Um fórum de RPG online no formato de PBF (Play by Forum).


    Capítulo 1

    Compartilhe
    Persephone
    Moderador
    avatar
    Moderador

    Mensagens : 729
    Reputação : 376

    Re: Capítulo 1

    Mensagem por Persephone em Seg Out 23, 2017 12:42 am

    [JAE-KI E WON]

    Kang acompanhava os dois novos amigos no refeitório. Por algum motivo que nem ele tinha entendido ainda, era o mais sociável dos três. Logo ele, o esquisito maluquinho. A verdade é que o garoto tinha uma premissa básica para quase tudo na vida: o não você já tem, portanto, não custava nada tentar. Fosse atitudes ou perguntas simples, ele não tinha vergonha não. Talvez o jeito dele acabasse cativando, de alguma forma.

    Porém, ele se conteve no refeitório. Foi uma decisão silenciosa que levou o trio a não se aproximar ou conversar com o grupo que estava logo ali. Kang ficou quietinho, pegando uma banana e parecendo mesmo um miquinho por conta de suas orelhas abertas e as caras que fazia.

    - Sabe o que é mais curioso? - Perguntou enquanto mastigava. - Frutas são caras e aqui eles dão de graça. Eu acho que ainda não acordei, não é possível. Esse lugar é surreal demais.

    Terminou a banana e pegou um chá aleatório também. Diferente de Jae-Ki, ele quis cuspir aquele chá e ficou fazendo uma careta desesperada.

    - Quem é que toma chá… - Olhou o nome . - Verde com gengibre e canela? Coréia, você me decepciona!

    Aparentemente, Kang tomava, porque foi escolher sem nem ler o nome e se ferrou. Ficou com medo de desperdiçar comida, por isso se viu obrigado a tomar tudo. Pegou uma pera e uma água mineral para tirar aquele gosto horroroso da boca. Enquanto ele passava mal, os amigos comentavam sobre o tamanho do refeitório que mais parecia um shopping. Ele concordava, meneando positivamente vez ou outra.

    No fim do intervalo, eles se encaminharam para o ginásio. A pergunta de Won-Bin foi respondida com um sorriso nervoso. Claro que ele também estava nervoso e nem tinha ideia do que ia escolher, precisava se basear mais pelos horários. Ele já tinha conversado com o chefe que faria o meio período e podia fechar a loja, caso chegasse atrasado. Felizmente, seu chefe parecia compreensivo, o que era algo raro nos dias de hoje.

    O trio se separou para escolher seus clubes.

    Por um motivo que nem mesmo Won-Bin entendia, ele preferiu seguir a emoção ao invés do lado racional. Sua mente sempre voltava para apenas um tipo de atividade sentiu certa estranheza com a rota que o corpo tomava. Quando percebeu, estava diante do clube de música. A capitã do clube tinha em sua plaquinha de nome: Woo Min-Lim - que virava Mily, para os mais intimos, o que não era o caso de Won-Bin. Era uma menina de traços bem marcantes que dificilmente passaria despercebida em algum lugar. Não eram os traços delicados e finos que a moda coreana demandava, tampouco era desagradável aos olhos, porque sua presença não podia ser ignorada.




    Olhou para Won-Bin, chegando a tombar um pouco a cabeça, mas logo esboçou um sorriso no canto dos lábios e meneou negativamente.

    - Não tem problema chegar sem saber tocar nada. Você aprender e, se estiver apto, faz parte do grupo principal. Aqui está o formulário. - Entregou.

    A voz dela era suave e aprazível, ainda mais quando usada de modo tão educado para falar com alguém. O garoto ao lado dela estava revezando no momento, já ajeitando alguns formulários inscritos.

    O primeiro desafio tinha passado e Won já se encaminhava para o próximo. O clube de teatro tinha como capitã uma jovem com o rosto em formato de coração e cabelos escuros amarrados num rabo de cavalo. Seus traços eram mais delicados do que da outra capitã, mas também tinha detalhes inconfundíveis em seu rosto.




    - Oh sim. Aqui está o formulário, seja bem-vindo. - Entregou a ele. Sua placa trazia o nome Ah Ye-Eun.

    Já Jae-Ki ficou mais um tempo com Kang. O rapaz não tinha dito nada quando Won-Bin tomou a dianteira para ver os próprios clubes, mas ficou mais tranquilo por Jae-Ki não tê-lo deixado sozinho. Achava que se sentiria um pouco sozinho e perdido naquele mundo de gente. Acompanhou Jae-Ki até o clube de artes e ouviu o desenrolar da conversa. O capitão do clube de Artes era um rapaz alto - tinha cerca de 1.80m - cabelo castanho médio e usava óculos redondos com haste fina. Seu nome era Na Sih-Jeong e tinha uma aura artística, ainda que se portasse de modo sério.




    - Normalmente cada um tem seu próprio material, mas já fui informado que haverá material disponível para quem não puder. - Ordens da diretoria que, aparentemente, tinha pensado nos bolsistas pelo menos naquele ano. - Acredito que não será um problema. Aqui está o formulário. Você também vai querer?- Olhou para Kang.

    Kang demorou meio segundo para entender que era com ele, por isso logo ergueu as mãos e meneou negativamente.

    - Não, não. Obrigado, só estou acompanhando.

    - Hm. Caso mude de ideia, basta entregar na secretaria até sexta-feira. - Entregou o formulário mesmo assim.

    Foi a vez de Kang se inscrever no clube de Informática. O capitão de Informática tinha uma expressão mais séria e introspectiva. Estava claramente desconfortável por ter que falar na frente das pessoas, mas precisava passar segurança. Seu nome era Lee HeeChul. Nesse instante, Jae-Ki se separou de Kang para ir até o estande de mecânica. De todos os capitães que ele tinha visto até aquele momento, o de mecânica parecia o mais confortável com tudo. Era um garoto despojado que tinha uma expressão legal, mas quando ficava sério vez ou outra, parecia um bad boy. Lembrava um pouco, de certo modo o chefe de Jae-Ki. Seu nome era Sang JaeHo.



    Para a grande surpresa de Jae-Ki, Kang estava diante do clube de dança. O amigo passava a mão no queixo até que finalmente se decidiu por se inscrever. A capitã ouviu o diálogo deles e deu uma risada diante da pergunta de Jae-Ki.

    - Tem muitos meninos no clube. Vocês não serão os únicos. O clube ensina vários estilos de dança, é importante pras apresentações.


    Parecia simpática, diferente das meninas que estavam torcendo o nariz para Jae-Ki. Talvez ela não tivesse visto o vídeo ainda. Seu nome era Kim Mi-Na. Esperou que os dois se inscrevessem e começava a ponderar que seria um ano um tanto quanto inusitado para aquele clube. Acenou para os dois e continuou fazendo seu papel.

    O trio novamente se uniu para partir. Jae-Ki tinha sido o único a pegar 3 clubes enquanto Kang ainda estava em dúvida quanto ao terceiro, mas tinha o formulário de artes consigo.

    - Eu não sei se pego mais um, gostei dos que me inscrevi. Não sou muito bom em esportes e nem gosto de discutir, gosto mais de agir mesmo. - Ponderou. - E tu?

    Esperaria Won-Bin falar. Enquanto começavam a se encaminhar para a saída do ginásio - visto que gastaram um bom tempo ali ponderando, aguardando e se inscrevendo, Jae-Ki sentiria um olhar sobre ele. Era um olhar conhecido, muito desejado, mas que agora se tornara um fardo.

    Eun-Bi estava na arquibancada com as amigas, observando o menino partir com certa resignação. Não tinha visto em quais clubes ele tinha se inscrito, mas o observava há algum tempo. A troca de olhares aconteceria apenas por alguns instantes porque logo uma das amigas dela - Bo-Mi - a alcançava na arquibancada e começava a dar pulinhos, comentando sobre algo.

    Kang estava falando há algum tempo sobre irem para o trabalho dele. Falava que não ficava longe, mas só tinham duas bicicletas.

    - Won, você pode carregar o Jae-Ki e eu levo a mochila dele? - Perguntou ao rapaz. - Você é mais forte, eu sou fraco, minhas pernas não vão aguentar...O que acha, Jae-Ki?

    [MISOO]


    O quarteto mais atrasado de WangJo foi praticamente o último a entrar no ginásio - com exceção de Mia que logo correu para seu posto no Clube de Atletismo. Felizmente, elas já estavam bem conscientes do que queriam. Pelo menos Bo-Mi e Eun-Bi estavam. As três foram recepcionadas por Kim Se-Jeong que parecia bastante animada por vê-las ali.




    Aparentemente, seu clube seria um sucesso mesmo. Era um dos mais requisitados, pelo menos. Eun-Bi gostava de Se-Jeong, as duas praticavam ballet juntas desde pequenas, ainda que a garota fosse mais velha. No ano passado, elas não dançaram juntas no colégio, mas fizeram algumas apresentações pela escola de dança. Se-Jeong era diferente das outras patricinhas, sendo mais good vibes. Não fazia parte do squad de Eun-Joo, mas tinha suas amigas aqui e ali.

    Em seguida, Bo-Mi se separou delas para ir até o clube de Rádio. À essa altura, todas já tinham se desencontrado de Jae-Ki e Won-Bin, pois chegaram um pouco mais tarde e eles muito cedo. Enquanto elas começavam, eles já estavam quase acabando. O capitão da Rádio era irmão mais velho de um dos meninos da sala delas, Dang Beom-Su. Não demorou para que Bo-Mi seguisse até música, se inscrevendo lá também. Já Eun-Bi e MiSoo iam para tênis. Do Jimin era a capitã do clube e a irmã mais velha de Taemin. Eun-Bi hesitou por um instante, respirando fundo antes de se aproximar completamente.

    Trocou um breve olhar com MiSoo, mas logo estavam diante da ocupada menina de cabelos loiros.

    - Cunhadinha! E você… - Olhou para MiSoo dando um sorriso um pouco afetado.

    MiSoo e Jimin tinham uma rivalidade dentro de quadras, principalmente nos campeonatos fora da escola. Afinal, MiSoo não se restringia ao clube do colégio e treinava fora também. Alguns campeonatos estavam registrados em seu quarto, fosse como foto, medalha ou trofeu. Hyemin também era uma adversária, mas Jimin era um problema.

    - Vocês vão se inscrever, hm? Vou falar com meu irmãozinho para que te dê umas aulas particulares.

    - Hehe...Não será necessário, Jimin-unnie. - Eun-Bi forçou um sorriso, mas não estava com humor.

    - Acho que sim. Depois do vídeo que eu vi, eu acho que você precisa mesmo de um guarda-costas. Que perigo. - Fez um beicinho preocupado.
    Eun-Bi puxou o ar com forças e se inscreveu logo naquela droga.

    - E você, MiSoo-ya? Pronta para ser a reserva?




    - Que excelente humor, Jimin...Realmente excelente. Vamos, MiSoo-ya.

    Puxou a amiga e seguiria com ela até o clube de Moda. Não pretendia se inscrever, mas já estava com os dois clubes que queria. Agora, contudo, começava a achar que tênis não tinha sido uma boa ideia. Jimin seria um problema.

    No clube de Moda, elas se depararam com aquela que era considerada a menina mais bonita da escola, a verdadeira rainha do terceiro ano. De fato, Han Sunyoung tinha uma aura de realeza. Seu rosto era perfeito, bem como sua postura. Além dela, também havia mais duas pessoas de sua família na escola: sua prima, Han Jin-Ri, do 2º ano e capitã do clube de literatura e seu irmão mais novo, Han Minhyuk capitão do clube de esgrima. Sunyoung observou com bastante atenção a chegada de MiSoo e não fez nenhum comentário quanto sua inscrição.

    Logo as duas estavam liberadas para seguirem até as arquibancadas. As amigas chegaram um pouco antes de Bo-Mi que ainda estava conversando com a capitã de música lá embaixo. De onde estava, Eun-Bi não demorou a encontrar Jae-Ki. De algum modo, o rapaz se destacava na multidão, pelo menos para ela. Os ombros dela caíram um pouco e abaixou o olhar antes de continuar a acompanhá-lo. Caso Jae-Ki a encarasse de volta, eles teriam um pouco tempo porque logo Bo-Mi pulou na frente dela.

    - Cheguei!! - Bateu palmas. - E adivinhem… - Foi arregalando os olhos. - Dei uma olhada nas pessoas que se inscreveram no clube de música. O Won-Bin está lá.

    - Sério?

    - Sim… - Disse ainda rindo e mexendo as pernas antes de se sentar ao lado de MiSoo.

    - Pois ele está indo embora agora…

    - Mwo?! - Arregalou os olhos, chegando a se levantar, mas logo estalou a lingua no céu da boca, dando de ombros e se sentando. - Sei onde ele estará amanhã. Não tem problema. E vocês? Que caras são essas?

    - Jimin.

    - Blééé… - Levou o dedo na garganta, forçando um vômito. - Que horrivel, hein?

    - Uhum…

    MiSoo indicava o proprio joelho, alarmando as duas amigas. Bo-Mi logo tratou de pegar um band-aid que carregava na mochila. Também havia uma garrafinha d’água já quente. Molhou o local com um paninho e assoprou antes de colocar o band-aid.

    - Que desastrada a MiSoo-ya! - Disse de modo carinhoso. - Agora ficará tudo bem.

    - Ainda bem que a Bo-Miya sempre traz seu kit de primeiros socorros.

    - Eu vivo me ralando também, gasto muito com band-aid. Inclusive, preciso comprar mais.

    Eun-Bi deu um meio sorriso para Bo-Mi e voltou a atenção para MiSoo, principalmente quando a amiga segurou sua mão. Eun-Bi suspirou e, automaticamente, olhou na direção que Jae-Ki já tinha partido. Meneou negativamente e colocou a mão por cima da dela.

    - Está tudo bem, MiSoo-ya. A culpada fui eu, mas acho que agora já estamos resolvidos, né? Só espero que isso não renda mais confusões depois.

    Bo-Mi fazia uma cara chateada pela situação, mas tentou esboçar um sorriso em solidariedade. A sugestao de MiSoo era bem vinda e não tardou para que Mia também chegasse até a base da arquibancada, mostrando os papeis pras amigas.

    - Obrigada por esperarem, meninas. Agora só preciso entregar na secretaria e podemos ir. O que planejam?

    - Almoço! Por conta da MiSoo - Eun-Bi se adiantou, parecendo mais animada.

    O ginásio continuava agitado porque as veteranas conversavam animadamente com as novas meninas. Bo-Mi achou aquilo estranho, mas logo deu de ombros e seguiu com as amigas, fugindo da confusão que se iniciaria muito em breve.

    [HYUN-HEE]

    Hyun-Hee passava por uma situação bastante complicada. Estar de volta parecia trazer mais problemas do que vantagens. Tinha passado menos de 6 horas naquele ambiente e já estava a ponto de explodir - com tudo e, principalmente, com todos. Pelo menos agora ele encontrou paz, sem ter o caminho cruzado com mais ninguém.

    Mal sabia ele que os maiores estragos já tinham sido feito. Sim, porque a história que Eun-Joo tinha contado para Yerin e Hyemin tinha deixado as duas com os olhos e ouvidos bem atentos. Para piorar, Hyun ficaria na mesma sala de Yerin. Apesar dela ser mais nova, ele acabaria entendendo, cedo ou tarde, porque ela tinha aquela alcunha. Ninguém gostava de ter Yerin como inimiga, pois ela era implacável com quem não gostava.

    E, por enquanto, ela não gostava das atitudes de Hyun.

    Quando Hyun olhasse para o broche de joaninha, veria que ela estava amassada. O aro redondo dela estava retorcido. Dava para consertar, mas a imagem estava um pouco estragada. Hyun tinha descontado a sua fúria na pobre joaninha e a dona dela estava realmente triste por ter perdido aquele objeto tão...simples, mas tão precioso para ela.

    Como Hyun geralmente fugia de sua culpa, ele logo começaria a pensar em outras coisas. Caso procurasse pela jaqueta - antes ou depois do ginásio - ele a encontraria com a diretora assistente, numa espécie de “achados e perdidos”.

    Já no ginásio, o primeiro clube que ele seguia, era o de Culinária. A capitã daquele clube era uma menina do 2º ano que tinha estudado com Hyun no passado. A garota era muito bonita, uma das “aegyo” da escola. Sua expressão estava tranquila, mas assim que Hyun se aproximou, ela o encarou um tanto quanto surpresa.




    Im Yuha apenas meneou positivamente quando ele fez o aceno. Engoliu em seco e o viu se retirando, dando um suspiro. O oppa realmente tinha virado um badboy! E agora estaria em seu clube! Precisava avisar às meninas, por isso logo mandou uma mensagem no grupo.
    No clube de mecânica, a surpresa não foi diferente. O lider também já tinha estudado com Hyun Hee antes. Não eram melhores amigos na época, mas era estranho para Sang Jae-Ho lidar com esse novo Hyun.

    - Talvez. - Respondeu de modo direto também. - Provavelmente sim, depende do quanto você vai avançar nas reuniões e do cronograma do professor.

    Entregou o formulário para que ele se inscrevesse e continuou com aquela postura séria e distante que o próprio Hyun estava direcionando no momento. Meneou positivamente numa espécie de saudação quando ele se retirou e coçou a nuca, se perguntando o que diabos aquele ano reservaria a eles.

    Já no clube de hipismo, a capitã não estava sozinha. No exato momento em que Hyun chegou, Kwon Hyejeong estava conversando com ninguém menos que Oh Yerin. As duas pararam o que estavam fazendo e voltaram a atenção para Hyun. Hyejeong deu um sorriso enquanto Yerin olhava daquele modo congelante que lhe era comum.

    - Quanto tempo, Hyun-Oppa. - Hyejeong também era do segundo ano e estudou com Hyun. - Fico num misto de surpresa e felicidade por você entrar no clube. Seja bem-vindo.




    Yerin não podia dizer o mesmo e continuou a encará-lo. Hyun podia perceber que a garota era diferente das outras que ele tinha encontrado até então. De modo algum aceitaria as grosserias que ele tinha feito até então. E não parecia intimidada com a presença dele, fixando o olhar de modo quase incômodo.

    Parecia que aqueles olhos escuros conseguiam ver a alma de Hyun.




    Aquela sensação duraria até que ele partisse. Uma vez que desse 12h, ele era livre, assim como os outros alunos, para partir dali.

    [DONG]


    Apesar da desagradável cena que Dong presenciara entre Stella e Hayoung, os novos alunos que ele conhecia se mostravam bastante legais de conversar. Kim se empolgou com a conversa sobre Persona e, em dado momento, comentou que os jogos o ajudaram a aprender japonês.

    - Morei 4 anos lá e foi bastante repentino. Eu era pequeno e tive poucos meses para me adaptar antes das aulas começarem. Os jogos ajudaram bastante.

    Sorriu ao se lembrar daquela época. Tinha sido difícil, mas pelo menos valeu a pena. Ha Neul e Ui-Jin também se interessaram pela conversa e as meninas ficaram meio de fora. Não era preconceito, nem nada, mas quando geeks se empolgam com jogo, nem o perfume feminino mais gostoso tira o foco deles. Durante a conversa, Dong ainda reparou no trio que não parava de mexer nas máquinas. Ele olharia bem na hora que um dos garotos quase vomitou o chá que tinha acabado de beber (Kang), mas optou por não se aproximar nem demonstrar muito interesse.

    O intervalo tinha chegado ao fim e o grupo se dissipou um pouco. Pelo menos a parte de Sunny e Kim, visto que os amigos de Dong tinham interesses semelhantes. Ha Neul se despediu porque precisava ficar lá no bloco do xadrez. Era quase uma cena cômica, pois ele tinha acabado de se afastar das prováveis únicas pessoas que pediriam uma vaga no clube.

    Seu pensamento logo se provou errado quando uma menina se aproximou. Ha Neul nunca a tinha visto antes e imaginou que fosse uma bolsista. A mão no peito chegou a tremer, ainda mais porque ela era pequenina e tinha uma cara de invocada.

    - Oh meu Deus… - Disse para si mesmo. - Ela está vindo pra cá? - Continuou falando consigo mesmo.

