Um fórum de RPG online no formato de PBF (Play by Forum).


    Fichas prontas

    Compartilhe
    Claude Speedy
    Mestre Jedi
    avatar
    Mestre Jedi

    Mensagens : 1324
    Reputação : 23

    Fichas prontas

    Mensagem por Claude Speedy em Qui Set 20, 2018 10:47 pm

    Determinem o background de vocês conectando os eventos aleatórios da origem de sua casa/tribo/núcleo comercial/grupo de piratas...

    Crie quais foram os elementos específicos a partir do que foi sorteado e postem a ficha com o Background aqui.

    Melroc
    Mestre Jedi
    avatar
    Mestre Jedi

    Mensagens : 1076
    Reputação : 0

    Re: Fichas prontas

    Mensagem por Melroc em Seg Set 24, 2018 11:34 pm




    Corsayr





    Reino:Degraus
    Brasão:Um Sol Negro em Campo de ondados alternantes na vertical em Azul e Prata
    Lema:Do Sol negro, viemos para conquistar
    Fundação:Era dos Herois










    RecursosValoresPosses
    Defesa40Castelo Medio (40)
    Influência15Outro Filho (5)
    Lei13Sorte da Casa -5
    Poder4501 Guarnição Verde: Disc.= 6/12 - Percepção 3 (3);
    02 Marinheiros Treinados: Disc.= 6 - Agilidade 3, Luta 3, Percepção 3 (14);
    02 Navios de Guerra Treinados Disc.= 6 - Percepção 3, Pontaria 4 (20);
    População24Sorte da Casa +1
    Riqueza19Porto [Sorte da Casa +5] (10)
    Terras22Ilha de Colinas com Floresta Esparsa, Córrego e Pasto (22)
    Sorte da casa+1


    Família e Servos:















    NomeDetalhes
    Capitão-mor Sagramor CorsayrSenhor da Casa Corsayr e Lider da Irmandade do Sol Negro, um homem Velho de 63 anos
    Senhora Raesella CorsayrSenhora da Casa Corsayr, ex-famila Hotaan de Lys, Segunda esposa de Sagramor, uma mulher Meia-Idade de 49 anos
    Capitão Syrano CorsayrHerdeiro da Casa Corsayr, Segundo em comando da Irmandade do Sol Negro, Filho do primeiro casamento de Sagramor, um homem de Meia-Idade de 32 anos
    Capitão Maerro Corsayr2° Filho da Casa Corsayr, Filho do primeiro casamento de Sagramor, um homem Adulto de 28 anos
    Capitão Raeghel Corsayr (PJ)3° Filho da Casa Corsayr, Filho do segundo casamento de Sagramor, um homem Adulto de 23 anos
    Erlolla CorsayrEsposa de Syrano Corsayr, mulher Adulta de 27 anos
    Orala CorsayrFilha de Syrano Corsayr, mulher Adolescente de 10 anos
    Velho MusgoMestre de Armas, ex-pirata Tyrosh, um homem Velho de 68 anos
    Mallal Qaa, O Lâmina de ÉbanoMestre da Doca, natural das Ilhas de Verão, um homem Velho de 59 anos
    Azmos zo HorduSenescal, ex-escravo de volantis, um homem de Meia-Idade de 45 anos
    Hurdon Boa MorteChefe da Vanguarda, pirata assassino Forjado do Ferro, um homem adulto de 25 anos

    Posses:



    Terras: Ilha de Pedra Sombria

    A Ilha de Pedra Sombrio é umas ilha modesta se comparada as maiores ilhas dos Degraus. Ela é uma ilha de colinas escarpadas recobertas por florestas esparsas e salpicada de pequenas areas descampadas, usadas pelos habiltantes locais para o pastoreio de cabras e ovelhas. Sua característca principal é a presença quase constante de neblina, o que dá nome a ilha. A Baia do Dragão Afogado, uma enseada protegida do mar bravio, é o único lugar da ilha com profundidade suficiente para comportar navios.

