Um fórum de RPG online no formato de PBF (Play by Forum).


    No deserto

    Leomar
    Adepto da Virtualidade
    Leomar
    Adepto da Virtualidade

    Mensagens : 1814
    Reputação : 28
    Conquistas :
    • https://i.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/411.png
    • https://i.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1112.png
    • https://i.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/912.png
    • https://i.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/212.png
    • https://i.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1413.png
    Premiações :
    • https://i.servimg.com/u/f89/19/67/13/04/medalh26.png

    No deserto - Página 5 Empty Re: No deserto

    Mensagem por Leomar em Ter Nov 17, 2020 6:58 am

    R.Oc. R.Oc.

    Uma descrição de "possíveis" inimigos não soava nada bem, ainda mais quando não dava para enxergar os mesmos sinais que o centauro enxergava, pelo menos para Ka, já que nem todos ali precisavam se preocupar.

    Além disto não seria possível subir com os animais, ao menos um (o guia) teria de fazer o percurso mais perigoso levando os camelos por baixo, enquanto o resto buscava segurança na parte alta. Fazia parte do trabalho de Enalæki, e além do mais ele também não iria escalar facilmente com seus cascos.

    Azriel é a primeira a querer ajudar, mas pensa em alguma forma mais simples de revirar aquela areia e desenterrar o que tivesse ali de baixo. Usando o pouco de mana ainda disponível ela consegue usar aeroataque direto na areia. Acaba sendo providencial, pois consegue, mesmo que por breves momentos, revelar algumas serpentes brancas que são arrastadas junto com a areia, voltando a se enterrar assim que caem novamente no solo.

    - Então é isto, agora sabemos contra o que lidar!

    Kate também resolve ajudar, o ambiente estava cheio de água, então talvez tivesse mana suficiente para fazer magia, embora nem sempre fonte de água significava fonte de mana de água.

    Concentrando a energia na água misturada aos grãos de areia, era interessante como a energia transmitia a sensação áspera da areia para os dedos de Kate. À medida que buscava usar a energia para empurrar a areia, a energia também mostrava resistência em seu braço, fazendo sentir o peso de areia mesmo sem tocá-la. No fim a energia era como um cabo de uma ferramenta invisível que transmitia a Kate as propriedades do ambiente que tentava modificar.

    Aquilo não era fácil, dava para sentir a água ao redor, o que era fundamental para a magia, mas toda areia misturada complicava tudo, dava para sentir inclusive a água escorrendo pelos grãos, o que tornava o foco em "permanência de forma" ficar ainda mais difícil. No fim Kate conseguia mover apenas pequenas poças por vez, e isto não ia ajudar muito. Velora provavelmente conseguiria realizar o que ela pensou.

    O jeito era ir morro acima. Ainda bem que Vent'Kapo tinha deixado colocar a sela.

    - Então, você consegue levar nós dois lá pra cima?

    - AAaaarr UUUrrrRR!!!

    - Ei! Não precisa ficar ofendidinho!

    Kate segura bem à sela, Vent'Kapo tem oportunidade de fazer jus ao nome, com destreza invejável ele escala sem precisar se esforçar muito.

    Já Ka precisa esforçar um bocado. Não era uma elevação difícil, na verdade era mais alta do que realmente desafiadora. Juntando o peso da carga com o peso da água nas roupas e carga, ele coloca seus músculos à prova. Mas afinal, foi para isto que desenvolveu com dedicação aqueles músculos.

    Enquanto isto Nadhull desfazia a ilusão em que tinha se envolvido, seria mais prático seguir voando e não poderia manter a magia no processo. Enalæki obviamente fica um pouco surpreso (só um pouco, já tinha visto Mortalha usando ilusão parecida) mas não tece maiores comentários. Faz uma expressão como se compreendesse a necessidade do demônio se envolver numa ilusão, e os dois ficam por isto mesmo.

    Com os demais já no caminho, cabe a ele fazer os camelos darem a volta o mais rápido que os animais conseguissem. Graças à experiência e ao cuidado, o centauro evita a maioria das serpentes, mesmo assim dá o azar de enfiar uma das patas num dos ninhos, e acaba sendo picado. Passa a correr para se afastar do local. O veneno em poucos segundos passa fazer efeito, obrigando-o a mancar, ainda assim ele consegue manter os camelos longe dos ninhos de serpente.

