Um fórum de RPG online no formato de PBF (Play by Forum).


    A Casa do Sangue - Velho Estaleiro - Dover

    Wordspinner
    Troubleshooter
    Wordspinner
    Troubleshooter

    Mensagens : 815
    Reputação : 28

    A Casa do Sangue - Velho Estaleiro - Dover  Empty A Casa do Sangue - Velho Estaleiro - Dover

    Mensagem por Wordspinner em Qui Maio 28, 2020 5:51 pm

    A Casa do Sangue - Velho Estaleiro - Dover  Algum_10


    As ruas que levam até o lugar estão cheias de entulhos pesados suspeitamente abandonados no caminho. Ainda mais esquecido pelas autoridades que o resto do bairro. Toda região tem um ar pesado e implacável para aqueles que podem sentir. Nem as gangues estão por ali. As marcas da Legião de Sangue são as únicas nas paredes descuidadas. O abandono e esquecimento do lugar parece se alimentar da ausência das pessoas. Ao olhas o segundo mundo se pode encontrar toda sorte de moradores assustadores. Violência. Ódio. Fúria. Morte. Concreto. Aço. Ferrugem. Decadência. Destruição.

    O cheiro dos pequenos animais que vivem ali é o mais instigante. Os outros cheiros da cidade passam com dificuldade entre os prédios velhos. O cheiro de todas aquelas pessoas pobres. Suas vidas e seus dejetos. O som da música já ficou para trás a varias quadras. As casas noturnas e raves ilegais são o ultimo bastião da civilização. Agora, andam sobre seus ossos expostos e despidos de carne. O vento corre barulhento, uivando entre as janelas e carregando os cheiros conflitantes das poucas plantas que sobrevivem ali sem cuidado. Insetos e pequenos pássaros enchem o fim de tarde de um jeito que deveria ser proibido.



    Os jogos começaram com o raiar do sol. Corrida. Obstáculos. Combate corpo a corpo. Facas. Presas. Escalada. Estrategia. E agora que a luz do Sol morria no horizonte o prato principal. O teste verdadeiro. Caçar um Uratha no Hisil. Um lobisomem no segundo mundo. Deram armas para sua escolha. Mas somente isso. O ambiente inóspito os aproximou. Os dois precisariam um do outro para ganhar. Talvez até para sobreviver. Em pouco tempo se viram sendo caçados pela loba que deveriam vencer. Ela conhecia o lugar. Ela sabia lutar. Ela vestia a guerra como uma segunda pele. Ela os assusta e persegue. Os rastro de sangue que deixam é uma preocupação constante. A loba exigia rendição. Exigia que desistissem. O som da perna partindo é impossível de ignorar. O instinto grita para fugir e abandonar.

    Quando a história for contada esse será o momento crucial. Não havia outra forma de lutar. Não havia nenhuma vantagem para se conseguir escondida em algum canto, em algum momento do futuro. Nenhuma arma que fosse melhor do que as que a Lua Guardiã os deu. Na história que será contada os dois lobos lutam juntos contra o inimigo superior. Contra a força brutal e eficiente do maior predador dos dois mundo. Coragem, confiança, ferocidade e pensamento rápido. Essas foram as armas que arrancaram a vitória das tão reais e sólidas presas da derrota. Cobertos de sangue e quebrados. Quando a história for contada talvez eles deixem lado que caça continuou viva e que sua rendição foi uma surpresa para os dois aspirantes pendurados entre a vida e a morte.

    A salva de tiros das armas automáticas iniciava a festa. Sim. Uma festa. A legião de Sangue e seus parentes eram os únicos presentes. Barris de cerveja. Alvos pendurados em frente a uma mesa com machados e facas. Atiçador apostava na queda de braço com Uivo Longo se vão chamar strippers ou prostitutas. Um Jeep com aparelhos de som foi levado até ai de alguma forma. A dor da carne aberta era suprimida pelos curativos e bandagens. Chaya, Morte Cinza, ficava entre os dois. Menos de uma hora atrás era ela cavando fundo nos dois. Agora, ela ri os aperta orgulhosa. Feliz como a noiva de um soldado que vê o futuro marido voltar da guerra. Nem mesmo o sangue dos dois em sua roupa diminui a felicidade que ela sente. Na verdade, todos, sem exceção estão felizes e animados. Os Uratha, muito mais.

    Faor
    Tecnocrata
    Faor
    Tecnocrata

    Mensagens : 319
    Reputação : 10

    A Casa do Sangue - Velho Estaleiro - Dover  Empty Re: A Casa do Sangue - Velho Estaleiro - Dover

    Mensagem por Faor em Qui Maio 28, 2020 9:26 pm

    Edgar Shaw deveria estar exausto, completamente esgotado, mas estava em êxtase! Todo arrebentado, com dores absurdas em todo o corpo e mal conseguindo se apoiar na mesa, estava lá eufórico, adrenalina alta e muito sangue na cabeça, que ainda pulsava de dor e da onde escorria bastante sangue. Morte Cinza apertava a coxa esquerda dele, toda animada e divertida, e provocava uma dor ainda maior - ela ria, gargalhava. Shaw segurava o braço dela com força e pela reação de Francis, batendo na mesa com o braço esticado por trás dela, a Rahu estava curtindo com ele também.

    Pouco antes ela tinha agarrado a perna dele quase do mesmo jeito. Não do mesmo jeito, porque antes ela estava tentando arrancar a perna dele e em algum momento ele acreditou que ela estava conseguindo. Mas ali os três estavam realizados, não havia derrotados - os dois não pediram para se render, não foi? Não senhor!

