    Tecnocrata

    Mensagens : 315
    Reputação : 138

    Re: Yeun Mi-Soo

    Mensagem por Natalie Ursa em Qui Set 21, 2017 7:19 pm




    MiSoo tinha motivos em dobro para estar triste naqueles dias. Tinha sido punida injustamente - pelo menos era bem injusto para ela a motivação e o castigo - e também suas queridas amigas estavam longe e não poderiam vir para suportá-la e afastar as vibrações ruins de sua vida. Pelo menos conseguiam se comunicar através de ligações e mensagens, o que já ajudava um pouquinho.

    A ideia de Bo-Mi de almoçarem juntas e passarem a tarde de sábado na piscina dela deixou MiSoo muito contente. Aquele seria seu único escape descente da punição naquela semana.

    Na terça, quando sua mãe resolveu contar sobre o professor que viria no dia seguinte, MiSoo já estava esperando para descobrir até mesmo a marca de roupa favorita dele, pois a mãe às vezes dava uma de detetive e descobria tudo sobre todo mundo à sua volta... Sabe-se lá para o que ela usava todas essas informações... Talvez fofocasse com as amigas depois, ou então usava as informações que obtinha contra as pessoas?? Mas sua filha ficou intrigada com o fato de que ela não revelou nada sobre o professor, nada além do nome... Parecia até que tinha algo de muito errado ali, mas a verdade é que não tinha como saber. Talvez a mãe só não estivesse muito interessada, ou sem tempo... Ou estava escondendo intenções malignas! Uma coisa era certa. MiSoo chegaria no mínimo desconfiada àquela primeira aula.

    Na quarta à tarde, a jovem chegou na sala, que o pai reservou especialmente para as aulas, meio encolhida, quase como um animal acuado tentando esgueirar-se pela primeira fresta que encontrasse e caminhou daquele jeito como se estivesse indo direto para a janela - talvez pular por ela? - mas parou imediatamente ao ver o professor. MiSoo endireitou a postura e ficou encarando o homem, estreitando os olhos na direção dele, pensativa, sem ao menos perceber a careta que estava fazendo. Será que os pais dela procuraram por um professor dentro de uma agência de modelos? Ou pior! Será que tinham mentido para ela e esse professor ia na verdade obriga-la a aprender a SER uma modelo!? O pensamento a fez se encolher de novo.

    Quando ele curvou-se e a cumprimentou tão educadamente, MiSoo sobressaltou-se, percebendo a careta que deveria estar fazendo e tentando recuperar a compostura.



    - Ah! Desculpa! - ela curvou-se energeticamente - Bo.. Sim! Boa tarde, obrigada! - falou meio alto demais e sentou-se obedientemente, envergonhada por ter agido como uma criatura esquisita instantes atrás, mas com um sorriso gentil no rosto para disfarçar.

    Aparentemente as aulas eram mesmo de reforço e por ele ter usado a primeira para explicar como as coisas seriam, a tensão que MiSoo sentia com a probabilidade daquilo ser  uma grande chatice diminuiu consideravelmente, embora ainda fosse algo parado, como na escola.

    A garota se perguntava por quê a escola não tinha professores como esse e ela não estava se referindo ao seu rosto e sim seu método de ensino. O único problema era se concentrar quando o professor em si era uma distração, ainda bem que ele parecia ser bastante paciente, apesar de um pouquinho rígido. MiSoo sabia a maioria daquelas matérias, só que não conseguia gravar direito todas elas em sua memória. Mas tudo bem, as aulas agora estava até meio que interessantes... Ou talvez bem apessoadas...






    Quando finalmente conseguiu rever suas querias amigas no sábado, MiSoo não pôde se conter e pulou nos braços das duas, abraçando-as calorosamente e cheia de alegria, além da usual energia inesgotável que a garota parecia ter.

    Bo-Mi retornou com as taças e o suco de melancia e foi recebia por um grande sorriso e pulinhos agitados de MiSoo.

    - Todo o suco? - MiSoo arregalou os olhos para a amiga - Mas ele tem um buraco negro no estômago? Mas que egoísmo! - reclamou de modo brincalhão.

    Quando Bo-Mi perguntou sobre como tinham sido as aulas, Misoo fez uma careta pensativa bem exagerada, tocando com o indicador na lateral do rosto. As amigas sabiam que ela adorava fazer caretas engraçadas e exageradas.

    - Acho que mamãe saiu em busca de um professor em meio às agências de modelos... Se vocês vissem o professor...Bem diferente daqueles que temos na escola. - deu uma risadinha - Eu só não entendi bem a razão. Achei que o objetivo das aulas particulares era vencer minha dificuldade de distração, não deixar ela ainda pior! - agitou as mãos no ar, simulando uma exagerada indignação - Mas até que foi melhor do que esperava. Não está tão entediante. - terminou a explicação com movimentos teatrais com um sorrisinho e bebeu sua taça de suco de melancia.



    Persephone
    Troubleshooter
    avatar
    Troubleshooter

    Mensagens : 819
    Reputação : 416

    Re: Yeun Mi-Soo

    Mensagem por Persephone em Qui Set 21, 2017 10:55 pm


    - Todo o suco! - Bo-Mi reforçou o que disse, mas logo sorriu com a amiga. - Estou muito feliz que você tenha vindo, MiSoo-shi! Poxa, pelo menos seu castigo não foi total, proibida até de ver a gente. - Fez um beicinho e ajeitou o cabelo da amiga. - E sim, oppa tem um buraco negro no estômago. Nana diz que é a fase de crescimento dos meninos. Pior que ele come feito um avestruz e continua magro. Se eu faço isso, fico toda inchada e perco logo as roupas.

    Fez um muxoxo e logo as três se sentaram para continuarem a conversar. Mia comentou sobre o irmão de Bo-Mi, mas logo elas quiseram saber a notícia que movia aquele encontro: as aulas de Mi-Soo.

    As duas arregalaram os olhos e deram uma risada gostosa com os comentários da amiga. A menina tinha um jeito engraçado de falar, fosse na entonação ou nas caras que fazia. Era muito difícil se manter séria ou triste com alguém tão pra cima como MiSoo.

    - E você não tirou nenhuma...foto?! - Mia deu um tapinha na coxa dela, por cima do short.

    - Melhor! Qual é o nome dele? Vou caçá-lo e, como quem não quer nada, vou falar "abuji(pai), eu fiquei em 15º, gostaria muito de melhorar as notas. Por favor, contrate esse professor..."


    Mas nem ela se aguentou e começou a rir, com as bochechas coradas.

    - Uaaau, muito convincente mesmo! Nossa, seu pai COM CERTEZA vai chamá-lo depois dessa. - Mia nem escondeu os lábios com a mão enquanto ria.


    - Hmmm...Vejo que cheguei em bom momento! - O quarto elemento do grupo finalmente se fez presente.


    (Choi Eun-Bi)

    Eun-Bi usava uma saia rosa plissada e uma blusa branca fresca, dobrada até os cotovelos. Não estava usando uma super produção, mas era o tipo de menina que não precisava de muito esforço para ser bonita. Ela carregava uma caixinha de uma confeitaria nas duas mãos. Colocou a caixa sobre a mesa e olhou as amigas.

    - Eun-Bi-Shi! E aí? Como foi?

    - Já conto! - Virou-se para Mi-Soo - Own, minha bebê, que saudades. - A morena se curvou e deu um abraço bem gostoso na amiga, chegando a balançar de um lado para o outro. - Se a gente não se visse hoje, eu iria até sua casa, resgatá-la. Que absurdo, viu? - Estalou a lingua no céu da boca e fez um carinho nas bochechas dela. - Trouxe uma coisa pra gente, mas principalmente pra você.

    Empurrou suavemente a caixinha na direção de Mi-Soo. Quando abrisse, elas ficariam deslumbradas com os macarons de várias cores, sabores e com recheios geladinhos. Eles formavam um degradée e pareciam apetitosos!

    - Oi, oi, meninas! - mandou beijinho para todas e sentou-se. Serviu um pouco de suco para ela e começou. - Bom, consegui! - Olhou para Mi-Soo - Lembra que eu disse que queria começar a dar umas aulas de dança? Bom, achei um lugar onde as mãos da minha mãe não alcançavam. Vou conseguir trabalhar lá nessas férias, para a turma infantil. Se eu fizer um bom trabalho, talvez consiga um horário no fim de semana ao longo do ano. Estou tão feliz!



    - Awnn parabééns!!!

    - Que bom!! Você realmente deve amar dançar?

    - Eu amo quando não fazem parecer um pesadelo, sabe? Mas fiquei bem animada. Por isso me atrasei um pouquinho e por isso também. - Indicou a caixa. - Tinha fila lá. Mas enfim, sobre o que vocês falavam? - Parou de falar e deu um gole na propria bebida.

    - Sobre o novo amor da Mi-Soo... - Mia comentou.

    - Oy!? Quem?!

    - O professor...já tô shippando. - Bo-Mi entrou na brincadeira de Mia e começou a implicar.


    - Quee? Como assim? Cadê a foto?

    - Tô esperando o nome pra procurar na internet! - Bo-Mi mostrou o proprio celular, mexendo os dedos como se estivesse preparada.

    Natalie Ursa
    Tecnocrata
    avatar
    Tecnocrata

    Mensagens : 315
    Reputação : 138

    Re: Yeun Mi-Soo

    Mensagem por Natalie Ursa em Sex Set 22, 2017 3:30 am



    MiSoo lançou um divertido olhar confuso para Mia:

    - Uma foto? Óbvio que eu ia tirar uma foto quando o professor só tem uma aluna para cuidar. Não, não! Eu PEDI uma foto! Ei, Oppa! - começou a encenar a situação de forma exagerada - Deixa eu tirar uma foto sua para mostrar para as minhas amigas como meu professor é charmoso! E depois, por favor, autografe a foto!



    Então MiSoo viu a encenação de Bo-Mi e começou a rir bastante. E com o comentário de Mia, a garota respondeu, enquanto tentava conter os próprios risos:

    - Mas se eu fosse o pai da Bo-Mi, depois de toda essa fofura eu contratava o professor no mesmo instante! - chacoalhou as mãos no ar.

    Enquanto as meninas riam, Eun-Bi finalmente aparece e MiSoo fita ela com um grande sorriso de empolgação. A jovem retribuiu o abraço da amiga com um bem apertado e cheio de energia.

    - Finalmente estamos juntas! - fez uma careta quase como se fosse chorar - Awwnn! Eun-Bi é meu príncipe encantado! Ia até me resgatar do castelo! - deitou a cabeça para o lado e deu várias piscadinhas para a amiga, com as mãos unidas em frente ao peito.

