Um fórum de RPG online no formato de PBF (Play by Forum).


    Parte lll: O olho que Tudo vê

    Compartilhe
    Claude Speedy
    Troubleshooter
    avatar
    Troubleshooter

    Mensagens : 990
    Reputação : 21

    Parte lll: O olho que Tudo vê

    Mensagem por Claude Speedy em Sab Jan 27, 2018 3:04 pm



    Ford:
    Ford ainda estava analisando as últimas descobertas das capacidades sanguíneas vampíricas, ao que parece, elas eram bem aprimoradas em curar tanto quanto fortaleceram seu corpo em um nível de resistência e força que ele não poderia imaginar.

    As pesquisas mais complexas levavam a ver a possibilidade de alteração profunda no interior de células mortas, impedindo a sua degeneração, é tudo muito confuso... Assim como curiosamente a regeneração celular é mais eficiente que a de alguns animais marinhos e John imagina se sua própria carne se tornaria cadavérica. A carne parece com de uma minhoca, que tem nove corações pulsantes e no caso do vampiro, não há nenhum.

    É no meio de suas análises em um microscópio e pelos dados colhidos pelo aparelho espectrográfico, que o cientista é surpreendido pelo toque de seu celular, ao ir verificar quem esta a sua espera vê pela própria segurança do lugar a imagem de Arctus e nem parece que o cientista atendeu, mas..

    Arctus: -Preciso de sua ajuda urgentemente, doutor. Encontramos um prisioneiro que acredito que trará novas informações fundamentais para sua pesquisa. Apronte-se estou indo te buscar em sua casa e vamos para delegacia, lá uma Aliada conseguiu um tempo para nós conversamos.

    Diante do convite Ford tem de decidir o que fazer.

    Abigail, Erik e Myrella:
    - Me perdoe Erik, estou tão envolvida com a mestra que estou cega para tudo mais, nem sei quem são seus novos amigos que lutaram comigo, por favor agradeça por terem vindo me resgatar.[/size]
    Apesar de Jasmine rejeitar seu avatar manifesto , ela acredita que isso não contradiz seu próprio código Akasha, ela sente claramente que sua mentora sabe que ela negou as leis do seu dharma e que praticamente cuspiu em tudo que ela ensinou.

    Voltou ao mundo material por seu próprio ego, sem pensar duas vezes, apenas para ver sua amada de novo. Somente agora, ela entende a gravidade do que fez, mas sente que não pode fazer nada a respeito...

    - Eu preciso de sua ajuda Erik, eu preciso da ajuda dos seus amigos, isto ainda não acabou, estou muito ruim e algo em me desagradou a mestra e ela falou como se eu estivesse morta. Não me deixe sozinha com a mestra, pois ela não mais reconhece em mim o que eu era e não sei o que ela fará com esse novo eu. Repito, não me abandone, não me deixe sozinha. Fale com seus novos amigos, para eles me ajudarem, eu preciso viver e fazer valer a pena

    Diante deles ainda ali o hospital esta em pânico, pessoas correm desesperadas enquanto o frio crescente no corpo da Jasmine desfalecida nos braços era mais que o suficiente para fazer Erik engolir em seco e tentar focar a mente em como deixa-la no carro. Ela então, mesma tomada de uma fraqueza imensa começa a agradecer repetindo várias e várias vezes o mesmo pedido de agradecimento, vendo quatro ou cinco vezes a mesma imagem como se não tivesse ali.

    - Eu vou conseguir, já fiz o mais difícil. Reconheci em mim, o que preciso mudar e dei o primeiro passo.

    Ela agradece duas, depois três vezes e implora que alguém vá com ela e não a deixe sozinha com sua amada... Que ela também implora que esteja com ela. Li parece reagir de forma apática e quase irritada em uma expressão de ódio incompreensível. As mesmas palavras saem dos lábios roxos e trêmulos de Jasmine, como se fossem a primeira vez, ela treme muito e soa frio. O policial dominado pela disciplina de Abigail caminha para dentro do hospital.

    Apesar de toda dor e frio que esta sentindo, Jasmine reage de forma serena quando e posta no carro.

    - Obrigada Myrella, obrigada a todos vocês que vieram me resgatar. Arriscaram as suas vidas por mim e estou muito grata e assim que possível quero agradecer de forma mais adequada conhecendo vocês melhor. Sim eu tenho sangue de fada, como você soube? Seria um prazer conhecer a sua casa e desfrutar da sua hospitalidade... e virando-se para Li, diz: - Espero que minha amada também venha comigo.

    Assim que Erik coloca a Akasha no Porshe, esse arranca dali em alta velocidade. Deixando Myrella e seu irmão ao lado de Erik e Abigail.


    Daniel:
    Daniel acertou, foi só ele chegar ao bar que o mau humor repentino de seu relógio passou. Certamente exaustão pela falta de alimento

    Ron: -Ah, acha que é um hacker de primeira porque aprendeu isso por aí...? Não, garoto... é uma parada espiritual. E sabe disso, quer dizer, a maioria das pessoas aqui não sabe disso... Eu sei, eu trabalho para agir para isso funcionar. Eu comando esse grupo, o bar é uma refúgio que aceitam bem... Seu relógio mágiko esta já sedento e aqui é sua base agora... Nós fechamos esse acordo com Arctus, ele é um sujeito perigoso... mas ele tem medo de alguém muito pior, para isso ele esta preparando e treinando Erik, uma abominação.... Talvez é disso que o mundo precise mesmo, cadáveres lupinos! Eu seria uma estrela de cinema se o mundo estivesse cheio deles...hahahaha... O Escorpião é um ex-Aliado, além disso, ele trabalha para Samuel Haight... Um caçador de lobisomens, vampiros, magos... Exatamente igual Arctus foi... hehehe, acho que ele não te contou essa parte, não é? Certo, mas vamos às cervejas...


    As cervejas chegam, duas garrafas tomadas por energia mística até suas profundidades.
    Ron: -Vamos falar de Samuel Haight... Eu sou da raça do bastardo que quase te fritou, só que eu sou um impuro, nasci com chifres que eu costumo lixar, mas voltam. Eu sou um predador... nascer com chifres e pele vermelha foi uma sacanagem, acham que sou um garoto do inferno... Sei lá... eu tenho evitar de ficar por aí... Aminha mãe era uma Fúria Negra que foi violentada por bastardo neo-nazista e machista dos Cria de Fenrir... São tribos de lobos, fui adotado por uma outra antes que minha genitora me rasgasse com suas garras... Claro que ela tentou me abortar, um monstro como eu... Filho de um ato de violência... Todos pagando sangue com sangue, que porra de culpa eu tinha de ter nascido com pinto...? É, não foi pelo estupro, claro que isso ajudou... Mas algumas Fúrias são mais que feministas, são matriarcais... Por sorte minha genitora é tradicional, ela não faria um pré-natal nos hospitais humanos pra saber se eu seria homem ou mulher... Se eu tivesse nascido uma fêmea seria mais uma no exército delas... mas foda-se... Ele dá um gole na cerveja que claramente reflete certa mágoa e tristeza em sua voz -Meu pai adotivo, o professor Warner é um cara legal. Ele é quem me falou de Samuel Haight... Um maluco que igual você tinha o gene dos homens-lobo, os Garou, igual a você, mas diferente de mim... saca? Ele então quis ser mais, quis aprender mais... Foi aí... que ele se corrompeu, bebendo do sangue de vampiros, caçando-os para isso. Entenda, Sam e seu irmão eram grandes caçadores, mas... existe uma linha que não se pode cruzar... Não falo nem do sangue, cara... sabe... coisas piores vieram depois.





