Um fórum de RPG online no formato de PBF (Play by Forum).


    Juliana - Alariel

    Compartilhe
    Hellkite
    Adepto da Virtualidade
    avatar
    Adepto da Virtualidade

    Mensagens : 1783
    Reputação : 118
    Conquistas :
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/410.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/2111.png

    Re: Juliana - Alariel

    Mensagem por Hellkite em Sex Jul 06, 2018 12:08 am

    Juliana, mesmo vitoriosa, decide dar um premio de consolação para Hodot, que fica extasiado ao transar com as duas jovens deliciosas. O gozo simultâneo dos três é o grande ápice, fazendo com que Nith caia para tras quase sem forças devido aos espasmos causados pelo orgasmo intenso.

    O anão, dando mostra da grande resistência de sua raça, logo esta de pé, pega, cheira e guarda a calcinha de Juli em seu bolso. Ele da um riso maroto.

    - Podem vir me visitar quando quiser, Juli e Nith... Mas lembrem-se que sempre cobro pelos meus serviços... Em espécie... – diz, e em seguida pega as chaves da carceragem penduradas na parede – Vamos, que tenho que cumprir minha parte do trato.

    O chefe da guarda acompanha as garotas ate a cela onde estava preso Grigori. Ele estava em um canto, cabisbaixo. Porém ao perceber que Nith estava ali, ele se levanta, surpreso.

    - Nith, Nith! Que bom que esta aqui! Explique para o anão que não tive culpa pela morte daquele infeliz! – diz o rapaz. Juli pode ver que Grigori aparentava mesmo ser um anjo, com sua face delicada como a de um elfo, os cabelos loiros e olhos cor-de-mel. Isto sem falar das enormes asas emplumadas que saiam de suas costas.



    A jovem platinada faz um sinal de silencio para Grigori. Parecia não querer muito chamar a atenção, ou fazer Hodot mudar de ideia.

    - Já esta tudo explicado! Agora cale a boca que precisamos ir embora!

    O chefe da guarda não deu atenção a conversa, limitando-se a abrir a cela e fazer um sinal com o dedo para que Grigori saísse.

    - Muito bem rapaz, esta solto. Não se envolva em mais nenhuma confusão, ou suas amiguinhas aqui vão ter que fazer hora-extra para mim! – diz Hodot, com a expressão serie no rosto.
    Alariel
    Neófito

    Neófito

    Mensagens : 24
    Reputação : 0

    Re: Juliana - Alariel

    Mensagem por Alariel em Seg Jul 09, 2018 1:51 am

    - Podem vir me visitar quando quiser, Juli e Nith... Mas lembrem-se que sempre cobro pelos meus serviços... Em espécie... – diz, e em seguida pega as chaves da carceragem penduradas na parede – Vamos, que tenho que cumprir minha parte do trato.

    Escutando tais palavras de Hodot me faria virar o rosto para o lado fazendo beicinho, apenas fingindo ser inocente. - Assim você até me ofende, estava até pensando em te visitar novamente sem qualquer pretexto apenas em nome da nossa amizade, você é tão desconfiado Hod. - Diria encostando um dedo na bochecha, então dou sorriso divertido mostrando a língua para ele deixando claro que estava brincando.

    Quando Grigori finalmente estivesse solto me aproximaria dele segurando na gola de sua camisa com meus dedos e o puxaria para perto de mim aproximando seu rosto ao meu e o encararia com um olhar intimidador, então diria sussurrando para que apenas ele escutasse. - É melhor se comportar e ficar quietinho de cabeça baixa, você não faz ideia do que passamos para te tirar daqui, se fizer besteira e causar qualquer tipo de problemas para a Nith de novo vou me certificar para que você apodreça dentro de uma jaula, se tu for mesmo um anjo eu posso ser o próprio diabo, fui clara? - Diria tentando ser o mais aterrorizante possível. "Ele é realmente bonito e com essas asas parece mesmo um anjo, por sorte meu coração não é tão fraco assim... De onde Nith tirou esse sujeito?"
    Me viraria para Nith e Hodot largando Grigori e entrelaçando meus dedos levando minhas mãos ao lado do rosto soltando um sorriso angelical como se a pessoa grosseira de antes fosse apenas uma ilusão para o rapaz de alado, e diria para eles com uma voz doce e afetuosa. - Então meus amores ja esta tão tarde, precisamos voltar para casa, já esta tão tarde e pode ficar ainda mais perigoso se demorarmos. - Andaria até Nith entrelaçando nossos braços encostando minha cabeça em seu ombro.

