Um fórum de RPG online no formato de PBF (Play by Forum).


    Askalians
    Tecnocrata
    Askalians
    Tecnocrata

    Mensagens : 471
    Reputação : 61
    Conquistas :
    • https://i.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/410.png

    Fichas Empty Fichas

    Mensagem por Askalians em Sab Dez 22, 2018 9:57 am

    Esse é o modelo de ficha a ser usado para VAMPIRO.
    Pontos de bônus: 21

    MODELO DE FICHA:


    1. Dados
    Nome:
    Personagem:
    Clã:
    Natureza:
    Comportamento:
    Geração:
    Refúgio:
    Conceito:

    Saldo de XP: 0/0

    2. Atributos (7/5/3)
    Físicos
    - Força:
    - Destreza:
    - Vigor:

    Sociais
    - Carisma:
    - Manipulação:
    - Aparência:

    Mentais
    - Percepção:
    - Inteligência:
    - Raciocínio:


    3. Habilidades (13/9/5)
    Talentos
    - Prontidão:
    - Esportes:
    - Briga:
    - Esquiva:
    - Empatia:
    - Expressão:
    - Intimidação:
    - Liderança:
    - Manha:
    - Lábia:

    Perícias
    - Empatia c/ Animais:
    - Ofícios:
    - Condução:
    - Etiqueta:
    - Armas de Fogo:
    - Armas Brancas:
    - Performance:
    - Segurança:
    - Furtividade:
    - Sobrevivência:

    Conhecimentos
    - Acadêmicos:
    - Computador:
    - Finanças:
    - Investigação:
    - Direito:
    - Linguística: (o idioma natal não conta na distribuição dos pontos)
    - Medicina:
    - Ocultismo:
    - Política:
    - Ciências:


    4. Vantagens

    Antecedentes (5 pontos)


    Disciplinas



    5. Virtudes
    - Consciência:
    - Autocontrole:
    - Coragem:

    Humanidade:

    Força de Vontade:


    Qualidades e Defeitos


    Observações
    -
    -
    -


    6. Prelúdio

    7. Banco de Dados


    Caso o seu personagem seja HUMANO, a ficha terá algumas alterações:

    1. Atributos: (6/4/3)
    2. Habilidades: (13/9/5)
    3. Pontos de bônus: 21
    Dicas para Ficha Humana:

    Passo 1: Conceito do Personagem
    Escolha o Conceito, a Natureza e o Comportamento.

    Passo 2: Escolha Atributos
    Priorize as três categorias: Físicos, Sociais e Mentais (6/4/3). Seu personagem tem automaticamente um ponto em cada Atributo.

    Escolha os Atributos Físicos: Força, Destreza e Vigor.
    Escolha os Atributos Sociais: Carisma, Manipulação e Aparência.
    Escolha os Atributos Mentais: Percepção, Inteligência e Raciocínio.

    Passo 3: Escolha Habilidades
    Priorize as três categorias: Talentos, Perícias e Conhecimentos (13/9/5).
    Escolha seus Talentos, Perícias e Conhecimentos. Neste estágio, nenhuma Habilidade pode ter nível maior do que 3.

    Passo 4: Escolha Vantagens
    Escolha Antecedentes (5) e classifique as Virtudes (7). Seu personagem tem automaticamente um ponto em cada Virtude.

    Passo 5: Toques Finais
    Anote a Humanidade (igual a Consciência Autocontrole) e a Força de Vontade (igual a Coragem).
    Gaste os pontos de bônus (21). Caso seu personagem seja um usuário de Numina, cada nível custa 7 PB.
    Caso seu personagem seja um carniçal ou ex-carniçal, você pode comprar com PB, Potência ou qualquer outra disciplina do clã de seu Senhor de nível 1 (se seu Senhor for de até 8ª Geração) ou 2 (se seu Senhor for de 7ª Geração), não podendo ultrapassar o limite estipulado pela Geração de seu Senhor.


    Caso queira fazer uma ficha de LOBISOMEM ou BRUXO, por favor, me mande MP antes de tudo, pois é da conta e risco do jogador usar os livros base desses personagens para criar suas próprias fichas.

    Notas Importantes:
    1- Colocar na ficha de vampiro se é da Camarilla ou Independente, pois na cidade não tem registros de Sabá.
    2- Procurem justificar suas escolhas de pontos na história, principalmente se tiver de 3 pontos para mais.
    Padre
    Cavaleiro Jedi
    Padre
    Cavaleiro Jedi

    Mensagens : 205
    Reputação : 38

    Fichas Empty Re: Fichas

    Mensagem por Padre em Qua Dez 26, 2018 11:32 pm

    FICHA APROVADA (27/12/2018) BY @Askalians





    Fichas 12912796_1705828753035611_1971963727_a

    1. Dados

    Nome: Padre
    Personagem: Alastair Blac
    Clã: Humano
    Natureza: Galante
    Comportamento: Bon Vivant
    Geração: -
    Refúgio: Apartamento classe média, situado num bairro nobre da cidade.
    Conceito: Ator

    Saldo de XP: 0/0

    2. Atributos (6/4/3)

    Físicos (Terciário 3)
    - Força: 1
    - Destreza: 1 + 1
    - Vigor: 1 + 2

    Sociais (Primário 6)
    - Carisma: 1
    - Manipulação: 1 + 3
    - Aparência: 1 + 3

    Mentais (Secundário 4)
    - Percepção: 1 + 1
    - Inteligência: 1 + 2
    - Raciocínio: 1 + 1


    3. Habilidades (13/9/5)

    Talentos (Primário 13)
    - Prontidão: 0
    - Esportes:0
    - Briga: 0
    - Esquiva: 0
    - Empatia: 0
    - Expressão: 3
    - Intimidação: 1
    - Liderança: 2
    - Manha: 3
    - Lábia: 4

    Perícias (Terciário 5)
    - Empatia c/ Animais: 0
    - Ofícios: 0
    - Condução: 1
    - Etiqueta: 2
    - Armas de Fogo: 0
    - Armas Brancas: 0
    - Performance: 2
    - Segurança: 0
    - Furtividade: 0
    - Sobrevivência: 0

    Conhecimentos (Secundário 9)
    - Acadêmicos: 0
    - Computador: 0
    - Finanças: 0
    - Investigação: 0
    - Direito: 0
    - Linguística: 3 (Latim, Inglês, Francês e Alemão)
    - Medicina: 0
    - Ocultismo: 4
    - Política: 2
    - Ciências: 0


    4. Vantagens

    Antecedentes


    • Fama: 4
    • Influência: 4
    • Recursos: 4
    • Contatos: 2




    5. Virtudes
    - Consciência: 1 + 3
    - Autocontrole: 1+ 2
    - Coragem: 1 + 2

    Humanidade: 7

    Força de Vontade: 3


    Qualidades e Defeitos


    - Voz Encantadora (2 pontos)
    - Fisionomia Amigável (1 ponto)
    - Linguista Nato (2 pontos)
    - Líder Nato (1 ponto)
    - Reputação (3 ponto)
    - Amigo do Xerife (2 pontos)
    -


    Observações
    -
    -
    -


    6. Prelúdio
    A história de Alastair começa cedo, representante oficial da facção humana de New Orleans (filho do prefeito da cidade), cresceu em um ambiente banhado pela riqueza e boa vida. Desde cedo recebeu instruções dos melhores tutores das mais variadas áreas para que no futuro, Alastair se tornasse o sucessor de seu pai. Cercado de um ambiente rígido e rigoroso, também foi obrigado a estudar sobre etiqueta, políticas, ocultismo e os mais variados idiomas, por que só assim finalmente estaria no nível do seu "velho" ou pelo menos era o que ele pensava. Como veio de um lar abonado, guardava certa quantia consigo desde cedo, quantia generosa, mesmo para um adolescente, então, ao completar seus dezesseis anos, fugiu de casa e mudou de cidade, decidiu que viver ali e seguir os passos do pai não era o que queria. Durante sua trajetória fora, acabou indo parar em New York, onde ingressou em uma companhia de teatro, não demorou para que crescesse dentro do lugar e o reconhecessem por suas habilidades e pela sua aparência, rapidamente ganhou notoriedade pelo mundo fazendo filmes que foram sucessos de bilheteria, o que lhe rendeu um aumento mais considerável ainda em sua fortuna. Oito anos após deixar sua casa, em busca de viver uma vida mais calma e pacata (por calma e pacata, entenda curtição e libertinagem, só que longe dos holofotes das câmeras) e também nutrir uma voz ativa nos negócios de seu pai, um Alastair mais egocêntrico e manipulador retorna para New Orleans. Por ser filho de quem é, mesmo após fugir de seu pai, ainda nutre alguns contatos espalhados pela cidade em diversas áreas de trabalho.
    Desde os bons tempos de paz e a relação pacífica que havia entre humanos e vampiros, Alastair conheceu o xerife da cidade e a medida que foi crescendo, o xerife acabou se tornando um conhecido próximo à ele, de forma com que, em meio a farra e noitadas que gostava de fazer no meio dos humanos, apresentava ao pequeno aos prazeres da vida, afinal o rapaz não tinha nada com o que se preocupar e dinheiro não era algo que lhe faltava e que poderia impedi-lo de tais curtições.
    Após a morte da regente e já de volta à cidade, viu as coisas mudarem sob os seus olhos, pois Jace já não tinha mais tanto tempo assim disponível e o atual regente (que não aprovava a grande amizade dos dois desde sempre) viu um problema a menos para ser resolvido em meio àquele chaos.


    7. Banco de Dados
    Okley
    Cavaleiro Jedi
    Okley
    Cavaleiro Jedi

    Mensagens : 277
    Reputação : 3
    Conquistas :
    • https://i.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/410.png

    Fichas Empty Re: Fichas

    Mensagem por Okley em Dom Dez 30, 2018 8:29 pm

    FICHA APROVADA (31/12/2018) BY @Askalians
    Fichas Gq-fea10


    1. Dados

    Nome: Okley
    Personagem:Corin Heartsong
    Clã: Malkaviano
    Natureza:Diretor
    Comportamento: Pedagogo
    Geração: 11°
    Refúgio: Cortiço
    Conceito: Cuidador

    Saldo de XP: 0/0

    2. Atributos (7/5/3)

    Físicos
    - Força: 1 +1
    - Destreza: 1 + 2
    - Vigor: 1 +2

    Sociais
    - Carisma: 1
    - Manipulação: 1 +1
    - Aparência: 1 +2

    Mentais
    - Percepção: 1 + 3
    - Inteligência: 1 +2
    - Raciocínio: 1 +2


    3. Habilidades (13/9/5)

    Talentos
    - Prontidão: 3
    - Esportes: 2
    - Briga: 1
    - Esquiva: 1
    - Empatia: 2
    - Expressão:
    - Intimidação: 2
    - Liderança: 2
    - Manha:
    - Lábia:

    Perícias
    - Empatia c/ Animais:
    - Ofícios:
    - Condução: 2
    - Etiqueta:
    - Armas de Fogo:
    - Armas Brancas: 1
    - Performance:
    - Segurança:
    - Furtividade: 2
    - Sobrevivência:

    Conhecimentos
    - Acadêmicos: 1
    - Computador: 2*
    - Finanças:
    - Investigação: 3
    - Direito:
    - Linguística:
    - Medicina: 1
    - Ocultismo: 3
    - Política: 1
    - Ciências:


    4. Vantagens

    Antecedentes
    recursos 1
    influência 2
    geração 2
    mentor 3 *
    status 3*


    Disciplinas
    1 Auspícios
    2 Demência


    5. Virtudes

    - Consciência: 1 + 3
    - Autocontrole: 1 +2
    - Coragem: 1 +2

    Humanidade: 7

    Força de Vontade: 3


    Qualidades e Defeitos
    Sentido Aguçado (1 ponto)*
    Toque de Cura (1 ponto)*
    Visão Noturna (2 pontos)*
    Habilidade Oracular (3 pontos)*
    Amigo da Primigênie (4 pontos)*


    Observações
    - Portador de Sindrome de Tourette
    - Conselheiro oracular da Camarilla

    -


    6. Prelúdio

    Sua infância foi marcada pelo abandono de sua mãe, que fugiu da casa, pois o pai dele a agredia muito, ela tinha aproveitado que o pai dele tinha ido trabalhar em um barco de pesca, nessa fuga Corin ficou abandonado em sua casa por dois meses,. Após isso seu pai decidiu levá-lo para a avó, no interior cuidar dele, pois ele não teria condições. A avó já era muito velha, aproveitou disso para colocá-lo como empregado, deixava ele em condições precárias e com alguns machucados, Corin se isolou assim do mundo e se escondia atrás de livros empoeirados da casa.
    Já adolescente, seu pai desapareceu no mar e sua avó ficou muito doente por anos, com a morte dela, ele ficou sem casa e sozinho, foi para a cidade de seus pais tentar achar sua mãe. Assim que descobriu onde ela morava, não pode ficar lá pois o padrasto não queria ele ali, nessa época foi que ele percebeu seus tiques nervosos.
    Passou alguns anos na ruas como ladrão e se envolvendo em muitas brigas, em uma dessas foi para o hospital e uma velha freira se ajudou. Ela com dó da situação dele lhe ofereceu trabalho em um asilo, se mudando para o asilo, ele ajudava em tudo que era preciso inclusive a cuidados com os idosos.
    Em uma noite ouviu um barulho dentro do asilo, quando foi armando ver o invasor, então nesse momento foi abraçado. Os tiques só pioram e xingamentos, se mostrando Síndrome de Tourette. Logo após seu mentor chamou para cuidar dele e auxiliá-lo em vários aspectos o tornando em alguém influente na pequena cidade de Nova Orleans. Com o tempo por seu mentor se tornou influente na sociedade da cidade.
    Conforme os dois observavam a cidade crescer com o passar dos anos, o mentor de Corin o ensinou a aumentar os sentidos para descobrir os segredos da cidade e no mais escuro. Ele decidiu a voltar a cuidar novamente dos idosos ali, morando em um cortiço da periferia da cidade, se sentia confortável ali, cuidando deles com um simples toque. Com tempo ele percebeu que conseguia ver a rede que muitas vezes via em jornais, desenhos ou propaganda, de forma oracular, com o tempo se mostrava eficiente.
    Com o tempo começou a mandar mensagens para Primigênie, algumas livrando alguns deles de perigos, foi levantado muita suspeita em relação a atitude dele. Por mais que seja um ancião, não foi convidado para a Primigênie, mas se tornou alguém muito importante para sociedade pelo seu auxílio demonstrado por mais que  em alguns momentos vem acompanhado por palavrões.


    7. Banco de Dados

    12 pontos de sangue, pode gastar l ponto de sangue por turno
    (* pontos dos 21 pontos gastos)
    bahamut
    Tecnocrata
    bahamut
    Tecnocrata

    Mensagens : 364
    Reputação : 67

    Fichas Empty Re: Fichas

    Mensagem por bahamut em Sex Jan 04, 2019 9:54 pm

    FICHA APROVADA (05/01/2019) BY @Askalians

    Fichas Peter_10

    1. Dados
    Nome: Bahamut
    Personagem: Rugall Saavik
    Clã: Tzimisce
    Natureza: Sobrevivente
    Comportamento: Malandro
    Geração:7
    Refúgio: Galpão abandonado
    Conceito: Nobre-Socialite

    Saldo de XP: 0/0

    2. Atributos (7/5/3)
    Físicos
    - Força: 2
    - Destreza: 2
    - Vigor: 2

    Sociais
    - Carisma: 3
    - Manipulação:4 (persuasão)
    - Aparência: 1 (6) (estonteante)

    Mentais
    - Percepção: 4 (atenção)
    - Inteligência: 3
    - Raciocínio: 3


    3. Habilidades (13/9/5)
    Talentos
    - Prontidão: 2
    - Esportes:1
    - Briga: 1
    - Esquiva: 1
    - Empatia: 1
    - Expressão:2
    - Intimidação: 2
    - Liderança: 2
    - Manha: 1
    - Lábia: 1 (2pb)

    Perícias
    - Empatia c/ Animais:
    - Ofícios: 2
    - Condução: 2
    - Etiqueta: 2
    - Armas de Fogo:
    - Armas Brancas: 2
    - Performance:
    - Segurança:
    - Furtividade: 2 (2pb)
    - Sobrevivência:
    - Moldar o corpo: 5 (embelezar) (10pb)

    Conhecimentos
    - Acadêmicos:
    - Computador:
    - Finanças:
    - Investigação:
    - Direito:
    - Linguística: 2 (Galês, Bretão)
    - Medicina:
    - Ocultismo: 2
    - Política:
    - Ciências:
    - Instrução: 1 (latim)


    4. Vantagens

    Antecedentes (5 pontos)
    - Geração: 5 (3pb)
    - Lacaios: 1
    - Rebanho 1
    - Recursos 1

    Disciplinas
    - Auspícios: 1
    - Vicissitude: 4 (5pb)
    - Animalismo:

    - Dominação: 1


    5. Virtudes
    - Consciência: 3
    - Autocontrole: 3
    - Coragem: 4

    Humanidade: 6

    Força de Vontade: 7 (3pb)


    Qualidades e Defeitos

    Qualidades
    Mentor Espiritual: (3pb) (Vriika)

    Defeitos
    Amnésia: (+2pb)
    Ódio: (+3pb) (tremere)
    Objetivo Condutor: (+2pb)

    Observações

    -
    May:


    Fichas May10

    Físicos
    - Força: 2
    - Destreza: 2
    - Vigor: 2

    Sociais
    - Carisma: 3 (5pb)
    - Manipulação: 4 (bom argumentador)
    - Aparência: 3

    Mentais
    - Percepção: 2
    - Inteligência: 3
    - Raciocínio: 3 (5pb)


    3. Habilidades

    Talentos
    - Prontidão:2
    - Esportes: 2
    - Briga: 2
    - Esquiva: 2
    - Empatia:
    - Expressão: 2 (4pb)
    - Intimidação:
    - Liderança:
    - Manha: 3
    - Lábia: 3 (2pb)

    Perícias
    - Empatia c/ Animais:
    - Ofícios:
    - Condução:2 (2pb)
    - Etiqueta:
    - Armas de Fogo:
    - Armas Brancas:2
    - Performance:2
    - Segurança:3 (2pb)
    - Furtividade: 2
    - Sobrevivência:

    Conhecimentos
    - Acadêmicos:
    - Computador: 2
    - Finanças: 3
    - Investigação:
    - Direito:
    - Linguística:
    - Medicina:
    - Ocultismo:
    - Política:
    - Ciências:


    4. Vantagens

    Antecedentes
    - Contatos: 4 (traficante local, ex namorado dj, ex patrão dono de bar, irmão policial)
    - Recursos 1


