Um fórum de RPG online no formato de PBF (Play by Forum).


    O Equinócio

    Compartilhe
    Soviet
    Semi-Deus
    avatar
    Semi-Deus

    Mensagens : 6934
    Reputação : 25
    Conquistas :
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/211.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1112.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1011.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1811.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1413.png

    O Equinócio

    Mensagem por Soviet em Seg Dez 16, 2013 1:58 pm

    19 de Eleint de 1372

    Hoje o dia havia amanhecido estranhamente silencioso.

    As aves, os cervos, os ursos, as lobos, as lebres. Todos estavam quietos demais. Até mesmo Caninos Cinzentos estava mais quieto hoje. As árvores, que sempre dançam sob o vento da manhã, estavam imóveis, assim como o ar. Nem uma leve brisa era sentida. Era como se a natureza estivesse preocupada com algo e não tivesse tempo para ser ela mesma.

    Apesar do dia ter amanhecido estranho, Kórdan tomou seu desjejum despreocupado. Enrolou seu cobertor e preparou-se para partir. O druida tinha um longo caminho para percorrer. Em dois dias será o equinócio de outono, e as celebrações serão feitas na clareira conhecida como Os Olhos de Selûne, às sombras do Vovô Árvore e muito ao norte de onde Kórdan estava. Jogando o cobertor nas costas e usando sua lança como um cajado, Kórdan segue para o norte com Caninos ora ao lado do druida, ora longe de sua vista, correndo pela floresta.

    Caminhando a quase uma hora ao lado da Corredeira do Unicórnio, com suas águas claras se tornando cristais sob a luz do sol, o druida havia se esquecido do estranho silêncio dessa manhã, maravilhado com a floresta que o cercava, com as cachoeiras da Corredeira e com a imponência dos Montes Estelares à Noroeste. Kórdan então se lembrou do dragão verde que dormia nos Montes e que acordou recentemente, e um frio percorreu sua espinha. O druida apertou o passo, levando os dedos à boca em um assobio para chamar Caninos.

    O caminho aqui era agradável, mas difícil. Valas e depressões eram constantes, e em alguns pontos, e pedra lisa era um convite para um mergulho na Corredeira. Kórdan seguia com passos firmes, ainda sem sinais de Caninos. O lobo provavelmente encontrou algo que atraiu sua atenção. Seguindo para o leste, Kórdan contornaria os Montes Estelares, seguindo entre ela e a Floresta Atroz, para então seguir em uma linha quase reta rumo ao norte, até Os Olhos de Selûne.

    Depois de longos minutos de subida, o druida para por um momento sobre uma elevação de pedras, e se volta para a Corredeira, sentando-se por alguns momentos para recuperar o fôlego. Talvez este lugar não tivesse sido a melhor escolha, pois a visão daqui era, por si só, de tirar o fôlego. Os Montes, bem próximos e imponentes, logo fariam sombra sobre a Corredeira a e floresta ao redor, quando o sol estivesse no oeste, mas agora as águas brilhavam prateadas e Kórdan conseguia ver duas cachoeiras, magníficas, antes do rio virar para oeste. Uma brisa fria vinha ao encontro de Kórdan; parecia que a terra tinha finalmente acordado. Absorto, o druida sentia a natureza ao redor. Os sons, os cheiros, as cores...

    De repente, Kórdan ouve uma voz bem fina, como se ela viesse de muito longe, trazida pelo vento. Olhando em volta , o druida não vê ninguém, mas continua ouvindo a voz! “Aqui!”, o homem ouve. Kórdan procura, mas não vê ninguém. “Atrás de você, estúpido!”. Irritado, o druida se levanta bruscamente, virando num salto, mas não há ali nem a sombra de alguém.

    “Eu tenho amigos humanos que não são burros como você, sabia?”.
    Kórdan olha uma vez mais em volta, mas continua sem ver ninguém. “Eu posso ficar aqui o dia inteiro, está tão confortável...”
    Cyrus Leghorian
    Adepto da Virtualidade
    avatar
    Adepto da Virtualidade

    Mensagens : 1609
    Reputação : 0

    Re: O Equinócio

    Mensagem por Cyrus Leghorian em Qua Dez 18, 2013 9:46 pm

    A brisa da manhã deixava mais rebeldes do que já eram os cabelos encrespados de Kórdan. Não que ele se importasse; o vento batendo em seu rosto era como uma doce música em seus ouvidos. O druida havia passado as primeiras horas do raiar do sol caminhando pela floresta, e agora fazia um repouso sobre uma pedra, com a vista para as duas quedas-d'água. Por um momento se viu pensando em Caninos Cinzentos; fazia tempo que o lobo não tinha retornado para junto dele, mas isso não chegava a ser uma grande preocupação. Deve ter encontrado uma boa caça, é só.

