Um fórum de RPG online no formato de PBF (Play by Forum).


    Era uma Vez em Windland

    Compartilhe
    1o0oP (Lui)
    Mutante
    avatar
    Mutante

    Mensagens : 609
    Reputação : 17
    Conquistas :
    • https://i.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/411.png
    Premiações :
    • https://i.servimg.com/u/f89/19/67/13/04/medalh40.png

    Era uma Vez em Windland

    Mensagem por 1o0oP (Lui) em Seg Abr 30, 2018 1:00 am


    Com o tempo postarei histórias, contos e lendas dentro do mundo de Windland para maior imersão dos leitores.
    1o0oP (Lui)
    Mutante
    avatar
    Mutante

    Mensagens : 609
    Reputação : 17
    Conquistas :
    • https://i.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/411.png
    Premiações :
    • https://i.servimg.com/u/f89/19/67/13/04/medalh40.png

    A Lenda dos Amon Duíns - Fim da Primeira Era do Mundo - A Batalha contra os Arquimagos

    Mensagem por 1o0oP (Lui) em Seg Abr 30, 2018 2:28 am

    A Lenda dos Amon Duíns



    No mundo antigo quando as civilizações ainda eram jovens, surgiram certos indivíduos extraordinários, que por acaso ou destino descobriram que o mundo não era um lugar regido apenas pelas leis da natureza como aparentava. Estes indivíduos que não existiram necessariamente na mesma época, perceberam que dependendo do modo como eles agiam, dependendo do que eles diziam, e dos movimentos que faziam, o mundo ao seu redor reagia de formas jamais sonhadas. Sim! Meus caros leitores, estes foram os descobridores da trama, os descobridores daquilo que atualmente é conhecido como "Magia".

    Nessa época de descobertas, o mundo era dividido em várias tribos nômades, e esses seres extraordinários pertenciam cada um deles a um desses grupos. Com o passar dos séculos, as civilizações evoluíram e embora eles tenham compartilhado suas descobertas, pouco foi compreendido bem e menos ainda foi registrado, e o pouco que foi registrado não o fez em linguagens escritas, muito do que se conheceu se perdeu para sempre.

    Séculos depois, talvez até milênios, novos seres especiais surgiram, mas dessa vez em uma época onde as faculdades dos seres eram pouco mais evoluídas, já existia linguagem escrita e a compreensão clara das faculdades mentais, um ser que já sabia que sabia. Nesta época, surgiram essas pessoas verdadeiramente especiais com uma curiosidade e um talentos lendários. Esse poder de transformações os levaram a aprender muito a partir dos poucos vestígios que tinham em suas mãos, e com domínio sobre suas pesquisas eles organizaram o aprendizado e transmitiram atravéz das civilizações. No entanto, como tudo no começo, este conhecimento cresceu e se desenvolveu atravéz das pessoas de forma descontrolada, como uma fera da natureza, sem limites, sem regras. Em certo momento desta evolução, surgiram pontos fora da curva, novos indivíduos ainda mais excepcionais de várias raças, dentre eles 4 figuras se destacaram sobre as demais, sem limites e sem regras eles atingiram conhecimentos que podiam abalar os alicerces do universo que conheciam até então, esses 4 rivalizaram entre si, e os poderes subiram para suas cabeças tomando o controle sobre eles, tornaram-se criaturas que chamaríamos em nossa raça de desumanos. Não se importavam mais com as pessoas comuns ao seu redor, consideravam-se superiores aos demais indivíduos e começaram a utilizar seus poderes para sobrepujar e subjugar os demais.

    Anos depois o mundo todo estava sob o domínio desses quatro indivíduos de poderes excepcionais, eles se auto denominaram os Arquimagos e impuseram seus domínios sobre todas as terras. No início eles partilhavam o domínio e quase não interagiam entre si, no entanto, com o tempo o mundo começou a se tornar um lugar pequeno demais para os quatro indivíduos e pouco a pouco um começou a enganar o outro, elevando os atritos entre eles e cada vez mais conflitos iam surgindo. Em certo momento, esses atritos tornaram-se tão intensos e tão insuportáveis que a primeira grande guerra do mundo fora declarada. Milênios depois esta guerra viria a ser chamada de "A Guerra do Poder". Nela, os magos levantaram poderes bélicos e voltaram seus esforços para destruírem uns aos outros, quase todos os confrontos acorriam na região que era conhecida como "A grande fronteira". As batalhas eram tão devastadoras que o mundo começou a ficar em pedaços e a grande fronteira começou a se transformar em um grande abismo, a destruição afetava todos os seres vivos e Windland se tornou um verdadeiro inferno.

