Um fórum de RPG online no formato de PBF (Play by Forum).


    Kenko Tsu, em busca de um Bálsamo.

    Compartilhe
    Dycleal
    Tecnocrata
    avatar
    Tecnocrata

    Mensagens : 482
    Reputação : 1

    Kenko Tsu, em busca de um Bálsamo.

    Mensagem por Dycleal em Sex Abr 06, 2018 5:35 pm

    Liadrys adentra a estalagem e cumprimenta o dono, o Meio Elfo Yedrin e fala que veio fazer o recrutamento que seu mestre Luan tinha combinado no dia anterior e é levado a um amplo recesso, onde uma mesa, com materiais de escrivaninha, cadeiras e uma estante, o esperam. Yedrin sorri para o draconato, dizendo de forma bem-humorada que nunca tinha visto um draconato na vida e muito menos um que fosse druida. Liadrys um tanto sério e concentrado revela que já está acostumado a este estranhamento e começa a arrumar o seu material de trabalho e começa a olhar a estrutura do prédio e verifica as saídas e janelas e após este estudo começa a colar os cartazes de recrutamento dentro e do lado de fora da estalagem. Ao voltar, acena para o Yedrin e solicito diz para o meio elfo que se precisar dele para algo é só falar e fica aguardando os candidatos, sentado à sua mesa.
    1o0oP (Lui)
    Neófito
    avatar
    Neófito

    Mensagens : 48
    Reputação : 0

    Re: Kenko Tsu, em busca de um Bálsamo.

    Mensagem por 1o0oP (Lui) em Seg Abr 09, 2018 12:29 am

    É madrugada no bosque, Kenko se levanta, o frio está muito forte e seu colchão feito de ramos e folhas da floresta está bem gelado. Ele retira o cobertor e olha ao seu lado, debaixo da coberta está Mika, encolhida com frio, ela tosse enquanto Kenko a cobre de novo. Ele se levanta e enxagua o rosto com a água que estava numa vasilha sobre um balcão de madeira, vai até o outro cômodo desta casa toda feita de madeira e bambus e pensa consigo mesmo "Pobre Sen-sei!". Alí, deitado em um colchão do mesmo tipo, está um velho com trapos remendados, e um cobertor, o homem de longos cabelos brancos e encaracolados parece estar contorcendo na cama, sua pele está descascando e cheia de manchas vermelhas espalhadas pelo corpo. O velho se mexe incessantemente para lá e para cá, e vez ou outra parece acordar com gritos, "Nãaao! Nãaao coloque aí!! Este, este não é o local correto! Não... não é correto! Pare, pare, não lute, por favor, nãaao ..." Mas de repente já volta a fechar os olhos e respirar forte.

      O coração de Kenko fica apertado, então ele volta para o outro quarto e cotuca a pequena Pixie. -- Ei, ei inseta, acorde! Já estamos saindo. -- Mika remexesse irritada! E se vira para o outro lado. Kenko percebendo que aquilo iria demorar, pega ela com jeito e a coloca dentro de uma espécie de bolço em sua camisa (feito para acomodá-la), então começa a reunir os suprimentos, equipamentos e tudo o que havia preparado para a viagem. Antes de sair, ele olha para o velhinho e diz -- Sen-sei, aguente firme! Eu voltarei a tempo, por favor, não morra! -- Então parte para sua aventura.
     
     Mal amanhece e o garoto já atravessou quase todo o bosque, ele conhece cada canto daquela pequena celva, cada perigo, cada esconderijo. Caminhando ele já vai se lamentando "Cidades ... eu odeio cidades, aquelas pessoas se aglomerando, competindo umas com as outras, passando os outros pra traz para se darem melhor, humilhando a gente! Tudo lá é podre, que lugar o Sen-sei foi me mandar ... Será que foi a doença já afetando ele? O que eu posso fazer a não ser ir? ... hmm .. Espero que Mika acorde logo, sem a ajuda dela eu terei problemas!"