    Foi quando a voz misteriosa chegou até ele. O druida segurou firme seu bordão-cajado e ergueu-se de onde estava sentado, olhando a sua volta. Nada viu de imediato. É a natureza pregando uma peça em mim. Kórdan inspirou, tragando o ar da manhã e oxigenando o cérebro.

    - A floresta é a minha casa, e aqui nada me escapa - disse Kórdan, para ninguém em especial, pois ainda não percebeu de quem pertencia aquela voz. - Sinto cada ondulação das folhas, cada rebento de poeira nas árvores escuras e cada zumbido dos insetos. Sinto até mesmo a respiração dos seres que aqui habitam.

    Kórdan sentou-se novamente sobre a pedra em forma de índio, cerrou os olhos e cruzou os braços; os incautos poderiam achar que ele estaria mais vulnerável naquele estado, mas Kórdan fechou os olhos físicos para abrir os olhos de seu coração e sentir a terra a sua volta.

    - Eu sei onde você está. - Era uma meia-verdade. O druida sabia que a voz vinha de suas costas, mas... o que ela seria? Ele tinha um mero palpite. - Se não quer se revelar diante de mim, ficarei com os olhos fechados, e assim conversaremos. Também posso ficar o dia inteiro nessa posição.

    E, sentado e de olhos cerrados, Kórdan aguardou.
    Soviet
    Semi-Deus
    avatar
    Semi-Deus

    Mensagens : 6934
    Reputação : 25
    Conquistas :
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/211.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1112.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1011.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1811.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1413.png

    Re: O Equinócio

    Mensagem por Soviet em Ter Dez 31, 2013 1:02 pm

    - Você é muito sério e também um estúpido! - A voz soava mais clara agora, e parecia uma criança - Não acredito que você não saiba quem está falando com você. Nós já passamos tanto tempo junto. Tantas noites em que nos aquecemos, em que partilhamos o carinho que temos um pelo outro...

    O tom agora era dramático e quem quer que estivesse falando com Kórdan, parecia poder começar a chorar a qualquer instante. O druida mantinha os olhos fechados; apenas ouvia e não percebia o sentido de nada aquilo.

    - Quantas foram as vezes em que você me abraçou? Quantas foram as vezes em que nos envolvemos sob o luar como dois amantes? Muitas e muitas mais ainda serão! Mas agora sua burrice e ingratidão o fazem me ignorar... Que destino cruel é este que os deuses me deram! Que destino cruel...


    Kórdan nota a voz soluçar, e então ela começa a chorar. Era claro ao druida que a voz vinha de suas costas, mas Kórdan não sentia nada ali além do usual. Alguns pardais passam voando pelo druida na direção do rio e o seguia seu caminho para o oeste. O tempo passava e Kórdan tinha um longo caminho pela frente.
    Cyrus Leghorian
    Adepto da Virtualidade
    avatar
    Adepto da Virtualidade

    Mensagens : 1609
    Reputação : 0

    Re: O Equinócio

    Mensagem por Cyrus Leghorian em Sex Jan 03, 2014 11:28 am

    O druida estava achando tudo aquilo engraçado e não iria retomar a viagem até descobrir quem ou o que era aquela voz. Ele encarava isso como mais uma lição que a floresta podia lhe ensinar. Tudo aqui tem vida, até as pedras e o vento. Kórdan continuou de olhos fechados, pois isto fazia parte de sua própria brincadeira, e disse:

    - Ah, desculpe estar sendo indelicado. A terra é a minha esposa e os seus frutos são as minhas amantes. Mesmo assim deveria reconhecer você só pela voz, após tantas noites em que dormimos juntos ao relento, como você mesmo diz. Que tal você me dar uma dica de quem é você, para que a memória venha a minha mente assim como o vento vem de encontro ao meu rosto?