    Ainda de braços dados com Nith eu diria a Hodot de uma forma misteriosa. - Tenho a impressão que vamos nos ver logo logo Sr. Chefe da guarda. - Acenaria para o anão me despedindo. Então conduziria Nith para fora da carceragem mas antes de sairmos eu seria fofa com os outros guardas dizendo. - Obrigada por cuidarem de mim, me sinto bem mais segura com vocês tomando conta da cidade. - Dou um abraço em Nith após meu falso discurso de bajulação apenas para ganhar a simpatia dos guardas.

    Uma vez que nós três estivéssemos nas ruas eu começaria uma conversa com Nith. - Então raposinha conseguimos salvar a pele do seu amigo, estou bem curiosa e cheia de duvidas para saber como se conheceram, mas deixa isso para quando chegarmos em casa, agora só que saber de tomar de um banho demorado e dormir, essa noite terminou sendo bem agitada mas acabou melhor sendo melhor do que eu poderia imaginar. - Olho por cima dos ombros para Grigori o examinando de cima a baixo enquanto pensaria sobre ter conseguido um contato ainda maior do que Bartin na are militar.

    Se chegássemos em casa bem eu tentaria entrar pela janela do meu quarto novamente de forma silenciosa, torcendo para meu pai adotivo estar dormindo, não estaria muito paciente para dar explicações do criminoso que até então estava preso. Assim que estivéssemos dentro eu procuraria algumas toalhas limpas e oferecia uma para Grigori. - Tome, vá tomar um banho e tirar esse fedor da prisão antes que impregne o quarto, é melhor ser discreto tem alguém nessa casa que não vai gostar de te ver perambulando por ai, mas não se preocupe que enquanto estiver acordada posso cuidar disso. - Digo com uma certa indiferença mas não sendo grosseira como antes e explicaria aonde fica o banheiro, assim que ele estivesse para sair terminaria dizendo de uma forma mais simpática. - Tente não esbarrar em nada com essas assas enormes. - Então assim que ele saísse me viro para Nith com um olhar malicioso repleto de interesse e curiosidade. - Garota de onde você tirou esse sujeito? - Escutaria a resposta de Nith pegando alguns e lençóis e almofadas improvisando uma cama no chão para Grigori.

    Assim que o rapaz retornasse eu o encararia com frieza. - Não sei se vou ter roupas para homens aqui, mas tenho uns vestido que podem lhe cair bem, vai combinar muito com esse rostinho delicado. - Daria uma uma risada abafada com as mãos mudando o olhar, para que ele não se sentisse ofendido sendo apenas uma piada para quebrar qualquer tensão no ambiente. "Nith se importa com ele é melhor eu tentar ser no mínimo simpática. - Meio desesperançosa eu procuraria algo que lhe service ao menos para dormir, talvez tivesse algo perdido de algum caso antigo, se encontrasse entregaria para ele. - A cama é pequena de mais para nós três você vai ter que se contentar com isso por enquanto, deve ser melhor que o chão da prisão. - Diria apontando para cama improvisada. - Mas se quiser tem um sofá na sala, só tome cuidado para quando o assistente daquele anão acordar e te ver jogado por la, enfim você escolhe. -

    Por fim convidaria Nith para tomar um banho comigo para depois dormimos, também emprestaria para ela uma camisola mesmo com a diferença visível de nossos corpos, seria só por uma noite acho que não teria problema. "Finalmente essa noite acabou, ainda tenho que explicar para Bartin a presença do Grigori aqui, ele com certeza vai reclamar e fazer um milhão de perguntas ou até tentar prende-lo novamente, mas amanhã quando acordar cuido disso." Dou um suspiro de alivio e cansaço por tudo ter acabado bem.



