Um fórum de RPG online no formato de PBF (Play by Forum).


    Grupo 2 - Rosa Rubra/Iyue e Dustan/Gakky

    Compartilhe
    Gakky
    Adepto da Virtualidade
    avatar
    Adepto da Virtualidade

    Mensagens : 1562
    Reputação : 149
    Conquistas :
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/311.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1411.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1112.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1011.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1811.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1413.png

    Re: Grupo 2 - Rosa Rubra/Iyue e Dustan/Gakky

    Mensagem por Gakky em Sex Dez 30, 2016 11:39 pm

    Dustan fica surpreso com a voz em sua mente, nunca tinha passado por nada parecido, talvez ela fosse também uma maga. Ele não sabe o que fazer e lança um olhar para Rubra tentando decifrar se ela tinha escutado o mesmo. Ele percebe que a elfa também estava olhando para ele de canto de olho, talvez isso significasse algo. Mas pelo que a garota disse, não parecia justo só ela se salvar e os outros não. Embora sabia que seria perigoso um grupo enorme de escravos desesperados. Logo ouve as ideias de Rubra e fica surpreso, ela queria salvar a ruiva.


    - Então você ouviu o mesmo que eu? Hum... Se você acha importante...

    O guerreiro fica pensativo, precisava de alguma ideia para salvar a garota ruiva. Ele remexe os bolsos e nota o lenço de Rubra, era gentil da parte dela ter se preocupado com ele, pensa enquanto encara o lenço. Com isso lembra que sua problema com o mar havia melhorado, as náuseas tinham passado. Porém ainda evitava olhar para o mar por muito tempo... Quando pensou em mar, não demorou muito para ter uma ideia, embora não saberia dizer se era boa. Então diz em voz baixa para o grupo:

    - Eu pensei em algo... Poderíamos afastar nosso navio e pedir que a Amandia pule no mar, depois a resgatamos com alguma corda. Assim não teríamos qualquer contato com o outro navio. Só espero que ela saiba nadar... E que não tenha tubarões... O que acham?


    Hellkite
    Mestre Jedi
    avatar
    Mestre Jedi

    Mensagens : 1349
    Reputação : 83
    Conquistas :
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/410.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/2111.png

    Re: Grupo 2 - Rosa Rubra/Iyue e Dustan/Gakky

    Mensagem por Hellkite em Ter Jan 03, 2017 6:15 pm

    Ambos os navios navegavam paralelamente, a escuna “Pomona” segurando a velocidade para acompanhar o navio pirata a deriva, quando Rubra fala sobre sua intenção de salvar Amandia. Dustan, apesar de contrariado por ter que salvar apenas a ruiva, pensa num plano e depois comunica aos demais. Depois de uma breve discussão, o plano é aprovado, e logo a capitã Ella dirige-se ao timão de forma sorrateira, enquanto Rubra e Dustan comunicam mentalmente seu plano para Amandia, que acena com a cabeça discretamente.

    Para disfarçar a ação, Rubra e Amandia falavam sobre alguns detalhes de como se daria o salvamento, quando repentinamente o “Pomona” da uma guinada violenta, afastando-se do navio escravista. Os outros escravos começam a xingar e a berrar, ameaçando executar toda a forma de brutalidade caso a escuna não retornasse naquele exato instante. E então xingam ainda mais quando a porta-voz Amandia resolve se jogar na agua.
    - Não disse que estavam desesperados? Agora sim vimos a mascara cair... Escravos e escravistas, melhor mantermos distancia – comenta a maga Messina, com um tom de desdém.

    Ella faz um circulo completo e ao se aproximar da mulher no mar manda jogarem uma boia e descerem uma escada. O navio escravista, sem condições de manobrar, seguiu em frente, o som dos escravos tornando-se mais distante conforme o navio de Ella se afastava.

    Logo Amandia sobe ao convés, toda molhada, torcendo os cabelos ruivos para seca-los. Ela se ajoelha diante dos “Desbravadores” e diz:
    - Muito obrigada por me salvarem! Estou com um grande debito com vocês, e no que for possível ajudar eu ajudarei!

    Messina, com os braços cruzados, ergue as sobrancelhas e faz um bico.
    - Pra falar a verdade, não confio muito em ruivas, experiência própria – diz, olhando Rubra de esguelha.
    Gakky
    Adepto da Virtualidade
    avatar
    Adepto da Virtualidade

    Mensagens : 1562
    Reputação : 149
    Conquistas :
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/311.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1411.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1112.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1011.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1811.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1413.png

    Re: Grupo 2 - Rosa Rubra/Iyue e Dustan/Gakky

    Mensagem por Gakky em Qua Jan 04, 2017 11:02 am

    Dustan fica orgulhoso por terem usado sua ideia, ele se surpreende consigo mesmo, pois não imaginou que teria uma solução tão rápida. Quando ele vê os escravos desesperados, sente pena deles. Queria poder ter ajudado, mas não tinha como. Pobres pessoas, pensou. Quando ouve o primeiro comentário de Messina, ele responde:


    - Já pensou em ser menos egoísta?

    epois com a chegada da Amandia, Dustan a cumprimenta e diz:

    - Sou Dustan. Você deu sorte, uma pena que não deu para salvar a todos, imagino que ser escravo deve ser desesperador. Mas fico feliz que pelo menos alguém foi salvo. Agora se pode ajudar, precisa falar com a capitã.


    Iyue
    Samurai Urbano
    avatar
    Samurai Urbano

    Mensagens : 104
    Reputação : 0
    Conquistas :
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/410.png

    Re: Grupo 2 - Rosa Rubra/Iyue e Dustan/Gakky

    Mensagem por Iyue em Qua Jan 04, 2017 3:26 pm

    A elfa se apoia novamente, observando o navio ficar menor e menor com a distância. Ela tenta traçar a rota que o mar estava fazendo para aquele navio. Tinha concordado com o plano, contudo, ainda estava preocupada com o ouro e com os enfermos, mas as palavras da maga a tiram de sua linha de pensamento. Rubra inspira profundamente, acariciando os pulsos, sentindo a necessidade de uma bebida. Dando alguns passos até a outra ruiva, ela se ajoelha na frente dela, e a faz se levantar consigo.