    Quando um parente, um camarada discreto, mas talvez um pouco mais alto que os demais, passou despreocupado na frente do trio, Shaw encarou ele e viu na mesma direção um vergalhão mal preso em um resto de alvenaria fora do caminho geral, mas perto, bem perto - na opinião de Edgar, perto o suficiente. * - Mais 04 ou 05 passos e ele ficaria fora de vista da turma lá, vai passar atrás do Jeep com certeza. Só o Atiçador conseguiria ver, mas ele não está vigiando aquela direção. Aquele pedaço de ferro atravessaria o peito dele muito rápido e ele cairia em silêncio. Eu chegaria fácil, só que meu amigo Cahalith e a Morte Cinza precisariam estar dançando agora, não é? Ou eles veriam tudo...*

    - Morte Cin... - O Irraka estava rindo quando começou a falar na hora em que ela afrouxava - um pouco - a coxa dele, mas ele mal conseguiu terminar o nome e disparou a gargalhar. - Tudo isso é muito foda! Hein, Francis? - Ele ainda estava rindo e só se projetava um pouco para frente encarando os outros dois e ignorando o sujeito que ele pensou em matar um instante atrás. - Não isso aqui, não a festa, que também está boa pra cacete, claro, boa mesmo. Mas o que é muito foda é ser Uratha, puta merda, a porra da vida faz sentido, claro. Mas o que me fez rir agora é pensar que na próxima vez que eu ver você numa caçada... - Ele ainda sorria mas o tom era mais sério, pensativo. - Cacete, na próxima vez que eu puder ver você numa caçada, eu vou estar do teu lado, provavelmente na espreita, vou arrancar um pedaço de algum desgraçado que nme vai me ver chegando e você vai moer os ossos do filho da puta até ele não conseguir falar o nome da mãe dele. - Shaw não sorria mais, falava com alguma fúria, olhos vermelhos, apertando o pulso dela, mas visivelmente satisfeito por estar ali. - Quem sabe meu irmão aqui não estará arrancando a cabeça do chifrudo para arremessar em outro infeliz logo depois, hein Francis?

    Shaw relaxa e volta a curtir a festa, olhando a turma reunida, e vendo o sujeito passar atrás do Jeep. * - Ah, eu sabia!*
    GodsCorpse
    Adepto da Virtualidade
    GodsCorpse
    Adepto da Virtualidade

    Mensagens : 1846
    Reputação : 36
    Conquistas :
    • https://i.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/311.png
    • https://i.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1112.png
    • https://i.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/912.png
    • https://i.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1811.png
    • https://i.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1413.png
    • https://i.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/2111.png

    A Casa do Sangue - Velho Estaleiro - Dover  Empty Re: A Casa do Sangue - Velho Estaleiro - Dover

    Mensagem por GodsCorpse em Sab Maio 30, 2020 3:04 pm









    Vou ir para terceira-pessoa a escrita que é mais meu forte.


    Não existiria um sentimento melhor para Franco do que estava passando agora. Não era apenas uma vitória, não senhor, aquilo fora uma descoberta. Aquilo, aquilo sim, era como se tivesse descoberto o que queria fazer para o resto da vida. Um virjão estourando o primeiro vinho, ou a primeira viagem com LSD e cocaína misturadas... Não que ele saiba. Mentira, sabe sim. "Heheheh".


    Mesmo com os ferimentos, Franco não conseguia ficar parado. Enquanto Chaya ficava mais acompanhada de Shaw, ele se levantava com uma latinha em mãos, exibindo o peito e costas lanhadas, enquanto dançava num semi-círculo com a perna fraturada.


    - Disse tudo Shaw! HAHA! - ele jogaria os braços aos ares, desenhando figuras abstratas ao vento - É como um sonho vivo, eh! Eu tenho mais um para nós viver no futuro: o sanguinário Shaw, caminhando pelas árvores, avistando a presa e cavando novos buracos para a gente foder, porra.


    Francis virava a latinha inteira e mancava um pouco da perna que ainda se curava - Mas hoje não é só nós, mas sim a Morte Cinzenta. Posso ouvir um "Viva?" - Franco virava com a orelha meio partida para a dupla com sua risada de hiena - Porra fodida do caralho!! Nunca antes uma mulher me pegou pelo rosto e me arrancou outra coisa que um beijo, puta merda!! Heheheheheh


    Era para doer, mas a dor contava outras coisas. Contava uma história de luta e não de sofrimento. Dor não é sofrimento, dor é experiência. Dor é a fraqueza deixando o corpo para deixar uma marca que fica para sempre. Porra, essa dor talvez fosse lembrar para sempre, mas não como algo negativo, sim como uma vitória. Franco ia para o lado do Atiçador e do Uivo Longo e começava a ovacionar os dois. - Só há um vencedor na história! Faça valer!! Vai vai vai!



    Wordspinner
    Troubleshooter
    Wordspinner
    Troubleshooter

    Mensagens : 815
    Reputação : 28

    A Casa do Sangue - Velho Estaleiro - Dover  Empty Re: A Casa do Sangue - Velho Estaleiro - Dover

    Mensagem por Wordspinner em Sab Maio 30, 2020 4:24 pm

    Chaya morde Shaw de um jeito completamente diferente do que mordeu antes. "Não é hora de pensar no amanhã meninos. Hoje só existe o agora." Ela olha para a mesa de queda de braços. "Esses bundões me baniram da competição. Disseram que eu não sei brincar." Ela fala debochando. Enquanto isso os gritos de "Vai" aumentam em volta da mesa. Inflamados por Franco. Atiçador baba e rosna e parece que vai estourar. Simon finge não se esforçar, mas não consegue ganhar vantagem nenhuma.

