Um fórum de RPG online no formato de PBF (Play by Forum).


    5º passo - Paixões

    Compartilhe
    Gakky
    Adepto da Virtualidade
    avatar
    Adepto da Virtualidade

    Mensagens : 1558
    Reputação : 141
    Conquistas :
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/311.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1411.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1112.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1011.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1811.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1413.png

    Re: 5º passo - Paixões

    Mensagem por Gakky em Dom Out 15, 2017 9:35 pm

    Yuki estava quieta e surpresa ao mesmo tempo, seguiu MinSoo ainda espantada com o que tinha ouvido. Era como se fosse acordar de um sonho caso se mexesse. O rosto dela ficou ainda mais corado ao ouvir as palavras dele, sentia como se seu rosto estivesse quente. O coração acelerado parecia como fogos de artifício. Não desviou os olhos do olhar de MinSoo, mas estava tão nervosa que mal conseguiu falar, apenas o nome dele escapou de seus lábios, uma voz baixa:

    - MinSoo...

    Conforme ele foi se aproximando, Yuki fechou os olhos com força e rápido, suas mãos tremiam, o que estaria acontecendo com ela? De repente esqueceu de tudo que estava a sua volta e permitiu que MinSoo a beijasse. Tinha sido o seu primeiro beijo, e havia sido como nos seus shoujos. Beijar MinSoo era como estar dentro de um sonho. Depois que se afastaram, ela disse em voz baixa:

    - Saranghae yo... MinSoo...  

    Os dois foram juntos para o camarim e saíram de lá com as mãos dadas, Yuki não conseguia conter seu coração. Mal acreditava que tinha acontecido isso, MinSoo a amava. De repente uma aparição a deixa nervosa, era a mãe do garoto, mas para sua surpresa, ela veio se desculpar. Yuki não poderia ficar mais espantada e logo respondeu:

    - Claro que te perdoo, eu entendo e... - Fez uma reverência - Obrigada por me aceitar, prometo me esforçar para fazer o MinSoo e a Nana felizes.

    (...)

    Enquanto aguardavam os resultados, Yuki se encontrou com sua família, era notável seu sorriso largo no rosto. Entendeu quando MinSoo recolheu a mão, pois foi no momento que viram seu irmão. Ela abraçou a mãe e sorriu para Taegyu. Quando MinSoo disse aquelas palavras para o seu pai, Yuki gelou por dentro, mas por sorte o pai sorriu, deveria ser um ótimo sinal. E Taegyu que parecia meio estranho, foi acalmado por sua companheira.

    Quando a mãe disse aquelas palavras, Yuki marejou e respondeu:

    - Okasan... Eu te amo...

    Isso era muito importante para Yuki, pois tinha sofrido bastante durante todo esse tempo, porque MinSoo era de um mundo diferente dela e além disso, nunca sabia se o menino gostava mesmo dela.

    Luxi
    Moderador
    avatar
    Moderador

    Mensagens : 1368
    Reputação : 262
    Conquistas :
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/311.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1411.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1012.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/912.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/212.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1811.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1413.png

    Re: 5º passo - Paixões

    Mensagem por Luxi em Qui Out 19, 2017 11:22 am

    ♪ Eu Se ♪


    Hyerin piscou para a garota e deu um sorriso tranquilo. Não tinha interesse em Minki. Era um amigo e, na realidade, ele estava confuso sobre sua orientação sexual quando a beijou. A mente de Minki estava uma verdadeira bagunça por causa da garota. Como amiga, ela permaneceu ao lado do garoto naquele tempo para que ele não surtasse completamente. Seu coração pertencia a outra pessoa, que não a notava.

    As buscas pela casa continuaram e Eu Se e a mãe se mudaram para um apartamento simples.

    Go Mi Nam reapareceu em sua casa para levá-la secretamente à apresentação ao vivo das duplas, mas ficariam nos arredores, para não levantar suspeitas, como se fossem funcionários. Ele fez isso pois sabia o quanto ela gostaria de ver Minki.

    O garoto cantou com Hyerin uma adaptação de "First Love", do BTS. Os dois rappers acabaram se saindo bem e tinha sido uma boa alternativa para seu estilo musical.

    No entanto, no local, ela foi abordada por ninguém menos do que Bonnie. Ela a chamou em uma sala e uma proposta inusitada seria feita: pediu para ver uma música própria da garota e isso ela já tinha, o que tinha escrito para Minki. Bonnie pegou os contatos da garota, que, depois disso, foi liberada.

    ♫ ♫ TODOS ♫ ♫

    Com o esperado após os aplausos, entre as duplas finalistas estavam os mais conhecidos do grupo. Além do escândalo da expulsão de Matsumoto Daichi pela descoberta de seu envolvimento com assédio sexual na escola onde estudava, outra notícia poderia deixá-los chateados: Chae Soo falhou na prova de duplas e estava eliminada do programa. Restavam somente 20 pessoas. Dos meninos, sobravam: Shin, Quan Lei, Tommy, Minsoo,Dam, Jaehyo, Minki, Tae, Zhang e Ahn Yukwon. Das garotas: Yuki, Eunji, Peach, Gu Hanbyeol, Naya, Yieun, Hyerin, Dayoung, Zhenzhen e Moon Sohye.

    Estes eram os finalistas da primeira edição do KPOP SHINE.

    Muito tiveram para comemorar, estavam próximos demais de seus sonhos. A apresentação final seria individual, em um palco montado em um local de eventos. Os ingressos já vendiam aos montes.

    Para Shin, o final daquela etapa era um alívio em particular, já que o ciúme de Myeon estava nas alturas nos últimos tempos, já que durante os ensaios Peach queria exigir os locais e exigia passar muito tempo com ele. Ela fazia parecer, para o ódio da jornalista, que alguma coisa poderia estar acontecendo entre eles, por suas frases nas redes sociais e fotos secretas que publicava dele vez ou outra. No entanto, a verdade é que ela o tratava de maneira fria e profissional, com atitudes calculadas, por puro marketing, como deveria ter feito com Tae. A atriz usou aquele mote como transição para o rompimento de sua relação com Tae para a mídia, o que era péssimo para sua imagem na última semana da competição.

    Quando saiu para comemorar, sua namorada não podia ser vista em lugar nenhum, mas após alguma ligação ela reapareceu dizendo que tinha visto a mãe dele entre as pessoas da plateia, mas que ela se retirou antes do anúncio dos vencedores e foi conversar com o pianista do local nos bastidores. Myeon achou toda a história bem esquisita, mas insistiu que depois ele certamente deveria fazer as pazes com a família, em especial a mãe.

    A semana passou tranquila para a maioria.

    Eunji descobriu em Dam um namorado carinhoso e sempre presente, mas tão carente quanto ela. Os dois se completavam nas inseguranças e passavam muito tempo juntos, de forma que ela quase não teria argumentos para lembrar do passado ou dizer que era sozinha ou não recebia amor.

