Um fórum de RPG online no formato de PBF (Play by Forum).


    Na Enfermaria

    Compartilhe
    Nazamura
    Tecnocrata
    Nazamura
    Tecnocrata

    Mensagens : 362
    Reputação : 12

    Na Enfermaria

    Mensagem por Nazamura em Seg Dez 17, 2018 8:56 am

    Lana e Hirosaki então chegam a recepção da enfermaria enquanto uma das atendentes logo diz

    - Sejam bem vindos, em que posso ajudar? meu nome é Kaoro

    Não demora muito para que Hirosaki resolvesse improvisar uma batucada para alegrar a menina o que imediatamente chamou a atenção da enfermeira que diz

    - Por favor, pare, mantenha a compostura

    Hirosaki e Lana notavam que haviam café com biscoitos servidos ao canto da recepção, estava escrito "funcionários" em uma etiqueta ao longo da cafeteira.

    - Por favor sirvam-se, se quiserem, eu já irei atendê-los - disse a enfermeira se dirigindo a um closet ao longo do corredor.

    Um fato curioso era que os leitos estavam quase todos ocupados e logo de manha cedo.
    Mellorienna
    Tecnocrata
    Mellorienna
    Tecnocrata

    Mensagens : 331
    Reputação : 26
    Conquistas :
    • https://i.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/912.png
    • https://i.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1811.png
    • https://i.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/410.png
    • https://i.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/2111.png

    Re: Na Enfermaria

    Mensagem por Mellorienna em Seg Dez 17, 2018 11:35 am





    Enfermaria

    Lana + Hirosaki - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - ♥️


    Lana riu quando o rapaz começou a batucar uma música na lixeira vazia. Tinha até se animado a tentar também, mas a Srta. Kaoro foi implacável. A loirinha corou até a raiz dos cabelos quando foram repreendidos, devolvendo as baquetas para Hirosaki sem nem ao menos ter chegado a tocar na lixeira.

    - Quem sabe outro dia... - ela murmurou enquanto entregava as baquetas, e depois esfregou as mãos uma na outra, em uma atitude nervosa. Pegando o celular, digitou rapidamente no navegador e então entregou o aparelho ao garoto, com um sorriso tímido - República Tcheca. - e então se levantou, bem devagar, enquanto Hirosaki via a imagem.

    República Tcheca:

    Pegando um biscoito e caminhando bem devagar até as macas da enfermaria, Lana contemplou os outros estudantes, tentando entender que mal os afligia. Queria ajudar. Tudo que era e todos os seus instintos diziam que era o que devia fazer.

    [b]- Kaoro-sama, será que eu posso ajudar em alguma coisa? Eu... tenho um pouco de experiência.


    Lana relanceou os olhos para Hirosaki, se perguntando se o garoto teria desconfiado de seus poderes. Queria continuar sua conversa com ele, mas a enfermaria lotada não era o melhor lugar para formar laços de confiança. Suspirou. Talvez nunca mais voltassem a se falar depois de saírem dali. E, por um motivo desconhecido para ela, Lana ficou um pouco triste de pensar que nunca saberia as desventuras de Hirosaki e talvez não chegasse a entender de verdade o que havia por trás de toda aquela pose de rebeldia.


    valeu @ cács!


    Guilix
    Cavaleiro Jedi
    Guilix
    Cavaleiro Jedi

    Mensagens : 205
    Reputação : 15

    Re: Na Enfermaria

    Mensagem por Guilix em Seg Dez 17, 2018 3:52 pm

    Quando o rapaz viu a foto que a garota mostrara no celular não conseguiu esconder o espanto.

    - Woow... que lugar maneiro. Parece até que estamos naqueles filmes que tem castelos, reis e princesas... Você por um acaso é uma princesa? Hahaha...

    Lana era muito bondosa e educada, além de ser bonita. Tinha até um nome complicado. Características que Hirosaki tinha visto nessas princesas da ficção. Ela tinha um coração nobre e talvez tivesse um sangue nobre também. Era caridosa como ele jamais tinha visto em alguém de verdade.  Independentemente disso, estar ali com ela o fazia de certa forma esquecer dos seus problemas em casa e na escola, e o garoto gostava disso. Inclusive nem lembrou que seu irmão deve ter ficado esperando a garota na cantina.

    Depois da sua performance, Hirosaki não gostou de ser repreendido pela enfermeira. Com um pouco de violência colocou o lixo no lugar, se aproximou da garota que estava pegando os biscoitos e disse baixo em seu ouvido.

    - Deu pra entender o que eu falo agora?

    O baterista encheu a mão de biscoitos e também comeu sem nenhuma cerimônia. Acompanhou a garota de perto com medo que suas pernas fraquejassem mais uma vez. Quando Lana disse que queria ajudar os outros enfermos, que pelo visto eram muito mais do que o normal, Hirosaki sentiu um pouco de ciúmes. Afinal, ele achava que a atenção dela com ele era especial. Ele não quis deixar transparecer isso, mas se manteve próximo a ela. Talvez ela só fosse boa demais, e o garoto estava confundindo as coisas.

    - Porque você se importa tanto em ajudar as pessoas? Você tem que cuidar de você mesma em primeiro lugar.
    Nazamura
    Tecnocrata
    Nazamura
    Tecnocrata

    Mensagens : 362
    Reputação : 12

    Re: Na Enfermaria

    Mensagem por Nazamura em Ter Jan 08, 2019 8:53 am

    Lana escreveu:- Kaoro-sama, será que eu posso ajudar em alguma coisa? Eu... tenho um pouco de experiência.

    - Claro pode sim, você e seu amigo podem me ajudar a preparar as injeções que são anti-gripais com vitaminas, basta só chacoalhar aqueles vidrinhos ali e preparar as agulhas enquanto eu vou ver os alunos tudo bem?

    Nisso a enfermeira saiu e ia leito a leito cuidar dos alunos
    Mellorienna
    Tecnocrata
    Mellorienna
    Tecnocrata

    Mensagens : 331
    Reputação : 26
    Conquistas :
    • https://i.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/912.png
    • https://i.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1811.png
    • https://i.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/410.png
    • https://i.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/2111.png

    Re: Na Enfermaria

    Mensagem por Mellorienna em Sex Jan 11, 2019 1:06 pm





    Enfermaria

    Lana + Hirosaki - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - ♥️


    Cuidar de si mesma em primeiro lugar. Lana olhou para Hirosaki com aqueles grandes olhos muito verdes e inclinou a cabeça levemente para a direita, em gesto inconsciente. Fazia isso quando estava analisando. Se perguntava mais uma vez qual seria a história pessoal do garoto com pinta de bady boy incompreendido e porque ele achava que ser egoísta era uma boa via a ser seguida.

    Cansado. Faminto. Protegendo um irmãozinho mais novo. Lana não se deixaria levar pela superficialidade das palavras. Havia algo ali que não encaixava. Provavelmente, uma história familiar complicada. Pensou no pai. Preso. Ou morto. Bom, todo mundo tinha seus esqueletos no armário.