    Só teve tempo de passar a mão pelo cabelo até ela se aproximar. A menina era bastante determinada e logo assinou a inscrição depois de uma apresentação muito breve. Seu nome era Ah Sejeong.




    Enquanto isso, Dong ia até a área de informática. O capitão do time era um menino do 3º ano. Tinha uma expressão séria e parecia desconfortável por ter que lidar com pessoas. Contudo, ele foi bastante polido e até mesmo gentil, mesmo que Dong fosse mais novo. Lee HeeChul desejou boas-vindas a Dong e seus amigos, esperando vê-los em breve nas aulas.




    Dong tinha encontrado com Min-Ho no meio do caminho e seguiu junto dele e Ui-Jin até o clube de xadrez. Ha Neul estava distraído demais para ver a chegada do amigo e só acordou quando Ui-Jin pigarreou quase que no ouvido dele.

    - AISHAA! Quer me matar?! - Levou a mão ao peito. - Oh, vocês vieram, bem-vindos, amigos.

    Ouviu a pergunta de Dong e deu um sorriso que foi crescendo e se transformando quase que psicopata.

    - Meu caro amigo Dong, nós JÁ TEMOS uma menina bonita. Bonita não, linda, no clube. - Pegou o papel dela e exibiu para Dong. - Veja essa letra que bem desenhada e perfeita. Ah Sejeong, anotem. Ela será minha esposa.

    - Como é que vou falar check-mate agora, Ha Neul?! Você é muito egoísta.

    - Ui-Jin, não se faça de rogado! Você em seu silencio, foi capaz de atrair aquela beleza coreana até nós. Continue assim que eu falo check-mate por você.

    - Aish.. - Ui-Jin bateu a mão na testa.

    - Você se inscreveu em culinaria?

    - Estou pensando. E você?

    - Não, me inscrevi em dança.

    Ui-Jin riscou demais nesse momento, vendo que tinha borrado o papel. Olhou para o papel, olhou para o amigo.

    - Como é?

    - Dança...Quer outra folha?

    Os ombros de Ui-Jin começaram a tremer até que ele não conseguiu mais se conter e começou a rir. Primeiro de modo discreto, mas começou a ser crescente, a ponto dos óculos embaçarem com as lagriminhas.

    - É serio isso? - Perguntou sério.

    - É, ué!

    Ui-Jin começou a rir de novo, esfregando os dedos por debaixo dos óculos.

    -  Não tô entendendo o motivo da graça!- Ha Neul resmungou.

    - Desculpa, desculpa… - Fungou. - Parei.

    Massageou as bochechas para pararem de doer, mas se alguém mencionasse a palavra “dança”, ele ia rir de novo e talvez não fosse capaz de parar.

    Nenhum dos três pediam muitas explicações para Min-Ho agora que estavam juntos. Eles conversavam sobre amenidades e os clubes em si quando Dong reparou que Stella estava indo embora sozinha. A garota nem ao menos olhou para trás, preferindo olhar para o relógio. Já eram 12h, portanto, os alunos estavam liberados para irem. Ha Neul precisava entregar o papel na secretaria e poderia encontrá-los depois.

    - O que vocês vão fazer? - Ui-Jin perguntou. - Não queria ir pra casa agora, minhas irmãs devem estar tocando o terror. Vamos andar no shopping, ver umas hqs novas...por favor?

    - Eu tenho compromisso. - Min-Ho disse. - Mas se quiserem ir amanhã…

    - Vamos hoje e amanhã, que tal?

    - Tudo bem. Bom, vou indo.

    Min-Ho se despediu. Ui-Jin ficou esperando pela decisão de Dong. Caso eles fossem embora, ainda seriam capazes de encontrar Stella nos portões, esperando pelo carro.

    [HYE MIN]

    Dessa vez, a família Wang não parou para falar com Hyemin. Já tinham falado antes e tinham tempo para irem embora. Contudo, In Hwa destinou um discreto sorriso para a menina - que teria um valor de um prêmio, muito provavelmente. Não demorou para que Hyemin deitasse a cabeça no ombro de Yerin, super suspirante. Yerin a olhou de banda e deu um tapinha suave em sua cabeça.

    - É facil descobrir. - A amiga falou. - É só ver o anuário dele e saber quais clubes ele participou. Talvez tenha alguma foto dele nas prateleiras do Bloco A - o mesmo bloco onde Hyun vira a foto de seus pais.

    As amigas se separaram porque faziam clubes completamente diferentes. Isso era um ponto incomum na relação de Hyemin com Yerin: elas não precisavam fazer tudo junto para estarem juntas. Cada uma tinha seus gostos e interesses, de modo que, ainda que fosse mais divertido as duas fazerem juntas, agir de modo independente não era ruim. Assim elas tinham mais assunto quando se viam de novo.

    A primeira pausa de Hyemin foi no clube de tênis. Chegou antes de Eun-Bi e MiSoo que eram um pouco atrasadas. Jimin voltou a atenção para a menina e o elogio logo a seduziu de modo que ela deu um sorriso, mexendo no cabelo.




    - Ah, você acha? Obrigada! Minha família tem dessas, né? Tudo pelo clã, mas ficamos bonitos mesmo. - Tambem incluía os irmãos nessa história. Afinal, eles eram uma escadinha. - Sejam bem-vindas, Hyemin e Hayoung.

    Diferente de Yerin, Hayoung acompanhava Hyemin em quase tudo. Elas faziam tênis e culinária, mas Hayoung também fazia parte do clube de teatro. Por conta disso, as duas foram juntas até culinária. Im Yuha as recepcionou com um doce sorriso e aceitou a presença das duas no clube.




    O único momento em que Hyemin ficou completamente sozinha foi na caminhada até o clube de moda. Lá, ela encarou Han Sunyoung, a verdadeira rainha. A garota do 3º ano olhou para Hyemin a analisando da cabeça aos pés com a sobrancelha meio arqueada, enquanto se lembrava quem era ela Quando se recordou, desmontou a postura e sorriu.




    - Muito obrigada. É uma grande gentileza de sua parte, Hyemin. Seja bem-vinda. Será um prazer tê-la conosco.

    Também reverenciou em resposta e observou a saída da menina. Quando Hyemin se aproximou de Yerin, no clube de hipismo, Hyun-Hee tinha acabado de sair. Yerin olhou para a amiga e não demorou a contar a novidade.

    - Parece que teremos um novo cavaleiro no colégio. Estou ansiosa para ver se ele cai do cavalo.

    Comentou enquanto olhava as costas de Hyun, já bem distante de onde elas estavam

    [SUNNY]

    Chae suspirou um pouco chateada, mas a ideia de Sunny não era de todo ruim. Talvez ela fosse mesmo nos achados e perdidos no dia seguinte. A esperança era a última que morria, né? Precisava acreditar que sim.

    No ginásio, o grupo de Sunny se separou do de Dong. Provavelmente só se veriam de novo no dia seguinte, mas tinha sido uma boa troca. Ou pelo menos interessante. Lee Hi contou para Chae o que tinha acontecido, o que a menina chamada Stella tinha dito. A garota ficou chocada.

    - E vocês vão nisso?

    - Não sei… - Respondeu com sinceridade.

    - Não, gente! Pra que?

    - Não sei mesmo, Chae…- Suspirou.

    Sunny tinha outra coisa em mente no momento. O primeiro clube que ela encontrou, seria recepcionada pela capitã Min-Lim que teve a paciencia de explicar e tirar as dúvidas da menina. Tinha sido bastante simpática, ainda que sua presença pudesse impactar num primeiro momento.

    O mesmo não podia ser dito do clube de literatura, visto que a capitã já tinha uma expressão de poucos amigos. Olhou para Sunny da cabeça aos pés e suspirou um pouco aborrecida. Han Jin-Ri forçou um sorriso e disse que não era difícil de entender o que um clube de literatura fazia, estudavam os clássicos, criavam textos, faziam saraus. Caso Sunny não estivesse acostumada com isso, logo se acostumaria.

    Ou não.




    A surpresa mesmo e toda a cortesia ficou por conta do Grêmio. Wang Myung-Hee sabia ser extremamente cortês, ainda mais porque o colégio carregava o nome de sua família. Ele era o herdeiro que ainda estudava ali, um verdadeiro rei.




    Tiraria as dúvidas de Sunny, mas ela logo seria surpreendida por uma sombra atrás dela. Não era por mal ou perseguição, mas Jung Mi também se interessava pelo grêmio. Quando olhasse para trás, ela veria o rosto de Jung Mi olhando para os painéis até que a encarasse de novo. Dessa vez, ele não desviou o olhar dela. Engoliu em seco e disse.

    - Será que podemos conversar depois? Talvez mais tarde ou eu passo mais tarde lá?




    Independente da resposta de Sunny, o passo seguinte dele seria se inscrever no Grêmio Estudantil - para o desespero da menina, pois ela tinha acabado de assinar sua inscrição e não tinha como voltar atrás.

    Quando Sunny saísse e se encontrasse com os amigos de novo, ela já estava cheia de coragem e logo revelou para Lee Hi que iriam até a “festa”. Lee-Hi se sentia acuada, sem saber o que fazer. Chae franziu as sobrancelhas e Kim passou a mão no queixo.

    - Eu nao iria mesmo, se fosse vocês. Bom, eu já não vou porque tenho compromisso e não posso ficar. Mas...Qualquer coisa, vocês me mandam mensagem ou conversamos amanhã, hm?

    - Pois eu estarei com vocês. Se antes já ia esperá-las, agora eu não saio mais de perto. - Kim cruzou os braços.

    - Você é um bom amigo. - Chae sorriu para eles e o celular dela começou a tocar. - Oh, minha mãe. - Mostrou a tela e, de fato, estava escrito “mommy”. - Tchau, gente, nos falamos amanhã.

    Acenou para o grupo e atendeu o celular já seguindo na direção da saída.
    Persephone
    Moderador
    avatar
    Moderador

    Mensagens : 729
    Reputação : 376

    Re: Capítulo 1

    Mensagem por Persephone em Seg Out 23, 2017 3:00 am

    [HYUN-HEE]

    12:00 P.M


    Hyun Hee estava livre para partir. Havia uma certa agitação no colégio, porque as meninas mais antigas estavam rindo e andando de braços dados enquanto guiavam outras até um lado específico da quadra. Ele logo poderia lembrar da história que ouviu no corredor, logo após seu choro compulsivo ao ver as fotos dos pais.

    Porém, não havia nada que ele pudesse - ou talvez quisesse - fazer no momento. O caminho até a moto estava livre ou assim ele achou. Não demorou para que ele visse a "joaninha" andando apressadamente ao telefone. Ela parou de falar quando viu um carro de luxo, todo preto e com vidros também preto. Sorriu e entrou, sem mais delongas, partindo dali na companhia de alguém no banco de trás. Não deu para Hyun ver.

    O que Hyun viu, de fato, foi quem estava do outro lado.

    A escola podia ser grande, mas cedo ou tarde, eles acabariam se encontrando. O carro de Char partiu, dando aquela volta no chafariz central e, do outro lado do chafariz, estava ninguém mais, ninguém menos do que Jung Mi. O irmão estava na companhia de dois meninos - Ryu e Gyu-Sik - olhando para um bonsai que estava em suas mãos. Ele deu um meio sorriso e ergueu a cabeça, finalmente avistando Hyun-Hee. O sorriso dele foi morrendo pouco a pouco, à medida em que reconhecia o irmão do outro lado, montando na moto. A expressão de Jung ficou fechada e ele deu um suspiro fechado, desviando o olhar.

    Hyun tinha a opção de partir para onde se sentisse mais à vontade ou ficar e enfrentar o primeiro desafio por vontade própria. Afinal, diferente de Eun-Joo ou até mesmo de Chaeyoung, Jung Mi não procurou por ele.

    Os dois apenas se encontraram.

    Depois de quase 2 anos sem contato.

    [DONG, MISOO, JAE-KI E WON]

    12:05 P.M.
    (Dong)

    Dong não tinha mais o que fazer no colégio. Depois de esperar por Ha Neul, eles decidiram por ir embora. O rapaz tinha a opção de ir para casa ou atender ao pedido de Ui-Jin para que ficassem um tempo fora. Qualquer que fosse o caso, eles não chamaram por nenhum motorista ou coisa do tipo. Teriam que descer aquela rampa para que fossem pegar um UBER ou Táxi na rua mesmo.

    Min-Ho tinha partido primeiro, sobrando apenas Dong, Ha Neul e Ui-Jin. Apesar de Dong ser uma pessoa que se importava com os demais, o clima ficava muito melhor assim. Não dava para entender porque Min-Ho andava tão chato - na falta de um adjetivo menos agressivo. Mas a companhia dele começava a incomodar. Ao invés dele gastar o tempo com os amigos, se divertindo, preferia ficar agindo como um preconceituoso, o que não era de todo legal. Muito pelo contrário.

    Quando o trio chegou até os portões do colégio, depois da longa descida, viram Min-Ho partindo - ele não tinha saído muito tempo antes deles, por isso foi possível ver. Também veriam Stella de costas, com fones de ouvido. Olhou para o relógio um pouco impaciente enquanto aguardava o carro chegar. Não queria mesmo ser pega ali por aquelas meninas, por isso tinha se adiantado e nem esperou lá em cima, preferindo ficar na porta do colégio.

    Tinha uma expressão bastante chateada e segurou as mãos da mochila com as duas mãos, soltando um suspiro enquanto olhava para baixo.

    [...]

    12:30 P.M
    (MiSoo)


    O motorista da família Choi já estava de prontidão na frente do colégio, à espera de Eun-Bi. Era um conforto que, muitas vezes, se transformava num incômodo. Eun-Bi preferia ir com suas amigas de outra forma, mas não ia discutir ou abrir mão do conforto do carro para ir até o restaurante. Gyu-Sik tinha visto a irmã partir, mas não era de todo estranho se separarem assim. No fim, ele também tinha decidido almoçar com seus amigos.

    Às 12:30, o carro parou diante do restaurante escolhido por MiSoo. Era uma rua movimentada, com várias lojas em vielas menores. O lugar perfeito para que pudessem aproveitar a comida e ter um tempo de diversão. Como MiSoo tinha convidado, ela também escolheria o local.

    Só de terem saído do colégio, os ânimos pareciam melhores, quase como se o WangJo, longe daquele paraíso que prometia ser, fosse um verdadeiro pesadelo. Isso porque elas nem eram as mais perseguidas. As meninas mal podiam imaginar o que estava acontecendo nesse exato momento por lá. Bom, pelo menos não imaginariam ainda.

    Logo, logo receberiam um vídeo.

    [...]

    12:45 P.M
    (Jae-Ki e Won)


    A bicicleta facilitava a vida, não pegava tanto trânsito, mas cobrava uma atenção redobrada. Isso e o fato de terem um passageiro a mais na garupa. Kang estava guiando a bicicleta logo à frente, porque, afinal, quem sabia o caminho era ele. O trio dividido em duas bicicletas cortou o trânsito e se aproveitou de pequenos engarrafamentos para tomarem a dianteira.

    Demoraria um pouco, mas logo chegariam até o local de trabalho do amigo. A loja de conveniências que Kang trabalhava ficava dentro de um condomínio de luxo. Ele e os amigos passaram depois de receberam a autorização, porque Kang já era conhecido e disse que os amigos iam deixar currículo - uma pequena mentira que não estava longe de ser uma verdade. A loja ficava na esquina de uma cafeteria.

    Aquele condominio parecia uma mini-cidade. Várias mansões estavam erguidas ali e os moradores demandavam os pequenos luxos. Havia um comercio interessante no que seria a "praça central". Na praça havia uns banquinhos com um playground bem equipado para as crianças e, ao redor dela: cafeteria, farmárcia, loja de conveniências e banheiro publico. Proxima a ela, havia quadra de tênis, quadra de vôlei, um lago artificial do condominio e uma pista de corrida que dividia espaço com os pedestres e os carros que transitavam ali.

    Kang prendeu a bicicleta e respirou meio ofegante.

    - Legal, né? Pior que nem é o condominio mais caro daqui. - Olhou meio espantado para os amigos e indicou o caminho.

    A loja tinha uma área externa com mesas cobertas por guarda-sol. Como ainda não estava em seu expediente, ele entrou pra fazer a compra e ficou do lado de fora. Para si, comprou um ramen apimentado, leite de banana, bolinho de arroz e um sorvete. Se era para pecar, que pecassem direito! Esperaria os dois escolherem para pagar. Provavelmente perderia todo o dinheiro daquele dia nessa farta refeição, mas sentia que tinha ganhado muito mais do que qualquer salário podia pagar.

    Quando sentassem nos banquinhos de fora, podiam ver que a cafeteria estava contratando gente para meio período


    [HYEMIN E SUNNY]

    12:10 P.M


    Sunny tinha sido bastante ousada em sua escolha. Mesmo quando tinha a opção de ir embora, ela preferiu ficar e enfrentar aquela situação de frente. Não era como se ela pudesse fazer muita coisa, afinal, estava numa verdadeira sinuca de bico. Stella disse que se ela não fosse, haveria retaliação depois. E não disse isso como uma ameaça, mas sim como alguém que já tinha sofrido esse tipo de humilhação antes.

    Por quantas vezes?

    Fato era que quando o ginásio foi "fechado" e os clubes começaram a se recolher, as veteranas começaram a chamar pelas meninas novas. Todas pareciam muito animadas e felizes, mas Sunny podia perceber que outras pessoas olhavam aqui com certa desconfiança. Nem todas as meninas tinham sido chamadas, afinal.

    Hyemin já estava em seu lugar privilegiado àquela altura. Yerin poupou a amiga de qualquer convocação e já tinha deixado claor que a única coisa que precisaria fazer seria dar uma lição na PET. Ainda que aquelas duas novatas (Sunny e Lee Hi) fossem, Hayoung precisava entender seu lugar. Caso elas não fossem, Hayoung levaria as ovadas por ela. No caso de irem, caberia à Hyemin escolher a melhor form de disciplina-la. E tinha que ser algo que ela sentisse "na pele" e não apenas uma retaliação verbal.

    Segundo Yerin, as pessoas só aprendiam quando doía mesmo.

    As meninas foram guiadas até o evento, mas dava para perceber que algumas não estavam presentes. Jimin, Hyejeong, Eun-Na e Mi-Ran pareciam ter um prazer extra em arrumar aquelas meninas. Elas falavam, eram amigáveis, riam e batiam palmas bem felizes. Yewon já estava posicionada ao lado de Yerin.

    - Pena que nem todas estão aqui.. - Jimin comentou, vendo que faltavam algumas.

    - É, realmente uma pena. Tentei fazer as pazes com Stella, mas, pelo visto, ela fez uma desfeita. - Eun-Na emendou. - É realmente uma pena.

    Yerin e Hyemin ouviu aquela conversa e já entendiam o que aquilo significava. Hyejeong e Mi-Ran posicionavam as meninas. Uma mesa tinha sido colocada ali e estava mesmo enfeitada para os parabens. Havia uma toalha bem fofa e balões fixos ao chão que voavam até a altura máxima da linha. Três rapazes começaram a se aproximar, carregando caixas pesadas. Dois precisavam carregar uma e ouviam.

    - Cuidado! Cuidado com esse bolo, Yang! - Jimin ordenava. - Taemin, deixa aqui. - Mandou o irmão deixar a outra caixa perto delas. - Ótimo, estão dispensados.

    Quando disse isso, os meninos reverenciaram as garotas e saíram dali, sem mais delongas. Logo a aniversariante, Eun-Joo chegou acompanhada por Han Sunyoung e uma outra garota do 3º ano.

    - E com vocês, a aniversariante!! - Anunciou Eun-Na. - Parabéns, unnie!! Espero que goste da sua festa!

    - Ooh...- Eun-Joo levou as duas mãos até os lábios. - Isso tudo pra mim? Obrigada, meninas! Olá, novas meninas...- Acenou. - Fico feliz que tenham vindo. Own, vocês são as melhores amigas do mundo.

    Correu para os braços de Jimin, Hyejeong e Yuha. Jin-Ri, a capitã de literatura, logo chegou um pouco apressada. Olhou com certa expectativa, perguntando se tinha perdido alguma coisa, mas viu que estava no horário certo.

