Um fórum de RPG online no formato de PBF (Play by Forum).


  • Responder ao tópico

[!ON!] Capítulo 2: Repercussões

Elminster Aumar
Administrador
Elminster Aumar
Administrador

Mensagens : 8636
Reputação : 47
Conquistas :
  • https://i.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/211.png
  • https://i.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1311.png
  • https://i.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1012.png
  • https://i.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/711.png
  • https://i.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1212.png
  • https://i.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1711.png
  • https://i.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1413.png
  • https://i.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/712.png
  • https://i.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/612.png
  • https://i.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/410.png
  • https://i.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1511.png
  • https://i.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/112.png
  • https://i.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1911.png
  • https://i.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/512.png
  • https://i.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/312.png
  • https://i.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/2211.png
Premiações :
  • https://i.servimg.com/u/f89/19/67/13/04/medalh16.png

[!ON!] Capítulo 2: Repercussões Empty [!ON!] Capítulo 2: Repercussões

Mensagem por Elminster Aumar em Ter Abr 09, 2019 12:03 am


Capítulo 2: Repercussões

Bucareste, 12 de Agosto de 1895

- Você podem ter colocado tudo a perder. - Os investigadores estavam novamente reunidos na sala de Alexandru, e o detetive parecia um pouco decepcionado com o relato dos acontecimentos. Ao conseguirem fugir do Circo de Romanov, todos se encaminharam para a mansão, e a Dra, Belcher fez questão de contar tudo nos mínimos detalhes para o detetive. Ela também parecia um pouco incomodada com o modo de agir do grupo. - Pelo menos estão todos vivos - disse Alexandru, tentando enxergar o lado bom de toda aquela história.

Eram três horas da manhã, mas ninguém estava com sono. Os investigadores ainda estavam pilhados por tudo o que viveram e presenciaram naquela noite. Só agora eles se davam conta de que podiam ter morrido, e ainda nas garras de um lobisomem. A Dra. Belcher parecia ser a única que ainda se recusava a aceitar que lobisomens realmente existiam. Alexandru, sentado em sua poltrona, conjecturou acerca das preocupações que corriam em sua mente.

- Eles agora sabem de vocês. Viram os seus rostos, suas características... vocês formam um grupo bastante singular, e isso facilitará o trabalho para eles descobrirem mais sobre vocês. Deveremos planejar os nossos próximos passos com cuidado. Voltar ao Circo pode ser extremamente perigoso, ainda mais com um lobis...

- Então você acredita? - questionou a Dra. Leatrice, interrompendo-o. - Realmente acredita que se tratava de um lobisomem?

- Acredito - disse o detetive, sem pestanejar, mas parecendo carregar um pouco de culpa em seu semblante. - Talvez eu devesse ter sido mais franco com vocês... ter alertado mais sobre os perigos que vocês estavam correndo. O Circo de Romanov está cheio dessas histórias malucas. Eu não teria chamado uma ocultista se não acreditasse que seu conhecimento poderia ser extremamente útil para a investigação - ele claramente se referia à Nina. Ela, assim como os demais, estava colocando os pensamentos em ordem.

- E como você espera que lidemos com um lobisomem? - perguntou a Dra. Belcher.

- Eu espero que vocês não precisem lidar com ele novamente, mas, se por ventura acontecer isso, vocês precisarão estar preparados. Teodor é o braço forte do grupo para este tipo de situação, verei em conjunto com ele sobre o que podemos preparar para enfrentar o lobisomem. Dizem que estas criaturas são mais vulneráveis à armas de prata.

Um silêncio tomou conta da sala por um breve instante. Todos eles tinham muita coisa para refletir sobre aquele dia, porém, Alexandru, que até agora só ouvira a versão contada pela doutora, queria saber dos demais.

- E então, o que mais vocês descobriram de relevante? Conseguiram tirar algumas conclusões de tudo que viram e ouviram nesta ida ao circo?


