Um fórum de RPG online no formato de PBF (Play by Forum).


    Golu II (SP) - Bahamut

    Sailor Paladina
    Mutante
    Sailor Paladina
    Mutante

    Mensagens : 677
    Reputação : 29

    Golu II (SP) - Bahamut - Página 2 Empty Re: Golu II (SP) - Bahamut

    Mensagem por Sailor Paladina em Seg Fev 10, 2020 7:35 pm

    Peleja resolvida, o grupo parte para o entreposto onde a tal reunião de raças bestiais karzekianas ocorria. Golu estava no centro-leste do reino, dias longe de casa e no meio de um estopim pra uma possível guerra. Pelo visto a Imperatriz Kawaii Val não levava a sério as ameaças do tal humano da profecia e não se importou de colocar soldados patrulhando as fronteiras. Golu e sua comitiva são bem recebidos no entreposto, quando Skulltula faz as apresentações. O prédio em forma de cone era alto, tendo cerca de cinco andares, mas o salão principal de reuniões era no térreo mesmo, logo na entrada. O topo era mais usado como ponto de observação para qualquer aproximação indesejada ser rapidamente percebida. Deparando-se com uma grande mesa redonda, havia tanto cadeiras como assentos simples em rocha para os membros maiores. Trolls, orcs, bugbears e homens-tigre estavam representados por seus respectivos líderes, embora estes também tivessem acompanhados de suas esposas e comitivas. Golu facilmente encontra um assento adequado pro tamanho dele e recebe acenos de outros líderes que embora não o conhecessem pessoalmente, já tinham ouvido falar de Karthek e a gloriosa batalha contra os gigantes. Um chefe bugbear o parabeniza. Os gigantes costumavam ser um aborrecimento constante, mas depois do ocorrido, eles se dispersaram e voltaram a viver como nômades solitários. Embora Skulltulla estivesse representando seu pai, ela era mulher e portanto não teria voto ali. Outro chefe orc, chamado Morgrund toma a palavra:
    - Colegas chefes de tribo. Esse é o nosso terceiro dia de reunião e creio que com a chegada do chefe Golu, único representante dos ogros em Karzek, já podemos definir nossos próximos passos. Todos de acordo?

    A maioria ali concorda com menear de cabeça e Morgrund continua. Ele põe todos, incluindo alguns chefes que chegaram depois, a par da situação com um longo, mas interessante discurso, que deixa Golu mais consciente da situação de seu reino. Karzek era governada por uma imperatriz até onde sabe, humana e sumo-sacerdotisa da Deusa das Trevas. Essa divindade priorizava a ordem e a grosso modo a crueldade mesmo entre os seus iguais. Embora a Deusa Bloodrayne favorece a guerra e os mais fortes, havia honra entre suas criações. A lei do mais forte imperava e não do mais ardiloso. Naquele momento, a profecia de que um humano escolhido iria liderar uma horda para destronar Kawaii Val e apenas ele seria capaz de tal coisa. Seu nome não havia sido revelado para os de fora, mas era certo que muitos já sabiam quem ele era. Os tais "rumores" de que o Rei Frank Horrigan de Minoara patrocinava essa horda, só ainda eram chamados de rumores para não causar uma gafe diplomática antes do tempo. Morgrund é interrompido pelos burburinhos que se iniciam, principalmente quando ele diz que o tal herói da profecia era um humano.
    - Meus batedores infiltrados disseram que o tal humano se chama Marko Caine. Há boatos de que ele poderia ser filho da própria deusa Bloodrayne, portanto um semideus. Mas pode ser apenas rumores exaltados...

    Mais burburinho se cria depois dessa fala. Morgrund chega então ao principal ponto daquela reunião. Ele diz que seu povo não iria lutar por uma Rainha que despreza os povos bestiais de Karzek. Se em algum momento essa horda decidisse invadir o reino, eles seriam os primeiros a se aliarem ao novo líder. Contudo, ele precisava saber da opinião dos outros chefes de tribos. Zarazane, líder dos trolls levanta o braço querendo fazer uma pergunta e todos olham na direção dele. Seu jeito de falar era bem distinto, com gíria estranhas e palavras mal formadas (linguagem de gueto). Soa meio engraçado pra Golu:
    - Ae mano, Zarazane quer saber: Se as futas são meio-humanas comé que fik o negócio? Elas viram automaticamente o inimigo ou não?
    - Se elas quiserem defender o nosso inimigo, serão nossas inimigas...
    - Po aew, elas são mó gostosas, povo de Zarazane quer ficar com elas. Temos que ver issoaê...

    O chefe bugbear (Dorogh) coça a cabeça e questiona a possibilidade delas quererem se juntar a causa e Zarazane responde, mas Dorogh continua confuso.
    - Essas futas ai são machos ou fêmeas?
    - Um pouco dos dois, mas se tu chega assim por trás, elas são mais muié que homi. E tem uns peitão que pelo amor da deusa.
    - Mas daí não é só cortar a piroca delas fora?
    - Que isso mano, seria tipo cortar os peitos delas também. Aquilo mostra quando elas tão excitadas de ver a gente.

    Morgrund pigarreia e tenta chamar a atenção pro assunto em pauta. Ele diz que estava considerando mandar uma comitiva oficial a Minoara para deixar claro sua posição política. Melhor do que serem invadidos e já começarem uma guerra do dia pra noite, seria se os minotauros já soubessem que possuíam aliados do outro lado da fronteira. Precisava da opinião de todos. Sobre as futas, elas com certeza já sabiam de tudo o que estava acontecendo e se ainda não se aproximaram, é porque assim como sua própria aparência física, não sabem "de que lado" elas estão.
    bahamut
    Tecnocrata
    bahamut
    Tecnocrata

    Mensagens : 471
    Reputação : 93

    Golu II (SP) - Bahamut - Página 2 Empty Re: Golu II (SP) - Bahamut

    Mensagem por bahamut em Qui Fev 13, 2020 10:27 am

    Golu escuta as palavras dos representantes com atenção antes de se levantar. Golu é grande e imponente, olhando para todos com calma antes de se pronunciar.

    Golu: - Eu sou Golu, lider dos ogros de Karthak. Represento também as palavras de Skullatbash, lider de tribo orc próxima de Karthek. Sua filha Skulltula me acompanhou para provar suas intenções.

    Golu sabia que a palavra de uma mulher não teria valia e procurou valorizar a palavra do lider orc através da sua própria.

    Golu: - Golu ve muitos chefes, grandes chefes. Golu contente em ver tantos chefes juntos. Mas grandes chefes ainda fracos contra imperatriz. Para grandes chefes ficarem poderosos, chefes precisam se unir. Golu propõe que chefes façam pacto de sangue aqui, jurando alianças entre todos e se um for atacado, todos prestam auxílio. Só assim tribos de Karzek terão força.

    Golu faz uma breve pausa antes de continuar.

    Golu: Golu ouviu falar sobre futas e minotauros. Golu acha que minotauros aliados ser bom. Futas também ser fortes. Golu deseja participar de comitiva para Minoara e também se propõe a ir até vila das futas, discutir aliança.
    Sailor Paladina
    Mutante
    Sailor Paladina
    Mutante

    Mensagens : 677
    Reputação : 29

    Golu II (SP) - Bahamut - Página 2 Empty Re: Golu II (SP) - Bahamut

    Mensagem por Sailor Paladina em Dom Fev 16, 2020 4:29 pm

    Após as palavras de Golu, todos se entreolham concordando que era uma boa ideia, afinal aquele era um momento em que união seria o único meio de sobrevivência. O ato ficaria para após o termino daquela reunião. Golu propõe que duas comitivas sejam feitas e que tentassem tanto a adesão das futanaris ao conselho de guerra como uma aliança com os minotauros. Ashelia abraça Golu de ladinho, beijando o seu grande ombro e diz estar orgulhosa de ter um marido sábio e respeitado por outros chefes. Seu pai tinha razão em dar ouvidos a profecia da caverna e fazê-la esperar pelo macho certo. Morgrund olha pra Tony "O Tigre" Romo que até então estava calado de braços cruzados e pergunta sua opinião a respeito. O homem-tigre estava de cabeça baixa pensativo. Nunca pensou que um dia chegaria o dia em que teria que levantar armas pra lutar contra seus irmãos de garra. Os lobisomens sempre foram rivais, mas inimigos respeitados. Dessa vez teriam que lutar até a morte para a extinção dos outros. Dorogh diz não entender porque Tony não pode tentar convencê-los a se unirem a causa e o chefe tigre é sucinto: - Lobisomens são uma criação de Shadowlady e portanto veneram a deusa das trevas. Jamais se uniriam a uma guerra a favor de Bloodrayne. - O bubgear alisa os pelos de sua longa barba olhando pensativo como quem acabou de aprender um conhecimento valioso. Golu tem a mesma sensação. Incrível como o mundo era cheio de fatos desconhecidos para serem revelados. Morgrund cruza os braços também de cabeça baixa e diz
    - Se este é o caso, então só podemos lamentar e seguir com o plano. No final, o vencedor será o lado certo.

    Todos concordam com a frase do chefe orc. Fica decidido que Golu e Zarazane visitariam a vila das futanaris, enquanto Tony e Dorogh iriam até a fronteira entrar em contato com os minotauros. Morgrund diz que vai visitar as montanhas do norte para tentar conseguir a adesão dos Chozo, a antiga raça de homens pássaros. Tendo a benção de Fenrir, eles eram possuidores de um conhecimento chamado "tecnologia", a fabricação de armamento deles era um segredo guardado a sete chaves. Como os Chozo e os minotauros adoravam Fenrir mutuamente, havia uma boa chance deles aceitarem ajudar. Zarazane dá um murro na mesa e gargalha enquanto imagina o plano dando certo e que todos eles ficariam fodasticamente fuderosos juntos. Aos que ficam meio se entender o que Zarazane quis dizer, Morgrund traduz que ele quis dizer que seriam imbatíveis. Os chefes se levantam, cada um com uma adaga e uma taça em mãos. Golu não tinha uma arma tão pequena, tampouco conseguia manusear uma, então Allura pega a adaga dela e faz um pequeno corte na palma da mão de seu marido e todos repetem o gesto derramando alguns pingos de sangue em suas taças de cerveja. Fazendo um juramento de lealdade e amizade, os chefes tribais declaram pelo pacto de sangue que seriam aliados até a morte e que um sempre apoiaria os demais.

    chefes:
    Golu II (SP) - Bahamut - Página 2 4eKI333

    Pra comemorar o ato, mais cerveja e comida é trazida aos chefes. Golu era o único dos chefes ali presentes a ter trazido três esposas e se não era perigoso ter deixado sua cidade desprotegida.

    garçonete:
    Golu II (SP) - Bahamut - Página 2 NPg8bgt

    Pelo fato de estar anoitecendo, os grupos partiriam no dia seguinte para os seus destinos. Esperava-se que todos retornassem em pelo menos uma semana.
    bahamut
    Tecnocrata
    bahamut
    Tecnocrata

