Um fórum de RPG online no formato de PBF (Play by Forum).


    Bakumatsu no Monogatari [18+]

    Christiano Keller
    Troubleshooter
    Christiano Keller
    Troubleshooter

    Mensagens : 809
    Reputação : 20

    Bakumatsu no Monogatari [18+] - Página 2 Empty Re: Bakumatsu no Monogatari [18+]

    Mensagem por Christiano Keller em Sab Maio 11, 2019 4:21 pm

    Por favor veja se está de acordo com o esperado. Posso fazer alterações se forem necessárias.

    Nome do Personagem: Akira Kaiu
    Idade: 30 anos
    Origem (local de nascimento): Tokyo, porém a família vinha de Satsuma.
    Arquétipo: O Ishin Ishi - Hitokiri

    Avatar (nome do personagem/origem): Imagem meramente ilustrativa
    Bakumatsu no Monogatari [18+] - Página 2 Bf5b9cd58d6636d32cade6cc3598fd37ddecb97a_hq

    Conceito:
    Akira é um apoiador do Imperador Meiji e luta contra o Xogunato. O poder deve retornar às mãos do Imperador e expulsar dos estrangeiros que trazem a mácula ao Império Meiji. Passado o ponto em que Akira aceita negociar, agora ele é um retalhador de homens, removendo as barreiras que impedem o Imperador de assumir seu devido lugar. Ciente dos riscos de sua profissão ele leva uma vida quase dupla em que tem que cuidar das propriedades da família e em outros momentos luta contra as forças estrangeiras que tentam controlar o país. Ele entende que a única forma de ser reconhecido como Samurai é restaurar o poder ao Imperador e então receber o título.

    Background:
    A família Kaiu, da região de Satsume, sempre apoiou o Imperador e lutou contra o Xogunato. A honra da família é muito importante e os samurais são servos do Imperador. Aprendi da maneira mais difícil o que é ter honra e o que devemos fazer. Porém em algumas situações homens sem honra podem vencer os honrados. Essa mácula não pode atingir o Imperador, mas um homem como eu está disposto a carregar essa mácula pelos fatos de minha vida. Quando tinha 15 anos vi meu tio ser atacado por um estrangeiro sem honra que o atacou enquanto ele fazia um cumprimento antes da batalha. Meu pai foi mais rápido e desviou do golpe, mas o estrangeiro jogou areia em seus olhos e o matou. Ele também matou minha mãe sem ser uma guerreira, porém eu já sabia usar a minha espada e o cortei em um só golpe que havia aprendido com mestre Kawakami Gensai. Naquele dia sabia que deveria inscrever-me no exército do Imperador e lutar contra essas pessoas terríveis.
    Aprendi que há mais de uma forma de lutar, além de usar a espada devemos usar a mente. Como eu já estava maculado por ter vencido o estrangeiro sem fazer o cumprimento adequado também aceitei fazer o serviço sujo para preservar a imagem do Império.
    Este tipo de serviço é muito diferente pois em alguns casos é gratuito e em outros é bem pago. Em outros, optei por pegar o que encontrava já que isso levava aos investigadores a buscarem por assaltantes ou até parceiros nos negócios.
    No entanto também existia uma guerra por dinheiro que muitos não observaram e eu tinha uma queda por ela. Remover as pessoas certas poderia ser muito lucrativo para os negócios e portanto para o Império. Parte da arma nesta guerra é a língua, que deve estar tão afiada quanto uma katana. A palavra certa indica quem pode ser convencido a apoiar o Imperador ou está sendo coagido pelo Xogunato, ela também determina quem está ligado ao Xogunato e precisa ser removido.
    Aprendi então a lidar com as propriedades da família e usar estes recursos para a prosperidade do Império. O serviço ao Império paga bem e tenho algumas posses mais que modestas, desejo que não me entendam mal, tudo o que faço, o faço para que o Império seja próspero.
    Até o momento já removi 20 apoiadores do Xogunato, foram 10 invasões com mortes em suas casas ou pousadas, 5 envenenamentos, 4 combates e 1 por sorte. Até a sorte parece estar ao meu lado pois o homem morreu quando meu viu sair das sombras. Em 2 momentos após sair dos locais encontrei homens procurando por alguém, os quais conseguir convencer de que eu não era quem eles procuravam e parti sem derramar mais nenhuma gota de sangue ou suor.
    As pessoas que me apoiaram após a morte de minha família me ajudam com algumas destas tarefas, são outros samurais de Satsume e me indicam que passos tomar ou quem precisa ser removido.

    Aspirações (o que você deseja para o futuro do seu personagem):
    Desejo ser reconhecido como um apoiador do Imperador Meiji, um Samurai de verdade.
    As riquezas e o poder que um Samurai tem para poder servir o povo.
    Construir uma família a salvo das influências estrangeiras.

    Temores (inseguranças e fobias do personagem):
    O medo de não ser reconhecido como um apoiador e ser considerado um mero criminoso contra o governo Imperial.
    Temo que as pessoas me vejam como um assassino inconsequente e não como alguém que remove aproveitadores que vendem o país para os estrangeiros.
    Se enganar com mulheres da vida.
    Desonrar o Império e ser pego fazendo isso, pois mesmo que alguém precise fazer o serviço sujo, este não precisa aparecer como sendo sujo.

    Vícios:
    Mulheres e mais levemente, o jogo.

    Habilidades (em que o seu personagem é bom?):
    Tenho a prática de:
    + atividades comuns para soldados,  
    + o manuseio da katana,
    + a preparação de venenos,
    + a escalada,
    + a abertura de portas,
    + o caminhar silencioso,
    + a administração,
    + a lei do Xogunato (sim, pois eles estão no controle agora),
    + a lábia, que já me livrou de encrencas no passado,
    + o hábito do jogo.


    Pontos fracos:
    Ainda tenho sonhos sobre o que houve com meu pai e sempre fico abalado com a sensação de que o perdi muito cedo.
    Tenho um hábito de pegar lembranças dos serviços que fiz, algo como uma coleção de memórias.
    A cobiça em meu coração mostra necessidade por mais dinheiro.
    Minha tentação ainda são as mulheres.
    Tellurian
    Cavaleiro Jedi
    Tellurian
    Cavaleiro Jedi

    Mensagens : 205
    Reputação : 23
    Conquistas :
    • https://i.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/411.png
    • https://i.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/912.png
    • https://i.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/712.png
    • https://i.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/410.png
    • https://i.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/512.png

    Bakumatsu no Monogatari [18+] - Página 2 Empty Re: Bakumatsu no Monogatari [18+]

    Mensagem por Tellurian em Ter Maio 14, 2019 11:39 am

    @Christiano Keller escreveu:Por favor veja se está de acordo com o esperado. Posso fazer alterações se forem necessárias.

    Nome do Personagem: Akira Kaiu
    Idade: 30 anos
    Origem (local de nascimento): Tokyo, porém a família vinha de Satsuma.
    Arquétipo: O Ishin Ishi - Hitokiri

    Avatar (nome do personagem/origem): Imagem meramente ilustrativa
    Bakumatsu no Monogatari [18+] - Página 2 Bf5b9cd58d6636d32cade6cc3598fd37ddecb97a_hq

    Conceito:
    Akira é um apoiador do Imperador Meiji e luta contra o Xogunato. O poder deve retornar às mãos do Imperador e expulsar dos estrangeiros que trazem a mácula ao Império Meiji. Passado o ponto em que Akira aceita negociar, agora ele é um retalhador de homens, removendo as barreiras que impedem o Imperador de assumir seu devido lugar. Ciente dos riscos de sua profissão ele leva uma vida quase dupla em que tem que cuidar das propriedades da família e em outros momentos luta contra as forças estrangeiras que tentam controlar o país. Ele entende que a única forma de ser reconhecido como Samurai é restaurar o poder ao Imperador e então receber o título.