    Do alto o resto do grupo não percebe este momento, demoram ainda algumas horas para todos se reencontrar numa parte segura já que o caminho dele era bem maior que o de vocês, só então percebem que o centauro não tinha escapado ileso.

    - Os animais não foram pegos, eu dei um pouco de azar. Mas consigo ainda terminar de levar o grupo até Heséd. - (pausa, considerações) - Qualquer um de vocês, que não chegam a 10@ fatalmente teria morrido, foi bom tê-los mandado pelo caminho alto. Não vai ser a primeira vez que eu serei obrigado andar em três patas. Bem, ainda estou com uma a mais que vocês.

    Passados alguns minutos, o centauro parecia que não ia morrer nas próximas horas, pelo menos; Ka então faz algumas perguntas:

    - Enalæki, o que pode falar mais sobre este local? Sabemos que há uma guerra, vimos anjos fazendo patrulha e as harpias. Será que há algum local maligno que está sendo disputado? Talvez algum ponto que devemos evitar?

    - Falar sobre TUDO que as pessoas DIZEM que existe no deserto vai gastar mais tempo do que demoraremos para chegar a Heséd, quanto ao que evitar, se querem segurança, devem evitar tudo que venha do sul. Na verdade já estamos menos ao norte do que manda a prudência. Ao sul fica o Desfiladeiro Selvagem, "lar" das raças selvagens e um sabe-se-lá que número de demônios. A presença de harpias foi algo inesperado para esta época, este tipo de demônio se aventura mais para o norte normalmente no outono ou inverno. Quanto aos anjos, existe uma pequena presença deles em Heséd, bem pequena... Os anjos normalmente não chegam até Ĵevurá, mas estamos agora mais perto de Heséd do que de Ĵevurá. Aliás, daqui do alto é até capaz de já dar para ver sinais...

    Ele fixa os olhos no horizonte, e aponta:

    - Lá! Conseguem ver a fumaça?

    Novamente com um pouco de esforço, vocês conseguem ver, bem no horizonte, alguns sinais de fumaça. Parecia bem distante ainda.

    - Eu diria que mais meio-dia de caminhada. No final das contas vocês não estão mal. Talvez os deuses gostem de vocês. Ou pelo menos um deles.

    Mesmo mancando, Enalæki conseguia manter um ritmo igual dos camelos, talvez até um pouco maior. Por falar neles, as máscaras negras que usavam terminam de quebrar, e os animais, que antes pareciam imparáveis, agora adquirem um passo "normal" bem mais lento que antes, reclamando algumas paradas para pastar a qualquer sinal de vegetação.

    - Para um grupo sem guia, o ideal seria vocês caminharem até anoitecer. Porém eu posso sugerir que descansem AGORA e nós seguimos noite adentro, aproveitando o tempo frio para andar mais depressa, teremos que andar sob luz de tochas, mas se fizerem isto, poderão economizar três, talvez até quatro horas. Se algum dos alados quiser ir na frente, em linha reta não devem gastar mais do que duas horas, caso precisem anunciar o grupo, ou algo assim. Não vejo sinais de perigo no céu pelos próximos quilômetros.

    Nota: Azriel ficou exausta depois de ter usado magia para afastar/revelar algumas das serpentes, ainda dá conta de andar/voar, mas ficará sem mana nas próximas horas.
    DariusNovadek
    Tecnocrata
    DariusNovadek
    Tecnocrata

    Mensagens : 320
    Reputação : 6

    No deserto - Página 5 Empty Re: No deserto

    Mensagem por DariusNovadek em Qua Nov 18, 2020 11:25 am

    Kate tenta usar a água da chuva para mexer na areia, sem sucesso, mas gosta da experiencia, conseguiu sentir a areia nos seus dedos sem nem mesmo toca-las, tinha certeza que um dia conseguiria realizar aquele feito. As vezes sentia saudade de ser uma wananko. Em outro tempo teria aberto um buraco tão grande que mataria todas as serpentes e o guia deles junto.

    ...


    Depois de se reunirem, o guia passa algumas alternativas, Kate responde.

    - Posso usar o Vent'Kapo pra ir a frente e anunciar nossa chegada, para ja preparar acomodações pra gente.. O que acham? O Vent'Kapo até agora não usou metade de sua velocidade.

