Um fórum de RPG online no formato de PBF (Play by Forum).


    A Escola Izete

    Leomar
    Garou de Posto Cinco
    Leomar
    Garou de Posto Cinco

    Mensagens : 2168
    Reputação : 29
    Conquistas :
    • https://i.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/411.png
    • https://i.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1112.png
    • https://i.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/912.png
    • https://i.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/212.png
    • https://i.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1413.png
    Premiações :
    • https://i.servimg.com/u/f89/19/67/13/04/medalh26.png

    A Escola Izete Empty A Escola Izete

    Mensagem por Leomar Qua Dez 22, 2021 1:30 pm

    Estamos no dia 15 de Serpentário, primeiro dia de Outono, primeiro dia em que Helius Blua ficará no mais tempo no céu do que Helius Flava. Ou seja: começo dos Dias Azuis (ou Noite Azuis, dependendo do seu ponto de vista). Dentro de três ou quatro dias não haverá mais períodos escuros de Heséd, pois uma Helius se levantará no pôr da outra.

    O ano é 1426 jP (Jar-Piro), as malditas Guerras de Reconquista já duram 98 anos, quase um século.

    Quando Andrias se levanta, Helius Flava já estava mandando seus raios com força, quase violência, sobre a cidade. Mesmo assim a noite de sono parecia pouca. O ar parecia carregado de eletricidade, algumas nuvens escuras, ainda espalhadas, podiam ser vistas. Prenúncio de chuva? Meio improvável, já que caíra uma chuva na cidade há dois dias, e nunca chove muito naquela área (estaria Jara feliz ou irritada?). Apesar de que, vez ou outra, quando o local ficava saturado de energia (de qualquer elemento que fosse), nuvens assim também se formavam (e aí não seria bom sinal).

    Spoiler:
    A Escola Izete D_raio10
    Ontem Andrias tinha ido ao sul da cidade, precisava de repor alguns ingredientes em sua casa. A tarefa não chegou ser tão ruim quanto poderia, mas ultimamente era sempre, no mínimo, desagradável ir para o sul.

    Perto de sua casa, do templo, e de onde os Izete estavam ficando Andrias não tinha muitos problemas. As pessoas tinham se acostumado com ele e algumas vezes até o tratavam relativamente com simpatia (esta às vezes conquistada por seus trabalhos como enfermeiro ou medicina, mas tá valendo). Mas apesar de ter cidadania por ter nascido em Fajr-Regno*, Heséd é uma cidade basicamente de humanos. Poucos demônios, centauros ou mesmo híbridos vivem aqui, portanto Andrias se destaca no ambiente. O bairro sul da cidade é conhecido por ser o "bairro dos ajrenses" por ter vários imigrantes (e alguns exilados) de Ajros, e portanto, mesmo antes da gajanos invadirem a cidade, já era um local onde Andrias sentia uma rejeição maior.

    algumas questões sobre cidadãos e ápatres:
    Entre as raças superiores, ou seja: humanos, sirenos, centauros e anjos (fadas, saats, ŝets e outras minorias exóticas podem ser incluídas), todos têm basicamente os mesmos direitos e deveres em Fajr-Regno e na quase maioria dos continentes (pelo menos no papel). Já os demônios (e muitas vezes nem os híbridos) não eram reconhecidos como detentores de direitos nos outros três continentes.

    Para ser considerado uma raça superior é preciso ser racional e ser capaz de viver em uma sociedade complexa (algumas raças são racionais, como homens-lagarto, goblinóides, etc. mas o sociedade deles não é considerada "complexa" para serem chamados de superiores, portanto são chamados de "raças selvagens") tecnicamente os súcubos, íncubos e a maioria dos diabos são raças superiores, embora o preconceitos de outras raças façam muitos considera-los selvagens ou até abaixo das raças selvagens.

    Se bem que nem tudo que é demônio de fato seja raça superior, pois é considerado demônio qualquer coisa que tenha saído dos Círculos Infernais, incluindo bestas demoníacas, que não são racionais. Tem também quem considere mortos-vivos como demônios, pois passariam a ser seres espirituais, e não mais materiais, mas aí o debate é longo e cheio de pontos de vistas.

    Sendo assim, Piro foi o primeiro a reconhecer as maioria dos demônios como raça superior, e portanto digna dos mesmos direitos desde que obedecessem as mesmas leis. Esta cidadania é dada a todo demônio que tem ENCARNADO ou REENCARNADO em Fajr-Regno, bem como demônios ENCARNADOS ou REENCARNADOS em outros continentes mas que jurem respeitar as leis do continente.

    PORÉM, nem todos os demônios ganham este título de "cidadão", e os que não recebem são chamados de ápatres, basicamente não tem direitos alguns e podem até ser caçados sem que isto cause problemas para quem os caça.

    Entre os ápatres estão:
    * raças demoníacas consideradas inferiores, como as bestas demoníacas, os mequetrefes, as harpias, os mortos-vivos (se forem considerados demônios, pois sendo ou não, não possuem direitos algum) os akil, entre outros.
    * demônios TRANSPLANADOS ou TRANSMUTADOS (ou seja, não vieram ao plano material por encarnação ou reencarnação) podem fazer testes para ganhar cidadania, mas até passarem nestes testes são ápatres.
    * demônios que voltem ao plano por ressurreição. Existem muitos dogmas quanto a ressurreição, e Piro é um dos que não a aprova muito.
    * demônios que tenham sido exilados de Fajr-Regno. O exílio é ruim até pra humanos, mas para demônios é pior, pois passam a ser ápatres em qualquer lugar do mundo, e se um cidadão de Fajr-Regno matar um demônio exilado em qualquer lugar do mundo, não será considerado criminoso.
    * demônios que adorem Ades. Piro não exige devoção forçada, assim qualquer raça superior, incluindo os demônios, é livre para adorar qualquer deus ou para não ser devoto de deus nenhum. Tanto que a maioria dos humanos e demônios em Fajr-Regno é ateu (no cenário ateu não necessariamente não acredita que os deuses existam, mas mesmo que acredite que existam, não são devotos de nenhum deles) e ser ateu não tira a cidadania de um demônio, mas adorar a Ades tira. Alguns demônios adoram (ou "devotam" caso alguns façam diferenciação) outros demônios ao invés de algum deus verdadeiro, e isto também pode fazê-los ser considerados ápatres, embora às vezes ocorram "vistas grossas".
    * demônios que cometam heresias graves. Piro não exige devoção, mas também não tolera heresias graves. Porém definir o que é uma "heresia grave" não é algo tão simples, e quase nenhum demônio se torna ápatre por causa disto. Até porque, se alguém for julgado por heresia, mesmo não sendo demônio, normalmente é exilado ou morto. (Um exemplo de heresia grave é ser mercador de escravos, em muitas cidades de Fajr-Regno, matar ou torturar uma pessoa não é tão ruim quanto escraviza-la, embora durante a guerra estes conceitos possam ficar nebulosos).

    Com os gajanos invadindo tanto a parte norte como partes do sul da cidade, demônio e híbridos perderam ainda mais liberdade, pois gajanos não se importam se demônios são ápatres ou cidadãos. Além disto, surgem boatos que alguns anjos estivessem "frequentando" a cidade e outros boatos que alguns estariam até ajudando os invasores. Como dito, Heséd é uma cidade de maioria absoluta de humanos, anjos que realmente morem ali são raríssimos, e se existirem mesmo (Andrias ainda nunca viu um anjo ao vivo) eles ficam no bairro sul.

    Então, quando vai ao bairro sul, ele prefere usar roupas pesadas (sobretudo ou manto) e também um turbante para tentar disfarçar os chifres. Resolvido suas pendencias com os herbanários e boticários, Andrias volta até a base improvisada dos Izete.

    Sua base verdadeira ficava perto do porto, e vocês tiveram que abandoná-la quando os gajanos tomaram o porto. Eles acabaram invadindo a base da Escola Izete também, difícil saber se destruíram tudo ou não. Agora o grupo usa algumas casas no norte da cidade, antes da barricada que foi feita, como base improvisada.

    Como Andrias tinha despertado os dons da água e fogo, trabalhar na Escola Izete era vantajoso para ele, embora no começo tenha sido chamado pela Corrente mais por suas habilidades como enfermeiro mesmo. Estudando com ela e Caolain ele desenvolveu também dons para medicina e magia curativa.

    A Escola Izete Corren10

    A Corrente era uma mulher séria (o que contrastava com o resto dos membros), em dois anos Andrias ainda não sabia qual era a cor dos cabelos dela; Tinha um tom quase sempre "didático", mas não chegava ser antipática; Praticamente não bebia e também comia pouco; Vez ou outra participava de alguma comemoração do grupo, mas não costumava ficar muito tempo. Andrias também nunca ficara sabendo de qualquer "rolo" que ela tivesse, embora quando estivesse conversando com outras mulheres da Izete, não era incomum alguma soltar um comentário mais malicioso sobre algo, e Corrente rebater no mesmo tom, o que mostrava que não era uma religiosa assexuada, apenas muito discreta, e era a única mulher do grupo que nunca recebia comentários maldosos ou cantadas dos demais membros. De NENHUM deles.