    Background:
    A família Kaiu, da região de Satsume, sempre apoiou o Imperador e lutou contra o Xogunato. A honra da família é muito importante e os samurais são servos do Imperador. Aprendi da maneira mais difícil o que é ter honra e o que devemos fazer. Porém em algumas situações homens sem honra podem vencer os honrados. Essa mácula não pode atingir o Imperador, mas um homem como eu está disposto a carregar essa mácula pelos fatos de minha vida. Quando tinha 15 anos vi meu tio ser atacado por um estrangeiro sem honra que o atacou enquanto ele fazia um cumprimento antes da batalha. Meu pai foi mais rápido e desviou do golpe, mas o estrangeiro jogou areia em seus olhos e o matou. Ele também matou minha mãe sem ser uma guerreira, porém eu já sabia usar a minha espada e o cortei em um só golpe que havia aprendido com mestre Kawakami Gensai. Naquele dia sabia que deveria inscrever-me no exército do Imperador e lutar contra essas pessoas terríveis.
    Aprendi que há mais de uma forma de lutar, além de usar a espada devemos usar a mente. Como eu já estava maculado por ter vencido o estrangeiro sem fazer o cumprimento adequado também aceitei fazer o serviço sujo para preservar a imagem do Império.
    Este tipo de serviço é muito diferente pois em alguns casos é gratuito e em outros é bem pago. Em outros, optei por pegar o que encontrava já que isso levava aos investigadores a buscarem por assaltantes ou até parceiros nos negócios.
    No entanto também existia uma guerra por dinheiro que muitos não observaram e eu tinha uma queda por ela. Remover as pessoas certas poderia ser muito lucrativo para os negócios e portanto para o Império. Parte da arma nesta guerra é a língua, que deve estar tão afiada quanto uma katana. A palavra certa indica quem pode ser convencido a apoiar o Imperador ou está sendo coagido pelo Xogunato, ela também determina quem está ligado ao Xogunato e precisa ser removido.
    Aprendi então a lidar com as propriedades da família e usar estes recursos para a prosperidade do Império. O serviço ao Império paga bem e tenho algumas posses mais que modestas, desejo que não me entendam mal, tudo o que faço, o faço para que o Império seja próspero.
    Até o momento já removi 20 apoiadores do Xogunato, foram 10 invasões com mortes em suas casas ou pousadas, 5 envenenamentos, 4 combates e 1 por sorte. Até a sorte parece estar ao meu lado pois o homem morreu quando meu viu sair das sombras. Em 2 momentos após sair dos locais encontrei homens procurando por alguém, os quais conseguir convencer de que eu não era quem eles procuravam e parti sem derramar mais nenhuma gota de sangue ou suor.
    As pessoas que me apoiaram após a morte de minha família me ajudam com algumas destas tarefas, são outros samurais de Satsume e me indicam que passos tomar ou quem precisa ser removido.

    Aspirações (o que você deseja para o futuro do seu personagem):
    Desejo ser reconhecido como um apoiador do Imperador Meiji, um Samurai de verdade.
    As riquezas e o poder que um Samurai tem para poder servir o povo.
    Construir uma família a salvo das influências estrangeiras.

    Temores (inseguranças e fobias do personagem):
    O medo de não ser reconhecido como um apoiador e ser considerado um mero criminoso contra o governo Imperial.
    Temo que as pessoas me vejam como um assassino inconsequente e não como alguém que remove aproveitadores que vendem o país para os estrangeiros.
    Se enganar com mulheres da vida.
    Desonrar o Império e ser pego fazendo isso, pois mesmo que alguém precise fazer o serviço sujo, este não precisa aparecer como sendo sujo.

    Vícios:
    Mulheres e mais levemente, o jogo.

    Habilidades (em que o seu personagem é bom?):
    Tenho a prática de:
    + atividades comuns para soldados,  
    + o manuseio da katana,
    + a preparação de venenos,
    + a escalada,
    + a abertura de portas,
    + o caminhar silencioso,
    + a administração,
    + a lei do Xogunato (sim, pois eles estão no controle agora),
    + a lábia, que já me livrou de encrencas no passado,
    + o hábito do jogo.


    Pontos fracos:
    Ainda tenho sonhos sobre o que houve com meu pai e sempre fico abalado com a sensação de que o perdi muito cedo.
    Tenho um hábito de pegar lembranças dos serviços que fiz, algo como uma coleção de memórias.
    A cobiça em meu coração mostra necessidade por mais dinheiro.
    Minha tentação ainda são as mulheres.

    Excelente personagem, mas necessita apenas de alguns ajustes pra se adequar melhor ao cenário histórico do jogo. Algumas notas:

    1- Não havia um "exército do imperador" onde se alistar, afinal, oficialmente, este seria o exército do Xogunato. Na teoria, o Xogum era um general que servia ao Imperador, governando em seu nome enquanto o Imperador se ocupava de tarefas mais "divinas", deixando as "mundanas" ao Xogum. Na prática, era uma manobra onde o Imperador não exercia nenhum poder real de governo, estando esse centrado nas mãos do Xogum. Alguns senhores feudais, descontentes com o Xogunato por várias razões, rebelaram-se contra ele, com o intuito de devolver o poder político às mãos do Imperador. Eles não eram um exército unificado e formal, apenas feudos isolados agindo de forma separada, e eram principalmente os feudos de Satsuma de de Choushuu. Um dos pontos de virada do Bakumatsu foi justamente quando esses dois principais feudos deixaram suas diferenças de lado e forjaram uma aliança, unificando a oposição contra o Shogum e resultando na Batalha de Toba e Fushimi, onde o Xogunato foi finalmente derrotado. Pra efeitos de jogo, a aliança entre Satsuma e Choushuu ainda não aconteceu, e os Ishin Shishi ainda são samurais a serviço de senhores feudais rebeldes, porem desorganizados.

    2- Os Ishin Shishi são samurais. O Xogum reconhece a casta samurai e o sistema feudal. Isso continua exatamente como sempre foi, pelo menos até o fim da guerra e o começo da Restauração Meiji, quando o sistema de castas é abolido.

    3- Os Hitokiri não recebem pelos serviços efetuados, pelo menos não "por produção" (se é que podemos chamar assim...). Todos eles são samurais juramentados ao serviço de um senhor feudal (Ou "Daimyo"), e tem um soldo fixo, como qualquer soldado. Os mais bem sucedidos recebem terras, posses e títulos. Mas mesmo os menos bem sucedidos tem uma vida melhor e mais confortável do que a maioria da população japonesa que é composta basicamente por agricultores e artesãos.

    Se tiver alguma dúvida pode me perguntar
    Christiano Keller
    Troubleshooter
    Christiano Keller
    Troubleshooter

    Mensagens : 809
    Reputação : 20

    Bakumatsu no Monogatari [18+] - Página 2 Empty Re: Bakumatsu no Monogatari [18+]

    Mensagem por Christiano Keller em Ter Maio 14, 2019 6:45 pm

    Mensagens anteriores:

    @Tellurian escreveu:
    @Christiano Keller escreveu:Por favor veja se está de acordo com o esperado. Posso fazer alterações se forem necessárias.