    - Pensar em mim em primeiro lugar nunca foi uma opção, Saki-kun. - a menina acenou positivamente às instruções da enfermeira, passando a sacudir os vidrinhos e preparar as seringas. A cada uma, oferecia uma pequena prece, mentalizando saúde e positividade, tentando transmitir um pouco de seu dom de cura para acelerar a recuperação dos alunos doentes. Ainda se sentia fraca, mas nem por isso deixaria de ajudar, da maneira que pudesse - Sabe, Saki-kun, eu sou a filha mais velha. Minha mãe trabalha muito para nos sustentar sozinha. Eu queria trabalhar também, mas ela diz que os estudos são o único caminho para que um dia nossa vida seja melhor. E ela está certa. Então, eu cuido da casa, da minha irmã, e estudo muito. Para que um dia minha mãe possa descansar e Yeva não tenha mais que sofrer com comentários maldosos sobre nossa condição estrangeira.

    Ela agitava os frascos e montava as seringas, com rapidez e delicadeza.

    - Há bolsas para esportistas nas universidades, mas eu não sou realmente boa em nada. Por isso, escolhi a ginástica. Algumas estrelinhas e ficar bem em saias plissadas e pronto - magicamente você é uma líder de torcida. Basta ser meio ignorante com as pessoas de tempos em tempos e as outras meninas da equipe te acham o máximo. Eu colocava bilhetes pedindo desculpas nas lancheiras das pessoas que destratei. Mas, acho que só pensavam que sou bipolar ou sei lá. Seja como for, funcionou. Eu me tornei a número um, a chefe das líderes de torcida, topo da pirâmide. E agora vou pra universidade, mesmo que algo dê errado e minhas notas comecem a cair por qualquer motivo. Vou ser médica, sabe? Por isso também eu estudo muito. Porque não posso falhar. Mamãe e Yeva dependem de mim.

    Lana terminou de montar todas as seringas e então pegou um dos biscoitos, comendo com graciosidade, apesar da fome que sentia de repente.

    - Você é a única pessoa pra quem já disse tudo isso, Saki-kun. Nem me pergunte porquê. Mas é isso. Talvez amanhã você receba um pedido de desculpas na sua lancheira, por eu ter desabafado assim, do nada, como se fossemos íntimos... Isso se você trouxer uma lancheira amanhã, né?

    A loirinha riu e piscou para o menino, virando-se para pegar mais um biscoito e torcendo para que a bênção das injeções tivesse funcionado.

    Guilix
    Cavaleiro Jedi
    Guilix
    Cavaleiro Jedi

    Mensagens : 205
    Reputação : 15

    Re: Na Enfermaria

    Mensagem por Guilix em Dom Jan 13, 2019 8:39 pm

    O jovem rapaz ficou espantado com o falatório da loirinha. Ele não a interrompeu, e acho que sua cara de curioso fazia com que ela falasse mais e mais. As pessoas não costumavam contar as coisas para ele. Não que ele fosse fofoqueiro ou coisa do tipo, mas ele não chegava a criar intimidade com ninguém, nem pra ouvir nem pra compartilhar segredos ou problemas. Para ele, não fazia sentido fingir que se interessava pela vida de alguém aleatório, como a maioria das pessoas faz. Mas no caso de ouvir Lana falando foi um pouco diferente. Talvez os grandes olhos verdes o estavam deixando hipnotizado.

    "Por que as pessoas tem tantas máscaras? As aparências importam tanto assim?", perguntas que Hirosaki se fazia, mas não queria saber a resposta. Lana era mais uma dessas que finge ser uma coisa, mas é outra, e Hirosaki estava cansado desse tipo de pessoas. Não que ele fosse perfeitamente honesto com seus sentimentos, mas ele não era tão bom ator quando a maioria.

    Por um instante pensou em dar um corte na garota e acusá-la da falta de honestidade com os outros, mas ela estava sendo tão legal com ele e isso era algo raro. Não seria justo devolver ofensas se ela até agora só se preocupou com ele. Talvez valesse a pena se preocupar com ela também. Claro que ficar olhando pra ela também era um bom incentivo pra ser legal com a menina.

    - Não precisa pedir desculpas não. Eu só acho que não sei se tudo isso vale a pena... Você tá fazendo pelo bem dos outros, mas não tá sendo quem você realmente é. Só de ouvir eu sinto que você tá numa prisão.

    O rapaz tentava ajudar a garota repetindo o que ela fazia com as seringas, mas depois percebeu que ela gastou mais tempo para arrumar seus erros do que se fizesse sozinha.

    - Acho melhor você não ser vista comigo. Pode manchar sua reputação... - Hirosaki ficou falou meio sem graça coçando a cabeça, lembrando do que os professores pensavam dele. - Mas se uma hora você estiver cansada de "fingir" e... quiser conversar de verdade... posso te ajudar a relaxar.

    O garoto deitou sobre um par de cadeiras juntas. Parecia muito desconfortável, mas talvez ela já estivesse acostumado a dormir em qualquer lugar.
    Mellorienna
    Tecnocrata
    Mellorienna
    Tecnocrata

    Mensagens : 331
    Reputação : 26
    Conquistas :
    • https://i.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/912.png
    • https://i.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1811.png
    • https://i.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/410.png
    • https://i.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/2111.png

    Re: Na Enfermaria

    Mensagem por Mellorienna em Ter Jan 15, 2019 7:21 pm





    Enfermaria

    Lana + Hirosaki - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - ♥️


    Talvez ele tivesse razão, e Lana estivesse vivendo em uma prisão. Talvez ele tivesse razão, e ser vista com ele fosse manchar sua reputação. Mas o biscoito que parou a meio caminho da boca rosada da garota nada tinha a ver com a opinião pública.

    "... posso te ajudar a relaxar"

    O coração da líder de torcida batia tão forte que ela teve o pensamento louco de que Hirosaki seria capaz de ouvi-lo. Antes que pudesse desviar os olhos dele, o rapaz tinha se deitado numas cadeiras, bem ali, no meio da enfermaria. Bem diante dos olhos dela. Corada até a raiz do cabelos, a menina baixou o biscoito ainda não mordido de volta para a bandeja, dando as costas para o garoto. Notou um leve tremor em sua mão ao devolver o biscoito intocado ao seu lugar.

    "... manchar a sua reputação"

    Endireitando as costas em uma postura perfeita, a loirinha fixou os olhos em um ponto qualquer da parede, ainda de costas para o garoto. Será que era por isso que ele estava quase sempre sozinho? Ou com os piores tipos possíveis? Lembrou-se dos meninos que passaram pelos dois no portão da escola, instantes atrás, tecendo comentários maldosos sobre a forma como ela se apoiou a Hirosaki para não ir ao chão. E também como ele a defendeu desse assédio.