    A família de Yuki pareceu ganhar um novo membro, já que Minsoo visitava a garota quase sempre. Um belo dia, ela foi convidada para jantar na casa do rapaz pela própria mãe dele, que se esforçou em não ser grosseira, apenas queria conhecer mais sobre a menina, fazendo-a muitas perguntas.

    Eu Se recebeu uma ligação da Shine Bright e deveria comparecer aos estúdios. Sua letra foi apreciada pelo diretor e ela foi convidada para fazer testes de gravação e ajustes em sua música. Não como Go Mi Nam, mas como Eu Se, ou o nome artístico que ela preferisse. Bonnie faria uma participação especial em sua música, como parte do show de abertura final do concurso. Isso certamente traria muita audiência, por anunciarem uma "apresentação surpresa" e as duas se apresentariam juntas. O motivo para isso era tirar a atenção dos boatos ruins que os escândalos que Tae e Daichi tinham causado nos últimos tempos. Uma nova roupagem e Eu Se poderia ser seu trunfo.

    Shin recebeu uma ligação no meio da noite. Myeon, do outro lado, tinha urgência para encontrá-lo. Não "amanhã", não "depois", não "por telefone". Tinha que ser naquele momento. A menina marcou de encontrá-lo na cafeteira, mas não o abandonou no telefone. Ela foi negando todas as tentativas dele de descobrir o que estava acontecendo, mas logo ele descobriria.

    Quando viu a garota logo à frente, aproximando-se do local de encontro, a menina sorriu e apertou o passo para encontrá-lo, mas seu caminho foi interrompido por um carro que fez um movimento brusco e nada natural para cima dela, batendo contra seu corpo e fazendo-o voar por cima do capô, caindo no chão de asfalto desacordada ao lado de sua bolsa, que logo seria suja de sangue.

    O carro saiu em disparada e foi apenas um som de fundo para o rapaz e os murmúrios surpresos da multidão em volta na cena escabrosa.

    ♫ ♫

    Myeon foi levada imediatamente para a emergênica, de modo que a presença de qualquer pessoa com ela foi imediatamente negada. Logo Shin estaria no hospital acompanhado de sua tristeza. O pai da garota logo aparecia por lá, desolado e cheio de perguntas para o rapaz. Os dois viveram o desespero em conjunto por horas, até que a menina estivesse fora de perigo e pudesse receber a primeira visita deles, desacordada.

    ♫ ♫

    A garota alternava momentos em que estava sedada ou delirando, repetia que precisava falar com Shin e encontrá-lo a todo custo. Ela passaria por uma verificação neurológica para identificar traumas.

    Logo o fotógrafo amigo da garota apareceu no lugar, tenso e desesperado e foi ele quem deu a primeira pista ao rapaz. Ele disse que a garota estava se metendo com gente perigosa da política e o estalo foi completo quando entre os pertences recolhidos da garota havia um pendrive.

    Aquele objeto reunia anotações da menina, depoimentos e reportagens da época do incêndio que deixou uma cicatriz em Shin. Os documentos na polícia eram divergentes um do outro e claramente tinham sido alterados. Tudo aquilo para esconder uma verdade cruel: o incêndio tinha sido criminoso, não acidental. Alguém tinha tentado matar Shin e sua mãe.



    Depois eu continuo >D
    Ninguém precisa postar. Acho que só tem material pro Shin, se ele quiser. Mas depois eu concluo
    Persephone
    Moderador
    avatar
    Moderador

    Mensagens : 567
    Reputação : 253

    Re: 5º passo - Paixões

    Mensagem por Persephone em Qui Out 19, 2017 9:26 pm

    - Vou responder pela milésima vez, My-ya! Eu não escolhi a Peach porque gosto dela. Foi algo puramente estratégico porque me faltavam opções. Yuki-shi e EunJi-shi seriam minhas opções, mas elas tinham os próprios pares. As outras meninas, eu não conheço à fundo e Nayoung é uma decepção. Pelo menos assim, eu pude manter a minha inimiga perto dos meus olhos.

    Shin-Hee respondeu enquanto saía do trabalho, de mãos dadas com Myeon. Estava virando um costume a namorada encontrá-lo no trabalho, depois das aulas e os dois passarem algumas horas juntos. Dessa vez, ele a levava para casa antes de seguir até o hotel. O problema é que os últimos dias vinham sendo mais difíceis porque os ciúmes de Myeon a cegavam de tal forma que a deixavam irracional!

    - O clipe foi apenas profissional. - Parou com a garota e a virou para que pudesse encará-lo. - Você acha que eu teria pedido para que ficassemos juntos naquela noite, se eu tivesse algo com a Peach?

    Franziu as sobrancelhas e a trouxe mais para perto.

    - Você acha que eu teríamos repetido outras vezes, se eu tivesse algo com ela? - Dessa vez, ele murmurou de modo mais íntimo e quase sacana antes de dar um sorriso e roubar um rapido selinho dela. - Não precisa ter ciúmes dessa garota. Por favor, minha vida já tá muito difícil com tudo o que esta acontecendo. Não falo com minha mãe desde aquele jantar, sei que o Sr. Yoon está aprontando alguma coisa, ainda tenho que aturar a Peach me enchendo e tirando fotos minhas como se fosse discreta e eu não estivesse vendo. - Revirou os olhos. - Por favor, não fique reclamando por algo que só existe na sua cabeça.

    Olhou para ela de modo triste e pedindo um pouco de misericórdia. Não demorou para que os dois continuassem seguindo o caminho ate o metrô, meio abraçados e chamando a atenção pela beleza que o casal tinha.


    Depois de toda aquela maratona durante os 7 dias mais longos de sua vida, a apresentação finalmente aconteceu. Peach e Shin decidiram cantar uma música de G-Dragon com Rosé do Blackpink, mais por conta de Peach do que dele. Ela saberia imitar a voz de Rosé com aquele rouco suave, enquanto ele conseguiria impor a própria voz mais melodiosa do que a de G-Dragon e aproveitar da interpretação nos trechos onde fossem um pouco mais falados do que cantandos.

    O diferencial daquela apresentação seria que o que Shin-Hee mais tinha treinado naquela semana: o rap. Ele era péssimo, mas como naquela apresentação não haveria dança, ele focou todos os seus esforços naquele pequeno trecho que exigiria um pouco mais de seu esforço.


    A música era romântica, como os duetos geralmente são e os dois até que tinham uma certa "química de palco". Os dois eram bons no que faziam, mas talvez não tenham sido o melhor dos duetos. O rap tinha sido bom e levantaria os fãs deles - que não eram poucos àquela altura - mas eles não transmitiam a verdade que duplas como Yuki-MiSoo e Eun-Ji/Dam tinham. Mas foi uma apresentação boa, onde eles puderam ousar um pouco, mesmo sem dança. E eles agiram dentro do que tinham proposto nos ensaios.