    Nome do Personagem: Akira Kaiu
    Idade: 30 anos
    Origem (local de nascimento): Tokyo, porém a família vinha de Satsuma.
    Arquétipo: O Ishin Ishi - Hitokiri

    Avatar (nome do personagem/origem): Imagem meramente ilustrativa
    Bakumatsu no Monogatari [18+] - Página 2 Bf5b9cd58d6636d32cade6cc3598fd37ddecb97a_hq

    Conceito:
    Akira é um apoiador do Imperador Meiji e luta contra o Xogunato. O poder deve retornar às mãos do Imperador e expulsar dos estrangeiros que trazem a mácula ao Império Meiji. Passado o ponto em que Akira aceita negociar, agora ele é um retalhador de homens, removendo as barreiras que impedem o Imperador de assumir seu devido lugar. Ciente dos riscos de sua profissão ele leva uma vida quase dupla em que tem que cuidar das propriedades da família e em outros momentos luta contra as forças estrangeiras que tentam controlar o país. Ele entende que a única forma de ser reconhecido como Samurai é restaurar o poder ao Imperador e então receber o título.

    Background:
    A família Kaiu, da região de Satsume, sempre apoiou o Imperador e lutou contra o Xogunato. A honra da família é muito importante e os samurais são servos do Imperador. Aprendi da maneira mais difícil o que é ter honra e o que devemos fazer. Porém em algumas situações homens sem honra podem vencer os honrados. Essa mácula não pode atingir o Imperador, mas um homem como eu está disposto a carregar essa mácula pelos fatos de minha vida. Quando tinha 15 anos vi meu tio ser atacado por um estrangeiro sem honra que o atacou enquanto ele fazia um cumprimento antes da batalha. Meu pai foi mais rápido e desviou do golpe, mas o estrangeiro jogou areia em seus olhos e o matou. Ele também matou minha mãe sem ser uma guerreira, porém eu já sabia usar a minha espada e o cortei em um só golpe que havia aprendido com mestre Kawakami Gensai. Naquele dia sabia que deveria inscrever-me no exército do Imperador e lutar contra essas pessoas terríveis.
    Aprendi que há mais de uma forma de lutar, além de usar a espada devemos usar a mente. Como eu já estava maculado por ter vencido o estrangeiro sem fazer o cumprimento adequado também aceitei fazer o serviço sujo para preservar a imagem do Império.
    Este tipo de serviço é muito diferente pois em alguns casos é gratuito e em outros é bem pago. Em outros, optei por pegar o que encontrava já que isso levava aos investigadores a buscarem por assaltantes ou até parceiros nos negócios.
    No entanto também existia uma guerra por dinheiro que muitos não observaram e eu tinha uma queda por ela. Remover as pessoas certas poderia ser muito lucrativo para os negócios e portanto para o Império. Parte da arma nesta guerra é a língua, que deve estar tão afiada quanto uma katana. A palavra certa indica quem pode ser convencido a apoiar o Imperador ou está sendo coagido pelo Xogunato, ela também determina quem está ligado ao Xogunato e precisa ser removido.
    Aprendi então a lidar com as propriedades da família e usar estes recursos para a prosperidade do Império. O serviço ao Império paga bem e tenho algumas posses mais que modestas, desejo que não me entendam mal, tudo o que faço, o faço para que o Império seja próspero.
    Até o momento já removi 20 apoiadores do Xogunato, foram 10 invasões com mortes em suas casas ou pousadas, 5 envenenamentos, 4 combates e 1 por sorte. Até a sorte parece estar ao meu lado pois o homem morreu quando meu viu sair das sombras. Em 2 momentos após sair dos locais encontrei homens procurando por alguém, os quais conseguir convencer de que eu não era quem eles procuravam e parti sem derramar mais nenhuma gota de sangue ou suor.
    As pessoas que me apoiaram após a morte de minha família me ajudam com algumas destas tarefas, são outros samurais de Satsume e me indicam que passos tomar ou quem precisa ser removido.

    Aspirações (o que você deseja para o futuro do seu personagem):
    Desejo ser reconhecido como um apoiador do Imperador Meiji, um Samurai de verdade.
    As riquezas e o poder que um Samurai tem para poder servir o povo.
    Construir uma família a salvo das influências estrangeiras.

    Temores (inseguranças e fobias do personagem):
    O medo de não ser reconhecido como um apoiador e ser considerado um mero criminoso contra o governo Imperial.
    Temo que as pessoas me vejam como um assassino inconsequente e não como alguém que remove aproveitadores que vendem o país para os estrangeiros.
    Se enganar com mulheres da vida.
    Desonrar o Império e ser pego fazendo isso, pois mesmo que alguém precise fazer o serviço sujo, este não precisa aparecer como sendo sujo.

    Vícios:
    Mulheres e mais levemente, o jogo.

    Habilidades (em que o seu personagem é bom?):
    Tenho a prática de:
    + atividades comuns para soldados,  
    + o manuseio da katana,
    + a preparação de venenos,
    + a escalada,
    + a abertura de portas,
    + o caminhar silencioso,
    + a administração,
    + a lei do Xogunato (sim, pois eles estão no controle agora),
    + a lábia, que já me livrou de encrencas no passado,
    + o hábito do jogo.


    Pontos fracos:
    Ainda tenho sonhos sobre o que houve com meu pai e sempre fico abalado com a sensação de que o perdi muito cedo.
    Tenho um hábito de pegar lembranças dos serviços que fiz, algo como uma coleção de memórias.
    A cobiça em meu coração mostra necessidade por mais dinheiro.
    Minha tentação ainda são as mulheres.
    @Tellurian escreveu:
    Excelente personagem, mas necessita apenas de alguns ajustes pra se adequar melhor ao cenário histórico do jogo. Algumas notas:

    1- Não havia um "exército do imperador" onde se alistar, afinal, oficialmente, este seria o exército do Xogunato. Na teoria, o Xogum era um general que servia ao Imperador, governando em seu nome enquanto o Imperador se ocupava de tarefas mais "divinas", deixando as "mundanas" ao Xogum. Na prática, era uma manobra onde o Imperador não exercia nenhum poder real de governo, estando esse centrado nas mãos do Xogum. Alguns senhores feudais, descontentes com o Xogunato por várias razões, rebelaram-se contra ele, com o intuito de devolver o poder político às mãos do Imperador. Eles não eram um exército unificado e formal, apenas feudos isolados agindo de forma separada, e eram principalmente os feudos de Satsuma de de Choushuu. Um dos pontos de virada do Bakumatsu foi justamente quando esses dois principais feudos deixaram suas diferenças de lado e forjaram uma aliança, unificando a oposição contra o Shogum e resultando na Batalha de Toba e Fushimi, onde o Xogunato foi finalmente derrotado. Pra efeitos de jogo, a aliança entre Satsuma e Choushuu ainda não aconteceu, e os Ishin Shishi ainda são samurais a serviço de senhores feudais rebeldes, porem desorganizados.

    2- Os Ishin Shishi são samurais. O Xogum reconhece a casta samurai e o sistema feudal. Isso continua exatamente como sempre foi, pelo menos até o fim da guerra e o começo da Restauração Meiji, quando o sistema de castas é abolido.

    3- Os Hitokiri não recebem pelos serviços efetuados, pelo menos não "por produção" (se é que podemos chamar assim...). Todos eles são samurais juramentados ao serviço de um senhor feudal (Ou "Daimyo"), e tem um soldo fixo, como qualquer soldado. Os mais bem sucedidos recebem terras, posses e títulos. Mas mesmo os menos bem sucedidos tem uma vida melhor e mais confortável do que a maioria da população japonesa que é composta basicamente por agricultores e artesãos.