    Uma parente peituda chamada Silvia vem com um barril de cerveja no ombro e uma mangueira que sai dele até sua boca. Ela vira um jato gelado de cerveja nos competidores e na torcida. Atiçador levanta imediatamente revoltado, mas Simon o puxa para cima da mesa rindo e comemorando a vitória de Silvia. As risadas são mais contagiantes que a irritação e logo ela some. Derrotado e feliz Atiçador segura o ombro de Franco. A dor é impossível de evitar, mas o corpo corre para se reparar. "Ela fudeu a porra da sua história Francis. Eu ia esperar até o fim da festa, mas não sei se vocês dois vão ficar." Ele da uma olhada meio irritada, mas cheia de zombaria para Chaya. No momento seguinte ele bate firme com a palma da mão no peito de Franco. Mais alto que o som tapa é o som do metal. Uma corrente e tag marcado com 'companheiro' na primeira língua e longo espaço em branco. Feliz, ele joga um outro idêntico para Shaw. "Quando as meninas estiverem prontas marquem seu próprio nome aí. Um presente. E não, ninguém vai ganhar uma metralhadora de presente." Simon sequestra o barril de cerveja e começa a passar a mangueira de um pro outro fazendo piadas infames.
    GodsCorpse
    Adepto da Virtualidade
    GodsCorpse
    Adepto da Virtualidade

    Mensagens : 1846
    Reputação : 36
    Conquistas :
    • https://i.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/311.png
    • https://i.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1112.png
    • https://i.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/912.png
    • https://i.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1811.png
    • https://i.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1413.png
    • https://i.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/2111.png

    A Casa do Sangue - Velho Estaleiro - Dover  Empty Re: A Casa do Sangue - Velho Estaleiro - Dover

    Mensagem por GodsCorpse em Dom Maio 31, 2020 1:02 am








    Franco puxa o braço de Simon para cima depois de sua vitória e urra em alegria. E depois vai do lado do Atiçador e dá uns tapinhas nas costas dele - Não se preocupa. Lhe falta bronha! HEHEHEHEH - Franco nem ve o Atiçador bravo quando se vira para o banho de cerveja e uma olhada indiscreta para parente - Me põe numa sela e grite Ayhooo Silver, minha querida.


    - Oh porra.. - Atiçador não era sutil com seus toques - Me paga vinho primeiro Atiçador... Porra... Do que tu ta falando?


    Franco fica um tempinho ponderando com as dog-tags na mão, mas dá de ombros - "Se vai cagar na minha, vou para outra moita.", pensou e encarou um pouco Shaw com seriedade e dúvida, mas voltou para o Atiçador com um sorriso - Atiçador, não cabe o nome do meu pau aqui, isso aqui é muito pequeno. Heheheheh. Brincadeira... Pô, curti. Simon, me vê isso ai!



    OFF escreveu:Seria desconfortável para galera ficar em Dalu para escrever o nome na tag?



    Faor
    Tecnocrata
    Faor
    Tecnocrata

    Mensagens : 319
    Reputação : 10

    A Casa do Sangue - Velho Estaleiro - Dover  Empty Re: A Casa do Sangue - Velho Estaleiro - Dover

    Mensagem por Faor em Dom Maio 31, 2020 1:14 pm

    *- O sanguinário Shaw ... Cacete, será que por aí mesmo? Esse cara aí que é uma tropa de choque inteira! * - Edgar ainda estava visualizando cenas de caçadas que ainda não aconteceram até perder um pouco a noção ao redor. Estava quase espiando o segundo mundo, ouvindo distante a gritaria ao redor mas foi resgatado pelas mordidas de Chaya.

    - É isso aí! Esse dia aqui vai ficar marcado, com certeza! - Shaw olhava para o Cahalith e não podia deixar de reconhecer valor no sujeito. * - Caramba, esse cara sozinho é uma festa inteira! Se eu ficar do lado dele, toda minha capacidade de desaparecer vai para a casa do cacete, mas se eu andar dois ou três passos pro lado... Ninguém nunca vai me ver chegando! Hahhhahaha! Isso vai ser ótimo! *

    Ele via Silvia passando - todos viram - e ficou distante vendo a bagunça em torno da cerveja e da mesa com Atiçador e Uivo Longo. Incitado por Francis, Shaw e todos os outros gritavam e festejavam. Michael lança uma tag para ele logo depois e o Irraka percebe Francis encarando ele e apenas o cumprimenta de volta, sinalizando com o presente.

    A recuperação da carne é rápida demais e Edgar já está - quase - inteiro outra vez. Andar por ali, sentir a vibração em torno dos outros Urathas mais velhos, todo o tumulto e provocações, tudo isso o faz se sentir ainda mais forte, mais vivo. O período com os Uivadores não foi ruim, todo o aprendizado foi intenso e cheio de descobertas, mas depois da verdadeira caçada, ali com a Legião de Sangue, Shaw encontrou família e religião. Ele faz parte disso e é isso que importa.

    Outra vez ele fica imaginando como atacaria alguém por ali, é muito natural. Os parentes "se oferecem" como vitimas perfeitas, o tempo todo zanzando em torno da agitação, sempre um se desgarra e ele acompanha passo a passo. Aí ele percebe Coração de Prata vindo de longe. * - Do alto daquela estrutura metálica eu já mergulharia como Dalu e só soltaria quando o pescoço estivesse estraçalhado. Eu iria me foder no meio do caminho, mas que daria certo. * - Esses pensamentos deixavam o Irraka absurdamente à vontade e mais relaxado e ele se aproximou da mesa, entrando na brincadeira da cerveja quando Francis consegue o barril com Simon. Ele balança a plaqueta de metal na frente de Uivo Longo apontando para o espaço vazio.