    Sede: Castelo de Pedra Sombria

    O Castelo de Pedra Sombria é um grande castelo construído sobre uma colina pedregosa e escarpada às margens da Baia do Dragão Afogado. O castelo parece pequeno no exterior, mas muito de sua construção se extende pelo subterrâneo da colina. Sua entrada principal se dá por um elevador no interior de uma grande coluna quadrada que se ergue a frente da colina. A grande coluna é interligada ao castelo por uma ponte de pedra. Outras entradas incluem-se um portão na base da colina que dá acesso a uma longa escadaria que serpentei pelo subterrãneo subindo até o nível inferior do castelo, além de algumas passagens secundárias e secretas, usados como rotas de fugas em casos extremos.

    Porto: Cais de Varano

    Localizado na base do Castelo de Pedra Sombria e de frente a Baia do Dragão Afogado, possui pequenos ancoradouros de madeira, uma doca seca para concertos de navios, um armazém e uma Taverna. Uma pequena vila se formou no porto e é o maior acentamento da ilha, sendo o lar de marinheiros, pescadores e piratas. Ele é administrado por Mallal Qaa, chamado de Lâmina de Ébano, Mestre da Doca da casa Corsayr. O porto também é o local de descansa dos Navios da Irmandade do Sol Negro.

    Historia da Casa:



    Os Corsayr são conhecidos como grandes navegantes, mercadores, piratas, mercenários e exploradores dos Degraus, são verdadeiros viventes do mar. Nunca possuíram a grandeza ou a sabedoria de grandes casas, mas foram astutos o suficiente para sobreviverem durante as eras, ainda mais em uma região acostumada com a guerra e o conflito armado. Os Corsayr tornaram-se nômades em muitos momentos de sua história, preferindo viver de seus navios à se submeter aos grandes lordes que almejavam a conquista da região. Por esse motivo, há poucos registros sobre a história da casa, pois muito foi perdido.

    Segundo suas Lendas, os Corsayr descendem diretamente do Deus do Mar, através de seu filho, Corsa o Domador de Ventos que se apaixonou pela filha de um chefe tribal e em troca da mão da mulher, ensinou os Primeiros Homens a construir navios e a navegar. Assim, permitiu que os Primeiros Homens ainda pudessem atravessar o Mar Estreito, mesmo após a quebra do Braço de Dorne pelos Videntes Verdes.

    Corsa viveu por milênios, dominando o mar e dobrando o vento a seus desejos, mas um dia foi enganado por um rei dos Primeiros Homens que desejava as ilhas dos Degraus e o poder que Corsa possuía, há relatos que dizem que este rei era na verdade um Outro. O Rei assassinou Corsa e perseguiu seus descendentes, mas os Filhos de Corsa eram espertos e coseguiram fugir. Eles planejaram uma vingança contra o rei que foi emboscado e afogado, acabando com suas pretensões.

    Tudo que envolve os Corsayr da Era dos Heróis são cheios de histórias fantasiosas, somente a partir das invasões Ândalas é que algumas das histórias da casa podem ter maior veracidade. Nessa época, os Corsayr se aliaram aos Ândalos. A casa ajudou muitos reis deste povo à invadir as terras dos Primeiros Homens, através da construção de navios e de portos estratégicos. Sua especialidade no conhecimento do mar ajudou principalmente nas conquistas de Dorne e das Terras da Tempestade.

    Após a conquista de Dorne, a região foi dividida entre vários reis Ândalos que lutavam entre si pela supremacia dos desertos, mas quando suas intenções envolviam o mar, os Corsayr eram contratados. A casa foi favorecida quando um Rei Yronwood estava em guerra com um Rei Toland e precisou da ajuda da esquadra Corsayr para vencê-los. Após essa atuação bem sucedida, os reis de Dorne sempre se utilizaram dos piratas mercenários Corsayr. E há histórias da casa sob os serviços dos Yronwood, Dryland e Dayne, até mesmo os Reis das Tempestades se utilizaram dos serviços dos Corsayr em alguns momentos de sua história.

