Um fórum de RPG online no formato de PBF (Play by Forum).


    [!Prólogo!] Capitulo Um - Lembranças de Evelyn

    Compartilhe
    shamps
    Adepto da Virtualidade
    avatar
    Adepto da Virtualidade

    Mensagens : 1578
    Reputação : 82
    Conquistas :
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/311.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1011.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1811.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/712.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/410.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1511.png

    Re: [!Prólogo!] Capitulo Um - Lembranças de Evelyn

    Mensagem por shamps em Qui Nov 30, 2017 8:46 pm

    Foi um pouco decepcionante saber que ficaria sozinha dali em diante, uma garota sem casa e sem direito a ficar com a irmã. Sua tristeza só não durou muito porque sabia em algumas horas estaria integrada a uma das quatro casas. Ela só assentiu com a cabeça e aguardou que Lunma lhe indicasse o vagão dos novatos.
    Lunma era bem animada e em poucos minutos já ajudava outro novato perdido, já indicando um vagão para ambos. Alanna viu o garoto se aproximar e, timidamente, acenou para ele com um leve sorriso.

    - Oi! – tentou ser cordial, mas eram tantas novidades que ela estava um pouco perdida também.

    Logo eles estavam em um vagão com quatro irmãos muito parecidos e ela sentiu uma pontinha de inveja, já que sua irmã estava longe dela.

    - Obrigada, Lunma, pela ajuda. Vou sentir saudades, maninha – abraçou Stacy antes de entrar no vagão.

    O outro novato entrou antes dela e já escolhia o seu lugar, deixando o único lugar vago para ela. Ficou temerosa em sentar no lugar do amiguinho de May e pediu permissão a ele antes de abancar-se.

    - Eu posso? – apontou para o lugar – Eu sou Alanna O’Shier. Prazer em conhecê-los. May, Yam, Oct, July , Noven e ...? – olhou para o outro garoto e torceu para que ele não tivesse nome de mês, assim como Yam.

    Alanna sorriu para July, agradecendo por ter outra menina no vagão e tentou buscar assunto com ela, mas antes que se desse conta, estava murmurando sozinha. O solavanco de partida do trem a tirou daquele momento insólito.

    - Ah, estou um pouco nervosa e vocês? – a ruivinha começou. Ela era bastante educada e de boa aparência. Tinha cabelos longos e ruivos, seus olhos azuis eram vívidos e alegres, tinha algumas sardinhas discretas, usava roupas elegantes e um brinco de rubi bem delicado. Estava sempre sorrindo e ansiava por conhecer melhor os jovens daquele vagão – ouvi dizer que essa viagem é um pouco longa. Acho que será divertido.
    mimacarfer
    Moderador
    avatar
    Moderador

    Mensagens : 279
    Reputação : 14
    Conquistas :
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/411.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/912.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/212.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1811.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/410.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1511.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/2211.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/2111.png

    Re: [!Prólogo!] Capitulo Um - Lembranças de Evelyn

    Mensagem por mimacarfer em Sex Dez 01, 2017 1:22 am


    Assim que chegou à plataforma onde o Expresso de Hogwarts aguardava os alunos da escola, Annabelle mal pode respirar. Era incrível! Muito mais do que jamais pudera imaginar. Bruxos de diversos tipos andavam de um lado para o outro com suas famílias e bichos de estimação, alguns se despediam e embarcavam no trem, outros pareciam reencontrar velhos amigos (e até inimigos), tudo acontecia ao mesmo tempo ao seu redor. Enquanto observava conseguiu reconhecer Melissa e os tios não muito longe dali. Sua prima estava linda no vestido verde água que havia ganhado de Moira logo após o recebimento da carta de aceitação na escola. Parecia uma princesa!

    Annabelle também usava o vestido que ganhara da tia, porém em um tom de verde esmeralda que destacava seus olhos, e ainda usava seu casaco preto que ia praticamente até a barra do vestido. Seus cabelos eram tão compridos quanto os de Melissa, porém um pouco mais ondulados e de um castanho bem vivo. No pescoço, o medalhão que ganhara da mãe ao nascer e que jamais tirava para nada, e nos pés, sapatilhas pretas. Sorriu ao ver Melissa gritar seu nome e vir correndo em sua direção. Somente ela era capaz de deixá-la feliz daquela maneira. Abraçou-a e foi logo puxando conversa enquanto levava o carrinho com suas coisas na direção dos tios, seguida por seus pais:

    - Achei que ainda não tinham chegado!

    Cumprimentou a tia com um abraço e em seguida o tio, posicionando-se ao lado de Melissa enquanto os cumprimentos continuavam. Ouviu a tia falar com sua mãe algo sobre estarem atrasados, mas resolveu não dar atenção à conversa dos adultos. Aparentemente faltava pouco tempo para a partida do trem e a plataforma ia se aquietando rapidamente:

    - E aí, ansiosa?...

    Ia continuar, porém acabou sendo interrompida por um rapaz loiro e de olhos claros, aparentemente um pouco mais velho que elas. Ele se apresentou como monitor e se propôs a acompanhá-las até uma das cabines do trem.

    - Sim, já vamos fazer isso. Obrigada!

    Aproximou-se dos pais e, com um abraço, despediu-se rapidamente. Uma angústia começou a tomar o seu peito enquanto o fazia, mas acalmou-se ao pensar que pelo menos Melissa estaria ao seu lado enquanto estivesse longe do restante da família. Só esperava que ficassem na mesma casa, afinal não saberia como reagiria se fossem separadas... Ouviu mais algumas orientações do pai sobre manter-se longe de encrenca e, após lhe dar um beijo foi dar um abraço em sua tia. Esta por sua vez lhe disse para ter cuidado com as companhias e tentar andar mais com "gente como eles" enquanto olhava para o monitor próximo a elas. Consentiu com a cabeça, sorrindo, e, após esperar Melissa terminar de se despedir, seguiu rumo à locomotiva atrás do monitor que carregava suas malas. Não haviam muitas cabines vagas àquela altura, mas encontraram uma mais vazia no fim do corredor e resolveram ficar por lá. Sabia que pelo menos até chegarem a Hogwarts seria difícil não manter um mínimo de contato com "aquela gente".