    Ele ficou obcecado, tentou estudar ocultismo, virar um caçador melhor... O que contam algumas testemunhas é que ele aprendeu um ritual sombrio, que o transformou por completo... Ao roubar um galho de uma árvore sagrada. Os nórdicos a chamam de Iggdrasil, alguns celtas também acreditam nela... Era por isso que eu chamei os dois que estavam com você também... Samuel caçou lobisomens, vampiros e magos por toda parte. Depois foi para o Oriente Médio, lá ele se juntou com o ISIS onde criou um grupo, que ele chamou de "Manticora"... Nós fornecemos armas para os anarquistas do Curdistão Sírio contra o ISIS e os agentes da Mantícora secretamente caçam lobisomens e vampiros na região para alimentar de sangue e peles o Samuel... Sim... eles pegam peles de Garou para fazerem a transformação macabra. A luta esta apertando garoto... E queremos você conosco.


    Se deliciando em quitessência, AVA comenta...

    -Não vimos um simbolo de Mantícora no quarto do Escorpião?

    Black Thief
    Mutante
    avatar
    Mutante

    Mensagens : 583
    Reputação : 41
    Conquistas :
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/411.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1011.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1312.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1811.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1611.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/712.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/410.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1511.png

    Re: Parte lll: O olho que Tudo vê

    Mensagem por Black Thief em Sab Jan 27, 2018 8:18 pm


    O meu dom da noite havia funcionado perfeitamente como eu queria e o policial não mais nos atrapalharia.


    Myrella escreveu:- Sim... Lembro de algo sobre o clã Serpente e Assassinos envolvidos. Não é mortal para vocês dois, pelo que ouvi, mas podemos adiantar a recuperação com rituais de Purificação... Tem um no... projeto de Caern lá em casa. Se um de vocês souber o ritual, podem até usar ele... Aliás, não fomos apresentadas... Sou Myrella e este é meu irmão mais velho...


    Com o que ela falava eu me tranquilizava... Mais ou menos... Torcia para que ela estivesse certa mas se ela mesma dizia que foi apenas "o que ela ouviu" isso seria o suficiente para voltar a tirar minha quase tranquilidade, eu definitivamente não quero pagar pra ver se o que ela ouviu estava certo ou não. Logo eu respondi:

    - Abigail, e eu conheço um ritual de purificação, é simples mas efetivo para limpar uma mácula da Wyrm, se servir pra ajudar será ótimo. Myrella, e... Gael...

    Disse o nome do rapaz meio relutante, e ainda impressionada com a semelhança incrível dele com Alex, e continuei.

    -... Obrigada pela ajuda, vou ter de aceitar, urgentemente, mas não poderei ficar mais do que o necessário, ainda tenho assuntos pra resolver esta noite e com urgência.

    Eu não havia gostado que Eric houvesse me apresentado à eles pois estávamos em um local público e se houvessem ouvidos indesejáveis por aqui em algum lugar eu poderia ser caçada, mas não era culpa do Eric, era culpa minha por não ter dito à ele para me chamar de meu pseudonome. Estava notando que tinhamos muitas criaturas sobrenaturais aqui e não podia negar que a simples menção de Jasmine ter sangue de fada não meu deu água na boca... Dizem que sangue de fada era uma sensação de outro mundo... Acredito que todo cainita desejaria comprovar essa teoria, mas não... Tinha que desvencilhar isso da minha mente, já estavamos perdendo muito tempo aqui.

    - Eric, se você não foi afetado pelo sangue não precisa vir, mas eu tenho que ir, urgentemente.

    Queria mesmo era pedir ao Eric para ir até Arctus e ajudá-lo com o assunto da Umbrella enquanto eu ainda não podia ir, mas não podia pedir tal coisa ao Eric... Não sentia como se essa fosse a luta dele, embora fosse uma luta da Aliança no geral também, mas que eu considero minha acima de tudo. Logo depois pedi para Myrella me passar o endereço para onde devia seguir e tão logo ela o fez eu marquei no meu GPS. Se Eric decidisse que seguiria comigo não iria pará-lo, mas se ele decidisse que voltaria à Arctus me despediria dele e diria que o encontrava depois.

    Jasmine então começava a falar muitas coisas, coisas que eram como uma criança que falava a esmo curiosa ou assustada no meio dos adultos que também estavam com a urgência na cabeça, consequentemente não dando atenção à mulher com sangue de fada, mas algo me fez hesitar por um segundo, quando ela disse que não confiava na Li por não saber o que faria com ela agora que era considerada "morta". Aquilo me doía o coração mas estávamos todos com pressa pelo veneno, pelo balburdia que aqui se assolava e não havia como eu carregar Jasmine comigo do jeito que ela estava, eu só podia torcer por dentro que Li não fosse maltratá-la, que eu estivesse errada e Li fosse confiável, foi difícil mas decidi virar o rosto para alguém que poderia estar precisando de ajuda... Eu me sentia tão... Egoísta... Mas o medo que esse veneno pudesse me causar era maior que minha compaixão pela jovem.

    "Ela será consumida viva... É algo bom, sabe?"

    Meu passageiro Sombrio começava a falar e se tinha algo que eu não podia fazer era dar ouvidos à ele, agora mais que nunca... Mas enquanto estava no conflito interno da minha moralidade e da minha covardia, Li já arrancar com o carro dali e Jasmine ia junto com ela, já era tarde para voltar atrás. Eu imediatamente mandei uma mensagem para Arctus.

    "Estou envenenada com... Uma coisa dificil de explicar. Seguirei com Myrella para a casa dela pra me tratar e tão logo terminar encontrarei vocês. Me mantenha atualizada, por favor. Jasmine está com a Li, elas saíram sozinhas e Jasmine está com medo da mestra por dizer que ela está "morta", tive de deixar elas irem. Ps: Eric está indo lhe encontrar."

    OFF:
    Só considerar o PS se Eric decidir seguir até Arctus ao invés de ir com Abigail.

    Logo então disse à Myrella e Gael

    - Vocês tem algum veículo? Se não tiverem acho que podem pegar um taxi mesmo se ainda houver algum aqui pelo ponto do hospital, se não, pedir um Uber vai ser a única saída.

    Se eles conseguirem algum veículo vou segui-los com a minha moto.


    Jim Jones
    Cavaleiro Jedi
    avatar
    Cavaleiro Jedi

    Mensagens : 240
    Reputação : 6

    Re: Parte lll: O olho que Tudo vê

    Mensagem por Jim Jones em Dom Jan 28, 2018 3:19 pm

    Ford estava em sua bancada de estudos, em seu galpão. Sua cara afundada no microscópio, analisando o que parecia ser sangue, sangue de morto, as células já não mais nutriam vida, mas de alguma forma não se degeneravam. A hipótese de John era que elas soltavam algum tipo de enzima que inibia os agentes degenerativos de conseguirem agir. Ele larga durante um tempo o sangue, vai a uma porção de carne estraída de um desses "vampiros", realizando testes de tração e torção John confirmou o que diversos outros testes aviam mostrado antes. A elasticidade e resistência da amostras sobrepujavam qualquer carne comum, a despeito da aparência cadavérica e do fato da carne poder ser cientificamente considerada morta.

    O celular de John toca, tirando-o da concentração de seu serviço, antes que pudesse atender vê Arctus, que consegue se comunicar mesmo sem que Ford atenda o celular.