    "Não precisa agradecer, porém, a ajuda nós vamos aceitar sim" Ela diz com um sorriso no rosto, pegando o cantil de água e entregando a ela. "Aqui, deve estar com sede" A ladina era cuidadosa com a escrava, parecia tentar a fazer se sentir confortável entre eles. "O que houve para você ter acabado naquele navio?" Rubra senta em um barril ali próximo e começa a conversar com a Amandia, procurando observar todos os trejeitos dela, queria saber mais sobre o passado, sobre o navio, e sobre os escravos do navio, até sua linha de raciocínio ser quebrado novamente quando Messina volta a falar.

    Acariciando novamente os pulsos, a elfa solta as mangas bufantes, puxando elas para deixar os antebraços livres. Deixando à mostra as diversas cicatrizes espalhadas, não pareciam ter sido de batalhas, e sim de abuso, mas haviam duas que se destacavam. Ao redor dos pulsos dela, ainda extremamente rosadas. Eram cicatrizes de grilhões, e para qualquer meio-entendedor, a mensagem era clara, a elfa já foi escrava, e tinha sido algo recente pelo estado das cicatrizes. A ruiva sorria gentilmente para Messina, não era de deboche ou qualquer coisa do estilo, era simplesmente gentil. Ela abriu os braços, chamando todos dos 'Desbravadores', assim como a capitã e Amandia para se aproximarem.

    "M'lady aqui tem razão novamente ao me lembrar da falta de confiança" Ela continua sendo extremamente gentil. "Que tal fazermos outro estilo de apresentação dessa vez" Ela diz olhando para Vorpal e depois para Moonbeam, procurando saber a ação deles, antes de mover seu olhar para Dustan "Ao invés de falar nossas habilidades, que tal falar nossos objetivos? O motivo de estarmos aqui?" Ela sorri e bate o pé no barril, se ajeitando para ficar mais confortável "Ninguém aqui vai ser julgado, mesmo por que, se não fosse algo necessário, não estaríamos aqui, correto?" A elfa para o olhar para Messina. Os olhos azuis brilhavam, enquanto apoiava as mãos ao lado do corpo.

    "Se quiser, eu posso começar é claro" Ela para e faz um bico, parecendo pensar, seu dedo indicador batia contra os lábios carmesins, mas era apenas uma graça antes do rosto da elfa se animar e ela começar a falar "Meu objetivo atualmente é ter dinheiro para encontrar a minha irmã, já que quando fomos separadas, eu fui levada escrava sexual em um navio pirata" Ela disse levemente, sorrindo, parecendo não se importar com a gravidade do que tinha acontecido com ela. "Por favor, continuem, eu quero saber o motivo de vocês estarem aqui"
    Hellkite
    Mestre Jedi
    avatar
    Mestre Jedi

    Mensagens : 1349
    Reputação : 83
    Conquistas :
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/410.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/2111.png

    Re: Grupo 2 - Rosa Rubra/Iyue e Dustan/Gakky

    Mensagem por Hellkite em Qua Jan 04, 2017 4:15 pm

    Ao ouvir a palavra egoísta, a maga de cabelos prateados se vira furiosa, mas ao se dar conta de que era Dustan, tenta se acalmar, da uma tossida, e diz:
    - Ser egoísta é o que me manteve viva até hoje, Dustan. Mas sei também compartilhar, se a pessoa for de confiança...

    Dustan então se dirige a Amandia, e ao ouvir as palavras amigáveis do cavaleiro, ela sorri.
    - Sim, e fico feliz por ter sido eu... Ser escravo é algo... – diz a ruiva, que por um instante parece confusa, levando a mão na cabeça – é algo... terrível. Não foi minha primeira vez, mas... não consigo me lembrar muito bem. Ainda bem que vocês apareceram.

    Rubra, depois de se certificar que o navio escravista estava indo em direção de Porto Negro, aproxima-se da Darkovana e oferece agua, aceita quase que imediatamente. Ela então suspira e responde a pergunta da elfa:
    - Fui pega por minha própria culpa. Eu sou livre, mas de poucas posses, andando de cidade em cidade, vila em vila, para garantir meu sustento. Voces sabem a difícil vida dos que não tem uma casa para morar. Então, problema é que alguns meliantes queriam que eu desse minha parte do dinheiro obtida em um negocio que eu fiz, e para fugir deles subi em um palanque onde estavam escravos a venda para me esconder. Consegui escapar dos meus perseguidores, e adivinha o que aconteceu? Ta, podem dar risada, foi burrice, mas isto não importa mais.

    Amandia novamente parece estar sofrendo de uma enxaqueca.
    - Engraçado, já tiveram algum dia a impressão de terem vivido a mesma coisa duas vezes? – comenta a ruiva. Ela massageia as temporas e continua – Os outros escravos eu não tive muito contato, fiquei numa cela em separado, até que... bem, fiz amizade com o carcereiro e ele abriu as portas das celas.

    Messina balança a cabeça e interrompe a fala da Amandia.
    - Não faz sentido, você conversa com a voz da mente, então provavelmente dominou a mente do carcereiro, não foi isto? E convenceu-o a abrir as celas.

    A maga faz um comentário sobre confiança, que é a gota dagua para Rubra. A elfa mostra suas cicatrizes e propõe a cada um que fale sobre seus objetivos, começando por ela mesma. Messina observa as marcas nos pulsos da ladina, e por um instante fica pasmada. Todos ouvem com atenção, e ao final olham para Messina, que nada diz, apenas mantendo seu olhar para baixo.

    Moonbeam, para quebrar o silencio, se prontifica e borboleteia pelo grupo.
    - Eu quero conhecer o mundo, conhecer mulheres bonitas, conhecer novos amigos... E se ganhar moedas de ouro com isto, melhor ainda.

    Vorpal, que estava com o rosto impassível, da um sorrisinho de canto de boca.
    - Diante de tão ambiciosa missão do nosso amigo fada, creio que meu objetivo seja algo simples: mostrar que minha deusa Shadowlady, apesar de representar o fim da vida, não é necessariamente má. Se o mal existe, está na interpretação que cada um de nós faz sobre os ensinamentos de cada deusa.

    A capitã Ella, que estava com os braços cruzados, põe as mãos na cintura, suspira e diz:
    - Bem, não sou dos “Desbravadores”, mas como me perguntaram, vou responder: Dinheiro. Aventura. E provar que uma mulher pode ser tão bom capitão quanto qualquer homem por ai.