    Caoilain era a segunda melhor curacista, e tinha uma personalidade simpática, o que tornava fácil conviver com ela.

    Solazar, Kito, Sibrah e Adrai formavam o grupo dos que tinham fogo como elemento principal. Não havia hostilidade (explicita pelo menos) entre os grupos de elementos diferentes, mas havia uma certa rivalidade (mal) velada. Kito era o mais confiante e meio estouradinho às vezes, se bem que Adrai também gostava de ganhar debates na base da porrada às vezes, já Solazar... bom, na verdade todos do grupo do fogo tinham a personalidade meio difícil (Caoilain os chamava de "cabeça de tocha"). Kito e Sibrah eventualmente chamavam Andrias para "tomar uma cachaça" e até se divertiam um pouco, mas não trocavam tantas ideias quando estavam sóbrios.

    Bræno e Andrias eram os únicos machos que frequentavam aulas de cura, os demais até faziam uma ou outra aula de magia da água (Sibrah e Adrai tinham mais potencial), assim como as mulheres também frequentavam aulas de magia vermelha (Ag'Na e Daânavá eram as com maior potencial entre elas), mas em geral os machos tinham muito menos talento para serem curacistas. E Andrias era o único não-humano da Escola Izete na cidade.

    Era uma escola nova, que foi fundada pouco antes das Guerras de Conquista e Reconquista começarem, e não era grande em Heséd, embora fosse bem grande em cidades como Mahijar e Jaraŝé. Nestas cidades, segundo A Corrente, haviam várias membros sereias na escola (tritões não tem nenhum conhecido, até porque eles se acham bons demais pra este tipo de escola) e até alguns híbridos, que eram minoria na escola, e demônios eram raríssimos, mas haviam histórias, quase lendas, de demônios que frequentaram a Escola Izete).

    Chegando lá, A Corrente fala com Andrias que eles tinham recebido uma novata enquanto ele estava fora, que pediu ajuda para desbloquear suas energias.

    - Pelo que ela diz, trata-se de uma Wanamko*. Ela conseguiu bloquear os próprios canais fazendo uma magia muito alta para seu nível, e além de tudo, inútil! Estes seguidores de Piro** tem uma impressionante vontade de fazer merda! Eu a testei no Elyn*** e até conseguimos ajudar seu fluxo. Estava cética, mas ela arece ter potencial.

    * os wanamki são pessoas que desenvolvem magia de forma, ou tardia, ou sem controle, ou de forma súbita, e normalmente as três coisas, e que por isto podem causar muitos problemas quando despertam o dom, sendo que às vezes podem até se matar ou matar amigos sem querer usando magia.

    ** A Corrente, como professora e religiosa da Izete, se devotava aos dois deuses, e não deixava que heresias fossem faladas sobre nenhum deles. Maaas, ela era antes uma religiosa da Igreja Central, portanto mais devota de Jara que de Piro, e não era incomum entre os membros que adoravam mais à deusa ou mais ao deus darem pequenas alfinetadas uns nos outros, ou até pontuando algumas incoerências de dogmas ou tradições, algo inconcebível entre devotos de Anĝelina ou Tamuz.

    *** Elyn é uma "pia" sagrada, usada por religiosos de Jara, mas às vezes usado também por curacistas (usamos o termo curacista para magos de cura, pra diferenciar de outros tipos de curandeiros ou outros tipos de magos) que não são religiosos, mas usam magia da água. O Elyn de verdade de vocês estava na base que foi tomada, tinha 2mX3m por 1,3m de profundidade e as bordas eram de mármore, um isolante mágico natural. O "Elyn" que vocês estavam usando atualmente não era mais do que uma banheira comum, mas era o que tinha.

    - E onde está esta wanamko cabeça de água?

    - Ela saiu com a Calin e o Breno. Como ela tem um semëk*, foram dar uma volta nele.

    * Semëks são um tipo de lagarto gigante comum naquele local, às vezes usados até como montarias, mas Andrias deve conhecê-los mais no prato.
    Spoiler:
    A Escola Izete Dc7474e37160bb993ded4bcf9a05641d

    - Mm, seria interessante estudar esta Kate quando ela voltar.

    - Sim, os outros gostaram. Não é sempre que temos um bloqueio energético desta proporção para estudar. (pausa longa) E você, o que pretende fazer, por agora?
    Kether
    Garou de Posto Cinco
    Kether
    Garou de Posto Cinco

    Mensagens : 2329
    Reputação : 91
    Conquistas :
    • https://i.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/311.png
    • https://i.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/811.png
    • https://i.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1312.png
    • https://i.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1811.png
    • https://i.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1413.png
    • https://i.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1611.png
    • https://i.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/712.png
    • https://i.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1511.png
    • https://i.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/2111.png
    Premiações :
    • https://i.servimg.com/u/f89/19/67/13/04/medalh26.png
    • https://i.servimg.com/u/f89/19/67/13/04/medalh14.png
    • https://i.servimg.com/u/f89/19/67/13/04/medalh34.png

    A Escola Izete Empty Re: A Escola Izete

    Mensagem por Kether Qua Dez 22, 2021 4:58 pm

    - Pelo que ela diz, trata-se de uma Wanamko. Ela conseguiu bloquear os próprios canais fazendo uma magia muito alta para seu nível, e além de tudo, inútil! Estes seguidores de Piro tem uma impressionante vontade de fazer merda! Eu a testei no Elyn e até conseguimos ajudar seu fluxo. Estava cética, mas ela arece ter potencial.

    - E onde está esta wanamko cabeça de água?

    - Ela saiu com a Calin e o Breno. Como ela tem um semëk*, foram dar uma volta nele.

    - Mm, seria interessante estudar esta Kate quando ela voltar.

    - Sim, os outros gostaram. Não é sempre que temos um bloqueio energético desta proporção para estudar. (pausa longa) E você, o que pretende fazer, por agora?

    ---------------

    Andrias gostava quando A Corrente conversava de forma mais normal, sem estar ensinando algo ou estar lhe passando algum caso para avaliação ou ministrar um tratamento. Por isso ele se deixou relaxar e sorri amistosamente.

    - Eu ia levar alguns legumes e peixes que comprei para o refeitório. E depois iria ver os pacientes mais graves e me apresentar para o trabalho.

    Ele para e olha para a mestra.

    - E Dolfen? Ela está por aqui?

    Era nítido que ele tinha uma queda pela colega, mas apesar de ter ganho um dos seus braceletes dela, não tinha certeza dos sentimentos da jovem. Então ele leva a mão aos cabelos e diz sem jeito.

    - Er... eu queria saber se tem algo que posso fazer para ajudá-la. Acho que ela ia ficar de plantão pela manhã... (pausa e se arruma) Existe uma coisa que eu queria saber da senhora também.

    Ele faz uma pausa a observando e ela acena para que ele perguntasse.

    - Eu sei que os magos possuem afinidade com alguns elementos, por isso eles conseguem fazer as magias. Mas como um curacista e um mago de água e fogo como muitos aqui. Queria saber se eu conseguiria aprender a manipular outras energias. Principalmente a terra. Mestre Heitor consegue reconstruir ossos! E eu queria poder fazer algo assim um dia. Já tenho pensado em como usar o fogo para ajudar nas cirurgias mágicas mas queria poder fazer mais. Por isso gosto tanto de estudar como são os corpos, sua anatomia, como funciona. Para poder ajudar na cura. Mas ossos! Não consigo recuperar eles! Existe algo que poderia ser feito para que eu pudesse aprender esse caminho?

    Leomar
    Garou de Posto Cinco
    Leomar
    Garou de Posto Cinco

    Mensagens : 2168
    Reputação : 29
    Conquistas :
    • https://i.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/411.png
    • https://i.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1112.png
    • https://i.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/912.png
    • https://i.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/212.png
    • https://i.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1413.png
    Premiações :
    • https://i.servimg.com/u/f89/19/67/13/04/medalh26.png

    A Escola Izete Empty Re: A Escola Izete

    Mensagem por Leomar Qua Dez 22, 2021 7:01 pm

    - E Dolfen? Ela está por aqui?

    - Ela tinha saído cedo, eu pedi para ela aproveitar e ver se achava algumas olhilindáceas (tipo de flor medicinal), e não sei se ela já voltou. Mas Daânavá deve saber se ela está ou não por perto. Se não achar nenhuma das duas, tenho certeza que Ahana está na biblioteca.

    (...) - Eu sei que os magos possuem afinidade com alguns elementos, por isso eles conseguem fazer as magias. Mas como um curacista e um mago de água e fogo como muitos aqui. Queria saber se eu conseguiria aprender a manipular outras energias. Principalmente a terra. Mestre Heitor consegue reconstruir ossos! E eu queria poder fazer algo assim um dia. Já tenho pensado em como usar o fogo para ajudar nas cirurgias mágicas mas queria poder fazer mais. Por isso gosto tanto de estudar como são os corpos, sua anatomia, como funciona. Para poder ajudar na cura. Mas ossos! Não consigo recuperar eles! Existe algo que poderia ser feito para que eu pudesse aprender esse caminho?