    Leomar
    Adepto da Virtualidade
    Leomar
    Adepto da Virtualidade

    Mensagens : 1814
    Reputação : 28
    Conquistas :
    • https://i.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/411.png
    • https://i.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1112.png
    • https://i.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/912.png
    • https://i.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/212.png
    • https://i.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1413.png
    Premiações :
    • https://i.servimg.com/u/f89/19/67/13/04/medalh26.png

    No deserto - Página 5 Empty Re: No deserto

    Mensagem por Leomar em Sex Nov 20, 2020 6:41 am

    - É um animal velho. Seu instinto pode ser bastante útil no deserto, para curtas distâncias seria perfeito, mas não deve aguentar grandes distâncias a galope. Você poderia ser pega pelo anoitecer, embora consiga consiga fazer alguns quilômetros antes.

    Vent'Kapo responde: - 'r'r'r'rooowwwww?
    Pikapool
    Troubleshooter
    Pikapool
    Troubleshooter

    Mensagens : 867
    Reputação : 35

    No deserto - Página 5 Empty Re: No deserto

    Mensagem por Pikapool em Ter Nov 24, 2020 10:01 pm

    A alegria só pode brotar de entre as pessoas que se sentem iguais!
    Tudo ocorrera bem ou quase tudo. Enalæki havia sido vitima das presas das víboras do deserto. Na mesma hora considerei em auxiliá-lo. Mas infelizmente, estava cansada demais para canalizar mais uma magia branca. Talvez Nadhull pudesse ajudá-lo ou mesmo Mortalha que se mostrara uma habilidosa medica. Felizmente, mesmo manquitolando, ele parecia bem.

    Sem mais, apenas me limitei a repousar-me sobre um dos camelos e assim deixá-lo que me levasse até que tivesse energia para prosseguir sozinha. No mais, deixei tudo nas mãos de meus companheiros e de nosso guia.

    Malz a demora. Época de provas.
    DariusNovadek
    Tecnocrata
    DariusNovadek
    Tecnocrata

    Mensagens : 320
    Reputação : 6

    No deserto - Página 5 Empty Re: No deserto

    Mensagem por DariusNovadek em Qua Nov 25, 2020 1:07 pm

    Kate se sente ofendida junto com Vent'Kapo, mas brinca com o mesmo.

    - Ei! Você é um animal velho?? Sempre achei que você estivesse na sua melhor forma! kkk Vamos mostrar pra esse sabichão que você ainda tem muito pra gastar!

    Então vira pro grupo e diz:

    - Pessoal, vou na frente, caso chegue la antes ja vou arrumando lugar para dormir e adiantando nossos serviços. Quero ver o quão rápido Vent'Kapo pode ir. Espero por vocês la.

    Então Kate monta em seu lagarto, e parte em direção a cidade.

    - Vamos Vent'Kapo, quero ver sua velocidade máxima!
    Srta. Moon
    Antediluviano
    Srta. Moon
    Antediluviano

    Mensagens : 4827
    Reputação : 50
    Conquistas :
    • https://i.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/2111.png

    No deserto - Página 5 Empty Re: No deserto

    Mensagem por Srta. Moon em Dom Nov 29, 2020 9:14 am

    Seguia normalmente junto com os camelos, não tinha pressa para chegar a cidade pelo visto iria demorar um pouco, mas a demora não a incomodava, manteve o cusco perto de si para evitar algum acidente bobo.
    Leomar
    Adepto da Virtualidade
    Leomar
    Adepto da Virtualidade

    Mensagens : 1814
    Reputação : 28
    Conquistas :
    • https://i.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/411.png
    • https://i.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1112.png
    • https://i.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/912.png
    • https://i.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/212.png
    • https://i.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1413.png
    Premiações :
    • https://i.servimg.com/u/f89/19/67/13/04/medalh26.png

    No deserto - Página 5 Empty Re: No deserto

    Mensagem por Leomar em Dom Nov 29, 2020 2:08 pm

    Kate parte a galope, resmungando.

    parte da Kate separada:
    - Vamos mostrar pra eles do que somos capazes Vent'!

    Por sorte ela tinha treinado sua flexibilidade (acrobacia) pois a galope Vent'Kapo vai dando pinotes devido as imperfeições do terreno, Kate então tem que ir se ajeitando à sela para não acabar com assaduras na área de lazer.

    De fato o semëk podia correr bastante, mas como alertado ele também se cansava relativamente rápido, pedindo paradas cada vez maiores.

    - Ma'bah! Já está cansado de novo!? Você vai mesmo deixar aquele quadrúpede falar que está velho?

    - 'R'r'r'roooowwwww ssssááááá!!