OFF-GAME:
E assim iniciamos o nosso segundo capítulo. O nome deste capítulo pode ou não ser provisório. Conto com a colaboração de todos para darmos seguimento à aventura com um bom ritmo de posts.
Mellorienna
Moderador
Mellorienna
Moderador

Mensagens : 489
Reputação : 71
Conquistas :
  • https://i.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/411.png
  • https://i.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1112.png
  • https://i.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/912.png
  • https://i.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/212.png
  • https://i.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1811.png
  • https://i.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/410.png
  • https://i.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/2211.png
  • https://i.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/2111.png

[!ON!] Capítulo 2: Repercussões Empty Re: [!ON!] Capítulo 2: Repercussões

Mensagem por Mellorienna em Ter Abr 09, 2019 10:09 pm


Nina chegou à mansão aos prantos. As filhas de Alexandru, doces meninas que se lembravam da loira em dias melhores, a ampararam e levaram para longe de Leatrice Belcher - que inacreditavelmente continuava cética diante da sobrenaturalidade do mundo. A moça apenas se deixou levar. Como uma boneca semiviva, foi despida e mergulhada pelas meninas em uma banheira de água quente e essência de lavanda. Aprovou a escolha do ativo - a lavanda era um conhecido calmante - e se pegou finalmente percebendo onde estava e tudo que havia acontecido.

Tinha feito papel de louca.

Envergonhada, saiu do banho e agradeceu às filhas do anfitrião pela delicadeza e amizade. Vestiu-se com o vestido que as meninas trouxeram - rendas negras macias e translúcidas - e dirigiu-se descalça ao escritório de Alexandru, onde já estavam os demais investigadores reunidos, conversando sobre o fiasco do que deveria ter sido um passeio lúdico de reconhecimento do local.

Calada, a loirinha entrou de olhos baixos na sala exatamente quando a Dra. Belcher manifestava sua incredulidade na existência de lobisomens. Era incrível. A mulher havia visto, com os próprios olhos, a besta diante de si. E ainda duvidava! Aquilo não era uma mente científica: era simples teimosia.

Porém, Nina nada disse. Provavelmente o grupo esperava alguma resposta ácida da Ocultista, mas ela simplesmente se manteve em silêncio, de olhos baixos, sentada meio encolhida em sua poltrona cativa. Apenas quando Alexandru pediu que contassem sobre o ocorrido, Nina ergueu o olhar para o anfitrião. Em voz bastante baixa - doce e triste - a Ocultista falou de forma reticente:

- Havia uma criança. Eu... - "não queria que a criança fosse até aquele palco, porque intuí que algo sairia mal" - ... eu fui uma tola. Sinto muito. - Nina baixou os olhos para as mãos, que permaneciam pousadas em seu colo, apertando levemente a saia do vestido entre os dedos - Meu conhecimento sobre licantropos é limitado. Nunca havia encontrado uma tal criatura ao vivo antes. O que posso dizer é que alguns retém certos níveis de consciência e são até mesmo capazes de discernimento e comunicação. E parecem ter maior vulnerabilidade à prata, o que é um traço comum entre outras criaturas sobrenaturais. Porém, preciso estudar mais.

Ousando finalmente, a loira olhou os companheiros um a um. A Dra. Belcher continuava ali, com ares de superioridade intelectual, mas - manca ou não - estava viva e incólume. "Menos mal. Já basta de sangue inocente..." - um calafrio arrepiou a pele perolada da Ocultista, que apertou com ainda mais força a saia entre os dedos. Havia alvejado um homem sob a lona do Circo de Romanov. Sentiu os olhos marejarem e respirou fundo. Não podia chorar ali, não de novo. A vergonha...

... a vergonha era uma mancha violácea sobre a reputação de alguém.

Iam Smith parecia tão bem quanto a médica. Os dois estrangeiros tinham levado a melhor no território romeno. Nina esboçou um sorrisinho muito tímido, com o cantinho dos lábios, ao perceber que o homem continuava inabalável como sempre. Eles tinham se divertido na feira às portas do circo, não é? Não sabia o que havia acontecido com ele depois que ela foi para o palco, mas apostava que nada tão ruim quanto o caos que se instaurou no picadeiro. "Foi tudo minha culpa?" - o pequeno sorriso morreu e a moça empalideceu um pouco, sabendo que sim. Mesmo que não pudesse prever que um lobisomem se transformaria diante dos olhos do público no meio de um espetáculo lotado, mesmo que não tivesse atingido aquele homem inocente por querer, Nina sabia que era a culpada.

Porque ela buscava o perigo e a morte.

Incapaz de encarar Teodor Cardei diretamente, a moça deslizou o olhar pelo corpo do homem, em busca de ferimentos e sinais da batalha. Ele havia sido mordido. Na canela, nitidamente. Talvez em outras partes. As mãos tinham os esfolados padrão de uma luta. Antes que pudesse se deter, Nina ficou de pé e caminhou até Teodor e...