    Hellkite
    Adepto da Virtualidade
    avatar
    Adepto da Virtualidade

    Mensagens : 1783
    Reputação : 118
    Conquistas :
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/410.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/2111.png

    Re: Juliana - Alariel

    Mensagem por Hellkite em Qua Jul 11, 2018 2:33 am

    Grigori fica satisfeito ao ver a porta da carceragem se abrir, sabia que podia confiar em Nith. Ao lado da amiga estava uma bela jovem, magra e de cabelos escuros, que tinha algo de magnetizante, algo que obrigava a fixar seu olhar em sua face e seu corpo. E parecia que ela tinha um bom relacionamento com aquele anão cascudo e rabugento.

    Quando Grigori finalmente estivesse solto me aproximaria dele segurando na gola de sua camisa com meus dedos e o puxaria para perto de mim aproximando seu rosto ao meu e o encararia com um olhar intimidador, então diria sussurrando para que apenas ele escutasse. - É melhor se comportar e ficar quietinho de cabeça baixa, você não faz ideia do que passamos para te tirar daqui, se fizer besteira e causar qualquer tipo de problemas para a Nith de novo vou me certificar para que você apodreça dentro de uma jaula, se tu for mesmo um anjo eu posso ser o próprio diabo, fui clara?

    Grigori se assusta com aquela atitude, que realmente não combinava com a aparência de menina da outra, tendo agora uma atitude bem ameaçadora. Grigori engole em seco, não estava em condições de retrucar nada, e apenas se limita a acenar com a cabeça.

    O grupo então sai da carceragem, e o rapaz alado confirma suas suspeitas, ao ver Juli se despedir do anão amigavelmente. “Pelo visto a Nith tem bons contatos nesta cidade”, pensou.

    Logo o grupo chega na casa de Juli, e apesar de estranhar entrar pela janela como um ladino, Grigori o faz. Com as toalhas que tinha sido oferecidas ele caminha em direção do banheiro, na ponta dos pés e com as asas encolhidas, pois tinha visto o pai da morena dormindo em um sofá.

    Após o banho ele veste umas roupas oferecidas pela dona da casa, agradece e logo vai dormir em uma cama improvisada. Grigori dorme sem perceber que Nith e Juli saíram do quarto para se banhar.

    **

    Quando os três acordam, Bartin já tinha saído para seu serviço na guarda. Grigori, todo organizado e cuidadoso, arruma sua cama, enquanto Nith vai ate a cozinha para fritar ovos. Ainda haviam alguns pães amanhecidos e vinho, e com isto o grupo fez seu café-da-manhã.

    Entre uma mordida em um pão e uma sorvida no vinho, a garota platinada explica como conheceu Grigori. Ela sorri para os dois e diz:

    - Então, eu fazia parte de um outro grupo aventureiro... e estávamos fazendo um serviço no Baronato de Vona, quando demos de cara com um bando de orcs escravistas. Foi um combate terrível, e muita gente morreu, só sobrou eu. E estava sendo carregada para o meu cruel destino como escrava em algum lugar loinginquo, quando Grigori e seus amigos realizaram seu ataque contra os escravistas. Conseguiram derrotar a todos, e me libertaram! Fiz logo amizade com eles, e acabei entrando para o bando em que estou agora, aquele que eu te convidei, Juli! Exceto o Grigori, que decidiu sair voando por ai...

    Ao ser encarado pelas duas, o jovem alado suspira.

    - Tenho meus motivos... Estou a procura de uma pessoa, e o meu caminho me levou a outros lugares... Mas parece que o destino nos une novamente – diz, dando uma golada de vinho.
    Alariel
    Neófito

    Neófito

    Mensagens : 24
    Reputação : 0

    Re: Juliana - Alariel

    Mensagem por Alariel em Qui Jul 12, 2018 4:54 pm

    Quando os três acordam, Bartin já tinha saído para seu serviço na guarda. Grigori, todo organizado e cuidadoso, arruma sua cama, enquanto Nith vai ate a cozinha para fritar ovos. Ainda haviam alguns pães amanhecidos e vinho, e com isto o grupo fez seu café-da-manhã.