    - E aí? Quando vamos receber um nome Uratha de verdade? Eu eu vou gravar o nome da minha mãe, sub tenente do exército da rainha, morta em combate? - Ele faz graça da tragédia, forçando uma postura perfeitamente ereta, fazendo continência em posição de sentido e imitando uma voz cheia de desdém, forçando um sotaque londrino arrastado. Pura diversão, não provocação.
    Wordspinner
    Troubleshooter
    Wordspinner
    Troubleshooter

    Mensagens : 815
    Reputação : 28

    A Casa do Sangue - Velho Estaleiro - Dover  Empty Re: A Casa do Sangue - Velho Estaleiro - Dover

    Mensagem por Wordspinner em Dom Maio 31, 2020 3:07 pm

    Simon não faz nenhuma questão de segurar o barril. Na verdade parece muito animado com o interesse dos colegas. A cerveja é boa, mas sem frescuras. Gelada já que o inverno não permitiria de outra forma. Uivo Longo sorri com cerveja escorrendo da boca "As duas gatinhas novas tem que merecer um nome e só depois podem marcar aí. As vezes são os companheiros que colocam os seus nomes em vocês." O cheiro de cerveja e suor. O som dos corações batendo alto. Finalmente alguém consegue ajeitar o som em uma musica decente. Civil War.




    Silvia passa o próprio cinto na barriga de Franco, tentando prende-lo. "É assim?" Ela pergunta dengosa cheirando a baunilha e sexo. "Não fura fila cara. É a minha vez de ser a presa." diz Chaya ajudando Silvia com o cinto. O tom é brincalhão, mas o olhar é lascivo. "Até porque, mordeu tem que levar." Ela mostra uma das bandagens sujas de sangue, enfia dois dedos e eles saem manchados de vermelho. O cheiro do sangue é melhor que o sangue de gente. O que foi difícil perceber durante a luta é claro como vinho agora. A carne do Uratha é ainda melhor.

    Ela passa um deles na boca de Franco e outro na de Shaw "Para vocês me acharem mais tarde." Ela logo depois lambe os dois dedos de uma vez e começa a andar rebolando para perto dos alvos e machados. Não é nenhuma surpresa ser capaz de segui-la como o norte magnético de uma bussola. O sangue é assim. Não importa as barreiras. Não importa nem se passassem o nariz em um moedor de carne. Tinham provado o sangue e poderiam segui-la em qualquer direção. Mesmo no fundo do mar. Silvia aperta mais o cinto.

    Na primeira língua Coração de Prata fala com seriedade solene "Uivo Longo, Atiçador, mataram o guardião do loci perto do hotel. Eu preciso de vocês, mas não deve demorar." Ele muda para o inglês e o tom se torna novamente ofensivo e sem gravidade "Samuel e Chad são os motoristas da rodada. Podem guardas as coisas em casa e se a policia aparecer paguem o arrego com boquetes ou punhetinhas, cês são bons nisso." Morte cinza se anima imediatamente e parece prestes a protestar, mas Atiçador a dispensa com um aceno e ela começa a lançar machados nos alvos com ferocidade desnecessária e sua precisão sofre da irritação ou da dor dos ferimentos. Já Simon parece completamente mudado, totalmente profissional quase marchando para Krantz e atiçador logo atrás distribuindo tapinhas nas costas e sorrisos quentes.
    Faor
    Tecnocrata
    Faor
    Tecnocrata

    Mensagens : 319
    Reputação : 10

    A Casa do Sangue - Velho Estaleiro - Dover  Empty Re: A Casa do Sangue - Velho Estaleiro - Dover

    Mensagem por Faor em Seg Jun 01, 2020 12:09 pm

    Shaw apenas acena para Simon, levantando as mãos como quem diz "sem pressa, fazer o quê?" quando Uivo Longo fala que eles precisam fazer por merecer um nome. Faz todo sentido. Logo se vira para responder ao Michael, que parecia realmente interessado.

    Atiçador escreveu:- "Tá brincando cara? Sua mãe serviu, irmão? De verdade? Quando?"

    - Sub tenente Elizabeth Sandrine Shaw, 1st Signal Brigade, Exército Britânico. A notícia da morte dela veio em um papel timbrado, uma medalha e uma bandeira. Parece que até promoveram ela a Capitã depois da morte. Cacete! Disseram que foi "um acidente durante uma operação de rotina". - Shaw novamente fala com zombaria. - Oficialmente? Ela atuava numa área chamada "Hospital de Campo de Altíssima Prontidão", mas ela não falava muito sobre nada disso. Em algum momento eu entendi que era algo meio que de fachada e que ela agia em solo britânico, sabe? Teoricamente era uma divisão de apoio para operações estrangeiras mas acho que não era bem isso... Ah! E a causa da morte? Essa foi um barato! Um acidente de helicóptero, sabe-se lá onde ou com quem! Corpo para o enterro? Não obrigado! Eu tinha 12 anos cara e foi uma merda.

    Do lado dele, Francis e Sílvia estavam num clima muito melhor e o Atiçador perde completamente a atenção de Shaw quando Chaya passa um dedo com o próprio sangue na boca dele. Aquela provocação era forte demais para se controlar. O corpo assume o comando e o resto não importa mais. Edgar só consegue falar algo como - Mais tarde? Mais tarde quando? Agora?

