Um fórum de RPG online no formato de PBF (Play by Forum).


    Capítulo 2: A Sociedade da Luz

    Compartilhe
    Black Thief
    Mutante
    avatar
    Mutante

    Mensagens : 561
    Reputação : 34
    Conquistas :
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/411.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1011.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1312.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1811.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1611.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/712.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/410.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1511.png

    Capítulo 2: A Sociedade da Luz

    Mensagem por Black Thief em Qui Jan 25, 2018 8:21 am

    Black Thief
    Mutante
    avatar
    Mutante

    Mensagens : 561
    Reputação : 34
    Conquistas :
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/411.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1011.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1312.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1811.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1611.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/712.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/410.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1511.png

    Re: Capítulo 2: A Sociedade da Luz

    Mensagem por Black Thief em Sex Jan 26, 2018 9:27 am





    Trilha Sonora:

    Se Ethan estava dificultando as coisas ou não, não era problema... Ivy tinha outros métodos e não era uma primeira tentativa de busca frustrada que lhe impediria de seguir em frente, quem sabe poderia até ser um incentivo. Ivy continuava a procurar por imagens no facebook não de Ethan, mas de pessoas iguais,
    e é então que ela notava que não podia simplesmente entrar nos amigos de Ethan pois quando se tem o perfil totalmente bloqueado apenas para amigos ou outras pessoas específicas visualizaram, até mesmo pessoas relacionadas estarão invisiveis, mas aquilo não era problema pois como Ivy já tinha pensado era só entrar nas paginas comunitárias que sabia que Ethan participaria, e então ela adentrava na página da UBR (Universidade de Black River) e após alguns minutos rolando páginas é que Ivy poderia abrir bem os olhos e encontrar uma foto de uma garota de nome Kristy Grant, na descrição da foto: #SemestreAcabou #CurtindoComOBoy #CurtindoComOsAmigos #AVidaÉBela

    Foto:

    É então que finalmente encontrando um amigo de Ethan ela adentrava no perfil de Kristy Grant, uma garota de vida afortunada, bem sociável e entrando nas fotos dela, é que Ivy acabou por reparar algo que até agora não tinha imaginado. Algumas algumas fotos no album dos dispositivos móveis e outras em diversos albuns sociais.

    Fotos:









    Praticamente todas as fotos que Ivy encontrava aos abraços e beijos com Kristy Grant estavam descritas com mensagem de amor, companheirismo, de confiança, cobertos de #TeAmoEthan #AmorPraTodaVida #MelhorAmigo #JuntosPraSempre #AsInimigaPira. Em comentários das fotos eram cheio de pessoas que apoiavam o relacionamento amoroso, homens e mulheres desejando felicidade elogiando o lindo casal, homens fazendo brincadeiras de quanto Ethan era "um garanhão" por ter uma namorada tão linda e afins.


    Ivy:
    08/06/2018

    Pontos de Sangue: 15/9
    Força de Vontade: 7/7
    Vitalidade: Ok
    Black Thief
    Mutante
    avatar
    Mutante

    Mensagens : 561
    Reputação : 34
    Conquistas :
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/411.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1011.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1312.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1811.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1611.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/712.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/410.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1511.png

    Re: Capítulo 2: A Sociedade da Luz

    Mensagem por Black Thief em Sex Jan 26, 2018 12:43 pm

                             x3



    Trilha Sonora:
    Sarah era a primeira a dar um tiro bem no meio do baço do zumbi, logo em seguida David avançavam ferozmente e logo na primeira pisada no crânio da criatura ele já afundava o pé, mas no calor do momento acabara pisando mais uma vez, seja para certificar-se que a criatura estava definitivamente morta, seja para expressar sua raiva com aquele monstro e tão logo David dera o primeiro tiro, Damsel também desferia um tiro com a face em fúria em cima do Zumbi que já não mais se movimentava e soltara Rebeccah. Com a oportunidade a Brujah já se desvencilhava se jogando de costas contra a parede fazendo um grande estrondo que todos sentiram como se o andar tremesse e poeira caía do teto, e com o atordoamento do morto Rebeccah girou-se empurrando com o cotovelo e depois empurrando com a mão o zumbi para a direção da sua direita que cambaleva quatro passos para traz, e Agatha vendo a oportunidade que queria, e uma mira perfeita atirava duas vezes seguidas no zumbi mirando sua cabeça, a bala acertava em cheio o meio da testa do morto-vivo e a segunda veio logo atrás acertando exatamente o mesmo lugar aumentando o rombo da bala que fizera um buraco grande em sua cabeça. A criatura caía no chão de joelhos e por fim desfalecia o corpo, logo, distraído David sentia mãos agressivas atrás do seu ombro o agarrar por trás, mas imediatamente o Toreador conseguia se desvencilhar usando força bruta e habilidade em uma perfeita combinação que parecia ser algo muito fácil para o Toreador fazer.

    Rebeccah agora estava livre, com o ombro mordido e escorrendo sangue pela sua camisa, sangue também manchava parte do cabelo de Rebeccah. David sentia o inebriante cheiro do sangue e a sede por ele parecia aumentar, ele sentia-se muito tentado a avançar na própria Rebeccah que era uma fonte muito mais atraente de sangue do que cadáveres que estavam entrando em decomposição, agora que a tensão maior tinha acabado pois só havia um inimigo no local, havia oportunidade para um novo inimigo aparecer.

    Nova trilha sonora:

    David não conseguia mais se conter, gastara muito sangue esse noite para aumentar sua força e resistência, dera sangue para suas carniçais, todo o gasto de sangue em uma noite e a visão e cheiro de um sangue cainita, que era muito mais forte e atraente que um cheiro de sangue comum faziam David esquecer quem era Rebeccah Green e vencia todos os sentimentos por ela pelo desejo infinito de beber sangue. Tudo o que David queria agora era o sangue de Rebeccah e nada, absolutamente NADA ficará em seu caminho! O Toreador já expunha dentes e olhos vermelhos de uma criatura fora de controle, Damsel começava a caminhar na direção do Zumbi assim como Rebeccah que tinha um olhar vingativo para a coisa, parecia que sozinho aquela coisa não era tarefa difícil para ninguem ali e balas não eram mais necessárias, mas Agatha viu, e Sarah também via que o zumbi era o menor dos problemas, agora David era o novo inimigo e ele partia para cima de Rebeccah que não havia percebido ainda o perigo que corria. Um novo inimigo surgia: A Besta!


    David Hayter e Agatha Griffith Casthervam:


    David
    Pontos de Sangue: 15/3
    Força de Vontade: 7/6
    Vitalidade: Ok

    BUFF: Vigor + 2, Força + 2


    FRENESI - Devido a um Frenesi de Falha Crítica, David ficará fora de controle até onde a narração achar adequado sair. David pode se controlar por um turno com o gasto de 1 ponto de Força de Vontade, mas o frenesi não será interrompido.




    Agatha
    Pontos de Sangue: 15/10
    Força de Vontade: 7/7 -> 6
    Vitalidade: Ok

    BUFF: Visão da Mortalha, mais resistência à Dominação, mais resistência à Olhos da Serpente, visão aguçada. Destreza + 1

    DEBUFF: Percepção dificultada em 1.

    Pente: 30/00

    Pente: 17/14 -> 12





    2017-12-30 13:52:04 David rolls 1 die for Initiative 10 [initiative roll]

    2017-12-30 13:53:01 Agatha rolls 1 die for Initiative 10 [initiative roll]

    2017-12-30 13:53:15 Sarah rolls 1 die for Initiative 10 [initiative roll]

    2017-12-30 13:53:21 Rebeccha rolls 1 die for Initiative 6 [initiative roll]

    2017-12-30 13:53:28 Damsel rolls 1 die for Initiative 1 [initiative roll]

    Ordem da iniciativa:

    Sarah: 17

    David: 15

    Rebeccah: 12

    Agatha: 17 (Voluntário)

    Damsel: 7

    Zumbi: 2

    Zumbi: 3

    Zumbi: 4

    2018-01-26 07:27:03 Sarah rolls 5 dice to Atirar zumbi 2 (Diff 5) 3,8,8,2,1 [2 success]

    2018-01-26 07:27:37 Sarah rolls 5 dice to dano 2 10,4,1,1,8 [2 success]

    2018-01-26 07:28:13 Zumbi 2 rolls 4 dice to absorção 4,7,5,1 [1 success]

    2018-01-26 07:40:20 David rolls 6 dice to dano 2 9,10,6,8,10, 4 [5 successes]

    2018-01-26 07:40:32 Zumbi 2 rolls 4 dice to absorção 7,5,7,2 [2 successes]

    2018-01-26 07:40:55 David rolls 6 dice to dano 2 5,10,2,10,7, 7 [4 successes]

    2018-01-26 07:59:09 Zumbi 2 rolls 4 dice to absorção 5,9,2,2 [1 success]

    2018-01-26 08:06:15 Rebeccah rolls 10 dice to Desvencilhar zumbi 4 2,9,7,6,9, 3,9,1,9,1 [6 successes]

    2018-01-26 08:07:18 Zumbi 4 rolls 5 dice to manter Rebeccah presa 8,4,2,8,7 [3 successes]

    2018-01-26 07:02:25 Agatha rolls 5 dice to Atirar zumbi 4 (Diff 5) 6,3,10,1,6 [4 successes]

    2018-01-26 07:06:42 Agatha rolls 7 dice to Dano 4    7,10,8,3,6, 8,4, 2 [5 successes]

    2018-01-26 07:07:03 Zumbi 4 rolls 4 dice to Absorção 7,1,2,1 [failure]

    2018-01-26 07:30:39 Damsel rolls 5 dice to atirar zumbi 2 7,10,7,3,3 [3 successes]

    2018-01-26 07:33:56 Damsel rolls 7 dice to dano 8,4,3,4,3, 2,9 [2 successes]

