Um fórum de RPG online no formato de PBF (Play by Forum).


    Aurora Selvagem

    Compartilhe
    Tellurian
    Investigador
    avatar
    Investigador

    Mensagens : 77
    Reputação : 10

    Re: Aurora Selvagem

    Mensagem por Tellurian em Qui Out 25, 2018 5:33 pm

    A criatura olhou os dois Garou por um momento, em silêncio. Os olhos tinham expressão de confusão, como se ele ainda debatesse internamente o que fazer. Aquele monstro, por mais poderoso que fosse, aparentemente tinha ido até ali de improviso. Sem um plano definido. O que daria a tal abominação o sentimento de urgência necessário para tal? O que o faria conflitar tanto internamente após chegar tão longe?

    O vampiro abaixa a cabeça após a fala de Hannibal. Ele parece considerar os argumentos do Ragabash com cuidado. Ele fecha os olhos por um momento, e balança a cabeça negativamente, aparentemente discutindo consigo mesmo, travando uma batalha pessoal contra demônios interiores.

    Andrei aproveita o momento que o Homem-Tigre está de olhos fechados e pega um galho de árvore que estava no chão. Ele usa suas garras para aguçar a ponta do galho. Mas ele percebeu que precisa agir com cautela. Ele observa os movimentos dos membros da Aliança, aguardando uma oportunidade de agir.

    E então Gwenhwyfar fala. Profere seu desafio, e o monstro arregala os olhos em resposta à bravata da Galliard.

    -"Vocês... não entendem. Eu só quero ajudar. Meu nome é John. Me chamam de Morte. Mas quando ele alcançar vocês... eu não poderei mais ajudar. E ele... ele está vindo. As pessoas sempre anseiam pela Morte quando enfrentam o Sofrimento... Eu só quero ajudar..."-

    Ele ergue a cabeça, e olha para Hannibal. Depois, vira os olhos para Gwenwhyfar. Ele se demora alguns segundos olhando a ruiva com olhos vidrados. E então olha de volta para Hannibal.

    -"Ele tem muitos nomes, ele é muitas pessoas."- John levou as mãos à cabeça e sacudiu de forma frenética, como se estivesse prestes a blasfemar

    -"Le Claire... Le Claire é a chave. Ele não pode conseguir o que quer. Ele é..."- John falava mas virou a cabeça para a clareira repentinamente de olhos arregalados, como se tivesse visto algo. Escancarou as garras e presas, e rugiu pesadamente. E, em seguida, seu corpo se desfez em uma névoa branca e translúcida, e foi levado pelo vento.

    Poucos momentos depois os uivos dos Garou que ecoavam pela floresta alcançam a beira da clareira. A Morada do Avô está aqui, ainda que tardiamente.
    Hagen
    Investigador
    avatar
    Investigador

    Mensagens : 86
    Reputação : 11

    Re: Aurora Selvagem

    Mensagem por Hagen em Qui Out 25, 2018 6:06 pm

    Cólera-das-Sombras chega ao local junto com o restante da matilha, não via ninguém além de um desconhecido (Andrei), Aurora-Serena e Hanniball. O Senhor das Sombras se aproxima olhando pra todo canto e tentando farejar algo, em sua forma de batalha, um enorme crinos negro.

    Devagar se aproxima dos demais e os fita, iria esperar sua alfa indagar qualquer coisa.
    Hannibal Smith
    Neófito
    avatar
    Neófito

    Mensagens : 46
    Reputação : 15

    Re: Aurora Selvagem

    Mensagem por Hannibal Smith em Sex Out 26, 2018 12:52 am

    "A própria consciência desse Vampiro é mais perigoso que Andrei... Quem diria..."

