Um fórum de RPG online no formato de PBF (Play by Forum).


    Prólogo - Uma noite de inverno

    Bastet
    Adepto da Virtualidade
    Bastet
    Adepto da Virtualidade

    Mensagens : 1924
    Reputação : 119
    Conquistas :
    • https://i.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/2211.png
    • https://i.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/2111.png

    Prólogo - Uma noite de inverno Empty Prólogo - Uma noite de inverno

    Mensagem por Bastet Seg Abr 17, 2023 10:40 pm



    Prólogo - Uma noite de inverno



    !Rivendell Castelo Real  @thendara_selune


    Existe uma lenda famosa no reino que conta como Isleen, uma bruxa do gelo, seduziu o nobre cavalheiro Johan de Rivendell para que ele perdesse o sol que guardava todos os dias, em seu castelo no topo da montanha, quando dava a hora do poente.

    Naquela noite, ela dançou para Johan e fez truques de magia para enfeitiçar seus olhos. O honrado cavalheiro, então, não percebeu o sol se aproximando da montanha e deixou ele escapar sem que fosse guardado em lugar seguro.

    O cavalheiro, enraivecido, amaldiçoou Isleen e seus deuses pagãos, expulsando a magia dos três reinos unidos. Desde então, todos os dias são inverno em Rivendell e o povo do reino nem mesmo sabe o que é a luz do sol.

    As pessoas mais antigas diziam que o reino de Rivendell já fora fértil, cheio de magia e com dias de verão alegres, claros e quentes... Mas, depois daquela primeira noite de inverno, tudo mudou. Os cidadãos se tornaram frios como a bruxa do gelo e a alegria fora dizimada de seus corações.

    Há quem afirme que, no topo da montanha, escondida entre as árvores, ainda vaga a bruxa que fez o cavalheiro perder o Sol... E que ela adora dedos congelados de crianças para saciar a sua fome.  


    ◦◦◦◦◦◦◦◦◦◦◦◦◦◦◦☽ ☼ ☾ ◦◦◦◦◦◦◦◦◦◦◦◦◦◦◦

    Estava tão frio naquela manhã, que você se lembrou dessa lenda. Em uma época diferente, sem um quarto tão aconchegante e cobertas e peles tão grossas, você se lembrou de sua mãe de criação recolhendo a lenha que virara carvão no fogão à lenha, para colocar sob sua cama. As mãos dela estavam pretas pela fuligem e, para uma jovem como você era, parecia absurdo como ela conseguia colocar a mão naquela quentura sem se machucar. Ela dizia sempre, quando você dizia para ela ter cuidado:

    “Não podemos deixar o frio entrar, ou a Bruxa vai vir comer seus dedos! Vamos, vá para a cama se cobrir”

    Hoje, claramente você percebia que era apenas um pretexto para as crianças não fazerem estripulias a noite, quando estava frio demais... Mas, mesmo que fosse uma besteira, aqueles tempos sem tanto luxo pareciam tão longe... E tão saudoso.

    ***

    O dia nem tinha começado a clarear e os olhos da princesa já estavam abertos. Na verdade, você nem sabia se tinha conseguido dormir de fato. Fazia mais de uma semana que a volta de seu marido fora anunciada, mas nenhum cavalo chegara no castelo de Rivendell até então. Três anos desde a noite do casamento. Três anos em dúvida.

    Algumas criadas já começavam a aquecer seu quarto, ligando a lareira, as velas, levando água para ferver na lareira para o seu banho. Como as cortinas pesadas de pele da cama de Fantine estavam fechadas... E era muito cedo, elas pensaram que a princesa dormia e fofocavam baixinho.

     “Ouvi falar que a Caravana passou direto pelas fronteiras de Rivendell para ir encontrar o Imperador. Acho que ele nem quis perder tempo aqui” – uma delas disse, cochichando.

    “Sim! O Imperador ofereceu a própria irmã para se casar com ele, não é? Aquela que entrou em sua linha de sucessão depois do príncipe morrer na guerra...” – outra voz cochichou

    “Aham, ela é tão linda! Não tem esses cabelos de ferrugem, igual as bruxas bárbaras. Ele deve querer uma princesa de verdade... E não uma bast...” – a primeira voz tornou a falar, mas foi interrompida com o estalar de uma bengala no chão de madeira.

    Todas deram um gritinho de susto.

    - Vocês deviam trabalhar mais e falar menos. Não vejo os trajes de inverno da princesa prontos. Já bateram a poeira e perfumaram ele? Andem, eu cuido da princesa hoje – a voz era de Evelyne, sua dama de companhia. Com todos, ela era muito dura e rígida, mas com você, talvez a única pessoa gentil daquele castelo.

    Prólogo - Uma noite de inverno Y0PYGDm

    Quando as portas se fecharam, ela suspirou de forma pesada.

    - Eu duvido que esteja dormindo, após a barulheira dessas criadas, minha princesa. Vou preparar o seu banho – ela disse, andando pelo quarto e abrindo uma das peles do dossel da cama de Fantine. – Forgart quer se reunir à vossa alteza. Eu disse que estava indisposta. Precisa estar bonita, sinto que seu marido chegará logo. Com certeza ele não está indo ver a irmã do Imperador  – ela sorriu. Você conhecia a irmã do Imperador. Como ela se chama? Qual a aparência dela? Como é a relação entre as duas princesas? – Se lembra do dia que o conheceu?...


    ◦◦◦◦◦◦◦◦◦◦◦◦◦◦◦☽ ☼ ☾ ◦◦◦◦◦◦◦◦◦◦◦◦◦◦◦



    ◦☽ Três anos antes... ☾ ◦


    Forgart estava na carruagem com você e Evelyne, estavam quase chegando em Stonegates, o castelo do Imperador. Estavam em cima da hora para o baile, mas a rainha de Rivendell, atual mulher de seu pai, tinha dado um chilique antes de saírem, pois não queria dividir a carruagem com alguém que “não era da família real”, claramente se referindo a você. Apesar da marca que provava seu sangue azul, desde que chegara no castelo, sendo filha de um caso do Rei, as coisas não foram nada fáceis.

    Prólogo - Uma noite de inverno 4dqjrYK

    Forgart pigarreou – É muito importante que se porte bem hoje, vossa alteza. Sei de suas origens simples e pouco entendimento do nosso cenário político, mas o Sir Calypse acabou de herdar as terras de Midland. Além disso, é um dos Remdragon Knights – o homem fez uma careta – Um bando de mercenário das terras bárbaras, que nos dão trabalho com muita frequência. Quando eu te vi naquela vila, soube que você seria a solução para esse problema. Você parece o tipo de mulher que eles gostam lá, aqui ninguém ia querer casar com alguém de aparência tão... espalhafatosa – as mulheres do reino eram mais magras, com poucas curvas, cabelos lisos, geralmente pretos ou loiros. Mesmo o conselheiro falando aquilo, Fantine já o tinha pegado olhando pra ela várias vezes com malícia. – Mulheres de valor são como minha querida Evelyne. Não vejo a hora de nos casarmos também – Evelyne não parecia tão animada. Ela não tinha dito um pio naquela viagem.