    Kórdan colocou a mão sob o queixo, com um ar de pensativo, e complementou:

    - Uma charada! Fale quem é você em forma de uma charada. Isso será divertido e se eu adivinhar a resposta poderei me relembrar de todos os momentos que passamos juntos.
    Soviet
    Semi-Deus
    avatar
    Semi-Deus

    Mensagens : 6934
    Reputação : 25
    Conquistas :
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/211.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1112.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1011.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1811.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1413.png

    Re: O Equinócio

    Mensagem por Soviet em Sab Jan 04, 2014 10:30 pm

    - Uma charada...? - A dona da voz (ou seria o dono?) pareceu ficar excitado e receoso ao mesmo tempo - Está bem! Se você adivinhar a charada, saberá quem eu sou! Vou fazer uma bem difícil!

    Kórdan manteve os olhos fechados, sentindo o vento bater em seu rosto. Tão natural como o rio que corria para o mar, a mente do druida começou a divagar, distraído com a vida ao redor. De repente, uma risada aguda e intensa corta os pensamentos de Kórdan.

    - Está pronto? - As palavras vinham entre risos e fungadas de prazer - Você não vai acertar!

    - Agrado homens, gatos e ao cão,
    Posso ser grosso e posso ser suave,
    Sou bem vindo num castelo, em seu salão,
    E também em um navio, na sua nave.

    Macio ou áspero, posso ser de lã ou algodão,
    Dos homens ganho tapas e das mulheres o abraço mais terno,
    E enquanto todos me esquecem no verão,
    Mais amigos que um bardo eu tenho durante o inverno.

    Cyrus Leghorian
    Adepto da Virtualidade
    avatar
    Adepto da Virtualidade

    Mensagens : 1609
    Reputação : 0

    Re: O Equinócio

    Mensagem por Cyrus Leghorian em Ter Jan 07, 2014 2:08 pm

    Cobertor?

    Kórdan estava esperando por uma dificuldade maior para resolver o enigma, mas juntando todas as partes ficava claro que a resposta só poderia ser uma; e era uma resposta que trazia muitas outras perguntas na cabeça do druida. Teimando em não acreditar que estava falando com o seu cobertor, Kórdan abriu os olhos, ergueu-se do chão e caminhou em círculo sobre a pedra, admirando por um momento a vista que a queda d'água lhe proporcionava.

    - Acho que já sei a resposta para o seu enigma - diz Kórdan como se tivesse ainda uma pequena dúvida. O seu cobertor estava amarrado em tiras de couro e atado às suas costas. O druida desamarrou todos os nós e balançou o cobertor contra o vento, estendendo-o a seguir sobre a rocha. - Você é a resposta - disse, olhando para o cobertor estendido e com mil questionamentos passando pela sua cabeça.
    Soviet
    Semi-Deus
    avatar
    Semi-Deus

    Mensagens : 6934
    Reputação : 25
    Conquistas :
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/211.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1112.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1011.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1811.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1413.png

    Re: O Equinócio

    Mensagem por Soviet em Ter Jan 07, 2014 9:25 pm

    Uma risada atravessou o ar assim que Kórdan deu sua resposta. Agora, olhando para o pedaço de pano estendido no chão, o druida se viu em uma situação estranha e curiosa.

    Seu cobertor falava com Kórdan.

    Era claro que era ele quem ria, e tudo ficou ainda mais claro e confuso quando o cobertor tornou a falar com uma voz aguda e agora, depois de descoberto, veloz e animada.

    - Até que você não é tão estúpido assim! Mas eu fui boazinha com você e fiz uma charada bem fácil. Mas... - O tom mudou completamente - Quanta falta de consideração da sua parte! Dorme comigo todos os dias e nem passou pela sua cabeça que pudesse ser eu falando com você! - O cobertor começa a chorar - Você é muito cruel! Cruel e estúpido! Oh, que vida triste a minha!

    Kórdan realmente não entendia nada. As mudanças de humor de seu cobertor eram muito rápidas e intensas. O tecido chorava e, antes que o druida pudesse sequer abrir a boca para falar algo, o cobertor continuou, entre soluços.