    Se tiver alguma dúvida pode me perguntar

    Então vamos aos ajustes:
    no item 1:
    Se enquadrar como um samurai a serviço do feudo de Satsume resolve?

    no item 2:
    Pensei que não era samurai, posso alterar para: fazer o serviço que o senhor do feudo precisar, com enfase em serviços sujos visto que é um Hitokiri?

    no item 3: ok, sem produção, por honra do imperador ou de acordo com o interesse de seu Daimyo "rebelde", tem um fixo mensal. Ele ainda pode roubar ou fazer coisas com os alvos para desviar a atenção do Xogunato como incriminar outros?

    Se isso resolver, faço a atualização do BG e envio pra você rapidinho.
    Tellurian
    Cavaleiro Jedi
    Tellurian
    Cavaleiro Jedi

    Mensagens : 205
    Reputação : 23
    Conquistas :
    • https://i.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/411.png
    • https://i.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/912.png
    • https://i.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/712.png
    • https://i.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/410.png
    • https://i.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/512.png

    Bakumatsu no Monogatari [18+] - Página 2 Empty Re: Bakumatsu no Monogatari [18+]

    Mensagem por Tellurian em Qua Maio 15, 2019 1:12 pm

    @Christiano Keller escreveu:
    Mensagens anteriores:

    @Tellurian escreveu:
    @Christiano Keller escreveu:Por favor veja se está de acordo com o esperado. Posso fazer alterações se forem necessárias.

    Nome do Personagem: Akira Kaiu
    Idade: 30 anos
    Origem (local de nascimento): Tokyo, porém a família vinha de Satsuma.
    Arquétipo: O Ishin Ishi - Hitokiri

    Avatar (nome do personagem/origem): Imagem meramente ilustrativa
    Bakumatsu no Monogatari [18+] - Página 2 Bf5b9cd58d6636d32cade6cc3598fd37ddecb97a_hq

    Conceito:
    Akira é um apoiador do Imperador Meiji e luta contra o Xogunato. O poder deve retornar às mãos do Imperador e expulsar dos estrangeiros que trazem a mácula ao Império Meiji. Passado o ponto em que Akira aceita negociar, agora ele é um retalhador de homens, removendo as barreiras que impedem o Imperador de assumir seu devido lugar. Ciente dos riscos de sua profissão ele leva uma vida quase dupla em que tem que cuidar das propriedades da família e em outros momentos luta contra as forças estrangeiras que tentam controlar o país. Ele entende que a única forma de ser reconhecido como Samurai é restaurar o poder ao Imperador e então receber o título.

    Background:
    A família Kaiu, da região de Satsume, sempre apoiou o Imperador e lutou contra o Xogunato. A honra da família é muito importante e os samurais são servos do Imperador. Aprendi da maneira mais difícil o que é ter honra e o que devemos fazer. Porém em algumas situações homens sem honra podem vencer os honrados. Essa mácula não pode atingir o Imperador, mas um homem como eu está disposto a carregar essa mácula pelos fatos de minha vida. Quando tinha 15 anos vi meu tio ser atacado por um estrangeiro sem honra que o atacou enquanto ele fazia um cumprimento antes da batalha. Meu pai foi mais rápido e desviou do golpe, mas o estrangeiro jogou areia em seus olhos e o matou. Ele também matou minha mãe sem ser uma guerreira, porém eu já sabia usar a minha espada e o cortei em um só golpe que havia aprendido com mestre Kawakami Gensai. Naquele dia sabia que deveria inscrever-me no exército do Imperador e lutar contra essas pessoas terríveis.
    Aprendi que há mais de uma forma de lutar, além de usar a espada devemos usar a mente. Como eu já estava maculado por ter vencido o estrangeiro sem fazer o cumprimento adequado também aceitei fazer o serviço sujo para preservar a imagem do Império.
    Este tipo de serviço é muito diferente pois em alguns casos é gratuito e em outros é bem pago. Em outros, optei por pegar o que encontrava já que isso levava aos investigadores a buscarem por assaltantes ou até parceiros nos negócios.
    No entanto também existia uma guerra por dinheiro que muitos não observaram e eu tinha uma queda por ela. Remover as pessoas certas poderia ser muito lucrativo para os negócios e portanto para o Império. Parte da arma nesta guerra é a língua, que deve estar tão afiada quanto uma katana. A palavra certa indica quem pode ser convencido a apoiar o Imperador ou está sendo coagido pelo Xogunato, ela também determina quem está ligado ao Xogunato e precisa ser removido.
    Aprendi então a lidar com as propriedades da família e usar estes recursos para a prosperidade do Império. O serviço ao Império paga bem e tenho algumas posses mais que modestas, desejo que não me entendam mal, tudo o que faço, o faço para que o Império seja próspero.
    Até o momento já removi 20 apoiadores do Xogunato, foram 10 invasões com mortes em suas casas ou pousadas, 5 envenenamentos, 4 combates e 1 por sorte. Até a sorte parece estar ao meu lado pois o homem morreu quando meu viu sair das sombras. Em 2 momentos após sair dos locais encontrei homens procurando por alguém, os quais conseguir convencer de que eu não era quem eles procuravam e parti sem derramar mais nenhuma gota de sangue ou suor.
    As pessoas que me apoiaram após a morte de minha família me ajudam com algumas destas tarefas, são outros samurais de Satsume e me indicam que passos tomar ou quem precisa ser removido.

    Aspirações (o que você deseja para o futuro do seu personagem):
    Desejo ser reconhecido como um apoiador do Imperador Meiji, um Samurai de verdade.
    As riquezas e o poder que um Samurai tem para poder servir o povo.
    Construir uma família a salvo das influências estrangeiras.

    Temores (inseguranças e fobias do personagem):
    O medo de não ser reconhecido como um apoiador e ser considerado um mero criminoso contra o governo Imperial.
    Temo que as pessoas me vejam como um assassino inconsequente e não como alguém que remove aproveitadores que vendem o país para os estrangeiros.
    Se enganar com mulheres da vida.
    Desonrar o Império e ser pego fazendo isso, pois mesmo que alguém precise fazer o serviço sujo, este não precisa aparecer como sendo sujo.

    Vícios:
    Mulheres e mais levemente, o jogo.

    Habilidades (em que o seu personagem é bom?):
    Tenho a prática de:
    + atividades comuns para soldados,  
    + o manuseio da katana,
    + a preparação de venenos,
    + a escalada,
    + a abertura de portas,
    + o caminhar silencioso,
    + a administração,
    + a lei do Xogunato (sim, pois eles estão no controle agora),
    + a lábia, que já me livrou de encrencas no passado,
    + o hábito do jogo.


    Pontos fracos:
    Ainda tenho sonhos sobre o que houve com meu pai e sempre fico abalado com a sensação de que o perdi muito cedo.
    Tenho um hábito de pegar lembranças dos serviços que fiz, algo como uma coleção de memórias.
    A cobiça em meu coração mostra necessidade por mais dinheiro.
    Minha tentação ainda são as mulheres.
    @Tellurian escreveu:
    Excelente personagem, mas necessita apenas de alguns ajustes pra se adequar melhor ao cenário histórico do jogo. Algumas notas:

    1- Não havia um "exército do imperador" onde se alistar, afinal, oficialmente, este seria o exército do Xogunato. Na teoria, o Xogum era um general que servia ao Imperador, governando em seu nome enquanto o Imperador se ocupava de tarefas mais "divinas", deixando as "mundanas" ao Xogum. Na prática, era uma manobra onde o Imperador não exercia nenhum poder real de governo, estando esse centrado nas mãos do Xogum. Alguns senhores feudais, descontentes com o Xogunato por várias razões, rebelaram-se contra ele, com o intuito de devolver o poder político às mãos do Imperador. Eles não eram um exército unificado e formal, apenas feudos isolados agindo de forma separada, e eram principalmente os feudos de Satsuma de de Choushuu. Um dos pontos de virada do Bakumatsu foi justamente quando esses dois principais feudos deixaram suas diferenças de lado e forjaram uma aliança, unificando a oposição contra o Shogum e resultando na Batalha de Toba e Fushimi, onde o Xogunato foi finalmente derrotado. Pra efeitos de jogo, a aliança entre Satsuma e Choushuu ainda não aconteceu, e os Ishin Shishi ainda são samurais a serviço de senhores feudais rebeldes, porem desorganizados.