    - E não é só isso. Além do casamento, um inimigo em comum. Há forças fora de controle que estavam há muito adormecidas... E, agora, estão nos ameaçando. Eles são especialistas nisso, ao contrário do nosso exército. E lutarão por nós. Então não há a possibilidade dele te rejeitar, entendeu?

    Ele era seco, sem empatia. Era impossível imaginar que Evelyne estava com ele por amor.

    A Carruagem entrou pelo grandes portões de pedra e o conselheiro desceu na primeira parada. As damas desceriam em frente ao castelo. Evelyne pareceu relaxar os ombros.

    - Vossa alteza, olha o tamanho desse castelo! – parecia encantada. Era um castelo realmente enorme, a vila abaixo dele era próspera e o clima menos gelado que Rivendell... Mas ainda era inverno e nenhum sol era avistado. A dama de companhia olhava pela janela – Você acha que sua nova casa vai ser tão grande quanto?!





    Evelyne Forgart
    Dama de Companhia da princesa Fantine
    Esposa de Casper Forgart
    #cc6699



    Casper Forgart
    Conselheiro do rei de Rivendell
    #006600




    Emme
    thendara_selune
    Antediluviano
    thendara_selune
    Antediluviano

    Mensagens : 3214
    Reputação : 151
    Conquistas :
    • https://i.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/411.png
    2º Concurso :
    • https://i.servimg.com/u/f51/19/64/68/80/prata_10.png
    • https://i.servimg.com/u/f89/19/67/13/04/medalh27.png

    Prólogo - Uma noite de inverno Empty Re: Prólogo - Uma noite de inverno

    Mensagem por thendara_selune Ter Abr 18, 2023 11:06 pm






    16:00
    Inverno
    Stonegates







    Fantine Silverfield


    Enquanto o inverno rugia do lado de fora, as memórias de Fantine ecoavam em sua mente: "Não deixe o frio entrar, ou a Bruxa virá comer seus dedos! Vamos, vá para a cama e se cubra." A adorada mamãe Zoya não estava mais neste mundo, levada pela idade avançada e deixando Fantine sem sequer poder visitar seu túmulo. A dor de perder a única pessoa que realmente a amou era insuportável, e mesmo o conhecimento sobre sua origem e os olhares maldosos que a cercavam no castelo não se comparavam à solidão que sentia.

    Ao ouvir a voz suave de Evelyne, Fantine se afastou das cobertas e sentou-se, ainda cansada. A jovem dama de companhia era sua única amiga verdadeira no castelo. "Bom dia, Eve", sussurrou, enquanto recebia ajuda para o banho, o que ainda era algo muito estranho para ela. Fantine podia se virar, mas os costumes dos nobres eram tão diferentes e cheios de regras que a ruiva preferia evitar gerar mais comentários maldosos sobre seu comportamento. "Elas podem cochichar o que quiserem, já não me importo", disse ela, embora seu rosto vermelho e frustrado parecesse dizer o contrário. "Nunca vi a irmã do imperador, só sei que é muito bonita", murmurou para Eve, enquanto a amiga a ajudava a se vestir com roupas pesadas de inverno, como peles, luvas e botas quentes.

    Visual:





    ⚜⚜⚜⚜⚜⚜⚜⚜⚜



    Com Forgart

    A paisagem era uma pintura de neve, com as árvores e montanhas parecendo ter sido esculpidas em diamante. O ar era tão frio que fazia os pulmões da princesa parecerem congelados. Forgart, o conselheiro do rei, dava instruções a Fantine, que sabia que precisava se comportar bem. "Compreendo, senhor, e farei o meu melhor", respondeu ela, apesar de não gostar do modo como ele a olhava, com seus olhos cobiçosos e maliciosos, algo que ela notou mais de uma vez. Quando Forgart começou a falar sobre Evelyne de um jeito indecente, a princesa se sentiu ainda mais desconfortável. "Entendo, senhor", concordou ela, ansiosa para que ele terminasse logo e pudesse sair dali.
    Quando ficaram sozinhas novamente, Fantine finalmente pôde relaxar. "É incrível!", exclamou ela, deixando-se levar pela animação da amiga. "Não consigo imaginar como será, mas espero que seja bonito", acrescentou, sem querer criar expectativas. "Você vai mesmo se casar com ele?", perguntou timidamente, olhando para a amiga com curiosidade.

    Off:




    emme
    Bastet
    Adepto da Virtualidade
    Bastet
    Adepto da Virtualidade

    Mensagens : 1924
    Reputação : 119
    Conquistas :
    • https://i.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/2211.png
    • https://i.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/2111.png

    Prólogo - Uma noite de inverno Empty Re: Prólogo - Uma noite de inverno

    Mensagem por Bastet Ter maio 16, 2023 12:42 pm



    Prólogo - Uma noite de inverno



    ! Stonegates 3 anos antes  @thendara_selune


    Fogart pareceu surpreso com a sua resposta, como se esperasse um pouco mais de luta... Mas, por fim, assentiu satisfeito, antes de sair da carruagem. Deu uma olhada para a noiva, verificando algo que não fora dito, e partiu em direção à carruagem real, para acompanhar seu pai, que também descera ali naquele ponto.

    Evelyne deu um sorrisinho com o devaneio da princesa sobre a aparência do futuro marido – Tenho certeza que Vossa Alteza será agraciada com um marido e filhos lindos – e olhou pra fora, um tanto melancólica  – Quanto a mim... Bem, minha sorte foi conseguir um marido. Muitas garotas em minha posição não conseguem um bom casamento.

    ◦◦◦◦◦◦◦◦◦◦◦◦◦◦◦☽ ☼ ☾ ◦◦◦◦◦◦◦◦◦◦◦◦◦◦◦

    Se de fora o castelo parecia enorme... A medida que vocês se aproximavam, se tornava cada vez mais exuberante.  Diferente das muralhas brutas de pedra que nomeavam a fortaleza, todo o interior da cidade imperial era, no mínimo, próspera e bela. Casinhas ao entorno da muralha, comércio, algumas esculturas de pedra e estradas pavimentadas. Diziam que só morava ali quem era convidado pelo próprio imperador... E aquela era a maior honra para os membros das famílias mais ricas do império.

    Prólogo - Uma noite de inverno Nv37HoZ

    O castelo em si tinha tantas torres que era até difícil de contar. Ficava bem no centro da cidade e era construído com pedras brancas, que se assemelhavam à neve, dando a impressão da construção ser quase infinita em meio à paisagem.