    - Bom, se vocês me permitem, eu tenho algo a dizer antes... - Eun-Joo umedeceu os lábios. - Nós, alunas do WangJo fomos pegas de surpresas pela chegada de vocês. Não esperávamos mudanças tão bruscas, mas tudo se ajeita, não é mesmo? Minhas amigas prepararam esse momento para mim, mas...na verdade...Esse momento é de vocês também.

    Com um sorriso no canto dos lábios, ela se aproximou da caixa maior que tinha toda a pinta de ser um bolo. Fez sinal e chamou as amigas para perto. As meninas levantaram a caixa e derrubaram para a frente, apenas então permitindo que as meninas vissem o que tinha ali. O cheiro não era dos mais agradáveis, a caixa só estava contendo. Tinha ovo podre, tomate, tangerina, farinha, amoras, framboesa, até mesmo...peixe. Eun-Joo olhou para elas e sorriu.

    - É o momento de vocês....- Os olhos foram ficando maldosos. - Aprenderem os lugares de vocês. De uma vez por todas.

    Antes que as bolsistas e alunas vítimas de bullying, pudessem reagir ou correr, elas receberam o primeiro ataque. Havia duas caixas ali: a que Yang e um outro menino colocaram em cima da mesa e a caixa que foi deixada com Jimin. A caixa que foi deixada com ela continha bolas cheias de tinta, prontas para uma guerra de "bola d'água". Seria uma brincadeira saudável, se não tivesse um intuito cruel. As bolsistas foram colocadas, estrategicamente contra a parede, com pouco espaço para fugirem. Era quase que um paredão de fuzilamento.

    Enquanto Eun-Joo falava, as primeiras meninas pegavam as bolas com tinta e começavam a arremessar. O splash foi alto quando bateu na barriga de uma delas e acabou sujando as outras. Era uma tinta amarela. Em seguida, veio mais uma bola com tinta branca. No meio daquela confusão, elas logo começariam a receber ovadas, tomates, frutas vermelhas que manchava. Fora a farinha que seria o toque final. As risadas maldosas das veteranas faziam o corpo junto dos sons de objetos batendo nas meninas.

    Sunny tinha escolhido ir por livre e espontanea vontade e agora passava por uma humilhação pública que era capaz de deixar tudo...em...câmera...lenta. Uma tontura começaria a tomar conta dela, junto da sensação de falta de ar. Ela foi acertada por ovos e tintas junto de Lee Hi que gritava enquanto tentava se encolher. No meio daquela confusão toda, ela poderia ver que algumas meninas não se mexiam - o que acabava sendo ainda pior - porque elas encaravam com desdem. Algumas outras tacavam com ódio, prontas para machucarem e havia aquelas que estavam só pela diversão mesmo.

    Hyemin estava entre as que ficavam paradas. Hayoung começou a respirar de modo ofegante, com os olhos marejando. Yerin apreciava a cena, apostando que algumas estavam prestes a desmaiar. Yuha não participava porque estava filmando o momento. Hayoung queria dar meia volta e sair dali, mas Yerin colocou o braço.

    - Você fica e olha pra lá. Está vendo aquelas perdedoras? - Nem ao menos olhava para Hayoung. - Seriam suas amigas se não fosse por Hyemin. Fica aí. E olha bem o que acontece com quem não anda na linha.

    O queixo de Hayoung começou a tremer, mas ela se obrigou a olhar enquanto chorava. Yuha estava filmando, mas não parecia gostar do que via. Chegou a franzir um pouco as sobrancelhas e menear negativamente. Outra que não se movia e apenas observava era Han Sunyoung. Todas as outras tacavam coisas, rindo e tocando o terror.

    Sunny começaria a ver aquelas caras perfeitas de modo distorcido. Quando estivesse a ponto de cair, ela veria um tecido azul marinho se posicionando na frente.

    - YA!!!

    Era a voz de Kim que parecia bastante irritado.

    - O QUE VOCÊS PENSAM QUE ESTÃO FAZENDO?!

    - Você de novo? - Yewon parou com um tomate na mão e suspirou.

    - Você tem 2 segundos para sair daí. Você não é problema nosso, garoto. Estamos ensinando uma lição para essas pedintes. - Jimin disse.

    - Não saio. Não saio. - Repetiu para Sunny e Lee Hi logo atrás dele. - Chega disso.

    As envolvidas:

    As envolvidas:

    Quem só olhou:



    Quem bateu:



    Quem apanhou:





    Considerações Finais:

    Hyun > tem a opção de enfrentar o irmão ou ir embora. Caso vá embora, diga para onde foi e descreva o que fez.

    MiSoo > Como foi ela quem chamou, ela escolhe o tipo de comida que vão comer. Dei um lugar genérico para que possam fazer outra coisa depois, caso queiram

    Dong > tem a opção de ir pra casa ou sair com os amigos. No caso de sair, descrever a loja que foram e o que planejam fazer
    Luxi
    Moderador
    avatar
    Moderador

    Mensagens : 1485
    Reputação : 390
    Conquistas :
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/311.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1411.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1012.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/912.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/212.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1811.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1413.png

    Re: Capítulo 1

    Mensagem por Luxi em Seg Out 23, 2017 9:16 am


    Hyemin ficou automaticamente animada com a ideia de procurar as fotos de Miwoo no anuário depois. Aproveitaria para futricar mais detalhes sobre ele além dos clubes. Era por isso também que gostava tanto de sua amiga!

    - Ah, Rin! Você é tão esperta. Que ótima ideia! - comemorou ansiosa antes de sair para os clubes.

    Ser aceita pelas veteranas era um grande privilégio. A garota ficava genuinamente um pouco nervosa na frente delas, mas sempre tratava com o máximo de respeito. Admirava de verdade cada uma daquelas garotas bonitas e gostaria de ser como elas no ano seguinte, inspirando a mesma admiração em suas dongsaeng. Voltou saltitante para esperar a amiga e ficou surpresa ao ver Hyun Hee no clube de hipismo. Agora o reconhecia totalmente e sentia um peso no coração por ver a transformação de seu oppa. Enquanto se decidia se deveria ir até ali para conversar com ele agora mesmo ou não, Yerin voltou com a informação de que teriam um “novo cavaleiro”. Tapou a boca.

    - O quê, sério!? - teve até que olhar de novo em direção à mesinha do clube. - Você o viu de perto. Tem certeza mesmo de que era ele? Uau…   - fez um beicinho desanimado. Aquelas costas um dia lhe causaram admiração, mas agora eram um muro de incertezas.

    Sabia que em seu próximo encontro teriam uma longa conversa. Isso se tivesse coragem de confrontar um garoto mais velho, mas pelo bem de Eunjoo, e até mesmo de Jung Mi e ela mesma, teria que fazer isso cedo ou tarde.

    - De qualquer forma, ficou animada com os clubes? Todas me receberam bem. Fiquei muito feliz! - sorriu, mudando de assunto.

    (...)

    O horário da festa se aproximava. Hyemin aguardou na arquibancada temporariamente, brincando com seu celular enquanto as demais organizavam o local. Mandou que Hayoung ficasse a seu lado e até interagiu com ela dessa vez: pediu que enviasse estrelas do joguinho de celular para que ela completasse uma fase. O jogo em questão não era nenhum tipo de título que faria Ui-Jin suspirar de orgulho. Estava mais para um Tetris com layout de carinhas de bichos na terra dos doces, puramente para passar tempo.

    Para ela, o clima era o mesmo que antecedia uma viagem empolgante ou um filme. Não captava um pingo de tensão, pois ela deixava todas as preocupações organizacionais para Yerin, que a tinha acostumado a ser poupada da maior parte das tramas internas daquela escola. Nem mesmo se preocupava com a ausência óbvia de algumas garotas. As meninas mais velhas dariam um jeito nisso. Quanto as novatas, a culpa seria de Hayoung, então só precisava relaxar e brincar por enquanto.

    Quando as primeiras convidadas começaram a chegar, guardou o celular e deixou a mochila ali no canto, caminhando para o lado vazio da melhor amiga. Hyemin sorria com a empolgação de todos, olhando a decoração bonita, e às vezes batia palmas também, entrando no clima de festa.

    Descobriu as bolsistas odiosas que estavam na fila e até sorriu, um pouco satisfeita, olhando de canto para Hayoung.

    - Que bom que elas vieram, não é, Pika-pi? (*barulho que o Pikachu faz =x).

    Isso não significava que a menina estava livre de punição, mas já tirava metade de sua raiva sobre o ocorrido. Não sabia ainda como ou quando a disciplinaria, mas pensava que seria bom se fosse lá pelo final do evento. Ainda estava pensando sobre isso.

    Ouviu sobre Stella e balançou a cabeça negativamente. A estrangeira era mesmo muito burra. Por que não podia simplesmente tentar se enturmar? Será que não entendia que não adiantava nada ir contra EuNa e as outras? Ainda mais um aniversário! Não tinha entendido que não era uma opção faltar? Era por isso que apanhava, porque era rebelde ou muito tonta. Sentia até um pouquinho de pena, porque a vingança da garotas seria forte. Definitivamente não queria estar em sua pele e desagradá-las. De qualquer forma, não era problema seu. Não era difícil de adivinhar que seria recriminada se faltasse, então tinha sido uma escolha consciente da menina.

    Fez uma reverência quando os rapazes chegaram. Às vezes sentia um pouco de inveja de Jimin. Queria ter um irmão que a fizesse companhia e fizesse coisas como defendê-la de pessoas desagradáveis ou carregar as sacolas de shopping para ela, mas para essa última tarefa tinha a Hayoung… que infelizmente era uma inútil. Mesmo assim, podia considerar Yerin sua irmã mais velha. Já estava muito bom!

    A garota bateu palmas com entusiasmo quando a rainha do segundo ano foi anunciada e achou muito fofinho quando ela abraçou suas amigas e deu uma leve cutucadinha em Yerin em um gesto de carinho, reconhecendo nas meninas do segundo ano seu próprio grupinho de amigas. Estava muito satisfeita de ver Eunjoo sorrindo novamente.

    Parecia uma criança em uma festa de aniversário de verdade, mas quando sentiu o cheiro da caixa, torceu o nariz. Alguém tinha usado alguns ingredientes estragados para aquele bolo. Era melhor avisar as garotas e…

    Seus lábios se tornaram um “o” surpreso, ainda mais com o discurso poderoso da aniversariante. Olhou para os alvos. Seu coração sofreu um pequeno choque de ansiedade. De todas as pegadinhas possíveis, Hyemin nunca pensaria em elaborar algo tão complexo daquele jeito.

    Tudo bem que gostava de uma piadinha engraçada, como jogar água ou farinha, mas tudo isso junto? Era outro nível. Tinta, frutas vermelhas, peixe, ovos… tudo aquilo impregnaria de um jeito nos uniformes que seria quase impossível de lavar. Inicialmente, achou a ideia ótima. Era mesmo engenhoso e impressionante, mas a prática logo a fez entreabrir os lábios, chocada com as bexigas explodindo no corpo daquelas meninas acuadas.

    Será que aquilo machucava? Porque algumas meninas mostravam que sim. Os gritos  ecoavam na quadra e o cheiro se espalhava em todo o lugar. Seu coração batia forte, mas ela não se mexia.Encontrou a passarinha (Sunny) no meio do grupo. Estava murchando com os ataques, como um filhote, muito diferente de seu jeito irritante na fila. Bem feito. Quem mandou ter a boca grande?

    Mesmo assim, o entretenimento oscilava e de repente ela começou a achar que a diversidade dos itens jogados sobre elas parecia não ter fim, assim como os choros e gritos das meninas que já estavam imundas.

    Ainda era engraçado? Moveu o rosto mecanicamente para o lado, espiando a expressão de Yerin, que mantinha a compostura e a majestade. Sentiu-se infantil por não agir como ela naturalmente. Era por isso que a amiga impunha respeito até mesmo das mais velhas e garotos. Uma verdadeira rainha implacável. Olhou então para o outro lado e encontrou Hayoung chorando, fraca, mole e querendo ir embora. Sentiu-se envergonhada pela nuvem indefinida em sua cabeça, pois era como se fosse equiparada à monstrinha, uma pessoa que todos desprezavam por ser fraca.

    Era engraçado sim. Eram bolsistas. Olha só como gritavam engraçado. Como suas roupas estavam sujas e elas eram fedidas. Sentiu raiva de Hayoung. Era culpa dela sentir-se insegura. Tinha que resolver isso logo.

    - Isso… Isso mesmo. Para com isso, sua idiota. Você queria estar do outro lado? - comentou raivosa e respirou fundo. Ouviu as palavras de Yerin e olhou para frente, obedecendo como se fosse com ela.  Não podia hesitar.  Não queria que olhassem para ela como olhavam para Hayoung. Talvez devesse discipliná-la agora e mostrar de uma vez por todos que não era como a garota. Sim, faria isso.

    Mereciam aquilo por serem bolsistas que invadiram seu espaço. Daquele grupo de meninas, se quatro saíssem, então poderia ganhar o respeito da sogra. Apenas quatro. Com certeza ela sairia se estivesse ali. Era humilhação demais. Agora só faltava cumprir com sua parte.

    Quando estava decidida a punir Hayoung, uma voz cortou a quadra e a brincadeira cessou por um momento. O coração da garota quase parou. Correção: ela tinha certeza que tinha parado. Toda sua concentração em permanecer séria tinha sumido e ela soltou um suspiro tremido.

    “O que você está fazendo aqui!?”

    Além da mesma pergunta, sua mente fez a mesma checagem: orelhas, óculos, nariz…

    Por que tinha se tornado um hábito aparecer nos piores momentos?

    “Sério… O que você está fazendo aqui!?”

    Ouviu a ameaça das veteranas. Ele não podia interromper a festa! As garotas iriam massacrá-lo. Ou algo muito pior…  Taemin. Respirou torto. Não fazia nenhuma sentindo a presença daquele idiota ali, de novo, atrapalhando tudo que ela fazia.

    Por que ele tinha aparecido? Dessa vez, seu olhar escorregou e encontrou a menina quase caindo no chão… aquelas que ele defendia.

    A euforia virou um baque e ela sentiu o estômago se revirar violentamente, e parte disso não tinha relação com o cheiro horrível do lugar.

    Algumas lágrimas ameaçaram emergir com força, mas ela não as derramou. Respirou fundo, sugando-as para o fundo da alma.

    Então era isso? Tinha sido trocada. Definitivamente. Aquela maldita com carinha de sonsa, frágil, patética… era isso que despertava simpatia? Por que aquela idiota era defendida? Não sabia fazer isso sozinha? Cerrou o punho e seus lábios tremeram.  Tinha sido trocado por isso?

    Humilhada. Trocada. Ignorada. Abandonada.

    A garota respirou forte e marchou até a caixa com confiança. Só tomava cuidado para não esbarrar nas garotas, mas não as via com precisão.

    Era uma imbecil que tinha esperado por dias, meses, sei lá quanto tempo, como se tivesse sido importante. Olhando a janela. Olhando um broche. Tentando fazendo novos amigos por precisar de um ombro amigo.

    Capturou um ovo em sua mão.

    Estúpida. Fraca. Burra. Sentia-se como aquela menina babaca de 8 anos, que deixava as pessoas jogarem sua lancheira no chão.

    Girou nos calcanhares e desfilou sem aviso no meio das veteranas até chegar naquele grupinho de ratas assustadas, mas não estava preocupada com elas.

    Ficou bem de frente para Kim Joon Hyuk e o encarou sem pestanejar.

    Ele não entendia. Não podia perceber… Sua amizade não tinha sido nada para ele. Sua pessoa não valia de nada para ele. Suas lembranças ele tinha jogado no lixo com facilidade, substituindo-a por uma garota bonita, delicada, risonha, ridícula, imbecil, bolsista… por quê?

    Por que sentia pena dela? Ela não permitiria ser o resquício de sua infância. Não era mais aquela garota. Agora tinha Yerin e, com a amiga, tinha absorvido uma lição importante.

    As pessoas só aprendiam quando doía mesmo.



    (só referência =x)




    A menina berrou um “YA” e desceu a mão com toda força que tinha no topo da cabeça do rapaz, quebrando o ovo com o golpe. Ela ofegou em seguida, observando o líquido escorrendo em seu rosto.

    - … Isso é o que acontece… quando você não faz as amizades certas - soou ríspida, com a voz firme e não demorou a erguer e virar o rosto com o orgulho, olhando suas veteranas, e desfilou de volta para seu lugar, mas não parou. Empurrou Hayoung com força para o lado, para abrir passagem e ir até sua mochila. Não tinha estrutura para ficar ali. Sentia que as lágrimas começaram a subir mais fortes. Agarrou a alça da mochila com a mão limpa e tentaria deixar o ginásio.


    Gakky
    Adepto da Virtualidade
    avatar
    Adepto da Virtualidade

    Mensagens : 1615
    Reputação : 215
    Conquistas :
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/311.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1411.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1112.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1011.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1811.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1413.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/2111.png

    Re: Capítulo 1

    Mensagem por Gakky em Seg Out 23, 2017 12:40 pm

    Jae-ki concordou com Kang quando ele comentava sobre as frutas sem caras e de graça ali. Também riu quando Kang quase cuspiu o chá, deu um tapinha nas costas do garoto e falou:

    - Amanhã podemos testar todos para ver quais são os melhores. Eu queria que tivesse algum com efeito calmante, tomando uns dez talvez eu aguente não bater em ninguém. O ruim é que eu teria que ir no banheiro muitas vezes...


    Antes que os colegas pensassem algo mal dele, Jae-ki riu e avisou:

    - Hahaa, tô zoando... - Em seguida acrescentou em voz baixa como para si mesmo - Nenhum chá é tão forte assim...

    Achou curioso o fato de Kang continuar a beber o chá, significava que eles tinham algo em comum, Jae-ki também odiava desperdiçar comida, mesmo que não tivesse um gosto bom. Além disso, sendo o chá de um lugar tão rico, com certeza devia ter alguma propriedade boa, jogar fora seria ruim.

    - Won Bin? Vai ficar só olhando?

    Jae-ki retirou uma pera da máquina e entregou para Won Bin, só esticou na direção dele, não perguntou se o garoto queria ou se gostava, mas era uma das suas formas de mostrar amizade. Na sua visão, Won Bin era tímido demais para pegar algo para comer, não entendia os tímidos, mas devia ser algo assim. Apesar de ser esfomeado, Jae-ki não pensava só em si mesmo.

    Na momento de escolher os clubes, Jae-ki talvez tenha sido um bocado impulsivo. Ficou animado por saber que poderia participar do clube de artes sem problemas, não tinha vergonha em admitir que não tinha grana, só ficava revoltado quando recebia tratamento diferencial por isso. Queria que Kang entrasse, mas não forçaria o garoto. O capitão de mecânico lhe pareceu maneiro, talvez fosse legal, ainda quando envolvesse matemática.

    Mas a garota do clube de dança, apesar de parecer simpática, não conseguiu passar muita confiança para Jae-ki. " Aishi... Apresentação? Espero que não me façam vestir nada rosa..." De qualquer forma, já tinha ido. Soo-ji ficaria feliz e isso que importava. Quando voltaram a se encontrar com Won Bin, o garoto fazia mistério dos clubes que tinha escolhido.

    - Agir é sempre melhor - Respondeu Jae-ki ao comentário de Kang - Não quer tentar artes?

    Jae-ki já estava com fome com toda essa escolha de clubes, quando estavam se encaminhando para saída, sentiu um olhar sobre ele e reparou em Eun-bi. Ela estava longe e isso a fazia parecer ainda mais inalcançável. Não que ele quisesse algo! Não mesmo, dizia para si mesmo. A sensação de pressão no peito ainda voltava, devia ser a magoa ainda doendo. De alguma forma Jae-ki também estava com raiva de si mesmo por ter se deixado ser enganado dessa forma, devia ter sido tão fácil para ela. Quando saía com Kang e Won Bin, acabou ficando um pouco distante. Se perguntava em pensamento se Eun-bi seria capaz de se sentir mal pelo que fez, ou se pelo menos alguma vez ele passou pela mente dela. Por sorte, Kang já perguntava como fariam para irem até a loja.

    - Kure. Se Won quiser podemos trocar depois para não ficar muito pesado.