     Kenko pega a estrada, e não há movimento, ao longe começa a ver os muros da cidade, em muitos locais caído e destruído ... Conforme vai caminhando, ele já consegue avistar pessoas trabalhando em plantações próximas ... engole seco e continua. Aproximando-se dos portões, começa a sentir uma cosquinha no peito, a Mika está se remexendo e levantando seu corpinho, ela coloca a cabeça para fora (com os olhinhos contraídos por causa da luz) e diz -- Aaai Kikoo, para onde você está me levando dessa vez? É um lugar bonito? Ou vai estar cheio de tigres como da outra vez? -- Kenko, serra os olhos e responde -- Hum, não, dessa vez será muito pior do que Tigres, serão pessoas Mika, pessoas em quem não poderemos confiar! -- Mika olha para Kenko com um olhar curioso -- Mas então como vamos conseguir ajudar o OtÔ? -- Fazendo o mesmo rosto de sempre, sem expressões ele diz -- Sei lá! -- Mika o ignora e vai pensando consigo, -- Ai, que legal! Vamos conhecer novas pessoas! --

     O garoto passa pelos portões e segue andando pelos ladrilhos da cidade, por onde passa encontra varias pessoas saindo com carroças, e sacos, chapéus, levando ferramentas e luvas ... Parece óbvio para ele que elas estão indo para as plantações do lado de fora da cidade. No caminho ele aproveita e pergunta ao primeiro homem que se aproxima, -- Eei velho! Preciso de ajuda! -- Muitas pessoas o ignoram devido a falta de modos, mas após algumas tentativas, uma senhora camponesa responde -- Ei garoto, tenha modos! Do que você precisa? -- Então Kenko, olha firme para os olhos cheio de olheiras daquela mulher e diz -- Preciso de ajuda, meu ... é, o meu ... -- Mika o interrompe -- O que está tentando dizer Kiiko? -- Raivoso ele diz logo -- Quieta! ... Bem, meu avô está doente, e eu estou procurando alguém para ajudar a cuidar dele! -- A velha suspira e sobre seus olhos caem um semblante de desprezo, então ela diz -- Ei menino, eu nunca o vi por aqui antes, mas também não conheço todo mundo aqui, você deve ser neto do Sr. Borges não é mesmo? Com certeza é aquele velho rabugento que está fazendo corpo mole de novo ... Vá até a taverna garoto, fale com o taverneiro! Ele vai saber de alguém que pode dar um jeito naquele velho ignorante! Agora saia da minha frente ... -- Kenko pensa consigo mesmo, hora hora, pelo menos eu tenho um lugar pra ir, por outro lado Mika responde baixinho ... -- Creeedo Kiko, que mulher horrorosa! Ela tem cheiro de estrume! Ghouhh, (ânsia de vômito). É pra isso que você me tirou da cama!? Nojento ... -- Kenko ignora.

     O menino, anda mais um pouco pra lá e pra cá, fala com mais algumas pessoas até descobrir onde fica a taverna. Por acaso ele descobre também que ainda demoraria para a mesma abrir suas portas. Por conta disso, ele se acomoda na praça da cidade, e fica lá por um tempo, Mika fica falando sem parar, fazendo perguntas sobre todos que passam ao longe, e sobre tudo o que vê, Kenko logo perde a paciência e deixa ela falando sozinha. Ela não se atreve nenhum minuto a sair do bolço da camisa dele, e sempre que alguém se aproxima para fazer perguntas, ela usa sua característica natural tornando-se invisível para jamais ser detectada, morrendo de medo das pessoas. Quando as portas da taverna se abrem Kenko se levanta e entra desconfiado.
    1o0oP (Lui)
    Neófito
    avatar
    Neófito

    Mensagens : 48
    Reputação : 0

    Re: Kenko Tsu, em busca de um Bálsamo.

    Mensagem por 1o0oP (Lui) em Sex Abr 20, 2018 11:15 am

    Kenko adentra a taverna que acabara de abrir, Mika que está invisível em seu bolso coloca seu rostinho para fora, se pudéssemos vê-la nesse momento notaríamos uma expressão de apreensão, ela diz -- Kiko o que está fazendo? Este lugar não é perigoso!? -- Ele responde apenas com um -- xiu --

     Em direção a taverna, o garoto deixa o chão feito de ladrilho para subir dois degraus que levam para um piso todo feito de madeira, uma madeira velha que fica estralando conforme ele pisa nela, em sua frente uma porta de duas folhas aberta para dentro. Kenko fita tudo ao seu redor com cautela e entra fazendo o mínimo de barulho, neste momento ele se lembra de todas as vezes que teve que agir com esta mesma cautela na floresta, como naquela vez em que precisou recuperar o colar de Mika que ela havia derrubado num covil de leões enquanto satisfazia sua curiosidade inconsequente.