    As luzes estavam todas acesas e muitas pessoas vestidas para o baile já percorriam o exterior e interior do castelo. Muitas carruagens paravam e descarregavam damas impecáveis, com vestidos de inverno cheio de peles e joias que se destacavam em suas peles pálidas.  

    Aquela era a primeira vez que você, de fato, participava de um evento daquela estirpe. Seu pai costumava dar bailes em Rivendell, mas você não fora permitida participar desde que chegara. O rei até tentava, mas a rainha e Forgart diziam que você não estava preparada e ia ser uma vergonha para a família... Bem, uma vergonha até ser necessária, como era o caso agora.

    Nas últimas semanas, foi obrigada a treinar diversos tipos de dança, ensinada a falar como “uma dama” e a se portar também. Evelyne foi a principal professora, então as aulas foram divertidas. Por fim, decidiram o vestido que você compareceria no baile. Como ele era?

    ◦◦◦◦◦◦◦◦◦◦◦◦◦◦◦☽ ☼ ☾ ◦◦◦◦◦◦◦◦◦◦◦◦◦◦◦

    Antes de ir para o salão de baile, um dos criados levaram você e Evelyne até os aposentos onde ficariam naquela estadia. Era separado do de seu pai e da Rainha, mas não parecia ser inferior. Um quarto nos fundos do castelo, de frente ao lindo jardim de inverno.  Flores exóticas nasciam lá, algumas tão vermelhas que pareciam sangue em meio à neve.   Você nunca tinha visto aquelas flores...

    O quarto tinha uma porta de vidro que permitia o acesso à uma sacada, com uma escadinha para o jardim. Dentro dele, tapeçarias e cortinas pesadas, uma grande cama, penteadeira, o baú que ela tinha trazido em sua carruagem e um divã confortável. Tinha aroma de rosas, pois flores recém colhidas estavam postas em vasos perto da cama.

    Prólogo - Uma noite de inverno ICa2TYY

    - Vossa Alteza! – Evelyne disse, num tom alarmante. Ela estava na frente da penteadeira, segurando um envelope nas mãos – Veja isso! É o selo imperial... E está endereçada a você! – estendeu a carta para a princesa, toda animada. Mal conseguia conter a curiosidade, doida pra você abrir e compartilhar a informação.


    Caso a princesa abrisse a carta, leria:

    Evelyne a olhava enquanto lia, claramente curiosa.

    - E então, vossa Alteza? O Imperador escreveu dizendo que vai abençoar o seu casamento aqui no castelo? É isso?!! Precisamos nos arrumar melhor, nesse caso. O baile logo vai começar!






    Evelyne Forgart
    Dama de Companhia da princesa Fantine
    Esposa de Casper Forgart
    #cc6699



    Casper Forgart
    Conselheiro do rei de Rivendell
    #006600




    Emme[/quote]
    thendara_selune
    Antediluviano
    thendara_selune
    Antediluviano

    Mensagens : 3214
    Reputação : 151
    Conquistas :
    • https://i.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/411.png
    2º Concurso :
    • https://i.servimg.com/u/f51/19/64/68/80/prata_10.png
    • https://i.servimg.com/u/f89/19/67/13/04/medalh27.png

    Prólogo - Uma noite de inverno Empty Re: Prólogo - Uma noite de inverno

    Mensagem por thendara_selune Seg maio 22, 2023 2:53 pm






    16:00
    Inverno
    Stonegates







    Fantine Silverfield


    Fiquei encantada com o lugar, embora meu coração ainda se apegasse à vida simples na vila. Enquanto observava as luzes cintilantes, tinha a impressão de que brilhavam tão suavemente quanto a pele das damas elegantes que chegavam ao local. Ao mesmo tempo, percebia que minha própria tez não era tão clara e meus cabelos ruivos, que ondulavam com abundância, haviam dado trabalho a Eve. Aquele espartilho apertado e os saltinhos desconfortáveis continuavam a me incomodar, apesar de o interior deles ser levemente acolchoado.

    É curioso pensar que, em Rivendell, a esposa de meu pai me manteve trancada na maior parte do tempo, e agora essa situação serviria aos interesses políticos que se desenrolavam nos bastidores. Suspirei, pensativa, ainda admirando a paisagem como se quisesse perpetuá-la em um quadro somente para mim.

    ◦◦◦◦◦◦◦◦◦◦◦◦◦◦◦☽ ☼ ☾ ◦◦◦◦◦◦◦◦◦◦◦◦◦◦◦

    Ao contemplar a vista que se descortinava daquele quarto, não pude conter um sorriso. "É absolutamente deslumbrante, assemelha-se ao aposento de uma verdadeira princesa..." Por vezes, eu me esquecia de que, apesar de minha origem bastarda, de alguma forma eu era uma princesa, mesmo que a esposa de meu pai não aceitasse tal fato.

    Meus modos ainda eram um tanto rudes, mas o sangue real fluía em minhas veias, evidente em meus cabelos vermelhos como fogo e meus olhos que reluziam como ouro. A marca em minhas costas também era um lembrete constante de minha linhagem, pois eu era a única herdeira direta do rei, uma vez que a rainha ainda não havia dado à luz nenhum filho, especulando-se que fosse devido a alguma doença ou, quem sabe, um castigo divino por seu temperamento indomável.

    Evelyne mostrou-me o envelope. Fiquei ansiosa e olhei para ela, como se não pudesse acreditar que o Imperador pudesse sequer considerar minha existência. No entanto, lá estava o envelope, e mesmo que fosse apenas uma formalidade, senti uma ponta de alegria em meu coração.

    Minhas mãos tremiam um pouco enquanto abria o conteúdo e o lia em voz alta para que minha amiga pudesse escutar. No trecho que mencionava minha mãe, minha voz ficou trêmula e meus olhos se encheram de lágrimas.

    "Minha mãe esteve neste mesmo quarto?!" Havia incredulidade e, simultaneamente, um brilho repleto de emoção ao pensar que eu estava pisando no mesmo solo que ela.

    Mama Marion me contara sobre minha mãe, uma mulher extraordinariamente bela, inteligente e bondosa, mas que encontrara desventura em suas amizades. Diziam que ela fora traída por sua própria amiga de infância, o que a levou a um estado de desgraça. Parece que o rei, meu pai, se afastara dela, acreditando que fora traído com um capitão da guarda real, que por sua vez fora exilado. No entanto, Marion não acreditava nessa história. Ela suspeitava que minha mãe caíra em uma armadilha, especialmente por estar grávida e carregando a próxima herdeira na linha de sucessão.

    "Quero falar com o Imperador, mas sei que fazê-lo agora só traria problemas. Há esse baile e tudo mais..." Disse com uma agitação evidente em minha voz, enquanto meus olhos se fixavam nas flores tão vermelhas quanto meus cabelos.