    É a primeira constatação de Hannibal ao notar que o Homem-Tigre fica extremamente confuso com o que acontecia. Dava pra ver em sua expressão aquele conflito interno, as dúvidas que explodiam em sua cabeça e as decisões que em milésimos de segundos determinariam o seu futuro. Tudo aquilo era delicado, complicado, perigoso e colocava em check a vida de todos. Uma movimentação errada, uma palavra a mais, um passo em falso e tudo iria por água abaixo. Hannibal gostava de situações como aquela, deixava-o em êxtase. A dor da indecisão era palpável e isso agradava o Senhor das Sombras que tinha prazer em ver aquilo. E então vem algo que chama bem a atenção de Hannibal. Grava as palavras do Vampiro em sua mente. Seu nome era John, o chamavam de morte. 

    "Quando ele quer alcançar, eu não posso ajudar mais... e ele está vindo... Eita, caralho... mas aqui?!"


    Repassa de imediato as palavras de John em sua mente e nesse momento fica preocupado. Poderiam estar em perigoso. 

    "As pessoas sempre anseiam a Morte quando vê o Sofrimento... ou seja, o sofrimento é ele... Ele quem filho de rapariga?!"


    Pensa Hannibal encarando o Homem-Tigre com um olhar de paisagem. Ao olhar para Hannibal, demonstra um sorriso de volta todo confiante. A frase de que queria ajudar parecia verdadeira. O Ragabash, talvez por seus instintos e pelo óbvio acreditava nisso.

    "Ele não seria retardado de vira até aqui e não fazer nada caso não quisesse ajudar... Poderia ter matado Andrei caso quisesse, mas não fez..."


    Ligava os pontos como conseguia, até que uma bomba fez o coração de Hannibal freezar por um instante. 

    "La Claire... filho de uma puta..."


    Aquilo agora havia ficado mais interessante do que nunca. Havia dedo desse filho de uma puta nisso tudo. Focava toda sua atenção no Homem-Tigre, principalmente na parte do 'ele não pode conseguir o que quer. Ele é...'...

    "É ele?!?!?!"


    Pensa Hannibal ao ver a atenção do Vampiro ser tomada pelos olhos arregalados, presas erguidas e um rugido forte. Em seguida e de forma instantânea, se desfaz com uma névoa branca sendo levado pelo vento.

    - Droga!!

    Não pensou duas vezes. Levantou-se rapidamente, levou a lança na mão direita em um movimento circular para trás, girou sentindo o balanço da mesma, arqueou seu corpo, tomou um impulso e lançou. O lançamento da lança de Andrei era preciso e Hannibal, apesar de não ter visto um alvo exato, arremessou exatamente na direção que o Homem-Tigre havia olhado e erguido suas presas em sinal de ameaça. Era um tiro no escuro? Claro que era. Se houvesse alguém ali, poderia ter chance de ter acertado. Se não tivesse, poderia ter tido chance de assusta-lo. Ou na pior das hipóteses se divertiria vendo Andrei indo buscar a lança no mato.

    "Acertei? Ou não? É difícil saber quando não se vê o alvo... mas que tinha algo ali tinha... será que é era o La Claire? Esse Caern tá mais perigoso do que nunca..."


    Seu semblante agora estava sério e fechado. Se aproxima de Gwen e Andrei. Encara o Adren por alguns segundos ainda vendo-o ferido e depois volta sua atenção para Gwen. Encara a ruiva por alguns segundos e diz:

    - Eu vi tudo que aconteceu aqui. Inclusive com vocês dois a sós.


    Era mentira. Não havia visto tudo, mas havia visto o suficiente para ter uma ideia do que rolava entre aquele dois. No entanto, Hannibal sabia ser convincente quando era preciso e da forma que falou, com tanta convicção, demonstrava que havia estado ali muito mais tempo que o esperado.

    - Não sei o que diabos aconteceu pra esse Vampiro ter tanta coragem de vir aqui, no entanto, agora temos informações e elas parecem ser precisas. Essa criatura bestial da Wyrm não ia estar nesse conflito interno se suas palavras fossem mentira. Seja lá quem for esse La Claire, temos um problema enorme pela frente e temos outro em nossa Casa Rosa, Gwen. Ela foi atacada e estão com a marta de refém.