    Arctus: -Preciso de sua ajuda urgentemente, doutor. Encontramos um prisioneiro que acredito que trará novas informações fundamentais para sua pesquisa. Apronte-se estou indo te buscar em sua casa e vamos para delegacia, lá uma Aliada conseguiu um tempo para nós conversamos.

    - Pode entrar... estava terminando de checar a carne..."vampírica",se eu tivesse acesso a mais um infectado... os progressos possíveis para a humanidade seriam...Mas qual o problema? Pra que precisa de minha ajuda? - falava enquanto abria o jaleco e trocava-o para um sobretudo.-Preciso me preparar para que?- perguntou enquanto abria sua maleta e colocava diversos aparelhos científicos dentro, um medidor Geiger, alguns tubos de ensaios tampados com materiais, outros vazios, placas de petri, nada muito grande, apenas equipamentos pequenos para testes rápidos e coleta de amostras em sua maioria.
    Simon Black
    Tecnocrata
    avatar
    Tecnocrata

    Mensagens : 433
    Reputação : 11

    Re: Parte lll: O olho que Tudo vê

    Mensagem por Simon Black em Ter Jan 30, 2018 9:12 pm

    Erik fica sem entender o motivo para Zhao Li ter arrancado com o veículo naquela velocidade. Ergueu as sobrancelhas realmente sem entender, mas pelo que convivera naquele dia com ambas, sabia que Jasmine era muito ligada a ela e provavelmente estaria segura. A reação dela provavelmente se devia ao trauma do que passara, mas ele vira a preocupação da mentora.

    Dando de ombros, aguardou a resposta de Abigail.

    Achou que o ideal era todos permanecerem juntos. O convite fora feito e ao ouvir as palavras dela, murmurou:

    - O sangue dele caiu em mim. Espirrou no corpo, mãos. O contato foi pequeno. Acham que eu poderia estar envenenado como vocês? Melhor seriam permanecer juntos momentaneamente até todos ficarem restabelecidos, não?

    As perguntas feitas foram destinadas aos três ao seu redor.

    - Embora ainda tivéssemos mais uma parada depois daqui... - disse mais para si do que para eles, encarando Abigail.
    Claude Speedy
    Troubleshooter
    avatar
    Troubleshooter

    Mensagens : 990
    Reputação : 21

    Re: Parte lll: O olho que Tudo vê

    Mensagem por Claude Speedy em Qua Jan 31, 2018 2:24 pm




    Ford:


    O núcleo celular parecia protegido de qualquer ataque, o que parecia um cenário utópico para a sobrevivência de qualquer ser vivo, mas não lhe lembrava nada em particular. Ainda que o núcleo tivesse uma quantidade de ar que parecia gerar oxigenação, não parecia acolhedor o contato com luz ultravioleta e a hipótese que veio na mente de Ford seria apenas a de que uma enzima era responsável por isso, alguma unidade proteica muito específica que ele não conseguia identificar...

    Arctus para se apoiando em uma bengala de madeira retorcida cujos detalhes terminavam em uma cabeça de metal decorada em um dragão vermelho que a parecia circundar enquanto o mago caminha usando esse apoio. Era como se um o próprio dragão e diante da pergunta de Ford ele comenta.

    Arctus: -Justamente sobre "novos acessos" que eu vim lhe falar, doutor. Ao que parece, a organização governamental que o senhor e eu conhecemos como Tecnocracia tem organizado pesquisas como a sua, só que muito mais aprofundadas e com muito mais pessoal envolvido. Eles guardam essas informações em um escritório do FBI, justamente aqui em Nova York. Ao que parece esse escritório inspecionar impressas de saúde e biotecnologia para lançar produtos farmacêutica no mercado nesse centro, mas isso é na verdade uma fachada que precisamos entender melhor. Quem esta alegando isso é uma das cobaias escapou de lá e esta sendo interrogada pela polícia nesse momento. Felizmente temos uma juíza que trabalha com a Aliança, que esta segurando para nós o suspeito. Me solicitaram urgência para ir até lá, achei que o senhor iria se interessar... Especialmente em realizar alguns exames no rapaz, ele alega que teve de beber sangue desde que nasceu...

    Nesse momento o mago sorri com certo tom de cinismo debochado que soava como certa incredulidade sobre as alegações que ouviu, os dois abandonam a casa e se dirigem à delegacia...

    Claude Speedy
    Troubleshooter
    avatar
    Troubleshooter

    Mensagens : 990
    Reputação : 21

    Re: Parte lll: O olho que Tudo vê

    Mensagem por Claude Speedy em Dom Fev 04, 2018 11:38 am





    Abigail, Erik e Myrella:

    Myrella ainda esta meio atordoada, mas segue ao lado de Abigail... A Dançarina renegada comenta sobre o Ritual de Purificação e os dois irmãos sabem perfeitamente o que é isso, nesse momento eles saem da visão de todos sendo protegidos pelo poderoso Erik...

    Arctus: - Certo, estamos aqui... Estamos com a juíza, Abigail. Vamos tentar segurar tudo aqui para vocês.

    Gael toma sua irmã nos braços, mas olha confuso ao ver que existe só uma moto para levar os quatro já que o Porshe saiu em disparada, mas Abigail sugere que peçam um Uber ou Taxi para saírem dali. Na indecisão e não encontrando um taxi a própria Dançarina pede um Uber ...


    Motorista: -Sim, sim... cheguei... Você é a passageira, é?

    Ela parece meio atarefada, enquanto para o carro



    Portuga
    Garou de Posto Cinco
    avatar
    Garou de Posto Cinco

    Mensagens : 2045
    Reputação : 1
    Conquistas :
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/311.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1011.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1711.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1413.png

    Re: Parte lll: O olho que Tudo vê

    Mensagem por Portuga em Seg Fev 05, 2018 10:08 pm

    Haaa as cervejas, minha boca estava seca, mas não a queria por causa da sede, nem pelo sabor, e sim pela magia dentro dela, poder engarrafado, esse era o motivo, como será que conseguiam fazer isso em larga escala?

    Minhas sobrancelhas levantavam de espanto e logo ficava meio estupefato tanto com Ron, tanto com sua história...
    “- Bem bro, você pelo menos teve alguém e sua mãe ainda está viva, enquanto não desistir, sempre há uma esperança de reconciliação, já eu, não tenho essa sorte, pra mim, foi dado game over nesse quesito, já que vocês sabem tanto de mim, deve saber que meus pais morreram...” – com um gole mais da metade da cerveja se fora da garrafa, visivelmente um pouco abatido pela perda dos seus pais, escutava a história estando aéreo.

    Samuel Haight, igual a mim...gene dos homens-lobo...no que isso me ajuda? Até agora em nada....caçador...bem ele não me parece ser muito saudável pra minha saúde, ainda mais com o escorpião sendo lacaio dele, olha como ficou o estado mental da criança...é melhor passar longe desse cara....ponto 1 – que transformação da porra é essa!? 2 – o refúgio se financia fazendo tráfico de armas?

    “-Ava, eu não vi nada, você que comentou, se você viu, então viu, você, tinha comentado sobre Amenti e a Manticora, que na verdade bate com info do Roni.”

    “-Roni, estou disposto a entrar nessa, acho que será uma boa experiência para eu crescer, quem sabe depois tenha o poder suficiente para ir atrás do engraçadinho da tecnocracia que explodiu minha casa...agora vamos aos pontos importantes...” – olhando, fixamente para Roni, inclinando-se com os braços sobre a mesa, as mãos abertas, onde os dedos brincavam de se encostar e separar uns nos outros, mostrando uma certa inquietação....talvez uma inquietação boa...