    Amandia olha para os demais, aponta para si mesma. “Eu também?” – pergunta. A Darkovana alça os ombros e diz:
    - Pra falar a verdade, eu estou em busca do meu passado... Tem coisas que eu fiz que estão nubladas, não consigo me lembrar direito. Acho que mexeram com a minha cabeça, mas não sei dizer quem, quando, como... É isto.

    Os olhares se voltam novamente para Messina, que parecia ainda mais retraída, evitando olhar para qualquer um.

    Off: Caramba, este post me deu trabalho!
    Gakky
    Adepto da Virtualidade
    avatar
    Adepto da Virtualidade

    Mensagens : 1562
    Reputação : 149
    Conquistas :
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/311.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1411.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1112.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1011.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1811.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1413.png

    Re: Grupo 2 - Rosa Rubra/Iyue e Dustan/Gakky

    Mensagem por Gakky em Qua Jan 04, 2017 6:19 pm

    Dustan observa o que seus parceiros falam, a resposta da maga o deixa mais aliviado, pois indicava que ela não era assim tão fria, mas sim talvez amargurada. Porém ele estranha o fato de Amandia não saber exatamente como é ser escrava. Dustan começa a se perguntar se ela estava dizendo mesmo a verdade.

    Quando Rubra é gentil com Amandia, Dustan nota que apesar dela parecer diferente das pessoas do vilarejo, havia bondade na elfa, pelo menos é o que achava. Enfim Amandia começava a contar sua história, nisso o guerreiro se lembra que teve sorte de ter onde morar, apesar dos problemas, havia pessoas que passavam por coisas bem piores. Coisas que ele não costumava ver no seu vilarejo tranquilo.

    Quando Rubra solta as mangas, ele fica espantado. Não imaginava que ela já fosse uma escrava, nunca teria adivinhado. Mas tudo piora quando Rubra conta seu objetivo, principalmente porque tinha deixado claro que tipo de escrava era. O rosto dele fica pálido, depois do susto começa a sentir raiva pelos escravistas. Queria poder acabar com todos eles nesse momento. Dustan não nota que apertava suas mãos como se fosse dar um soco em alguém. De repente sentiu-se como o mais fraco dos homens, pois não havia o que ele poderia fazer para mudar essa realidade.

    Conforme os outros foram falando seus objetivos, Dustan se distraí um pouco e chega a sentir admiração pelos parceiros, mesmo os que tinham os objetos mais estranhos. O guerreiro achou uma ótima ideia perguntar os objetivos de cada um, era interessante ver que todos eram movidos por um tipo de sonho. Mesmo chateado, Dustan não poderia deixar de responder a pergunta:

    - Meu objetivo é conseguir dinheiro e honra para poder me casar com Isolda, eu a amo, mas o pai dela não deixa por eu ser um ninguém. E eu gostaria muito de poder ter ma família. Depois que conseguir isso, pretendo voltar para meu vilarejo e construir uma boa casa para nós dois.

    Depois de falar de Isolda, Dustan até parece ter um brilho no olhar. Foi bom ter falado, isso o animou.
    Iyue
    Samurai Urbano
    avatar
    Samurai Urbano

    Mensagens : 104
    Reputação : 0
    Conquistas :
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/410.png

    Re: Grupo 2 - Rosa Rubra/Iyue e Dustan/Gakky

    Mensagem por Iyue em Qua Jan 04, 2017 7:42 pm

    Rubra fica aliviada ao ver que o mar levava o navio para Porto Negro. Não morreriam de fome, chegariam e com sorte, teriam uma possibilidade de recomeçar a vida. O olhar dela se volta para Dustan e fala com um sorriso no rosto "Os mares estão sendo gentis, o navio está indo em direção a Porto Negro, vão conseguir sobreviver. Deve haver ouro dos escravistas, eles poderam começar uma vida como pessoas livres novamente" Mesmo que ainda um pouco chateada por não ter ficado com o ouro, saber que os demais escravos teriam uma possibilidade de vida já era o bastante para a ladina.

    As palavras de Amandia colocam a elfa em alerta. A ex-escrava parecia confusa sobre as coisas, como se algo tivesse sido apagado de sua mente, ou até mesmo como se a mulher tivesse um dom da qual não sabia controlar.

    Após o relato de cada um dos membros da roda, Rosa parecia animada, cada um tinha objetivo peculiar.  "Vocês todos tem objetivos incríveis" Ela sorri, já distraída do que tinha dado início aquela conversa séria. Apesar de ter percebido a palidez de Dustan, ela fica aliviada ao ver ele melhorando ao falar do objetivo. Sentia-se bem, sentia-se cumplice dos motivos dos amigos. Amigos. Ela sorriu consigo mesma, talvez fosse cedo demais, mas estava se sentindo mais à vontade com as pessoas daquela roda. "Seja para onde formos parar com isso, eu quero ajudar vocês nesses objetivos, mesmo porque até eu encontrar Alyssia, vai um bom tempo acredito eu" Ela sorri e levanta a mão "E me faltava uma caneca de cerveja, parece conversa de taverna já" Ela ri, e seu olhar se caí sobre Messina.


    Rosa se levanta e caminha até a maga, colocando a mão gentilmente no ombro dela, tentando não assustar ela, ou parecer estar avançando. "Sei que começamos de maneira errada, mas se me permite, podemos começar de novo?" Ela diz suavemente, tirando mão do ombro dela, e sustentando a mesma à frente de Messina. "Prazer, meu nome é Rosa Rubra, sua companheira de equipe por essa missão" A voz da ruiva era gentil e acolhedora, quase até maternal. "Se não for muito incomodo, posso saber o seu objetivo?" Ela dá um sorriso sincero e espera a resposta da maga.
    Hellkite
    Mestre Jedi
    avatar
    Mestre Jedi

    Mensagens : 1349
    Reputação : 83
    Conquistas :
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/410.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/2111.png

    Re: Grupo 2 - Rosa Rubra/Iyue e Dustan/Gakky

    Mensagem por Hellkite em Qua Jan 04, 2017 9:58 pm

    Apesar de não parecer, Messina ouvia a cada relato com grande atenção. Os olhos miravam seus próprios pés, mas sua mente parecia transportada em outro lugar, a imaginação correndo solta, criando imagens para as palavras ditas pelos outros. Viu o sofrimento de Rubra no navio pirata, viu Vorpal pregando diante de uma multidão enraivecida, viu a capitã Ella lutando, com sangue escorrendo da lamina de sua espada, a roupa em farrapos, os homens da tripulação gritando seu nome.