    Mensagens : 471
    Reputação : 93

    Golu II (SP) - Bahamut - Página 2 Empty Re: Golu II (SP) - Bahamut

    Mensagem por bahamut em Qui Fev 20, 2020 2:54 pm

    Golu iria até as futas com o Troll Zarazane. Ele imagina como será a empreitada depois de tudo o que ouviu sobre elas. Zarazane pelo jeito iria gostar e Golu pensa em suas esposas e nos minotauros. Enquanto o banquete é servido Golu e suas esposas comem a vontade e ele as deixa por perto, sempre acariciando ora ou outra suas femeas. Ele estava excitado e esperava terminar o banquete para levá-las até o acampamento e fodê-las de acordo. Quanto a Skulltula, ele a deixou a vontade para fazer o que bem entendesse mas de olho para o caso de precisar intervir. Quando a noite caiu Golu foi até o acampamento com suas fêmeas e Skulltula para descansarem mas não sem antes sanar seu tesão. Sem se importar com Skulltula, Golu se deitou com as três. Allura foi a primeira a se sentar no mastro de Golu, ela enterrava fundo o sexo de seu marido, cabalgando forte e gemendo alto, trocando de buraco algumas vezes. Enquanto isso Ashelia sentava no rosto de Golu, mechendo o quadril enquanto o meio ogro lambia sua buceta e seu cu. Lillith beijava e lambia boa parte do pau de Golu que Allura não introduzia em si enquanto era dedilhada por seu marido. Depois de gozar forte junto com seu marido, Allura perde o controle do seu corpo e cai deitada com porra escorrendo de dentro de si e no pau do seu amo. Lillith e Ashelia sem perder tempo lamberam todo o pau dele e a buceta de Ashelia, limpando toda a porra e ora beijando a si mesmas. Quando terminaram, Ashelia resolveu cavalgar o seu marido enquanto Lillith sentava no rosto dele. Ashelia se movia de forma brusca e violenta com respiração forte enquanto Lillith gemia docemente coma lingua dele dentro do seu rabo, o dedo dentro de sua buceta e a outra mão acariciando o seu corpo todo. Nao demorou para que Ashelia gozasse também junto com Lillith, ambas se contorcendo muito e deitando no chão do jeito que estavam, se entregando à exaustão. Golu se ergueu, olhando as tres belas mulheres à sua disposição e se acariciou. Olhou para Skulltulla enquanto o fazia e depois de um tempo esporrou em cima das tres esposas, cobrindo-as com sua porra quente.
    Na manhã seguinte Golu conversou com suas mulheres e Skulltula enquanto tomavam seu café da manhã.

    Golu: - Golu feliz por estar aqui, por ser reconhecido e por ter boas esposas. Mas Golu quer ajudar mais e precisa de opinião. Chefe orc vai sozinho pedir ajuda de homens passaro e Golu não vai para Minoara, procurar por Lynn e Mira. Golu pensou em mandar uma de vocês para ajudar lider orc e uma junto com Bugbear e homem tigre para procurar por Lynn e Mira. Skulltula e mais uma viriam comigo para falar com Futas. O que acham? Golu precisa saber opinião para tomar decisão.
    Sailor Paladina
    Mutante
    Sailor Paladina
    Mutante

    Mensagens : 677
    Reputação : 29

    Golu II (SP) - Bahamut - Página 2 Empty Re: Golu II (SP) - Bahamut

    Mensagem por Sailor Paladina em Qui Fev 27, 2020 6:48 pm

    Golu acorda bem humorado e disposto depois de uma noitada com suas fêmeas. Skulltula inveja as companheiras, mas prefere apenas assistir a distância. Chegando na mesa de reuniões, o meio-ogro dá suas opiniões a respeito da missão de cada um, mas acaba sendo informado que ninguém estava particularmente sozinho. Morgrund e Zarazane apresentam suas esposas alfas que acompanhariam seus machos em suas empreitadas. Stinkmeaner, a trolesa esposa de Zarazane se encontrava no momento dando prazer a vários machos perto da mureta. Se perguntado a respeito, Zarazane diz que fêmeas trolesas na seca só sossegam depois de oitenta trepadas e que ela ali tava só na rebarba da noite anterior. Por ser o macho alfa ele a come primeiro, mas tava pra nascer um cara que aguentasse meter oitenta sem tirar. Golu fica pensativo com isso. Ele já conseguiu passar horas fodendo suas esposas, mas oitenta parecia um número muito grande quando ele pega em perspectiva uma vez em que teve que derrubar oitenta humanos na porrada. Ao ver o colega pensativo, Zarazane diz que se Golu quisesse podia meter a vara na esposa dele, pra ver qual dos dois pedia água primeiro. Morgrund já chega com sua sua segunda esposa, Katara, ao seu lado. Uma delicinha também. Ele diz que sua esposa guerreira ficou na liderança da vila durante sua ausência. Em viagens ele preferia levar a trepadeira, pra diminuir a tensão nas viagens. Esses comentários são elucidativos pra Golu, sobre como qualificar cada uma de suas fêmeas.

    stinkmeaner e katara:
    Golu II (SP) - Bahamut - Página 2 6MqiDrM

    De fato apenas Tony Romo não veio acompanhado e a companhia feminina de Dorogh definitivamente não era combatente. O grupo de Golu estava grande, então Ashelia meio a contragosto aceita acompanhá-los. Preferia que Allura e Lilith por serem mais fracas continuassem ao lado dele. Lilith pede a Ashelia que tivesse cuidado, pois os minotauros eram orgulhosos e dificilmente apostariam com ela de novo. A humana também lembra a Golu que Mira e Lynn estavam com os minotauros próximos da Capital e que as chances delas terem ido pra onde Ashelia agora vai eram pequenas. Porém, informações podiam ser conseguidas com um pouco de sorte. Ashelia diz pra que a amiga não se preocupasse, pois ela era muito boa em convencer as pessoas. Definidos os grupos, Golu, Allura e Lilith se unem a Zarazane e Stinkmeaner, que finalmente se sentia mais saciada depois de tanto trepar. Stink pergunta ao marido se essa excursão era pra capturar mais escravas futas pra vila e recebe a resposta de que na verdade iriam tentar negociar com elas pra se unirem a causa contra a imperatriz. A trolesa coça a cabeça confusa.
    - Todo ano nóis vai nesse oásis das pintudas pra caçá-las e fazê-las de escravas. Por que caralhos vamos conversar?
    - Porra mina, porque foi decidido da reunião de chefes que ia ser assim uai!
    - E por que tu acha que elas vão querer ouvir?

    Lillith se intromete na conversa, concordando com a trolesa. De fato se as futanaris são costumeiramente alvo de ataques dos trolls pra serem raptadas como escravas, dificilmente iriam querer se unir a uma causa deles. A menos que houvesse uma promessa de que os trolls não iriam mais fazer isso. Zarazane e Stinkmeaner caem na risada ao ouvir tal proposta. O ato de capturar as futas era tradicional. Elas se fazem de difíceis, mas entendem que na natureza existe o predador e a caça, e elas eram a caça. Algumas até se rendiam com mais facilidade. Allura pergunta se as escravas eram capadas depois de presas e Zarazane nega.
    - Existe um ditado que diz que se você corta um membro, ele cresce maior. Não cai nessa não!

    Futas capadas perdiam a vontade de viver e cometiam suicídio, então era melhor deixá-las assim. Lillith dá de ombros pro assunto irrelevante e volta pro principal. Eles precisavam de algum motivo pra convencer as futas a se unirem a causa. Todos olham pra Golu pra ver se ele tinha alguma sugestão, mas não o pressionam, ele teria pelo menos uns dois dias pra pensar em algo. Dias depois já tendo o oásis a vista o grupo flagra duas futas que se banhavam na lagoa. Ao perceber o grupo as duas se abraçam e
    - Ora, ora o que temos aqui? Dois trolls, um ogro, uma humana e uma demônia!? Penetras na nossa piscina!
    - Não estamos na temporada de caça, trolls! Vão embora ou vamos chamar as outras! (diz pegando da cintura, uma espécie de corneta).

    futas ao natural:
    Golu II (SP) - Bahamut - Página 2 IPckSHw
    bahamut
    Tecnocrata
    bahamut
    Tecnocrata

    Mensagens : 471
    Reputação : 93

    Golu II (SP) - Bahamut - Página 2 Empty Re: Golu II (SP) - Bahamut

    Mensagem por bahamut em Sex Fev 28, 2020 1:14 am

    Golu se prepara com suas esposas para partir enquanto os outros líderes fazem o mesmo. Ashelia se prepara para partir em direção à Minoara e Golu lhe dá um forte beijo e deseja que ela tenha uma boa viagem. Logo todos partiam para seus destinos e Skulltula segue Golu para a vila das futas. Golu não deixa de notar a Trolesa que parecia ter um fogo insaciável e chega a considerar a proposta de Zarazane mas se recusa por hora. Allura viaja sentada no ombro direito de Golu e Lillith segue no outro ombro. Em pouco tempo o assunto das Futas é colocado em pauta e todos discutem como convencê-las. Os Trolls apontam um fato que pode vir a ser uma complicação, visto que eles fazem uma espécie de "caça sazonal" às futas. A discussão rende vários pontos de vista até que perguntam a Golu o que ele acha de tudo isso.

    Golu: - Golu conhece pouco Futas mas pensa que posição delas deve ser contra Shadowlady. Se isso não resolver Golu pensa em algo diferente. Zarazane diz que elas gostam de serem subjugadas. Golu propõe que um de nós desafie líder das futas, um desafio de sexo. O primeiro a pedir arrego perde. Caso vençamos, teremos o direito sobre futas e resolver a vida delas de acordo. Futas poderão desejar algo caso saiam vitoriosas. Ser arriscado mas Golu não consegue pensar em nada mais.

    Mais alguns dias de viagem e o grupo encontra um oásis e nele, duas belas mulheres se banham com seus corpos esculturais. Golu nota que além do belo corpo, elas também possuem pênis! "Então isso é uma Futa" pensa consigo mesmo.

    futa 1 - Ora, ora o que temos aqui? Dois trolls, um ogro, uma humana e uma demônia!? Penetras na nossa piscina!

    futa 2 - Não estamos na temporada de caça, trolls! Vão embora ou vamos chamar as outras!

    Golu se adianta do grupo, liderando o contato com as Futas uma vez que pensa ser melhor ele fazê-lo ao invés de Zarazane devido ao problema da caça.

    Golu: - Saudações! Eu sou Golu e viemos em paz. Representamos as tribos de Karzek e desejamos falar com líder das Futas.

    Apesar de seus membros eretos, as futas tinham corpos esculturais e Golu gostou do que viu. Recentemente Golu se viu tomando o pequeno meio elfo como esposa e deflorou o seu pequeno cu a fim de se empossar dele. Ter relações com uma futa não seria problema depois disso. Embora não tivesse vindo para a vila delas com esse intuito, a ideia de fazê-lo permeou sua cabeça por um tempo.
    Sailor Paladina
    Mutante
    Sailor Paladina
    Mutante

    Mensagens : 677
    Reputação : 29

    Golu II (SP) - Bahamut - Página 2 Empty Re: Golu II (SP) - Bahamut

    Mensagem por Sailor Paladina em Seg Mar 02, 2020 1:48 pm

    Após Golu falar de maneira diplomática, as futas aparentam confusão. Primeiro que não esperavam raças bestiais se comunicarem, tampouco em sua língua. O diferencial de Golu sobre todos os demais era saber falar 'comum' de maneira inteligível, embora com algum som gutural e básico. Zarazane olha impressionado pra Golu e diz em linguagem bestial que aquilo era "muito foda", pois ele próprio sabia pouquíssimas palavras na linguagem humana, geralmente aprendidas com as próprias futas quando gritavam por ajuda, socorro ou pra serem mais fodidas. Stinkmeaner diz que futanaris eram apenas selvagens ignorantes que gostavam de tomar no cu. Nasceram com pinto por um erro de percurso durante o nascimento. Lillith fica possessa com o machismo dos trolls e diz que a situação era completamente o contrário. Futanaris eram civilizadas e inteligentes e que os trolls vinham caçá-las como se fossem bichos. Golu percebe que uma pequena gafe diplomática se formava ali e até teme que causasse algum incômodo na amizade entre eles ali, mas Zarazane parecia a pessoa mais bem humorada do mundo, rindo com toda aquela conversa. Allura que até então havia adotado um comportamento passivo decide tomar a frente voa com extrema rapidez se engalfinhando no cangote da futanari que segurava a corneta, mordendo a mão dela pra que ela soltasse e enfiando a cauda dela com tudo no rabo da futa, fazendo com que esta desabasse, tendo o cabelo puxado enquanto era "fodida". Zarazane ri e diz:
    - Hahahahahaha, tua mina manja dos paranauê, Golu, meu amigo. Vai com tua outra fêmea e minha muié pra vila delas que a gente cuida dessas aqui e te alcança depois!