    Próximo à janela uma criatura estranha de orelhas pontudas e grossas parecia estar dormindo pesadamente. Olhou para ela com certo espanto e desdém, enquanto Louie se despedia dizendo que as via em Hogwarts:

    - Ei, espera! Não pode nos deixar aqui! - disse, aparentemente zangada.

    Porém já era tarde demais... O rapaz se afastou rapidamente sem nem ouvir sua frase terminar. Olhou para Melissa, completamente em pânico, como se perguntando o que fariam e disse o mais baixo que pode para a prima:

    - Acha que devemos procurar outro lugar?
    Persephone
    Moderador
    avatar
    Moderador

    Mensagens : 617
    Reputação : 312

    Re: [!Prólogo!] Capitulo Um - Lembranças de Evelyn

    Mensagem por Persephone em Sex Dez 01, 2017 2:23 am


    O abraço em Belle era bastante honesto e genuíno. Melissa estava verdadeiramente feliz por encontrar a prima e, agora sim, demonstrava toda a ansiedade que habitava seu peito - por um instante, ela até mesmo conseguiu apagar a lembrança daquele terrível pesadelo. Afastou-se após alguns instantes balançando com a prima de um lado para o outro e a encarou.

    - Não faz muito tempo que chegamos. - Respondeu ao primeiro comentário e então puxou o ar para comentar. - Você está tão linda!! - Os olhinhos brilhavam de modo meigo. - Mas vamos ficar ainda mais lindas com aqueles uniformes!

    Afastou-se um pouco, permitindo que Belle empurrasse o carrinho e logo alcançaram onde seus pais estavam. Enquanto Belle falava com os tios, Lissa repetia o gesto. Abraçou a tia gêmea de sua mãe e também foi bastante afetuosa com o tio. Voltou a encarar a prima e meneou positivamente.

    - Estou sim e você!?

    Mas antes que elas pudessem continuar com a conversa, um estudante mais velho, se aproximava com os trajes de Hogwarts e um notável distintivo em seu peito. O rapaz era bastante bonito para os padrões da sociedade e tinha uma aura bondosa, quase angelical. Atraiu a atenção das meninas e de seus familiares, de modo que Melissa passou a observá-lo atentamente. O sorriso aberto que tinha destinado à prima, virou apenas uma linha sutil nos lábios.

    - Muito prazer, Sr. Beauchamp. Obrigada pela atenção.

    Disse de modo educado e virou-se para os pais. Fez um beicinho triste, porque teriam que se separar deles e logo se agarrou à cintura do Sr. Vaughan. O pai acariciou o cabelo dela, sempre no ritmo constante para deixá-lo perfeitamente alinhado e a mãe também transmitia seu afeto. Estava deveras emocionada por ver a filhinha tão crescida.

    Melissa recebeu as devidas recomendações sobre bons modos e comportamento para com os estranhos. A mãe até chegou a franzir o nariz quando citava “aquele tipo de gente” que a loirinha entendeu bem quem era. Depois de tomar um tempo com o pai, também se despediu dos tios e seguiu com seu carrinho.

    Observou com cautela se estava no lugar devido para ser guardado, mas logo seguiu com Belle carregando a mala que continha o uniforme sem casa ainda. O monitor guiava as duas pelo vagão até que abriu uma das cabines. Ficou satisfeita com a educação dele por levar as malas delas, pois poupava seu esforço - não que ele estivesse gastando muita energia, pois usava a magia para isso.

    Tão logo chegaram até a cabine, a primeira coisa que Lissa viu foi a pessoa que estava ali.

    - Sr. Beauchamp! A cabine já está ocupada! - Lissa tentou ser polida, mas queria dizer “não quero ficar aquiii”. Franziu um pouco as sobrancelhas e bufou quando ele só deu as boas-vindas e fechou a cabine.

    Ficou parada, sem se sentar e olhou para a criatura de novo. Não conseguia identificar que raça era aquela - pois não considerou um humano, diante do tamanho e as orelhas pontudas. Um duende, talvez? Fez um beicinho infeliz e olhou para a prima.

    - Somos obrigadas a ficar o tempo todo aqui dentro? Vamos dar uma volta e ver se não tem outro lugar mesmo…O que acha?

    Caso a prima topasse, Melissa abriria a porta da cabine e colocaria a cabeça para fora, olhando os dois lados do corredor e se decidindo qual das duas direções tomar.


    Wolfnys
    Tecnocrata
    avatar
    Tecnocrata

    Mensagens : 309
    Reputação : 8
    Conquistas :
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/411.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1011.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/212.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/712.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/410.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1511.png

    Re: [!Prólogo!] Capitulo Um - Lembranças de Evelyn

    Mensagem por Wolfnys em Sex Dez 01, 2017 11:17 am




    "Sinto que minha vida é um imenso sofrimento, cada dia é uma tortura e a morte é a única certeza de felicidade, mas nem mesmo ela deseja me presentear com seu beijo frio e eterno..."


    O despertar, uma benção para alguns, um alivio para outros, mas para mim era uma tortura a parte. O pesadelo de sempre, o suor molhando a cama, os gritos me acordando, mais um dia comum na vida de Andrew, minha vida. Levantando da cama tirando o pijama molhado e deixando no piso de madeira envernizada do meu quarto, estampas de ursos felizes, meu maior desejo era colocar fogo naquela coisa ridícula, mas era um presente e essas coisas não da pra escolher, infelizmente.

    Após um longo e demorado banho quente, onde passei boa parte do mesmo sentado no piso, pensando no dia de hoje e em tudo que isso mudaria na minha vida.

    "Minha vida já está boa assim, porque tenho que me mudar para uma escola de magos?"

    Pensei comigo enquanto vestia uma camiseta cinza com a estampa de um podcast que adorava, calça jeans e botas cor de areia, desci esperando a festa no café da manhã, mas para minha surpresa apenas a calmaria reinava naquela casa, um milagre eu diria. Na cozinha sobre a pequena mesa redonda havia um prato com ovos mexidos, bacon, waffles, um imenso frasco de calda de caramelo e um bilhete.