    5. Virtudes

    Virtudes
    - Consciência: 4
    - Autocontrole:3
    - Coragem: 3

    Humanidade: 7

    Força de Vontade: 4 (1pb)
    -
    -


    6. Prelúdio
    Prólogo – primeira parte
    Um Dragão dentre os Dragões

    Romênia, uma fria e chuvosa noite de outubro no Voivode Saavik. Por algum motivo não me lembro absolutamente de nada anterior a essa noite...
    Me chamo Rugall Saavik, decentente do clã dos Dragões, servo de minha senhoria, a Condessa Vriika Saavik, uma das mais puras de sua linhagem.
    Pode parecer loucura, embora não me lembre de meu passado, isso tudo pareceu muito estranho para mim no começo, nada parecia certo, e ia ficando pior a cada momento. Nada que eu fizesse ou pensasse sanava esse sentimento, mas tudo isso porque no fim de tudo, não havia sentimento, ou não deveria haver! Tudo se encaixou quando realmente senti de onde vim, para onde estava indo, quem eu era! Eu era um Dragão, destinado a reinar sobre todos os outros, um líder, um lorde, um Deus, um Tzimisce!
    Ainda assim, não era o único. Mais dois antes de mim já se encontravam sob a tutela de minha graciosa Voivode, Morlak Bratovich e Turil Krakoslav. Estes, cujos quais posteriormente me foi permitido saber, não seguiam a linhagem dos Deuses entre os Deuses, embora Tzimisces, não eram verdadeiros Tzimisces, como minha Dama da Escuridão me ensinou.
    Morlak Bratovich, cria de uma nobre família de carniçais que foi agraciada com o Don, ou devo diver Benção divina, cuja qual os permitiu se tornar puros como nós! Ou melhor dizendo, não totalmente puros. Possuíam uma brutalidade em particular, uma certa bestialidade, uma ligação maior com sua besta interior, ou devo dizer fraqueza? Sua linhagem dentro de nosso clã já nasceu contaminada pela moléstia da carne, que eles chamam de vissiscitude. Um poder formidável para comandar o corpo por completo, porém, isso parece afetar suas mentes de alguma forma que minha Deusa negra ainda não soube me explicar. Hoje, Morlak serve a minha imperatriz sombria, uma vez que já em noites passadas, ele foi oferecido para ela como um presente para selar a aliança entre dois voivodes e claro, futuramente fiquei sabendo que também foi para agradecer vários favores de minha voivode para com o mestre de Morlak e com o objetivo de selar um pacto de passividade entre os voivodes, assim como auxílio bélico, em caso de necessidades. Assim sendo, sua colocação dentro do Voivode é, como posso dizer, mais voltada para a área bélica da fortaleza, sendo considerado como um capitão, ou comandante, das hordas do terror. Sua condição também lhe traz como linhagem, uma força sobrenatural que não é comum de nosso clã, assim como ele não conseguiria perceber nuanças sutis, ou melhor, ele não conseguiria escutar uma briga no quarto ao lado, o que também é estranho pela visão de nossa linhagem.
    Turil Krakoslav por sua vez é mais antigo que Morlak, embora tenha vindo para os braços de minha sacerdotisa das trevas em condições muito semelhantes. Uma verdadeira divindade, uma linhagem pura dentro de uma raça pura, sabe como fazer as situações virarem para o seu lado. Assim, no meio de um desentendimento grave entre dois voivodes, ela conseguiu apaziguar a situação, fato extremamente raro eu posso afirmar, e ainda virou o jogo para o lado que a agradava sem que o lado prejudicado se sentisse ofendido ou até mesmo em desvantagem. Assim sendo, dentro de tal situação, Turil foi oferecido como um gesto de apreciação pelo ato nobre que ela havia feito. Traduzindo, a dívida havia sido paga.
    Este também não era puro, mas sim, de linhagens muito mais próximas da perfeição do que qualquer Bratovich e muito mais antigas que a aparição da Vissiscitude, de forma que posso considerar como um irmão de linhagem. Extremamente poderosos e reclusos, os assim chamados de Kolduns, são os feiticeiros dentre os Cainitas. Poderes surpreendentes ligados aos elementos desta bela e abençoada terra, assim como com os espíritos da mesma.
    É claro que tudo isso havia uma razão, minha dominatrix possuía um intelecto e uma perspicácia tão apurados que era muitas vezes difícil de compreender, embora ela tenha me revelado sua estratégia. As linhagens existem e sempre existiram, mas há uma linhagem superior. Porém esta linhagem não possui todos os segredos das linhagens mais baixas e é aí que mora a estratégia. Como uma das mais respeitadas dentre os de sua linhagem, ela tinha como planos absorver estes conhecimentos, torná-los palpáveis dentre os nossos, trazer os segredos Koldúnicos e a arte da Vissiscitude para dentro de nosso Voivode! E assim ela o tem feito. Utilizando os votos do sangue e dons manipulativos inerentes de vossa majestade, com uma doçura selvagem suas crias se entregavam de corpo e alma aos seus desejos, cujos quais ela recompensa generosamente.
    Minha arconte do destino possui características que eu ainda desconheço, assim como aos meus “irmãos”, por isso não consigo interpretar totalmente o seu relacionamento. Obviamente ela o faz consciente para que eu não decifre e mantém minha mente entretida com ensinamentos sobre os poderes do sangue que ela sorvia de suas “crias”.
    Devo contar sobre a relação dos lordes com a plebe? Ah, acho que seria um desperdício não relatar fato tão importante como esse. Uma vez seu protegido, sua linhagem, seu amor maior, eu era instruído de todos os detalhes do voivode, todo o seu funcionamento, todos os empasses, inclusive a cobrança de tributos.
    Tudo acontecia muito rápido, em períodos de sete a quinze dias, Morlak descia a colina com a horda trôpega e disforme de seus soldados lacaios, que costumamos chamar de “carniçais da guerra”. Humanos que foram alimentados com o sangue do poder proveniente de nossas veias, compelidos a nos servir pelo vínculo criado por tal elo, brutalmente deturpados e retorcidos pelo próprio Morlak em seres oriundos de um próprio pesadelo e armados com membros transformados em armas letais. Adentravam pela aldeia cobrando seu tributo de ouro e sangue, cuidadosamente cuidando daqueles que vez ou outra se rebelavam. No mais, a turba geralmente se acovarda de pavor enquanto a horda sobe de volta ao Voivode com alguns aldeões para servirem de alimento aos mestres, que não são “devorados” até que um pouco de diversão seja realizado, afinal de contas, até Deuses precisam de entretenimento. Fora isso, todos nós temos a nossa cota de noites em que visitamos a vila, afinal de contas, a emoção da caça deixa o vitae muito mais saboroso.
    O Koldun também possuía um papel importante durante os dias que se passam até a coleta dos tributos. Comandando os elementos a sua volta ele conseguia incitar pavor nos aldeões à distância, imbuindo o próprio vento com murmúrios e sussurros para manter os aldeões sempre reclusos e amedrontados.
    Assim, as noites se passam e em um verdadeiro Dragão eu vou sendo lapidado. Minha Kzarina draconiana havia me dito que gostaria de me enviar para algumas negociações e relações diplomáticas, o que me fez trabalhar minhas habilidades recentemente adquiridas com relação à minha boa apresentação, o que devo dizer sem muita modéstia, eu realmente sou muito bom no que faço...
    Porém, a história se provou como sempre, sarcástica e pronta para provar a bravura dos fortes, assim como devorava os fracos. Notícias sobre os usurpadores se tornavam cada vez mais comuns enquanto os voivodes, um por um se tornavam mais irritados e voláteis. Estes auto-intitulados magos do sangue haviam transgredido não apenas nossos limites, como também se agraciaram com a benção do sangue por meio de rituais arcanos, nos quais o líder de um clã foi destruído e vários dos nossos foram sacrificados. Isso é claro, não poderia ficar sem retaliação. Logo os lordes Dragões Começaram a contra atacar este abuso de tão baixos usurpadores, que com tempo, conseguiram se defender de nossos ataques. Mão demorou muito para que eles nos atacassem e vejam só, nosso território estava como um dos primeiros a receber tal retaliação.
    Traídos, superestimados ou meramente esquecidos. Não sei dizer qual das circunstancias seria mais correta, apenas sei que nos vimos sozinhos quando o exército inimigo chegou em nossas bordas. Neste ponto, os usurpadores já detinham o poder de criar monstruosas Gárgulas como defensores e as usavam deliberadamente. Nós por outro lado, tínhamos um vasto exército dos temíveis carniçais de guerra, um Bratovich furioso em forma demoníaca, um poderoso feiticeiro koldun e a criatura mais pavorosa e destruidora que já entrei em contato, o gigante Vohzd.
    Os exércitos se chocavam como uma tempestade na floresta, mas por sorte nosso Vohzd era ótimo em arrancar árvores. Com o caos no campo de batalha, a poeira sobe e os rugidos de fúria e dor ecoam pela planície. Morlak estava insandecido, levando inúmeros magos do sangue para a sua morte final, enquanto Turil dava uma lição nos mesmos, afinal, a manipulação dos elementos parece brincadeira de criança contra aquele que os domina por completo. Enquanto isso, eu e minha matriarca assistíamos a nossa massacrante vitória.
    Algumas noites de batalha adiante foram suficiente para nos lembrar da posição vulnerável que nosso Voivode se encontrava contra ondas de ordas inimigas, sem nhnhum aliado se prontificar para nosso auxílio. Todos os nossos carniçais foram aniquilados, nosso Vohzd foi subjugado, Morlak havia sido derrotado e Turil completamente destruído. Assim sendo, as forças Tremere subiram rápido a colina enquanto minha Deusa dos amaldiçoados os bloqueou. Seu poder era tamanho que causou perdas avassaladoras no inimigo, mas não seria o bastante e com o tempo ela também cairia. Muito feria, correu para o calabouço, aonde havia me mandado esconder, murmurando sobre a nossa linhagem e que eu deveria sobreviver a qualquer custo, abrindo sua jugular e me ordenando que a tomasse pelos braços do amaranto.
    “Não tema meu adorado, pois eu estarei sempre contigo e serei tua guia por toda a eternidade”.
    A sensação de ver o antes perfeito corpo de minha eterna, maculado e se esvaindo à medida que eu absorvia toda a sua essência, me enchia de uma tristeza enorme. Ao término,
    Podia senti-la dentro de mim, toda a sua força e seu conhecimento, assim como seus poderes tomavam residência em meu corpo. Não havia mais tristeza, havia desapego, havia serenidade.
    Não tardou para a fortaleza ser tomada e enquanto eu fugia pelas masmorras, o castelo que já sentia em suas vigas a dor de tantas avarias causadas por consequentes ataques, não resistira e desabava sua carcaça de pedra sobre si e sobre toda a horda invasora, enterrando tudo e todos em seu vasto interior. Foi tudo muito rápido e por reflexo, fiz a única coisa que consegui pensar, me enfiei dentro de um caixão de pedra enquanto houvia e sentia o mundo cair a minha volta, até entrar em um sono profundo.


    Prólogo – Segunda parte
    A antiga linhagem renasce

    “Acorde... agora!”
    Em um misto de vozes oriundas de um pesadelo sem fim, cujo qual revivia dores e tormentos incessantemente, uma voz se destaca, destruindo aquele mundo de agonia e me colocando em um estado de vigília.
    “Acorde! O momento de se erguer, de acordar, se faz por agora!”
    Mais uma vez a voz me atinge e como ordenado, meus olhos se abrem. Em instantes eu acordara e me colocara para fora do caixão em que jazia. Me encontrava em uma sala que salvo alguns itens e entulho, era diferente de qualquer uma em que já estivesse e enquanto isso, uma fome avassaladora arrebatava minha consciência e meus instintos.
    “A terra! Guarde-a em algum recipiente, rápido! É dessa terra que vem nossas forças, lembre-se de seus ensinamentos!”
    A voz me trouxera inúmeras lembranças e enquanto juntava punhados daquela terra em sacolas de couro, seu aroma lembrava- me de minha casa.
    “Pare de titubear e perder tempo! Rápido, faça o que lhe digo.”
    Assim, seguindo à risca o que a voz me dizia, me deparei matando e drenando homens que encontrei em meu caminho para sair daquela estranha construção, homens com roupas que não me fazem sentido algum e um sotaque completamente estranho. Tal construção bizarra, que só poderia ser obra de algum Toreador estravagantemente enlouquecido, era adornada de esqueletos de criaturas que só poderiam ser oriundas de um pesadelo ou até mesmo do mais profundo inferno! Pinturas e obras de arte com peculiaridades tanto maravilhosas quanto grotescas, algo que apenas um Malkaviano lunático poderia conceber. Demorei sim para achar a saída e enquanto isso ponderava sobre a voz em minha mente... sim, só poderia ser ela... sim, mina Ama falava comigo... sim. Teria ela premeditado tudo isso?
    Meus pensamentos foram interrompidos quando achei a saída do estranho lugar, tendo a certeza de que havia dormido por tempo demais. A noite era tão iluminada por inúmeras estas tochas sem fogo que eu me confundia se já não era dia! As ruas eram habitadas por criaturas metálicas que se locomoviam com rodas, possuíam olhos que brilhavam como minúsculos sóis e lançavam constantemente ao ar suas excretas vaporizadas, deixando seu fedor por toda a cidade, enquanto dentro de si, homens pareciam guiar tais criaturas. Ah, mas é claro, não eram criaturas, eram carruagens, mas sem cavalos! As pessoas eram muito numerosas e não se importavam em andar a noite sobre passadiços de concreto que terminavam em uma estrada dura, seca e negra como a noite.
    Confesso aqui o terror que passei, quase me entregando ao frenesi-raposa e não fosse a voz novamente, não teria encontrado um refúgio tão rapidamente.
    Era uma construção abandonada que clamei como meu refúgio. Vasculhando o local encontrei em uma de suas câmaras um alçapão para uma sala no subsolo. Fiz de lá meus aposentos particulares. O lugar era perfeito, escuro, de difícil acesso e despejada toda a terra que havia trazido em um dos cantos do aposento, poderia começar o próximo passo.
    Meu sustento se deu de forma bem mais fácil do que imaginara. Os párias desta comunidade visitavam a região aonde meu refúgio era estabelecido e se faziam presas fáceis para mim. Todas as noites de prontidão sobre a construção, observava minha caça e o estilo de vida desse novo mundo que eu tanto desconhecia, até encontrá-la. Uma fêmea, de presença marcante e estranha, que posteriormente descobri ser algo comum de sua tribo. Esperta, ambiciosa, sabia conseguir o que queria e possuía muitos contatos. Ela fazia o mesmo caminho quase todas as noites, então não foi difícil estudar seus passos, suas atitudes... Claro, ela se tornou uma ótima Carniçal. A primeira de meu futuro reinado.
    Meu mais novo bichinho de estimação provou-se apaixonado e muito útil! Tem se prontificado a me ensinar suas maneiras de forma esplendorosa. Em seguida, expliquei que iria precisar de recursos para continuar com meus planos e suas ideias encheram de novidades desta louca humanidade em minha mente antiga. Humanidade esta que vive a noite sem medo e se entrega às suas paixões e desejos por diversão.
    “Vamos transformar este galpão abandonado em um local secreto para shows de música eletrônica e bandas de metal. Ainda conseguiremos lucrar com a venda de bebidas e drogas”.
    Confesso não ter entendido quase nada do que ela havia dito, mas gostava de cada ideia, cada palavra, ordenando-a que colocasse em prática as suas ideias.
    Dessa forma, ela passava os dias atrás de seus contatos e as noites me passava os detalhes enquanto eu cuidava da “aparência” do lugar. Fiz algumas esculturas e pinturas enquanto May me trazia algumas roupas dignas. Pude notar também que o tempo fez com que a plebe se importasse mais com a aparência e minha atual presença não seria deveras agradável. Enquanto May usou o seu tempo para fazer os preparativos para o grande plano dar certo, eu gastei algumas noites para esculpir minhas feições e me tornar mais agradável ante a essa geração que eu me deparava. Devo confessar que os resultados superaram as minhas expectativas, graças ao extenso treinamento que Vriika me imperou. Depois de terminado o meu rosto não pude deixar de sentir a sua falta. Ela me acompanhava de certa forma mas nunca mais seria capaz de sentir a sua pele, vislumbrar sua beleza.
    Enfim como já esperado, o primeiro show se fez. Uma noite espetacular com dezenas de humanos enlouquecidos, movidos por substâncias alucinógenas e uma música hipnotizante. Sem qualquer pudor quanto ao sexo e ao prazer, esse rebanho manteve-se ativo por quase toda a noite, enquanto eu os observava atento, com um singelo sorriso nos lábios. A música me alegrava, juntamente com a facilidade desses homens e mulheres da noite se entregarem ao “beijo”, fora o fato de que o dinheiro de seus bolsos retornava para o seu devido lorde. O Reinado do Dragão do Oriente Europeu tem o seu renascer neste momento.
    “Bem vindo minha criança à gloriosa noite do ano de nosso senhor de 2019 e ela é toda sua!”

    7. Banco de Dados
    Lucas Corey
    Investigador
    Lucas Corey
    Investigador

    Mensagens : 67
    Reputação : 21

    Fichas Empty Re: Fichas

    Mensagem por Lucas Corey em Sab Jan 05, 2019 11:54 am

    FICHA APROVADA (05/01/2019) BY @Askalians

    Fichas Actor-clive-owen-of-intruders-poses-during-the-2011-toronto-film-at-picture-id124843932?s=612x612

    Nome: Lucas Corey
    Personagem: Hunter Hayes
    Idade: 35
    Altura: 1,73
    Conceito: Self-made man
    Natureza: Competidor
    Comportamento: Diretor
    Residência: Cobertura de três quartos, alto padrão, em Nola

    ATRIBUTOS

    Físicos (3º)
    Força: 1 + 1
    Destreza: 1 + 1 + 1 (Bônus)
    Vigor: 1 + 1

    Sociais (1º)
    Carisma: 1 + 2
    Manipulação: 1 + 3
    Aparência: 1 + 1

    Mentais (2º)
    Percepção: 1 + 1
    Inteligência: 1 + 2
    Raciocínio: 1 + 1

    HABILIDADES

    Talentos (3º)
    Prontidão: 0
    Esportes: 2
    Briga: 1
    Esquiva: 0
    Empatia: 1
    Intimidação: 0
    Liderança: 1
    Manha: 0
    Lábia: 0

    Perícias (1º)
    Empatia com Animais: 0
    Ofícios: 0
    Condução: 2
    Etiqueta: 2
    Armas de Fogo: 0
    Armas Brancas: 3 (praticante de kendo)
    Performance: 1
    Segurança: 2
    Furtividade: 1
    Sobrevivência: 2 (pântano)

    Conhecimentos (2º)
    Acadêmicos: 1
    Computador: 1
    Finanças: 3
    Investigação: 0
    Direito: 1
    Linguística: 2 (Língua nativa: dialeto cajun; Outras: inglês e espanhol)
    Medicina: 0
    Ocultismo: 0
    Ciências: 0
    Política: 1

    VANTAGENS

    Antecedentes
    Aliados: 0
    Contatos: 1 (Edward Lamo: hacker do tipo “Gray Hat”)
    Fama: 0
    Influência: 0
    Mentor: 0
    Recursos: 4
    Status: 0

    VIRTUDES

    Consciência: 1 + 2
    Autocontrole: 1 + 2 + 1 (Bônus)
    Coragem: 1 + 3

    *Humanidade: 6 + 1 (Bônus)

    *Força de Vontade: 4
    Fixo: 4 + 4 (Bônus)
    Variável: 8

    VITALIDADE:

    QUALIDADES
    Vigoroso (5)
    Líder Nato (1)

    DEFEITOS
    Impaciente (-1)
    Vingança (-2): descobrir quem destruiu a vida de sua mulher e vingar-se

    PERTENCES

    Carro: Audi TT RS (esportivo)
    Ultrabook
    Sabre japonês (katana) - guardado no apartamento

    ARMAS
    Katana (espada): Ocultabilidade: I; Dano: Força + 2

    Uso de pontos de Bônus
    Qualidades 6; Destreza 5; Autocontrole 2; Humanidade 1; Força de Vontade 4; Defeitos (-3)

    História:

    De uma velha casa de madeira  nos pântanos da Louisiana para uma bela cobertura num condomínio moderno e de alto padrão, a ascensão social de Hunter foi realmente invejável. Desde criança ele desejava intensamente ser mais do que era, e melhor do que os outros. Nunca se sentiu bem com suas origens cajuns, apesar da larga influência cultural cajun no estado da Louisiana e da atração que os turistas têm pela culinária, os costumes, a música e as tradições desse grupo. Ocorre que seus pais têm baixa instrução e sempre foram muito pobres, de sorte que Hunter associa tudo o que se refere à cultura cajun com atraso, pobreza, crendices, ignorância.

    Já na infância, Hunter decidiu que iria estudar para ter uma profissão de prestígio, ótima remuneração e que lhe abrisse as portas para tornar-se um grande empresário. Foi um aluno extremamente aplicado, daqueles que estudam noites inteiras, tirava ótimas notas, e dedicava-se aos esportes pelo prazer de competir. Conseguiu uma bolsa de estudos para a universidade,  formou-se em administração e fez um curso de MBA na prestigiosa Harvard Business School, o que o levou a ocupar ótimos cargos de direção em empresas de informática e de consultoria. Acumulou uma poupança, firmou uma sociedade com dois executivos com quem já tinha trabalhado e fundou a Invictus, empresa de consultoria em finanças e negócios com uma excelente clientela.