    A caminho do local do trabalho do amigo, Jae-ki se segurava na bicleta sem problemas. Observava curioso todo o caminho, não conhecia esse lugar e já decorava as ruas e tudo que via. Quando viu as pequenas mansões, Jae-ki ficou boquiaberto, ver de perto era diferente do que ver em uma revista ou na televisão. Notou também o playground, logo imaginou que Soo-ji adoraria brincar lá.

    - Uwa! Parece outro mundo... - Comentou olhando tudo ao redor como uma criança impressionada.  

    Jae-ki queria muito ser capaz de dar uma vida assim para sua irmãzinha. Para ele, era ela que mais sofria com todos os problemas da família. Ele olhou para o que Kang escolheu e animado para comer disse:

    - Sério que posso escolher? Uwa!

    Sorte de Kang que Jae-ki tinha comido frutas antes, porque ele era magro de ruim. Como Kang oferecia, ele acreditava que o garoto realmente poderia pagar por isso, então não ficou preocupado em gastar a grana do amigo. Pediu o mesmo que Kang , mas diferente do bolinho de arroz, preferiu um doce com segundas intenções, queria guardar para a irmã.

    Quando já estavam sentados para comer, Jae-ki enche a boca de ramen apimentado, seu rosto fica um pouco vermelho. Ele engole rápido a grande quantidade de comida na boca e tira o celular do bolso, em seguida diz para os dois colegas:

    - Não posso esquecer, temos que tirar uma selca. Minha irmã quer ver que o fiz hoje, ela vai gostar de ver que almocei aqui.

    Jae-ki mostra a foto da irmã que tinha no plano de fundo do celular para os dois colegas:

    Spoiler:

    Se eles não forem contra, vai tirar a selca com os dois. Se não vai tirar só dele mesmo e da comida. Quando fizer isso fará uma careta engraçada para Soo-ji, mesmo que seja ao lado dos amigos:

    Spoiler:

    - Será que esse emprego da cafeteria paga bem? Eu trabalho como entregador na Jinja Chicken. Mas aqui longe de casa... - Disse pensativo Jae-ki - Não vai ser bom ficar longe de casa muito tempo.

    Ele vai olhar a foto e rir ao ver sua careta:

    - Soo-ji-ya deve gostar dessa.
    Ailish
    Investigador
    avatar
    Investigador

    Mensagens : 78
    Reputação : 95

    Re: Capítulo 1

    Mensagem por Ailish em Seg Out 23, 2017 1:21 pm

    Conforme circulava em meio aos clubes que constituíam seu interesse particular, Sunny já criava as suas primeiras impressões, e embora não fosse do tipo de julgar alguém sem antes realmente conhecer a pessoa, conseguia construir um perfil superficial e sujeito a mudanças. A capitã do clube de Música se comportou de modo solícito e educado, respondendo todas as dúvidas, porém se precisasse compará-la com a menina do clube de Literatura...  Não que ela tivesse lhe tratado de forma ignorante, mas percebia a força que colocava nas palavras para não soar esnobe. Independente disso, oficializou a inscrição e seguiu até a terceira, e última, escolha. O Grêmio Estudantil. O tratamento do rapaz foi bastante gentil e atencioso, ao ponto de Sun-Hee se sentir mais à vontade para perguntar novos detalhes e etc. Quando terminava de entregar a folha com a assinatura e o restante dos dados ao Capitão, uma sombra literalmente a engoliu, forçando-a a virar a cabeça sobre o ombro bem devagar.



    Os olhos puxadinhos cresceram de tamanho assim que fitaram o rosto sério de Young... Jung! Sunny retrocedeu um passo, imaginando que ele queria passar. Mas então, de repente, eles se encararam, e diferente de antes, não existia a confusão de fileiras e alunos impondo uma distância segura entre os dois.

    Conteve o impulso de virar o rosto, constrangida pela súbita aparição porque não esperava. O tom ligeiramente rosado das bochechas criava contraste com a feição fechada, mas não agressiva de Sunny - Se não for atrapalhá-lo, pode ser lá no Café. Hmm... Depois do 12h, vou participar de um... evento... aqui no colégio. Não que eu pretenda demorar, mas não há necessidade de deixá-lo esperando.

    Não demonstrava qualquer centelha de raiva ou mágoa.

    Mas não era tão calorosa como costumava acontecer na vezes que ele aparecia na biblioteca.

    Após marcarem a tal conversa, Jung Mi caminhou na direção da mesa e...

    Sunny entreabriu os lábios.

    Quê???????????

    Antes que ele notasse e concluísse que era mesmo uma stalker, se afastou até o grupinho, ainda atordoada com a aproximação de Jung Mi. De verdade, não pensou nessa possibilidade após o ocorrido no auditório. Droga, sentia-se inquieta...

    A cena com Lee Hi se desenvolveu.

    Kim e Chae também participaram e pareciam não aprovar a decisão enquanto Lee Hi não sabia o que decidir. Mas Sunny não tinha dúvida. Claro que Kim não iria ficar passivo diante da opção de Sun-Hee e a decisão motivou o olhar contrariado dela - Isso não é necessário! Não quero que se envolva e crie problemas para si mesmo, Kim! - mas ele não desistiria... e no lugar do amigo, faria a mesma coisa. Ela suspirou, porém logo sorria para Chae, despedindo-se.

    Bem... estava quase na hora.

    [...]

    No fundo, não desejava a presença de Lee Hi.

    Não queria que ela, tão doce e alegre, passasse por algo cruel. Permanecia ao lado dela e antes de tudo começar, Sun-Hee apertou suavemente seu ombro além de mostrar um sorrisinho compreensivo - Não vamos ficar mais do que poucos minutos.

    Logo, cruzou os braços e se limitou a olhar ao redor, vendo os rostos animados e outros desconfiados. Sunny também carregava sua dose de nervosismo, mas tentava escondê-lo numa carinha introspectiva. Várias situações atormentavam a mente criativa, pensando nos possíveis planos daquelas meninas e qual era a motivação. Considerando que Stella falou a verdade, todavia... Sunny tinha certeza que sim. Certeza absoluta. Ela respirou fundo quando um amontoado de garotas - que ela reconheceu - começou a levá-las até o fundo do ginásio e as ajeitou diante de uma parede. Felizes, simpáticas...

    Uma falsidade sem tamanho.


    Os detalhes... Sunny se apegava neles.

    A escolha específica de meninas, a mesa do bolo... Os rapazes carregando caixas...

    Absorvia cada pedaço.

    Até os nomes.

    A aniversariante era anunciada e a reação surpresa de Eun-Jo embrulhava o estômago de Sunny. Porém, não conseguia desviar a atenção. Seu discurso, que teve um início meigo e agradecido, ganhou nuances mais ferinas e maldosas. No momento que o conteúdo da caixa foi revelado, Sun-Hee segurou a mão de Lee Hi, mas os olhos continuavam fixos em Eun-Joo e nas palavras desdenhosas. Entretanto, precisou soltá-la para se defender dos ataques contínuos. O pior não era o cheiro nojento de alimentos podres, mas a forma que o impacto ardia na pele quando acertava. E a mira das meninas do WangJo era assombrosa, hein? Por instinto, Sunny se encolheu e envolveu a cabeça e rosto com os braços, protegendo-os. Em contrapartida, as outras partes ficavam expostas e era impossível não chorar devido a dor. Ela acabou escorregando e caiu de bunda no chão, e não levantou mais. As têmporas doíam e o avançar dos minutos indicava a ausência de ar nos pulmões.

    "Não, não... Por favor, não..."

    Agora não.


    Tornou-se um alvo mais fácil graças a posição vulnerável.

    Desceu um pouco o braço, vendo aquelas meninas como eram:

    Feias. Ridículas. Estragadas.

    Monstros maquiados.

    Ainda com a mão erguida frente ao rosto, Sunny se apoiou na parede e levantou. Mas um dos balões explodiu na sua perna, e ela precisou se curvar, quase caindo mais uma vez, até que... Encarou as costas limpas da criatura louca que enfiava-se no campo de tiro. E ao reconhecer a voz de Kim, o desespero tomou conta do coração de Sunny - Não... - porém, o amigo não ouvia e ousava desafiá-las em seu território - Kim, não! - praticamente rosnou a negativa enquanto se aproximava mais. Nesse instante, a metida da fila caminhava até os dois e Sunny imaginou que fosse para enterrar o ovo na sua cabeça, mas assim que ela parou diante de Hyuk, Sun-Hee entendeu o propósito. A mão voou na falha tentativa de impedir Hyemin, mas Kim a interceptou, segurando-a pelo punho, sem fitá-la durante a ação. E por este motivo, livre de qualquer bloqueio, o ovo achou o destino planejado pelo Gremlin.

    Aquilo simplesmente arrancou um grunhido de fúria da passarinha.

    Sua vontade era de devolver na mesma moeda.

    - Por quê??? Por que envolvê-lo nisso?!?!?! - disse aos prantos.



    Mas... não.

    Não era como elas.

    Não tinha que se preocupar com elas.

    Poucos metros atrás, Lee Hi tremia junto das outras vítimas da brincadeirinha perversa. As novatas choravam, sentiam-se humilhadas, assustadas e completamente intimidadas. Era tão injusto... Sunny não aceitava... E recusava-se a se curvar diante dessas garotas - PAREM! -  talvez o choque da réplica se mostrasse mais surpreendente e eficiente que o grito. Sunny dava as costas para as veteranas e se concentrava em quem importava - Vocês não têm motivos para ficarem constrangidas! - apontou para as outras - Elas sim! Elas que precisam ter vergonha do que fizeram com a gente!!! - o peito doía por conta da respiração falha - V-Vocês... Vocês passaram na prova! Mostraram que são capazes e MERECEM estar aqui. Bolsistas ou não. Conquistaram seus lugares, e independente do que digam... WangJo abriu as portas para que mostrássemos nosso potencial. Ou seja, somos tão alunas quanto elas... O que nos diferencia é uma questão de caráter.

    Sunny, por enquanto, ignorava as agressoras.

    Afinal, para quê discutir?

    Provável que só recebesse mais retaliação e não ganharia nada em confrontá-las.

    O que não a tornava passiva.

    - Não permitam que elas diminuam vocês... - suspirou, e enfim, se virava para as demais - Admito que paguei para ver, mas não me arrependo de participar da festinha. Eu pude ter uma demonstração grátis de como as damas do WangJo se comportam... e sinceramente, não sei porque imaginei que fossem tão especiais. De toda maneira, agora que terminaram esse showzinho besta, eu gostaria de dizer uma única coisa...

    Lembrou das palavras de Stella e seu rosto triste...

    O enorme machucado que ela carregava na alma.

    - Que os próximos três anos serão bem longos.

    Porque ela não pretendia sair antes de se formar.

    Estendeu a mão para Lee Hi e, ao mesmo tempo, tocaria o ombro de Kim - Vamos?

    Pois havia sérias chances de desmaiar na frente das demônias.

    Sobre Hyemin...

    Caso a encarasse, receberia um olhar cortante.

    Com ela... Com a metidinha... O buraco era mais embaixo.
    Persephone
    Moderador
    avatar
    Moderador

    Mensagens : 729
    Reputação : 376

    Re: Capítulo 1

    Mensagem por Persephone em Seg Out 23, 2017 2:23 pm

    [HYEMIN E SUNNY]

    As palavras de Sunny não foram o bastante para tirar Kim dali. Não era como se ele tivesse qualquer esperança de não ser atacado. Não, não, longe disso. O garoto não era burro e sabia que estava comprando uma briga grande. Porém, ele não podia agir de outro modo ao ver suas amigas numa situação como aquela, principalmente por Sunny. Ainda que ele não partisse para uma agressão mais séria - visto que jamais agrediria uma mulher - ele ficaria ali, sendo o escudo necessário para suportar toda a humilhação que estava recaindo sobre a menina. Se fosse para sofrer, seria juntos.

    O problema era que Kim entrava numa espécie de tortura um pouco mais profunda do que Sunny.




    Desde que tinha voltado do Japão, ele sabia que Hyemin tinha mudado. Contudo, ver o nível daquela mudança era algo de doer o coração. A nova Hyemin que ria e se divertia com uma cena degradante como aquela rasgava em mil pedaços aquela Hyemin do passado que, apesar de mimada, tinha um bom coração. A expressão inicial de Hyemin era de choque. A de Kim, um misto de tristeza e decepção.

    O desafio dele tinha sido lançado. Não sairia dali, independente das consequências de seus atos. Yewon deu de ombros e estava prestes a revidar quando, para a surpresa de todos, inclusive de Yerin, Hyemin tomou a frente com um ovo em mãos. A menina não teve medo de se aproximar e se sujar - as outras meio que faziam uma linha até a mesa do "bolo" e atiravam no paredão. Enquanto Hyemin se aproximava, Kim não tirava os olhos dela.




    Era a primeira vez que eles sustentavam o olhar daquela forma depois de todos aqueles anos. A mente de Hyemin a projetava com vítima daquela história, mas os olhos de Kim a julgavam a única culpada. Dava para sentir a intensidade e profundidade de seu ressentimento mesmo por trás daquelas lentes de armação grossa. O garoto engoliu em seco e acompanhou. Teve que olhar um pouco para baixo por conta da diferença de altura. Os olhos estavam avermelhados e ele estava contendo a raiva que habitava seu interior. Diante de um momento de tamanho estresse, seu reflexo foi rápido o suficiente para impedir que Sunny evitasse aquilo.

    - Deixa. - Disse num tom seco, ainda que seu queixo tremesse. - Deixa que ela faça isso.

    Cerrou os olhos para Hyemin e tudo ficou um pouco mais lento quando ela desceu a mão com força na cabeça dele. O impacto doeu um pouco, porque o ovo estava meio torto e não quebrou com facilidade. Kim fechou os olhos, se retraindo um pouco enquanto a casca abria, permitindo que clara e gema podres começassem a escorrer por seu cabelo, seguindo a gravidade. O liquido escorreu por seu rosto e também pingou de algumas pontas. O garoto puxou o ar com forças e voltou a abrir os olhos, encarando Hyemin.

    Não foi apenas a casca que quebrou naquele momento. Kim a encarou com raiva, mas, em poucos segundos, houve aquela...pena que ela não conseguia suportar.




    - É sim. É o que acontece quando fazemos escolhas... - Respondeu Hyemin.

    Kim sabia que seria alvejado pelas meninas, mas aquilo tinha doído de verdade. Ele respirou fundo e passou o terno pelo cabelo, limpando o rosto. Observava Hyemin partindo, enquanto ela empurrava sua amiga e não gastava mais seu tempo ali. Aparentemente, ela tinha feito tudo o que queria. A reação da menina, bem como sua saída, trouxe alguns instantes de silêncio desconfortável. As veteranas achavam que tinham perdido alguma coisa ali, muito embora a atitude dela fosse extremamente positiva para o grupo. Algumas olharam para Yerin que apenas meneou negativamente, como se tampouco entendesse.

    Aproveitando a saída dela, Hayoung também esfregou o rosto e foi correndo atrás dela.

    Enquanto elas se afastavam, ainda poderiam ouvir o discurso de Sunny.

    Aquela situação parecia um pouco mais apavorante do que a menina acreditava. A falta de ar e as imagens distorcidas que ela via - e revelavam a essência pútrida daquelas meninas - não colaboravam para que ela conseguisse unir forças e rebater. Sunny se sentia acuada, desprotegida. Pelo menos foi assim até a hora que Kim apareceu e se posicionou na frente dela. Naquele instante, decorar os nomes não lhe serviam de nada.

    Mas quem sabe no futuro?

    Ela também poderia ver que os três meninos que tinham ajudado a carregar as coisas, ainda estavam por ali, próximo do limite dos prédios. Eles não estavam dispostos a se meter, mas caso precisassem deles, estariam em prontidão. O loiro, chamado Taemin olhava com uma curiosidade mais aguçada do que os outros. Dava para perceber que ele era meio que o líder ali.

    A paciência se esgotou quando Kim foi "vitimado" pela menina metida que eles encontraram na fila. Sunny reuniu forças e coragem para se virar de costas para Kim e fazer um discurso motivacional para as meninas. As expressões dela envolviam incredulidade, pânico, choro e choque. Nem todas ali eram bolsistas, duas delas - as mais esquisitinhas - eram apenas alunas do 1º ano que pensavam que aquele ano seria diferente e que finalmente fariam parte de uma turma unida.

    Grande engano.

    Só alimentavam a piada.

    O discurso de Sunny foi ouvido pelas meninas em meio ao choro. O problema era que não apenas as meninas ouviam, as algozes também. E Yerin não gostou daquele comportamento audacioso. Pessoas rebeldes assim precisavam de um tratamento de choque, algo um pouco mais intenso. Era o momento que vali a premissa "Se quer algo bem feito, faça você mesmo". Por isso, Hyemin ainda teria o vislumbre de sua amiga se mexendo.





    As outras veteranas tinham parado e abaixaram a mão quando Yerin caminhava cheia de atitude até eles. Kim a olhava de frente, com o óculos sujo e viu quando ela virou o caixote, posicionando de modo que virasse uma escada. Yerin pegou a bandeja que agora tinha os restos de peixe e subiu no caixote, virando todo o conteúdo na cabeça dos dois. Tinha dado espaço o suficiente para que não se sujasse. Seria um lindo fim de discurso enquanto aquele cheiro horroroso de peixe terminava de impregnar o cabelo e uniforme dos dois. Ninguém tinha tocado nele ainda, porque até mesmo as veteranas tinham seu grau de nojinho.




    Yerin não via limites.

    - Três longos anos, você diz? - Ela repetiu ainda de cima da caixa antes de recuar e tacar a bandeja de metal na direção da perna deles - Pois deixe-me esclarecer alguma coisas..."Kim alguma coisa, não me importo" - Cerrou os olhos para ler a placa dela, mas não conseguiu entender tudo por conta da sujeira. - Você não tem voz aqui. WangJo não abriu as portas para você, para nenhuma de vocês, suas pedintes imundas!

    Yerin fez uma cara de nojo para elas e voltou-se para Sunny.

    - Você pode até tentar me impedir, mas no fundo sempre haverá aquela voz que te dirá o quão insignificante sua existência é comparado até mesmo à grama desse colégio. Vocês passaram? Parabéns, mas foram burras por terem entrado. Esse lugar não é, nunca foi e jamais será para pessoas do nivel de vocês. Hoje foi uma festa de boas-vindas. Acha que acabou?

    Os olhos de Yerin brilhavam com um mórbido prazer.

    - Amanhã tem mais para as faltantes. É uma pena que nenhuma de vocês possam entrar no colégio amanhã. Você não entra aqui sem uniforme e com exceção daquela obesa e da amiga Sapo - Apontou para as duas veteranas. - Eu duvido que você tenha 1 milhão de Wons para comprar outro.

    Fez um beicinho.

    - Pobrezinha. E você, moleque. - Indicou Kim que estava chocado com a audácia daquela garota. Tudo aconteceu tão rápido e ele estava tão quebrado por Hyemin que nem conseguiu pensar à tempo. - Não se entra em batalhas que você sabe que vai perder. Agora, você tá na minha mira também. Terminem, meninas. E essas imbecis limpam a bagunça.

    Yerin deu as costas e partiu. A finalização era com a carinha até que, pouco a pouco, as garotas partiam dali, deixando aquela montanha de lixo e as meninas em choque no chão. Kim virou-se para Sunny, sentindo-se um incompetente e meneou negativamente.




    - Eu sinto muito. Não consegui fazer nada quando aquela última veio. Eu sinto muito, Sunny-shi...

    Lee Hi fungava mais atrás, mas logo se ergueu e correu na direção da amiga para abraçá-la.




    Podem responder mais uma vez.
    Natalie Ursa
    Cavaleiro Jedi
    avatar
    Cavaleiro Jedi

    Mensagens : 248
    Reputação : 126

    Re: Capítulo 1

    Mensagem por Natalie Ursa em Seg Out 23, 2017 4:50 pm

    A capitã do clube de dança parecia ser uma garota legal. MiSoo não a conhecia direito, mas se a garota e Eun Bi se davam bem, deveria ser uma pessoa confiável. MiSoo se apresentou à ela de forma animada e, ao mesmo tempo, educada.