    Allura na futa:
    Golu II (SP) - Bahamut - Página 2 E3Ssp6N

    Ao ver a companheira sendo estuprada pela demônia, a outra futa tenciona fugir, mas Zarazane dá um salto, mergulhando sobre ela como uma águia ao ver a presa no solo. Ao derrubá-la no chão e dar uma chave de pescoço nela, o troll não perde muito tempo, dando uma cusparada na mão, lambuzando a bunda da futa e metendo sem dó no cu dela. Lillith estava de queixo caído, alegando que aquilo era crueldade e que elas jamais se uniriam enquanto fossem submetidas a tal violência. E não, ninguém iria convencê-la de que as futas gostavam de ser tratadas assim. Isso era o que se passava na cabeça dos trolls, mas não das futanaris. Stinkmeaner dá alguns passos, parando em frente a humana e a encara de cima a baixo por alguns instantes, deixando Lillith receosa e com um pouco de medo. A ladina pergunta o que a trolesa queria e Stink responde:
    - Mina, eu sei que tu veio dessa tal "civilização", mas aqui é outra cultura, manja? Nóis num tem frescura. Se tem quem dá, tem quem come e assim nóis vai vivendo, manja? Ou tu vai dizer que não gosta de uma bela piroca de macho nessa buça?

    Lillith passa alguns segundos processando aquela informação leviana e suspira pesadamente. Era impossível mudar a cabeça de alguém cuja cultura estava enfiada na cabeça desde nascença. Só não fazia ideia de como iriam convencer as futanaris a se juntarem a causa, naquela situação. Stinkmeaner olha pra Golu e dá sua opinião:
    - Chefe Golu, ocê pode tentar a ideia da tua muié e tentar conversar com as futas na boa, mas eu, na minha opinião de fêmea, acho que tu tem razão. Devia chegar lá, mostrando teu pau e dizer que como o teu é maior, elas devem obedecer a tu. Depois goza na cara da líder delas como juramento de fidelidade. É assim que nóis troll se casa, manja?

    A humana pergunta o que faz Stinkmeaner pensar que as futas vão simplesmente arregar pra um único meio-ogro. Sem querer desmerecer seu marido, mas ele era um contra uma vila inteira delas.
    - Uai, mina, se até eu consigo dar pra todo mundo da minha vila, porque o Golu desse tamanho não consegue meter em todas elas? Acho que ainda sobra pra gente!

    Lillith fica tão desencorajada que começa a rir e chorar ao mesmo tempo, deixando tanto Golu como Stink sem entender o que se passava na cabeça dela.
    bahamut
    Tecnocrata
    bahamut
    Tecnocrata

    Mensagens : 471
    Reputação : 93

    Golu II (SP) - Bahamut - Página 2 Empty Re: Golu II (SP) - Bahamut

    Mensagem por bahamut em Ter Mar 03, 2020 1:15 am

    Golu fala com as Futas, que aparentemente ficam sem entender o que acabou de acontecer. As mulheres discutam sobre alguma coisa quando sem perder tempo, Allura voa para cima de uma das Futas e a domina, beijando o cangote dela e enfiando a sua cauda no rabo dela. Ao ver isso a outra futa tenta fugir e Zarazane salta sobre ela, imobilizando e enrabando ela. Golu não teve tempo de pensar e Lillith e Stinkmeaner discutiam sobre a forma como elas eram tratadas. Obviamente cabia a Golu decidir o que fazer e Golu caminhou até uma das futas. Allura se engalfinhava no corpo dela encaixando o pau da futa nela enquanto o sua cauda enrabava a futa. A expressão no rosto da Futa exaltava o tesão que estava sentindo, tremendo o corpo e gemendo forte. Então Golu caminhou até Zarazane que enrabava a outra Futa contra o chão. Imobilizada ela revirava os olhos e soltava a língua para fora, torpe de prazer com a foda violenta que foi submetida. Golu se virou para Lillith e Stinkmeaner e fez um sinal com a cabeça para que elas o acompanhassem. Golu seguiu até a vila das Futas e adentrou sem medo ou cautela. A quantidade de figuras femininas era dominante. A maioria das vezes era difícil dizer se eram Futas ou mulheres, mas todas belas e gostosas. Quando Golu sentiu que haviam muitos olhos voltados para eles resolveu se pronunciar em alto e bom som.

    Golu: - Eu sou Golu! Lider de Karthak e venho em nome das tribos selvagens de Karzek! Desejo falar com sua lider!

    Golu era imponente em sua estatura, sua musculatura e sua forte voz. Ele manteve Lillith por perto pois não sabia qual seria a reação das Futanaris. Quanto à Stinkmeaner Golu imagina que ela saberá agir de acordo com a situação. Golu estava pensando sobre o que Stinkmeaner havia dito e seria bom comer um cuzinho apertado mas também se preocupa com a forma que elas eram vistas e como reagiam. Talvez se ele conversar primeiro com a líder delas não cause mal algum. Caso não de certo ele poderá tentar obrigá-la na força da piroca.
    Sailor Paladina
    Mutante
    Sailor Paladina
    Mutante

    Mensagens : 677
    Reputação : 29

    Golu II (SP) - Bahamut - Página 2 Empty Re: Golu II (SP) - Bahamut

    Mensagem por Sailor Paladina em Seg Mar 09, 2020 4:04 pm

    Ao se aproximar da vila das futas, Golu nota uma diferença grave no cenário. Colinas rochosas, rios vindos de pequenas cachoeiras e árvores frondosas embelezavam o cenário. Não à toa, chamavam o lugar apenas de Oásis. Era literalmente um. Futanaris de pênis pequenos ou grandes e mulheres se misturavam sem qualquer pudor, mesmo estando nuas e observavam passivamente a passagem do trio, embora com ar de curiosidade. Em qualquer outro lugar civilizado, estariam usando roupas e cada sexo em seu lugar. Pelo visto a cultura Karzekiana afetava a todos sem distinção de raça. Golu era o único homem ali, o que faz ele se sentir bastante deslocado, mas ainda assim à vontade. Mulheres e futas observavam seu membro enorme fosse por desejo ou inveja, impossível saber. Stinkmeaner exibia um olhar sinistro pra elas. Fanfarrona, fingia que ia atacar a qualquer momento, imitando um tigre pronto pro bote, o que assustava a algumas das nativas. Lillith apenas acompanhava em silêncio, parecendo aborrecida com o fato de estarem ali mais como predadores do que diplomatas. Sua utilidade era mínima e a falta de Allura e Ashelia por perto a incomodava. Com a cabeça nas nuvens, ela toma um susto quando Stink mete o dedo lambuzado de sua seiva vaginal no ânus dela, sem aviso.
    - Fica atenta, mina. Se tu não presta atenção, leva dedada no cu.

    A posição que a trolesa estava de costas pra Golu, permitiria que o meio-ogro se vingasse por Lillith fazendo a mesma coisa com ela, caso quisesse. A bem da verdade é que a trolesa tava merecendo de tão fanfarrona que se comportava. Não ajudava muito com as primeiras impressões que Golu pretendia ter. Lillith agradeceria se Stink fosse posta no lugar dela. O trio passa por uma cachoeira onde algumas futas se banhavam e ao contrário de todas as outras, essas mostram interesse em falar alguma coisa. Estavam nuas, mas as tatuagens simulavam trajes curtos sensuais.

    Spoiler:
    Golu II (SP) - Bahamut - Página 2 KFVgrog

    A mais jovem assustada com o falo de Golu, comenta primeiro: - Nossa! Então isso é o pênis de um macho?
    A do meio responde depois de um sorriso: - Não seja boba Kiki, o dele é grande porque ele é um ogro! *coca a cabeça* mas parece um pouco humano também... Deve ser meio-ogro!
    A mais velha fala diretamente a Golu: - Desculpe as minhas irmãs. Eu sou Korra e estas são Celica e Kiki. Não está um pouco cedo pra caçada? Algumas futas nem retornaram ainda da vila dos trolls... Ainda temos mulheres grávidas no Oásis.

    Golu explica os motivos de estarem ali enquanto Stink e Lillith apenas observam. Stink não queria irritar Golu e Lillith queria ver como o marido iria lidar com a situação. As futas mais jovens se entreolham e a mais velha responde que a decisão era da rainha. Ao ouvir o termo Golu faz comparações com outras pessoas importantes de outros reinos, mas logo Korra explica que era só um cargo informal na tribo, pois achavam a palavra bonita. A "rainha" não era nem de longe uma rainha de verdade, tampouco tinha os recursos que uma verdadeira teria.
    - Por favor nos acompanhe. Nós a levaremos até ela.
    - Ué porque temos que ir com você, Korra? Tá tão bom aqui!
    - Bah, ok, eu vou sozinha, suas medrosas.

    Korra se adianta pegando um tecido macio que estava sobre as pedras e usa pra se enxugar. Ela veste uma tanguinha e uma blusinha que pouco fazem pra esconder suas intimidades e aponta o caminho pra Golu, seguindo junto com ele e suas fêmeas, na direção de uma colina central, onde supostamente ficava o "palácio real".
    bahamut
    Tecnocrata
    bahamut
    Tecnocrata

    Mensagens : 471
    Reputação : 93

    Golu II (SP) - Bahamut - Página 2 Empty Re: Golu II (SP) - Bahamut

    Mensagem por bahamut em Dom Mar 15, 2020 1:17 am

    Golu e as duas fêmeas adentram na vila e ele tem uma visão diferente do que imaginava. Colinas rochosas, rios vindos de pequenas cachoeiras e árvores frondosas embelezavam o cenário. Golu gostou do que estava vendo e mais ainda do que viu a seguir. O local era repleto de figuras femininas de todos os tamanhos. Algumas delas possuíam pênis, grandes ou pequenos, mas todas muito belas. Elas olhavam de forma estranha para o grupo e Stinkmeaner parecia gostar de estar ali, ameaçando atacar todas que passavam. Golu confessa para si mesmo que não era a recepção que esperava. Pelo que todos falavam Golu imaginou que fossem territorialistas e agressivas, mas não é o que ele vê.

    Pouco mais adiante, Stinkmeaner enfia um dedo no rabo de Lillith, que parecia avoada. Ao fazer isso ela fala em tom debochado para a esposa de Golu para ela ficar mais alerta, pois se der bobeira, leva dedada no cu. Embora Golu fosse meio-ogro e gostasse da ideia de como as coisas aconteciam em Karzek, Stinkmeaner já estava passando dos limites. Sem pensar duas vezes Golu se adianta e pega Stinkmeaner pelo pescoço com uma de suas poderosas mãos e com a outra, introduz um dedo dentro da bunda da trolesa. Sem dar tempo dela pensar, Golu faz um vai e vem com o seu dedo na bunda da Trolesa enquanto fala ritmadamente com as estocadas.

    Golu: - Estou... farto... de como... está agindo... seu marido... não está... aqui... então... não quero... ver você... avançando... contra Lillith... ou qualquer... outra pessoa... entendido?

    Sem se preocupar com o que Stink tenha sentido ou deixado de sentir, ele tira o seu dedo de dentro dela e libera o seu pescoço, para continuarem andando.

    Golu: - Se você e trolls gostam de caçar futas, isso é assunto de trolls. Mas como disseram, não é época de caça e não viemos aqui para isso. Está me acompanhando mas a partir de agora só vai falar se eu ordenar.