    2- Os Ishin Shishi são samurais. O Xogum reconhece a casta samurai e o sistema feudal. Isso continua exatamente como sempre foi, pelo menos até o fim da guerra e o começo da Restauração Meiji, quando o sistema de castas é abolido.

    3- Os Hitokiri não recebem pelos serviços efetuados, pelo menos não "por produção" (se é que podemos chamar assim...). Todos eles são samurais juramentados ao serviço de um senhor feudal (Ou "Daimyo"), e tem um soldo fixo, como qualquer soldado. Os mais bem sucedidos recebem terras, posses e títulos. Mas mesmo os menos bem sucedidos tem uma vida melhor e mais confortável do que a maioria da população japonesa que é composta basicamente por agricultores e artesãos.

    Se tiver alguma dúvida pode me perguntar

    Então vamos aos ajustes:
    no item 1:
    Se enquadrar como um samurai a serviço do feudo de Satsume resolve?

    no item 2:
    Pensei que não era samurai, posso alterar para: fazer o serviço que o senhor do feudo precisar, com enfase em serviços sujos visto que é um Hitokiri?

    no item 3: ok, sem produção, por honra do imperador ou de acordo com o interesse de seu Daimyo "rebelde", tem um fixo mensal. Ele ainda pode roubar ou fazer coisas com os alvos para desviar a atenção do Xogunato como incriminar outros?

    Se isso resolver, faço a atualização do BG e envio pra você rapidinho.

    #1- Sim, resolve

    #2- sim, pode

    #3- Também pode. Mas sempre com aquela questão da honra, pá. Os Hitokiri eram assassinos, mas eles ainda tinha o código de conduta deles.
    Christiano Keller
    Troubleshooter
    Christiano Keller
    Troubleshooter

    Mensagens : 809
    Reputação : 20

    Bakumatsu no Monogatari [18+] - Página 2 Empty Re: Bakumatsu no Monogatari [18+]

    Mensagem por Christiano Keller em Qua Maio 15, 2019 6:43 pm

    Agora acho que ficará certo e com um tom a mais já que sou samurai:

    Ficha:


    Nome do Personagem: Akira Kaiu
    Idade: 30 anos
    Origem (local de nascimento): Tokyo, porém a família vinha de Satsume.
    Arquétipo: O Ishin Ishi - Hitokiri

    Avatar (nome do personagem/origem): Imagem meramente ilustrativa
    Bakumatsu no Monogatari [18+] - Página 2 Bf5b9cd58d6636d32cade6cc3598fd37ddecb97a_hq

    Conceito:
    Akira é um samurai a serviço do Daimyo de Satsume, apoiador do Imperador Meiji e luta contra o Xogunato. O poder deve retornar às mãos do Imperador e expulsar dos estrangeiros que trazem a mácula ao Império Meiji. Passado o ponto em que Akira aceita negociar, agora ele é um retalhador de homens, removendo as barreiras que impedem o Imperador de assumir seu devido lugar. Ciente dos riscos de sua profissão ele leva uma vida quase dupla em que tem que cuidar das propriedades da família e em outros momentos luta contra as forças estrangeiras que tentam controlar o país. Fazer tudo isso seguindo o código dos samurais é difícil. Ser samurai é:
    + ter uma obrigação com a justiça, o sacrifício em relação ao trabalho, a perseverância e a persistência;
    + construir uma visão de futuro que aliada ao conhecimento levam as decisões mais sábias;
    + a melhoria contínua para ser melhor hoje do que fui ontem e então amanhã ser melhor que hoje;
    + o desprendimento para fazer valer o interesse do grupo e não do indivíduo já que as necessidades de muitos se sobre põe à necessidade de um;
    + cada trabalho engrandece o caráter de todos;
    + a atitude mental para ter autoconhecimento e autoconfiança no momento de tomar decisões em situações de crise, de vida ou morte;
    + a confiança de que as pessoas são boas;
    + as habilidades devem ser escondidas para não nos vangloriarmos delas, surgirão no momento estratégico específico;
    + confiar em sua intuição;
    + a harmonia na vida.

    Background:
    A família Kaiu, da região de Satsume, sempre apoiou o Imperador e lutou contra o Xogunato. A honra da família é muito importante e os samurais são servos d justiça do Imperador. Aprendi da maneira mais difícil o que é ter honra e o que devemos fazer. Porém em algumas situações homens sem honra podem vencer os honrados. Essa mácula não pode atingir o Imperador, mas um homem como eu está disposto a carregar essa mácula pelos fatos de minha vida. Quando tinha 15 anos vi meu tio ser atacado por um estrangeiro sem honra que o atacou enquanto ele fazia um cumprimento antes da batalha. Meu pai foi mais rápido e desviou do golpe, mas o estrangeiro jogou areia em seus olhos e o matou. Ele também matou minha mãe sem ser uma guerreira, porém eu já sabia usar a minha espada e o cortei em um só golpe que havia aprendido com mestre Kawakami Gensai. Naquele dia sabia que deveria seguir os passos de meu pai e servir ao Daimyo de Satsume, ao do Imperador para lutar contra essas pessoas terríveis. Já que os interesses de muitos se sobrepõe ao interesse de apenas um, expulsar os estrangeiros seria mais demorado do que desejava e havia necessidade do desprendimento.

    Aprendi que há mais de uma forma de lutar, além de usar a espada devemos usar a mente. Como eu já estava maculado por ter vencido o estrangeiro sem fazer o cumprimento adequado também aceitei fazer o serviço sujo para preservar a imagem do Império. Não poderia deixar outros morrerem nas mãos de homens que não se cumprimentam antes de sacar a espada ou usam de truques sujos para enganar os outros.

    Este tipo de serviço é muito diferente pois é possível ver a realização da nossa visão de futuro sendo executada. Em alguns casos, optei por pegar o que encontrava já que isso levava aos investigadores a buscarem por assaltantes ou até parceiros nos negócios. Assim consigo desviar os homens que buscam o mal para lutarem entre si enquanto luto pelas pessoas que são boas.

    No entanto também existia uma guerra por dinheiro que muitos não observaram e eu tinha uma queda por ela. Remover as pessoas certas poderia ser muito lucrativo para os negócios e portanto para o Império. Parte da arma nesta guerra é a língua, que deve estar tão afiada quanto uma katana. A palavra certa indica quem pode ser convencido a apoiar o Imperador ou está sendo coagido pelo Xogunato, ela também determina quem está ligado ao Xogunato e precisa ser removido. O trabalho engrandece o caráter de todos.

    Aprendi então a lidar com as propriedades da família e usar estes recursos para a prosperidade do Império. O serviço ao Império paga bem, visto que samurais estão em uma casta melhor que o simples trabalhador. Eu tenho algumas posses mais que modestas, desejo que não me entendam mal, tudo o que faço, o faço para que o Império seja próspero. Assim vejo a melhoria contínua medida em crescimento, oportunidades e riqueza.

    Até o momento já removi 20 apoiadores do Xogunato, foram 10 invasões com mortes em suas casas ou pousadas, 5 envenenamentos, 4 combates e 1 por sorte. Até a sorte parece estar ao meu lado pois um homem morreu quando meu viu sair das sombras. Em 2 momentos após sair dos locais encontrei homens procurando por alguém, os quais conseguir convencer de que eu não era quem eles procuravam e parti sem derramar mais nenhuma gota de sangue ou suor. A atitude mental certa ajuda a tomar as decisões certas nos momentos mais difíceis.

