Um fórum de RPG online no formato de PBF (Play by Forum).


    Os Aventureires de Arkhór — a Ilha dos Desafios

    Kinox
    Neófito
    Kinox
    Neófito

    Mensagens : 18
    Reputação : 2

    Os Aventureires de Arkhór — a Ilha dos Desafios Empty Os Aventureires de Arkhór — a Ilha dos Desafios

    Mensagem por Kinox em Ter Jul 09, 2019 1:23 am

    O Reino da Vastidão de Além-Mar





    I. Explorando Arkhóreas, a vila portuária



    Era um início de tarde ensolarada no arquipélago de Arkhór, apesar dos efeitos esperados de uma manhã um pouco fria e, naturalmente, úmida, em função da brisa marítima fresca. Apesar do ceu estar relativamente limpo, só um pouco acinzentado, o mar estava começando a ficar agitado pelos arredores; era possível observar, de longe, um princípio de fúria de suas ondas. O vento até que estava brando.



    ✼ ✼ ✼


    Em Arkhóreas, Iyas de Q'arr Jaf, o intrépido mercenário e assassino do povo do Continente Árido, resguardava-se a conhecer o mercadinho local; acabara de comprar um tecido para se confeccionar um novo turbante, provavelmente esperando se preparar — talvez por motivo de um hábito da cultura do deserto — para algum soalheiro  tropical (mas, neste caso, sub-tropical). Tinha mais coisas em mente, quando havia recebido uma curiosa informação, por parte do minotauro comerciante:






    Mmmh… mugiu lentamente Senhor, você, quem sabe, seja membro da nova filial da Guilda de Aventureires que se instalou por aqui recentemente…?

    Iyas já tinha ouvido falar desse estabelecimento internacional, sem fronteiras; no entanto, não imaginava que ouviria falar de uma filial na própria ilha de Arkhór…! muito menos, num vilarejo quase tão insignificante quanto Arkhóreas. Será que tal fenômeno estaria associado à ocorrência do famigerado Concurso — que, a esta altura, trágica, do campeonato, por conta do náufrago em alto mar, já estaria praticamente suprimido? Em todo caso, aprendeu que a tal guilda, que talvez lhe pudesse ser útil, possuía um prédio mais ao Sul da cidade, na subida da encosta dos montes, em que havia uma trilha que levava ao farol da aldeia portuária a Sudeste. Lembrando que naufragaram na praia a logo ao Norte do farol. Cabia-lhe agora tomar alguma decisão do que fazer; sabia que Retha Ayodele e outres companheires ficaram na Taverna dos 7 Mares. A maioria destes, no entanto, parecia pouco comprometida com a ideia do Concurso e, talvez, apenas quisessem repousar e refletir sobre a própria vida e existência — já que, agora, todo mundo estava tão longe 'de casa' e parecia haver relativamente pouca esperança concreta, de alguma possibilidade de retorno: enquanto os temíveis Piratas da Vastidão estiverem no controle da região, com suas patrulhas nefastas.


    ✼ ✼ ✼


    Retha, por sua vez, a menina artesã-forjadora, que buscava recursos especiais e uma fórmula para a criação de um Golem, estava de saída da taverna; não tinha presenciado o incidente que ocorrera de manhã, entre seus companheires de viagem (Iyas de Q'arr Jaf, Cael Galladin, Syllence Beltyth e Vanessah) e o estabelecimento. Na realidade, a Elfa Negra caçadora e arqueira, a Syllence,
    havia se invocado com o taverneiro, o não tão simpático Sr. Sokraz, por conta de maus-tratos, com suspeita de trabalho infantil, a uma criança Drow, a 'Drowzinha' — como sua nova mãe adotiva agora lhe chamava. Com isso, Retha aprendera que o taverneiro teve uma parada cárdio-respiratória depois do susto que levou! Tendo que ser hospitalizado de forma emergencial; por isto, agora estava ausente e Tutzil, o calmo Elfo garçom, agora é quem estava na liderança do estabelecimento.