    Os três continuam o caminho como antes, mas agora o membro de Golu demonstra sinais de ereção. Logo eles passam por uma cachoeira aonde três Futas se banhavam e para a surpresa dele, estas se mostraram interessadas em falar com eles.

    A mais jovem assustada com o falo de Golu, comenta primeiro: - Nossa! Então isso é o pênis de um macho?
    A do meio responde depois de um sorriso: - Não seja boba Kiki, o dele é grande porque ele é um ogro! *coca a cabeça* mas parece um pouco humano também... Deve ser meio-ogro!
    A mais velha fala diretamente a Golu: - Desculpe as minhas irmãs. Eu sou Korra e estas são Celica e Kiki. Não está um pouco cedo pra caçada? Algumas futas nem retornaram ainda da vila dos trolls... Ainda temos mulheres grávidas no Oásis.

    Golu: - Saudações, eu sou Golu, lider dos ogros de Karthak e venho em nome das tribos selvagens de Karzek. Golu não quer atacar ou caçar Futas. Golu precisa falar com líder das Futas e pede que levem Golu até ela.

    A mais velha das três irmãs explica que pode levá-los até a Rainha e Golu imagina como seria essa Rainha. Logo os três eram levados por Korra, agora vestida com dois pedaços pequenos de pano para cobrir levemente seus seios fartos e sua intimidade. Suas irmãs ficaram para trás na cachoeira, cochichando entre si enquanto olhavam o tamanho do meio ogro, e o tamanho do falo dele.

    Golu: - Obrigado Korra, por nos conduzir até a colina para ver a Rainha. Golu interessado em saber sobre vila das futas. Como futas viver a vida.
    Sailor Paladina
    Mutante
    Sailor Paladina
    Mutante

    Mensagens : 677
    Reputação : 29

    Golu II (SP) - Bahamut - Página 2 Empty Re: Golu II (SP) - Bahamut

    Mensagem por Sailor Paladina em Dom Mar 15, 2020 2:23 pm

    Golu caminhava tranquilo no terreno das futanaris apreciando a paisagem e suas habitantes, enquanto Stinkmeaner agia com um comportamento que aos poucos davam nos nervos do normalmente calmo meio ogro. Alheio ao fato de que era observado com atenção por sua esposa em tudo o que olhava ou dizia, Golu comenta sobre sua visão das futanaris e o que esperava delas pra si mesmo, quando Lillith responde que as futas de Karzek faziam parte das poucas raças civilizadas do reino. As futas que ele imaginava mais agressivas, eram de outros reinos: as amazonas de Jalakow, as Gerudo de Al-Kamal e as samurai de Asamura, todos reinos bem distantes, de modo que a cultura delas variava bastante dependendo do reino. Por capricho das deusas, tanto casais formados por homens e mulheres podiam gerar futinhas, como uma futa com mulher podia gerar meninos, sempre da raça do "pai". No caso das futas daqui, creio que todos os meninos e meninas trolls vão morar com os pais enquanto as que nascem futas ficam aqui. Stinkmeaner confirma e elogia o conhecimento da companheira, estranhando como ela sabia tanto sobre as coisas. Dando uma "carteirada", Lillith diz que era nativa de Avalon, onde as pessoas viviam de forma civilizada, como a própria trolesa mencionou antes. De onde viera, mulheres eram respeitadas e podiam negar sexo por qualquer motivo que quisessem. Algumas até mandavam em homens. Um pouco mais civilizado que Stink, Golu entende as palavras de Lillith, mas Stink parecia completamente perdida.
    - Nuss, imagina a pessoa viver num lugar onde fêmeas dão ordens... Onde machos precisam respeitar fêmeas...

    O trio caminha por mais alguns metros, com a trolesa sempre enchendo o saco, fosse por mal comportamento ou falando besteiras, até que em determinado momento ao mexer com Lillith, a paciência de Golu se esgota e o meio ogro intimida a trolesa do jeito karzekiano. Stink se debatia em desespero, sufocando enquanto levava as dedadas com o dedo bem grosso de Golu. O que seria gentil pra mulheres grandes como Ashelia e Fafnir, parecia um estupro pra qualquer mulher de tamanho humano. Tanto Lillith como várias futas  que estavam escondidas na mata próxima, aparecem pra assistir. Quando larga Stink e se faz ouvir, Golu percebe que tinha uma enorme plateia observando sua atitude. Stink se ajoelha rapidamente na frente de Golu, encostando a cabeça no chão e pedindo desculpas. Numa cena totalmente humilhante pra ela, Stink nota de canto de olho as futas pulando de alegria e batendo palmas pra Golu. A cereja do bolo é quando Lillith agarra o cabelo de Stink ficando perto do ouvido dela e devolvendo a dedada no cu da trolesa.
    - Que sirva de lição pra você saber quem bota moral aqui. É o meu marido!

    A bem da verdade era que o ânus da trolesa já estava tão esfolado que o dedinho de Lillith, mal faz cócegas nela, mas o recado estava dado. Inclusive, foi a primeira vez que Golu ouviu Lillith admitir com orgulho e em público que era esposa dele. Vindo dela, pareceu mais especial que vindo de qualquer outra mulher. Apoiando um pé nas costas de Stink, Lillith salta no ombro de Golu e senta ali, pedindo que seguissem em frente, enquanto dá um beijo e afaga a cabeça dele. O trio segue em frente na direção do palácio da Rainha futa e após um pequeno diálogo com as futas irmãs, em que Golu explica suas razões de estarem ali, a mais velha delas concorda em levá-los para o castelo. Não demora muito até que eles deem de cara com um imponente prédio com formas delineadas, uma estátua na fronte em forma de uma mulher desnuda que derramava água infinitamente de um vaso e alguns peixes nadando na rasa piscininha. Lillith explica que era a mesma água debaixo que era sugada por tubos e seguia até o vaso. Uma "tecnologia" interessante pra Golu, pois parecia mágico. Falando em magia, tudo ali parecia revestido de mágica: flores, monumentos, paredes com diversas pinturas que se moviam lentamente parecendo estar vivas. Tudo brilhava. Inclusive, havia na área uma concentração muito maior de mulheres, mas ainda assim todas nuas. Algumas com bebês no colo ou crianças acompanhando. A maioria delas acenava pra Golu e Lillith, mas ignoravam Stink. A trolesa ainda cabisbaixa, apenas seguia Golu atrás dele em silêncio. Olhando para o alto, Golu vê a Rainha Futa que o observa de nariz empinado, mas o mesmo não podia ser dito do pênis dela. Não parecia excitada ao vê-lo. Korra pede um momento para apresentar o grupo.
    - Minha Rainha, este é Golu, líder de Karthak e um emissário das tropas selvagens reunidas na fronteira. Ele deseja falar com vossa majestade. Golu, esta é a nossa Rainha Edelgard.

    edelgard, Rainha Futanari:
    Golu II (SP) - Bahamut - Página 2 6Yej8U6

    Eldergard levanta as mãos suavemente e seu corpo começa a levitar, enquanto seu corpo flutua magicamente até chegar na frente do meio-ogro. Embora imponente, Edelgard era apenas dois dedos mais alta que Lillith e Golu precisava olhar pra baixo pra vê-la. Todas as futas e mulheres próximas se ajoelham, incluindo as crianças, mas com exceção dos forasteiros. Edelgard diz que já esperava a qualquer momento a chegada de um líder selvagem pra falar do assunto, mas esperava por Zarazane.
    - Chefe Golu. Ouvi falar dos seus feitos em Karthak. Foi abandonado pelos homens covardes. Eu tinha especial nojo por Saulok... Depois expulsou uma horda de gigantes, chamando atenção da própria deusa do sangue, reconstruiu a cidade e formou alianças. Agora pretende reunir as raças bestiais num Coup d'État contra Kawaii Val.

    Golu não entendeu muito bem a última parte, mas imaginou que tinha algo a ver com o cu da imperatriz, então devia ser algo bom. Edelgard continua, mas cruzando os braços parecendo meio consternada:
    - Você me soa um macho digno de seguir, mas no momento meu povo está subjugado aos trolls. Venha comigo, vamos conversar em meu castelo.

    Edelgard senta no trono dela e conta uma pequena história. A Rainha explica que Zarazane desafiou a mãe dela anos atrás a um desafio de sexo. Embora as futas fossem capazes de feitos extraordinários em desempenho sexual, a antiga rainha não contava com o vigor do chefe troll e teve de se submeter ao ritual de fidelidade pelo banho de porra em público. Ciente de que ela não venceria o troll onde sua própria mãe fracassou, Edelgard preferiu simplesmente dar continuidade a tradição. Uma vez por ano, os trolls saem pra "caçar" um seleto grupo de futas, estuprando-as e levando algumas com elas. Desnecessário dizer que apesar de consensual, aquilo era humilhante. Porém, assim era a vida em Karzek. Abrace a cultura do reino ou seja massacrado por ela. O único acordo entre as futas e os trolls era de submissão sexual. Elas não tinham obrigação e nem interesse em participar de uma guerra, ainda mais sabendo que provavelmente só iriam servir de alívio sexual para os guerreiros das outras raças. Proibida de falar, Stink apenas dá uma risadinha, mas rapidamente tapa a boca com medo quando Golu olha pra ela de soslaio. Edelgard continua dizendo que nem tudo estava perdido, já que havia ali uma harmonia de interesses. Golu se mostrou interessado pela raça e queria o apoio delas na guerra. Já a Rainha queria proteção e respeito.
    - Vença Zarazane num desafio de sexo e reclame-me como sua esposa, oferecendo proteção a nós em momentos de crise, que minha tribo e eu, juraremos fidelidade a você, incluindo o ritual do banho de porra.

    Stinkmeaner não se aguenta e reage:
    - Hah! Pintuda desgraçada e infiel! O Zazá devia ter lhe forçado a fazer o mesmo ritual da sua mama. Agora taí querendo passar a perna nele. Não vou deixar isso barato naum!

    A trolesa tenciona partir em disparada pra contar pro marido, mas nem percebe que o mesmo já estava atrás dela, metendo a cara no peito dele e caindo pra trás meio atordoada. Quando se dá conta da situação, ela fala:
    - Zazá! Querido. Essa pintura traido...

    Zarazane dá um cascudo tão fodido em Stinkmeaner que a trolesa desmaia, cabeça no chão e bunda pra cima. Zarazane puxa ela com o dedo enfiado no cu dela como um gancho e se posiciona do lado de Golu, diante de Edelgard. A reação dele é indesperada:
    - Poxa mina, tua mãe e eu até hoje temos um rolé de boas. Não sabia que tu tinha tanto ranço comigo mora? Se tu tivesse me dito antes eu até abençoava o casamento de vocês de boa. O Golu fez juramento de sangue comigo e com outros chefes. Somos tudo irmãos. Mas agora, tou injuriado.  Nós topa desafio de sexo, mas só se for em tu! Quem passar mais tempo esfolando teu furico, ganha você como muié e faz o ritual de fidelidade na frente das zotras. Tu acha justo, bróder Golu?

    Edelgard percebe que caiu numa sinuca de bico e observa com olhos assustados aos falos tanto de Golu como de Zarazane ficando rígidos. Lillith diz que parecia a coisa mais justa a ser feita e nem esperava que um ato visualmente brutal, fosse ser o mais civilizado. Edelgard tremia nas bases e diz em tom imperativo:
    - Vocês fazem ideia do que estão falando? Eu sou a Rainha das Futanaris em Karzek, líder de Oasis, uma maga poderosa. E vocês estão ai decidindo o MEU destino, sobre que vai foder mais o meu cu? Eu tenho um pênis também! Não estão vendo?