    As pessoas que me apoiaram após a morte de minha família me ajudam com algumas destas tarefas, são outros samurais de Satsume e me indicam que passos tomar ou quem precisa ser removido.


    Aspirações (o que você deseja para o futuro do seu personagem):
    Desejo ser reconhecido como um apoiador do Imperador Meiji, não apenas um samurai, algo a mais.
    As riquezas e o poder como um Daimyo.
    Construir uma família a salvo das influências estrangeiras.

    Temores (inseguranças e fobias do personagem):
    O medo de não ser reconhecido como um apoiador e ser considerado um mero criminoso contra o governo Imperial. Assim os interesses de um seriam mais importantes do que do grupo.
    Temo que as pessoas me vejam como um assassino inconsequente e não como alguém que remove aproveitadores que vendem o país para os estrangeiros. Sem visão de futuro ou conhecimento.
    Me enganar com mulheres da vida. Uma intuição fraca.
    Desonrar o Império e ser pego fazendo isso, pois mesmo que alguém precise fazer o serviço sujo, este não precisa aparecer como sendo sujo. A atitude mental certa.
    Receio de que nem todos os estrangeiros sejam maus, pois como no código dos samurais ensina, todas as pessoas são boas.

    Vícios:
    Mulheres e mais levemente, o jogo.

    Habilidades (em que o seu personagem é bom?):
    Tenho a prática de:
    + atividades comuns para soldados,  
    + o manuseio da katana,
    + a preparação de venenos,
    + a escalada,
    + a abertura de portas,
    + o caminhar silencioso,
    + a administração,
    + a lei do Xogunato (sim, pois eles estão no controle agora),
    + a lábia, que já me livrou de encrencas no passado,
    + o hábito do jogo.


    Pontos fracos:
    Ainda tenho sonhos sobre o que houve com meu pai e sempre fico abalado com a sensação de que o perdi muito cedo.
    Tenho um hábito de pegar lembranças dos serviços que fiz, algo como uma coleção de memórias.
    A cobiça em meu coração mostra necessidade por mais dinheiro.
    Minha tentação ainda são as mulheres.

    Quando quiser que poste no ON, avise.
    Tellurian
    Cavaleiro Jedi
    Tellurian
    Cavaleiro Jedi

    Mensagens : 205
    Reputação : 23
    Conquistas :
    • https://i.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/411.png
    • https://i.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/912.png
    • https://i.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/712.png
    • https://i.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/410.png
    • https://i.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/512.png

    Bakumatsu no Monogatari [18+] - Página 2 Empty Re: Bakumatsu no Monogatari [18+]

    Mensagem por Tellurian em Qui Maio 16, 2019 1:49 pm

    @Christiano Keller escreveu:Agora acho que ficará certo e com um tom a mais já que sou samurai:

    Ficha:


    Nome do Personagem: Akira Kaiu
    Idade: 30 anos
    Origem (local de nascimento): Tokyo, porém a família vinha de Satsume.
    Arquétipo: O Ishin Ishi - Hitokiri

    Avatar (nome do personagem/origem): Imagem meramente ilustrativa
    Bakumatsu no Monogatari [18+] - Página 2 Bf5b9cd58d6636d32cade6cc3598fd37ddecb97a_hq

    Conceito:
    Akira é um samurai a serviço do Daimyo de Satsume, apoiador do Imperador Meiji e luta contra o Xogunato. O poder deve retornar às mãos do Imperador e expulsar dos estrangeiros que trazem a mácula ao Império Meiji. Passado o ponto em que Akira aceita negociar, agora ele é um retalhador de homens, removendo as barreiras que impedem o Imperador de assumir seu devido lugar. Ciente dos riscos de sua profissão ele leva uma vida quase dupla em que tem que cuidar das propriedades da família e em outros momentos luta contra as forças estrangeiras que tentam controlar o país. Fazer tudo isso seguindo o código dos samurais é difícil. Ser samurai é:
    + ter uma obrigação com a justiça, o sacrifício em relação ao trabalho, a perseverância e a persistência;
    + construir uma visão de futuro que aliada ao conhecimento levam as decisões mais sábias;
    + a melhoria contínua para ser melhor hoje do que fui ontem e então amanhã ser melhor que hoje;
    + o desprendimento para fazer valer o interesse do grupo e não do indivíduo já que as necessidades de muitos se sobre põe à necessidade de um;
    + cada trabalho engrandece o caráter de todos;
    + a atitude mental para ter autoconhecimento e autoconfiança no momento de tomar decisões em situações de crise, de vida ou morte;
    + a confiança de que as pessoas são boas;
    + as habilidades devem ser escondidas para não nos vangloriarmos delas, surgirão no momento estratégico específico;
    + confiar em sua intuição;
    + a harmonia na vida.

    Background:
    A família Kaiu, da região de Satsume, sempre apoiou o Imperador e lutou contra o Xogunato. A honra da família é muito importante e os samurais são servos d justiça do Imperador. Aprendi da maneira mais difícil o que é ter honra e o que devemos fazer. Porém em algumas situações homens sem honra podem vencer os honrados. Essa mácula não pode atingir o Imperador, mas um homem como eu está disposto a carregar essa mácula pelos fatos de minha vida. Quando tinha 15 anos vi meu tio ser atacado por um estrangeiro sem honra que o atacou enquanto ele fazia um cumprimento antes da batalha. Meu pai foi mais rápido e desviou do golpe, mas o estrangeiro jogou areia em seus olhos e o matou. Ele também matou minha mãe sem ser uma guerreira, porém eu já sabia usar a minha espada e o cortei em um só golpe que havia aprendido com mestre Kawakami Gensai. Naquele dia sabia que deveria seguir os passos de meu pai e servir ao Daimyo de Satsume, ao do Imperador para lutar contra essas pessoas terríveis. Já que os interesses de muitos se sobrepõe ao interesse de apenas um, expulsar os estrangeiros seria mais demorado do que desejava e havia necessidade do desprendimento.

    Aprendi que há mais de uma forma de lutar, além de usar a espada devemos usar a mente. Como eu já estava maculado por ter vencido o estrangeiro sem fazer o cumprimento adequado também aceitei fazer o serviço sujo para preservar a imagem do Império. Não poderia deixar outros morrerem nas mãos de homens que não se cumprimentam antes de sacar a espada ou usam de truques sujos para enganar os outros.

    Este tipo de serviço é muito diferente pois é possível ver a realização da nossa visão de futuro sendo executada. Em alguns casos, optei por pegar o que encontrava já que isso levava aos investigadores a buscarem por assaltantes ou até parceiros nos negócios. Assim consigo desviar os homens que buscam o mal para lutarem entre si enquanto luto pelas pessoas que são boas.

    No entanto também existia uma guerra por dinheiro que muitos não observaram e eu tinha uma queda por ela. Remover as pessoas certas poderia ser muito lucrativo para os negócios e portanto para o Império. Parte da arma nesta guerra é a língua, que deve estar tão afiada quanto uma katana. A palavra certa indica quem pode ser convencido a apoiar o Imperador ou está sendo coagido pelo Xogunato, ela também determina quem está ligado ao Xogunato e precisa ser removido. O trabalho engrandece o caráter de todos.

