Um fórum de RPG online no formato de PBF (Play by Forum).


    Golu (SP) - Bahamut

    Sailor Paladina
    Tecnocrata
    Sailor Paladina
    Tecnocrata

    Mensagens : 367
    Reputação : 24

    Golu (SP) - Bahamut Empty Golu (SP) - Bahamut

    Mensagem por Sailor Paladina em Qua Ago 14, 2019 12:10 pm

    Epílogo
    Karzek,o centro de todo o mal na terra de Erotika. Piedade e benevolência são sentimentos perigosos de se ter por aqui. Qualquer sinal de fraqueza nesse sentido, fará com que outras pessoas te vejam como potencial escravo. Há quem prefira viver sob a tutela de uma chibata do que ser morto ou torturado por criaturas vis, afinal, antes vivo e humilhado do que servir de comida pra monstro. Mas Karzek também é lugar para os poderosos, gente de coração tão enegrecido que se diverte em ver o sofrimento alheio. Se você não faz parte de um desses dois grupos, com certeza está no lugar errado e próximo de ter uma recepção não muito calorosa. Embora o reino seja lar de muitas criaturas monstruosas que ignoram as leis e enganam os mais tolos, no topo dessa horrenda cadeia alimentar, encontra-se a Imperatriz Kawaii Val, líder máxima da religião de Shadowlady. Sua influência é pesada o suficiente pra garantir que os devotos de Shadowlady sejam respeitados. A Deusa da Morte não aceita os fracos, mentirosos ou quebradores de promessas e como tal, a Imperatriz deseja o mesmo em seus domínios. Quem não a obedece está por conta própria. Dinheiro não tem muito valor nesse reino. Karzek respeita poder e favores. Se você deve, pague. Se alguém te deve, cobre. Se é seu, domine! Se você é escravo, obedeça. A vida em Karzek promove a autopreservação. Importe-se apenas consigo mesmo ou seja pisado por todos.

    Início
    Golu havia chegado ao vilarejo de Karthak havia seis meses. Era um assentamento afastado das grandes cidades, mas ainda influenciado pela sombra maligna do reino. Pequenos terremotos ocorriam com frequência mensal, o que ocasionava a demolição de algumas casas e sua reconstrução pelas mãos dos escravos. O único pároco local, padre Saulot, era ao mesmo tempo uma benção e um martírio de se ter presente, afinal era o único curandeiro disponível em tempos de necessidade, mas sádico, exigia semanalmente que um habitante da vila fosse ao tronco, levar vinte cinco chibatadas em público para apetecer sua Deusa (provavelmente seu sadismo). Ele tinha um escravo (e amante) particular, um meio-elfo de nome Sibil que servia de mensageiro, mas o pobre coitado já apanhava todos os dias e estava sempre com marcas pelo corpo. Golu por ser meio-ogro era o homem mais forte do lugar e por sua presença, inspirou outros habitantes a darem algum futuro para a vila, construindo mais rápido do que os terremotos podiam derrubar. Muito do assentamento inicial era agora apenas o centro de uma vila maior com mais pessoas se mudando pra lá (ou refugiando-se ali). Outras pessoas de destaque eram Giovanni, o mercador de favores e responsável por registrar quem devia a quem no lugar, servindo também como banco e juiz, além de Voldo, o caçador e açougueiro, que junto com seus alunos proviam o alimento da cidade. Como a caravana decidiu ficar no assentamento, Lady Mura voltou com Lillith pra Onduth seu reino natal. Demais companheiros se separaram por motivos diferentes.

    Golu servia como ferreiro e mestre-de-obras local, mas embora fosse um membro respeitado em Karthak, imaginava quando poderia deixar Karzek. Seu coração bom o manteve tanto tempo ali na esperança de mudar a cultura daquela gente, mas parecia ser o trabalho de décadas e com a atual Imperatriz, parecia ser impossível. O meio-ogro terminava de moldar o sino gigante requisitado pelo padre Saulot, afinal o anterior acabou quebrando no último terremoto. Ter um favor daquele homem era bastante vantajoso. Alguém bate a porta de sua ferraria e ao permitir entrada, Golu vê se tratar de Sibil, o pobre meio-elfo escravo de Saulot que vinha lhe trazer uma mensagem de seu dono. Sibil faz uma reverência e diz:
    - Mestre Golu, perdão por incomodá-lo, mas trago-lhe notícias desagradáveis... Os homens que trabalhavam na ponte foram capturados. Mestre Saulot disse que o crescimento da vila estava chamando atenção demais e alertou que isso podia acontecer.

    O elfo tremia de medo. Embora Golu sempre tivesse se mostrado de boa índole pra um meio-ogro, o rapaz era muito covarde e não sabia como Golu reagiria a uma notícia ruim. Allura sempre ao seu lado comenta que era melhor esquecer aquela ponte e descansar. As costas dele ainda ardiam por causa das chibatadas de três dias atrás. Golu se oferecera no lugar de Allura para ir pro tronco. Um meio-ogro de sua constituição suportava muito melhor o castigo do que uma pobre succubus. Um humano normal passaria uma semana em repouso pra ficar como Golu estava já em condições de trabalho.

    Spoiler:
    Padre Saulot, sacerdote de Shadowlady e Sibil, meio-elfo escravo.
    Golu (SP) - Bahamut MUzyrHf
    bahamut
    Cavaleiro Jedi
    bahamut
    Cavaleiro Jedi

    Mensagens : 249
    Reputação : 45

    Golu (SP) - Bahamut Empty Re: Golu (SP) - Bahamut

    Mensagem por bahamut em Qui Ago 15, 2019 12:49 am

    Golu escutou as notícias de Sibil em silêncio. Ele não era muito inteligente para resolver assuntos diversos e sua súcubo sempre o ajudou, por isso deu ouvidos ao que ela disse e depois ponderou. Enquanto ponderava fez um gesto para Sibil entrar.

    Golu: - Sibil entra e bebe água. Senta e espera Golu.

    Golu foi para dentro da ferraria, pedindo para Allura fazer companhia ao convidado até ele voltar. Uma vez lá dentro, Golu mexeu as costas, incomodado com as chibatadas que recebera a três dias e se senta em uma cadeira pensativo. As vidas dos trabalhadores certamente estão em perigo, porém pode ser mais perigoso ir atrás deles, visto que a vila é pacífica e pacata. Por outro lado, quem quer que tenha capturado ou atacado os trabalhadores sabem da vila e podem estar maquinando algo. Golu então toma uma decisão e volta para perto de Allura e Sibil.

    Golu: - Allura, vá ao céu bem alto e procure. Golu acha que Allura verá alguma coisa. Depois vá até o templo, pois Golu e Sibil vão para lá.

    Tendo dito isso, sua escrava acena com a cabeça e sai do estabelecimento, alçando vôo rapidamente. Golu então se vira para Sibil.

    Golu: - Sibil vem com Golu falar com Saulot. Vila pode estar em perigo.

      Data/hora atual: Sab Ago 17, 2019 7:37 pm