    Quando a terra atingiu este estágio no qual as esperanças das pessoas boas e comuns se esvaíam, o universo reagiu a impetulância dos magos e como força contrária a esses terríveis conjuradores, onze seres sobrenaturais nasceram! A princípio eram apenas criaturas comuns pertencentes a diversas raças espalhadas pelo mundo, no entanto conforme iam crescendo, essas crianças demonstraram habilidades inimagináveis, rapidamente iam se destacando e chamando a atenção de mais e mais pessoas, essas crianças que passaram a ser conhecidas num futuro próximo de "Os Escolhidos" acabaram inevitavelmente chamando a atenção daqueles que subjugavam o mundo ao seu redor. Sabendo das ameaças que nasciam e cresciam, os arquimagos deram um trégua e voltaram suas atenções para a busca dessas crianças prodigiosas. Conhecendo a intenção dos magos, as pessoas comuns de diversas raças esconderam as crianças, pais, familiares e guildas inteiras trabalharam juntas para esconderem os escolhidos dos olhos dos arquimagos.

    Nesta etapa, a dificuldade em encontrar os escolhidos fez com que os magos tomassem providências cada vez mais radicais, pessoas começaram a ser torturadas em todo o mundo e o que antes era só uma busca passou a ser um caça. Ocasionalmente, algo inesperado pelo destino aconteceu, a campanha liderada pelos arquimagos repercutiu mal para os mesmos, a fama de que crianças especiais existiam por aí se espalhou pelo mundo a fora, e as pessoas comuns de todos os lugares viram neste evento extraordinário uma chance de salvação! E o que antes eram apenas crianças talentosas agora começou a se tornar a esperança dos desesperados, essa fé nos escolhidos começou a se disseminar entre todos os povos que sofriam nessa era terrível de perdição. Mães que perdiam seus filhos, homens que eram obrigados a abandonar suas famílias para servir na guerra, e todo tipo de pessoas sofredoras começaram a depositar suas esperanças nessas crianças. O que as pessoas não sabiam é que a fé é a coisa mais poderosa que existe.

    Os escolhidos, cresceram e seus poderes evoluíram de formas que até mesmo eles se surpreendiam com seus próprios avanças, eles não se conheciam entre si, mas pouco a pouco foram se tornando tão poderosos que já precisavam mais se esconder. E nesta época de choque entre as forças da natureza e as forças do mal, essas antigas crianças, agora maduras e absurdamente poderosas saíram de seus esconderijos e foram confrontar os dominadores. Ao conhecê-los os arquimagos ficaram boquiabertos e desesperados, embora eles tivessem atingido a compreensão absoluta da trama, eles não conseguiam com todos os seus meios descobrir de onde vinham os poderes dos escolhidos, era algo que fugia completamente a sua compreensão. Tanto não podiam compreendê-los como não podiam vencê-los, embora os escolhidos cada um por si não fossem capazes de acabar com os magos também. E foi neste exato momento crucial da história, que os escolhidos fizeram a única coisa que os arquimagos não foram capazes, e que se tivessem sido capazes teriam se tornado completamente invencíveis. Os escolhidos se uniram! Juntos, eles se tornaram uma potência inimaginável, ao verem eles juntos a fé dos povos aumentou ainda mais tornando-os ainda mais invencíveis, se você querido leitor, pudesse avistá-los nesse momento de suprema energia, na apoteose da gerra dos magos, seus olhos não suportariam sua luz, o ato simples de olhar para eles transformavam as pessoas ao seu redor, eles só precisavam passar para causar transformações inevitáveis. Foi então que a batalha suprema aconteceu, um a um os escolhidos acabaram com todos os arquimagos e salvaram o mundo todo. Foi o evento mais incrível que todas as histórias de Windland já puderam transmitir. Dizem as lendas que no momento da vitória, o próprio deus supremo, Kreatus, apareceu para todos num deslumbre encantador, vestido com brilho das estrelas em contraste com escuridão do vácuo, sua forma era constituída de galáxias e planetas orbitando que juntos apresentavam uma aparência majestosa e absolutamente intimidadores, e com um gesto indescritível, o supremo deus da criação como um presente aos que ficaram e superaram esta era de sofrimento, preencheu toda a região do abismo que se abriu na antiga fronteira, tal região deixou de se um abismo para se tornar uma cordilheira de montanhas magníficas, a oitava maravilha do novo universo que chegou.