    Só desvia os olhos de Chaya, com algum esforço, quando escuta Krantz falando e convocando alguns por ali. Não foi citado nem chamado mas, puta merda, queria fazer parte e olhou para Michael do mesmo jeito que Morte Cinzenta deve ter olhado, querendo seguir com eles. Mas o instinto ainda estava falando mais forte e ele foi atrás do que estava perturbando.

    - Se não dá para ir com eles Chaya, o que mais dá para arrancar de bom dessa festa ou dessa cidade? Agora cerveja nenhuma vai resolver, não é?

    GodsCorpse
    Adepto da Virtualidade
    GodsCorpse
    Adepto da Virtualidade

    Mensagens : 1846
    Reputação : 36
    Conquistas :
    • https://i.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/311.png
    • https://i.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1112.png
    • https://i.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/912.png
    • https://i.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1811.png
    • https://i.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1413.png
    • https://i.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/2111.png

    A Casa do Sangue - Velho Estaleiro - Dover  Empty Re: A Casa do Sangue - Velho Estaleiro - Dover

    Mensagem por GodsCorpse em Qua Jun 03, 2020 3:04 am








    Franco pegou as tags com as mãos e tomou a forma de Dalu para brotar suas garras. Ele já tinha uma ideia de nome: "Cachorro Louco". Era algo que combinava com ele, era algo que o chamassem, mas veio outra ideia na cabeça. "Os filhos da puta te botaram nesse mundo e agora tu vai usar como honra, Franco" e tava para escrever quando ouviu Simon. Voltou ao normal, dolorido que fosse ir e voltar entre as formas, era a menos agressiva. Seu corpo já tava se acostumando pelo menos com uma.


    - Porra Simon! Já botei aqui "Pau Largo", heheheheh.


    Silvia e Chaya brincam com Franco para a felicidade dele, passando o braço entre a cintura delas - Tem bastante Franco para todo mundo. - e foi calado pelos dedos de Chaya. Oh a delícia da brincadeira entre sexo e violência. As vezes, parecia a mesma coisa entre eles. "Peito ou raba Francis? Agora é a hora..."


    Mas Krantz chegou com uma seriedade que não era comum dele, ao menos para Franco. Quando estavam juntos, falavam do mundo como se fosse fedelhos irritantes que merecem uma surra e ficava brabinho com o que falavam dele de vez em quando. Mas dessa forma, tático, Franco até se distraía. Olhou para Silvia e seus dotes, saboreou o sangue na boca, mas... "Porra, mas foder eu já fiz." - A vida de Uratha ainda era nova. Tinha algo diferente a oferecer que não era sexo, claro, mas era algo novo. Horizontes inexplorados para Franco crescer e aumentar. Daí então ele poderia aproveitar uma sentada em cima dele. Lambeu os beiços com vontade. Não era A caça, mas era Uma caça.


    - Ô Prata, tem lugar para mais um? - virou para o Shaw - Shaw! Vamo contar uma história para elas massa depois.



    Wordspinner
    Troubleshooter
    Wordspinner
    Troubleshooter

    Mensagens : 815
    Reputação : 28

    A Casa do Sangue - Velho Estaleiro - Dover  Empty Re: A Casa do Sangue - Velho Estaleiro - Dover

    Mensagem por Wordspinner em Qui Jun 04, 2020 9:41 am

    Atiçador fala rápido sem qualquer sentimento. Um profissional. "Os dois rastros de sangue ambulantes não são conhecidos dos nossos aliados. Chaya também tá sangrando e não vai. Façam companhia a ela e até a próxima." Ela fala andando e sem nem olhar. A voz não é levantada o bastante para todos ouvirem com clareza, mas a nova audição de vozes é o bastante. Ele coloca uma faca grande com cabo de chifre na cintura e finalmente se vira para os dois. "Se alguém tiver seguindo a gente vai levar chumbo até aprender a me ouvir na primeira vez que eu falar." O tom é de brincadeira, mas talvez seja verdade pela cara que Chaya faz. Ele imediatamente começa a andar rápido e logo muda de forma para avançar ainda mais rápido como um lobo e Krantz vai logo atrás. Simon olha para os dois e para vocês. Parece indeciso e um pouco culpado. "Queria poder explicar direito. Não levem nada a mal por favor. Mas a gente se fala. Chaya explica. " Ele logo se torna um grande lobo e corre atrás dos outros.

    Os parentes parecem inabalados, mas todos pausaram para assistir as transformações. Como se fosse algo perigoso. Como se alguém estivesse rolando um barril de pólvora e pudesse acontecer um acidente. Logo depois eles voltam ao normal. Não normal, voltam a festa. Todos exceto Chaya. Ela joga machados como se pudesse matar alguém com eles. Como se quisesse. "Esses babacas, eu ainda enfio os três um no cu do outro. Pode me arrancar um braço e eu faço a mesma coisa!" Ela fala alto e ninguém interessado em interferir. Ela entrega um dos machados para Shaw. "Vai, faz melhor e eu mostro pra vocês o que tem de bom." Ela olha para Silvia como um misto de lascívia e desafio. Na verdade tudo nela agora é competição.

    Silvia puxa Franco na direção de Chaya. Ela por sua vez parece dócil e meiga. Mais que antes. "Vai jogar também?" Ela beija a mão direita de Franco e lambe seu dedo. "para dar sorte." Ela sorri.