    'Um café da manhã especial para o meu bruxinho, saí cedo para te comprar algumas coisinhas para o início da aulas, nos encontramos na estação e não perca o horário, com amor mamãe."

    Ao fim do bilhete havia alguns desenhos de corações e pequenas varinhas soltando faíscas, amassei o papel e o joguei na lixeira na pia, sentando em seguida e comendo meu "café da manhã especial".

    Após o café o dia fluiu rápido e quase perdi o horário, por sorte já tinha preparado minha mala e o Uber já tinha sido pedido, cortesia da minha mãe super protetora. Cheguei a estação quase em cima da hora e quando atravessei a coluna de tijolos esperei por um segundo que acontecesse o choque e que eu me machucasse, mas tudo fluiu como deveria, para minha tristeza.

    - Andy, filho!

    Eu não precisei olhar para saber que era minha progenitora, senti a pele do rosto corar e a vontade de me jogar embaixo do trem aumentar, ela se aproximou correndo e me abraçou, dando dois beijos na minha testa, era uma das poucas coisas que eu adorava e que me faziam sentir seguro e feliz.

    - Chegou bem na hora, rápido suba no trem, muitas coisas novas te esperam!

    Ela estava muito empolgada, parecia até que ela quem ia começar os estudos, quem dera fosse isso mesmo.

    - Sim mãe, já vou e não esqueça do nosso combinado.
    - Certo, certo, se você não se adaptar poderá voltar e eu esqueço essa coisa de escola de magia.

    Deixei um leve sorriso fluir pelos meus lábios, um dos poucos que já existiram durante minha curta vida, apanhei minhas malas e adentrei a locomotiva, procurei uma cabine que estivesse vazia e me acomodei, esperando que o trem partisse enquanto lia um livro chamado "Neuromancer".


    Raijecki
    Investigador
    avatar
    Investigador

    Mensagens : 90
    Reputação : 0
    Conquistas :
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1011.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/712.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/410.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1511.png

    Re: [!Prólogo!] Capitulo Um - Lembranças de Evelyn

    Mensagem por Raijecki em Sex Dez 01, 2017 1:03 pm


    Quando Daemon adentrou a locomotiva, sentiu o assoalho tremer, possivelmente pelas grandes e fortes engrenagens que a fazem se locomover.
    "Preciso achar uma cabine, tomara que ache alguém para conversar, a viagem inteira sem falar com ninguém? Seria um tédio!"Não costuma acreditar muito em destino, mas como respeitava e admirava muito sua mãe, nunca quis contradize-la, porém acabou encontrando um garoto pouco mais alto que ele, tinha cabelos escuros e olhos azuis, para Daemon, a fisionomia das pessoas sempre vinha clara como a luz em sua memória. Pensou em se apresentar, mas o menino foi mais rápido, o que de certa forma foi estranho, por estar acostumado a ser o primeiro a tomar alguma atitude, e ainda mais pelo fato do mesmo ter começado falando da beleza de sua mãe. Ele se apresentou educadamente como William, e até se justificou dizendo que só a elogiou por sentir falta da sua, o que fez Daemon concluir que ela estivesse falecida.

    - Prazer William, eu sou Daemon, sim ela é italiana, e ah... sinto muito pela sua mãe. - Disse com um sorriso tímido de canto de boca. Apesar de lamentar a perda de William, estava feliz por já ter conhecido alguém.
    "Destinazione? vou ter de contar isso para mamma" - Decidiram procurar uma cabine juntos, e tiverem sua atenção chamada por um rapaz mais velho, talvez um quartanista por sua aparência, vestia o uniforme da Grifinória, com um "M" estampado no peito, que Daemon reconheceu imediatamente como sendo o simbolo dos monitores de Hogwarts, afinal seu pai também ja havia sido um e adorava se vangloriar por isso, tinha cabelos castanho claro e uma expressão que transparecia tranquilidade. Se autodenominando Graham Bornhöffer, Daemon percebeu um sotaque diferente, carregado, e que seu sobrenome não lhe era estranho. Quando os garotos iam se apresentar, foram interrompidos por outro rapaz, esse de nada lembrava Graham, tinha cabelos negros e um olhar estranho, intenso, reparou que só podia ser um Sonserino, por que sua fisionomia batia com as histórias de sua mãe "Tenha calma com os Sonserinos" ela dizia, provavelmente esse conselho já estava se fazendo válido, porque logo em seguida o rapaz desferiu um olhar de desprezo para os dois, e com um sorriso balançou a cabeça negativamente antes de se afastar. Graham os ajudou a carregar a bagagem até uma cabine aparentemente vazia, mas não menos interessante. As portas se abriram sozinhas, e lá dentro só havia uma carta já amarelada pelo tempo, que o apressado Wiliam já á lia em voz alta o único dizer na parte de trás da mesma.
    “Aos cuidados do “décimo”, Sr. Griffiths” - Essa frase já chamou muito sua atenção, seria alguma pegadinha? Mas ainda não tinha dito qual era seu sobrenome, ia se perdendo em seus pensamentos quando Wiliam continuou:
    "Alguém aqui é o décimo ou conhece alguém chamado Sr. Griffiths?" - Disse já á entregando nas mãos do monitor.

    - De décimo eu não sei nada, mas meu sobrenome é Griffiths - Falou, esperançoso de que alguém ali o explicasse o mistério da carta.
    Bravos
    Troubleshooter
    avatar
    Troubleshooter

    Mensagens : 832
    Reputação : 42
    Conquistas :
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/411.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1112.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1011.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/212.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1811.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/2111.png

    Re: [!Prólogo!] Capitulo Um - Lembranças de Evelyn

    Mensagem por Bravos em Sex Dez 01, 2017 6:47 pm

    Clément ficou um pouco embaraçado quando a garota lhe perguntou se era francês. Não que tivesse algum tipo de vergonha disso, mas falou francês sem querer. - Er... Sou sim. Acho que estou um pouco ansioso e acabei falando sem querer... - Ela falou sobre sua cidade e ele não fazia idéia de onde ela ficava, mas pelo modo que Cassandra falou, deveria ser mais perto de Hogwarts que Londres. - Eu não conheço essa cidade. Meus pais também falaram muito dessa ida para a escola. - O garoto se apresentou e logo perguntou sobre as casas. Ele parecia um tanto quanto inseguro. Clément não era propriamente inseguro e por isso achava um pouco estranho isso por parte de algumas pessoas. Não as julgava, contudo.