    Se aproxima mais ainda de Gwen, ficando bem próxima à ruiva a ponto dela sentir seu bafo e sua seriedade e completa.

    - Reporte o que houve aqui a partir do momento que fomos atacados. Os outros detalhes, resolveremos só nós três depois e essa Seita e nem ninguém precisa saber disso nesse momento. A estupidez alinhada com a grande imbecilidade de vocês em saírem correndo em plena clareira central para cá quase custou muito caro, sem falar que está custando um tempo precioso enquanto Marta corre perigo de vida.


    Completou agora voltando-se para Andrei ainda que falasse com a Galliard.

    - E agradeça a nossa Alpha por ter me mandado te chamar Gwen, talvez se não fosse por mim, um de vocês estariam morto agora.


    E agora virou por completo para Andrei. Se aproximou do Ahroun estendendo sua mão o cumprimentando e completou.

    - E provavelmente seria você, parceiro. A bravura é uma arma poderosa, mas quando usada de forma impulsiva e no momento errado, faz derramar o próprio sangue e muitas vezes em vão, no entanto, um bom guerreiro não gela, não amarela e não foge de uma boa briga. Prazer, Hannibal Smith, Sopro-da-Tempestade, Ragabash Senhor das Sombras Cliath da Aliança de Luna e não precisa agradecer por estar no lugar certo e no momento certo salvando seu rabo magro. Farão isso em um momento mais oportuno.


    Só aí, com a mão estendida para Andrei, Hannibal deixa escapar um meio sorriso. Para um bom entendedor meia palavra basta. Seu silêncio custaria caro mesmo não sabendo o que queria saber. Falava como se tivesse visto tudo e soubesse de tudo, afinal, uma boa pescaria começava com o pescador crendo que pegará bons peixes. Bom, Hannibal estava pescando e os peixes dependeriam de Gwen e Andrei. Volta a olhar a lança de Andrei e observa pra ver se teria algum sinal anormal ou só uma lança no mato.

    _________________________________
    OFF GAME:
    Hannibal teve 03 sucessos em arremessar a lança de Andrei.

    antonio xavier
    Neófito
    avatar
    Neófito

    Mensagens : 39
    Reputação : 7

    Re: Aurora Selvagem

    Mensagem por antonio xavier em Sex Out 26, 2018 11:12 pm

    Antonio Xavier se aproxima da cena e observa com cuidado os elementos que estão presentes: olha para Gwen, para Hannibal e para um terceiro elemento, que não conhecia. O Portador da luz percebe que há ferimentos no garou que desconhecia e que o cenário tinha visto uma batalha, porém Antonio consegue perceber que o inimigo que havia causado aquela cena não estava mais presente.

    O Theurge prefere não falar nada naquele momento para apenas ouvir e compreender melhor tudo que o rodeava. Ele observa os três garous e espera que um deles dê alguma explicação para o que acontecia.
    Hagen
    Investigador
    avatar
    Investigador

    Mensagens : 86
    Reputação : 11

    Re: Aurora Selvagem

    Mensagem por Hagen em Sab Out 27, 2018 3:27 am

    Jack caminha lentamente e se coloca próximo, havia um clima ali e seu irmão começava a falar bastante, era óbvio que tinha algo no ar. Cólera-das-Sombras se perguntava aonde estava o inimigo e algumas palavras eram bem notórias no discurso dado e nas indagações:

    "Que outros detalhes?"

    Jack cruzava os braços e preferia se manter calado, eram estranhas as informações que seu irmão soltara, como o fato dos dois garous de saírem correndo pelo caern.

    "Que história..."

    Jack olha para o lado, para sua alfa e se mantém quieto, era hora de terminarem rápido o que acontecia e irem atrás de Marta, que corria perigo.
    Mellorienna
    Investigador
    avatar
    Investigador

    Mensagens : 64
    Reputação : 8

    Re: Aurora Selvagem

    Mensagem por Mellorienna em Sab Out 27, 2018 11:48 pm


    "John". Aurora Serena voltou-se novamente para Andrei, enquanto Hannibal lançava a arma floresta a dentro, na provável direção da ameaça detectada pelo Cadáver. Um Cadáver que só queria ajudar. Mas que havia cogitado mata-la no solo sagrado da Wyld. E havia feito sangrar Andrei nas águas até então límpidas do caern do Avô.