    Quando Nymeria se uniu a Casa Martell e tomou Dorne, os Corsayr não se envolveram, pois tinham um problema maior para se preocupar. A expansão da Cidade Franca de Valíria alcança os Degraus e o império construiu entrepostos e colônias comerciais por todas as partes do sul da hoje conhecida região das Cidades Livres. Varano Corsayr era um dos únicos membros da casa ainda vivo naquela época, pois muitos haviam perecido queimados pelas chamas dos Dragões. Ele se submeteu aos valirianos escravagistas dos Degraus e trabalhava nos navios mercantes que faziam a rota até Lys. Quando as Quatorze Chamas explodiu, e os senhores de dragões deixaram de existir, Varano trai seus mestres e os mata, toma seus navios, suas filhas e seu castelo. As Quatorze Chamas jogaram cinzas e fuligem no céu que durou décadas, deixando o Sol negro, o símbolo e o lema da Casa Corsayr surgiram deste evento.

    Por causa da ação de Varano, chamado O Traidor, por séculos os Corsayr ganharam a fama de traidores e mentirosos, e o ano de 261 d.C. não ajudou a amenizar sua fama. Fazia um ano que o Bando dos Nove havia perdido a Guerra dos Reis de Nove Moedas. A Velha mãe, uma velha Rainha Pirata e integrante do Bando dos Nove tentou tomar Tyrosh da mãos de Alequo Adarys, O Língua de Prata, também integrante do Bando dos Noves. Adarys era um tirano que comandava a cidade com mão de ferro. Os Corsayr ajudaram na conspiração da Velha Senhora, mas falharam grandemente. A Velha Mãe foi morta, Tyrosh continuou nas mãos do Língua de Prata e os Corsayr acentuaram sua reputação de piratas traidores.

    Recentemente a fama dos Corsayr começou a mudar, apesar das desconfianças ainda existirem. Em 277 d.C o novo Senhor Corsayr, Sagramor, obteve uma grande vitória na Batalha da Pedra do Naufrágio, onde liderando sua frota mercenária, A Irmandade do Sol Negro, consegue frustras as intenções de domínio Tyroshi nos Degraus, através da morte de se Almirante. A vitória dá a Lys uma hegemonia comercial maior na região e prestígio a Casa Corsayr, pelo menos em Lys sua fama de traidores não é reconhecida.

    Os Corsayr ainda são notórios piratas mercenários dos Degraus. Atualmente são mais contratados pelos Lysenses, para atacar comerciantes inimigos, realizar contrabando ou proteger frotas. Possuem uma história antiga e rica, mas que não lhe garantiu a influência de outras casas e muito fora perdido durante as eras de sua existência. Nem por isso há desanimo ou decadência em suas fileiras, Os Corsayr se consideram sobreviventes astutos que possuem a habilidade de escapar das maiores ameaças. Se adaptam à mudanças e não se preocupam com o que ficou para trás, apenas com o que podem conquistar.
    Melroc
    Mestre Jedi
    avatar
    Mestre Jedi

    Mensagens : 1076
    Reputação : 0

    Re: Fichas prontas

    Mensagem por Melroc em Sex Out 19, 2018 1:46 pm

    Ficha - Raeghel Corsayr (Melroc):



    Nome: Raeghel Corsayr
    Idade: 23
    Sexo: Masculino
    Casa: Corsayr

    Objetivo: Riqueza
    Motivação: Poder
    Virtude: Ambicioso
    Vício: Arrogante





    Habilidades

    Agilidade 4 [1B Equilibrio, 1B Esquiva] (40pts)
    Astúcia 4 (40pts)
    Atletismo 3 (10pts)
    Guerra 3 [1B Comandar] (10pts)

    Lingua 3 [Lyseno(Nativo), Valyriano] (10pts)
    Luta 3 [2B Esgrima] (10pts)
    Percepção 3 (10pts)
    Persuasão 4 [1B Barganhar, 1B Convencer] (40pts)

    Pontaria 3 (10pts)
    Status 3 (10pts)
    Vigor 3 (10pts)
    Vontade 3 [1B Coordenar] (10pts)



    Qualidades & Desvantagens

    Benefícios: Sangue de Valyria [+2 em Intimidar e Persuação, +2 Vigor vs fogo e calor, +1 Grad. em Status para influenciar]
    Patrono [Familia Hotaan]
    Ágil [role novamente os "1" em Agilidade, limite = a Especialização]