    - É um momento importante esse da escolha das casa, não é? Não sei em que casa devo ficar. Minha mãe estudou em Beauxbâtons, então lá é diferente... Logo, não sei muito sobre as casas daqui. Como elas são? - Claro que sua mãe havia dito algo. Muito por cima. Sabia que havia uma espécie de competição e que isso envolvia quadribol também. O quadribol o animava mais, para falar a verdade. Quando o assunto se voltou para Pancho, ele sorriu largamente. Gostava bastante do seu Oraqui-Oralá - Pode sim, a gaiola é enfeitiçada e não permite que ele desapareça e apareça em outro lugar. Assim ele não pode fugir. Pancho não é muito corajoso, embora seja um bom amigo. - Colocou a gaiola mais perto de Ewgol para ver se ele ficava menos tímido também. As pessoas costumam gostar de animais pequeninos. - Vocês sabem quanto tempo leva até Hogwarts?


    Off:

    Luxi
    Moderador
    avatar
    Moderador

    Mensagens : 1420
    Reputação : 331
    Conquistas :
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/311.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1411.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1012.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/912.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/212.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1811.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1413.png

    Re: [!Prólogo!] Capitulo Um - Lembranças de Evelyn

    Mensagem por Luxi em Dom Dez 03, 2017 11:23 am




    A garota apenas guardou as informações que o irmão lhe dava. Era muito estranho que tivesse partilhado do mesmo pesadelo, mais de uma vez. Aquilo era preocupante, mas ela preferia investigar longe dos pais, de certa forma. Não precisava ter medo do presságio, mas talvez devesse começar a pensar mais sobre ele. Talvez no trem pudesse falar a respeito disso com mais calma.

    - Tá bom, 'maior bruxo'. Vai ter que passar de ano primeiro. - mostrou a língua, um tanto brincalhona, mas mais implicante. Não o detestava completamente.

    Rosalie revirou os olhos. Por que tinha que ficar no mesmo espaço que aquela pessoa estranha? Mas tudo bem, deveria ser alguma instrutora, era melhor seguir. Deixou que a outra carregasse suas bagagens, sem se importar em ajudar, então não entendeu por que ela pediu desculpas. Só trocou olhares com o meio-irmão, esperando que ele também quisesse escolher algum lugar sem essa pessoa.

    Sem cerimônia, deixou que a outra colocasse suas malas no compartimento, mesmo visivelmente tendo esforço e sentou-se colada na janela e espaçosa.

    - E quem é você, por acaso? É monitora? Então por que não está usando o uniforme da escola? - já saiu perguntando.

    Aparentemente não teria espaço para falar sobre o pesadelo em paz.

    Hylian
    Samurai Urbano
    avatar
    Samurai Urbano

    Mensagens : 116
    Reputação : 7

    Re: [!Prólogo!] Capitulo Um - Lembranças de Evelyn

    Mensagem por Hylian em Dom Dez 03, 2017 6:06 pm






    Alanna O’Shier & John Casablancas



    - Demora muito, quase o dia todo, devemos chegar em Hogwarts só a noite – Explicou October sem tirar os olhos do livro que tentava ler.

    – Não se preocupem, ele é assim mesmo, nada social... – Consolou July com um sorriso meigo no rosto.

    November se mantinha contanto as pilastras que podia ver ainda no interior do galpão aonde a locomotiva permanecia estacionada, embora com o motor ligado.

    – Vocês querem chocolate? – Perguntou May encantado em poder dividir o que tinha. – Pode pegar Yam... – Disse o menino esticando a mão com um pequeno sapinho de chocolate para o amigo invisível. Nenhum dos irmãos de May davam mais atenção a aquela esquisitice, July já estava acostumada com aquilo e negou os chocolates. Da mão de May que antes havia um chocolate, já não havia mais, era como se tivesse desaparecido em questão de milissegundos.

    – Está fazendo aquele truque de novo... por que não se convence logo que você é louco! Você já tem dez anos, passou da idade de ter amigos imaginários...

    October era sempre muito duro em suas palavras, mas talvez não fosse por mal, apenas fosse o jeito dele de se expressar, o que quase sempre não era muito bem-vindo.

    – Chega vocês dois... – Ralhou July prevendo uma briga – May, pare de assustar as pessoas... E October, se vai ler o seu livro, pare de prestar a atenção nos outros e cuide do que está lendo!






    *****




    Daemon Griffiths   & William Phelpps


    Graham apoderou-se da carta dada por Phelpps, olhando-a cuidadosamente. Até imaginou que muito provavelmente fosse alguma pegadinha, alguma espécie de carta “surpresa”, que ao abrir pudesse ser desagradável, mas Daemon Griffiths era novato e não parecia conhecer ninguém ali. A carta estava magicamente selada e com uma magia superior a de qualquer aluno ali, nem mesmo ele conseguiria produzir um “cadeado” tão forte daquela forma, embora ele conseguisse sentir.

    – Isso é realmente muito estranho... – Murmurou ainda perdido em seus pensamentos, tentando entender o que era aquela carta.  – Se a carta possui o teu nome, então ela pertence a você, mas duvido que consiga abri-la com facilidade, mas você pode tentar... – Explicou Bornhöffer, estendendo a mãos com a carta oferecendo-a ao seu possível dono. – Se não conseguir abrir a carta, fale com o professor Dwelrf, ele certamente tem a magia necessária para essas coisas, vocês terão aula com ele de “História da Magia”.  Agora sentem, o trem já deve começar a viagem...





    *****





    Cassandra Blackheart   & Clemént Vaganay


    Ewgol se sentiu estranho quando tocado por Cassandra, de certo ela se atreveu a invadir um limite que ninguém o fazia, nem mesmo seus pais, era difícil de explicar sobre aquilo. O pequeno contraio as pernas como se temesse sentir dor, mas relaxou, após alguns segundos, ainda se sentindo estranho. Não estava incomodado com a garota, mas a situação lhe era nova.