    Chad assume o manto do carregador de barril. Ele ajeita o boné e sobe em uma das poucas mesas distribuindo cerveja com mangueira. Alguém aumenta a música e e liga lampadas em um jeep. Chaya oferece um machado a Franco também, mas tem os olhos no alvo desde que entregou um dos machados a Shaw.
    Faor
    Tecnocrata
    Faor
    Tecnocrata

    Mensagens : 319
    Reputação : 10

    A Casa do Sangue - Velho Estaleiro - Dover  Empty Re: A Casa do Sangue - Velho Estaleiro - Dover

    Mensagem por Faor em Qui Jun 04, 2020 10:40 am

    O Irraka sentiu uma tremenda vontade de experimentar sua capacidade de caçar, de se esconder e de perseguir e quase partiu para fazer uma besteira. Mas ele não faria aquilo, repeitou a autoridade e, principalmente, respeitou a tribo. O gosto de sangue na boca e o cheiro absurdamente forte também impediam de sair dali, tanto pela atenção à Chaya quanto pela noção nítida de que ele simplesmente não conseguiria evitar ser farejado.

    Aquela pequena quantidade de sangue também era suficiente para ofuscar qualquer outra bebida ali. A festa em si já estava finalizada para Shaw. Ele sentiu uma verdadeira inveja de ver os três correndo como Urhan. A Caçada que serviu como aprovação para pertencer à Legião foi para Shaw tão importante como a Primeira Mudança. Está sedento para enfrentar e desafiar o mundo como Uratha.


    Chaya escreveu: "Vai, faz melhor e eu mostro pra vocês o que tem de bom."


    Edgar sente a raiva na voz de Mote Cinza e aceita o desafio e o machado. Avalia o peso da arma e a distância ao alvo e tenta controlar o corpo, silenciar as vontades instintivas dele. Ele percebe que Chaya está furiosa e acredita que Franco vai enlouquecer, ou a ele próprio ou a alguém, com tanta provocação. Ele sorri, foca no alvo e arremessa.

    GodsCorpse
    Adepto da Virtualidade
    GodsCorpse
    Adepto da Virtualidade

    Mensagens : 1846
    Reputação : 36
    Conquistas :
    • https://i.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/311.png
    • https://i.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1112.png
    • https://i.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/912.png
    • https://i.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1811.png
    • https://i.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1413.png
    • https://i.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/2111.png

    A Casa do Sangue - Velho Estaleiro - Dover  Empty Re: A Casa do Sangue - Velho Estaleiro - Dover

    Mensagem por GodsCorpse em Sab Jun 06, 2020 11:25 pm








    - Bem, porra. Então vou ficar fora desse menage maluco... Heheh... - riu de leve, mas não estava feliz. Nada feliz. Mordeu o lábio e fingiu que estava tudo bem com outra latinha de cerveja por ali.


    Por outro lado, Franco se sentiria mais provocado, mas não compreendeu o que ela queria. Segurou o machado meio desengonçado (nunca usou muito essas coisas) e foi acompanhando Shaw com incerteza - Mas que porra. É pra jogar nela, mate? - falou baixinho.



    Wordspinner
    Troubleshooter
    Wordspinner
    Troubleshooter

    Mensagens : 815
    Reputação : 28

    A Casa do Sangue - Velho Estaleiro - Dover  Empty Re: A Casa do Sangue - Velho Estaleiro - Dover

    Mensagem por Wordspinner em Dom Jun 14, 2020 7:32 am

    Arremesso Shaw Wordspinner efetuou 5 lançamento(s) de dados A Casa do Sangue - Velho Estaleiro - Dover  D10 (d10.) :
    10 , 10 , 2 , 2 , 10

    Arremesso Franco Wordspinner efetuou 4 lançamento(s) de dados A Casa do Sangue - Velho Estaleiro - Dover  D10 (d10.) :
    1 , 4 , 1 , 2
    Wordspinner
    Troubleshooter
    Wordspinner
    Troubleshooter

    Mensagens : 815
    Reputação : 28

    A Casa do Sangue - Velho Estaleiro - Dover  Empty Re: A Casa do Sangue - Velho Estaleiro - Dover

    Mensagem por Wordspinner em Dom Jun 14, 2020 7:36 am

    Re-rolando sucessos Shaw Wordspinner efetuou 3 lançamento(s) de dados A Casa do Sangue - Velho Estaleiro - Dover  D10 (d10.) :
    9 , 5 , 8
    Wordspinner
    Troubleshooter
    Wordspinner
    Troubleshooter

    Mensagens : 815
    Reputação : 28

    A Casa do Sangue - Velho Estaleiro - Dover  Empty Re: A Casa do Sangue - Velho Estaleiro - Dover

    Mensagem por Wordspinner em Dom Jun 14, 2020 8:37 am

    O machado tem o peso que parecia ter. Exatamente como Shaw esperava. A voz incessante de Silvia se mistura ao som da musica enquanto desaparece. Ele lembra como Chaya fez antes. Lembra como viu ser feito em filmes. Decide deixar o corpo decidir o que fazer. O alvo a distancia tinha três machados presos. Nenhum no centro. O braço se movimenta como um chicote jogando o machado.

    Um acerto perfeito. Tão perfeito que seu dono é o ultimo a comemorar. De primeira. Um spray de cerveja fria passa por cima das cabeças. Todos estavam assistindo. Morte cinza parece impressionada. Muito Impressionada. Ela aperta Shaw em um meio abraço enquanto desafia Franco.

