Um fórum de RPG online no formato de PBF (Play by Forum).


    Yasryne Teken'iryn e Quewaun (A Sombra de Orcus)

    Compartilhe
    Lyvio
    Wyrm
    avatar
    Wyrm

    Mensagens : 7668
    Reputação : 26
    Conquistas :
    • https://i.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/211.png
    • https://i.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1112.png
    • https://i.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/912.png
    • https://i.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/212.png
    • https://i.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1811.png
    • https://i.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1413.png
    • https://i.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/410.png
    • https://i.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1511.png

    Yasryne Teken'iryn e Quewaun (A Sombra de Orcus)

    Mensagem por Lyvio em Seg Dez 03, 2018 11:26 pm

    CALABOUÇOS DA FORTALEZA DE OUGULASH






    Já se passava mais um dia visto através do único espaço das grades da prisão que remetia ao mundo externo. Yasryne e Quewaun estavam aprisionadas a pelo menos uma semana nos porões da fortaleza do Demônio Ougulash, e dia a após dia uma pessoa era levada e nunca voltava. A grande maioria das pessoas presas eram mulheres, inclusive crianças, jovens meninas e adolescentes aprisionadas de várias raças humanoides passando fome, sede e sofrendo com aquele odor terrível misturado entre mofo, sujeira e corpos mortos em decomposição além de um calor insuportável.

    Vocês sequer tinham cama, dormiam no chão, comiam e faziam suas necessidades no mesmo local, era algo extremamente insalubre e de uma crueldade terrível.

    Era perceptível também que as celas já começavam a ficar vazias, eram retiradas pessoas constantemente, mais do que capturadas e aos poucos a vez de vocês iria chegar. Sair dali não teria volta, o medo as acometia cada vez mais a cada dia e isto estava consumindo-as muito mais do que a escassez de comida ou bebida e a insalubridade do local.

    Guardas patrulhavam o calabouço, humanos, orcs e demônios menores revezavam os horários de trabalho. Porém a movimentação esses dias estava estranha, alguns soldados vinham e voltavam apressados levando cada vez mais deles enquanto o calabouço se esvaziava, eles falavam entre si línguas variadas, e vocês entendiam algumas palavras como "ataque" e "guerra".

    Na sela a frente um hafling estava aprisionado, vocês já o conheciam pelo tempo de cela. Seu nome era Gimble Footstep, ele era o alívio, se é que podemos chamar assim nesta situação, pois fazia vocês rirem mesmo naquela circunstância com suas tiradas e piadas. O pequenino não se deixava abater e mesmo no sofrimento tentava animar a todos alí. Ele era muito querido pelos prisioneiros e seu maior sonho era voltar para sua família e cuidar de seus sete filhos com sua esposa, sua velha mãe e seu lobo de estimação chamado Lupito.

    Vez ou outra durante os dias ele olhava um pingente onde estava a foto de toda sua família no canto da cela e lágrimas vertiam de seus olhos.

    No calabouço, quando ele percebeu que os guardas estavam indo embora, levantou-se e passou a observar com atenção, até que finalmente nenhum guarda mais estava lá, rapidamente o pequenino sacou alguma coisa pequena de seu bolso e abriu a fechadura de sua cela, abrindo a de vocês em seguida, porém, quando tentou abrir a terceira cela o objeto quebrou e ele não pôde salvar mais ninguém, tendo que abandonar os demais lá aos ficando aos prantos.

    Vocês estavam perdidas e amedrontadas paradas na sela sem saber se sairiam ou não. Ele percebendo que não poderia mais salvar ninguém foi até vocês e as arrastou pra fora da cela. Ao longe, sons de batalha se ouvia, gritos terríveis, tilintar de choque de espadas e escudos se tornava mais e mais intenso. O Hafling guiava vocês apressadamente, mas quando já estavam próximos a saída um grupo de soldados irrompe o local, eles vestiam armaduras completas e não pareciam nem um pouco com os que vigiavam vocês.

    Suas espadas e armaduras estavam encharcadas de sangue. Vocês param assustados e começam a se afastar lentamente, não tinha para onde escapar. Eles ergueram as armas e aceleravam os passos em direção a vocês.

    Gimble avançou e levantou as mãos:

    -Pa..parem porf...porfavor, somos prisioneiros!

    Os soldados se entreolham e  o que está mais a frente, um humano de pele bronzeada, cabelos negros e uma cicatriz no queixo esbraveja contra vocês:

    -Não importa quem sejam, Drows não merecem viver! Saia da frente hafling, ou você morrerá junto com elas!

    O pequenino então ajoelha no chão:

    -Pelos deuses, elas são pessoas boas, não façam nada com ninguém aqui. Nós somos vítimas!