    2018-01-26 07:35:50 Zumbi 2 rolls 4 dice to absorção 7,5,3,9 [2 successes]

    2018-01-26 08:20:03 Zumbi 3 rolls 5 dice to Agarrar Davi 5,4,8,6,8 [3 successes]

    2018-01-26 08:20:52 David rolls 7 dice to Desvencilhar 5,6,1,8,10, 10,10 [5 successes]

    2018-01-26 08:28:28 David rolls 3 dice to autocontrole (Diff 8) 4,5,1 (BOTCH x 1)

    Zumbis:


    Zumbi 2: Ferido - > Aleijado - > Incapacitado -> Incapacitado +3 (MORTO)

    Zumbi 3: Escoriado - > Machucado

    Zumbi 4: Vivo - > Espancado - > Incapacitado +3 (MORTO)
    Black Thief
    Mutante
    avatar
    Mutante

    Mensagens : 561
    Reputação : 34
    Conquistas :
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/411.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1011.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1312.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1811.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1611.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/712.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/410.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1511.png

    Re: Capítulo 2: A Sociedade da Luz

    Mensagem por Black Thief em Sex Jan 26, 2018 1:33 pm





    Trilha Sonora:

    Tão logo o Assamita entrava no grandioso breu que era aquele hotel abandonado, percebia que não era uma questão de se adaptar ao escuro, era impossível enxergar qualquer coisa naquele local sem algum fonte de luz, e até mesmo janelas velhas estavam fechadas para impedir até mesmo a entrada da luz do luar. Konstyantyn então logo escutava alarmantes sons de tiros vindos de cima, muitos tiros, gritos, sendo que um desses gritos ele reconhecia bem, era o grito de Damsel.

    Damsel: REBECCAAHH!!!

    E logo em seguida mais tiros, vindos de cima, agora o problema maior era como chegar lá. Kostyantyn se apressara tanto para chegar a reunião que no caminho esquecera de se preparar adequadamente para os problemas que poderia enfrentar em locais como um hotel abandonado nos ermos da cidade, estava também desarmado para enfrentar seja lá o perigos que seus companheiros Anarquistas estivessem enfrentando, embora ainda tivesse suas presas que eram altamente letais assim como seus dons da noite, mas por agora, Kostyantyn conseguia se atentar mais ou menos do caminho que poderia ser que o levasse guiando-se apenas por sua audição e tato, assim, o cainita seguia cautelosamente pelo caminho inebriado, até ele finalmente chegar a uma parede, ele tocava a mesma, era uma madeira velha, mas agora ele se perdera ali no caminho, precisava ouvir mais coisas para que pudesse se guiar por sua audição.

    Kostyantyn Makhno:
    Pontos de Sangue: 14/14
    Força de Vontade: 6/6
    Vitalidade: Ok

    DEBUFF: Cego (+2 em todos os testes que envolvam visão). Não pode enxergar nada.

    Para chegar ao local onde os Anarquistas estão Kostyantyn não tem outro meio além de se guiar pela audição e pelo tato, isso se houverem sons altos o suficiente para que isso ocorra. O teste será prolongado e Kostyantyn precisará de 6 sucessos para chegar ao seu destino, e só conseguirá avançar se conseguir passar no teste de Percepção + Prontidão. Antes de postar e fazer o teste, precisa esperar os turnos de Agatha, David e da resposta do narrador para eles, pois o personagem está dependendo de novos estímulos no ambiente para que possa se guiar por ai. Caso Kostyantyn passar ele seguirá caminho, caso não passar ele não saberá para onde seguir se guiando pelo som ou tato, uma falha crítica indicará que Kostyantyn se perdeu por aí, ou caiu em alguma enrascada da estalagem velha, podre e perigosa que se encontra, o que resultará em ter que se guiar tudo denovo, SE houverem estímulos no ambiente, ou utilizando apenas o tato. Como de praxe pode usar um ponto de Força de Vontade no teste de Percepção. A partir do terceiro acumulo de sucesso, o teste de Kosntyantyn diminuirá a dificuldade em -1 devido à aproximação aos sons que facilitarão seu caminho.

    Sucessos acumulados: 2

    2018-01-26 09:13:08 Kostyantyn rolls 2 dice to Percepção + Prontidão (Diff 4 + 2 Cegueira) 9,10 [2 successes]
    [/quote]
    Black Thief
    Mutante
    avatar
    Mutante

    Mensagens : 561
    Reputação : 34
    Conquistas :
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/411.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1011.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1312.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1811.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1611.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/712.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/410.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1511.png

    Re: Capítulo 2: A Sociedade da Luz

    Mensagem por Black Thief em Sex Jan 26, 2018 2:30 pm






    Trilha Sonora:

    As sirenes anunciavam uma morte silenciosa. A população toda logo saberia da nova tragédia que assolava Black River. Recentemente a onda de noticiários de mortes brutais tinha enxido a cidade de medo, e agora mais uma estava para entrar no placar. Monstruosidade 5, Humanidade 0. Frank sabia que três dos assassinatos eram de sua autoria, já o do garoto estudante de intercâmbio era alheio ao seu conhecimento. A neve caía fraca no ambiente sombrio e Frank tinha como seguir a pé as viaturas que passavam apressadas pelo ambiente. Ninguem parecia tão curioso além do minimo nas ruas.

    Frank pegava atalhos à pé, já tinha perdido as viaturas de vista mas ele sabia o caminho, e então quando chegou, viu que não só ele estava lá de curioso, havia algumas pessoas lá também, provavelmente vizinhos curiosos querendo ver o que aconteceu. A policia cercava todo o local, faixas da policia cobriam todo o redor da casa. Luzes cintilantes azul e vermelha recheavam o ambiente com tragédia, ele se aproximava à medida que demonstrava ser apenas mais um curioso por lá e escutava um dos policiais falando com o outro

    Policial 1: Eu vi muitas coisas chocantes no meu tempo na força, mas aquele sótão... É o tipo de coisa que faz você perder a fé na humanidade.

    Policial 2: Eu tenho que dizer que essa é a segunda pior coisa que já vi.

    Policial 1: A pobre infeliz foi empalada por três chifres nua como um animal em exposião. Pelo visto é como se pegasse a coitada como uma boneca e ficasse forçando ela nos malditos pregos. O que você poderia ter visto que é pior que isso???

    Policial 2: Foi cerca de três anos atrás em Bournemouth , nós achamos esse cara na praia e eu não sei, é como... Se um animal o tivesse atacado.

    Policial 1: Mordida de tubarão?

    Policial 2: Não, eu já vi mordida de tubarão e isso era uma coisa diferente, como se... O que tivesse matado ele sabia o que estava fazendo. A cabeça está desaparecida, as mãos também e... Tinha cortes grandes... Mas...

    Policial 1: Besteira...

    Policial 2: Não, não, esse cara está literalmente cortado em fitas! A pior parte foi que eu estava esperando pelo caminhão de carne e e senti como se algo estivesse me observando.
    Hoje Eu juro meu distintivo que tinha lá algo fora da compreensão, e por um segundo eu pensei em correr pra patrulha e dar o fora daquele lugar. Desde então isso me fazer pensar o que realmente existe aí fora.

    Policial 1: Ha ha! Talvez seja um lobisomem whooooo....

    Policial 2: Tá bom, tá bom...

    Policial 1: Ou um vampiro, booooohhhh...

    Policial 2: Esquece... tá vendo, isso é o porque você não foi convidado pro casamento do Hernandez, Ted.


    Parecia que aqueles policiais não daria muito mais informação do que aquilo, a menos que Frank arriscasse perguntar. Andando mais por aí, Frank via que havia um policial conversando com um casal e uma menina de aparentemente doze anos, todos estavam com roupas de frio. Olhando mais pro ambiente podia ver num janela do sotão flashes de câmera fotográfica, o que indicava que a pericia ainda estava fazendo o trabalho dela lá em cima, havia também algumas pessoas procurando sinais de entrada forçada na casa, o perito que estava parecia acabar de verificar um pouco os arredores começava a se afastar do campo da cena passando por debaixo da faixa e se encaminhando para um furgão que estava junto das viaturas.


    Frank Kovacs:
    Pontos de Sangue: 15/11
    Força de Vontade: 5/4
    Vitalidade: Ok

    2018-01-26 10:05:43 Frank rolls 5 dice to Percepção + investigação (Diff 7) 6,8,1,1,10 [2 sucesses]
    Black Thief
    Mutante
    avatar
    Mutante

    Mensagens : 561
    Reputação : 34
    Conquistas :
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/411.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1011.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1312.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1811.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1611.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/712.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/410.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1511.png

    Re: Capítulo 2: A Sociedade da Luz

    Mensagem por Black Thief em Sex Jan 26, 2018 3:29 pm

    [justify]

         




    Trilha Sonora:


    Kassya escreveu:-Falaremos disso outra hora. Ok, vou até o quarto 27, fique em algum lugar seguro. Wendy vai estar muito ocupada comigo e minhas amigas. Então você terá um pouco de paz. Tudo bem? Faça o seguinte. Se o espirito lhe atormentar de novo, fuja, corra, e venha até mim. Que tal? Fique calmo. Pode ter certeza que tem muita gente aqui para wendy se preocupar. Mas agora, mais importante. Você está bem? Você parece com muita dor na cabeça. Como eu posso lhe ajudar? Sua forma parece transitar entre o homem que foi no passado e o tormento do que você fez.


    O espirito imediatamente se afasta assustado ao quase toque de Kassya, ele arregalava seus olhos e olhava para a Assamita como se ela mesma fosse um fantasma e não ele.

    - NÃO, PARE DE SE APROXIMAR TANTO!!!! Eu... Eu... Eu não sei... tudo está tão confuso... Eu só quero que tudo cabe!!!