    Já quando viu quem era a capitã do clube de tênis, deu um ruidoso suspiro logo antes de chegar à mesa. Talvez fosse uma boa ideia ficar só com os treinos de tênis fora da escola… Bem, não ia dar o braço a torcer agora, mas sabia que o clube não seria um lugar tão divertido com o presença da loira mimada como líder.

    - “Você” também. - respondeu no mesmo tom, mas sem sorrir.

    Ela ouviu a conversa de Jimin e Eun Bi, se irritando um pouquinho, mas não entendeu bem uma parte:

    - Vídeo? - perguntou para si mesma, meio baixinho enquanto erguia uma das sobrancelhas.

    MiSoo não sabia do vídeo ainda.

    - A Eun Bi não precisa de guarda costas, ela tem à mim. Bodyguard.- apontou para a plaquinha com seu nome, presa ao uniforme, como se realmente fosse isso que estivesse escrito nela - Então, não se preocupe com a EunBi-ya, okay? - deu um largo sorriso - meio forçado - e passou o braço por trás das costas da amiga, pousando a mão em seu ombro, como se fazendo uma pose para Jimin - Hmmm… - com a última pergunta da loira, MiSoo fez uma careta pensativa - Acho que reserva… Não exatamente, mais para… A jogadora prin-ci-pal! - deu um sorriso fofo, fazendo coraçõezinhos com os dedos.


    Estava de bom humor o suficiente para implicar de volta com a garota chata.

    Depois disso foi puxada por EunBi para longe da mesa do clube de Tênis e em direção ao de Moda. Lá viram a capitã do clube, que era realmente bonita, mas não parecia muito interessada na inscrição de MiSoo para seu clube e como a garota estava enfrentando seu próprio dilema, após olhar para Sunyoung por alguns instantes, pegou o formulário e não disse nada.

    Já na arquibancada, MiSoo estava procurando na multidão, primeiro por Bo-Mi, depois pelo local onde estava o estande de Mia. Com direito a mão sobre os olhos, como se houvesse sol batendo em seu rosto. Dava para ver um monte de gente que conhecia. Quando virou para cutucar EunBi sobre isso, percebeu que ela estava concentrada olhando para algo em específico, parecendo meio desanimada. A tenista fez uma careta irritada, inflando as bochechas, enquanto voltava a olhar para a multidão, na mesma direção de sua amiga, mas antes de conseguir achar algo foram interrompidas por uma BoMi bastante alegre e saltitante. Ouviu o que ela tinha a dizer e arregalou os olhos, imitando a amiga:


    - Won Bin? É o nome do salvador da minha mochila, não é? - também não tinha prestado atenção naquele momento, logo depois do ato de Won Bin, quando BoMi falou com ele, pois estava arrasada com o que tinham feito com o bonsai.

    Continuou a ouvir a conversa das duas, mas estava meio por fora do porquê a amiga estava tão animada com isso.

    Quando mencionaram Jimin, MiSoo comeu a rir do gesto que BoMi tinha feito, concordando com a cabeça.

    - Vamos ter que aguentar ela por um tempão agora… - revirou os olhos e jogou o corpo para trás, deitando-se no banco logo atrás delas.

    E só então reparou nos próprios joelhos e ficou muito contente quando BoMi lhe ajudou com a limpeza e os band-aids, quando um abraço bem forte na amiga, quando terminou o tratamento.

    - Ah! BoMi-Ya!! Minha querida salvadora! Eu estaria no hospital agora se não fosse por você! - dramatizava a fala de modo cômico, enquanto sacudia gentilmente a amiga presa no abraço - Vou te dar uma mala cheinha de band-aids para lhe recompensar por sua atenção nessa sua amiguinha desastrada!

    Depois de soltar Bomi, Misoo se voltou para Eunbi e segurou sua mão, lhe fazendo a pergunta sobre o ocorrido mais cedo.

    - Mas você não é culpada de nadaaa… - com uma expressão chorosa, fez beicinho para a amiga… - Mas se houver algum outro problema sobre isso, nós estamos aqui para lhe ajudar e lhe proteger, está bem? - na última frase tinha assumido um semblante um pouco mais sério.

    Quando Mia retornou e EunBi avisou ela sobre o almoço, MiSoo levantou da arquibancada em um pulo e, saltitante, começou a falar:

    - Uwa!! Vamos! Vamos naquele restaurante de comida japonesa que eu adoro!? Vamos? Vaaaaamos!?? - pedia para as três como se fosse uma criancinha pedindo aos pais para ir no parque.

    Quando o quarteto saiu do ginásio, MiSoo estava distraída demais em sua própria alegria em ir comer um dos seus pratos favoritos - que só podia comer fora de casa mesmo - que nem viu nada sobre a agitação que estava acontecendo no lugar.

    Quando saíram de dentro do prédio, MiSoo chegou a ver, meio de longe, GyuSik e JungMi, mais o amigo deles, Ryu, e acenou para os garotos, mas continuou o caminho com as amigas, ainda meio distraída, até o carro que o motorista de EunBi dirigia.

    Tinham chegado ao restaurante e MiSoo dava pulinhos de alegria, já sabendo exatamente o que pediria! Ainda bem que estava com o cartão de crédito consigo e poderia pagar para todo mundo. Podia não participar em competições de moda, como sua irmã MinJi fazia em sua idade, mas tinha algumas vitórias em campeonatos de tênis e assim também conseguiu conquistar o direito à um cartão de crédito, embora não pudesse gastar tanto assim com ele. Tinha também feito um acordo com a mãe e não podia comprar doces com ele,mas deveria dar uma atenção especial à maquiagens e roupas da moda. Sua mãe não queria ver a filha desleixada, com as roupas antigas e sem graça que usava antes - sem graça na visão da Sra. Yeun.

    Poder levar as amigas para comer algo sempre deixava MiSoo bem animada, pois tinha a companhia delas, podia conversar bastante e assim ficava bem longe de casa o máximo que pudesse.

    - Miayah!!! - chamou a atenção da amiga, quando o quarteto já estava na mesa e com a comida servida - Bem que você podia nos acompanhar no clube de dança! Assim estaríamos as quatro no mesmo clube! Ia ser tão divertido!! - jogou a cabeça para o lado e ficou olhando para o nada de modo sonhador, com um sorriso bobo no rosto - Imagine que divertido seria ter todas nós no mesmo grupo…
    Ailish
    Investigador
    avatar
    Investigador

    Mensagens : 78
    Reputação : 95

    Re: Capítulo 1

    Mensagem por Ailish em Seg Out 23, 2017 5:21 pm

    Mais do que as consequências das próprias agressões físicas, Sunny sofria ao ver a posição em que Kim se colocou por ela e Lee Hi. As lágrimas nos olhos transbordavam fartas, feito a nascente de um rio, enquanto olhava para Hyemin e lançava aquela pergunta quase retórica. Só não imaginava que houvesse um significado realmente profundo ali, o que ficou bastante claro na resposta da metidinha.

    "Ele pediu."

    E depois de empurrá-la, Hyemin se afastou, perseguida pelo olhar fuzilante de Sunny. A raiva desceu rasgando a garganta, abrindo caminho para as próximas palavras. Não se acovardava diante de ninguém, apesar de não procurar confusões desnecessárias. Mas a bolsista tinha um gênio desgraçado e que na maioria das vezes até conseguia controlar. Os rostos aterrorizados quebraram seu coração e imaginou que provavelmente eram reflexos da sua imagem naquele momento divisor. Não queria assumir o papel de vítima. Não queria ser passiva conforme uma injustiça desenrolava-se passo a passo diante de seus olhos. Não queria ser... fraca. Apenas a ideia a deixava apavorada.

    Kim era um bom rapaz.

    Lee Hi, uma menina tão meiga...

    E as outras alunas? Eles mereciam este tratamento?

    Ah, Sunny... E você, huh?

    Merecia?


    Quando as frases ganharam potência no ginásio, Sun-Hee esqueceu até mesmo de respirar, o que piorava sua situação. Olhava aquelas meninas acuadas e sem perspectiva de reações, e tal inércia lhe causava uma sensação de agonia.

    Reajam!

    Reajam, pelo amor de Deus!!!


    Em determinado instante, a atenção recaiu sobre o grupinho de garotos que pararam para assistir a cena. Dentre o trio, o rapaz de cabelo loiro se destacava por razões óbvias, como aconteceu no banheiro com Jimin. Mas Sunny não concentrava o olhar em pontos específicos... Como o vaivém das ondas, o mar de monstros ameaçava devorá-la, porém ela batia os braços, mantendo-se na superfície e tentava não morrer afogada. No entanto, quanto mais falava, mais o fôlego diminuía.

    O peito mexia-se violentamente e Sun-Hee apenas observou a aproximação de uma garota.

    Linda como o Diabo... de saia.

    E os olhos negros, duas pedras de puro ônix, estavam prestes a contaminar sua alma.

    Sunny firmou os pés no mesmo lugar, impedindo-se de recuar, apesar dos enormes chifres ameaçarem machucá-la. A mão foi ao braço de Kim, apertando a manga de sua camisa, mas encarava Yerin com uma expressão contorcida. Diante da imagem limpa e majestosa da Rainha, sim... Sunny não aparentava ser nada além de uma representação do lado mais sujo e miserável da plebe. E independente disso, o nariz se mantinha empinado, desafiando raízes que não a pertenciam. Num silêncio perturbador, a demônia subia no caixote virado e não era necessário ser Mental 1 para entender a intenção assim que ela pegou a bandeja cheia de restos dos peixes. Sunny fechou os olhos e enrugou o nariz enquanto a mistura nojenta deslizava pelos fios negros e as laterais da face.

    Mas é como dizem...

    Quem 'tá na chuva é pra se molhar, certo?

    Calou um gemido quando o recipiente plano e metálico bateu no joelho, mas precisou massagear a região por conta da dor. A pose transparecia submissão perante à Rainha... O tronco curvado, a feição com traços de sofrimento... Sunny forçava o equilíbrio, porém estava prestes a ceder. Cada sentença de Yerin pisava no seu estúpido discurso de antes, expondo uma verdade que deveria se revelar absoluta ali no meio das cobras.

    A maior reação partiu durante a citação do uniforme.

    Sunny lembrou dos pedidos por cuidado da tia Yu-Mi e... Como voltaria desse jeito para casa??? Não! Tinha que dar um jeito. A partir deste momento, as palavras de Yerin começavam a ficar confusas...  

    Tortas...

    Incompreensíveis.

    - Você não me assusta... - ela sussurrou, em meio aos ofegos, e devido a distância, talvez Yerin não tivesse ouvido - Não me assusta...

    E não mentia.

    Aos poucos, todas abandonavam o ginásio, deixando o lixo para trás, onde as novatas e as duas veteranas estavam inclusas na definição - Pare, Kim... Não peça desculpas - a voz continuava fraca e por baixo da sujeira, Sunny empalideceu e suava de maneira anormal. Queria dar um esporro no amigo, gritar o quanto ele era um idiota, besta, burro! Mas também... desejava abraçá-lo e implorar para que ele a perdoasse. Foi arrogante por pensar que poderia enfrentar aquelas criaturas, e graças a sua prepotência, o trote respingou em Kim e Lee Hi.

    Porém, o caso de Kim possuía traços que fugiam do conhecimento de Sunny.

    Aquela metidinha...

    Quem ela era, afinal?


    Nos braços de Lee Hi, Sunny amoleceu, meio acordada, meio lânguida - B-Banheiro... - murmurou antes que os amigos tivessem a ideia de chamar alguém como, por exemplo, seu pai ou a tia Yu-Mi. Não podia assustá-los assim. Resolveria esse problema, sozinha.

    Pena que o tempo não se movia ao seu favor.
    isaac-sky
    Troubleshooter
    avatar
    Troubleshooter

    Mensagens : 753
    Reputação : 174
    Conquistas :
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/411.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/212.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/712.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/410.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1511.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/312.png

    Re: Capítulo 1

    Mensagem por isaac-sky em Seg Out 23, 2017 5:39 pm


    - Sabe o que é mais curioso? - Perguntou enquanto mastigava. - Frutas são caras e aqui eles dão de graça. Eu acho que ainda não acordei, não é possível. Esse lugar é surreal demais.

    -Eu tenho a impressão que a maioria prefere a máquina das besteiras - disse meio que se indagando.

    - Amanhã podemos testar todos para ver quais são os melhores. Eu queria que tivesse algum com efeito calmante, tomando uns dez talvez eu aguente não bater em ninguém. O ruim é que eu teria que ir no banheiro muitas vezes...

    ”Só uma bexiga de ferro aguentaria” riu do comentário de Jae-ki. -Vamos tentar respirar fundo, contar até dez e imaginar um lugar legal - disse brincando mas com um certo tom de verdade. Não queria ter de separar outra briga no futuro.

    - Won Bin? Vai ficar só olhando?

    Won estava tão nervoso com a questão dos clubes e toda a situação que sequer se ligou de pegar algo no refeitório.
    Jae joga uma pera para ele que aceita sem muita cerimônia.

    -Valeu, eu to meio distraído, esqueci de pegar - sorriu e começou a comer a pera.



    A garota da mesa do clube de música passou alguns milissegundos encarando Won antes de respondê-lo. Momentos que deixavam Won ainda mais nervoso.

    ”AH! POR QUE RAIOS EU ESCOLHI ESSE CLUBE MESMO!?”

    Mas ela responde negativamente, indicando que não haveria problemas ingressar no clube sem conhecimento musical. A ansiedade se dissipava e a timidez tomava conta novamente.

    -Ah, que ótimo, digo, ótimo ter a oportunidade pra aprender no clube, digo, aprender e utilizar no clube. Err, ahn, ok! - se atrapalhava nas palavras mas confirmava sua inscrição no clube.



    No próximo desafio, o clube de teatro, conseguiu se portar com menos timidez (apesar de não ter trocado mais do que duas frases com a capitã).

    Prontamente realizou sua inscrição e saiu dali de encontro aos seus amigos.



    Reunido com os dois, Kang fala sobre suas escolhas:

    - Eu não sei se pego mais um, gostei dos que me inscrevi. Não sou muito bom em esportes e nem gosto de discutir, gosto mais de agir mesmo. - Ponderou. - E tu?



    -Eu não sei como eu achei que era uma boa ideia mas eu escolhi música e teatro - respondeu, ainda meio em choque com toda a situação.
    -Acho que eu queria me desafiar a ser menos tímido, mas não sei se foi uma boa - explicou um pouco -Agora é tarde, vou até o fim!

    Jae-ki parecia decidido com as suas escolhas também. Pelo que entendeu talvez não visse seus amigos nos clubes que escolheu, fator que aumentava sua ansiedade mas tornava o desafio de largar a timidez mais real.
    O trio começa a se dirigir para a saída e embora da Wangjo. Aquela manhã parecia ter durado dias.

    - Won, você pode carregar o Jae-Ki e eu levo a mochila dele? - Perguntou ao rapaz. - Você é mais forte, eu sou fraco, minhas pernas não vão aguentar...O que acha, Jae-Ki?


    ”E hoje de manhã eu estava imaginando se uma garota ia querer andar na garupa da minha bike...ok, hoje rolou tudo totalmente ao contrário mesmo”

    -Ok, quando o Jae-ki tiver seu carro esportivo e nos chamar pra almoçar quem vai na frente sou eu! - disse brincando pegando a bike. Não revezaria com Jae, não seria necessário pois o esforço ainda nem se comparava ao esforço físico que Won estava acostumado.

    Nada se compara a corrida com pesos do mestre Baek. Nada.

    Em pouco tempo estariam chegando perto do local de trabalho de Kang.
    ”Uou, então o Kang já interage com essa galera ricaça antes da Wangjo!” pensou um tanto impressionado com o luxo do condomínio.

    -Lugar legal Kang, é tipo uma cidade paralela! - comentou um tanto distraído enquanto pedalava.

    Prendeu a bicicleta ao lado da de Kang.

    - Legal, né? Pior que nem é o condomínio mais caro daqui. - Olhou meio espantado para os amigos e indicou o caminho.

    -Devem ter uns com ruas de ouro, com certeza haha

    Kang e Jae fazem suas escolhas de comida. Won pensou por um instante em insistir em pagar a própria comida mas Kang parecia tão insistente em pagar como se quisesse manter ele e Jae como amigos por o máximo de tempo possível.

    ”Eu já fiz isso umas vezes...não se preocupa cara” pediu o mesmo que os dois e os acompanhou comendo.

    -Valeu Kang, um ramen de primeiro dia de escola sempre cai bem hahaha - uma refeição bastante calórica mas esse não era um dia nem situação pra se preocupar com essas coisas. Um pequeno luxo diante de tantas coisas novas naquele dia.

    Won para um instante para apreciar aquele momento: o único momento em que se sentava a mesa para comer acompanhado era nos fins de semana com o pai, e ultimamente nem isso estava acontecendo muito regularmente. Tinha conseguido dois amigos: um tanto chamativo que provavelmente era o mais sociável daquele trio, e um meio esquentado que quase brigou mais cedo mas que se mostrava alguém humilde.

    Lembrava do trio de Dragões para Sempre com Jackie Chan, Sammo Hung e Yuen Biao, três atrapalhados artistas marciais que acabam com um chefão do tráfico de drogas e sua operação.


    ”Só não sei se eu seria o Jackie Chan”

    -Calma Jae-ki, a comida não vai fugir hahaha- brincava com o amigo que comia rápido.

    - Não posso esquecer, temos que tirar uma selca. Minha irmã quer ver que o fiz hoje, ela vai gostar de ver que almocei aqui.

    -Claro, vamos! - concordou sem problemas em tirar a foto. Jae-ki mostra a foto da irmãzinha para os dois: muito diferente dele.

    ”Deve ser o total oposto dele”

    -Que fofinha haha. Vamos lá Kang, a gente tem que pelo menos fingir que somos normais pra irmãzinha do Jae - riu um pouco.

    Fez um sinal V com os dedos pra foto com Jae e Kang. Era divertido, Won mal tinha fotos nas redes sociais por não ter costume de tirar fotos de si mesmo.

    Jae comenta sobre o papel com a vaga pra cafeteria.

    ”Não deve ser tão difícil! Bem que a reserva para a coleções de filmes está acabando”

    -Bem que eu precisava de um trabalho, o que eu tinha guardado das últimas férias já está acabando - comentou - Se você vai participar dos clubes acho que fica mais fácil ir da escola pra cá do que da escola pra longe, não? - indagou, um tanto curioso.

    -A gente podia tentar Jae, vamos ver quanto oferecem. Vai que a galera daqui paga em diamantes e rubis - riu um pouco - O que acha Kang? É bacana trabalhar aqui na Mini-Seoul?

    Se Jae concordassem iriam os dois ver a vaga na cafeteria. Won apenas tinha a preocupação com horário mas se não atrapalhasse seu treino ele tentaria a vaga.

    GodHades
    Investigador
    avatar
    Investigador

    Mensagens : 95
    Reputação : 89

    Re: Capítulo 1

    Mensagem por GodHades em Seg Out 23, 2017 5:57 pm

    Ao longe pode avistar uma menina como se ela fosse entrar lá no club de Xadrez, isso só poderia ser engano. Ela tinha uma feição forte como se ficasse brava na maior parte do tempo. Não parecia exatamente uma nerd, mass...

    Sua atenção se volta quando foi se resolver na parte de Informática. Havia algo em Lee, o capitão, que lembrou a si mesmo, só não sabia dizer o que a principio. Dong ainda o cumprimentou de maneira respeitosa assentindo o queixo, estava mais animado para o Club de Informática do que o de Xadrez, mas não deixaria Ha Neul saber.

    - Min Ho, posso falar com você depois? Não precisa ser agora. - No meio do caminho Dong dizia isso num tom ligeiramente mais sério, se Ho estivesse atento notaria que não seria sobre jogos ou o club em questão.

    Após o pigarro alto de Ui-Jin, encarou a mão no peito do outro amigo que parecia mais avuado que antes. Seu sorriso estava literalmente resplandescendo nas lentes dos oculos de Dong.


    - Bem.. parece que todo rei precisa de uma rainha não é? - Fez alusão as peças do jogo . - Só precisamos saber que peça eu sou, seria o Cavaleiro? O Bispo? Humm...