    O Homem parcece se irritar e avança, assim que se aproxima de Gimble  ele golpeia o pequenino com o cabo da espada, fazendo ele cair e quando tenta avançar o pequenino agarra o pé do homem balançando a cabeça implorando para que não fizesse nada. O homem sem piedade, arranca o braço direito do pequenino com sua espada fazendo Gimble berra de dor enquanto seu sangue jorrava no chão, como se não bastasse ele golpeia o tórax do hafling, ferindo-o gravemente. No desespero ele pega o pingente com sua mão esquerda, enquanto lágrimas e sangue jorram de seu corpo. o pequeno beija-o e pede desculpas para sua família, então joga o pingente nos pés de vocês.

    -Di..diga a eles....que...que eu....os...amo...

    E num último suspiro o pequenino fecha os olhos no sono final.

    Alguns outros soldados parecem assutados sem concordar com aquilo e outros dois avançam e começam a espancar vocês enquanto riem, após alguns minutos um grito poderosos surge lá trás.

    -O QUE ESTÁ ACONTECENDO AQUI!?


    Todos os soldados parecem se assustar e afastam-se encostando-se nas grades, como se abrissem passagem, os três que espancavam vocês, giram suas cabeças lentamente e com os olhos arregalados.

    -Ge...ge...general Ak...Akmus!?

    Gaguejava o de cicatriz. Vocês percebem que as pernas dos soldados começam a tremer, os que abriram passagem também fecham sua expressão numa mistura de medo e respeito.

    No fundo da passagem recém aberta vocês veem alguém avançando a pisadas fortes que ecoavam no calabouço com o silêncio sepulcral, ele vestia uma armadura completa seu elmo tinha chifres e um brilho avermelhado se via no espaço que seria de seus olhos, em seu pescoço um símbolo estranho de algum deus.

    Ele portava uma capa vermelho sangue, uma espada longa na mão direita, um grande escudo com o desenho de uma cruz pousava no braço esquerdo e em sua mão esquerda, a cabeça de um demônio ainda sangrando sendo segurada pelos cabelos. Ele se aproxima dos soldados, observa o hafling morto e vocês cheias de hematomas.

    Akmus Abissys:


    Akmus para por um segundo, e olha nos olhos de cada um dos três soldados, que pareciam mais aterrorizados ainda. Então ergue sua cabeça rapidamente e vocês sentem um golpe de vento emanar dele ao mesmo tempo que uma sensação de pavor que as paralisa de medo, como se a essência do medo emanasse dele.

    Com os três soldados que espancavam vocês não foi diferente, porém eles pareciam muito mais aterrorizados e desesperados do que vocês, o olhar dos demais soldados atrás também era de medo, mas claramente a expressão era mais leve. O homem falava de um modo sereno, porém era perceptível a ameaça em seu tom.

    -Poderiam me explicar o que está acontecendo aqui!?

    -E..e..e..el...el..el...elas s..s..sã...sã...são...D...d...Dr...drows...

    O homem gaguejava aterrorizado.

    -Então vocês mataram um hafling indefeso e desarmado e torturavam essas drows que também estão indefesas e desarmadas!?

    -S...s..são...d...d..Drows, me...mere...merecme...m...mor...

    Antes que o homem terminasse a frase um movimento extremamente veloz de Akmus decepa a cabeça do homem fazendo seu corpo cair inerte e seu sangue jorrar sujando vocês. A cabeça do homme voa alguns metros gira e para como se olhasse para vocês com seu olhar de terror. Os outros dois tentam fugir mais o terror paralisa suas pernas.

    Akmus vira-se para os eles em seu tom sereno:

    -Terrível não é? Saber que a morte está a frente de vocês e sequer podem tentar fugir ou se defender paralisados pelo horror...Já cansei de dizer que certos tipos de crime devem ser punidos com a morte não foi!?

    Os homens começa a  berrar em desespero.

    -Não adianta, não há piedade para os fracos, aqueles que sucumbem para seus instintos são fracos e tendem a desaparecer...

    Akmus então estoca furiosamente sua espada no homem da direita atravessando o corpo dele, erguendo-o com tamanha força, fazendo-o cair a alguns metros de distância formando uma poça de sangue enquanto seu corpo se debate em seus momentos finais.

    Ele vira-se para o terceiro, encosta sua espada na garganta do homem fazendo um corte superficial.

    -Quanto a você, será poupado...Espero que aprenda com isso...

    A urina do homem escorre por suas pernas e formam uma poça no chão. Então com mais um movimento de cabeça de Akmus vocês percebem que a sensação de horror intenso passou. Akmus Ergue a cabeça do demônio e mostra a vocês. Então em alto tom para que todo o calabouço ouça ele se pronuncia:

    -ESSE DEMÔNIO ERA MEU PAI! ELE SEQUESTRAVA MULHERES E CRIANÇAS PARA PRATICAR TODOS OS IMPROPÉRIOS POSSÍVEIS E DEPOIS SACRIFICA-LAS NUM RITUAL TERRÍVEL E MACABRO. TODOS VOCÊS ESTÃO LIVRES E SOB A PROTEÇÃO DE VALLYS! SERÃO ESCOLTADOS ATÉ NOSSA CAPITAL E LÁ PODERÃO VIVER EM PAZ! ESTEJAM AVISADOS, A LEI CAIRÁ SOBRE TODOS ASSIM COMO CAIU SOBRE MEU CRUEL PAI!