    Nada era melhor do que ter encerrado!

    Quando desceram do palco com a vitória, eles não ficaram juntos, ainda que houvesse certa expectativa para que isso ocorresse - os malditos shipps. Mas Shin-Hee logo saiu catando outra pessoa. Olhava ao redor depois de ter parabenizado seus queridos amigos. Ficou feliz por eles, mas queria encontrar Myeon logo. Ela tinha sumido e precisou de algumas ligações para surgir de novo. O sorriso dele veio fáicl e ele a abraçou, beijando seu ombro. Os dois não tinham mais porque esconder o namoro deles de ninguém.

    Ouvir de Myeon que sua mãe estava ali, mexia um pouco com ele, mas Shin se mantinha firme. Ele era muito teimoso, nesse sentido. Enquanto aquela história não chegasse a um fim, ele preferia ficar na dele. O máximo que podia fazer era mandar mensagens para a mãe dizendo que estava tudo bem.

    Agora, contudo, ele preferia comemorar com os amigos e a namorada. Estavam na final!!


    Toda aquela alegria era um tanto quanto atípica. Verdade que desde que Shin decidiu participar daquele concurso, muitas coisas tinham mudado. Porém, agora, tudo parecia seguir um caminho mais mais certo. Diante da situações que ele sofrera, o rapaz começava a se perguntar o que estava para acontecer. O que seria capaz de tirar seu chão fazer ruir todos os sonhos e projetos que ele tinha passado a ter e fazer desde então?

    Faltavam poucos dias para a última apresentação e a ansiedade aumentava.

    Naquela noite, Shin não conseguia dormir. Estava prestes a pegar os remédios para ajudá-lo quando o celular tocou daquela forma. Quan Lei já estava no décimo sono, mas ouviria a agitação.

    - O que foi, My-ya? Mas o que aconteceu? Aishaa, tá bom! Eu já tô saindo, mas você está me deixando preocupado! Tá, eu tô indo! EU TO INDO. Qual cafeteria? Tá, tá...

    Falava ao telefone enquanto se enfiava numa calça, blusa e jaqueta por cima. Os tênis foram sem meias mesmo e o gorro foi necessário para conter o cabelo que ele não teve tempo de pentear.

    - Eu já estou saindo. Sim, eu to aqui. Mas se você tá há esse tempo todo falando comigo, por que não me diz logo o que é? Alo? Alo?? Merda...

    A bateria do celular dele tinha acabado. Não tinha percebido que pegou o aparelho enquanto ainda estava só com 30% ou coisa assim. Seguiu até o local de encontro, parando do outro lado da rua. Myeon não tinha dito, no fim das contas, o que queria, mas logo ele descobriria. Acenou para a namorada, dando um sorriso, mas um frio percorreu sua espinha.

    Algo indicou que ele olhasse para o lado e ele não entendia porque aquele carro preto estava acelerando assim, no meio da noite. Os olhos foram se arregalando conforme a cena se transformava, virando câmera lenta. Shin deu um passo à frente, já com os olhos vermelhos e a boca começando a se abrir num grito mudo, que demorou mais do que ele esperava para sair.

    - MYEON!!!!!!!! - Gritou no mesmo instante em que o corpo colidiu daquela forma no capô. Rolou, subindo até o teto e descendo pela traseira, tamanho foi o impacto da colisão.

    Shin estava transtornado, com o rosto vermelho e a fúria de mil tigres querendo sair dentro dele. Sua vontade era arrancar o motorista daquele carro e espancá-lo até a morte - principalmente depois que ele o viu fugir. Mas Myeon precisava dele. O garoto se jogou de qualquer jeito no chão, já tirando a blusa - revelando a cicatriz dele por conta da camiseta sem manga que usava. As mãos tremiam demais, mas ele tentava colocar o tecido onde o sangue escorria mais.

    - Myeon, olha pra mim...Myeon... - O queixo tremia e ele espumava, quase que literalmente, porque produzia muita saliva naquele instante a ponto de ser visivel enquanto ele falava, ou melhor, gritava. - ALGUÉM CHAMA UMA AMBULANCIA! ALGUEEEM!! MYEON, não me deixe!! - Mas ele que mal conseguia enxergá-la porque sua vista estava toda embaçada pelo choro do desespero.

    Em sua cabeça, o som do carro disparando ainda se fazia presente.

    E faria por muito tempo.


    Shin precisou ser medicado porque chegou muito alterado no pronto socorro. Queria destruir tudo e bater em todos que o impediam de seguir com ela. Foi obrigado a tomar alguma coisa e estava numa letargia sem fim depois daquela explosão de adrenalina. As lágrimas continuavam escorrendo por seu rosto - que já estava bem inchado porque ele não tinha parado de chorar até então - e ele não saía do chão.

    Nem conseguiu chamar nenhum amigo ou a mãe, porque estava sem bateria. Estava completamente sozinho, até que o pai de Myeon chegou. O garoto encarou o homem sem ter palavras para explicar o que sentia.

    Só sabia que se ela morresse, não haveria porque continuar lutando por nada.

    Depois de um tempo, ele conseguiu explicar o que tinha acontecido.

    Uma ligação na madrugada, alguma coisa importante. Um carro, Myeon voando, todo aquele sangue.

    Shin vomitou algumas vezes naquela noite e não conseguiu sair do chão.


    Já não sabia quantas horas tinham passado quando a visita foi liberada. Shin-Hee entendia que o pai tinha prioridade, mas ele imploraria para que pudesse vê-la também. Quando achou que não tinha mais lágrimas, ele chorou de novo ao ver o estado dela. Não pela aparência, os roxos ou ossos quebrados, porque ela sempre seria a menina mais bonita do mundo, a sua Srtª Beautiful. O problema era a impotencia que sentia por vê-la naquele estado.

    - Deveria ser eu... - Disse em determinado momento enquanto acariciava a cabeça a mão dela e se curvava para beijá-la. - Eu. Não ela. Eu.

    O queixo tremeu de novo e ela começou a falar alguma coisa. Shin logo se aproximou mais do rosto dela, tentando captar a mensagem.

    - Eu estou aqui, Myeon...Eu estou aqui. Fique calma...

    Pedia para que ela tivesse calma, mas quem estava muito nervoso era ele.

    O fotógrafo apareceu para a visita, trazendo uma história que deixou Shin-Hee a ponto de colapsar completamente. Gente perigosa da política e um pen drive. Talvez fosse tudo o que ele precisasse.

    Quando o horário de visitas chegou ao fim, Shin seguiu para o hotel. Estava tão transtornado que nem se importava para se aparência, tudo o que precisava fazer era ler o que tinha naquele pendrive. Colocou em seu notebook, que tinha levado com ele durante a "mudança" e todas aquelas notícias e informações que ele tinha lido pareciam socos que ele nem sentia mais.

