Um fórum de RPG online no formato de PBF (Play by Forum).


    [!ON!] O Selo

    Compartilhe
    Colz
    Investigador
    avatar
    Investigador

    Mensagens : 72
    Reputação : 17

    [!ON!] O Selo

    Mensagem por Colz em Ter Mar 27, 2018 5:02 pm




    Four Seasons – 300 S Doheny Dr, Los Angeles, CA (10.25 pm)


    O salão é amplo e adornado com um estilo clássico. Talvez a inspiração para a decoração fosse alguma tragédia grega, ou então apenas a trágica vida de Caleb Lockwood, a personificação da bela forma ausente de conteúdo. As mesas foram dispostas circularmente, rodeando uma mesa retangular de quinze metros de largura. Um móvel alto com frutas douradas situa-se no centro, com pratos brancos à sua volta. Talheres de prata foram posicionados próximos aos pratos, contrastando com o enorme caminho de mesa vermelho, que cobria toda a extensão da mesa e caía alguns centímetros para fora dela em ambos os lados. Tudo parecia ter sido planejado meticulosamente, o que significava que o anfitrião contratara alguém para a decoração. É o que dizem: Deus mora nos detalhes – e Caleb é ateu. Ele jamais teria o bom gosto ou a paciência para se preocupar com tudo aquilo. Ou então até teria, mas a opinião baixa de Nahama sobre o milionário talvez afetasse seu julgamento, tornando-o parcial.

    "O cenário ideal para sua queda, senhor Lockwood. Acredito que devo agradecê-lo."

    Olha à sua volta enquanto puxa com petulância uma taça da bandeja de um garçom que passava por perto. Sente o gosto do champanhe inundando sua boca e descendo suavemente pela garganta. Na sua opinião, além das bolsas de couro e do velcro, o champanhe era uma das maiores invenções da humanidade. Caminha de forma despretensiosa pelo salão, que parecia cada vez mais lotado. Eram diversas pessoas comparecendo e se cumprimentando, enquanto posicionavam um objeto no palco através de cordas de sustentação. Tinha mais de quinze metros de altura.

    – A senhora está muito bonita...

    A frase era sussurrada em seu ouvido, da maneira mais irritante possível. Levanta as sobrancelhas, respira fundo e fita seu interlocutor com um olhar indiferente.

    – É o mínimo que merece, senhor Lockwood. Devo dizer que a decoração do lugar está espetacular.

    Diversas batalhas eram travadas ali, palavra a palavra, olhar a olhar. Ele sabia que ela o desejava morto, e ela sabia que precisava matá-lo, mas não podia. Levanta a taça não direção de Caleb, numa saudação, e segue rumo ao palco, deixando-o para trás. Nota as cortinas vermelhas que cobriam as janelas, bem como os lustres incandescentes que iluminam todo o salão, transformando-o numa espécie de homenagem ao paraíso. As pessoas mal percebiam, mas aquele local estava marcado, para o bem ou para o mal. Representaria a extinção do mal ou o renascimento do mesmo em sua forma mais pura e mortal.



    Jogarão nesse tópico os seguintes players, exatamente nessa ordem:

    @Raijecki
    @DanyGSouza, utilizando a personagem Megan na ausência da "Lightning", que formalizou sua saída no dia 16/02.

    Ambos devem chegar no local, juntos ou separados, como preferirem. Megan deve ser apresentada a Caleb Lockwood. Usem a criatividade para tal.
    Raijecki
    Mutante
    avatar
    Mutante

    Mensagens : 724
    Reputação : 10
    Conquistas :
    • https://i.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/411.png
    • https://i.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/811.png
    • https://i.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1811.png
    • https://i.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1413.png
    • https://i.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/712.png
    • https://i.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/612.png
    • https://i.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/410.png
    • https://i.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1511.png
    • https://i.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/2111.png

    Re: [!ON!] O Selo

    Mensagem por Raijecki em Qui Mar 29, 2018 4:40 pm



    Mansão da família Genovese - Beverly Hills, Wallingford Drive, 2751, Los Angeles, CA (7.15 pm)




    - Dante! Dá para abaixar essa música!? Nem parece que você tem mais idade que o planeta amore mio! - A música que importunava a esposa de Dante, a bela e sedutora Gabriele Genovese, era Listen To Your Heart do Roxette. Dante estava em seu escritório, sentado em sua confortável cadeira, com com os dois braços escorados na mesa e suas mãos apoiando sua cabeça. Ouvir músicas era um de seus hobbies, e o ajudava a se concentrar. O problema de Gabriele era que ela estava em seu quarto se arrumando para a grande festa de Caleb, e mesmo ficando alguns cômodos de distância do escritório de Dante, ainda conseguia ouvir muito bem a múscia que já estava quase uma hora em loop infinito. - Não dá pra pelo menos trocar de música?