    Eun-Bi mostrou a caixa do presente para Mi-Soo que, pegou-o com a agitação e alegria de uma criancinha de cinco anos ganhando o melhor presente do mundo. Ela rapidamente abriu a caixa, sem nem pensar, mas no momento em que viu o que tinha dentro seu sorriso desapareceu totalmente por alguns instantes, como se uma nuvem escura houvesse encoberto momentaneamente o brilho de sua animação. Eram Macarons... Doces... Tentando se recuperar rapidamente da súbita mudança de humor, Mi-Soo instaurou outro sorriso em seus lábios, embora menos brilhante dos que os anteriores.

    - Awwn! Você é tão fofa, Eun-Bi! Então é melhor comermos tudo agora! Se eu chegar com uma caixa dessas em casa mamãe vai querer me matar! - tentou fazer mais uma piadinha, mas sem o mesmo entusiasmo.

    Não ia negar um presente de sua querida amiga que tinha enfrentado a fila demorada da panificadora só para lhe trazer esse presente, só que apenas de olhar aquelas cores maravilhosas do doce, Mi-Soo já começava a sentir um pequeno remorso crescendo dentro de si... E seria bem pior depois que os comesse. Ela deixou a caixinha aberta em cima da mesa e tentou se focar no que a amiga tinha para dizer.

    - Ay! Que ótimo! Você conseguiu! - pulou em cima da amiga lhe dando mais um abraço caloroso - Parabéns! Você vai ser a melhor professora! Eu tenho certeza! - ela ouviu a pergunta de Mia e respondeu, se intrometendo - Eun-Bi ama tanto dançar que até me fez querer entrar para a dança também! Aquele clube de dança da escola.

    Quando Mia se refere ao professor de Mi-Soo como seu "novo amor", a jovem estreita os olhos para a amiga mais velha:



    - Mas que apressada! De repente ele virou meu "novo amor"?? - simulou uma careta mau humorada, até que Bo-Mi resolveu imitar Mia - Aiiish! Estão começando uma intriga contra mim! Imagine se papai sonha com algo assim! - não consegue se conter e começa a rir outra vez - Mas eu não tenho foto! - respondeu à Eun-Bi em meio aos risos e tentou se conter um pouco mais para dizer o nome do professor à Mia - Ah, sim! O nome.... Lee Chang-Wook! - depois informar como oprofessor se chamava, Mi-Soo inclinou-se sobre o ombro de Mia para bisbilhotar a pesquisa em seu celular.


    Persephone
    Troubleshooter
    avatar
    Troubleshooter

    Mensagens : 819
    Reputação : 416

    Re: Yeun Mi-Soo

    Mensagem por Persephone em Sab Set 23, 2017 4:30 pm


    O grupo dava bastante risadas o tempo todo. Elas formavam um quarteto bastante animado e, por vezes, um pouco atrapalhado. Quando estavam na frente de outras pessoas, tinham um pouco mais de postura, mas entre si, elas brincavam mais e se sentiam mais livres. Eun-Bi sentou-se ao lado de Mi-Soo e meneou positivamente com o comentário dela.

    - Claro que sim. Se fosse necessário, eu colocava minha armadura e tudo. - Brincou, mas não dava para saber até que ponto era brincadeira. Por muitas vezes, a bailarina já tinha dado provas de que sabia ser bruta quando queria, além de ter uma opinião bem forte.

    A caixa de macarons era para o grupo todo. Eun-Bi de fato tinha pensado em sua melhor amiga, até porque sabia que ela era amante de doces, mas todas poderiam comer. Não tinha feito aquele gesto por mal, muito pelo contrário. Só fez porque sabia como a mãe de Mi-Soo podia ser sufocante e achou que a amiga fosse gostar daquele pequeno mimo.

    - Ah, claro que é pra comer agora. - Disse enquanto pegava um roxinho de amora. Mia e Bo-Mi não se fizeram de rogadas também e logo pegaram os seus respectivos doces.

    Enquanto se deliciavam, Eun-Bi contava sobre sua novidade. Sorriu e abraçou Mi-Soo diante da reação dela.

    - Eu espero que dê tudo certo mesmo! - Disse ainda ansiosa com a segunda-feira que se aproximava. - Siiim! Nossa apresentação final foi um sucesso, fala verdade! Você estava maravilhosa! E não diga que sou suspeita para falar, você sabe que sou sincera.

    - Eu entraria se não tivesse as duas pernas esquerdas. - Bo-Mi comentou. - Muito difícil. - Fez um beicinho.

    - Também acho, não tenho quadril pra isso não. Mas vocês realmente arrasam! - Mia concordou e pegou mais um docinho.

    Quando o assunto voltou-se para o belo professor de Mi-Soo, as meninas começaram a corar e brincar com aquela ideia de "novo amor". Até parecia que Mi-Soo tinha um antigo para agora ter um novo. A implicância era apenas uma brincadeira entre as amigas, não era sério nem para deixá-la desconfortável. Ao ouvir o nome, Bo-Mi rapidamente procurou por dados dele, sem acreditar que Mi-Soo não tinha feito isso ainda. Já Mia, pareceu ponderar.

    Esse nome não era estranho. De onde já tinha ouvido...?

    Levou a mão até o queixo, pensativa.

    - Eu a...

    Antes que Bo-Mi conseguisse completar que tinha achado algumas informações sobre o professor, uma nova pessoa se fez presente. A garota desligou a tela do celular e encarou o irmão.

    - Olá. Vim pegar suco. - Gyu-Sik comentou, trazendo uma taça dele e mexendo para que vissem que era sincero. Parou entre Mi-Soo e a irmã, meio de frente para Mia.


    (Gyu-Sik)

    - Hunf. Pois pegue seu suco logo.

    - Posso pegar o doce também? - Apontou para a caixa.

    - Primeiro seja educado e fale com as pessoas!

    - Eu disse olá. - Defendeu-se, mas logo olhou para as meninas. - Oi, meninas, como vão as férias? - Perguntou de modo geral até parar o olhar em Mi-Soo, demorando-se um pouco mais.

    Desde que a menina tinha mudado drasticamente de aparência, os meninos tinham passado a olhar mais para ela. Felizmente, Gyu-Sik não era um garoto indiscreto e conhecia aquelas garotas há anos. Pelo menos desde quando elas viraram amigas de Bo-Mi.

    - Vai tudo bem e você? O que tá fazendo em casa? Jung-Mi-shi viajou?


    (Jung-Mi)

    Eun-Bi perguntava já mais familiarizada com a presença dele. Jung-Mi era o menino mais famoso da sala deles e amigo de Gyu-Sik. Era o 1º colocado do Ensino Fundamental 2 e alguém que todos queriam estar perto. Diferente de epssoas como Yerin, Jung-Mi não era um cara "ruim", só era indiferente à maioria das coisas que via e ouvia no colegio. Não tomava nenhum partido além do dele mesmo.

    - Não, mas o Jung-Mi não anda querendo sair, nem conversar desde que soube que o Hyun-Hee vai voltar.

    - O QUE?! - As meninas falaram juntas, mas Mia foi a que ficou mais chocada. - Senta agora e explica isso. Toma mais... - A garota empurrou macarons pra ele.

    - Como pode? Vocês não souberam ainda? - Gyu Sik suspirou e puxou a cadeira para se sentar. - Eu não sei se ja voltou ou se vai voltar em alguns dias, mas ele estará coma gente em breve.

    - Não acredito...Pensei que ele nunca mais fosse voltar. Tô chocada.

    Há quase dois anos, a maior fofoca que corria o colégio foi sobre a morte do casa Park, pais de Hyun Hee (char da Lari) e Jung-Mi. Poucos meses depois, o herdeiro mais velho foi enviado para os Estados Unidos, para estudar fora e sem previsão de retorno. Descobrir que ele estava de volta agora era um verdadeiro choque.

    - É... - Gyu-Sik olhou para Eun-Bi - Sabe quem tem perguntado sobre você?

    - Hm?

    - Tae-Min. Você o bloqueou ou coisa do tipo?


    (Tae Min)

    - Não, eu só leio e não respondo mesmo. -Deu uma sorrisinho.

    Bo-Mi, Gyu-Sik e Mia começaram a rir na mesma hora enquanto Eun-Bi dava de ombros.


    Natalie Ursa
    Tecnocrata
    avatar
    Tecnocrata

    Mensagens : 315
    Reputação : 138

    Re: Yeun Mi-Soo

    Mensagem por Natalie Ursa em Dom Set 24, 2017 2:25 pm



    Mi-Soo ouvia o entusiasmo da amiga sobre a apresentação final de dança com um largo sorriso:

    - Maravilhosa? Eu? Ah, mas que exagero, Eun-Bi!! Quem estava maravilhosa era você, nossa mais bela dançarina! - deitou brevemente a cabeça no ombro de Eun-Bi, mas logo reergueu-se e lançou um olhar severo para Bo-Mi e Mia - E vocês duas poderiam ao menos tentar! - falou em tom de sermão, mas logo abriu um largo sorriso e fez uma careta brincalhona para as duas.




    Mi-Soo estava inclinada sobre o ombro de Bo-Mi para ver a pesquisa no celular, quando a pesquisadora ia dizer algo,mas foi interrompida pela voz do irmão, que apareceu do nada por trás das duas e fez Mi-Soo dar um pulinho, assustada, endireitando-se na cadeira por reflexo.

    Foi só na segunda vez que o garoto deu oi que Mi-Soo resolveu responder, pois nem tinha prestado atenção no que dissera em sua primeira fala:

    - Ah, olá, Gyu-Sik-shi. Você me assustou, chegando assim, do nada. Está treinando para se tornar ninja? - fitou-o com uma das sobrancelhas erguidas - As minhas férias… - suspirou e jogou os ombros para frente, fazendo uma exagerada expressão de descontentamento - Horríveis! Mas melhoraram muito hoje. - concorda consigo mesma, meneando a cabeça.

    Mi-Soo fez uma careta pra Eun-Bi quando ela mencionou o nome de Jung-Mi.Não gostava desse garoto, que parecia viver em outro planeta, indiferente à quase todo mundo da escola, sem falar que lembrar dele fazia Mi-Soo lembrar novamente das notas e que a sua lhe proporcionou um injusto castigo!

    Ela começou a ouvir a conversa de Gyu-Sik e Mia meio incomodada.

    - Ah é…-começou em um tom monótono, como se tentasse imitar sua visão de como era Jung-Mi - Esse daí tinha um irmão… Nem lembrava… - fechou a cara de cruzou os braços, bufando - Não vamos falar desse garoto! Só de lembrar dele me lembro da colocação das notas e… Ah! - jogou as mãos para o céu e sua voz ficou mais escandalosa - Cadê a minha raque--! - ela parou no meio e voltou o olhar para Gyu-Sik, sorrindo inocentemente para ele e pousando as mãos sobre as próprias pernas, voltando à posição de uma dama, como se não houvesse acontecido nada.