    Após esta vitoria estonteante, os heróis voltaram para suas famílias e permitiram que uma nova ordem se estabelecesse no mundo, cada uma das raças se reergueriam e dali anos após a reconstrução eles mesmos estabeleceriam os acordos que definiriam o novo mundo. O plano inicial dos escolhidos era ficar e garantir que o mundo não sucumbisse novamente ao terror e a destruição, mas eles eram e talvez ainda sejam até hoje entidades realmente superiores embora não se considerem como tal, e ocorreu que eles não conseguiram viver em paz entre as pessoas, seus desejos e interesses não puderam ser satisfeitos entre as pessoas comuns, e eles não puderam suportar viver entre os mortais! A verdade é que eles não conseguiram se conectar as pessoas comuns embora eles tivessem lutado e vencido a grande batalha para eles. Foi então, que um dia, e este é o relato de Andurim, o último grande sábio do qual ainda hoje se ouve falar, os heróis se apresentaram em público e de algum modo eles conseguiram se comunicar simultaneamente com todos os seres viventes, e até aqueles que não tinha a inteligência necessária puderam entendê-los, eles iriam partir! Era uma despedida, um adeus. E antes de partirem deixaram uma última mensagem de esperança para os seres viventes que a partir de então poderiam fazer o que quisessem com este mundo. -- Não se esqueçam do que aconteceu aqui, em nosso mundo não existem limites, mas não há nada que não possamos criar, e um mundo sem limites é um mundo a mercê de quem quiser dominá-lo. Isto ao seu redor, seres viventes, é a sua casa, vocês devem cuidar dela, e estabelecer limites é parte disso. Usem seus poderes imaginativos e criem o que for necessário para transformar a sua casa em seu lar, e não se esqueçam, jamais percam a fé, foi a vossa fé quem venceu a guerra contra os magos, agora partiremos para um novo mundo onde encontraremos novas aventuras, novos seres que possivelmente precisam de ajuda, esse é nosso dever, esta é nossa essência.

    Assim os maiores heróis deste mundo partiram, na língua arcaica que era utilizada na época, Amon significa Lenda e Duín significa Herói, estes acontecimentos grandiosos que de acordo com os sábios da atualidade ocorreram na primeira era do mundo passou a ser conhecido como, "A Lenda dos Amon Duíns". Hoje em dia, as pessoas acreditam que não passa de uma lenda, histórias bonitas e emocionantes para dar esperança aos mais jovens, para dar força aos desesperados, outros acreditam piamente que é uma história verdadeira, mas ninguém realmente sabe a verdade. E para finalizar esta parte, no tempo atual podem ser encontradas diversas torres arruinadas pelos séculos que muitos acreditam ser os antigos esconderijos dos escolhidos, essas torres também são conhecidas como "Os Amon Duíns" e muitas pessoas acham que "Os Amon Duíns" são simplesmente estas construções, pouco sabem a respeito desta lenda.

    Bem vindos a Windland, estamos na terceira era do mundo, a era após a guerra dos Drows, a chegada dos Tieflings, a ascensão do império Orc, a aliança dos Reis, a partida dos Dragões, a descida dos Draconianos, a vitória que trouxe a independência dos Anões e as guerras intermináveis entre os Vikings, muitos dos eventos citados anteriormente constituíram o marco do fim da segunda era, também conhecida como a era da reestruturação e agora a terceira, é quando uma nova estrutura já está composta, uma nova organização, um novo mundo. Neste mundo atual, praticamente todas as raças tem seu espaço, e os confrontos não são mais resolvidos sem aviso prévio, exceto quando o problema envolve Orcs, ou em situações inesperadas. Em toda a segunda era do mundo a trama foi estudada e o conhecimento evoluiu, a magia foi destrinchada e hoje ela é ensinada aos diversos povos dentro de escolas de magias, no entanto, as coisas não são mais como antes, talvez uma das poucas coisas que os escolhidos disseram que foram ouvidas, no mundo atual existe uma ordem chamada "O Círculo do Poder" que é liderada por onze integrantes, essa ordem tem a responsabilidade de governar e controlar o uso da magia em Windland, eles têm os três poderes (executivo, legislativo e Judiciário) em suas mãos para todos os assuntos envolvendo a trama e o uso dela. Dentre os líderes desta ordem encontra-se criaturas de várias raças e de vários locais do mundo, tal ordem surgiu de um acordo feito entre todas as raças no final da segunda era do mundo, tal acordo visava a administração mútua da trama de modo que todos os povos pudessem influenciar nas decisões, então cada povo elegeu seus representantes e assim foi formado o círculo do poder, tal acordo foi nomeado de "O Tratado de Mondur" ele foi assim chamado devido ao local de reunião que o grupo escolheu para tratar dos assuntos, a grande montanha, antigo lar dos dragões, na toca de um imenso Dragão Dourado.
    1o0oP (Lui)
    Mutante
    avatar
    Mutante