    Gritos na Prisão eram ouvidos em comemoração, os soldados também gritavam o nome de Akmus em coro enquanto ele vira as costas para vocês e volta de onde entrou sendo ovacionado por todos.

    GENERAL! AKMUS! VIVA O VICE-REI NOSSO SALVADOR! LORDE DA CIDADE!

    E Foi assim que Yasryne Teken'iryn e Quewaun chegaram até Valkeiskylä

    -----------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
    Dias depois...

    Era mais um dia em Valkeiskylä, vocês  ganharam uma barraca para morarem próximo ao prédio que se encontra a sala do lorde da cidade, e criaram certa proximidade com ele. A barraca tinha o necessário: saco para dormir, caixas velhas para guardar comida e bebida e vizinhos que também usavam barracas.

    Vocês acordam, e começam seus afazeres, não demora muito e vocês veem uma senhorinha se aproximando.

    -Senhoritas, o Lorde Akmus  deseja vê-las. Quer saber como vocês estão!
    gaijin386
    Garou de Posto Cinco
    avatar
    Garou de Posto Cinco

    Mensagens : 2152
    Reputação : 1

    Re: Yasryne Teken'iryn e Quewaun (A Sombra de Orcus)

    Mensagem por gaijin386 em Ter Dez 04, 2018 12:34 am

    De fronte a tamanha brutalidade Yasryne não teve tempo para argumentar em defesa de si e nem dos outros. O pobre e gentil Gimble infelizmente pagou o preço com sua vida e não poderá rever seus entes queridos, porém a menestrel recolheu o pingente do halfling e prometera a si mesma cuidar e providenciar que o mesmo fosse retornado as mãos de sua família. Então ela olhou para seu salvador e para Quewaun contendo lágrimas ela beijou a fronte do halfing e disse:

    Saudades sentirei, de todos as conversas e risadas jogadas ao vento. De tudo o que vivemos e passamos....
    Neste tempo que tivemos. Dividimos, não só uma cela, mas sim sorrisos, lágrimas e sonhos... Mas é aqui que nos separamos. Adeus nobre Gimble.


    e assim foi sua partida para Valkeiskylä melancólica, mas ao mesmo tempo libertadora e Yasryne já começara a cultivar uma rotina e juntar peças de ouro, pois não desejaria ficar morando de favor em uma tenda no inicio usara apenas a voz para declamar poesia ou cantar, mas em algum tempo já havia conseguido o bastante para um alaúde e bem a senhorinha disse a mensagem.

    Muito bem. Iremos vê-lo imediatamente. Diz em resposta e olhou para Quewaun Eu creio que não seja polido deixar o lorde esperando..


    Ficha :
    Yasryne Teken'iryn
    Bard 1
    Background: Órfã
    Altura 1,75 Peso 50kg
    Alinhamento: Neutro e Caótico

    Traço de Personalidade: Eu escondo pedaços de comida e bugigangas em meus bolsos.
    Ideal: Povo. Eu ajudo as pessoas que me ajudam – é isso que nos mantem vivos. (Neutro)
    Vínculo: Eu tenho uma dívida que nunca poderei pagar com uma pessoa que teve pena de mim.
    Defeito: Eu prefiro matar alguém enquanto dorme do que em uma luta justa.

    CARACTERÍSTICA BACKGROUND: SEGREDOS DA CIDADE

    Você conhece os padrões secretos e o fluxo das cidades e pode encontrar passagens através da expansão urbana que os outros deixariam passar. Quando você não estiver em combate, você (e os companheiros que você guiar) podem viajar entre dois locais quaisquer na cidade com o dobro da velocidade normalmente permitida.

    Atributos

    St 8
    Dex 16
    Con 14
    Int 13
    Wis 10
    Cha 16

    Armor Class: 14
    Pontos de Vida: 10
    Proficiência +2

    Saves: Destreza (+5), Carisma (+5), Força (-1), Constituição (+2), Sabedoria (+0), Inteligência (+1)

    Ataque Com Rapiera ou Adaga: +5 dano: 1d8+3 ou 1d4+3

    Skills: Acrobacia (Dex)(+5), Persuation (Cha)(+5), Investigation (Int)(+3)
    Skills do Background Urchin: Sleight of hand (Dex)(+5), Stealth (Dex)(+5)
    Tools: Disguise kit, Thieves' tools, Alaúde, Flauta, Violino (Permite uso do bônus de proficiência)

    Magia -

    CD para suas magias = 8 + bônus de proficiência (+2)
    seu modificador de Carisma (+3) Total (13)
    Modificador de ataque de magia = seu bônus de proficiência + seu modificador de Carisma Total (5)

    Truques Conhecidos 2 (Vicious Mockery, Friends)
    Magias Conhecidas 4 (Dissonant Whispers, Faerie Fire, Tasha’s Hideous Laughter, Bane)
    Slots de Primeiro Nivel 2

    Idiomas: Comum e Élfico.