    A essa altura do campeonato, dormiam no quarto do hotel aqueles náufragos sobreviventes: Vanessah, Cael e Syllence (esta, naturalmente, com os olhos entre-abertos de uma mãe a espreita); a Drowzinha, por sua vez, estava intrigada com a valiosa gema que você lhe havia 'presenteado', um topázio. Ela olhava-o, recorrentemente, através da luz e parecia estar calma, não prestando atenção em mais nada do 'mundo real'. Uma chave do quarto tinha ficado com seus companheires, enquanto que você ficara com uma outra adicional. Iyas tinha ido sozinho até o mercado; o homem teimoso tinha ânsia em conhecer o paradeiro, e isso parece vencera-lhe o cansaço — mas é verdade que ele, diferentemente dos demais e de você mesma, parecia não ter chego à exaustação… na realidade, mais alguém ali daquele aposento parecia ter uma energia infindável, e você logo fica sabendo quem, com o despertar de uma voz estridente, da Vanessah Fada:


    BOM DIA, MUNDOOO!!!!!! Bom dia, Arkhóreas!!! Bom dia, Piratas da Vastidão!!! E bom dia... dorminhocos!
    e então, olhava pra você, da cama que acabara de compartilhar com o Elfo branquelo Cael ­— Ah! E bom dia criaturinha dos metais preciosos!! EU VI…!!!! Espero que você logo vá me dar algum prêmio também, por que eu vou lhe fazer companhia, que você goste ou não! Você tem ainda muito que aprender e é só uma criança. Duvido que seja mais inteligente do que a nossa Drowzinha! Apesar de ser um pouco mais velha (pelo menos, de corpo, mas não de alma); sabe, a Drowzinha deve ter uns 50 anos. E você, o quê?? Talvez nem 12 anos! Você precisa de ajuda em Arkhór, ou vai se dar mal, garotinha! A Drowzinha já tem a mamãe querida dela! Mas e você? Não tem ninguém pra cuidar de você! Você ACHA MESMO que eu vou deixar a coisas se desenrolarem assim, é?!? Não vou! Agora mesmo! Diferentemente desses Elfos aí, eu não tenho sono; eu sou uma Fada! Eu só estava fingindo que estava dormindo porque eu não queria deixá-los tristes, de terem que ir dormir sem mim! Tá? Então, sabe o quê, menina?? Eu soube que Arkhór é uma ilha que tem.... BASTAAAANTE Magia.....! em sua fala quase ininterrupta, Vanessah agora parecia arregalar, mais ainda, os olhos; e também finalmente dava uma pausa eu sei que isso deve interessar a você, Rethinha, não é mesmo? Afinal de contas, você quer ser uma Grande 'Forjartesã'! E pra isso, precisa, claro, de PODER MÁGICO! Eu estou aqui pra te ajudar, mocinha! Senão, você é capaz de se perder e de se afogar com tanta água por toda volta! E então, vamos pra onde agora…??? Cadê a sua lista de atividades??? Como quer que eu lhe ajude se você não é nem capaz de escrever sua própria lista de atividades??? Afffff…!!!

    Felizmente, ninguém tinha acordado; tinham todos caído em sono profundo.
    NinnaNPG
    Forasteiro
    NinnaNPG
    Forasteiro

    Mensagens : 1
    Reputação : 0

    Os Aventureires de Arkhór — a Ilha dos Desafios Empty Re: Os Aventureires de Arkhór — a Ilha dos Desafios

    Mensagem por NinnaNPG em Sab Jul 13, 2019 8:53 am

    Longo cabelo amarrado para trás, uma grande mochila nas costas e um brilho de determinação nos olhos, Retha poderia finalmente sair da taverna para conhecer a cidade em sua plenitude. Afinal, desde de que desembarcou na ilha dentro de um baú de tesouro, memória nada agradável, da chegada até o descanso merecido na taverna, Retha não encontrou oportunidade de explorar a cidade enquanto se situava para o desafio.

    Até agora.

    Mesmo esse desafio ameaçado em não iniciar, ela ainda poderia progredi com outros planos na medida do possível. Todavia, não contava com a companhia de um ser peculiar, mas igualmente bem vinda:

    Que? Ah, bom dia Vanessah! ─ Quase era dificil acompanhar a tagarelice da fada, contudo não impossível. Mesmo tocando em alguns pontos, como o Golem ou ter um guardião por causa da minha idade. Embaraçada, continuo: ─ Hey, valeu por me acompanhar. Precisarei sim de alguém como você para ajudar na magia, mas... ─ Tomando mais consciência, tirava a mão que esfregava meu braço e colocava na cintura, reajustando o quadril e franzindo a testa. ─ Pera, é claro que sou capaz de fazer uma lista! Só quero conhecer o local antes de fazer planos. ─ Olhava para o caminho e seguia adiante, confiando em meus instintos para encontrar algumas respostas enquanto captava cada local com à minha vista. ─ Vanessah, já presenciou alguém fazer objetos mágicos?

      Data/hora atual: Sab Jul 20, 2019 2:45 pm