... "ele vai recusar meus cuidados. Leatrice está aqui para isso. E ele não tem motivos para nutrir simpatia por mim." - com a imagem mental de si mesma aos prantos, chamando-o de "amor" enquanto a médica a arrastava para fora do circo, Nina corou violentamente e ficou ali, de pé diante do homem, com os olhos nos próprios pés descalços.

Em romeno, e numa voz ainda mais baixa, a loira disse:

- Obrigada, Sr. Cardei. Eu... - ela estendeu a mão em um gesto delicado, tocando as costas da mão de Teodor com as pontinhas dos dedos - ... sinto muito pelos seus ferimentos e... - erguendo os olhos finalmente para fita-lo, Nina sentia o coração batendo na garganta quando deslizou os dedos para a parte interna da mão do homem - ... por todo o resto.

Ainda com as bochechas muito vermelhas, a Ocultista se afastou com gestos suaves, murmurando para todos e para ninguém em especial:

- Eu... estarei na biblioteca... se precisarem de mim.

A menos que alguém a impedisse de sair, deixaria o escritório e se refugiria na biblioteca da mansão.
Camuel
Moderador
Camuel
Moderador

Mensagens : 406
Reputação : 7
Conquistas :
  • https://i.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/411.png
  • https://i.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/912.png
  • https://i.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1811.png
  • https://i.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1413.png
  • https://i.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/712.png
  • https://i.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/410.png
  • https://i.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1511.png
  • https://i.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/2211.png
  • https://i.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/2111.png

[!ON!] Capítulo 2: Repercussões Empty Re: [!ON!] Capítulo 2: Repercussões

Mensagem por Camuel em Qua Abr 10, 2019 11:37 pm


Alexandru estava bravo, talvez nem todo seu dialogo com o grupo era entendido por Iam, alguns trechos citados em outro idioma e outros no seu idioma, mesmo assim Iam sabia que não era por mal afinal ele estava preocupado com os acontecimentos. Olhando para cada canto da sala percebia-se que os investigadores se comportavam como crianças quando são repreendidas depois de fazer algo errado, uns olhavam para o vazio e outros tentavam se defender.

A expressão de Iam não era diferente dos demais, parado, imóvel, observava a doutora fazer o seu relato para Alexandru. Só o que me faltava, ate onde eu vi em nenhum momento essa velha manca reagiu, agora vem querendo dar uma de certinha, quem sabe se ela pedisse emprego no circo como aberração seria o melhor dos disfarces.

Nesse momento perdido em seus pensamentos enquanto tudo era esclarecido Iam deixa um rápido sorriso de canto escapar, mas logo se recompõe.

Ate que então é a vez de Nina, ela parecia confusa, às vezes se culpava depois se desculpava em meio a suas explicações o arrependimento por um inocente ferido e suas lembranças ou alucinações. Mesmo assim Iam percebe um rápido sorriso quando ela olha em sua direção. Parece que finalmente ela teve uma boa lembrança, mas ela precisa perceber que muitas vezes achamos que os fantasmas moram em lugares assombrados, mas não é. Ela segue em direção à doutora e, mas uma vez o incompreensível idioma Romeno é falado na sala.

Droga de idioma, será que pelo menos uma vez todo dialogo nessa sala não vai ser dito de uma maneira que eu possa entender! Devagar ele leva as duas mãos a cabeça depois de um segundo ele ajeita o cabelo e então percebe que Nina estava se retirando da sala.

- Espera! - Fala em um tom elevado, com o intuito de que ela continuasse na sala.

Ele se levanta de onde estava caminha ate a janela, se mantem por segundos olhando para fora e logo depois olha em direção a todos e fala em inglês:

– Sei que tivemos nossos erros, talvez por não ter uma estratégia antes, deixamos nossos sentimentos... Como posso dizer... Dominar. Confesso não estar na hora do caos, cheguei ao final e tentei ajudar, não é muito o meu perfil, como todos sabem sou um assassino ou soldado de uma facção, poderia ficar sentado e observar o final de tudo aquilo, mas... Tenho uma obrigação que por falar nela fui até o camarim, lá encontrei dois guardas que protegiam a porta, para entrar precisei agir da maneira que eu bem sei fazer, depois de entrar tinham vários artistas no qual descrevi a imagem de Tyna como se fosse uma amiga que na confusão se perdera, um dos artistas chegou a dizer que se ela estava com o chefe, coisa boa não ia acontecer.