    “- Roni, sou um mago, iniciante, mas uma coisa que não sou é idiota, não tem como eu me misturar nessa bagunça com cadáveres lupinos, lobos normais, já seriam uma baita máquina de matar, agora essas porras tão em outro nível, viraria patê de mago em uma simples disputa de cuspi com esses caras...Então me dia, e espero que seja sincero, o que vocês realmente esperam de mim!? Creio que há magos melhores? Outra coisa, independente disso, gostaria d ajuda, em descobrir sobre meus genes lupinos, por assim dizer, você parece saber bastante sobre...correto!?”
    Freya Stormborn
    Cavaleiro Jedi
    avatar
    Cavaleiro Jedi

    Mensagens : 257
    Reputação : 3

    Re: Parte lll: O olho que Tudo vê

    Mensagem por Freya Stormborn em Qui Fev 08, 2018 6:17 pm


    Por sorte, ela conhecia o ritual e, portanto, não teríamos que procurar alguém para fazer o ritual para nos ajudar. Quando o Porsche saiu em disparada, suspirei. Se elas decidiram ir embora, não havia nada que eu pudesse fazer. As pessoas eram livres para fazer o que desejassem e aquela havia sido suas escolhas. Voltei minha atenção a loira, mas estava um pouco atordoada para responder-lhe no momento, pensando em uma série de coisas que deveria fazer e estudar nos próximos dias sobre aquelas coisas que havia descoberto. As vezes, eu tinha pequenos lapsos de atenção quando estava curiosa com algo ou quando algo muito fora do comum ocorria, como era aquele caso. Um formosi morto-vivo?! Eu ainda tinha problemas em lidar com a descoberta recente e ainda mais com a ideia de nossos inimigos usarem aquele tipo de veneno e todas as implicações que aquilo podia ter. Escorpião e seus aliados eram piores do que nós havíamos suposto anteriormente e eu precisava saber com o que estava lidando. Além do mais, minha essência Investigativa não cooperava muito para resistir aos impulsos de tentar descobrir mais.

    - Você disse que tem assuntos a tratar depois. Se for algo que nós possamos lhe ajudar, pode fazer, certo?

    Não sabia se poderia auxiliar e, bem, sabia que deveríamos descansar um pouco, no entanto me pareceu educado oferecer possibilidade de ajudarmos após tudo o que a loira havia feito para nos auxiliar. De todo modo, conseguiram um Uber para nos levar para casa. Nos braços de meu irmão, suspirei e concordei com a cabeça. Tentei, mais uma vez voltar ao chão e agora entrar no carro. Agora eu teria que me concentrar um pouco mais na situação para não me perder em meus devaneios mais uma vez.

    Motorista: -Sim, sim... cheguei... Você é a passageira, é?

    - Sim, nós somos nós. - Confirmei, olhando-a com calma e arqueando uma sobrancelha. Como era um Uber, a mulher já tinha o endereço e não tínhamos que nos preocupar com aquilo no momento. Quando chegássemos em casa, comecei a pensar, iria perguntar o que a jovem precisava para realizar o ritual. Além disso, sabia que as vezes algo para comer era bom.

    Myrella von Horn
    Maga Verbena e Parente Fianna.
    Black Thief
    Mutante
    avatar
    Mutante

    Mensagens : 583
    Reputação : 41
    Conquistas :
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/411.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1011.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1312.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1811.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1611.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/712.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/410.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1511.png

    Re: Parte lll: O olho que Tudo vê

    Mensagem por Black Thief em Sab Fev 10, 2018 12:38 pm


    Parecia que não havia taxi nenhum por ali, a melhor opção foi de fato chamar o Uber e felizmente aquele serviço era rápido e eficiente, o motorista mais próximo das ruas estaria logo aqui no exato local onde estava, um pouco mais distante do holocausto do hospital já que precisamos ter andado pra procurar um taxi, que foi nossa primeira e falha opção. No caminho, Myrella oferecia ajuda, eu não queria arriscar ninguém nisso, mas não podia negar que com certeza iria querer ajuda, de modo que respondi hesitante.

    - Obrigada... Eu com certeza iria apreciar ajuda, mas não vou mentir pra vocês, será perigoso, vou contar a vocês e então podem decidir se ainda querem se envolver.

    Depoius a motorista do Uber chegava e eu arqueei a sobrancelha quando vi que a frase machista "mulher no volante, perigo constante", nesse caso, não é tão machista e sim realista.

    Motorista escreveu: -Sim, sim... cheguei... Você é a passageira, é?

    Myrella logo ia entrando no carro confirmando que eram os passageiros, no caso só ela e Gael pois eu e Erik iriamos de moto. Antes de deixar elas partirem eu me aproximei da janela do motorista e tirei apenas a viseira do capacete já que não podia tirar ele inteiro pelo sangue negro seco e venenoso que estava na minha cara.

    - Sim, a conta é minha mas só eles dois vão estar a bordo, de qualquer modo nós vamos todos juntos, eu estarei na moto com o meu amigo.

    Então dou uma rápida desviada do olhar da motorista e inicio:

    - Ahm... (nome da motorista, que está descrito no app do Uber)... Eu só queria falar com você uma coisa... Minha amiga aí não está muito bem e nós estamos levando ela pra casa. Eu to vendo que você está um pouco atarefada aí...


    Digo menando a cabeça na direção do celular e outras distrações que ela poderia estar tendo.

    -... Mas eu vou te pedir pra desfocar sua atenção disso e ficar de olho na estrada. Você parece uma garota legal, eu não quero que meus amigos que estão aos seus cuidados acabem sofrendo um acidente, também não quero que isso aconteça com você, e também não quero ter que negativar ninguém no aplicativo e até denunciar ninguém por infrigir as leis de trânsito. Então se você puder dar total foco nisso vamos todos ficar bem e seguros. Posso contar com você pra isso?

    Eu olhava dentro dos olhos dela, estava com um tom sério, muito sério... Não queria correr o risco dos meus colegas se machucarem, ou haver motivos para atrasar o nosso tratamento. Caso a garota responda que ok, vou para a minha moto com o Eric e todos seguiriamos para o destino que Myrella tinha nos dado, caso ela pirraçar vou ter que apelar pros meus dons da noite, não quero ter que pedir outro Uber, por mais que não seja tão demorado estamos correndo contra o tempo aqui.

    OFF: rolagem de manipulação+ intimidação (-2 de diff voz encantadora Tambem possuo a especialização Convincente, se o narrador considerar que servirá pro teste.)

    Black Thief efetuou 6 lançamento(s) de dados (d10.) :
    7 , 1 , 1 , 8 , 5 , 1
    Simon Black
    Tecnocrata
    avatar
    Tecnocrata

    Mensagens : 433
    Reputação : 11

    Re: Parte lll: O olho que Tudo vê

    Mensagem por Simon Black em Seg Fev 12, 2018 7:50 am

    Erik fica em silêncio, aguardando. Ainda não sabia se o sangue espirrado em si serviria de entrada para o tal veneno, mas agora com o transporte ali para levar o casal de irmãos, o foco estava em acertar o caminho até a casa da tal Myrella.