    Kassya então começava a percebe que talvez estivesse usando a tática errada para com Jack Torrence. Jack estava instável, mentalmente... Sabe-se la o que Wendy Torrence teria feito a ele durante tantos anos com os dois presos ali com o ódio, o ressentimento e tédio como suas únicas companhias. Kassya começava a perceber que se quisesse se aproximar de Jack teria que parar de "tentar se aproximar" e dar-lhe espaço o suficiente para que ele sinta-se seguro o suficiente para avançar por conta própria, como foi no começo quando Jack se aproximou a primeira vez, pois como percebia agora, Jack começou a parecer mais instável à medida que Kassya tentava se aproximar mais. Jack era alguém que não se dava para tratar como as pessoas normais comumente são tratadas, sua mentalidade estava limitada pela pertubação.

    Enquanto isso Kassya analisava todo o ambiente, ela conhecia alguma coisa de perícia criminal, era pouco, mas o suficiente para poder analisar aquela situação que poderia ser tratada como homicídio para os humanos. O ambiente era desfavorável, a podridão do ambiente, a pouca iluminação, a queimadura das paredes e falhas em toda a estalagem dificultavam Kassya a analisar a "cena do crime", mas com um olhar mais meticuloso, Kassya conseguia entender por lógica e conhecimento se pondo em vários ângulos do que poderia ter acontecido naquele quarto para que Nines Rodriguez e esse outro homem tivessem sido atacados. Não havia sinais de agressão nos corpos dos dois, além das adagas no peito que quando kassya se aproximou melhor pra analisar, pode reparar que não eram simples adagas, eram adagas com lâmina de madeira. kassya lembrava-se quando Joseph havia dito à ela que antigamente, na Idade das Trevas, adagas de madeira eram armas muito comuns utilizadas pelos vampiros, praticamente todos os Cainitas na época carregavam consigo adagas com lâmina de madeira. Ela também notava pelo ambiente que praticamente não havia sinais de luta no local nem nos corpos, então havia apenas duas hipóteses, ou eles foram atacados em outro lugar e postos ali, ou se foram atacados aqui, foram pegos de surpresa, os dois, sem chance de que eles pudessem revidar.

    Antes que Kassya pudesse decidir qualquer coisa, se mesmo sabendo disso iria puxar as adagas ou não, ela escutava sons de disparos, tiros, gritos ao longe. Os sons dos disparos eram semelhantes aos disparos das armas que Kassya dera à Sarah e Agatha.

    KASSYA ALEKSANDRA YAKOVICH:
    Pontos de Sangue: 15/11
    Força de Vontade: 6/4
    Vitalidade: OK

    2018-01-26 10:56:45 Kassya rolls 5 dice to Percepção + Investigação (Diff 7 + 1) 9,1,8,3,10 [3 successes]

    Teste de Empatia + Raciocinio com sucesso automático devido à diff ser menor que a parada de dados da personagem

    Teste de Inteligência + Ocultismo com sucesso automático devido à diff ser menor que a parada de dados da personagem

    BUFF: Visão da Mortalha

    DEBUFF: Dificuldade em Percepção visual aumentada em 1.
    Aparência - 1
    Black Thief
    Mutante
    avatar
    Mutante

    Mensagens : 561
    Reputação : 34
    Conquistas :
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/411.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1011.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1312.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1811.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1611.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/712.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/410.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1511.png

    Re: Capítulo 2: A Sociedade da Luz

    Mensagem por Black Thief em Sex Jan 26, 2018 4:13 pm

    justify]
         



    Trilha Sonora:

    A neve caía leve e graciosa do céu noturno. Black River era uma cidade sombria, sombria demais...

    Uma garota de aparentemente 15 ou 16 anos corria pela zona industrial. Ela estava assustada... Em seus olhos era possível ver o horror, ela parecia correr o máximo que podia olhando para traz e então ela começava a gritar aos berros para quem quisesse ouvir.

    - SOCORRO!!!! ALGUÉM ME AJUDE!!! POR FAVOR!!!!

    Ela corria e corria por dentre as fábricas abandonadas... Aquela hora da noite ninguém a ouviria, ninguém a resgataria. Tiros são ouvidos ouvidos a distância, três disparos e os gritos de reação da jovem em perigo eram bem audíveis! A garota então dobrava a primeira curva que via e logo dava de cara com um portão pichado por gangues de rua, velho, abandonado e gelado, como aquela rua, aquele beco.

    Logo ela começava a derramar lágrimas de desespero, lágrimas vermelhas, lágrimas rubras e adocicadas, na noite em que Thomas Castle estava sedento de sangue.

    Então, o grande bicho-papão aparecia. Uma silhueta escura, uma sombra na noite, portando um longo sobretudo escuro e um rosto inumano e medonho, uma visão que abalava as mentes fracas. Thomas Castle estava diante da sua presa, encurralada como uma pequena ovelha... Mas ele sabia que não podia deixar aquela pequena lebre enganá-lo, ele sabia que ela era um lobo, um lobo brutal e fora de controle, mais uma das "cabeças-de-pá" do Sabá. Sua seita tinha esse hábito, ela pegava pessoas quaisquer nas ruas, as transformava em vampiros, as enterrava para que sofressem as suas mudanças embaixo de um caixão, elas entravam em choque, em desespero, se entregavam à monstruosidade e eram levadas atacar locais público para transtornar a Máscara da Camarilla e enfraquecer o inimigo, assim como também mandavam esses recém-criados como tropas de choque aos domínios de seus inimigos. Aquela menina, ela um dia podia ter sido uma inocente, talvez... Mas agora era um monstro fora de controle... Thomas já a viu matar antes... Ela entrava em um frenesi constante, esquartejava as suas vítimas e fugia depois.

    A jovem garota em lágrimas de sangue logo caía aos prantos, de joelhos.

    - POR FAVOR!!!!! NÃO ME MATA... EU NÃO FIZ NADA, EU JURO, MEU DEUS, EU NÃO FIZ NADA!!!! POR FAVOR, PIEDADE...

    Thomas sabia o que aquela garota era, sabia o que ela tinha feito, aquele poderia ser um teatro interessante, mas mesmo que não fosse, a garota era uma ameaça séria à vida das pessoas. Sandman estava sedento, havia pouco sangue em seu corpo, aquela também era uma oportunidade de se alimentar, ele também se entregaria à fome naquele momento?

    THOMAS CLASTLE:
    Pontos de Sangue: 10/03
    Força de Vontade: 3/3
    Vitalidade: OK

    Pente: 17/17

    Isaac, se resolver matar garota fará um teste de consciência diff 6. Se você passar consegue justificar a morte da garota como um mal necessário, caso não passar isso significa que Thomas não se importará em matá-la nem um pouco e isso resulta na perda de 1 ponto em humanidade
    Beaumont
    Cavaleiro Jedi
    avatar
    Cavaleiro Jedi

    Mensagens : 274
    Reputação : 10
    Conquistas :
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/411.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1811.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1611.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/712.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/410.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1511.png

    Re: Capítulo 2: A Sociedade da Luz

    Mensagem por Beaumont em Sab Jan 27, 2018 9:23 am

    A sensação de rasgar, fragmentar o cranio daqueles zumbis não me davam o mínimo de prazer. Reaizar àquilo estava mais voltado a um instinto de auto preservação do que um esporte ou lazer. Ao afundar meu pé com toda a força do sangue que enrijeceu meus músculos. Tive um pouco mais de certeza que Rebeccah ficaria bem, e essa era uma das unicas coisas que importavam naquele momento. A nossa segurança.

    Quase não percebi quando Rebeccah foi alvejada por outro zumbi. Seu gemidos chamou minha atenção e depressa eu avistei sua face de dor e seu vitae se espalhando pelo ar. Eu já com a abstinência de sangue por um tempo e me recusava por nojo a me alimentar do sangue daquelas coisas podres. Quuando humano eu sempre fui meio fresco pra comidas feias, mal preparadas e etc e mesmo depois de mortal. Sinto um prazer imenso ao saborear o sangue de uma bela mortal. Não costumo beijar o sangue de homens mas eles precisam estar extremamente limpos e de aparencia razoavel ou de outra forma não sinto o minimo prazer em faze lo. Mas ver a bela rebeccah suja de seu sangue aumentou a minha libido como um adolescente no cio. A besta tinha uma maneira unica de sentir prazer. O sexo não era mais a principal maneira de se obter . O sexo de nós vampiros está no beijo e eu queria sentir o prazer de Rebeccah naquele instante a qualquer custo. Não importava se estivessemos em perigo ou se ela não quisesse naquele momento. A besta me forçava a estuprar seu ombro e sua forca vitae. Assim que eu fincasse minhas presas em seu ombro onde a ferida estava aberta ela cederia a hipnose do beijo. Nós somos assim. Somos vampiros e não nos importamos com a vontade de nosso rebanho...mas espere Rebecca é muito mais do que um rebanho. Por mais que eu esteja louco por possui la. Este não é o lugar mais apropriado. Um dia eu farei sim mais uma vez com ela. Mas não será aqui e não será agora. Eu já estava prestes a fincar os meus dentes em seu ombro e rasgar a sua blusa mas eu hesitei imediatamente (1fdv) e percebi onde eu estava. Tive um controle rapido sobre a minha vontade sobre a besta que me consumia . Eu caminhei uns passos para tras e gritei

    David Hayter : - Não me sigam ! Rebeccah me perdoe... NAO ME SIGAM !