    A Corrente dá uma pequena risada:

    - Ah! Jovens! Qual será o momento exato em que vocês se tornam adultos e deixam de querer abraçar o mundo?...

    Depois de um breve devaneio, A Corrente volta a seu habitual tom de professora:

    - Você sabe que nós, magos duais, já somos basicamente uma "maravilha da natureza", não sabe?

    Andrias afirma com a cabeça, já imaginando o resto da resposta, mas A Corrente sempre tinha uma didática impecável.

    - Portanto, magos trinos são ainda mais raros. E tornar-se um mago trino depois dos 20 é coisa para os wanamki. Se quiser algo assim, quem sabe a novata Kate possa te ajudar!

    - A senhora acha então que devo pedir conselhos a ela?

    - Claro! A Escola Izete 1f604 Que não né! A Escola Izete 1f620 Já parou para pensar nas consequências? - Até a Corrente tinha estas tiradas de humor duvidoso às vezes - Primeiro que os wanamki não são dotados de bênção, e sim maldição. Mesmo que a magia deles seja mais forte, ela em geral é menos canalizável. E não é isto que magos de verdade querem, não é mesmo?

    Além disto, qual vantagem de ser uma mago trino, se o número de elementos não é proporcional à força?


    Isto era verdade, as pessoas, em especial os quietos, romantizavam muito os magos duais e trinos, mas magos duais ganhavam na versatilidade, não no poder. Um mago vermelho ou um mago azul consegui dominar magias com a metade do tempo ou menos que Andrias que era rubro-celeste. Um mago azul, e em especial uma maga azul, consegue fazer curas mais fortes com menos força que Andrias faria. Porém ele conseguia desenvolver um número maior de magias que os exemplos anteriores.

    - Você tem muito potencial para crescer, mas bem possivelmente nunca crescerá mais do que a Caoilain ainda crescerá. Ainda assim Caoilain dificilmente conseguirá fazer bolas de fogo como você faz. Ela ainda não é capaz de aquecer a água de uma banheira com magia, e você já é, não é verdade? Sendo assim, você nunca deve desistir de tentar fazer sempre mais, mas deve tomar cuidado para não se deixar cegar por isto. Lembre-se de Piro!

    Isto era uma referência a quando Piro praticamente destruiu o mundo em suas experiências com magia, e se arrependeu depois.

    - Nem mesmo todos os magos verdes são bons a ponto de regenerar músculos. Portanto mesmo seu mestre era um prodígio no próprio elemento dele.

    Andrias dá uma desanimada.

    - Você sabe algo sobre o "fator 90-10?"

    A Corrente frequentemente testava seus pupilos mesmo em questões cotidianas. (fiz um R.Oc, aqui deu 10,10 ainda bem que não era algo perigoso)

    - Nunca ouvi falar.

    - Nunca leu A Inimortalidade?

    A Inimortalidade é um dos livros mais polêmicos (se é que tem outros no mesmo nível), escrito por Piro em boa parte e por seus seguidores no resto. Para se ter uma ideia, depois que Piro escreveu este livro, Tamuz acirrou ainda mais o ódio que tinha do primo, e considera o livro como heresia. Pelas leis de Tamuz, o fato de alguém ler o livro já pode ser motivo de morte. Anĝelina também se decepcionou com o filho, e considera o livro heresia, não digno de morte, mas passível até de exílio dependendo do julgamento. Jara não considera o livro em si anátema, mas diz que, se alguém for lê-lo, deve fazer com "total e extrema ponderação", e além disto só pode ler o livro original, em Tareno que foi o idioma que Piro usou, para Jara toda e qualquer tradução da Inimortalidade é anátema, assim como todo resumo, citação parcial ou o que valha. Entre outras "coisinhas" o livro sugere que os deuses são menos onipotentes e menos oniscientes do que normalmente a massa imagina (se bem que em Akaŝa o conceito de onisciência nunca foi absoluto-absoluto).

    - Bem... É um conceito sobre a Prana. Um resumo muito grosso é que, basicamente a Prana pode ser compreendida, com muito estudo e sabedoria, em até 90% dos casos, mas sempre haverá 10% que ela simplesmente não agirá como se espera, e ninguém pode compreender estes 10% (ela baixa a voz) Nem mesmo os deuses. (voz normal) Piro diz que isto é "Asafobkabidas, Kabidasbasafo".

    Andrias entende que "Asafobkabidas, Kabidasbasafo" quer dizer "sete em treze, treze em sete" e que era algo ligado à numerologia, mas não entende a essência de pronto.

    - Portanto, nem sempre devemos perguntar se algo "é possível", pois das formas mais estranhas, normalmente é. Devemos sim perguntar se algo "deve ser feito" ou se "vale o esforço?".

    No caso de desenvolver um terceiro dom, independente do esforço, o que poderia acontecer? Vejo pelo menos duas possibilidades: a primeira é que, para chegar no ponto que você deseja, primeiro teria que treinar sua magia de água até o infinito; Depois treinar sua magia de fogo até metade do infinito; Então treinar a magia de terra até um quarto de infinito, aí então TALVEZ conseguisse regenerar membros como alguns magos verdes fazem.

    A segunda possibilidade é que, ao busca a magia de terra, você pode até achar, mas perderia um dos outros dons que a natureza te deu. Eu, pessoalmente, não quero nenhuma das duas opções para mim. Você acha que vale o esforço?
    Kether
    Garou de Posto Cinco
    Kether
    Garou de Posto Cinco

    Mensagens : 2329
    Reputação : 91
    Conquistas :
    • https://i.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/311.png
    • https://i.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/811.png
    • https://i.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1312.png
    • https://i.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1811.png
    • https://i.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1413.png
    • https://i.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1611.png
    • https://i.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/712.png
    • https://i.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1511.png
    • https://i.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/2111.png
    Premiações :
    • https://i.servimg.com/u/f89/19/67/13/04/medalh26.png
    • https://i.servimg.com/u/f89/19/67/13/04/medalh14.png
    • https://i.servimg.com/u/f89/19/67/13/04/medalh34.png

    A Escola Izete Empty Re: A Escola Izete

    Mensagem por Kether Seg Dez 27, 2021 10:36 am

    O jovem mestiço, balança a cabeça afirmativamente mas refletindo tentando assimilar mais aquele ensinamento. Ele fica quieto por uns instantes.

    - Compreendo mestra. Mas como podemos ser curandistas melhores se não procurarmos formas de curar melhores, mais eficientes ou ainda, de maior amplitude? Eu compreendo que sem a magia de terra não conseguimos reconstruir ossos e partes do corpo. Eu fico um pouco frustrado por não conseguir fazer isso.

    Andrias ouve a conjectura da troca ou perda de um dom para desenvolvimento de um outro.

    - Não gostaria de perder as heranças de meus pais. Mas estou pensando em formas de utilizar a água no tratamento prolongado e acompanhado. Mas criar um poço para imersão completa seria complicado e custoso demais. Acredito que se pudéssemos criar a água ao redor dor paciente e aplicando a pressão necessária ela iria ajudar no tratamento.
    Leomar
    Garou de Posto Cinco
    Leomar
    Garou de Posto Cinco

    Mensagens : 2168
    Reputação : 29
    Conquistas :
    • https://i.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/411.png
    • https://i.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1112.png
    • https://i.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/912.png
    • https://i.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/212.png
    • https://i.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1413.png
    Premiações :
    • https://i.servimg.com/u/f89/19/67/13/04/medalh26.png

    A Escola Izete Empty Re: A Escola Izete

    Mensagem por Leomar Seg Dez 27, 2021 6:36 pm

    A Corrente dá um leve sorriso, nada reprovador, mas a impressão que Andrias tem é que só pessoas com mais experiências poderiam fazer tal expressão.

    - A Água já é o maior elemento de cura, e ainda que mais amplitude? Não acha justo deixar pelo menos um pouquinho de capacidade para os magos da terra também?

    Entre dominantes de ar e dominantes de água existe uma disputa para ver quem é melhor (assim como existe uma disputa entre devotos das devidas deusas-mães), então obviavamente um dominante de ar diria que o ar é que é o elemento com maior poder de cura.

    A magia curadora da água age mais diretamente na maioria da glândulas e órgãos ligados aos principais chacras: testículos, ovários, rins (e supra renais, mas vocês encaram tudo junto), estômago e pâncreas, também o fígado, embora este muitos discutam se é órgão ou glândula, portanto pelo menos os quatro chacras inferiores, dos sete principais, são de domínio mais imediatos da água. O ar fico com os dois último, que são considerados os mais superiores nos dois sentidos da palavras. O quinto chacras, da garganta, é meio que um "ponto de encontro" de todos os elementos. Estes domínios primários não são o último limite da magia, pois a magia do ar pode agir nos quatro chacras inferiores, assim como da água pode agir nos dois superiores, mas com menor "eficiência".