    Pegou aquele papel devagar confirmando a escrita, não era um delírio.

    - Check Mate... - Sussurrou isso de maneira pensativa, escutando os companheiros ponderando sobre os clubes.

    - HahHAHAha dança... perdão pela risada, não é que não achemos que seja capaz. Só foi algo inesperado... é tipo me imaginar entrar num clube de luta ou natação. Hoje é o Dia da Mentira em muitos lugares, ai o pessoal aparece com cada ideia que...

    As conversas foram indo, com a palavra dança sendo mencionada por pelo menos outras 2 vezes. No meio da proza... Stella rouba a atenção de Dong que chegou a lhe acompanhar com o queixo. E diferente dele, a garota sequer parece nota-lo, estava com pressa, sua olhada no relogio denotava isso.

    - Vou ir com você Ui-Jin, mas amanha podemos ir de novo.

    Descia a rampa para pegar um uber da vida com os demais. As atitudes de Min-Ho não saiam da cabeça de Dong, havia rancor nas palavras e também dor.

    Mesma sensação que ele teve quando viu Stella falar daquele jeito momentos atrás.

    Dong queria entender, sua mente procurava respostas mas como ele não passava por esse tipo de situação, não teria como descrever.

    Mas não abordou isso enquanto estava com os outros, se não iria criar o clima que os demais pareciam fugir.

    - Só um momento. - Ergueu o dedo para Ha Neul, e andou até a cabisbaixa menina que segurava a mochila com as duas mãos. - Entãoo... vai fazer parte da literatura.

    Parou próximo a ela, tentando puxar assunto.

    Caso Ui-Jin e Ha-N não quisessem esperar, eles poderiam ir no shopping que Dong os encontraria.



    Luxi
    Moderador
    avatar
    Moderador

    Mensagens : 1485
    Reputação : 390
    Conquistas :
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/311.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1411.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1012.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/912.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/212.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1811.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1413.png

    Re: Capítulo 1

    Mensagem por Luxi em Seg Out 23, 2017 6:25 pm



    A postura firme, e até combativa, dele a incomodava profundamente. Porque mesmo assim ele desmontava aquela aura irritante de superioridade? Queria levar outro ataque? Ele a desprezava mesmo, podia sentir, e sua teimosia em falar daquela forma. “Deixe que ela faça isso”, a fazia sentir-se com menos domínio da situação e, por consequência, com mais raiva.

    Era por causa daquela garota, concluiu e lançou um olhar de ódio para a figura atrás de Kim.

    -- É sim. É o que acontece quando fazemos escolhas...
    - Por quê??? Por que envolvê-lo nisso?!?!?!

    A resposta saiu automática e raivosa:
    - Porque ele pediu

    Foi a última coisa que disse antes de se afastar em sua tentativa de ir embora. Os olhares que tinha recebido ainda penetravam em seu coração dolorido. Agora uma pontinha de arrependimento surgia por não ter falado mais, não ter lavado a alma, mas começava a se lamentar mais por ter aparecido tanto. Que vergonha! Na frente das veteranas todas, tão de repente e sem aviso. Nunca tinha feito algo assim completamente fora do controle. Será que tinha aborrecido alguém?

    Não sabia, mas não tinha mais um pingo de coragem para ficar e descobrir. Por esse motivo, e pelo fato de já sentir os olhos carregados de lágrimas, ela decidiu deixar o ginásio. Precisava sair o quanto antes, para chorar e fazer aquele sentimento odioso passar. Saiu andando sem olhar para trás, mas a voz de Sunny se fez mais alta, em seu discurso e chamou sua atenção. Parou no meio do caminho. Por que ela continuava falando tanta besteira mesmo tão suja? Não entendia que não tinha moral nenhuma para falar enquanto fedia a ovo? Meneou negativamente. Agora estava claro para ela por que aqueles dois eram próximos. Soltou um suspiro cansado, sem olhá-los mais, e voltou a se encaminhar para fora, mas uma movimentação adicional fez sua espinha gelar.

    Hyemin parou seu caminho de imediato, virando o rosto para observar Yerin tomando uma atitude. Isso não era boa coisa. Nunca era. Arregalou os olhos, apavorada. Sua vontade de chorar foi substituída por medo. A amiga era imprevisível e como tal, aproximou-se com um caixote e o que fez em seguida para calar a menina em uma humilhação final a fez ficar perplexa. Cada palavra a deixava boquiaberta e fazia um fio gelado dentro dela temer as ameaças como se fossem para si. Yerin era envolvente e implacável como ninguém que conhecia, mas parte dela sentia uma onda de admiração.

    Então ela olhou Kim diretamente. Seu coração apertou mais, apreensivo sobre o destino que seria decretado para ele e quando ouviu suas palavras, apenas suspirou em derrota. Estava aceitando a situação. Não havia mais volta. Aquilo tinha se transformado em guerra.

    Macaquinho burro. Essa tinha sido sua escolha e ele sofreria imensamente por causa da passarinha. Não por suas mãos, não mais. Esse era o menor dos problemas dele. A partir de agora a situação estava completamente fora de seu controle. Sentiu um desânimo profundo cair sobre ela. O primeiro dia da Wangjo era um pesadelo.

    Hyemin aguardou a amiga de costas e cabisbaixa na porta do ginásio. Ficar sozinha não parecia mais uma boa ideia. Estava aceitando a companhia até de Hayoung, embora imaginasse que a menina não iria querer ficar ali depois de ser empurrada. Ela tirou um álcool gel perfumado da mochila e limpou a mão em um paninho bordado com o rosto de um urso, pelo menos para conter temporariamente aquele cheiro.

    Assim que Yerin pôs os pés para fora, não comentou o ocorrido, nem conseguia encará-la direito, mas soltou a pergunta.
    - Quer ir lá pra casa?


    Gakky
    Adepto da Virtualidade
    avatar
    Adepto da Virtualidade

    Mensagens : 1615
    Reputação : 215
    Conquistas :
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/311.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1411.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1112.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1011.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1811.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1413.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/2111.png

    Re: Capítulo 1

    Mensagem por Gakky em Seg Out 23, 2017 8:13 pm

    Quando Won Bin brinca sobre respirar fundo e imaginar um lugar legal, Jae-ki lança um olhar sério para ele, era um problema real seu, pelo menos nessa escola. Não que estivesse com raiva de Won Bin, só lembrava do seu último problema. Ele suspirou e disse para o colega com certeza:

    - Eu já sei o que vou imaginar e não vai ser um lugar legal.

    Jae-ki ficou satisfeito ao ver que Won Bin não passaria fome. Mas não entendia como alguém podia ficar distraído a ponto de esquecer de comer.  

    (...)

    Quando Won Bin fala sobre os clubes que escolheu, Jae-ki não critica, achava que cada um devia saber o que queria. Won Bin ao menos parecia corajoso mais uma vez por estar enfrentando seus problemas de timidez. Mais uma coisa que chamava atenção de Jae-ki era alguém que tinha coragem de lutar contra as adversidades.

    - Isso aí cara, tá certo. Vou te falar, eu nunca fui de dançar, minha parada é mais atacar, mas também estou aqui arriscando. Tenho meus motivos e desistir não está nos meus esquemas.

    (...)

    Os três seguem para saída, Jae-ki ri do comentário de Won Bin sobre o carro esportivo, realmente queria que isso se tornasse realidade um dia. Eles compram a comida e se sentam para comerem juntos. Estava gostando de ter companhia, como se realmente fossem bons amigos. O comentário sobre a comida não fugir, Jae-ki nem ligou, era só uma brincadeira e não via problemas no seu jeito de comer. Este momento estava sendo como ter uma folga pequena dos seus problemas. Embora sentisse saudades de almoçar com Soo-ji. Quando Won Bin elogia sua irmã, logo Jae-ki fica com um semblante orgulhoso:

    - Ela é muito linda e esperta também. Vê se não assustam minha irmã na selca - Riu antes de tirar a foto.

    Jae-ki voltou a comer apressado e provavelmente terminou bem mais rápido que os colegas, dava para ver que ele não era dos mais educados para comer, esquecia de fechar a boca ao mastigar e se sentou todo de má postura na cadeira. O líquido que sobrou no fundo do pote de ramen, ele bebeu como de costume. Já estava no sorvete, nem se lembrava da última vez que tinha comido sorvete, mas estava muito bom principalmente depois de comer algo apimentado. Não era como se não pudesse pagar um simples sorvete, mas preferia evitar comer coisas fora de casa para não faltar o necessário no resto do mês. E se sobrasse dinheiro, nada mais justo que comprar algo para Soo-ji. Quando terminar de comer vai dizer que guardará o doce que pediu para mais tarde... Infelizmente boa educação não era seu forte e por isso nem se lembrou de agradecer a refeição, mas não por mal.

    Quando começaram a falar sobre o emprego do café, Jae-ki pensa um pouco sobre isso. As condições de trabalho realmente pareciam melhores, seu trabalho atual era cansativo e explorador. Mas havia uma prioridade em sua vida, mais do que um salário melhor. A ideia de ficar longe de casa por um dia inteiro parecia perigoso, Jae-ki tinha uma menininha que precisava dele. Se o pai aparecesse ou aprontasse alguma, como ele faria para ir para casa estando tão longe? Não era bom arriscar, ele tinha suas responsabilidades. Era certo que já ficaria boa parte do dia longe, mas o dia inteiro era demais. Seu emprego era explorador, mas dava para ir a pé para casa em emergências, e praticamente a maioria de suas estregas era no próprio bairro ou no bairro vizinho. A ideia de deixar a avó e Soo-ji sozinhas na parte da noite não parecia uma boa ideia. Ele era a força da sua pequena família, o homem da casa, e não poderia se ausentar assim nem pela promessa de ter um melhor salário.

    - Meu trabalho é perto da minha casa e depois da escola, eu teria que voltar para casa de qualquer maneira... Parece um bom emprego esse da cafeteria, mas não posso ficar tanto tempo longe de casa.  
    Larissa Aprill
    Mutante
    avatar
    Mutante

    Mensagens : 551
    Reputação : 72
    Conquistas :
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/410.png

    Re: Capítulo 1

    Mensagem por Larissa Aprill em Seg Out 23, 2017 10:24 pm

    Quando Hyun Hee ficou sozinho e conseguiu em fim se acalmar, ele pode compreender que suas atitudes explosivas poderiam levantar suspeita das pessoas ao seu redor e que ele deveria tentar controlar melhor seus impulsos. Ele sabia que não conseguiria ficar rodeado de pessoas e fingir que estava feliz e alegre, mas também não poderia se isolar para sempre, então precisava achar um meio-termo ou não conseguiria frequentar aquele lugar por muito tempo.


    E tinha mais uma preocupação, ao analisar o broche percebe que o aro de metal estava amassado e a imagem da joaninha sorridente estava distorcida. O ruivo tenta desentortar o metal, mas isso não iria melhorar em nada o objeto. Frustado ele passa a mão pela nuca, pois agora precisava pensar numa maneira de devolver o broche para Chae e se desculpar com ela. Mas antes disso seria melhor tentar comprar outra joaninha, achava que isso iria resolver  o problema com Chae e nem fazia ideia do valor sentimental do broche. Hyun Hee devolve o broche para o bolso da calça e parte em direção ao ginásio.


    O primeiro clube que se interessou foi o de culinária e ao realizar a inscrição, ele reconheceu a menina logo de cara. Mas como ela não disse nada, ele apenas preencheu o papel e partiu. No clube de mecânica, o ruivo também encontrou um ex aluno, mas que teve pouco ou quase nenhum contato nos anos anteriores, ele agradeceu pela resposta e não prolongou a conversa. No clube de hipismo não teve como ele fugir, o ruivo olha surpreso para as duas garotas conversando e uma delas era Kwon Hyejeong, a melhor amiga de sua ex namorada.


    Hyun Hee abaixa um pouco o olhar quando a menina o cumprimentou, era estranho voltar a ter contato com os ex colegas depois de tanto tempo, mas aparentemente Kwon estava o recepcionando bem melhor do que ele esperava, mas mesmo assim ele continuava retraído, chegou a colocar as mãos no bolso e dar um sutil passo para trás.


    - Olá... Também não esperava vir até aqui... - Hyun Hee tinha uma voz mais grossa e rouca do que nos anos anteriores.

    As duas garotas poderiam perceber que ele estava desconfortável,  ainda mais por causa de Yerin. Eles trocaram olhares por breves segundos e o que o jovem sentiu foi um arrepio na espinha, não era de admirar que o apelido dela era Rainha do Gelo. Havia algo de estranho naquele olhos, parecia que ela conseguia saber tudo que ele tinha feito e o que estava pensando. O desconforto fez ele desviar o olhar primeiro e tudo que ele queria era sair o mais rápido dali. No entanto, tentou ser educado e se despedir da antiga colega.

    - Até mais... - O ruivo caminhou para longe da dupla e nem percebeu quando Hye Min se aproximou.


    Agora que finalmente tinha acabado suas obrigações poderia ir embora, mas precisou procurar a diretora assistente para recuperar sua jaqueta e caminhou até o local onde tinha deixado sua moto, algumas meninas andavam em grupinhos, novamente com aqueles risinhos abafados, mas isso não era algo de sua conta. Quando ele estava montado na moto e pegando o capacete, mais a frente ele viu a garota do broche, que rapidamente entrou num carro preto e partiu.  Então seu olhar atravessou o chafariz e ele congelou no lugar.


    Do outro lado da rua, Jung estava sorrindo com os amigos, mas assim que eles se encararam Hyun Hee sente um aperto na garganta, sabia que não adiantava evita-lo por muito tempo, mas não estava preparado para confronta-lo agora. Ele coloca o capacete que parece quebrar aquele encanto dos dois, no exato momento em que o irmão desvia o olhar. O ruivo dá partida e acelera a moto passando pelos rapazes sem pestanejar. Enquanto dirigia a moto, evitava de pensar em todos os seus problemas, se dedicava apenas a costurar os carros pela a rua e a sentir o ronco de motor.


    Hyun Hee acaba parando em frente ao shopping famoso naquela região, iria comprar um broche para Chae e pretendia devolver o objeto quebrado junto com o novo. Então ele caminha em direção a uma joalheria e olharia pela vitrine. Se caso não achasse uma imagem de joaninha, iria pedir para que confeccionassem uma joia sob medida para a jovem.


    Spoiler:


    Enquanto a joia não ficasse pronta, o ruivo iria para a praça de alimentação, pois não havia comido nada desde cedo. Como estava com saudades das comidas coreanas, ele iria num restaurante e pediria uma porção de Ttteokbokki (um bolinho de arroz picante).

    Persephone
    Moderador
    avatar
    Moderador

    Mensagens : 729
    Reputação : 376

    Re: Capítulo 1

    Mensagem por Persephone em Seg Out 23, 2017 11:32 pm

    [MISOO]


    Enquanto ainda estavam na arquibancada, o quarteto incompleto continuava brincando entre si. Era engraçado como elas se bastavam, mesmo que fossem bastante sociáveis e falassem com outras meninas das salas. Pelo menos Bo-Mi mantinha uma extensa lista de "network" com contatos aqui e ali para que ficasse por dentro de tudo. As amigas sabiam que Bo-Mi se inspirava muito em sua "tia Myeon" que também foi uma bloggueira e youtuber durante o colegial e hoje em dia estava com a carreira em ascensão.

    Outra coisa que Bo-Mi também era boa - além de analisar pessoas e pegar informações - era cuidar das amigas. O comentário de MiSoo fez um biquinho aegyo surgir nos lábios dela e ela correspondeu ao abraço, apertando.

    - Minha pobre MiSoo-ya! Ia ficar manca se não fosse o band-aid das princesas disney. - Riu daquele drama todo delas. Pelo menos foi o suficiente para arrancar um sorrisinho de Eun-Bi.

    Bo-Mi mudou de lugar, sentando-se do outro lado de Eun-Bi e também uniu mãos enquanto ouvia o que a bailarina tinha a dizer.

    - Foi sim. - Engoliu em seco. - E não estou querendo me fazer de martir, mas eu menti. Quer dizer... - Engoliu em seco. - Eu fiquei com receio de dizer meu nome verdadeiro e quem sou, porque...Era um momento especial, sabe? A irmã dele era linda, uma criança muito especial e carinhosa. Eu prometi que ia ensiná-la a dançar, gente. - Franziu as sobrancelhas, abaixando a cabeça. - Mas aí a minha mãe descobriu tudo e eu não pude mais voltar. Agora eu sinto que ela está me vigiando 24 horas por dia! E na única vez que eu consegui voltar, eu não...Eu não o encontrei. Teria dito a verdade naquele dia.

    Os ombros dela caíram e ela meneou negativamente.

    - Ele tem razão em ficar bravo. Não precisava ter gritado, mas se fosse uma de vocês... - Olhou para as duas amigas. - Se você descobrisse da pior forma possível, que uma pessoa que você considera, esteve mentindo pra você, como se sentiria?

    Deixou aquela pergunta no ar. As meninas não precisavam responder, só pensar como era a sensação de ser traído. O que tinha chateado Eun-Bi, por outro lado, foi a impossibilidade de se defender, de tentar se explicar. Jae-Ki ficou muito nervoso e ela nem teve tempo de contar sua versão. Agora precisavam lidar com aquilo e se aturarem pelo próximo ano letivo.

    - Todo mundo já deve ter visto o vídeo. - Bo-Mi comentou. - Tomara que não briguem depois.

    MiSoo não estava sabendo do vídeo, mas caso ela perguntasse, Bo-Mi mostraria para ela o momento da briga dentro do carro. Daria os fones de ouvido também para que o audio não saísse e o motorista de Eun-Bi escutasse. Antes disso, todas aceitaram a sugestão de MiSoo para almoçarem comida japonesa. Não havia mal nenhum nisso, até porque fazia um dia um pouco quente e a comida japonesa era leve - por isso mesmo comiam muito. Durante o caminho, MiSoo poderia ver o vídeo e um detalhe chamaria a atenção dela: Won Bin tinha derrubado o bonsai enquanto andava de modo cego até Jae-Ki para impedir que ele tacasse a mochila longe.

    E, por falar em bonsai, o aceno dela tinha sido correspondido pelos três meninos antes delas entrarem no carro. Os três continuaram ali conversando enquanto elas partiam.

    Já no restaurante, as meninas conseguiram uma sala privada, onde prontamente se sentaram nas almofadas e fizeram sua propria bagunça. Acabaram pedindo uma barca de entrada com uma variedade considerável de sushi, sashimi e naguiri, fora os legumes e, principalmente, gengibre. Enquanto conversavam, Eun-Bi falava com a mãe ao telefone. Dizia que estava almoçando com as amigas, mas chegaria à tempo do ensaio das 15h. Ela foi obrigada a abrir o vídeo para que a mãe visse onde elas estavam e somente então, a Srª Choi ficou tranquila e parou de perturbar.

    Eun-Bi revirou os olhos ao fim da chamada e se ajeitou ao lado de MiSoo.

    - Então até que tem bastante gente no clube de atletismo. Além disso, também entrei para o teatro. - Mia comentou enquanto a comida era servida.

    MiSoo aproveitou esse momento para incentivá-la a ir para a dança. A menina fez uma careta, meneando negativamente.

    - Naah, eu tenho as duas pernas esquerdas, MiSoo-ya! - Continuou negando. - Só sirvo para correr, saltar e pular. Dançar, está fora de condições. - Riu - Mas eu me inscrevi no tênis também. Mesmo que a Jimin seja a capitã, eu me empolguei naquele dia. Faz um tempo que não treino e só jogo de bobeira com você. Vamos voltar à forma.

    Fez uma pose de "fighting" fechando o punho. Eun-Bi já estava comendo enquanto as amigas falavam, mas quase engasgou com o susto que Bo-Mi levou.

    - Meu Deus!!! Que horrível, não to acreditando!! Oooh!!! - Bo-Mi arregalou os olhos, levando a mão até a boca enquanto via aquilo. - Gente, essas garotas perderam a noção dos limites. Olha que coisa horrorosa fizeram!!