    A única coisa que o atrapalhava um pouco no trabalho era seu espírito impaciente, o que o levava a fazer cobranças descabidas aos subordinados, a ser apressado ao lidar com burocracia e também insistente demais no trato com superiores, sócios e clientes. Para lidar melhor com isso, resolveu se dedicar ao kendo, uma arte marcial que valoriza a autodisciplina, a estratégia e a concentração. Outro motivo para escolher esse esporte (mas que ele nunca comenta com ninguém) é o fato de a cultura japonesa não ter absolutamente nada a ver com a cultura cajun.

    Enfim, temos aí um homem prático, determinado, focado em seus objetivos, e até bastante calculista. Em sua trajetória rumo ao sucesso, uma única nota dissonante: seu namoro e casamento com Maria Stern, a quem conheceu ainda nos tempos de faculdade. Ela é de uma família judia de intelectuais de classe média, estudou artes plásticas, e trabalha como fotógrafa, pintora e escultora. Não era o perfil ideal para auxiliá-lo em sua ascensão econômica, mas a união dos dois resultou de amor, não de cálculo.

    E foi um casamento muito feliz, até um ano atrás. Ela desapareceu numa noite, ao voltar do seu ateliê para casa, e só foi encontrada na semana seguinte. Estava nua, inconsciente, jogada num terreno baldio, e com pouco sangue no corpo. O exame de corpo de delito não identificou nenhum indício de violência sexual ou de qualquer outro tipo, mas, seja lá o que tenha acontecido naqueles dias, foi uma experiência devastadora para Maria. Ela acordou sem se lembrar de nada do que aconteceu, mas não voltou a ser a mesma pessoa. Produz pouco, chora pelos cantos sem motivo, quase não sai de casa, e seu olhar às vezes se perde por muito tempo mirando o nada. Terapia e antidepressivos têm tido efeitos bastante limitados.

    Durante vários meses, Hunter alimentou a esperança de que seu amor e atenção iriam tirá-la daquele estado, devolver-lhe o gosto pela vida. Não aconteceu. Quanto mais o tempo passa, mais a frustração de seus esforços o leva a concentrar-se no trabalho para não afundar no mesmo pântano emocional que ela. Os dois estão começando a se distanciar, e as ambições profissionais de Hunter crescem na mesma proporção.

    Quanto às investigações policiais sobre o sequestro de Maria, estas resultaram em nada, e o caso só não foi arquivado ainda devido à insistência de Hunter, que acionou seu advogado para pressionar a polícia e até a Promotoria. Para um homem impaciente como Hunter, isso, de fato, era terrivelmente exasperante!

    Em suma, temos aí um homem que está se aproximando dos quarenta anos, não tem sido feliz no último ano de casamento, se distanciou do grupo familiar e ainda não atingiu seu objetivo, posto que, embora seja um empresário muito bem de vida, ainda não é um milionário. Nunca fez nada de ilegal na vida - nem mesmo colava nas provas, quando era estudante -, mas já está começando a se sentir seriamente tentado a usar recursos questionáveis para ascender com mais velocidade.
    Lady of Carnage
    Neófito
    Lady of Carnage
    Neófito

    Mensagens : 15
    Reputação : 3

    Fichas Empty Re: Fichas

    Mensagem por Lady of Carnage em Qua Jan 09, 2019 3:59 pm

    FICHA APROVADA (09/01/2019) BY @Askalians

    Fichas Keira-Knightley-in-Anna-K-008

    1. Dados

    Nome: Lady of Carnage
    Personagem: Milena de Carnage
    Clã: Lasombra
    Natureza: Sobrevivente
    Comportamento: Autocrata
    Geração:
    Refúgio: Suíte presidencial do Bourbon Orleans Hotel, no Bairro Francês
    Conceito: Diletante

    Saldo de XP: 0/0


    2. Atributos

    Físicos
    - Força: 1
    - Destreza: 1 + 2
    - Vigor: 1 + 1

    Sociais
    - Carisma: 1 +3
    - Manipulação: 1 + 2
    - Aparência: 1 + 2

    Mentais
    - Percepção: 1 + 2
    - Inteligência: 1 + 2
    - Raciocínio: 1 + 1


    3. Habilidades

    Talentos
    - Prontidão: 1*
    - Esportes: 0
    - Briga: 0
    - Esquiva: 2
    - Empatia: 2
    - Expressão: 0
    - Intimidação: 4
    - Liderança: 3
    - Manha: 0
    - Lábia: 2

    Perícias

    - Empatia c/ Animais:
    - Ofícios: 0
    - Condução: 0
    - Etiqueta: 2
    - Armas de Fogo: 0
    - Armas Brancas: 2
    - Performance: 2
    - Segurança: 0
    - Furtividade: 2
    - Sobrevivência: 1

    Conhecimentos
    - Acadêmicos: 0
    - Computador: 0
    - Finanças: 0
    - Investigação: 1*
    - Direito: 0
    - Linguística: 3 (nativa: Francês; adicionais: Inglês, Alemão, Russo, Espanhol)
    - Medicina: 0
    - Ocultismo: 2
    - Política: 0
    - Ciências: 0


    4. Vantagens

    Antecedentes
    Geração 5
    Recursos 4*
    Lacaios 1*

    Disciplinas
    Dominação 1*
    Tenebrosidade 3


    5. Virtudes

    - Consciência: 1 + 1
    - Autocontrole: 1 + 4
    - Coragem: 1 + 2

    Humanidade: 7

    Força de Vontade: 3 + 5*


    Qualidades e Defeitos
    -
    -
    Observações

    - O antecedente Lacaios (1), representa a única serva pessoal que restou da convivência com o Conde de Güell - a criada de quarto Ivana Vyrubova, carniçal.


    6. Prelúdio

    Centenas de anos se passaram desde meu nascimento naquele longínquo século dourado. Reinava então Luís XIV, o Rei Sol, e de meu ponto de vista privilegiado, posso dizer que não houve época melhor na história do mundo. Oh, os bailes incessantes, as caçadas, as luzes, o luxo! Belos jovens em calças brancas e polainas, os vestidos froufrous das cortesãs, a liberdade… Não, em verdade, não houve tempo melhor. Minha infância foi gulosa, cercada de servos, preceptores, brincadeiras e madeleines, mas admito que minhas lembranças estão embaçadas. Minha angústia é sentir que, quanto mais tento recuperar os bons tempos, mais a memória esvanece. Sei que tinha quinze anos quando me apresentaram à sociedade e eu deixei o plácio de Carnage para me juntar à cour de Luís XIV. Foi aí que minha vida ficou mais difícil, digo, eu ainda tinha meus luxos e podia me divertir, mas eu era só mais uma entre outras aristocratas, não mais a menina dos olhos do Duque de Carnage.

    Mesmo que minha posição garantisse que muitos nobres rapazes viesse me cortejar, e eu adorasse suas atenções, suas faces escanhoadas e as voluptosas valsas no salão azul, não me interessava de fato pelos jogos de amor, nem me sentia inclinada a ceder minha liberdade e diversão a um homem. Já naquela época eu sentia um desejo por poder que me apartava de minhas iguais, e a consciência de que meu destino era grandioso demais. Quem estaria à altura, afinal, de esposar a filha única do Duque mais violento da corte? A fama intimidadora de minha família serviu para que eu cavasse alianças entre os homens da corte, e logo eu era uma jogadora na política real - sempre por baixo dos panos, sussurrando algo aqui, coletando um segredo ali, chantageando alguém acolá… Aos vinte anos eu gozava de uma posição que poucas mulheres poderiam ter na época, e isso se manteve no tempo regencial, quando ficamos sob a regência do Duque d’Orleães.

    Foi logo depois que Luís XV assumiu o trono, quando eu já estava ficando suspeitosamente velha para ser uma cortesã não casada, que o conheci. Ele chegou em uma noite chuvosa do inverno de 1725 - me lembro como se fosse ontem. Ele não chegou junto com os outros emissários do Sacro Império, mas sim tarde da noite, acompanhado de um séquito pálido e mudo. Era um Habsburgo, do ramo espanhol da família, o Conde de Güell, do blaison de corvo. Eu fiquei fascinada. Não foi que eu me sentisse exatamente atraída, não como as jovenzinhas da corte. Eu sentia um poder absolutamente sedutor emanar daquele ser. Ele era O Poder, eu sentia, e isso tanto me instigava quanto me assustava - eu, que nunca tinha me assustado com nada na vida! Eu decidi que precisava saber quem era, afinal, o Conde de Güell. Essa foi tanto minha sorte quanto minha ruína.

    O Conde arruinou minha vida. Era um homem malicioso e perceptivo, então meus esquemas para desvendá-lo, embora sutis, eram óbvios para ele. Enquanto eu lutava com o enigma que ele representava, ele tecia uma teia de difamações que foi destruindo completamente a posição que eu tanto lutara para conquistar. Inexplicavelmente, as cortesãs começaram a se afastar, os nobres me viravam as costas, meu dinheiro desaparecia e logo o rei me queria fora do castelo. Antes que eu sequer descobrisse algo útil sobre ele, vi toda a minha vida e meu privilégio serem jogados na lama. Quando o conselheiro do rei veio aos meus aposentos e me mandou fazer as malas, perdi completamente as estribeiras e me atraquei com o homem aos berros, arranhando sua cara assustada a ponto de lhe arrancar pedaços de carne, e num acesso de ódio e loucura, sentindo o sangue ferver como nunca antes, esmaguei sua cabeça com um castiçal.

    Foi minha maior vergonha e humilhação. Tentei fugir, tentei lutar, mas os guardas me arrastaram pelas escadas do palácio, aos olhos de toda a corte - e eles apontavam e riam! Eles riam do meu desonroso fim! Só então compreendi que todos me detestavam na corte, presos sob mim pelo medo. Fui jogada no calabouço por longos e longos dias, sem ver vivalma, presa no ambiente mais abjeto que já estive na vida. Uma noite, quando planejava minha vingança contra as forças obscuras que me tinham lançado naquele inferno, o Conde surgiu das sombras, belo e assombroso, e me contou entre risos o que tinha feito. Eu o ataquei, ele riu mais. E me abraçou.

    Na noite seguinte fugimos para seu castelo em terras de Espanha e por muito tempo vivemos juntos. Ele me abriu o caminho para um mundo de poder inimaginável, para o que havia de mais monstruoso dentro de mim, e me ensinou a manipular não apenas os outros mas também a mim mesma. Eu o amava pelo que me ensinou, e sempre fui leal a ele, mas eu também o detestava por roubar de mim a glória de meus dias na corte francesa. Mas ele era um diplomata, um emissário estrangeiro, então mudávamos de país quando necessário e nos inseríamos em outras cortes, isso era divertido. Mas noites viraram anos, que viraram séculos, impérios caíram, a aristocracia desapareceu e a empolgação do poder e da violência foi se esvaindo, dando lugar a um tédio mortal e a um saudosismo dos meus tempos de cortesã… Mas então a França já não era mais o que tinha sido, o mundo todo tinha mudado demais e isso me entristecia. Eu não tinha mais vontade de lutar. Senti que era hora de começar de novo, longe do Conde, longe do Velho Mundo, sozinha.

    Me despedi de meus comparsas e do Conde e, como tantos de minha linhagem antes de mim, me lancei ao mar em direção ao Novo Mundo. O saudosismo me fez decidir buscar algo que me lembrasse de meu passado, então segui para a cidadezinha americana fundada em homenagem ao Duque d’Orleães, o regente do saudoso Luís XV. Estava indo sem amarras, sem conhecidos, disposta a começar do zero. E cá estou agora.

    7. Banco de Dados
    Bastet
    Tecnocrata
    Bastet
    Tecnocrata

    Mensagens : 490
    Reputação : 27
    Conquistas :
    • https://i.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/2211.png

    Fichas Empty Re: Fichas

    Mensagem por Bastet em Qui Jan 10, 2019 7:34 pm

    FICHA APROVADA (11/01/2019) BY @Askalians





    Fichas GAHEKdP

    1. Dados

    Nome: Bastet
    Personagem: Sophie Fisher
    Clã: Humana
    Natureza: Celebrante
    Comportamento: Bon Vivant
    Geração: --
    Refúgio: Casa dos pais, em um condomínio de luxo na cidade
    Conceito: Artista  (dança e canto)

    Saldo de XP: 0/0

    2. Atributos (6/4/3)

    Físicos (Terciário 3)
    - Força: 1
    - Destreza: 1 + 2
    - Vigor: 1 + 1 + 1 (Bônus)

    Sociais (Primário 6)
    - Carisma: 1 + 2
    - Manipulação: 1 + 1
    - Aparência: 1 + 3

    Mentais (Secundário 4)
    - Percepção: 1
    - Inteligência: 1 + 2
    - Raciocínio: 1 + 2


    3. Habilidades (13/9/5)

    Talentos (Primário 13)
    - Prontidão: 1
    - Esportes:2
    - Briga: 0
    - Esquiva: 2
    - Empatia: 2
    - Expressão: 1
    - Intimidação: 1
    - Liderança: 2
    - Manha: 0
    - Lábia: 2

    Perícias (Terciário 5)
    - Empatia c/ Animais: 0
    - Ofícios: 0
    - Condução: 1
    - Etiqueta: 2
    - Armas de Fogo: 0
    - Armas Brancas: 0
    - Performance: 2
    - Segurança: 0
    - Furtividade: 0
    - Sobrevivência: 0

    Conhecimentos (Secundário 9)
    - Acadêmicos: 1
    - Computador: 2
    - Finanças: 0
    - Investigação: 1
    - Direito: 0
    - Linguística: 2 (Inglês [nativa] +  Francês e Italiano)
    - Medicina: 0
    - Ocultismo: 1
    - Política: 1
    - Ciências: 1


    4. Vantagens

    Antecedentes (5)

    -Aliado: 1 - (Pai é o CEO de uma empresa influente de tecnologia)
    -Fama: 1
    -Influência: 1 (Bônus)
    -Recursos: 3 + 1 (Bônus)
    -Contatos: 2 (Bônus) - (Sabe com quem conseguir drogas mais barato; Dono do bar onde ela se apresenta vez ou outra, escondida dos pais)



    5. Virtudes (7)
    - Consciência: 1 + 2 + 1 (Bônus) = 4
    - Autocontrole: 1+ 2 + 1 (Bônus) = 4
    - Coragem: 1 + 3 = 4

    Humanidade: 4 + 4 = 8

    Força de Vontade: 4 + 1 (Bônus) = 6

    Qualidades e Defeitos

    - Linguista Nato (2 pontos)
    - Equilíbrio Perfeito (1 ponto)
    - Voz Encantadora (2 pontos)
    - Fisionomia Amigável (1 ponto)
    - Líder Nato (1 ponto)

    Observações
    -
    -
    -


    6. Prelúdio


    Sophie é uma menina que, desde jovem, se mostrou promissora nos estudos. Sendo obrigada pelos pais a ser a aluna exemplar, sempre esteve às margens dos círculos sociais na escola, só sendo notada quando algum menino queria tirar onda com o aparelho que usava ou com os quilinhos a mais que adquiriu na época em que parara de fazer exercícios, pois havia pegado muitas matérias extracurriculares.

    Quando entrou no ensino médio, as coisas começaram a mudar. Ao conseguir passar na audição das líderes de torcida, se enturmou com o grupinho mais “popular” da escola, aprendendo como se arrumar, como se portar e o que fazer para ser notada e elogiada pelos demais.

    Apesar da mudança na escola, os pais não deixaram de cobrar dela. Por isso, a jovem tinha uma rotina dupla e estressante: a rotina de estudos e a vida social. A pressão de ambas as partes ficou ainda pior com o passar do primeiro ano, no qual ela pegou dependência em uma matéria e os pais ficaram ainda mais duros com ela... E quando começou a rolar o papo, entre as meninas do seu grupo, sobre sexo e de que "como perder a virgindade havia feito delas mais mulheres". Nessa época, todos começaram a namorar e, para não ser a única sozinha no grupo, aceitou o pedido de Billie Madson, o principal jogador do time de futebol da escola.

    A relação com Billie era conturbada... Ele, enquanto ela fazia o que ele queria, era um bom namorado. Gentil, carinhoso, meigo... Mas, quando ela não fazia as vontades dele, uma série de xingamentos era o normal para ele, dizendo o quão “gorda” ela tava e que era uma “vadia santinha” por não querer dormir com ele ainda. O menino ainda se vangloriava, ainda, de não contar o quão puritana ela era, para os amigos, pois era um “bom namorado”. Toda essa pressão fez, ainda, que a menina adquirisse um transtorno alimentar, para ter um corpo bonito... Acreditando nos xingamentos do namorado.

    [...]

    No terceiro ano do colégio, Sophie se tornou uma das três líderes de torcida principais, conseguindo solos de dança nas apresentações. Adorava dançar e, finalmente, descobriu algo que a satisfazia. Nunca contou a ninguém sobre as barbaridades do namorado... Embora soubesse que ele a traía. Sabia que a relação ajudava em sua popularidade e a popularidade ajudava em sua ascensão como líder de torcida. Era uma vida vazia, sem muitos prazeres, mas finalmente ela estava fazendo algo por ela mesma.

    De alguma forma, a menina sabia que influenciava as pessoas. Não entendia como, mas sempre que ela usava um tom de voz mais meigo ou quando cantava uma música... Algo acontecia. Conseguiu um freela em um bar da área central da cidade, após o dono ver ela se apresentando em um jogo de futebol e cantando o hino. Desde então, ela vem aperfeiçoando ainda mais esse "dom", com a sua voz. Sabe que, se falar baixinho, de forma mais sexy, consegue convencer os mais tarados... Se cantar uma música animada, deixa qualquer ambiente animado. é algo incrível que ajudou bastante a jovem se tornar conhecida entre os grupinhos que frequentavam o bar e o colégio.

    Após as primeiras provas, ela acabou tirando notas ruins... E entrou na lista de aulas particulares do colégio. Mais uma coisa... Estudar, dançar, se alimentar (muito raramente), manter a aparência com o namorado, fingir interesse com as “amigas” e, agora, ir em aulas particulares. O seu dia estava muito cheio e a jovem beirava à exaustão e a solidão, apesar de passar boa parte do dia acompanhada.

    E aquele era só o começo do ano. Será que aguentaria até o fim dele?