    Visual:



    Off:




    emme
    Bastet
    Adepto da Virtualidade
    Bastet
    Adepto da Virtualidade

    Mensagens : 1924
    Reputação : 119
    Conquistas :
    • https://i.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/2211.png
    • https://i.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/2111.png

    Prólogo - Uma noite de inverno Empty Re: Prólogo - Uma noite de inverno

    Mensagem por Bastet Dom Jun 11, 2023 2:13 am



    Prólogo - Uma noite de inverno



    ! Stonegates 3 anos antes  @thendara_selune


    Evelyne não esperava que a princesa compartilhasse com ela o conteúdo daquela carta tão especial... Tampouco imaginara ouvir as informações colocadas naquele envelope pelo imperador em pessoa. A verdade era que, apesar de viverem em um castelo, tanto ela quanto Fantine eram novas em seus deveres... E, por isso (além do drama de família real, é claro), as colocava em uma posição sem muito destaque social. Uma carta redigida pelo próprio imperador com certeza podia mudar tudo. Uma carta de apreço pela mãe perdida da princesa e um casamento que a elevaria de princesa a senhora do seu próprio castelo e herdeira direta de duas nações.

    A dama de companhia levou as mãos aos lábios, em surpresa. Logo abriu um sorriso, assentindo às palavras de Fantine. – Eu acho que sim, Vossa Alteza. Esteve aqui e foi querida pelo nosso Imperador! Como isso é possível? Seu pai proibiu de até tocarmos no nome dela quando descobriu a tra... – ela pareceu pensar melhor na frase antes de a completar – Bem, quando ele a abandonou

    Parecia empolgada com as informações e pronta para incentivar a princesa a ir procurar o imperador imediatamente... Mas logo se lembrou que estava ali para ajudar Fantine a tomar decisões sábias. Respirou fundo, passando uma mão na outra pra controlar a própria ansiedade e ajeitou o vestido.

    – Vossa alteza tem razão. Não devemos nos atrasar. Você deve ser apresentada oficialmente à sociedade e essa é uma oportunidade esplêndida para isso. Venha, vamos tirar essas peles e ajeitar o seu cabelo, logo um soldado virá lhe acompanhar – ela te levou para a frente da penteadeira, começando a tirar o casaco de peles para deixar em evidência o vestido e a ajeitar o seu cabelo.

    Todas as damas sem par eram apresentadas ao imperador no baile anual. Primeiro, entravam os cavalheiros casados com suas esposas, depois os cavalheiros sem uma parceira... E, por fim, as jovens que logo desabrochariam. Cada uma escoltada por um soldado imperial até as portas do salão de baile, onde seriam anunciadas e desceriam uma luxuosa escada, parando em frente ao trono do imperador e de sua primeira esposa.

    Evelyne tagarelava, lembrando à princesa essas etapas.

    – É nesse breve instante que você pode captar a atenção dele, vossa alteza! Dizem que a ultima esposa dele foi descoberta no último baile imperial e um movimento de mãos fez ele se encantar. Claro, eu nunca ousaria dizer para a senhora o seduzir... Mas ganhar a atenção dele pode ser vantajoso para sua futura união... E, bem, para sanar dúvidas que surgiram com a carta.

    Eve continuou explicando sobre o baile. A primeira dança acontecia após as damas serem apresentadas ao imperador. Cada uma era escolhida por um cavalheiro sem par no final das escadas e a magia parecia acontecer.

    – Seu futuro marido certamente irá tirá-la para esta dança – dizia a mulher com empolgação.

    Por fim, ela terminou, se certificando que seus sapatos estavam lustrosos.
    – Eu preciso ir agora. Aguarde o soldado, vossa alteza. Estarei no baile junto com Forgart caso precise de mim – e ela se despediu com um abraço animado e impensado... Pediu desculpas depois, antes de sair apressada do quarto.


    ◦◦◦◦◦◦◦◦◦◦◦◦◦◦◦☽ ☼ ☾ ◦◦◦◦◦◦◦◦◦◦◦◦◦◦◦

    Enquanto aguardava o soldado bater em sua porta, sentada na penteadeira perto da porta que se abria ao jardim, Fantine percebeu uma movimentação estranha.  Em meio às flores, do lado de fora, alguém se esgueirava pelas sombras, em direção a uma rosa vermelha.  A figura era baixa, esguia e vestia um pesado capuz vermelho que lhe cobria o corpo, além de uma máscara que escondia boa parte do rosto. A princesa viu apenas os olhos da pessoa, que pareciam brilhar no escuro em um amarelo meio opaco.

    Prólogo - Uma noite de inverno YGdobae

    A pessoa tinha algo que reluzia na mão e parecia pronta para cortar a flor do jardim, se ajoelhando no chão... Mas foi impedida por um homem, que estava de costas para você e de frente para a pessoa encapuzada. Ele vestia um manto negro com o capuz abaixado e o cabelo dele descia em ondas pretas pelo tecido, cheios de pontinhos brancos da neve que descia dos céus. Ele era enorme e muito forte, mas não foi agressivo. Apenas estendeu a mão para a outra figura, falando algo inaudível para a princesa.

    Os olhos amarelos da pessoa encapuzada se cravaram nos seus, assim que a figura do capuz se levantou. Mesmo que estivessem distantes... Mesmo que o quarto estivesse levemente escuro, aqueles olhos encontraram os seus... E, nesse momento, o soldado bateu na porta, chamando pelo seu nome.

    ◦◦◦◦◦◦◦◦◦◦◦◦◦◦◦☽ ☼ ☾ ◦◦◦◦◦◦◦◦◦◦◦◦◦◦◦

    E então as portas do salão de bailes se abriu. O soldado não entrou com você.  Um dos criados anunciou seu nome... E uma escada, um imperador e um salão cheio de olhos curiosos lhe aguardavam.

    Prólogo - Uma noite de inverno Coming-down-the-stairs-phoebe-dynevor

    IMPORTANTE:






    Evelyne Forgart
    Dama de Companhia da princesa Fantine
    Esposa de Casper Forgart
    #cc6699



    Casper Forgart
    Conselheiro do rei de Rivendell
    #006600




    Emme
    thendara_selune
    Antediluviano
    thendara_selune
    Antediluviano

    Mensagens : 3214
    Reputação : 151
    Conquistas :
    • https://i.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/411.png
    2º Concurso :
    • https://i.servimg.com/u/f51/19/64/68/80/prata_10.png
    • https://i.servimg.com/u/f89/19/67/13/04/medalh27.png

    Prólogo - Uma noite de inverno Empty Re: Prólogo - Uma noite de inverno

    Mensagem por thendara_selune Ter Jun 20, 2023 12:21 pm






    16:00
    Inverno
    Stonegates







    Fantine Silverfield


    Escutei e compartilhei do entusiasmo de Evelyne, enquanto observava suas expressões faciais que revelavam uma fusão de emoções. A ideia de saber que minha mãe também havia estado ali, de alguma forma, aquecia meu coração. Tentei ouvir atentamente as explicações de Eve sobre como me comportar. Eu sentia medo? Certamente, e quem não sentiria em uma situação como essa? O medo de falhar, o medo de agir de forma tola, não por causa das expectativas dos outros, mas por pensar em minha mãe e em como ela deveria ser uma verdadeira dama. "Vou me esforçar ao máximo", disse, apertando suas mãos entre as minhas, meus olhos brilhando cheios de esperança de que tudo desse certo. Havia muito em jogo, mas o que mais me enchia de fé era a possibilidade de descobrir mais sobre a mulher que me trouxe ao mundo. Eu não queria, de forma alguma, desperdiçar essa oportunidade.