    (Com.Tel.) - Meu Dìonach, voc--- - mas Hannibal tinha coisas a dizer, não é?

    Ameaças e mais ameaças. Gwenhwyfar manteve as mãos apoiadas ao braço de Andrei, o semblante neutro e os olhos azuis fixos no Senhor das Sombras.

    (Com.Tel.) - Abortos de goblin esses Senhores das Sombras. Raramente gosto deles. E desse eu não gosto, em especial. Hannibal não é confiável. Luna só revelou a face da loucura ao dar dons aos Ragabash.

    A Galliard mantinha o olhar sobre o mais velho dos Smith, mas percebeu a aproximação do irmão mais novo, juntamente com o Theurge. Todos prontos para a batalha, mas encontrando um campo vazio. John havia desaparecido em uma névoa. Carregado pela Wyrm seja para onde se escondesse um metamorfo tigre gigantesco como aquele.

    (Com.Tel.) - O inferno vai congelar antes que eu agradeça Hannibal por qualquer coisa.

    A Fianna sorriu docemente para o companheiro de matilha, exalando seu enorme Carisma do alto de uma Aparência realmente feérica e encantandora. Vendo-o apertando a mão de Anoitecer Selvagem, ambos ainda em Crinos, a Galliard falou baixinho e de forma carinhosa para o Senhor das Sombras:

    - Sua presença aqui não fez diferença nenhuma do ponto de vista prático, Ragabash. A não ser por bravatinhas tolas e uma exibição frustrada de como lançar uma arma contra a mata. Se quer receber agradecimentos da Mestre de Cerimônias que defenderá o seu Renome diante da Seita, faça por merecer. - a ruivinha piscou para Hannibal de forma charmosa. E então virou-se na direção dos recém-chegados à clareira, ainda mantendo as mãos protetoramente apoiadas ao braço de Andrei.

    - Dor Serena, o Toque da Mãe viria a calhar agora, meu amigo. Anoitecer Selvagem foi ferido em combate contra uma criatura da Wyrm. Vil e de grande poder corrompido, consumido pela insanidade e carregando a epítome da Morte. - a Galliard não estava ferida, nem Hannibal, mas o Toque da Mãe seria de vital importância para estabilizar Andrei e ajudar o Ahroun a recuperar-se da loucura que o tomou, atacando daquela forma um oponente que não poderia vencer.

    (Com.Tel.) - Ah, meu Dìonach, se Hannibal me viu em seus braços... Será que está quebrado o Voto das Fadas sobre mim? Será que Dannu cobrará seu preço? - a mão de Aurora Serena tremeu levemente e ela apertou o braço do Presas de Prata, que sabia que as garras do desespero começavam a gelar o coração de Gwenhwyfar. Mas, em seu semblante, a ruiva continuava a exibir uma neutralidade plácida e elegante, a espera da manifestação do Theurge e das perguntas que viriam quanto ao ocorrido.

    antonio xavier
    Neófito
    avatar
    Neófito

    Mensagens : 39
    Reputação : 7

    Re: Aurora Selvagem

    Mensagem por antonio xavier em Dom Out 28, 2018 8:46 pm

    Antonio Xavier ouve as palavras de Gwen sobre o ocorrido e compreende, mesmo que de forma ainda superficial, o que tinha acontecido.

    Alguém precisava de ajuda e isso era mais importante que algumas palavras proferidas pela Galliard em direção a Hannibal, o Portador da luz não deu atenção, mas manteve-se altamente atento à resposta que seria proferida pelo Ragabash.