    Mas sobretudo viu o amor que Dustan tinha por Isolda. E seu sonho de ficar rico para casar-se com ela.

    Messina sentiu uma pontada no coração, uma dor intensa que buscava esquecer a qualquer custo. Mas talvez falar para essa gente, que se sentia tao bem em contar suas próprias historias, pudesse ajudar com sua dor... Mas e Rosa Rubra? Outra ruiva que tinha vindo para estragar sua vida, tal como aquela nobrezinha ruiva da sua cidade natal, Malphoros...

    Foi então que a elfa veio e interrompeu seus pensamentos, estendendo sua mão. Aquele gesto a tocou profundamente, e sem perceber as lagrimas que desciam pelo seus olhos, a maga apertou a mão de Rubra delicadamente, e permitiu-se um sorriso. “Prazer. Meu nome é Messina. Messina Symor.”

    Aquelas simples palavras a fizeram sentir-se melhor. “Meu objetivo, assim como o de Dustan, é ganhar muitas moedas de ouro. Mas não é para voltar e me casar e viver feliz com meu amado Dromon Swale, já que isto não é mais possível, pois ele me trocou por uma nobre, Adela Zander, ruiva por sinal... Eu que me entreguei inteira para ele, a quem jurei amor eterno, me trocou por dinheiro.”

    A face de Messina torna-se dura. “Vou ficar rica, mais rica que os Zander, e vou um dia mostrar para ele seu terrível erro”, disse, e então voltou seu olhar para Rubra.”La em Porto Negro, fiquei sabendo que uma elfa ruiva, você, estava vendendo um mapa do lendario tesouro do pirata Thorne. Eu comprei seu mapa acreditando que encontraria riquezas, e com um grupo fomos ate a ilha, para descobrir que o mapa era falso. Meus colegas ficaram tão bravos comigo que me deixaram la para apodrecer, e até ser resgatada por um barco pesqueiro, tive que comer carne de gaivota durante um mes. Foi por isto que quis acabar com sua raça!”

    A loira então se acalma, e sua voz se torna mais suave. “No entanto, depois de ver suas marcas e sua historia de escravidão, e sua iniciativa em manter o grupo unido, que vi que cada um teve seus dias de sofrimento, e fez o que fez para sobreviver...” Messina da um sorriso. “Mas eu ainda vou fazer voce comer carne de gaivota, Rosa!”
    Gakky
    Adepto da Virtualidade
    avatar
    Adepto da Virtualidade

    Mensagens : 1562
    Reputação : 149
    Conquistas :
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/311.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1411.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1112.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1011.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1811.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1413.png

    Re: Grupo 2 - Rosa Rubra/Iyue e Dustan/Gakky

    Mensagem por Gakky em Sex Jan 06, 2017 9:23 pm

    Dustan fica satisfeito ao ver que Rubra e Messina pareciam ter feito as "pazes". Quando ouve o objetivo de Messina, fica sentido, pois também amava alguém e sabia que ser trocado seria terrível. Logo imagina o que aconteceria se ele não conseguisse provar para o pai de Isolda o seu valor, não seria um destino tão diferente da de Messina. Provavelmente se não fosse ele, o pai de sua amada encontraria outro para ocupar o lugar, algum homem com mais fortunas. O guerreiro também fica surpreso com a história do mapa e pergunta a Rubra:

    - A senhorita vendeu mesmo um mapa falso para ela?

    Depois se vira para a maga e comenta após um suspiro:

    - Infelizmente as pessoas dão muito valor ao dinheiro, mas eu entendo... Eu sou tão pobre que ninguém do vilarejo gostaria de me ter como genro, por isso tive que sair. Eu sei que não se pode fazer muita coisa sem moedas. Mas é revoltante como algo assim vale tanto. Eu acho que não deveria querer se vingar, talvez devesse procurar outra pessoa, nem todos são tão gananciosos, mesmo que a maioria seja...

    Dustan não comenta de sua má reputação, mas em seguida fala com Vorpal:

    - É uma visão interessante a que tem da deusa Shadowlady.

    Também comenta com Amandia:

    - Deve ser ruim não lembrar do nosso passado...

    Quando menciona essas palavras, o guerreiro logo lembra que havia parte de sua vida que não conhecia, como a identidade do seu pai. Ele também ainda queria falar com Rubra, mas esperaria um momento melhor.
    Iyue
    Samurai Urbano
    avatar
    Samurai Urbano

    Mensagens : 104
    Reputação : 0
    Conquistas :
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/410.png

    Re: Grupo 2 - Rosa Rubra/Iyue e Dustan/Gakky

    Mensagem por Iyue em Sab Jan 07, 2017 12:58 am

    Rosa sorri ao ver Messina se abrindo com eles, gentilmente, ela oferece um lenço limpo para a maga enxugar as lágrimas dela. "Sabe, lágrimas não combinam com você, mas o sorriso definitivamente combina, deveria sorrir bem mais" Ela diz com um sorriso maroto na face, porém ao escutar sobre o mapa, a elfa coça o pescoço sem graça, um rubor cobrindo a face dela, finalmente lembrando o que tinha vendido para Messina. Um 'Desculpa, não tinha dinheiro aquela semana para comer' saiu em uma velocidade rápida e alta, envergonhada do que tinha feito, mas o sorriso maroto ainda estava estampado na face dela. "Certo, vou comer carne de gaivota, parece uma troca justa" Ela diz rindo antes de ser indagada pelo guerreiro.

    "Apesar de parecer, nem sempre eu tenho sorte, assim como Amandia, não tenho uma casa, fazemos o que podemos para sobreviver, e não ter dinheiro significa também significa não ter comida. Não é uma vida digna, mas fazemos o que podemos para sobreviver, não nego que já fiz coisas que não me orgulho" Ela diz, olhando para cima, brincando com uma moeda por entre os seus dedos.