    Eu usei o pouco tempo de sanidade que pude pra em um romprante de impetuosidade voltar para o hall do andar 1F onde encontramos a primeira leva de zumbis. (1pds rapidez) gastei mais da minha força vital o que me alimentou ainda mais a minha abstinência. Me perdoe Rebeccah... Eu avancei para o hallpraticamente saltando (esportes) as escadas em busca de vitae. Quando se está em abstinência não importa se o sangue é podre , frio ou de animais. Eu tomaria qualquer coisa pra suprir o meuvicio. Se o sangue dos zumbis não fosse suficiente eu vasculharia pelas portas em busca dos lacaios de nines e skelter até que a besta me consumisse mas eu estivesse bem longe de Rebeccah e das outras. Elas não precisam de um animal agora...
    Zeta
    Neófito
    avatar
    Neófito

    Mensagens : 44
    Reputação : 3

    Re: Capítulo 2: A Sociedade da Luz

    Mensagem por Zeta em Dom Jan 28, 2018 8:12 pm




    Trilha sonora:



    As viaturas o deixavam para trás, mas atalhando por entre as ruas nevadas, Frank chegava ao local que sabia onde estariam. O local já estava cercado de curiosos, e Frank se passava por apenas mais um na multidão, indistinguível do restante exceto por pequenos detalhes que revelavam sua natureza não humana, ocultados por óculos escuros e suas roupas.

    Ao que parecia, havia um novo serial killer na cidade. Três dos cinco assassinatos eram obras suas, a garota que ele havia investigado e o novo jovem eram um mistério. Seriam obras da mesma pessoa?!

    A conversa dos policiais dificilmente o levaria adiante na investigação, então ele circula por volta dos curiosos, observando toda a cena. Uma das poucas coisas que chama sua atenção é um policial conversando com um casal e uma jovem adolescente que não deveria ter mais de 12 anos. Talvez eles fossem vizinhos e tenham alguma pista importante. Frank se aproxima na medida do possível para não se destacar dos outros curiosos de plantão e procura ouvir atentamente o máximo possível da conversa.

    Assim que a conversa termina, o Gangrel se aproxima de algum curioso qualquer e tenta iniciar uma conversa para saber mais sobre o outro assassinato ocorrido. Essa não era a praia de Frank, ele nunca havia sido um exemplo de pessoa sociável, e a tragédia de sua família, aliada à sua nova condição de vida não ajudaram muito, mas ele se esforçava para parecer uma pessoa normal em meio a todo aquele caos urbano.

    - Então... coisa horrível, né?! Esta cidade está cada vez mais insegura, parece que esses dias um outro jovem também foi brutalmente assassinado por aqui, ouviu falar?
    isaac-sky
    Moderador
    avatar
    Moderador

    Mensagens : 839
    Reputação : 182
    Conquistas :
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/411.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/212.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/712.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/410.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1511.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/312.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/2111.png

    Re: Capítulo 2: A Sociedade da Luz

    Mensagem por isaac-sky em Seg Jan 29, 2018 9:46 pm

    Ela parecia jovem, muito jovem. Se Sandman não tivesse visto o que ela fazia com suas vítimas jamais acreditaria que era um monstro que perseguia.
    Mas não seria a primeira vez que teria de eliminar uma "criança". Já o fez antes, quando era vivo. Crianças vestindo coletes-bomba e AK-47s...

    Tinha encurralado a garota e apenas a perseguia num andar acelerado, mas mantendo a calma desconcertante que criara como característica dessa persona justiceira.

    -Isso, grite criança. Grite para que todos saibam o destino dos seus semelhantes... - dizia mais para si mesmo. Disparou algumas vezes para mante-la assustada.

    E acuada ela chorava sangue. Doce sangue que odiava sentir falta, mas sentia mesmo assim.
    Se aproximou lentamente da garota com o revolver em punho. Parou quando estava bem de frente para ela, encostando o cano da arma em sua testa.

    - POR FAVOR!!!!! NÃO ME MATA... EU NÃO FIZ NADA, EU JURO, MEU DEUS, EU NÃO FIZ NADA!!!! POR FAVOR, PIEDADE...

    -Shhhh. Quieta garota, você sabe o que fez. Eu te dei uma chance pra parar, mas você não me escutou - dizia num tom de voz neutro mas desconcertante. Como um monstro poderia manter um tom de voz tranquilo?

    -Durma e conheça a paz dos sonhos. Diga ao demônio que Sandman mandou lembranças - disparou a queima-roupa em sua testa.
    isaac-sky
    Moderador
    avatar
    Moderador

    Mensagens : 839
    Reputação : 182
    Conquistas :
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/411.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/212.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/712.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/410.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1511.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/312.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/2111.png

    Re: Capítulo 2: A Sociedade da Luz

    Mensagem por isaac-sky em Seg Jan 29, 2018 9:49 pm

    (Desculpa fiz a rolagem com o dado errado)

    isaac-sky efetuou 2 lançamento(s) de dados (d10.) :
    3 , 7
    Neith
    Tecnocrata
    avatar
    Tecnocrata

    Mensagens : 319
    Reputação : 40

    Re: Capítulo 2: A Sociedade da Luz

    Mensagem por Neith em Seg Jan 29, 2018 10:08 pm

    “Não é algo incomum alguém restringir os acessos as informações de perfis sociais e elas fazem isso por diversos motivos. Na verdade, tais restrições são o que pessoas com o mínimo de zelo por suas frágeis vidas deveriam fazer. Alguns motivos são comuns e simples como não gostar da exposição por timidez, mas tratando-se de um membro da Família Grigoriva não existem motivos comuns e simples... A menos que sejam uma fachada para algo maior. Notar que Ethan apresentava desafios um pouco mais complexos do que o esperado é satisfatório. Afinal… Quanto maior o desafio maior a diversão!!! Entretanto, infelizmente ele ainda está longe de ser o Grande Desafio e estava mais pra um Obstáculo Chato até o momento em que adentrei a página da UBR. Nesse momento ele tornou-se um pouco mais intrigante…

    Na primeira foto não havia nada incomum, exceto pelo fato de que o distanciamento e análise corporal não permitia identificar o namorado da garota. Pareciam apenas um grupo de amigos. No entanto, o perfil da Senhorita Grant foi revelador: O namorado era meu doce primo!! Isso criava duas possibilidades eu ter errado em minha análise sobre sua sexualidade… O que é muito improvável!!! Não costumo cometer um erro tão grosseiro. Ou a adorável Senhorita Grant ser uma linda fachada. De um modo ou de outro Krist era parte da minha solução, de um jeito ou de outro Ela era a chave. Grant traria Ethan até mim!

    Aos olhos desatentos e sem treinamento aquelas fotos não passariam informação nenhuma além do óbvio, mas eu fui treinada para ver além do óbvio e era hora de colocar isso em prática. Começo a analisar as fotos minuciosamente. A linguagem corporal e as microexpressões faciais normalmente revelam a verdade que esta escondida. E, elas sempre revelam porque são atos involuntários e mesmo alguém extensivamente treinado a enganar a atuar tem dificuldades em controlá-los. Eu precisava estabelecer se aquilo era um relacionamento de fachada ou se Ethan estava tentando protegê-la da Família. Essa informação era parte determinante da criação do Grande Final.

    Enquanto procurava mais dados sobre o relacionamento dos dois buscava mais informações sobre ela. Independentemente da resposta eu precisaria saber tudo sobre sua rotina, sobre seus gostos e principalmente sobre alergias e condições de saúde. Informações médicas são mais difíceis de se conseguir sem ajuda e sem sair de casa. Eu precisaria encontrar alguém para obter aquelas informações e para ter suas rotinas completas eu não poderia me aproximar tanto de Ethan agora teria que ser outra pessoa. Sabendo onde encontrá-la eu poderia vigiá-la discretamente por alguns dias, desde que não esteja com Ethan. Assim poderei aprender o máximo sobre ela e quem sabe encontrar alguma informação usável.

    Bom, agora é hora de encontrar alguém para ficar de olho no meu adorável primo e cavar seus segredos mais obscuros. Alguém que me ajude a determinar se esse relacionamento é uma fachada, me avisar de cada um dos passos de Ethan e sobretudo avisar quando o casal não estiver junto. Além, é claro de ser capaz de descobrir se ela tem alguma alergia, vício ou algo em sua condição médica que possa me ser útil e o mesmo vale para Ethan. Se houver algo a esse respeito sobre ele que não sei eu devo saber. Um mero detalhe, mas não menos importante!!
    Conseguir reunir tais informações levaria tempo, não seria em uma noite que eu teria respostas e talvez elas exijam algumas mudanças de estratégias no meio do caminho, mas deveriam ser obtidas de um jeito ou de outro. O que significava em última hipótese consegui-las recorrendo a Meredith! Verifico o horário no relógio para saber quanto tempo teria para encontrar meu ajudante ainda naquela noite e quem sabe encontrar um adorável lanchinho... Só por precaução.”

    isaac-sky
    Moderador
    avatar
    Moderador

    Mensagens : 839
    Reputação : 182
    Conquistas :
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/411.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/212.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/712.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/410.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1511.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/312.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/2111.png

    Re: Capítulo 2: A Sociedade da Luz

    Mensagem por isaac-sky em Qua Jan 31, 2018 1:26 pm

    Iniciativa:

    isaac-sky efetuou 1 lançamento(s) de dados (d10.) :
    9
    Winterfell
    Neófito
    avatar
    Neófito

    Mensagens : 47
    Reputação : 0

    Re: Capítulo 2: A Sociedade da Luz

    Mensagem por Winterfell em Qua Jan 31, 2018 8:20 pm

    Começamos a agir com uma coordenação que mais parece ensaiada. Primeiro Sarah, logo David e depois Damsel. Todos no esforço combinado que, por fim, liberta Rebecca. Isso! Nossa sinergia cada qual mais alinhada há medida que nosso trabalho em equipe progride e se refina. Uma boa equipe afinal. Improvisada? Sim! Mas certamente com seu mérito e um valor crescente.