    Dor-serena se aproxima de Anoitecer-selvagem e utiliza o dom Toque de mãe para ajudar na cura dos ferimentos do garou.
    Tellurian
    Investigador
    avatar
    Investigador

    Mensagens : 77
    Reputação : 10

    Re: Aurora Selvagem

    Mensagem por Tellurian em Seg Out 29, 2018 11:15 am

    Logo atrás de Jack e Antonio, o resto das forças da Morada do Avô alcança finalmente a clareira. Grandes Garou de pelagem escura avançam em Crinos através da mata, e em poucos segundos, mais de uma dúzia de Garou em Crinos toma a clareira. Do alto da cachoeira, até rio abaixo. Pelas trilhas e sob as árvores. A corrida da sede do Caern até a clareira através da mata não havia sido tão caótica ou desorganizada quanto a Aliança de Luna poderia imaginar no começo. Os Garou se dispunham em linhas, havia uma vanguarda e uma retaguarda. Uma cadeia de comando era clara ali. Os Garou mais a frente eram Cliaths e Fosterns, com um ou dois Adrens agindo como tenentes. Nos pelotões intermediários, que ainda não haviam entrado na clareira e aguardavam o reconhecimento da zona de batalha, estavam os Athros e Anciões. A força principal de defesa do Caern. Muitos haviam inclusive desviado do caminho ao longo da corrida para se postar e defender possíveis rotas de fuga por onde os inimigos poderiam fugir.

    Andrei se levanta, suas feridas se regenerando pela sua forma de grande Crinos branco. Os ferimentos estavam doloridos, mas iriam sarar em breve. Havia conseguido evitar maiores danos aos seus orgãos vitais, e apesar de profundos, as feridas eram inofensivas. O sangramento já diminuía quando Andrei retornou a sua forma de nascença. Ele agradece ao Theurge o alívio proporcionado pela cura de seus ferimentos.

    (Com. Tel.)-"Não tenha medo, koshechka. O sangue quente dos Fianna corre forte nas suas veias, e eu admiro isso. Mas foi você quem me ensinou que muitas vezes, o melhor caminho a ser seguido é o da política. Tenha paciência, Gwen. E eu estarei aqui, de qualquer forma. Não deixarei que nada de mal te aconteça, não importa o que seja necessário."

    Andrei se aproximou da mão estendida de Hannibal e a apertou, com um sorriso no rosto. O típico e desajeitado aperto de mão de ferro de Anoitecer Selvagem.

    -"Há verdade nas suas palavras, Tovarisch Smith. A Fúria canta forte nas veias dos Ahroun, e muitas vezes se sobrepõe ao bom-senso. Eu agradeço a sua intervenção, Hannibal Smith. Meu nome é Andrei Ivanov, Anoitecer Selvagem, Ahroun dos Presas de Prata e Adren dos Siberakh."

    Gwen escreveu:- Sua presença aqui não fez diferença nenhuma do ponto de vista prático, Ragabash. A não ser por bravatinhas tolas e uma exibição frustrada de como lançar uma arma contra a mata. Se quer receber agradecimentos da Mestre de Cerimônias que defenderá o seu Renome diante da Seita, faça por merecer. -

    Andrei riu alto sua risada de trovão, tossindo quando seus ferimentos doeram quando ele contraiu os músculos do abdome ao rir. Ele depositou sua mão grande sobre a cabeça de Gwen, acariciando seus cabelos de fogo, e Gwen pôde sentir a saudade através de seu vínculo telepático com o Ahroun.

    -"Aí está! Osso duro de roer, como sempre. A gata tem garras, Tovarisch Ragabash. Você tinha que ter visto quando eu matei um vampiro no bosque que ela tentava proteger, anos atrás na Sibéria. Ela tem um jeito bem particular de demonstrar afeto."- Andrei sorria, ainda com a mão sobre a cabeça de Gwen, que o olhava contrariada com seus estreitos olhos verdes de gatinha. Ele sabia que ela acabaria com a raça dele assim que tivessem um tempo a sós. Gwenhwyfar era geniosa, e Anoitecer Selvagem amava essa característica da Galliard, mesmo que lhe deixasse cicatrizes de quando em quando.