    Aprendi então a lidar com as propriedades da família e usar estes recursos para a prosperidade do Império. O serviço ao Império paga bem, visto que samurais estão em uma casta melhor que o simples trabalhador. Eu tenho algumas posses mais que modestas, desejo que não me entendam mal, tudo o que faço, o faço para que o Império seja próspero. Assim vejo a melhoria contínua medida em crescimento, oportunidades e riqueza.

    Até o momento já removi 20 apoiadores do Xogunato, foram 10 invasões com mortes em suas casas ou pousadas, 5 envenenamentos, 4 combates e 1 por sorte. Até a sorte parece estar ao meu lado pois um homem morreu quando meu viu sair das sombras. Em 2 momentos após sair dos locais encontrei homens procurando por alguém, os quais conseguir convencer de que eu não era quem eles procuravam e parti sem derramar mais nenhuma gota de sangue ou suor. A atitude mental certa ajuda a tomar as decisões certas nos momentos mais difíceis.

    As pessoas que me apoiaram após a morte de minha família me ajudam com algumas destas tarefas, são outros samurais de Satsume e me indicam que passos tomar ou quem precisa ser removido.


    Aspirações (o que você deseja para o futuro do seu personagem):
    Desejo ser reconhecido como um apoiador do Imperador Meiji, não apenas um samurai, algo a mais.
    As riquezas e o poder como um Daimyo.
    Construir uma família a salvo das influências estrangeiras.

    Temores (inseguranças e fobias do personagem):
    O medo de não ser reconhecido como um apoiador e ser considerado um mero criminoso contra o governo Imperial. Assim os interesses de um seriam mais importantes do que do grupo.
    Temo que as pessoas me vejam como um assassino inconsequente e não como alguém que remove aproveitadores que vendem o país para os estrangeiros. Sem visão de futuro ou conhecimento.
    Me enganar com mulheres da vida. Uma intuição fraca.
    Desonrar o Império e ser pego fazendo isso, pois mesmo que alguém precise fazer o serviço sujo, este não precisa aparecer como sendo sujo. A atitude mental certa.
    Receio de que nem todos os estrangeiros sejam maus, pois como no código dos samurais ensina, todas as pessoas são boas.

    Vícios:
    Mulheres e mais levemente, o jogo.

    Habilidades (em que o seu personagem é bom?):
    Tenho a prática de:
    + atividades comuns para soldados,  
    + o manuseio da katana,
    + a preparação de venenos,
    + a escalada,
    + a abertura de portas,
    + o caminhar silencioso,
    + a administração,
    + a lei do Xogunato (sim, pois eles estão no controle agora),
    + a lábia, que já me livrou de encrencas no passado,
    + o hábito do jogo.


    Pontos fracos:
    Ainda tenho sonhos sobre o que houve com meu pai e sempre fico abalado com a sensação de que o perdi muito cedo.
    Tenho um hábito de pegar lembranças dos serviços que fiz, algo como uma coleção de memórias.
    A cobiça em meu coração mostra necessidade por mais dinheiro.
    Minha tentação ainda são as mulheres.

    Quando quiser que poste no ON, avise.

    Será que você poderia considerar uma mudança no nome? "Akira" é o nome do irmão da personagem da Aprill, pode criar alguma confusão. Mas, se vc quiser, a gente pode manter também. Só uma sugestão, a título de organização mesmo.
    Christiano Keller
    Troubleshooter
    Christiano Keller
    Troubleshooter

    Mensagens : 809
    Reputação : 20

    Bakumatsu no Monogatari [18+] - Página 2 Empty Re: Bakumatsu no Monogatari [18+]

    Mensagem por Christiano Keller em Qui Maio 16, 2019 1:52 pm

    Vamos mudar. Não li as histórias dos outros no momento. Pode ser Toshiro Nishida?

    EDITADO: Tava lendo e vi que tem uma Ishida, ai vai dar confusão.
    Pode ser Toshiro Yamamoto?
    Tellurian
    Cavaleiro Jedi
    Tellurian
    Cavaleiro Jedi

    Mensagens : 205
    Reputação : 23
    Conquistas :
    • https://i.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/411.png
    • https://i.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/912.png
    • https://i.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/712.png
    • https://i.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/410.png
    • https://i.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/512.png

    Bakumatsu no Monogatari [18+] - Página 2 Empty Re: Bakumatsu no Monogatari [18+]

    Mensagem por Tellurian em Qui Maio 16, 2019 3:51 pm

    Toshiro Yamamoto, então.
    Larissa Aprill
    Mutante
    Larissa Aprill
    Mutante

    Mensagens : 695
    Reputação : 80
    Conquistas :
    • https://i.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/410.png

    Bakumatsu no Monogatari [18+] - Página 2 Empty Re: Bakumatsu no Monogatari [18+]

    Mensagem por Larissa Aprill em Qui Maio 16, 2019 7:20 pm

    Só eu que pressinto que a Akemi e o Toshiro vão ser inimigos? Crying or Very sad
    Christiano Keller
    Troubleshooter
    Christiano Keller
    Troubleshooter

    Mensagens : 809
    Reputação : 20

    Bakumatsu no Monogatari [18+] - Página 2 Empty Re: Bakumatsu no Monogatari [18+]

    Mensagem por Christiano Keller em Qui Maio 16, 2019 11:58 pm

    @Larissa Aprill escreveu:Só eu que pressinto que a Akemi e o Toshiro vão ser inimigos? Crying or Very sad
    Ainda não li os textos de todos, no entanto o Xogunato perecerá e o Imperador Meiji reinará.
    Christiano Keller
    Troubleshooter
    Christiano Keller
    Troubleshooter

    Mensagens : 809
    Reputação : 20

    Bakumatsu no Monogatari [18+] - Página 2 Empty Re: Bakumatsu no Monogatari [18+]

    Mensagem por Christiano Keller em Sex Maio 17, 2019 12:06 am

    Agora com o nome certo. Quer algo a mais? Talvez um toque mais solitário ou maior detalhe no ambiente do background? Talvez alguns nomes de contatos de empregados da família ou outras pessoas a serviço do Daimyo?

    Ficha:


    Nome do Personagem: Toshiro Yamamoto
    Idade: 30 anos
    Origem (local de nascimento): Tokyo, porém a família vinha de Satsume.
    Arquétipo: O Ishin Ishi - Hitokiri

    Avatar (nome do personagem/origem): Imagem meramente ilustrativa
    Bakumatsu no Monogatari [18+] - Página 2 Bf5b9cd58d6636d32cade6cc3598fd37ddecb97a_hq

    Conceito:
    Toshiro é um samurai a serviço do Daimyo de Satsume, apoiador do Imperador Meiji e luta contra o Xogunato. O poder deve retornar às mãos do Imperador e expulsar dos estrangeiros que trazem a mácula ao Império Meiji. Passado o ponto em que Toshiro aceita negociar, agora ele é um retalhador de homens, removendo as barreiras que impedem o Imperador de assumir seu devido lugar. Ciente dos riscos de sua profissão ele leva uma vida quase dupla em que tem que cuidar das propriedades da família e em outros momentos luta contra as forças estrangeiras que tentam controlar o país. Fazer tudo isso seguindo o código dos samurais é difícil. Ser samurai é:
    + ter uma obrigação com a justiça, o sacrifício em relação ao trabalho, a perseverância e a persistência;
    + construir uma visão de futuro que aliada ao conhecimento levam as decisões mais sábias;
    + a melhoria contínua para ser melhor hoje do que fui ontem e então amanhã ser melhor que hoje;
    + o desprendimento para fazer valer o interesse do grupo e não do indivíduo já que as necessidades de muitos se sobre põe à necessidade de um;
    + cada trabalho engrandece o caráter de todos;
    + a atitude mental para ter autoconhecimento e autoconfiança no momento de tomar decisões em situações de crise, de vida ou morte;
    + a confiança de que as pessoas são boas;
    + as habilidades devem ser escondidas para não nos vangloriarmos delas, surgirão no momento estratégico específico;
    + confiar em sua intuição;
    + a harmonia na vida.