    Era tão óbvio...

    Por que ele não tinha pensado nisso antes?

    As lágrimas foram involuntárias, mas ele começou a sorrir de modo quase doentio e sofrido. Quan Lei poderia ficar chocado com aquela imagem, mas não era todo dia que um filho descobria que o papai o tentara matar. Shin respirou fundo, quase aliviado e respirou fundo para ligar para casa.

    - Oi, mãe. Onde o papai está? Não...Eu queria fazer as pazes...

    O olhar psicopata dele indicava que a última coisa que queria era fazer as pazes.

    - Ah, hotal Hwarang? Jantar...Certo. Vou encontrá-lo lá. Obrigado, omma...saranghe. Sinto saudades.

    Desligou o celular e olhou para o amigo.

    - Hora de usar o terno.


    O jantar em questão era uma reunião partidária onde os aliados indicavam que Yoon podia subir ainda mais e ter mais influencia ainda. O homem tinha se erguido para fazer um discurso de agradecimento aos aliados presentes. Shin-Hee estava cruzando o salão nesse instante, vestindo o melhor terno que tinha em suas coisas e com o cabelo jogado para trás. Parecia a imagem de um perfeito cavalheiro, o problema eram os olhos dele.

    Vermelhos como os de um ninja assassino.

    Ao fim do discurso, Shin começou a bater palmas bem forçadas.

    - Bravo! Bravíssimo! O Senador Yoon é o futuro que a Coreia precisa!

    Ria de modo aberto e se aproximava. Tinha um volume por baixo do terno, que ele começou a puxar. Tinha imprimido os documentos e agora o segurava nas mãos antes de jogar por cima da mesa, fazendo as folhas voarem para todos os politicos ali.

    - Uma pena que seja um homicida desgraçado! CRIMINOSO! ASSASSINO!!!

    E antes que todos se assustassem, o garoto já voou para cima daquele homem que ele não tinha nenhum respeito e começava a sacudi-lo.

    - COMO VOCÊ TEVE CORAGEM?!?!!? SEU DESGRAÇAAADOO!! MALDITO!!!! VOCÊ MATOU TODOS ELES! VOCÊ TENTOU ME MATAR!!! MATAR MINHA MÃE!!!! E O SEU MAIOR ERRO: MATAR A MYEON!!!!!!!!! VOCÊ NÃO MERECE VIVER, SEU IMUNDO!!!! E EU VOU TER PRAZER EM TE MATAAAAR!!




    Só justificando que eu pedi permissão pra tudo isso aí i,iv vlw, flw
    Luxi
    Moderador
    avatar
    Moderador

    Mensagens : 1368
    Reputação : 262
    Conquistas :
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/311.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1411.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1012.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/912.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/212.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1811.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1413.png

    Re: 5º passo - Paixões

    Mensagem por Luxi em Qua Out 25, 2017 8:19 pm


    Shin estava tão fora de si que nem notou as mãos se sujando de sangue, ou quando outros dois homens tentaram segurá-lo ao custo de cadeiras e papéis voando. Em sua mente só havia o rosto daquele que se dizia seu pai e suas palavras ficariam gravadas para sempre.

    - Bastardinho de merda. Eu devia ter dado um jeito de te abortar quando já desconfiava, mas aquela vagabunda conseguiu me enganar.

    A polícia foi chamada ao local e Shin se viu ser levado para a delegacia. Todas as pessoas do local o observavam. A sombra do irmão, que também estava no encontro, o acompanhou com uma expressão sisuda durante todo o processo. De repente se viu detido, com a mente turbulenta e sem a posse de seus remédios ou notícias de Myeon.

    A solidão foi sua cela mental e toda a dor psicológica do trauma parecia mais viva do que nunca em seus ombros. Quando sentia-se completamente exausto física e mentalmente, um guarda o liberou, já no dia seguinte. Sua mãe o aguardava no lado de fora, acompanhada do procurador. SeulBi o abraçou e chorou como nunca e não parava de lhe pedir perdão.

    Com insistência, foi levado para casa, mas o senador não estava mais naquele lugar. Tinha tentado fugir do país, mas o irmão de Shin, que nunca havia sido o hyung mais carinhoso, mostrava-se um justiceiro da mão de ferro, intolerante com aquela situação terrível e com provas. Seu nome já estava em alta por causa da ação beneficiando a competidora no orfanato, mas agora soube aproveitar o escândalo familiar para se posicionar contra o pai e ajudar futuramente em sua prisão. Naquela semana, ele seria intensamente interrogado e confrontado, principalmente por causa da tentativa de assassinato à filha de uma das emissoras que estavam em maior evidência no momento.

    O senhor Shi não foi menos implacável com o caso, honrando as iniciais de seu nome, que estavam no logo da emissora, Shine Bright Entertainment. Não para menos os noticiários só falavam disso e todos os segredos da família foram expostos, fosse a infidelidade de Seulbi ou os problemas psicológicos de Shin, bem como a suspeita de vício em remédios ou sua cicatriz. Somado a isso, Myeon continuava desacordada, ainda que seu quadro físico estivesse melhor.

    Não haveria período pior para o rapaz. Porém, isso o aproximou do futuro sogro, que, muito abalado adiou em uma semana a apresentação final do programa, sem se importar com críticas.

    Enquanto se recuperava, a mãe de Shin lhe contou toda a história de como havia amado um músico na adolescência, mas seu amor não foi apoiado pela família, que tinha outro tipo de plano. Os dois tomaram rumos diferentes, mas ela nunca conseguia resistir a ele quando se encontravam de tempos e tempos. In Na também era filha dele, mas essa o senador nunca suspeitou. Ela tinha medo da reação do marido, da sociedade e também que seus filhos a abandonassem e ficassem nas mãos daquele homem se ela ousasse contar. Esse era um pequeno resumo de sua vida.

    Um dia o hospital os chamou avisando que Myeon estava acordada. Inicialmente, somente o pai foi permitido lá dentro, mas quando o homem saiu do lugar, deu um tapinha em seu ombro e disse que ela não queria vê-lo, mas como pai, achava que ele deveria ir mesmo assim e fez esse pedido.

    Myeon levou um grande susto ao vê-lo e tentou cobrir o rosto com o lençol, sem sucesso, por sua movimentação limitada. Estava com roxos pelo corpo e mal imaginava que Shin já tinha visto o maior motivo de sua vergonha: a lateral dos cabelos que foi raspada para os exames neurológicos. Estava “feia”, segunda ela mesma, e não queria vê-lo de nenhum jeito. A garota não tinha forças para ser muito relutante. Soltou o lençol e acabou-se em lágrimas.
    Ambos estavam em frangalhos, mas se apoiavam um no outro.

    A garota não conseguia erguer os braços acima da cintura e precisaria de pelo menos um ano de fisioterapia para se recuperar completamente, mas estava viva e Shin se dava conta do quanto aquilo era importante.