    Mia precisou apenas se inclinar para o lado para ver aquilo e já arregalou os olhos, chocada. Bo-Mi entregou o celular para MiSoo e Eun-Bi, mesmo que as duas também tivessem recebido a mensagem. Eun-Bi se aproximou da amiga e logo deram play naquela filmagem deplorável. O foco estava todo nas meninas que recebiam toda a sorte de alimentos podres e começavam a chorar, gritar e, até mesmo, cair no chão. Tinha umas bolas coloridas com tinta também. Em dado momento, um menino surgiu, impedindo que continuassem com aquilo, mas Hyemin caminhou até ele, quebrando um ovo em sua cabeça. A menina que ele defendia tentou argumentar com as bolsistas, exaltando suas habilidades, mas recebeu uma retaliação de ninguém menos que a própria Yerin. O casal recebeu um banho de peixe e as palavras mais cruéis de Yerin.

    No fim, terminaram tacando farinha em todos e o vídeo acabou. Eram cerca de sete minutos de gravação.

    [DONG]


    Min-Ho parou por um instante, ouvindo o pedido de Dong. O garoto estranhou o tom que o "líder" usava, por isso ajeitou os óculos, erguendo um pouco a haste grossa. Focou os olhos pequenos no rosto do garoto, chegando a arquear um pouco as sobrancelhas até que meneou positivamente.

    - Outro dia, pode ser? Não vou poder demorar muito hoje.

    Pela primeira vez não usou aquele tom irritadiço ou prepotente de antes. Pareceu até alguém próximo da humildade, o que indicava que Dong tinha tocado num ponto sensível do garoto. A conversa, contudo, ficaria para o dia seguinte ou, quem sabe, mais tarde quando ambos terminassem suas atividades. Agora o foco era seguir até Ha Neul e seu clube de xadrez.

    - É melhor a gente não começar essa brincadeira. - Ui- Jin comentou quando Dong tentou associar as peças de xadrez a eles. Do jeito que andavam, iam acabar chamando Min-Ho de peão e acabariam discutindo.

    Felizmente, o clube de dança chamou a atenção necessária. Ha Neul não se incomodava com as brincadeiras e acabou rindo também. Ui-Jin tinha uma risada gostosa, contagiante. Aquelas risadas asmáticas que acabam sendo mais engraçadas do que a própria piada. Até mesmo Min-Ho acabou dando uma risada porque a imagem de Ha Neul num clube de dança era, de fato, algo cômico de se imaginar. Depois de todos os afazeres prontos, os meninos decidiram passar uma tarde no shopping. Era mais uma galeria geek-nerd-otaku no centro de Seul. Além de ter várias lojas que eram o paraíso dos nerds, também tinha uma comida pouco nutritiva e bem gordurosa, do jeitinho que as peles oleosas gostam.

    Porém, enquanto Ha Neul chamava o UBER, Dong se afastou para se aproximar de Stella.

    - Ele tem algum ímã nessa garota, Ui-Jin? Será que ele ficou irritado quando eu me apaixonei por ela naquele dia?

    - Não sei. Eles são amigos, só, eu acho. - Ui- Jin respondeu a Ha Neul.

    O UBER estava chegando, mas Dong abriu mão dele para ter uma conversinha com a canadense. Stella levou um susto suave quando sentiu a presença de Dong. Puxou o fone, virando-se um pouco de lado para encará-lo. Sua expressao estava bem séria, a ponto dela formar um beicinho bem bicudo enquanto o encarava.

    - Oooy, Dong! O Carro chegou! - Indicou. - Eu vou ter que pagar uma fortuna!

    Dong liberou os amigos sem problemas. Ha Neul e Ui-Jin respiraram fundo e combinaram que se encontrariam na loja de camisetas. Ha Neul queria roupas novas para a aula de dança. Stella ainda não tinha dito uma palavra enquanto observava aquela curta interação e voltou o olhar para Dong.

    - Ye (Sim). - Respondeu, por fim. - A capitã não é a melhor das pessoas, mas me parece inevitável. - ajeitou a mochila. - E você? Informática e xadrez?

    Enquanto perguntava, o carro da embaixada se aproximava. Era um S.U.V preto com placa diferente. O motorista deu a volta para abrir a porta e Stella ponderou.

    - Venha, eu te dou uma carona até onde seus amigos foram. E não vou cobrar pela corrida... - Disse com pouco humor e o convidou a entrar, ainda que o correto fosse que ela entrasse primeiro.

    Poderiam conversar durante o trajeto que seria feito em cerca de 30 minutos.


    [JAE-KI E WON]

    Kang estava se divertindo bastante com os seus novos amigos. Não esperava que fosse capaz de encontrar pessoas parecidas - ainda que únicas - naquele colégio, logo no primeiro dia. Jae-Ki era bastante preocupado com a comida e em economizar, mas Kang entrou na dele e aceitou testar todos os chás naquela semana. Se fizessem isso no primeiro dia, não iam assistir nenhuma aula porque ficariam direto no banheiro.

    Quanto aos clubes, Kang fez uma careta para artes. Nada contra, mas ele não sabia desenhar nem boneco de palito, parecia que ia gastar um tempo à toa quando podia fazer algo que realmente fosse acrescentar. Meneou negativamente, ponderando sobre suas possibilidades, mas tinha até sexta-feira para se decidir mesmo.

    Ao ouvir os clubes de Won-Bin, achou bem legal. Diferente, mas legal.

    - Quem diria teatro, hm? - Ponderou. - Escolhi informática e dança.

    E fez uns passinhos estranhos quando citou dança, um Michael Jackson coreano adoentado. Riu e ficou sério, escondendo a cara enquanto ia até a bicicleta. Perguntou se Jae-Ki queria que ele levasse a mochila com ele e logo o trio partiu para o condomínio fechado.
    Chegando lá, os amigos tiveram a mesma reação que ele tivera quando entrou ali pela primeira vez. Parecia um outro mundo, de verdade. Era quase tão inacreditável quanto a própria WangJo em si. Deixou que os amigos escolhessem o que queriam comer e esquentou os ramen no microondas da loja antes de sair para os bancos de fora. Sentados em meia lua, eles começavam a compartilhar uma refeição completa e sem nutriente nenhum, mas que encheria aquelas barrigas cheias de lombrigas.

    Enquanto começava a abrir os seus palitinhos, Jae-Ki já engolia uma grande porção de ramen. Kang ficou com o queixo caído enquanto Won fazia aquele comentário engraçado, mas logo se distraiu com a imagem da irmã dele.

    - Aah, que bonitinha! Nada a ver com você. - Falou logo e o encarou. - Ela é fofinha! Eu tenho um irmão mais novo da idade dela, se já quiser combinar casamentos e...eutobrincando,Jae-ki! - Sorriu cheio de macarrão na bochecha.- Tenho um irmão da idade dela, um bebê...da minha mãe, não meu, que fique claro! E dois mais velhos.

    Muita gente, aparentemente. Coçou um pouco a nuca e quando ouviu sobre a selca, olhou para Won Bin para ver se ele aceitava e logo se juntou a Jae-Ki. Seguindo o raciocinio "não sou fotogenico, então faço careta mesmo", ele fez uma caretinha e um "v" com os dedos, mostrando que o irmão de Soo-Ji estava em boa companhia.

    Agora podia voltar a comer, mas Jae-Ki apontava para a cafeteria logo em frente. Estavam contratando para meio período. Os dois começavam a falar sobre as vantagens de trabalhar na cafeteria e Kang só assoprava seu copinho de ramen. Quando Won perguntou acerca da remuneração, Kang deu de ombros.

    - Eu não sei dizer. Comecei a trabalhar aqui no último sábado, o movimento é bom, até. Mas as pessoas são um tanto metidas mesmo, nem te olham. - Ponderou. - O café é movimentado. Vejo jovens indo ali, talvez vocês ganhem gorjeta, não sei. Querem ir lá? Meu expediente só começa às 14h mesmo.

    Deu de ombros. Isso era algo que precisaria ajustar com o patrão depois, mas não via problemas nisso também.

    Quando os três terminassem, podiam ir até a cafeteria para conversar com o gerente. Lembrava muito aquelas americanas chamadas Starbucks, mas tinha toda uma aura coreana. Os assentos eram confortáveis, as cores um misto de madeira escura com madeira mais clara. Havia poucos clientes naquele horário e os funcionários pareciam atentos ao seu trabalho. Um rapaz limpava as mesas enquanto uma menina ficava no caixa. Kang ficou quieto dessa vez, vendo quem tomaria a iniciativa.
    isaac-sky
    Troubleshooter
    avatar
    Troubleshooter

    Mensagens : 753
    Reputação : 174
    Conquistas :
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/411.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/212.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/712.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/410.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1511.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/312.png

    Re: Capítulo 1

    Mensagem por isaac-sky em Ter Out 24, 2017 12:28 am


    - Eu já sei o que vou imaginar e não vai ser um lugar legal

    Won nota a tensão de Jae-ki. Não era só uma questão de raiva, era a forma como Jae-ki encarava as coisas: muito diferente de Won que era mais otimista.
    Talvez ele não tivesse exatamente um lugar legal pra imaginar em momentos assim.

    ...

    - Quem diria teatro, hm? - Ponderou. - Escolhi informática e dança.


    -Combina com você eu acho haha
    - comentou sobre as escolhas de Kang, ainda meio nervoso.

    Kang fazia movimentos com as pernas, mas dificilmente aquilo poderia ser chamado de dança. Não queria parecer rude para o amigo, apenas acenou positivamente e sorriu para apoia-lo.

    - Isso aí cara, tá certo. Vou te falar, eu nunca fui de dançar, minha parada é mais atacar, mas também estou aqui arriscando. Tenho meus motivos e desistir não está nos meus esquemas.

    Won respira um pouco aliviado ao ver que não havia sido o único a escolher algo diferente do habitual e se desafiar.
    Ele acena positivamente para o amigo com a cabeça, o apoiando.

    ...

    Kang comenta sobre a irmãzinha de Jae-ki.

    - Aah, que bonitinha! Nada a ver com você. - Ela é fofinha! Eu tenho um irmão mais novo da idade dela, se já quiser combinar casamentos e...eutobrincando,Jae-ki!

    Won quase engasgou quando começou a rir.

    "Meu Deus hahahaha!"

    .- Tenho um irmão da idade dela, um bebê...da minha mãe, não meu, que fique claro! E dois mais velhos.

    "Nossa, quantos irmãos..."

    -Deve ser legal, ter uma família grande. Lá em casa sou só eu e meu pai... - não queria deixar o clima tenso e nem deu abertura para perguntarem sobre sua mãe - Mas acho que o Jae-ki não vai curtir muito esse lance de casar a irmã dele hein hahahaha - brincou em seguida e riu.

    O assunto ia para o lance do emprego na cafeteria, Jae-ki não parecia muito interessado devido a seus motivos.


    - Meu trabalho é perto da minha casa e depois da escola, eu teria que voltar para casa de qualquer maneira... Parece um bom emprego esse da cafeteria, mas não posso ficar tanto tempo longe de casa.

    Won acena positivamente com a cabeça.

    -Eu entendo

    - Eu não sei dizer. Comecei a trabalhar aqui no último sábado, o movimento é bom, até. Mas as pessoas são um tanto metidas mesmo, nem te olham. - Ponderou. - O café é movimentado. Vejo jovens indo ali, talvez vocês ganhem gorjeta, não sei. Querem ir lá? Meu expediente só começa às 14h mesmo.

    -Hmmm, então é meio padrão Wangjo. Acho que sobrevivo. Quero sim Kang - diz aceitando a proposta de ir ver o café e talvez deixar seu interesse na vaga.

    Já dentro do estabelecimento Won olha para Kang e Jae-ki.

    "Pera, sou eu quem devia perguntar né..." sentiu o nervosismo irracional novamente.

    -Err, olá, eu vi sobre a vaga de meio-período e queria perguntar sobre ela. A vaga - se aproximou da mulher no caixa e perguntou.

    Natalie Ursa
    Cavaleiro Jedi
    avatar
    Cavaleiro Jedi

    Mensagens : 248
    Reputação : 126

    Re: Capítulo 1

    Mensagem por Natalie Ursa em Ter Out 24, 2017 11:09 am

    - Os Bandaids de princesa são os meus favoritos! - comentou em meio aos risos que já tinha contagiado o pequeno grupo.

    EunBi começou a contar sua versão da história - mais uma vez - e BoMi sentou-se do outro lado dela, para lhe dar melhor atenção. Os sorrisos logos se tornaram rostos mais sérios que escondiam um pouco de preocupação e tristeza pelo sofrimento da amiga.

    - A sua mãe está exagerando… - resmungou por entre os dentes em um tom desanimado.

    Embora não chegasse à esse ponto, MiSoo entendia bem o que era ter uma família controladora. Nunca tinha feito algo como EunBi, então não saberia dizer se seus pais chegariam a ter alguma atitude próxima.

    Ouviu a segunda parte da explicação da amiga, cabisbaixa. MiSoo tinha ficado irritada com a atitude do garoto de ter gritado com sua amiga sem lhe dar chances de explicar nada, porém não sabia se agiria do mesmo modo se estivesse no lugar dela, sabia que era uma chorona, embora não quisesse admitir.

    Mordeu os lábios quando EunBi falou sobre “como iria se sentir se uma pessoa que considerasse estivesse mentindo”... As pessoas as quais considerava eram os seus amigos e não saberia por que algum deles iria querer mentir para ela. Dependendo da mentira poderia se sentir muito mal… Mas no caso da amiga era só um nome… Não? Mudar seu nome não mudava quem ela era… No fim, não conseguia entender exatamente o problema do garoto com EunBi, sua visão sobre essas coisas era um tanto simplista e infantil.

    O comentário de BoMi sobre o vídeo tirou MiSoo de sua reflexão e do desânimo que aqueles pensamentos lhe trouxeram. Curiosa, ela começou a perguntar que vídeo era esse que mencionavam pela segunda vez, mas a amiga lhe disse que mostraria quando estivessem no carro. MiSoo fez uma careta, simulando não ter gostado nada de ter que esperar, mas aceitou, sorrindo logo em seguida.


    Quando viu o vídeo, já no carro, ficou surpresa. Como o pessoal da escola era metido a ponto de ter gravado e mandado para todo mundo. MiSoo só esperava que isso nunca chegasse ao conhecimento dos pais. Certamente não gostariam de saber que a filha caçula tinha arranjado confusão no primeiro dia de aula e com um garoto! A jovem também viu a parte em que seu bonsai era derrubado e inflou as bochechas, fazendo outra careta.

    - Aiiishii shii shii!! O mesmo garoto que salvou minha querida mochila derrubou o bonsai!!! Só não fico revoltada com ele porque ele impediu o irritadinho de causar danos à minha mochila e porque Jung Mi não pareceu se incomodar com o pedacinho que faltava no bonsai… - dizia isso, mas continuava com uma expressão de criança birrenta.

    Com a sala privada no restaurante em que estava, as meninas podiam conversar e agir como quisessem, sem o pessoal se metendo ou julgando elas. Conversava com as outras duas, enquanto EunBi falava com a mãe e acenou para a Sra. Choi quando sua filha precisou provar que dizia a verdade. A mãe de EunBi estava realmente sufocando a garota. MiSoo queria poder fazer algo pela amiga, mas não saberia o que poderia fazer nesse caso, à não ser ficar do lado dela sempre que desse, lhe apoiando.

    - Uwoo!! Entrou para o teatro! Deve ser divertido! Acho que eu ficaria envergonhada em um clube desses… - o que parecia um comentário bem absurdo vindo da boca da garota - Devo ser péssima atuando. - ria, tentando simular uma atuação bem forçada.
    - Uwo! Uwo! Você também entrou para o tênis!? - emocionada, olhou para EunBi e depois para BoMi - Que ótimo! Vamos ter um clube em comum!! - pulou a amiga, super contente com a novidade.


    Agora ia faltar a BoMi no tênis! Olhou para a garota, esperançosa, mas nem tentou dizer nada. BoMi ter entrado para dança já era um grande avanço!

    Fez a pose de “fighting” junto com Mia, ficando de pé para dar mais ênfase ao gesto, mas caiu sentada com a exclamação de BoMi.

    - O que foi? O que foiiii!?? Aigo!! - já estava desesperada com aquela reação da amiga e se inclinava sobre a mesa, para tentar ver algo, mesmo não conseguindo chegar tão perto assim e quase deitando na comida.


    Tinha ficado muito preocupada quando viu as expressões nos rostos de Mia e Bomi. Só conseguiu ver o vídeo quando Bomi emprestou o celular às duas.

    - Aigooo! O que elas fizeram!? - olhava chocada para as imagens - Essas são as bolsistas? É o primeiro dia delas!! - olhava com desespero, muito agitada enquanto o vídeo passava diante dos seus olhos - Elas estão loucas… - agora rangia os dentes.

    Odiava esse tipo de coisa. Sem nem perceber, enquanto via o vídeo tinha pegado seus hashis e quebrado-os nas mãos de tão tensa que o vídeo lhe deixara. Já haviam tentado cometer bullying contra MiSoo naquela mesma escola, mas já tinha experiência com esse tipo de coisa e por ser uma garota geniosa e facilmente irritável, sempre revidava,mesmo que acabasse numa situação ainda pior, como ter seus pais chamados pelo diretor…


    Os gritos de pânico e horror das garotas no vídeo só deixavam MiSoo ainda mais nervosa e irritada. As garotas de WangJo tinham realmente se rebaixado à tal nível de jogar coisas fedidas e que manchavam os cabelos e roupas daquelas novatas. O quão infantil elas eram? Agora pareciam criancinhas aos olhos de MiSoo, que nunca fora uma garota madura. Os olhos dela chegaram a lacrimejar em algum momento, provavelmente sentiu-se na pele daquelas meninas acuadas. Viu a parte em que Hyemin aparecia. Sabia que a garota era amiga das peçonhentas da turma, mas não a via no mesmo nível que as outras… Até ver sua real imagem grotesca naquele vídeo.

    - Só poderia ser a Rainha das Cobras… - resmungou em total desprezo ao ouvir as últimas palavras de Yerin e sua atitude de alguém que realmente achava que era soberana de alguma coisa.

    Ao final do vídeo, MiSoo estava mordendo os lábios e respirando rápido e profundamente, mas não dizia nada, só tinha aquela expressão triste e indignada contaminando toda sua face. Nem todas as novidades divertidas e animadoras do dia podiam tirar seu horror à cena.
    Gakky
    Adepto da Virtualidade
    avatar
    Adepto da Virtualidade

    Mensagens : 1615
    Reputação : 215
    Conquistas :
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/311.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1411.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1112.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1011.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1811.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1413.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/2111.png

    Re: Capítulo 1

    Mensagem por Gakky em Ter Out 24, 2017 9:18 pm

    Durante o almoço com os seus dois novos colegas, Jae-ki estava orgulhoso por falar de sua irmã, cada elogio que davam para ela, era melhor do que ele mesmo receber. Mas quando Kang começa a brincar sobre casamento, Jae-ki lança um olhar surpreso e nervoso para o garoto que logo já tratava de dizer que era brincadeira. Won Bin se engasgava de rir do lado. Provavelmente se ele estivesse de boca cheia também se engasgaria. Os dois também falavam sobre suas famílias, Kang parecia ter uma bem grande e cheia de irmãos, já Won Bin tinha uma família menor e logo voltava a tocar no assunto de casamento...

    - Ya! Não brinca com isso, não me façam infartar antes do tempo - Jae-ki fala isso parecendo preocupado, mas em seguida sorriu com um olhar travesso e completou - E Kang você não ia querer nem que fossem amigos, o último pirralho que fez ela chorar foge só de me ver.

    Jae-ki riu orgulhoso ao lembrar de seus próprios feitos, não que fosse algo normal para se orgulhar. Depois de tirarem a Selca, Jae-ki não consegue se conter em fazer uma pergunta indiscreta ao Won Bin. Aquelas palavras sobre morar sozinho com o pai ficaram perturbando sua mente. Infelizmente ele não pensava muito antes de perguntar, sua curiosidade falava mais alto e ele realmente queria saber porque o colega só vivia com o pai, embora nem parasse para pensar que ele mesmo não gostaria de receber a mesma pergunta.