    De braços cruzados, encarou cada um deles e mordeu levemente o lábio inferior. Coçou levemente os cabelos loiros e quando Abigail finalmente veio para que subissem na moto e os seguissem, ele fez o mesmo, seguindo junto com ela.
    Jim Jones
    Cavaleiro Jedi
    avatar
    Cavaleiro Jedi

    Mensagens : 240
    Reputação : 6

    Re: Parte lll: O olho que Tudo vê

    Mensagem por Jim Jones em Ter Fev 13, 2018 8:48 pm

    As células eram um mistério para Ford e ele faz pequenas anotações mentais enquanto observa e ouve Arctus parado a sua frente.

    - Estou ciente que a tecnocracia faz pesquisas similares. Eu mesmo em minha época naquele grupo estive interessado em tal area, mas acredito que a mentalidade fechada delas para suas próprias concepções do que é a ciência e a realidade no minimo atrasem a pesquisa deles em alguns anos. Um grupo muito mais heterogêneo e diverso como o nosso tem muito mais chances de ter sucesso. Isso se dispusermos do material e da mão de obra para isso.- A ultima frase soou como uma reclamação amargurada, por vezes Ford solicitou assistência da aliança para com suas pesquisas e muito raramente conseguia ajuda de algum de seus membros em seus estudos. Talvez a situação mudasse agora que sabem que a tecnocracia também tem interesse nisso.

    - Quanto as alegações do rapaz, não seja tão cínico Arctus, durante a antiga época da União Soviética, cientistas Russos tinham uma vertente teórica evolucionista que focava na extrema importância do meio para formação do individuo, excluindo totalmente a relevância genética...claro que em parte era um representação  da ideologia comunista. Assim como a vertente de que apenas os genes influenciavam  a formação do individuo era defendida pela Alemanha nazista, e sua idea de raça perfeita. Ambas tão extremistas em seus pontos que facilmente puderam ser refutadas, mas se de alguma forma eles tivessem alguma nova evidencia que comprovasse essa teoria, eles conseguiriam pensar em uma forma de aplica-la, assim o próprio meio geraria uma adaptação e por fim uma evolução no individuo, o transformando em algo novo...

    No caminho para a delegacia Ford ficou pensando sobre as implicações de tal descoberta ser verdadeira, grande parte do que aceitamo hoje como verdade no campo da genética e da evolução cairiam por terra.
    Claude Speedy
    Troubleshooter
    avatar
    Troubleshooter

    Mensagens : 990
    Reputação : 21

    Re: Parte lll: O olho que Tudo vê

    Mensagem por Claude Speedy em Qua Fev 14, 2018 12:06 pm



    Ford:
    Ford ainda estava analisando as últimas descobertas das capacidades sanguíneas vampíricas, ao que parece, elas eram bem aprimoradas em curar tanto quanto fortaleceram seu corpo em um nível de resistência e força que ele não poderia imaginar.

    As pesquisas mais complexas levavam a ver a possibilidade de alteração profunda no interior de células mortas, impedindo a sua degeneração, é tudo muito confuso... Assim como curiosamente a regeneração celular é mais eficiente que a de alguns animais marinhos e John imagina se sua própria carne se tornaria cadavérica. A carne parece com de uma minhoca, que tem nove corações pulsantes e no caso do vampiro, não há nenhum.

    É no meio de suas análises em um microscópio e pelos dados colhidos pelo aparelho espectrográfico, que o cientista é surpreendido pelo toque de seu celular, ao ir verificar quem esta a sua espera vê pela própria segurança do lugar a imagem de Arctus e nem parece que o cientista atendeu, mas..

    Arctus: -Os comunistas tinham também essa linha de pesquisa racial? Como chamariam essa espécie de "proletário industrial evoluído", homo faber? Curioso como todos eram racistas no começo do século XX... Mas me perdoe o cinismo, eu aliás de fato ouvi em regiões da antiga URSS sobre a bruxa Babá Yaga tanto quanto uma raça de carniçais da família Obertus sobre uso da ciência por parte deles e da magia por parte dela... Creio que ambos estavam incompletos, por isso estou aqui tanto como uma ajuda para completar seus estudos, quanto para fornecer material com esse prisioneiro e poder ajudar com o que sei sobre misticismo por trás dos poderes desses seres. Ele pode ser justamente aquilo que estavamos querendo achar há muitos anos. Quando fui informado essa noite sobre ele não imaginei pessoa melhor que o senhor para me acompanhar, doutor.

    Com isso ambos saem e veem um carro impala preto do outro lado da rua, parado na frente de uma casa que parece ter ocorrido alguma coisa trágica.



    Arctus: -Não se importe com o que houve na casa, foi um problema doméstico nosso. Te contarei detalhes mais tarde... Agora eu tenho certeza que chegando lá, o senhor poderá me dizer mais do que eu poderia sozinho.

    Eles entram no carro, rumando para ilha...

    ...na delegacia eles são rapidamente recebidos na recepção pelo detetive Lloyd Johnson e esse chama pela juíza Lydia Norman, que estava na sala de interrogatório.


    Lydia Norman: -Ah, que bom que chegaram. Eu realmente estava ficando preocupada já. Ele esta aqui aguardando vocês... O detetive e eu estavamos ficando sem explicações para dar para o segurar.

    O detetive acompanha a juíza, assim como os dois que o seguem.


    Alex Mercer: -Ah, então vocês finalmente chegaram! Quando vamos derrubar a Umbrella e a agência do governo por trás disso?


    Abigail, Erik e Myrella:


    Abigail tenta intimidar a garota, as palavras soam tão frágeis para motorista que essa segura para não rir da ameaça. E a preocupação é tão grande da Lassombra em irem rapidamente que ela ignora totalmente o quão sem entonação suas palavras chegaram para piloto. Essa simplesmente em um sorriso amarelo liga o carro levando Myrella e Gael.

    Seguidos de moto por Abigail e Erik, as duas abominações veem a quantidade de barbeiragens e cortes de farol que a garota faz, absurdos mesmo para os padrões novayorquinos...



    Erik por sua vez sente que o ídolo que carrega começa a tentar se comunicar mais intensamente.



    Dentro do carro, Myrella nota que sua motorista esta visivelmente fora de si, talvez bêbada ou drogada e ela precisa pensar em alguma coisa para fazer sobre isso.


    Daniel:
    Daniel bebia das cervejas de forma restauradora, assim como nutria seu avatar no pulso sorvia quintessência.

    Ainda assim um tom de melancolia soa das palavras do Vazio, expondo sua natureza competitiva de esperto por instante ao medir uma tragédia ainda maior do que a de Ron...  Esse por sua vez faz parecer que esta a concordar com o olhar que pelo menos ainda tem uma mãe, mas como o Garou não diz nada o mago não sabe ao certo se realmente se o lobisomem na sua frente tem uma mãe ainda viva. A tristeza do Impuro é bem nítida, tanto quanto suas deformações, durante essa angústia e ambos afogam um pouco mais da agonia em álcool fermentado. E logo depois ansiosamente é que Daniel  questiona a natureza de sua convocação.

    Ron: -De fato, há sim magos mais experientes. Mais sabe como é raro algum mago ser um parente de lobisomem? Só posso agradecer ao Arctus, ele conhece fadas, lobos, vampiros, fantasmas... De tudo! O sujeito já enfrentou de tudo há uns anos, é o que dizem. E nós valorizamos nossos parentes perdidos, vocês são essenciais para existência da espécie e protetores fundamentais. Parte do seu dom com as máquinas e de entender o espírito por trás delas vem de sua origem, pelo menos eu suspeito que você seja geneticamente próximo de uma Tribo conhecida como "Andarilhos do Asfalto"... Mas é preciso que isso seja conversado de acordo, porque essas máquinas de matar vampirescas e abomináveis também é algo que Arctus tem agrupado consigo, ele é um pesquisador profundo sobre o assunto e pelo que eu tenho notado esta formando uma linha de frente contra algo que a Tecnocracia planeja, pelo que entendi Samuel pode ser a desculpa que algumas pessoas dentro da Tecnocracia precisam para rastrear e expurgar de vez as outras espécies... como eles quase fizeram em 2004.