    - Vida triste sim! Triste e miserável! Oh, triste, miserável e injusta, pois não posso abandoná-lo enquanto você dorme, já que não tenho pernas!
    Cyrus Leghorian
    Adepto da Virtualidade
    avatar
    Adepto da Virtualidade

    Mensagens : 1609
    Reputação : 0

    Re: O Equinócio

    Mensagem por Cyrus Leghorian em Qui Jan 09, 2014 6:34 pm

    A situação era estranha, e em muito engraçada.

    Kórdan queria rir de tudo aquilo. Queria achar que estava tendo um sonho. Queria que alguém o beliscasse para que ele acordasse para a realidade. No entanto, o druida sabia diferenciar a vivência de um sonho, e aquilo não era um sonho. Kórdan não conseguiu esconder completamente o seu sorriso do cobertor emotivo, que ainda veria um tímido sorriso de canto de boca estampado no rosto do druida.

    - Errr.... Bem, eu nunca tive tato para lidar com cobertores, por isso a minha rudeza aparente. Não foi por mal. Humnm... Eu gosto da tua companhia, de verdade. - Kórdan tentava acalmar os ânimos do cobertor. - Continuamos amigos, certo? Eu gostaria que você seguisse viagem junto a mim, e, bem, como sabe, eu já estou atrasado e preciso partir o quanto antes.

    Caso o cobertor não objetasse, Kórdan amarraria-o novamente às suas costas e seguiria viagem pela floresta.
    Soviet
    Semi-Deus
    avatar
    Semi-Deus

    Mensagens : 6934
    Reputação : 25
    Conquistas :
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/211.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1112.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1011.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1811.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1413.png

    Re: O Equinócio

    Mensagem por Soviet em Qui Jan 09, 2014 7:54 pm

    Um silêncio seguiu o Kórdan. Breve, mas intenso, ainda mais para um cobertor com graves flutuações de humor. O cobertor continuou chorando enquanto Kórdan falava, mas depois de ficar quieto, tudo o que o druida ouviu foi um último suspiro choroso.

    - Eu sei que você gosta de mim, mas foi triste para mim ver que você não sabia que era eu quem falava com você - Outro momento de silêncio, este mais breve - Você precisa partir para a cerimônia do equinócio. Sim, eu sei que devemos partir.

    Para Kórdan, pareceu que o cobertor havia concordado em ser amarrado de volta às suas costas. O cobertor soluça mais uma vez.

    - Eu vi você rindo de mim...
    Cyrus Leghorian
    Adepto da Virtualidade
    avatar
    Adepto da Virtualidade

    Mensagens : 1609
    Reputação : 0

    Re: O Equinócio

    Mensagem por Cyrus Leghorian em Qui Jan 09, 2014 11:03 pm

    Kórdan amarra o cobertor (com delicadeza) e o ata às suas costas; depois segue viagem rumo à cerimônia druídica. Durante a viagem, Kórdan se perguntou por mais de uma vez quando que seu cobertor começara a falar, mas não se atreveu a dar voz aos seus pensamentos com receio de magoar o cobertor emotivo. Entrementes, seu pensamento voltava para Caninos, esperando que o lobo não ficasse muito mais tempo longe. De tempos em tempos, ele parava para bater com o bordão numa pedra ou numa árvore e assobiar, com a intenção do lobo ouvir o chamado de seu amigo.
    Soviet
    Semi-Deus
    avatar
    Semi-Deus

    Mensagens : 6934
    Reputação : 25
    Conquistas :
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/211.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1112.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1011.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1811.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1413.png

    Re: O Equinócio

    Mensagem por Soviet em Sex Jan 10, 2014 5:15 pm

    O caminho era longo e Kórdan partiu sem perder mais tempo. Mal havia seguido viagem e Caninos surgiu ao seu lado correndo, com o focinho e as patas molhadas e o pêlo das costas umido. O lobo empurrou a mão de Kórdan com a cabeça e andou ao lado do druida por alguns metros para de repente correr adiante. A floresta estava calma mas cheia de vida, como sempre. O sol já estava alto no céu e sua luz atravessava a copa das árvores em raios dourados, iluminando arbustos e árvores mais baixas.