    Background:
    A família Yamamoto, da região de Satsume, sempre apoiou o Imperador e lutou contra o Xogunato. A honra da família é muito importante e os samurais são servos d justiça do Imperador. Aprendi da maneira mais difícil o que é ter honra e o que devemos fazer. Porém em algumas situações homens sem honra podem vencer os honrados. Essa mácula não pode atingir o Imperador, mas um homem como eu está disposto a carregar essa mácula pelos fatos de minha vida. Quando tinha 15 anos vi meu tio ser atacado por um estrangeiro sem honra que o atacou enquanto ele fazia um cumprimento antes da batalha. Meu pai foi mais rápido e desviou do golpe, mas o estrangeiro jogou areia em seus olhos e o matou. Ele também matou minha mãe sem ser uma guerreira, porém eu já sabia usar a minha espada e o cortei em um só golpe que havia aprendido com mestre Kawakami Gensai. Naquele dia sabia que deveria seguir os passos de meu pai e servir ao Daimyo de Satsume, ao do Imperador para lutar contra essas pessoas terríveis. Já que os interesses de muitos se sobrepõe ao interesse de apenas um, expulsar os estrangeiros seria mais demorado do que desejava e havia necessidade do desprendimento.

    Aprendi que há mais de uma forma de lutar, além de usar a espada devemos usar a mente. Como eu já estava maculado por ter vencido o estrangeiro sem fazer o cumprimento adequado também aceitei fazer o serviço sujo para preservar a imagem do Império. Não poderia deixar outros morrerem nas mãos de homens que não se cumprimentam antes de sacar a espada ou usam de truques sujos para enganar os outros.

    Este tipo de serviço é muito diferente pois é possível ver a realização da nossa visão de futuro sendo executada. Em alguns casos, optei por pegar o que encontrava já que isso levava aos investigadores a buscarem por assaltantes ou até parceiros nos negócios. Assim consigo desviar os homens que buscam o mal para lutarem entre si enquanto luto pelas pessoas que são boas.

    No entanto também existia uma guerra por dinheiro que muitos não observaram e eu tinha uma queda por ela. Remover as pessoas certas poderia ser muito lucrativo para os negócios e portanto para o Império. Parte da arma nesta guerra é a língua, que deve estar tão afiada quanto uma katana. A palavra certa indica quem pode ser convencido a apoiar o Imperador ou está sendo coagido pelo Xogunato, ela também determina quem está ligado ao Xogunato e precisa ser removido. O trabalho engrandece o caráter de todos.

    Aprendi então a lidar com as propriedades da família e usar estes recursos para a prosperidade do Império. O serviço ao Império paga bem, visto que samurais estão em uma casta melhor que o simples trabalhador. Eu tenho algumas posses mais que modestas, desejo que não me entendam mal, tudo o que faço, o faço para que o Império seja próspero. Assim vejo a melhoria contínua medida em crescimento, oportunidades e riqueza.

    Até o momento já removi 20 apoiadores do Xogunato, foram 10 invasões com mortes em suas casas ou pousadas, 5 envenenamentos, 4 combates e 1 por sorte. Até a sorte parece estar ao meu lado pois um homem morreu quando meu viu sair das sombras. Em 2 momentos após sair dos locais encontrei homens procurando por alguém, os quais conseguir convencer de que eu não era quem eles procuravam e parti sem derramar mais nenhuma gota de sangue ou suor. A atitude mental certa ajuda a tomar as decisões certas nos momentos mais difíceis.

    As pessoas que me apoiaram após a morte de minha família me ajudam com algumas destas tarefas, são outros samurais de Satsume e me indicam que passos tomar ou quem precisa ser removido.


    Aspirações (o que você deseja para o futuro do seu personagem):
    Desejo ser reconhecido como um apoiador do Imperador Meiji, não apenas um samurai, algo a mais.
    As riquezas e o poder como um Daimyo.
    Construir uma família a salvo das influências estrangeiras.

    Temores (inseguranças e fobias do personagem):
    O medo de não ser reconhecido como um apoiador e ser considerado um mero criminoso contra o governo Imperial. Assim os interesses de um seriam mais importantes do que do grupo.
    Temo que as pessoas me vejam como um assassino inconsequente e não como alguém que remove aproveitadores que vendem o país para os estrangeiros. Sem visão de futuro ou conhecimento.
    Me enganar com mulheres da vida. Uma intuição fraca.
    Desonrar o Império e ser pego fazendo isso, pois mesmo que alguém precise fazer o serviço sujo, este não precisa aparecer como sendo sujo. A atitude mental certa.
    Receio de que nem todos os estrangeiros sejam maus, pois como no código dos samurais ensina, todas as pessoas são boas.

    Vícios:
    Mulheres e mais levemente, o jogo.

    Habilidades (em que o seu personagem é bom?):
    Tenho a prática de:
    + atividades comuns para soldados,  
    + o manuseio da katana,
    + a preparação de venenos,
    + a escalada,
    + a abertura de portas,
    + o caminhar silencioso,
    + a administração,
    + a lei do Xogunato (sim, pois eles estão no controle agora),
    + a lábia, que já me livrou de encrencas no passado,
    + o hábito do jogo.


    Pontos fracos:
    Ainda tenho sonhos sobre o que houve com meu pai e sempre fico abalado com a sensação de que o perdi muito cedo.
    Tenho um hábito de pegar lembranças dos serviços que fiz, algo como uma coleção de memórias.
    A cobiça em meu coração mostra necessidade por mais dinheiro.
    Minha tentação ainda são as mulheres.

    Quando quiser que poste no ON, avise.
    Larissa Aprill
    Mutante
    Larissa Aprill
    Mutante

    Mensagens : 695
    Reputação : 80
    Conquistas :
    • https://i.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/410.png

    Bakumatsu no Monogatari [18+] - Página 2 Empty Re: Bakumatsu no Monogatari [18+]

    Mensagem por Larissa Aprill em Sex Maio 17, 2019 9:42 am

    @Christiano Keller escreveu:
    @Larissa Aprill escreveu:Só eu que pressinto que a Akemi e o Toshiro vão ser inimigos? Crying or Very sad
    Ainda não li os textos de todos, no entanto o Xogunato perecerá e o Imperador Meiji reinará.

    Descobri isso depois que entrei no jogo T_T
    Christiano Keller
    Troubleshooter
    Christiano Keller
    Troubleshooter

    Mensagens : 809
    Reputação : 20

    Bakumatsu no Monogatari [18+] - Página 2 Empty Re: Bakumatsu no Monogatari [18+]

    Mensagem por Christiano Keller em Sex Maio 17, 2019 4:09 pm

    @Larissa Aprill escreveu:
    @Christiano Keller escreveu:
    @Larissa Aprill escreveu:Só eu que pressinto que a Akemi e o Toshiro vão ser inimigos? Crying or Very sad
    Ainda não li os textos de todos, no entanto o Xogunato perecerá e o Imperador Meiji reinará.

    Descobri isso depois que entrei no jogo T_T
    Achei interessante o fato de ser uma mulher se fazendo de soldado. Uma nova era poderia ajudar com as transformações e reconhecimentos adequados.
    Conteúdo patrocinado


    Bakumatsu no Monogatari [18+] - Página 2 Empty Re: Bakumatsu no Monogatari [18+]

    Mensagem por Conteúdo patrocinado


      Data/hora atual: Dom Maio 19, 2019 3:28 pm