    ◦◦◦◦◦◦◦◦◦◦◦◦◦◦◦☽ ☼ ☾ ◦◦◦◦◦◦◦◦◦◦◦◦◦◦◦
    Depois que Eve saiu, fiquei observando meu reflexo no espelho até que algo chamou minha atenção. Levantei-me e percebi uma movimentação um tanto incomum, afinal, era o grande baile, e todos os criados deveriam estar concentrados nele, além dos nobres. Entre as flores, uma figura se esgueirava pelas sombras em direção a uma rosa vermelha. Não conseguia ver seu rosto, mas nossos olhares se encontraram, parecendo um amarelo opaco. Parecia que ela ou ele pretendia colher uma das rosas. Então, um homem surgiu, e senti uma apreensão. Não podia acreditar que ele fosse repreender a pessoa que estava ali em busca da rosa. Não conseguia ouvir a conversa, mas senti quando os olhos amarelos se fixaram nos meus. Talvez tenha sido apenas uma coincidência, já que eu os estava espiando de certa forma. Em seguida, ouvi batidas na porta e meu nome sendo chamado, o que desviou minha atenção da cena no jardim. Depois, eu me vi seguindo para o salão do baile. Não disse nada ao soldado, apenas me revesti de uma graciosidade imperfeita, mas decidi fingir que meu papel ali era teatral. Assim, seria como uma atriz desempenhando o grande papel que esperei a vida inteira para ter, pelo menos era isso que tentei fantasiar. Eu esperava ser anunciada, e quando meu nome ecoou pelo ar, parecia que o tempo havia parado, enquanto meus pés desciam os degraus como se eu tivesse vivido entre a nobreza desde sempre. Lembrei das lições que aprendi ao longo dos meses, que se eu permanecesse calma e evitasse falar demais, as coisas poderiam fluir bem. Mesmo assim o nervosismo fluía e senti que poderia acabar pisando em meu vestido ou quem sabe agindo de uma maneira cômica pra quem olhasse de fora.

    Prólogo - Uma noite de inverno 441b9e3532de443bb7965b0140cd18b79fad3dec
    Aqui uso a desvantagem nervosismo -1




    Ao chegar diante do trono, senti uma atmosfera de poder, orgulho e a pompa da corte, bem como a maneira deles de ostentar quem são diante dos outros. Meus olhos pareciam tranquilos, meus modos eram educados, talvez até graciosos. Não me dava conta dos meus trejeitos, era como se, de certa maneira, não fosse eu ali, mas sim outra Fantine. Ao parar diante do trono, repeti a mesura que me foi ensinada e me levantei assim que o imperador permitiu.

    Aqui uso o bonus da beleza +1

    "Vossa Majestade, sou a princesa Fantine Silverfield. Coloco-me aos vossos serviços e sinto-me profundamente honrada por estar presente neste lugar." Minhas palavras saíram sussurradas e senti um leve tremor em minha voz. Quando percebi, senti-me ainda mais nervosa diante do imperador, e o ar parecia faltar em meus pulmões, não conseguindo sustentar minha posição diante dele. Desmaiei, sentindo o sangue abandonar meu rosto.


    Visual:



    Off:




    emme
    Bastet
    Adepto da Virtualidade
    Bastet
    Adepto da Virtualidade

    Mensagens : 1924
    Reputação : 119
    Conquistas :
    • https://i.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/2211.png
    • https://i.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/2111.png

    Prólogo - Uma noite de inverno Empty Re: Prólogo - Uma noite de inverno

    Mensagem por Bastet Seg Jul 03, 2023 7:02 pm



    Prólogo - Uma noite de inverno



    ! Stonegates 3 anos antes  @thendara_selune


    Talvez aquele fosse o momento de maior tensão da vida de Fantine. Os degraus a sua frente poderiam ditar como ela seria vista, tanto pela sociedade quanto pelo Imperador. Mesmo com seu casamento planejado, a jovem sabia o peso que a sociedade podia ter nas pessoas: sua mãe foi vítima de boatos e, por fim, rejeitada pelo Rei por motivos infundados.

    Quando a porta se abriu e o criado anunciou seu nome, uma música suave começou a tocar no salão.

    Resultado das Rolagens:


    Todos olharam para ela, curiosos. Apesar do nervosismo, Fantine conseguiu dar o primeiro passo em direção aos degraus sem vacilar... E depois mais um. Foi descendo as escadas com leveza, o cabelo ruivo parecendo dançar junto com a sua música de apresentação. Algumas pessoas olhavam admiradas, principalmente os homens, enquanto as mulheres casadas e as solteiras cochichavam entre si, com olhares maldosos na sua direção.

    Enquanto se aproximava do fim da escada, para cumprimentar o imperador, os olhos da princesa foram atraídos de forma magnética até três figuras que se destacavam em um dos cantos do salão. Uma jovem ruiva, como ela, um homem de cabelos longos e negros... E um homem de pele olivada, maior e mais forte que os outros dois. Os dois primeiros pareciam muito as figuras que vira no jardim do Imperador... E o último... Nossa, era o homem mais bonito que já tinha visto.

    Prólogo - Uma noite de inverno Po7I9MG

    Aquele que você não tinha visto anteriormente estava vestido com um manto longo e pesado, com pele do que parecia ser de lobo negro. Parecia preocupado, falando com os outros... Mas, assim que botou os olhos em você, parou de falar. O homem de cabelo longo tentou fazer ele voltar a prestar atenção no que ele dizia, mas o outro fez um sinal com a mão pra ele se calar e se afastou dos outros dois, começando a passar por entre a multidão em direção à escada. Será que era ele que ia te tirar para a primeira dança? Espera, será que era Ele o seu noivo?

    Apesar de os olhos do homem não saírem de você, Fantine precisou se concentrar nos últimos degraus da escada para não cair bem na frente do imperador. Este estava sentado em seu trono, olhando a princesa com certa curiosidade. As esposas não estavam ali, provavelmente recepcionando os convidados da festa.

    Prólogo - Uma noite de inverno Y881jF7
    Ele era um homem na casa dos 40 anos, com a expressão um tanto cansada. Loiro e pálido, um leve rubor apareceu em sua face enquanto te aguardava... Mas uma ruga surgiu entre as sobrancelhas do homem quando te ouviu começar a falar.