    Após acordar ainda ficaria deitada na cama por alguns minutos pensando se tudo aquilo que havia acontecido foi apenas um sonho, mas a presença do rapaz celestial me faz voltar a realidade. "E pensar que ontem nesse mesmo horário eu estava arrumando essa casa pacificamente, e agora tem tanta coisa ocupando minha mente, acho que vou continuar dormindo até entardecer."
    Entretanto ao ver Grigori arrumando sua cama tão ordenadamente chamaria minha atenção. "E ai está a maior icógnita do dia, nem mesmo nos meus sonhos mais estranhos poderia imaginar alguém como dormindo aqui." Me sento na cama coçando meus olhos tentando tirar a remela deles, e me espreguiço de maneira despreocupada deixando um gemidinho escapar. - Bom dia rapaz de asas, dormiu bem? - Digo com uma voz preguiçosa, me coloco de pé e começo a arrumar minha cama também mas de maneira não tão cuidadosa quanto Grigori. - Para alguém que foi preso por assassinato durante uma briga de bar, você é um tanto zeloso. - Diria de forma implicante com ele, na tentativa de que Grigori deixasse escapar algo sobre esse acontecimento.
    Ainda prestando atenção em Grigori olharia bem para suas asas pensando comigo mesma se elas são mesmo reais, minha curiosidade faz com que eu me aproxime do rapaz alado sendo discreta e toque delicadamente sua asa com a ponta de meu dedo indicador. "Mesmo vendo com meus próprios olhos é difícil acreditar que elas são reais, como sera a textura dessas asas? Devo admitir que elas são lindas."
    Caso Grigori se incomode com meu toque eu deixaria de encostar assustada. - Desculpe, não era minha intenção te deixar desconfortável, é que suas asas parecem tão macias e são muito chamativas que não pude controlar a curiosidade de toca-las. - Diria com um semblante de decepção.
    Se o rapaz celestial não aparentasse não ligar para o contato, eu passaria a tocar sua asa com a palma da mão tentando ser ainda mais gentil e delicada. - Eu não pude resistir, suas asas são atraentes de mais e aparentam ser tão fofas ao toque, o que exatamente é você Grigori? - Diria admirada com suas asas, sua presença me causa uma certa angustia me deixando intrigada pelo mistério o envolvendo, novamente permito minha curiosidade ganhar para poder tocar seu rosto com a mão livre e descobrir como é o tato da pele de Grigori, tocaria graciosamente seu queixo deslizando minha mão até as maçãs de sua bochecha, aproximo meu rosto mais do que deveria para apreciar seus olhos, para tentar descobrir se eles revelariam algo sobre sua personalidade. - Interessante... - Diria satisfatoriamente com um sorriso sagaz, dou de ombros para Grigori sentindo como se houvesse saciado minha curiosidade, pelo menos por enquanto.

    Sairia do quarto e logo caminho até o banheiro para lavar o rosto antes de me dirigir até a cozinha, chegando la dou um terno abraço em Nith. - Bom diia minha vida! Vou ficar mal acostumada contigo cozinhando para mim. - Digo bem alegre e radiante, aproveitando para dar um beijo demorado em sua bochecha.
    Me sentaria elegantemente na mesa com minhas pernas cruzadas e postura ereta, me deleitaria com o desjejum feito por Nith aproveitando muito bem seu sabor enquanto escuto o que ambos tinham para dizer. "Isso explica porque Nith quis tanto salvar Grigori, ela deve se sentir em divida." Fico bem envergonhada com as bochechas coradas por te-lo tratado tão mal quando o vi pela primeira vez, porém sou orgulhosa de mais para me desculpar, portanto me limito a virar o rosto para Nith e dar um bom gole no vinho, dizendo de forma fria e seca como se as palavras queimassem minha língua. - Obrigada, por salva-la. - Ainda o ignorando fico fazendo beicinho de pirraça, porém interiormente eu me sinto muito feliz e calorosa.
    Após alguns segundos respirando fitaria Grigori com o canto dos olhos desconfiadamente. - Tão misterioso.... Você é sempre evasivo assim? - Digo após tomar um pequeno gole de vinho, levo minha mão ao queixo para limpar com o polegar uma gota de vinho escorrendo pelo canto de minha boca. - Isso só me deixa com mais sede de descobrir mais sobre sua pessoa Grigori. - Digo de forma misteriosa e sutilmente ameaçadora, passo minha língua sobre o dedo sujo com o vinho provocando o rapaz celeste.