    EQUIPAMENTO

    Uma rapieira
    Um pacote de artista: Inclui uma mochila, um saco de dormir, duas fantasias, 5 velas, 5 dias de rações, um cantil e um kit de disfarce.
    Alaúde
    Armadura de couro e uma adaga
    Background: Orfã -> Uma faca pequena, um mapa da cidade em que você cresceu, um rato de estimação, um pequeno objeto para lembrar dos seus pais, um conjunto de roupas comuns e uma algibeira contendo 10 po


    Bard Traits do primeiro nível -> Conjuração, Inspiração de Bardo (d6)

    Raça Elf

    Aumento no Valor de Habilidade. Seu valor de Destreza aumenta em 2.
    Idade. Embora os elfos atinjam a maturidade física com praticamente a mesma idade dos humanos, a compreensão élfica da idade adulta vai além da maturidade física, abrangendo sua experiência sobre o mundo. Um elfo tipicamente assume a idade adulta e um nome adulto com cerca de 100 anos de idade e pode viver 750 anos.
    Tendência. Elfos amam a liberdade, a diversidade e a expressão pessoal, então eles inclinam-se forte e suavemente para aspectos do caos. Eles valorizam e protegem a liberdade dos outros como a sua própria, e são geralmente mais bondosos que o contrário. Os drow são exceção. Seu exílio no Subterrâneo fez deles perversos e perigosos. Drow são geralmente mais maus que o contrário.
    Tamanho. Elfos medem entre 1,50 a 1,80 metro de altura e possuem constituição delgada. Seu tamanho é Médio.
    Deslocamento. Seu deslocamento base de caminhada é 9 metros.

    Subtipo (Drow)

    Aumento no Valor de Habilidade. Seu valor de Carisma aumenta em 1.
    Visão no Escuro Superior. Sua visão no escuro tem alcance de 36 metros de raio.
    Sensibilidade à Luz Solar. Você possui desvantagem nas jogadas de ataque e testes de Sabedoria (Percepção) relacionados a visão quando você, o alvo do seu ataque, ou qualquer coisa que você está tentando perceber, esteja sob luz solar direta.
    Magia Drow. Você possui o truque globos de luz. Quando você alcança o 3° nível. Quando você alcança o 5° nível, você pode conjurar escuridão. Você precisa terminar um descanso longo para poder conjurar as magias desse traço novamente. Carisma é sua habilidade chave para conjurar essas magias.
    Treinamento Drow com Armas. Você possui proficiência com rapieiras, espadas curtas e bestas de mão.


    Background

    Elfa (Drow) Bard
    Heritage/Nacionalidade

    Nacionalidade: Vallys

    Terra Natal, Familia, e Infância

    Terra Natal: Desconhece, mas é provavel que seja as Terras Elficas
    Pais: Situação desconhecida.
    Irmãos: A principio orfã (que ela saiba)

    Circunstâncias de nascimento: [Orfã] Desconhece fatos relativos ao nascimento só que foi encontrada no orfanato East Heaven onde foi educada por pessoas de boa indole até atingir a maioridade quando juntou-se a um grupo de bardos intinerantes.

    Profissão do tutor: [Bard] Seu mentor e tutor é um bardo relativamente bem quisto e conhecido no reino o que lhe vale um certo reconhecimento e boa reputação entre outros apreciadores da arte.

    Grande evento na infância: [Sequestro] Foi raptada por um culto de demonistas e somente escapou devido a intervenção de um ladino que também havia sido capturado, mas que conseguira escapar e este lhe ensinou algumas coisas de pericias criminosas e submundo. Este por fim foi embora, mas este apenas lhe deu uma moeda e disse que retornaria para cobrar o favor.

    Adolescencia e Treinamento

    Treinamento de Bardo: [Presente] Seu tutor lhe deu seu alaude e uma coletânea de canções e histórias de quando o mesmo era iniciante e isso a inspirou a começar a seu próprio caminho para compor novas canções e histórias.

    Conflitos Morais e Religião

    Conflito: [Assassinato] Você matou uma pessoa após uma apresentação em uma taverna.
    Vitima do Conflito: Filho de um nobre.
    Motivação do Conflito: Tentativa de abuso.
    Resolução do Conflito: [Ela acho que foi merecido] Mesmo que tenha chegado ao extremo somente o ato de tamanha indignidade já bastou para justificar o ato. Apenas amigos próximos e confiaveis sabem e estes prometeram manter segredo.

    Relacionamentos Românticos: [Alguns, mas sem significado] Alguns flertes aqui e ali, porém que nunca foram adiante.
    Edu
    Semi-Deus
    avatar
    Semi-Deus

    Mensagens : 7209
    Reputação : 81

    Re: Yasryne Teken'iryn e Quewaun (A Sombra de Orcus)

    Mensagem por Edu em Ter Dez 04, 2018 2:06 am

    Quewaun apenas fingiu as suas reações de medo e horror frente a tudo que acontecia. Não queria que ninguém suspeitasse de sua fé. Não se comoveu nem um pouco com a cena do halfling. O pequeno não tinha aprendido nada com o sofrimento ali, se não tivesse feito aquela tentativa ridícula de proteger elas provavelmente ainda estaria vivo.