    -"Você de fato faz grandes chegadas, Anoitecer Selvagem."- a voz grave de Augusto Nader ecoou pela clareira conforme ele a adentrava em seu terno impecável. Ele trazia a lança de ferro de Andrei nas mãos, e entregou-a ao Ahroun ao se aproximar. Os Garou da Morada do Avô lhe davam passagem conforme ele passava, e era uma imagem poderosa a cena de vários Crinos imponentes abrindo espaço e deixando passar Augusto, em sua forma hominídea. -"Tenha mais cuidado ao arremessar seus brinquedos por aí, Siberakh. Você está longe de casa."

    Após entregar a lança ao Presas de Prata, Senhor da Montanha olhou demoradamente Hannibal e Gwenhwyfar. -"Ouvimos o seu uivo de batalha. Bom. Onde está o inimigo?"
    Hagen
    Investigador
    avatar
    Investigador

    Mensagens : 86
    Reputação : 11

    Re: Aurora Selvagem

    Mensagem por Hagen em Seg Out 29, 2018 1:22 pm

    Jack olha a chegada da seita, basicamente um exército garou chegando se instalando, prontos para repelir o invasor. Palavras eram jogadas ao vento e Jack presta atenção na troca de farpas e diálogo entre Hanniball e Gwen.

    "O que será que esses loucos estão falando???

    Jack cruza os braços, olha novamente para sua alfa e depois passeia seu olhar, esperando o que aconteceria e ordens superiores.
    Mellorienna
    Investigador
    avatar
    Investigador

    Mensagens : 64
    Reputação : 8

    Re: Aurora Selvagem

    Mensagem por Mellorienna em Seg Out 29, 2018 4:35 pm

    Augusto Nader escreveu:-"Ouvimos o seu uivo de batalha. Bom. Onde está o inimigo?"

    A Galliard endireita as costas e baixa respeitosamente o olhar diante do Senhor das Sombras, dando um passo a frente para demonstrar que respondia à questão formulada:

    - Invadiu o solo sagrado do caern de sabedoria do Avô uma criatura da Wyrm, Ard Righ, de grande poder profano. Apresentava-se como um metamorfo, de características do Povo-Tigre, mas tratava-se de um Cadáver, animado pelo mal que jorra da Corruptora. Suas presas eram como adagas, e suas garras conspurcaram a terra onde pisou e derramaram o sangue do Adren dos Guerreiros da Mãe. Tal era a força da criatura da Wyrm que os ataques pouco surtiram efeito, em que pese o expressivo poder do Ahroun que atravessou a Ponte da Lua para defender o Avô nessa noite de presságios sombrios. Mas, à aproximação dos Escolhidos de Gaia, distintos membros dessa Seita que atenderam prontamente ao meu uivo de batalha, o Cadáver desfez-se em névoa. Bem diante de nossos olhos, conforme Anoitecer Selvagem e Sopro da Tempestade bem podem relatar. De igual maneira, os detalhes do combate seriam melhor narrados pelo Ahroun, Ard Righ, razão pela qual passo a palavra ao Adren dos Siberakh.

    A Fianna tinha uma voz doce e macia, que deixava transparecer a quantidade certa de emoção, para assombrar e exaltar, para pintar em cores vívidas as poucas palavras de sua narração.

    Esperava que, diante da notícia do ataque aos Parentes de Valerye, a Philodox tomasse a palavra e pedisse para que um destacamento fosse deslocado para a Casa Rosa. Talvez ela fosse forçada a ficar para trás e oferecer maiores detalhes para o Líder da Seita. Mas a ruiva se limitou a aguardar a resolução que tomariam seus superiores hierárquicos.