    7. Banco de Dados
    -

    8. Pontos Bônus (21)

    - 4 pontos em Antecedentes (x1) = 4 pontos bônus
    - 2 pontos em Virtudes (x2) = 4 pontos bônus
    - 1 ponto em Atributos (x5) = 5 pontos bônus
    - 1 ponto em Força de Vontade (x1) = 1 pontos bônus
    - 7 pontos em Qualidades (x1) = 7 pontos bônus

    vontheevil
    Elder God
    vontheevil
    Elder God

    Mensagens : 4378
    Reputação : 70
    Conquistas :
    • https://i.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/311.png
    • https://i.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1411.png
    • https://i.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1112.png
    • https://i.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/811.png
    • https://i.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1212.png
    • https://i.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1811.png
    • https://i.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1413.png
    • https://i.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/712.png
    • https://i.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/612.png
    • https://i.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/410.png
    • https://i.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1511.png
    • https://i.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/512.png
    • https://i.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/2111.png
    Premiações :
    • https://i.servimg.com/u/f89/19/67/13/04/medalh25.png
    • https://i.servimg.com/u/f89/19/67/13/04/medalh30.png
    • https://i.servimg.com/u/f89/19/67/13/04/medalh20.png
    • https://i.servimg.com/u/f89/19/67/13/04/medalh15.png
    • https://i.servimg.com/u/f89/19/67/13/04/medalh35.png

    Fichas Empty Re: Fichas

    Mensagem por vontheevil em Sex Jan 25, 2019 12:09 pm

    FICHA APROVADA (25/01/2019) BY @Askalians

    PIERRE LONNO

    Fichas 1304801

    1. Dados
    Nome: von
    Personagem: Pierre Lonno
    Clã: Toreador
    Natureza: Penitente
    Comportamento: Ranzinza
    Geração:8
    Refúgio: Maurepas (cidade satélite, bairro pobre e rural após o lago Maurepas, na beira do rio)
    Conceito: Músico falido
    Sire: Magnus Bane

    Saldo de XP: 0/0

    2. Atributos (7/5/3)
    Físicos [3]
    - Força: 1
    - Destreza: 3
    - Vigor: 2

    Sociais [7]
    - Carisma: 5
    - Manipulação:3
    - Aparência: 2

    Mentais [5]
    - Percepção: 2
    - Inteligência: 3
    - Raciocínio: 3


    3. Habilidades (13/9/5)

    Talentos [9] (+4 pontos bonus) 1 em lábia e outro em expressão
    - Prontidão:
    - Esportes:
    - Briga:
    - Esquiva:
    - Empatia: o
    - Expressão:ooO
    - Intimidação:
    - Liderança:
    - Manha: ooo
    - Lábia: oooO

    Perícias [13] (+8 pontos de bonus - 2 em ofícios - especializando em música e 2 em performance especializando em gitarra)
    - Empatia c/ Animais: o
    - Ofícios (musico):oooOO
    - Condução: o
    - Etiqueta: o
    - Armas de Fogo: o
    - Armas Brancas: o
    - Performance: (guitarra) oooOO
    - Segurança:
    - Furtividade: oo
    - Sobrevivência: o

    Conhecimentos [5](+2 bonus 1 em academicos especializando em teoria musical)
    - Acadêmicos (teoria musical):oooO
    - Computador: o
    - Finanças:
    - Investigação:
    - Direito:
    - Linguística: o (francês / cajum)
    - Medicina:
    - Ocultismo:
    - Política:
    - Ciências:


    4. Vantagens

    Antecedentes (5 pontos) +3 bonus (lacaio e rebanho)
    Geração 00000
    Lacaio Jean Pierre (menino do bairro) 0
    Rebanho (alunos de música, meninos pobres do bairro) 00

    Disciplinas (+7 pontos de bônus - 3 nível de aupícios)
    Auspícios 3
    Celeridade 1


    5. Virtudes
    - Consciência: 00000
    - Autocontrole:00
    - Coragem:000

    Humanidade: 0000000

    Força de Vontade: 000


    Qualidades e Defeitos

    Qualidades (3 pontos de bonus)
    Sentidos apurados - ouvido [1]
    Voz encantadora [2]

    Defeitos (-6 pontos)
    Ressentimento de um ancião (Valentine) [-1]
    Vitae infértil [-5]

    Observações

    Perguntas:

    Preciso q explique um pouco melhor sua relação com Valentine, no sentido de pq ressentimento.
    Eu era um lacaio/rebanho dele - fazia os serviços sujos dele, abandonado pela minha paixão por música e por ter sido abraçado depois de algum tempo por outro Elder da Camarilla

    (aqui entra a meu principal dilema ético, o poder corrompedor dos Tremeres e o oculto e os rituais associados a algo errado na mente do Pierre e a força restauradora de tentar fazer o bem, mesmo sendo um monstro, atingir a Golconda)

    Pq vc colocou empatia com animais?
    A ideia era fazer um farm-boy de infância, por isso estudei a geografia da cidade e escolhi aquela região, mas acabei não explicando, ajustei no prólogo

    VC disse q tem lacaios. Onde eles entram na sua historia? Principalmente esse jean pierre.
    Eu imaginei tendo um grande espaço do que hoje é o pântano pouco habitado, e provavelmente muito barato de se comprar. Esses meus lacaios e rebanho seriam os jovens e crianças da região, que ganham favores de mim em troca de serviços honestos como cuidar da minha casa e se manter por perto durante o dia, com a desculpas de estarem cuidando dos porcos ou do terreno

    Tirando isso, comentenum pouco mais sobre sua relação com seu mestre.
    A ideia era passar alguns meses na casa dele, ele apaixonado pela minha maneira de tocar sem classe e sem estudo e ao mesmo tempo me ensinando os clássicos, ele me abraçar e me apresentar a sociedade vampírica e assim o Valentine finalmente descobrir porque eu nunca voltei desse serviço na casa de Magunus

    (aqui outro dilema moral, porém mais leve, eu tendo sido criança ha 150 anos eu tive avós que foram escravos libertos, e que sem ter para onde ir assumiram posse de pequenos terrenos sem valor para sobreviver, fui criado frequentando igreja, metodista, batista ou alguma dessas denominações super conservadoras das quais faziam parte os negros, assim a vida dentro de uma sociedade branca me é estranha de início, ainda mais com um sire além de branco homossexual)

    A ideia do personagem Ranzinza com a população em geral (excetuando-se os lacaios e mais próximos que conhecem minha natureza penitente) é aparentar nunca ter tempo ou dinheiro para nada, é manter-se dentro da sociedade vampírica sempre mais ouvindo do que falando, como um cidadão de segunda categoria.

    Porque larguei ser explorado pelo Valentine para ser adotado por Magnus:
    Embora não entenda em um primeiro momento o o modelo de vida de Magnus Pierre se sentia livre, e o amor pela arte formou uma espécie de vínculo entre as duas criaturas, o negro pobre de periferia e o requintado branco homossexual.


    6. Prelúdio

    -Porque mesmo eu estou te contando isso? Ahhh claro, você acha que o sofrimento é uma exclusividade tua não é? Todos nós sofremos na vida, alguns mais que outros; e, mesmo que agora seja moda ser um negro em New Orleans, ainda mais no mundo do jazz e blues, não era assim quando eu cresci.
    Nasci há pouco mais de 100 anos acredito, que ano é hoje?... Então é mais perto de 150 anos, fui o 6o filho de uma família pobre; a gente criava porcos por aqui, algumas cabras também, um monte de gatos para caçar os ratos que comiam os grãos dos porcos, o chiqueiro era mais ou menos onde a gente está agora e o barracão da família ficava nesse terreno que agora é meu um pouco para trás daquele capão de mato, os ossos de minha família estão por aqui, assim como o de muita gente que morreu aqui e foi consumida pelo pântano. Ou enterrada sem marcação por aqui. Esse já foi um local tranquilo na minha infância, já foi um local barra pesada durante um tempo, e também já foi um pântano abandonado pelos homens, a única coisa que se mantém constante aqui sou eu.
    Aprendi na infância a trabalhar a terra, a lidar com madeira, a fazer pequenos serviços porém aos 14 anos, o mundo da música mudou e eu acabei apaixonado pela boemia. No começo dos anos 1900 tive o prazer de ver monstros tocando seus instrumentos, eu já participava do coral da igreja, aos 13 eu fui classificado como barítono, e achava que música era apenas piano palmas e acompanhamento com os pés, eu era completamente inocente nessa questão... mas divago.
    Eu era adolescente ainda quando ouvi pela primeira vez Charles Bolden, ele era um monstro, assim como seus companheiros, ou depois Jackson, Galloway e um monte de gente que você chama hoje de old frenchmen. Esse ínicio do jazz era misturado com polka, com quadrilhas, com valsas e muito da música das igrejas, e cada um desses monstros trazia sua assinatura para o que hoje se chama jazz de nova orleans. Para comprar um violão e comecei a fazer pequenos serviços por fora, beber o que ganhava e me envolver com o submundo da cidade. Fiz coisas que minha família condenaria, abandonei a igreja e depois minha família, vivia da minha música e de golpes nos brancos. Até que me apaixonei, por uma mulher branca, rica de seus 30 anos de idade (eu tinha uns 17 ou 20 na época). E Fui morar com ela, no meio do French Quarter, onde ela me exibia para sociedade como um empregado que sabia tocar um monte de instrumentos musicais diferentes e, para suas amigas mais íntimas, como amante. E eu comecei a beber, pesadamente.
    Um dia você me perguntou se eu tive filhos e eu te respondi que não. O que é uma verdade parcial. Essa mulher, que eu não vou citar o nome, porque ela ainda tem parentes vivos, engravidou e eu apenas parcialmente consciente devido à bebida bati nela, muito, o que fez com que ela abortasse na minha frente. Foi quando eu fugi, e parti para uma vida de crimes abandonando meus instrumentos por alguns anos.
    Trabalhei por alguns anos em pequenos delitos, furtos principalmente, a cidade era diferente, sem esse mar de turistas e sem a facilidade das drogas; sim, eu consigo sentir as drogas em você, e consigo sentir a culpa ao teu redor, como uma nota dissonante no meio da tua melodia, cuidado para não ser engolido pela sombra. Tua humanidade é preciosa, e não somente para mim. Voltando ao assunto:
    Foi nessa fase de criminalidade que eu conheci Valentine, posso citar o nome para você certo? Tua família vive no meu território e você é fiel a mim correto? “Fecho os olhos imaginando os crimes que cometi, roubos de ítens, invasão de igrejas, pequenos furtos que na época eu achava que eram estranhos e hoje sei que eram objetos para os rituais do clã maldito dele - além da sensação de prazer associado a impotência de ter meu sangue sugado por ele, e as múltiplas vezes que ele me batia porque eu estava com o sangue poluído de álcool, tabaco e depois maconha” Enquanto isso observo Jean Pierre o menino que aprende guitarra comigo antes de continuar falando.
    Ele é um dos realmente poderosos, tenha cuidado com o submundo. Estive com ele da mesma maneira que você está comigo agora, cedendo meu sangue e realizando serviços, só que no meu caso eram serviços perigosos, não apenas pequenas coisas inócuas. Vivi embriagado esse tempo e tentando apagar arrependimentos e bloquear a culpa de estar fazendo o serviço sujo de alguém vil. Vendo o mundo escurecido de remorso.
    Até que um dia estava invadindo uma casa no French Quarter, uma casa vitoriana de 3 andares, impecável, eu quebrei a janela e entrei para um salão de baile gigantesco, iluminado apenas com algumas velas já em seus últimos minutos e sentei-me diante de um gigantesco piano de cauda. E comecei a tocar uma improvisação, no começo alguns ciclos de escalas menores com um tempo largo com notas graves, sombrias e assustadoras e como isso não ajustava-se ao local eu fui lentamente puxando as terças as quintas e o tempo 4/3 depois 4/4 com tons alegres ocupando toda a extensão do teclado escalas maiores e progressões alegres em um alegretto que combinava com o local. Até que vi meu atual superior em um canto, embevecido e furioso. As expressões em seu rosto andrógino me assustaram profundamente “e a paixão dele por mim ou minha música ainda me assusta - penso” e sim, ele que me ajudou a percorrer esse caminho que me aproximou novamente da minha humanidade. Quanto mais próximo da humanidade você se mantiver mais fácil é sua vida. Mas você ainda não tem sabedoria pra entender isso. E quando a sabedoria vier vai ser tarde demais. Mas sim, agora que já estou alimentado, vamos parar de divagar, comece com as pentatônicas maiores agora pra gente aquecer os dedos.
    Guss
    Investigador
    Guss
    Investigador

    Mensagens : 72
    Reputação : 7

    Fichas Empty Re: Fichas

    Mensagem por Guss em Sab Fev 16, 2019 8:05 pm

    FICHA APROVADA (18/02/2019) BY @Askalians

    Fichas Vlcsnap-2014-01-09-06h24m54s214

    1. Dados
    Nome: Guss
    Personagem: William MacLeod
    Clã: Brujah
    Natureza: Durão
    Comportamento: Solitário
    Geração: 11ª
    Refúgio: Pequeno apartamento
    Conceito: Investigador

    Saldo de XP: 0/0

    2. Atributos (7/5/3)
    Físicos (Primário)
    - Força: 2
    - Destreza: 4
    - Vigor: 4

    Sociais (Terciário)
    - Carisma: 2
    - Manipulação: 2
    - Aparência: 2

    Mentais (Secundário)
    - Percepção: 3
    - Inteligência: 2+1*
    - Raciocínio: 3


    3. Habilidades (13/9/5)
    Talentos (Primário)
    - Prontidão: 2
    - Esportes: 2
    - Briga: 3
    - Esquiva: 3
    - Empatia:
    - Expressão:
    - Intimidação: 1*
    - Liderança:
    - Manha: 2
    - Lábia: 1+1*

    Perícias (Secundário)
    - Empatia c/ Animais:
    - Ofícios:
    - Condução: 2
    - Etiqueta:
    - Armas de Fogo: 3
    - Armas Brancas: 3
    - Performance: 2*
    - Segurança: 1+2*
    - Furtividade:
    - Sobrevivência:

    Conhecimentos (Terciário)
    - Acadêmicos:
    - Computador:
    - Finanças:
    - Investigação: 3
    - Direito: 1
    - Linguística: 1 (o idioma natal não conta na distribuição dos pontos)
    - Medicina:
    - Ocultismo:
    - Política:
    - Ciências:


    4. Vantagens

    Antecedentes (5 pontos)
    Geração 2
    Contatos 1
    Recursos 1+2*
    Rebanho 1+1*

    Disciplinas
    Rapidez 1
    Potência 1
    Presença 1


    5. Virtudes
    - Consciência: 3
    - Autocontrole: 3
    - Coragem: 4

    Humanidade: 6

    Força de Vontade: 4+3*


    Qualidades e Defeitos
    Vingança -2
    Senhor indigno -1
    Ressentimento do senhor -1
    Passado sombrio -1
    Vontade de ferro 3

    Observações
    - Idioma adicional = francês
    -
    -


    6. Prelúdio

    William MacLeod sabia que sua vida mudaria quando desembarcasse nas praias da Normandia. Operação Overlord, o famoso Dia D. Enquanto o transporte anfíbio percorria o caminho entre a Inglaterra e a França, através do Canal da Mancha, ele pensava em sua família em Glasgow, na Escócia.
    A expectativa fazia seu sangue gelar e suas mãos suavam como se ele estivesse no inferno, mas nada poderia tê-lo preparado para aquilo que viu e passou quando o anfíbio se aproximou da praia, nem mesmo aquilo que vivera em outras batalhas pelas quais havia passado. O fogo serrado das metralhadoras matou aqueles que estavam mais próximos às rampas de desembarque antes mesmo que estas fossem abaixadas. Muitos soldados pularam por cima das amuradas para a água e foram puxados para baixo pelo peso do equipamento, morrendo antes mesmo de poderem ter a chance de revidar o fogo inimigo.
    Mac, como os amigos o chamavam, foi um desses soldados que se atiraram à água para escapar do chumbo quente que as metralhadoras cuspiam em direção aos soldados aliados. Consigo, levou apenas seu rifle e munição. A mochila ficou jogada no chão do anfíbio. No primeiro dia, ele já estava a quase 6 km dentro do território inimigo, junto com sua divisão.
    Naquela noite, ele e mais um grupo de 12 soldados britânicos foram capturados e levados por um grupamento nazista para a cidade de Caen e, de lá, foram levados por uma série de transferências até Berlim.
    Foram dias de viagem, sempre se deslocando à noite e parando durante o dia. A comida era parca, assim como a água. Na chegada a Berlim, foram levados a uma prisão onde havia por volta de mais 10 prisioneiros de diversas nacionalidades, nem todos aliados. Foi nessa prisão aonde William e os demais foram submetidos a experiências terríveis e desumanas.
    Conforme os soldados morriam, eram substituídos por outros em menos de dois dias. As experiências eram horrendas e envolviam desde a infecção por doenças letais até a mutilação. William, por algum motivo, era poupado das experiências mais letais, mas era submetido a torturas mentais pelas quais jamais imaginou que um dia passaria. Ele já não distinguia mais a realidade quando o local foi invadido e a maioria dos captores foi morta. Alguns poucos, incluindo aquele que, mais tarde viria a saber era seu mestre, escaparam jurando vingança contra os Membros da Camarilla que dispersaram e executaram aqueles que ali faziam experiências. Em um ato de misericórdia, Mac teve sua não vida poupada
    Ele havia sido transformado em um vampiro como parte de uma experiência para se criar soldados cainitas sem qualquer consciência para quando o tempo do sangue fraco chegasse. Graças à intervenção dos Aliados, a experiência não havia chegado ao fim e William voltou ao seu normal depois de alguns anos de esforços por parte de Remi, um Brujah francês que o tomou como cria. Um resultado inesperado das torturas que sofreu foi que William desenvolveu uma força de vontade praticamente inabalável.
    Por vários anos os dois vampiros viveram como aliados. Nesse tempo, Remi descobriu que Heinz Sauer, aquele que havia transformado o escocês, era mal visto pela Camarilla e havia se associado ao Sabá. O Brujah acreditava que o nazista poderia ter ressentimento de sua cria e que poderia querer destruí-lo como forma de apagar os rastros de seus experimentos com outros cainitas. Nesse período, Mac resolveu voltar para a escócia e se retirar do convívio com os demais membros, mas fazendo questão de manter contato com o francês. Sentiria falta dele e de sua companhia, mas precisava voltar à sua terra natal.
    Voltando à escócia, assumiu papel de descendente de si mesmo, com os papéis que seu amigo havia conseguido, e assumiu as poucas posses que a família havia deixado. Passou a trabalhar como investigador particular, buscando atender a casos que julgasse de valor. Sua paixão em assumir uma causa o tornou um profissional excelente e fez com que desenvolvesse suas capacidades cognitivas através dos diversos trabalhos que concluiu.
    Nesse ramo, aprendeu a se portar nas ruas, se disfarçar, um pouco de direito e, obviamente, o ofício da investigação.
    Depois de algumas décadas sem contato com Remi, esse o procurou. O francês havia se mudado para Nova Orleans, onde viveu um tempo de paz sem precedentes sob o principado de Cláudia, porém esta fora assassinada em uma noite de comemoração. Sabendo das novas atribuições profissionais de seu amigo, Remi decidiu visitá-lo e lhe pedir que investigasse. Como parte do acordo, o francês ofereceu acesso a parte de seu rebanho a William. Mac não pôde dizer não ao amigo e decidiu por se mudar para a cidade e investigar o assassinato de Claudia, deixando tudo para trás e iniciando vida nova na América.


    7. Banco de Dados

    * = pontos de bônus gastos
    Gelatto
    Adepto da Virtualidade
    Gelatto
    Adepto da Virtualidade

    Mensagens : 1869
    Reputação : 55
    Conquistas :
    • https://i.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/311.png
    • https://i.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1411.png
    • https://i.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1112.png
    • https://i.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1011.png
    • https://i.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/212.png
    • https://i.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1811.png
    • https://i.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1413.png
    • https://i.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1611.png
    • https://i.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/712.png
    • https://i.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/410.png
    • https://i.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1511.png
    • https://i.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/2111.png
    Premiações :
    • https://i.servimg.com/u/f89/19/67/13/04/medalh25.png
    • https://i.servimg.com/u/f89/19/67/13/04/medalh19.png
    • https://i.servimg.com/u/f89/19/67/13/04/medalh38.png
    • https://i.servimg.com/u/f89/19/67/13/04/medalh14.png
    • https://i.servimg.com/u/f89/19/67/13/04/medalh46.png

    Fichas Empty Re: Fichas

    Mensagem por Gelatto em Dom Mar 03, 2019 3:44 pm

    FICHA APROVADA (03/03/2019) BY @Askalians

    Fichas Abraham-Setrakian

    1. Dados
    Nome: Gelatto
    Personagem: Arthur "tio Artie" Fray
    Clã: Bruxo (Parente Metamorfo)
    Natureza: Tradicionalista
    Comportamento: Pedagogo
    Essência: Padrão
    Tradição: Bruxo (Tradição base: Oradores dos Sonhos)
    Refúgio: loja de antiguidades, French Quarter
    Conceito: Antiquário (negociante de antiguidades)

    Saldo de XP: 0/0

    2. Atributos (7/5/3)
    Físicos (3)
    - Força: 2
    - Destreza: 2
    - Vigor: 2

    Sociais (5)
    - Carisma: 3
    - Manipulação: 3
    - Aparência: 2

    Mentais (7)
    - Percepção: 3
    - Inteligência: 4
    - Raciocínio: 3

    3. Habilidades (13/9/5)
    Talentos (5)
    - Prontidão: 1
    - Esportes:
    - Consciência: 2
    - Briga:
    - Esquiva:
    - Expressão:
    - Intimidação:
    - Liderança:
    - Manha: 1
    - Lábia: 1

    Perícias (9)
    - Ofícios: 1
    - Condução: 1
    - Etiqueta: 2
    - Armas de Fogo:
    - Meditação: 2
    - Armas Brancas:
    - Atuação:
    - Furtividade: 1
    - Sobrevivência: 1
    - Tecnologia:
    - Empatia com Animais: 1

    Conhecimentos (13)
    - Acadêmicos: 3
    - Computador: 1
    - Cosmologia: 1
    - Enigmas: 1
    - Investigação: 1
    - Direito:
    - Linguística: 4 (inglês + francês, alemão, castelhano, grego, latim, egípcio, mandarim, nativo-americano)
    - Medicina: 1
    - Ocultismo: 2
    - Ciências:

    4. Vantagens
    Antecedentes (7 pontos)
    Arcanum 1
    Avatar 3
    Contatos 1 (colecionadores de antiguidades)
    Biblioteca 3 (antiquário)
    Recursos 3

    Esferas (1 inicial +5)
    Espírito 3 (esfera de tradição)
    Matéria 1
    Vida 2

    5. Toques Finais
    Arete: 3
    Força de Vontade: 7
    Quintesência: 3

    Qualidades e Defeitos
    - Parente Metamorfo (qualidade: 4 pontos)
    - Sentidos Aguçados: todos (qualidade: 3 pontos)
    - Vontade de Ferro (qualidade: 3 pontos)
    - Truques de Salão (qualidade: 1 ponto)
    - Código de Honra (defeito: 2 pontos): proteger Clairy Fray e zelar pelo legado de Claudia (manter a paz entre bruxos e outros seres sobrenaturais)
    - Débito (defeito: 3 pontos, vinculado a Parente Metamorfo): nunca negar asilo a um garou
    - Segredo Sombrio (defeito: 1 ponto): negocia com vampiros, lobisomens não gostam disso; tem sangue lupino, vampiros não gotam disso.