    - Ah! Desculpa querida, nem percebi que estava na mesma esse tempo todo! - Levantou da cadeira e com um estralar de dedos, desligou o som. Olhou para seu relógio e caminhou á passos largos em direção ao quarto do casal. Gabriele estava de costas para ele, se olhando no espelho e analisando se seu vestido combinava com os brincos.

    - Amore, me ajuda a fechar o zíper por favore? - Sua voz era doce, porém parecia induzir ao pecado, a sedução fazia parte de seu charme, e era uma das coisas que Dante mais amava nela, Gabriele poderia facilmente "iluminar" um local que estivesse quase que totalmente escuro.

    Dante então se aproximou de modo a poder encostar seu rosto com o dela, e com sua mão esquerda ia fechando lentamente o zíper do vestido, enquanto que com a direita segurava e trazia a cintura de Gabriele para perto da sua. - Cuidado garota, pode ser que talvez eu não me segure e acabe com você aqui mesmo... - Gabriele se virou de frente para Dante e o provocou aproximando seus lábios carnudos com os dele, desaproximando-os logo em seguida e sussurrando em seu ouvido - Acha que consegue acabar comigo á tempo de nos arrumarmos para a festa? - Soltou um leve sorriso antes de Dante agarra-la e a "possuir" ali mesmo, ao chão de frente ao espelho.











    Edíficio da Megan - Los Angeles, CA (9.15 pm)





    Dante estacionou seu Ford Mustang 1964 branco em frente ao prédio onde Megan morava e buzinou até que ela aparecesse. Gabriele parecia estar preocupada com o fato de Dante ter de confiar em uma completa estranha, e não esitou em dar sua opinião. - Não sei se deveria confiar nela querido, e se ela decidir te trair?

    - Então terei de me adaptar a situação amore, como sempre fiz, não é? - Tentava disfarçar suas inseguranças com um tom despreocupado e um sorriso de canto de boca. Não gostava de deixar Gabriele apreensiva com assuntos que não lhe faziam interesse. - Bom, se você acha que não tem problema, tudo bem, mas nunca vou deixar de me preocupar com você, entendeu? - Se a frase não viesse de alguém que Dante realmente gostasse, estaria rindo sarcasticamente da situação, afinal de contas, como uma humana poderia se importar com um demônio? E ainda por cima vice-versa? Coisas que fazemos por amor...

    Após um curto período de tempo, Megan surge desfilando em frente ao portão principal,  vestia um lindo e provocante vestido vermelho, com um grande e generoso decote, também como com um colar e brincos de perolas, cabelos presos em um charmoso coque, com uma bolsa Prada e um chamativo batom vermelho. Ao reparar que Dante havia notado a beleza da advogada, Gabriele desferiu em um tom seco e provocador:

    - O diabo veste prada, não é mesmo? - Antes que Dante pudesse pedir para ela se acalmar, Gabriele abriu a porta do seu lado direito, saiu do carro e puxou seu banco para frente. Vestia um longo e estiloso vestido branco de seda, que combinavam com seus grandes e brilhosos brincos de diamante, sem falar em seu belo colar também feito com o mesmo material. Levantou sua cabeça, cruzou seus braços e deixou seu anel de casamento de ouro a mostra, antes de falar para Megan com um tom calmo mas provocativo:







    - Boa noite senhorita Lewis, espero que não se incomode com o banco de trás... - Dante coçava levemente sua nuca "Vai ser uma longa noite". Após Megan se acomodar no banco de trás, Dante a cumprimentou:

    - Boa noite Megan, preparada? Estamos contando com você. - Depois de falar, Gabriele o surpreende com um belo e forte beijo em frente a Megan. - É melhor estar senhorita, se não eu mesmo acabo com você.