    Na semana seguinte, o senador foi cassado e isolado até o julgamento, sob forte pressão da opinião pública.

    Myeona pediu desculpas por se meter no assunto, mas queria livrá-lo de tudo aquilo. Ela partiu para sessões de fisioterapia e o incentivou a participar da última etapa do programa, por fim, e cantar uma música para ela. Sorria muito, mas estava longe de celulares e espelhos, perdendo notavelmente grande parte de sua alegria espontânea de antes.
    Era com esse objetivo que ele deveria se apresentar.



    A seguir, os epílogos!
    Luxi
    Moderador
    avatar
    Moderador

    Mensagens : 1368
    Reputação : 262
    Conquistas :
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/311.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1411.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1012.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/912.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/212.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1811.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1413.png

    Re: 5º passo - Paixões

    Mensagem por Luxi em Qui Out 26, 2017 8:11 am

    ♪ Shin ♪


    O verdadeiro pai de Shin era o pianista clássico que ele já admirava e havia citado nas entrevistas do programa. Cho Yong-Ha esteve presente ao lado da mãe no dia de sua apresentação final. Ele desconhecia a existência do rapaz, mas diante de todo o escândalo, foi impossível não saber e, agora, apesar de ser um músico um tanto nômade, ele queria estar presente o máximo possível na vida de de ambos.

    Aquele havia sido um pequeno prelúdio dos novos ares de sua vida.

    Apesar de todas as polêmicas e algum ódio por sua forma, Shin ganhou um imenso respeito em torno de seu nome. Não apenas tornou-se líder e um dos primeiros nomes a ser escolhido como membro do grupo masculino, como seus caminhos estavam abertos para programas de entretenimento, filmes, propagandas e, futuramente, até mesmo a política.

    O senador estava preso e isso aproximou todo o restante da família Yoon, mais especificamente seus dois irmãos. Os sobrinhos gêmeos eram uma alegria constante em sua vida, sem o medo de pisar em ovos como antigamente. In Na acabaria se casando com um promotor que conhecera no intercâmbio e também lhe daria uma linda sobrinha como presente. A família crescia, SeulBi e Yong-Ha agora eram companheiros e namorados, embora não se casassem até que toda a mídia esquecesse deles. Depois, quando Shin mostrasse sua independência e estar acertando sua vida, a herdeira do império de joias faria somente trabalhos por encomenda e tiraria algum tempo para viajar com seu amado. Os dois se casariam em uma cerimônia secreta na Tailândia e Shin provavelmente ganharia uma nova irmãzinha.

    A dor em seus ombros diminuiu consideravelmente durante os anos, conforme Myeon também recuperava sua forma. Na realidade, a dor psicológica só o visitaria novamente quando estivesse sob forte stress emocional, mas infelizmente isso não seria tão raro nos anos que seguissem. 

    O grupo B2F (um tipo de trocadilho com a sonoridade da palavra “Beautiful”) não teve sua estreia imediata. Isso se deu também pela saída de Tae do elenco antes mesmo de começar, após descobrirem o envolvimento de seu empresário, J.J., em sua inserção no programa, além da imagem negativa vinda à tona após ser mostrado gritando com Peach em acessos de raiva bem filmados. 
    Além disso, os ensaios eram exaustivos, combinados com a volta às aulas e a conclusão de seu ano, não sobrando nenhum tempo para a cafeteria, que prosperou por anos com o nome “BEAUTIFUL” e diversas fotos dos integrantes espalhadas nas paredes.  Anos mais tarde, aquele lugar poderia ser administrado pelo próprio, com o auxílio de sua noona.

    Enquanto isso, durante o tempo de treino intensivo, os membros tiveram a liberdade de sugerir coreografias e letras para o debut e logo no primeiro mês do ano seguinte eles eram a grande novidade promissora composta por 8 membros. Shin era vocalista, rosto mais conhecido (face) e líder, Minki era o rapper principal e tinha se mostrado muito mais feliz e compenetrado nos últimos tempos. Minsoo tornou-se o visual principal e também vocalista compositor. Quan Lei era o grande destaque da dança e responsável pela maior parte do fanservice. Enquanto Tommy descobriu que, com treino, além de uma voz suave conseguia dançar muito bem. O mesmo aconteceu com Dam, que livre das amarras do passado, conseguia dar potência à música com sua voz, além de conseguir dançar bem melhor. Jaehyo deixaria o grupo dois anos depois, mas ficaria marcado como um membro versátil e muito belo. Por último, Zhang era o segundo dançarino e rapper, tendo descoberto seus talentos. Todos eles foram obrigados a treinar mais de uma habilidade que não eram bons. Não havia a opção de estrearem sendo “péssimos” em algo e isso levou o fim do ano inteiro, mas no fim havia uma “música-farofa” envolvente que tocava em todo lugar.


    Só se falava em B2F naquele ano inteiro como os grandes rookies. É claro que nem todos se davam bem o tempo inteiro e agenda era terrivelmente apertada, mas isso era muito positivo de certa forma. O mundo todo se abriu para aqueles garotos e Shin sentia isso como ninguém: já estava marcado para dois doramas e logo ganhou seu papel de protagonista no ano seguinte.

    O relacionamento com Myeon sofria naquele tempo. A garota tinha altos e baixos, principalmente por sentir-se inferior comparada às garotas com quem ele começou a ter contato e as brigas eram frequentes e cheias de ciúmes, mas os dois precisavam aguentar juntos todo aquele processo. Estava bem claro também que o B2F não seria eterno. O contrato não era vitalício, mas as oportunidades que eles criassem sim.

    A garota só aquietou com uma aliança no dedo e quando voltou a se movimentar direito. Deu a volta por cima e participou de todo tipo de programa de superação com ele, mas ganhou evidência por conta própria, reinventado seu estilo. Cortou de vez os cabelos e começou a pintá-los de forma estilosa, e ensinando no Youtube dicas para esconder machucadinhos.  
    Anos depois, tentariam ter filhos, com alguma dificuldade, mas logo sua família seria populada por rebentos com personalidade distinta. Seriam uma das famílias de margarina mais adoráveis da Coreia e um dos casais mais sólidos.

    Shin podia dizer que por causa de tudo que enfrentara tinha ganhado um pai além do músico: o próprio sogro. Ele foi completamente apoiado após o diretor da Shine perceber não apenas seu valor de mercado, mas o quanto amava sua filha de verdade. Isso também contribuiu para que sua entrada na televisão fosse rápida e certeira.

    Mesmo quando o contrato do grupo acabasse, com previsão para três anos depois, ou resolvessem, por conta própria, dar disband, cada um deles tinha um caminho próprio, mas alguns simplesmente ficavam. Shin podia dizer que Quan Lei e Tommy eram seus amigos mais próximos. Quan Lei ainda seria envolvido em escândalos demais com mulheres e vida boêmia, sempre buscando um apoio legal ou de mídia em Shin com um sorrisinho no rosto. Tommy era discreto e ao término de contrato voltaria para os EUA, onde viveria de composições própria e YouTube, mas muitos fãs e um companheiro. Somente os dois amigos saberiam disso, dado o preconceito nas terras asiáticas.