    Observações
    -
    -
    -

    6. Prelúdio

    background:

    Antes de New Orlenas ser oficialmente fundada em 1718, já existiam pequenos assentamentos e grandes famílias feudais na região que viviam da agricultura, produção algodoeira e do trabalho escravo africano, escravos estes que faziam uso intenso da magia voodoo através da utilização de pedras, ossos e pequenos sacrifícios de animais; e de alquimia simples através da mistura de ervas e elementos. Naquele começo de civilização, a maioria dos escravos faziam este tipo de coisa, tanto contra seus senhores quanto contra eles também. Essa prática chamou a atenção de uma das famílias da região, a família Fray.

    Com a troca de informações e acordos entre os vários grupos que iam se conhecendo, a família Fray ia aprendendo aos poucos esta prática primitiva, aumentando seus poderes e influência, graças a grande habilidade de alguns de seus membros e principalmente das mulheres da família. Suas práticas eram uma mescla das práticas africanas, indígenas nativos e imigrantes vindos dos balcãs do leste europeu. Com o passar dos anos e aumento destas práticas, a família Fray foi aos poucos sendo mal vista pelas demais famílias tradicionalistas que abominavam esta prática, taxando-os de bruxos e bruxas - o que não deixava de ser verdade. Mas a mercadoria da família era boa e faziam vista grossa em razão do lucro.

    Nas origens de Nova Orleans, haviam muitos curandeiros e benzedeiras para todos os lados, que faziam muitas vezes o papel de médicos, parteiras e até conselheiros de vários assuntos, procurados por todo tipo de gente, inclusive pela família Fray. Entre uns e outros, aprenderam que, se queriam sobreviver e ficarem mais fortes, precisavam se conhecer melhor e se reunir algumas vezes para isso, como se fosse um grande senso: todos tinham que comparecer, caso contrário era dado como morto. Essas reuniões eram mais frequentes no começo, mas com o passar do tempo foi-se resolvido que uma grande reunião anual sempre no solstício de inverno, onde trocavam experiências, conhecimentos e práticas, além da apresentação de novos membros e memória pelos que se foram. Essa "convenção" era chamada de grande coven e várias famílias menores surgiram.

    Entretanto, a única forma de preservar o conhecimento era pela oralidade e prática, passando de geração a geração. Porém, com a tensão política entre Norte e Sul no território norte-americano, algumas previsões feitas pelos Fray apontavam uma guerra iminente - o que aconteceu entre 1861 e 1865, período conhecido como Guerra da Secessão. Para preservarem suas práticas e evitarem que caíssem nas mãos de outros, a família Fray introduziu a escrita e passou a registrar suas práticas em livros e manuscritos em diversos idiomas, códigos secretos, transcrevendo para grimórios lacrados com várias palavras mágicas, selamentos com sangue e outras práticas, para que certos segredos fossem muito bem preservados e escondidos. O que eles não haviam previsto era que as demais famílias que invejavam seu status aproveitaram a guerra para atacarem a família bem como seus simpatizantes e demais famílias de bruxos. A guerra foi uma desculpa para uma grande caça às bruxas. E assim, após o término da guerra, os sobreviventes e simpatizantes da família Fray estavam espalhados e escondidos.

    Alguns destes grimórios ainda estão perdidos, guardados em alguma biblioteca ou porão esquecidos, ou na coleção de algum colecionador ou até mesmo incompreensível sem o código de compreensão correto. Em busca de força e poder para restaurar a glória da família, os bruxos remanescentes aprenderam rituais para canalizar as forças e habilidades de seus ancestrais com o que estava disponível, algo vital para sua preservação - mesmo que seja inferior ao conhecimento perdido-, uma vez que New Orleans acabou atraindo e servindo de lar para outras criaturas sobrenaturais, como lobos e imortais, além dos tolos humanos que já a habitavam.

    Com o tempo, o sangue bruxo não passou a ser mais tão puro assim. Algumas famílias tiveram seu sangue misturado com outras criaturas sobrenaturais, em sua maioria lupinos e fadas, e alguns foram até tocados e mudados pelos imortais vampiros, sobrando bem poucas famílias de linhagem pura. Os Fray hoje vem de uma mistura histórica e pura entre escravos, nativos indígenas e colonizadores daquela época passada que foi mantendo suas habilidades ao longo dos anos, se mantendo bem protegida de qualquer outra facção. Todos tiveram que ser fortes para se manter longe de todas as criaturas sobrenaturais para que não deixassem suas habilidades desaparecerem, aguentando em silêncio constantes ataques, até que finalmente Claudia, a regente vampira da época, entrou em cena, pacificando a rixa entre todos. Os ancestrais das bruxas puderam finalmente ficar em paz ao invés de serem constantemente canalizados como proteção e arma nestes conflitos.

    Gerações se passaram e todos deram continuidade às práticas e à paz, mas o mesmo não era aceito entre poucos bruxos, que clamavam por vingança. Os que apoiavam Claudia juraram lealdade aos Fray. Os que não apoivam tinham voz nas convenções, mas eram poucos e não tinham poder para mudar o curso das ações de Claudia. Gerações se passaram e os bruxos seguiam com sua vida, com os Fray retornando ao seu status como família influente de New Orleans e afastando qualquer boato sobre práticas pagãs - os bruxos adotaram a prática da máscara para se protegerem da sociedade humana ignorante. Porém, nem todos os Fray eram bruxos nesta nova realidade - apenas alguns poucos eram escolhidos para manterem o legado da família, dificultando que sejam descobertos novamente.

    Anos atrás, como resultado da união de dois bruxos puros e poderosos, viria a nascer Clairy Fray. Seria apenas um nascimento normal o bebê não tivesse nascido com uma marca espiritual que representava que a criança estava destinada a grandes feitos. Que feitos seriam estes? Não se sabe. Mas haviam boatos sendo espalhados de que ela seria fruto de uma experiência vampírica ou a reencarnação da primeira Fray bruxa ou aquela que traria a ruína de todos os bruxos, entre outros menos difundidos. Nada foi provado ou descartado, mas uma coisa era certa: Clairy possuía um grande poder. Porém, a pequena nunca chegou a conhecer seus pais, pois um dia depois que ela nasceu, sua mãe, que era defensora ferrenha da sociedade que Claudia firmara no passado, morrera misteriosamente; enquanto que seu pai, que era contra esta sociedade utópica, fora exilado e seu paradeiro até hoje é desconhecido.

    E é neste momento que entra na história Arthur Fray, membro de uma família que jurou lealdade aos Fray no passado e de sangue misturado com lupinos. Filho de Carmem, que havia se apaixonado por Klaus, um membro da facção lupina, Arthur nascera dividido entre os dois mundos, não sendo um ou outro, mas uma parcela de ambos. Ele sempre foi próximo dos Fray e nunca chegou a conhecer seu pai - sua mãe confirmou que ele morrera quando Arthur era pequeno defendendo a Mãe-Terra. Arthur crescera entre os primos e primas e aprendeu sobre bruxaria com os melhores. Anos depois, quando fizera 14 anos, recebeu uma visita inesperada de lupinos. Nunca havia ouvido sobre eles até este momento e, com eles, descobriu sobre a origem de seu pai e sua própria origem. Seu pai tinha um negócio na cidade de New Orleans, um antiquário, que estava fechado desde sua morte. Com este grupo de lupinos ele aprendeu um pouco sobre sua sociedade e herdou a propriedade do pai. Arthur deixou os Fray, decidido a honrar a memória de seu pai e continuar com seu negócio. Arthur nunca mais vira este grupo de lupinos novamente, provavelmente tiveram o mesmo destino de seu pai, ou pior.

    Os anos se passaram e Arthur Fray foi tocando o antiquário, negociando velharias e relíquias com colecionadores e saudosistas. Ele fez contato com vários antiquários dentro e fora dos EUA e conseguiu itens de grande interesse, inclusive alguns manuscritos e grimórios de bruxos tanto dos Fray quanto de outras origens. Entre seus clientes, haviam alguns seres sobrenaturais, principalmente outros bruxos e alguns vampiros, que sempre procuravam por uma relíquia ou conhecimento específico. Então, Clairy nasceu e a sociedade foi abalada pelos fatos.

    A pedido de Melissa Fray, avó de Clairy, Arthur Fray passou a ser o tutor da pequena e ela teve todo o tipo de educação exemplar que um bruxo poderia receber, além da educação humana por se misturar naquela cidade, mas a garota era ligeiramente rebelde e possuía outras inclinações: gostava de arte e pintura e não era muito boa em escolher com que se envolvia, além de gostar de motos e esportes radicais e até mesmo lutas de defesa pessoal - inclinações que Arthur não era nem um pouco adepto ou simpatizante. Devido ao seu sangue puro e sua linhagem, aos 16 anos, Clairy se tornou a líder da família Fray e a principal oradora entre todos os bruxos do grande Coven da cidade de New Orleans. Arthur nunca quis isso para sua pupila, mas nada podia fazer: ela crescera em poder e ultrapassou o professor em alguns anos, coisa que Arthur não conseguiu em mais de 80 anos e que nem se tivesse outros 80 anos ele conseguiria tal poder. Esse era o poder do sangue puro. Hoje, tio Artie, como ela carinhosamente o chama, serve apenas como um conselheiro e guia, mas quando foi aconselhar sobre aquele namoro errado com o xerife vampiro da cidade anos atrás, recebeu um grande "você não é meu pai". Arthur nunca teve filhos e tratava Clairy como uma filha, mas ouvir aquilo o deixou triste e abalado. Mas seu amor por Clairy supera esta dor, e é necessário, pois Arthur sente que algo está por vir e o Coven precisa permanecer unido. Pelo menos hoje ela largou o xerife e está namorando um humano normal, um tal de Hunter. Menos mal.

    Arthur é um mago bem velho que mantém sua saúde através de suas práticas. Apesar de ter 88 anos, aparenta um pouco mais que 60. Não é adepto do conflito físico, bem como das novas mudanças. Ele ainda permanece no estilo antigo, de um século retrasado, se portando como um cavalheiro e se trajando como tal em uma sociedade que está além do seu tempo. Sua práticas o mantiveram vivo este tempo todo, bem como informado sobre os principais acontecimentos. Como comerciante de antiguidades, faz contato com todo tipo de gente de todo tipo de índole. Mas ele sabe discernir este tipo de gente, negociando apenas o essencial e muitas vezes algum item sem qualquer propriedade.

    Mas nem tudo é perfeito. Alguns anos atrás, na mesma época em que a morte da regente Claudia fora anunciada, seu antiquário fora invadido por criaturas inimigas dos lupinos - alguns fomoris liderados por um lupino desgarrado. Eles procuravam alguns "fetiches" e acreditavam que Arthur estava de posse deles. Arthur negava, mas na verdade, os possuía sim, e estavam escondidos. Para sua sorte, foi salvo por alguns lupinos da cidade. Neste momento ficou mais a par da situação que os lupinos enfrentavam na região, e jurou ceder seu antiquário como abrigo para seus semelhantes quando preciso. Assim, Arthur formava uma aliança com os lupinos, seus parentes de sangue, garantindo um pouco mais de proteção para si e para Clairy. Após este episódio, Arthur estudou uma forma de proteger melhor o antiquário com proteções místicas e acabou despertando o espírito do antiquário. Para os indesejados, o antiquário passou a ser visto como uma casa mal assombrada, o que o protegia dos olhos dos indesejados.

    7. Banco de Dados

    o que posso fazer com Espíritos 3:

    1 - Visão Espiritual/Sentido Espiritual: o mago iniciante em Espírito pode sentir a Umbra Rasa ao seu redor. É capaz de ver auras, fantasmas e espíritos, especialmente aqueles que estejam mais harmonizados com sua Ressonância ou que estejam dentro de seu paradigma. A mago também pode “ler” a força da Película local, testá-la em busca de pontos fracos e Baixios, além de distinguir itens como fetiches ou com espírito desperto.

    2 - Tocar Espíritos/Manipular a Película: o mago se torna hábil em tocar brevemente os espíritos e objetos que possa ver do outro lado da Película – a Penumbra. Pode projetar sua voz para o outro lado da Película ou mesmo diminuí-la, tornando mais fácil a passagem para o Outro Lado. Com muito esforço, a visão do mago pode ser estendida para a Umbra Profunda.

    3 - Perfurar a Película/Despertar e Acalmar Espíritos: o mago agora é capaz de fazer um buraco na Película, através do qual consegue entrar na Umbra, ainda que seus pertences sejam mais difíceis de serem levados (o que requer sucessos adicionais). Ainda, o mago se torna capaz de despertar espíritos ou acalmar espíritos despertos, como os que estão em fetiches.

    o que posso fazer com Matéria 1:

    1 - Percepção de Matéria: o mago começa reconhecendo os padrões da matéria, incluindo estruturas fundamentais que dão aos objetos suas formas e propriedades físicas. Com essas percepções, ele pode detectar coisas escondidas dos seus sentidos normais. Pode sentir a composição da matéria e suas propriedades, além de estruturas escondidas dentro de estruturas.

    o que posso fazer com Vida 2:

    1 - Alterar Padrões Simples/Curar a Si Mesmo: este nível permite ao mago manipular os padrões mais simples de vida, de bactérias e vírus a insetos e moluscos, bem como vegetais. O mago pode curar ou matar criaturas simples e realizar pequenas alterações em seus padrões, sem realizar transformações completas, bem como corrigir pequenas fendas (qualquer dano não agravado) no próprio padrão.

    2 - Alterar a Si Mesmo/Curar Vida/Transformar Padrões Simples/Criar Padrões Simples: agora o mago pode alterar seu próprio padrão, fazendo melhoras e mudanças sutis. Padrões simples podem ser virados do avesso, mudados ou mesmo criados totalmente a partir de outros padrões. Formas de vida criadas não terão uma mente superior a que possuíam em sua forma anterior. O mago começa a compreender organismos mais complexos, podendo curar ou ferir outra pessoa.

    8. Pontos de Bônus (21)
    - Lingüistica +1 (2 pts)
    - Vantagens (4 pts)
    - Arete +2 (8 pts)
    - Força de Vontade +2 (2 pts)
    - Qualidades e Defeitos (5 pts)
    Tobirama
    Neófito
    Tobirama
    Neófito

    Mensagens : 14
    Reputação : 10

    Fichas Empty Re: Fichas

    Mensagem por Tobirama em Dom Abr 14, 2019 11:27 pm

    FICHA APROVADA (15/04/2019) BY @Askalians

    Malik T'chanka:


    Fichas Latest?cb=20110616232938

    1. Dados
       Nome: Tobirama
       Personagem:Malik T'chakan
       Clã: Seguidores de Set ( Setita )
       Natureza: Arquiteto
       Comportamento: Bom Vivant
       Geração: 8ª Geração
       Refúgio: Um local de descanso em cada um dos Empreendimentos ( História.)
       Conceito: " Senhor da Noite "

       Saldo de XP: 0/0

      2. Atributos (7/5/3)
       Físicos
       - Força: 4
       - Destreza: 3
       - Vigor: 3

       Sociais
       - Carisma: 2
       - Manipulação: 2
       - Aparência: 2

       Mentais
       - Percepção: 3
       - Inteligência: 3
       - Raciocínio: 2


       3. Habilidades (13/9/5)
       Talentos
       - Prontidão: 3
       - Esportes: 2
       - Briga: 3
       - Esquiva:
       - Empatia: 3
       - Expressão:
       - Intimidação: 2
       - Liderança: 3
       - Manha: 2
       - Lábia:

       Perícias
       - Empatia c/ Animais:
       - Ofícios:
       - Condução:
       - Etiqueta: 2
       - Armas de Fogo:
       - Armas Brancas: 3
       - Performance:
       - Segurança:
       - Furtividade:
       - Sobrevivência:

       Conhecimentos
       - Acadêmicos: 2
       - Computador: 2
       - Finanças:
       - Investigação:
       - Direito:
       - Linguística: 1
       - Medicina:
       - Ocultismo: 2
       - Política: 2
       - Ciências:


       4. Vantagens

       Antecedentes (5 pontos)

       Geração 5 Pontos
       Lacaios 3 Pontos - Nariza Ulek, Urban Sukali e Nefertiti Ulesa.
       Recursos 5 Pontos -Botes/Hoteis/Restaurantes 7 Pecados - Irá ( Boate Sado ), Gula ( Tema Restaurante ), Luxuria ( Boate Cabaré ), Vaidade ( Boate Casa de Espelhos ), Ganancia ( Restaurante de Membros - Serve-se Apenas " Bebidas " ), Preguiça ( Hotel de Hospedagem para Membros e Não Membros) e Orgulho ( Restaurante de Negócios Não Membros ).
       Influência 2 Pontos - ( Negociante de Informação e Caça )
       Status 1 Ponto - ( Negociante de Informação e Caça )

       Disciplinas

       Ofuscação:
       Presença: 2
       Serpentis:1


       5. Virtudes
       - Consciência: 3
       - Autocontrole: 3
       - Coragem: 4

       Humanidade: 6

       Força de Vontade: 4


       Qualidades

       - Sentidos Aguçados - Os Cinco Sentidos ( 5 Pontos )
       - Santidade - ( 2 Pontos )
       - Voz Encantadora - ( 2 Pontos )
       - Corpo Grande - ( 4 Pontos )
       - Imunidade a Laço de Sangue ( 3 Pontos )

       Defeitos

       - Caçado (-4 Pontos )
       - Inimigo de um Clã - Toreador ( -4 Pontos )
       - Protegido Indefeso (3 pontos) ( Beatriz Techakan - Descendente em 6º Grau - Tataratara Neta - Não Sabe da Existência do Tataratatara Avô como Tataratatara Avô, Apenas como Benfeitor de Seus Estudos)
       - Escarificado ( - 2 Pontos )
       - Olhos Incandescentes ( -3 Pontos )

       Observações
       - Suas línguas faladas são: Swahali ( Nativa ), Inglês Britânico )
       - Malik veio da África antiga e por isso costuma ainda ostentar suas culturas e decorações em seus estabelecimentos.
       - Seus Principais Lacaios São: Nariza Ulek, Urban Sukali e Nefertiti Ulesa.




      6. Prelúdio

       “Um homem é definido pelos seus feitos passados e pelos seus feitos futuros, bem, costumo dizer que gosto de ser definido pelas minhas ambições “ - Malik T’chakan


       Naquele navio negreiro eu só podia lembrar de duas coisas ao escutar o som do mar: Da minha terra mãe que nunca mais poderia visitar e do sofrimento que teria de suportar. Ser um guerreiro por meu corpo grande era minha sina, mas ser um escravo por não ser capaz de parar meus captores era a minha vergonha, mas eu tinha de sobreviver se desejasse a minha vingança.