    Four Seasons – 300 S Doheny Dr, Los Angeles, CA (10.20 pm)





    Ao estacionar o carro em frente ao grande e luxuoso hotel, vários fotógrafos vinham em direção a eles no intuito de registrar essa que deveria ser uma das maiores festas da atualidade. Não sabiam o quanto estavam certos. Gabriele e Dante foram os primeiros a saírem do carro, e Dante fez questão de ajudar Megan a sair segurando sua mão. - Bem vinda ao mundo dos famosos Lee, só tome cuidado para não acabar matando algum desses abutres haha! - Ao passar pelos paparazzis de plantão, ouviram muitas perguntas relacionadas a Megan, do tipo "Megan Lewis, você assumirá como advogada da família Genovese!?" e "Qual a sua relação com o Sr. Dante? É verdade que vocês foram vistos juntos um dia desses!?". Gabriele fez questão de puxar Megan pelo braço e faze-la á seguir até o salão principal. - Não de ouvidos a essa gentalha querida, eles não valem o seu tempo, agora vamos, tem alguém que você precisa conhecer e eu irei lhe apresentar a ele, Dante precisa cuidar de alguns negócios por enquanto e não irá nos acompanhar.

    Dante caminhava até a cozinha, onde vários funcionários trabalhavam freneticamente no intuito de alimentar centenas de exigentes e orgulhosos convidados. Um homem e uma mulher, vestidos com roupas de garçom o aguardavam. - Então, tudo nos conformes? Sabem que não podemos falhar, se não será nosso fim, conto com vocês. Os dois em questão eram seus sicários, demônios menores que serviam os Belials negociadores, sendo cobrando as dividas ou recolhendo almas de devedores. - Pode deixar chefe, estamos todos a postos, só esperando seu sinal. - Respondeu firmemente, como se quisesse se mostrar á Dante, o homem. - Precisamente senhor, daremos nossa vida pela causa se for preciso. - Rebatia a mulher, claramente tentando demonstrar uma lealdade maior que seu colega. - Ótimo, ótimo, agora se me dão licença...




    No salão principal, Gabriele apresentava Megan ao anfitrião da festa. - Caleb! Querido, a quanto tempo, como vão os negócios? - Estendia sua mão direita para receber um beijo de cumprimento de Caleb, os dois pareciam se conhecer, provavelmente por serem dois dos maiores empreendedores do Los Angeles.- Deixe-me lhe apresentar, essa é Megan Lewis, minha nova advogada, vamos querida não se acanhe!

    Dante voltava para o salão fumando seu charuto, e acabou avistando uma bela e loira mulher, indo de encontro com a mesma.




    - Senhora Nahama, está bela como sempre, está vendo? Tudo está ocorrendo como o combinado, pode ficar tranquila. - Apontava para onde estavam Caleb, Megan e Gabriele. - Samael não virá dar o ar de sua graça esta noite?

    DanyGSouza
    Neófito
    avatar
    Neófito

    Mensagens : 26
    Reputação : 5

    Re: [!ON!] O Selo

    Mensagem por DanyGSouza em Qui Abr 05, 2018 12:42 am





    If you're getting tricky
    Lying to yourself
    You're gonna cacth Hell

    And if You're testing god
    And lying to his face
    You're gonna Catch Hell
    I know it...






    Uma semana antes

    A mulher estava sentada no centro de um pentagrama desenhado no chão. O lugar? Bem, poderia ser qualquer um, mas era um dos quartos de seu apartamento, adjacente a biblioteca. Usava aquele local para guardar artefatos e objetos "místicos" que poderiam ser utilizados em rituais. De ervas e essências, a objetos compostos por ouro maciço como castiçais, cálices, punhais... Todo tipo de coisa que você possa imaginar. Alguns papéis estavam espalhados pelo chão e o cheiro da fumaça das ervas e essências queimadas inundavam suas narinas. Eles gostavam de sentir aquilo. Vestia um roupão de seda vermelho, apropriado para rituais. Em sua mão direita repousava um punhal de ouro, enquanto a esquerda escorria um líquido vermelho: sangue. Era o preço. O ritual era simples, porém o canal estava aberto. Após um longo processo de argumentação, parecia chegar a um acordo com a entidade que fora invocada no ritual.