    O cheiro da floresta era de terra, seiva, frutos, neve e morte. O cheiro da vida. Kórdan passou pelo corpo de um alce que parecia estar morto à alguns dias, mas não havia marca do ataque de algum predador ou outros ferimentos. Caninos farejou o alce por um longo tempo, depois a árvore em que o corpo estava encostado e o chão ao redor. O cobertor não falou mais desde que iniciaram a viagem, cerca de duas horas, mas ele voltar a falar era inevitável. Ele pigarreou um pouco com sua voz fina e começou.

    - Você gosta de charadas?
    Cyrus Leghorian
    Adepto da Virtualidade
    avatar
    Adepto da Virtualidade

    Mensagens : 1609
    Reputação : 0

    Re: O Equinócio

    Mensagem por Cyrus Leghorian em Qua Jan 15, 2014 11:33 am

    Kórdan caminhava a seu ritmo, nem rápido e nem devagar. Ele contava com a ajuda de seu bordão para subir algum aclive ou afastar plantas espinhosas de seu trajeto. O lobo corria mais a frente, explorando o terreno. O druida só parou por um momento a caminhada quando avistou o alce morto. Não havia nenhuma marca de predador. Pode ser que ele tenha morrido de velhice ou de alguma doença. Kórdan retornou seus passos, quando então foi abordado pelo cobertor com uma pergunta.

    - Gosto. Mas confesso que prefiro tentar adivinhá-las do que criar as minhas próprias. - O druida falou pouco para não dar muito assunto ao cobertor, mas logo se arrependeu. Se eles iam viajar juntos, nada melhor do que se eles tivessem uma conversa amigável. - Hmn... é... então, você tem um nome? Não posso te chamar de cobertor pelo resto da vida.
    Soviet
    Semi-Deus
    avatar
    Semi-Deus

    Mensagens : 6934
    Reputação : 25
    Conquistas :
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/211.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1112.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1011.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1811.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1413.png

    Re: O Equinócio

    Mensagem por Soviet em Ter Jan 28, 2014 11:11 pm

    - Eu não tenho um nome! Ninguém da nomes aos seus cobertores, por mais que gostem deles - A respota foi imediata. Parecia que o fato do cobertor não ter um nome era algo que o incomodava ou entristecia - Já conheci um cobertor que aqueceu um meio-elfo por anos a fio e ele nunca ouviu nem mesmo um agradecimento. Todos vocês são uns ingratos!

    Um breve silêncio tomou o ar. Caninos tinha voltado para perto de Kórdan e caminhava poucos metros adiante com o vento empurrando seus pêlos para a frente, como se ele estivesse pronto para atacar. Logo o cobertor voltou a falar.

    - Eu gosto de criar charadas, e muito mais difíceis do que a outra que eu fiz. Posso lhe dizer algumas? Você nunca vai descobrir a resposta.
    Cyrus Leghorian
    Adepto da Virtualidade
    avatar
    Adepto da Virtualidade

    Mensagens : 1609
    Reputação : 0

    Re: O Equinócio

    Mensagem por Cyrus Leghorian em Qui Jan 30, 2014 4:04 pm

    - Não sabia que vocês cobertores trocavam confidências uns com os outros - o druida diz casualmente enquanto se apoiava em seu bordão para ultrapassar as barreiras naturais do percursos como pedras e mato alto. - Ah... bom, você não tem um nome, então vou te dar um. Você se chamará a partir de hoje de... Aconchego! O que acha do nome?

    Kórdan ouve o cobertor propor mais charadas. Ele ainda parecia estar longe de seu destino, então talvez ele pudesse se usufruir disso para que a viagem fosse menos monótona.

    - Invente quantas charadas você quiser Aconchego, eu acertarei todas! - brinca com o seu novo e velho companheiro.
    Soviet
    Semi-Deus
    avatar
    Semi-Deus

    Mensagens : 6934
    Reputação : 25
    Conquistas :
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/211.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1112.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1011.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1811.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1413.png

    Re: O Equinócio

    Mensagem por Soviet em Sab Fev 08, 2014 2:48 pm

    - Aconchego, gostei! - Aconchego ri de satisfação e prazer. Antes que o cobertor pudesse dizer algo, Kórdan aceita o desafio das charadas. A risada se transforma em uma gargalhada sem fôlego - Muito bem, essa você não vai acertar!