    - Adeus Nobre Gimble - disse dissimuladamente fazendo um esforço monstruoso para que uma lagrima rolasse pela maçã do rosto.

    Ao contrario da sua sensível irmã que voltou toda miúda com o ocorrido, Quewaun voltou como sempre esteve. Diferente de Yasryne ela não procurou juntar moedas e nada. Nos crepúsculos ela realizava sua preces a dama Loviatar e procurava se misturar entre as pessoas do condado tentando saber mais sobre o lugar para que pudesse explorar as suas fraquezas caso precisasse em negócios futuros.

    - Não acredito que ele seja homem polido, mas o que fazer? Temos com ele um divida de honra - respondeu ela que estava sentada no seu colchão dentro da barraca.

    Ela se levantou e amarrou o seu longo cabelo prateado num rabo de cavalo.
    gaijin386
    Garou de Posto Cinco
    avatar
    Garou de Posto Cinco

    Mensagens : 2152
    Reputação : 1

    Re: Yasryne Teken'iryn e Quewaun (A Sombra de Orcus)

    Mensagem por gaijin386 em Ter Dez 04, 2018 11:42 am

    Yasryne balança a cabeça e responde

    Fato verdadeiro Quewaun, mas se o lorde lembrou de nossa existência é porque deve haver alguma coisa que possamos fazer então vamos ver o que Lorde Akmus deseja. Arrumou-se e colocou as melhores roupas que tem.
    Lyvio
    Wyrm
    avatar
    Wyrm

    Mensagens : 7668
    Reputação : 26
    Conquistas :
    • https://i.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/211.png
    • https://i.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1112.png
    • https://i.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/912.png
    • https://i.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/212.png
    • https://i.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1811.png
    • https://i.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1413.png
    • https://i.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/410.png
    • https://i.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1511.png

    Re: Yasryne Teken'iryn e Quewaun (A Sombra de Orcus)

    Mensagem por Lyvio em Qui Dez 06, 2018 8:38 pm

    Elas seguem lentamente no ritmo da velha senhora, que depois de alguns minutos caminhando se pronuncia subitamente, dirigindo-se a vocês:

    Ah sim, mil perdões, me chamo Albiona, sirvo o Lorde Akmus, qual o nome de vocês mesmo? Indagava ela com a  mão no queixo olhando para cima tentando se lembrar.

    Albiona era um velha senhora humana de idade avançada, cabelos brancos trançados, com a pele bastante enrugada e levemente corcunda.

    Albiona:



    Ela segue liderando-as até as escadarias do prédio em ruínas que ficou sendo temporariamente utilizada como a Sala do Lorde da Cidade. Vocês adentram o local e chegam até a porta que levava para o cômodo onde ficava a mesa de Akmus. Albiona bate na porta e logo, ela abre e vocês se deparam com Akmus sentado escrevendo algo em um pergaminho.

    Ele levanta-se e com um gesto pede que vocês se sentem nas cadeiras a frente da mesa. Curiosamente, Akmus estava sem armadura e vocês ainda não o tinham visto assim.

    Ere era um Tiefling de pele acinzentada, cabelos brancos, desgrenhados na altura dos ombros, olhos caídos e prateados, possuía dois chifres negros bem curvados em sua cabeça, possuía traços bastante afilados e sutis.

    Akmus sem Armadura:



    -Senhoritas, fico feliz em vê-las em boas condições, mas tenho notícias nada agradáveis para lhes dar...

    Ele procura alguns papéis na mesa e pega um deles.

    -Fiz uma investigação sobre a caravana de bardos itinerantes que vocês faziam parte quando foram atacadas e capturadas. Ela foi completamente dizimada e saqueada. Sequer os cavalos foram poupados...

    Akmus para um pouco analisando a reação de ambas as irmãs e então prossegue.

    -Talvez ainda não seja o momento apropriado, mas há algo urgente que eu precisarei da contribuição de vocês. Trata-se de uma expedição explorativa da fortaleza anã abandonada, situada na Montanha Adormecida. Além de vocês pelo menos mais duas pessoas também participarão. A reunião está marcada para a noite. O que me dizem?

    O tiefling observava as moças com expectativa.
    gaijin386
    Garou de Posto Cinco
    avatar
    Garou de Posto Cinco

    Mensagens : 2152
    Reputação : 1

    Re: Yasryne Teken'iryn e Quewaun (A Sombra de Orcus)

    Mensagem por gaijin386 em Qui Dez 06, 2018 11:28 pm

    Ao ouvir a velha senhora se apresentar Yasryne responde. Me chamo Yasryne e claro que se Lorde solicita nossa presença então devemos ir e não deixa-lo esperando.

    A elfa negra não entendia entretanto não entendi em que uma menestrel itinerante pudesse auxiliar a alguém que possui o comando de muitos, mas sabia de uma coisa não estava a venda para certos interesses. Via então o homem sem aquele monte de armaduras e concluía que o mesmo ao menos era simpático, mas ela balançou a cabeça afastando tais pensamentos não estava ali para flertar e sim para ouvir o que ele tinha a dizer.