    Mesmo tímido, Ewgol ficara profundamente interessado no animal que nunca pode ver antes, era a primeira vez que via uma criatura tão fascinante, mas não ousaria se aproximar muito ou tocá-lo, pelo menos não naquele momento. Não por que não gostasse, pelo contrário, embora tivesse sido criado em um ambiente completamente contra animais, ele sempre tivera o sonho de possuir um amiguinho do tipo, já que suas relações e lembranças com outros “humanos” não eram nada boas.

    - Fa-fa-si- NÁn-te-teh... – Gaguejou ele, o que era normal ele fazer quando suas emoções chegavam a um nível considerável. – Eu acho que cairei na Lufa-lufa, minha família é de lá... – Disse, entre uma tentativa falha de sorrir.




    *****




    Annabelle Hooper & Melissa Vaughan



    O elfo-doméstico continuava imóvel, a sono profundo no interior da cabine e não parecia perceber a presença das duas alunas, nem mesmo pareceu despertar quando as malas eram encaixadas no maleiro.

    O corredor era realmente estreito o que era surpreendente caber tanta gente naquele lugar, indo e vindo em direção aos seus próprios destinos, mas naquele momento estava completamente vazio. Era possível escutar alguns barulhos, mas eram apenas conversas que vinham do interior de outras cabines e não era possível entende-las com clareza, exceto quando um ou outro gritavam. Não era possível também enxergar os demais vagões. Um vulto capaz de congelar a espinha passou tão ligeiro por elas que, até mesmo um aluno mais velho se sentiria incomodado. Não possível ver o que era, talvez fosse algo da cabeça delas, talvez pelo silêncio, as luzes apagadas e como não podiam enxergar os demais vagões e por estarem sozinhas, quem sabe?

    Naquele vagão em si, era possível ver cinco outras portinholas, mas todas fechadas. Havia também um uma pequena mesinha retangular tão estreita e encaixada no canto que não atrapalhava as pessoas de passarem e nem ao menos era notada. Sobre a mesa uma espécie de caixinha de música fora deixada lá, era um objeto pequeno e redondo, muito bonito. Cravejado com várias pedras preciosas, inclusive sua base era o ouro. Uma pequena musiquinha soava do interior do objeto fechado, e era possível ouvir como se fosse um gemido suave.






    *****




    Andrew Montbeel



    Uma cabine sozinha era quase impossível de se encontrar visto o número de alunos que voltavam e ingressavam a Hogwarts naquele ano. Mas, parece que o expresso atendera aos desejos do pequeno Montbeel, reservando-o uma cabine inteira só para si. Era possível até mesmo esticar-se ocupando três lugares e descansar por toda a viagem, sem imaginar que poderia ser importunado, isso seria fantástico, não?

    Estar sozinho era um momento mágico, aquele momento que você pode se sentir confortável com sua própria companhia, inclusive se atrever a conversar consigo mesmo, sem ser julgado ou chamado de esquizofrênico ou qualquer outra coisa que se remetesse a “falar sozinho”. Os únicos barulhos que era possível ouvir tratava-se do motor do expresso que ainda parecia se esquentar para partir. Os alunos em outras cabines pareciam ansiosos e agitados, mas era difícil entender o que falavam, mesmo quando diziam em voz alta.

    Talvez você estivesse ficando sonolento, os barulhos finalmente pareciam ficar menores, quase que inaudíveis, até finalmente você não escutar nada, exceto o silêncio que transpassava uma calma, seus sentidos se tranquilizavam e a única coisa que você sentia e ouvia eram os batimentos frágeis de seu coração que, batia tão devagar que era possível conta-los. O sono veio sem avisar e finalmente, a luz que iluminava a cabine se apagara, um breu total, a própria escuridão, falta de luz, invadiu o lugar. De repente estava frio, a temperatura parecia cair gradativamente.



    (sonho)

    - An...D...rew... – Uma voz feminina soava ao longe, era preciso focar para entender o que dizia, mas só repetia pausadamente o seu nome, até que finalmente parou de falar.

    - Ele está vindo! – Gritava uma mulher aos prantos. Ela tremia de uma maneira perturbadora. Seu rosto estava borrado, e ela segurava sua varinha quase a deixando cair de tanto tremer.
    De repente a imagem mudou, agora uma “criatura’ encapuzada que escondia todo o seu corpo, emanava uma energia assustadora, segurava um homem, idoso, pelo pescoço, levantando-o pelo menos alguns palmos do chão.

    – A profecia... Ela termina aqui... Junto com Evelyn...! – Disse uma voz estridente que ecoava para além daquele recinto, diretamente para a sua mente.
    Finalmente um grito da mesma mulher desesperada, um lance de luzes esverdeadas e só o que você ouvir, de volta a escuridão total, fora o barulho de um corpo desabando em um chão de madeira. Alguém perdera a vida ali, mas quem?

    (fim do Sonho)



    Ao despertar, provavelmente gritando ou se aguentando, como preferir, percebeu que tudo era um sonho. Você continuava em uma cabine solitária.



    *****



    TODOS





    Uma voz masculina ecoou por todos os vagões, como se saíssem de invisíveis caixas de som.

    – Discentes! – chamou uma voz que se propagava da mesma forma como se tivesse com um microfone nas mãos. Ele mantinha sua varinha apontada para a garganta que provavelmente era a magia que produzia sua voz daquela forma. – Atenção, Por favor... O Expresso Hogwarts deve iniciar sua viagem neste momento. Quero lembra-los que não é permitido o uso de magia durante a viagem e, somente em casos específicos ou emergenciais será permitido alunos perambulando pelo corredor – Avisou ele de forma educada e calma.

    Uma outra bruxinha gorda e baixinha, com cara de quem chupou um limão azedo aproximou-se dele cochichando algo em seus ouvidos. O Bruxo pigarreou e voltou a se pronunciar para todos.
    - Ah, sim, é... – Gaguejou – Lembrem-se, não existe vagões exclusivos por casa, os alunos podem sentar-se aonde melhor desejarem, com exceção dos vagões principais, são eles: Vagões da Monitoria, aonde só é permitido aos monitores e chefes de casa e o vagão dos professores. Devemos chegar a Hogwarts por volta das seis horas da noite. Obrigado!