    "... se uma hora você estiver cansada de 'fingir'"

    Lana se virou de frente para Hirosaki novamente. E seus grandes olhos verdes eram animados por um brilho diferente. O rubor de vergonha, que antes cobria todo o rosto da moça, tinha dado lugar a bochechas coradas de uma timidez encantadora. Ela mordeu o lábio, olhando o garoto deitado e não conseguindo deixar de imaginar...

    ... nada de imaginar! Nada de fingir! Coragem!

    Delicadamente, Lana se sentou em uma das cadeiras, fazendo com que Hirosaki deitasse a cabeça em suas pernas. O tecido macio da saia dela tinha cheiro de amaciante e roupa que secou ao sol. E a pele da menina era cálida, cor uma cor perolada incomum às orientais. Daquele ângulo, certamente Hirosaki poderia observar a curva dos seios dela, mas Lana espantou esse pensamento ridículo ocupando-se de fazer um cafuné bem suave no garoto.

    - Calado. Só... fica calado. - não queria saber da sua reputação ou das besteiras sobre ter que se afastar dele antes que fossem vistos.

    Ela deslizava os dedos pelos cabelos do menino, desalinhando-os enquanto fitava a parede a frente, cantarolando bem baixinho e tentando evitar percorrer o corpo do rapaz (pela milésima vez) com os olhos.

    Nazamura
    Tecnocrata
    Nazamura
    Tecnocrata

    Mensagens : 362
    Reputação : 12

    Re: Na Enfermaria

    Mensagem por Nazamura em Qua Jan 16, 2019 12:06 am

    o carinho que Lana dispensava em Hirosaki logo foi quebrado por um grito que vinha da enfermeira no corredor, era possivel ouvi-la em marcha rapida indo em direção a saleta onde ambos estavam.

    - Gaaaaaazzzzz, o que você fezzz??? O que vozzÊ fez meninaaa??

    Lana começou a sentir seu corpo arder em uma temperatura tão alta quanto se estivesse em febre, como se estivesse lidando com um veneno de cobra tão forte que seus olhos mal conseguiam fixar-se em um ponto, mas foi o suficiente para ver que os frascos que havia preparado e que havia lançado secretamente seus poderes de cura para energiza-los com "benção", estavam brilhando, um brilho em verde claro competindo com um verde escuro tão forte que até mesmo Hirosaki conseguiu ver

    A Enfermeira então chega na saleta e estava visivelmente transformada, em pele de cobra com a lingua repartida como uma serpente-humana usando uma roupa de enfermeira

    - Agora eu terei que manter vocês aqui, assim como mantenho esses outros alunos tambem! - Mostrando as unhas afiadas ela parte na direção do casal.

    Envenenada:
    Lana já lidou com venenos antes mas como fez diversos usos ao longo do dia "curou da gripe", "aliviou Hirosaki", "Abençoou" os frascos de remédio - que eram toxinas disfarçadas acabou ficando muito tonta, mas pode tentar lutar assim mesmo. Hirosaki fez 1 uso de poder no metro que não foi bem sucedido quando estava faminto, mas se recuperou após o lanche então está praticamente inteiro.

    Feliz (ou infelizmente), voces estavam distraidos demais pra perceber que a enfermeira estava mantendo os alunos doente, e nao tratando deles kk
    Mellorienna
    Tecnocrata
    Mellorienna
    Tecnocrata

    Mensagens : 331
    Reputação : 26
    Conquistas :
    • https://i.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/912.png
    • https://i.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1811.png
    • https://i.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/410.png
    • https://i.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/2111.png

    Re: Na Enfermaria

    Mensagem por Mellorienna em Qui Jan 17, 2019 10:48 am





    Enfermaria

    Lana + Hirosaki - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - ♥️


    O susto que a garota tomou foi tão grande que por pouco não engoliu a própria língua. Um gritinho agudo escapou de sua garganta antes que pudesse detê-lo e Lana levou ambas as mãos à boca, realmente assustada. O que havia acontecido com a Srta. Kaoru? Será que ela tinha sido possuída por algum tipo de demônio?

    Talvez fosse isso. Talvez essa fosse a explicação para o aparecimento de seus poderes e a mudança na enfermeira. Talvez Lana tivesse sido possuída por um youkai bondoso com poderes de cura, e a Srta. Kaoru houvesse tido uma pior sorte, tornando-se vítima de um youkai serpente com instintos homicidas.

    Tudo isso havia sido pensado pela garota em uma fração de segundo, dando a ela tempo de ver as seringas brilhando e a mulher-cobra partindo na direção dela e de Hirosaki. Sentia muito calor e a visão estava desfocada, mas precisava proteger a si mesma e ao garoto! Entretanto, sentia-se muito mal, quase esgotada. E era certo que aquele seria um momento ideal para pensar em si mesma em primeiro lugar, mas aí ela não seria ela mesma.

    Com o restante de forças que tinha, naqueles microssegundos antes de serem atingidos pelas unhas como garras da mulher-cobra, Lana mentalizou a proteção de que precisavam, ela e Hirosaki, para resistir aos ataques da serpente. Dedicou-se tão intensamente a urdir aquela trama protetiva que sentiu palavras vindo à sua mente, de uma oração em latim:

    Kyrie Eleison! - ela uniu as mãos em prece e fechou os olhos, desejando ardentemente ter conseguido protege-los do pior.




    Kyrie Eleison:
    Conforme combinamos no início do jogo, a ideia é que a Lana utilize como base as magias de Priest de Ragnarok, então eu tentei o Kyrie Eleison dessa vez. Caso não se lembre como a magia funciona, Mestre, tem uma explicação básica nesse link: https://browiki.org/wiki/Kyrie_Eleison
    Torcendo pra ter dado certo! ^__^

    Guilix
    Cavaleiro Jedi
    Guilix
    Cavaleiro Jedi

    Mensagens : 205
    Reputação : 15

    Re: Na Enfermaria

    Mensagem por Guilix em Qui Jan 17, 2019 4:00 pm

    Te ajudar a relaxar...

    Depois que Hirosaki fechou os olhos e deitou, foi surpreendido com a atitude da loirinha. Ele não esperava um carinho daqueles assim do nada. Repousou a cabeça sobre as macias cochas da garota. Pode sentir o calor de seu corpo. O cheiro de roupa limpa. Olhar a garota daquele novo ângulo era um privilégio.

    Nos primeiros segundos, seu corpo ficou todo tenso e seus olhos ficaram arregalados. Antes que algum acidente ocorresse, tapou seu nariz com a mão e dobrou uma das pernas que antes estava estica. Quando puxou o ar para falar algo, a garota o interrompeu pedindo para que ele ficasse quieto. Ele não contrariou. Até que Lana começou a acariciar os seus cabelos e ele pode fechar os olhos e se tranquilizar.

    Ele estava curtindo muito aquele momento, e pela sua cabeça, passava apenas formas de levantar logo e beijar Lana. Dar uns amassos na escola era ilegal, e por isso era mais gostoso ainda, e Hirosaki conhecia os melhores lugares para se esconder naquele prédio. De repente, seus pensamentos foram interrompidos com um grito sibilante vindo da porta. O garoto abriu os olhos e os fixou em direção a fonte do barulho. A imagem que estava lá parecia ter vindo dos filmes de terror. Hirosaki teve que olhar por uns dois segundos para crer naquilo que estava vendo.