    Sabia que o rapaz em pauta tinha sofrido com a perda dos pais, mas mesmo assim ela não conseguia apenas aceitar a “falta de atitude” dele.

    Quando Gyu-Sik mencionou Tae Min, a jovem prestou mais atenção na conversa e deu risada junto com os demais com o comentário de Eun-Bi sobre o garoto.

    - Mas ele continua atrás de você, Eun-Bi? Que persistente! - comentou, enquanto ainda ria.



    Persephone
    Troubleshooter
    avatar
    Troubleshooter

    Mensagens : 819
    Reputação : 416

    Re: Yeun Mi-Soo

    Mensagem por Persephone em Seg Set 25, 2017 12:52 am


    Gyu-Sik lançou um breve olhar de desconfiança para as meninas. As reações de Bo-Mi e Mi-Soo chamaram a atenção dele, revelando que elas estavam aprontando alguma coisa.

    - Ninja, eu? Eu fiz barulho desde que abri a porta e me aproximei. - Apontou para trás. - Vocês que estão com caras misteriosas. O que estão aprontando? É algo ilegal? - Olhou de banda para Bo-Mi que correspondeu ao olhar, lançando uma cara com bico pra ele. - Hunf, olha lá, heein.

    Mas só estava brincando, no fim. Ele parecia mais interessado em comer os doces mesmo. Logo eles começaram a conversar sobre amenidades e...Gyu-Sik virou o maior informante do grupo. O que era uma novidade. Gerlamente, Bo-Mi que sabia de tudo porque sempre estava correndo entre os grupos e pegando um furo aqui e outro ali. Era realmente uma surpresa saber que elas não tinham noção do que estava acontecendo.

    Pior que ele só sabia sobre Jung e Taemin porque eles meio que andavam juntos.

    Os comentários de Mi-Soo acerca de Jung-Mi foram curiosos. Os olhos voltaram-se para ela. Para Mia e Gyu-Sik, aquilo também era novo. Já Bo-Mi e Eun-Bi pareciam bem cientes daquilo. Mi-Soo vivia revirando os olhos cada vez que as notas de Jung eram elogiadas ou que ele se destacava em...bom, tudo. Era um pouquinho irritante às vezes, mas as meninas não tinham nada contra ele. Na verdade, era fácil ver a maioria das meninas corarem porque ele sempre era muito polido.

    Fora o perfume dele...amadeirado combinado com aquele olhar que era capaz de invadir a alma de qualquer uma. Jung era, de muitas formas, um mistério que todos gostariam de desvendar. Lentamente...das mais variadas formas.

    Quanto à história de Taemin, Eun-Bi deu de ombros.

    - Às vezes ele me chama pra sair, para ir ao boliche, cinema, enfim. O Tae-shi é legal, mas, sei lá. As atitudes dele não batem com o que eu penso. O que adianta ser legal comigo e babaca com todo o resto? Seria só uma questão de tempo até que eu fosse mais uma para ele maltratar.

    - Aish, que drástica... - Bo-Mi comentou.

    - Ele é meio difícil mesmo. - Gyu-Sik disse. - Mas em defesa dele, se é que dá pra defender, ele sempre gostou de você. E também nunca fez mal às meninas...

    - Tirando a Stella, né? - Eun-Bi o encarou de banda.

    - Sério? Tem provas?

    - Todo mundo sabe que ele faz algumas coisas que aquelas outras pedem. Mas ninguém nunca vê ou sabe de nada. Isso é irritante. Gostaria de fazer alguma coisa por ela, mas ela nunca dá abertura pra nada. - Eun-Bi completou.

    - Eu também teria medo de falar com as pessoas, se fosse ela. - Bo-Mi fez um beicinho preocupada.

    - Ela não é a única mestiça do colégio, mas ser canadense piora. Até as meninas da minha sala já a colocaram na lista negra. - Mia comentou. - Espero que esse ano seja melhor.

    - É...

    O clima ficou um pouco pesado, mas logo Bo-Mi propôs que fizessem alguma coisa. Não demorou para que transformassem a tarde na piscina numa tarde de jogos de tabuleiro. Eles jogaram imagem e ação até que começasse a ficar tarde e Mi-Soo precisasse ir embora. Como já estava de saída, Eun-Bi disse que a acompanharia. Sua casa também não ficava longe, no fim das contas. A dupla andou de braços dados pelas ruas do condomínio fechado. Enquanto as seguiam, Bo-Mi mandava o link sobre o professor de Mi-Soo, contando sobre o histórico acadêmico dele.

    O condominio era quase que um mini-bairro - até tinha alguns comércios para quem não quisesse sair - e era o lado positivo de todas morarem mais ou menos próximo. Eun-Bi abraçava Mi-Soo com carinho.

    - Você quase não comeu os doces... - Comentou. - Sua mãe ainda está pegando muito no seu pé? Eu queria que hoje tivesse sido um dia diferente de todas as formas pra você. Já basta ficar longe das quadras.

    Fez um beicinho infeliz.

    - Me desculpa por não ter estado aqui antes. Eu estava com o meu pai. - O tom dela continuava triste, ainda mais pela situação. - Minha madrasta está grávida.

    Revelou para a melhor amiga, com os olhos meio marejados.

    - Ela é legal, eu não tenho nada contra ela, mas...Sabe quando você ainda tem um fio de esperança e ele se perde? Minha mãe ainda não sabe. - Engoliu em seco. - Acho que é o nosso karma ter mães...ou melhor, famílias...problemáticas.

    Os pais de Eun-Bi tinham se separado há um ano e meio. Há cerca de seis anos, a mãe de Eun-Bi sofreu um acidente que a deixou paraplégica. Ela era, simplesmente, uma campeã Olimpica de patinação artistica no gelo e uma atleta celebridade da Coreia. Quando se acidentou, tudo acabou. Por muitos anos, tentou fazer de Eun-Bi uma patinadora, mas depois do que aconteceu com ela, decidiu mudar o foco, preferia que a filha realizasse outro sonho: ser uma bailarina clássica perfeita. Eun-Bi gostava de dançar, gostava de ballet. Mas odiava toda a pressão que a mãe fazia em cima dela.

    Mi-Soo acompanhou isso de perto.

    E era dificil não poder fazer muitas coisas. E sentir as mãos atadas



    Próximo post, vou botar a Mi-Soo no dia 11/03. É o dia dos eventos dos prólogos do Jae-Ki e do Won Bin. Se quiser, pode descrever como foi a manhã dela na segunda-feira.

    Natalie Ursa
    Tecnocrata
    avatar
    Tecnocrata

    Mensagens : 315
    Reputação : 138

    Re: Yeun Mi-Soo

    Mensagem por Natalie Ursa em Seg Set 25, 2017 12:11 pm



    Com a resposta de Gyu-Sik, Mi-Soo estreitou os olhos na direção dele.

    - Mistério? Não sei do que está falando, não estamos aprontando nada. E se estivéssemos fazendo algo ilegal com certeza não seria por perto de um ninja como você. - provocou, com um sorriso maldoso no rosto, mas logo deu uma risadinha, cobrindo os lábios com a mão.




    Depois disso Mi-Soo ficou encarando os macarons por alguns segundos, ponderando o que deveria fazer. Parte dela queria desfrutar daquele delicado e adocicado mimo que a amiga trouxera, a outra parte sentia-se mal por antecedência, antes mesmo de comer qualquer coisa, mas não iria ignorar o doce, pois sua amiga tinha trazido pensando especialmente em Mi-Soo, portanto pegou um verde e levou meio que hesitantemente à boca, tentaria comer bem pouco, aproveitando que seu humor estava bom e provavelmente conseguiria se controlar.

    Então o assunto tornou-se Jung Mi e por causa de seu comentário, todos olharam em sua direção. Ela fez uma carena esnobe, cruzando os braços, enquanto segurava um macaron azul com a boca.

    - Por que estão olhando assim para mim? Eu sei que tooooodo mundo gosta dele, mas… Ah, por favor. Ele ignora tudo! Não é muito diferente de uma parede! Não entendo por que tantas pessoas gostam dele...




    Ela colocou o resto do macaron na boca, um tanto descontente, mas após engolir o doce, seu humor pareceu retornar e a jovem deu outro sorriso como se nada houvesse acontecido… Até Eun-Bi explicar sobre Tae-Min:

    - Se é um babaca, melhor ficar longe da Eun-Bi! Você deveria escolher melhor seus amigos, Gyu-Sik-Shi. - provocou de novo, embora dessa vez não houvesse o feito para implicar com o garoto - Só por ajudar aquelas meninas, já tenho um pé atrás com esse garoto também…

    E quando Stella foi mencionada, a garota pareceu se encolher um pouco em seu assento antes de se pronunciar:

    - Stella… Se eu tivesse visto alguém incomodá-la teria me metido no meio, mas nunca aconteceu nada de errado perto de mim… Alguns colegas nosso são tão maus…! - suspirou em descontentamento - Seja o que ela for, Stella ainda é uma pessoa e tem sentimentos!... Mas acho que ela não gosta muito de mim...- coçou o queixo, pensativa - Ela me viu ajudando outra garota uma vez, contra esses bullies… Ela deve ter imaginado que não me interesso em ajudá-la… - bufou, novamente se irritando e comendo mais um macaron sem ao menos perceber - Mas EU fosse ELA, tinha quebrado a cara de alguém, já! - resmungou em meio a uma mordida e outra.

    Depois da proposta de Bo-Mi para fazer outra coisa, já que o assunto havia afetado os ânimos do grupo, Mi-Soo melhorou de humor quase que instantâneamente. Jogos de tabuleiro deixavam a garota meio ansiosa, pois não envolviam muita atividade física e normalmente precisava ficar sentada e quieta - o que geralmente não fazia durante o jogo - mas a conversa entre amigos amenizava esse seu traço incontrolável e a deixava bem mais alegre. No fim do encontro, Eun-Bi se ofereceu para acompanhar Mi-Soo, que alegrou-se ainda mais com a proposta, dando um iluminado sorriso para a amiga.

    - Minha mãe SEMPRE está pegando no meu pé. Nada de mais. Mas o dia foi bem diferente! Principalmente porque pude rever todas as minhas amigas mais queridas ao mesmo tempo! Estava com taaaantas saudades! - expressou-se agitando os braços animadamente e abraçou com carinho a amiga ao ver o beicinho que ela fez - Não se preocupe comigo. Eu vou sobreviver às aulas, essa parte vai ser bem menos difícil do que sobreviver à não poder jogar tênis, mas tenho certeza que ficarei bem!