Iam prosseguiu:

– Só quero dizer que estamos aqui se lamentando sobre o que aconteceu onde na verdade precisou acontecer já que fomos descobertos, dessa vez não vamos precisar se esconder, vamos entrar com tudo porque sei que lá estão as repostas para nossa investigação.

Depois de suas explicações Smith vai e serve de uma bebida. Deu até sede.
Bravos
Antediluviano
Bravos
Antediluviano

Mensagens : 3199
Reputação : 223
Conquistas :
  • https://i.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/311.png
  • https://i.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1411.png
  • https://i.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1311.png
  • https://i.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1112.png
  • https://i.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/912.png
  • https://i.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1312.png
  • https://i.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1711.png
  • https://i.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1413.png
  • https://i.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1611.png
  • https://i.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1911.png
  • https://i.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/2111.png
Premiações :
  • https://i.servimg.com/u/f89/19/67/13/04/medalh32.png
  • https://i.servimg.com/u/f89/19/67/13/04/medalh23.png
  • https://i.servimg.com/u/f89/19/67/13/04/medalh41.png
  • https://i.servimg.com/u/f89/19/67/13/04/medalh29.png
  • https://i.servimg.com/u/f89/19/67/13/04/medalh44.png

[!ON!] Capítulo 2: Repercussões Empty Re: [!ON!] Capítulo 2: Repercussões

Mensagem por Bravos em Sex Abr 12, 2019 10:24 am


Teodor estava sentado à poltrona. Respirava devagar enquanto ia começando a sentir as dores que se espalhavam no corpo depois de uma briga. Na hora você não sente nada, mas depois... Ah, depois parece que você foi atropelado por uma carruagem puxada por quatro cavalos. Alexandru não estava exatamente contente com o feito deles e não era à toa. Ainda que Cardei estivesse completamente tranquilo, pois fez aquilo que ele fora chamado para fazer. Não costumava raciocinar sobre o que era culpa de quem. As coisas simplesmente aconteciam e se reagia da melhor forma possível.

A Dra. Belcher era um poço de incredulidade à cerca do lobisomem. Ia falar quando Nina entrou na sala. Um misto de impressões passaram-se na alma do romeno. Tentando não se deixar levar por elas falou pela primeira vez, virando-se para a médica: - É verdade, Dra. Belcher. Não é a primeira vez que eu encontro um lobisomem. Inclusive, se estou aqui, é por conta desse encontro anterior que tive quando estava no Império Áustrio-Húngaro. Obviamente, naquela ocasião não tinha a presença de espírito de hoje e fui salvo por um caro colega. - Seus olhos correram a sala e pararam na ocultista, que estava cabisbaixa. Alexandru continuou falando e comentou da vulnerabilidade à prata. Adicionou então um comentário: - Pelo que pude notar hoje, as balas comuns não são sequer capazes de feri-lo. Imaginei que elas causariam feridas leves, mas nem isso.

Nina então começou seu relato. Ela parecia confusa e constrangida. Francamente Teodor não a entendia. Sua personalidade era demasiado volátil para que ele tivesse algum juízo completo. Já estava um pouco absorto quando a viu se levantar e caminhar em direção dele. Tocou-lhe a mão e se desculpou. Fez aquilo em voz baixa e em romeno. Ele levantou-se e pegou-lhe a mão, envolvendo-a com a sua. Respondeu-lhe também em romeno e também em baixa voz: - Não se preocupe... Eu também sinto muito.

Ela já se afastava em direção a saída quando Iam falou algo. Cardei voltou a se sentar e aguardou pacientemente que alguém lhe traduzisse o que falava o russo. Quando o fizeram, voltou a comentar: - Temos então um caminho a seguir: encontrar o dono do circo.
Elminster Aumar
Administrador
Elminster Aumar
Administrador

Mensagens : 8636
Reputação : 47
Conquistas :
  • https://i.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/211.png
  • https://i.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1311.png
  • https://i.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1012.png
  • https://i.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/711.png
  • https://i.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1212.png
  • https://i.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1711.png
  • https://i.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1413.png
  • https://i.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/712.png
  • https://i.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/612.png
  • https://i.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/410.png
  • https://i.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1511.png
  • https://i.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/112.png
  • https://i.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1911.png
  • https://i.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/512.png
  • https://i.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/312.png
  • https://i.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/2211.png
Premiações :
  • https://i.servimg.com/u/f89/19/67/13/04/medalh16.png

[!ON!] Capítulo 2: Repercussões Empty Re: [!ON!] Capítulo 2: Repercussões

Mensagem por Elminster Aumar em Sab Abr 13, 2019 11:04 am


Nina foi a primeira a se pronunciar. A ocultista pedia desculpas pelo seu ato, uma atitude bastante diferente da primeira vez em que se reuniram ali. Parecia que a sua vivência no Circo a havia "fragilizado" de alguma forma, e não era por menos. Ela havia baleado um inocente e ainda não se sabia o estado de saúde da vítima.