       No primeiro dia duas crianças morreram sufocadas pelas próprias mães, no segundo dia eu pude ver o quão cruel é o homem quando dez de nós foram jogados na água apenas pelo desejo de esconder provas de navios ingleses que podiam os abordar, no terceiro dia eu já não aguentava mais o cheiro intenso de urina e fezes que nos recobria naquele desgraçado âmbito de “sobrevivência “ mas foi no quarto dia que eu pela primeira vez tive de matar alguém por achar que ele roubaria a minha comida. Pouco a pouco as pessoas ali dentro perdiam a sua racionalidade e pouco a pouco eu me questionava se de fato eu seria poupado de toda essa desgraça em algum momento mas as coisas ainda estavam muito longe de acabarem, muito longe de nós deixarem ser humanos, mais foi quando escutei os homens falarem sobre terra firme que meu coração palpitou, não de felicidade mais de tristeza, poisa sabia que não era meu lar e sabia que ali era a minha morte.


       As primeiras semanas foram de banhos longos de sol, de correntes nos tornozelos e de muitos chicotes em todo o meu corpo, o segundo eu lutei pela liberdade, guerreiros lutam, lutam dia a dia para sobreviver mas fui derrotado e espancando mais e mais, talvez por isso meu corpo tenha tornado-se um amontoado de cicatrizes, porém foi quando fui levado a fazenda Whitney Plantation que minha vida começou a tornar-se um inferno e foi lá que descobri que poderia fazer mais.

       Nova Orleans, esse era o nome do lar daqueles que me escravizavam e usavam de meus genes para gerar uma fazenda de filhos, nessa terra desconhecida e cruel que aprendi a sobreviver em uma fazenda, foi em uma terra infértil que aprendi que eu seria morto se não fosse forte, mais acima de tudo foi em nesse caos que compreendi que usar a cabeça era o meu maior trunfo. Após alguns anos como escravo de lavoura e reprodutor, após alguns anos como um mero “Objeto” de desejo da senhorinha e seus caprichos, eu me revoltei, com a benção de meus orixas, com ódio de meus antepassados, eu fui agraciado com a visita dele “ Anuk T’chakan “ aquele que seria o meu senhor, aquele que me prometeria as forças para prosseguir, aquele que me abraçaria e me daria o prazer de um laço de sangue único, uma ligação poderosa e com isso a capacidade de transformar aquela casa branca em um mar vermelho como o demônio que me tornei, meus olhos incandescentes e meu corpo cicatrizado de tantas surras foram a única coisa que viram e no fim eu descansei.


       Quando não mais existia vida naquela casa eu mudei, vive nas sombras e fugindo da luz, compreendendo que me tornei o ser amaldiçoado que poderia ser, meu senhor Anuk apenas me mostrava o que eu poderia me tornar, me mostrou os poderes, os segredos, as regras e acima de tudo me mostrou os prazeres do sangue.

       Os tempos foram passando e assim como ele, meu senhor gostava de observar os que abraçaria e mais irmãos surgiam, eu gostava de observar a centelha de vida que me restava ao longo das eras, os filhos que nunca conheceram o pai, os netos que nunca conheceram o avô e os bisnetos que nunca conheceram o bisavô. as gerações passavam pouco a pouco e eu crescia junto com ela. Não sei se em meados dos anos 20 ou foi nos anos 30, mas resolvi ganhar meu próprio dinheiro para ajudar essa centelha de vida que nunca me conheceria pelo que sou de sua família, um bar foi o que montei com os poucos recursos que consegui, o som e a comida era aquilo que atraia os homens, as mulheres e a bebida faziam eles ficarem e onde existia um aglomerado de imbecis, existia membros sedentos, bem...não via porque não lucrar.

       Quando consegui meu primeiro empreendimento juntei quem fosse confiável a mim eram eles, Nariza Ulek minha contadora e assistente, minha vida foi auxiliada por essa mulher de valor, uma bela cantora , uma bela mulher, Urban Sukali não posso negar que beber com ele era algo próximo de alcançar a Galconda, divertido inteligente e forte, meu guarda costas, meu braço direito na segurança e amigo pessoal e por fim Nefertiti Ulesa, estonteante, inteligente e administradora sem igual, não existe bela mulher que ela não conheça, não existe belo homem que ela não possua, se depender de sua lábia o mundo já é meu, com isso tornou-se minha advogada e minha negociante, meus três guerreiros me ajudaram a fazer minha fortuna, minha vida se formar e foi assim que eu me tornei quem sou.

       Dono de uma grande rede de empreendimentos de entretenimento, restaurantes e hotelarias, foi isso que me tornei para a camada mais visível da sociedade, para a camada mais escusa, mais torpe e sedenta de poder eu era outra coisa, um negociante mordaz de informações sobre o oculto, sobre outros membros, sobre pessoas publicas. Se você compra um pouco de drogas você provavelmente está comprando de um dos meus informantes, se você dorme com um dos meus clientes é por quê você já foi investigado pela minha equipe, um homem vive do que pode fornecer, antes eu fornecia álcool, drogas e sexo, hoje eu forneço o bem mais precioso de todos INFORMAÇÃO e abaixo de todo me império sempre existirá um lugar onde morar, um bunker em uma boate, um quarto vitalicio em um hotel, um escritório dentro de um quarto do pânico em um restaurante, uma senzala abaixo de um bordel, sempre existirá em um dos meus estabelecimentos um local para onde eu ir, foi assim que me planejei, foi assim que desejei viver.

       Poderia contar muitas histórias, do meu passado e dos meus inimigos, não tenho dúvidas, os caçadores que me procuram ainda me chamando de “ Diabo Dos Olhos De Chamas “ , ou dos Toreadores que me chamam de “ Traidor “ por ter deposto um de seus preferidos, mas costumo dizer que histórias são deixadas para trás pois no presente momento eu sou aquele que busca ter a noite para mim e para os meus.


       7. Banco de Dados



       Pontos Bônus Gastos : 21/21

       - Antecedentes 11 ( 5 Recursos, 3 Lacaios e 2 Influência e 1 Status )
       - Habilidades 10 ( 3 Pontos em Empatia ( 6 Pontos Bônus ) e 2 em Manha ( 4 Pontos Bônus )


    Lacaios:

    Link Imagem: https://i.pinimg.com/originals/78/3b/5e/783b5e3cbb29fa1440cb3b7d3724cba9.jpg

    1. Dados

    Nome: Npc
    Personagem: Nariza Ulek
    Clã: ---
    Natureza: Arquiteta
    Comportamento: Bom Vivant
    Geração: ---
    Refúgio: Empresas Agasale: Hotel Preguiça
    Conceito: “ Senhora dos Negócios “

    Saldo de XP: 0/0

    2. Atributos

    Físicos 3
    - Força: 2
    - Destreza: 2
    - Vigor: 2

    Sociais 4
    - Carisma: 3
    - Manipulação: 3
    - Aparência: 2

    Mentais 6
    - Percepção: 3
    - Inteligência: 3
    - Raciocínio: 3

    3. Habilidades

    Talentos
    - Prontidão: 2
    - Esportes:
    - Briga:
    - Esquiva: 2
    - Empatia: 2
    - Expressão:
    - Intimidação:2
    - Liderança:2
    - Manha: 2
    - Lábia: 3

    Perícias
    - Empatia c/ Animais:
    - Ofícios:
    - Condução: 2
    - Etiqueta: 2
    - Armas de Fogo:1
    - Armas Brancas:
    - Performance:
    - Segurança:
    - Furtividade:
    - Sobrevivência:

    Conhecimentos
    - Acadêmicos: 2
    - Computador: 2
    - Finanças: 2
    - Investigação:
    - Direito: 2
    - Linguística: 2
    - Medicina:
    - Ocultismo: 1
    - Política:
    - Ciências:

    4. Vantagens

    Antecedentes
    Contatos 3  ( Jornalista, Juiz, Acionista na Bolsa )
    Aliados 2 ( Diretor de Policial Local e Narco Traficante Local )

    Disciplinas
    Potência : 1

    5. Virtudes

    Virtudes
    - Consciência: 3
    - Autocontrole: 3
    - Coragem: 2

    Humanidade: 6

    Força de Vontade: 2

    Qualidades
    Voz Encantadora ( 2 Pontos )
    Frieza Logica ( 1 Ponto )
    Sentir Influências ( 3 Pontos ) ( Livro Caçadores Caçados )
    Fisionomia Amigável ( 1 Ponto )


    Defeitos
    Vicio ( 3 Pontos ) - Tabaco
    Tique Nervoso  ( 1 Ponto )- Movimentar os Óculos.

    Observações
    Nariza é uma escrava de senzala que fugiu quando Malik provocou a fuga da casa grande, unindo-se a ele como sua face para negociar devido a seu tino.
    Nariza nutre em seu eu uma paixão por Beatriz ( Paixão Fraterna ) pois é o mais próximo de uma “ filha “ que teve ao cuidar de seus passos.
    Nariza é fumante, mas costuma apenas fumar cigarros de tabaco.

    Pontos Bônus Gastos 21/21

    3 Pontos Qualidades
    18 Pontos Habilidades ( 2 Liderança, 2 Intimidação, 2 Acadêmicos, 2 Computadores 1 Ponto em Armas de Fogo )

    ----------------------------------------------------------------------------
    Link Imagem: https://i.pinimg.com/originals/cc/bf/c7/ccbfc7d88fa84ee99b785a73cc901454.png

    1. Dados

    Nome: Npc
    Personagem: Nefertiti Ulessa
    Clã: ---
    Natureza: Bom Vivant
    Comportamento: Bom Vivant
    Geração: ---
    Refúgio: Empresas Agasale: Boate Luxúria
    Conceito: “ Senhora dos Prazeres “

    Saldo de XP: 0/0

    2. Atributos

    Físicos 3
    - Força: 2
    - Destreza: 2
    - Vigor: 2

    Sociais 6
    - Carisma: 3
    - Manipulação: 3
    - Aparência: 4

    Mentais 4
    - Percepção: 2
    - Inteligência: 3
    - Raciocínio: 3

    3. Habilidades

    Talentos
    - Prontidão: 2
    - Esportes:
    - Briga:
    - Esquiva: 2
    - Empatia: 2
    - Expressão: 2
    - Intimidação:
    - Liderança:2
    - Manha: 2
    - Lábia:  3

    Perícias
    - Empatia c/ Animais:
    - Ofícios:
    - Condução: 2
    - Etiqueta: 2
    - Armas de Fogo:
    - Armas Brancas:
    - Performance:
    - Segurança:
    - Furtividade:
    - Sobrevivência:

    Conhecimentos
    - Acadêmicos:
    - Computador: 1
    - Finanças:
    - Investigação:  2
    - Direito: 2
    - Linguística: 2  ( Inglês e Espanhol )
    - Medicina:
    - Ocultismo:
    - Política:
    - Ciências:

    4. Vantagens

    Antecedentes
    Contatos 5  ( Prostitutas de Luxo )
    Aliado ( Delegado Local )

    Disciplinas
    Potência : 1

    5. Virtudes

    Virtudes
    - Consciência: 3
    - Autocontrole: 3
    - Coragem: 2

    Humanidade: 6

    Força de Vontade: 2

    Qualidades
    Voz Encantadora ( 2 Pontos )
    Frieza Lógica ( 1 Ponto )
    Sentir Influências ( 3 Pontos ) ( Livro Caçadores Caçados )
    Fisionomia Amigável ( 1 Ponto )

    Defeitos
    Vício ( 3 Pontos ) - Bebidas

    Observações
    Nefertiti é uma mulher negra descendente de egípcios, assim como Nazira era escrava, concubina do Senhor de Engenho por ser uma beleza rara..
    Nefertiti tem ciúmes de Nazira por essa ser mais próxima ao seu senhor, mas não tenta a atrapalhar também.
    Nefertiti é viciada em bebidas alcóolicas, uma forma de esquecer um pouco os males do passado..

    Pontos Bônus Gastos 21/21

    4 Pontos Qualidades
    12 Pontos Habilidades ( 2 Lábia, 2 Expressão )
    5 Pontos Atributos ( 1 Aparência )
    1 Antecedente Aliado
    ---------------------------------------------------------------------------

    Link Imagem: https://cdn-static.denofgeek.com/sites/denofgeek/files/styles/main_wide/public/2016/10/luke_cage_mahershala_ali.jpg?itok=6Uwzai45

    1. Dados

    Nome: Npc
    Personagem: Urban Sukali
    Clã: ---
    Natureza: Juiz
    Comportamento: Durão
    Geração: ---
    Refúgio: Empresas Agasale: Hotel Preguiça
    Conceito: “ Chefe de Segurança “

    Saldo de XP: 0/0

    2. Atributos

    Físicos 6
    - Força: 3
    - Destreza: 3
    - Vigor: 3

    Sociais 4
    - Carisma: 3
    - Manipulação: 2
    - Aparência: 3

    Mentais 3
    - Percepção: 2
    - Inteligência: 2
    - Raciocínio: 2

    3. Habilidades

    Talentos
    - Prontidão: 2
    - Esportes: 1
    - Briga: 3
    - Esquiva: 2
    - Empatia: 2
    - Expressão:
    - Intimidação: 2
    - Liderança:2
    - Manha:
    - Lábia:

    Perícias
    - Empatia c/ Animais:
    - Ofícios:
    - Condução: 2
    - Etiqueta:
    - Armas de Fogo: 3
    - Armas Brancas: 2
    - Performance:
    - Segurança:3
    - Furtividade:2
    - Sobrevivência:

    Conhecimentos
    - Acadêmicos:
    - Computador: 2
    - Finanças:
    - Investigação: 2
    - Direito:
    - Linguística: 2 ( Inglês e Holandês)
    - Medicina:
    - Ocultismo:
    - Política:
    - Ciências:

    4. Vantagens

    Antecedentes
    Contatos 1 ( Traficante Local )
    Aliado 5 ( Chefes de Gangue Local )

    Disciplinas
    Potência : 1

    5. Virtudes

    Virtudes
    - Consciência: 3
    - Autocontrole: 2
    - Coragem: 3

    Humanidade: 5

    Força de Vontade: 3

    Qualidades
    Zona Morta ( 2 Pontos ) (Caçadores Caçados)
    Frieza Lógica ( 1 Ponto )
    Temperamento Calmo ( 3 Pontos )
    Capangas ( 1 Ponto ) ( Caçadores Caçados )
    Ás do Volante ( 1 Ponto )

    Defeitos
    Arrogante ( 2 Pontos )
    Dormindo com o Inimigo ( 3 Pontos ) - Envolvimento com uma Caçadora.

    Observações
    Sukali é um homem sério e costumava ser um amigo pessoal de Malik quando ambos estavam na senzala, afinal uma das filhas de Malik seria uma de suas sobrinhas, em tese ele seria Tataratatara Tio de Beatriz.
    É apaixonado por Jacquie Kassidy uma investigadora particular a qual possui um caso, mas que na verdade é uma caçadora. Apesar de ambos se relacionarem, Jacquie acha que Sukali é um carniçal , mas não tem certeza.
    Sukali é um homem sereno de pouc
    as palavras, não sabe-se muito além do que ele mostra.

    Pontos Bônus Gastos 21/21

    20 Pontos Habilidades ( 2 Segurança, 2 Intimidação, 2 Furtividade, 1 Briga, 1 Arma de fogo, 2 Computador,)
    1 Ponto Qualidade
    Felipe da Fonseca
    Investigador
    Felipe da Fonseca
    Investigador

    Mensagens : 72
    Reputação : 5

    Fichas Empty Re: Fichas

    Mensagem por Felipe da Fonseca em Qua Abr 24, 2019 12:55 pm

    Pikapool
    Cavaleiro Jedi
    Pikapool
    Cavaleiro Jedi

    Mensagens : 230
    Reputação : 28

    Fichas Empty Re: Fichas

    Mensagem por Pikapool em Qua Abr 24, 2019 4:47 pm

    FICHA APROVADA (25/04/2019) BY @Askalians

    Fichas Mf11
    1. Dados
    Nome: Pikapool
    Personagem: Lana O’Connor
    Clã: Ventrue
    Natureza: Excêntrica
    Comportamento: Cientista
    Geração:
    Refúgio: Apartamento luxuoso
    Conceito: Médica patologista

    Saldo de XP: 0/0

    2. Atributos
    Físicos
    - Força: 1
    - Destreza: 3
    - Vigor: 2

    Sociais
    - Carisma: 2
    - Manipulação: 1
    - Aparência: 5 (Encantamento)

    Mentais
    - Percepção: 4 (Perspicaz)
    - Inteligência: 3
    - Raciocínio: 3


    3. Habilidades
    Talentos
    - Prontidão: 3
    - Esportes: 1
    - Briga: 1
    - Esquiva: 1
    - Empatia: 3
    - Expressão: 1
    - Intimidação:
    - Liderança:
    - Manha:
    - Lábia: 3

    Perícias
    - Empatia c/ Animais:
    - Ofícios:
    - Condução:
    - Etiqueta: 3
    - Armas de Fogo:
    - Armas Brancas:
    - Performance: 1
    - Segurança:
    - Furtividade: 1
    - Sobrevivência:

    Conhecimentos
    - Acadêmicos:
    - Computador: 1
    - Finanças:
    - Investigação: 1
    - Direito:
    - Linguística: (Inglês)
    - Medicina: 4 (Patologia Cainita)
    - Ocultismo: 1
    - Política:
    - Ciências: 4 (Hematologia Cainita)


    4. Vantagens

    Antecedentes
    - Recursos 5
    - Lacaios 1
    - Geração 5
    - Rebanho 1
    - Domínio 3 (Tamanho 1, Segurança 2)

    Disciplinas
    - Dominação 1
    - Fortitude 1
    - Presença 1


    5. Virtudes
    - Consciência: 3
    - Autocontrole: 4
    - Coragem: 3

    Humanidade: 7

    Força de Vontade: 6


    Qualidades e Defeitos
    - Rosto de Bebê
    - Voz Encantadora
    - Inofensivo
    - Santidade
    - Ingerir Comida
    - Gentil Escravidão
    Original:
    Gentle Enthrallment 1 or 3 pt. merit.
    While most vampires engender slavish devotion in their ghouls through the “gift” of their blood, creating spiritually ruined and singularly wretched creates to serve them, you blood reacts somewhat differently when bestowed upon the Children of Seth. At the 1-point variation of this Merit, while you do create the blood oath and you empower your thralls normally, the psychological reaction of the ghoul allows for a greater deal more free will. Your ghouls regard you with fierce loyalty and a powerful sense of affection (more befitting a beloved friend than an unholy master), but they do not, as a rule, adopt the posture of pathetic, groveling toadies. Not only is this more humane form of enthrallment more morally acceptable for and among Prodigals, it also allows your ghouls to pass more easily as ordinary mortals (for instance, they are less likely to fly into a rage when someone dares malign you). The 3-point version of the merit, in addition to the benefits described above, also results in regular uses of Dominate having few permanent deleterious effects on mortals. Thus even those conditioned as perfect servants possess the spark of intelligence and initiative necessary to function as reasonably normal human beings.
    Livro Road of Humanity, pag 73
    - Deficiência Visual: Hipermetropia
    - Fetiche ao se Alimentar: Pescoço
    - Recém-Chegado
    - Fobia: Aracnofobia