    - Eu me alimento para aos outros alimentar

    Eu respiro e de meu suspiro vida estou a doar
    Eu bebo, mas só de água desejo me fartar
    Vi mais que os sábios e seus pergaminhos a embolorar
    E os únicos seres que eu invejo são as aves a voar
    Cyrus Leghorian
    Adepto da Virtualidade
    avatar
    Adepto da Virtualidade

    Mensagens : 1609
    Reputação : 0

    Re: O Equinócio

    Mensagem por Cyrus Leghorian em Ter Fev 11, 2014 11:37 am

    - Você é uma planta! - Kórdan supõe a resposta sem pestanejar. - Você não está dando o melhor de si, Aconchego. Vou lhe dar mais uma chance de você criar uma charada difícil, mas desta vez capriche heim.
    Soviet
    Semi-Deus
    avatar
    Semi-Deus

    Mensagens : 6934
    Reputação : 25
    Conquistas :
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/211.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1112.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1011.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1811.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1413.png

    Re: O Equinócio

    Mensagem por Soviet em Sab Fev 22, 2014 1:49 pm

    - A resposta é árvore, mas árvores são plantas, então você acertou. - Kórdan pode sentir o desânimo na voz de Aconchego. Parecia que o cobertor estava ficando frustrado com o druida acertando a resposta de todas as suas charadas tão rápido - Vou fazer outra, e essa você não vai acertar! Não vai mesmo, você vai ver!

    - Me ajoelho diante da tempestade
    Agradeço pelo sol todas as manhãs
    Dos carvalho, rochas e rios eu sei a idade
    Respeito desde o mais jovem até a anciã.
    Me sinto mais confortável entre os selvagens
    E a noite, faço da lua minha guardiã.
    Cyrus Leghorian
    Adepto da Virtualidade
    avatar
    Adepto da Virtualidade

    Mensagens : 1609
    Reputação : 0

    Re: O Equinócio

    Mensagem por Cyrus Leghorian em Sab Fev 22, 2014 2:21 pm

    A penúltima frase do enigma havia confundido a cabeça do druida. Me sinto mais confortável entre os selvagens... Nada do que ele pensou parecia fazer sentido com esse trecho. Mas ele não insistiria em buscar a resposta, pois não queria magoar Aconchego acertando mais uma vez a sua charada.

    - Esta foi boa, Aconchego. Eu realmente não sei a resposta. De onde você tira tanta inspiração para fazer esses enigmas?
    Soviet
    Semi-Deus
    avatar
    Semi-Deus

    Mensagens : 6934
    Reputação : 25
    Conquistas :
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/211.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1112.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1011.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1811.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1413.png

    Re: O Equinócio

    Mensagem por Soviet em Sab Mar 01, 2014 1:43 pm

    - Eu aprendi com o meu pai, ele era um ótimo charadista. - Um breve silêncio permite que Kórdan e seu fiel cobertor ouvissem o vento que passava por eles, soprando com mais força agora. O druida sentiu cheiro de chuva. - Posso fazer só mais uma charada? É a última!

    Antes que Kórdan pudesse dizer algo, Aconchego começou a declamar as palavras.

    - Pertenço à natureza, mas tenho mãe e pai
    Sou pequena, mas engano os grandes
    Fazendo com que se percam e lamentem
    O machado e a tocha, a flecha e a arrogância
    Sou uma guardiã fiel e feroz
    Que subestimada nada mais faz além de enganar
    Cyrus Leghorian
    Adepto da Virtualidade
    avatar
    Adepto da Virtualidade

    Mensagens : 1609
    Reputação : 0

    Re: O Equinócio

    Mensagem por Cyrus Leghorian em Seg Mar 03, 2014 9:38 pm

    Kórdan não prestou a devida atenção na nova charada de Aconchego. Vai começar a chover, disse consigo mesmo. Preocupado mais com a potencial tempestade do que com o enigma, o druida acelerou o passo à procura de um abrigo seguro. Podia ser uma gruta ou à sombra de uma copa de árvore gigante. Ele ainda assim ouviu partes dos trechos da charada, e não deixaria o seu amigo sem uma resposta.

    - Você agora é uma fada, acertei?
    Conteúdo patrocinado


    Re: O Equinócio

    Mensagem por Conteúdo patrocinado


      Data/hora atual: Sex Jun 22, 2018 2:49 am