    Ele botou a mão em seu queixo, fazendo você erguer o rosto após a mesura, esquadrinhando sua face como se procurasse algo... Algo que não parecera encontrar, o que deixou ele um tanto frustrado.

    - Seja bem-vinda, senhorita Silverfield, aproveit... – estava dando uma resposta genérica, que dava à maioria das damas, quando percebeu a jovem hiperventilar... E ficar mole em seus braços.

    ◦◦◦◦◦◦◦◦◦◦◦◦◦◦◦☽ ☼ ☾ ◦◦◦◦◦◦◦◦◦◦◦◦◦◦◦

    Nos breves momentos de consciência que teve em seguida, ouviu um burburinho... O Imperador chamando por alguém... E braços fortes a segurando. O pelo macio tocando seu rosto e um cheiro de especiarias que você nem conhecia, mas que pareciam únicas, invadindo seu nariz.

    ◦◦◦◦◦◦◦◦◦◦◦◦◦◦◦☽ ☼ ☾ ◦◦◦◦◦◦◦◦◦◦◦◦◦◦◦

    - Foi apenas um desmaio. O espartilho estava atado demais... E ela parecia nervosa – uma voz feminina dizia, calma.

    - Você devia fazer uma de suas poções para ela. Ela está tão pálida... –  Podia sentir o hálito dele perto de sua pele, e o cheiro de especiarias da pele dele pairando no ar.

    - Senhor, não podemos fazer esse tipo de coisa aqui, concordamos em seguir as leis... – um homem tentou intervir

    - Foda-se as leis desses...

    - Oh, ela está acordando Comandante, olha... – a voz da mulher ficou mais próxima... E sua consciência foi retomando.  – Vamos avisar aos pais dela, Koda. Anda... – e se afastou, assim como os passos pesados do outro cavaleiro.

    Um dedo grande e surpreendentemente gentil fez um carinho em sua bochecha.

    - Fantine, acorda... Você está bem? – a voz dele era macia, profunda e levemente rouca, como se não quisesse machucar os seus ouvidos. Estava ajoelhado ao lado do sofá que você fora colocada, guardando o seu sono.

    A sala em volta era pequena, com móveis de chá e plantas coloridas. Provavelmente uma das salas de chá das esposas do Imperador. Você estava coberta pelo manto do homem, sem a parte de cima do vestido, por baixo, e o espartilho tinha sido afrouxado.

    Podia ouvir Evelyne lá fora, brigando com alguém... E a voz da mulher que estava na sala a acalmando, como se fosse uma melodia cheia de doçura.

    - Hey... – ele falou, quando seus olhos focaram em seu rosto.

    Prólogo - Uma noite de inverno F9658d5c93ce4017e09b4df3f165058f

    Spoiler:






    Evelyne Forgart
    Dama de Companhia da princesa Fantine
    Esposa de Casper Forgart
    #cc6699



    Casper Forgart
    Conselheiro do rei de Rivendell
    #006600




    Emme
    thendara_selune
    Antediluviano
    thendara_selune
    Antediluviano

    Mensagens : 3214
    Reputação : 151
    Conquistas :
    • https://i.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/411.png
    2º Concurso :
    • https://i.servimg.com/u/f51/19/64/68/80/prata_10.png
    • https://i.servimg.com/u/f89/19/67/13/04/medalh27.png

    Prólogo - Uma noite de inverno Empty Re: Prólogo - Uma noite de inverno

    Mensagem por thendara_selune Qui Jul 20, 2023 12:10 pm






    16:00
    Inverno
    Stonegates







    Fantine Silverfield


    Minha visão embaçou e escureceu, dificultando a identificação das figuras ao meu redor. Porém, as imagens daqueles três próximos às escadas permaneceram vívidas em minha mente, destacando-se e fluindo em minha consciência. A expressão indiferente do Imperador me deixou momentaneamente atordoada, e agora as vozes ao meu redor pareciam ecoar como murmúrios distantes. Pisquei repetidamente, instintivamente tocando minha têmpora para recobrar a compostura. A consciência voltava, mas ainda me sentia confusa.

    Uma voz feminina soou próxima, e finalmente meus olhos focaram no homem mais belo que já tinha visto. Na verdade, os três eram de uma beleza deslumbrante, provocando um rubor quente em meu rosto.

    Seu carinho me deixou alerta e paralisada. "Bem... Oh, minha vestimenta... Pelos céus...", minha reação tomou conta do meu corpo, enquanto ouvia a voz de Evelyne do lado de fora. Instintivamente, segurei meu manto mais próximo. "O que aconteceu? Será que fiz algo errado... Eve?!" Apesar de perturbada, meu olhar permanecia preso ao deles. "Quem são vocês? Não desejava... Oh, Céus... Por que isso tinha que ocorrer justo agora?!" Confessei mais para mim mesma do que para eles, até que, finalmente, desviei meus olhos e mordi meu lábio inferior com força. Ainda podia sentir o toque dele em minha bochecha. "Desculpem, não queria incomodar…" Suspirei pesadamente, um tanto envergonhada. Será que minha apresentação foi totalmente desastrosa?! Com os olhos semicerrados, baixei o olhar. "Eve?! A voz lá fora é dela... Por favor, quero vê-la...", pedi com ansiedade, desejando encontrar Evelyne e compreender melhor toda a situação.

    Visual:



    Off:




    emme
    Bastet
    Adepto da Virtualidade
    Bastet
    Adepto da Virtualidade

    Mensagens : 1924
    Reputação : 119
    Conquistas :
    • https://i.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/2211.png
    • https://i.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/2111.png

    Prólogo - Uma noite de inverno Empty Re: Prólogo - Uma noite de inverno

    Mensagem por Bastet Sáb Jul 29, 2023 12:13 am



    Prólogo - Uma noite de inverno



    ! Stonegates 3 anos antes  @thendara_selune


    Ao perceber que você tinha ficado rubra e um tanto alarmada, o homem tirou a mão de seu rosto, com as maçãs do rosto também quentes. Não dava pra saber o que ele estava pensando, mas, com toda certeza, sabia que tinha passado de algum limite... E detestava aquele limite.

     - A senhorita perdeu a consciência ao descer as escadas. Eu a trouxe pra cá... Mas foi a sua dama e Ysabeau que afrouxaram o seu espartilho. Nenhum homem desonrou sua nudez – ele desviou o olhar quando você se mexeu e o manto pesado dele escorregou levemente de seu corpo.

    O homem se levantou, fazendo um sinal para que deixassem Evelyne entrar. Enquanto ela o fazia, xingando Ysabeau de palavras educadamente ofensivas, ele respondeu sua outra pergunta.