    Nessa pausa Ron continua sobre o que houve no ano de 2004.
    Ron: - Nós eramos treze tribos, mas fomos dispersados. Jogados pelo mundo e formamos agora pequenos grupos territorialistas que esqueceram seu propósito inicial: a proteção do planeta em que vivemos. Apesar das diversas visões das tribos, todos nós tinhamos adotado a crença na deusa grega Gaia. Há poucos Garou hoje, crentes igual sua amiga que você conheceu aqui Myrella e o irmão dela. Dizem que os lobisomens tem formado outros grupos e tem outro nome agora, mas não ligo para isso. A verdade é que a Tecnocracia se uniu à sanguessugas misticos, um grupo de feiticeiros de uma linhagem chamada Tremere. Os ensinamentos dessa tal linhagem estão guardados por um conglomerado de empresas chamado Umbrella... Eles usam o simbolo de um guarda-chuva, mas a verdade é que é uma cruz de ferro de malta, o simbolo dos cavaleiros teutônicos, os mesmos cavaleiros que inspiraram os nazistas...



    ...eu odeio nazistas. Não só pelo desgraçado do meu genitor, mas também pelo que meu pai adotivo passou com eles... De fato, o que Arctus imagina é que os estudos dos Tremere são os que Samuel Haight descobriu... E a tal Umbrella tem suas patentes fiscalizada em um escritório do FBI aqui em Nova York... Se puder me ajudar, a encontrar o caminho por pelo qual podemos manter nosso acordo com a Aliança sem perdermos nossa autonomia, eu serei grato. Eu pensei em organizar um grupo de lobisomens, minha "matilha" para ir até esse escritório... Mas isso poderia atrair a atenção que não queremos para os poucos que somos. Apesar que precisamos fazer alguma coisa.


    AVA comenta mentalmente para Daniel:

    -Sim, sim... Chamaria atenção, mas é preciso descobrir se a Tecnocracia por via dessa tal Umbrella sabe as mesmas coisas que o Samuel, menos ou mais que ele... Se há vampiros que sabem um ritual para virar lobisomem isso com certeza deve ter sido o principal motivo para a quase destruição deles...  

    Black Thief
    Mutante
    avatar
    Mutante

    Mensagens : 583
    Reputação : 41
    Conquistas :
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/411.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1011.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1312.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1811.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1611.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/712.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/410.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1511.png

    Re: Parte lll: O olho que Tudo vê

    Mensagem por Black Thief em Qua Fev 14, 2018 1:06 pm

    Destreza + Condução.

    Black Thief efetuou 6 lançamento(s) de dados (d10.) :
    10 , 1 , 5 , 10 , 9 , 1
    Simon Black
    Tecnocrata
    avatar
    Tecnocrata

    Mensagens : 433
    Reputação : 11

    Re: Parte lll: O olho que Tudo vê

    Mensagem por Simon Black em Qui Fev 15, 2018 6:16 am

    OFF: Fiquei na dúvida se devia rolar minha Gnose (5) ou Raciocínio + Ocultismo (3), do item. Farei os dois roll´s abaixo

    Gnose
    Simon Black efetuou 5 lançamento(s) de dados (d10.) :
    9 , 5 , 6 , 10 , 9

    Raciocínio + Ocultismo
    Simon Black efetuou 3 lançamento(s) de dados (d10.) :
    1 , 3 , 9
    Jim Jones
    Cavaleiro Jedi
    avatar
    Cavaleiro Jedi

    Mensagens : 240
    Reputação : 6

    Re: Parte lll: O olho que Tudo vê

    Mensagem por Jim Jones em Dom Fev 18, 2018 1:04 am

    - Não meu caro Arctus, você entendeu errado. Eles não eram racistas eles acreditavam que a raça, ou melhor falando a etnia e toda a herança genetica do individuo tinham um papel reduzido na sua formação, sendo o mesmo completamente  dependente do meio em que a pessoa vivia. Indo de encontro com o "todos os homens nascem iguais" que eles adoravam tanto pregar.

    Arctus: -Não se importe com o que houve na casa, foi um problema doméstico nosso. Te contarei detalhes mais tarde... Agora eu tenho certeza que chegando lá, o senhor poderá me dizer mais do que eu poderia sozinho.

    -Claro, claro... vamos logo.- respondeu o cientista, mas ele não estava muito preocupado com a acidente, para não dizer que praticamente o ignorou. Em sua cabeça estavam apenas as maquinações sobre suas pesquisas

    Ao chegarem na delegacia, ele fica um tanto quanto intrigado com o detetive que os recebe, Lloyd Johnson, tanto o nome quanto a pessoa o eram familiar, só não conseguia ter certeza de onde. No fim ele aceitou que talvez fosse só impressão dele quando a juíza chega. Sem falar nada ele segue caminho junto com ela.

    Alex Mercer: -Ah, então vocês finalmente chegaram! Quando vamos derrubar a Umbrella e a agência do governo por trás disso?

    John olha calmamente para Arctus esperando que ele entenda a deixa enquanto abre sua maleta.- Meu amigo poderá responder melhor essa pergunta, enquanto isso, vou fazer alguns testes rápidos, não se preocupe eu sei muito bem o que estou fazendo. Senhora, se você quiser não precisa mais estar presente. Arctus, talvez seja melhor cuidar das cameras.- fala com um tom sereno, quase como um conselho para a mulher sair da sala, mas ele realmente esperava que artcus cuidasse das cameras. Ele pega o celular e liga a lanterna - Acompanhe meu dedo por favor.- e movia sua mão com o dedo indicador levantado enquanto colocava a luz próxima dos olhos do jovem, olhava a dilatação da pupila e as condições dos globos oculares.

    Quando Artcus parasse de falar ele continuaria com os procedimentos, da maleta ele tira uma seringa.- Vai sentir só uma picadinha. Enquanto isso, fale mais sobre você, essa historia de só te alimentarem com sangue.- e ele retirava alguns mililitros de sangue e colocava em um dos tubos de ensaio, devidamente tampados. Em seguida ele pega um pano e da para o garoto gesticulando para por na boca, em seguida começa a fingir dar varias dentadas, para que o garoto mordesse o pano com força.- Olha... Esse aqui vai ser bem mais que um picada. Tente não fazer muito barulho.- e antes que o garoto pudesse responder ele fura o braço dele com o que parece ser uma seringa maior e puxa antes de demorar muito tempo, quando ele poem o recipiente num outro tubo de ensaio parece que ele tirou um pequenino filete da carne do braço do garoto. Ele tira o pano da boca do garoto e poem no braço que o menino sofreu as duas agulhadas.- Pressione um pouco para parar o sangramento