    Enquanto minhas emoções se confundem em apreço e amargor.
    Isso é nostalgia? Essa sensação familiar e ao mesmo tempo estranha... Será que seriamos algo próximo disso? Eu, Sarah, Zayon, Siegfried e Abella... Droga como queria a “minha equipe original” e quer saber!?! No fundo eu nem me entendo! Haaaaaa infernos! Como posso ter saudades do que não lembro!?! Como se o corpo continuasse a sentir, ainda que a memoria não acompanhasse. Para com isso, foco no seu próprio tiro! Faz mira! Uma coisa muito estranha, e REALMENTE fora de hora. Não queria ser a única fora de sinergia com a equipe, nem pretendia começar a divagar, mas estar em uma “equipe” por si, vinha me trazendo essas emoções sei lá de onde... DROGA! Passei um bom tempo desesperada por qualquer pista e nada, mas agora que realmente não podia entrar em introspecção ai estava ela... Até parece sacanagem! Isso tiraria qualquer uma do sério, mas nada como aliviar a preção atirando em zumbis... Zumbis... Sinceramente não sei se vou conseguir me acostumar com isso. Essa noite parece uma montanha russa emocional.

    Atiro duas vezes seguidas no zumbi, querendo tanto destruí-lo quanto silenciar minha própria inquietação.
    Nossa! e sendo bem sincera eu não sabia que atirava tão bem... Ual, isso foi eu mesma? Tento não parecer “muito idiota” nem olhar embasbacada tanto pra arma em minhas mãos, quanto para a testa do zumbi (que a proposito acertei duas vezes!) mas no fundo, nem lembrava de já ter pego em armas antes desta noite ... E pensar que tinha a pedido a Kassya mais porque ela e Sarah tinham as suas e não queria “ser a diferente”. Nem passou pela minha cabeça que eu realmente fosse precisar dela! Na verdade achava que nem sabia usar... Mas ainda assim, aqui estou eu atirando em zumbis com a precisão de um cowboy em filmes de faroeste. Espero que ninguém perceba o quanto estou “suando frio”. Se é que pessoas como eu suam, mas o fato é que: me sinto imensamente fora de lugar! A Sarah é uma grande necromante, mas eu mesma sou só uma tanatologa pouco profissional que “meio que come” parte do trabalho. Me sentia alienada, como se meus objetivos estivessem se distanciando a um ponto quase inalcançável. Como se a minha pequinês não fosse adequada a esse tipo de desafio e tivesse de parar e voltar a ser “café-com-leite” antes que fosse tarde demais... Mas eu realmente acertei não é? Ou na verdade eu acreditava ser menor, do que de fato era? Realmente... preciso descobrir quem é Ágatha Casthervanm.

    O Toreador já expunha dentes e olhos vermelhos de uma criatura fora de controle, Damsel começava a caminhar na direção do Zumbi assim como Rebeccah que tinha um olhar vingativo para a coisa, parecia que sozinho aquela coisa não era tarefa difícil para ninguem ali e balas não eram mais necessárias, mas Agatha viu, e Sarah também via que o zumbi era o menor dos problemas, agora David era o novo inimigo e ele partia para cima de Rebeccah que não havia percebido ainda o perigo que corria. Um novo inimigo surgia: A Besta!

    Aquela ferocidade primal visível nos olhos de David. ESSA NÃO! Um estado de insanidade alimentar que... fez-me ter nojo de mim mesma no passado recente e que por falta de uma definição melhor, vinha denominando como “impulso berserker”. Tenho de avisa-las! Mas como pararia o David? – ATRÁS DE VOCÊS! CUIDADO! Tento avisa-las do perigo iminente, para que as meninas não estejam mais vulneráveis. Enquanto vendo o pedaço de madeira que o próprio David vinha usando, lembro da emboscada que sofri no passado e como um item semelhante de madeira tinha findado a resistência de meus aliados. Isso! Imediatamente avanço enquanto impulsiono meu sangue (+1 pds destreza) tentando tomar o pedaço de madeira e em seguida crava-lo no coração do musico.

    (Ação múltipla, primeira ação: Tomar a estaca, considerando aqui se possível as vantagem de ataque pelas costas e emboscada já que ele estará indo em direção a Rebecca e Damsel, consequentemente me ignorando e se tornando mais vulnerável para mim. Segunda ação: Empalar + 1 ponto de fdv no ataque de empalamento. Destreza 5 + 1 pds = 6).
    Black Thief
    Mutante
    avatar
    Mutante

    Mensagens : 561
    Reputação : 34
    Conquistas :
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/411.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1011.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1312.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1811.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1611.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/712.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/410.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1511.png

    Re: Capítulo 2: A Sociedade da Luz

    Mensagem por Black Thief em Qui Fev 01, 2018 11:55 am






    Trilha Sonora:

    Frank se aproximava do policial e da familia conversando enquanto fingia ser mais um curioso de plantão, porém Frank pegava a conversa no meio.

    Garotinha: ... Só o Nicholas, mas eu conheci ele, não é uma má pessoa.

    Policial: Quem é o Nicholas, Susan?

    Susan: É o namorado da Elsie, ele já foi lá em casa com ela uma vez.

    Mãe: Ele o QUE???

    Susan: Não! Mas não aconteceu nada, nós ficamos acordados a noite toda jogando carta! Ele é um cara legal,
    não faria isso!

    Policial: Entendo, você sabe qual o sobrenome do Nicholas, Susan?

    Susan: Não sei, eu não cheguei a perguntar, ele também não disse.

    Pai: Querida, você pode descrever como ele é para o policial?

    Susan: Ele é magro, um pouco alto, mas não muito, é jovem ainda, branco, cabelos loiros encaracolado, ou eram ruivos? Eu não sei, mas era num tom assim! Ele é bonito mas acho que ele é um pouco bravo.

    Policial: Bravo como?

    Susan: Eu não sei... Ele parecia estar bravo quando foi lá em casa com a Elsie, mas não sei se ele estava mesmo.

    Pai: Porque nunca nos contou que esse rapaz foi pra casa?

    Susan: Porque eu não queria que vocês brigassem com a Elsie, eu gosto dela, não queria que vocês chamassem outra pessoa pra ir lá em casa enquanto vocês estão fora.

    Policial: Pois bem, Susan, você se lembra de mais alguma coisa? Algo da rotina da Elsie?

    Susan: Eu lembro que ela andou muito mal de alguns anos pra cá, começou a fazer terapia, mas não sei o porque, ela ia duas vezes por semana, toda quinta e segunda feira depois do trabalho, antes de ela começar a fazer faculdade, mas com o inicio das aulas acho que ela mudou os dias da terapia, só não lembro pra quais dias.

    Policial: Ela te disse qual é o nome desse terapeuta?

    Susan: Era doutor Mitchell, mas não disse o primeiro nome.

    Policial: Entendo. Tem mais alguma coisa que se lembram que poderia ajudar?

    Pai: Não, não que nos lembramos, policial.

    Susan (Voz chorosa): Vocês vão pegar quem fez isso, não vão?

    Policial: Vamos sim, Susan. Não se precoupe. Até lá fiquem atentos e mantenham todas as portas e janelas bem fechadas. Talvez nós entremos em contato para pedir mais informações.

    Pai: Sim senhor, obrigado Policial. Qualquer coisa estaremos dispostos a ajudar.


    A conversa então se encerra e Frank podia ver o policial passando ao lado dele indo em direção à uma viatura,e depois desse momento ele ia até um outro curioso, um homem gordo, de meia idade, calvo e barba por fazer. Tinha calça jeans bem grossa, botas de neve um casaco grosso que davam a impressão do sujeito ser mais gordo ainda.


    Frank escreveu:- Então... coisa horrível, né?! Esta cidade está cada vez mais insegura, parece que esses dias um outro jovem também foi brutalmente assassinado por aqui, ouviu falar?


    O sujeito parece ser pego de surpresa apesar de não se assustar, ele chega a olhar um tanto torto para Frank por um segundo, mas para de encarar tão rápido quanto iniciara e responde:

    - Nem me fala cara... Pois é, fiquei sabendo de um rapaz que foi mutilado hoje mesmo, estudante de intercâmbio se me lembro bem, mas não foi por aqui não, isso foi lá pelo centro, ou você ta falando de outro cara??

    O sujeito olha curioso para Frank com a possibilidade de existir mais outra morte brutal na cidade além dos já divulgados pela mídia.



    Frank Kovacs:
    Pontos de Sangue: 15/11
    Força de Vontade: 5/4
    Vitalidade: Ok
    Black Thief
    Mutante
    avatar
    Mutante

    Mensagens : 561
    Reputação : 34
    Conquistas :
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/411.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1011.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1312.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1811.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1611.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/712.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/410.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1511.png

    Re: Capítulo 2: A Sociedade da Luz

    Mensagem por Black Thief em Qui Fev 01, 2018 12:29 pm

         



    Trilha Sonora:
    Quando Sandman disparava dois tiros a esmo para manter a garota assustada, a mesma solta um estridente grito de medo e se encolhe no mesmo instante. Ela caía no chão, chegando a quase se expremer na parede de pavor.

    -Não por favor, para... Eu não faço mais nada, eu juro, eu não quero morrer...

    Eis que Thomas se aproximava da jovem vampira e encostava sua arma em sua têmpora, a moça virava os olhos, não queria ver a morte-final chegando, ela apenas balbuciava coisas, implorando baixinho para ser poupada, eis que finalmente o gatilho era puxado, o impacto à queima roupa fizera a cabeça da garota balançar e bater na parede, sangue, delicioso e precioso era expelido no ambiente e nas roupas de Sandman, e logo em seguida, ele via a jovem... Os olhos ficando vermelhos, dentes saltando... Uma face demoníaca largando tomando o lugar do rostinho de anjo num rosnado feroz e agressivo.

    Isso mesmo... Aí estava sua verdadeira presa...

    Garota: GHHHRRRAAAAAAAAAARHHHHHHH!!!!!!!!!!

    Destemida, descontrolada... O monstro que Sandman viera caçar finalmente dera as caras, e agora a verdadeira diversão começava. Thomas já previa que a Besta daquela garota estava para ser a verdadeira ameaça ali, ela iria avançar em cima de Sandman com dentes ansiando violência, e Sandman sabia que dentes de vampiro faziam um estrago muito maior que uma simples bala.