    - Eita porraaaa... Que merda é essa?

    Se levantou com um salto e se colocou entre Lana e a mulher-serpente. Pegou uma cadeira e a segurou como os domadores de leão faziam em desenhos para manter a distância do animal. Colocou a mão esquerda para trás e segurou a mão de Lana, que devia estar tão assustada quanto ele.  E disse baixinho:

    - Lana, você consegue correr? Vou distrair esse filho de cruz-credo e você foge.

    Hirosaki ficou esperando a criatura se movimentar, tentou lentamente se deslocar em direção a porta de saída sempre protegendo Lana com seu próprio corpo e mantendo uma distância segura com a cadeira. Caso a serpente se aproximasse Hirosaki tentaria um ataque com a cadeira para jogá-la para longe da porta, e se ela abrisse uma brecha, Hirosaki daria a ordem para Lana correr. Caso a serpente esperasse, Hirosaki continuaria caminhando em direção a porta forçando ela se deslocar para trás. Enquanto isso, o baterista tentou distrair a serpente com conversa fiada.

    - Dona enfermeira, acho que sua pele está um pouco ressecada hoje. Já pensou em usar um hidratante ou essas coisas que mulheres usam pra ficar com a pele macia? Lana deve conhecer vários. Né Lana?

    Ação condicional:

    - Se a serpente se aproximar, tentando afastá-la da porta.
    - Se não se aproximar, ele continuará forçando a serpente a ficar a uma certa distância e caminharão em direção a porta
    Nazamura
    Tecnocrata
    Nazamura
    Tecnocrata

    Mensagens : 362
    Reputação : 12

    Re: Na Enfermaria

    Mensagem por Nazamura em Seg Fev 04, 2019 5:27 pm

    Lana escreveu:Kyrie Eleison!
    Invocando um poder mais uma vez mentalizando uma barreira de proteção em volta do garoto foi demais para a jovem loira. O bless lançado por sobre o veneno e as utilizações em excesso fizeram a garota arder de febre, uma febre tão forte similar a quando você toma uma anestesia e vê a lampada do teto se movendo... isso não a derrubou, mas foi o suficiente para ela ver que por sobre a mulher-cobra, como que por dentro das escamas, houvesse uma mulher, controlada por algo que estava na sua testa

    Nisso Hirosaki tentou domar a fera com uma cadeira levando ela na conversa
    Hirosaki escreveu:- Dona enfermeira, acho que sua pele está um pouco ressecada hoje. Já pensou em usar um hidratante ou essas coisas que mulheres usam pra ficar com a pele macia? Lana deve conhecer vários. Né Lana?

    - Fssssss... seusssss fedelhosssss vão ficar doentes iguaissss a todosssss - dizia a enfermeira tentando achar um meio de atacar arranhando a cadeira com suas garras.
    Mellorienna
    Tecnocrata
    Mellorienna
    Tecnocrata

    Mensagens : 331
    Reputação : 26
    Conquistas :
    • https://i.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/912.png
    • https://i.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1811.png
    • https://i.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/410.png
    • https://i.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/2111.png

    Re: Na Enfermaria

    Mensagem por Mellorienna em Qua Fev 06, 2019 7:46 pm





    Enfermaria

    Lana + Hirosaki - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - ♥️


    - Algo na test... na testa dela... Saki-kun! - Lana cambaleou, agradecendo aos céus por ter Hirosaki entre ela e a enfermeira possuída. Não poderia sustentar-se em combate direto contra ela, caso estivesse sozinha.

    Sentia-se arder, ao mesmo tempo em que o frio a fazia bater queixo. Febre. Mas sentia-se incapaz de curar-se novamente, ou mesmo de tornar a proteger Hirosaki. O coração disparou, pensando em todos os outros alunos ali, presos em uma doença artificial. O que era aquela entidade que havia dominado da Senhorita Kaoru? Será que ela tinha desenvolvido habilidades extraordinárias, assim como a própria Lana, mas que haviam mudado sua personalidade?

    Perdeu a estabilidade e caiu sentada em uma das cadeiras que ainda havia por ali, junto à parede, provocando certo estrondo. Sentia-se enjoar e congelar, ao mesmo tempo em que suava muito e emanava incrível calor.

    - Fuja, Saki-kun. Fuja e busque ajuda. - a menina colocou-se de pé novamente, com grande dificuldade - Eu não consigo correr. Vá!

    Sem forças nos braços lânguidos, Lana tentou infrutiferamente empurrar Hirosaki em direção à porta.

    Nazamura
    Tecnocrata
    Nazamura
    Tecnocrata

    Mensagens : 362
    Reputação : 12

    Re: Na Enfermaria

    Mensagem por Nazamura em Qua Fev 13, 2019 5:30 pm

    - Droga, eu tenho que parar essa enfermeira antes que ela
    A Enfermeira então destroi a cadeira que estava mantendo-a afastada da garota então cuspindo um jato de serpente em direção a Hirosaki que começou a gritar de dor

    - Argh... meus olhos, sua cobra maldita - Hirosaki então se ajoelha e golpeia o chão fazendo o piso se descolar provocando tremores que a desequilibram fazendo a cobra cair, e tambem fazem Lana cair ao chão. Hirosaki estava ficando fora de controle

    O terremoto provocado por Hirosaki não foi forte para quebrar paredes ou provocar abalos dos quais os alunos de Tokyo High já estavam acostumados e logo o colegio seguiu sua normalidade sem que o alarme fosse disparado, entretanto a luta continuava na enfermaria.  Mas isso não a deteria por muito tempo

    Lana estava mesmo esgotada, usou poderes o tempo todo e agora estava praticamente como uma aluna normal, já não via mais o brilho nas ampolas e podia se mover - teria seu poder ido embora? Algumas das ampolas começavam a cair no chão e o armario de remedios se abriu e as coisas já estavam ficando bagunçadas



    Em um dos quartos da enfermaria Keiko abria os olhos, podia jurar que até pouco tempo atrás estava sonhando com um aluno loiro que veio lhe visitar enquanto dormia, alguem que ela secretamente admirava, seria ?  Olhando nos arredores, era possivel ver as cortinas tremulando ao vento, a janela entreaberta e seu companheiro Freedom estava ali como quem a vigiasse de perto, embora a cortina que separe a ala do corredor estivesse fechada. Por alguma razão ela não se recorda bem de como veio parar ali... foi quando recapitulou os acontecimentos da manhã

    -"Antes de ir para a escola, preciso que você compre esses itens pra mim" - disse Hatori entregando uma lista de compras para a filha "- E se você encontrar seu irmão Kyo fale praquele irresponsável que se ele não for ajudar nas despesas da casa que não precisa nem voltar"

    Não havia passado muito tempo desde que Kyo havia se filiado a turma da pesada e raramente era visto em casa, porem no caminho para o sacolão, ela se lembra de ter encontrado com ele