    - Ei! Não fala assim comigo! Eu sei que você é quadrúpede também, mas mostramos para eles como você é rápido, só falta mostrar como é resistente. Eu sei que consegue, te dei um pedaço especial de costela de kodo antes de sairmos pra você não reclamar, tive quase que pegar escondida do Ka para ele não encher o saco!

    - AAAArrrrr OOONRRRRRRR

    - Para de reclamar vai, você tá é bem gordinho, sei que pode queimar um pouco desta gordura até chegarmos lá, depois eu prometo arrumar outro bifão bem suculento para você. Semëks gostam de maçãs também não é? Dizem que tem muitas em Heséd, pego umas maçãs e cenouras, embrulho com um bifão generoso, que acha amigão?

    - Ooonrrroon aaarrnnn

    - Dez minutinhos e a gente continua então, Hélius Flava já se foi e temos que aproveitar Hélius Blua agora. Olha lá, até Psikê tá brilhando hoje, tudo pra ajudar a gente!

    Mesmo com o esforço de Vent'Kapo, a noite chega antes de chegarem à cidade, mesmo que já dê pra ver seus muros pela parte alta.

    - Falta só descer agora. Pra baixo todo santo ajuda!

    - Rrouuk

    - Reclamar é fácil né! Mas sugerir uma solução nada?

    - Eeeeehhh rrrrr

    - É só deslizar agora e chegamos lá, não tá vendo a cidade lá embaixo?

    - Mrrrmr

    - Mas você é teimoso heim! O chão tá molhado, dá até pra usar como escorregador! - Kate pensa em como usar aquela água, vê seu colar de wibarita já alaranjado (ela normalmente deixava ele escondido pra não perder, mas as fadas tinham achado e colocado no pescoço dela e ela esqueceu de guardar novamente), concentra na mana em volta. - Já sei, posso criar uma camada de gelo com esta água da chuva, vai ficar facinho deslizar até lá embaixo!

    - 'R'r'r'roooowwwww Rrouuk Sssaáááá!!!

    - Não sei porque eu estou discutindo com você! Você é um lagarto e nunca deve ter visto sequer uma pedrinha de gelo neste deserto! Vai até gostar, vai ver. Isto vai dar certo, nem que eu precise transformar o deserto no polo sul.

    Para algo assim Kate ia ter que usar todo seu poder, isto significava usar seus talentos de wanamko. Fazia anos que Kate tinha parado de usar magia sem controle (mentira, vira e mexe ela tentava aprontar algo e acabava dolorida) Mesmo com os protestos de Vent'Kapo ela se concentra no enorme barranco que tem a frente, agacha para colocar as mãos no chão molhado, sente novamente a energia da água e busca toda energia de seu corpo e entorno para criar gelo por cima daquela terra.

    Uma onda de choque vibra em sua coluna, o clássico choque de mana fluindo pelos chacras, quase estourando os canais energéticos. Kate sente a cabeça rodar, enquanto o chão abaixo começa esfriar. Como uma reação em cadeia, a mana vai se espalhando ladeira abaixo, gota-a-gota, de forma bem lenta, mas imparável.

    Kate se agarra à sela de Vent'Kapo enquanto ainda tinha consciência.

    - Eu acho que consegui! - Diz fraca.

    Vent'Kapo ainda não gostava daquela ideia, e não queria ir naquela porcaria que Kate chamou de "gelo", mas suas garras não encontram apoio e de alguma forma o lagarto começa escorregar, com Kate mal jogada em sua sela. O bicho bate as patas, procurando apoio, fazendo as unhas se agarrar no gelo, mas vai sendo puxado pra baixo, até pegar velocidade. Ele faz o possível para se manter em pé, mas são arrastados morro abaixo e acabam rolando.

    Kate perde a consciência.

    Enquanto isto, nenhum dos voadores tinha se prontificado a ajudar seguir na frente. Azriel estava cansadinha, Mortalha não importava em ir devagar, brincava com o cão nas horas vagas (talvez disfarçadamente para ninguém perceber que ela não era a malvadona que parecia), Nadhull preocupava mais com a segurança de Azriel que de Kate e Ka não tinha mesmo o que fazer.

