Um fórum de RPG online no formato de PBF (Play by Forum).


    Protagonista

    Makaveli Killuminati
    Garou de Posto Cinco
    Makaveli Killuminati
    Garou de Posto Cinco

    Mensagens : 2191
    Reputação : 47
    Conquistas :
    • https://i.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/311.png
    • https://i.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1312.png
    • https://i.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1711.png
    • https://i.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1413.png
    Premiações :
    • https://i.servimg.com/u/f89/19/67/13/04/medalh42.png

    Protagonista Empty Protagonista

    Mensagem por Makaveli Killuminati em Seg Out 19, 2020 4:01 am




    Mindblower



    Sobre o Jogador:


    Nome: Isabella (@Bastet)
    Idade: 25
    Assuntos proibidos no jogo: Violência contra animais, violência sexual sem consentimento prévio.



    Dados do Personagem:


    Nome: Madelyn Bennet (Mindblower)
    Idade: 22
    Aniversário: 22/04/1994
    Conceito: Experimento que deu errado
    Personalidade: foi criada para se moldar a diversas situações. Naturalmente, é arisca, desconfiada e antissocial, mas, caso precise, pode interpretar uma pessoa sensual ou inocente. Aprendeu que uma boa sugestão deve começar nos olhos antes de ir pra mente e aplica isso em sua vida nas estradas.
    Aparência: Uma mulher alta e levemente forte. Se não usa seu poder para o contrário, costuma parecer um pouco intimidadora com sua cara de poucos amigos e o sorriso ausente no rosto. Atualmente usa dreads no cabelo e costuma estar com a maquiagem bem forte nos olhos.
    Família: Não se lembra.



    Habilidades:

    Habilidades dos Personagens:
    (Distribua o mesmo valor da idade do personagem)

    Agilidade e Destreza: 1+1
    Carisma: 1+1
    Controle Emocional: 1+0
    Coragem: 1+1
    Empatia: 1+0
    Força e Briga: 1+1
    Manipulação: 1+2
    Inteligência e Raciocínio: 1+1



    Qualidades e Defeitos:

    Qualidades e Defeitos dos Personagens:
    (Escolha até qualidades e três defeitos e os justifique)

    QUALIDADES:


    1. . Persistente - não desiste fácil dos objetivos
    2. . Defende os injustiçados - principalmente se eles são obrigados a fazer coisas por pessoas com mais poder
    3. . Sem frescura - viveu muitos meses em condições bem ruins. Não se sente mal em fazer trabalhos sujos pra ganhar dinheiro, nem de se meter em locais nojentos ou comer coisas nada saudáveis.


    DEFEITOS:


    1. . Desconfiada - dificilmente vai se aproximar das pessoas de verdade. Geralmente, finge essa proximidade pra ganhos próprios.
    2. . Manipuladora - não se sente mal em manipular as pessoas. Só não gosta de o fazer quando é a mando de alguém.
    3. . Anarquista - não acredita nessa sociedade perfeita com políticos e supers perfeitos. Apesar de não ter tido provas, fica com o pé ainda mais atrás perto de figurões no poder.




    Querido diário:

    Habilidades dos Personagens:
    (Complete as frases de acordo com o seu personagem)


    • Eu me sinto mais calmo quando estou em/com: fumando um cigarro ou bebendo em um lugar sem ameaças.
    • Eu me sinto amedrontado quando: me sinto paranóica ou perseguida.
    • Meu melhor amigo é: Amigo? O que é isso?
    • Pessoas com quem me importo: A senhorinha dona do hostel que estou em Omega City. Ela é fofa e faz uma comida deliciosa.
    • Coisas que me assustam: Meus poderes, quando não estou muito bem da cabeça... E os agentes do Instituto. De resto, eu me viro.
    • Meu maior segredo é: Eu sou uma fugitiva...que matou os pais.
    • Eu fico envergonhado quando/com: gente bonita dá em cima de mim e age de forma romântica. Não tive uma adolescência normal, né? Não sei lidar com romance (transar e ir embora é bem mais fácil e prático).
    • Eu fico bravo quando/com: tentam me controlar ou controlar pessoas inofensivas pra ganho de um "bem maior"
    • Eu estou em Omega City pois: A Midnight morreu aqui. Preciso de dinheiro pra mandar consertar.




    Poderes:



    • Sugestão mental: quando encosta nas pessoas, seus olhos brilham em um azul claro e ela cosnegue "sugerir" algo para a pessoa. Por exemplo: sugerir que lhe empreste dinheiro, que faça uma ação simples, que se esqueça que viu ela ali...

    • Implantação de memórias: quando bastante concentrada, consegue vasculhar as memórias que ela tem conhecimento de uma pessoa... E removê-la ou adicionar detalhes que não aconteceram de verdade... Mas a vítima acredita que sim.

    • Escudo mental: ela não faz ideia de como acontece... Mas, às vezes, consegue criar uma barreira energética com a própria mente, que pode a proteger ou diminuir os danos.