    O que Golu e Zarazane viam na verdade era que Edelgard estava dura, provavelmente excitada com a ideia, mas sem querer admitir. Sem falar que perto do mastro dois chefes, o dela parecia um dedo mindinho deles. A vontade de rir é irresistível quando os dois se entreolham pro que a Rainha acabou de dizer. Allura sobrevoa o salão pousando nas costas da futa e massageando os ombros dela:
    - Relaxa... Aposto como você vai gozar pra caralho... Eu chupo você.
    bahamut
    Tecnocrata
    bahamut
    Tecnocrata

    Mensagens : 471
    Reputação : 93

    Golu II (SP) - Bahamut - Página 2 Empty Re: Golu II (SP) - Bahamut

    Mensagem por bahamut em Qui Mar 19, 2020 6:14 pm

    Golu teve uma surpresa depois que deu uma lição em Stink, quando Lillith se vangloriou pelo marido que tem e subiu em seu ombro, beijando e acariciando-o. Golu sentiu pela primeira ver que Lillith se sentia feliz por estar casada com ele e deu um leve sorriso, acariciou o corpo dela e acariciou o rosto dela com o próprio rosto, como um gato pedindo carinho. Juntos foram até o palácio da rainha futa e o que Golu viu e ouviu lá foi muito esclarecedor. A posição da Rainha com relação aos Trolls, a sua posição em se entregar à Golu, a traição de Stink e a presença de Zarazane, colocando seu ponto de vista. A Rainha agora se via acuada, dois homens grandes e de penis enormes prontos para fode-la com força. Golu pensa na situação e se vê dividido. Zarazane é seu irmão de sangue e não é sábio confrontá-lo. Uma vez aceito o desafio Golu sabe que ganhará, mas deve cogitar perder de propósito para não perder o apoio do Troll. Ele então olha novamente para a Rainha, ela era uma futa muito gostosa e mesmo o seu penis ereto não muda o que Golu sente naquele momento.
    Mesmo não sendo um homem muito inteligente, Golu pensa nas suas alternativas. Ele pode aceitar a proposta da Rainha mas oferecê-la para Zarazane por um dia inteiro como prova de sua aliança e respeito. Ou ele pode aceitar o desafio e foder a rainha até não poder mais. Zarazane com certeza não irá gostar de perder e isso pode afastá-lo de Golu.

    Golu: - Golu gosta de proposta de Rainha mas Golu irmão de sangue de Zarazane. Golu precisa falar com Zarazane a sós.

    Tendo dito, Golu se afasta chamando Zarazane para conversar. Golu toma cuidado para se colocar de costas para o grupo enquanto fala com o lider Troll e conversa em tom baixo.

    Golu: - Irmão Zarazane sabe fazer entrada. Rainha Futa com medo de ser arrombada por Zarazane hahahahahaha. Golu não conhece bem futas quer saber o que Zarazane sabe. Golu tem contra proposta. Parecer que algumas futas gostar de caça mas Rainha não. Golu tmbém gosta da idéia de foder cu de Edelgard até ela desmaiar hahahahahaha. Mas se Rainha guarda rancor de temporada de caça, pode guardar rancor dessa disputa e querer agir contra Zarazane e Golu do mesmo jeito que tentou trair Zarazane.

    Golu deu um tempo para Zarazane pensar e então continuou.

    Golu: - Vamos dar o que Edelgard quer. Eu aceito casar com Edelgard, tomando controle de futas. Assim ela sentir no controle e não contrariada. Para compensar Zarazane e trolls, depois de casados Golu cede Edelgard para Zarazane por um dia inteiro para apaziguar lider Troll injuriado. Com duas vilas, Golu manterá temporada de caça com condições. Somente oásis será caçado. Caça será uma vez por ano e sempre no mesmo dia. Futas que não quiserem caça irão para Karthak. Ogros de Karthak participarão de caça à trolesas. Se trolesas conseguirem capturar ogros, ogros serão escravos de sexo. Se ogros capturarem trolesas, trolesas serão fodidas por ogros. O que acha irmão Zarazane?
    Sailor Paladina
    Mutante
    Sailor Paladina
    Mutante

    Mensagens : 677
    Reputação : 29

    Golu II (SP) - Bahamut - Página 2 Empty Re: Golu II (SP) - Bahamut

    Mensagem por Sailor Paladina em Dom Mar 29, 2020 3:31 pm

    Golu dá a sugestão dele, enquanto Edelgard parecia nervosa com as carícias de Allura. Zarazane suspira pesadamente e vai até a rainha futa, encarando-a nos olhos. Edelgard devolvia o mesmo olhar, com ódio.
    - Eu sei que tu nunca vai me chamar de pai. E eu tenho tanto rebento que tanto faz te chamar de filha ou não. Mas uma coisa é certa: eu amo tua mãe e ela me ama. Respeito mútuo saca? Eu não vou foder o teu cu, mesmo que tu mereça. Mas espero que meu irmão Golu aqui te ensine o seu lugar...

    Zarazane cerra os olhos como quem diz que iria ficar de olho nela e vai até Stinkmeaner, metendo o dedo no cu dela e a erguendo, jogando-a por cima dos ombros, indo embora.
    - Vou passar na minha tribo pra dar as boas novas do teu casamento, mano. Mas num me pede pra ficar não. De filha desnaturada quero distância! Não se preocupa que de lá eu volto pra base dos chefes. Tou de boaça contigo, mas fica de olho nessa mina. Não deixa ela mandar em tu!

    Allura fica meio decepcionada pois esperava ver um bacanal dos bons ali. Lillith olha pra Golu esperando quando seria a decisão dele. Era possível ouvir alguns gritos lá fora com a passagem de Zarazane, algumas futas gritando, "me leva com você!". Edelgard ainda de nariz empinado vai até o trono dela e senta-se com pose, suas pernas cruzadas e cabeça apoiada no punho.
    - Muito bem, Golu. Agora que aquele bárbaro se foi, podemos negociar nossa aliança e realizar um casamento tradicional como pessoas civilizadas. Posso chamar uma sacerdotisa pra oficializar.

    Edelgard diz que no momento que viu Golu pela primeira vez, sabia que ele se diferenciava da plebe. Com a educação adequada, ele poderia um dia ser Rei.
    bahamut
    Tecnocrata
    bahamut
    Tecnocrata

    Mensagens : 471
    Reputação : 93

    Golu II (SP) - Bahamut - Página 2 Empty Re: Golu II (SP) - Bahamut

    Mensagem por bahamut em Qua Abr 01, 2020 1:39 am

    Golu fica atento à forma como Zarazane recebe a idéia. Depois ele fala com Edelgard de forma dura e sincera. Ele era padrasto de Edelgard e a mãe dela estava viva e ao que tudo indica, feliz. Quando Zarazane passa por Golu com Stinkmeaner nos ombros, Golu escuta as palavras do lider mais velho e cumprimenta ele levando sua mão até a dele, como uma queda de braço no ar.

    Golu: - Golu feliz por apoio de Zarazane. Golu família de Zarazane agora. Zarazane bem vindo em domínios de Golu. Nunca esqueça disso.

    Golu esperou Zarazane sair para se virar até Edelgard. Ela tinha uma pompa além de sua posição e Golu tinha uma certa aversão a isso. Caminhando em passos lentos Golu se aproximou de Lillith, acariciando o rosto dela com carinho. Então apalpou a bunda redonda dela para em seguida erguê-la pelo quadril e colocá-la sentada em seu ombro. Enquanto ele acariciava as costas dela ele olhava para Allura. Com a outra mão fez um sinal para ela se aproximar e sem demorar esta alça vôo, pousando sentada no outro ombro do meio ogro. As duas fazem um carinho no rosto e na cabeça sem cabelos dele e se beijam felizes. Golu então se aproxima de Edelgard, parando imponente em frente ao trono dela.

    Golu: - Golu aceita Edelgard como esposa mas Golu não tem muito tempo para rituais. Chame sua sacerdotisa se necessário pois Golu precisa partir para dar notícia aos lordes e você vem junto de Golu. A partir de hoje, Golu senhor de Karthak e do oásis. Futas são livres para visitar e morar em Karthak e logo anunciarei o mesmo aos ogros. Duas cidades crescem melhor juntas. Quando esse assunto com os lideres passar e Golu voltar para Karthak, novas decisões Golu irá tomar.

    Golu espera a sacerdotisa chegar para formalizar o tal casamento. O penis dele crescia enquanto olhava a bela Eselgard e suas curvas, sentada no trono e respirando fundo com uma expressão que ele não soube descrever. Não via a hora de foder ela com gosto e depois banhar ela com sua porra. Golu fará questão de pedir a benção de Erotika para que ele banhe a rainha futa com um banho memorável de porra.
    Sailor Paladina
    Mutante
    Sailor Paladina
    Mutante

    Mensagens : 677
    Reputação : 29

    Golu II (SP) - Bahamut - Página 2 Empty Re: Golu II (SP) - Bahamut

    Mensagem por Sailor Paladina em Sab Abr 04, 2020 5:20 pm

    Golu dá sua resolução sobre a cena e Edelgard aprecia a sagacidade do futuro esposo. Ela se levanta e diz estar ciente da situação na fronteira e que por isso mesmo talvez não fosse boa ideia desperdiçarem tempo com rituais ultrapassados. Podiam deixar isso pra depois. A Rainha faz um sinal pra uma de suas criadas pra que se ela se aproximasse e diz que precisaria se ausentar de Oasis por alguns dias. Sua irmã Rinkah ficaria na liderança do lugar. Ela também deveria ser informada de que Karthak era agora uma cidade aliada visto que Edelgard iria se casar com o líder de lá. A criada demonstra certo nervosismo dizendo que Rinkah odiaria saber disso por outra futa que não a própria Rainha e Edelgard diz que não tinha tempo nem paciência pra discutir com a irmã mais nova. Apenas dissesse a ela  que sua decisão era final e o que elas deviam fazer se acontecesse algo errado. As futas criadas e guardas fazem uma reverência enquanto Edelgard se posiciona do lado de Golu e começa a mover suas mãos enquanto entoa algumas palavras estranhas. Golu vê alguns traços luminosos surgirem sob seus pés formando uma espécie de círculo e de repente todo o cenário a sua volta muda completamente. O castelo, as árvores e as pessoas desaparecem da vista e num piscar de olhos eles se viam diante do pequeno lago onde Golu viu as futas se banharem na primeira vez. Já era possível ver o acampamento dos chefes a poucas centenas de metros. Edelgard fala:
    - As maravilhas da magia não é mesmo? Nunca me atrevi a ir até o posto de observação, sendo este lago o ponto mais próximo que vim. Precisava saber até onde as ameaças iam...