    Quando Eun-Bi mencionou a madrasta grávida, Mi-Soo arregalou os olhos, surpresa.

    - Eu… Isso é bem complicado… Mas eu não gosto nem um pouco da atitude que sei pai tomou. - imitou a amiga e fez biquinho também, bem incomodada com o assunto - Sua mãe não merecia isso… E agora? Você vai contar para ela? - fitou a amiga com tristeza no olhar, mais incomodada ainda pelos olhos chorosos de Eun-Bi - É… Que karma, não…? - deu um sorriso sem humor e abraçou a amiga de novo, se esforçando para consolá-la.




    Antes de se separar da amiga, a jovem recebe a mensagem de Bo-Mi e a abriu rapidamente a mensagem, mas não chegou a olhar o link com o histórico acadêmico.






    Mi-Soo acordou bem cedo, como de costume, era uma linda manhã, mesmo sendo segunda feira… Bom, era melhor ainda por ser uma segunda feira sem escola!.... Mesmo assim ainda teria o reforço. Ainda bem que não eram várias horas sentadas em uma cadeira, quase caindo para trás de tédio. O professor era legal e bonito, e a distração de Mi-Soo não cooperava muito para progredirem super rápido, mas mesmo assim estavam tendo progresso.

    Já que teria que passar a tarde toda presa em uma sala, Mi-Soo resolveu que praticaria algum exercício mais puxado pela manhã. Ela vestiu rapidamente uma de suas várias roupas esportivas das cores que mais gostava, prendeu o cabelo, passou um protetor solar e um batom rosinha, pouco chamativo e pegou seu óculos de sol da penteadeira, mais os fones de ouvido para ligar no celular e foi correr pelo condomínio para gastar toda a energia que sentia ao acordar. Estava de bom humor, apesar do castigo.




    Persephone
    Troubleshooter
    avatar
    Troubleshooter

    Mensagens : 819
    Reputação : 416

    Re: Yeun Mi-Soo

    Mensagem por Persephone em Seg Set 25, 2017 10:13 pm


    Os comentários de Mi-Soo sobre os amigos de Gyu-Sik não constrangeram o menino. Ele chegava a dar umas risadas, vez ou outra.

    - É porque você não se permite, eu acho. - Comentou. - Quer dizer, o Taemin é mongol, mas o Jung e os outros são legais. O problema é que o Jung é um velho num corpo adolescente...

    - Que adolescente... - Mia suspirou. - A família Park é abençoada pela beleza.

    - E a minha não? - Gyu-Sik arqueou uma das sobrancelhas.

    Mia o encarou, cerrando os olhos.

    - Ficou tudo pra Bo-Mi. E ah, pro seu tio também!

    Gyu-Sik revirou os olhos, mas as outras caíram na risada.

    - Não sei porque ainda converso com vocês.

    - Mas a gente não queria conversar com você, você veio pelo macaron.

    - Bo-Mi, eu sou seu irmão mais velho, faça o favor de me respeitar.

    - Pff...

    O clima voltou a ficar agradável e o dia terminou bem. Até que Mi-Soo foi pra casa na companhia de Eun-Bi e ouviu o breve desabafo da menina. Quando ouviu que Mi-Soo estava com saudades, Eun-Bi concordou e a abraçou de ladinho também.

    - Espero que sim, Mi-Soo-ya. Três semanas passam rápido, uma já foi, pensa assim. E eu vou te ajudar com as notas, se precisar. Nem que eu tenha que trocar a prova com você, como certas pessoas.

    Deu um meio sorriso, mas logo falaram de pais e da situação da família de Eun-Bi. A menina parou, deixando os ombros cairem um pouco.

    - Não sei, acho que vou dar mais um tempo. Eu realmente não sei o que fazer sobre essa situação. Cedo ou tarde ela vai descobrir. Ela sempre descobre tudo. - Suspirou e abaixou o olhar. - É um karma mesmo...



    11/03/2019 (Segunda-feira)
    8:30 a.m.

    Mi-Soo era uma garota bem ativa, que não gostava de ficar parada ou hibernar. Era impressionante que fossem 7:30 a.m e ela já estivesse de pé, andando de um lado para o outro pela casa enquanto se arrumava, Nem ao menos sua mãe tinha acordado ainda, muito embora o pai tenha percebido o movimento dela. Ele estava no escritório e, diferente da esposa, parecia que nunca dormia. Discretamente, ele deu uma olhada no relógio e pensou que talvez devesse ter colocado um horário inicial também. Mas deu de ombros e não falou nada quando a menina saiu.

    O condomínio que Mi-Soo morava, era composto por pelas mansões e até mesmo uma área verde. Ele tinha alguns cafés, mini-mercados, farmácias e lojas de conveniências. Era uma mini-cidade, ainda que não fosse o condomínio mais caro ou rico de Seul. Havia outros muito maiores....

    Mas ali moravam algumas amigas suas, fora que era um lugar muito agradável para praticar atividade. A música dava o ritmo e, do jeito que Mi-Soo precisava gastar energias, provavelmente correria cantando ou parando nas calçadas quando algum carro estivesse vindo, para fazer as coreografias. Era um pouco dificil se conter quando tinha tanto ar puro para respirar, tão livre, mesmo que perto de casa.

    Eram cerca de 8:30 - meia hora tinha se passado desde que ela colocara os pés fora de casa. Conforme seguisse pelo condominio, ela passaria em frente a um dos cafés e poderia ver um sonolento Gyu-Sik com a cara na mesa. O rapaz parecia estar ali completamente sozinho e dormindo sobre a mesa. Usava uma roupa mais largada - calça de moletom, camiseta de manga curta e sandálias. Sua casa não ficava muito longe dali, mas ela nunca soube que Gyu-Sik fosse algum tipo de sonâmbulo.

    O que ele estava fazendo ali?

    Se ela olhasse para a cafeteria, veria uma certa fila se formando no caixa, mas não dava para identificar as pessoas - talvez um vizinho ou outro. O garoto continuava com os olhos fechados e a bochecha prensada na mesa.

    Natalie Ursa
    Tecnocrata
    avatar
    Tecnocrata

    Mensagens : 315
    Reputação : 138

    Re: Yeun Mi-Soo

    Mensagem por Natalie Ursa em Seg Set 25, 2017 11:28 pm



    Mi-Soo andava agitada de um lado para o outro da casa sem se importar muito se iria acordar alguém. Já sabia que seu pai estaria acordado de qualquer forma e que a mãe não seria acordada tão facilmente. Sem se importar muito em informar para os pais, ela saiu de casa para seu passeio matinal.

    A garota adorava o fato de que seu condomínio era tão arborizado, poderia ficar o dia inteiro passeando ali fora com sua música alta e animada nos ouvidos. Gostaria de poder passar um tempo nas margens de algum lago ou cachoeira em algum momento, só para se sentir ainda mais perto da natureza.

    A corrida tinha feito maravilhas com o humor de Mi-Soo, que quase não estava mais sentindo falta das aulas de tênis… QUASE!

    Mi-Soo corria distraidamente com os fones de ouvido, mas não conseguiu deixar de notar o garoto jogado na mesa, como se tivesse desmaiado ali. Chegou a passar da fachada do café por estar distraída, mas logo seu cérebro processou o que tinha visto e ela voltou de marcha ré observando por alguns instantes e rindo da situação, mas curiosa com o motivo que tinha levado o irmão de Bo-Mi à ficar neste estado. Depois que percebeu que Gyu-Sik ia continuar jogado ali por sabe-se lá quanto tempo, resolveu entrar no café e parou na frente da mesa dele, onde cruzou os braços e ficou ponderando o que deveria fazer com uma pessoa morta em cima de uma mesa de cafeteria.




    Após alguns instantes de reflexão, a jovem bateu com a palma da mão na mesa e exclamou bem alto:

    - BOM DIAAA!!! - e conseguiu chamar a atenção de toda a cafeteria sem querer.




    Com todos os olhares em cima da garota, ela se encolheu, cobriu a cabeça com o capuz do casaco de moletom azul, sentou na cadeira que estava do seu lado e cobriu o rosto com as mãos, como se aquilo fosse adiantar algo. Passados alguns segundos que Mi-Soo usou para se recuperar da vergonha que deixou seu rosto corado, ela voltou-se para Gyu-Sik, ainda com a mão cobrindo a lateral do rosto e agora sussurrou:

    - Por acaso errou o caminho do seu quarto??? Ou será que prefere dormir em cima de mesas de cafeteria?




    Persephone
    Troubleshooter
    avatar
    Troubleshooter

    Mensagens : 819
    Reputação : 416

    Re: Yeun Mi-Soo

    Mensagem por Persephone em Ter Set 26, 2017 2:35 am


    Gyu-Sik estava tendo um bom cochilo naquela mesa. Os olhos estavam fechados e a bochecha prensada na superfície, formando um biquinho que, ainda, não era o suficiente para formar aquela típica poça de baba. Mi-Soo vê aquela cena e tem uma ideia fascinante, irresistível demais para mudar.


    A garota se aproxima da mesa, com passos bem gatunos e faz com que Gyu-Sik ficasse preso num loop de pegadinha.

    "BOM DIA!!!" - Ela grita.

    E Gyu-Sik toma um susto daqueles, com sua alma indo e voltando do céu várias vezes. O pulo de gato que ele deu na cadeira, chegando a balançar a mesa e quase cair, foi o suficiente para atrair as atenções. O garoto arregalou os olhos, completamente chocado. E, se aquilo fosse um programa engraçado, a cena se repetiria 20 vezes, de ângulos diferentes, até ter aquela voz robótica.

    "BoOoOomMmM DdDIaAA". E em câmera lenta, cada pequena nuance da expressão de Gyu-Sik seria reprisada e maravilhada enquanto os expectadores estariam sem fôlego de tanto rir.

    Tarde demais, Mi-Soo se arrependeu  -será que se arrependeu mesmo? - daquela cena. Ela sentou-se numa das três cadeiras vagas e começou a se esconder. Gyu-Sik a encarava num misto de ódio, espanto, vontade de matar e vontade de rir. Aproximou-se dela, arrastando a cadeira de volta. Sua respiração estava acelerada e ele ainda não tinha muito fôlego para responder num primeiro momento. Ele a encarou e engoliu em seco até dizer.

    - Fui...Gentilmente convidado a dar uma volta. Estou esperando alguém.

    Indicou, finalmente, uma das cadeiras, revelando que uma mochila estava no chão. A mochila estava meio aberta e, do ângulo que estava, Mi-Soo poderia ver a ponta de um grosso livro. Um livro grande, de capa dura e feito de papel fotográfico. A capa era preta e branca e tinha um edifício.