    -"E la vai a garotinha do papai fazer compras denovo não?" - ironizara Kyo provocando a irmã, mas seu tom mudou para sério e ele disse "- Olhe, não é por nada não mas estão vigiando agente tem pelo menos 1 semana, você sabe se o pai andou metido com algum rolo? ou talvez a mãe? ou alguem que não gosta de você? já falei pra vc largar os estudos e reagir mana, ninguem gosta dagente mesmo. - Kyo então pega a lista de compras da mão da irmã e diz "- Hhmpf... eu cuido disso, já vi q vc ficou divagando denovo e perdeu a noção da hora, vai logo pra escola"

    Kyo podia ser rebelde, mas gostava da irmã

    Keiko tambem se lembra de ter ido pra sala de aula, lembrou-se quando o professor Yome apresentou alguns alunos e dividiu os grupos para irem buscar materiais. Ela tinha sido designada com outras alunas a irem a enfermaria para buscar bandagens e panos para simularem mumias e logo que chegou a enfermaria já não conseguia se recordar do que aconteceu em seguida.

    Logo o quarto começava a tremer e parecia haver ruidos e uma discussão acalourada vindo do escritorio da enfermaria...

    Intro:

    Lari, essa sua cena de entrada é bem subjetiva e com bastante espaço pra vc descrever como foi sua manhã até chegar a escola, passando pelo mercadinho encontrando o irmão, ate despertar na cena da enfermaria. a confusão no escritorio é eventualmente do combate de Hirosaki e Lana contra a enfermeira transformada em cobra, mas vc ainda não sabe disso. Você pode montar dialogo com seu irmão agindo de acordo com a personalidade dele, e tambem inventar falas pro seu pai, seguindo o roteiro que propus a criatividade é sua Smile

    Poli, vc pode agir normalmente mas está como quem estivesse com 0 de mana, não pode usar poderes e meio que se esqueceu disso.  Hirosaki está temporariamente cego com a cuspida da naja em seus olhos e está concentrando o terremoto no escritorio o que torna dificil vc ficar em pé.
    Mellorienna
    Tecnocrata
    Mellorienna
    Tecnocrata

    Mensagens : 331
    Reputação : 26
    Conquistas :
    • https://i.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/912.png
    • https://i.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1811.png
    • https://i.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/410.png
    • https://i.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/2111.png

    Re: Na Enfermaria

    Mensagem por Mellorienna em Qua Fev 13, 2019 5:58 pm








     Svetlana Seifert
    Kyrie Eleison Cure Safety Wall Magnus Exorcismus Deo Virtus Sanctuary Turn Undead Blessing Aspersio Heal



    - Saki-kun! - Lana sentiu suas forças recuperadas, ao preço de um vazio intenso. Não podia mais sentir o fogo primordial que parecia arder nela há cerca de uma semana, não podia mais ver o efeito das bênçãos nas injeções, não podia mais proteger Hirosaki contra os ataques da adversária.

    Apesar disso, correu para o garoto, que havia socado o chão exatamente no instante em que o leve terremoto sacudiu a enfermaria. Assim como na estação de trem. Lana não tinha mais dúvidas: ela não era a única. Hirosaki também havia desenvolvido capacidades acima da média humana. De causar abalos sísmicos, talvez? A própria ideia de tecer conjecturas sobre o tema era tão estapafúrdia que a menina decidiu mentalmente afastar-se dos pensamentos que analisavam o caso para dar atenção apenas ao que era preciso fazer.

    Mais que sobreviver, era preciso deter a mulher-cobra na qual a Srta. Kaoru havia se transformado. Era preciso salvar os demais alunos.

    - Recuperei minhas forças! Por favor, detenha a Srta. Kaoru! Eu vou buscar ajuda! - Lana apertou o braço do garoto com força suficiente para obriga-lo a encara-la - Não morra, Saki-kun. Eu vou correr o mais rápido possível!

    A garota se colocou de pé antes que a mulher-cobra se recuperasse, saltando por cima de cadeiras e frascos de remédios. Chegou a pensar em inocular uma das injeções, mas o risco era alto demais. Não podia se dar ao luxo de morrer de forma tão boba. Não quando tantas pessoas dependiam dela.

    Sem seus poderes sabia que era inútil ali. E sua presença poderia até mesmo atrapalhar Hirosaki, que teria que se preocupar com o estado dela a cada ataque sísmico que fizesse. Se é que era isso que o garoto fazia. Lana não sabia, mas uma coisa era certa: ela era atlética e sabia correr.

    E correria com tudo que tinha.



    Lana ♥️
    Larissa Aprill
    Mutante
    Larissa Aprill
    Mutante

    Mensagens : 643
    Reputação : 74
    Conquistas :
    • https://i.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/410.png

    Re: Na Enfermaria

    Mensagem por Larissa Aprill em Qui Fev 14, 2019 12:20 am






    Keiko Maeda

    Idade: 15 anos
    Poderes: Falar com os animais e controlar o vento


    Keiko abre os olhos lentamente, ela percebe que está num lugar muito claro e branco, ela não sabia como tinha chegado ali, mas sentiu a presença de Gin alguns minutos antes de acordar.

    Ela se senta na cama um pouco confusa e então percebe o som de asas batendo agitadas. Freedom estava na janela e “falava” de uma maneira muito rápida.

    Freedon: Cuidado! Cuidado! Cuidado!

    Aos poucos foi recobrando suas memórias.


    “Antes de ir para a escola, preciso que você compre esses itens pra mim" - disse Hatori entregando uma lista de compras para a filha "- E se você encontrar seu irmão Kyo fale pra aquele irresponsável que se ele não for ajudar nas despesas da casa que não precisa nem voltar"

    Ela se lembra de estar saindo de casa e encontrar seu pai na horta, ele lhe entregou um bilhete. Quando o pai cita o nome do irmão ela fica triste, aquela briga entre os dois ficava cada dia pior. Mas mesmo assim ela não diz nada e faz um aceno com a cabeça se afastando da casa.


    Não havia passado muito tempo desde que Kyo havia se filiado a turma da pesada e raramente era visto em casa, porém no caminho para o sacolão, ela se lembra de ter encontrado com ele

    -"E la vai a garotinha do papai fazer compras de novo não?" - ironizava Kyo provocando a irmã, mas seu tom mudou para sério e ele disse "- Olhe, não é por nada não mas estão vigiando a gente tem pelo menos 1 semana, você sabe se o pai andou metido com algum rolo? ou talvez a mãe? ou alguém que não gosta de você? já falei pra vc largar os estudos e reagir mana, ninguém gosta da gente mesmo. - Kyo então pega a lista de compras da mão da irmã e diz "- Humpf... eu cuido disso, já vi q vc ficou divagando de novo e perdeu a noção da hora, vai logo pra escola"

    Kyo podia ser rebelde, mas gostava da irmã

    Keiko caminhava pensativa e cabisbaixa em direção ao mercado, quando virou a esquina trombou em alguém, cambaleou alguns passos para trás, Freedom bateu as asas para se equilibrar no ombro da garota. Quando olhou para frente viu Kyo bloqueando seu caminho.