     Ao entrar o local está pouco iluminado, num canto um balcão rústico com cadeiras nas beiras, e espalhado pela sala, várias mesas com cadeiras de pés para cima, atráz do balcão uma porta que leva para cômodos mais ao fundo, e um cheiro forte entrava por suas narinas, algo nostálgico para ele que o fez lembrar dos produtos caseiros que sua mãe produzia para limpar a antiga casa na árvore, local de sua infância na vila dos elfos, Kenko adverte-se -- Concentre-se! -- Ao seu redor, não há nada além de móveis, pouca iluminação e esse cheiro forte, o garoto acha estranho o fato de não ter ninguém ali uma vez que havia visto um homem familiar abrindo as portas do lugar e voltando para dentro, não obstante o menino fica olhando em volta como que procurando um local seguro dentro daquele ambiente que lhe trazia tantas memórias ruins, e neste momento de distração repentinamente seus olhos se arregalam e seu coração vai a mil, Mika que estava olhando pra lá e pra cá de repente dá um berro agudo (entregando a presença dos dois) e dá um mergulho para o fundo do bolso ...

    O que Kenko esta vendo em sua frente é uma fera jamais vista por seus olhos antes, estático ele pensa "O que um monstro faz em um lugar como este!?", caminhando em sua direção, vem uma criatura enorme, de cor avermelhada, um corpo que se assemelha ao de um humano, mas sua pele é toda feita de escamas e a cabeça é a de um réptil aterrorizante ... -- Droga! Caímos numa armadilha, isto é ... um Dragão! (O.O) -- Pensa isto lembrando-se dos desenhos que fazia quando era mais jovem, tentando ilustrar os contos dos mais velhos sobre ataques destas terríveis criaturas! -- Sim, só pode ser um Dragão! -- A criatura, que está vestida com um sobretudo vem segurando papeis e olhando para estes papeis, ela ainda não notou o menino em sua frente! Kenko fica paralisado por alguns segundos, mas quando houve a voz de Mika chorando desesperada em seu bolso, ele lembra-se que precisa ser forte para protegê-la! Então ele diz num tom firme -- Recomponha-se Mika! -- Dá um salto para trás sacando no ar a sua grande espada e aterrissando em sua posição mais confortável de combate e então diz com um tom feroz -- Parado aí! Monstro! Não vou permitir que você nos Devore! -- O suor frio em sua testa é perceptível até para quem está fora da taverna. (hahaha)

    (Obs: Tudo que estiver entre parênteses são comentários meus. Desconsidere para maior imersão! Se preferirem eu paro de fazê-los!)
    Dycleal
    Tecnocrata
    avatar
    Tecnocrata

    Mensagens : 482
    Reputação : 1

    Re: Kenko Tsu, em busca de um Bálsamo.

    Mensagem por Dycleal em Sex Abr 20, 2018 5:42 pm

    Liadrys  está olhando os melhores locais para colocar os seus cartazes, quando ouve um grito fino e procura de onde ele vem. Logo ouve o barulho de um salto e um rapazinho esta o confrontando com uma espada e o chamando de monstro, falando algo sobre devora-lo. Com a mesma calma, que destoa da sua aparência, o draconato, fala com sua voz de tenor: - Olá rapaz, pode baixar sua arma, eu não vou devora-lo, alias, está muito longe da hora do almoço. E sorrindo continua: - Veio atrás do recrutamento? As notícias parecem correr rápido por aqui, rororó! Em que posso ajuda-lo? Parece bastante nervoso, ajude-me a colar estes cartazes e vamos conversando. O druida age normalmente e passa alguns cartazes para o rapaz e ao mesmo tempo diz: - Estou acostumado, que estranhem a minha aparência e gritem bastante, não fique envergonhado e fica esperando ele pegar os cartazes.
    Conteúdo patrocinado


    Re: Kenko Tsu, em busca de um Bálsamo.

    Mensagem por Conteúdo patrocinado


      Data/hora atual: Qui Abr 26, 2018 9:28 am