    - Já tentou se alimentar de outras coisas antes? Sentiu nausea ou algo do tipo na ocasião? O que sente agora? Euforia? Adrenalina ? Sente seu coração bater mais rápido? - A forma como ele fala em tal situação, faz soar como se ele fizesse esse tipo de procedimento rotineiramente. Enquanto o jovem responde a pergunta John tenta tirar o pulso dele, que, devida as circunstancias, deveria estar a galopes.- Você já apresentou ou apresenta capacidades físicas ou mentais diferentes das normais? Força elevada? Raciocínio rápido? Resistência a dor? conforme ele ia respondendo Ford anotava  tudo que ele respondia num bloco de notas no celular. Ford se restringia apenas a perguntas relacionadas ao estado físico e á saúde do garoto, deixaria as perguntas sobre a organização por responsabilidade de Arctus até acabar com a coleta de materiais. Por ultimo ele pega um cotonete e pede par ao rapaz abrir a boca, ele passa o cotonete dentro da boca do garoto e  tenta perceber se vê algo de diferente na configuração da mesma. Por ultimo ele guarda o cotonete em outro tubo de ensaio e fecha a maleta com seus equipamentos.- Mais algo que gostaria de acrescentar sobre sua atual... Situação...?

    off:
    Vamos lá a primeira rolagem Shocked  queria testar um teste de magika para ver se eu percebo algo de diferente no garoto, pelo q eu entendi seria esfera 1(que seria da percepção) de vida tbm tenho matéria e primórdio 1 (se for de uso). Como o paradigma é ciência faria sentido ele executar uma magika dessa forma certo? Qualquer coisa erro da minha interpretação das regras desconsidere o teste, mas ainda considere todo o texto. Sou novo no sistema então Pode dar bronca que é assim que a gente aprende ^_^

    Ps: só confirma pra mim se seria um efeito coincidente ou vulgar

    rolado Arete(3)

    Jim Jones efetuou 3 lançamento(s) de dados (d10.) :
    4 , 10 , 10

    Portuga
    Garou de Posto Cinco
    avatar
    Garou de Posto Cinco

    Mensagens : 2045
    Reputação : 1
    Conquistas :
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/311.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1011.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1711.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1413.png

    Re: Parte lll: O olho que Tudo vê

    Mensagem por Portuga em Ter Fev 20, 2018 12:13 am

    Escutava atentamente a explicação, parecia que além de raro, ter sangue de lobisomem, era algo muito bom, apesar de ainda não ter visto nenhum efeito sobre...hum..."andarilhos do asfalto", dom com máquinas, tecnologia, hum gostei, será que de alguma forma comba com AVA!? Esperar pra ver...

    E quando escuta a palavra "tecnocracia"- Puta que pariu! - disse quase se engasgando - "Odeio a tecnocracia! Eles mataram minha família!" - seu ódio exalava em seu olhar e fala.

    - Ron, já falei antes que tava dentro, agora então, esse vai ser o projeto de minha vida! Frustar e acabar com esses filhos da puta! - falava enquanto dava um soco na mesa

    Continuando a escutar até o final e com os comentários de AVA, parei para coçar meu queixo, enquanto pensava um pouco...

    - Bem, concordo, chamaria muita atenção, ainda mais agora, depois da bagunça no hospital, talvez pesquisar um pouco antes de agir, pegar a planta do escritório...mudando um pouco de assunto, a missão anterior, a aliança, tinha mandando um grupo naquele hotel, de onde acabei de vir, e apesar de não precisar invadir aquele hotel, na minha missão de resgate, pude notar que ele é bem supeito, não sei qual o nível de "desconfiometro" e vocês, mas eu tenho um "backdoor" no sistema deles, tendo acesso e controle de quase tudo eletrônico, cameras, portas etc...posso entrar a qualquer momento....

    - Além disso, você bem sabe, que não sou uma máquina de matar e como você oferece armaspara os anarquistas do Curdistão Sírio, não deve ser muito difícil pra vocês me obterem alguns brinquedinhos, né!? Preciso de uma escopeta de assalto e uma Barret modelo 82 calibre 50, além de uma alguma coisa a prova de balas e garras, algum colete reforçado, acredito que não esteja pedindo nada demais, afinal vou dar minha vida contra a tecnocracia, pode ter certeza disso!

    - Então me diga, qual o próximo passo do plano!


    OFF: TESTE MANIPULAÇÃO +LÁBIA + VOZ ENCANTADORA - se necessário, acredito que meu personagem tem um bom argumento e dado a facilidade do grupo em conseguir armas...e pelo fato dele também estar falando a verdade

    Portuga efetuou 8 lançamento(s) de dados (d10.) :
    1 , 3 , 6 , 10 , 3 , 10 , 4 , 5


    Portuga
    Garou de Posto Cinco
    avatar
    Garou de Posto Cinco

    Mensagens : 2045
    Reputação : 1
    Conquistas :
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/311.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1011.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1711.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1413.png

    Re: Parte lll: O olho que Tudo vê

    Mensagem por Portuga em Ter Fev 20, 2018 12:14 am

    ROLANDO os 10s
    Portuga efetuou 2 lançamento(s) de dados (d10.) :
    5 , 4


    Claude Speedy
    Troubleshooter
    avatar
    Troubleshooter

    Mensagens : 990
    Reputação : 21

    Re: Parte lll: O olho que Tudo vê

    Mensagem por Claude Speedy em Qui Fev 22, 2018 12:06 pm

    [quote="Claude Speedy"]


    Ford:
    Na delegacia Ford recomenda que Arctus peça para juíza sair, o mago hermético apenas sorri de volta.

    -Ela já viu sobre isso o bastante, doutor. É uma de nós.

    E nisso ele se dirige ao prisioneiro, que parece disposto a conversar até certo ponto. Quando os exames começam e vão continuando enquanto ele fala.

    -Senhor Mercer, eu sou o senhor Winchester e esse é o Doutor Ford. A juíza recomendou nossos serviços para entender a natureza das experiências feitas com o senhor em seu cativeiro na... Como era o nome da empresa...?

    -O nome é ...




    ...ela é uma empresa de pesquisa de financiamento,foi criada em São Paulo no Brasil em 2009. Ela trabalha com investimento em várias áreas, mas tem um obscuro centro de pesquisa em biogenética que tem ajuda do governo para se manter... Alguém esta envolvido em manter essa empresa funcionando... Ela faz parte de um conglomerado maior de empresas... eu fui convocado com um antigo colega para estudar sobre isso, eu estava lá pela ciência... Essa empresa consegue financiamento diretamente do Brasil para nossos estudos.


    -O Brasil não é um país muito rico, senhor Mercer. Estão roubando de pessoas mais pobres que vocês?

    -Sabemos disso, mas a partir de parcerias do governo com bancos. A empirikus consegue o dinheiro de lá e manda para nós... não sei se é roubo, não é minha área como fazem isso, mas é como se roubassem legalmente o estado... foram eles quem ajudaram na minha pesquisa junto do senhor Albert Wesker. Desenvolvemos formas de mutação genética...

    Nessa hora John suga mais fundo um pouco mais de sangue e Alex interrompe a fala por um instante.

    ...sistemas virais para isso, inclusive. A questão é que havia uma obsessão na Umbrella, a empresa que coordenava as conexões entre as várias empresas que lidavam com o projeto em estudar a morte e a vida... em entender os limites entre os dois estágios. Um estudo que eu não entendi o sentido... De qualquer modo, eu lembro muito pouco do que aconteceu, uma garota chamada Jéssica me ajudou a escapar e disse para vir até aqui... Que vocês me ajudariam.

    O mais impressionante para Ford é que... os furos de agulha se fecham quase instantaneamente.