    - Bem, seu ritual de proteção vai funcionar... Mas não contra ele. Seu contratante não é um qualquer, não existe proteção contra ele. Bem, talvez... O próprio Lúcifer, quem sabe. - A projeção do infernal sorriu para Megan, com um ar de desdém. Megan permaneceu séria observando a figura espectral. Ele tornou a falar. - Okay, livre de possessão corporal e mental. Você não poderá ser atacada fisicamente e mentalmente por seres sobrenaturais... Duas vezes. Já disse ataques físicos e possessão... O que mais? Sugestão e influência... Não era isso que você queria? Não ser obrigada a fazer algo contra sua vontade. Você não vai ver e nem sentir, mas tem um escudo lhe envolvendo... Por um determinado tempo. Mas... Exijo o pagamento adiantado, senhorita Megan Lewis.

    - Já discutimos isso, você se fez bem claro. Irá durar até um dia após o evento?

    - Sim, mas não contra Samael ou outros tão poderosos quanto ele. Agora vamos ao pagamento.

    Naquela noite e nos dias seguintes Megan bebeu e fumou quantidades absurdas para um ser humano normal sem sentir os reais efeitos. Esteve com diferentes homens e mulheres a fim de sentir os prazeres da carne. A entidade não parecia saciada, mas Megan havia feito a sua parte. Agora restava saber se precisaria de fato daquela proteção. Seguro morreu de velho.






    O dia do evento - Mais cedo

    Havia tirado aquele dia inteiro para se resguardar e se preparar para o tal evento. Um longo banho de sais na banheira não a fizera relaxar - acreditava que nada a faria relaxar àquela altura da vida, não depois da manifestação de Samael durante o encontro com Dante na semana anterior. Depois daquilo, Megan havia se dedicado a estudar e descobrir no que havia sido envolvida. A única menção a Samael em toda a literatura oculta era "a serpente do paraíso que tentara Adão e Eva" e não tinha certeza se aquilo procedia. Traçou a linhagem de descendência de Caleb Lockwood até certo ponto - era impossível traçar uma linhagem até a primeira família uma vez que registros da civilização humana haviam sido destruídos inúmeras vezes durante a história do mundo. Os sinais do Apocalipse ficaram evidentes a medida que estudara os livros. Muitos dos selos já haviam sido rompidos e restavam poucos, naquele momento - ou por puro azar mesmo - ela estava envolvida naquilo graças a um pacto feito com um demônio chamado Samael. Por mais que ela odiasse que lhe dissessem o que fazer, sentia-se obrigada a fazer o que ele queria, era uma espécie sórdida de troca de favores. Afinal de contas, sua alma pertencia a ele.

    Em seu íntimo sabia que nada de bom iria acontecer no evento e de certa forma ela era uma peça fundamental naquilo. A morte (provavelmente de Caleb Lockwood) iria quebrar um dos selos, conseguira deduzir isso. O que precisava, além de proteção, era uma forma legal de se livrar de qualquer acusação que por ventura caísse em cima de si. Isso se, a morte a ser providenciada não fosse a dela, uma pessoa suja e com a alma comprometida - bem que poderia ser uma pessoa boa e com a alma pura, por que não?

    Arrumou-se com todo o cuidado e dedicação para parecer impecável: o vestido era um Chanel vermelho longo, com um corte ligeiramente clássico e um decote ousado valorizando seus seios. O colar de pérolas dava duas voltas e uma delas caia graciosamente entre os seios, chamando a atenção. A maquiagem era perfeita para um evento noturno, com um batom vermelho destacando sua pele muito branca. Usava um perfume levemente adocicado, seus cabelos longos estavam presos num coque elegante. Finalizava seu look digno de tapete vermelho do Oscar com um par de sapatos de salto alto e uma bolsa de mão Prada.

    Na hora combinada, o interfone tocou, o porteiro avisando que Dante a esperava na entrada do prédio. Desceu deslumbrante, afinal, aquela seria a sua noite: para o bem ou para o mal - mais precisamente, para o mal. Por mais que sentisse que estava indo para a forca, se obrigava a vestir uma de suas "máscaras sociais" e ostentava um ar imponente e confiante. Observou o carro e revirou os olhos: outro modelo antigo - ele tinha uma coleção? Dante levava a sério o estilo "clássico" e aquilo lhe irritava. Respirou fundo, não iria demonstrar seu ódio em ser obrigada a participar daquele esquema diabólico. Eis então que Megan notou que Dante estava acompanhado pelo que só poderia ser a tal esposa. Sem conseguir controlar-se, sorriu com ar de escárnio enquanto olhava a mulher da cabeça aos pés. Era uma bela morena, sem dúvidas: mas não fazia seu tipo. A cena do beijo só fazia a mulher parecer deprimente aos olhos de Megan, uma clara demonstração de ciúmes, a mulher se sentia ameaçada com sua presença e queria se mostrar superior. Diante daquilo, Lewis apenas sorria irritantemente, sem se deixar provocar. Mil formas de rebater aquilo lhe passou pela cabeça, entretanto, seu sorriso irritante e seu olhar penetrante direcionados para o espelho retrovisor eram suficientes para a tal Gabrielle interpretar como se Megan soubesse algo que ela não sabia.