    Assim que todos acabassem de comer eu suspiro calmamente. - Como eu disse Nith ainda quero me livrar de um certo lixo que esta rondando a cidade antes de poder ir contigo. - Digo irritada imaginando o sequestrador e suas vitimas, então me viro para Grigori com mais calma e digo. - Se quiser pode continuar dormindo aqui até encontrar essa tal pessoa, meu pai não deve arrumar muita encrenca se eu falar que o chefe dele te libertou por vontade própria, mas sinta-se livre para procurar outro lugar para ficar. - Diria soltando uma risada maligna imaginando Bartin e Hodot se encontrando. "Como sera que Hodot vai ficar quando descobrir que eu sou a filha do seu assistente? E Bartin também nem deve acreditar quando descobrir a forma que Grigori deixou a prisão."
    Por fim observo ambos com uma feição mais amigável. - Agora Nith precisamos de algo importante para a festa do Conde. - Ficaria muito séria naquele momento. - Vestidos perfeitos e impecáveis, me recuso não ser o centro de todas as atenções da festa. - Com uma mistura de indignação e rancor eu digo esmurrando a mesa, - Mas para isso precisamos conseguir algum dinheiro, sabia que deveria ter extorquido aquele anão....... - Me levanto e começo a juntar minha louça suja para lava-la com um semblante muito feliz e suspeito para quem quer fazer alguma tarefa domestica. "Só de imaginar os benefícios de me aproximar do conde faz meu dia melhorar." Me imagino recebendo muitos mimos e presentes dele enquanto lavo as taças e os pratos sujos cantarolando uma melodia feliz.

    Assim que terminasse de limpar tudo, vestiria um vestido preto que fosse curto e confortável para sair, pegando minha bolsa com o dinheiro e a adaga, então encararia Nith e Grigori. - Vocês tem alguma ideia de lugar para irmos? -

    Hellkite
    Adepto da Virtualidade
    avatar
    Adepto da Virtualidade

    Mensagens : 1783
    Reputação : 118
    Conquistas :
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/410.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/2111.png

    Re: Juliana - Alariel

    Mensagem por Hellkite em Ter Jul 17, 2018 1:20 am

    Juli acorda e ve Grigori arrumando sua cama.

    - Bom dia rapaz de asas, dormiu bem?

    Grigori leva um susto, se vira e sorri meio sem jeito, levando a mão a cabeça.

    - Dormi sim, obrigado por ter me deixado dormir aqui, passei muito frio na cela da cadeia.

    - Para alguém que foi preso por assassinato durante uma briga de bar, você é um tanto zeloso.

    O breve sorriso que estava em seu rosto deu lugar para o de preocupação. Ele se vira e volta a dobrar o cobertor.

    - Olha, sobre o assassinato... Não foi minha culpa... O cara que estava no bar, nós brigamos, ele puxou a faca, tentei desarma-lo, mas ele caiu sobre a arma. Foi um acidente – diz, lamentando-se.

    Juli, intrigada com as asas de Grigori, toca nelas. O rapaz estremece ao contato, mas permite que ela continue.

    Se o rapaz celestial não aparentasse não ligar para o contato, eu passaria a tocar sua asa com a palma da mão tentando ser ainda mais gentil e delicada. - Eu não pude resistir, suas asas são atraentes de mais e aparentam ser tão fofas ao toque, o que exatamente é você Grigori? -

    Aquele momento mais intimo entre os dois serviu para retornar um pouco do animo de Grigori. A tensão no meio de suas temporas se desfaz, e ele estica as asas com todo seu esplendor, suas penas alvas e macias tornando-se eriçadas.

    - Sou de uma raça chamada Tenchi, que costuma viver nos céus, nas cidades das nuvens. Algum dia voce precisa visita-las, são maravilhosas! E apesar de sermos chamados de anjos, não temos ligação direta com os seres de asas, somos como se fossemos humanos com o dom de voar.

    novamente permito minha curiosidade ganhar para poder tocar seu rosto com a mão livre e descobrir como é o tato da pele de Grigori, tocaria graciosamente seu queixo deslizando minha mão até as maçãs de sua bochecha, aproximo meu rosto mais do que deveria para apreciar seus olhos, para tentar descobrir se eles revelariam algo sobre sua personalidade. - Interessante... - Diria satisfatoriamente com um sorriso sagaz, dou de ombros para Grigori sentindo como se houvesse saciado minha curiosidade, pelo menos por enquanto.