    Mensagens : 609
    Reputação : 17
    Conquistas :
    • https://i.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/411.png
    Premiações :
    • https://i.servimg.com/u/f89/19/67/13/04/medalh40.png

    O Um, e os Quatro. Citações de um Velho Sábio!

    Mensagem por 1o0oP (Lui) em Sab Set 29, 2018 1:05 am



    O UM, e os QUATRO




    Enquanto isso, nas Bibliotecas de Mithril, em Celéstia, Elder Cícerus conversa com seu discípulo...

    Elder Cícerus


    — No início não havia, pelo menos não como há no tempo atual, no início, quem olhasse não veria, pois ainda nada havia para ver, quem tentasse sentir qualquer coisa, talvez conseguisse, mas não duraria para poder contar a experiencia, pois no início, tudo o que era ainda forma não possuía, medidas? cores? cheiros? texturas? algum barulho? Ninguém para ouvir ... espere, talvez alguém, sim, havia alguém, era só quem ou o que havia, grande, único, só, e absoluto ... Não, não era só o que havia, espere, havia ou não havia? Não sei ao certo ...
    — Elder Cícerus, o que está dizendo? Pergunta o jovem, sentando na mesa da biblioteca, as prateleiras o cercam por todos os lados, e, diante dele, sentado atrás de uma grande e sofisticada escrivaninha, estava o velho, espere, velho não é uma boa palavra, idoso é uma melhor, alguém que não apodreceu, ao contrário, floresceu, e sua aparência acabada, cabelos e barbas brancas são apenas o resultado de uma vida de estudos, esforço, talento, e profundo aprendizado.
    — Por favor, não pare senhor, me conte mais! Pergunta o jovem, sedento por descobrir as verdades que aquela figura de saber pleno estava prestes a lhe revelar.
    — Bem, na verdade havia, é difícil definir ... O mundo meu jovem, como o conhece é apenas o que seus sentidos podem lhe dizer, mas no profundo, na essência, no espírito, ele existe de muitas formas diferentes, a maioria delas não podemos captar, somos profundamente limitados. — Agora as palavras do velho pareciam fazer mais sentido, era como se ele tivesse uma certa dificuldade para conectar-se com outros seres através da fala, era estranho, pelo menos assim era como o jovem se sentia sentado ali.
    — Ta, mas ... Você disse que havia alguém ou algo, de que falou? Pergunta o jovem, curioso.
    — Humhumhum ... Ri. — Não se trata de simplesmente algo, ou sequer alguém ... Mas havia, e ainda há, e continuará havendo, isso eu acho muito! Tudo eu acho na verdade, hahaha, nada sei ... Mas dizem os jovens, que eu sei muito ... Não compreendo. Conclui ele, deixando o jovem ainda mais confuso.
    — Espera, deixa eu ver se entendi, havia algo antes de haver qualquer outra coisa, e esse algo pode ser mais do que somente uma coisa, ou alguém, é algo mais, digamos, profundo ou imenso ... É isso que quer dizer? Como, como se fosse, um ser supremo? Um super Deus? Demonstra inteligência o garoto com seus questionamentos.
    — Humhumhum ... (tosse, tosse). Um Deus, termo interessante, inventado muito cedo, para se referir a criaturas exóticas, os primeiros eu chamaria, mas não diria primeiros pra ser exato, pois um já havia, e pelo que sei, ou pelo que acho que sei, dele vieram todos os outros, primogênitos, sim, esta é uma melhor palavra, eu diria.
    — Eu sabia!!! Deuses, grandiosos Deuses, e um Deus supremo todo poderoso, é disso que está falando não é!? O senhor fala por metáforas não é mesmo? Mas já estou começando a entender ... Também, depois de todos esses anos, pelo menos isso né. hahaha
    O velho devolve o sorriso, mas seu olhar é confuso para o garoto. — Por que está aqui? Pergunta ele.
    — Para aprender. Responde o garoto cheio de vigor.
    — Mas para quê? Sabes que o saber não tem fim? Sabes que nunca encontrará tudo o que procuras? Sabes que nem todo o tempo seria suficiente?