    - Eu não tenho mais irmãos, somos só eu, Soo-ji, halmoni (vó) e... Aboji... Mas Won Bin, e sua mãe? Por que não mora com ela?

    A resposta podia ser óbvia, Jae-ki merecia uma cotovela agora, mas ele queria comprovar sua curiosidade e não era discreto. Se tivesse que se arrepender, seria depois. Além disso que mal tinha em querer conhecer melhor os colegas? Talvez fossem só divorciados, é algo bem comum, e era essa a dúvida de Jae-ki. Ás vezes poderia até ficar agoniado se o deixassem muito curioso.  

    (...)

    Quando falavam sobre o trabalho na cafeteria, Jae-ki já tinha concluído que era uma má ideia para ele, mas Won Bin parecia interessado. Pelo que Kang dizia, o lugar tinha os mesmos riquinhos metidos igual os da Wangjo. Jae-ki solta um suspiro irritado, odiava ser tratado diferente só por ser pobre.

    - Aishi, só porque sentam em grana já se acham melhores... - Disse um pouco bravinho, ainda era mágoa de uma certa garota também.

    Mas por causa de Won Bin, os três foram até lá depois de almoçarem. O lugar era bonito, com certeza para atrair clientes. Café não era algo que enchia os olhos de Jae-ki, só se fosse grátis, mas não dava desejo poder pagar por frescuras no café. Sorte do Won Bin que ele decidiu falar, porque se não falasse, Jae-ki falaria por ele, do seu jeito. Enquanto se resolviam com o emprego, Jae-ki vai ficar distraído olhando ao redor os detalhes do lugar, se tiver algo de comer, ele também vai ficar olhando como uma criança fica olhando a vitrine de uma padaria, nada discreto, era curiosidade para saber o que vendiam. O garoto também olhava ás vezes para os colegas, interessado em saber como as coisas iriam proceder. Ao mesmo tempo se lembrava que estava gostando muito cedo de ter companhia, era só o primeiro dia, não podia considerá-los amigos ainda."Não cometa os mesmos erros... Espera..." - Se repreendia em pensamento, não queria ter esperanças de amizades tão cedo. Aqueles dois podiam parecer muito legais, mas não tirava o risco de se afastarem depois.
    isaac-sky
    Troubleshooter
    avatar
    Troubleshooter

    Mensagens : 753
    Reputação : 174
    Conquistas :
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/411.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/212.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/712.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/410.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1511.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/312.png

    Re: Capítulo 1

    Mensagem por isaac-sky em Qua Out 25, 2017 12:28 am


    Jae-ki respondia a brincadeira sobre os irmãozinhos.

    - Ya! Não brinca com isso, não me façam infartar antes do tempo - Jae-ki fala isso parecendo preocupado, mas em seguida sorriu com um olhar travesso e completou - E Kang você não ia querer nem que fossem amigos, o último pirralho que fez ela chorar foge só de me ver.

    -Hahaha, então sua irmãzinha tem um irmão bem super protetor. Isso é bom hahaha - dizia se divertindo um pouco com a situação.

    "Mas ela não vai curtir muito quando estiver adolescente e você espantar os namorados dela. Se for esperta que nem o irmão vai que ela vai pra Wangjo também?"

    Apesar de evitar falar sobre a mãe Jae-ki parecia insistir em saber porque ele só morava com o pai. Seria uma indelicadeza proposital ou seria apenas a curiosidade falando mais alto.
    Não imaginava que fosse por mal mas Won não gostaria de falar sobre aquele dia...não hoje, apesar dos pesares hoje tinha sido um dia divertido.

    - Eu não tenho mais irmãos, somos só eu, Soo-ji, halmoni (vó) e... Aboji... Mas Won Bin, e sua mãe? Por que não mora com ela?

    Deixou os hashis sobre o prato de ramen quando começou a falar.

    -A minha mãe faleceu quando eu era pequeno. Assalto a mão armada - disse mais sério do que havia falado com os dois. Decidiu ocultar a informação de que ele viu tudo e que estava com ela na situação.
    -Desculpa, eu não gosto muito de falar sobre isso - forçou um sorriso. Talvez não fosse só pai que não queria abandonar a memória e o lugar que a mãe ocupava no coração.

    -Aiish, eu não queria ficar todo sério do nada haha - tentou quebrar o clima pesado - Vamos lá ver esse café, quero receber em diamantes

    GodHades
    Investigador
    avatar
    Investigador

    Mensagens : 95
    Reputação : 89

    Re: Capítulo 1

    Mensagem por GodHades em Qua Out 25, 2017 4:37 pm

    - Depois eu lhe reembolso!!

    Gritou de volta para o amigo enquanto escolheu permanecer do lado de Stella aguardando o carro. - Informática e Xadrez sim, tem coisas na vida que são inevitáveis como você bem disse. - Esses clubes praticamente chamavam por ele, por seu estilo. O transporte da garota vai chegando na maciota e logo qualquer veria aquele belo SUV preto com uma placa customizada, Dong nem precisou prestar o Cavalheirismo, pois antes que sequer pensasse o motorista prontamente saiu dando a volta. O estudante lhe cumprimentaria dizendo "Boa tarde" de um jeito bem polido. Muitos jovens do seu status financeiro usualmente nem olhavam para os motoristas ou pessoas que são contratadas, Dong fazia questão de dizer.

    - Já que não falou "primeiro as damas" ao me fazer tal convite, vou entrar antes!!! Ha ha.

    E o garoto não se fez de rogado, como era um pouco baixo não precisou curvar muito os ombros para entrar de lado no carro, foi se acomodando facilmente dando a entender que não era uma pessoa difícil de se lidar ou agradar, comparado a outros meninos da mesma escola. Quando encostou a coluna no banco, soltou um suspiro de alivio, deixando a mochila Persona em cima do joelho. O certo seria Dong ter sido todo cavalheiro, tirando seus óculos e dito 'primeiro as damas' para Stella... mas não queria soar clichê e estranho.


    - Achava que esse tipo de transporte tinha aquelas bandeirinhas que se ve na Tv. Image só, uma bandeirinha do Canadá balançando?

    Claro que era uma otima ideia, afinal seria praticamente por um alvo ambulante nas costas dela, ainda maior do que já carregava.

    - Então, não deseja aproveitar e vir junto? Sabe que está convidada, é um tipo de leitura diferente, com gente diferentee... - Hee Kyung olhou para os lados como se estivesse prestes a contar um segredo - Não se preocupe, o Min Ho não estará láaa... - Dizia até sussurrado por mais desnecessário que isso fosse na distancia em que estariam. - Se bem que... - Ha Neul vai na galeria, e a essa altura ele já estaria parecendo um certo personagem da cultura ocidental, com aquelas ideias de dança.  


    Spoiler:



    Persephone
    Moderador
    avatar
    Moderador

    Mensagens : 729
    Reputação : 376

    Re: Capítulo 1

    Mensagem por Persephone em Qua Out 25, 2017 8:54 pm

    [HYUN-HEE]

    O dia de Hyun Hee não estava nada fácil. Como se não bastasse todos os encontros e reações extremas que sentiu ao longo daquela manhã, ela ainda era concluída com o encontro que ele vinha fugindo há quase dois anos. Os irmãos estavam bem longe um do outro, mas a encarada foi intensa. Jung Mi não era mais aquele menino que Hyun Hee se lembrava. Carregava uma expressão mais séria e madura, ainda que seu olhar tivesse uma dor quase que palpável - pelo menos enquanto encarava Hyun. Em contrapartida, Jung Mi podia sentir o mesmo em relação a Hyun Hee. O seu hyung estava mudado, de modo que nenhum dos dois lembrava aquelas pessoas que existiam apenas nas lembranças um do outro.

    Hyun Hee optou pelo seguro e preferiu não encarar Jung Mi além do necessário. O capacete cortou a conexão visual que os dois tinham e não demorou para que a moto partisse do colégio. Hyun ainda sentiria o olhar do irmão o acompanhando, mas logo sumiria de vista.

    Quando desceu a rampa, ele veria dois jovens - Stella e Dong - conversando na frente do carro. A menina parecia carregar uma expressão séria, mas não se incomodou quando viu o menino entrando primeiro. Não era algo que Hyun pudesse ou devesse se meter, eram apenas rostos que ele acabaria se acostumandod e ver com mais frequencia.

    Logo ele tomaria as ruas de Seul, rumo a um movimentado shopping. No caminho, ele liberava toda aquela adrenalina de sempre, cortando os carros e fazendo manobras arriscadas. Hyun era o tipo de garoto que precisava viver no limite para se sentir vivo. Caso ele parasse, seria consumido pela culpa e pelas lembranças ruins. Era preciso sempre arriscar, mesmo que a vida dele não fosse a única a ser colocada em risco quando fazia isso.

    Inconsequencias à parte, Hyun chegou ao shopping sem sofrer nenhum arranhão ou causar danos nos veiculos alheios. Depois de estacionar a moto numa das vagas destinadas àquelas máquinas, ele começou a andar pelo shopping. O terno do colégio tinha sido substituído pela jaqueta, deixando a impressão dele meio-a-meio. A calça era caqui e formal, mas a jaqueta era de couro, informal e dava um visual rebelde. Para alguém que andava com sobretudo de pele falsa, aquilo não seria um problema. Era a forma dele se expressar.

    Apesar daquela expressão séria e carregada, sua busca no shopping era nobre: gostaria de reparar um erro que tinha cometido com a menina que mal conhecia e desejava lhe dar outra joaninha.

    O problema era que joaninha não era o acessório da moda, pelo menos não na Coreia. Havia muitos unicórnios, gatinhos, até mesmo abelhinhas e borboletas. Mas nada de joaninhas. Não havia em nenhum lugar uma joaninha como aquela. E se ele parasse para pensar, ChaeYoung tinha voltado recentemente dos EUA e o broche em questão parecia um tanto quanto gasto. Sabe-se lá há quanto ela o tinha. Mas Hyun teve a ideia de confeccionar uma nova joaninha.

    Era uma verdadeira ironia que um broche velho fosse substituído por um novo, carro e confeccionado de modo personalizado. Demoraria um pouco, mas ele logo perceberia que estava dando mais crédtio àquela situação do que tinha imaginado no início.

    Ele foi informado que sua encomenda ficaria pronta no dia seguinte, mas visto a urgência, até o fim do dia, ele podia voltar para buscar. Hyun optou por esperar, pelo menos por enquanto. A praça de alimentação pareceu convidativa e ele logo estava saboreando um bolinho apimentado na melhor companhia que tinha: a dele mesmo. Porém, não demoraria para que, no meio daquela quantidade de pessoas distraídas, algo chamasse sua atenção. Sua intuição era boa - ou talvez começasse a rumar para a paranoia - mas enquanto comia, ele tinha a sensação de que não estava sozinho.

    Num primeiro momento, podia pensar que fosse o Secretário Lee, sua babá. Mas saberia se fosse ele.

    Não, era uma presença diferente que não tirava os olhos dele.

    Há quanto tempo?

    Onde estava?

    Quem era? O que queria?

    Dava para começar a montar um roteiro de suspense na mente dele se fizesse perguntas básicas. O bolinho não estava mais tão apetitoso assim e aquela quantidade de pessoas começava a incomodar. Qual daqueles olhos estavam sobre ele? E por que? A intuição apitava forte e algo dizia que não era uma boa ideia ficar muito tempo ali.

    [HYE MIN]

    Yerin tinha batido as mãos, como se estivesse se livrando da sujeira, mas logo se afastou e "deu uma ordem" para que fizessem o mesmo. O recado estava dado, portanto, não havia mais motivos para ficarem ali. Estava pegando seu alcool-gel quando reparou que Hyemin a esperava com uma expressão cabisbaixa. Hayoung também estava próxima, mas foi sumariamente ignorada pela rainha por conta de sua postura fraca. A menina não conseguia nem falar com Hyemin porque estava muito abalada para isso.

    Ao ouvir a pergunta da amiga, Yerin tombou a cabeça e olhou para Hayoung.

    - Quero, mas sem esse acessório.

    Indicou Hayoung. A menina ergueu a cabeça, encarando aquela que deveria ser sua líder e uma das melhores amigas. Yerin a encarava com a naturalidade de um iceberg.

    - Não quero ver essa sua cara inchada de lágrimas, Hayoung-shi. Você me decepcionou hoje. Se continuar assim, terei que repensar sobre sua permanência em meu grupo e amizade com Hyemin.

    - Mas...

    - Sh. Eu tô falando. - Ergueu o dedo. - Você não tem que ter pena de gente fraca, Hayoung. Eu sinceramente esperava que você pelo menos assistisse em silêncio como lido com os recados que quero dar. Sabia que por muito pouco, você não esteve no paredão?

    - Wae?!

    - Deveria me agradecer. Porque agora, olhando pra você, quase me arrependo de não ter colocado. Seria uma boa lição. - Trincou a mandibula, olhando com ranço para a menina. - Vá para sua casa e repense em seus atos. Amanhã quero ver como você vai se portar com as faltantes.- Suspirou. - Agora com licença. Vamos, Hyemin.

    Logo as duas saíram dali. O motorista da família Seo já aguardava por Hyemin, mas enquanto elas saíram, receberiam uma encarada de Jung Mi, Gyu-Sik e Ryu que estavam ali, matando o tempo. Jung Mi ainda queria falar com Sunny, mas estava estranhando toda aquela demora. Não sabia o que as garotas estavam aprontando.

    Yerin fez um gesto para ele, o cumprimentando e entrou no carro sem abrir mais chances de conversas. Jung, por outro lado, continuou fitando Hyemin, em busca de alguma resposta. Enquanto o carro delas partia, ele teve a resposta na presença de um desfile das veteranas rindo e alegres pelo que tinham acabado de fazer.

    Dentro do carro, Yerin mantinha aquela postura séria e encarou Hyemin.

    - Eu sei. - Disse, de repente. - Eu sei que tem algo de errado com você e essa animosidade com a presença daquele menino. O orelhudo que se meteu na briga. - Piscou lentamente. - Contudo, continuarei fingindo que nada sei e esperando até que você me conte o que é. Tomara que não me conte tarde de mais, Hyemin-ya.

    Voltou a olhar para a frente, enquanto elas se afastavam cada vez mais do colégio.

    - Eu confio em você mais do que possa imaginar. Seria decepcionante saber que a recíproca não é verdadeira.

    E a postura de Yerin indicava que ela não queria justificativas ou toques. Que ela sabia sim, pelas ações nervosas da amiga, a ponto de tomar a iniciativa de ferir fisicamente alguém, que havia algo errado. Mas estava dando o tempo que Hyemin queria.

    Quanto tempo seria necessário?

    [BONUS: JUNG-MI]

    Jung-Mi estava vendo aquela quantidade de meninas animadas descendo para seus carros. Cerrou um pouco os olhos e quando estava andando naquela direção, viu que algumas bolsistas e duas perseguidas de sua sala começavam a descer completamente arrastadas. O cheiro estava horrível, precisava admitir para si mesmo. Mas a cena era de dar dó.

    Nenhuma delas tinha coragem de encará-lo, mas ele também não queria falar com nenhuma delas. Acelerou um pouco a tempo de ver, pelas grades do ginásio, que Sun-Hee e seus amigos tinham corrido para o vestiário dali.

    - Ryu, vá chamar a Diretora Assistente.

    - Sério? - Gyu-Sik pareceu surpreso. - Por que você vai se meter por isso?

    Jung Mi olhou para o bonsai, como se estivesse perguntando a mesma coisa que Gyu-Sik. Mas logo puxou o ar e disse.

    - Que tipo de líder eu serei se continuar omisso? Não vou mais apenas observar.

    - Você vai comprar briga com a Yerin? Com a YERIN? - Gyu- Sik arregalou os olhos.

    - Ela que vai comprar comigo, se não entrarmos num acordo. Agora vá chamar a Srta. Yang, Ryu-shi.

    - Certo.

    [SUNNY]

    Apesar das palavras que Sunny sussurrava para si mesma, ela tinha entendido bem o recado. Yerin era alguém que sabia se fazer entender, de um jeito ou de outro. Quando as garotas foram embora e ela pôde, finalmente, fraquejar nos braços de Lee Hi, tudo o que ela queria era se livrar de parte daquilo. Kim se sentia o pior dos amigos daquele momento.

    Por ter mantido a classe e não perdido a razão com uma mulher, ele permitiu que aquela garota fizesse isso com os dois! Qualquer outro teria revidado ou empurrado o caixote para que ela caísse sozinha. Mas a verdade é que Kim também tinha sido ferido naquela "lição". Por maior que tenha sido a sua coragem, as atitudes da "metidinha" tinham mexido com ele.

    Agora Lee Hi e Sunny tinham corrido para o banheiro. O estado das duas era, simplesmente, deplorável. Mal dava para ver os olhos delas no meio de toda aquela imundice de peixe, tinta, ovos, farinha e tomate. Lee Hi amarrou o cabelo e jogou a cabeça na pia para começar a lavá-los. A água também chegaria no terno, mas ele já estava muito prejudicado mesmo. A blusa por baixo, contudo, ainda estava limpa - mas o que adiantava àquela altura, né?

    Sunny poderia tomar o seu tempo. A amiga estava ali para confortá-la e ajudá-la no que precisasse.

    Cerca de cinco minutos depois, passos apressados seguiram pelo corredor. A voz de Kim foi ouvida do lado de fora junto com uma voz feminina. Quando a porta foi aberta, a Srtª Yang, a diretora assistente, entrou no banheiro e arregalou os olhos ao ver o estado das meninas.

    - O que houve?! O que é isso?

    Lee Hi fungou, olhando para a Srtªa Yang. Abaixou a cabeça, envergonhada por seu estado e já pedindo desculpas.

    - Nós...Eu...Ela...Nós...

    - Acalme-se, eu preciso que vocês me contem exatamente o que aconteceu. Por que vocês estão nesse estado? Aisha, o Diretor saberá disso.

    - Não... - Lee Hi arregalou os olhos e levou a mão até a boca.

    Enquanto as três mulheres conversavam lá dentro e Sunny tinha a oportunidade de dar toda sua versão e contar todos os detalhes que ela registrou, de nomes, aparências, falas e atitudes, do lado de fora, Kim estava diante de dois garotos. Um deles, ele reconhecia porque vira algumas vezes no café literario. Kim tinha conseguido limpar o cabelo, os óculos e agora enfiou o terno num saco. A situação das meninas era bem pior do que a dele, apesar da dele ser ruim.

    Quando saiu, ele se deparou com o rapaz que não lhe era estranho, segurando um bonsai e encostado na parede do banheiro feminino. Ao lado dele, havia um garoto extremamente pálido e com uma expressão meio distraída, como se estivesse se perguntando o que diabos estava fazendo ali. Não demorou para que um terceiro garoto chegasse com a Diretora Assistente. A mulher perguntou se as meninas estavam no banheiro e Kim disse que sim.

    Agora ele se via naquela situação desconfortável, sem saber o que fazer.

    - Vocês são amigos, não são? - Jung Mi, perguntou, de repente, desviando o olhar do bonsai para Kim.

    - Somos.

    - Hm. - Jung Mi pareceu ponderar. - Acho que isso pode demorar e Kim Sun-Hee deve estar com vergonha. Diga a ela que amanhã conversaremos.

    - Conversar sobre o que? - Kim cruzou os braços, arqueando uma das sobrancelhas.

    Jung Mi também arqueou a dele se desencostou da parede para responder.

    - Assuntos nossos. - Disse, simplesmente. - Quando partirem, haverá um motorista esperando num Azera preto para levá-los para onde quiserem.

    - Por que aceitaríamos entrar num carro estranho?

    - Porque eu duvido que, se não for essa minha gentileza, algum carro aceite transportá-los. Mas façam como quiserem. - Voltou a atenção para o menino ao lado dele. - Vamos no seu carro, tudo bem?

    - Ok. - O que tinha chegado com a Diretora deu de ombro e os três começaram a sair dali.

    O menino com expressão mais avoada, deu uma encarada melhor em todo o contexto e pareceu bem curioso...
    Conteúdo patrocinado


    Re: Capítulo 1

    Mensagem por Conteúdo patrocinado


      Data/hora atual: Qua Jan 17, 2018 9:29 pm