    O menino que tinha começado em uma família perturbada hoje vivia seus melhores dias e, certamente, era um dos jovens mais bem sucedidos da atualidade.  
    Luxi
    Moderador
    avatar
    Moderador

    Mensagens : 1368
    Reputação : 262
    Conquistas :
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/311.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1411.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1012.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/912.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/212.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1811.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1413.png

    Re: 5º passo - Paixões

    Mensagem por Luxi em Qui Out 26, 2017 9:06 am

    ♪ Yuki ♪



    Yuki foi uma das primeiras a integrar o Mermaid (“Ma-mei-do”). Apesar de ser tão tímida, seu carisma no palco era espetacular e ela logo foi eleita como a rainha do aegyo de seu grupo e vocalista principal.
    Ela recebeu muita atenção por sua habilidade de ouvido absoluto e logo sua voz alcançou também o Japão. Em três anos, ela seria muito popular também na terra do sol nascente e teria muitos convites para cantar ali, podendo seguir uma confortável carreira solo. Minsoo a acompanharia para onde fosse, tornando-se seu parceiro de acústico com o violão.
    Assim que se transformasse apenas em “Yuki”, todos os fãs ficariam de olho nos bullies do colégio e ela se tornaria protegida pela mídia, criando até mesmo um ambiente mais agradável em seu colégio até sua formatura, quando poderia optar pela faculdade de música.

    Os pais da garota continuaram vivendo na humildade por um tempo, por insistência deles, e assim seria até mesmo quando a casinha onde viviam foi reformada. Apenas mudaram de endereço quando a peixaria tornou-se um hortifruti natural no centro de Seoul, com os pescados mais frescos da cidade, além de frutas e pratos prontos para levar. O pai deixaria de trabalhar ativamente na pescaria para tornar-se apenas proprietário e coordenador, enquanto a mãe criava as receitas dos alimentos rápidos
    .
    Taegyu voltaria a estudar e passaria a trabalhar na cafeteria “BEAUTIFUL” ao lado da namorada e futura noiva, Hyosang. A garota se formaria em medicina, enquanto o rapaz conseguiria um diploma na área de administração, mas ainda gostava de fazer trabalhos manuais e entregas. Seu filho, que viria anos depois do casamento, também seria ensinado nos moldes da humildade.
    Todas essas grandes transformações levaram algum tempo para ocorrer, mas era inegável o quanto sua entrada no programa trouxe muitas mudanças ao mesmo tempo. A mais difícil delas foi a maneira como as pessoas a tratavam lhe dando atenção demais para uma menina tímida. Seu primeiro presente foi de um fã obcecado, que lhe deu logo um celular. Aparentemente, ela atraía um tipo de fã masculino muito apaixonado, e futuramente teria que se cercar de seguranças, dada sua popularidade e as tentativas frequentes de stalkers de chegarem perto demais ou terem “ciúmes demais” de Minsoo.

    Aliás, o garoto era muito fofo. Ele teve apoio da mãe para afastarem as relações com o pai e a parte da família que simplesmente não aceitava nem mesmo um filho idol ou alguém que namorava uma menina como ela. Acabou que se tornou um dos sócios do mercadinho natural Shimada e principal apoiador da menina.  
    Os ensaios eram muito duros, muito mais do que quando tinham feito a prova em grupo. As críticas eram pesadas e havia até mesmo momentos de agressões físicas às trainees que errassem demais. Yuki precisou se acostumar com isso, mas Bonnie vez ou outra comparecia no local para apoiá-las.

    Também havia o grande infortúnio de que Peach havia passado para seu grupo. Ninguém havia interagido demais com a garota para descobrir verdadeiramente sua natureza ou conseguir atrapalhar sua popularidade, mas quando os treinos começaram e ela começou a demonstrar seu narcisismo patológico, os diretores trataram de transformá-la em uma mera visual do grupo e, aos poucos, a garota teve que aprender um pouco sobre humildade se quisesse permanecer ali. O gênio da atriz não era fácil de lidar, mas seu rosto ajudou a alavancar as vendas do Mermaid nos primeiros shows.

    Depois, ela perdeu o papel na sequência de “My Love Under The Sea”, que teria Yuki como a sereia principal. Essa decisão veio à tona após a antiga atriz que contracenou com a garota expor todo o caso de humilhação e bullying sofrido em set. Foi só aí que Peach acabou deixando o grupo e isso fez com que a japonesa ganhasse não só a liderança, mas o destaque máximo daquelas meninas.
    Agora com cinco membros, o Mermaid estourou com uma música chiclete. Yuki era líder e vocalista principal, Eunji era visual, maknae e vocalista líder, Yi-Eun era a carismática dançarina principal, Hyerin tornou-se rapper principal e dançarina líder, já Moon Sohye, uma surpresa naquele dia final de apresentação, era considerada a “nova Peach” em popularidade, apesar de ser uma garota calma e ponderada, e tinha habilidades múltiplas.


    O grupo precisou dar uma pausa quando Hyerin, que sofria absusos em casa e escondia suas marcas com faixas coloridas, passou pelo mesmo situação de Eunji, mas nesse caso a ação foi rápida e ela teve todo o apoio da empresa.

    Nesse tempo, Yuki viu o mundo se abrir para ela de uma maneira nunca vista. Sua imagem fofa lhe abria propagandas e convites. Havia uma marca lolita interessada em seu estilo, programas infantis querendo sua visita e marcas de produtos de beleza desejando seu rostinho jovem. Percebia então que quando o grupo acabasse, ela seria livre para confortavelmente escolher seu lugar no mundo, sem ser arrastada ou ajudada por ninguém, mas por suas próprias pernas.

    Felizmente, o Mermaid chegou a fazer um tour pela Ásia, sendo muito bem recebido, e teria o tempo de vida mais longo do que o B2F, o grupo masculino que promovia com elas. Como Minsoo havia um dia brincado, ela estava alçando vôos maiores do que ele, mas estava tudo bem, pois o rapaz acabou mais nos bastidores, com seu violão e composição de músicas para amada, além de conseguir muitos trabalhos como modelo.
    Surpreendentemente, por esse motivo ela teria notícias de Chae Soo, que se tornaria, em alguns anos, a modelo plus size mais bem paga da Coreia, chegando a engordar alguns quilos por opção própria e encabeçando um movimento de aceitação.

    Naya e Dayoung se tornaram uma dupla de sucesso, embora não se comparassem ao Mermaid, elas tinham grande visibilidade e assinaram contrato com a Shine Bright Entertainment também. O curioso de serem gêmeas ajudava em sua exposição, mas suas relações conturbadas e o envolvimento de Dayoung com más influências nos relacionamentos daria um fim à dupla anos depois. 