      OBS: a principal fraqueza dela, até então, é, muitas vezes, ficar tão imersa em suas manipulações que perde a própria identidade... ou adquire algum medo/mania temporária, vinda da pessoa que manipulou. Além disso, quanto mais difícil ou profunda é a manipulação, mais fraca ela se sente ao realizar.




    Condições:


    (colocadas pela mestra de acordo com a ficha, BG do char e jogo on)



    Background:



    Maddy foi encontrada pelo Instituto Foster quando ainda era bem nova. Ela não tem certeza a idade que tinha, mas não passava dos dez. Nessa época, antes do BOOM dos supers na mídia, os agentes do instituto buscavam crianças com poderes para treinar como uma possível arma a ser vendida.

    Quando a notícia que uma criança foi a única sobrevivente em uma tragédia familiar, esses agentes resolveram verificar. Mãe e pai tinham sido encontrados no apartamento, ambos com evidências concretas de suicídio, enquanto a filha ouvia música. Só depois de horas que ela os encontrou e chamou a polícia.

    Madelyn foi interrogada diversas vezes... E, somente quando falou com as pessoas do Instituto, que se sentiu segura. Eles diziam que estava tudo bem... Mesmo que ela tivesse dito ou feito algo terrível. A jovem confessou que tinha brigado com eles e gritado “Eu queria que vocês morressem”... E, bem, eles morreram. Os agentes a levaram para o instituto, localizado no Canadá, e ficou lá por mais de dez anos de sua vida.

    Não, não foram anos tranquilos. Ela não era uma “arma” mortal, como algumas crianças super fortes que via nas celas perto das suas... Mas seus poderes eram ótimos pra um assassinato silencioso... Ou pra descobrir segredos. Fizeram diversos experimentos com ela e com os poderes dela, que deixaram a menina bastante desconfiada com as pessoas... Principalmente pessoas com armas ou médicos.

    Muitas vezes, ficava tão exausta que nem se lembrava de tudo. Acordava em sua cela, com o nariz sangrando, muita sede... E, às vezes, medos e paranoias terríveis.

    Seu poder, ali dentro, era sua maior sina.
    Precisava sair.

    ***

    Começou a testar todos que conviviam com ela. Como imaginara, os cientistas usavam bloqueadores mentais, que impediam as sugestões dela... Mas alguns funcionários simples não. Como a faxineira noturna, que limpava o corredor durante as madrugadas.

    Precisou de algumas noites até a mulher se aproximar da porta. Maddy conversava com ela, perguntava sobre coisas que geram amizade nas pessoas... E pediu que a mulher lhe trouxesse um terço, visto que claramente era religiosa. A mulher ficou feliz com aquilo e, no turno seguinte, trouxe o presente e colocou na mão de Madelyn, pelo buraco na porta usado para algemar as pessoas antes de um cientista entrar na cela.  

    Com o toque, conseguiu sugerir pequenas coisas para a mulher. Pra ela anotar os horários das rondas... Pra observar o movimento dos guardas... Pra trocar o medicamento por remédios de dor de cabeça.  Coisas que, por ela ir em todos lugares dentro do instituto, não eram difíceis de fazer. A última coisa foi mais arriscada. A chave da cela.
    A faxineira demorou alguns dias até conseguir.  Nesses dias, Maddy usou seus poderes com muita frequência nela, aprendendo como usar sem estar sendo induzida por drogas... Ficando meio pirada com aquilo e deturpando as memórias da faxineira, que nem se quer perguntou o nome.

    Quando conseguiu o que queria, abriu a cela e puxou a mulher pra dentro, colocando na mente dela que ela que devia estar ali... que foi presa por cometer  o pecado da luxúria muitas vezes. Por isso, devia ficar ali, no escuro, e não deixar ninguém a tocar ou entrar na cela. Devia resistir, morder... Fazer tudo pra não verem seu rosto pecador.

    A mulher se deitou e cobriu o rosto, tremendo de medo da punição divina.  A super pegou as roupas dela e fugiu da clínica como se fosse uma empregada qualquer.... Evitando as rondas e os seguranças.

    Estava bem fraca por todo aquele uso dos poderes. Nem se lembrava a última vez que tinha comido, naquela última semana. Só se lembrava de rezar todas as noites e jejuar pelo salvador.  Até carregou o presente que tinha ganho da faxineira, o terço.

    ***

    Após fugir, passou meses na estrada. Não sabe quando descobriram sobre a fuga, no instituto... Mas sabia manipular pra ninguém dizer nada, caso encontrassem com as pessoas que a procuravam. Evitava ficar muito tempo em algum lugar, trabalhando em bares noturnos pra ganhar dinheiro fácil... Apostando. Até em rinhas de supers ela já tinha se metido... E ganho, de forma não muito honesta.

    Com o prêmio de uma dessas, conseguiu comprar uma Kombi velha e transformar numa casa improvisada. Com o carro, começou a descer pelo continente, em busca de ficar o mais longe possível do instituto.

    Sua sorte diminuiu quando chegou em Omega City... E a Midnight, sua Kombi, começou a engasgar... E parou de vez.


      Data/hora atual: Qua Dez 02, 2020 12:39 am