    Defeitos: Insensível [-1D Cura]
    Arrogancia Suprema [Status é penalidade para Testes de Percepção]


    Estatísticas:
    Defesa em Combate = 10 [11 c/Arma na Mão Inábil]
    Saúde = 9
    Defesa em Intriga = 10
    Compostura = 9
    Pontos de Destino = 1




    Equipamentos


    Arma Qualidade Teste DanoQualidades
    Espada PequenaComum3+2BAgilidade–1Rápida
    Espada PequenaComum3+2BAgilidade–1Rápida
    AdagaComum3Agilidade–2Defensiva +1, Mão Inábil +1
    LançaComum3AtletismoRápida


    Armadura: 2
    Penalidade: -1
    Volume: 0

    Equipamentos


    Espada Pequena1,5 kg300 gp
    Espada Pequena1,5 kg300 gp
    Adaga0,5 kg20 gp
    Lança3 kg50 gp
    Armadura de Couro Macio7,5 kg300 gp
    Olhos Longínquos-300 gp

    Moedas restantes: 4 DOs + 90 gps




    História:
    Raeghel nasceu como terceiro filho de uma família de navegantes mercenários dos Degraus. Filho de Sagramor Corsayr, um notório e bem sucedido pirata mercenário Lysense, Líder da Irmandade do Sol Negro, uma companhia de piratas mercenários. Sua mãe, Raesella Hotaan era filha de um rico mercador de Lys que foi dada em casamento a Sagramor como recompensa por sua lealdade.

    O Jovem passou uma infância feliz no Castelo de Pedra Sombria, a sede de sua família, onde sempre era visto brincando dentro dos navios enquanto estavam ancorados ou em concerto no estaleiro. Com o tempo, aprendeu o oficio da navegação com o pai e os irmãos mais velhos. Também aprendeu a lutar nos navios e a se manter de pé enquanto eles balançavam sob as ondas. Conheceu rotas marítimas, suas ameaças, embarcações e os produtos que elas transportam. Participou cedo dos saques da família que trabalhava para Lys, saqueando os navios das Cidades Livres rivais.

    Apesar dos ataques serem perigosos e empolgantes, Raeghel sabia que teria que trilhar seu caminho sozinho, já que os negócios da família seriam um legado dado aos seus irmãos. Quando conseguiu ser capitão de seu próprio navio, Raeghel Corsayr decidiu zarpar sozinho e fazer sua própria sorte. Foi para Lys trabalhar para a família de sua mãe, os Hotaan.

    Os Hotaan são conhecidos na cidade por seus exímios navegadores mercantes e assim que chegou, Raeghel foi tomado como aprendiz por seu tio, Raesor Hotaan. Sua relação com o tio se tornou forte, já que Raesor não tinha filhos. Os dois viajaram pelo mar estreito, indo de Braavos a Volantis, de Vila Velha a Porto Branco, visitando varias das maiores cidades de Essos e Westeros, mesmo que apenas seus portos. O Jovem Corsayr tornou-se um exímio navegador e viu que o comercio traz riquezas imensuráveis aos mercadores bem sucedidos.

    Raeghel não queria ser apenas um capitão de navio, ele queria mais, sonhava em ser senhor de sua própria companhia mercante e usufruir do poder que as moedas de ouro proporcionam. Sonhava com o Título de Príncipe Mercante dos Degraus e seria respeitado e temido por isso. Pediu dispensa de seus serviços quando achava que já havia aprendido tudo que podia com seu tio e a partir de então, começou a trabalhar por conta própria.