    Entre as magias de cura mais difíceis da água, Andrias sabe que uma delas é restaurar o coração. Um coração perfurado tem poucos segundos para ser regenerado e a quantidade de energia gasta tem que ser muito alta para ele voltar a ficar perfeito. Passados alguns minutos uma cura parcial ainda pode ser feita. E antes que algum chato venha comentar "ah, mas o coração é um músculo, então devia ser magia de terra, blablablabla..." isto é coisa da Prana, quem faz as regras é ela, não eu...

    Mas os setes chacras principais não são os únicos pontos de energia do corpo, existem pelo menos mais 23 chacras medianos e os chacras menores podem passar de 100 (alguns especulam até 2000 chacras menores, outros especulam que abaixo dos menores existiriam sub-chacras, mas vc ainda não está neste nível de especialização) então especula-se (sim, em magia muitas opiniões não são unanimidade, então tem muita especulação) que, enquanto a água e o ar agem mais diretamente nos chacras principais, a terra age nos medianos e menores. Já os elementos de fogo e magia negra não possuem nenhuma magia de cura (embora alguns magos rubros possam especular isto também).

    - Antes de desanimar, amplie sua canalização da água até onde conseguir. Depois disto... Só os deuses sabem!

    - Não gostaria de perder as heranças de meus pais. Mas estou pensando em formas de utilizar a água no tratamento prolongado e acompanhado. Mas criar um poço para imersão completa seria complicado e custoso demais. Acredito que se pudéssemos criar a água ao redor dos paciente e aplicando a pressão necessária ela iria ajudar no tratamento.

    - Sim, podemos. - pela reação imediata dela, a ideia da Andrias não devia ser nada tão original quanto ele pensou - Claro que é mais fácil fazer isto em um Elyn, mas mesmo cuidando de um paciente no seco, o que fazemos é basicamente envolver a área trabalhada com uma fina camada de magia, que obviamente já é água, mas em estado mágico, e que então manipulamos para criar o efeito de cura. Mas claro que você sabe disto e seu comentário foi sobre um efeito maior do que esta fina camada, porém tudo não passa de questão de volume. Se conseguir manipular um grande volume de mana, você pode criar seu próprio Elyn invisível. (pausa longa, como Andrias não interrompe, ela finaliza: ) - Não é o meio ou a técnica que importa, e sim a capacidade do mago. Seja dentro de um Elyn, no seco, ou naquela banheira que estamos usando, no final o que conta é quem conduz... E até um pouco de quem é conduzido também.

    Enquanto Andrias digere, A Corrente observa o céu.

    - Mm... As nuvens estão se fechando...

    - Também tinha observado mais cedo. Seria um sinal de Jara, Mestra?

    - Talvez não. Mas se você ia procurar a Dolfen ou a Daânavá, aproveite e, se vir a Cerenis', diga para ela vir me encontrar.

    Entre pessoas mais simplórias, camponeses, artesãos, era comum muitos acharem que qualquer sinal de chuva, vendaval, coisas que os valham ou falta deles, eram "sinais" de Jara. A Corrente não tinha muita paciência por quem pensava assim, portanto, só o fato dela não ter criticado o comentário de Andrias (desta vez) o faz crer que aquilo poderia não ser realmente algo bom. Cerenis' era a segunda pessoa mais velha ali, e, como A Corrente, bem devota de Jara. Quando A Corrente queria aconselhar-se sobre algo mais místico, ela se reunia com Cerenis'.
    Leomar
    Garou de Posto Cinco
    Leomar
    Garou de Posto Cinco

    Mensagens : 2168
    Reputação : 29
    Conquistas :
    • https://i.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/411.png
    • https://i.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1112.png
    • https://i.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/912.png
    • https://i.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/212.png
    • https://i.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1413.png
    Premiações :
    • https://i.servimg.com/u/f89/19/67/13/04/medalh26.png

    A Escola Izete Empty Re: A Escola Izete

    Mensagem por Leomar Dom Jan 02, 2022 12:01 pm

    A Escola Izete Izete11

    Situando: o porto da cidade está mais ao norte, e perto do porto era onde ficava a base da Escola Izete. Com a guerra, os moradores criaram uma barricada (marcada no mapa como B) para impedir os inimigos avançassem ainda mais pela cidade, e o grupo Izete teve que se instalar ao sul desta barricada.

    Esta parte abaixo da barricada está toda meio destruída, paredes e tetos queimados foram "remendados" com tábuas e palha, a cada 4 casas 1 foi destruída ou saqueada, e famílias que perderam tudo se instalaram nestas casas.

    Vocês da Escola Izete estão instalados nas construções marcadas de 1 a 4, são casas simples que A Corrente já possuía (ou estava em poder dela administrar) antes da invasão dos gajanos. A única indicação de que o grupo está ali é uma bandeira discreta na parede da casa 2.

    A Escola Izete Gota_c10

    Às vezes os Izete são chamados de "gota-chama" por conta desta bandeira. Mas mesmo entre os vizinhos de vocês ali a maioria não sabe quem vocês são, muitos nunca ouviram falar da Escola Izete pois não são influentes na cidade. Outros até sabem que tem "um grupo de religiosos" ali, e que até prestam pequenas ajudas à comunidade, mas em geral a população não vê muita diferença entre um grupo religioso e outro, podendo até ser beneficiados por vocês (como atendimentos de cura), mas sem darem muita importância por isto; Boa parte da humanidade é ingrata.

    Em 1 fica um grande galpão, onde A Corrente costuma dar suas aulas de cura, com uma banheira servindo de Elyn e de resto é só galpão mesmo.

    Em 2 vocês usam como sede, tendo levado o que deu pra pegar de importante da verdadeira sede (livros, objetos religiosos, ferramentas, caixas que A Corrente ainda não abriu...) então a parte de escola propriamente dita fica ali, junto com um quarto que a Leyly divide com a Ahana.

    Em 3 ficaram "hospedados" o pessoal que tem o fogo como elemento primário. Nem todos do grupo Izete ficam no complexo, Andrias mesmo é um dos que tem sua casinha à parte; Bræno, apesar de ser primário na água e não no fogo, às vezes divide um quarto com Kito e Solazar, mas em geral ele dorme fora do complexo; Ag'na e Daânavá são das poucas mulheres que dormem em 3

    E em 4 ficam as mulheres com dom principal em água: Caoilain, Cerenis', Fiona... A Dolfen é uma das que também não dormem no complexo. A Corrente também poucos sabem onde ela dorme, e se é que dorme, algumas vezes ela prepara uma cama no galpão mesmo, ou num canto da sede 2, às vezes fica com alguma das outras mulheres, às vezes some...

    Além deste grupo principal, existem outras pessoas envolvidas com os Izete na cidade que não ficam tão juntos de vocês. Podemos dizer que este grupo principal de vocês são os que procuraram a Escola Izete mais para aprender magia mesmo (alguns de vocês são mais religiosos, mas nem todos), mas existem outros que trabalham com ou para Izete por motivos de comércio, políticos ou religiosos, outros que também querem aprender magia mas não são duais, ou tem um dom muito menor que de vocês, ou não se enquadram na filosofia e só pagam mesmo para aprender uma coisa ou outra, outros que frequentam o grupo por alguma gratidão... Enfim: os interesses podem ser bem diversos. Andrias mesmo tem um instrutor de magia de fogo, Marlok, que faz parte dos Izete mas prefere trabalhar mais isolado do grupo principal. Marlok prefere receber suas aulas em dinheiro (ou em comida) e negociar diretamente com o interessado, mas quando é preciso ele instrui alguém a mando da escola.

    Como dito, estes 4 grupos de construção que forma o complexo improvisado onde estão, são construções bem simples, mas estão em estado menos ruim que outras ao redor. Na parte marcada com F as casas tem ainda maior cara de favela, tudo mal conservado, com pessoas que vivem de bicos e de esmolas, 99% delas analfabetas e o cheiro de detritos no local é bem desagradável, ainda que tenham pessoas que trabalham exclusivamente para juntar estes detritos em carroças e jogar na baia (um trabalhinho bem ruim, é verdade, mas alguém tem que fazer).

    A baia ao norte está ainda longe do porto, esta parte que se vê no mapa está longe da parte, digamos, "nobre" do mar, pois tem muito pouca profundidade. Só canoas chegam ali, sendo assim os grandes navios de comerciantes não chegam naquela área (a única vantagem é que os navios de guerra também não chegam). Dá para pescar ali, mas a quantidade e qualidade dos peixes não impressiona, e a concorrência é grande, pois muitos dos miseráveis da região vão lá com suas varas pois praticamente só tem o que pescam pra defender seu almoço.

    Grudado à barricada, em E fica parte do exército da cidade. Em C temos duas ruas onde comerciantes e artesões ainda conseguiram manter suas oficinas/lojas. Como o complexo de vocês, aquela parte está um pouco menos decadente, mas ainda são oficinas bem simples.




