Um fórum de RPG online no formato de PBF (Play by Forum).


    Prólogo Suzaku (Darkwes)

    Compartilhe
    Nazamura
    Cavaleiro Jedi
    avatar
    Cavaleiro Jedi

    Mensagens : 290
    Reputação : 3

    Prólogo Suzaku (Darkwes)

    Mensagem por Nazamura em Seg Nov 07, 2016 9:43 am

    8 da manhã - Becky's Pub


    Podia-se dizer que Becky finalmente conseguiu inaugurar seu novo display de bebidas, a decoração estava pronta, luzes de neon azuis que ela conseguira por meio de troca-troca de favores. Suzaku estava na cobertura do pub, um lugar modesto coberto de fuligens na movimentada Seattle, a aparência do topo não combinava muito com o luxo que Becky tentava disfarçar no modesto quarteirão C.

    o rádio toca interrompendo a meditação de Suzaku com seus espiritos
     
    - Suzaku? esse negócio tá funcionando?... quando terminar, desce aqui, temos que conversar, cliente logo cedo.

    provavelmente mais um Mr. Jonshon, porque eles todos usam o mesmo nome?

    Instruções:
    Essa é uma cena introdutória, fique a vontade para enriquecer a descrição não apenas do pub, como tambem de onde vc mora, e se dialogou com espiritos logo cedo, pode acrescentar tambem a narrativa. Se quiser, pode guiar a conversa com esse mr. johnson, mas vc não sabe qual é o contrato.
    Darkwes
    Mestre Jedi
    avatar
    Mestre Jedi

    Mensagens : 1390
    Reputação : 0

    Re: Prólogo Suzaku (Darkwes)

    Mensagem por Darkwes em Seg Nov 07, 2016 1:46 pm





    Memórias. São imagens do passado, escritas na nossa mente, por vezes esquecidas, porém, dificilmente apagadas.

    Há quase vinte anos atrás a jovem elfa se escondia em um beco escuro de Redmond, acostumada a fugir constantemente, a se esconder e a depender de algumas boas pessoas que lhe ofereciam comida. Ela já havia visto de tudo naquele bairro sujo e dificilmente se surpreendia com algo, mas naquela noite viu uma pequena garota como ela adentrar no território das gangues locais. Ela não pensou, pois se tivesse pensado antes de agir, teria virado as costas ou permanecido escondida apenas observando, mas antes que sua mente dissesse 'não', seu corpo já tinha agido. Ajudou a pequena elfa a sair dali antes de virar alvo e, em troca, ganhou uma nova família, uma chance de viver de forma decente em Bellevue e de crescer longe da criminalidade. Entretanto, seu espírito arredio sempre a levou de encontro a emoção e a incerteza, fazendo com que a jovem elfa seguisse um caminho diferente de sua família adotiva, mesmo que estes se empenhassem em fazer com que Kin se alinhasse com seus ideais.

    Completamente aversa a ideia de trabalhar em uma corporação em Downtown como seus pais adotivos queriam, Kin saiu de casa cedo passando a morar em diversas espeluncas espalhadas pela periferia da cidade, viu de longe sua irmã e melhor amiga Karen acender ao status de estrela, atuando em diversas produções em trideo. Mas apesar do afastamento, as duas se vem com certa frequência, pois não é raro Kin escalar o prédio onde Karen mora atualmente, até chegar na sacada de seu apartamento para dizer oi, sendo imediatamente repreendida pela irmã por não adentrar pela entrada e subir usando os elevadores como uma pessoa comum.

    Após ter passado a realizar trabalhos diversos para quem lhe oferecesse algum dinheiro, 'Suzaku', como passou a ser chamada nas sombras, veio a conhecer Becky em uma noite tumultuada em seu bar, dois orks intimidavam um elfo até partirem para agressão física e Suzaku não conseguiu ficar apenas olhando. Saltou de onde estava com uma pirueta e acertou um dos orks com uma joelhada que o levou a nocaute imediato, se desviou da pequena lâmina que o outro portava se abaixando e na sequência o atingiu com uma rápida sequência de socos digna de um filme de kung fu. Os dois foram enxotados do local e Becky lhe agradeceu por encerrar a confusão rapidamente, foi o início de uma parceria que já dura alguns meses.