    Finalmente a locomotiva começou a se mexer, ganhando força e consequentemente velocidade, fazendo os menores afundarem em seus acentos. Não demorou nem segundos para que o expresso fizesse uma curva fechada, balançando seu interior, e desaparecesse do galpão, correndo os trilhos em alta velocidade. Os campos verdes abertos logo viraram uma realidade e Londres fora deixava para trás.

    Era possível ver apenas animais não-mágicos, como vacas, bois e outros animais de fazenda que bruxos em sua grande maioria não estavam muito acostumados, o que causava um grande alvoroço para ver aqueles animais estranhos através das janelas das cabines. Não demorou muito para os campos abertos serem substituídos por uma região montanhosa, cobrindo quase que totalmente a visão de todos. Era possível ver ao longe uma grande subida nos trilhos que levaria o expresso a alguns quilômetros acima do nível da terra e lá percorreriam por algum tempo.


    OFF - AVISO escreveu:

    Galera, acho que está acontecendo algum problema de interpretação. Vi alguns descreverem que o trem já havia partido e em momento algum eu citei que ele havia partido,
    somente que ele estava se "preparando para o ato", motor ligado, vibrações características nos vagões e cabines.

    @Luxi, vou esperar o post do @isaac-sky e atualizo para vocês o//

    PS: Leiam o Mural de Avisos

    quaisquer dúvidas, estamos ae!


    Freya Stormborn
    Cavaleiro Jedi
    avatar
    Cavaleiro Jedi

    Mensagens : 167
    Reputação : 2

    Re: [!Prólogo!] Capitulo Um - Lembranças de Evelyn

    Mensagem por Freya Stormborn em Dom Dez 03, 2017 7:13 pm

    Ravenclaw's Girl
    Comecei a acariciar o animalzinho e deixei Ewgol "em paz" por hora. Havia notado que ele se encolheu e fiquei corada ao notar aquilo. Acho que acabei ultrapassando sem querer os limites do que poderia ou não fazer, mas certamente havia sido feito com a melhor das intenções do mundo. Quando Clemént perguntou sobre as casas, parei um pouco as carícias no bichinho e respondi com a voz animada.

    Não precisa se desculpar, o idioma é bonitinho. Meu pai me contou um pouco. Somos selecionados de acordo com as características que os fundadores estimavam, pelo que ouvi. A Grifinoria presa a coragem, ousadia e nobreza. A Lufa-Lufa presa a lealdade, a sinceridade e a justiça. A Sonserina preza a ambição e a pureza de sangue. E Corvinal presa a inteligência e interesse por aprender.

    Resumi para o rapaz o que havia ouvido de meu pai quando o perguntei. Achava que talvez devesse omitir a "má fama" que algumas poderiam ter eventualmente. Por exemplo, todos por ali criados no meio bruxo sabiam que da Sonserina vinham bruxos malignos e que o pessoal da Grifinoria costumava ter o ego inflado, enquanto lufanos eram vistos como estranhos e muitos corvinos eram excêntricos. Mas não era educado contar isso para o rapaz, não sabia onde ele e Ewgol iriam cair.

    Hosmeade é bem perto de Hogwarts. O trem para na estação de lá. E a viagem dura looooongas horas, pelo que ouvi dos meus avós paternos. Mas elogiaram muito a paisagem no caminho.
    O espirito sem limites é o verdadeiro tesouro do homem.


    Off:
    Só confirmando que estou falando com o @Bravos e com o NPC
    zignon
    Garou de Posto Cinco
    avatar
    Garou de Posto Cinco

    Mensagens : 2033
    Reputação : 49
    Conquistas :
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/311.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/811.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/212.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1811.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/712.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/612.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/410.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1511.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/312.png

    Re: [!Prólogo!] Capitulo Um - Lembranças de Evelyn

    Mensagem por zignon em Dom Dez 03, 2017 9:30 pm

    William ficou admirado, "como é que sabiam que o rapaz iria para aquele vagão?", fica pensando, "será que as portas se mexendo como se alguém tivesse saído, fora que tinha colocado? Olha para o colega e pergunta: - Seu pai está exatamente onde neste momento"? E ouve uma voz no microfone avisando que o trem iria partir e o monitor aconselha que devem sentar para se acomodarem melhor e entrega a carta para o dono, dizendo que a magia que a selou é muito forte, até para ele e aconselhou procurar o professor de história da magia na escola, professor Dwelrf, acha William...
     
     

    E o jovem William senta próximo a janela e a paisagem logo vai mudando, assim que saem da estação e começa a dar um pouco de sono, mas ele resiste com medo de ter novamente o pesadelo.
    Raijecki
    Investigador
    avatar
    Investigador

    Mensagens : 90
    Reputação : 0
    Conquistas :
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1011.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/712.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/410.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1511.png

    Re: [!Prólogo!] Capitulo Um - Lembranças de Evelyn

    Mensagem por Raijecki em Dom Dez 03, 2017 10:58 pm


    "Isso é realmente muito estranho..." - Era tudo o que Daemon não gostaria de ouvir, pois confirmava que até o monitor não fazia ideia do que era e como abrir aquela carta, aparentemente selada com uma magia tão forte que somente um professor de Hogwarts poderia anular, pelo menos foi o que disse Graham, ao entregar a carta em suas mãos e aconselhar procurar pelo professor de história da magia, Dwelrf.

    Daemon olha fixamente para a carta amarelada tentando entender como, e porque alguém a deixaria ali, e exatamente endereçada para Sr. Griffths, "Muito estranho, será que reconheceram meu pai e ligaram os pontos até mim na hora do embarque?"  "E o que é "o décimo" antes de seu sobrenome?" - Se estava um confuso com o mistério da carta, o mesmo podia se dizer de William, que aparentemente pensou a mesma coisa quando o perguntou - "Seu pai está exatamente onde neste momento?"

    "Provavelmente ainda respondendo os fãs" - Pensou Daemon, pois sabia que seu pai adorava a bajulação de outrora fama que possuía, apesar de achar que na verdade, as vezes, sentia tristeza de não possuir mais aquela juventude e vitalidade de antes. Quando já ia responder, ouviu uma voz alta, que julgou vir para todos os vagões, dizendo que o trem já ia partir e que deveriam permanecer em suas cabines, salvo alguma emergência.