    A ladina volta a Amandia sorrindo "Como assim ter vivido duas vezes, você se lembra de como foi a primeira vez?" Os olhos azuis ficam atentos com a massagem constante nas têmporas dela. Não era como ela fazia, tique, mania, o da garota a frente dela parecia ser dor de tentar se lembrar. Não se lembrava de nada parecido com isso, nem nas histórias de que sua mãe ou Maguck contava. Voltando o olhar dela para Vorpal, ela caminha até ele. "Parece que ela está com dor ao tentar se lembrar, conhece alguma coisa do estilo?" Ela pergunta o seguidor de Shadowlady.
    Hellkite
    Mestre Jedi
    avatar
    Mestre Jedi

    Mensagens : 1349
    Reputação : 83
    Conquistas :
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/410.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/2111.png

    Re: Grupo 2 - Rosa Rubra/Iyue e Dustan/Gakky

    Mensagem por Hellkite em Seg Jan 09, 2017 9:16 pm

    A conversa entre os “Desbravadores” pareceu ter surtido um efeito benéfico, com os integrantes se conhecendo ainda mais. Messina agradece o lenço oferecido por Rubra. “Talvez nem todas as ruivas sejam tão ruins assim... Agora quanto ao sorriso não posso garantir nada... A não ser que o Moonbeam seja comido por um peixe, ai eu riria muito!”, comenta.

    O fada da um sorriso de canto de boca. “Ah sim, esta é a Messina que eu conheço! Tava ate achando estranho, já ia achar que estava enfeitiçada, boazinha demais!”

    Dustan comenta sobre a importancia que as pessoas dão para o dinheiro, e que a maga deveria superar isto. A humana de cabelos prateados suspira, olha para o chão por alguns instantes e responde, “o machucado foi bem fundo, difícil não pensar em vingança... Mas quem sabe, pode ser que eu encontre alguém que goste de mim do jeito que sou nestas viagens...” Messina permanece observando o rosto do cavaleiro, e quando se da conta disso, se enrubesce.

    Amandia, por sua vez, permanecia sentada no chão, massageando as temporas. Ela responde a Dustan, “é muito ruim mesmo, é um buraco que existe dentro da minha mente... E eu sinto esta necessidade de lembrar, algo que me diz que esqueci algo muito importante. Tento me lembrar, mas tudo é difuso. O que eu estava vivendo meio que se sobrepunha a algo do passado. É tudo muito estranho...” Rubra pergunta sobre esta vida dupla para a darkovana, que diz, “não tenho memória desta primeira vida... mas sonho muito com desertos... e um sol vermelho. Só que nunca estive fora de Darkover, que é uma ilha fria ao norte. E o nosso sol é amarelo.”

    A elfa volta-se para Vorpal, que se senta ao lado de Amandia. Ela se assusta um pouco, mas o jeito calmo do clérigo a faz relaxar. Ele põe uma das mãos na testa da ruiva, e entoa um cântico para sua deusa. Sua mão brilha levemente, e Amandia sente sua enxaqueca ir embora.

    “Não entendo muito disto de poderes da mente, mas posso dizer que agora isto esta ferindo sua cabeça, Amandia,”diz Vorpal. Ele então se vira para Rubra, “não é natural, talvez seja algo semelhante a uma maldição. Infelizmente não tenho o que fazer para cura-la.”

    A capitã Ella se espreguiça e se levanta. “A conversa foi muito boa, mas o “Pomona” não vai navegar sozinho até Darkover”, diz e sai em direção dos outros marujos, que estavam observando a reunião dos “Desbravadores” a distancia, alguns com lagrimas nos olhos. ”Vamos la, seus cães sarnentos! Não estão recebendo para ficar coçando o saco! Vão para seus postos, vamos!”, grita.

    **

    O resto da tarde se passa rapidamente, e ao chegar a noite Rubra resolve agitar uma festa na embarcação, onde todos se divertem muito.

    Off: Como descrito nas crônicas de União.

    Ao final da dança, Vorpal e Dustan estão bem cansados, apoiados na beirada do navio. “Esta Rubra tem muita energia. Uma energia vital muito forte, bom ver isto. Eu ao contrario estou acostumado a ver muita tristeza...” comenta. Ele olha para Dustan e mostra seu medalhão com o símbolo de Shadowlady. “Minha deusa é mal-vista em muitos reinos, e principalmente em Galia. E é compreensível, quem gosta de ser lembrado que a morte existe? Só que a vida não tem sentido sem a morte, e vice-versa, é uma dualidade necessária, uma existe para definir a outra. A morte não é boa ou má, é apenas a morte.”
    Gakky
    Adepto da Virtualidade
    avatar
    Adepto da Virtualidade

    Mensagens : 1562
    Reputação : 149
    Conquistas :
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/311.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1411.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1112.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1011.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1811.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1413.png

    Re: Grupo 2 - Rosa Rubra/Iyue e Dustan/Gakky

    Mensagem por Gakky em Ter Jan 10, 2017 8:31 pm

    Dustan ouve as palavras de Messina e fica pensativo. Quando nota que era observado, ele fica sem saber o que fazer e acabava desviando o olhar para o outro lado.

    O guerreiro também achou a história de Amandia triste e louca, era difícil ver que o as coisas fora no vilarejo eram bem diferentes. Por isso começou a perceber que poderia ver muitas coisas estranhas durante a sua viagem.

    A festa de Rubra foi em boa hora, Dustan não costumava se dar bem em festas, geralmente era excluído por causa de sua reputação. Mas dessa vez foi diferente, todos falaram com ele. Foi então que ele percebeu que havia feito novos amigos. Quando tiver oportunidade de ficar sozinho com Rubra, em algum canto ou algo do tipo, ele vai dizer:

    - Se precisar de ajuda para encontrar sua irmã e se estiver ao meu alcance, pode contar comigo. E se lembrar de algum dos homens do seu passado ou vê-los... - Disse um pouco enrolado e se arrependendo de tocar no assunto - Não deixe de me mostrar para que eu possa fazê-los de arrepender.

    Quando Dustan e Vorpal estão juntos na beirada no navio, o guerreiro fecha os olhos para aproveitar o cheiro do mar, agora não lhe causava mais náuseas. Quando o outro fala de Rubra, Dustan comenta:

    - A Rubra já viveu momentos muito difíceis... Não sei como ela consegue ser tão animada, mas é bom saber que o sofrimento não apagou o brilho dela.

    Depois o guerreiro presta atenção nas palavras do Vorpal, realmente não parecia muito legal adorar uma deusa da morte. Mas as palavras do clérigo pareciam honestas.