    Na andar superior do bar, Suzaku tem um pequeno quarto para descansar após um trabalho nas sombras, sua vida como shadowrunner apenas começou, mas ela já sabia que esta não era uma vida fácil. Fazer o serviço sujo dos outros era algo perigoso, mas ela não gostava da ideia de arrumar um trabalho comum, então tinha de se virar com o que lhe era oferecido, até mesmo porque suas habilidades eram bem específicas. Irritadiça desde pequena, a jovem elfa sempre se meteu em encrencas e dificilmente aceitou uma provocação calada, impulsivamente respondendo com os punhos qualquer tipo de provocação. Seguia a lei das ruas, na qual apenas o mais forte sobrevive.

    Seu temperamento só melhorou após conhecer o mestre Ling, um ancião que vivia nas ruas como um mendigo, mas na realidade se tratava de um exímio artista marcial, mestre na arte do kung fu e que viu talento na menina impulsiva. Por anos, Kin escapou da casa dos pais adotivos sem ser notada por estes (pois trabalhavam o dia todo fora) indo de encontro ao ancião, treinando diariamente sob sua tutela até se tornar uma arma viva, combinando técnicas marciais com seu talento natural para magia. Com a morte de seu mestre, todavia, Suzaku acabou seguindo caminhos que ele certamente desaprovaria, se envolvendo em lutas ilegais para conseguir algum nuyen e liberar adrenalina.

    Suzaku meditava no topo da construção que abrigava o bar, repensando sua vida e tentando imaginar qual caminho estava seguindo, ela não acreditava em destino, mas sabia que haviam muitas coisas inexplicáveis e, mesmo que não pudesse ver algumas destas, sabia que estavam ali, assim como os espíritos com que conversava diariamente. Mesmo que muitas vezes não dissessem uma palavra, eram os únicos com quem fazia reflexões a respeito dos rumos que o sexto mundo tomava, se corroendo e se transformando mais rápido do que seus habitantes podiam se adaptar as mudanças.

    Enquanto mergulhava em pensamentos observando as ruas sujas de Seattle, seu commlink apita quebrando o silêncio, o ruído em seu ouvido fazia com que quisesse atirá-lo dali mesmo onde não pudesse encontrá-lo, mas sabia que precisava do 'instrumento de trabalho', atendendo a chamada de Becky que avisava de algo que ocorria no bar.

    - Cliente...? - respondeu num tom quase inaudível - Isso são horas? - indagou imaginando se era alguém querendo algum 'favor'.

    Era cedo demais para um Mr. Johnson estar oferecendo algum trabalho, geralmente esse tipo de gente gostava de discrição e a manta da noite era ideal nesse sentido. A não ser que fosse um desses engravatados em busca de shadowrunners para fazer o trabalho sujo de sua corporação... se fosse isso, hoje parecia ser seu dia de 'sorte'. Descendo contrariada para o andar inferior do bar, Suzaku ia ouvindo a música local tocando, o volume estava baixo por conta do horário, mas se havia algo que gostasse naquele bar era a música que sempre parecia acompanhar o ritmo da cidade.

    Ao chegar no local, a elfa dá uma olhada para a nova decoração de Becky que devia estar polindo a superfície do balcão pela trigésima vez, em seguida procurando pelo 'cliente' com uma rápida olhada em todo o bar.

    - Belo arranjo Becky... será uma pena se algum troll for arremessado no display como da última vez... - insinuou a elfa se recordando da última confusão que ocorrera algumas semanas atrás no bar. Em seguida, Suzaku olha na direção do cliente, se pronunciando no seu costumeiro modo ríspido e sem fazer rodeios - O que você quer?


      Data/hora atual: Qua Jan 17, 2018 7:40 pm