    O tenchi permite aquela aproximação, e por todo aquele momento ele permanece paralisado, incapaz de reagir. Ao final, depois que Juli se da por satisfeita, Grigori se permite dar um suspiro de alivio.

    - Bom diia minha vida! Vou ficar mal acostumada contigo cozinhando para mim.

    Nith da um sorriso e faz um gesto de descaso.

    - Que nada, dormi na sua casa e vou comer da sua comida... É o mínimo que posso fazer – diz, dando um tapa no traseiro da amiga, fazendo uma cara marota.

    Os três na mesa fazem o desjejum, com Nith explicando como conheceu Grigori.

    Após alguns segundos respirando fitaria Grigori com o canto dos olhos desconfiadamente. - Tão misterioso.... Você é sempre evasivo assim? - Digo após tomar um pequeno gole de vinho, levo minha mão ao queixo para limpar com o polegar uma gota de vinho escorrendo pelo canto de minha boca. - Isso só me deixa com mais sede de descobrir mais sobre sua pessoa Grigori. - Digo de forma misteriosa e sutilmente ameaçadora, passo minha língua sobre o dedo sujo com o vinho provocando o rapaz celeste.

    Grigori fita o movimento sensual da anfitriã, e por um momento Juli percebe uma fagulha vinda do interior dos olhos do rapaz alado, um olhar carregado de violência erótica e insaciável. Porem aquilo tudo é só por um momento, pois o tenchi logo se da conta do que aconteceu, finge tossir um pouco e pede para ir ao banheiro.

    Depois que ele retorna, Juli fala sobre seu planos e convida Grigori a pousar em sua casa, algo que ele aceita agradecido.

    Assim que terminasse de limpar tudo, vestiria um vestido preto que fosse curto e confortável para sair, pegando minha bolsa com o dinheiro e a adaga, então encararia Nith e Grigori. - Vocês tem alguma ideia de lugar para irmos? -

    Todos prontos para sair, é Nith quem da a sugestão, toda animada. Ela põe a mão por sobre os ombros de Juli e Grigori e praticamente os arrasta para fora de casa.

    - Agora vamos encontrar o resto do grupo! E com o Grigori, estamos completos, eles vão ficar surpresos em ve-lo! Vamos, vamos!

    Os tres não tem que andar muito ate chegar na estalagem The Flying Hero, localizada no distrito dos templos. Naquele momento estava ocorrendo uma procissão religiosa, reverenciando a deusa Mitz, com os peregrinos todos vestidos de branco e carregando ramalhetes de flores e soltando pombas brancas.

    A estalagem tinha dois andares, e era feita de madeira e tijolos. Seu telhado era amarelo. Por dentro haviam mesas e cadeiras de ferro, de origem anã mas feitas para humanos sentarem. Em uma das mesas estavam sentados um casal, que era formado por uma jovem nekojin de cabelos vermelhos e orelhas marrons felinas e pontudas, e um rapaz loiro vestido de branco e portando uma estilosa capa vermelha.



    Tanto o rapaz como a garota-gata ficam surpresos ao ver Nith junto com Grigori. O rapaz se levanta e aperta a mão do tenchi calorosamente.

    - Não esperava ve-lo por aqui, Grigori! O que o traz para a cidade de Averin? – pergunta interessado o rapaz.

    Nith da um beijo na bochecha da gata, e aponta para Juli.

    - Primeiro, primeiro, deixa eu fazer as apresentações. O Grigori todo mundo conhece... Mas esta beleza aqui é minha amiga Juli, a feiticeira que tanto tinha falado! O rapaz aqui é o exímio mago Robbie, e sua namorada é a nekojin espadachim Sheni!

    Tanto Robbie e Sheni avaliam Juli dos pés a cabeça, um examinar que a morena conhecia muito bem. O mago de cabelos loiros põe as mãos na cintura.

    - Então, decidiu se juntar ao nosso grupo? – pergunta, direto.
    Conteúdo patrocinado


    Re: Juliana - Alariel

    Mensagem por Conteúdo patrocinado


      Data/hora atual: Sab Jul 21, 2018 4:09 am