    Hoje Raeghel atua como mercador, escolta e transporte, mas as vezes trabalhar como contrabandista. Seu navio é uma pequena, mas rápida e manobrável galé de escolta, a Banshee, ganho de presente de seu tio, ainda nos tempos em que trabalhava para os Hotaan de Lys. Ele sabe que precisa de algo grande para alcançar seus objetivos e tem um plano ousado, durante toda a sua vida no mar ouviu lendas sobre as riquezas do Oriente, sobre as terras de Jade de Yi-Ti e decidiu formar uma frota mercante para alcançar a tal sonhada terra de riquezas surreais, mas precisa de dinheiro e de bons insumos do ocidente para trocar pelas riquezas do oriente. Talvez seja hora de fazer uma visita a seu tio.

    nahna
    Investigador
    avatar
    Investigador

    Mensagens : 60
    Reputação : 2

    Re: Fichas prontas

    Mensagem por nahna em Seg Nov 19, 2018 6:34 pm

    Casa Karsten:







    Karsten






    Reino:Norte
    Brasão:Um lobo de duas caudas
    Lema:Somos o espelho do norte
    Fundação:Antiga











    RecursosValoresPosses
    Defesa33Castelo Pequeno (40)
    Influência44Primogênito (20), Segundo filho (10), Terceiro filho (05)
    Lei19Sorte da Casa -5
    Poder2001 Unidade veterana de arqueiros (08), 01 Unidade treinada de infantaria (07), 01 Unidade treinada de guerrilheiros das colinas (5)
    População24Sorte da Casa +1
    Riqueza14Meistre (10)
    Terras34Colinas (07) com Floresta Esparsa (05), grande lago (09), povoado (10) e ruínas (03)
    Sorte da casa+1
    Família e Servos:












    NomeDetalhes
    Sor Abdall KarstenSenhor da Casa Karsten. Possui cabelos castanhos esparsos, olhos azuis, 1.88m, 93kg, e 59 anos de idade.
    Lady Haenna KartenSenhora da Casa Karsten, vinda de Porto Real, Segunda esposa de Abdall. Cabelos negros, pele bronzeada, olhos negros, 1.62m, 59kg, 29 anos de idade.
    Sor Boros KarstenHerdeiro da Casa Karsten, e cavaleiro leal à coroa do Norte. Cabelos loiros, olhos azuis, 1.85m, 98kg, 29 anos de idade.
    Baddard KarstenSegundo Filho da Casa Karsten, atualmente escudeiro na casa Karstark. Cabelos castanhos, olhos azuis, 1.82m, 76kg, 26 anos de idade.
    Mestor KarstenTerceiro Filho da Casa Karsten, e administrador das propriedades. Cabelos castanhos, olhos azuis, 1.78m, 88kg, 24 anos de idade.
    Vaelle Neve - PdJFilha bastarda da primeira esposa do senhor Abdall. Cabelos loiros, olhos azuis, 1.67m 58kg, 16 anos de idade.
    Dohor KarstenQuarto filho da casa Karsten, concebido com a nova esposa do senhor Abdall. Cabelos negros, olhos azuis, 1.67m, 52kg, 13 anos de idade.

    @fairbrooks escreveu:



    Nome:Vaelle Snow
    Idade: 16 anos
    Sexo: Feminino
    Casa: Norte

    Objetivo: Amor
    Motivação: Estabilidade
    Virtude: Dedicação
    Vício: Teimosia





    Habilidades

    Agilidade: 4 (40) Esquiva 1B (10)
    Astúcia: 3 (10)
    Conhecimento 3 (10)
    Cura 3 (10) Tratar ferimento 1B (10)
    Furtividade: 3 (10) Esgueirar-se 1B (10)


    Idioma: 3 (10)
    Lidar com animais: 3 (10)
    Luta: 1 (-50)
    Persuasão: 4 (40) Charme 1B (10)


    Pontaria: 4 (40) Arcos 1B (10)
    Ladinagem: 4 (40) Furto 1B (10)
    Vontade: 3 (10)
    Demais: 2




    Qualidades & Desvantagens

    Benefícios:
    Atraente
    Maestria em Arco
    Mãos ágeis
    Excedentes: 3


    Defeitos:
    Bastarda


    Estatísticas:
    Defesa em Combate = 06
    Saúde = 06
    Defesa em Intriga = 07
    Compostura = 09
    Pontos de Destino = 5



    Equipamentos



    Armadura: 0
    Penalidade: 0
    Volume: 0

    Bolsa (cinto) 8vc
    Lampião 2gp
    Lente Myresa 20gp
    Óleo (500ml) 8vc
    Pederneira 2vc
    Perfume 1gp
    Sachê 1gp
    Tocha 1vc
    Trajes de nobre 400gp
    Trajes do norte 4gp  
    Punhal 0,5kg 20gp
    Arco de curvatura dupla 1kg 500gp
    Munição x2 (24 flechas) 1kg 20gp
    Montaria: Palafrém 150gp