    Dizimada e saqueada. Sequer os cavalos foram poupados... Foram palavras que ficaram em sua mente o que significava que seus amigos e seu velho mentor foram mortos por algo ou alguém.


    Mas quem fez tamanha crueldade? eles não representavam perigo para ninguém ... Eram artistas que entretinham apenas.
    Diz Yasryne chocada com o destino de seus amigos.

    Yasryne então sai de seu transe momentâneo e responde a pergunta do Lorde.

    Quanto a sua ultima pergunta ... Se meus amigos estão mortos não tenho muito mais o que fazer a não ser seguir em frente talvez descobrir os animais que fizeram isso e planejar uma vingança futura
    Edu
    Semi-Deus
    avatar
    Semi-Deus

    Mensagens : 7209
    Reputação : 81

    Re: Yasryne Teken'iryn e Quewaun (A Sombra de Orcus)

    Mensagem por Edu em Qui Dez 06, 2018 11:56 pm

    Quewaun mal tinha prestado na velha tanto antes quanto depois de entrar no prédio em ruínas. Serviçais não interessavam a ela ao menos que fosse uteis de alguma forma, o que no momento não parecia.

    - Quewaun - disse rapidamente sem se importar se a mulher tinha ouvido ou não.

    Quando entraram no lugar que o tal de Akmus estava ela levantou um sobrancelha. "Surpreendente" - pensou ela. Geralmente a aparência de meio demônios, tieflings tendem a ser desagradável. A drow puxa uma cadeira e se senta. Ela mesmo em termos de aparência não tinha nada demais. Tinha feições finas como todos os elfos, pele cinzenta tendendo para cor obsidiana e cabelos lisos brancos. Sempre andava com um colã preto com rasgos na lateral que mostrava os detalhes de uma meia calça por de baixo da roupas. Seus sapatos eram pontudos com a ponta virada pra cima como os de um duende só que os dela eram pretos. Usava uma malha metálica por cima dessa roupa toda.

    Não teve qualquer reação quando o homem falou da caravana.

    - Que caravana? - Perguntou ela primeiramente - Ah você deve estar assim como minha irmã eu vim a ser capturada junto a essa caravana,não, não fui capturada depois, mas sem duvida nenhuma é uma grande tristeza - afirma ela botando a mão em cima da mesma sua irmã - Só consigo imaginar o sofrimento de Yasryne. Deve ser muito duro perder os amigos assim.

    Ela puxa a mão de volta e volta a olhar para Akmus.

    - Imagino que uma fortaleza anã deva guardar muitos segredos e tesouros, além de perigos, mas por acha que somos capazes de explora-la e voltar com vida? A circunstancia que nos vimos pela primeira vez não foi muto favorável a mim e a minha irmã.
    Lyvio
    Wyrm
    avatar
    Wyrm

    Mensagens : 7668
    Reputação : 26
    Conquistas :
    • https://i.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/211.png
    • https://i.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1112.png
    • https://i.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/912.png
    • https://i.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/212.png
    • https://i.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1811.png
    • https://i.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1413.png
    • https://i.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/410.png
    • https://i.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1511.png

    Re: Yasryne Teken'iryn e Quewaun (A Sombra de Orcus)

    Mensagem por Lyvio em Sex Dez 07, 2018 10:21 pm

    Akmus inicia sua conversa com as irmãs drows, relata a informação quanto a caravana que julgava que ambas estivessem lá quando foram capturadas, mas é surpreendido quando ambas afirmas que não. O tiefling franzi a testa e logo põe a mão no rosto que desceu de sua testa até seu queixo, voltando a sua posição em seguida. Ele tinham uma expressão de irritação.

    -Por acaso um orc grande e robusto foi interrogar vocês afirmando ser meu pedido?

    Antes que elas respondessem ele percebe a expressão confusa de ambas.

    -Claro que não... Ele suspira. Sabia que não devia tentar pedir a Ugluk algo tão "complexo" para a falta de miolos dele...Aquele lá só serve para cortar pessoas ao meio...

    O Lorde balança a cabeça em sinal negativo

    -Com esse desencontro de informações é melhor eu ter certeza. Antes de tudo, há um detalhe que quero lhe dizer sobre a caravana...eles não só não pouparam os seus amigos como também arrancaram mãos e cabeças de seus corpos...Nós descobrimos os motivos das mãos...

    Akmus vai até uma prateleira atrás de seu birô e trás uma cubo de trinta centímetros quadrados coberto com um pano negro e vocês percebem que há algo dentro, que parecia se debater de alguma forma. Pois Akmus parecia exercer uma força a mais do que o comum para segurar o cubo. Ele pousa o cubo em sua mesa onde tinha um encaixe que conseguia encaixar o objeto e lá prende-o, puxando em seguida o pano negro.