Nina escreveu:- Havia uma criança. Eu... eu fui uma tola. Sinto muito.

- Esqueça isso... - pediu Alexandru, sentindo que talvez ele tivesse pego pesado demais com o grupo. - Erros acontecem, e é bom saber que vocês possuem tamanha coragem. Francamente, Teodor... enfrentar um lobisomem de peito aberto? Isso não é para qualquer um. A coragem muitas vezes é confundida com estupidez, mas partindo de você, meu amigo, tenho certeza que foi a primeira opção.

Nina escreveu:- Meu conhecimento sobre licantropos é limitado. Nunca havia encontrado uma tal criatura ao vivo antes. O que posso dizer é que alguns retém certos níveis de consciência e são até mesmo capazes de discernimento e comunicação. E parecem ter maior vulnerabilidade à prata, o que é um traço comum entre outras criaturas sobrenaturais. Porém, preciso estudar mais.

Teodor escreveu:- Pelo que pude notar hoje, as balas comuns não são sequer capazes de feri-lo. Imaginei que elas causariam feridas leves, mas nem isso.

Alexandru assentiu com a cabeça.

- Arranjaremos balas de prata para você Teodor, e, Iam, sei que não é o seu forte, mas devo ter uma adaga de prata em algum canto nessa casa. Irei emprestá-la a você para que possa ajudar Teodor se houver necessidade.

Enquanto se discutia como eles poderiam enfrentar Adolf, Nina se aproximou de Teodor. Os dois tiveram uma interação intimista, os demais mal ouviram as trocas de palavras entre eles. Houve uma singela troca de olhares e pedidos de desculpas de ambos os lados. Os dois pareciam ter se acertado, afinal. Alexandru, percebendo que não seria mais necessário dividir o grupo para que todos cooperassem, não deixou de sorrir de canto de boca ao ver a cena. Nina declarou sua intenção de ir para a biblioteca, mas as palavras de Iam a impediram momentaneamente de ir.

Iam escreveu:- Espera! Sei que tivemos nossos erros, talvez por não ter uma estratégia antes, deixamos nossos sentimentos... Como posso dizer... Dominar. Confesso não estar na hora do caos, cheguei ao final e tentei ajudar, não é muito o meu perfil, como todos sabem sou um assassino ou soldado de uma facção, poderia ficar sentado e observar o final de tudo aquilo, mas... Tenho uma obrigação que por falar nela fui até o camarim, lá encontrei dois guardas que protegiam a porta, para entrar precisei agir da maneira que eu bem sei fazer, depois de entrar tinham vários artistas no qual descrevi a imagem de Tyna como se fosse uma amiga que na confusão se perdera, um dos artistas chegou a dizer que se ela estava com o chefe, coisa boa não ia acontecer.

Aquelas informações eram novas para todos os demais. Alexandru se mexeu em sua poltrona, como se a esperança tivesse renascido dentro dele.

- Você tem certeza disso? De quem você tirou essa informação? - o detetive fez logo duas perguntas, não se controlando. - Isso é muito importante para nós, Iam, isso mostra que estamos na direção certa. O chefe... não posso mais negar para vocês depois de tudo o que vocês presenciaram. Lembram dos boatos que eu havia dito que o próprio Romanov ainda liderava o seu Circo depois de trezentos anos? Pois bem... não devemos descartar essa possibilidade.

A Dra. Belcher ainda parecia incrédula com a naturalidade que certas coisas eram ditas.

- Você está querendo dizer que pode haver outras dessas criaturas? Não só lobisomens mas todo o tipo de aberração saída das lendas que ouvimos?

- Sim, doutora. - Alexandru foi categórico. - Existe uma grande chance de vocês toparem com outras criaturas da noite.