    Observações
    - Idade antes do abraço: 23
    - Idade total: 93
    - Data de nascimento: 05/08/1926
    - Aparência: Lana é uma irlandesa deslumbrante, de traços marcantes e personalidade cativante. Possui longos cabelos ruivos e pele alva que contrasta com suas sardas. Seu corpo curvilíneo possui 1,64 m de altura e 54 kg bem distribuídos. Vaidosa, possui uma postura perfeita e andar gracioso. Está sempre com um olhar malicioso. Seus olhos verdes e rosto angelical já deixaram mais de um marmanjo estonteado só de olhar.
    - Roupas: O guarda roupa de Lana varia sempre, temos a chance de vê-la com roupas de todos os tipos e para várias ocasiões. Suas roupas também refletem sua personalidade. Seu penteado também varia bastante, mudando de solto para um "rabo de cavalo", “marias-chiquinhas” ou, simplesmente, o prendendo com uma presilha.
    - Personalidade: Lana é alegre, jovial e apaixonada pela ciências, mas também é agressiva e excêntrica por natureza, ainda sim uma boa companhia. Jogos que desafiam sua inteligencia e bom humor sempre trazem à tona a garotinha que existe nela. Lana é uma garota linda que esbanja sensualidade, mas não chega a ser uma femme fatale ou algo do gênero, tendendo mais para puerilidade. Contudo, por debaixo do seu comportamento, ela tende a ser paciente e observadora, sempre ponderando muito sobre seus atos. Sempre agindo com cautela e respeitando todos, analisando-os até poder encontrar suas fraquezas.
    - Fraqueza do clã: Se alimenta apenas de mulheres.
    - Inventário: Smartphone, bolsa, óculos, kit de maquiagem (primer, pó facial, blush, delineador, mascara de cílios, batom e gloss), caderno de anotações, caneta, 4 tubos de ensaio, 4 seringas luer lock 10ml com agulhas, álcool glicerinado à 70%, 1 par de luvas estéril, 1 pacote de gaze estéril, frasco de analgésicos.
    - Recursos: Médica em New Orleans East Hospital, herança, Irish Pub.
    - Lacaio: Viktor O’Neill.
    Spoiler:
    Fichas Floria10
    1. Dados
    Personagem: Viktor O’Neill
    Natureza: Competidor
    Comportamento: Sobrevivente
    Conceito: Guardião

    2. Atributos
    Físicos
    - Força: 4 (Punhos de Ferro)
    - Destreza: 2
    - Vigor: 3

    Sociais
    - Carisma: 1
    - Manipulação: 3
    - Aparência: 3

    Mentais
    - Percepção: 2
    - Inteligência: 2
    - Raciocínio: 2


    3. Habilidades
    Talentos
    - Prontidão: 3
    - Esportes: 1
    - Briga: 4 (Boxe)
    - Esquiva: 4 (Fintar)
    - Empatia:
    - Expressão:
    - Intimidação: 3
    - Liderança:
    - Manha: 2
    - Lábia:

    Perícias
    - Empatia c/ Animais:
    - Ofícios:
    - Condução: 2
    - Etiqueta:
    - Armas de Fogo: 1
    - Armas Brancas:
    - Performance:
    - Segurança: 2
    - Furtividade: 2
    - Sobrevivência:

    Conhecimentos
    - Acadêmicos:
    - Computador: 1
    - Finanças:
    - Investigação: 2
    - Direito:
    - Linguística: (Inglês)
    - Medicina:
    - Ocultismo: 1
    - Política:
    - Ciências:


    4. Vantagens

    Antecedentes
    - Recursos 3
    - Aliado 1
    - Fama 1
    - Contato 1

    Disciplinas
    - Potência 1
    - Fortitude 1

    5. Virtudes
    - Consciência: 3
    - Autocontrole: 3
    - Coragem: 4

    Humanidade: 6

    Força de Vontade: 6


    Qualidades e Defeitos
    - Corpo Grande
    - Sentido Aguçado: Visão
    - Equilíbrio Perfeito
    - Brigão
    - Concentração
    - Frieza Lógica
    - Ambidestro

    - Tique Nervoso: Constantemente estala os dedos quando está nervoso
    - Noções Românticas
    - Alergia: Frutos do mar

    Observações
    - Idade aparente: 27
    - Idade total: 95
    - Data de nascimento: 13/10/1924
    - Aparência: Viktor possui uma aparencia barbara que parece erradiar uma aura amedrontadora que contrasta com seus 2,04 m de altura e seus 122 kg de puro musculo. Possui cabelo castanho escuro raspado, barba e olhos castanhos escuros. Veste-se apropriadamente para cada ocasião, mas não esconde de ninguém que prefere suas roupas largas de treino, suas botas e luvas de combate.
    - Personalidade: Viktor é frio e compenetrado, sempre convicto que deve ser o melhor em tudo o que faz. Nunca desiste, afinal, nada pode mantê-lo no lona. Porém, o estalar constante de dedos pode revelar o seu temperamento violento, mas raramente irrompe em uma fúria extrema, exceto quando as pessoas que ama estão em risco. Viktor ama o pugilismo e sempre tenta provar a si mesmo em combate tentando ir além de suas capacidades, o que pode colocá-lo em perigo. Apesar de todo esse comportamento rispido, Viktor possui um lado gentil que somente é conhecido pelos mais próximos como Lana.
    - Inventário: Smartphone, mochila, par de luvas de boxe, par de bandagens de algodão, protetor bucal com caixinha, pistola Glock G25 Calibre .380 com 3 carregadores.
    - Recursos: Segurança do Irish Pub, aposta em suas lutas.
    - Aliado: Ethan Gardner, sargento da policial e colega de treino.
    Spoiler:
    Fichas Dwayne10
    - Fama: Mal chegou em Nova Orleans e Viktor já se destaca no boxe local.
    - Contato: Mickey, um velho rabugento dono de uma academia de boxe local.
    Spoiler:
    Fichas Clint10

    - Pontos de bônus: 21 - Habilidades: 12 (Esquiva 8, Manha 4), Antecedentes: 1 (Aliado 1), Força de Vontade: 2, Qualidades: 10 (Corpo Grande 4, Sentido Aguçado 1, Equilíbrio Perfeito 1, Brigão 1, Concentração 1, Frieza Lógica 1, Ambidestro 1) , Defeitos: -4 (Tique Nervoso -1, Noções Românticas -2, Alergia -1)

    6. Prelúdio
    Viktor cresceu nos bairros pobres de Dublin. Desde jovem, ele sabia que não podia contar com a sorte para sair daquele lugar, então ele resolveu lutar para conseguir sair. Viu uma forma de ganhar dinheiro através das apostas feitas em um esporte brutal. Todo dia ele ia até uma academia local de boxe. Não levou muito tempo para que os treinadores vissem seu potencial.

    As lutas eram fáceis demais para Viktor que dominava seus adversários do inicio ao fim. Sempre treinava duro, pois sabia que no momento que surgisse a chance de participar de um evento maior e profissional, ele estaria pronto. E não demorou para ingressar no Boxe profissional, tornando-se rapidamente o campeão mais jovem de sua categoria.

    Viktor amava o circuito profissional de Boxe, mas infelizmente erros foram cometidos e ele foi expulso do circuito (alguns diziam que ele foi expulso por ter matado alguém). Desde então, Viktor passou a levar uma vida como capanga, espancando pessoas por dinheiro e protegendo entradas de bares e boates. Até conhecer Matthew O’Connor, que lhe ajudou-o a se reerguer e ofereceu-lhe um emprego, colocou-o sob sua tutela. Desde então Viktor se sente em divida com os O’Connor e os segue servindo até hoje.
    - Rebanho: Eve Armstrong, barwoman, Melissa Patel, auxiliar de patologia, banco de sangue de New Orleans East Hospital.
    Spoiler:
    Fichas Barten10
    Eve Armstrong
    Fichas Doctor10
    Melissa Patel
    - Domínio: Irish Pub.
    Spoiler:
    Fichas Pub10
    A fachada do Irish Pub lembra um pequeno castelo com a bandeira irlandesa hasteada na torre central. Abrem suas portas por volta das 18 horas, e costuma funcionar até umas 3 da manhã, hora em que as pessoas começam a ir embora. E um local onde a música rola solta. E não é só música ambiente não, sempre tem bandas ao vivo ou algum DJ tocando um som. Você vai ouvir muita música celta irlandesa ao vivo e bastante rock também, além de outro ritmos característicos de Nova Orleans.
    - Fobia: Aracnofobia: Quando criança ao ir pegar uma bola que um de seus irmãos havia chutado para longe, Lana caiu em um buraco com diversas aranhas. Felizmente não eram venenosas, mas as picadas dolorosas traumatizaram a garota.
    - Pesquisa com a vitae: Ao longo dos anos de estudo à procura de uma “cura” para o vampirismo - na verdade o que Lana almeja é ter de volta a capacidade de andar pelo sol e as possibilidades que isso lhe traria - a garota teve bons progressos. Conseguiu restabelecer as funções de seus órgãos. Fazenda seu coração voltar a bater, o que deu a sua pele um tom mais vivido, além de voltar a respirar normalmente. Também pode voltar a ingerir comida e saboreá-la. Infelizmente esses alimentos não nutrem e também não são digeridos. Por fim, conseguiu manter seu sangue potente para fortalecer seu lacaio, sem causar-lhe nenhuma reação psicológica tornando-o mais livre. Seu lacaio se mantém leal com um poderoso senso de afeição, mas sem aquela postura patética de humilhação e bajulação. Se comportando mais como um ser humano normal. No entanto, agora suas pesquisas estagnaram, dependendo da vitae de outros clãs para prosseguir.

    - Pontos de bônus: 21 - Habilidades: 4 (Medicina 2, Ciências 2), Antecedentes: 10 (Lacaios 1, Geração 5, Rebanho 1, Domínio 3), Força de Vontade: 3, Qualidades: 9 (Rosto de Bebê 2, Voz Encantadora 2, Inofensivo 1, Santidade 2, Ingerir Comida 1, Gentil Escravidão 1) , Defeitos: -5 (Deficiência Visual -1, Fetiche ao se Alimentar -1, Recém-Chegado -1, Fobia -2)


    6. Prelúdio
    Ah! Sim, eu me reuni a pouco com a realeza. Então você também é um de nós. Ahn? Meu nome? Me chamo Lana O’Connor, prazer em conhecê-lo. Eu acabei de chegar à Nova Orleans, ainda nem tive tempo de organizar todas as coisas lá em casa. Você gostaria de saber mais sobre mim? Claro, porque não. Bem, vejamos por onde devo começar...

    Nasci e cresci em Dublin na Irlanda, em uma área pacata. Venho de uma família de políticos, com exceção de minha mãe que era enfermeira e a responsável pelo caminho que segui. Posso dizer que cresci em um lar feliz, eramos eu, mamãe, meus irmãos e papai. A proposito, você deve conhecer meu pai. Ele esteve engajado com a politica desde que me entendo por gente. Ele se chamava Matthew O’Connor. Como você não o conhece? Ele concorreu a presidência contra Seán T. O'Kelly. O que? Você também não o conhece? Vocês americanos só se importam com o próprio umbigo. Ok, ok, eu também não saberia dizer o nome dos seus presidenciáveis, muito menos dos concorrente. Enfim, vou continuar minha historia. Mamãe sempre esteve disponível para nós. Já o papai geralmente estava ocupado em reuniões ou sei lá o que. Mas ainda me lembro dos fins de semana, quando nos reuníamos em família, confesso que sempre gerava alguma confusão. Porque os meninos queriam jogar bola com o papai, mas ele gostava de ler para mim e acabava passando maior parte do tempo comigo. Acho que era pelo fato de eu ser a unica menina e também a caçula. Porém, nem tudo são flores.

    Quando tinha 18, em uma viagem politica, fomos emboscados pelo grupo terrorista, IRA. Acredito que tenha sido uma forma de retaliação, já que o líder deles, Charlie Kerins, iria ser executado por seus crimes cometidos durante a guerra. Infelizmente, naquele dia minha mãe e meus irmãos foram mortos. Tinha um conhecimento básico de enfermagem, mas não foi o suficiente para salvá-la. Vê esse crucifixo? Ela me deu em seu leito de morte. A partir daquele momento que decidi ser medica, não queria ver ninguém passando pelo que eu passei. Apesar que, se não fosse pelo Viktor, eu não estaria aqui hoje. Ah, o Viktor é aquele grandão ali. Ele era amigo do meu irmão mais velho e segurança da família. Naquele dia eu sai ilesa, graças ao Vik, meu pai sofreu ferimentos leves, no entanto, minha mãe e meu irmão mais velho não resistiram. Já meu irmão do meio passou quatro dias no hospital. E nós passamos esses quatro dias com ele no hospital antes dele morrer.

    Cai de cara nos livros. Completei meus estudos, e desejava muito cursar medicina em Londres. Mas meu pai havia se tornado super protetor e tive que me contentar com algo mais próximo. Graças a influencia de papai fui para University College Dublin. Lamentavelmente o lugar era tomado pelo machismo, todo mundo implicava comigo por querer ser medica, mas eu sempre confiei em minhas capacidade e não demorou para superar os demais estudantes de medicina. Infelizmente o bullying só aumentava e até mesmo alguns professores me tratavam mal. No entanto, havia um jovem professor bem-apessoado que parecia me entender e me incentivava. Não sei ao certo se realmente gostava de mim ou se dava ao fato de ser amigo de meu pai. Durante os primeiros quatro anos de faculdade. Quase que todo dia me deparava com o Prof. Gerard MacCarthy nos corredores, fomos nos tornando amigos. Porque está me olhando assim? Está bem, eu admito que tive uma quedinha por ele. Ele era um homem bonito e eu uma jovem impressionável.

    Em uma certa noite na biblioteca, ele me ofereceu uma xícara de chá. Sabia que era proibido, mas ele era o professor, então não vi problemas em tal ato. Ele se pôs a falar sobre poder, bem maior e imortalidade. Sinceramente, eu não entendia nada do que ele estava falando, no entanto, eu não conseguia tirar os olhos dele. Lembro-me de estar sonolenta e aos poucos perder a consciência. Acordei no quarto do Prof. MacCarthy, ele estava sentado em sua poltrona e ao seu lado um dos alunos. Por um momento temi pelo que teriam feito comigo ou o que poderiam fazer. Contudo, eu estava bem, apesar da imensa fome que sentia, e logo o Prof MacCarthy se dispôs a esclarecer tudo sobre vampiros e tudo mais. A mesma conversa que você deve ter ouvido após o seu abraço. O curioso é que naquela mesma noite ele me levou para uma festa e o anfitrião disse-me a seguinte frase: “Está noite, você sera Príncipe.” Hoje compreendo tais palavras.

    Na noite seguinte eu fui iniciada em meu treinamento. Ele ensinou-me sobre o poder do sangue, tradições, toda historia da Camarilla, hierarquia, etc.Foram cerca de onze meses a um ano desse treinamento, até eu ser formalmente apresentada para o Príncipe. Em seguida retomamos o treinamento, mas foi algo mais interno. Seis meses de ajuda coletiva. E por fim, fui testada mais uma vez, algo que realizei com certa maestria com a ajuda de meu pai e sua influencia. Finalmente me vi diante de todo clã e posteriormente as formalidades, houve uma festa, digamos, de “formatura”.

    Depois de tudo isso segui meu próprio caminho. MacCarthy não me ve mais como sua responsabilidade, mas se necessário ele me ajuda. Foi ele quem me arrumou emprego no New Orleans East Hospital, MacCarthy parece ser muito influente. Bem, creio que isso seja toda minha historia. Como assim faltam alguns detalhes? Ah, porque escolhi Nova Orleans? Porque me lembra Dublin, uma cidade festiva. Em Dublin sempre temos uma festa diferente, seja religiosa, musical, de arte, moda, comidas ou bebidas, além de muitas outras. Infelizmente você aqui só devem conhecer o Dia de São Patrício.

    Eve uma Bulmers Cider para que eu possa lembrar de casa. Acho que isso é o suficiente para sanar suas duvidas. Como assim ainda faltam alguns detalhes? Sério, eu preciso ir... Hmm, espera! Creio que isso você vá achar interessante. Põe a mão sobre meu peito. Sim, ele está batendo. Mas isso é um assunto para uma próxima conversa. Ahn? Onde me encontrar? Vou contar-lhe um segredo. Este pub é meu. Shhh... Não vá espalhar. Tchau, tchau. Beijos.

    7. Banco de Dados
    Projeto
    Neófito
    Projeto
    Neófito

    Mensagens : 22
    Reputação : 10

    Fichas Empty Re: Fichas

    Mensagem por Projeto em Seg Jul 08, 2019 10:09 pm

    FICHA APROVADA (08/07/2019) BY @Askalians


    Fichas 17a42b7d50d6a03324f2f4d8f3ec81ed

    1. Dados
    Nome: Projeto
    Personagem:Dante Alighieri
    Clã: Ventrue
    Natureza: Arquiteto
    Comportamento: Bon Vivant
    Geração: 12ª Geração
    Refúgio: Cobertura no centro da cidade.
    Conceito: Corretor Imobiliário

    Saldo de XP: 0/0

    2. Atributos (7/5/3)
    Físicos
    - Força: OO
    - Destreza: OOO
    - Vigor: OO

    Sociais
    - Carisma: OOOO
    - Manipulação:   OOO
    - Aparência: OOO

    Mentais
    - Percepção: OOO
    - Inteligência: OOO
    - Raciocínio: OOO


    3. Habilidades (13/9/5)
    Talentos
    - Prontidão:O
    - Esportes:O
    - Briga:
    - Esquiva:O
    - Empatia:OO
    - Expressão:OOO
    - Intimidação:OO
    - Liderança:
    - Manha:
    - Lábia:OOO

    Perícias
    - Empatia c/ Animais:
    - Ofícios:OO
    - Condução:O
    - Etiqueta:OOO
    - Armas de Fogo:O
    - Armas Brancas:O
    - Performance:O
    - Segurança:
    - Furtividade:O
    - Sobrevivência:

    Conhecimentos
    - Acadêmicos:
    - Computador:
    - Finanças:OOO
    - Investigação:
    - Direito:
    - Linguística:
    - Medicina:
    - Ocultismo:
    - Política: OO
    - Ciências:


    4. Vantagens

    Antecedentes (5 pontos)
    Influência - OO
    Recursos - OOOO
    Status - OO
    Contatos - OO


    Disciplinas
    Comando - O
    Fascínio - O
    Fortitude - O


    5. Virtudes
    - Consciência: OOO
    - Autocontrole: OOOO
    - Coragem: OOO

    Humanidade: OOOOOOO

    Força de Vontade: OOO


    Qualidades e Defeitos
    Ambidestro (1)
    Ex-Carniçal (1 ponto)
    Veterano (1 ponto)
    Dívida de Gratidão (1)

    Sede de Inocência (-2 pontos)
    Vulnerabilidade a Prata (-2 pontos)

    Observações
    -
    -
    -



    6. Prelúdio

    Desde jovem aprendeu com a vida a se virar, enquanto uns a sua volta tinham tudo, e outros tinham pouco, ele decidiu conviver com as duas classes sociais, aprendeu conseguir dinheiro ajudando os colegas com os deveres, assim como se enturmou com o bando mais violento que uma escola de periferia poderia fabricar na época, flertou notas com os professores, negociava delações com a diretora, e tentava não se envolver efetivamente com ninguém, pensava para si mesmo que alvos a prêmio, como meninas desejadas, poderiam lhe causar transtornos futuros, então seus pares sempre foram pessoas comuns, afastadas da grande sociedade, até então cumprir a promessa para si: “ Preciso me formar e sair vivo dessa escola”. Desejo bobo, até que sua sutileza em negociações acabou lhe formando um perfeito negociador, até o dia de ser abraçado.

    Dante é um nome conhecido nos bastidores da Camarilla, a muito tempo serviu de carniçal para um Ventrue poderoso que lhe ensinou como se comportar e o apresentou para as pessoas certas no submundo de New Orleans. Acumulou riquezas, onde trabalha até hoje no ramo imobiliário, algo que caiu perfeitamente como uma luva para sua vida após abraço, pois quando precisa trabalhar atua com plantões noturnos para empresários e políticos que não podem ser vistos à luz do dia. Nascido e criado na cidade, nunca foi uma pessoa que andou muito nas vielas, por ter mãe e pai pobre, aprendeu na vida o que é passar fome, necessidade, e decidiu afastar de si qualquer vínculo com com a pobreza. Vive para realizar os sonhos das pessoas, seja comprando um imóvel, um terreno, quando o assunto é o lar de um ser, ele se esforça para dar o melhor de si, se esforça para sua sociedade da Camarilla, e entende que no fundo é apenas um ser qualquer e que a necessidade do bem comum é muito maior que sua simples vontade individual o que causa um desejo de inclinação política no mesmo, a junto com seu comportamento bajulador e carismático, acabou atraindo grandes amigos para perto de si, contos, status, influência e sua riqueza são usados para o bem comum e o desejo de crescer na sociedade.