    O grupo acaba aceitando a sugestão de descansar primeiro e caminhar a noite, dada por Enalæki. Obviamente não fariam esta opção em condições normais, mas se estavam pagando um guia, não custava escutar o que ele tinha a dizer. Azriel até aproveita pra tirar um cochilo rápido (Ka e Mortalha talvez aproveitem também). Nadhull mantinha-se em atitude de meditação, baixando com isto levemente suas atividades corporais (batimentos, fluxos energético e cia.) previa que talvez precisasse ficar de guarda a noite e por sorte tinha treinado manter este estado mesmo caminhando.

    Mortalha arruma uma tocha para Ka e o centauro, que no grupo eram os com menor capacidade visual, e acaba que eles não tinham se preparado para tal necessidade (as ferramentas de Ka já pesavam o bastante e acabou sem espaço para levar uma tocha, algo que ele preferia arriscar improvisar para não gastar espaço de outra ferramenta mais útil). Mas como os dois eram também os mais responsáveis por conduzir os camelos (que estavam menos eficientes) Mortalha prefere o incômodo menor. (off: tirei na sorte quem ia perder um coringa de carga.)

    Psikê estava cheia, Ânima crescente, isto fornecia um pouco de luz, como anjos e demônios tinham visão na penumbra, davam para se virar relativamente bem, forçando só um pouco a atenção. A garoa tinha parado, mas o chão ainda tinha várias poças, já que o solo do deserto não tinha a melhor das permeabilidades. A noite a temperatura cai rápido, os animais acabam caminhando mesmo mais rápido, nas primeiras horas pela vantagem de não estarem mais sob o calor infernal, nas próximas para continuar se movimentando para não sentir o frio. O frio também incomodava os demônios.

    A noite é bem curta (Hélius Flava e Hélius Blua nasciam e se punham com algumas horas de diferença, por isto o fim da noite tinha um tom mais azulado, enquanto a alvorada era bem mais clara, depois que Hélius Blua nascesse sua luz se misturava com a de Hélius Flava dando ao meio da manhã um tom levemente amarelado) e vocês conseguem chegar à Heséd uma hora depois de Hélius Flava nascer.

    Como de praxe, Nadhull e Mortalha buscam esconder suas característica debaixo dos mantos para não chamar tanta atenção.

    Algumas impressões aleatórias sobre a cidade, Ka e Nadhull percebem algumas diferenças pois moraram na cidade uns dois anos atrás, as outras duas não conheciam a cidade antes. Uma ou outra impressão pode ser mais importante para um ou outro, mas qualquer personagem pode desconsiderar qualquer uma das que vou colocar aqui, ou pode acrescentar outras, ninguém viu necessariamente as mesmas coisas.

    O muro da cidade está apenas com meio metro fora da areia, o que dá um aspecto de desleixo. Alguém não deveria estar cuidando daquilo? Tirando aquele acúmulo de areia?

    Entre o muro e a cidade propriamente dita ainda tem uma faixa de deserto de algumas centenas de metros, vocês passam por perto do cemitério da cidade que fica nesta parte mais afastada. O cemitério de Heséd nunca foi muito grande, pois boa parte da população prefere cremar seus mortos, mas parece que o cemitério cresceu bastante nos últimos meses. O lugar também tem cara de abandonado, mato por todo canto, alguns enfeites dos túmulos parecem queimados, muitos tem um tom escuro como se tivesse caído muitas cinzas por ali.

    Uma trincheira de madeira, pedra e entulho está ocupando o meio da cidade, de uma ponta a outra de uma avenida. Parte da madeira está pobre, o que faz parecer que aquilo está lá a muito tempo.

    Ka e Nadhull percebem que as macieiras da cidade foram cortadas, antes haviam várias espalhadas em todos os cantos, eram quase uma "atração" de Heséd. As maçãs da cidade eram mais ácidas que de outros lugares, não sendo muito boas para comer (embora para quem não tinha outra coisa pra comer elas eram essenciais, e também tinha que gostasse delas azedas mesmo), mas eram boas para fazer doce, suco, misturar na carne ou salada ou fazer cidra. Inclusive a cidra é/era a bebida mais popular na cidade, ao invés de ir pro buteco beber cerveja as pessoas iam beber cidra, e várias pessoas diferentes da cidade faziam. Agora vocês custam a enxergar uma macieira, se é que conseguem achar uma.

    Ao longo da trincheira várias casas e oficinas tinham sido destruídas, e a faixa de deserto em volta da cidade também parece maior.

    A concentração de mana negra na cidade parece estar mais densa (o que já era de se esperar) e a mana branca parece estar mais fraca, tal como parecia na outra vila, mas ali parecia pior.