Iam escreveu:– Só quero dizer que estamos aqui se lamentando sobre o que aconteceu onde na verdade precisou acontecer já que fomos descobertos, dessa vez não vamos precisar se esconder, vamos entrar com tudo porque sei que lá estão as repostas para nossa investigação.

Teodor escreveu:- Temos então um caminho a seguir: encontrar o dono do circo.

- Sim, mas não pensem que será fácil. Vocês deverão ser mais sorrateiros do que se apresentaram essa noite, não é com força física que conseguiremos desmascarar os horrores reais por detrás do Circo de Romanov. Contudo, receio estar tarde já e vocês todos tiveram um dia e tanto. Discutiremos os próximos passos a serem tomados amanhã, durante o almoço que prepararei para vocês. Por hora, tratem de descansar a mente e o corpo.

Alexandru estava notadamente mais empolgado com o curso da investigação. Eles haviam adquirido algumas pistas, afinal. Nina, agora, estaria livre para se retirar para a biblioteca. Ela e Teodor saíram da sala de Alexandru praticamente juntos. Iam se retirou em seguida, enquanto a Dra. Belcher parecia ainda querer discutir algo com Alexandru.  Enquanto Iam caminhava pelos corredores até os seus aposentos, ele se encontrou com Anastácia. De fato, parecia que a filha de Alexandru estava à sua espera o tempo todo. Anastácia se aproximou, acanhada.

- Obrigada por tudo o que você está fazendo por nós - disse, e, ficando na ponta dos pés, lhe deu um beijo tenro na boca.  


OFF-GAME:
@Bravos e @Mellorienna, fiquem à vontade para fazerem uma interação entre vocês, agora com os personagens num ambiente mais reservado.
Camuel
Moderador
Camuel
Moderador

Mensagens : 406
Reputação : 7
Conquistas :
  • https://i.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/411.png
  • https://i.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/912.png
  • https://i.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1811.png
  • https://i.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1413.png
  • https://i.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/712.png
  • https://i.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/410.png
  • https://i.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1511.png
  • https://i.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/2211.png
  • https://i.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/2111.png

[!ON!] Capítulo 2: Repercussões Empty Re: [!ON!] Capítulo 2: Repercussões

Mensagem por Camuel em Ter Abr 16, 2019 2:13 am



Alexandru escreveu:- Arranjaremos balas de prata para você Teodor, e, Iam, sei que não é o seu forte, mas devo ter uma adaga de prata em algum canto nessa casa. Irei emprestá-la a você para que possa ajudar Teodor se houver necessidade.

- Tudo bem.

Assim que suas ideias e relatório foram passados Alexandru nem bem esperou finalizar.

Alexandru escreveu:- Você tem certeza disso? De quem você tirou essa informação? - o detetive fez logo duas perguntas, não se controlando. - Isso é muito importante para nós, Iam, isso mostra que estamos na direção certa. O chefe... não posso mais negar para vocês depois de tudo o que vocês presenciaram. Lembram dos boatos que eu havia dito que o próprio Romanov ainda liderava o seu Circo depois de trezentos anos? Pois bem... não devemos descartar essa possibilidade.

- As informações foram conseguidas com um dos artistas que parecia fazer o papel de gigante.
Aquelas informações foram à ignição para que Alexandru se animasse novamente, e esquecesse por um momento todo o caos ocorrido, dessa vez os planos seriam andar em grupo munido de armas de prata.

Pelo menos dessa vez se algo de errado ninguém fica para contar historia.   Os pensamentos de Iam não foram contra a ideia, mas sim o fato de ser sarcástico.

Todos se retiram menos a Dra. Belcher, que insistia em saber mais detalhes de Alexandru, Nina saiu conversando com Teodor. Iam resolve ir para seus aposentos, segue em pelo corredor entre um passo e outro admirava certas pinturas nas paredes, quando e surpreendido por Anastácia parecia que ela estava esperando a um bom tempo próximo ao seu quarto.

Ela se aproxima:

Anastácia escreveu:- Obrigada por tudo o que você está fazendo por nós - disse, e, ficando na ponta dos pés, lhe deu um beijo tenro na boca.

Nossa... Os olhos dele arregalaram pela surpresa, nem teve a oportunidade de responder ao agradecimento, mesmo assim rapidamente e corresponde.