    - Hehe... - Gyu-Sik riu, de repente, como se fosse um conforto, uma pequena vingança, imaginar a cara de Mi-Soo quando visse quem era. Ainda mais depois do susto que levou.

    Tarde demais, ela sentiria uma sombra crescendo por cima dela. Sua mão cobria a lateral do rosto, mas não era a primeira vez que ela sentia aquela presença. Na verdade, ela convivia há alguns anos com aquela presença e tinha batido o pé dizendo o quanto achava desagradável.

    - Hm. Teremos companhia, pelo visto. - A voz em transição, mas tendendo para o rouco disse. - Bom dia, Mi-Soo- shi. Como vai?


    Jung Mi colocou uma bandeja contendo duas bebidas e muffins com geleias do lado para passar. Sentou-se na cadeira livre e cruzou a perna, encarando os dois.

    - Você realmente consegue dormir em 5 minutos?

    - Não, só quando me tiram cedo de casa. - Gyu-Sik olhou para a mesa e pegou um dos muffins. - Servida? - Ofereceu para Mi-Soo.

    Apesar de parecer natural, o olhar dele era carregado de riso. O curioso daquela situação era que Jung conhecia o nome de Mi-Soo, ainda que não fossem tão próximos ou muito amigos. O rapaz tinha aquela aura e porte de responsabilidade que aborreciam a menina, mas ali, com Gyu-Sik, ele não parecia tão marrento. Era quase como se deixasse um pouco de lado aquele jeito de sempre no colégio, como se pudesse relaxar.

    - Se quiser cappuccino, pode ficar com o meu. Eu entro e peço outro.

    - Hm, que gentil. Não vou oferecer meu chá gelado. - Gyu-Sik prontamente pegou o copo dele e já deu um golão, mostrando que não ia compartilhar.

    Jung não entendeu aquilo e olhou para Mi-Soo de novo.

    Natalie Ursa
    Tecnocrata
    avatar
    Tecnocrata

    Mensagens : 315
    Reputação : 138

    Re: Yeun Mi-Soo

    Mensagem por Natalie Ursa em Ter Set 26, 2017 11:08 am



    Mi-Soo, ao ver a falta de fôlego do garoto com o susto, colocou a mão que ainda estava livre - já que a outra cobria a lateral do rosto - sobre os lábios, segurando a risadinha e já quase esquecendo do vexame que deu em frente aos clientes do café.

    Ela mal tinha prestado atenção na primeira frase do irmão de sua amiga, estava ocupada demais tentando se controlar. Chegou até a olhar em direção à mochila apontada, mas não deu muita atenção àquilo em um primeiro momento, mas quando viu que Gyu-Sik estava rindo também, ficou ainda mais difícil se controlar.

    - Deeeeesculpe! Desculpe por isso! - Mi-Soo tentava se desculpar em meio aos risinhos que se esforçava para segurar, mas quase não conseguia - Desculpe, Gyu-Sik-Shi! - deitou a cabeça na mesa e colocou as mãos sobre a cabeça,  ainda coberta com o capuz, abafando o riso e tentando se concentrar sem ter que olhar para a expressão engraçada dele. Precisava voltar a agir como um humano normal! Ainda bem que Gyu-Sik já conhecia ela fazia vários anos e já deveria saber que às vezes a garota agia como uma lunática e poderia ser bem escandalosa, mesmo que na escola tentasse se comportar mais ou menos como as outras meninas “mais normais”.




    Quando ela ergueu um pouco a cabeça, apenas o suficiente para olhar outra vez para o irmão de Bo-Mi, percebeu que tinha algo, uma sombra sobre ela, a sombra de alguém se aproximando de suas costas. Do jeito que sua expressão mudou instantaneamente, parecia até que estava diante de uma aparição fantasmagórica. Mesmo sem olhar para quem projetava aquela sombra, já tinha a sensação de saber exatamente quem era.




    Assim que ele finalmente falou, o sangue de MiSoo gelou e ela lançou um olhar de indignação para Gyu-Sik. Era o garoto que a sala inteira gostava e admirava, mas que a jovem não via razão nenhuma para tal, além das ótimas notas dele, claro. Não entendia qual era o critério de pessoas mais “importantes” da turma, só sabia que não concordava com ele. Tinha esse garoto que nem parecia se importar com o quase todo o resto da turma - provavelmente não estava nem aí em ser uma figura tão importante por lá - e tinha a outra garota que o que tinha de fama tinha de intragável, maldosa. Alguém precisava seriamente mudar esses critérios.

    Ele lhe fez uma pergunta, mas a garota demorou um pouco para responder, estava tentando consertar a própria expressão de inconformidade antes de fazê-lo:

    - Sim. Ótimo dia! - respondeu de modo forçado, se esforçando para não ser muito rude - Eu estava be-- Eu ESTOU bem! Estava caminhando e vi Gyu-Sik dormindo sobre a mesa, não sabia que você estava com ele… - seu humor já tinha ido para bem longe à essa altura.

    Tinha endireitado o corpo na cadeira e unido as mãos sobre a mesa, numa expressão de indiferença, outra vez como se quisesse imitar sua versão de como via aquele garoto.

    Uma bandeja com bebidas quentes e muffins de geléia foi colocada à sua frente, sobre a mesa e o cheirinho que veio junto, fazendo com que Mi-Soo contorcesse o rosto em outra expressão de descontentamento. Quando saiu de casa não tinha comido quase nada, só uma fruta com um pouco de cereal e um chá.

    A atenção de Mi-Soo foi tomada da bandeja quando Jung Mi sentou-se na cadeira que estava livre entre Gyu-Sik e ela. Ela o fitou pelo canto do olho, ainda indignada com sua súbita presença.

    Ela começou a ouvir a conversa dos dois, já querendo sair dali para continuar a caminhada, nem deveria ter entrado no café, mas tinha sido carregada pela impulsividade e curiosidade e acabou se metendo onde não queria. Quando estava pensando em sair, Gyu-Sik lhe oferece os muffins com aquele olhar de quem estava achando tudo muito engraçado e Mi-Soo o encara fazendo beicinho, já imaginando que aquele divertimento no olhar só poderia ser uma espécie de vingança por ela tê-lo acordado tão brusca e escandalosamente. Quanto ao muffin, o encontro indesejado tinha lhe deixado estressada e algo doce cairia tão bem agora para melhorar seu ânimo… Mas não podia… Talvez só um pedaço…




    - Se quiser cortar um pedaço para mim, eu aceito… - falou, mas se arrependeu no mesmo instante de tê-lo feito, nem era muito educado ficar aceitando assim a comida dos outros, seus pais iriam reprovar o comportamento da garota.

    Jung Mi resolveu lhe oferecer algo também e ela virou o rosto quase espantado na direção dele. Achou que alguém como ele iria praticamente ignorar sua presença ali, mas pensando melhor se deu conta que o garoto tinha lhe chamado pelo nome quando lhe deu bom dia. Isso com certeza era novo, já o cappuccino com certeza oferecia por educação e com certeza Mi-Soo não iria aceitar nada vindo dele.

    - Não, não quero Cappuccino, obrigada. - meneou negativamente com a cabeça, enquanto parecia meio agitada em sua cadeira, querendo sair dali, mas agora esperando por um pedacinho de muffin com geleia.

    Ela estreitou os olhos na direção de Gyu-Sik, quando ele comentou que não ofereceria seu chá, não que ela quisesse, mas fazia parecer que Jung Mi tinha sido realmente muito gentil, depois de seu comentário, se bem que o irmão de Bo-Mi tinha acabado de lhe oferecer o mufin…

    Mi-Soo percebeu que Jung Mi agora lançava um olhar que parecia confuso para ela, mas a garota não conseguiu compreender o que passava pela cabeça do colega de escola e ergueu os ombros evasivamente, pegando o celular do bolso do casaco para olhar as mensagens, ou pelo menos para parecer estar ocupada com alguma coisa.



    Persephone
    Troubleshooter
    avatar
    Troubleshooter

    Mensagens : 819
    Reputação : 416

    Re: Yeun Mi-Soo

    Mensagem por Persephone em Qui Set 28, 2017 12:25 am


    Não era mentira dizer que Gyu-Sik estava se divertindo horrores com as expressões de MiSoo para com Jung Mi. Obvio que o irmão de Bo-Mi não foi indelicado em dizer para o amigo que a garota não gostava dele. Não, não. Aquela situação era um momento só dele para se "vingar" do tremendo susto que levou.

    - Desculpas aceitas...

    Ele disse e deu uma piscadinha antes que Jung-Mi chegasse e começasse com a interação. Jung tombou um pouco a cabeça, encarando a menina e deu um meio sorriso quando disse.

    - Que bom, MiSoo-shi. E é, eu o forcei a vir para cá porque foi uma oportunidade de fugir...

    - Que dramático. - Gyu-Sik comentou. - E por que sobrou pra mim, posso saber?

    - Porque eu não tenho liberdades para entrar no quarto da Bo-Mi-shi.

    - Aaishaaa, você não se atreva!

    Agora olhando Gyu-Sik com mais detalhes, não era dificil de perceber que...bom, ele estava praticamente de pijamas mesmo. O muito que deu tempo de fazer foi lavar a cara e escovar os dentes antes de sair. Mi-Soo podia visualizar perfeitamente bem o momento que o insuportável do Jung invadiu o quarto do querido Gyu-Sik e o puxou da cama sob protestos. Uma verdadeira carnificina, não é mesmo? Uma injustiça sem tamanhos.

    Mas Jung sorria, de modo leve até. O sempre sério e perfeito principe parecia mais relaxado, o que indicava que ele confiava muito no amigo que estava na frente dele.

    A questão era: por que ele precisava de uma oportunidade para fugir? Gyu-Sik encarou a menina.

    - Jung finalmente saiu do covil dele. O tio foi falar com meu pai e ele veio junto porque sentiu minha falta. - Fez uma expressão quase fofa. - Quantas meninas sentiriam inveja de mim agora? Olha o celular, MiSoo, aposto que a Bo-Mi ja enviou mensagens pro grupo falando que ele esteve lá em casa...

    E pior que não era mentira. Bo-Mi tinha até tirado uma foto dele de costas e Mia estava doida com a novidade. Jung revirou os olhos, meneando negativamente como se ficasse desconfortável com todo aquele assédio feminino para cima dele. Talvez ele preferisse que as pessoas o tratassem de modo normal e não...bom, não como geralmente tratavam.

    Dificil dizer, MiSoo não o conhecia muito.

    Gyu-Sik ofereceu o muffin por pura educação. A resposta de MiSoo o fez menear positivamente.

    - Pois eu não quero. Eu só ofereci por educação mesmo e...