    Golu ainda estava meio atordoado com o teletransporte. Foi o primeiro em toda a sua vida. Allura cai do seu ombro, mas flutua até o chão. Lillith escala até embaixo, indo um pouquinho pra longe e vomitando. Edelgard ri baixinho e diz pra ela não se preocupar, pois isto era uma reação comum em pessoas com baixa constituição. Com o tempo iriam se acostumar. Allura diz que já teleportou algumas vezes, mas nunca se acostumou. De qualquer modo a tontura não leva mais que poucos segundos e todos já estavam bem. Edelgard olha pra Allura e Lillith e pede a elas um pequeno favor: irem na frente, pois queria um momento em particular com seu futuro marido. Golu não estava particularmente em perigo pra esse pedido ser negado e as duas partem na frente com Allura alçando vôo com Lillith em suas costas chegando mais depressa no entreposto. Golu e Edelgard começam a caminhar e a Rainha revela seus motivos pra odiar Zarazane.
    - Nossa cidade sempre viveu em paz sem qualquer relação com as tribos bestiais próximas. Com nossa mágica sempre mantivemos monstros e saqueadores distantes. Minhas mães governavam Oasis muito antes de eu nascer. Um dia quanto eu completei dez anos e a Rinkah ainda tinha apenas quatro, percebemos a aproximação dos trolls liderados por Zarazane. Muito resistentes a magia e mestres em caça e necromancia, não foi difícil pra eles nos sobrepujarem. Zarazane matou minha mãe-futa na minha frente e de Rinkah. Ele nos deu um ultimato: A Rainha se casava com ele e a vila pertenceria a ele, ou todas seríamos extintas. Minha mãe-mulher aceitou o ultimato e se mudou pra morar com ele. Ela aprendeu a amá-lo e ele se apaixonou por ela, mas o fato é que eu cresci aprendendo a odiar os dois. Desde então, anualmente os trolls passam em Oásis pra nos "caçar", contudo, eles só procriam com as próprias fêmeas. Eles sequer seguem nossas mulheres. Só querem as bundas das futas. Um fetiche maldoso pra diminuir nossa moral. Eu nunca tinha dado o cu na minha vida, mas me forçaram a isso. Rinkah e eu nunca nos rebaixamos a curtir a "sensação". Não posso falar por outras de nosso convívio. Isso foi há 20 anos...

    O casal finalmente chega ao entreposto dando tempo pra Golu dar sua opinião a respeito do depoimento sincero de Edelgard, se assim desejasse. Allura e Lillith aguardavam do lado de fora na porta. Havia alguns homens e mulheres representantes de cada raça do lado de fora que acompanhavam a comitiva de seus respectivos chefes assim como Golu trouxe as dele. Golu havia chegado antes de todo mundo, graças a magia da rainha futa. Possivelmente ainda levaria quatro dias pros outros retornarem. Skulltulla fica feliz de rever os amigos e vêm recebê-los. Golu aproveita os dias restantes para conhecer melhor sua nova esposa. Edelgard adorava o fato de que o seu novo marido ouvia o que ela tinha a dizer e a tratava como gente. Algo que ela jamais esperaria de alguém como Zarazane. Allura e Lillith não dizem, mas aprovavam Edelgard e queriam ver o relacionamento dar certo, tanto que tentavam na maior parte do tempo deixá-los a sós para que a futa ficasse mais a vontade. E o plano dá certo. Naquela mesma noite, Edelgard diz que queria dormir com Golu, pois ele havia conquistado esse direito. A rainha usa uma magia criando uma área privativa dentro do próprio entreposto onde poderiam ter um momento pra eles. Nua e deitada de costas, face bastante corada, Edelgard convida Golu a possuí-la.
    - É a primeira vez que eu faço isso por vontade própria. Com pau desse tamanho, você vai me rasgar. Mas se aquelas suas esposas aguentam, eu também posso aguentar!

    No dia seguinte, Edelgard demora pra sair do quarto. Estava andando torta e dolorida, escorando-se nas paredes pra andar. Golu estava do lado de fora do entreposto vendo todas aquelas pessoas de baixo escalão aguardando a chegada de seus líderes, incertos sobre o futuro e que guerras iriam lutar. Muitos ali não tinham a mesma experiência que Golu tinha e o viam como um certo herói de terras distantes. Seria interessante vê-lo lutar um dia. As esposas de Golu andavam tranquilas em meio a todas aquelas pessoas, por serem esposas de um chefe respeitado. Porém uma coisa chama a atenção de Golu. Distante dali, próximo a umas rochas uma mulher com uma clava em mãos, os cabelos prateados esvoaçantes e a pele cinza observava o horizonte. Golu tinha certeza de já tê-la visto antes, na batalha contra os gigantes. Ela vira-se, encarando Golu por instantes, os olhos vermelhos e brilhantes parecendo rubis flamejantes e então com um salto suave, senta-se sobre a rocha. Se Golu perguntasse a qualquer pessoa se podiam ver a mulher, todos respondem não ver nada. Provavelmente alguma miragem.
    bahamut
    Tecnocrata
    bahamut
    Tecnocrata

    Mensagens : 471
    Reputação : 93

    Golu II (SP) - Bahamut - Página 2 Empty Re: Golu II (SP) - Bahamut

    Mensagem por bahamut em Sex Abr 10, 2020 9:54 pm

    Edelgard concorda com Golu e acha melhor partirem sem maiores delongas e rituais. Logo ela deixa uma ordem para que sua irmã mais nova fique na liderança enquanto ela se ausentar e usa uma magia de teleporte em área para levar Golu e suas esposas até o lago aonde encontraram as primeiras futas. A reação ao teleporte era esperada por Edelgard, que deu um leve sorriso, explicando que era passageiro. Ela também pede para Allura e Lillith que fossem na frente para que ela pudesse conversar a sós com Golu. As esposas de Golu eram apaixonadas mas muito compreensivas e inteligentes, dando espaço aos dois e seguindo adiante pelo ar. Edelgard contou a sua relação com Zarazane e como isso impactou a sua vida e a vila. Golu escuta com calma e conversa com sua nova esposa de forma calma e sincera.

    Golu: - Golu sente por sua mãe futa e por seus sentimentos por Zarazane e sua mãe, esposa dele. Zarazane padrinho de Edelgard mas família com tristeza anterior. Golu entende cultura de Zarazane mas também entende cultura de futas, Golu cresceu em vila dos anões. Mas Golu agora seu marido, Edelgard não precisar ter receio por Zarazane. Mas saiba que Golu ainda ter pouco poder com futas e embora irmão de sangue de Zarazane, não pode evitar caçada de sexo. Mas Golu pode deixar uma caçada por ano. Golu também viu que tem futas que gostam de caçada e pode oferecer Karthak para futas que não querem ser caçadas.

    A conversa continua calma e despretensiosa. Golu admira a beleza de sua esposa, que embora tenha um pênis, possui um corpo muito sensual, seios fartos e um belo quadril. Sua pele é macia, seus cabelos sedosos e seu rosto delicado e enigmático.

    Golu: - Golu não sabe o que é fazer sexo sem querer. Golu sempre quis fazer sexo quando fêmeas queriam e mulheres nunca recusaram Golu. Mas Golu pensa que deve ser ruim. Edelgard só possui buraco no traseiro né! Golu não sabe muito de Edelgard. Golu sempre gosta de foder esposas e esposas nunca recusaram Golu. Mas se Edelgard recusar Golu, Golu não usar força contra Edelgard. Esposas importantes para Golu.

    Golu aproveita para falar de si e de suas experiências. Edelgard se abriu para ele e é mais parecida com Lillith do que com outras esposas. Gosta de conversar e de ser seduzida. Também é delicada e civilizada.

    Golu: - Golu agora seu marido. Golu te protege e Golu te serve. Edelgard pode falar tudo que quiser com Golu. Se Edelgard cansar, Golu pode dar colo para Edelgard.

    Quando chegaram no seu destino, Lillith e Allura vieram ao encontro dos dois. Golu as recebeu com um convidativo abraço e Edelgard as cumprimentou também. Skultulla estava lá e também os recebeu de forma bem enérgica. Golu precisou outrora ser mais rígido com ela, mas não tem nada contra ela. Ele a abraçou e fez um cafuné em sua cabeça. O decorrer do dia foi agradável. Ainda demoraria até os outros líderes chegarem, então Golu passou um tempo com suas esposas. Ele queria conversar com Edelgard e queria que ela se desse bem com suas outras esposas. Juntos conversaram por um bom tempo sobre suas experiências e gostos. Comeram juntos, riram juntos e Golu se aproveitou quando estiveram dentro de sua tenda, para acariciar de forma íntima tanto Allura quando Lillith. Foi nesse momento que Edelgard solicitou que ela pudesse ter a primeira noite com seu marido. As duas esposas deram um sorrisinho e beijaram Golu ao mesmo tempo, acariciando e se esfregando no grande meio-ogro, então saíram. Já estava anoitecendo e Golu sabia que elas iriam aproveitar bem a noite sozinhas. Juntos, Golu e Edelgard jantaram a sós. Edelgard estava mais radiante do que o normal. Ela então usa uma magia para criar uma área privativa lá dentro. A bela futa então se coloca de costas para Golu e rostrada no chão.

    Edelgard: - É a primeira vez que eu faço isso por vontade própria. Com pau desse tamanho, você vai me rasgar. Mas se aquelas suas esposas aguentam, eu também posso aguentar!

    Golu não demorou para ficar de pau duro. Vendo aquela gostosa figura se abrindo para ele, Golu acariciou as costas, pernas e nádegas dela, sentindo a sua pele macia. Com a boca ele lambeu o cuzinho dela com carinho, sem menção de introduzir a língua nela. Edelgard mexia o corpo e arrepiava com as carícias. Golu então a virou de frente e beijou sua boca, acariciando os seios, pernas e barriga da futa. Golu viu que ela também estava ereta mas não acariciou o pequeno pênis dela. o beijo do meio ogro era profundo e sem pressa e os seios dela eram maravilhosos.

    Golu: - Golu vai ser carinhoso com Edelgard. Algumas esposas de Golu não aguentam todo Golu, mas Golu ama suas esposas.

    Golu colocou edelgard em seu colo, sentada sobre o mastro e a beijou e acariciou sem pressa de penetrá-la. A futa se entregava às carícias e rebolava seu quadril em cima do enorme pênis do meio-ogro. O pequeno pênis dela escorria um líquido transparente e o seu ânus escorria um líquido parecido com que as mulheres deixavam escorrer de suas bucetas quando estavam excitadas. A boca dela não desgrudava da boca do meio-ogro, seus olhos fechados demonstravam como ela apreciava o momento e suas mãos delicadas acariciavam os músculos do meio-ogro. Seus seios fartos e firmes chamaram a atenção do meio ogro, que a ergueu e lambeu e sugou os seios dela sem pressa, arrancando os primeiros gemidos da rainha futa. Golu então encaixou a cabeça de seu falo na bunda da futa, que encaixada, rebolava esfregando a glande em seu pequeno orificio enquanto olhava Golu nos olhos. Ela segurava nas mãos de Golu e com os pés no chão, rebolava no mastro de Golu e forçava contra ele de tempos em tempos. Golu busca a boca dela para sentir o sabor dos seus lábios enquanto o ânus dela se abre lentamente, arrancando gemidos da rainha futa. Por ser muito grosso, o pau do Golu força bastante o pequeno orifício de Edelgard, forçando-a a interromper o beijo e mudar sua expressão, sentindo um pouco de dor. Golu então a tira de cima com delicadeza e a coloca de quatro. Ela respirava com força e sua bunda escorria o líquido de aroma agradável para Golu. Ele então se posiciona atrás da jovem e a segura pela cintura e tapa a boca dela, com um dedo em sua boca. Ela de olhos fechados suga e lambe o dedo do meio-ogro enquanto ele força a entrada do seu falo no rabo dela. A glande força a entrada do cuzinho da Futa, fazendo ela gemer alto enquanto a glande vai penetrando a bundinha. A penetração é lenta e com um discreto movimento de vai e vem. Ela em consequência começa a suar e gemer sem controle ao ter o seu cuzinho arrombado pelo falo monstruoso de Golu. A cada forçada no rabo da futa, ela chupa com força o dedo do seu esposo e geme profundamente, apreciando a enrabada que deixa o cuzinho dela bem arrombado. Golu por sua vez gosta de ver a futa gostosa gemendo e se entregando pra ele. Logo ela gozava, gemendo forte e ejaculado no chão. Golu por sua vez não parou de foder a rainha futa, pegando com força em sua cintura e sentando no chão, erguendo ela. Ele a segura com cuidado, forçando o corpo dela contra o seu pau e arregaçando o cuzinho dela quando a glande finalmente entra totalmente no cuzinho dela. Golu sabe que dificilmente ele conseguiria introduzir mais do que isso nela e então começa a estocar sua nova esposa, que fica ereta novamente. A futa goza mais umas duas vezes nesse ritmo até que Golu goza dentro do cuzinho dela. Golu por ser meio-ogro tem um orgasmo forte e cheio de porra, fazendo Edelgard tremer ao sentir o sêmen invadindo-lhe as entranhas.