Suas mãos delicadamente seguram na cintura dela, que por sinal são as medidas perfeitas, não demorou ele pressiona o corpo dela ao dele como se fosse fundir em um só, sua respiração estava ofegante e a dela não parecia diferente, mas logo ele desperta e finda o beijo olhando nos olhos dela e diz:

- Desde o momento que te vi imaginei esse momento, claro que partindo para um momento mais quente. Fala com um sorriso e continua.
- Não quero que esse momento termine agora, mas também não podemos ficar aqui no corredor alguém pode aparecer e... Sem terminar a frase ele faz um gesto com a cabeça de algo errado, porque suas mãos ainda continuavam a segurar a cintura dela.
- Podemos ir para meu quarto agora, o que acha? Ele espera a resposta sentindo o cheiro do cabelo dela que eram lisos, longos e sedosos com cheiro de flores.

OFF:
Eu ia prosseguir mas decidir esperar a resposta dela.

Bravos
Antediluviano
Bravos
Antediluviano

Mensagens : 3199
Reputação : 223
Conquistas :
  • https://i.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/311.png
  • https://i.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1411.png
  • https://i.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1311.png
  • https://i.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1112.png
  • https://i.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/912.png
  • https://i.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1312.png
  • https://i.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1711.png
  • https://i.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1413.png
  • https://i.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1611.png
  • https://i.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1911.png
  • https://i.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/2111.png
Premiações :
  • https://i.servimg.com/u/f89/19/67/13/04/medalh32.png
  • https://i.servimg.com/u/f89/19/67/13/04/medalh23.png
  • https://i.servimg.com/u/f89/19/67/13/04/medalh41.png
  • https://i.servimg.com/u/f89/19/67/13/04/medalh29.png
  • https://i.servimg.com/u/f89/19/67/13/04/medalh44.png

[!ON!] Capítulo 2: Repercussões Empty Re: [!ON!] Capítulo 2: Repercussões

Mensagem por Bravos em Ter Abr 16, 2019 10:16 pm


Com as informações que Iam trazia, Alexandru pareceu se animar de novo com a possibilidade da investigação trazer algum fruto. Pelo menos agora tinham a confirmação que o dono do circo efetivamente existia e era perigoso, dado a expressão usada pelo próprio circense. Agora, se as lendas eram verdadeiras... Teriam que descobrir por si sós. Teodor também se animava com aquilo, Contudo, seu papel era claro. Alexandru sabia disso e agora os demais também. Ele era a linha defensiva.

Quando o anfitrião os liberou, dizendo-os que descansassem, Nina foi a primeira a sair, pois já o intencionava fazê-lo antes e o teria feito se não fosse a intervenção. Teodor se levantou em seguida. Era evidente que precisavam conversar. A relação dos dois estava demasiado conturbada para prosseguir assim. De forma, que a ocultista nem sequer havia terminado de cruzar o corredor depois da porta e o romeno estava fechando a porta atrás de si. Pigarreou para chamar-lhe a atenção e a alcançou com alguns passos largos. Deu-lhe o braço, para que pousasse o seu sobre o dele.

- Sra. Aiwaz... - Não sabia exatamente o que falar. Sabia que algo a perturbava pessoalmente, pois já havia visto alguns veteranos da guerra franco-prussiana tendo surtos semelhantes àqueles que Nina tivera. Sabia que eram por traumas. Quais? Não tinha certeza. - Entendo que tenha sido... forte os acontecidos. Acidentes mexem conosco, nos fazem nos sentir... impotentes. - Enquanto falava, conduzia-os até uma sala de estudos reservada que conhecia bem na casa.

- Creio que começamos mal e agora sabemos que precisaremos contar um com o outro. - Talvez aquela frase devesse estar no plural, mas... Abriu a porta e pegando a mão de Nina, que estava sobre seu braço, convidou-a para entrar na sala. Sua mão era pequena e aveludada na mão grande e acostumada ao chicote e à espada de Cardei.