    Andrias e A Corrente estão no galpão 1, se estiver em dúvidas sobre quem do grupo pode encontrar nas proximidades, faz o seguinte: pode escolher um dos pontos e rolar 1d4 e 1d8, então segue as tabelas:

    No ponto 2:
    D4:
    1 ou 2 - Cerenis' - ela estava lendo alguns de seus cadernos que ela quase nunca larga, notas de administração, provavelmente.
    3 - Daânavá - estava numa mesa, com alguns artefatos, fazendo um exercício de percepção mágica, mas parecia entediada e não vai achar ruim de ser interrompida.
    4 - Dolfen - estava só lá de bobeira.

    D8:
    1 - Kito - estava numa mesa, com alguns artefatos, fazendo um exercício de percepção mágica.
    2 - Fiona - estava arrumando alguns livros lá dentro, no momento que você chega ela tinha parado pra ler algo.
    3 - Ag'Na - estava arrumando algumas coisas lá a pedido da Cerenis'
    4 - Solazar - estava procurando o Kito.
    5 - Sibrah - estava fofocando com a pessoa que saiu no D4, quando você chega as outras calam.
    6 - Leyly - estava ali lendo alguma coisa.
    7 e 8 - Ahana - estava procurando Bræno, ela estava com um saco de alguma coisa que tinha comprado, pelo jeito queria ajuda pra carregar ou só queria mostrar pra ele mesmo o que comprou.

    No ponto 3:
    D4:
    1 - Cerenis' e Solazar - ela estava criticando ele por algum motivo, baixam as vozes quando você aparece, mas dava pra ver que estavam com ânimos exaltados.
    2 - Dolfen - estava procurando Sibrah para beber.
    3 - Daânavá - estava procurando a Dolfen.
    4 - Ag'Na - estava procurando a Caoilain, pois estava com dor de estômago e queria um remédio.

    D8:
    1 - Kito - estava no quarto, olhando pro tempo
    2 - Sibrah - estava na cama, apesar do dia já ir claro, tinha bebido demais e estava com ressaca.
    3 - Solazar - caso não tenha tirado 1 no D4, ele só está lá, mexendo nas coisas dele, com cara de quem estava chateado com algo, se tirou 1 então estão só os dois ali mesmo.
    4 - Adrai - estava evocando um mantra (típico de dominantes de fogo, você também conhecia), provavelmente tentando decorar, ou só treinando mesmo.
    5 e 6 - não tem mais ninguém ali (fora a pessoa do D4)
    7 - Ahana - estava acompanhada de um(a) comerciante que às vezes passava alguma informação para Izete, alguém que Andrias já tinha visto por ali mas não conhecia, eles estavam atrás do Kito
    8 - Bruno - não fazia parte do grupo de vocês, mas era irmão de Bræno e estava procurando por ele. Tinha mais pinta de "mauricinho" que o irmão, embora não fosse tão bonito (se é que Andrias acha Bræno bonito), ele vai perguntar pro Andrias se tem qualquer ideia de onde o irmão possa estar, pois deste manhã está procurando ele, etc.

    No ponto 4:
    D4:
    1 - Cerenis' - estava conversando com a Fiona.
    2 - Cerenis' - estava conversando com a Leyly.
    3 - Ahana - estava procurando Dolfen para ver se ela já comprou as olhilindáceas que A Corrente pediu.
    4 - Adrai - estava procurando Ag'Na pra ver se queria tomar umas.

    B8:
    1 - Ag'Na - estava conversando com a Daânavá. Se tirou 4 no D4 as duas estavam pensando se acompanhavam ou não Adrai, a Daânavá não parecia muito afim.
    2 - Dolfen - Se tirou 3 no D4 a Ahana está arrastando a amiga pra fora, caso contrário a Dolfen tá só de bobeira.
    3 - Solazar, Kito e Sibrah - estavam procurando Caoilain ou Cerenis' pois os três estavam com dor de estômago.
    4 ou 6 - Daânavá - Andrias apenas ouve a voz dela em um dos quartos, parece que ela estava ocupada com algum homem...
    5 ou 8 - Fiona e Leyly - estão vendo e provando algumas roupas do alfaiate local, tem um biombo no quarto, então elas não incomodam com Andrias, mas ele tem que ficar na porta, se tirou 1 ou 2 no D4 Cerenis' estava junto delas.
    7 - Kito - estava "alugando" a Dolfen.

    No ponto C:
    D4:
    1 - Cerenis' - Andrias tinha encontrado Kito que disse que Cerenis' devia estar no ponto C comprando algo, e ela estava mesmo.
    2 ou 3 - Leyly - como você, ela estava procurando Cerenis' para A Corrente, mas pelo jeito ela não estava no complexo, então Leyly aproveita para pedir pra você acompanha-la até o ponto F, pois ela deveria estar lá, e seria bom ir acompanhada de um demônio forte para que ninguém mexesse com ela.
    4 - Dolfen - estava comprando um licor, ele diz que te dá um golinho se não contar pra ninguém, pois estava devendo grana pra Cerenis' e não pagou, portanto não queria que soubessem que estava gastando com bebida, ainda mais que não parecia das mais baratas.

    D8:
    1 - Kito - estava levando as botas pro sapateiro arrumar
    2 - Adrai - estava ali
    3 - Ahana - tinha ido no alfaiate arrumar um vestido, e comprando outro.
    4 - Daânavá - tinha ido levar suas médias (conjunto de duas lâminas que são pequenas demais pra ser chamadas de espadas e grandes demais pra ser chamadas de facas) para o ferreiro afiar.
    5 - Solazar - estava vendo uns instrumentos musicais, você nem sabia que ele tocava algo.
    6 - Ag'Na - estava no alfaiate vendo uma saia. Andrias fica um pouco curioso, pois não a viu de saia ainda, ela prefere calça de couro.
    7 - Sibrah - estava tomando cachaça.
    8 - Fiona - estava numa loja qualquer, um homem que Andrias nunca viu no grupo estava segurando a mão dela.
    Kether
    Garou de Posto Cinco
    Kether
    Garou de Posto Cinco

    Mensagens : 2329
    Reputação : 91
    Conquistas :
    • https://i.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/311.png
    • https://i.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/811.png
    • https://i.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1312.png
    • https://i.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1811.png
    • https://i.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1413.png
    • https://i.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1611.png
    • https://i.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/712.png
    • https://i.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1511.png
    • https://i.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/2111.png
    Premiações :
    • https://i.servimg.com/u/f89/19/67/13/04/medalh26.png
    • https://i.servimg.com/u/f89/19/67/13/04/medalh14.png
    • https://i.servimg.com/u/f89/19/67/13/04/medalh34.png

    A Escola Izete Empty Re: A Escola Izete

    Mensagem por Kether Seg Jan 03, 2022 12:18 pm

    Andrias se despede com um aceno de cabeça de A Corrente, e segue para a casa que serve de sede para a Escola de Izete. Afinal lá deveria encontrar a maior parte das pessoas com quem poderia falar sobre tarefas ou mesmo entregar os suprimentos que trazia.

    Chegando lá ele encontra Cerenis' e Fiona. A devota de Jara estava sentada aparentemente repassando algumas de suas anotações pessoais enquanto Fiona estava próxima de uma das estantes de prateleiras cheias. Andrias reparou que haviam algumas caixas próximas a ela e deduz que ela estivesse arrumando uma parte do acervo.

    Ele vai se aproximando das mulheres e fala:

    - Bom dia! Que a Senhora da Vida nos traga sabedoria, saúde e equilíbrio! É um prazer encontrá-las. Cerenis', perdão por atrapalhar sua leitura. Mas A Corrente pediu caso a encontrasse, que lhe informasse que ela deseja encontrá-la.

    Ele observa a mulher que apesar da idade mais avançada como a de A Corrente, também mantinha sua sensualidade o que era natural para as seguidoras de Jara. Ele continua entrando na nova sede e fala para Fiona.

    - Fiona, como vai? Se puder me ajudar com estes peixes frescos e outros mantimentos eu posso ajudar com a arrumação dos livros nas estantes. Queria levar estes alimentos frescos para que os cozinheiros faça uma refeição mais fresca para todos hoje. Gostaria de levá-los rapidamente já que nuvens pesadas estão se formando e o céu já está fechando.

    Ele para próximo a Fiona, mas termina de falar olhando para Cerenis' para tentar perceber alguma reação dela a questão do clima.

    - A Corrente parecia preocupada enquanto observava o céu, Cerenis'. - conclui dando um ponto de urgencia no recado da líder da Escola.
    Leomar
    Garou de Posto Cinco
    Leomar
    Garou de Posto Cinco

    Mensagens : 2168
    Reputação : 29
    Conquistas :
    • https://i.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/411.png
    • https://i.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1112.png
    • https://i.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/912.png
    • https://i.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/212.png
    • https://i.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1413.png
    Premiações :
    • https://i.servimg.com/u/f89/19/67/13/04/medalh26.png

    A Escola Izete Empty Re: A Escola Izete

    Mensagem por Leomar Seg Jan 03, 2022 3:47 pm

    - Bom dia! Que a Senhora da Vida nos traga sabedoria, saúde e equilíbrio! É um prazer encontrá-las. Cerenis', perdão por atrapalhar sua leitura. Mas A Corrente pediu caso a encontrasse, que lhe informasse que ela deseja encontrá-la.