    Nunca mais ouviu falar em Euntak ou Daichi. Aquelas pessoas eram pequenas demais para atingi-la agora. Yuki era tudo o que gostaria com seu próprio esforço e uma família bonita, feliz e unida.
    Luxi
    Moderador
    avatar
    Moderador

    Mensagens : 1368
    Reputação : 262
    Conquistas :
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/311.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1411.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1012.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/912.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/212.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1811.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1413.png

    Re: 5º passo - Paixões

    Mensagem por Luxi em Qui Out 26, 2017 10:26 am

    ♪ Eun-Ji ♪


    A história mais complicada daqueles candidatos finalmente tinha um final feliz. EunJi tornou-se uma das principais vocalistas do grupo Mermaid, formado naquele ano. As garotas treinaram exaustivamente tentando conciliar escola, família e profissão. Para Eunji, foi tudo especialmente estressante, após a morte de seu avô. Seria a última notícia que teria sobre seus familiares próximos. Suas escolhas adiantaram todo o processo de adoção e libertação, porém nunca possibilitaram uma reconciliação verdadeira.

    A decisão sobre sua guarda finalmente veio, mas ela nunca pôde ser adotada por Bora, já que May era uma responsável legal apta, com mais condições financeiras e, o mais óbvio, vínculo de parentesco. No entanto, a professora começou a fazer um pouco parte da família, especialmente quando foi demitida da escola por acobertar a situação de abuso e outras quebras de regras por tempo demais. May tentou ajudá-la de sua maneira, mas a mulher acabou se reerguendo sozinha, tornando-se professora em outra escola, um pouco inferior e um pouco mais conturbada com jovens-problema, mas era essa sua vocação.  A mulher tornou-se um tipo de justiceira contra o bullying e era a favorita de seus em pouco tempo.

    Sonja continuou como professora de música na escola antiga da garota, até que ela se formasse, mas não seria mais sua instrutora depois que a menina assinou um contrato de três anos com a Shine Bright Entertainment.

    Ali dentro, havia alguns problemas de relacionamento, causados principalmente por Peach e por sua implicância natural por YiEun. Além disso, os ensaios não eram nada leves e não havia tempo para choros e namoro, a coreografia simplesmente continuava e ela precisava acompanhar para não ser expulsa da empresa. Era o preço da fama que às vezes lhe pesava muito, pois tampouco havia tempo para ir à igreja como gostaria ou participar dos corais.

    Além disso, ela teve que se adaptar e aprender a se virar com tecnologias e seu pouco conhecimento de mundo, já que não poderia fazer feito em entrevistas com perguntas insipientes. Mesmo assim, muitas vezes sua ignorância passava por comédia e ela se tornou o estereótipo de inocência exagerada, o que a fez atrair alguns fãs específicos da jovem maknae. Sem querer, era uma personagem de si mesma e por isso, logo no início da carreira, foi convidada para programas de comédia. Apesar de ser capaz de atuar, os últimos acontecimentos em sua vida eram dolorosos demais para entrar em contato com eles para grandes dramas e ela foi orientada tanto por psicólogos  e pela própria empresa que não deveria focar neles. Por ora, nem haveria tempo.

    O grupo se lançou no primeiro mês do ano seguinte, com uma surpresa. A música demo de estreia do grupo estava pronta, mas sua divulgação na internet não teve grande repercussão. A crítica caiu em cima das garotas e foram feitas reformulações internas. Peach deixou de ser a principal em tudo e eventualmente deixou a empresa. O segundo título do quinteto faria muito mais sucesso, agora com Yuki na liderança, e foi assim que se lançaram no mercado. A relação entre elas melhorou consideravelmente e após o primeiro semestre, ela conseguiu ter algum respiro para voltar às atividades principais. Na escola, Jenny presidia até mesmo um fã-clube para Mermaid, mas secretamente pedia a saída de Eunji na internet, o que não era ouvido.

    Com uma pausa de férias e as polêmicas envolvendo Hyerin, a menina conseguiu finalmente fazer sua viagem para a China, onde acabou visitando Zhenzhen, que havia ingressado em um grupo musical feminino chinês. A tia Yue a presenteou com um álbum de fotos antigas de toda sua família e passeou com ela pelo país.

    Ela foi convidada para participar de um episódio de um drama chinês, por conta do idioma que estava aprendendo aos poucos e também de suas obrigações com o grupo na Coreia. O Mermaid perdurou um pouco mais. Nesse meio tempo, era irônico como a garota que não sabia que as roupas tinham “marca”, de repente se tornava rosto de revistas, graças à tia. May foi a responsável por, aos poucos, introduzi-la no mundo da moda, com uma foto inocente aqui e ali, mas que logo a trouxeram para um mundo “cheio de maldade” e inveja que talvez a menina nunca estivesse preparada para enfrentar novamente. Mesmo possuindo dinheiro, a mídia era um poder a parte que ela não conseguia compreender perfeitamente. Os jogos ali dentro derrubavam os grandes e criavam polêmicas desnecessárias em torno das pessoas. Era demais para a menina suportar.

    A grande mudança da sua vida começaria muito próximo do fim do grupo masculino B2F, em dois anos, que teve um tempo mais curto do que as mocinhas populares do Mermaid. Isso foi decisivo para que o relacionamento de Eunji e Dam chegasse ao fim. Sem uma ocupação certa e vendo sua autoestima voltar a flertar com a tristeza, incapaz de atender às demandas dos holofotes, o rapaz cumpriu sua missão de mandar mensagens para o irmão, mas descobriu que a música era uma dolorosa punição. Ele terminou seu relacionamento com a garota de forma amigável, desejando boa sorte em seu caminho, agradecendo pelo tempo que ficou a seu lado e como o ajudou a se curar. O rapaz também retornaria aos EUA, onde cursaria faculdade e reencontraria Junseo em uma nova fase de vida.


    Eunji viu-se sozinha, mas pela primeira vez deveria tomar atitudes por conta e cuidar da própria vida sem depender de ninguém ou sem poder culpar um fator externo. Isso lhe daria muito crescimento. Tinha trabalhos paralelos com fotos, por influência da tia, mas sua verdadeira vocação veio em forma de um convite de Choi, quem reencontrou naquele momento difícil e aproximou-se em amizade.

    Ela representaria a sua religião na Coreia, podendo cantar em devoção, dedicando sua vida naquele local. Era sem dúvida, a mais bela voz a serviço da interpretação de palavras bonitas divinas. Eunji tornou-se então uma espécie de “anjo inspirador” no local que frequentava, com o lançamentos de músicas para esse segmento e campanhas beneficentes, principalmente relacionadas a crianças carentes. O orfanato onde tinha vivido por alguns dias mudou seu nome para “Lar de Eunji”, e a garota utilizou sua experiência de passado sofrido para palestras motivacionais e encabeçar projetos religiosos beneficentes.