    A cidade está com aspecto mais desleixado e pobre, algumas pessoas estavam dentro de casas que mais pareciam ruínas, outros, jogados nas ruas, estendiam as mãos quando vocês passavam perto. (Caso Azriel tenha fobia de ratos ou baratas, prepare-se para ter problemas). Algumas pessoas pareciam não ter força nem para fixar o olhar, andavam como zumbis, parecendo bêbadas ou drogadas.

    Para piorar o aspecto sombrio, em Heséd era também conhecida pelos hemerocales, uma flor amarela da família dos lírios que espalhava por toda a cidade, e agora seu amarelo pode ser visto em apenas metade do que ocupava anteriormente.

    As pessoas andavam armadas nas ruas (bom, isto é normal em qualquer cidade de Fajr-Regno) mas quem podia andava também de armadura, mesmo que de couro. Apesar disto vocês não veem os soldados assim que entram na cidade. Enalæki comenta que nos últimos meses os soldados, tanto de Fajr-Regno como de Gaja pararam de fazer as tradicionais rondas pela cidade para ficarem mais concentrados nos pontos de resistência.

    O comércio também se amontoou. Antes os ambulantes eram realmente ambulantes, andando de um lado para outro, agora parece que todos estão restritos às maiores praças, disputadas centímetro a centímetro.

    A praça do porto, que levava ao porto, estava com várias bandeiras e faixas verdes de tamanhos diversos, indicando que aquela importante parte da cidade caíra no domínio de Gaja. Em lugares separados dava para ver que algumas pessoas estavam trabalhando em sistema de escravidão.

    Enalæki fala:

    - Bem, creio que querem ir direto para a parte sul, onde o exército da Cour des Miracles está, certo? Ou tem alguma parte da cidade que precisam ver antes?
    Dycleal
    Semi-Deus
    Dycleal
    Semi-Deus

    Mensagens : 7456
    Reputação : 151
    Conquistas :
    • https://i.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/311.png
    • https://i.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1112.png
    • https://i.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1011.png
    • https://i.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/811.png
    • https://i.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/212.png
    • https://i.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1811.png
    • https://i.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1413.png
    • https://i.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1611.png
    • https://i.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/712.png
    • https://i.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/612.png
    Premiações :
    • https://i.servimg.com/u/f89/19/67/13/04/medalh14.png

    No deserto - Página 5 Empty Re: No deserto

    Mensagem por Dycleal em Dom Nov 29, 2020 2:34 pm

    Nadhull ouve o guia e diz: - Tem uma gatinhas interessantes na cidade, uma delas é herborista, mas devido as condições da carne e o tempo que temos, digo que é melhor irmos direto para o acampamento do nosso exército!
    Srta. Moon
    Antediluviano
    Srta. Moon
    Antediluviano

    Mensagens : 4827
    Reputação : 50
    Conquistas :
    • https://i.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/2111.png

    No deserto - Página 5 Empty Re: No deserto

    Mensagem por Srta. Moon em Dom Nov 29, 2020 4:27 pm

    Seguiu com os demais novamente prestava atenção no terreno, mas sentia falta do seu oficio, sem contar que sentia falta de dissecar um cadáver, passando pelo cemitério sentiu um alivio estranhamente familiar como se estivesse em casa, naquele mesmo dia aproximou-se mais do ka, sua curiosidade vinha de suas planas a principio indagou mais sobre sua mana, suas manas ainda não sabia se ele tinha mais de uma ou se tinha não se lembrava, era do tipo de pessoa que não reparava nos outros, cada ser vive sua vida da forma que bem entender, e ela não intervinha em nada, não era do seu feitio intervir na vida alheia, no momento só estava curiosa, pois estava a procura de uma em especial, sabia que Terra seria útil , além de Ar e por ultimo água, mas queria descobrir mais sobre a mana da terra essa por sua vez poderia ser usada para regenerar membros perdidos e isso era algo que ela queria estudar.

    No final apenas seguiu junto ao bando com o Cusco, não tinha muito o que fazer em relação aquele lugar, ficou tentada a pegar um pouco da energia do lugar para ver quais efeitos conseguiria produzir em terreno a seu favor.

    OFF: conversar e seguir andando.
    Conteúdo patrocinado


    No deserto - Página 5 Empty Re: No deserto

    Mensagem por Conteúdo patrocinado


      Data/hora atual: Ter Dez 01, 2020 11:59 pm