    THOMAS CLASTLE:
    Pontos de Sangue: 10/03
    Força de Vontade: 3/3
    Vitalidade: OK

    Pente: 17/17 -> 14

    Iniciativa

    2018-02-01 08:05:39 Garota rolls 1 die for Initiative 4 [initiative roll]

    Sandman: 16
    Garota: 8

    2018-02-01 08:11:01 Garota rolls 1 die to Autocontrole (Diff 8) [1 success]

    2018-02-01 08:13:01 Garota rolls 1 die to Autocontrole 2 (Diff 8) [1 success]

    2018-02-01 08:14:58 Garota rolls 1 die to Autocontrole 3 (Diff 9) [failure]

    2018-02-01 08:16:06 Thomas Castle rolls 5 dice to Dano 1,10,7,3, 6 [3 success]

    2018-02-01 08:16:23 Garota rolls ? dice to absorção [1 success]

    Garota: Ok -> Machucado (Letal)

    OFF: Isaac, como você começou o jogo com pouquissimos pontos de sangue graças ao azar dos dados e é sua primeira vez jogando Vampiro, estou fazendo uma certa vista grossa e poupando o Thomas do teste de autocontrole no momento, porém interprete o quase descontrole por estar sedendo e estar tendo um contato tão próximo com sangue cainita (que é um sangue muito mais doce e atrativo que sangue de humano normal). Essa vista grossa vai durar por pouco tempo, procure alimentar o Thomas o mais rápido possível. Vale lembrar que sangue de outros vampiros também é uma fonte de alimento valiosa.

    Black Thief
    Mutante
    avatar
    Mutante

    Mensagens : 561
    Reputação : 34
    Conquistas :
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/411.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1011.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1312.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1811.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1611.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/712.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/410.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1511.png

    Re: Capítulo 2: A Sociedade da Luz

    Mensagem por Black Thief em Qui Fev 01, 2018 8:34 pm





    Trilha Sonora:

    Ivy observava todas aquelas fotos de casal com seu olhar minucioso e predatório. A cada foto que batia o olho a Malkavian podia abrir um largo sorriso de satisfação... Cada foto de Ethan, cada foto de Krist... Ela conseguia enxergar... O modo que Ethan sorria, suas feições enrijecidas, as mãos bem postas porém muito tensas para quem deveria estar em um momento muito bom. A cada foto ela conseguia notar a clara diferença nos rostos, nos modos, tanto de Ethan quanto de Krist. A comparação é muito clara. Para Ivy, Ethan estava desconfortável, em cada foto abraçado com Krist, cada sorriso ao lado dela não passava de uma atuação que até era muito boa, mas para Ivy era a pior, ou melhor piada já contada. Ivy não tinha errado, ela estava certíssima!!! Aquilo era um fachada, e era claro como a luz da lua naquela catedral em que tinha acordado esta noite. A garota estava muito mais à vontade, ao contrário de Ethan que para Ivy estava claramente se forçando a parecer alguém feliz e satisfeito. Já Krist... Não era muito difícil de ler... A garota estava bem confortável aonde estava,porém... Havia algo diferente... Seu largo sorriso evidenciava a felicidade, uma felicidade sincera, mas Ivy conseguia ver em suas sombrancelhas levemente inclinadas das bordas para baixo que transpareciam... Tristeza... Krist Sabe que esse relacionamento não passa de uma fachada!!! Krist não só sabe, como provavelmente concordou com isso porque está verdadeiramente apaixonada por Ethan apesar de saber de sua homosexualidade! Agora, ela descobriu isso por si mesma, ou ela foi um combinado pelos dois desde o inicio?? Ela poderia estar tentando se iludir e negar a homosexualidade de seu namorado, ou também poderia estar bem ciente desde o começo e vivendo um sonho impossível?

    Agora Ivy partia para o próximo passo, ela tentava analisar a rotina de Krist. Pelo que via Krist estava estudando veterinária na UBR, algo bem divergente de Ethan. Krist tinha muitas amigas e muitos amigos e era cobiçada pois haviam aqueles vários amigos que elogiavam a moça com um leve flerte de "jogar verde para colher maduro", mas estes eram completamente ignorados pela moça nos comentários que mais respondia as amigas que comentavam. Ivy podia ver que as duas amigas que mais apareciam em sua timeline eram Dolores Maccnogh e Diana Flowers, Dolores era prima e Diana parecia estar na mesma classe que Krist Grant da faculdade. Era fácil ver o como Krist gostava de exibir sua rotina, o que levou pouco tempo de pesquisa para que Ivy conseguisse localizar a casa de Krist que ficava na zona mais nobre de Black River e fazia estágio de veterinária no hospital veterinário no centro da cidade no período diurno das 10:00 até as 16:00 horas e a faculdade das 19:00 até as 23:00 horas. Sobre problemas de saúde, a unica coisa que Ivy conseguiu é que havia um meme sem graça sobre rinite alérgica que a própria Krist havia postado a mais de um mês atrás porém não dava pra conseguir pesquisar algo sobre Ethan nesse mesmo curso. Pelo que via, Krist gostava de viajar pois era cheia de fotos com a família - Seus pais e o irmão caçula que parecia ter seus dezesseis para dezessete anos, algo nessa faixa etária - em vários locais diferentes sendo os últimos a França em Versailles, Canadá em Montreal e os Estados Unidos em Nova York.

    Quando Ivy olhou para o relógio, pode ver que já eram 03:00 da madrugada e o dia começaria a raiar às 07:30 da manhã. O bom de se viver na Europa era isso, as noites eram mais longas, mas mesmo assim não era como se pudesse bobear com o sol.


    Ivy:
    08/06/2018

    Pontos de Sangue: 15/9
    Força de Vontade: 7/7
    Vitalidade: Ok

    2018-02-01 15:42:28 Ethan rolls ? dice to ? [? successes]

    2018-02-01 15:43:54 Ivy rolls 7 dice to Percepção + Empatia (Especialização Atento) 10,5,3,10,4, 10,9 [7 successes]
    Black Thief
    Mutante
    avatar
    Mutante

    Mensagens : 561
    Reputação : 34
    Conquistas :
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/411.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1011.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1312.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1811.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1611.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/712.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/410.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1511.png

    Re: Capítulo 2: A Sociedade da Luz

    Mensagem por Black Thief em Qui Fev 01, 2018 9:37 pm

                             






    trilha sonora:

    David sentia a Besta rugir dentro de si, gargalhando do esforço grandioso porém inútil do Toreador de tentar retomar o controle! Ela era sanguinária, era implacável e indomável. A sede era o alicerce de sua força e a violência era a causa do seu júbilo! Antes que qualquer um pudesse fazer alguma coisa, todos escutavam o brado de Agatha.


    Agatha escreveu:- ATRÁS DE VOCÊS! CUIDADO!


    Imediatamente Damsel e Rebbecah se viram enquanto Agatha já avançava diante do demônio que lutava para controlar o corpo de David Hayter e a Nagaraja chegava a botar a mão no pulso de David mas antes que ela pudesse começar a puxar David brutalmente puxava seu próprio braço tão forte que a própria Agatha por pouco não foi puxada junto na própria direção. Logo, algo surpreendente começava a acontecer, David, mesmo com aquela face demoníaca parecia manter alguma racionalidade, mas antes que pudesse fugir ele vê Sarah se jogar contra ele o dominando e o agarrando de forma habilidosa e bruta. Tamanha era força que David era prensado contra o corpo de Sarah por trás que ele mesmo enfurecido não conseguia se mexer. David então começava a gritar, tentando fugir:


    David escreveu:- Não me sigam ! Rebeccah me perdoe... NAO ME SIGAM !


    Mas era inútil, David não conseguia desvencilhar-se de Sarah de forma alguma, tanto que a própria Nagaraja parecia não estar fazendo força alguma para segurar David e a Besta.

    Sarah: UMA AJUDA AQUI!!!

    Logo, Rebeccah e Damsel que já tiveram a atenção voltada, Rebeccah diz rapidamente à Damsel.

    Rebeccah: Acaba com ele e não olha pra lá, eu cuido disso!

    Rebeccah imediatamente cortava a curta distância entre o grupo, a Brujah anciã se botava diante de David e da Besta e naquele momento, ela pegava no pulso de David com uma mão e no pedaço de madeira com a outra, mas sem puxá-la, ela dizia em tom urgente ao mesmo tempo que assustado, com o rosto bem próximo do Toreador:

    Rebeccah: David, você ainda está ai, então me escuta! Larga essa madeira e me deixa te ajudar, agora!

    Logo em seguida, todos escutam um estrondo vindo da direção de Damsel, Agatha podia ver que fora a Brujah que acabara de socar a cabeça do Zumbi e o mesmo batera forte contra a parede, ela parecia que cuidaria bem de só um morto-vivo sozinha, eles eram lentos e Damsel parecia ser bem forte pelo tamanho do som da pancada que fora dar naquele zumbi.



    David Hayter & Agatha Griffith Casthervan:
    David
    Pontos de Sangue: 15/3
    Força de Vontade: 7/5
    Vitalidade: Ok

    BUFF: Vigor + 2, Força + 2

    Pente: 30/00

    FRENESI






    Agatha
    Pontos de Sangue: 15/10 -> 9
    Força de Vontade: 7/6 - > 5
    Vitalidade: Ok

    BUFF: Visão da Mortalha, mais resistência à Dominação, mais resistência à Olhos da Serpente, visão aguçada. Destreza + 1

    DEBUFF: Percepção dificultada em 1.