    Seu irmão tinha um olhar assustador, por isso afastava as pessoas e tinha uma fama ruim. Mas ao olhar a irmã caçula, suas feições suavizam e diz num tom mais bondoso, que não usava com mais ninguém.

    A menina arregalou os olhos de preocupação, porque iriam vigiar sua família? Seu pai ou sua mãe tinham feito algo ruim? Poderia ser alguém da escola?? Keiko fica sem reação ao imaginar mil inimigos. Então Kyo puxa o papel de sua mão e a garota se dá conta que se não corresse se atrasaria para a escola.

    Ela dá uns passos a frente, mas gira o corpo, vê o irmão caminhando pela rua e grita antes que ele se afastasse demais.

    ONIISAN!!! Volte para casa hoje….

    Kyo faz um aceno com a mão e continua andando como se nada tivesse acontecido. A menina sorri finalmente e corre em direção a escola.

    Ao entrar na sala de aula a felicidade em encontrar seu irmão foi substituída pelo medo e pela ansiedade, Keiko se sentou na ultima carteira da fileira da janela, desse lugar conseguia observar Freedom com outros pássaros. Estava no seu mundo da lua, quando o professor pediu que ajudasse a buscar alguns materiais.

    Ela olha assustada para os lados, mas o grupo de meninas maldosas estavam sentadas e abafaram o riso. Ela se levantou se sentindo muito desengonçada e com o coração palpitando na boca, parecia que os olhos de todos queimavam sua nuca. Na pressa de sair correndo da sala, trombou em algumas carteiras, pediu uma desculpa inaudível e fugiu para o corredor.

    No caminho para enfermaria ficou bem atrás do grupo, ciente do quanto era vergonhoso ter uma pessoa como ela como colega de classe. Ao chegar na sala da enfermeira, se sentiu fraca de repente e perdeu os sentidos.

    Assim que acordou, Freedom voou a sua frente e gritava em sinal de alerta.

    Freedon: PERIGO! PERIGO!

    Agora ela escutava sons abafados de uma discussão e se aproximou em silêncio em direção ao escritório da enfermaria.

    Nazamura
    Tecnocrata
    Nazamura
    Tecnocrata

    Mensagens : 362
    Reputação : 12

    Re: Na Enfermaria

    Mensagem por Nazamura em Sex Fev 15, 2019 3:28 pm

    Gin e Kiritsugo
    - Deixa eu ver essa lista - Disse Hon pegando a relação de material e viu que haviam certas coisas incoerentes nela, deu uma gargalhada de leve - Hahaha, você perdeu a lista do Yome pelo visto né? é a mesma relação do festival do ano passado, vem eu te mostro, são vassouras, baldes, tem que levar aquela escada, tem umas ripas de madeira ali no fundo... ué mas você veio sozinho? não vai dar conta de carregar isso tudo

    Hon então reune o material e ajuda Gin a carrega-lo nos arredores da escola na direção da enfermaria que ficava ali por perto. Os materiais antes leves estavam realmente pesados, se não fosse pela ajuda do zelador

    - Ei garoto - Diz Hon chamando Kiritsugo que estava passando por ali - Pode ajudar seu amigo aqui? eu tenho que voltar a zeladoria
    Antes que ele pudesse dizer "sim" ou "não" Hon larga as coisas e sai reclamando de volta

    - Vo ter que dar um jeito na bagunça que fiz, oh vida, oh ceus, oh azar...


    Apartamento de Kiritsugo - 06:45h

    Kiritsugo acorda com as lambidas de Urso apenas pra encontrar parte de seu apartamento chamuscado, muito provavelmente pelo seu proprio poder disparado devido a um pesadelo que teve com uma entidade que parecia um elfo bastante poderoso, envolto entre nuvens e incapaz de reconhecer quem era, Kiritsugo usava seus poderes contra ele inutilmente acordando minutos antes que ele o atacasse com sua espada.

    No caminho ate a escola, uma pressão no peito dificultava a respiração {ansiedade}, só o pensamento repetindo a cabeça as frases que o elfo disse
    - Quando os elementais combinarem, quando os demais despertarem, então eu retornarei e você me servira

    já se passava das 08:30h , o garoto nem se deu conta de como chegou a escola e estava do lado de fora, sendo abordado pelo Zelador e um outro aluno da mesma sala


    Lana deixou Hirosaki para trás correndo para fora da enfermaria

    - Ssshhh volte aqui meninaassshh... Me solta muleke..  

    - Vai Lana, corre

    Um jato de veneno acertou o batente da porta proximo da garota que correndo em alta velocidade virou o corredor dando de cara com Gin e Kiritsugo e mais um monte de materiais de limpesa que estavam espalhados pelo corredor, metendo o pé justamente em uma toalha escorregando e torcendo-o.


    Keiko não podia acreditar no que estava vendo, era uma mulher serpente com roupas de enfermeira com uma lingua bi-partida reptiliana, ela mal pode ver uma garota sair correndo pela porta e um esguicho que atingiu o batente deixando uma fumaça onde pegou. Havia um outro aluno lá tambem segurando a mulher serpente pelo braço que reagiu e o mordeu, provavelmente inoculando veneno na mão do garoto. a enfermeira não percebeu a presença de Keiko já que estava entretida na luta.

    "Keiko-san, rapido, se tem alguem que pode ajuda-lo é você" disse Freedom "- Mas que estranho, esse cheiro de veneno é igual ao que vem das outras macas, eu vou olhar" e saltou no batente da cortina tentando não entregar a posição de Keiko pra espiar quem mais estava ali


    Akane havia criado tanta dissonancia na zeladoria que quando a entidade a envolveu ambos acabaram indo parar em um lugar que parecia a escola, mas era como se estivesse fantasmagorica
    - Então agora você consegue me ver, vamos abra os olhos

    Akane vê então um garoto praticamente da sua idade com orelhas de elfo
    - Consegue ver seus amigos? ali no corredor onde estão 2 alunos

    Akane então consegue ver Gin, porem não sabe quem é o outro garoto que o acompanha e a menina que estava com ela, a Kusanagi, havia desaparecido. Ela então nota o material de limpeza se esparramando "do nada" e consegue ver uma garota por sobre a pilha, mas logo a presença dela quase se esvai...

    - Você está vendo os que foram afetados pelo virus carta-selvagem, isso inclui eu e você, eu sou do clube de musica tambem, por isso quando vc distoou o som eu sabia que podia te trazer pra cá. Eu só não sei como fazer pra gente voltar pra lá... estou há 1 semana nesse plano e meus pais acham que eu fui sequestrado.