    - Gyu-Sik não seja egoísta.- Jung meneou negativamente.

    - Hehehe..Eu tava brincando... - Disse o "brincando" entre os dentes e colocou uma faquinha de plastico medindo perfeitamente o centro do muffin. Ele tinha uma irmã gêmea em casa, tudo era milimetricamente dividido.

    Quando percebeu o olhar de Jung de novo, Gyu-Sik se aborreceu e desistiu de dividir o muffin. Ele entregou todinho para Misoo.

    - Toma! Eu vou comprar outro e vou pegar outro pra mim. Eu não aguento esse olhar de julgamento!

    - Que olhar? Estou fazendo nada...

    - Que olhar...Tsc! - Estalou a lingua no céu da boca e foi marchando. - E vou trazer um smoothie de morango pra você também. Vai comer isso seco não e medáissoaqui!- Catou o chá dele antes que MiSoo pedisse tambem.

    Jung achou aquilo curioso enquanto o menino saía. E, de repente, MiSoo se via numa situação inédita: mesmo que por poucos minutos, estava sozinha com Jung Mi. Eles nunca nem tinham conversado por mais de cinco minutos, mas agora estavam ali, divivindo uma mesa.

    - Engraçado como Gyu-Sik parece implicante com você. - Comentou. - Quer dizer, ele é implicante, mas com você parece mais. - Sorriu, encarando.

    Não fez nenhuma suposição, apenas comentou. Como ela recusou sua bebida, ele deu um gole e se ajeitou na cadeira. Não a importunaria e nem repararia em MiSoo comendo o muffin. Ele sabia respeitar espaços e, de certo modo, achou que ela ficou desconfortável com a presença dele. Mas...a verdade é que ele já estava ali antes, então, não tinha como sair e também não queria que ela se fosse.

    Se tinha sentado por conta de Gyu-Sik, ela deveria continuar ali.
    Natalie Ursa
    Tecnocrata
    avatar
    Tecnocrata

    Mensagens : 315
    Reputação : 138

    Re: Yeun Mi-Soo

    Mensagem por Natalie Ursa em Qui Set 28, 2017 2:00 am



    Outra vez o Sr. Indiferença usou o nome da garota como se fosse outra pessoa.

    MiSoo ouviu a conversa dos dois sobre o que estava fazendo ali um tanto incomodada, quase como se não estivesse prestando atenção. Isso até ouvir o nome da amiga no meio e neste instante lançou uma careta de desaprovação para Jung Mi, ao mesmo tempo que Gyu-Sik também desaprovava verbalmente. Ela o observou por uns instantes aquele sorriso estranhamente incomum naquele rosto quase sempre sério - algo que achou bem esquisito - e voltou a atenção para Gyu-Sik, só então se dando conta das roupas do garoto.

    - Aiishh! Gyu-Sik-Shi! Não poderia ter trocado de roupa antes de sair, não? Você foi literalmente arrastado da cama??

    E ela ouviu a nova explicação de Gyu-Sik sobre a presença de Jung Mi ali com uma das sobrancelhas erguidas. A história das amigas de Mi-Soo babarem pelo “príncipe” da turma, sempre lhe incomodava e agora, sendo dita diante da própria criatura chegava a deixá-la constrangida e, por um momento, nem soube o que dizer. Então deu uma risadinha 100% forçada e falou meio que resmungando, entre os dentes:

    - Você deveria parar de dedurar sua irmãzinhaaaa…. -




    Apenas por um instante, Mi-Soo se pegou imaginando como elas reagiriam se soubessem onde ela estava neste  exato momento… Como era injusto… Elas querendo tanto uma oportunidade assim e logo quem não tinha vontade nenhuma era quem estava ali. Talvez ele já tivesse saído correndo se fosse uma dessas “fãs malucas” dele...

    Chacoalhou a cabeça de modo cômico, tentando atirar o pensamento o mais longe que desse.

    Mi-Soo tinha aceitado a oferta do muffin sem pensar e claro que Gyu-Sik não iria gostar. Bom… Quem mandou oferecer?

    Ela iria reclamar do jeito escandaloso dela quando o irmão de sua amiga negou o doce, mas antes que dissesse algo, Jung Mi repreendeu o amigo educadamente.

    E com a resposta seguinte de Gyu-Sik, ela estreitou os olhos em sua direção, sabendo que não era brincadeira e gostando menos ainda que ele estava obedecendo o rapaz ao seu lado. Ela ia dizer que não queria uma metade e sim apenas um pedacinho, mas o garoto resolveu lhe entregar o doce inteiro do nada. E praticamente largou o bolinho inteiro nas mãos dela, enquanto Mi-Soo olhava totalmente confusa e surpresa.

    - Olhar de julgamento…? - virou na direção de Jung Mi, com a confusão ainda estampada em seu rosto - Espera! Mas eu não quero tudo isso!! - dava pulinhos na cadeira e sacudia levemente as mãos, apenas cuidando para não jogar o muffin para longe - O quê!? Um Smothie… Mas o que…!?? - e Gyu-Sik nem quis ouvir o que ela dizia, indo comprar o muffin e o tal smothie.

    Ela olhou para  o muffin outra vez… Não podia comer tudo isso… Muito menos tudo isso MAIS um smothie de morango! Atordoada, sem saber direito o que fazer da situação e já ficando super ansiosa, Mi-Soo pegou a mesma faquinha de plástico que Gyu-Sik ia usar para dividir o doce e terminou o serviço, fazendo o muffin em dois pedaços.

    - Pega! - ela falou meio alto e entregou um pouco bruscamente a metade do doce para Jung Mi - Eu queria sóóóó um pedacinhoo…! - lançou um olhar quase de desespero para o jovem, enquanto explicava gestualmente o tamanho - micro - que o seu pedaço deveria ter.

    Só depois de dividir o muffin com ele, percebeu que estava sozinha em uma mesa de café com o “príncipe irritante” da sala e que o pior… TINHA DADO UM DOCE PRA ELE!!! Ok, meio doce... Mi-Soo estava tão estressada nesse ponto que estava quase pegando a outra metade de volta e enfiando tudo de uma vez na boca.

    Enquanto seu cérebro dava um curto circuito, ainda conseguiu ouvir - mais ou menos - o comentário de Jung Mi sobre a implicância de Gyu-Sik com ela.

    - Não isso…!! Ahh!! - tentou recompor os pedaços do seu cérebro para responder como uma pessoa… uma pessoa de preferência sana - Deve estar bem irritado que eu acordei ele daquele jeito! Por isso ele está se vingando agora, rindo da minha cara nessa situação absurda! - não, o cérebro não estava em condições ainda e ela só se deu conta que não devia ter dito a última parte, quando já era meio tarde - Ahh! - Mi-Soo exclamou, jogando as mãos para o alto e, em seguida, deitando a cabeça na mesa e cobrindo-a mais uma vez com o capuz - e pegando o celular por debaixo da mesa para  clamar por socorro para qualquer um - só ficou com receio de explicar o motivo e desistiu.




    *Internal Scream*





    Persephone
    Troubleshooter
    avatar
    Troubleshooter

    Mensagens : 819
    Reputação : 416

    Re: Yeun Mi-Soo

    Mensagem por Persephone em Qui Set 28, 2017 10:48 pm


    Jung-Mi bebia tranquilamente a sua bebida quando foi surpreendido com o gesto de MiSoo. Ainda estava um tanto quanto perdido diante de toda aquela energia que envolvia as interações entre MiSoo e Gyu-Sik. Nunca tinha conversado tempo o suficiente com a jovem para perceber como ela era...ahm, engraçada. Não tinha outra definição para aquelas atitudes dela. MiSoo não era o tipo de garota contida que ele estava acostumado ver no colégio - sempre polidas, certinhas e comportadas. Não, ela não escondia que tinha alguns parafusos soltos.

    Era diferente.

    Para alguém acostumado a viver num mundo onde ninguém era sincero, foi um pouco assustados para Jung Mi. Por isso ele a encarava daquele jeito, como se a analisasse. Não era a primeira vez que ele via alguém assim, tão natural. No lugar favorito dele nos últimos tempos, também havia alguém que não escondia sua natureza atrapalhada e engraçada.

    Ficava satisfeito por poder observar pessoas assim, por saber que existiam pessoas assim. O triste é que ele nunca conseguia fazer parte de hall de amizades. Com exceção de Hye Min, a quem ele tinha grande apreço e consideração pela amizade duradoura, todas as outras o tratavam de modo distante.

    Pelo menos aquela manhã estava sendo diferente.

    Olhou para a metade do muffin que estava em seu prato e encarou a menina de novo.

    - Tem certeza? Eu tenho o meu. - Mostrou. - Bom, se mudar de ideia...

    Deixou a metade no cantinho e continuou bebendo. Ele nem tinha tocado ainda na comida dele. Gyu-Sik ainda estava na fila, lá dentro. O problema dos amigos sempre oferecem comida à MiSoo era que o ato de gentileza acabava maltratando a menina. Depois que ela percebeu que falou demais - e Jung Mi percebeu e estava se perguntando qual era a "situação absurda" que ela tinha se metido - a ansiedade estava aumentando.

    O celular não foi o suficiente para calar a voz que murmurava em sua mente.

    "Pega de volta. Não tem problema você comer, de vez em quando..."

    Era tentador demais para não dar ouvidos. Fora que seu corpo também passava a concordar com o pensamento. O estômago estava começando a se revirar, quase como se estivesse voraz de tanta fome. Também pudera, ela nem tinha tomado café e a primeira coisa que colocara na boca fora a metade do doce.

    - Hm...Compreendo. - Para piorar, Jung Mi tinha processado aquela informação. Parecia que tinha sido "bom demais" para ser verdade. Considerou que a menina estava se contendo ou se sentindo desconfortável.

    Um pouco de egocentrismo? Talvez

    Mas nenhuma outra situação absurda estava passando por sua mente agora.

    - Perdão pelo desconforto. Só vou esperar Gyu-Sik voltar para partir... - Completou enquanto abaixava o olhar.

    O muffin quase implorava para que MiSoo o pegasse. Como se não bastasse, Gyu-Sik retornou com o smoothie de morango. O garoto tinha registrado que ela gostava de doces com frutas, então imaginou que se ela não queria café ou coisa quente, fosse preferir algo fresco e com frutas. Até porque estava mesmo calor. Era de tamanho médio, só porque achou que o pequeno seria considerado mão fechada e grande ela não tomaria. O médio tava ali, no meio termo. E ele voltou com mais tres muffins porque estava com fome, mas também de olho se ela não ia pedir mais.

    - Pronto. - Sentou-se. - Onde estávamos...?

    - Ahm, eu estava de saída...