    https://encrypted-tbn0.gstatic.com/images?q=tbn%3AANd9GcS3d6IzsNHZyv8K25JntGspsafvlRIgxKEQGzGDtqdL1ZL35wix&usqp=CAU:
    https://encrypted-tbn0.gstatic.com/images?q=tbn%3AANd9GcTqqXqjatNWRvkhGhrl8uNgjCERz9fDXetcqotKg6Gj776wsiFc&usqp=CAU:

    Na manhã seguinte Golu está revigorado. Suas esposas vem recebê-lo com beijos e felizes por ver que ele também está contente. Depois elas entram para ver como Edelgard estava para ajudá-la depois da primeira vez com Golu. Quando ele se espreguiçava, notou uma mulher próximo às rochas. Cabelos prateados, uma clava nas mãos, pele cinza e observando o horizonte. Ele a reconhece da batalha dos gigantes e então ela olha para ele. Seus olhos são vermelhos como rubis e com um salto ligeiro senta-se sobre a rocha. Golu olha em volta e percebe que ninguém a notara. Então ele volta o seu olhar para ela e resolve andar até ela com o passo apertado. Chegando lá ele irá encará-la e agradecer pela benção na batalha.
    Sailor Paladina
    Mutante
    Sailor Paladina
    Mutante

    Mensagens : 677
    Reputação : 29

    Golu II (SP) - Bahamut - Página 2 Empty Re: Golu II (SP) - Bahamut

    Mensagem por Sailor Paladina em Dom Abr 12, 2020 1:59 pm

    Para a surpresa de Golu, Edelgard sentia-se ótima pela manhã. A falta de um marido ou esposa era um fardo pra ela. Não podia ser qualquer parceiro. Como uma representante racial, precisava ser alguma líder mulher. Jamais esperou que fosse terminar esposa de um macho, mas no final das contas, funcionou a contento. Oasis iria prosperar com a proteção das outra tribos. Coisa que as futas jamais poderiam esperar das raças civilizadas tão distantes ou mesmo dos trolls que só tinham interesse sexual. Golu fez Edelgard se sentir importante tanto pra si mesma como para suas súditas e o fato de ter que se tornar 'esposa' valeu a recompensa. Ao contrário da mãe que se casou com alguém que ela não respeitava, via em Golu, a despeito de sua origem selvagem, alguém com muito potencial. Mas será que era apenas ela que enxergava esse potencial no meio ogro? A dinâmica familiar entre Golu e suas esposas funcionava muito bem. Lillith se demonstrava fascinada com o conhecimento da Rainha futa e Allura aprendia uma coisa ou outra sobre magia que nunca imaginou que poderia saber. Golu vê suas três esposas sentadas a sombra junto com Skulltulla conversando sobre coisas de mulher e sai tranquilo e bem disposto para inspecionar as pequenas tropas estacionadas no entreposto, além de alguns soldados extras que vinham de cada tribo. Todos eles conheciam Golu, mas apenas por nome: "O matador de gigantes". Parecia um título imponente pra se ter. O viam como um exemplo a ser seguido e acenavam com sua passagem. Porém ao ver a silhueta de uma figura familiar, Golu se apressa em chegar perto.

    Durante o trajeto, Golu percebe o céu ficar vermelho-rubro enquanto cinzas e faíscas voavam na direção da mulher. Golu chega na rocha e inicia a conversa, agradecendo o suporte na luta. A mulher misteriosa desce da rocha; era tão alta e musculosa quanto Ashelia; seus passos criavam pequenas poças de magma no chão e ela para diante do meio-ogro falando com ele mentalmente, portanto sem abrir a boca.
    Spoiler:
    - Eu sou Bloodrayne. Sua Criadora. Você se destaca de todos os demais, portanto, o tornarei meu campeão. Quero que devolva Karzek às suas raças selvagens por direito.

    Golu II (SP) - Bahamut - Página 2 UYAIWqR

    Ela explica que não podia lutar pessoalmente com Shadowlady, pois isso destruiria todo o reino. Os mortais eram seus soldados nessa guerra divina. O plano da deusa por sorte batia com os ideias de Golu de unir as raças selvagens de Karzek sob a bandeira do mais forte. Bloodrayne diz que seu suposto filho era uma farsa criada pelo Rei de Minoara como um messias para unir Karzek e tomar o reino da Imperatriz-Lich, fazendo-o se casar com ela. O rapaz era na verdade filho do Rei Minotauro, Frank Horrigan com uma elfa escrava. Com sangue élfico, o rapaz se mostrou capaz de aprender magia sozinho, algo sem precedentes no reino, mas suficiente pra convencer as massas. A missão de Golu no entanto, era o de dar suporte total ao farsante e no final, subjugar a ambos. Dessa forma, liberaria Karzek da influência de Shadowlady e impediria que Minoara substituísse uma vespa por um escorpião.
    - Horrigan me desrespeita. Não apenas por criar um farsante alegando ser meu filho, mas também por ser um adorador da minha irmã Fenrir. Ela é mais "ok" do que Shadowlady, mas não serve pra influenciar Karzek.

    Golu deveria apenas agir normalmente, como se nunca tivesse recebido tal conhecimento. Inclusive, nenhuma magia no mundo conseguiria extrair tão informação da sua mente, a menos que ele próprio decidisse contar a alguém, mudando assim o rumo da história e sua relação com a Deusa do Sangue. Obviamente como campeão dela, Golu é agraciado com um presente. Bloodrayne arremessa um colar de ossos na direção de Golu, cada um contendo o osso de um dedo de cada raça de Karzek. Ela diz que cada oponente destruído por ele em sua causa, contribuiria para que o bárbaro continuasse de pé firme e forte. O objeto não funcionaria pra ninguém mais além do próprio Golu, e apenas xamãs devotos dela o reconheceriam como artefato divino. Bloodrayne fita Golu por mais alguns instantes e meneia a cabeça positivamente antes do seu corpo virar cinzas e se misturar com as que já voavam por eles. O cenário volta ao normal e Golu retorna para o entreposto. Ao se aproximar, ele vê que Ashelia já tinha voltado e estava conversando com Skulltulla e Lillith. As três notam Golu voltando apontando na direção dele. Allura e Edelgard voam com rapidez na direção dele com ar de preocupadas e o abraçam.

    Allura: Mestre Golu, onde você foi? Allura preocupada! Quase três dias sem dar notícia!
    Edelgard: Esposo, por favor. Se pretende passar uns dias fora, ao menos nos diga onde vai. Foi algo que eu disse?


    Golu conversa com suas esposas enquanto se aproxima das demais. Ashelia diz que infelizmente não havia sinal de Mira e Lynn na fronteira, porém não deixaram que conhecessem o tal profeta, por razões de segurança. Precisariam mandar algum negociador pra estabelecer um acordo de paz. Alguém muito bom nisso. Edelgard já deixa claro que não negociaria com os minotauros e tampouco recomenda que qualquer mulher tentasse, pois minotauros não enxergavam fêmeas como iguais e seriam apenas estupradas por lá. Ashelia baixa a cabeça, rangendo os dentes e cerrando os punhos. Não fosse por Tony e Dorogh lhe acompanhando, provavelmente estaria em alguma jaula servindo de alívio sexual pros soldados minotauros. Dorogh vê Golu e bate palmas por sua conquista. Não tinha muita fé de ver as futanaris sendo forçadas pra causa, mas Golu não apenas conseguiu o feito como escravizou uma bela cavala. Edelgard toma ofensa das palavras nada gentis do chefe.
    - O Golu não forçou as futanaris. Ele nos fez um convite e nós aceitamos. Eu não fui subjugada. Sou esposa dele! E eu não sou uma cavala, seu filho de uma égua!

    O bugbear observa Edelgard por alguns instantes depois daquelas bravatas todas e depois ri dando um tapinha no ombro de Golu, afirmando que acima de tudo, a futa ainda era inteligente e falava palavras difíceis! Embora Golu não fosse muito inteligente, seu convívio com seres humanos no passado em conjunto com a bênção da deusa, dava-lhe uma ponta sobre os demais chefes. Ele percebia o quão ignorantes os demais eram no quesito social e portanto explicar algo a eles sobre o assunto, seria como convencer Stinkmeaner de que ela tinha direitos. Tony diz que só faltavam Morgrund e Zarazane chegarem, mas também não faziam ideia de como estabeleceriam um acordo de confiança entre as tribos e o rei de Minoara. Lillith comenta:
    - Edelgard, podemos ir em Karthak buscar o Sibil, se o Golu deixar.
    - Quem é esse?
    - É um rapazinho meio-elfo que servia de pajem para o antigo líder de Karthak. Ele é bardo e alquimista, além de muito inteligente.

    As duas olham pra Golu, esperando sua opinião a respeito.

    Offtopic: Colar de Ossos Ensanguentados (Item Lendário) Confere Sabedoria +2 e após um inimigo ser abatido e seu sangue espirrado no portador do colar, o portador regenera pontos de vida iguais a 50% do máximo que o inimigo possuía. Exige sintonia e estar alinhado com os anseios da divindade criadora.
    bahamut
    Tecnocrata
    bahamut
    Tecnocrata

    Mensagens : 471
    Reputação : 93

    Golu II (SP) - Bahamut - Página 2 Empty Re: Golu II (SP) - Bahamut

    Mensagem por bahamut em Dom Abr 19, 2020 1:43 am

    A conversa com Bloodrayne foi algo inédito para Golu. Tramas para controle de Karzek e traição contra Bloodrayne estavam sendo tramados pelos Minotauros. Um falso líder e uma falsa aliança, a fim de dominar o reino. Golu consegue entender a missão da Deusa e recebe o presente com gratidão. Sem dizer nada Golu acena para a Deusa, afirmando o seu papel dentro dos planos dela mas em sua mente pairava uma pergunta. Seria possível foder com uma Deusa? Uma coisa era certa, ela parecia ser bem quente.

    De volta ao acampamento Golu teve uma surpresa ao descobrir que a conversa com a Deusa demorou tres dias! Mas ele não podia explicar o que acontecera. Ashelia já havia voltado e demonstrava suas impressões do encontro com os minotauros. Infelizmente Mira e Lynn estariam mais adentro do reino e qualquer fêmea ali seria um alvo. Quando Edelgard respondeu ao líder bugbear, Golu colocou a mão em seu ombro.

    Golu: - Edelgard mulher de Golu agora. Homens não respeitar mulheres e futas. Esposa de Golu não responder. Golu cuida de esposas. Golu precisa de esposas inteligentes com cabeça livre para ajudar Golu.

    Golu não consegue evitar de pensar em Edelgard como a sua égua e ele currando o traseiro dela com força e até o talo mas seu pensamento foi interrompido quando a conversa continuou com a idéia de voltarem a Karthak para buscar Sibil.

    Golu: - Sibil inteligente. Edelgard pode nos levar para lá como fez para sair de oásis. Golu apresenta Edelgard para esposas Fafnir e Sibil. Golu então vai com Sibil para Minoara enquanto esposas se conhecem melhor. Edelgard vai gostar de esposas. Golu acha que se darão muito bem.

    Golu sabe que precisava partir imediatamente mas sua vontade era agarrar todas as esposas ali e levar para a tenda para fodê-las com toda a força. Todas eram lindas, sensuais e muito gostosas. Todas esposas de Golu e todas o desejavam.