    Guardou a carta em seu bolço e agradeceu a gentileza de Graham, quando o mesmo se despede e pede para os dois se acomodarem até a viagem terminar. Daemon senta de frente á William que escolhe o lado da janela, provavelmente para aproveitar a vista que á viagem concedia, e percebeu que o amigo aparentava lutar contra o sono, o que presumiu pelas inúmeras piscadas de seus olhos, e decidiu ajudar puxando uma conversa:

    - Ei William, porque perguntou sobre meu pai? - Perguntou, quando a locomotiva já deixava á velha Londres para trás, dando lugar a belos e verdes campos.
    zignon
    Garou de Posto Cinco
    avatar
    Garou de Posto Cinco

    Mensagens : 2033
    Reputação : 49
    Conquistas :
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/311.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/811.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/212.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1811.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/712.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/612.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/410.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1511.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/312.png

    Re: [!Prólogo!] Capitulo Um - Lembranças de Evelyn

    Mensagem por zignon em Dom Dez 03, 2017 11:07 pm

    William Já lutava para manter os olhos abertos quando seu colega lhe pergunta "porque perguntou pelo seu pai" e William pensa um pouco e responde: - Porque é tudo muito estranho, o nome do seu pai na carta. Ela selada magicamente, as portinholas entre os vagões misteriosamente acionadas.... Fiquei curioso, quem seria seu pai e onde ele estava e o que ele fazia. Enfim muitas perguntas na minha cabeça e aquela foi a que saiu pela boca, desculpe se não gostou da minha curiosidade, mas foi inevitável.
    Raijecki
    Investigador
    avatar
    Investigador

    Mensagens : 90
    Reputação : 0
    Conquistas :
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1011.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/712.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/410.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1511.png

    Re: [!Prólogo!] Capitulo Um - Lembranças de Evelyn

    Mensagem por Raijecki em Dom Dez 03, 2017 11:45 pm


    Apesar de já desconfiar da curiosidade de sue amigo William, Daemon ficou surpreso pelo mesmo possuir várias perguntas para o tal mistério. Ficou contente por ter alguém com que conversar, e ainda mais agora por poder dividir este enigma.

    - Não precisa se desculpar, na verdade também não paro de pensar nisso, as portas abrindo sozinhas, claro, existem magias para tal, mas gastar tempo e habilidade nisso não faz sentido... Ah, e respondendo sua pergunta, meu pai é um ex-jogador de quadribol, ultima vez que o vi foi antes de embarcar no trem, quando ele estava respondo seus fãs, porque acha que alguém deixaria uma carta para ele justamente aqui e não entregar pessoalmente na plataforma? - Questionou, esperando não assustar William com tantas duvidas.

    "Ao menos que a carta não fosse para ele, e sim para mim"
    zignon
    Garou de Posto Cinco
    avatar
    Garou de Posto Cinco

    Mensagens : 2033
    Reputação : 49
    Conquistas :
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/311.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/811.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/212.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1811.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/712.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/612.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/410.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1511.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/312.png

    Re: [!Prólogo!] Capitulo Um - Lembranças de Evelyn

    Mensagem por zignon em Seg Dez 04, 2017 12:08 am

    William sente-se mais confortável em saber que sua curiosidade é compartilhada pelo seu companheiro de viagem e diz: - Espero que o professor de História da Magia possa nos ajudar, com a carta e com o mistério e lembra-se que o problema não é seu e que está se intrometendo e acrescenta: - Isto se você me permitir participar da resolução deste mistério e com a cabeça baixa continua - Eu estou me intrometendo demais.
    shamps
    Adepto da Virtualidade
    avatar
    Adepto da Virtualidade

    Mensagens : 1578
    Reputação : 82
    Conquistas :
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/311.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1011.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1811.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/712.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/410.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1511.png

    Re: [!Prólogo!] Capitulo Um - Lembranças de Evelyn

    Mensagem por shamps em Seg Dez 04, 2017 12:26 am

    A pequena Alanna só escutava a discussão entre os irmãos e sorria, achando um pouco engraçado. May oferece um chocolate para Yam e ela só observa, tanto que vê o chocolate sumir da mão do menino. Como ninguém tinha notado aquilo? A ruiva pisca algumas vezes e olha da mão do menino para seu rosto e fica boquiaberta.

    - Um truque? Que legal... – ela sorri para os irmãos - esse Yam existe mesmo? – ela parecia bem inclinada a acreditar no tal amigo de May – não liga para eles, May, eu acredito em você.

    Logo, com um anúncio, o trem começava a partir, levando as crianças ao seu destino. Um frio percorreu a barriga da menina ruiva e ela ficou quieta por algum tempo, um tanto nervosa. À medida que o trem seguia pela paisagem, ela via os animais estranhos das fazendas trouxas e vendo que tinha pessoas mais inteligentes que ela ali na cabine, ela encosta a testa no vidro e pergunta:

    - Que bicho é aquele? O que ele faz?
    vikinius
    Samurai Urbano
    avatar
    Samurai Urbano

    Mensagens : 119
    Reputação : 1

    Re: [!Prólogo!] Capitulo Um - Lembranças de Evelyn

    Mensagem por vikinius em Seg Dez 04, 2017 8:14 am

    John ficou desconcertado com as palavras de October,mas July o silenciou com eficácia."Irmãos são sempre assim..."E a partir dessa fala começara a se lembrar de dois irmãos que observava no colégio católico.Eles eram gêmeos,mas de iguai só tinham o rosto e o cabelo.Discordavam em tudo e viviam brigando.Inevitavelmente se lembrou de William de novo,pois foi com ele a experiência mais próxima de um irmão que John teve.
    Seus pensamentos foram quebrados pela pergunta da garota que estava com Lumna.Um pouco tímido e sem jeito,John olha para ela e responde:-São bois.Basicamente sua função e servir de alimento quando estiverem gordos o suficiente.Por um segundo repara na menina ruiva e pensa em começar uma conversa,mas logo sua timidez vem à tona e ele só consegue olhar pra baixo sem dizer nada.
    Wolfnys
    Tecnocrata
    avatar
    Tecnocrata

    Mensagens : 309
    Reputação : 8
    Conquistas :
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/411.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1011.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/212.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/712.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/410.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1511.png

    Re: [!Prólogo!] Capitulo Um - Lembranças de Evelyn

    Mensagem por Wolfnys em Seg Dez 04, 2017 8:55 am




    "Sonhos, a eterna certeza que o mundo pode ser um lugar melhor e despertar é apenas a afirmação que sua vida nunca poderá ser tão feliz quanto você desejaria..."