    Pente: 17/12







    2017-12-30 13:52:04 David rolls 1 die for Initiative 10 [initiative roll]

    2017-12-30 13:53:01 Agatha rolls 1 die for Initiative 10 [initiative roll]

    2017-12-30 13:53:15 Sarah rolls 1 die for Initiative 10 [initiative roll]

    2017-12-30 13:53:21 Rebeccha rolls 1 die for Initiative 6 [initiative roll]

    2017-12-30 13:53:28 Damsel rolls 1 die for Initiative 1 [initiative roll]

    Ordem da iniciativa:

    Agatha: 17

    Sarah: 17

    David: 15

    Rebeccah: 12

    Damsel: 7

    Zumbi: 3


    2018-02-01 16:55:25 Agatha rolls 1 dice to Ação Múltipla 1: Força + Armas Brancas 8 [1 successes]

    2018-02-01 16:56:05 David rolls 6 dice to Força + Armas Brancas 6,10,5,9,7, 9 [5 successes]

    2018-02-01 17:04:56 Sarah rolls ? dice to Agarrar [7 successes]

    2018-02-01 17:05:30 David rolls 7 dice to desvencilhar-se 1,4,5,7,4, 6,9 [3 successes]


    Inimigos:
    Zumbi 3: Escoriado - > Machucado - > Espancado
    Black Thief
    Mutante
    avatar
    Mutante

    Mensagens : 561
    Reputação : 34
    Conquistas :
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/411.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1011.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1312.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1811.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1611.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/712.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/410.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1511.png

    Re: Capítulo 2: A Sociedade da Luz

    Mensagem por Black Thief em Qui Fev 01, 2018 9:56 pm





    Trilha Sonora:

    Kostyantyn escutaa mais gritos.

    Voz de Mulher: – ATRÁS DE VOCÊS! CUIDADO!

    E poucos segundos depois, o Assamita escutava uma outra voz, dessa vez uma voz muito familiar, era a voz de David Hayter.

    David Hayter: - Não me sigam ! Rebeccah me perdoe... NAO ME SIGAM !

    Logo em seguida, novamente, uma segunda voz feminina era bem audível

    Voz de mulher 2: UMA AJUDA AQUI!!!

    Alguma coisa estava acontecendo e era grave, muito grave... David parecia desesperado, assim como as outras duas mulheres, e ele gritava pela Rebeccah, mas por qual motivo?

    Seja qual fosse, Konstyantyn conseguia identificar diante vinha o barulho e de forma minuciosa, cuidadosa, ele se apressava e seguia em meio às cegas, pela escuridão, rumo ao desconhecido que seus "companheiros" se encontravam. Kostyanty sentia degraus, sim, muitos degraus e um corrimão, ele conseguia se guiar pelo corrimão e pelas escadas, mas agora novamente estava às cegas, mas estava perto, Konstyantyn podia perceber que estava bem perto de encontrar o local onde seus companheiros estão.

    Kostyantyn Makhno:
    Pontos de Sangue: 14/14
    Força de Vontade: 6/6
    Vitalidade: Ok

    DEBUFF: Cego (+2 em todos os testes que envolvam visão). Não pode enxergar nada.

    Sucessos acumulados: 2-> 4

    2018-01-26 09:13:08 Kostyantyn rolls 2 dice to Percepção + Prontidão (Diff 4 + 2 Cegueira) 9,10 [2 successes]

    2018-02-01 17:48:00 Kostyantyn rolls 3 dice to Percepção + Prontidão (Diff 4 + 2 Cegueira) 5,7,8 [2 successes]
    Crios
    Investigador
    avatar
    Investigador

    Mensagens : 60
    Reputação : 0

    Re: Capítulo 2: A Sociedade da Luz

    Mensagem por Crios em Sex Fev 02, 2018 3:18 am

    TRILHA:

    - NÃO, PARE DE SE APROXIMAR TANTO!!!! Eu... Eu... Eu não sei... tudo está tão confuso... Eu só quero que tudo cabe!!!

    Kassia da alguns passos para trás com um certo susto. E responde rapidamente surpresa:

    -Okay, okay. Me afastei.

    Nesse momento que Kassia começava a analisar o temperamento do espirito. Tirava suas conclusões com base nos acontecimentos anteriores. Tentava entender o humor daquele atormentado e pobre espirito.

    Kassya então começava a percebe que talvez estivesse usando a tática errada para com Jack Torrence. Jack estava instável, mentalmente... Sabe-se la o que Wendy Torrence teria feito a ele durante tantos anos com os dois presos ali com o ódio, o ressentimento e tédio como suas únicas companhias. Kassya começava a perceber que se quisesse se aproximar de Jack teria que parar de "tentar se aproximar" e dar-lhe espaço o suficiente para que ele sinta-se seguro o suficiente para avançar por conta própria, como foi no começo quando Jack se aproximou a primeira vez, pois como percebia agora, Jack começou a parecer mais instável à medida que Kassya tentava se aproximar mais. Jack era alguém que não se dava para tratar como as pessoas normais comumente são tratadas, sua mentalidade estava limitada pela pertubação.

    Então talvez o ideal, seja esperar e pois então ajudar o espirito atormentado.

    Enquanto isso Kassya analisava todo o ambiente, ela conhecia alguma coisa de perícia criminal, era pouco, mas o suficiente para poder analisar aquela situação que poderia ser tratada como homicídio para os humanos. O ambiente era desfavorável, a podridão do ambiente, a pouca iluminação, a queimadura das paredes e falhas em toda a estalagem dificultavam Kassya a analisar a "cena do crime", mas com um olhar mais meticuloso, Kassya conseguia entender por lógica e conhecimento se pondo em vários ângulos do que poderia ter acontecido naquele quarto para que Nines Rodriguez e esse outro homem tivessem sido atacados. Não havia sinais de agressão nos corpos dos dois, além das adagas no peito que quando kassya se aproximou melhor pra analisar, pode reparar que não eram simples adagas, eram adagas com lâmina de madeira. kassya lembrava-se quando Joseph havia dito à ela que antigamente, na Idade das Trevas, adagas de madeira eram armas muito comuns utilizadas pelos vampiros, praticamente todos os Cainitas na época carregavam consigo adagas com lâmina de madeira. Ela também notava pelo ambiente que praticamente não havia sinais de luta no local nem nos corpos, então havia apenas duas hipóteses, ou eles foram atacados em outro lugar e postos ali, ou se foram atacados aqui, foram pegos de surpresa, os dois, sem chance de que eles pudessem revidar.
    Quando constata suas observações, a primeira coisa que Kassia diz é:

    -Что, черт возьми? Как их поймали? – (O que diabos? Como eles foram pegos?)

    Abismada com sua Constatação, Kassia tenta racionalizar o que poderia ter atacado dois supostos anarquistas. Com tanta facilidade. Seria aquela necromante? O espectro que dificilmente seria...Bem mesmo assim...Uma decisão precisava ser tomada. A assamita tinha em sua mão, duas Diablerie de graça. E uma delas, seria completamente suculenta e tentadora. Pense o poder que Kassia obteria ao sugar a alma de Nines Rodriguez. Mas as coisas não são tão simples. Por um lado, vem o poder, mas isso de alguma forma, fere a moralidade de Kassia que numa tentativa de proteger a si mesma, começa a pensar nos lados bons de salvar Nines. Um possível aliado? Sim. Um favor? Muito possível.

    Kassia fica em conflito. Senta-se no chão e começa a debater com ela mesma enquanto resmunga palavras russas pela metade e sem sentido. Em seus pensamentos tenta levar em consideração os possíveis planos de Persefone, os planos dos próprios anarquistas e de varias coisas. A diablerie é algo demasiadamente tentador para se perder a oportunidade. Mas seus riscos são altos em caso de descoberta.

    Ela tem a faca e o queijo na mão para ganhar poderes pessoais importantíssimos e seria um raro luxo cobiçado em segredo por muitos da Camarilla. Meu pau de óculos que os anciões pensam das tradições. Eles querem é mais diablerizar mesmo. Oh doce hipocrisia. Mas mesmo assim, ajudar Nines pode significar uma eventual ajuda e talvez até uma rota de fuga caso as coisas deem errado.

    Mas a grande questão em Conflito é a moralidade de Kassia, que continua se esforçando para desviar o assunto e fingir que não é um monstro devorador de vampiros. MAS É UMA ASSAMITA É ISSO QUE OS ASSAMITAS FAZEM NÃO É? KASSIA TEM ORGULHO DE SUA LINHAGEM MAS AGORA NA HORA DE PROVAR ISSO, VAI DAR PARA TRAS.....? No fundo talvez seja essa a questão. Não a politicagem de seita.
    ....O que Joseph diria agora? Provavelmente viria com alguma explicação nebulosa sem resposta. Ou daria algum ensinamento profundo com alguma parábola...



    Mente. Devaneio. Memoria&Sonho :



    Em silencio, Kassia fecha os olhos. E dentro de sua mente, todo o quarto escurece. É apenas ela, no meio de uma imensidão negra, nebulosa e tempestuosa. Como se ela estivesse sozinha em meio a uma tempestade violenta que se batia sobre ela. Parada, em pé, aguentando a chuva dos pensamentos maliciosos, cruéis e bestiais. O mais difícil era sua vontade de se entregar a tempestade, e deixar-se cambalear. Um grande raio cai perto de Kassia. A Besta troveja desejos profanos de sangue. Assustada, a assamita recua um passo enquanto olhava o reflexo do relâmpago negro e vermelho. Este rápido reflexo mostrava o ímpeto de sua besta. E rapidamente, Kassia pode ver a sua fera interior no reflexo do raio. Olhos negros e profundos de uma assamita animalesca. Sua besta era talvez o reflexo da própria Yakovich, mas em uma versão decadente, monstruosa e demoníaca com os desejos mais sórdidos, e cruéis que talvez um dia a feiticeira poderia algum dia ter. Dando mais um passo para tras, e dedicando sua mente para tentar tomar controle da situação, Kassia faz força para sair da tempestade.