    Silvia ainda segura a cintura de Franco. Ele sente o rosto quente como fogo. Como fazer algo melhor que aquilo. Edgar Shaw provavelmente é um nativo americano de filme de faroeste disfarçado ou viking. Ninguém de verdade arremessa um machado tão bem assim. Mas como fazer para não jogar? Como ignorar um desafio assim? O arremesso é tão ruim que nem chega até o alvo. A arma quica no chão fazendo um barulho que ninguém chega a ouvir. Mesmo assim Chaya comemora.

    "Vocês dois merecem uma voltinha no meu escritório. Silvia sabe que tem sempre a porta a aberta."

    Ela anda para o que parece mais um dos prédios abandonados e tira a camisa antes de entrar. Silvia dá um puxão em Franco e vai atrás pegando uma lata de cerveja e mandando o dedo para Chad que responde com um jato de cerveja.



    Algumas horas depois. A bagunça já está arrumada. Perfeitamente arrumada. Morte cinzenta convoca os dois ao lugar onde ela entrou mais cedo. Um salão amplo com jornais e tabuas nas janelas. Duas camas enormes, uma mesa de sinuca, alvo com dardos, lampadas frias, um freezer enorme, um sofá grande em frente a uma televisão enorme com um trinco na tela. Ela senta em uma cadeira dobrável perto de um bar improvisado, atrás das garrafas dá para ver as armas. Ela parece triste quando começa a falar.

    "Eu fico feliz que tenham escolhido a nossa tribo" ela sorri nessa parte. Talvez lembrando do que aconteceu até ali. "Vamos estar aqui para o que vocês precisarem. A Legião de Sangue é amiga de vocês." Ela para por um segundo e retorna a falar, agora com menos emoção. "Não temos espaço para mais ninguém agora. Atiçador disse que talvez depois que a gente se livrar dos Anshega. Olha... Vocês vão ficar melhor com o protetorado por enquanto. Sério. Eu... tenho que levar vocês para fora do território e o Atiçador disse que os caras do protetorado querem falar com vocês sobre sei lá o que e uma casa."  Ela levanta olhando de um pro outro o tempo todo. Ela parece estar pronta para ser fuzilada, mas não desvia o olhar.
    Faor
    Tecnocrata
    Faor
    Tecnocrata

    Mensagens : 319
    Reputação : 10

    A Casa do Sangue - Velho Estaleiro - Dover  Empty Re: A Casa do Sangue - Velho Estaleiro - Dover

    Mensagem por Faor em Seg Jun 15, 2020 8:30 am


    Shaw não viu o belo arremesso que fez e quando viu, não acreditou. Outra vez naquele dia ele estava quase olhando para o segundo mundo e o toque da arma era tudo o que sentia. Isso e o gosto de sangue, claro. Toda a festa, a barulheira, o arremesso de Francys, tudo passou como um borrão e sabe-se lá quanto tempo depois, ele estava novamente com a consciência afastada e o sangue o instinto dominando o corpo. Era um animal e precisava acasalar, nada além disso.

    Horas depois, um novo chamado de Chaya mas a atmosfera tinha mudado completamente.

    - Sem essa que a Legião é minha amiga! - Shaw estava furioso e sentia que a Rahu estava fazendo um esforço enorme em cada palavra, mas... foda-se! - Porra Chaya... - Ele diminuiu o tom e encarou Morte CInza, tentando entender o que estava acontecendo. Ela estava contrariada demais. Mas já estava dito e ela não estaria ali falando aquilo tivesse outro jeito. Por que ela? - Esse dia tinha que acabar numa merda, não é? Protetorado? O que vamos fazer lá com aqueles... ?- Ele tinha clareza das razões de ter escolhido aquela tribo, mas a decepção de não poder pertencer à Legião foi um furo golpe. Ele não tirou os olhos dela. - Não tem espaço aqui, não é? Melhor não perder tempo então. - Shaw ainda fuzilava ela com os olhos mas desistiu de entender.

    GodsCorpse
    Adepto da Virtualidade
    GodsCorpse
    Adepto da Virtualidade

    Mensagens : 1846
    Reputação : 36
    Conquistas :
    • https://i.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/311.png
    • https://i.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1112.png
    • https://i.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/912.png
    • https://i.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1811.png
    • https://i.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1413.png
    • https://i.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/2111.png

    A Casa do Sangue - Velho Estaleiro - Dover  Empty Re: A Casa do Sangue - Velho Estaleiro - Dover

    Mensagem por GodsCorpse em Qua Jun 17, 2020 10:32 am








    - Ah caralho... Tá errado, não tava com meu kilt! - Franco apontou para o machado e riu juntou com a galera. Felizmente, isso não fez nada para afastar o libido de Silvia e fez questão de atendê-lá.




    Franco seria o último a levantar. Ruim que dessa vez não dava para culpar a ressaca, já que os Uratha mal processavam isso. Saiu de baixo da mesa de sinuca batendo a cabeça e foi para um canto tirar a água do joelho. Quando voltou, deu um sorrisinho e um "Bom dia" com um aceno - Foi tão ruim assim? - brincou quando viu Chaya, mas depois ficou sério e em silêncio, ouvindo o que ela tinha a dizer com atenção, acenando positivamente toda vez que terminava uma frase.


    Franco estaria chateado, mas achou que sonhou algo do tipo. De partidas, de outros rumos. Viu a reação do Shaw e lhe fez lembrar de todo tempo que passou ali. Queria protestar, mas ele gosta da mudança - Tá bom tá bom tá bom... Não vou ficar triste então não, prometo mandar uma SMS quando for aparecer heheh... Franco pode ser espaçoso mesmo. É para ir agora? - não, não pode só se mandar uma SMS e fingir que tá tudo bem. Tá abandonando uma família e Franco gosta de ter amigos - Ah porra. Quer saber, não é legal não. Caralho. Não tinha espaço então chamaram por quê? Mas que inferno..