    Four Seasons – 300 S Doheny Dr, Los Angeles, CA (10.20 pm)

    Finalmente chegaram no Four Seasons, o local onde aconteceria o tal evento. Dante a ajudava a sair do carro, para em seguida serem recepcionados pela imprensa que cobria o evento. O demônio então soltou uma frase que ela entendera como uma graça ou provocação: afinal de contas, Megan Lewis não era uma pessoa qualquer, estava mais do que acostumada a figurar na alta sociedade em diversos eventos. Respondia a cada pergunta com uma provocação direcionada ao casal com um sorriso sonso no rosto, quando sentiu o braço ser puxado com certa agressividade por Gabrielle. Desvencilhou-se com certa elegância e ali mesmo, diante da imprensa, aproximou-se mais da mulher, ficando em frente a ela com um olhar penetrante, como um predador hipnotizando a sua presa. Delicadamente, repousou a mão direita na face dela, deslizando seu dedo polegar pelo canto da enorme boca da mulher.

    - Oh querida, seu batom ficou um pouco borrado, deixe-me ajudá-la. - Megan exibia um sorriso provocativo, que podia ser considerado diabólico. Se pudesse manifestar uma aura de maldade tal qual Samael, o teria feito. Gargalhou demonstrando uma falsa inocência, ligeiramente extrovertida, enquanto adentrava ouvindo Gabrielle tagarelar tal qual o marido. Os dois lhe dava náuseas. Se tivesse o poder de obliterar aqueles dois, o faria sem nem pensar duas vezes.

    Então o avistou, elegante como sempre. Caleb Lockwood era um homem de estilo, não podia negar. Infelizmente ele não fazia o seu tipo, por isso nunca se interessou em trocar palavras com o mesmo. Para o seu azar (ou o azar dele, depende do ponto de vista), aquilo era um trabalho e precisava fazer bem feito. Deixou-se levar por Gabrielle, que parecia apresentá-lo de má vontade.

    - É um prazer conhecê-lo, senhor Lockwood. - Megan sorriu para Caleb demonstrando certa gentileza, parecendo encantada por conhecê-lo. Como gesto de boa fé e educação, estendeu para ele a sua mão. Ao mesmo tempo, demonstrava estar sendo sufocada pela presença de Gabrielle. Precisava se livrar daquela mulher antes que suas mãos fossem para no pescoço dela. Avistou um dos garçons que andava na direção do anfitrião com uma bandeja de vinho.

    "É uma boa hora para uma taça de vinho ser derramada sobre ela, não acha? Não preciso pedir 'por favor', preciso?" - Direcionava o pensamento cheio de ódio para sabe-se lá qual demônio inferior lhe prestava pequenos favores. Achou que estivesse louca, pois ouvira uma gargalhada que poderia jurar que era de Samael. O garçom então aproximou-se do trio, fazendo menção de servir primeiro a Caleb, mas este, cavalheiro como era, ordenou que as damas fossem servidas primeiro. A primeira taça então fora servida a Megan e ela sorriu em agradecimento. Em seguida, era a vez do garçom servir Gabrielle. E aí o inesperado - mas para Megan era esperado - aconteceu: enquanto servia Gabrielle, a taça de vinho virou, derramando todo o vinho tinto em seu belo vestido de cetim branco. A mulher gritou assustada e surpresa, Megan prontificou-se a ajudá-la.

    - Oh meu Deus, Gabrielle, deixe-me ajudá-la! Posso acompanhá-la à toalete?! - Falsa igual uma nota de 3 dólares, encostou a boca no ouvido da mulher e sussurrou - Get behind me, Satan.

    Como se possuída por algum demônio, Gabrielle saiu enfurecida em direção ao banheiro mais próximo, deixando Caleb e Megan a sós. O garçom também se retirava e uma equipe de limpeza logo chegava para arrumar a bagunça.

    - Desculpe-me por isso, senhor Lockwood, ela é muito nervosa. - Olhava para ele como se quisesse segurar o riso por pura educação. - Talvez você possa salvar minha noite, afinal...