     - Eu sou Matthew Calypse. A senhorita deve ter ouvido meu nome, pois nos casaremos em breve – ele deu um sorriso sem jeito e fofo ao mesmo tempo  – Meus planos eram conhece-la numa dança hoje... Mas...

     - Mas a conheceu sequestrando de nós! Princesa! Vossa alteza está bem? – Evelyne se aproximou, como uma gata com filhotes, fazendo Matthew se afasta, te cobrindo melhor.

     - A senhorita fala como se eu a tivesse trazido para esta sala sem autorização dos pais dela e do próprio imperador.

     - Mas nos trancou pra fora, depois!

     - A senhorita é muito barulhenta – Koda disse lá de fora, arrancando um sorriso de Matthew.

     - Como eu ia dizendo, eu pretendia conhece-la em uma dança. Se ainda desejar me conceder essa honra... Eu aguardarei ansiosamente. Vou deixa-la se recompor – ele fez uma mesura e saiu da sala, deixando o manto contigo.

    Evelyne bufou, indo pegar a parte de cima do seu vestido pra te ajudar a vestir.

     - Bem que dizem que esse pessoal forasteiro são um bando de trogloditas. Você viu o tamanho dele? E daquele outro? – ficou um pouco vermelha ao falar do “outro”  - Temos de te mostrar linda aos príncipes desse baile, senhorita. Um que tenha o mínimo de educação. –  bufou, talvez pela primeira vez demonstrando o verdadeiro temperamento. Ela era outra pessoa longe do marido... Uma jovem com muito mais personalidade, com certeza.   – Vossa alteza não está pensando em dançar com ele, está?






    Evelyne Forgart
    Dama de Companhia da princesa Fantine
    Esposa de Casper Forgart
    #cc6699



    Casper Forgart
    Conselheiro do rei de Rivendell
    #006600




    Emme
    thendara_selune
    Antediluviano
    thendara_selune
    Antediluviano

    Mensagens : 3214
    Reputação : 151
    Conquistas :
    • https://i.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/411.png
    2º Concurso :
    • https://i.servimg.com/u/f51/19/64/68/80/prata_10.png
    • https://i.servimg.com/u/f89/19/67/13/04/medalh27.png

    Prólogo - Uma noite de inverno Empty Re: Prólogo - Uma noite de inverno

    Mensagem por thendara_selune Qua Ago 16, 2023 11:23 am






    16:00
    Inverno
    Stonegates







    Fantine Silverfield


    Ouvi sua resposta e senti meu rosto queimar ao perceber que ele estava um tanto envergonhado. Ele? Tímido? Esse homem dificilmente poderia ser! Quando ele soltou a frase "Nenhum homem desonrou sua nudez", meu rosto parecia um apito de chaleira, estridente. Parecia que estava prestes a desmaiar ali mesmo, na frente deles, que pareciam tão atraentes e isso só aumentava a temperatura do meu rosto.

    Quando ele se levantou, fiz um esforço para recuperar uma postura mais neutra. Porém, quando Eve entrou, meu sorriso de alívio rapidamente se transformou em desespero. "O senhor é quem...?" Minha pergunta saiu de forma entrecortada, como se eu tivesse mordido a língua. "Perdoe-me por toda essa..." Me encolhi dentro do manto que agora parecia um muro cheio de rachaduras, incapaz de esconder minha vergonha. "essa situação, Milorde..." Eve aproximou-se, e eu me encolhi um pouco, tentando me aproximar dela o máximo possível. "Estou bem, Eve..." No entanto, estava tão nervosa que temi desmaiar novamente. Embora, secretamente, quisesse desmaiar naquele exato momento, quando ele mencionou a dança. "Se o senhor realmente quiser, adoraria dançar com Milorde..."

    Koda provocou Eve, o que me fez esboçar um sorrisinho que escondi com uma das mãos enquanto segurava o manto. Quando finalmente ficamos sozinhas, tentei relaxar. "Obrigada, Eve. Eles foram gentis... Estou surpresa com meu noivo..." Minhas bochechas coraram intensamente. Ele era o homem mais bonito que eu já tinha visto em toda minha vida. Enquanto ela me ajudava, falei timidamente. "Ele é meu noivo, então devo dançar com ele. Não quero criar problemas com meu..." A palavra custou a sair. "Meu pai, e também não quero que você seja responsabilizada por qualquer comportamento idiota da minha parte..." Quando terminamos, respirei fundo e olhei para Eve. "Vamos torcer para que este baile dê certo para nós..." Esperando que ela me acompanhasse, sairia do quarto.


    OBS: Estou adorando a narrativa. É suave e tranquila, com tempo para postagens, e estou amando as imagens que você escolheu @Bastet .


    Visual:







    emme
    Bastet
    Adepto da Virtualidade
    Bastet
    Adepto da Virtualidade

    Mensagens : 1924
    Reputação : 119
    Conquistas :
    • https://i.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/2211.png
    • https://i.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/2111.png

    Prólogo - Uma noite de inverno Empty Re: Prólogo - Uma noite de inverno

    Mensagem por Bastet Ter Set 19, 2023 1:46 am



    Prólogo - Uma noite de inverno



    ! Stonegates 3 anos antes  @thendara_selune


    Matthew te observava com aqueles olhos intensos, tentando entender o que se passava em sua mente. Se toda aquela formalidade era algo de criação, admiração ou medo. Se sua timidez era, de fato, verídica. Eram muitas questões na cabeça do senhor de Midland, no Vale do Sol... Mas uma coisa era certa, parecia ser muito difícil para ele tirar os olhos de você.

    Ele se curvou, em despedida, quando Evelyne entrou toda brava. E deu uma piscadinha para você – Estarei ansioso te esperando, então, minha noiva – disse com aquela voz que fazia sua mente derreter. E saiu da sala, deixando apenas seu cheiro como lembrança da presença.

    Fogart parecia estar certo em uma coisas: as pessoas das terras bárbaras pareciam ter algo mais. Suas peles bronzeadas, olhos profundos, vozes deliciosas e personalidades extremas pareciam tão atraente pra você. Como se tudo no Reino fosse falso e sua verdade estivesse em uma terra que você nem conhecia ainda.

    Eve pegou o manto dele, fazendo uma careta, descobrindo Fantine e começando a ajeitar o espartilho dela.

    - Eu entendo, Vossa Alteza. A senhorita está certa, como sempre – ela disse, embora claramente não achasse que Fantine estava certa sobre aquilo – Mas a senhorita merecia algo melhor! Alguém com modos! – grunhiu – Eu achei que ele ia fazer... Ia fazer coisas terríveis com a senhorita! Coisas que só devem ser feitas entre marido e mulher. Ele não me deixava entrar, Vossa Alteza... E seu pai... Bem, ele está mais interessado em outros assuntos – não era surpresa o Rei não se importar muito. A verdade era que, se Matthew a deflorasse antes do casamento, aquilo só o comprometeria mais com a união prometida.