    - Ahn?... Hein?... Oi?... - Ela leva os dedos até os olhos, apertando-os, como alguém que estava com a vista cansada pela leitura. - Ah, oi Andrias! - Ela não deve nem ter escutado sua saudação pois estava concentrada nas anotações. - Que te sejam pesados o sangue e as lágrimas!

    Embora parecesse uma saudação bem pesada (no pior sentido), este era um cumprimento típico dos Izete (embora não dos mais usados): o sangue simboliza o fogo e as lágrimas obviamente as águas. Pedir para eles serem pesados (no sentido próprio da palavra desta vez) representa uma das poucas coisas das quais Piro e Jara são igualmente reconhecidos: seus sensos de justiça. Esta saudação não era uma bênção, pois bênção é (normalmente) desejo que algum deus facilite alguma coisa, e neste caso não se pede facilidade, mas que os esforços sejam reconhecidos ao rigor da justiça.

    - Fiona, como vai? Se puder me ajudar com estes peixes frescos e outros mantimentos eu posso ajudar com a arrumação dos livros nas estantes. Queria levar estes alimentos frescos para que os cozinheiros faça uma refeição mais fresca para todos hoje. Gostaria de levá-los rapidamente já que nuvens pesadas estão se formando e o céu já está fechando.

    - Anesmá! Pureza, poder, justiça e sabedoria!

    Ela deveria estar animada, para dar um cumprimento dos quatro deuses: o Leque da Pureza era de Anĝelina, a Espada do Poder de Piro, a Clava da Justiça de Tamuz e o Tridente da Sabedoria de Jara.

    - A Corrente parecia preocupada enquanto observava o céu, Cerenis'

    - É? Por quê? - Ela observa o céu e logo entende. - Mmm... Será que a Senhora Jara nos agraciaria duas vezes em pouco tempo? Mm, vou precisar de meu pêndulo... - Ela vai até uma prateleira, se pondo nas pontas dos pés, mas não consegue pegar a caixa que queria, Andrias se prontifica. Na caixa estava seu pêndulo de cristal (um artefato que ela usava de alguma arte divinatória) e outras coisinhas. - Ah, bom ter um macho alto por perto. Obrigada! Fiona, se alguém aparecer...

    - Eu aguento as pontas para a senhora, pode deixar!

    - Obrigada! - Ela vai em direção ao galpão.

    Fiona ajuda levar as coisas pra cozinha, depois volta para frente. A sede não era movimentada (não como nos bons tempos antes da invasão), mas problemas sempre apareciam quando não tinha ninguém olhando.

    - Então... A Corrente chamando a Cerenis' por causa do tempo? Acha que é algo que devemos preocupar?

    Fiona tinha um tipo mais fechada, mas não por arrogância, era só mais tímida mesmo. Se achegava mais à Cerenis' e à Corrente e lia mais temas de religião e filosofia. Não se misturava muito com os que tinham elemento primário de fogo, mas em todo o grupo as pessoas se juntavam mais (talvez instintivamente) com quem tinha um dom mais parecido com seu próprio. Embora jamais fosse admitir, Fiona também sentia inveja de Dolfen, por achá-la muito mais bonita. Para os padrões de Fajr-Regno, mulheres brancas ou negras eram consideradas mais bonitas do que as que não eram nem uma coisa nem outra.
    Kether
    Garou de Posto Cinco
    Kether
    Garou de Posto Cinco

    Mensagens : 2329
    Reputação : 91
    Conquistas :
    • https://i.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/311.png
    • https://i.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/811.png
    • https://i.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1312.png
    • https://i.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1811.png
    • https://i.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1413.png
    • https://i.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1611.png
    • https://i.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/712.png
    • https://i.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1511.png
    • https://i.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/2111.png
    Premiações :
    • https://i.servimg.com/u/f89/19/67/13/04/medalh26.png
    • https://i.servimg.com/u/f89/19/67/13/04/medalh14.png
    • https://i.servimg.com/u/f89/19/67/13/04/medalh34.png

    A Escola Izete Empty Re: A Escola Izete

    Mensagem por Kether Ter Jan 04, 2022 2:18 pm

    Andrias nunca tinha reparado muito em Fiona, até porque o que ele achava ser arrogância era na verdade timidez. O que ficou mais evidente desde que começaram a trabalhar juntos nessa tarefa. Ela era até um pouco mais divertida que Dolfen mas tinha um quê de inveja ou complexo de inferioridade em relação a outra.

    Enquanto colocavam os peixes e mantimentos na cozinha se divertiram como jovens que eram, até fizeram piadas com o cheiro do peixe e a falta de banho de alguns demônios. O que Andrias não levou como implicância dela mas serviu para ele falar de seu asseio e de como gostava de se sentir limpo e perfumado. O que fez com que Fiona gargalhasse dele e com ele.

    Quando voltaram para a frente Fiona retornou um pouco ao seu lado mais reservado, pois qualquer pessoa poderia entrar ali sem fazer barulho...

    - Então... A Corrente chamando a Cerenis' por causa do tempo? Acha que é algo que devemos preocupar?

    - Não sei Fiona, mas também não ficaria completamente relaxado. Nesses anos que estou aqui, dá para contar nos dedos de uma mão as vezes que vi A Corrente contemplando o clima. Não fiz nenhum exercício para tentar sentir se está se acumulando magia da água, mas sabe como é... Não podemos baixar a guarda cem porcento em momento algum.

    Ele vai até a maior janela, guiando ela pela mão de maneira até um pouco inocente, e vai falando sem soltar a mão da garota.

    - Olha isso! Lá na frente as nuvens já estão se fechando e parecem carregadas. Mas não vejo nenhuma bandeira dos barcos tremulando mais forte que o normal. O que não parece ser sinal de tempestades com ventos. Se for chuva pode ser apenas isso. Não vejo os ventos fortes que trazem os relâmpagos ou destroem os telhados.

    Ele a solta e toca com um dedo na testa de forma leve.

    - Mas se alguma coisa acontecer estou aqui para cuidar de você. Posso não ser o mais poderoso dos membros em magia de cura, muito menos o mais habilidoso com a arte de combate. Mas estarei aqui enquanto e quando precisar.

    Ele sorri para ela e dá um passo na direção das caixas.

    - Então Fiona... O que você encontrou nesses livros que te deixou tão reluzente de felicidade! E tenho de confessar, você fica deslumbrante com um sorriso no rosto! - falou com um tom mais casual, para então colocar uma pitada de malícia utilizando de sua voz melodiosa. - Ou será que ficou feliz em ver o azulão aqui?
    Leomar
    Garou de Posto Cinco
    Leomar
    Garou de Posto Cinco

    Mensagens : 2168
    Reputação : 29
    Conquistas :
    • https://i.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/411.png
    • https://i.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1112.png
    • https://i.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/912.png
    • https://i.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/212.png
    • https://i.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1413.png
    Premiações :
    • https://i.servimg.com/u/f89/19/67/13/04/medalh26.png

    A Escola Izete Empty Re: A Escola Izete

    Mensagem por Leomar Qua Jan 05, 2022 8:36 pm

    - Não sei Fiona, mas também não ficaria completamente relaxado. Nesses anos que estou aqui, dá para contar nos dedos de uma mão as vezes que vi A Corrente contemplando o clima. Não fiz nenhum exercício para tentar sentir se está se acumulando magia da água, mas sabe como é... Não podemos baixar a guarda cem por cento em momento algum.

    - Mas também, podemos contar nos dedos quantas vezes choveu aqui nos últimos dois anos! Você não estava aqui, mas há dois dias choveu na cidade, você deve ter ficado sabendo. Não foi uma tempestade, mas choveu bem. Eu creio que pode ser um sinal. Já se ouve falar em vários cantos que as guerras estão acabando. Pode ser sim um sinal de que Jara estaria a nosso favor. Quem sabe não esteja olhando para a cidade pela primeira vez?

    Os "sinais" poderiam ser apenas especulações, bem como especulações sobre o fim das guerras, mas fato era que, depois de mais de noventa anos em guerra, as pessoas já estavam de saco cheio destas guerras, e não apenas em Fajr-Regno. Por fim muitos reclamavam que Jara não olhava para as cidades do sul, outros não reclamavam (até porque poderia ser considerado uma forma de heresia), mas imploravam para ela favorecer como fez em outras cidades. Sendo o continente regido por Piro, teoricamente nenhum outro deus tinha obrigação de intervir, se bem que teoricamente nenhum deus tem OBRIGAÇÃO de nada. Mas, seja antes ou depois das guerras, Jara "presenteara" não apenas pessoas, mas até cidades, independente do continente. Em Fajr-Regno suas bênçãos podem ser vistas principalmente em Mahijar, tanto que acreditam que até o nome da cidade é em homenagem à deusa. Os kalakes no deserto também eram outra bênção da deusa para os fajrenses, e por aí vai. Heséd porém, como uma cidade cravada no deserto, ainda não recebeu nenhum grande presente da deusa das águas. Os era nisto que muitos acreditavam.