    Para o desagrado de vocês, dentro do cubo que era transparente uma mão putrefata se mexia e se debatia, ela tinha anéis em suas mãos e um deles impactou Yasryne, pois era um anel idêntico ao anel utilizado por seu mentor que tinha o símbolo da família dele.

    Mão Putrefata:



    Akmus observa a reação das moças e logo as indaga:

    -Reconhecem alguns desses anéis?

    Enquanto a moça tentava identificar algo o tiefling completa:

    -Essas criaturas são chamadas de Garras Rastejantes, um tipo de morto vivo muito frágil, porém, em bandos podem ser perigosas. Como falei, todos os membros estavam sem mãos ou cabeças, provavelmente, as mãos foram levadas para serem reanimadas nestas coisas desprezíveis.

    Encerrava o lorde aguardando as informações.
    gaijin386
    Garou de Posto Cinco
    avatar
    Garou de Posto Cinco

    Mensagens : 2152
    Reputação : 1

    Re: Yasryne Teken'iryn e Quewaun (A Sombra de Orcus)

    Mensagem por gaijin386 em Sex Dez 07, 2018 10:55 pm

    O desencontro com a caravana é fácil de explicar meu alaúde necessitou de reparos e novas cordas antes da viagem e tive que aguardar na cidade até que o mestre artesão terminasse o trabalho e logo que o mesmo tivesse sido finalizado iríamos encontra-los no meio do caminho para prosseguir viagem, mas não contávamos com o ataque. Yasryne mexeu com o cabelo longo em tranças ... ela é um belo espécime de drow com a pele cor de obsidiana e olhos violeta e que se vestia adequadamente com trajes de menestrel verde escuro e botas negras de couro e agora nas mãos residem um alaúde.

    Detalhes escabrosos iam sendo revelados e Yasryne parecia perder um pouco da cor ao ouvi-los ... ao chegar na revelação das mãos ela fez uma expressão de desagrado e dor Xsa!¹ Vermund ... essa mão era de Vermund ... Ele era meu mentor, amigo e professor. Diz a barda com um gesto de repudio com a mão como se pedisse para cobrir novamente aquele dantesco objeto.

    Yasryne respirou fundo e disse Agora não sei a diferença sob ser capturada depois ou antes, mas agradeço a boa sorte de ter que esperar pelo reparo do instrumento caso contrário minhas mãos estaria nessa macabra coletânea ... E bem que nos capturou não era o mesmo pessoal que fez essa profanidade com meus amigos isso é certo, mas seja como for no que eu posso ajuda-lo?

    OOC: Traduzindo do drow -> Xsa = Droga
    Edu
    Semi-Deus
    avatar
    Semi-Deus

    Mensagens : 7209
    Reputação : 81

    Re: Yasryne Teken'iryn e Quewaun (A Sombra de Orcus)

    Mensagem por Edu em Dom Dez 09, 2018 12:59 am

    Quewaun dá um sorriso sobre um orc interroga ela e sua irmã e responde:

    - Desde que cheguei nesse cidade não vi um orc sequer, mas não tenho nada a esconder. Recebi uma carta da minha irmã e vim encontra-la aqui quando estava a caminho da cidade fui cercada e capturada. Me jogaram com outra drow na cela, porquê acharam que nós acabaríamos nos matando com o tempo. Acharam que era um jeito legal de nos "torturar", só que no fim era a minha irmã que estava na cela. E foi assim que fui parar na mesma cela que ela.

    Continuo sentada com as mãos no colo e não mudou a sua atitude quando o tiefling mostrou a criatura morta-viva.

    - Fascinante, nunca tinha visto nenhuma criatura morta-viva como essa. Confesso que falho em entender o seu proposito, mas não deixa de ser intrigante - ela se posiciona apoiando o cotovelo esquerdo no braço da cadeira e apoia o queixo na mão, fazendo uma expressão reflexiva - Vocês encontraram essa criatura morta viva no mesmo lugar aonde estávamos presas? Porquê fico me perguntando a razão desse membros da caravana terem sido mortos e não capturados? Existiam provavelmente naquela caravana mulheres que se encaixariam no estupro profano que o demônio realizava, mas então se o caso era de capturar mulheres, porquê tinha um halfling capturado? Os corpos multilados eram só de homens ou tinha mulheres também? Estavam na floresta ou na masmorra do demônio?
    Lyvio
    Wyrm
    avatar
    Wyrm

    Mensagens : 7668
    Reputação : 26
    Conquistas :
    • https://i.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/211.png
    • https://i.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1112.png
    • https://i.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/912.png
    • https://i.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/212.png
    • https://i.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1811.png
    • https://i.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1413.png
    • https://i.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/410.png
    • https://i.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1511.png

    Re: Yasryne Teken'iryn e Quewaun (A Sombra de Orcus)

    Mensagem por Lyvio em Dom Dez 09, 2018 8:07 pm

    Akmus ouve a explicação das irmãs e não deixa de analisa-las e ao mesmo tempo observar os detalhes das irmãs. Era duas belas drows, ambas com características visuais e comportamentais diferentes, o que torna ambas interessantes, porém Yasryne tinham detalhes mais icônicos que chamaram mais a atenção do lorde, no entanto, aquele não era o momento pra flerte.