    Akane quase que podia sentir a musica por tras de cada sentimento do garoto, haveria alguma ligação com aquele lugar?
    Larissa Aprill
    Mutante
    Larissa Aprill
    Mutante

    Mensagens : 643
    Reputação : 74
    Conquistas :
    • https://i.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/410.png

    Re: Na Enfermaria

    Mensagem por Larissa Aprill em Sex Fev 15, 2019 5:58 pm







    Keiko Maeda

    Idade: 15 anos
    Poderes: Falar com os animais e controlar o vento


    Keiko vê uma figura no corredor, a primeira vista imagina ser uma cobra gigante, mas ao prestar atenção nos detalhes percebe as roupas de enfermeira e a silhueta sugere ser uma mulher, apesar de não fazer nenhum sentido naquele momento.

    Ela vê um vulto correndo pela porta e instantes depois um jato de ácido expelido pela cobra atinge a porta e um cheiro forte invade o local. O garoto que estava ajoelhado no chão avançou sobre a mulher-cobra e segurou o braço da criatura, que em resposta mordeu o jovem. Keiko exclamou baixinho de surpresa, mas por sorte os dois estavam entretidos num combate corporal que não perceberam a menina olhando pelas frestas da cortina.

    ”Keiko-san, rápido, se tem alguém que pode ajudá-lo é você" disse Freedom - “Mas que estranho, esse cheiro de veneno é igual ao que vem das outras macas, eu vou olhar" - e saltou no batente da cortina tentando não entregar a posição de Keiko para espiar quem mais estava ali

    O pássaro sobrevoa na sua frente por alguns segundos. Se alguém tivesse prestado atenção nos dois, veria um filhote de pardal piando na frente da garota, mas foi as palavras de Freedom que tirou Keiko do seu torpor e antes que a menina pudesse retrucar com o pássaro ele voou para longe dela.

    “ O que eu devo fazer??”

    O jovem a sua frente estava ferido, deveria estar com dor pela mordida, mas nem assim ele largou o braço da mulher-cobra. Keiko deu um passo à frente, era um andar incerto, sentia seu coração bater rápido do peito, queria ajudar mas tinha medo de se aproximar.

    Um vento forte entrou pela janela e começou a circular ao redor da menina, o vento impulsionava a menina para frente ao mesmo tempo que lhe dava coragem para encarar a criatura.

    Quando estava alguns metros de distância dos dois, Keiko ergue a mão em direção a mulher cobra. O vento ao seu redor se intensificou, parecia que um pequeno redemoinho tinha se formado no escritório da enfermeira.

    - Para trás!!!


    O ar acumulou numa pequena esfera na mão da jovem e apontou o braço na direção a criatura, tentou não acertar o aluno. Mas nem ela sabia o que o seu poder era capaz de fazer. A intenção era empurrar a mulher cobra contra a parede e deixar ela imóvel o maior tempo possível.


    Katerine Le Blanc
    Tecnocrata
    Katerine Le Blanc
    Tecnocrata

    Mensagens : 432
    Reputação : 3
    Conquistas :
    • https://i.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/411.png
    • https://i.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1011.png
    • https://i.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/712.png
    • https://i.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1511.png

    Re: Na Enfermaria

    Mensagem por Katerine Le Blanc em Sex Fev 15, 2019 8:28 pm

    Eu comecei a sumir até que consegui ouvir alguém me chamar logo me acordando, porém, antes que conseguisse falar alguma coisa meus olhos pareciam conseguir enxergar e logo via um menino parecido com um elfo.

    Ouvia o menino elfo assim que olhava para o corredor vendo Gin e um garoto que não conhecia, mas também me lembrava de Kusanage que havia sumido até que novamente ouvia a voz do mesmo.

    Ele estava ali naquele plano a uma semana me fazendo querer ajudá-lo, porém, voltar a enxergar era como se fosse um milagre e mesmo assim preferia voltar para perto de meus amigos.

    -Ei garoto podemos tentar fazer algo ao contrário, da última vez tudo não tinha harmonia que tentarmos fazendo algo harmônico? - O questionava em quanto deixava meu sorriso estampado no rosto.
    Raijecki
    Troubleshooter
    Raijecki
    Troubleshooter

    Mensagens : 814
    Reputação : 15
    Conquistas :
    • https://i.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/411.png
    • https://i.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/811.png
    • https://i.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1811.png
    • https://i.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1413.png
    • https://i.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/712.png
    • https://i.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/612.png
    • https://i.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/410.png
    • https://i.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1511.png
    • https://i.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/2111.png
    Premiações :
    • https://i.servimg.com/u/f89/19/67/13/04/medalh27.png

    Re: Na Enfermaria

    Mensagem por Raijecki em Sex Fev 15, 2019 11:07 pm


    きりつぐミカミへセウライゲキ
    Kiritsugo


    Fora uma noite conturbada para o caçula da tradicional família Mikami. O jovem sempre tinha problemas em relação ao sono, que em sua maioria advinham de sua tenebrosa e quase incontrolável ansiedade. Seu coração batia tão forte e veloz que parecia que saltaria por sua boca. Se virava de um lado a outro de sua luxuosa cama king-size, típica da fortuna de sua família.

    “Preciso arrumar as coisas do conselho amanhã, não posso esquecer” e “Preciso estudar mais inglês no cursinho, se não meus pais não irão me receber no exterior” eram os pensamentos que mais passavam em sua consciência.

    Seu Chow-Chow cor de caramelo de nome Urso geralmente dormia em sua própria “caminha”, na espaçosa sala de estar, mas naquela noite ele aparentava estar mais agitado e apreensivo do que o normal e não saía do lado de seu dono, deitado e rosnando no chão ao lado da cama de Kiritsugo.

    Porém, não era a ansiedade que mais preocupava o menino, mas sim sonhos estranhos – para não dizer pesadelos - que vinha tendo desde que acabara por descobrir sua “anomalia genética” recentemente. O daquela noite em questão era sobre uma espécie de “Elfo” de um poder superior. A entidade em questão era irreconhecível, pois aparecia envolta de um tipo de névoa ou nuvens e repetia uma frase, “Quando os elementais combinarem, quando os demais despertarem, então eu retornarei e você me servirá”.

    Numa ação de puro reflexo, Kiritsugo lançava seus raios elétricos e gritava contra a misteriosa criatura, tudo em vão, pois o pesadelo acabava sempre quando o enigmático “Elfo” iria o atacar com uma espada.

    Desta vez acordou e sentiu a língua roxa e quente de Urso em seu rosto. Aliviado, fez um carinhoso cafuné na cabeça peluda de seu fiel companheiro, este que havia pulado em sua cama com a reação espantosa do despertar de seu dono.

    - Bom dia cara, tá com fome? – Perguntou, e o animal respondia com uma mexida frenética de rabo e uma latida animada.

    Ao levantar, reparava que o teto e algumas paredes de seu opulento quarto estavam com grandes marcas de queimado causadas por sua “anomalia”, lançadas provavelmente enquanto dormia e sonhava sobre o embate com o sinistro e misterioso ser.

    - Vou ter de arrumar isso sem falta quando chegar... – Dizia para si mesmo. – Espero que não tenha te assustado Urso. – Falava agora em direção ao cachorro, antes de colocar comida para o mesmo e se arrumar para ir à escola.