    O muffin estava à caminho da boca de Gyu-Sik quando ele ouviu aquilo. A comida caiu no prato na mesma hora.

    - Que? Você me arrancou de casa à essa hora da madrugada, pra falar que já vai embora?

    - Uhum. Pelo menos você encontrou sua amiga.

    - Mas eu encontro sempre... - Olhou para MiSoo - Sem ofensas...

    - Tudo bem, sei que sentiu saudades. Mas agora sabe que estou vivo, tenho mesmo que ir. Se meu tio perguntar por mim, diga que recebi uma ligação irrecusável.

    - ....'''
    Natalie Ursa
    Tecnocrata
    avatar
    Tecnocrata

    Mensagens : 315
    Reputação : 138

    Re: Yeun Mi-Soo

    Mensagem por Natalie Ursa em Sex Set 29, 2017 1:26 am



    Jung Mi pergunta sobre o doce e MiSoo já estava transtornada demais com tudo aquilo, tanto que ignorou o que ele disse, apesar de ter ouvido.

    Ela começou a encarar aquele meio muffin à sua frente como se agora se tornasse algo irresistível. Ela mordeu os lábios em meio à uma expressão de tristeza e comeu aquela metade o mais rápido que conseguiu, como se para tentar calar a voz em sua cabeça. Só que o outro pedaço estava ali, lhe encarando também, do mesmo jeito… Mas esse ela não podia comer, precisava manter o autocontrole, afinal tinha o DADO para Jung Mi. Sentindo que estava perdendo aquela batalha, os olhos de Mi-Soo ficaram umedecidos por lágrimas que queriam brotar deles e rolar por seu rosto. Aquele era um problema tão delicado para a garota, a sua luta contra os doces... Queria tanto comer mais, talvez vários muffins, mas sabia o quão seria horrível mais tarde e se já estava se sentindo péssima naquele momento, depois seria bem pior.

    Mi-Soo esfregou a manga do casaco no rosto e depois o cobriu com as mãos, respirando fundo para se acalmar... Até que Jung Mi anunciou que iria embora quando Gyu-Sik retornasse.

    - O que está falando?? - virou-se para ele e o encarou com uma expressão um tanto desesperada, mas antes de poder continuar a falar, Gyu-Sik retornou e sentou-se novamente, trazendo consigo mais muffins e um smoothie ENORME de morango.
    Quando Jung Mi avisou para o amigo que iria embora, Mi-Soo irritou-se, chegando a ranger os dentes ao perceber o problemão que estava causando. Podia não gostar do rapaz, mas não tinha o direito de destruir o encontro entre amigos.

    Por isso ela se intrometeu mais uma vez:

    - Você vai ficar aqui! Eu que deveria sair! - exclamou, batendo a mão espalmada no próprio peito - Eu nem deveria estar aqui…!! - levantou-se bruscamente da cadeira - Você arrancou o Gyu-Sik da cama, agora aguente ele!

    Quem sabe se fosse embora bem rápido dali iria se sentir melhor e evitar comer mais.

    E com o modo educado e calmo com que falou sua última frase, Mi-Soo terminou de incomodar-se, sendo tomada de vez pela impulsividade. Já que tinha agido de maneira horrível até agora, resolveu terminar pior ainda. Não tinha nada a perder mesmo.

    - É por isso! Por isso mesmo que a situação é absurda! - bateu o pé no chão, sem se importar - ou se dar conta - se chamava atenção dos demais clientes do local ou não - Porque nós temos um colega de turma que só pode ser um robô! Não! Eu não gosto de você! Primeiro porque anda junto daquela mau-caráter, depois porque não se importa com nada, com ninguém. Talvez Gyu-Sik seja o único abençoado que mereça a sua atenção! Aiishhhh!! - estava bem agitada e não parava de se mover e agitar os braços expressivamente - Eu realmente… Realmente não consigo entender!!! Não entendo o por quê dessa indiferença toda atrair tanta gente. E...E… - os olhos encheram-se de lágrimas outra vez e o tom de voz tornou-se fraco e tímido - Me des… Me desculpe por minhas palavras… Eu não devia… - curvou o corpo exageradamente sem terminar a frase, o rosto já estava rubro de vergonha - Adeus… - virou-se para Gyu-Sik cobrindo a face com a manga - Obrigada pela comida… - ia sair correndo, deu dois passos pesados em direção à saída,mas voltou, pegando o smoothie e o outro pedaço de muffin que tinha ficado para trás e, por fim, fez uma breve reverência antes de sair correndo do café, totalmente atordoada e já extremamente arrependida do que disse.




    [/quote]
    Persephone
    Troubleshooter
    avatar
    Troubleshooter

    Mensagens : 819
    Reputação : 416

    Re: Yeun Mi-Soo

    Mensagem por Persephone em Dom Out 01, 2017 12:08 am


    Jung-Mi olhou para Mi-Soo com uma evidente surpresa em seu rosto. Ninguém esperava por uma explosão daquelas vinda com toda a verdade que ela achava ter dentro de si. O garoto a encarava de um modo que chegava a quase dar dó, porque realmente não imaginava que fosse um incômodo daqueles para a menina - ou para alguém, na verdade. Seus ombros diminuíram um pouco e ele desviou o olhar - enquanto fazia isso, dava para ver que não era um robô como ela alegava. Porém, quando ela foi pedindo desculpas e tomando aquela atitude para partir, a expressão dele se endureceu.

    Era como se ele tivesse uma armadura que o tornava indiferente a tudo. Porque assim ele não se machucaria nem nada. No fundo, ele se culpava por essa cena patética e "absurda", como ela dizia. Afinal, ele baixou um pouco da guarda para MiSoo e ela se aproveitou desse momento para dizer tudo o que achava, ainda que ele não tivesse feito nada.

    Apenas meneou positivamente, aceitando as desculpas, mas não estava ouvindo mais de fato.

    Gyu-Sik estava em choque, tentando compreender o que foi que ele perdeu naquele meio tempo de conversa. Ele só saiu por cinco minutos e foi o suficiente para que tudo isso transbordasse? Por que MiSoo estava tão alterada? TPM?

    MiSoo partiu sem olhar para trás e, por isso, não veria que não partiu sozinha. Por ter um fisico bom, ela correu bastante pelas ruas do condomínio, mas, de repente, sentiu o braço sendo puxado para trás. Por conta do impulso, ela acabou tendo que recuar e bateria de frente contra o peito de Gyu-Sik. O menino estava ofegante e cansado porque, diferente dela, não tinha um físico muito bom - mas tinha pernas maiores, então a alcançou. Ele a encarou de perto ainda meio sem fôlega.

    - Vo...você....espera...aaaaarrf...

    A cena que começou um pouco constrangedora por conta da forma e do momento que MiSoo virou-se para ele, ficou um pouco mais cômica por conta do mini-infarto que o garoto tinha naquele momento. Fechou os olhos, respirando fundo e então a encarou, com as mãos em seus ombros.

    - Você...- Ficou um pouco sem jeito quando viu as lágrimas dela. Não dava para saber se ele estava vermelho devido ao esforço ou por conta do rosto de MiSoo - certamente é a menina mais doida que eu conheço. - Respondeu num fiozinho de voz, ainda vendo aquelas lágrimas.

    Num gesto de companheirismo, ele passou os polegares por baixo de seus olhos, secando as lágrimas.

    - Mas isso não quer dizer que eu goste de te ver chorando. - Disse sem jeito e abaixou um pouco a cabeça. - Desculpa por não ter contado logo de cara que ele estava ali. O Jung-Mi-shi ficou um pouco sem jeito e já foi embora, mas eu deveria ter avisado antes. Miane...

    Deu um passo para trás, sem tocar mais na menina. Ate porque não achava que tivesse esse direito.

    - Bom, eu já corri até aqui, posso te acompanhar até em casa, agora. Isso, é claro, se você não ligar para minhas roupas de dormir.

    Fez a piadinha, piscando de jeito implicante para ela.



    Chegar em casa não trouxe tanto alívio quanto ela podia imaginar. Mas quando foi que voltar pra casa trouxe, não é mesmo? Durante o trajeto com Gyu-Sik, MiSoo acabou tomando todo o Smoothie e ainda tinha o gosto dos muffins na garganta. Podia até sentir o caminho que ele fazia até seu estômago e já percebia que tinha inchado. Precisava dar um jeito de se livrar daquilo antes que sua mãe visse ou percebesse. Precisava se socorrer ao artifício que aprendeu na internet, num forum de meninas que também andavam fazendo dietas milagrosas.

    Sabia que aquilo podia ser perigoso, mas não tinha nada de errado em fazer isso de vez em quando, né? Era melhor do que se sentir culpada e receber aquele olhar da mãe.

    Fora todas essas situações absurdas, aquele dia trouxe notícias que atormentaram bastante MiSoo. Enquanto estava em aula, ela não podia mexer no celular, mas tão logo sua aula terminasse, ela descobriria sobre o acidente envolvendo Bo-Mi - que agora estava com o pé engessado - e Eun-Bi que contou que passou por um sufoco e estava com um numero novo porque o celular foi atropelado, mas que estava tudo bem.

    Os pais também não estavam irritando muito porque viam que ela se dedicada aos estudos - e o professor Lee era bem legal e paciente.



    Os dias passaram, o castigo se foi e o curioso era que as aulas acabariam deixando saudades. O professor Lee conseguia conversar sobre quase tudo - até mesmo tênis. Inclusive usou o esporte para estimulá-la com alguns conceitos de física e matemática que eram aplicadas ali. Também explicou parte da biologia humana e metabolismo graças às explosões que esse esporte dava. Com uma aplicação pratica e ativa na vida dela, ficava bem fácil assim.

    Porém, nada se comparava a voltar às quadras de novo. Era como se estivesse voando, totalmente livre.

    Infelizmente, faltava apenas uma semana para o fim das férias e retorno das aulas.

    Mais uma coisa a preocupou naquela semana. Eun-Bi pediu o socorro da amiga para desabafar. Sua mãe descobrira acerca das aulas que ela vinha dando no bairro "pobre" e a impediu de voltar. Ela foi gentilmente afastada pela diretora da escola, por conta de uma simples ligação de sua mãe. Porém, Eun-Bi não parecia chateada apenas com isso. Havia a história do menino que ela tinha conhecido e MiSoo podia perceber que ele tinha mexido com a menina.

    O problema é que ela acreditava de verdade que nunca mais se veriam...