    — Sei mestre, mas se eu chegar a saber uma minúscula parcela, mesmo que insignificante, de tudo o que o senhor sabe, eu já estarei satisfeito!
    — Hahaha ... Ri o velho. — Nunca estarás satisfeito garoto, és incompleto por natureza, passarás a eternidade em busca da completude, e tudo o que encontrará serão apenas mais bifurcações, trifurcações, e mais e mais multi-furcações que se espalharão por uma rede de caminhos sem fim!
    — Uau! Sinto que aprendi algo agora. Sorri o garoto. — Diga o que quiser meu senhor, só quero que continue dizendo, estou feliz em ouví-lo, para sempre se pudesse. Mas por favor, volte a falar sobre o tema de hoje, é tão raro falarmos sobre isso, por que não insiste, só mais um pouco?
    — Eu o faria por alguém até menos curioso, lisonjeio-o. Tenho grande parte do prazer equilibrante daqueles que sucumbem, por sorte o pensar sempre me ocorreu, sempre me comoveu. E eis que estava lá aquele que havia, mas também não era só o que havia, certamente havia de forma diferente de tudo mais, contudo, acredito eu, que o resto que havia, e ainda há, e para sempre há de continuar havendo, era algo mais ligado ao tudo e menos ligado a ele.
    — Como assim ao tudo? Ao mundo, quer dizer?
    — Poderia dizer isso, mesmo que não quisesse, no entanto, era completamente distinto, e lá estava, mas esta, estas eu diria, tinha, não ... melhor, têm, comportamento distinguível, de certa forma caracterizável, absolutamente não previsível, mas caracterizável ... Pois fosse o que fosse, seja o que seja, flui.
    — Flui? Óh, Elder, não me diga, então se trata de um fluído?
    — Humhumhum ... sempre se tratou de um fluído caçula ... um não, mais de um talvez, não, certamente é mais de um, quatro, sim, quatro é um bom palpite inicial.
    — Quatro fluídos! Uau, e havia desde sempre, junto com o Deus supremo?
    — Sim, e não ... É impossível dizer, fácil não dizer, é claro. Mas ei, espere, lembrai que eram completamente distintos! O um, dos quatro, os quatro do um! O um, sempre foi de se apossar, eu diria, não, influenciar é uma palavra melhor ...
    — O um possuía os quatro?
    — Não, mas fazia parecer, eu diria, pois dos quatro tudo vinha, mas só vinha através do um. Os quatro não sabem, não haverão de saber, pelo menos eu acho, mas o um havia de saber, pelo menos hei eu de achar que sei que o um achava que sabia ... (Tosse, tosse, engasga, cospe, tosse, tosse, pára ... respira, volta). Ei jovem, digo-lhe já, foi disso que vieram os primeiros! E pelo que sei, pelo que acho pelo menos, depois do que ouvi dos primeiros, foi que disso eles vieram, e o motivo é cativante, intrigante eu diria, não, não sei, não importa ... Mas ei, espere, jovem, o motivo ...
    — Oh ou, o motivo, óh não, irá parar por hoje? Sempre há de parar após dizer o motivo, e sempre há de me deixar cheio de dúvidas.
    — Humhumhum ... ouça o motivo, caçula, e num outro tempo, quem sabe, continuamos. Óh! O motivo, quase me esqueci, o motivo, sim, o grande motivo, o primeiro, talvez, o que mais importa? Não sei, mas sem dúvida, o motivo.
    — E qual foi? O garoto já está vermelho, quase explodindo de curiosidade.
    Diversão.



    Então houve uma criatura suprema antes de todo o resto?


    Resposta: Sim! Seu nome era conhecido entre os Elders como Criatus, o UM!

    PS: Citações feitas pelo sábio Elder Cícerus, supremo guardião e detentor do conhecimento, professor, pesquisador e bibliotecário na lendária biblioteca de mithril, localizada na maravilhosa cidade sagrada, Vale Nor, de onde vieram os Elfos e para onde supostamente vão todas as almas valiosas para os Deuses, em Celéstia, o mundo divino.

    Aos poucos, postarei mais e mais conteúdos sobre Windland, pode servir de inspiração para quem jogar nesta mesa.  cheers






    Conteúdo patrocinado


    Re: Era uma Vez em Windland

    Mensagem por Conteúdo patrocinado


      Data/hora atual: Ter Dez 11, 2018 5:56 pm