    Ele volta-se para a esfera profissional e esclarece as dúvidas das moças:

    -Yasryne e Quewaun, na verdade a diferença de tempo da morte da caravana e captura de vocês é o que menos importa. Os métodos utilizados é que interessavam e realmente são completamente diferentes. Caso as tropas de Ougulash atacassem a caravana, não os mataria de imediato. Levariam os homens para serem escravizados e as mulheres para servirem de sacrifício ao bel prazer dele, logo, podemos dizer que foram grupos diferentes.

    Essa criatura eu encontrei escondida embaixo de um dos corpos dos membros da carvana, mas apenas ela. Os outros também tiveram suas mãos decepadas, porém, devem ter sido levadas para outro lugar. Tanto homens como mulheres foram mortos, decaptados e tiveram suas mãos arrancadas e assim como suas cabeças que também sumiram ou foram levadas, provavelmente.


    O lorde olha para Yasryne com determinação e um leve sorriso:

    -Você disse que queria se vingar, portanto, creio que conseguirá. Como já falei, tenho informações que um grupo de mortos-vivos, goblins e demônios menores estão se concentrando a algumas semanas na antiga fortaleza abandonada dos anões, eles estão trabalhando harmoniosamente, o que indica, tendo em vista serem bem heterogêneos, que estão obedecendo ordens de alguém, aliás, não é qualquer alguém. Comandar esses três grupos para que trabalhem pacificamente é uma tarefa difícil, só alguém poderosos poderia fazer isso...

    No início de nossa conversa você Quewaun, indagou o porque eu escolheria vocês para essa missão. Pois bem, todos os lordes estão muito ocupados, coordenando missões de grupos que tinham capacidade de combate e estes grupos estão escasso por aqui, logo, qualquer um que tenha capacidades acima da média estão sendo convocados para auxiliar a reconstrução da capital e todos serão muito bem recompensados. E como também explanei, vocês não irão sozinhas, formarei um grupo de cinco pessoas para esta missão.

    Tudo será esclarecido a noite, quando eu convocar o grupo para nos reunirmos aqui e traçarmos estratégias. O que me dizem?


    Os olhos de Akmus estavam ansiosos e esperançosos para que as meninas aceitassem.
    gaijin386
    Garou de Posto Cinco
    avatar
    Garou de Posto Cinco

    Mensagens : 2152
    Reputação : 1

    Re: Yasryne Teken'iryn e Quewaun (A Sombra de Orcus)

    Mensagem por gaijin386 em Dom Dez 09, 2018 8:45 pm

    Yasryne toca alguns acordes no alaúde nada especifico apenas uma melodia incompleta assim como era o sentimento que tinha neste momento ela fitou Lorde Akmus com seus olhos violeta pensou a respeito por um curto período de tempo e respondeu Suas palavras fazem sentido e as entendo. A desforra de fato é meu desejo, porém não sou insana a ponto de fazer isso sozinha se tens meios e pessoas para a realização desse intento seria loucura não aceitar a proposta e ainda talvez lucrar com isso. Ela ainda era uma drow e claro que apesar de possuir motivos pessoais havia o bem estar financeiro a pensar.

    Ela girou nos calcanhares admirando o ambiente em que se encontrava e cessando os acordes ela acrescentou Eu aceito, porém não posso responder por Quewaun ...

    Canção que Yasryne tocava ...

    Edu
    Semi-Deus
    avatar
    Semi-Deus

    Mensagens : 7209
    Reputação : 81

    Re: Yasryne Teken'iryn e Quewaun (A Sombra de Orcus)

    Mensagem por Edu Ontem à(s) 6:56 pm

    - Interessante, eu imaginava um cenário assim quando você inicialmente, mas não conhecia todos os fatores, mas agora que você respondeu confirmou o que eu tinha pensado. Eu fico desconfiada se você terá sucesso nessa empreitada irmã, tanta criaturas com perfil diferente trabalhando sobre a mesma bandeira me faz pensar sobre o que tá por trás puxando as cordas - ela para de falar por um momento e fica com os dedos indicador e médio sobre os lábios a pensar em algo.

    Ela levanta as duas mãos no ar como se estivesse fazendo um sinal de rendição e fala:

    - Tudo bem, eu ajudo, não aguento ver a minha irmã assim toda pra baixo por causa dos amigos mortos, afinal, como diz o ditado "para que servem os bardos tristes?" - terminou a frase sorrindo para Yasryne.

    Na verdade estava pouco se fodendo para a tristeza da irmã, alguém que mantém um grupo tão distinto trabalhando harmoniosamente deveria ter uns métodos de controle bem eficientes e ela queria botar mãos neles.
    Conteúdo patrocinado


    Re: Yasryne Teken'iryn e Quewaun (A Sombra de Orcus)

    Mensagem por Conteúdo patrocinado


      Data/hora atual: Ter Dez 11, 2018 9:44 am