    Mesmo tomando café, a ida a escola para Kiritsugo geralmente era do mesmo jeito, sempre em estado de desligamento, como se estivesse dormindo de olhos abertos. Porém, daquela vez sentia um frio na barriga, um disparo ainda maior nas batidas de seu coração e uma dificuldade de respirar. Tudo por conta da lembrança sobre a frase dita pelo “Elfo” em seu sonho.

    “O que aquilo significa? Acho que estou ficando louco...” – Pensava.

    Escorou-se em um muro e ficou ali por alguns poucos minutos, até que a ansiedade passasse e fosse tranquilo para prosseguir a escola.

    Quando se dava por conta já estava lá, mesmo não lembrando bem como chegara. Ainda bem que havia decorado o caminho, pois se não as coisas seriam bem mais difíceis.

    “Preciso verificar as coisas para o festival! Acho que vou começar pelos materiais de limpeza já que estou perto...” – Pensou. Então caminhava em direção a aonde estavam os específicos materiais.

    Passando perto de onde era a enfermaria, do lado de fora, acabou sendo abordado pelo zelador da escola que estava ajudando um garoto a carregar exatamente aquelas coisas. O homem pedia para que Kiritsugo ajudasse a levar os objetos e saía de volta para sua sala, reclamando como já era de costume, sem nem deixar o herdeiro Mikami poder responder.

    Kiritsugo então se juntou ao colega e tratou de se apresentar:

    - Sou Kirutsugo Mikami, presidente do conselho, e você é? – Perguntava de maneira formal ao garoto.

    Então Kiritsugo ouviu um barulho vindo da enfermaria um pouco antes de se surpreender com uma garota que saía correndo da mesma e acabava por resvalar em uma das toalhas que estavam no chão.

    Fora direto na direção da garota na tentativa de ajuda-la a se recompor e a disse, já todo preocupado:

    - Você está bem?! Se machucou?! – Ao ver melhor e de mais perto, reparou que a garota detinha uma beleza incomparável. Pela aparência supôs que fosse estrangeira. Nem reparou que suas bochechas ficaram avermelhadas.

    - Precisa que eu te leve para a enfermaria? – Perguntou. Se precisasse, a carregaria até o local, se sentia um pouco culpado pelo acontecido, pois deveria ter dito ao garoto para tirar as coisas do meio do corredor.

    - Aliás, porque tanta pressa? Aconteceu alguma coisa? Jurava que tinha ouvido um barulho vindo da enfermaria... – Comentou logo em seguida. Tinha achado estranho aquela garota sair de lá justamente depois do barulho. Talvez, como o presidente do conselho, deveria ir e verificar o que tinha acontecido, mas primeiro iria cuidar da situação envolvendo aquela garota.



    "Você diz que prefere a guerra ao inferno. Que palhaçada! A guerra é o inferno em si."

    Emiya kiritsugu
    Mellorienna
    Tecnocrata
    Mellorienna
    Tecnocrata

    Mensagens : 331
    Reputação : 26
    Conquistas :
    • https://i.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/912.png
    • https://i.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1811.png
    • https://i.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/410.png
    • https://i.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/2111.png

    Re: Na Enfermaria

    Mensagem por Mellorienna em Sex Fev 15, 2019 11:50 pm








     Svetlana Seifert
    Kyrie Eleison Cure Safety Wall Magnus Exorcismus Deo Virtus Sanctuary Turn Undead Blessing Aspersio Heal



    Lana corria com ainda mais ímpeto após ouvir o estrondo causado pelo ataque da criatura ofídia na qual a Srta. Kaoru havia se transformado. O coração da garota marchava no peito, que sentia as pernas leves, quase como se pudesse voar. Toda vez que corria a toda velocidade tinha aquela sensação, mas sabia que o preço seria o rápido esgotamento: um HIIT não poderia durar para sempre.

    Porém, antes que Lana precisasse se preocupar com a fadiga muscular que logo viria, avistou Gin no corredor, conversando com um outro garoto. Ficou tão aliviada ao encontrar uma pessoa conhecida, a quem poderia pedir ajuda, que não se atentou à exata posição dos materiais e produtos de limpeza espalhados pelo chão. Rápida como estava, ao tropeçar em algo que parecia ser uma toalha, veio ao chão com toda força, torcendo o tornozelo no processo.

    - Kurva peklo! - a garota xingou, fazendo uma careta de dor e agarrando o tornozelo com uma mão enquanto ajeitava a saia com a outra. Normalmente não era dada a falar palavrão, mas as palavras simplesmente escaparam, numa reação automática à dor. Logo agora, que não sentia mais o Deo Virtus tinha que se machucar assim? O que seria de Hirosaki? E dos demais alunos?

    Kiritsugo escreveu:- Você está bem?! Se machucou?! Precisa que eu te leve para a enfermaria?

    O garoto se abaixou ao lado dela e estava enrubescendo. Lana levou alguns segundos para reconhecê-lo, tamanha a confusão em que sua mente estava naquele momento. Mas seus grandes olhos muito verdes brilharam com alívio quando agarrou a mão do Presidente do Conselho Estudantil, em um gesto de desespero em busca de proteção:

    - Mikami-senpai! - a garota ergueu o olhar para fitar o outro aluno - Gin-san!

    Kiritsugo escreveu:- Aliás, porque tanta pressa? Aconteceu alguma coisa? Jurava que tinha ouvido um barulho vindo da enfermaria...

    A menina acenou positivamente com a cabeça, e apertou com mais força a mão de Kiritsugo entre as suas. Ela não era exatamente uma garota forte, mas ele poderia sentir que estava aterrorizada.

    - A Srta. Kaoru... Ela envenenou os alunos! Está lutando contra Hirosaki-kun nesse momento. Estão todos em perigo! Eu fugi para pedir ajuda. Por favor! - Lana voltou a olhar diretamente nos olhos do Presidente do Conselho. Será que ele se lembrava dela? Talvez tivesse visto as líderes-de-torcida se apresentarem antes dos jogos. Ou mesmo em alguma das festividades.

    Talvez não.

    Os boatos que corriam eram de que a Família Mikami tinha muito dinheiro. Era provável que Kiritsugo fosse o último garoto na escola a prestar alguma atenção a uma gaijin pobre como ela. Mesmo que fosse o topo da pirâmide das cheerleaders.

    - A Srta. Kaoru... adquiriu características sobre-humanas. Eu sei que parece loucura, mas... Por favor, me ajudem! Gin-san! - a menina olhou para o colega antes de voltar os olhos novamente para o garoto de quem ainda apertava a mão - Mikami-senpai... - ela tentou mover a perna e fez uma careta de dor, seguida de um gemidinho baixinho.




    Lana ♥️
    Conteúdo patrocinado


    Re: Na Enfermaria

    Mensagem por Conteúdo patrocinado


      Data/hora atual: Sab Fev 23, 2019 6:01 am