    Golu precisa de um plano para agir uma vez que Sibil estiver com eles. Golu espera todos os chefes retornarem para terminar a reunião com o próximo passo a ser dado. Uma vez que isso aconteça, Golu e Sibil irão marchar para Minoara para tentar encontrar Mira e Lynn. Enquanto isso Edelgard, Ashelia, Allura e Lillith ficarão responsáveis pelas duas cidades, juntamente com Fafnir. Ashelia irá para Karthak enquanto Edelgard e Lillith irão para o Oásis. Golu explica para elas que ele era o rei das duas cidades, mas suas esposas eram rainhas com mesmo poder em qualquer das duas cidades, mas Oásis ainda tinha que se acostumar com a idéia e Lillith era a mais capaz de entender isso e lidar com elas até Golu voltar. Allura seria a responsável por entregar quaisquer informações entre as duas cidades. Sua capacidade de vôo facilitava a sua locomoção. Golu explica que muitas mudanças precisarão ser feitas mas sabe que suas esposas o ajudarão.
    Sailor Paladina
    Mutante
    Sailor Paladina
    Mutante

    Mensagens : 677
    Reputação : 29

    Golu II (SP) - Bahamut - Página 2 Empty Re: Golu II (SP) - Bahamut

    Mensagem por Sailor Paladina em Seg Abr 20, 2020 7:52 pm

    Golu tinha dúvidas se algum dia poderia transar com a deusa. Talvez mostrar serviço e agradá-la, contribuísse com essa meta. Ser campeão dela parecia um bom passo pra esse propósito também. Golu volta percebendo que o tempo passou rápido demais e tenta mediar a situação de Edelgard com Dorogh. A futa fica satisfeita por ser elogiada, muito embora detestasse o fato de que os demais chefes nunca a respeitariam. Ela diz ter tido muita sorte de encontrar Golu, pois provavelmente a futas seriam subjugadas sem qualquer utilidade pelos demais chefes. Após determinar como ficariam as lideranças das cidades, tanto Ashelia como Edelgard mencionam que, no momento em que Golu partisse pra áreas mais avançadas de Karzek, elas fariam questão de ir junto pra protegê-lo (mesmo que Golu acreditasse que isso não seria necessário). Mas provavelmente isso era uma questão pra ser debatida depois. Logo mais no final do dia, retornam Morgrund e Zarazane. Os chefes se reúnem na grande sala pra discutir seus achados e Morgrund diz que os Chozo preferem se manter neutros com relação a essa possível guerra. Considerando que são em sua totalidade servos de Fenrir, ter algum tipo de desavença com raças civilizadas não era bom. Golu entendia agora porque Bloodrayne não gostava da Deusa do Conhecimento. Na hora do vamos ver, davam com o pé atrás. Zarazane diz que as regiões norte e oeste de Karzek eram habitadas por raças que jamais se aliariam a eles de bom grado e que portanto, dali pra frente era conquistar ou morrer.
    - Elfos, centauros, humanos... muitos seguem Mitz e Freyalise. Deusas fracas que propagam paz e amor, saca? Temos que escravizar todas! E não é bonzinho como fiz com as futas não! - (Diz o chefe troll fitando Edelgard) - É na base da peia e da chibata!

    As mulheres permanecem caladas, mas todos os chefes ali concordam. Golu diz que faria mais uma tentativa com os minotauros, usando um servo seu que era mestre naquilo que os civilizados chamavam de "diplomacia". Tony, Zarazane e Dorogh acham que seria perda de tempo insistir, mas são interrompidos por Morgrund que levanta a voz pedindo silêncio. Por ser o mais velho, era naturalmente mais respeitado. Ele leva a mão ao queixo pensativo e diz concordar com Golu. Caso ele conseguisse convencer os minotauros, talvez fosse uma boa tentar de novo com os Chozo, nem que fosse apenas pra pedir seu equipamento bélico emprestado, sem ter que necessariamente requerer sua presença física.
    - Vamos adiar nossos planos por mais alguns dias até que Golu retorne...

    Edelgard responde a Morgrund que a viagem de volta seria muito mais rápida, visto que ela havia criado portais de teletransporte entre seu reino Oasis e outros locais distantes. A futanari suspira e olha pra Golu, esperando que ele repita o que ela acabou de dizer para que os demais chefes opinasse, mas pra sua surpresa, Morgrund sorri e diz que entendeu perfeitamente, inclusive agradecendo a rainha por sua ajuda. Pelo menos mais um líder ali além de Golu a respeitava e isso a deixa muito satisfeita. Porém havia um pequeno problema.
    - Infelizmente meu poder de teletransporte ainda é limitado a círculos runicos previamente criados, meu esposo. Não sei se Karthak possui um.

    Lillith pergunta a Edelgard como eram esses portais e a futa faz uma breve explicação pra leigos sobre eles. A ladina diz que no templo de Karthak havia um sinal runico parecido com o que ela mencionou. Sibil havia lhe mostrado uma vez. Edelgard lembra que de fato tinha um portal para um templo de Shadowlady por lá, da época que um tal de Padre Saulot governava o lugar.
    - O templo ainda existe? Faz muito tempo que visitei o lugar pela última vez.

    Lillith confirma que sim e Edelgard da uns saltinhos de felicidade, com alguns gritinhos de alegria. Emoção compreendida apenas por Allura e Lillith. Sem ligar pros olhares a sua volta, a futa tira seu grimório da bolsa e o folheia procurando uma página específica.
    - AQUI! Achei! Podemos ir hoje e já voltarmos amanhã!

    Golu, Edelgard, Lillith, Ashelia e Allura vão até o lado de fora e aguardam a rainha futa abrir o portal. Golu já sabendo como era o procedimento, vai na frente, seguido por Lillith que lamenta ter que fazer isso de novo. Ela tapa o nariz, fecha os olhos e passa correndo. Ashelia fica meio em duvida sobre o que fazer e Allura diz que ela só precisava caminhar pelo portal de luz na frente dela. Edelgard diz que só iria durar um minuto e que a moça não perdesse tempo. A meio-ogre só é convencida depois que Allura mente pra ela dizendo que Golu podia estar em perigo, o que faz com que Ashelia se zangue e passe correndo. Allura ri pra Edelgard e passa pelo portal sendo seguida imediatamente pela futa. O grupo inteiro aparece no porão do templo de Shadowlady em Karthak. Tava tudo escuro, mas havia barulho no andar de cima. Eles todos sobem e têm uma surpresa com o que encontram. Uma fila de ogros e meio ogros, homens e mulheres seguiam na direção do trono do templo, onde um folgado e seminu meio elfo recebia a todos e lhes abençoava em nome de Golu.
    - Ajoelhe-se e peça a proteção de nosso Grande Líder Golu e a bênção da Deusa.

    sibil no templo:
    Golu II (SP) - Bahamut - Página 2 Q5T88Zc

    Sibil parecia bem convincente em manter os habitantes de Karthak fiéis a causa de Golu e possivelmente evitar que outro "Zubak" surgisse com ideias de trair seu mestre. Embora a intenção fosse boa, aquela cena fazia Golu lembrar de Saulot. A fila já estava terminando e quando o último já está saindo, Allura alça vôo na direção do meio elfo, tascando um beijo de surpresa na boca dele, o que o faz se exasperar tentando escapar. Ele fica muito surpreso ao ver a súcubo perguntando o que ela fazia ali e é quando se dá conta de todos os demais ali presentes. Ele se levanta ficando em posição de sentido  ao Ver Golu.
    - Me-mestre Golu, o senhor voltou! Que alegria revê-lo!

    Sibil gostaria de estar mais feliz e até correria pra abraçar seu mestre, mas não sabia como Golu estava enxergando aquela situação toda, o que o deixava com muito receio. Também não fazia a  a menor ideia de quem era a futanari ao lado dele.
    bahamut
    Tecnocrata
    bahamut
    Tecnocrata

    Mensagens : 471
    Reputação : 93

    Golu II (SP) - Bahamut - Página 2 Empty Re: Golu II (SP) - Bahamut

    Mensagem por bahamut em Ter Abr 21, 2020 2:06 am

    Golu gosta do que ouviu na reunião. Ele terá outra chance com os Minotauros e poderá tentar uma aliança com os homens pássaro. Também haviam as outras raças ao norte de Karzek. Se dependesse dos outros líderes, tais raças seriam dizimadas, suas mulheres estupradas até a morte e seus machos massacrados de todas as formas possíveis e/ou escravizados. Golu pensa que se ele for até estas raças o quanto antes, pode virar o jogo favorecendo a todos.

    Depois de tudo resolvido e ajeitado para partirem, Golu procurou a filha do chefe orc para entregá-la a salvo para seu pai e passar para ele o que foi decidido na reunião dos chefes.

    Golu: - Golu sente muito. Golu chefe com muitas obrigações. Golu promete compensar Skulltula.

    Edelgard então cria o portal para que todos possam viajar rapidamente para Karthak, economizando um tempo valioso. Isso faz Golu repensar sobre a distribuição das esposas entre as cidades. Ter Edelgard ao seu lado sempre se mostrará muito útil. Uma vez de volta Golu nota algo estranho. Ao saírem do porão todos podem ver o meio elfo em um trono, distribuindo bençãos para os ogros e meio ogros de Karthak. Ao descobrir que seu marido chegara de viagem, reage de forma pouco alegre. Golu por sua vez se adianta, acenando aos ogros para voltarem para suas casas. Em seguida ele  encara sua esposa Sibil com um silêncio desconcertante. Fafnir provavelmente estaria dormindo então Golu não manda chamá-la.

    Golu: - Golu ansioso para saber o que acontecia em Karthak enquanto estava fora mas Golu acha que já viu o bastante. Golu é lider de Karthak e ogros seguem a deusa que não tem templos. Golu feliz por Sibil se preocupar com Golu e é por isso que Golu não castiga Sibil.

    Sibil estava em posição de sentido e demonstrava medo diante do marido. Golu era forte e imponente diante do pequeno meio elfo.

    Golu: - Sibil, essa nossa nova esposa, Edelgard, rainha do Oásis das Futanaris. Edelgard, esse esposa de Golu, Sibil.

    Golu pega Sibil no colo e coloca no seu ombro.

    Golu: - Golu leva vocês para casa. Esposas de Golu precisam descansar. Golu precisa levar Skulltula, filha de chefe orc em segurança.

    Golu então acompanha suas esposas até sua casa. Fafnir dormia calmamente quando Golu chegou. Depois de colocar Sibil no chão, Golu foi até Fafnir e beijou-lhe a nádega.

    Golu: - Golu precisa levar Skulltula agora. Golu gosta de ver esposas juntas. Golu ama esposas.

    Depois de uma doce despedida com cada uma delas, Golu escolta Skulltula até o vilarejo orc, conversando um pouco pelo caminho.

    Golu: - Filha de chefe orc parece ser mulher forte. Isso algo bom. Mas em Karzek mulheres não tem fala e são posse de machos. Skulltula ouvir ensinamentos de pai chefe orc. Um dia Skulltula casar e ter que servir marido. Esposa forte ganha ouvidos do marido, esposa fraca e desobediente vira escrava.

    Quando chegaram na vila dos orcs, Golu se apresentou ao guarda como lider de Karthak e trazia filha do chefe a salvo. Quando o guarda saiu, Golu tornou a falar com Skulltula.

    Golu: - Golu ainda deve favor para Skulltula. Quando quiser Skulltula pode pedir o que quiser para Golu. Golu ainda sente por não cuidar de Skulltula como deveria.
    Conteúdo patrocinado


    Golu II (SP) - Bahamut - Página 2 Empty Re: Golu II (SP) - Bahamut

    Mensagem por Conteúdo patrocinado


      Data/hora atual: Qui Jul 16, 2020 2:48 pm