    - Vem, vamos por de volta o resto do vestido – Evelyne começou a te arrumar e deu um sorrisinho com a sua última fala – Vai dar. Uma entrada triunfal a senhorita já deu. Ninguém vai esquecer – ela brincou, tentando te animar – E a senhorita captou a atenção daquele ogro. Os objetivos estão sendo cumpridos. Pronto, está linda novamente – ela deu uma última ajeitada no seu vestido – Está pronta para voltar para o salão?  


    ◦◦◦◦◦◦◦◦◦◦◦◦◦◦◦☽ ☼ ☾ ◦◦◦◦◦◦◦◦◦◦◦◦◦◦◦

    Quando saíram, Fantine viu que estava na ala da Imperatriz, ao lado do salão de baile. O corredor era longo, com pinturas imensas da grande família que ela deu ao imperador. Nenhum filho homem, no entanto. Nem as esposas seguintes... O governante de todos ali não parecia ter sorte quanto a isso.

    Outras salas estavam fechadas ou entreabertas, mas a música estava atrás da menor das portas. Uma entrada discreta para o Salão, provavelmente para quando a Imperatriz quisesse entrar ou sair sem ser vista dos bailes enfadonhos.

    Ao trespassar a portinha, você veria o baile de outra perspectiva. Estava sob a escada que tinha descido e não em cima dela. Os olhos estavam em outros lugares e não mais em você. O imperador provavelmente estava sobre a sua cabeça, enquanto o resto das pessoas dançavam, comiam, bebiam e fofocavam.

    Sem perceber sua presença, algumas pessoas falavam coisas sobre o forasteiro: “O lorde Calypse? Dizem que ele coleciona amantes em cada reino que vai. Eu queria ser uma delas hihi” uma jovem disse, dando uma risadinha. Um homem comentou sobre Calypse ser comandante de um grupo fictício, que caçava monstros inexistentes. Alguns até disseram que ele estava tentando fazer Midland se tornar parte dos reinos.

    Mas, além das fofocas, Fantine o viu. Estava parado na frente da mesa do ponche, com uma taça na mão. Koda e Ysabeau não estavam com ele e o homem, que parecia tão imponente e amedrontador para todos que olhavam, parecia outra coisa pra Fantine: deslocado. Assim como você se sentiu em toda a sua vida.

    O que essa reflexão causava em você?

    Ele não te viu, mas o caminho parecia livre para você se aproximar.

    Prólogo - Uma noite de inverno FFPAweT



    Emme
    thendara_selune
    Antediluviano
    thendara_selune
    Antediluviano

    Mensagens : 3214
    Reputação : 151
    Conquistas :
    • https://i.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/411.png
    2º Concurso :
    • https://i.servimg.com/u/f51/19/64/68/80/prata_10.png
    • https://i.servimg.com/u/f89/19/67/13/04/medalh27.png

    Prólogo - Uma noite de inverno Empty Re: Prólogo - Uma noite de inverno

    Mensagem por thendara_selune Dom Dez 17, 2023 2:45 pm






    16:00
    Inverno
    Stonegates







    Fantine Silverfield




    Apenas conseguia me concentrar nas últimas palavras sussurradas, "Minha noiva". Oh, Deuses, meu rosto inteiro ardia violentamente. A observação de Fogart tornava-se dolorosamente verdadeira; aqueles seres de pele cálida, olhos profundos e selvagens, vozes inquietantes e personalidades ardentes eram como chamas prestes a devorar tudo em seu caminho. Como resistir ao convite do fogo que queimava entre nós? O mundo que eu conhecia era diferente, mas pela primeira vez, desejava ser diferente do que era agora; queria ser como o fogo.

    Quando Eve entregou-lhe o manto, a careta dela arrancou-me um sorriso, pois logo ela viria me arrumar. O som de suas palavras preenchia meus ouvidos, mas a visão daquele homem dominava toda a minha mente. A ideia de partilhar momentos íntimos com ele antes do casamento fez com que mordesse meu lábio inferior com força e confessasse, "Ele não ousaria agir assim, Eve..." Preferia acreditar nisso, mas, no fundo, desejava que ele ousasse.
    "Obrigada, Eve. Você tem sido como uma irmã para mim", respondi com doçura, depositando minha confiança nela.

    ◦◦◦◦◦◦◦◦◦◦◦◦◦◦◦☽ ☼ ☾ ◦◦◦◦◦◦◦◦◦◦◦◦◦◦◦

    Ao observar as pinturas imponentes que decoravam seus rostos, percebi que aquelas imagens revelavam muito sobre cada um ali presente. Caminhei pelo salão, tentando absorver cada detalhe. A melodia que fluía através de uma portinha chamou minha atenção, e ao passar por ela, uma nova perspectiva do local se desdobrou diante de mim. As pessoas se entregavam à diversão, flertavam, sussurravam segredos e talvez até conspirassem em jogos políticos.

    Ninguém notou minha chegada, mas eu ouvia atentamente as conversas, tentando permanecer invisível o máximo possível. Meus olhos foram então atraídos por ele, tão deslocado quanto eu mesma me sentira desde que descobrira sobre minha origem. Afinal, estávamos destinados a nos casar, então era natural que eu me aproximasse. Reuni toda a coragem possível e tentei ser graciosa, embora algo em mim gritasse de maneira selvagem e até arisca.

    Quiçá fosse meu cabelo cor de ferrugem, preso com joias, mas alguns fios insistiam em cair, formando suaves ondulações ao redor do meu rosto. Ao finalmente chegar até ele, parecia como se tivesse atravessado um rio gelado para, em seguida, ser envolvida pelo próprio sol. "Milorde, acredito que começamos com o pé esquerdo...", disse, mesmo com toda a educação que tentaram me impor, ainda havia em mim uma espontaneidade que poderia ser vista como vulgar. Meus olhos fixaram-se intensamente nos dele. "O senhor parece tão deslocado quanto eu...", soltei antes de me servir um pouco de ponche. "Mesmo assim, é uma festa encantadora. Devem ter se esforçado bastante para organizar tudo. Tente aproveitar um pouco." Bebi delicadamente, fazendo um esforço colossal para não corar, embora as maçãs do meu rosto ardessem. "Não sou a melhor dançarina, mas se quiser, podemos dançar ou apenas conversar. Seria bom conhecer um pouco mais do senhor, já que... Bem, vamos nos casar." Pelos céus, eu tornava-me tagarela quando ficava nervosa, mas não queria deixar a impressão de que sou sem modos. Estava fazendo o meu melhor.


    Visual:



    Off:




    emme
    Conteúdo patrocinado


    Prólogo - Uma noite de inverno Empty Re: Prólogo - Uma noite de inverno

    Mensagem por Conteúdo patrocinado


      Data/hora atual: Seg Jul 22, 2024 8:15 pm