    - É... Muitos tem medo da morte, inclusive eu.... Mas me explique então, o que há de bom em adorar sua deusa? Por que gosta tanto dela?
    Iyue
    Samurai Urbano
    avatar
    Samurai Urbano

    Mensagens : 104
    Reputação : 0
    Conquistas :
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/410.png

    Re: Grupo 2 - Rosa Rubra/Iyue e Dustan/Gakky

    Mensagem por Iyue em Qua Jan 11, 2017 8:45 am

    Em um dos poucos momentos que ficara sozinha, simplesmente para pegar mais uma caneca de cerveja, ela escuta as palavras de Dustan. Ela observa ele com atenção, e sorri batendo levemente com a mão no ombro dele "Fico agradecida pela sua ajuda meu amigo" Ela diz se apoiando no barril. "Você me lembra Alyssia. Imagino que vocês acabariam treinando muito juntos, ela também sabia manejar uma espada" Ela ri levemente, lembrando de como sua irmã sempre foi mais corajosa do que ela, tinha muito mais jeito para lutar, e sua maestria com a espada era algo que Rubra invejava.

    Contudo o sorriso do rosto dela se apagava ao guerreiro falar sobre os homens. Parece que a mente da ruiva se desloca para o passado. Sua mão fecha com força na alça da caneca, ficando branca, e seu corpo tremia levemente. Por alguns minutos parece que ela não iria falar nada, mas antes que o guerreiro fosse embora a voz da elfa saiu frágil. "Miss Fortune" Ela tomou um gole grande da cerveja dela, mordiscando os lábios em um tique nervoso. "Esse é o nome do navio pirata. Liderado pelo temido capitão, Elric Sandman, um maldito elfo do deserto, ruivo" Ela ri com ironia "Irônico, parece que ruivos estão causando problemas demais nessa jornada não?" Ela comenta bebendo mais um gole "Vingança não vale a pena dizem por aí. Você não deveria se submeter a tal atrocidade" Ela olha para o mar com ódio puro. "Mas minhas mãos vão banhar-se com o sangue dele..." Ela diz, terminando a caneca em mais um gole. Ela olha para o humano, dor e ódio nos olhos dela, mas no entanto ela sorri. "Enquanto isso não acontece, minha vida continua, e tenho de fazer ela valer a pena, pois só vivemos uma vez" Ela escuta um marujo a chamar para uma dança e a elfa aceita rapidamente, saindo de perto do humano.


    Mais do que nunca, ela dançava para se animar, para esquecer. Pobre Amandia, foi puxada pela ruiva para dançar com ela até os pés de ambas começarem a doer, nem mesmo Ella tinha escapado da dança. Apenas horas depois da festa ter diminuído o ritmo que a Rubra parou para descansar novamente, rindo com os comentários e pedidos dos marujos. Todas as conversas, a revelação dela também ter um noivo, mais toda a bebida era demais para a cabeça da elfa, que se retirou para colocar seus pensamentos em ordem.
    Hellkite
    Mestre Jedi
    avatar
    Mestre Jedi

    Mensagens : 1349
    Reputação : 83
    Conquistas :
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/410.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/2111.png

    Re: Grupo 2 - Rosa Rubra/Iyue e Dustan/Gakky

    Mensagem por Hellkite em Qua Jan 11, 2017 3:29 pm

    As palavras de Dustan parecem reverberar na mente de Vorpal, que fica quieto por alguns instantes, pensativo. “Talvez voce entenda meus motivos, se eu contar um fato que me ocorreu. Minha mãe sempre foi uma pessoa feliz, que transmitia paz e tranquilidade para todos que conhecia. Não havia pessoa alguma de minha vila que não gostasse dela”, diz o clérigo, com a face tranquila. “Porém um dia ela adoeceu, uma doença misteriosa que apesar de todos os nossos esforços, não conseguimos encontrar cura. Ela sentia muita dor, e toda sua felicidade e tranquilidade se foi com o passar das semanas, até ela se tornar apenas uma sombra do que era.”

    Vorpal segura em seu símbolo sagrado. “Roguei para todas as deusas por uma cura, e foi Shadowlady quem me respondeu, em um sonho. Ela disse que a hora chega para todos os seres vivos, e que sua benção era para terminar o sofrimento de minha mãe, para que pudesse desfrutar o além o quanto antes.” Sem dizer mais nada, o clerigo se despede, indo para o camarote.

    **

    A viagem ate Darkover é longa, e o Pomona passou por uma série de desafios, como tempestades, sol abrasador e o mau-humor da capitã. Mas finalmente os “Desbravadores” chegam até o seu destino, sendo recebidos por ventos frios e cortantes soprados pelo mar. Muitos da tripulação colocaram roupas mais adequadas para aguentar a queda na temperatura.

    A capitã Ella chamou todos os “desbravadores” para o convés, onde Amandia explicou um pouco sobre o que se passava em Darkover. “O embaixador que vocês procuram deve ter desembarcado em Kharta, o maior porto da ilha. Mas o centro de poder fica na capital Augurio, onde ele pode ter ido, dependendo de o que ele tenha vindo fazer aqui”, disse a darkovana.

    Ella pega sua luneta e observa o mar por alguns instantes. “Já fomos avistados por uma das embarcações de patrulha de Darkover. Felizmente Byron carregou o “Pomona” com alguns bens de troca, e direi a eles que apenas somos mercadores fazendo comercio.”

    A capitã apoia seu pé num barril e olha inquisitivamente para os “desbravadores”. “O que agora quero saber é qual o plano de vocês para pegar este embaixador...”
    Iyue
    Samurai Urbano
    avatar
    Samurai Urbano

    Mensagens : 104
    Reputação : 0
    Conquistas :
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/410.png

    Re: Grupo 2 - Rosa Rubra/Iyue e Dustan/Gakky

    Mensagem por Iyue em Sab Jan 14, 2017 9:30 pm

    A ladina escutava as informações atentamente, pensando no que deveriam fazer, apesar de parecer completamente fora do ar. Seus dedos se enrolavam em uma mecha de seu cabelo, e seu olhar parecia fixo em uma tábua no chão, ausente em fala, até a pergunta da capitã aos membros da equipe. O olhar dela se levanta e encontra com os de Ella "Em qual porto iremos atracar?" E assim que terminou der perguntar, ela direciona a próxima questão para Amandia. "Quanto tempo de viagem de Kharta e Augurio a pé e a cavalo?" Ela queria não somente saber quanto tempo era a viagem, mas também uma noção de quanto tempo teria para conseguir mais informações.