    Hannibal Smith
    Neófito
    avatar
    Neófito

    Mensagens : 46
    Reputação : 15

    Re: Aurora Selvagem

    Mensagem por Hannibal Smith em Seg Out 29, 2018 6:50 pm

    Quando as palavras de Gwen são direcionadas com aquele tom de chantagem, ingratidão e ousadia, instintivamente Hannibal passa a encarar a Galliard com um olhar furioso até Andrei roubar a cena com uma risada estrondosa tentando botar panos quentes na situação que estava prestes a sair de controle. Com um sorriso no rosto, voltou-se para o Adren retribuindo a educação.

    - Prazer te conhecer, Anoitecer Selvagem. Fico feliz que esteja bem. No seu lugar talvez teria reagido da mesma forma e era um inimigo formidável para nós se não tivesse fugido.


    Riu um pouco da história contada por Andrei demonstrando ser simpático e mostrando ainda mais conhecer o ímpeto da Galliard. O gesto Ahroun era um freio para a Fianna. Disse de modo simples abraçando Gwen:

    - Precisa melhorar esse seu jeitinho, irmã. Mas também fico feliz que esteja bem.

    E deu um abraço em Gwen. Ao fazer isso, disse no ouvido da Galliard de modo bem baixo e impactante para que só ela pudesse escutar.

    - As bravatas tolas que você desdenhou foram pra chamar a atenção dele no momento em que essa aberração ia te partir ao meio e esmagar seu amiguinho caído que era seu único escudo enquanto sua melhor ação foi ir para sua forma humana, uivar por ajuda e ficar parada feito uma múmia paralítica. A lança era pra acertar seja lá o que foi que espantou esse Vampiro, caso não tenha sido capaz de ver e perceber. Apareci no momento certo e no instante certo, até porque ele parecia bem determinado a acabar com a Garou que traz o sangue de Gehenna, então a mim, você deveria mostrar bem mais gratidão e respeito, porque se não fosse por mim nesse momento, ao invés de estar aqui me ameaçando e chantageando meu Renome por ser a mestre de cerimônia da matilha, estaria morta em cima de uma poça de sangue, sangue esse que está amaldiçoado, como foi revelado pelo próprio inimigo. Nunca mais me ameace ou me chantageie, Gwen O'Dyna. Se fizer isso, se arrependerá e eu tenho certeza que não me quer como inimigo e sabe muito bem porque. Me respeita, porque não sou suas nega e não sou tolo.

    Andrei poderia ter percebido o recado ou não e Hannibal tava cagando pra aquilo. O recado para Gwen era direto e claro.Gwen só precisava ter agradecido, mas era estúpida, ignorante e arrogante demais pra perceber o quanto estava errada. É então que o Caern em peso começa a chegar. As árvores balançavam e rapidamente uma parede de Crinos se formava em volta de si. Augusto é que, com grande imponência, abre a roda direcionando as palavras para Andrei. Falava sobre chegada, sobre a lança arremessada achando que era o Presas de Pratas e perguntava do inimigo. Nota Gwen rapidamente, com grande elegância e eloquência, contar os detalhes do que havia acontecido. A Galliard obedecia seu comando, mas havia errado em seu discurso e com sutileza teria que corrigi-la. Diz então levando a mão pedindo a atenção e logo dizendo:

    - Pelo que vi com meus próprios olhos, suponho que o inimigo não fugiu por causa dos reforços desse Caern, Augusto. Fugiu porque viu algo que provavelmente não era um de nós, por isso arremessei a lança de Andrei naquela direção logo após a fuga covarde do inimigo, parecendo que era algum outro inimigo o afugentando.

    Se aproximou mais do líder daquela Seita e completou.

    - O metamorfo que nos atacou só não fez um estrago maior porque fui capaz de implacar e despertar uma confusão mental maior do que a que existia em si, porém seu desejo era simples e o que impedia ele de executar tal atrocidade era muito maior. Se não se importa, gostaria de relatar os detalhes em particular depois.

    Deixa o silêncio pairar do ar e aguardava pela resposta de Augusto.


    Conteúdo patrocinado


    Re: Aurora Selvagem

    Mensagem por Conteúdo patrocinado


      Data/hora atual: Qui Nov 15, 2018 1:58 am