    TRILHA:
    Cenário Mental:

    Neste momento, tudo se torna sépia e o passado de Kassia vem a tona. Com a força de seu auto-controle, ela evoca suas memorias para tentar buscar o caminho mais moralmente aceitável. Sua buca mental lhe leva a uma cena vivida por ela enquanto estava em Londres. Ela Usava pesados casacos enquanto caminhava ao lado de Joseph Sayar, seu senhor. Estava em um daqueles anos de viagem e aprendizados. Kassia observava de longe a conversa que o “eu-passado” dela tinha com Joseph. Isso era as 4 da manha, horas depois de kassia ter entrado em frenesi. Aparentemente, sua mente estava revivendo uma memória agradável para manter a besta longe. Estavam indo em direção a um banquinho enquanto conversavam. A verdadeira kassia, que assistia a sua memoria, se aproximava. O áudio era perfeitamente escutavel, como se mesmo longe, ela pudesse ouvir com clareza as vozes na conversa. E todos os outros sons, estivessem um pouco distante.


    -Então, minha criança. O que foi que aprendeste pós este ato? – Dizia ele com voz suave e de autoridade. A feiticeira respondia:

    -Eu não sei bem...Eu vi. Se parecia como uma grande fera, Mas era como se eu fosse a fera. Eu a domei. Isso que importa.

    Sr. Sayar interrompia Srta. Yakovich dizendo:
    -Favor, sente-se. Precisa se acalmar. Esta na hora de termos uma conversa

    Quando chegam ao pequeno banco de pedra frente ao rio, Kassia, a Criança da Noite se senta com um olhar vazio e profundo, enquanto Kassia Espectadora, fica a alguns metros de distância, mas encostada em pé, na grade do rio. Joseph, antes de se sentar, vira seu rosto para a direção da kassia moderna. Como se tivesse percebido sua presença, ou, coincidentemente tivesse olhando naquela direção. Seu rápido transe é interrompido por sua neófita, sentada no banco a centímetro dele. Sua voz é entoada num tom de culpa:

    -Durante muito tempo tive que me acostumar com pessoas morrendo, e o caos acontecendo. Mas nunca pensei que fosse eu, a origem desse caos. Eu não sou um monstro. Ou sou?

    Sayar imediatamente vira seu corpo e rosto para Yakovich sentada (que estava falando). E lança sobre ela um olhar suave, de compreensão. Seus olhos refletiam algum tipo de dor. Como se já tivesse passado por isso. Algo profundamente guardado em seu duro coração de pedra. Ele respondia como um conselheiro:

    -Olha “Kassy”...Essa pergunta, só você poderá responder. Mas eu posso lhe adiantar parte da reposta. A maldição vampírica lhe oferece vários poderes, que acabam sendo parte de você. Isso inclui a Besta. Eu acredito que no fim, a besta é só um reflexo do que nós somos. Mas não deixa de ser apenas, UM, reflexo. Por isso, Quem deve dizer se você é ou não um montro és tu mesma. Mas então, quem deve ter mais poder sobre você, se não você mesma?

    A aprendiz fica confusa com a resposta, mas rebate:

    -Mestre, se fosse parte nós eu controlaria.

    TRILHA:

    -Você ainda não entendeu. O que eu quero dizer, é que a besta agora é parte do seu novo “eu vampírica”, da mesma forma que suas disciplinas e poderes do sangue. Então se você pode controlar seu sangue e sua maldição, então você pode controlar sua besta. O pior lado da maldição.

    -Entendo...

    -Eu sei que você é capaz. Medite sobre isso. Encontre a paz toda vez que tiver que fazer o que teve que fazer.



    Kassia moderna, que assistia tudo de longe, em pé, mastigava tudo aquilo. E observava com alguma determinação. Era isso que ela precisava ouvir. Ela caminha triste, mas firme. Ela vai se aproximando da cena do seu passado. Pensando e apreciando a profunda sabedoria de Joseph. Como se quisesse toca-lo, lhe agradecer. Mas conforme ela caminha, a memoria começa a escurecer. Enquanto isso, Joseph falava:

    "Quando você se encontrar em uma situação parecida, lembre-se. O que pesa mais? Sua espada e sangue, ou sua consciência?"

    A cena começa a desaparecer, os prédios ao seu redor começam a desmoronar, o piso do chão onde Kassia pisava, caiam e se desfaziam no limbo mental da Assamita. Sayar não terminou de falar. Dava sequencia:

    "Uma mente nebulosa cega a lamina. E lamina cega, não acerta o alvo. Busque o equilíbrio entre o peso das duas...... Engana-se quem pensa que o poder vem apenas da espada."

    As arvores se contorciam e diminuíam. Enquanto os arredores da lembrança de Kassia se desfaziam a proporção que ela se aproximava de Joseph, e de sua versão mais nova, a voz de Joseph continua a dar a aula. Sua voz é perfeitamente audível ao mesmo tempo que tudo torna-se negro e volta para o fundo das memorias da feiticeira.

    "Você já passou por isso. Na noite que Alyssa morreu, você ficou entre a espada e a consciência. E você fez sua escolha de forma incrível."

    Dando seus últimos passos, a assamita chora. Lagrimas com reflexo vermelho saem de seus olhos. Mas segue firme em sua caminhada na direção e Joseph. Como um guerreiro que sabe que vai enfrentar a morte certa, mas esta de mente limpa e plena perante a morte. A última coisa a desaparecer no limbo emocional, é, em ordem, o poste de luz, o chão, o banco, Kassia Criança da noite, joseph, e por fim, a própria Kassia.

    "Foi quando você me provou que fiz a escolha certa."

    Tudo escurece, e apenas a voz de Joseph Sayar é audível:

    “Agora você precisa provar isso para si mesma”

    Antes que Kassya pudesse decidir qualquer coisa, se mesmo sabendo disso iria puxar as adagas ou não, ela escutava sons de disparos, tiros, gritos ao longe. Os sons dos disparos eram semelhantes aos disparos das armas que Kassya dera à Sarah e Agatha.

    Kassia abria os olhos e então despertava de seu Transe. Seus olhos estavam secos. Afinal, na vida real, vampiros não choram. Foi quando retomou seu senso de realidade, percebeu que estava sentada em pose meditativa a pelo menos a alguns minutos. Sua tempestade mental estava desaparecendo frente a calmaria. A besta havia sido suplicada e agora, Kassia pensava de forma logica e racional. E iria escolher entre o que era mais afiado, e não o mais pesado. Entre a lamina, e a consciência. Era uma assamita plena, sabia de seu destino, do que deveria fazer, e o pesar das consequências. Precisava aprender a lidar com a questão da trilha de Haquim, cedo ou tarde...

    Apesar de ainda ter suas dúvidas e grande receio do que estava preste a fazer, continuava.


    Ação de Kassia:


    trilha. Muito importante:


    De forma bem lenta. Kassia se aproximava do corpo de Nines Rodriguez. Ela praticamente engatinhava maliciosamente por cima das pernas de Nines. Estava bem encima dele. Seu corpo era esbelto, e ela não podia deixar de sentir algo do que restou de seu humano interior. Ela avançava sedutoramente enquanto passava uma das mãos sobre o corpo. Por si, estava em uma ótima e tentadora posição, bem próxima do rosto do anarquista, e ia passando o dedo por ele. Passou os dedos por entre as pernas, sentindo o conteúdo...Subia. Até suavemente encostar na adaga de madeira. Se tivesse um coração funcional, esse provavelmente estaria bem acelerado. Ela estava de fato um pouco excitada com aquilo tudo. O desejo e a luxuria eram coisas intimas e próximas para Kassia. Era bom deixar o corpo levar. Ela chegava com malicia e um pouco de desejo no rosto. Aproximava-se dos lábios de Nines, e mordia um pouco forte eles. E então, o beijava. Rápida e suavemente, com um movimento que avançava para o pescoço, o ponto chave. Ela beijava o pescoço de nines no lado esquerdo (ou seja, o lado direito de Nines) e cheirava sua veia. Sentia o cheiro doce a maravilhoso de sua tentadora e cobiçada Vitae. Encostava o pescoço no pescoço dele, quase como um carinho sensual, deixando um pouco de seu perfume no pescoço dele enquanto segurava a cabeça com a mão direita Por fim, dava mais um beijo no pescoço E com muita plenitude e consciência do que estava fazendo, por mais que tivesse um certo receio, se preparava para o ato.

    Spoiler:
    Com as palavras de Joseph na mente, Kassia então estava certa sobre a questão “peso da espada e consciência”. Ainda de joelhos encima de nines encostando parte de seus seios no corpo e perto do rosto do anarquista, Com os lábios no pescoço de nines, ela colocava firme sua mão esquerda na adaga no peito de nines, e com a mão direita segurava a parte de trás de seu pescoço e cabelo. Apertava firme o corpo de nines, até que por fim, integra de mente, corpo e alma, puxava a adaga de nines com muita força. Puxando também todo seu corpo para trás, soltando o corpo de nine rodriguez usando sua outra mão para puxar junto, a adaga. Assim libertando-o de seu torpor. Ela estava com seu corpo ainda de joelhos por cima das pernas dele, de coluna ereta e olhar decidida. Mas já não mais próxima e possuindo seu corpo.  

    Spoiler:
    Lançando um olhar sensual, porem, legitimamente preocupada diz de forma suave tentando acalmar Nines, mas ao mesmo tempo, num tom sedutor enquanto passava uma mão em sua cabeça
    -Nines? Você está bem?
    Ficaria ali mesmo mais um pouco enquanto conversa com Nines. Sairia logo de cima dele, quando retomasse a plena consciência. Em seguida diria.

    "Prazer. Meu nome é Kassia."

    Sentia-se que poderia se arrepender. Mas achou que era o melhor a ser feito.
    Conteúdo patrocinado


    Re: Capítulo 2: A Sociedade da Luz

    Mensagem por Conteúdo patrocinado


      Data/hora atual: Dom Maio 27, 2018 2:49 pm