    Rubra se voltou para a equipe e para capitã que tinha feito a pergunta antes "De qualquer maneira, não sabemos muito sobre Adelfo Ayon, precisamos de informações sobre ele" Ela parece suspirar antes de sorrir para Moonbeam "Poderia me ajudar? Vou tentar descobrir mais informações no porto sobre o navio que trouxe o nosso querido Adelfo Ayon, se eles não souberem, a taverna poderá ter mais fofocas"
    Gakky
    Adepto da Virtualidade
    avatar
    Adepto da Virtualidade

    Mensagens : 1562
    Reputação : 149
    Conquistas :
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/311.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1411.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1112.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1011.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1811.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1413.png

    Re: Grupo 2 - Rosa Rubra/Iyue e Dustan/Gakky

    Mensagem por Gakky em Sab Jan 14, 2017 10:48 pm

    Dustan fica pensativo sobre as palavras de Vorpal, talvez a deusa dele fosse mesmo boa. Talvez a morte pudesse ser boa em algumas situações. O guerreiro sofre um pouco ao passar pelos desafios do mar, mas com o tempo vai se acostumando. Até que estava gostando de ter experiências novas. Além disso, ninguém o chamava de bastardo no navio, pelo menos não com a intenção do povo do vilarejo, talvez como xingamento apenas. Era bom não se sentir um fracassado para variar, coisa que sempre o lembram na vila.

    Ele era novato nesse tipo de missão, então ouve as palavras de Rubra. Enquanto a ouve, ele mexe um pouco no seu colar que tinha uma chave como pingente, mas volta a por dentro da camisa e responde:

    - Parece um bom jeito de começar, eu vou com você. Quem mais vai?

    Dustan olho ao redor esperando para ver quem iria se pronunciar.
    Hellkite
    Mestre Jedi
    avatar
    Mestre Jedi

    Mensagens : 1349
    Reputação : 83
    Conquistas :
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/410.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/2111.png

    Re: Grupo 2 - Rosa Rubra/Iyue e Dustan/Gakky

    Mensagem por Hellkite em Dom Jan 15, 2017 8:56 pm

    A capitã abaixa a luneta, ajeita os cabelos prateados embaixo do lenço que cobria a cabeça, e diz, séria, “vamos para Kharta, que é o porto principal de comercio. Não temos opção, os barcos de escolta nos levarão diretamente para lá.”

    Amandia, que estava recostada na beirada do navio, observava a silhueta da ilha ansiosa. “Não imaginava voltar tão cedo, mas a vida no mar também me atrai. Esta imensidão de água tem um fascínio que para mim é inebriante...”, diz em tom de expectativa. A ruiva se vira para a elfa e responde sua pergunta. “A viagem de Kharta a Augurio demora 1 dia, metade do tempo a cavalo. Vai passar frio, melhor colocar uma roupa mais pesada.”

    O grupo reunido, Rubra explica suas intenções. O fada da umas voltas pelo ar, todo feliz com sua importância no grupo. “Tudo para ajudar minhas formosas companheiras. Sou uma pessoa muito sociável, todo mundo gosta de mim...”, diz, todo orgulhoso de si.

    Messina, de pernas cruzadas sentada sobre um barril, nega com a cabeça. “Não diga asneiras. Você chama muito a atenção. Será mais útil se ouvir as conversas invisível, que eu vi que você tem esta habilidade... Alias deveria se manter invisível com mais frequência, pois assim eu veria voce bem menos.”

    A ideia de ir ate Kharta e obter mais informações conta com o apoio de Dustan, Messina, Amandia e Vorpal. “Somos um time, não somos?”, explica o clerigo de Shadowlady.

    **

    Kharta, uma cidade portuaria apenas um terço do tamanho de Porto Negro, tinha como vantagem sua organização. Logo após o “Pomona” ter sua escolta dispensada e atracado em um dos caises disponíveis, um oficial portuário veio checar o porque de estarem ali. Depois de Ella explicar que era uma mercadora, um local foi indicado para onde poderiam ser armazenados seus bens.

    Enquanto os carregadores descarregavam caixotes e caixas do navio, Moonbeam voava invisível pelas tabernas e rodas de conversa, anotando mentalmente tudo que considerava útil. “Bem, já sei onde podemos comer bem e pagar barato, onde passar a noite numa cama sem pulgas, os tipos de pescado mais apropriados para uma caldeirada, quais garotas são novidade no mercado, que o rei aumentou as taxas e os dromitas estão mais calmos...”, diz, exibindo seu conhecimento. Então franze a testa, “mas o que isto vai servir para a nossa missão? “
    Gakky
    Adepto da Virtualidade
    avatar
    Adepto da Virtualidade

    Mensagens : 1562
    Reputação : 149
    Conquistas :
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/311.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1411.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1112.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1011.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1811.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1413.png

    Re: Grupo 2 - Rosa Rubra/Iyue e Dustan/Gakky

    Mensagem por Gakky em Dom Jan 15, 2017 9:52 pm

    Dustan ouve atento o comentário de Amandia sobre o mar e comenta:

    - Realmente o mar tem seus encantos.

    Depois o guerreiro ri quando vê Messina implicando com o fada, estava virando uma rotina divertida. Ele fica feliz de poder ir com seus novos amigos, e fica ainda mais satisfeito ao perceber que de fato tinha amigos, ao menos era o que achava do seu grupo.

    -Vocês dois não tem jeito - Diz sorrindo para Messina, de modo que seus dentes levemente tortos aparecessem.

    O guerreiro vai olhar para todo lado quando chegar no Porto Negro, estava fascinado em conhecer um lugar novo, mal podia esperar para explorá-lo. Essa coisa de missão estava sendo mais legal do que imaginava que seria. Quando o fada chega com as informações, Dustan fica confuso com tanta coisa, mas ri e responde:

    - É acho que isso não vai nos ajudar... Desculpe, eu estou sem ideias agora... Vocês tem alguma? - Pergunta para o grupo.

    Dustan sentia-se meio mal por não ter ideias, tudo era muito novo para ele, mas tentaria se esforçar. De repente se lembrou do colar de seu pai e começou a pensar se poderia pesquisar sobre a procedência disso, então pergunta ao grupo e ao fada:

    - Eu não sei se é uma boa hora para isso, mas... - Ele tira o colar de dentro da blusa e mostra para todos - Se puder eu gostaria de investigar sobre essa chave, era do meu pai. Er... Eu não sei onde ele está, só tenho isso dele...