    O ressoar, o tilintar e até mesmo som do vapor soaram como uma música de ninar, uma magia de sono ou até mesmo com a areia de Sandman, como alguns pensam existir. O sonho era algo diferente do usual, algo com a qual ele não estava acostumado, ficara congelado, sem reação durante o pesadelo mortal e assim que acordei desejei não dormir mais, meus olhos estavam marejados e o grito ficara engasgado na garganta. Fitava a janela da cabine por alguns segundos, esperando que o corpo se acalmasse, se sentisse confortável novamente, os punhos apertados e por poucos milímetros não desferi um soco na janela, pensando na atenção que isso poderia chamar e na vergonha que isso causaria.

    "Porque tenho esses sonho, porque tenho que passar por essas coisas..."

    Refleti comigo mesmo, antes de se ter meus pensamentos extirpados de mim pela voz que acoava no trêm. Apanhei meu livro que havia caído no piso da cabine e voltei novamente a leitura, não me importava com a paisagem ou mesmo com os outros alunos, só queria que tudo aquilo acabasse ou mais rápido possível ou que pudesse durar uma vida toda. Sozinho ali eu me sentia bem, aconchegado em mim mesmo, seguro.

    - Porque as aulas não podem ser assim, eu, meus pensamentos e nada de interação...

    Disse para mim enquanto virava uma das páginas.


    Raijecki
    Investigador
    avatar
    Investigador

    Mensagens : 90
    Reputação : 0
    Conquistas :
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1011.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/712.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/410.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1511.png

    Re: [!Prólogo!] Capitulo Um - Lembranças de Evelyn

    Mensagem por Raijecki em Seg Dez 04, 2017 2:01 pm


    William diz algo que Daemon acredita infelizmente ser verdade, não saberão nada até o professor Dwelrf ajudar a abrir a carta, então percebendo que William se sente um pouco incomodado com a história, resolve mudar de assunto.

    - Sabe de uma coisa? Ainda não nos apresentamos oficialmente... - Estende a mão direita para o garoto para cumprimentá-lo,  e continua:

    - Sou Daemon Griffths, filho de James Griffiths e Pietra Enzonelli, meu pai como já disse foi jogador de quadribol, e minha mãe é uma auror a serviço do ministério da magia... Ah e ela é filha de uma veela, por isso você reparou na beleza dela. - Durante a ultima parte solta um leve sorriso, afinal William não é a primeira pessoa que se atenta nisso.


    OFF:
    A gente tem algo para se alimentar durante a viagem? Ou a senhorinha dos doces vai passar nas cabines oferecendo?
    zignon
    Garou de Posto Cinco
    avatar
    Garou de Posto Cinco

    Mensagens : 2033
    Reputação : 49
    Conquistas :
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/311.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/811.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/212.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1811.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/712.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/612.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/410.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1511.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/312.png

    Re: [!Prólogo!] Capitulo Um - Lembranças de Evelyn

    Mensagem por zignon em Seg Dez 04, 2017 7:07 pm

    William, fica feliz, quando o colega muda o assunto constrangedor da sua intromissão impertinente para uma sessão formal e um tanto tardia de apresentações. O sobrenome por causa da carta ele já sabia, mas finalmente, agora, sabia o primeiro, Daemon, filho de uma Auror e neto de uma Veela, nossa! E como não bastasse seu pai era um atleta de famoso de quadribol... Dava até inveja no coitado do orfão.


    Mas William era curioso e pergunta: - Já ouvi falar por cima, mas me explica direito como é ser filho de uma Auror e neto de uma Veela? Quem sabe enquanto você explica eu esqueço dessa fomezinha que está dando agora?
    Bravos
    Troubleshooter
    avatar
    Troubleshooter

    Mensagens : 832
    Reputação : 42
    Conquistas :
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/411.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1112.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1011.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/212.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1811.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/2111.png

    Re: [!Prólogo!] Capitulo Um - Lembranças de Evelyn

    Mensagem por Bravos em Seg Dez 04, 2017 7:19 pm

    - Lufa-Lufa parece legal pel que Cassandra falou. - Respondeu a Ewgol quando ele falou onde ficaria. Era também uma forma de incentivo já que ele também não pareceu muito à vontade para pegar em Pancho. - E você veio de lá do lado só para voltar de novo? Que engraçado. - Parecia uma idéia meio torta, mas cada um sabe o melhor para si. Logo os avisos de que o trem estava saindo começaram e foram avisados que só chegariam perto da seis da tarde.


    - É bastante longe mesmo... O que nós vamos fazer durante esse tempo todo, se nem podemos sair das cabines? - Clément não era especialmente agitado, contudo, eram mais de cinco horas de viagem. Era pedir demais para crianças ficarem quietas esse tempo todo. - Vocês sabem o que vamos estudar lá em Hogwarts? Eu queria ser professor quando crescesse, mas não sei quais matérias eu vou gostar mais. - Depois que todos brincaram com Pancho, cobriu mais uma vez com o tecido. Ele poderia ficar estressado com a viagem. Eventualmente eles veriam outros animais pela janela. Clément, porém, não comentaria muito sobre eles. Vê-los de longe já dava para notar que eram muito maiores que ele, e ele realmente não gostava disso. Preferia falar sobre as matérias.


    Off:
    É nóis, @Freya Stormborn [2]

    Conteúdo patrocinado


    Re: [!Prólogo!] Capitulo Um - Lembranças de Evelyn

    Mensagem por Conteúdo patrocinado


      Data/hora atual: Ter Dez 12, 2017 2:49 am