    Natalie Ursa
    Tecnocrata
    avatar
    Tecnocrata

    Mensagens : 315
    Reputação : 138

    Re: Yeun Mi-Soo

    Mensagem por Natalie Ursa em Dom Out 01, 2017 10:27 am



    Quando MiSoo percebeu a expressão no rosto de Jung Mi, se deu conta do grande erro que tinha cometido. Se odiava alguém, não era aquele garoto, mas suas palavras fizeram um belo trabalho em lhe trair naquele instante. Talvez realmente houvesse pensado que alguém que conhecia por ser tão indiferente ignoraria totalmente suas palavras, mas provavelmente pensar foi tudo o que ela não fez na ocasião. Sentiu-se tão pressionada… Não tanto pela surpresa inesperada, mas mais pela mistura de sentimentos adversos... Talvez tudo aquilo que estivesse acumulando de ruim desde que fora colocada de castigo, mas principalmente por ter de se esforçar tanto para esquecer que doces existiam e, de repente, estava diante deles outra vez e se sentindo tão ansiosa que simplesmente não podia mais se controlar.

    Ela até tentou se desculpar quando percebeu o que estava acontecendo, mas também entendeu que naquele momento não faria sentido algum, mas não importava, Mi Soo também já estava se sentindo constrangida demais para tomar qualquer outra atitude além de ir embora o mais rápido que pudesse, carregando consigo as lágrimas de arrependimento e a vergonha de seus atos impulsivos e detestáveis.

    Mi Soo nem estava prestando atenção para onde ia, não importava muito no momento. Só precisava continuar para tentar se acalmar e racionalizar o que tinha feito. Estava tão distraída se repreendendo mentalmente que não ouviu o outro garoto correndo atrás dela, até que sentiu o puxão em seu braço, seguido de um quase rodopio do próprio corpo e seu rosto batendo contra algo macio. Ela afastou o rosto um pouco e cobriu o nariz com a mão livre enquanto resmungava algo. Quase deixou tudo o que segurava voar longe, por sorte estava segurando o smoothie firmemente e já tinha devorado a outra metade do muffin no trajeto.

    Em instantes MiSoo se deu conta do que acontecia e ergueu os olhos para encontrar o rosto vermelho de Gyu-Sik. Por um momento ela ficou petrificada onde estava, em meio a uma mistura de surpresa e confusão até a respiração tinha prendido sem perceber, até que voltou a si e também voltou a esfregar o nariz que tinha batido no peito do garoto. MiSoo deu um passo para trás, mas Gyu-Sik lhe segurou pelos ombros como se quisesse impedir que ela saísse na correria outra vez. A jovem arregalou os olhos com aquela atitude. O que ele poderia estar querendo…? MiSoo fez uma careta exagerada de alguém que se enchia de coragem instantânea e finalmente se manifestou, enquanto tentava conter o choro:

    - Aigo, Gyu-Sik… O que está fazendo? Você me assustou. - respirou fundo, reavendo o ar a seus pulmões - Não precisa vir correndo assim atrás de mim… - fez uma careta de desaprovação, já achando um pouco de graça da total falta de condicionamento físico dele - Aliás você deveria se exercitar mais ou na próxima vez que resolver correr é capaz de passar mal… - deu uma espiada no estado dele - Pior….. Enfim… Eu pago você pelo lanche, não se preocupe, eu só não tenho dinheiro agora… -ela virou o rosto, não muito contente em ser vista assim, tão de perto, enquanto chorava.

    Quando ouviu o comentário sobre ela ser doida, MiSoo virou o rosto de volta na direção dele e fez outra careta de indignação, com direito a beicinho, no entanto a expressão logo desapareceu com o gesto de Gyu-Sik em secar suas lágrimas. Não lembrava de nenhum outro momento em que o garoto fora tão prestativo com ela, bem, também não se lembrava de ter feito um papelão na frente dele antes…

    - Não se desculpe… A culpa não foi sua. - baixou o rosto e segurou o copo da bebida de morango firmemente nas duas mãos - Fui eu quem cometeu um grande erro… Talvez mais de um… - apertou o copo do smoothie, quase o deformando - Fui tão injusta agindo daquele jeito, mas eu entendi… Eu vi nos olhos dele o quão errada eu estava… Eu sinto muito pelo que eu fiz. - libertou uma das mãos e a colocou sobre o rosto, não conseguindo controlar as lágrimas que voltaram a escorrer de seus olhos.

    MiSoo tinha horror a quem era injusto ou cometia injustiça para com outros seres vivos e ser ela própria a pessoa a cometer tal erro grave lhe doía como uma ferida aberta. Só reparando seu terrível erro é que a garota poderia se sentir bem consigo mesma outra vez, com seus princípios finalmente restaurados.

    - Eu pedi desculpas… Mas eu sei que elas não valeram de nada… Quem se importaria com aquele pedido de desculpas logo depois de tantas palavras amargas e horríveis?? - ele ficou quieta por alguns instantes, respirando fundo para voltar a controlar o choro.

    Já se sentindo mais confiantes, MiSoo fechou a mão em um punho, erguendo o rosto e fitando Gyu-Sik com a determinação queimando em seu olhar:

    - Mas eu prometo que irei reparar o meu erro! Eu não irei descansar até que eu seja perdoada de verdade, não importa o quão difícil seja! Você vai ver! Eu vou conseguir Só preciso de uma estratégia para dar o primeiro passo…. - pousou a mão sob o queixo, pensativa.

    Ela ficou quieta outra vez, dando chance de Gyu-Sik se oferecer para acompanhá-la até sua casa a fazer a piadinha. O comentário foi o suficiente para fazê-la esboçar um sorriso nos lábios enquanto meneava positivamente a cabeça, aceitando a companhia.

    - Depois de ter saído correndo por todo o condomínio vestido desse jeito ninguém mais se importa. - estreitou os olhos para ele, devolvendo a implicância.

    Infelizmente MiSoo ainda estava se sentindo muito ansiosa, agitada e nervosa e só o gosto adocicado do smoothie que Gyu-Sik lhe deu poderia apaziguar suas emoções negativas. Por isso ela o bebeu inteirinho enquanto andavam em direção à sua casa. Claro que aquela sensação só duraria alguns instantes, logo seria dominada pelo sentimento de remorso e pela sensação de inchaço. Como era horrível  aquele sentimento. Parecia que só o muffin e o smoothie tinham lhe feito ganhar uns cinco quilos e as palavras duras de sua mãe já ecoavam pela sua mente, lhe lembrando como MinJi era a filha perfeita, enquanto MiSoo era a filha maluca e pouco atraente.

    Quando se despediu de Gyu-Sik, MiSoo precisou correr para o banheiro para se livrar de todo o doce que tinha comido só naquela manhã, tinha que fazer isso antes que a mãe percebesse e começasse a lhe passar um sermão sobre como os doces iriam fazer a jovem voltar ao peso que tinha antes da dieta, ou até pior! Conhecia os riscos, mas não era algo que fazia com frequência, então estava tudo bem, era só resolver o problema atual e se conter das próximas vezes que lhe dessem doces para comer.

    Realmente não teve muita sorte em se conter neste dia, pois as notícias só pioravam quando pôde voltar a usar o celular no fim da tarde. MiSoo voltou a ficar muito ansiosa e preocupada com o que ocorrera com as amigas… As duas, com pouco tempo de diferença, tinham se metido em situações perigosas e complicadas, ainda bem que já tinha passado e estavam bem, exceto que Bo-Mi machucou a perna e Eun-Bi perdeu o celular. MiSoo só sabia que estava precisando muito visitar as amigas e verificar com os próprios olhos que elas passavam bem, no entanto, com o horário em que recebeu as notícias, teria pouco tempo para fazer isso, provavelmente nem daria tempo… Teria que visitá-las na manhã do dia seguinte.






    Era até engraçado como que após o término do castigo, MiSoo sentia falta das aulas de reforço, quer dizer, mais especificamente do professor que era tão paciente e sempre tentava usar de exemplos que MiSoo entendia muito bem para fazê-la aprender o assunto, como seu amado tênis. Às vezes lhe parecia mais como um novo amigo do que um professor propriamente dito - e talvez, apenas talvez, ela houvesse sido meio louquinha nas aulas em algumas ocasiões, mas não pareceu intimidar o professor Lee com seu jeito doido de ser - infelizmente ele era pago para ir até sua casa e por um curto período de tempo, talvez estivesse apenas suportando a menina pelo dinheiro mesmo, não se sabia e, no fundo, ela tinha um pouco de medo que fosse isso mesmo. Era triste considerar alguém como amigo e essa pessoa nem querer saber de você, na realidade.

    Mas a melhor parte era poder retornar ao tênis finalmente. MiSoo estava com tanta saudades de seu esporte que poderia joga-lo até cair de exaustão… Bom, talvez não fosse uma boa ideia, mas com certeza tinha recuperado um pouco de ânimo da jovem… Até que sua amiga lhe chamou para contar o que havia lhe acontecido…

    O desabafo de Eun-Bi tinha afetado MiSoo. Era algo que acontecia com frequência. Ela sempre acabava absorvendo parte da tristeza - ou alegria - das amigas, mesmo tentando disfarçar para poder incentivá-las para se recuperarem de sua tristeza. Mas o que Eun-Bi lhe contara era bem triste mesmo, sua mãe tinha feito migalhas do sonho dela e isso revoltava MiSoo. Sabia que deveria ser uma sensação bem pior do que seu castigo com o tênis, porque em seu caso sabia que poderia voltar depois de algumas semanas e, bem, não tinha garoto nenhum envolvido na história… Ao menos que ela considerasse que provavelmente também não fosse rever o professor de reforço depois que as aulas acabaram…

    Eun-Bi lhe contara sobre o garoto antes, mas MiSoo não sabia que era algo tão importante assim para ela até agora. Se pudesse fazer algo pela amiga naquela situação… Mas não sabia se existia algo que pudesse fazer, certamente não poderia mudar o que sua mãe e também não teria como encontrar o tal garoto para fazer algo a respeito, à final não conhecia o bairro em que ela tinha ido dar aulas e muito menos o rapaz em questão…

    Diante da triste situação e Eun-Bo, MiSoo poderia apenas consolá-la e tentar animá-las nos últimos dias antes da escola, quem sabe lá ela, com a ocupação dos estudos e clubes conseguiria ter uma nova perspectiva de uma nova investida para alcançar seus sonhos… E também existiam outros garotos na escola, o que também lembrou a garota que tinha algo importante para fazer lá quando as aulas retornassem. Tinha contado o episódio vergonhoso no café às amigas, talvez pudessem lhe ajudar com uma ideia de como pedir desculpas. Podia não saber o que fazer, mas tinha colocado na cabeça que não aceitaria ser desculpada pela parte robótica do garoto, afinal tinha atingido a parte humana dele!




    Conteúdo patrocinado


    Re: Yeun Mi-Soo

    Mensagem por Conteúdo patrocinado


      Data/hora atual: Qui Set 20, 2018 9:23 am