    Porém nem tudo são flores, ainda mais em uma mente tão positiva é que surgem as malícias mais perversas que se pode ter notícias. Em meio a seu compromisso social, ele carrega consigo a maldade com a inocência, uma mulher jovem na grande maioria das vezes lhe desperta uma sede que nem ele mesmo consegue entender, e leva consigo esse segredo, e por isso sempre procura os locais mais perversos, insanos e ocultos para se saciar, pois não pode se deparar a sua frente com a visão de um inocente se não pode acabar perdendo o controle de si.

    Seu principal objetivo é ganhar renome e respeito dentro da Camarilla, além de ajudar no crescimento da ordem, sempre quando pode quer acabar com qualquer vestígio do Sabá;

    7. Banco de Dados
    Melroc
    Mestre Jedi
    Melroc
    Mestre Jedi

    Mensagens : 1242
    Reputação : 5

    Fichas Empty Re: Fichas

    Mensagem por Melroc em Seg Out 21, 2019 10:11 pm

    FICHA APROVADA (23/10/2019) BY @Askalians



    1. Dados
    Nome: Melroc
    Personagem: Louis Delacrouix
    Clã: Nosferatu (Camarilla)
    Natureza: Solitário
    Comportamento: Sobrevivente
    Geração: 10°
    Refúgio: Lorraine - Embarcação de Pesca
    Conceito: Especialista em Informações

    Saldo de XP: 0/0

    Fichas MwSQxbw

    2. ATRIBUTOS:

    Físicos
    - Força: 2
    - Destreza: 4 (Mãos Ágeis)
    - Vigor: 2

    Sociais
    - Carisma: 2
    - Manipulação: 3
    - Aparência: 0

    Mentais
    - Percepção: 4 (Astuto)
    - Inteligência: 3
    - Raciocínio:  3


    3. HABILIDADES:

    Talentos
    - Prontidão: 2 (4pb)
    - Esportes: 2
    - Briga: 1
    - Esquiva: 2
    - Empatia:
    - Expressão:
    - Intimidação:
    - Liderança:
    - Manha: 2 (4pb)
    - Lábia:

    Perícias
    - Empatia c/ Animais: 3
    - Ofícios:
    - Condução: 1 (2pb)
    - Etiqueta:
    - Armas de Fogo: 2
    - Armas Brancas:
    - Performance:
    - Segurança: 2
    - Furtividade: 3
    - Sobrevivência: 3

    Conhecimentos
    - Acadêmicos: 1
    - Computador: 4 (Invasão)(2pb)
    - Investigação: 3
    - Direito:
    - Linguística: 2 (Francês(Nativo), Inglês e Alemão)
    - Medicina:
    - Ocultismo:
    - Política:
    - Ciências:


    4. Vantagens:

    Antecedentes
    Influência 2
    Contatos 3 (3pb)
    Status 1
    Recursos 2
    Geração 3 (3pb)
    Rede de Informações  3 (3pb)

    Disciplinas
    Ofuscação 2
    Animalismo 2 (5pb)


    5. VIRTUDES:

    - Consciência: 2
    - Autocontrole: 3
    - Coragem: 5


    Humanidade: 5

    Força de Vontade: 5

    Pontos de Sangue: 13

    QUALIDADES E DEFEITOS:
    Pisceo (1 Pt de Qualidade) - Redutor de -1 na dificuldade em parada de dados física com movimento submarino.
    Anosmia (1 Pt de Defeito) - Não possui olfato ou paladar.
    Visado (4 pts de Defeito)- Fama e desconfiança de conhecer segredos importantes de membros da cidade.
    Pesadelos (1 pt de Defeito) - Deve ser bem sucedido num teste de Força de Vontade (dif. 7) ao acordar ou perderá um dado em todas as ações por aquela noite.

    OBSERVAÇÕES:
    - Lorraine - Nome da Embarcação de Pesca de Louis.
    - Louis tem um computador em seu navio com link via satélite de alta velocidade.
    - Louis tem uma câmera digital, um gravador e um celular.
    - Apesar de ter um Inglês fluente, Louis gosta de usar palavras francesas em suas falas.

    6. PRELÚDIO:


    New Orleans, 27 de Maio de 2009

    Trechos retirados do Diário de Registros de Louis Delacroix

    Nasci com o nome de Louis Piaget, um camponês no interior da frança, em um lugar que nem me lembro o nome, mas ainda jovem fui estudar em Paris. Eu tinha uma obsessão pelas novas tecnologias que surgiam logo depois da Revolução Industrial, claro que naquela época não tinha esse nome, mas o Rádio e o Telegrafo eram minha paixão. A ideia de poder me comunicar com outra pessoa do outro lado do país instantaneamente me fascinava, que idiota eu era, até acreditava que tinha um futuro promissor, mas como aprendi que felicidade demais faz mau, vieram os alemães e deram uma mãozinha.

    Era 1940, Segunda Guerra mundial, os nazi com sua Blitzkrieg tomaram o norte do pais em questão de dias. Não tivemos tempo nem de arrumar as malas, quando percebemos, Hitler estava comendo nossos Croissants enquanto discursava no Arco do Triunfo.

    Mas meu povo era Féroce, e montamos uma resistência, eu era o partizan especialista em comunicação e repassava informações importantes para os aliados, além de ajudar a atrapalhar a comunicação de nossos inimigos quando roubávamos cargas ou executávamos tarefas de sabotagem. Foi na resistência que aprendi muitas habilidades de infiltração, como escalar, me movimentar e a rastejar sem fazer barulho. Como todo soldado aprendi a sobreviver com o que tinha a meu alcance e a atirar, apesar de até hoje não gostar muito de armas de fogo. Mas minha habilidade principal na resistência era contornar a segurança alemã.

    Eu era um espião e invasor da resistência, gostava desse título, mas em uma de nossas missões de reconhecimento fomos emboscados por um monstro e tudo mudou para sempre. Quando ele apareceu, foi tudo muito aterrorizador, ele vestia um uniforme chucrute, mas não era soldado, muito menos humano. Sua força e violência eram descomunais, nunca sabíamos como ou onde ele atacaria. Consegui fugir dele por duas noites, mas todos os meus companheiros morreram. Juro que lutei por minha vida com todas as minhas forças, mas o desgraçado parecia se divertir comigo. No final ele viu algo em mim que eu desconhecia e em vez de me matar, me deu o abraço.

    Lembro-me da êxtase, da sensação de prazer, da tranquilidade e do silêncio, mas o nascimento de um monstro nunca é belo e a dor, a loucura e a fome me acompanharam também. Quando retomei minha consciência, havia me tornado um monstro, meus pelos haviam caído, minha pele estava ressecada e esticada sobre os ossos, eu não sentia mais sabor ou cheiro de nada, alias, o ultimo cheiro que lembro é o fedor de Mouffet do meu famigerado mestre.

    Ele estava lá naquele Bunker esquecido, rindo da minha frustração e desespero ao saber no que eu havia me tornado. Ele me torturou durante dias e me quebrou por dentro, eu não entendia porque ele havia me tornado um deles só para me rasgar, de onde você acha que vem meus pesadelos? Aqueles olhos de sangue e boca de tubarão sorridente ainda me visitam em meus sonhos.

    O Goblin, como eu descobri mais tarde, me visitava todas as noites e eu vivia um filme de terror em suas mãos, até que uma noite ele parou de aparecer. Assim, a fome me obrigou a sair e a fugir. Vaguei pelas matas sem rumo até chegar em casa, estava em Paris, mas eu não podia mais ser Louis Piaget, não poderia retomar minha vida, afinal eu era um morto-vivo e assumi o nome Delacroix em homenagem a Cruz de Lorraine, símbolo da Resistência Francesa.

    Quase Instintivamente fugi para os esgotos e foi lá que conheci outros de minha linhagem, foi onde descobri que eu era um Nosferatu. Em Paris foram os dias mais felizes da minha não-vida, uma cidade antiga, cheia de vida, onde podíamos vagar pelas centenas de quilômetros de esgotos e aquedutos se sermos incomodados.

    Foi na Cidade Luz que desenvolvi minhas habilidades vampíricas, elas era muito úteis para um cainita espião. Mesmo sendo um monstro, eu podia andar até mesmo em meio aos movimentados festejos noturnos dos mortais sem ser notado, o que ajuda bastante na hora de me alimentar. Falando em movimentação, minha mudança me deu uma habilidade inata de nadar, e me sinto muito confortável debaixo da água, algo que outros de minha linhagem não possuíam. Juntando com minha incapacidade de sentir cheiros, os esgotos de Paris eram uma grande piscina para mim, saviez!

    Preciso adicionar o meu espanto quando descobri que podia falar com animais e até convocá-los! Precisei lapidar minha forma de conversar com souris ou cafards, mas o trabalho compensou, animais são ótimos espiões se souber utiliza-los da forma correta. Enquanto destilam seu veneno, tanto cainitas quanto mortais não dão muita atenção a um gato que passa esporadicamente. Eu evito me alimentar desses animais, afinal são bons amigos e companheiros leais.

    Enquanto os Ventrue e Toreador se divertiam em seus salões luxuosos, nosso reino subterrâneo era enorme, cercado pela arquitetura romana, onde andávamos livres. Foi lá que aprendi que todos têm segredos e os cainitas possuíam segredos dentro de segredos e em volta de mais segredos. Isso me fascinava. Pelas minhas mãos, muitos anciões deixaram seus segredos escorrerem para os esgotos.

    Descobri que conhecimento é poder, mesmo aquela informação irrelevante, um dia se torna algo importante, basta conectar os fios certos. Mas em Paris não espionávamos para obter vantagens, não estávamos nem aí para as excentricidades da superfície, fazíamos por pura diversão ou tédio, hoje não me importa mais.

    Eu ainda era um Néofito recém saído das fraudas quando um onda de protestos sacudiram Paris em 68. Movimentos Estudantis e trabalhadores de fabrica reivindicavam direitos, os Brujah se aproveitaram da oportunidade para causar baderna e tentar tomar o poder. Claro que o príncipe não gostou nada disse, saviez! Ele conseguiu por um fim na revolta, mas respingou em nossa ninhada. Algum Toreador indecente convenceu o Príncipe que nós estávamos envolvidos na revolta e ele expulsou os Ratos do Esgoto de Paris. Nossos anciões conseguiram fazer um acordo, mas os Neófitos não tiveram a mesma sorte.

    Sendo assim, vaguei por aí sem rumo, primeiro na Europa, depois nos EUA, até chegar a New Orleans e me sentir em casa, havia muito de francês na cidade e muita água, sempre gostei de água. Fiz uns trabalhos para uns figurões de New Orleans que mexeram alguns pauzinhos e intercederam junto ao príncipe para permitir minha permanência, et me voilà!

    Tratei logo de criar minha base de contatos, sou um Nosferatu e nós vivemos de contatos! Primeiro sondei a Secretaria de Infra-estrutura da cidade e encontrei Karlus Holbrooke, um engenheiro corrupto que trabalha na secretaria, uma sondada em sua conta bancária e um vídeo dele recebendo propina foram o suficiente para colocá-lo no meu bolso. Dele retiro informações de empreendimentos civis novos e de qualquer imóvel construído na cidade.

    Outro contato interessante é a Senhorita Amanda Molina, uma analista de investimentos de sucesso, uma verdadeira falcão do Dólar que deixaria muitos Ventrue com ciúmes. Faço alguns trabalhos sujos para ela, em troca ela me deixa por dentro do mundo dos negócios de New Orleans.

    Já Everard Semer eu encontrei por acaso em uma de minhas caçadas. Eu fiquei intrigado com ele e descobri que se tratava de um contrabandista que conhecia bem o mundo do crime. Seu principal meio de vida é contrabando de armas, drogas e pessoas vindas de Cuba. É só colocar alguns dólares na mão dele e ele conta tudo que sabe.

    Sou um Rato do Esgoto sem um esgoto, mas como costumo dizer j’ai Bayou e vivo vagando no Lorraine, meu velho navio que uso como refugio itinerante pelos rios, lagos e pântanos das redondezas. Trabalho com Mineração de Dado, um Negociante de Informações, um Espião ou Hacker como preferir. Até ganho uns trocados ao realizar alguns trabalhos de forma anônima para o rebanho.

    Atualmente, temo que minhas atividades tenham desagradado alguém de poder. Tem gente restringindo meu alcance, tentando me sabotar e me enfraquecer, isso só pode ser obra de um Ancião ressentido, talvez pense eu tenha alguns de seus segredinhos sujos! Bem, talvez eu tenha mesmo, só não sei o que é ou onde guardei, ... ainda. De qualquer forma, quero descobrir quem está no meu pé, não posso deixar um velhaco qualquer metendo a mão no que é meu, savier?


    7. BANCO DE DADOS:

    CONTATOS
    Everard Semer - Contrabandista, Cajun, Contato por dinheiro, Conhecimento do Submundo do crime.
    Amanda Molina - Analista de Investimentos, Hispânica, Contato por troca de favores, Conhecimento do Mundo Financeiro (Empresas, Investimentos e Bolsa de ações).
    Karlus Holbrooke - Burocrata, Afro Norte Americano, Contato por chantagem, Conhecimento dentro departamento de infraestrura e transporte.

    mitzrael
    Tecnocrata
    mitzrael
    Tecnocrata

    Mensagens : 393
    Reputação : 22
    Conquistas :
    • https://i.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1811.png
    • https://i.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1611.png
    • https://i.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/410.png
    Premiações :
    • https://i.servimg.com/u/f89/19/67/13/04/medalh48.png

    Fichas Empty Re: Fichas

    Mensagem por mitzrael em Ter Out 22, 2019 4:49 pm

    FICHA APROVADA (08/11/2019) BY @Askalians

    Nome: Mitzrael
    Personagem: Zayn Samir
    Clã: Assamita
    Natureza: Sobrevivente
    Comportamento: Solitário
    Geração:8
    Refúgio: apartamento  e escritório de detetive particular
    Conceito:detetive particular

    Saldo de XP: 0/0

    Dados numéricos:
    2. Atributos (7/5/3)
    Físicos
    - Força: 1+3 (Mãos Fortes)
    - Destreza: 1+3 (Velocidade)
    - Vigor: 1+1

    Sociais
    - Carisma: 1
    - Manipulação:1
    - Aparência: 1+3

    Mentais (5)
    - Percepção: 1+3 (atenção)
    - Inteligência: 1+1
    - Raciocínio: 1+1

    Habilidades (13/9/5)
    Talentos
    - Prontidão:3
    - Esportes:3
    - Briga: 3
    - Esquiva: 3
    - Empatia:
    - Expressão:
    - Intimidação: 1
    - Liderança:
    - Manha:
    - Lábia: 1 (2pb)

    Perícias
    - Empatia c/ Animais:
    - Ofícios:
    - Condução: 2
    - Etiqueta: 2
    - Armas de Fogo:
    - Armas Brancas: 5(10pb) (espadas e adagas )
    - Performance:
    - Segurança:2
    - Furtividade: 2 (2pb)
    - Sobrevivência:

    Conhecimentos
    - Acadêmicos:
    - Computador:
    - Finanças:
    - Investigação: 2
    - Direito:
    - Linguística: 1 (ingles,)
    - Medicina:
    - Ocultismo: 2
    - Política:
    - Ciências:
    - Instrução:

    4. Vantagens
    Antecedentes (5 pontos)
    - Geração: 5 (3pb)
    - Recursos 2
    - Contatos 1 (legista da cidade)

    Disciplinas
    - rapidez: 2
    - Quietus: 4 (5pb)
    - ofuscação:

    5. Virtudes
    - Consciência: 3
    - Autocontrole: 3
    - Coragem: 4

    Humanidade: 6

    Força de Vontade: 7 (3pb)


    Qualidades e Defeitos:
    Qualidades e Defeitos

    Qualidades
    Ambidestria: 1 (1pb)
    Sentido Aguçado: 1(visão)(1pb)
    Equilíbrio Perfeito: 1 (1pb)

    Defeitos
    Chamas do Passado: (+2pb)(Yvi)
    Dormindo com o Inimigo: (+3pb) (Yvi)
    Imagem sem Reflexo : (+1pb)
    Brisa Frígida:(+1pb)


    Equipes : duas cimitarras . um sobretudo preto de couro , uma bota de couro preta , um par de luvas pretas , duas adagas ,
    camiseta preta .
    kit de investigação .
    kit de arrombamento .



    Imagens:
    Fichas -640-0-5d9e2cebc4e32
    no passado .

    Fichas Dirilis-osmanin-yildizi-burak-ozcivit-hayranlarini-sasirtti-1563264392536
    atual

    Fichas 71c3dea32f04b8d6c94e9d024809e40b
    Yvi

    Prelúdio:
    Prelúdio:

    Zayn que siginifica (belo e gracioso) teve um inicio de vida muito pesado já que não conheceu seus pais , sendo criado nas ruas , escuras e sanguentas de Bagdá. Zayn era um garoto sonhador mas sempre solitário e a vida o fez sobrevivente devido as circunstancias. Aos 18 anos ele presenciou algo que mudaria seu futuro: Ele via uma pequena jovem de 17 anos sendo levada por soldados. Ele já a tinha visto ela algumas vezes vendendo flores na cidade. Os soldados a carregavam até um beco afastado da cidade e por mas que ela tentasse se soltar deles, seu corpo frágil não era capaz. Zayn olhava pro lados e sabia o que devia ser feito. Ele corria com uma pequena adaga na tentativa de conseguir pelo menos tardar a investida deles, mas isso não foi eficaz, pois logo era dominado e via o que mas temia. Enquanto eles revesavam entre eles era usado como saco de pancada. Duas almas sendo destroçadas pelos soldados e eles riam. Depois de horas de tortura os soldados os levavam para o deserto e os jogaram lá pra própria sorte. Zayn, com dificuldade de olhar pois seus olhos estavam bem inchados via a menina parada sem se movimentar. Ele então ia até ela e cobria seu corpo com sua roupa, já que ela se encontrava nua. Ele a carregou com cuidado e andou por horas ate que caiu em exaustão .
    Zayn podia escutar pegadas e um pequeno cochicho e voltou a desmaiar. Ao acordar, via que se encontrava em uma cama de palha e o local tinha uma pequena luz de chamas. Ele levantou e olhou em sua volta, viu um manto negro e ele o usou pra se cobrir. Quando ele se levantou uma voz ecoou em suas costas .

    - Que bom você acordou menino. Você e sua amiga são bem fortes devido seus ferimentos .

    Os olhos Zayn se dilatava de susto ao ver um homem negro bem alto de turbante .

    - Venha... temos muito o que conversar.

    Ele via a menina sentada junto com mas 5 crianças .

    - Vocês são o novo grupo espero que sobrevivam ao treinamento. Que Hakim abençoe seus caminhos .

    Zayn e a menina, que se chama Yvi, começaram o treinamento. Dos 6 só 3 tiveram exito desse treinamento tão rigoroso. Nem parece que se passaram tantos anos após aquilo. Yvi e Zayn tiveram sua transformação após 1 ano. Zayn permaneceu no Alamut por Yvi mas não concordava com a ideologia dos assamitas, até que em uma das missões na Europa viu a chance que tanto queria. Ele então foge e vai pro novo mundo, pra tentar uma vida nova .

    Séculos já se passaram Zayn Samir aprendeu a língua nativa e se acostumou a vida deles. Usando seu treinamento, ele trabalha como detetive particular imigrando de cidade em cidade chegar em New Orleans onde conheceu e fez amizade com o legista da cidade Jhon, como Zayn o chama, dizendo que era melhor eles nunca saberem o nome verdadeiro um do outro. Jhon se torna seu informante e sempre vende sangue a Zayn mesmo sem saber o motivo. Zayn mesmo com saudade de sua amiga Yvi sabe que seus caminhos estão separados mas teme que um dia ela e seus antigos aliados o encontrem. Zayn já tinha visto muitas vezes Claudia ate porque ele se apresentou a ela fazendo a corte mas demostrando que desde o inicio ele não faria parte de nenhuma seita, ficando por conta própria. Com a morte dela, ele sabia que as coisas poderiam mudar e assim começou uma investigação por conta própria e silenciosa.
    Conteúdo patrocinado


    Fichas Empty Re: Fichas

    Mensagem por Conteúdo patrocinado


      Data/hora atual: Qui Dez 05, 2019 8:00 pm