    Já que falara na guerra, Fiona continua no assunto:

    - Por sinal, ontem recebemos uma carta de contatos do exército, falando que tivemos uma vitória importante no planalto central da cidade. Ao que parece, os amigos da Kate, a novata que apareceu aqui quando você não estava, foram uma ajuda importante.

    Andrias pergunta sobre esta novata, Fiona passa algumas impressões, que na verdade não foram muitas. Ela estava com o fluxo totalmente travado, tanto que Fiona pensava que se tratava de uma quieta que tinha apenas papo, ou que sonhava despertar um dom e usara uma desculpa para pedir ajuda. Mas, com dois dias de tratamento no Elyn (alguns de vocês ainda chamavam aquela banheira improvisada de Elyn) A Corrente conseguiu destravar boa parte do potencial dela, tanto que todas na aula de cura se impressionaram. Andrias conhecia as aulas no Elyn, todos ali já tinham servido de exemplo para a turma alguma vez, mas Fiona dá algumas informações técnicas, de como "sentiam" os chacras dela travados e o que Corrente fazia para liberá-los. Fisicamente ela diz que não achou uma grande beldade (como a Donfen) nem com ares de nobreza (como Ahana), talvez por isto Fiona não demonstrasse inveja ao falar da novata. Mas também não demonstrava ter-se impressionado com a novata em si, mas sim com a condição dela, pois era uma cobaia interessante e a aula foi bem mais proveitosa que a maioria.

    - Estou inclusive preocupada com Caoilain. Ela, a novata e Braeno saíram cedo, ela disse que ia levar Calin para "passear de semëk", mas ainda não voltaram.

    Pelo jeito, Caoilain tinha simpatizado com a novata. Isto era bom, mas de certa forma esperado, já que Caoilain tinha uma personalidade que a maioria simpatizava fácil.

    - Mas se alguma coisa acontecer estou aqui para cuidar de você. Posso não ser o mais poderoso dos membros em magia de cura, muito menos o mais habilidoso com a arte de combate. Mas estarei aqui enquanto e quando precisar.

    - Magia de cura não é tão fácil. Temos que lidar com a nossa energia e com a do outro. Nem eu que sou fêmea tenho facilidade, ainda mais pra um macho.

    Fiona desenvolvera mais as técnicas de "chicote d'água", uma magia de nível intermediário que era bem eficaz nas mãos dela, já como maga de cura ela de fato era bem pior que as outras.

    - Então Fiona... O que você encontrou nesses livros que te deixou tão reluzente de felicidade! E tenho de confessar, você fica deslumbrante com um sorriso no rosto! - falou com um tom mais casual, para então colocar uma pitada de malícia utilizando de sua voz melodiosa. - Ou será que ficou feliz em ver o azulão aqui?

    Fiona desconversa.

    - Ruuŝ!! Além de exagerado é presunçoso? Não estou reluzindo nada, estou no meu normal. Não podemos ficar o tempo todo tristes só porque tem uma guerra lá fora. Estava lendo sobre os Quatro Perfeitos, mas isto não tem nada a ver. Estou igual os outros dias.

    E muda de assunto.

    - Estava pensando em ir procurar a Calin, mas não faço menor ideia de onde eles possam ter ido. Será que é exagero meu?
    Kether
    Garou de Posto Cinco
    Kether
    Garou de Posto Cinco

    Mensagens : 2329
    Reputação : 91
    Conquistas :
    • https://i.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/311.png
    • https://i.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/811.png
    • https://i.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1312.png
    • https://i.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1811.png
    • https://i.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1413.png
    • https://i.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1611.png
    • https://i.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/712.png
    • https://i.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1511.png
    • https://i.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/2111.png
    Premiações :
    • https://i.servimg.com/u/f89/19/67/13/04/medalh26.png
    • https://i.servimg.com/u/f89/19/67/13/04/medalh14.png
    • https://i.servimg.com/u/f89/19/67/13/04/medalh34.png

    A Escola Izete Empty Re: A Escola Izete

    Mensagem por Kether Sab Jan 15, 2022 1:58 pm

    - Estava pensando em ir procurar a Calin, mas não faço menor ideia de onde eles possam ter ido. Será que é exagero meu?

    Pelo que haviam falado já havia passado bastante tempo que saíram. Fora isso, o fato de Fiona estar preocupada já era o suficiente para chamar a atenção de Andrias.

    - Não, não é. Ainda mais com todas essas coisas que estão acontecendo. Podem não ser presságios, mas a reação dA Corrente me deixou mais atento a isso. Vamos procurá-las.

    Andrias volta a olhar pela janela e o tempo continuava com o prenúncio de chuvas.

    - Pegue suas coisas, e sugiro levar uma arma. Pode ser que eles tenham ido para um lugar que não deviam e precisemos retirar de uma situação complicada. Prudencia é tudo.

    O jovem médico respira fundo pensando no que disse, ainda se arrependendo de ter falado e deixado a amiga mais preocupada.

    - Mas pode não ser nada. Essas criaturas gostam de lugares com água mas com calor para aquecer seu corpo. Vamos começar procurando perto da barricada.

    Ele então desembainha sua espada e verifica o fio, voltando a guardá-la na bainha.

    - Quando estiver pronta vamos. Mas de passagem podemos pegar um kit de primeiros socorros na enfermaria.
    Leomar
    Garou de Posto Cinco
    Leomar
    Garou de Posto Cinco

    Mensagens : 2168
    Reputação : 29
    Conquistas :
    • https://i.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/411.png
    • https://i.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1112.png
    • https://i.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/912.png
    • https://i.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/212.png
    • https://i.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1413.png
    Premiações :
    • https://i.servimg.com/u/f89/19/67/13/04/medalh26.png

    A Escola Izete Empty Re: A Escola Izete

    Mensagem por Leomar Seg Jan 17, 2022 8:00 pm

    - Eu já estou armada. - Fiona bate na coxa, apesar de ela estar de vestido e Andrias não poder ver, ela estava com uma adaga presa na coxa. Era uma adaga de liga "prática" (cobre com porções diferentes de prata), feita para dominadores. Como arma não era a coisa mais efetiva do mundo, mas para uma maga era bem útil.

    Andrias põe o kit de primeiros socorros na mochila (vou acrescentar na ficha) e eles seguem para a barricada. E como esperado, uma garoa fina começa cair. Num dado momento, um clarão azul cobre os céus (um raio) logo depois a garoa evolui para uma chuva fina.

    Vocês andam um pouco mais em volta da barricada, mas por enquanto não veem nada muito promissor.

    Spoiler:
    Vou fazer uma rolagem de PERCEPÇÃO para a Fiona, independente do que for fazer, faça uma também, não precisa esperar minha resposta para postar as outras ações que for fazer.

    Leomar efetuou 2 lançamento(s) de dados A Escola Izete D10 (d10.) :
    2 , 3
    Spoiler:
    Como a percepção dela foi boa (2,3 espero que não mude com este edit) ela já comenta com você que o raio caiu quando ainda nem tinha chuva de verdade, e sua cor não parecia de um simples raio "material". Dependendo for sua resposta, talvez ela tenha até percebido algo mais que isto.

    Ao longe vocês conseguem ver um grupo com uniformes verdes vindo na direção onde estão. Isto não era muito bom, pois uniformes verdes normalmente são do Yüksek Kan ou de algum outro grupo gajano, que basicamente dá no mesmo. O bom é que vinham devagar, um dos caras capengando no cavalo.

    Fiona até tinha tinha um jeito de mulher do povo (apesar que muita coisa chamava atenção em seu porte) e poderia passar despercebida, mas Andrias sem chance.

    Spoiler:
    Caso queira se esconder (atrás de alguma árvore, ou coisa que o valha) é só jogar furtividade, eles ainda estão longe, então só não pode tirar crítico, caso contrário podem voltar e buscar outro caminho, ou, vocês estão perto de uma oficina, podem entrar nela, fingindo ser clientes ou só querendo sair da chuva mesmo. O dono da oficina, sendo fajrense (QUASE certo que é) provavelmente não os denunciaria aos gajanos, a não ser que ele tivesse uma birra muito grande de demônios (não muito provável, mas não impossível)

    Para não ficar muito lento, caso escolha a última opção, já rola 1D8 e 1D4 para saber que tipo é a oficina

    1 - Ferreiro "base" que não é muito especializado em armas, mexe mais com ferraduras, portões, etc.
    2 - Açougue
    3 - Alquimista
    4 - Alfaiate
    5 - Penhoeiro/Leiloeiro
    6 - Adega
    7 - Marcenaria
    8 - Butiquim do tipo "tem tudo" com coisas de vários tipos amontoadas em várias prateleiras, de queijos e sidras, passando por panelas e redes até instrumentos musicais e livros.

    no D4, se der par, quem lhes atende é mulher, se der ímpar é homem. Se quiser rolar na sorte a idade do atendente também (não sei se faria muita diferença) rola tb um D10 e multiplica por oito.
    Kether
    Garou de Posto Cinco
    Kether
    Garou de Posto Cinco

    Mensagens : 2329
    Reputação : 91
    Conquistas :
    • https://i.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/311.png
    • https://i.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/811.png
    • https://i.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1312.png
    • https://i.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1811.png
    • https://i.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1413.png
    • https://i.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1611.png
    • https://i.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/712.png
    • https://i.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1511.png
    • https://i.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/2111.png
    Premiações :
    • https://i.servimg.com/u/f89/19/67/13/04/medalh26.png
    • https://i.servimg.com/u/f89/19/67/13/04/medalh14.png
    • https://i.servimg.com/u/f89/19/67/13/04/medalh34.png

    A Escola Izete Empty Re: A Escola Izete

    Mensagem por Kether Sex Jan 21, 2022 11:13 am

    - Você viu isso? O Relâmpago! Foi antes da chuva e não parecia natural.