- Iremos procurar por um dono de circo secular e talvez devêssemos saber mais que os nomes e as supostas profissões que temos. - Enquanto ela entrava na sala e ele fechava a porta atrás de si a observava. Era talvez a primeira vez desde que se desentenderam que Teodor se apercebeu da beleza daquela mulher.
Mellorienna
Moderador
Mellorienna
Moderador

Mensagens : 489
Reputação : 71
Conquistas :
  • https://i.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/411.png
  • https://i.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1112.png
  • https://i.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/912.png
  • https://i.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/212.png
  • https://i.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1811.png
  • https://i.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/410.png
  • https://i.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/2211.png
  • https://i.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/2111.png

[!ON!] Capítulo 2: Repercussões Empty Re: [!ON!] Capítulo 2: Repercussões

Mensagem por Mellorienna em Qua Abr 17, 2019 11:00 am


Nina parou quando Iam pediu que esperasse. Ao contrário da noite passada, em que simplesmente daria as costas aos investigadores reunidos por Alexandru, a loira ficou. E até mesmo esboçou um leve sorrisinho ao ver a esperança retornando ao semblante do anfitrião. Quando era novinha – o que ela ainda era, mas sentia como se não fosse – passou um verão encantador em Bucareste, no qual se tornou bastante próxima de Annya – “Anastácia é um nome muito grande”, elas diziam. Naquele mesmo ano, ela voltou para a Valáquia no outono e…

… Alexandru os dispensou, para que descansassem. A Ocultista fez uma breve reverência – herança de dias melhores que voltaram à tona naquela noite – e ganhou o corredor, pretendendo trancar-se na biblioteca até cair adormecida sobre os livros. Porém, foi alcançada em menos de três segundos por Teodor Cardei, que estendia o braço para ela, falando sobre acidentes e sensação de impotência. Nina aceitou em silêncio a condução do romeno até a sala de estudos. Ergueu os olhos cinzentos para fitar Cardei quando o homem mencionou o mal começo que tiveram e o fato de que, independentemente de qualquer coisa, precisariam contar um com o outro naquela empreitada.

Teodor Cardei escreveu:- Iremos procurar por um dono de circo secular e talvez devêssemos saber mais que os nomes e as supostas profissões que temos.

A porta se fechou suavemente atrás dele, e Nina corou ao perceber que ele a observava, desviando os olhos para os móveis da sala de estudos enquanto tentava disfarçar a timidez repentina.

- Na verdade, podemos começar pelos nomes e profissões uns dos outros, eu acho. – a loira sentou-se na ponta direita de um sofá de dois lugares (móvel que ela conhecia pelo nome de namoradeira) e acendeu a luminária na mesa de apoio ao lado – Aiwaz é o nome do primeiro demônio que fui capaz de contatar. Meu sobrenome é Van Hausen. Por casamento.

A luz quente da luminária se refletia em matizes dourados sobre os cabelos muito claros da moça e era cada instante mais nítido o quanto ela era jovem.

- Meu marido era...“um conde”… médico. Eu era sua auxiliar. Enfermeira. Houve uma epidemia de varíola na fronteira com a Moldávia. Eu não sabia que estava grávida quando insisti em acompanhar a expedição. Adoeci e perdi nosso bebê. Perdi Lúkin três dias depois.

A loira finalmente voltou a olhar para Teodor.

- Mas o demônio não me queria no Inferno. E, acredite, eu tentei de tudo. Acabei dedicando cada minuto dos meses que se seguiram a encontrar uma forma de estar de com Lúkin novamente. Há charlatanismo por toda parte, mas descobri alguns rituais, a maior parte em sânscrito e... Quando percebi, estava sendo consultada por pessoas importantes sobre o Oculto. Mas, no fim, não há um caminho que traga o que se perdeu. A Morte é a fronteira final. Já faz pouco mais de dois anos...“dois anos, três meses e nove dias”… e só agora eu finalmente aceito isso. Precisei atingir um homem inocente com um tiro para entender que há caminhos efetivamente sem retorno.

A moça torceu as mãos sobre o colo nervosamente e então sorriu, de forma quase triste, enquanto corava mais uma vez:

- Ser intratável com as pessoas ao redor parecia a melhor forma de garantir que não sofreriam se eu morresse de repente, entende? E não posso negar que tenho buscado ativamente pela morte, por tempo demais... – ela suspirou. A verdade é que estava cansada – Enfim, desviei do assunto sem querer, mas era importante para explicar que Nina também não é meu nome. Era o apelido carinhoso pelo qual Lúkin me chamava. Vem de “menina”. Ele era dez anos mais velho que eu.

A loirinha fitou Teodor e sorriu de forma doce, sentindo arrepios leves ao encarar o homem de perto.

- Meu nome é Sophia.

Conteúdo patrocinado


[!ON!] Capítulo 2: Repercussões Empty Re: [!ON!] Capítulo 2: Repercussões

Mensagem por Conteúdo patrocinado

  • Responder ao tópico

Data/hora atual: Sab Abr 20, 2019 7:15 am