    Abigail, Erik e Myrella:
    Mais uma vez Abigail faz o impossível com sua motocicleta, ela consegue por si já antecipar todos os movimentos da motorista pelas ruas de Nova York melhor até mesmo que a própria empresa Uber conseguiria. Parte de sua capacidade também vem do fato de uma benção do ídolo que Erik carrega incidir sobre ela ter caído de modo bastante transformador, dando vantagens para moto sempre estar em um lugar certo e na hora certa...

    Ela vem a seguir Gael e Myrella sem perde-los de vista. Depois de algum tempo, o carro para na frente do prédio de Abigail a motorista para e olha tentando esconder os olhos de ressaca com os óculos...

    -Dinheiro ou cartão?

    Ela pergunta enquanto as duas abominações de moto estacionam do lado.
    (off: Abigail ganhou a qualidade "Ás no Volante" com a experiência)


    Daniel:
    Um sorriso se forma no rosto deformado e vermelho de Ron quando vê o entusiasmo do jovem mago, ele em seguida dá mais uma tragada no charuto enquanto ouve sobre as fraquezas do Hotel Plaza. Ao que parece, se dobrando aos pedidos por armamento do Vazio.

    -Certo, temos mais que desconfiança. Ali é o território de magos da senda dos Mastigoi, ocultistas da pior espécie... Sabe-se lá que tipo de seres aterradores eles escondem no grande Plaza Hotel de Nova York... Quanto a armas, realmente posso conseguir o que me pede, mas não sei se vai precisar, queremos mais sua mente treinada em hackear espíritos, como você mesmo disse... já há máquinas de matar demais entre os lobos... Eu não sei o que esta para acontecer, mas com tantas matilhas ouriçadas eu preciso dar uma resposta violenta. Alguma sugestão?

    Ele bafora mais do charuto.

    Black Thief
    Mutante
    avatar
    Mutante

    Mensagens : 583
    Reputação : 41
    Conquistas :
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/411.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1011.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1312.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1811.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1611.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/712.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/410.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1511.png

    Re: Parte lll: O olho que Tudo vê

    Mensagem por Black Thief em Sab Fev 24, 2018 4:31 pm


    Ao que parecia, estávamos entendidas, o sorriso amarelo da motorista me fez entender que ela tinha entendido e ficou constrangida. Eu estava satisfeita, mas ficaria surpresa o quanto estava sendo tola. Quando subimos na moto, Eric e eu, eu acelerei a mesma e acompanhei essa motorista por todo o caminho, nós íamos na frente e à medida que avançávamos eu só escutava os sons das buzinas e isso deixava claro que aquela desgraçada havia ignorado completamente o que eu tinha dito à ela. Minha vontade era de descer da moto e pará-la, fazer um escândalo, puxá-la para fora do carro e socar a cara dela de uma forma que a mataria logo no primeiro golpe, mas eu me segurei, no final o medo e a pressa que tinha de chegar logo na casa de Myrella pra conduzir o ritual me faziam crer que minha vida estava em risco e o medo de parar pra brigar e consequentemente perder tempo supria meu desejo por castigar aquela loira. De uma forma melhor eu tentava conduzir aquela maldita apesar de todas as barbeiragens que ela estava fazendo, tive eu mesma de fazer manobras arriscadas e a cada segundo eu rezava para que não surgisse nenhuma viatura que pudesse nos atrasar.

    Com o tempo eu começava a reconhecer o bairro, o que era muito estranho... Naquela região não havia nenhum tipo de Mansão, Myrella tinha deixado claro que sua moradia era uma mansão, até que vi meu prédio e eu me espantei quando a motorista desgraçada parou na frente do meu prédio, eu parrei logo atrás, meus olhos estavam arregalados e eu estava assustada. Fui checar no aplicativo do Uber para confirmar se aquele era mesmo o endereço que havia solicitado para que o motorista seguisse e confirmei que não era. Não havia como essa maldita trazer todos aqui sem que alguém tenha dado essa a ordem! Eu chequei em volta com minha visão aguçada, estávamos sozinhos na rua. Imediatamente eu saí da moto, levantei minha viseira e olhei para para ela, a garota parecia não estar nada bem, estava louca de alguma coisa, até pedia pagamento como se isso fosse taxi e não Uber, o que era perfeito! Eu imediatamente abri a porta do carro e a puxei pelo colarinho erguendo-a no rosto na altura do meu.

    - Como diabos você sabia desse lugar???? RESPONDA!!!

    Meus olhos fitavam enraivecidamente aquela motorista! Eu utilizava os meus dons da noite para compeli-la a responder a minha pergunta, felizmente ela não estava no seu melhor estado mental, o que poderia facilitar a sobreposição da minha vontade sobre a dela. Se ela respondesse algo como "O aplicativo do Uber",
    ou se ela se recusasse a me responder, eu a jogaria para o lado no chão, ou a empurraria, e eu mesma iria entrar no carro dela para checar qual o endereço do Uber que estava marcado para ela seguir, quem fez a solicitação e toda informação que pudesse me dizer como ela veio parar na minha casa sem que eu mesma não tivesse solicitado isso. Eu não estava nem aí se isso era ilegal ou não, não é como se ela pudesse me denunciar por agressão pois pra isso ela teria que revelar o quanto estava chapada e todas as leis de trânsito que ela quebrou com seus passageiros.


    OFF:
    Dominação Nível 1 "RESPONDA" a palavra chave! Se o Narrador considerar que é necessário contato olho no olho sem interferência dos óculos do alvo, considere que eu arranco os óculos dela.

    Manipulação + Intimidação. Dificuldade é a Força de Vontade da Vítima -2 Devido à Voz Encantadora

    Black Thief efetuou 6 lançamento(s) de dados (d10.) :
    1 , 9 , 3 , 5 , 8 , 10
    Portuga
    Garou de Posto Cinco
    avatar
    Garou de Posto Cinco

    Mensagens : 2045
    Reputação : 1
    Conquistas :
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/311.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1011.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1711.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1413.png

    Re: Parte lll: O olho que Tudo vê

    Mensagem por Portuga em Qui Mar 01, 2018 10:38 pm

    Daniel encara o lupino com um brilho malicioso nos olhos e com um sorriso mais que malévolo...

    - Bem, como eu não sabia qual era a situação do hotel, não preparei nenhum plano com antecedência, mas nada que não seja difícil..., enquanto parava estrategicamente para pegar folego, seus dedos rapidamente, procuravam em AVA, as imagens da câmera, onde apareciam Jasmine e Simon
    - Está vendo aqui, esse corredor, é o ponto cego da das imagens dele...ta vendo esse outro ponto aqui...é bem vulnerável...além disso posso congelar as imagens das câmeras do 13º andar, além de abrir toas as portas eletrônicas... - logo ia mostrando a planta do hotel que tinha conseguido antes, além de mostrar sua capacidade tendo uma vez infiltrado o Malware que havia aprendido com os adeptos da virtualidade

    - Quantos turistas exatamente nos temos? Se o objetivo ainda for o 13º andar? Podemos invadir com todos infiltrados lá dentro...Então temos algum evento por esses dias? Algum jogo de futebol? - Apesar de simples, o plano era bem eficaz, uma vez la dentro, tendo o mapa, sabendo dos pontos cegos e vulnerareis, além de controle do mainframe de tudo que seria eletrônico...quando desconfiassem de algo, já seria muito, muito tarde....
    Conteúdo patrocinado


    Re: Parte lll: O olho que Tudo vê

    Mensagem por Conteúdo patrocinado


      Data/hora atual: Sex Jun 22, 2018 2:42 am