    Colz
    Investigador
    avatar
    Investigador

    Mensagens : 72
    Reputação : 17

    Re: [!ON!] O Selo

    Mensagem por Colz em Seg Abr 16, 2018 9:21 pm




    Após o primeiro confronto com Caleb, Nahama focou suas atenções na alta sociedade de Los Angeles, toda presente naquele local. Não só os membros da cidade dos anjos, mas famílias importantes de toda a Califórnia estavam presentes, bem como alguns políticos e residentes de Washington D.C. Eram artistas, arquitetos, empreendedores, CEOs de grandes empresas e até mesmo expoentes da TV, do cinema e da moda. Todos eram notados por Nahama. Todos, sem exceção, eram marcados por ela – possível aliança, provável inimigo, capachos para execução de tarefas, coletores de almas, divulgadores da agenda de Lucifer, dentre outros. Aquele era, de certa maneira, o networking da administradora do Inferno.

    "Já era hora..."

    Segurando uma taça de champanhe meio cheia – ou meio vazia, dependendo do quão pessimista você for –, Nahama avista Dante, acompanhado da esposa e de Megan. Era Gabriele quem firmava o primeiro contato entre Caleb e Megan, o que parecia muito apropriado, visto que ambos se conheciam do mundo dos negócios e possuíam uma certa confiança um no outro. Alguém apresentado por Gabriele seria, no mínimo, uma pessoa digna da atenção de Caleb pelas próximas duas horas.

    – Senhor Dante...

    Exibe um sorriso enigmático, digno da principal obra de Da Vinci, porém tão falso quanto uma nota de Abagnale.

    – Não poderia esperar menos do senhor. Devo admitir que Gabriele fez um bom trabalho com... – No momento em que estava prestes a elogiar Gabriele, vê a mulher sendo atacada pelo escarlate maligno de uma taça de vinho. Dá um riso contido e olha para Megan com olhos admirados. Estava claro que fora ela a causadora do acidente. – Bem, como estava dizendo, vocês fizeram um bom trabalho com Megan. Ela consegue se misturar fácil com as pessoas daqui.

    Agarra o braço direito de Dante e, a fim de disfarçar a urgência, passa o próprio braço entre o torso e o antebraço de Dante, como se ele a acompanhasse. Poderiam ser confundidos facilmente com o novo casal tendência de Hollywood, bem como respeitáveis membros influentes da elite americana. Poderiam transitar facilmente entre os perigosos negócios dos poderosos e as futilidades da fantasia que era o mundo do entretenimento. Conseguiriam poder e dinheiro como uma dona de casa que buscava sal e pimenta para temperar a próxima refeição. Basicamente, estava tudo nas palmas de suas mãos.

    – Apesar de não poder entrar em detalhes, acho importante que saiba... Esse evento impactará diretamente na libertação de Lucifer. – Diz, ignorando a pergunta sobre Samael. – Acredito que é chegada a hora de explicar a você o que está acontecendo.

    Um garçom passa rapidamente ao lado de Nahama e Dante, e ela rapidamente ataca a bandeja com as taças de champanhe. Bebe metade do conteúdo e respira fundo, abrindo um sorriso mais leve e convidativo.

    – Lucifer nunca esteve no Inferno. Na realidade, fora Lilith a responsável pela administração das esferas infernais, e assim tem sido desde o dia em que fora executada por Apollyon, teoricamente à mando de Lucifer. A verdade é que Apollyon era um traidor e já pagou pelo preço de seus atos, perdendo as asas que conquistara passando para nosso lado. – Olha para os lados, ciente de que chamavam a atenção mesmo que não quisessem. Isso a obriga a diminuir o tom de voz. – Lilith sempre teve, como objetivo, libertar seu pai. O problema é que a prisão em que o mantem encarcerado é composta por seiscentos e sessenta e seis lacres, que precisam ser violados um a um. Lilith conseguiu se livrar de seiscentos e quarenta, deixando vinte e seis sob minha responsabilidade. E, adivinhe...

    Aproxima o rosto de Dante, sussurrando as próximas palavras em seu ouvido.

    – ... Caleb Lockwood é o penúltimo selo.
    Conteúdo patrocinado


    Re: [!ON!] O Selo

    Mensagem por Conteúdo patrocinado


      Data/hora atual: Qua Out 17, 2018 7:31 pm