    - Não não consegui reparar nisso. Mas temos de ficar mais atentos caso seja uma luta ou uma queima de mana...

    Eles conversavam sobre as possibilidades da origem do raio quando avistam um grupo que não seria o melhor a ser encontrato.

    - Gajanos... Mais essa agora. Vem!

    Andrias pega Fiona pela mão e entra numa loja que estava mais próxima. Um homem por volta dos seus 50 e poucos anos estava limpando um frasco transparente, talvez de vidro, com um liquido amarelado viscoso dentro. Com espanto pela entrada súbita do casal ainda mais estranho que o normal.

    - Andrias, mas o que... - Fiona diz surpresa.

    - Há algo que procurem na minha loja? - diz num tom pouco receptivo.

    Andrias olha ao redor e repara que haviam entrado numa loja de itens alquímicos por pura providência de Jara.

    - Sim meu senhor! Estou procurando por alguns ingredientes para poções de cura e unguentos. - diz se aproximando do balcão. - Fiona pode ficar de olho para ver se nosso amigos estão chegando?

    Andrias para no balcão e diz:

    - Meu nome é Andrias, minha companheira se chama Fiona. Somos da Escola de Izete, eu sou um dos curandistas deste distrito. Estamos com poucas provisões e estou procurando alguns novos fornecedores. Não sou o único fazendo esse trabalho, um outro grupo também está fazendo esse tipo de busca. Talvez o senhor tenha até visto eles, afinal não é todo dia que se vê um semëk com 3 pessoas montadas pelas ruas.
    Leomar
    Garou de Posto Cinco
    Leomar
    Garou de Posto Cinco

    Mensagens : 2168
    Reputação : 29
    Conquistas :
    • https://i.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/411.png
    • https://i.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1112.png
    • https://i.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/912.png
    • https://i.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/212.png
    • https://i.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1413.png
    Premiações :
    • https://i.servimg.com/u/f89/19/67/13/04/medalh26.png

    A Escola Izete Empty Re: A Escola Izete

    Mensagem por Leomar Hoje à(s) 11:04 am

    - Não não consegui reparar nisso. Mas temos de ficar mais atentos caso seja uma luta ou uma queima de mana...

    - Pelo menos a cor foi boa, da nossa deusa! Andrias, mas o que...

    Fiona fica na porta, observando lá de fora, apesar de ter sido pega de surpresa, ela era rápida pra entender o problema. A chuva caia fina, era pouco provável que engrossasse muito nesta cidade, mas estava constante.

    - Provável que não tenhamos problemas...

    Andrias se prontificou antes do outro grupo percebê-los, havia uma chance boa dos gajanos simplesmente passarem reto. Fiona ainda percebe que um deles ia capengando no cavalo, o que faria os outros prestarem mais atenção no amigo do que em transeuntes.

    O atendente de primeiro ponto parecia pouco receptivo, mas por sorte Andrias estava em ambiente conhecido.

    - Há algo que procurem na minha loja?

    - Sim meu senhor! Estou procurando por alguns ingredientes para poções de cura e unguentos.

    O atendente continua com uma expressão fechada. Não precisava ser muito perceptivo para notar que ele não gostava de demônios, nada extraordinário principalmente em Heséd, pois os demônios aqui eram uma minoria. Mas ele começa falar dos produtos e preços e acabam até comentando da guerra.

    - (...) Esta guerra está atrapalhando meu abastecimento! (...)

    Ironicamente, o alquimista estava com falta de material básico, como gel aloe (base de quase todas poções básicas), folha-de-prata (base da maioria das poções de cura), gordura de fariso (um peixe cuja gordura faz tintas e coisas mais específicas), raiz telúrica (que não é tão básica, mas é muito procurada por alquimistas) entre outras coisas, mas tinha materiais para poções mais complexas, como orquídeas de fogo, gordura de gordilac, sangue de demônio, simoquia, etc.

    Além disto o alquimista provavelmente tinha mais ódio dos gajanos do que desprezo a demônios, o que poderia vir a ser útil.

    - Meu nome é Andrias, minha companheira se chama Fiona. Somos da Escola de Izete, eu sou um dos curandistas deste distrito.

    - Amphilóphio. - Ele não reage ao nome da Escola Izete, então não deve nem ter ouvido falar dela antes.

    Estamos com poucas provisões e estou procurando alguns novos fornecedores. Não sou o único fazendo esse trabalho, um outro grupo também está fazendo esse tipo de busca. Talvez o senhor tenha até visto eles, afinal não é todo dia que se vê um semëk com 3 pessoas montadas pelas ruas.

    - Um semëk com três pessoas montadas? Duvido muito que aguentaria!

    - Falei mal, não três pessoas montadas, mas três pessoas com um semëk: uma baixinha peituda, um cara loiro com pinta de galã e uma humana jovem com o cabelo colorido, ela foi uma lobo-de-fadas.**

    ** :
    Lobo-de-fadas é uma expressão que nem todo mundo conhece, até porque tem os que nem acreditam que fadas existam, mas alquimistas costumam gostar de histórias de fadas, e como Kate comentou com outros da Izete, eles devem ter comentado com Andrias ao falar da novata que apareceu ali uns dois dias atrás.

    Segundo boatos (pois Andrias nunca tinha visto uma fada ao vivo, o único lugar em Fajr-Regno onde se encontram fadas com facilidade é perto do Grande Lago em dadas comemorativas), fadas não costumam atacar seres vivos, mas adoram mudar as coisas, o que pode ser um grande problema para quem cruza o caminho delas. Um exemplo é que elas podem mudar a pelagem de um lobo para a cor roxa (ou rosa, laranjado fosforescente) pensando estarem deixando ele melhor, mas o resto do bando acaba matando este lobo por verem a cor incomum como uma aberração.

    Portanto, quando acontece alguma coisa ruim por causa de algo que não foi causado por má-fé ou que a intenção era até boa, chamam de lobo-de-fadas ou lobo roxo.

    Kate era ruiva, mas cruzou com as fadas que deixaram ela com o cabelo loiro, com tranças rosas e azuis, tipo esta Harley Jinx:

    A Escola Izete 1464286964_669_Harley-Jinx-Quando-a-Jinx-se-torna-a-Arlequina-Cosplay

    Agora ela tá com metade das raízes ruivas de novo, mas como não cortou o cabelo que nem homem, ainda está meio zuada.

    O comerciante alquimista pensa um pouco, mas não tinha visto o grupo.

    - Quando se trata de semëks, o melhor tratador é o que fica na rua do cemitério. Se ele não souber, deve saber de alguém que sabe. (...) Se encontrar ela, eu adoraria saber onde ela viu as fadas. Diga para vir aqui depois, e eu darei desconto em troca da informação. - Ele já diz com um pouco mais de simpatia.

    Andrias sabia onde ficava a rua do cemitério, não era nem particularmente perto nem longe, um garoto de recados chegaria rapidinho correndo.

    Fiona faz um sinal para esperar, pouco depois ela se aproxima, dizendo baixo.

    - O problema já está passando.

    - Isto é bom...

    Como há dois dias atrás, a maioria das pessoas ao invés de se esconder da chuva, estavam saindo para as ruas, olhando o céu; Muitos carregavam potes e panelas pra juntar água da chuva (Heséd tinha abastecimento pelo Aqueduto Reverso, portanto a água não chegava ser cara e difícil, mas o abastecimento era lento) e, mesmo a cidade não sendo de população muito religiosa (nenhuma cidade fajrense era), qualquer chuva que dava ali as pessoas já começavam gritar o nome de Jara pra tudo que é lado.

    Até o Amphilóphio dá uns gritos pra dentro, perguntando se a mulher já estava providenciando os potes. Andrias ainda pergunta se teria outra indicação de pessoas que poderiam ter visto o outro grupo, e Amphilóphio diz que duas ruas acima haviam oficinas que "alimentavam" os mascates, e que quase sempre sabiam de tudo que acontecia por perto. Era mais perto que a rua do cemitério, e se Andrias quisesse poderia até mesmo mandar um garoto de recados dar uma checada (alguns eram espertos para este tipo de serviço) embora poderia ir lá ele mesmo e mandar um G.R. para o tratador.
    Conteúdo patrocinado


    A Escola Izete Empty Re: A Escola Izete

    Mensagem por Conteúdo patrocinado


      Data/hora atual: Dom Jan 23, 2022 10:06 pm