    Total: GP: 1118  |  VC: 19
    Excedente: 771gp + 37vc




    A História de Vaelle Snow:


    Sor Abdall Karsten era um homem feliz, casado com a mulher que amava desde jovem, lady Alles Karsten, e com quem teve três filhos: Boros, Baddard, e Mestor. Contudo, Abdall era um jogador… Perdia grandes somas de direito em jogos, ao mesmo tempo em que se afundava em conflitos com selvagens e bandoleiros em suas terras.
    Boa parte de seus problemas foi a solução apontada pelo Meistre à serviço na época, e por sua sugestão Abdall contratou os selvagens e prometeu-lhes uma pequena porção de terras distantes onde não seriam importunados.
    Os selvagens fizeram um bom serviço e pouco a pouco a paz foi reestabelecida em seu território. O líder do bando, Kordnor, tornou-se amigo da família e algumas vezes até esteve presente a mesa nas ceias.
    Ainda que tudo estivesse indo bem, Sor Abdall continuou a perder boas somas nas mesas de jogos e a distanciar-se da família… Foi quando a senhora Alles encontrou conforto nos braços do selvagem Kordnor, e desse erro gerando uma criança.
    O senhor Abdall ficou transtornado, mas reconhecendo os próprios erros, por amar sua esposa, e para evitar escândalos com o nome de sua família, expulsou o selvagem de suas terras e tomou a criança como sua bastarda.



    Vaelle cresceu sem o amor do pai, e nunca entendeu como tinha apenas o amor da senhora Aelles, sendo uma bastarda. Foi uma menina voluntariosa durante toda a infância, o que lhe rendeu muitas escoriações e machucados.
    Num rigoroso inverno, quando tinha 11 anos, Aelles partiu, vítima de pneumonia. Houve silêncio durante semanas, e seu pai tornou-se ainda mais distante.
    No ano seguinte, Abdall casou-se novamente, com a senhora Haenna. Dessa união, foi gerado o pequeno Dohor, e por um período breve a casa se encheu de alegria novamente.
    Alguns meses mais tarde, o selvagem Kordnor retornou para as terras, convocado pelo próprio senhor da casa. Vaelle foi chamada, e comunicada que partiria com o estranho, e nada mais foi dito. A menina chorou e esperneou, mas a decisão foi final. No fim da tarde, foi levada na garupa de um cavalo, juntamente com algumas riquezas de pagamento.



    Vaelle teve que se conformar com sua nova condição, vivendo entre selvagens, e que aquele era seu verdadeiro pai. A educação que recebeu durante seus 12 anos anteriores, era incompatível com o convívio do bando, deixando a menina sempre deslocada. Até mesmo seu verdadeiro pai caçoava de seus modos e do modo como chorava o tempo todo.
    O primeiro ano foi o mais difícil, mas nos seguintes Vaelle foi aceita. Tornou-se uma mulher bonita e destoava bastantes dos demais por estar sempre alinhada e vestir-se mais dignamente, motivos que lhe renderam o apelido de “Lady do mato” entre os seus. Afim de suprir seus gostos, Vaelle encontrou o furto como solução, e se tornou boa nisso. Por vezes usava a distração que os selvagens causavam por onde passavam para fazer ela própria uma discreta pilhagem, rendendo-lhe constantemente algumas pratas.



    Vivendo entre seus companheiros selvagens, deixou de ser uma menina assustada e tomou o mundo para si. Jamais amaldiçoou sua sorte, e passou a se interessar pelas histórias contadas pela rainha dos dragões, admirando a heroína que reconhecia nela, e almejando que um dia pudesse conhecê-la. Era uma mãe para fugitivos e escravos… Talvez ela não a recusasse, como as outras pessoas que amou.

    Conteúdo patrocinado


    Re: Fichas prontas

    Mensagem por Conteúdo patrocinado


      Data/hora atual: Qui Dez 13, 2018 5:06 am