    A música que trouxe luz para sua vida agora ajudaria outras pessoas.
    Luxi
    Moderador
    avatar
    Moderador

    Mensagens : 1368
    Reputação : 262
    Conquistas :
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/311.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1411.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1012.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/912.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/212.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1811.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1413.png

    Re: 5º passo - Paixões

    Mensagem por Luxi em Qui Out 26, 2017 11:53 am

    ♪ Eu Se ♪

    Foi assim que saiu pelo caminho dos bastidores após cantar sua música de confissão para Minki que ele veio a seu encontro, puxou a menina pela cintura e lhe deu o beijo tão sonhado que a moveu por todas aquelas semanas.


    O garoto não tinha mais dúvida nenhuma sobre seus sentimentos, pois até já tinha se apaixonado por ela mesmo sendo um garoto.  Ele a segurou de maneira firme e convicta. No entanto, não puderam ficar muito tempo juntos naquele momento.

    Eu Se tinha acabado de aparecer como surpresa no dia da apresentação final, ao lado de Bonnie, que foi a responsável por amortecer a loucura da mídia. Muito mais do que o nervosismo do palco, a garota enfrentava sua própria música como confissão, de seu amor e sua identidade. Por isso, foi logo cercada cercada por repórteres e perguntas.

    Os dois foram. Afinal, ele era o novo membro da B2FL.

    O casal parecia um grude. Apesar da agenda lotada, Minki sempre corria para ela e ficava manhoso às escondidas, mesmo se fosse pela madrugada. Ele passava noites fora na companhia ela às vezes, por ser o único tempinho que tinham às vezes ser pela madrugada. Tudo era muito secreto, mas ele precisou conter sua estripulia para que a opinião pública não descobrisse ou começasse a julgá-los mal.... ou sua fama de faltar a ensaios começasse a surgir. Ele acabou aprendendo que deveria se comportar, também com a ajuda dela.

    Enquanto a agenda de Minki era lotada, a de Eu Se era mais tímida, pelo medo que alguns locais tinham de trazer uma pessoa que tinha feito algo controverso como se fazer de menino. No entanto, ela foi  chamada para muitos programas de televisão para falar sobre isso e acabou se dando muito bem naquele meio de famosos por sua experiência como garota rica filha de um diplomata.

    O pai não mais entrou em contato com ela e passou a viver com a amante, e seus futuros filhos fora do casamento. O divórcio deu um alívio para aquela família.

    Lee Sang voltou a trabalhar, embora como secretária da loja de jóias da mãe de Shin Hee, mas logo começou a gerir o negócio quando a mulher estava fora com o novo marido, Cho Young-Ha, o professor de música de Eu Se.

    Eu Se teve de se mudar de escola, pois suas amigas não aceitaram também a traição da garota e acharam um tanto quanto bizarro que ela tivesse se passado como garoto.

    Aquelas escolhas realmente lhe custaram todo o ciclo de mentiras que a traziam uma vida confortável. No entanto, o piano que ela tanto desprezava lhe dava oportunidades reais de estudo. Seria mais difícil sem o apoio do pai, com base em bolsas agora, mas isso a ajudaria a se manter um pouco.

    Após concluir a escola, sem um rumo certo, a Shine lhe deu a oportunidade de lançar um CD solo, mas sua carreira não emplacou sozinha. Apagada no programa e envolta por polêmicas, ela acabou sendo um nome esquecido após um ano.

    Passou um período complicado na música, mas ao mesmo tempo, não percebia que seu destino era traçado paralelamente, já que continuava indo a programas como uma figura curiosa que tinha visto bastidores da Shine, da política e mesmo conseguido burlar as regras.

    Enquanto Minki viajava muito e estava sempre ocupado, era difícil viver uma vida completamente se apoiando na existência do rapaz. Ela poderia até tentar ignorar todo o resto, mas o problema é que agora ela tinha que se focar em "todo o resto".

    Com as vendas capengando, seu contrato com a Shine rescindiu, mas foi aí que a chamaram para fazer parte de um programa como uma espécie de "comentarista". Sua imagem cresceu na televisão e ela logo foi considerada uma bela mulher, dona de uma voz encantadora. Ela ganhou espaço como um tipo de "celebridade da televisão" e, de vez em quando, fazia colaborativos com outros artistas, fazendo versões especiais de suas músicas.

    Chegou inclusive a gravar com Bae, que era um aluno exemplar da escola que a menina mentiu onde estudava. O amigo Amihan tinha se tornado um professor de dança e sua participação no programa elevou seu salário.

    Minki e Eu Se passaram por uma forte crise no relacionamento pois o menino não conseguia lidar com as figuras masculinas ao lado dela nos programas e colaborativos de música. Tudo isso piorou muito quando Hyerin enfrentou problemas em casa. Sem saber que ela sofria abusos, Eu Se teve dificuldade de entender por que ele passava tanto tempo com a loira. Quando a verdade foi descoberta, os dois concluíram que tinha se excedido e precisaram dar um tempo. As crises infantis de ciúmes não estavam fazendo bem.

    Os dois ficaram um bom tempo distantes, até quando o grupo estava chegando ao fim, dois anos após seu início. Nessa altura, Eu Se começou a despontar na televisão e chegou a ganhar seu próprio programa. Estava longe da música, mas ainda fazia participações.  

    Foi quando Minki, desempregado, apareceu de repente e a pediu em casamento. Sem mais nem menos. Ele disse que  agora queria viver com a garota e começar algo juntos. A carreira da menina estava em polvorosa, diferentemente do garoto, que passaria a ser "dono de casa", o mais babão dos maridos, que fazia mimos para a esposa famosa e cuidaria futuramente de seus rebentos.

    Eu Se definitivamente tinha quebrado o ciclo familiar e agora podia dizer que tinha se encontrado através daquela aventura no KPOP Shine.

    Luxi
    Moderador
    avatar
    Moderador

    Mensagens : 1368
    Reputação : 262
    Conquistas :
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/311.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1411.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1012.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/912.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/212.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1811.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1413.png

    Re: 5º passo - Paixões

    Mensagem por Luxi em Qui Out 26, 2017 11:54 am

    Queridenhos, obrigada por jogarem até aqui. Este foi o final do meu primeiro jogo de RPG real/oficial.

    Todos os epílogos foram baseados nos jogos de vocês, nas intenções dos personagens versus o que de fato eles trabalharam para conquistar ao longo de toda a história.

    Fiquei muto feliz com os resultados.

    Obrigada por embarcarem nessa comigo! E até, quem sabe, uma próxima oportunidade.
    Conteúdo patrocinado


    Re: 5º passo - Paixões

    Mensagem por Conteúdo patrocinado


      Data/hora atual: Dom Nov 19, 2017 4:57 am