    Ele começou a se arrepender de ter falado, pois agora teria de contar a sua história provavelmente.
    Iyue
    Samurai Urbano
    avatar
    Samurai Urbano

    Mensagens : 104
    Reputação : 0
    Conquistas :
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/410.png

    Re: Grupo 2 - Rosa Rubra/Iyue e Dustan/Gakky

    Mensagem por Iyue em Seg Jan 16, 2017 1:32 am

    A elfa riu com as birras que o grupo tinha, mas não interferiu na discussão entre o fada e a maga. Animada com as palavras de Amandia Rubra comenta da sua antiga paixão "Entendo sua animação, o mar é vasto para exploração e aventuras, espero poder um dia navegar em meu próprio navio, quem sabe, se você quiser fazer parte da tripulação" Ela riu levemente, e assentindo com o grupo que concordou em reunir as informações, começou a fazer um mapa mental do que deveriam conseguir de informações. Mas antes de tudo, ela foi buscar alguma roupa mais quente que tinha para continuar sua jornada.

    Uma vez em terra firme, a ladina ficou a observar o movimento dos marujos com as mercadorias, esperando Moonbeam retornar com as informações. Os olhos azuis vagavam pelas bandeiras dos barcos ali perto atracados, tentando se lembrar da bandeira de Nova Karzek, enquanto o fado despejava todas as informações coletadas. Para ela, algumas eram de fato úteis, mas não para a missão deles no total. Precisariam encontrar uma trilha do alvo deles, e ela não sabia se era a mais indicada para encontrar essa trilha, mas iria tentar.

    "Algumas informações ajudam, sabemos aonde ficar e comer caso necessário, mas as demais parecem que não são úteis para a nossa tarefa. Precisamos descobrir meios de transporte aqui para locação, ou se teremos que viajar a pé. Vou conversar com alguns marujos do porto sobre as pessoas de Nova Karzek que chegaram recentemente... Na taverna pode existir fofocas sobre esse assunto também, mas não sei se é aconselhável nos separarmos em uma cidade que não conhecemos" Ruiva comentou pensando. "De qualquer maneira, no pior dos casos teremos que passar a noite na estrada atrás do nosso alvo para cortar mais um dia atraso entre nós."


    Sua atenção se voltou assim que Dustan retirou o colar de seu pescoço, seus olhos admirando a joia, mas a pergunta dele a deixou pensativa. Fazia tempo que não avaliava uma joia, quem sabe soubesse alguma pista? Ela apontou para o colar pedindo permissão para examinar com mais cuidado. "Nunca é um momento ruim para buscar mais informações de um parente" Ela comenta sorrindo, afinal de contas, ela mesma iria procurar sobre informações de sua família.
    Hellkite
    Mestre Jedi
    avatar
    Mestre Jedi

    Mensagens : 1349
    Reputação : 83
    Conquistas :
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/410.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/2111.png

    Re: Grupo 2 - Rosa Rubra/Iyue e Dustan/Gakky

    Mensagem por Hellkite em Seg Jan 16, 2017 12:24 pm

    Estava frio em Kharta.

    O ar esbranquiçado saindo das narinas, o vento gélido e cortante, a dor nas juntas, tudo lembrava que estavam bem ao norte de Dominus. Porém a briga entre Messina e Moonbeam parecia divertir os membros dos “desbravadores”, algo que fazia esquecerem o grande frio que sentiam naquele lugar.

    O fada voa para próximo de Dustan, escondendo-se atrás dele. “Viu como ela me maltrata? Imagina só o que ela iria fazer, se eu contasse para todo mundo que ela tem uma mancha no bum...”, ia completar, mas mudou de idéia ao perceber chispas elétricas saindo dos olhos da maga.

    Amandia, já usando um casaco reforçado devido ao frio, ri das brincadeiras. Ao ouvir o convite de Rubra, seus olhos parecem brilhar e tremular. “É o que mais quero... Espero que este dia chegue logo!, diz, abraçando-a num impulso, mas logo depois afastando-se e desculpando-se.

    Após a ida e retorno em busca de informações do fada, e seu relatório, Dustan e Rubra são amigáveis com ele. “Um monte de informações sem valor algum, mas é só minha opinião...”, comenta Messina. Moonbeam queria se jogar na agua gelada e afundar ate o fundo, mas Vorpal impediu. “Sua hora ainda não chegou, amigo...”

    O clérigo da morte reflete sobre as sugestões de Rubra, a mão no queixo. “Também não creio separarmos seja uma boa idéia, mas também não sabemos quanto tempo temos, ou onde esta a comitiva do embaixador Adelfo Ayon. Se tivermos alguma ideia de seu paradeiro, saberemos se devemos nos apressar ou não.” A elfa olha pelas bandeiras nos navios (roll 5), mas não sabe dizer se uma de nacionalidade novakarzekiana estava ancorada junto ao cais.

    De repente, Dustan fala sobre seu colar e a chave, e Rubra examina a joia, sem no entanto descobrir nada.

    Moonbeam plana para perto de Dustan, pegando sua chave e observando de perto. “Ah, mas eu conheço este tipo de chave. Na cabeça da chave, tem a imagem de um rosto talhada, e..., caramba, da ate medo ficar olhando!”



    O fada leva a chave e a joga na mão de Messina. “O prateadinha, ve se tem magia nesta chave ai!”, comanda sem fazer cerimonia. A maga já ia soltar uma praga, quando percebe todos olhando. Ela balança a cabeça, enquanto inicia seu encantamento. “Sim, esta encantada... Enfeitiçada, para dizer com mais clareza,” comenta, um tanto quanto interessada.

    Moonbeam faz cara de senhor sabe-tudo. Com os braços cruzados no peito, começa. “Esta é uma chave das fadas, sorte sua Dustan de eu ser um especialista no assunto. Chaves das fadas são inteligentes e sabem falar.”

    “Pelo menos uma destas habilidades voce tem, Moonbeam”, comenta Messina.
    Conteúdo patrocinado


    Re: Grupo 2 - Rosa Rubra/Iyue e Dustan/Gakky

    Mensagem por Conteúdo patrocinado


      Data/hora atual: Qua Nov 22, 2017 6:28 pm