    Wordspinner
    Troubleshooter
    Wordspinner
    Troubleshooter

    Mensagens : 815
    Reputação : 28

    A Casa do Sangue - Velho Estaleiro - Dover  Empty Re: A Casa do Sangue - Velho Estaleiro - Dover

    Mensagem por Wordspinner em Qua Jun 17, 2020 4:26 pm

    Chaya trinca os dentes e ouve em silêncio. Até o silêncio dela se espalhar pela sala quando todos terminam de falar.  Ela pega as chaves do carro na mesa com o rosto vermelho de raiva. Ela parece que vai falar alguma coisa, mas só faz uma careta e sai andando para a porta. Quando vai abrir ela segura a maçaneta e a arranca com um puxão. O pedaço de ferro amaçado cai da mão dela enquanto ela sai da sala e finalmente encontra a voz. "Não era eu! Não tinha que falar nada disso. É o alfa que decide e ele não quer mais ninguém!" Os parentes todos já foram embora, Silvia, Chad, Samuel, Dany e Tonya. Só um dos jeeps está ali. Ela joga a chave no carro, um arranhão marca onde ela acertou. "Atiçador tinha uma vingança para conseguir e se aproveitou do teste de vocês para isso. Para mim não faz diferença. Vocês são Garras Sangrentas agora. Fenris-Ur marcado na porra das suas almas e só porque eles não querem vocês na alcateia tem que agir feito crianças mimadas? Ninguém enganou vocês. Ninguém prometeu nada." Ela anda rápido para pegar a chave no chão. Claramente arrependida do descontrole. "Umas porras de uns ingratos!" Ela fala ainda procurando a chave no chão, a voz dela soa estranha quase metálica. As mãos tateando a poeira em baixo do carro.  

    Ela encontra e levanta visivelmente tentando se acalmar. Sem paciência para abrir a porta ela pula para dentro. "Um dos idiotas do protetorado vai levar uma surra do atiçador só para vocês terem a chance de entrar pra tribo. Uns ingratos do caralho." Dessa vez ela fala baixo, quase como se fosse só para ela mesmo. Mas o cheiro da raiva e as ações dela deixam os dois no limite. É completamente normal prestar atenção na coisa mais perigosa da sala. No momento, ela. Que parece pronta para gritar de novo, mas acaba forçando as palavras com dificuldade pela garganta. "Eles são a minha família, cara. Eu não acho certo. Mas vocês vão entender um dia. Elas são. Vocês não." Ela vira a chave fazendo o motor do jeep roncar. Chaya fica com os olhos fixos na frente do carro. Esperando. O rosto continua vermelho. Mas não é mais raiva. Os dedos batucando nervosamente no volante. A respiração artificialmente tranquila.
    Faor
    Tecnocrata
    Faor
    Tecnocrata

    Mensagens : 319
    Reputação : 10

    A Casa do Sangue - Velho Estaleiro - Dover  Empty Re: A Casa do Sangue - Velho Estaleiro - Dover

    Mensagem por Faor em Qua Jun 17, 2020 7:52 pm


    Diante da reação de Chaya, Shaw se controla para não forçar a barra, não tem clima e nem sobrou vontade.

    - Chaya, acho que o grande problema foi ter vindo de você... - Ele fala só depois que ela liga o carro. Não tem provocação, nem reclamação na voz. - E mesmo isso não tem nada a ver. Poderia ser uma mensagem, uma porra de um outdoor, o prefeito, o que importa?- O irraka bate no braço de Francys. - Somos Suthar Anzuth. Somos amigos da Legião de Sangue. Isso basta. A presa nos une também, ainda vou caçar contigo.- Edgar Shaw esboça um sorriso, solta os ombros e liga o foda-se. Não acabou nada, acabou? - Mas e aí? Protetorado? Onde a gente vai se meter? - Shaw entende que só adianta olhar para frente.

    GodsCorpse
    Adepto da Virtualidade
    GodsCorpse
    Adepto da Virtualidade

    Mensagens : 1846
    Reputação : 36
    Conquistas :
    • https://i.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/311.png
    • https://i.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1112.png
    • https://i.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/912.png
    • https://i.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1811.png
    • https://i.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1413.png
    • https://i.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/2111.png

    A Casa do Sangue - Velho Estaleiro - Dover  Empty Re: A Casa do Sangue - Velho Estaleiro - Dover

    Mensagem por GodsCorpse em Sex Jun 19, 2020 2:48 pm


    - Ninguém prome- Cê ta de brincadeira né? Tu tira um cachorro da rua, põe na tua casa e chuta depois e ninguém prometeu nada? Caralho foda-se mesmo. Legal, além disso, usados. Atiçador filho da puta.


    Franco acompanha o que Shaw fala, mas não agrega nada - É é.. Somos... Bando de bundões ainda assim. Não precisamos deles. Vamo é se meter em outra furada isso sim. - Franco abaixa o tom e sussurra para Shaw - Espero que não sejam eles um dia. Heh.


    Francis encara Chaya no carro e abre os braços e vai para o banco de trás, puxando um casaco esquecido de alguém de um dos móveis e usando - Tão tá. Tô levando esse casaco e foda-se.


    Conteúdo patrocinado


    A Casa do Sangue - Velho Estaleiro - Dover  Empty Re: A Casa do Sangue - Velho Estaleiro - Dover

    Mensagem por Conteúdo patrocinado


      Data/hora atual: Seg Set 28, 2020 2:22 am